André Silva Franco ASF EOQ Escola Olímpica de Química Julho de 2011

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "André Silva Franco ASF EOQ Escola Olímpica de Química Julho de 2011"

Transcrição

1 André Silva Franco ASF EOQ Escola Olímpica de Química Julho de 2011

2 Conceitos Básicos Gás é um estado da matéria; as partículas de massa m estão em movimento incessante e caótico; O tamanho das partículas é desprezível, já que o diâmetro delas é muito menor do que o valor que elas percorrem. As partículas interagem rapidamente em colisões elásticas Os gases ocupam todo o volume do recipiente e, portanto, não tem forma definida; A densidade de um gás, em geral, é muito inferior a de um líquido ou sólido; Formam misturas homogêneas.

3 O Gás Perfeito É aquele gás que não apresenta interações entre suas partículas constituintes; Na verdade, não há tal gás. E sim, um gás com comportamento perfeito/ideal. O estado de um gás é definido por variáveis ao menos 3 variáveis: P=f(n, V, T) Equação do gás perfeito (de Clapeyron): PV nrt

4 Pressão (P) Pressão é definido como a razão de uma força aplicada numa superfície. Quanto maior a força, maior a pressão. A origem da força vem das incessantes colisões das partículas do gás nas paredes do recipiente que o contém. As colisões são tantas que as partículas acabam por exercer uma força efetivamente constante. Nome Símbolo Valor pascal 1 Pa 1 N/m²; 1 kg/(m.s²) bar 1 bar Pa atmosfera 1 atm kpa torr 1 Torr 1/760 atm = 133,32 Pa Milímetros de mercúrio 1 mmhg 1 Torr P F S

5 Pressão (P) Pressão exercida por coluna de mercúrio Pressão de uma atmosfera Lei de Stevin: P=P 0 +µgh

6 Temperatura (T) É a medida do nível de agitação das partículas; Lei Zero da Termodinâmica: 32 T 273 C F Se A está em equilíbrio térmico com B, e B está em equilíbrio térmico com C, então C também está em equilíbrio térmico com A Termômetro? A é a amostra; B é o vidro; C é o mercúrio

7 Pressão e Temperatura

8 As Leis dos Gases Lei de Boyle: PV = constante, com n e T constantes. PV PV Cada hipérbole é uma isoterma (pontos com a mesma temperatura)

9 As Leis dos Gases Lei de Charles: V = constante. T, com n, P constantes Cada reta no diagrama abaixo é uma isóbara, pois cada ponto apresenta a mesma pressão. V T V T

10 As Leis dos Gases Lei de Gay-Lussac: P = constante.t, com n, V constantes Cada linha do gráfico abaixo é uma isócora, pois cada ponto apresenta o mesmo volume. P T P T

11 As Leis dos Gases Princípio de Avogadro: V = constante.n, com P, T cte. n, V 2n, 2V

12 Equação do Gás Perfeito Combinando todas as leis anteriores, chegamos à seguinte expressão: PV nrt O valor de R é obtido experimentalmente à baixas pressões (quando gases reais tem comportamento ideal) R PV nt

13 Exemplo Em um processo industrial, nitrogênio é aquecido a 500 K em um frasco a volume constante. Se ele entra no frasco a 100 atm e 300 K, qual será a pressão que ele exerceria na temperatura do de ação do frasco, supondo ter um comportamento ideal? PV PV n T n T P P T 500 P P atm T T T

14 Transformações Gasosas Um gás pode sofrer alterações em suas funções de estado, assumindo um novo estado. Porém, algumas transformações merecem destaque: Isotérmica: é aquela em que a temperatura permanece constante; Isobárica: é aquela em que a pressão permanece constante; Isocórica: é aquela em que o volume permanece constante; Adiabática: é aquela em que não ocorre troca de calor entre o sistema e o meio.

15 Exemplo

16 Definições Condições Normais de Temperatura e Pressão (CNTP ou TPN): Corresponde ao gás sob pressão de uma atmosfera e temperatura de 0 C ( 273,15 K) Volume Molar: É o volume ocupado por um mol de gás. V RT Da Equação de Clapeyron, temos: VM n P 0, ,15 1 Nas CNTP, VM 22, 41 L. mol 1,0

17 Densidade de um Gás (ρ) m Já sabemos que, e ainda que m V Como n, concluímos que: M m m PM PV RT PM RT M V RT PV nrt Em geral utilizamos a primeira expressão de densidade para sistemas fechados, e a segunda para sistemas abertos. Observe que mantidos constantes as condições do meio, a densidade do gás só depende de sua massa molar: Quanto maior a massa molar, maior é a densidade.

18 Exemplo A densidade do oxigênio nas CNTP é 1,429 g/l. Calcule a densidade do gás carbônico nas CNTP. Da equação de Clapeyron, obtemos: PM RT Como estamos nas CNTP nos dois casos, temperaturas são iguais. Então temos: CO O 2 P CO O M RT P M RT CO O P CO P O 2 2 e as M. M 1,965 g CO CO O CO CO2 M M L O O O

19 Casos Particulares Vazamento de gás a volume e temperatura constantes PV 1 n1rt PV 2 n2rt P P V n n RT PV nrt Variação da temperatura a pressão constante em pistão fechado PV PV nrt 1 1 nrt 2 2 V V P T T nr PV nrt

20 Exemplo Um recipiente inelástico de 0,5 L contendo um gás desconhecido, sob 1 atm de pressão, mantido à temperatura de 20 C, pesou 25,178 g-f(grama-força). Percebeu-se um vazamento neste recipiente e logo se providenciou sua correção. Após esta correção, verificou-se que a pressão foi reduzida para 0,83 atm e que o peso passou a ser 25,053 g-f. Calcule a massa molecular do gás. M mrt 25,178 25,053 0, ,33 u. m. a. PV 1,0 0,83 0,5

21 Lei Barométrica Utilizada para medir a pressão atmosférica. Lei de Stevin ( P P ): 0 gh dp gdh Equação de Clapeyron: PV = nrt Lei Barométrica: dp gdh nm PM V RT PMgdh 1 Mg dp dp dh RT P RT P Mg ln h P P 0. e P RT 0 Mg h RT

22 Gases Reais As partículas de gases, na verdade, interagem entre si. Apresentam forças de repulsão: Mais notáveis em altas pressões Apresentam forças de atração: Mais notáveis em baixas temperaturas Além disso, apresentam volume não desprezível

23 Fator de Compressão (Z) É a razão entre o volume molar medido (efetivo/real) e o volume ideal (considerando comportamento ideal) Vm Z 0 0 V m 0 V RT Sabemos que V, então podemos escrever que M n P PV Z m RT Ou seja, PVm RTZ Note que para Z = 1, temos gás ideal; Para Z > 1, volume é maior do que o ideal: repulsão Para Z < 1, volume é menor do que o ideal: atração

24 Equação de van der Waals Adiciona fatores de correção à equação de Clapeyron: P Parâmetros de van der Waals: a: forças de atração b: forças de repulsão (volume de um mol de partículas) Fator de Compressão: nrt n a V nb V Z 1 nb 1 V Para Z = 1, a=b=0; Para Z > 1, b é mais influente que a; Para Z < 1, a é mais influente que b. 2 2 an RTV

25 Exemplo Os parâmetros de van der Waals para o hélio são: a=3, L².atm.mol -2 e b=2, L.mol -1. Calcule o volume de átomos de gás hélio a 5 atm e 300 K. Calcule agora Z para o gás. O que predomina, as forças de repulsão ou atração? 3 RT 2 a ab Vm b Vm Vm P P P ,748 2,184 0, ,583 V V V V L 0 nrt 8.0, V 39,36 L P 5 V Z 1, 005 Forças de repulsão predominam V 0 0

26 André Silva Franco ASF EOQ Escola Olímpica de Química Julho de 2011

27 Lei de Dalton P P P... P A B Z Consideremos dois gases A e B submetidos à mesma temperatura e recipientes de mesmo volume. Se misturarmos uma certa quantia de A com outra de B em outro recipiente sob mesma temperatura e de mesmo volume, teremos: n A Então, A PV A RT n A P A T V n B B PV B RT n B P B T V n A + B PV RT PV PAV PBV n n n P P P A B RT RT RT A Pressão parcial de um gás componente de uma mistura gasosa é a pressão que este exerceria se estivesse sozinho no recipiente da mistura e submetido à mesma temperatura que se encontra a mistura. B n P T V

28 Exemplo Em uma experiência de laboratório, ácido clorídrico concentrado reagiu com alumínio. O gás hidrogênio produzido na reação foi recolhido sobre água a 25 C; seu volume foi de 355 ml a uma pressão total de 750 mmhg. A pressão de vapor d água a 25 C é aproximadamente 24 mmhg. a) Qual é a pressão parcial do hidrogênio na mistura? b) Quantos mols de hidrogênio foram recolhidos?

29 Lei de Amagat V V V... V A B Z Consideremos dois gases A e B submetidos à mesma temperatura e pressão. Se misturarmos uma certa quantia de A com outra de B em outro recipiente sob mesma temperatura e pressão, teremos: n A A Então, PV RT A n A P T V A n B B PV RT B n B P T V B n A + B PV RT PV PVA PVB n n n V V V A B RT RT RT A Volume parcial de um gás componente de uma mistura gasosa é o volume que este ocuparia se estivesse sozinho à mesma temperatura e pressão que se encontra a mistura. B n P T V

30 Fração Molar Imaginemos um recipiente contendo vários gases. Caso queiramos analisar o gás A com a mistura, podemos fazer: P V A A A A A A n RT P n A P ou PV n RT V n A V PV nrt n PV nrt n na Definimos fração molar de um gás A como X A n Assim, podemos calcular as pressões ou os volumes parciais usando a fração molar P X. P ou V X. V i i i i Assim, analisando o gás numa mistura, podemos usar ou a pressão parcial ou o volume parcial P V n RT ou PV n RT X A A A A i n P V n P V i i i

31 Exemplo Um bebê prematuro respira na incubadora uma mistura de 75% de gás oxigênio e 25% de gás nitrogênio (porcentagem em volume). Sabendo-se que a pressão total da mistura é igual a 800 mmhg, calcule as pressões parciais dos componentes.

32 Casos Particulares Pressão Total: Caso peguemos um gás A num recipiente A, e um gás B num recipiente B e misturemo-los num único recipiente, todos submetidos à mesma temperatura, podemos escrever: PV PA VA PB VB PA VA PB VB n na nb P RT RT RT V Pressão de Equilíbrio: Caso tenhamos dois recipientes separados por uma barreira, e esta é retirada, após o equilíbrio entre os gases a pressão de equilíbrio em cada recipiente, mesmo colocando a barreira novamente, será: P PV A A PV B B P V P V Peq V V V A A B B A B

33 Exemplo Utilizando-se uma bomba pneumática com base 24 cm² e altura 30 cm quando o êmbolo está todo puxado, Hilsen pretende encher o pneu de sua bicicleta. Sabendo que o pneu tem volume constante igual a 2,4 L e sua pressão inicial era de 3 atm, calcule a pressão no interior do pneu quando ele empurrar uma vez a bomba, sabendo que ela está sujeita à pressão atmosférica normal. Observe que o volume da bomba é VA = 0,24 dm². 3 dm = 0,72 dm³ = 0,72 L. E o volume total V é o próprio volume do pneu, que é constante e igual a 2,4 L. PA VA PB VB 1.0, , 4 P 3,3 atm V 2,4

34 Lei de Graham A velocidade média das moléculas de um gás é diretamente proporcional à raiz quadrada da temperatura e inversamente proporcional à raiz quadrada da massa molar v T M Considerando uma mesma temperatura, a razão das velocidades de difusão dos gases é v v Considerando o mesmo gás, a razão das velocidades em temperaturas diferentes é v1 T1 v T M M 2 2

35 Exemplo Alan Bruno pegou um tubo de vidro cilíndrico de 1,000 metro de comprimento e em uma extremidade colocou algodão embebido com ácido clorídrico e na outra, algodão embebido com amônia. Após algum tempo observou a formação de um anel branco dentro do tubo, sendo mais concentrado a 59,5 cm da extremidade que continha algodão com amônia. Assim sendo, Alan Bruno descobriu a massa molar do cloro com boa exatidão, já que ele só sabia a massa molar do hidrogênio e do nitrogênio. (1,00 e 14,0 g/mol, respectivamente). O que aconteceu no tubo para formar o anel branco e qual sua composição? Mostre a reação de sua formação. Algodão embebido com ácido clorídrico 40,5 cm 59,5 cm Anel de cloreto de amônio HCl NH NH Cl g 3g 4 s Como ele obteve a massa molar do cloro? Considere que a amônia e o cloreto de hidrogênio possuam a mesma energia cinética no sistema. 2 vnh x 59,5 1,00 3 NH M 3 HCl MCl 1 MCl 35,7 g. mol v x M 40,5 17, 0 HCl HCl NH 3 Algodão embebido com amônia

36 Desafio! Dois recipientes idênticos são conectados por um tubo com uma válvula deixando o gás passar de um recipiente a outro se a diferença de pressão for ΔP 1,10 atmosferas. Inicialmente, um frasco estava vazio (vácuo ideal) enquanto o outro continha gás perfeito a temperatura T 1 = 27 C e pressão de p 1 = 1,00 atmosfera. Então ambos recipientes são aquecidos até a temperatura de T 2 = 107 C. Até qual valor a pressão no primeiro frasco (que continha vácuo inicialmente) irá aumentar?

37 Desafio? Para o frasco cheio, inicialmente, definimos: Daí aquece-se esse frasco, e obtemos: Já no segundo frasco, temos: n n n ' PV RT ' ' 1 1 PV RT n 1 PV 1 RT 0 Portanto, PV PV PV T RT RT RT T ' ' P2 P1 P1 0 0 Como P P P ' 1 2, chegamos que: T 1 T P2 P1 P P2 P2 P1 P 0,08 atm T0 2 T0

38 Sugestão Leitura Complementar: Atkins; Jones: Princípios de Química Atkins; de Paula: Físico-Química Castellan, Gilbert W.: Physical Chemistry Fontes: Atkins, de Paula: Físico-Química Chemistry the central science Resumo didático e lista de exercício completa no site

39 Agradecimentos Obrigado por fazer parte desse projeto! Esperamos comentários sobre esse arquivo e os demais; Eventuais dúvidas podem ser enviadas ao site Boa sorte nos exames! Estude bastante! Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas. Friedrich Nietzsche

Apostila de Química 01 Estudo dos Gases

Apostila de Química 01 Estudo dos Gases Apostila de Química 01 Estudo dos Gases 1.0 Conceitos Pressão: Número de choques de suas moléculas contra as paredes do recipiente. 1atm = 760mHg = 760torr 105Pa (pascal) = 1bar. Volume 1m³ = 1000L. Temperatura:

Leia mais

Estudo Físico-Químico dos Gases

Estudo Físico-Químico dos Gases Estudo Físico-Químico dos Gases Prof. Alex Fabiano C. Campos Fases de Agregação da Matéria Sublimação (sólido em gás ou gás em sólido) Gás Evaporação (líquido em gás) Condensação (gás em líquido) Sólido

Leia mais

Gases. 1. Qual a equação de Van der Waals para o gás real e qual o significado de cada termo dessa equação?

Gases. 1. Qual a equação de Van der Waals para o gás real e qual o significado de cada termo dessa equação? Capítulo 2 Gases 1. Qual a equação de Van der Waals para o gás real e qual o significado de cada termo dessa equação? Van der Waals verificou que o fato do gás real não se comportar como o gás ideal é

Leia mais

Estudo Físico-Químico dos Gases

Estudo Físico-Químico dos Gases Estudo Físico-Químico dos Gases Prof. Alex Fabiano C. Campos Gás e Vapor Diagrama de Fase Gás Vapor Gás: fluido elástico que não pode ser condensado apenas por aumento de pressão, pois requer ainda um

Leia mais

Todo gás exerce uma PRESSÃO, ocupando um certo VOLUME à determinada TEMPERATURA

Todo gás exerce uma PRESSÃO, ocupando um certo VOLUME à determinada TEMPERATURA Todo gás exerce uma PRESSÃO, ocupando um certo VOLUME à determinada TEMPERATURA Aos valores da pressão, do volume e da temperatura chamamos de ESTADO DE UM GÁS Assim: V 5 L T 300 K P 1 atm Os valores da

Leia mais

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO QUÍMICA GASES I

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO QUÍMICA GASES I Aluno (a): Profº: RICARDO Série: Data: / / Disc: QUÍMICA EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO QUÍMICA GASES I 1. Uma Massa fixa de um gás ideal foi submetida a uma série de transformações isotérmicas e alguns dos valores

Leia mais

QUÍMICA I Gases

QUÍMICA I Gases QUÍMICA I 106201 Gases Características dos gases Os gases são altamente compressíveis e ocupam o volume total de seus recipientes. Quando um gás é submetido à pressão, seu volume diminui. Os gases sempre

Leia mais

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2 QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2 Fixação 1) (UNESP) O volume de uma massa fixa de gás ideal, a pressão constante, é diretamente proporcional à: a) concentração do gás.

Leia mais

Soluções e Gases III. Gases

Soluções e Gases III. Gases Soluções e Gases III Gases Gases Gás é um material que preenche todo o espaço ou volume do recipiente em que se encontra, independentemente do tamanho do recipiente. Ar 78 % de N 2 21% de O 2 1% de outros

Leia mais

REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO

REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO 1- Um aluno de química, ao investigar as propriedades de gases, colocou uma garrafa plástica (PET), contendo ar e devidamente fechada, em um freezer e observou

Leia mais

GASES PERFEITOS AULA INTRODUÇÃO

GASES PERFEITOS AULA INTRODUÇÃO AULA 5 GASES PERFEIOS - INRODUÇÃO Neste capítulo, vamos estudar as transformações gasosas e as leis elaboradas por Boyle e ariotte, Clapeyron, Gay-Lussac e Charles, que regem estas transformações. Vamos

Leia mais

A) 2,5 B) 4 C) 5 D) 7,5 E) 10

A) 2,5 B) 4 C) 5 D) 7,5 E) 10 1-Uma massa gasosa, inicialmente num estado A, sofre duas transformações sucessivas e passa para um estado C. A partir do estado A esse gás sofre uma transformação isobárica e passa para o estado B. A

Leia mais

Universidade de São Paulo Instituto de Física

Universidade de São Paulo Instituto de Física Universidade de São Paulo Instituto de Física FEP - FÍSICA II para o Instituto Oceanográfico º Semestre de 009 Sexta Lista de Exercícios a. Lei da Termodinâmica e Teoria Cinética dos Gases ) Uma máquina

Leia mais

CAPITULO 1 Propriedades dos gases. PGCEM Termodinâmica dos Materiais UDESC

CAPITULO 1 Propriedades dos gases. PGCEM Termodinâmica dos Materiais UDESC CAPITULO 1 Propriedades dos gases PGCEM Termodinâmica dos Materiais UDESC Referência Bibliográfica ATKINS, P.; Paula, J. de. Fisico-Química, Vol 1. 8ª ed., Editora LTC, Rio de Janeiro, 2006, cap 1. Ball,

Leia mais

c) qual o lado do cubo que ele teria que ocupar com essas bolinhas, de modo a representar 1cm 3 de gás? A) 1km B) 10km C) 100km D) 1000km E) 10000km

c) qual o lado do cubo que ele teria que ocupar com essas bolinhas, de modo a representar 1cm 3 de gás? A) 1km B) 10km C) 100km D) 1000km E) 10000km 1- Imagine que, na impossibilidade de reduzir seus alunos ao tamanho das moléculas de um gás, um professor resolva trazer as moléculas para o tamanho de seus alunos. Usa, para isso, bolinhas de gude, de

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARAÍBA Campus Princesa Isabel. Fluidos. Disciplina: Física Professor: Carlos Alberto

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARAÍBA Campus Princesa Isabel. Fluidos. Disciplina: Física Professor: Carlos Alberto INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARAÍBA Campus Princesa Isabel Fluidos Disciplina: Física Professor: Carlos Alberto Objetivos de aprendizagem Ao estudar este capítulo você aprenderá:

Leia mais

Aula do Curso Noic de Física, feito pela parceria do Noic com o Além do Horizonte. Esta aula tratará de gases e termodinâmica:

Aula do Curso Noic de Física, feito pela parceria do Noic com o Além do Horizonte. Esta aula tratará de gases e termodinâmica: Esta aula tratará de gases e termodinâmica: Estudando a matéria, os cientistas definiram o mol. Um mol corresponde a 6,02. 10 " unidades de algo, número conhecido por N A, número de Avogadro. A importância

Leia mais

Questão 4. Questão 5

Questão 4. Questão 5 Questão 1 Um mol de gás ideal sofre transformação AëBëC indicada no diafragma pressão x volume da figura a seguir. a) qual é a temperatura do gás no estado A? b) Qual é o trabalho realizado pelo gás na

Leia mais

Combustíveis Energia e Ambiente. Combustíveis gasosos, líquidos e sólidos: compreender as diferenças

Combustíveis Energia e Ambiente. Combustíveis gasosos, líquidos e sólidos: compreender as diferenças Combustíveis gasosos, líquidos e sólidos: compreender as diferenças 1 Estados físicos de hidrocarbonetos em função do número de carbonos da cadeia Os gases combustíveis podem ser agrupados em famílias,

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 04/04/08

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 04/04/08 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 04/04/08 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 10,0 Dados R = 0,081 atm L mol -1 K -1 T (K) = T ( C) + 73,15

Leia mais

1ª QUESTÃO Valor 1,0 = 1. Dados: índice de refração do ar: n 2. massa específica da cortiça: 200 kg/m 3. 1 of :36

1ª QUESTÃO Valor 1,0 = 1. Dados: índice de refração do ar: n 2. massa específica da cortiça: 200 kg/m 3. 1 of :36 1ª QUESTÃO Valor 1,0 Uma lâmpada é colocada no fundo de um recipiente com líquido, diretamente abaixo do centro de um cubo de cortiça de 10 cm de lado que flutua no líquido. Sabendo que o índice de refração

Leia mais

Lista de exercícios 2 QB70D

Lista de exercícios 2 QB70D Lista de exercícios 2 QB70D 1) Suponha que você jogue uma bola de tênis para o alto. (a) A energia cinética da bola aumenta ou diminui à medida que ela ganha altitude? (b) O que acontece com a energia

Leia mais

Pressão (mmhg) T (K) x 12 5

Pressão (mmhg) T (K) x 12 5 GASES IDEAIS 1- (UNIFOR) Para que a relação matemática P 1 V 1 = P 2 V 2, conhecida como Lei de Boyle para as transformações gasosas, seja válida é necessário que: I. A massa do gás seja constante II.

Leia mais

Transformações Gasosas

Transformações Gasosas Transformações Gasosas Portal de Estudos em Química (PEQ) www.profpc.com.br Página 1 EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (FEI-SP) Certa massa de um gás perfeito sofre transformação de A para B e de B para C, conforme

Leia mais

PROPRIEDADE DOS GASES

PROPRIEDADE DOS GASES RORIEDADE DOS GASES 0. Gás Ideal x Gás Real eoria Cinética dos Gases A eoria Cinética dos Gases procura dar uma idéia da estrutura interna dos gases através de hipóteses, criando-se um modelo que sirva

Leia mais

1ª Parte: Questões resolvidas

1ª Parte: Questões resolvidas ANÁLISE ELEMENTAR QUANTITATIVA DISCIPLINA: QUÍMICA GERAL / TURMA: 1º ano Ensino Médio 1ª Parte: Questões resolvidas Nota: A massa molecular de um composto, pode ser calculada em função da densidade de

Leia mais

Capítulo 3: Propriedades de uma Substância Pura

Capítulo 3: Propriedades de uma Substância Pura Capítulo 3: Propriedades de uma Substância Pura Substância pura Princípio de estado Equilíbrio de fases Diagramas de fases Equação de estado do gás ideal Outras equações de estado Outras propriedades termodinâmicas

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO: Atenção: Esteja atento à numeração das páginas Questão 1

IDENTIFICAÇÃO: Atenção: Esteja atento à numeração das páginas Questão 1 Atenção: Esteja atento à numeração das páginas Questão 1 Determine o volume molar (em unidades de L mol 1 ) e o fator de compressibilidade Z do vapor saturado de água à pressão de 1,00 bar e temperatura

Leia mais

QUÍMICA 2 Prof Emanuele

QUÍMICA 2 Prof Emanuele QUÍMICA 2 Prof Emanuele LISTA DE EXERCÍCIOS 1 RELAÇÕES DE MASSA E ESTUDO DOS GASES 1) Se um dentista usou em seu trabalho 30 mg de amálgama de prata, cujo teor em prata é de 72% (em massa), o número de

Leia mais

Gás Ideal (1) PMT2305 Físico-Química para Metalurgia e Materiais I César Yuji Narita e Neusa Alonso-Falleiros 2012

Gás Ideal (1) PMT2305 Físico-Química para Metalurgia e Materiais I César Yuji Narita e Neusa Alonso-Falleiros 2012 Gás Ideal (1) Para um gás, uma equação de estado é uma relação entre pressão (P), volume (V), temperatura (T) e composição ou número de mols (n). O primeiro passo para a determinação de uma equação de

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Dados R = 0,0821 atm L mol -1 K -1 T (K) =

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS ESTUDO DOS GASES

LISTA DE EXERCÍCIOS ESTUDO DOS GASES GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO GRÉ MATA NORTE UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO CAMPUS MATA NORTE ESCOLA DE APLICAÇÃO PROFESSOR CHAVES LISTA DE EXERCÍCIOS ALUNO(A): Nº NAZARÉ DA MATA, DE DE 2015 2º ANO ESTUDO

Leia mais

Física Geral e Experimental III. Exercícios Temperatura e Dilatação

Física Geral e Experimental III. Exercícios Temperatura e Dilatação Física Geral e Experimental III Exercícios Temperatura e Dilatação 1. Em um dia quando a temperatura alcança 50ºF, qual é a temperatura em graus Celsius e Kelvins? R: 10ºC; 283 K. 2. O ouro tem um ponto

Leia mais

Prática 05 Determinação Da Massa Molar Do Magnésio

Prática 05 Determinação Da Massa Molar Do Magnésio UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE QUÍMICA DQMC Disciplina: Química Geral Experimental QEX0002 Prática 05 Determinação Da Massa Molar Do Magnésio

Leia mais

Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 2 o ano Disciplina: Física Gases ideais e Termodinâmica

Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 2 o ano Disciplina: Física Gases ideais e Termodinâmica Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Fabrízio Gentil Série: 2 o ano Disciplina: Física Gases ideais e Termodinâmica 01 - (ACAFE SC) No estudo da termodinâmica é

Leia mais

2.1 Breve história da termodinâmica

2.1 Breve história da termodinâmica 2.1 Breve história da termodinâmica TERMODINÂMICA calor força, movimento No início, estudava os processos que permitiam converter calor em trabalho (força e movimento). 2.1 Breve história da termodinâmica

Leia mais

Hipótese de Avogadro e Volume Molar

Hipótese de Avogadro e Volume Molar Hipótese de Avogadro e Volume Molar EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (UFES-ES) Três balões contêm H, N e O, conforme ilustrado abaixo: Considerando-se que os gases estão sob pressão de 1 atm e à mesma temperatura,

Leia mais

Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com

Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com Por que precisamos calibrar os pneus dos carro? Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=9aapomthyje Pressão abaixo da recomendada reduz a durabilidade

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DR. JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA - ANO 2015

ESCOLA ESTADUAL DR. JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA - ANO 2015 ESCOLA ESTADUAL DR. JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA - ANO 2015 2º ano Nome Nº Turma Data Nota Disciplina QUÍMICA Prof. ORLANDO Valor TRABALHO DE ESTUDOS INDEPENDENTES DE RECUPERAÇÃO -2ºANO 01. (UNIVALI-SC) O

Leia mais

FÍSICA TÉRMICA. Prof. Neemias Alves de Lima Instituto de Pesquisa em Ciência dos Materiais Universidade Federal do Vale do São Francisco 1

FÍSICA TÉRMICA. Prof. Neemias Alves de Lima Instituto de Pesquisa em Ciência dos Materiais Universidade Federal do Vale do São Francisco 1 FÍSICA TÉRMICA Prof. Neemias Alves de Lima Instituto de Pesquisa em Ciência dos Materiais Universidade Federal do Vale do São Francisco 1 Domínio da Física Térmica Como pode água aprisionada ser ejetada

Leia mais

Vejamos agora alguns casos particulares dessas transformações com quantidade de gás constante.

Vejamos agora alguns casos particulares dessas transformações com quantidade de gás constante. Setor 2306 Aula 06 Transformações Gasosas em sistemas fechados Complemento. Como vimos em aula, as transformações realizadas em sistemas fechados tem sua quantidade de gás constante. Nessa situação, a

Leia mais

Estudo dos gases. Profa. Kátia Aquino

Estudo dos gases. Profa. Kátia Aquino Estudo dos gases Profa. Kátia Aquino Vapor ou Gás? O CO2 um gás Vapor de água Industrias em Yokohama-Japão: O homem injeta somente 3% de todo CO2. (foto:paul Davdson) O calor liberado na condensação do

Leia mais

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 05 HIDROSTÁTICA REVISÃO GERAL

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 05 HIDROSTÁTICA REVISÃO GERAL FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 05 HIDROSTÁTICA REVISÃO GERAL Fixação 1) A figura ao lado representa um cilindro constituído por três partes de volumes iguais a V. A parte de baixo é de ferro maciço e homogêneo,

Leia mais

Unimonte, Engenharia Física Aplicada, prof. Marco Simões Comportamento Térmico dos Gases. Exercícios selecionados do Sears & Zemanzki, vol.

Unimonte, Engenharia Física Aplicada, prof. Marco Simões Comportamento Térmico dos Gases. Exercícios selecionados do Sears & Zemanzki, vol. Unimonte, Engenharia Física Aplicada, prof. Marco Simões Comportamento Térmico dos Gases. Exercícios selecionados do Sears & Zemanzki, vol. 2 Nos exercícios abaixo adotar! = 8,315!!"#! = 0,08206!!"#!"#!

Leia mais

P4 PROVA DE QUÍMICA GERAL 02/12/08

P4 PROVA DE QUÍMICA GERAL 02/12/08 P4 PROVA DE QUÍMICA GERAL 0/1/08 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 10,0 Constantes e equações: R = 0,08 atm L mol -1 K -1 = 8,314

Leia mais

Do ponto de vista da Termodinâmica, gás ideal é aquele para o qual vale, para quaisquer valores de P e T, a equação de estado de Clapeyron:

Do ponto de vista da Termodinâmica, gás ideal é aquele para o qual vale, para quaisquer valores de P e T, a equação de estado de Clapeyron: Equação de Estado de Van der Waals Do ponto de vista da Termodinâmica, gás ideal é aquele para o qual vale, para quaisquer valores de P e T, a equação de estado de Clapeyron: P i V i = nrt em que colocamos

Leia mais

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 17 (pág. 88) AD TM TC. Aula 18 (pág. 88) AD TM TC. Aula 19 (pág.

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 17 (pág. 88) AD TM TC. Aula 18 (pág. 88) AD TM TC. Aula 19 (pág. Física Setor B Prof.: Índice-controle de Estudo ula 17 (pág. 88) D TM TC ula 18 (pág. 88) D TM TC ula 19 (pág. 90) D TM TC ula 20 (pág. 90) D TM TC ula 21 (pág. 92) D TM TC ula 22 (pág. 94) D TM TC Revisanglo

Leia mais

2. Considere um bloco de gelo de massa 300g á temperatura de 20 C, sob pressão normal. Sendo L F

2. Considere um bloco de gelo de massa 300g á temperatura de 20 C, sob pressão normal. Sendo L F 1. Considere um bloco de gelo de massa 300g encontra-se a 0 C. Para que todo gelo se derreta, obtendo água a 0 C são necessárias 24.000 cal. Determine o calor latente de fusão do gelo. 2. Considere um

Leia mais

Gases. 1 atm = 1 kpa. 1 mmhg = 1 Torr. 1 m = 1000 L 1 L = 1000 ml = 1000 cm ESTUDO DOS GASES

Gases. 1 atm = 1 kpa. 1 mmhg = 1 Torr. 1 m = 1000 L 1 L = 1000 ml = 1000 cm ESTUDO DOS GASES 1 ESUDO DOS GSES INRODUÇÃO O estudo dos gases é de grande importância na compreensão de fatos que ocorrem no nosso cotidiano, tais como: um balão subir, uma bexiga murchar com o tempo, a pressão interna

Leia mais

Hidrostática REVISÃO ENEM O QUE É UM FLUIDO? O QUE É MASSA ESPECÍFICA? OBSERVAÇÕES

Hidrostática REVISÃO ENEM O QUE É UM FLUIDO? O QUE É MASSA ESPECÍFICA? OBSERVAÇÕES REVISÃO ENEM Hidrostática O QUE É UM FLUIDO? Fluido é denominação genérica dada a qualquer substância que flui isto é, escoa e não apresenta forma própria, pois adquire a forma do recipiente que o contém.

Leia mais

Física Geral e Experimental III. Dilatação

Física Geral e Experimental III. Dilatação Física Geral e Experimental III Dilatação 6. Em um dia quente em Las Vegas um caminhão-tanque foi carregado com 37.000 L de óleo diesel. Ele encontrou tempo frio ao chegar a Payson, Utha, onde a temperatura

Leia mais

Prof. Vanderlei I Paula -

Prof. Vanderlei I Paula - Centro Universitário Anchieta Engenharia Química Físico Química I Prof. Vanderlei I Paula Gabarito 3 a lista de exercícios 01 Alimentos desidratados apresentam maior durabilidade e mantêm a maioria das

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA. Adaptada da Tabela Periódica da IUPAC/versão 2007 Acesso: PROVA DE QUÍMICA - Caderno 1

PROVA DE QUÍMICA. Adaptada da Tabela Periódica da IUPAC/versão 2007 Acesso:  PROVA DE QUÍMICA - Caderno 1 PROVA DE QUÍMICA Adaptada da Tabela Periódica da IUPAC/versão 2007 Acesso: http://wwwiupacorg/reports/periodic_table/ 18 PROVA DE QUÍMICA - Caderno 1 QUESTÃO 25 1 Na extração do ouro, os garimpeiros costumam

Leia mais

Exercícios: gases (2)

Exercícios: gases (2) Química Ficha 8 2 os anos Rodrigo abril/12 Nome: Nº: Turma: Exercícios: gases (2) 1) (Unicamp) Após a limpeza do banheiro, Rango foi à sala e removeu todos os móveis e, de tão feliz e apaixonado, começou

Leia mais

IME º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

IME º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR IME - 2003 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Uma fonte de vanádio é o mineral vanadinita, cuja fórmula é Pb 5 (VO 4 ) 3 Cl. DETERMINE: A) A porcentagem em massa de vanádio

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03/12/05

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03/12/05 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03//05 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 0,0 Constantes e equações: R = 0,08 atm L mol - K - = 8,34 J

Leia mais

Lei fundamental da hidrostática

Lei fundamental da hidrostática Sumário Unidade I MECÂNICA 3- de fluidos - Lei fundamental da hidrostática ou Lei de Stevin. - Vasos comunicantes Equilíbrio de dois líquidos não miscíveis. - Relação entre as pressões de dois pontos,

Leia mais

Ob. As questões discursiva deve ser apresentado os cálculos.

Ob. As questões discursiva deve ser apresentado os cálculos. GOIÂNIA, 16_ / _11 / 2016 PROFESSOR: Jonas Tavares DISCIPLINA: Física SÉRIE: 2ª ALUNO(a): L2 4º Bimestre Data da prova: 16/11/16 No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia

Leia mais

Deve-se esperar uma redução na velocidade de rotação do hidrômetro em dias frios.

Deve-se esperar uma redução na velocidade de rotação do hidrômetro em dias frios. 01. Considere que dez litros de cada um dos seguintes gases estão nas mesmas condições de pressão e temperatura: PH 3, C 2 H 6 O, H 2, NH 3, Ne, Cl 2 e SO 2. A alternativa que apresenta corretamente os

Leia mais

AS PROPRIEDADES DOS GASES. Apresentar as propriedades dos gases; explicitar as diferentes propriedades dos gases reais e dos gases perfeitos;

AS PROPRIEDADES DOS GASES. Apresentar as propriedades dos gases; explicitar as diferentes propriedades dos gases reais e dos gases perfeitos; AS PROPRIEDADES DOS GASES Metas Apresentar as propriedades dos gases; explicitar as diferentes propriedades dos gases reais e dos gases perfeitos; Objetivos Ao final desta aula, o aluno deverá: compreender

Leia mais

Modulo 6- Equação Manometrica

Modulo 6- Equação Manometrica Modulo 6- Equação Manometrica Equação Manométrica A aplicação da lei de Stevin e de Pascal, pode ocorrer de forma mais rápida, mais prática, forma esta, denominada Equação Manométrica. Apara exemplificar,

Leia mais

Halliday Fundamentos de Física Volume 2

Halliday Fundamentos de Física Volume 2 Halliday Fundamentos de Física Volume 2 www.grupogen.com.br http://gen-io.grupogen.com.br O GEN Grupo Editorial Nacional reúne as editoras Guanabara Koogan, Santos, Roca, AC Farmacêutica, LTC, Forense,

Leia mais

Pressão nos Fluidos. Professor: Andouglas Gonçalves da Silva Júnior. Instituto Federal do Rio Grande do Norte

Pressão nos Fluidos. Professor: Andouglas Gonçalves da Silva Júnior. Instituto Federal do Rio Grande do Norte Pressão nos Fluidos Professor: Andouglas Gonçalves da Silva Júnior Instituto Federal do Rio Grande do Norte Curso: Técnico em Mecânica Disciplina: Mecânica dos Fluidos 13 de Julho de 2016 (Instituto Mecânica

Leia mais

Equação de estado de um gás ideal e misturas gasosas

Equação de estado de um gás ideal e misturas gasosas Equação de estado de um gás ideal e misturas gasosas 01. Prove que a soma das frações molares de uma mistura gasosa é igual a 1. 02. Defina a pressão parcial de um gás. 03. Defina o volume parcial de um

Leia mais

Apostila de Exercícios de Físico Química 4, Lei de Graham

Apostila de Exercícios de Físico Química 4, Lei de Graham 1) À mesma temperatura, um gás é quatro vezes mais denso que outro. Qual é a relação entre suas velocidades de efusão? (a) O gás mais denso difunde-se com metade da velocidade do gás menos denso. (b) O

Leia mais

Lista de Exercícios - Unidade 10 Buscando o equilíbrio

Lista de Exercícios - Unidade 10 Buscando o equilíbrio Lista de xercícios - Unidade 10 uscando o equilíbrio Hidrostática Primeira lista de exercícios: 1. Um recipiente contém 6,0 litros de água. Sabendo que a densidade da água é 1,0 g / cm 3, qual a massa

Leia mais

(g) (92 g/mol). O sistema é aquecido até 27 C, ocorrendo a reação a seguir: 1 N 2. (g) F 2 NO 2. (g) é igual a 20%, calcule a pressão parcial de N 2

(g) (92 g/mol). O sistema é aquecido até 27 C, ocorrendo a reação a seguir: 1 N 2. (g) F 2 NO 2. (g) é igual a 20%, calcule a pressão parcial de N 2 Resolução das atividades complementares 3 Química Q34 Grau de equilíbrio a p. 10 1 (Faap-SP) Em um recipiente indeformável de 10 L são colocados 46 g de N (9 g/mol). O sistema é aquecido até 7, ocorrendo

Leia mais

Professora Sonia Equação de estado de um gás ideal (Clapeyron) e densidade

Professora Sonia Equação de estado de um gás ideal (Clapeyron) e densidade Equação de estado de um gás ideal (Clapeyron) e densidade 01. (UFF) O hélio, depois do hidrogênio, é o gás mais leve que existe. Dentre suas diversas aplicações, é utilizado para encher balões que transportam

Leia mais

TERMODINÂMICA APLICADA CAPÍTULO 2

TERMODINÂMICA APLICADA CAPÍTULO 2 TERMODINÂMICA APLICADA CAPÍTULO 2 PROPRIEDADES DAS SUBSTÂNCIAS PURAS SUMÁRIO Neste capítulo o conceito de substância pura é introduzido e as várias fases, bem como as propriedades físicas dos processos

Leia mais

Interpretação Molecular da Temperatura de um Gás Ideal

Interpretação Molecular da Temperatura de um Gás Ideal Interpretação Molecular da Temperatura de um Gás Ideal Já vimos que a pressão está relacionada com a energia cinética média das moléculas. Agora relacionaremos a temperatura à uma descrição microscópica

Leia mais

Física E Semiextensivo V. 2

Física E Semiextensivo V. 2 GABARIO Física E Semiextensivo Exercícios 1) C ) A I erdadeira Caso ocorra a redução de temperatura do ambiente, o fio sofrerá contração, com o risco de rompimento II Falsa A distância entre os fios é

Leia mais

Exercícios de Termodinâmica

Exercícios de Termodinâmica Exercícios de Termodinâmica 1-Uma massa gasosa, inicialmente num estado A, sofre duas transformações sucessivas e passa para um estado C. A partir do estado A esse gás sofre uma transformação isobárica

Leia mais

O que você deve saber sobre

O que você deve saber sobre O que você deve saber sobre Podemos conhecer as grandezas que regem a quantificação dos fenômenos químicos identificando o comportamento da massa, do número de partículas e do volume de diferentes substâncias.

Leia mais

EDITAL DE TURMA ESPECIAL

EDITAL DE TURMA ESPECIAL Edital N 0132 2016. Cacoal, 31 de Outubro de 2016. EDITAL DE TURMA ESPECIAL A Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal FACIMED, no uso de suas atribuições legais, e tendo presente o disposto no Art.

Leia mais

Lista: Hidrostática (densidade, pressão, Stevin, empuxo)

Lista: Hidrostática (densidade, pressão, Stevin, empuxo) Lista: Hidrostática (densidade, pressão, Stevin, empuxo) 1) (Fuvest 95) Um recipiente cilíndrico de eixo vertical tem como fundo uma chapa de 2,0cm de espessura, e 1,0m² de área, feita de material de massa

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 08/04/03

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 08/04/03 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 08/04/03 Nome: Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: GABARITO Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,0 2 a 2,0 3 a 2,0 4 a 2,0 5 a 2,0 Total 10,0 R = 0,0821 atm L mol -1 K -1 K =

Leia mais

Banco de Questões para o 2º ano MEDF. 1. De acordo com o gráfico abaixo, assinale o caminho que sugere a presença de catalisador. Explique.

Banco de Questões para o 2º ano MEDF. 1. De acordo com o gráfico abaixo, assinale o caminho que sugere a presença de catalisador. Explique. Banco de Questões para o 2º ano MEDF Cinética Química 1. De acordo com o gráfico abaixo, assinale o caminho que sugere a presença de catalisador. Explique. Gabarito: O caminho que sugere a presença de

Leia mais

Universidade Federal da Paraíba. Centro de Ciências Exatas e da Natureza Departamento de Química Programa de Pós-graduação em Química

Universidade Federal da Paraíba. Centro de Ciências Exatas e da Natureza Departamento de Química Programa de Pós-graduação em Química Universidade Federal da Paraíba Centro de Ciências Exatas e da Natureza Departamento de Química Programa de Pós-graduação em Química PROVA DE SELEÇÃO PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA

Leia mais

Olimpíada Brasileira de Química Fase III (Etapa 1 nacional)

Olimpíada Brasileira de Química Fase III (Etapa 1 nacional) Page 1 of 5 Olimpíada Brasileira de Química - 2001 Fase III (Etapa 1 nacional) Questão 1 (48 th Chemistry Olympiad - Final National Competition - 2001 - Estonia) Exame aplicado em 01.09.2001 Os compostos

Leia mais

Aula 02 : EM-524. Capítulo 2 : Definições e Conceitos Termodinâmicos

Aula 02 : EM-524. Capítulo 2 : Definições e Conceitos Termodinâmicos Aula 02 : EM-524 Capítulo 2 : Definições e Conceitos Termodinâmicos 1. Termodinâmica Clássica; 2. Sistema Termodinâmico; 3. Propriedades Termodinâmicas; 4. As propriedades termodinâmicas pressão, volume

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 31/03/07

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 31/03/07 1 - ROVA DE QUÍMICA GERAL 31/03/07 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 10,0 Dados R 0,081 atm L mol -1 K -1 T (K) T ( C) + 73,15 1

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSOS DE ENGENHARIA DE ENERGIA E MECÂNICA MEDIÇÕES TÉRMICAS Prof. Paulo Smith Schneider

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSOS DE ENGENHARIA DE ENERGIA E MECÂNICA MEDIÇÕES TÉRMICAS Prof. Paulo Smith Schneider UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSOS DE ENGENHARIA DE ENERGIA E MECÂNICA MEDIÇÕES TÉRMICAS Prof. Paulo Smith Schneider Exercícios sobre medição de vazão Considere um grande reservatório (figura

Leia mais

AULA 01 - GASES QUÍMICA GERAL II QGE2001 Profa. Marcia Margarete Meier

AULA 01 - GASES QUÍMICA GERAL II QGE2001 Profa. Marcia Margarete Meier 1 AULA 01 - GASES QUÍMICA GERAL II QGE2001 Profa. Marcia Margarete Meier 2 CONCEITOS QUE VOCÊ DEVE DOMINAR PARA ACOMPANHAR AS AULAS -Matemática básica -Noções de gráficos -Forças intermoleculares HABILIDADES

Leia mais

CQ110 : Princípios de FQ

CQ110 : Princípios de FQ CQ 110 Princípios de Físico Química Curso: Farmácia 1º semestre de 2011 Quartas / Quintas: 9:30 11:30 Prof. Dr. Marcio Vidotti www.quimica.ufpr.br/mvidotti mvidotti@ufpr.br criação de modelos CQ110 : Princípios

Leia mais

Alunos(as) que não fizeram a P2, só devem resolver as questões 5, 6, 7 e 8 (P2)

Alunos(as) que não fizeram a P2, só devem resolver as questões 5, 6, 7 e 8 (P2) ATENÇÃO: Alunosas que não fizeram a P, só devem resolver as questões,, 3 e 4 P Alunosas que não fizeram a P, só devem resolver as questões 5, 6, 7 e 8 P Alunosas que fizeram P e P, só devem resolver as

Leia mais

ficou no torpedo 6

ficou no torpedo 6 PROA DE FÍSICA º ANO - ª MENSA - º RIMESRE IPO A 0) Uma amostra de gás erfeito foi submetida às transformações indicadas no diagrama a seguir. Nessa seqüência de transformações, os estados de maior e de

Leia mais

Assinale a alternativa que indica corretamente a relação entre as temperaturas absolutas M T N e T R dos respectivos estados M, N e R.

Assinale a alternativa que indica corretamente a relação entre as temperaturas absolutas M T N e T R dos respectivos estados M, N e R. 1. (Ufrgs) A figura abaixo apresenta um diagrama Pressão Volume. Nele, os pontos M, N e R representam três estados de uma mesma amostra de gás ideal. Assinale a alternativa que indica corretamente a relação

Leia mais

Atividade de Recuperação de Física Setor A

Atividade de Recuperação de Física Setor A Atividade de Recuperação de Física Setor A Professor da Disciplina: Macaubal Data: / /16 1º TRIMESTRE Aluno(a): Nº: Nota: 2 ano Ensino Médio Período: Matutino Instruções gerais: Antes de responder as atividades,

Leia mais

O balão cairia! O que é o MOL? Quantidade de matéria. Obtido a partir da contagem indireta do nº de átomos em exatamente te 12g do

O balão cairia! O que é o MOL? Quantidade de matéria. Obtido a partir da contagem indireta do nº de átomos em exatamente te 12g do No estado gasoso, as partículas estão em movimento caótico, contínuo e incessante, amplamente separadas, livres das forças de atração e repulsão* e com grandes espaços vazios entre elas. Por isso os gases

Leia mais

Temática: Reconsiderando as Interpretações de Dalton.

Temática: Reconsiderando as Interpretações de Dalton. Aula: 8. Temática: Reconsiderando as Interpretações de Dalton. Estamos iniciando a segunda unidade de nossa disciplina. Apesar de curta, 3 aulas apenas, não é uma unidade de menos importância, nela discorrerá

Leia mais

Capítulo 21 Temperatura

Capítulo 21 Temperatura Capítulo 21 Temperatura 21.1 Temperatura e equilíbrio térmico Mecânica: lida com partículas. Variáveis microscópicas: posição, velocidade, etc. Termodinâmica: lida com sistemas de muitas partículas. Variáveis

Leia mais

CONSTANTE DE EQUILÍBRIO

CONSTANTE DE EQUILÍBRIO EQUILÍBRIO QUÍMICO CONSTANTE DE EQUILÍBRIO A maneira de descrever a posição de equilíbrio de uma reação química é dar as concentrações de equilíbrio dos reagentes e produtos. A expressão da constante de

Leia mais

2. HIDROSTÁTICA CONCEITOS BÁSICOSB

2. HIDROSTÁTICA CONCEITOS BÁSICOSB HIDROSTÁTICA TICA CONCEITOS BÁSICOSB 2. HIDROSTÁTICA TICA É a parte da Hidráulica que estuda os líquidos em repouso, bem como as forças que podem ser aplicadas em corpos neles submersos. 1 Conceito de

Leia mais

UTFPR Termodinâmica 1 Avaliando Propriedades Termodinâmicas

UTFPR Termodinâmica 1 Avaliando Propriedades Termodinâmicas UTFPR Termodinâmica 1 Avaliando Propriedades Termodinâmicas Princípios de Termodinâmica para Engenharia Capítulo 3 Parte 2 Tabelas de Saturação As Tabelas A-2 e A-3 listam os valores de propriedades para

Leia mais

Capítulo 6 Processos Envolvendo Vapores

Capítulo 6 Processos Envolvendo Vapores Capítulo 6 Processos Envolvendo Vapores Pressão de vapor Define-se vapor como um componente no estado gasoso que se encontra a pressão e temperatura inferiores às do ponto crítico. Assim, um vapor pode

Leia mais

Aula 14 Equilíbrio de Fases: Substâncias Puras

Aula 14 Equilíbrio de Fases: Substâncias Puras Aula 14 Equilíbrio de Fases: Substâncias Puras 1. A condição de estabilidade Inicialmente precisamos estabelecer a importância da energia de Gibbs molar na discussão das transições de fase. A energia de

Leia mais

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por:

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por: Primeira Lei da Termodinâmica A energia interna U de um sistema é a soma das energias cinéticas e das energias potenciais de todas as partículas que formam esse sistema e, como tal, é uma propriedade do

Leia mais

A forma geral de uma equação de estado é: p = f ( T,

A forma geral de uma equação de estado é: p = f ( T, Aula: 01 Temática: O Gás Ideal Em nossa primeira aula, estudaremos o estado mais simples da matéria, o gás, que é capaz de encher qualquer recipiente que o contenha. Iniciaremos por uma descrição idealizada

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos/ atividades Habilidades Avaliação/ Atividade 1º Trimestre: (12 semanas)

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos/ atividades Habilidades Avaliação/ Atividade 1º Trimestre: (12 semanas) Disciplina: Química Trimestre: 1º Professor(a): Rodrigo Valério e Georgia Monique. Série: 1º Turmas: 101,102,103,104. Conteúdos/ atividades Habilidades Avaliação/ Atividade 1º Trimestre: (12 semanas) 1-

Leia mais

Equação Geral dos Gases

Equação Geral dos Gases Equação Geral dos Gases EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (EEM-SP) Uma determinada massa gasosa, confinada em um recipiente de volume igual a 6,0 L, está submetida a uma pressão de 2,5 atm e sob temperatura de

Leia mais