ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO - ZPE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO - ZPE"

Transcrição

1 ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO - ZPE

2 O Que é uma ZPE?

3 Áreas delimitadas, especialmente designadas a indústrias exportadoras, nas quais estas usufruem de regimes tributário e cambial diferenciados, bem como procedimentos burocráticos simplificados.

4 Qual o papel de uma ZPE?

5 - Atrair novos investimentos - Gerar empregos - Promover a transferência e difusão tecnológica - Favorecer a balança comercial - Aumentar a competitividade das exportações brasileiras

6 Pré-requisitos para empresas: - Apenas projetos industriais - No mínimo 80% da receita voltada para exportação. A venda para o mercado interno representará fato gerador para a incidência de todos os tributos devidos - Aprovação perante administradora da ZPE(Estado) e CZPE(União) - Autorização para a implantação e garantia dos benefícios por 20 anos, prorrogável por igual período - É permitida a transferência de planta industrial já existente no exterior

7 Entidades envolvidas: -Conselho Nacional de ZPEs CZPE -Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior -Ministério da Fazenda -Ministério do Meio Ambiente -Ministério da Integração Nacional -Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão -Casa Civil

8 Entidades envolvidas: -Empresa Administradora da Zona de Processamento de Exportação Emazp -Receita Federal do Brasil RFB

9 Benefícios do Regime de ZPE: Incentivos fiscais: -Em Matérias-primas -Em Maquinários e Equipamentos -Suspensão de tributos sobre bens e serviços nas compras no mercado interno. (IPI, COFINS e PIS/PASEP) -Suspensões de tributos na importação (IPI, COFINS Importação, PIS/PASEP Importação e AFRMM)

10 Benefícios do Regime de ZPE: -Liberdade cambial -Procedimentos administrativos simplificados nas importações e exportações -Segurança jurídica amparada na Lei da ZPE

11 A ZPE no Brasil: - Lei federal de Podem ser administradas por empresas públicas, privadas ou de capital misto - Todas as 24 ZPEs brasileiras, estão em fase de implantação. - A critério de cada empresa administradora será cobrada uma taxa condominial/administrativa e será negociada a situação do terreno

12 A ZPE no Ceará: - Área de 4.271,41 hectares. - Criada a ZPE do Pecém, no município de São Gonçalo do Amarante/CE, mediante decreto de 16 de junho de 2010 do Presidente da República - A lei estadual , de setembro de 2010, autorizou o Poder Executivo a constituir a Empresa Administradora da ZPE do Pecém - A Emazp (Empresa Administradora da Zona de Processamento de Exportação S.A.) iniciou suas atividades em 08 de dezembro de 2010

13 Companhia Siderúrgica do Pecém CSP: Valor do investimento: US$ 5,1 bilhões (1ª Fase) Área do terreno total: 989 ha Acionistas: - Vale: 50% - Dongkuk: 30% - Posco: 20%

14 Companhia Siderúrgica do Pecém CSP: Geração de empregos: - Em construção: (diretos) e (indiretos) - Na operação: (diretos) e (indiretos) Produção estimada de placas de aço: - 3 milhões ton/ano (a partir de 2015) - 6 milhões ton/ano (a partir de 2018) Previsão da Operação: início de Auto suficiência de energia (termelétrica): - Geração: 200MW - Venda: 60MW

15 Complexo Indústrial e Portuário do Pecém - CIPP: -Área Hectares -56km de distância de Fortaleza -Empresas já instaladas: - TermoFortaleza (Endesa) - TermoCeará (Petrobras) - Wobben - Termoelétrica Energia Pecém (EDP/MPX) - Tortuga - Cimento Apodi - Cimento Votorantim

16

17 MAPA DO CIPP SETOR I TERMELÉTRICAS (PPGE) SIDERÚRGICA (CSP) OUTROS EMPREENDIMENTOS COM LIGAÇÃO FUNCIONAL COM O PORTO ÁREAS LIVRES TIC TIC TERMINAL INTERMODAL DE CARGAS SETOR II REFINARIA POLO PETROQUÍMICO / DISTRIBUIDORA DE DERIVADOS SETOR 4 SETOR III POLO PETROQUÍMICO ELETRO METAL MECÂNICO OUTRAS INDÚSTRIAS SETOR 3 SETOR IV ÁREA INSTITUCIONAL ZPE TERMELÉTRICAS OUTRAS INDÚSTRIAS

18 Porto do Pecém - Ampliação

19 Porto de Fortaleza

20 Sistema de Transporte de Granéis Sólidos

21 Aeroportos

22 Integração de Ferrovias

23 Arco Metropolitano Interliga BR 116 ao CIPP Previsão de Conclusão: 2014 Investimento Total: R$ ,00

24 Centro Treinamento Tecnológico do Ceará

25 Potencial de desenvolvimento: - Brasil é o país mais rico do mundo em potencial de fornecimento de matérias-primas - Potencial como o maior produtor e fornecedor de alimentos do planeta - ZPE do Pecém e CIPP tem posição geográfica privilegiada e potencial de crescimento inigualável -Planejamento (Plano diretor visando impactos ambientais, sociais e econômicos)

26 Considerações Finais

LINHA DO TEMPO. Publicação da ADE nº 2 Alfandegamento e início das atividades da ZPE no Pecém. Lei nº Dispõe sobre o regime das ZPE s no Brasil

LINHA DO TEMPO. Publicação da ADE nº 2 Alfandegamento e início das atividades da ZPE no Pecém. Lei nº Dispõe sobre o regime das ZPE s no Brasil ZPE DO PECÉM CONCEITO DE ZPE ZPE Zona de Processamento de Exportação, classificada como zona econômica especial é uma área industrial de livre comércio, especialmente destinada à instalação de empresas

Leia mais

ZPE CEARÁ. A primeira a operar no Brasil. Mário Lima Junior Presidente ZPE Ceará. zpeceara.ce.gov.br facebook.com/zpeceara twitter.

ZPE CEARÁ. A primeira a operar no Brasil. Mário Lima Junior Presidente ZPE Ceará. zpeceara.ce.gov.br facebook.com/zpeceara twitter. ZPE CEARÁ A primeira a operar no Brasil Mário Lima Junior Presidente ZPE Ceará zpeceara.ce.gov.br facebook.com/zpeceara twitter.com/zpeceara CONCEITO A ZPE Zona de Processamento de Exportação é uma área

Leia mais

Vice-Presidente da Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio No Brasil

Vice-Presidente da Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio No Brasil APRESENTAÇÃO CBP-CE - A Câmara Brasil Portugal no Ceará - Comércio, Indústria e Turismo (CBP-CE), fundada em junho de 2001, é uma associação civil sem fins lucrativos com atuação no estado do Ceará, Portugal

Leia mais

Zonas de Processamento de Exportação - ZPE

Zonas de Processamento de Exportação - ZPE Zonas de Processamento de Exportação - ZPE Eduardo Celino Coordenador-Geral de Investimentos Fórum Nacional de Secretários Estaduais de Desenvolvimento, Indústria e Comércio - FONSEIC Brasília, 29 de abril

Leia mais

O PROGRAMA DAS ZPES: INSTRUMENTO DE CRIAÇÃO DE EMPREGOS E DE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS

O PROGRAMA DAS ZPES: INSTRUMENTO DE CRIAÇÃO DE EMPREGOS E DE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS DESE XXXX O PROGRAMA DAS ZPES: INSTRUMENTO DE CRIAÇÃO DE EMPREGOS E DE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS Esta informação é para uso exclusivo da ABRAZPE. Nenhuma parte da mesma pode ser enviada HELSON ou copiada

Leia mais

ThyssenKrupp CSA Siderúrgica do Atlântico Seminário Perspectivas e Condicionantes do Desenvolvimento do Setor Siderúrgico do Estado do Rio de Janeiro

ThyssenKrupp CSA Siderúrgica do Atlântico Seminário Perspectivas e Condicionantes do Desenvolvimento do Setor Siderúrgico do Estado do Rio de Janeiro 1 CSA Siderúrgica do Atlântico Seminário Perspectivas e Condicionantes do Desenvolvimento do Setor Siderúrgico do Estado do Rio de Janeiro Condicionantes Fiscais e Financeiros Henrique Chamhum Rio de Janeiro,

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior A Política Industrial Brasileira A Política industrial brasileira tem claro foco em inovação e adensamento produtivo

Leia mais

UMA NOVA FRONTEIRA SE ABRE DO CEARÁ PARA O MUNDO. ZPE CEARÁ

UMA NOVA FRONTEIRA SE ABRE DO CEARÁ PARA O MUNDO. ZPE CEARÁ UMA NOVA FRONTEIRA SE ABRE DO CEARÁ PARA O MUNDO. ZPE CEARÁ O QUE É UMA ZPE? ZPE é uma zona de processamento de exportação especialmente designada a indústrias exportadoras, nas quais estas usufruem de

Leia mais

Carteira de Investimentos 2003 a 2007

Carteira de Investimentos 2003 a 2007 Workshop Temático - PROMINP Carteira de Investimentos 2003 a 2007 Empresas de petróleo (exceto Petrobras) Angra dos Reis, 07 de Agosto de 2003 A carteira de investimentos prevista pela indústria de petróleo

Leia mais

Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica

Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica Eduardo Chagas Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura Maio de 2015 Papel da infraestrutura na retomada do crescimento Tendo em vista as dificuldades

Leia mais

Desafios e oportunidades da 1ª usina siderúrgica integrada do Ceará

Desafios e oportunidades da 1ª usina siderúrgica integrada do Ceará Desafios e oportunidades da 1ª usina siderúrgica integrada do Ceará Quem somos e o que fazemos Única siderúrgica construída no Ocidente nos últimos 6 anos; 1ª usina siderúrgica integrada do Nordeste. 30ª

Leia mais

Programação Orçamentária 2012

Programação Orçamentária 2012 Programação Orçamentária 2012 Ministério da Fazenda Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Fevereiro de 2012 1 2 3 Bens 4 Serviços 5 6 Desenvolvimento Sustentável Ampliação dos investimentos Fortalecimento

Leia mais

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Comissão de Obras Públicas, Privatização e Concessões da CBIC Brasília 17 de março de 2016

Apoio do BNDES à Infraestrutura. Comissão de Obras Públicas, Privatização e Concessões da CBIC Brasília 17 de março de 2016 Apoio do BNDES à Infraestrutura Comissão de Obras Públicas, Privatização e Concessões da CBIC Brasília 17 de março de 2016 BNDES Desembolsos do BNDES Infraestrutura representa mais de 1/3 R$ bilhões 168

Leia mais

LOCALIZAÇÃO. Posição ESTRATÉGICA na América do Sul Fácil acesso para o Mercosul e para os maiores mercados no Brasil

LOCALIZAÇÃO. Posição ESTRATÉGICA na América do Sul Fácil acesso para o Mercosul e para os maiores mercados no Brasil O ESTADO DO PARANÁ LOCALIZAÇÃO Posição ESTRATÉGICA na América do Sul Fácil acesso para o Mercosul e para os maiores mercados no Brasil ECONOMIA 3ª MAIOR POLO INDUSTRIAL DO BRASIL 5ª MAIOR ECONOMIA DO PAÍS

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO OPORTUNIDADES E DESAFIOS ABAG MARÇO DE 2011

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO OPORTUNIDADES E DESAFIOS ABAG MARÇO DE 2011 AGRONEGÓCIO BRASILEIRO OPORTUNIDADES E DESAFIOS ABAG MARÇO DE 2011 Brasil - Ranking Mundial 2008 Brasil - Ranking Mundial Part. no Principais Produtos Brasil - Ranking Mundial Part. Comércio no Principais

Leia mais

REIDI (Irrigação) Cliente AAA Ltda.

REIDI (Irrigação) Cliente AAA Ltda. REIDI (Irrigação) Cliente AAA Ltda. Agenda Introdução Arcabouço Legal Conceitos Incentivos Fiscais Habilitação e Co-habilitação Projeto Dúvidas O que é REIDI? Lançado, aprovado e regulamentado em 2007,

Leia mais

BNDES: Apresentação ABIMAQ - GAMESA

BNDES: Apresentação ABIMAQ - GAMESA BNDES: Apresentação ABIMAQ - GAMESA Fevereiro de 2016 Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: GP/DEDIV/GATE 1. Aspectos Institucionais Apoio a infraestrutura no BNDES Os vários setores são

Leia mais

REGIÃO SUL DO BRASIL

REGIÃO SUL DO BRASIL REGIÃO SUL DO BRASIL População Estimada nas grandes regiões, em 2013 População Norte 16.983.484 8,4 Nordeste 55.794.707 27,8 Sudeste 84.465.570 42,0 Sul 28.795.762 14,3 Centro-Oeste 14.993.191 7,5 BRASIL

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL: UMA ANÁLISE DA PDP INSTITUTO BRASILEIRO DE EXECUTIVOS DE FINANÇAS / IBEF-SP São Paulo, 28

Leia mais

TUFI DAHER FILHO Presidente da Transnordestina

TUFI DAHER FILHO Presidente da Transnordestina TUFI DAHER FILHO Presidente da Transnordestina Juiz de Fora, 28 de outubro de 2011 A g e n d a A TRANSNORDESTINA: O PROJETO: Situação da Malha Atual Clientes Trajetória A Transnordestina Indução de Oportunidades

Leia mais

Desafios e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural na próxima década

Desafios e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural na próxima década Desafios e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural na próxima década Roberto Gonçalves Gerente Executivo da Engenharia da Petrobras 8º Encontro Nacional do Prominp 23 de Novembro-São Luis, MA

Leia mais

CAOS LOGÍSTICO REGIONAL

CAOS LOGÍSTICO REGIONAL CAOS LOGÍSTICO REGIONAL O POLO, O PORTO E AS CIDADES NÃO PODEM PARAR Carolina Lembo Gerente do Departamento de Infraestrutura ÍNDICE 1. Contextualização 2. Vantagens do Polo de Cubatão 3. Entraves Logísticos

Leia mais

VLI e a Logística Integrada

VLI e a Logística Integrada VLI e a Logística Integrada José Osvaldo Cruz 22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária Modelo de Negócio: Sistema Logístico Integrado A VLI é uma operadora logística de base ferroviária que movimenta

Leia mais

O Brasil de hoje e perspectivas para o futuro na visão do MDIC

O Brasil de hoje e perspectivas para o futuro na visão do MDIC O Brasil de hoje e perspectivas para o futuro na visão do Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul Marcos Pereira Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços Caxias do Sul, 02

Leia mais

Curso de Legislação Aduaneira para AFRFB. Prof. Thális Andrade

Curso de Legislação Aduaneira para AFRFB. Prof. Thális Andrade Curso de Legislação Aduaneira para AFRFB Prof. Thális Andrade -Professor -Importância da matéria de Legislação Aduaneira -Bibliografia básica BRASIL. Ministério da Fazenda. Disponível em: .

Leia mais

Apresentação Institucional. Novembro de 2016

Apresentação Institucional. Novembro de 2016 Apresentação Institucional Novembro de 2016 Agenda Criação da Empresa Perfil Corporativo Investimentos 2 Agenda Criação da Empresa Perfil Corporativo Investimentos 3 Aliança Geração de Energia e Aliança

Leia mais

Ultrapar Participações S.A.

Ultrapar Participações S.A. Ultrapar Participações S.A. 1 Previsões acerca de eventos futuros Este documento pode conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia.

Leia mais

SEMINÁRIO DO SETOR PLÁSTICO DO BRASIL

SEMINÁRIO DO SETOR PLÁSTICO DO BRASIL SEMINÁRIO DO SETOR PLÁSTICO DO BRASIL VANDERLEI SIRAQUE Deputado Federal-PT-SP Presidente da Frente Parlamentar ABIPLAST Associação Brasileira da Indústria do Plástico ALESP Assembleia Legislativa de São

Leia mais

Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem.

Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem. Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem. A EMPRESA Empresa privada de logística, antiga Companhia Ferroviária do Nordeste Opera com 95 locomotivas,

Leia mais

II Conferência Setor Elétrico Brasil - Santander. Britaldo Soares

II Conferência Setor Elétrico Brasil - Santander. Britaldo Soares II Conferência Setor Elétrico Brasil - Santander Britaldo Soares São Paulo 23 de fevereiro de 2011 Visão geral do Grupo AES AES no Mundo... 13 distribuidoras: 78TWh 121 geradoras: 43GW Ativos no mundo

Leia mais

NOVOS VENTOS DO CEARÁ

NOVOS VENTOS DO CEARÁ CEARÁ ESQUINA DO ATLÂNTICO PORTA DE ENTRADA DO BRASIL NOVOS VENTOS DO CEARÁ BRAZIL WIND POWER 2017 ÁREA: 148.825,6 KM² COM 184 MUNICÍPIOS; 573 KM DE LITORAL CAPITAL: 5ª CIDADE DO BRASIL EM POPULAÇÃO 7ª

Leia mais

Processos Aduaneiros Especiais. SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR NO PEC NORDESTE FORTALEZA julho/2017 1

Processos Aduaneiros Especiais. SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR NO PEC NORDESTE FORTALEZA julho/2017 1 Processos Aduaneiros Especiais SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR NO PEC NORDESTE FORTALEZA julho/2017 1 Regimes Aduaneiros COMUM (ou geral): em que há pagamento de direitos aduaneiros, ou que confere isenção

Leia mais

A transformação de um passivo ambiental em recurso energético

A transformação de um passivo ambiental em recurso energético A transformação de um passivo ambiental em recurso energético Contexto regulatório, institucional e de negócio Carlos Alberto R. silva Fórum Nacional Resíduos Sólidos 2010 26 e 27 de outubro de 2010 Empresa

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS Data: 15.12.2014 Veículo: SEP Caderno: Pág.: 1- Matérias referente diretamente à Companhia ( ) 3- Matérias de interesses da Companhia ( X ) PAC 2 conclui 99,7% e supera em execução financeira em 72% do

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS

INDICADORES ECONÔMICOS INDICADORES ECONÔMICOS PRODUTO INTERNO BRUTO PIB Centro de Ensino Superior do Amapá - CEAP José Reinaldo Picanço Evolucao do Produto Interno Bruto - PIB (2005/2010) TAXA DE CRESCIMENTO MEDIA DE 13,7% Fonte:

Leia mais

Diálogos Capitais Portos Infraestrutura e Logística para o Desenvolvimento do Nordeste 28 de Janeiro de 2014

Diálogos Capitais Portos Infraestrutura e Logística para o Desenvolvimento do Nordeste 28 de Janeiro de 2014 Diálogos Capitais Portos Infraestrutura e Logística para o Desenvolvimento do Nordeste 28 de Janeiro de 2014 Aluisio Sobreira Diretor Associação de Comércio Exterior do Brasil - AEB O papel da infraestrutura

Leia mais

Unidade de Negócio de Exploração e Produção da Bacia de Santos UN-BS

Unidade de Negócio de Exploração e Produção da Bacia de Santos UN-BS Unidade de Negócio de Exploração e Produção da Bacia de Santos UN-BS Novos Empreendimentos previstos para a UN-BS no Plano de Negócios 2007-2011 da Petrobras José Luiz Marcusso Gerente-Geral São Paulo,

Leia mais

A Primera Smart City Social do Mundo

A Primera Smart City Social do Mundo A Primera Smart City Social do Mundo PLANET: SMART CITY SOCIAL PLANET: empresa italiana que inovou criando o conceito de SMART CITY SOCIAL e que desenvolve soluções tecnológicas para o crescimento econômico

Leia mais

NOVA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP

NOVA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP NOVA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP Não cumulatividade plena Dezembro/2015 PRINCÍPIOS ORIENTADORES 1. SIMPLIFICAÇÃO DA APURAÇÃO DO TRIBUTO 2. TRIBUTAÇÃO DO VALOR AGREGADO EM CADA ETAPA ECONÔMICA 3. NEUTRALIDADE

Leia mais

Prepropostas de desoneração tributária para produtos derivados de oleaginosas

Prepropostas de desoneração tributária para produtos derivados de oleaginosas MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA DA AGRICULTURA FAMILIAR Prepropostas de desoneração tributária para produtos derivados de oleaginosas Brasília, 15 de março de 2013 Prepropostas de desoneração

Leia mais

O BRASIL VIROU GENTE GRANDE E AGORA?

O BRASIL VIROU GENTE GRANDE E AGORA? O BRASIL VIROU GENTE GRANDE E AGORA? A Evolução da Movimentação de Carga no Brasil e no Mundo BRASIL Virando Gente Grande Movimentação do Comércio Exterior no Brasil 1990 = 50 bi 2000 = 110 bi 2004 = 160

Leia mais

Problema Atual da Estrutura de Nossas Exportações: Caminhos de Saída

Problema Atual da Estrutura de Nossas Exportações: Caminhos de Saída ESTUDOS E PESQUISAS Nº 396 Problema Atual da Estrutura de Nossas Exportações: Caminhos de Saída José Augusto de Castro * XXIII Fórum Nacional Visão de Brasil Desenvolvido para Participar da Competição

Leia mais

CENÁRIO ECONOMICO DE PERNAMBUCO MARÇO DE 2013

CENÁRIO ECONOMICO DE PERNAMBUCO MARÇO DE 2013 CENÁRIO ECONOMICO DE PERNAMBUCO MARÇO DE 2013 ECONOMIA MUNDIAL / CRESCIMENTO DO PIB Área geográfica Mundo 2005 4,8 2006 5,1 2007 5,0 2008 2,8 2009-0,6 2010 4,8 2011 4,2 Estados Unidos 3,1 2,8 2,0 0,0-2,6

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16/11/2010.

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16/11/2010. OPERAÇÃO BACK TO BACK - Aspectos Contábeis Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16/11/2010. 1 - INTRODUÇÃO 2 - TRATAMENTO FISCAL 3 - TRATAMENTO CONTÁBIL 1 - INTRODUÇÃO As chamadas operações

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Silvicultura

Balanço 2016 Perspectivas Silvicultura Silvicultura 105 106 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 CRESCIMENTO DO SETOR DE FLORESTAS PLANTADAS E REDUÇÃO DA INSEGURANÇA JURÍDICA SÃO PRINCIPAIS APOSTAS A redução dos investimentos em

Leia mais

4Q 2008 Figures Março 2009,

4Q 2008 Figures Março 2009, 4Q 2008 Figures Março, 2009 Agenda Cenário Atual Estratégia Plano de Investimentos Usiminas e o Setor de Distribuição 2 Cenário Atual 3 A maior produtora de aços planos da América Latina e a 35 produtora

Leia mais

Aula Demonstrativa. Legislação Aduaneira Professores: Rodrigo Luz e Luiz Missagia

Aula Demonstrativa. Legislação Aduaneira Professores: Rodrigo Luz e Luiz Missagia Aula Demonstrativa Legislação Aduaneira Professores: Rodrigo Luz e Luiz Missagia Aula 00 Aula Demonstrativa Aula Conteúdo Programático Data 00 Demonstrativa 22/07 01 Jurisdição Aduaneira e Controle Aduaneiro

Leia mais

Situação atual da indústria química no Brasil e no Mundo: Perspectivas e ameaças

Situação atual da indústria química no Brasil e no Mundo: Perspectivas e ameaças Situação atual da indústria química no Brasil e no Mundo: Perspectivas e ameaças Gabriel Lourenço Gomes Chefe do Departamento de Indústria Química Junho 2011 Julho/2009 Importância da Indústria Química

Leia mais

LAURENCE CASAGRANDE LOURENÇO

LAURENCE CASAGRANDE LOURENÇO FÓRUM RAC 2017 Caminhos da Retomada LAURENCE CASAGRANDE LOURENÇO Campinas, 21 de agosto de 2017 Malha Rodoviária Paulista (km) Malha Estadual Federal Total Pista Simples 13.237 438 13.675 Pista Dupla 5.335

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Maio 2015

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Maio 2015 APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Maio 2015 O Açu é uma solução estruturante para diversas indústrias Exemplo: evolução da indústria do petróleo nos próximos anos Crescimento esperado de 13% ao ano Crescimento

Leia mais

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar?

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar? Tiago Terra Apex-Brasil Por que exportar? Apex-Brasil A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, atua há anos para promover os estudos e serviços brasileiros no exterior e atrair

Leia mais

O REGIME BRASILEIRO DAS ZONAS DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO ZPE

O REGIME BRASILEIRO DAS ZONAS DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO ZPE MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC CONSELHO NACIONAL DAS ZONAS DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO - CZPE Secretaria Executiva - SE O REGIME BRASILEIRO DAS ZONAS DE PROCESSAMENTO

Leia mais

Fatores para o cálculo do preço de exportação

Fatores para o cálculo do preço de exportação Fatores para o cálculo do preço de exportação No cálculo do preço de exportação devem ser levados em conta, entre outros fatores: IPI - IMUNIDADE do Imposto sobre Produtos Industrializados, na saída de

Leia mais

Oportunidades de Investimento em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação com Recursos da Política de Informática

Oportunidades de Investimento em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação com Recursos da Política de Informática 2º Encontro Nacional da Inovação Tecnológica da Indústria Elétrica e Eletrônica - ENITEE Painel Políticas Públicas de Fomento à Inovação Tecnológica na Indústria Elétrica e Eletrônica Oportunidades de

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CÂMARA DE COMÉRCIO AMERICANA AMCHAM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: PROJETOS, DETERMINAÇÕES E INVESTIMENTOS POLÍTICAS PÚBLICAS VOLTADAS PARA A EFICICIÊNCIA ENERGÉTICA A Matriz Energética,

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Inovação. Nelson Akio Fujimoto Secretário de Inovação

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Inovação. Nelson Akio Fujimoto Secretário de Inovação Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Inovação Nelson Akio Fujimoto Secretário de Inovação Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer.

Leia mais

Exploração de terminais portuários

Exploração de terminais portuários Exploração de terminais portuários 30º ENAEX Rio de Janeiro, 19 de agosto de 2011 Wilen Manteli Presidente da ABTP Exploração de portos Decreto Imperial nº 1.746, de 1869 Art. 1º. Fica o Governo autorizado

Leia mais

A DESONERAÇÃO DOS INVESTIMENTOS NAS ATIVIDADES DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL

A DESONERAÇÃO DOS INVESTIMENTOS NAS ATIVIDADES DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL A DESONERAÇÃO DOS INVESTIMENTOS NAS ATIVIDADES DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL HISTÓRICO O desenvolvimento da produção de petróleo na Bacia de Campos foi fortemente influenciado pela

Leia mais

Capitalismo Concorrencial, Estado e Regulação

Capitalismo Concorrencial, Estado e Regulação Capitalismo Concorrencial, Estado e Regulação Prof. Ricardo Dalthein UFRGS/PPGE Guilherme Reis Dutra Priscilla Elisalde Pontes Porto Alegre, outubro de 2011 Origem Criado no segundo mandato do governo

Leia mais

Click to edit Master title style

Click to edit Master title style Ultrapar Participações S.A. Aquisição da União Terminais 1 1 3T07 1 1 Previsões acerca de eventos futuros Este documento pode conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas

Leia mais

Brasil Um mercado atraente para a indústria automotiva

Brasil Um mercado atraente para a indústria automotiva Brasil Um mercado atraente para a indústria automotiva Apresentação Sindipeças Elaboração: Assessoria Econômica São Paulo, fevereiro de 2013 Conteúdo Mercado Automotivo Brasileiro Investimentos da Indústria

Leia mais

AVANÇOS E DESAFIOS AO SETOR PORTUÁRIO BRASILEIRO. DANIEL MACIEL Secretário de Infraestrutura Portuária

AVANÇOS E DESAFIOS AO SETOR PORTUÁRIO BRASILEIRO. DANIEL MACIEL Secretário de Infraestrutura Portuária AVANÇOS E DESAFIOS AO SETOR PORTUÁRIO BRASILEIRO DANIEL MACIEL Secretário de Infraestrutura Portuária 1 Lei N. 13.341/2016 Ministério definido pela Lei N. 13.341/2016, que ampliou as competências da Pasta,

Leia mais

Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza

Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza Regional Nordeste Concessões e Parcerias Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de Fortaleza Programa de Gestão de PPPs do Estado do Piauí Viviane Moura Bezerra Superintendente de Parcerias

Leia mais

Drawback Verde-Amarelo

Drawback Verde-Amarelo Drawback Verde-Amarelo Resultados esperados Redução do custo de produção dos bens exportados e conseqüente aumento das exportações; Estímulo ao fornecimento nacional de insumos e produtos intermediários,

Leia mais

Ação 82. Desenvolver o APL Mármore e Granito. Objetivo: Melhorar a capacidade competitiva do arranjo produtivo, por meio da agregação de valor aos

Ação 82. Desenvolver o APL Mármore e Granito. Objetivo: Melhorar a capacidade competitiva do arranjo produtivo, por meio da agregação de valor aos Ação 82. Desenvolver o APL Mármore e Granito. Objetivo: Melhorar a capacidade competitiva do arranjo produtivo, por meio da agregação de valor aos produtos, visando à ampliação das exportações e, principalmente,

Leia mais

Aprendendo na Prática Siscomex

Aprendendo na Prática Siscomex Aprendendo na Prática Siscomex Apresentação do Professor Professor: Douglas Cândido. Administrador com ênfase em Comércio Exterior pela Estácio de Sá, MBA em Gestão de Negócios Internacionais pela FGV,

Leia mais

10º Encontro Anual PRH / ANP. Painel: A contribuição do CT-PETRO na formação de Recursos Humanos para o setor de Petróleo e Gás

10º Encontro Anual PRH / ANP. Painel: A contribuição do CT-PETRO na formação de Recursos Humanos para o setor de Petróleo e Gás 10º Encontro Anual PRH / ANP 18-19.06.2008 Painel: A contribuição do CT-PETRO na formação de Recursos Humanos para o setor de Petróleo e Gás Rogério Amaury de Medeiros Área de Planejamento medeiros@finep.gov.br

Leia mais

Vale Logística de Carga Geral. Negócios nos Trilhos Novembro 2011

Vale Logística de Carga Geral. Negócios nos Trilhos Novembro 2011 Vale Logística de Carga Geral Negócios nos Trilhos Novembro 2011 A Vale opera um sistema logístico formado por 10 mil km de malha ferroviária e 8 terminais portuários dedicados à carga geral de terceiros

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR CONSELHO NACIONAL DAS ZONAS DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO Secretaria Executiva

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR CONSELHO NACIONAL DAS ZONAS DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO Secretaria Executiva MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR CONSELHO NACIONAL DAS ZONAS DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO Secretaria Executiva ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UMA ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO

Leia mais

R E I D I. September, 2012

R E I D I. September, 2012 Aduana Brasileira R E I D I September, 2012 Organograma R E I D I Aduana Responsabilidades Regulador Economico Protecao comercial Regimes especiais Arrecadacao Ambiente Competitivo Seguranca Publica Crimes

Leia mais

Regimes Aduaneiros Especiais - Introdução

Regimes Aduaneiros Especiais - Introdução Regimes Aduaneiros Especiais - Introdução Marcelo Alvares Vicente Advogado, Professor universitário Mestre em Direito Tributário pela PUC/SP Despachante aduaneiro credenciado 8ª RF/RFB 1 Regimes aduaneiros

Leia mais

Apresentação Transnordestina

Apresentação Transnordestina Apresentação Transnordestina Histórico 1998 No contrato de concessão foi previsto a construção pela União e sua operação pela CFN. 2001 DNIT iniciou as providências de implantação (projetos e estudos ambientais).

Leia mais

Quais são as vantagens do REIOI para os projetos de irrigação?

Quais são as vantagens do REIOI para os projetos de irrigação? o que é REIOI? Criado pelo Governo Federal pela Lei Federal n 11.488, de 15 de junho de 2007, o REIDI é o Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura, que inclui também os projetos

Leia mais

Plano de Negócios e Gestão de Agosto de 2012

Plano de Negócios e Gestão de Agosto de 2012 Plano de Negócios e Gestão 2012 2016 29 de Agosto de 2012 AVISO Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Nossa Atuação EMPRESA INTEGRADA NAS ÁREAS DE ENERGIA, INFRAESTRUTURA E GESTÃO DE NEGÓCIOS Desenvolvimento de Projetos Empresa especializada no desenvolvimento de projetos de

Leia mais

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE GOIÁS CENÁRIO DA INDÚSTRIA E DA ECONOMIA GOIANA 2012

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE GOIÁS CENÁRIO DA INDÚSTRIA E DA ECONOMIA GOIANA 2012 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE GOIÁS CENÁRIO DA INDÚSTRIA E DA ECONOMIA GOIANA 2012 GOIÁS UM ESTADO DE OPORTUNIDADES PARA A ATIVIDADE INDUSTRIAL Março de 2012 Goiás - Informações Físicas e Econômicas

Leia mais

Oportunidades para apoio ao desenvolvimento do Centro Oeste. 25 de junho de 2013.

Oportunidades para apoio ao desenvolvimento do Centro Oeste. 25 de junho de 2013. Oportunidades para apoio ao desenvolvimento do Centro Oeste. 25 de junho de 2013. O Estado de Goiás Goiás, uma das 27 unidades federativas, está situado na região Centro Oeste do País ocupando uma área

Leia mais

Situação das ações do Governo Brasileiro Rio de Janeiro

Situação das ações do Governo Brasileiro Rio de Janeiro Code-P0 Copa 204 Situação das ações do Governo Brasileiro Rio de Janeiro Rio de Janeiro, 7 de Junho de 20 Code-P O que o Brasil quer com a Copa do Mundo FIFA Mobilizar o país Promover o país no mundo Constituir

Leia mais

ABRACOMEX Guia Básico do Siscomex Exportação

ABRACOMEX Guia Básico do Siscomex Exportação ABRACOMEX Guia Básico do Siscomex Exportação 0800.7183810 Apresentação do Professor Douglas Cândido Graduação em Administração c/ Hab. em Comércio Exterior pela Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina

Leia mais

Painel ABRASAT. Políticas para o Mercado de Satélite

Painel ABRASAT. Políticas para o Mercado de Satélite Painel ABRASAT Políticas para o Mercado de Satélite De que maneira a desoneração poderá impulsionar os serviços de banda larga via satélite e ajudar na expansão da infraestrutura existente Workshops TELEBRASIL

Leia mais

Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas

Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas Reservas Petrolíferas do Pré-Sal Audiência Pública

Leia mais

Porto Seco de Foz do Iguaçu: questões aduaneiras e territoriais PROF. ROBERTO FRANÇA (UNILA)

Porto Seco de Foz do Iguaçu: questões aduaneiras e territoriais PROF. ROBERTO FRANÇA (UNILA) Porto Seco de Foz do Iguaçu: questões aduaneiras e territoriais PROF. ROBERTO FRANÇA (UNILA) Problemática e contexto A globalização como um movimento em direção da integração das técnicas e do tempo; Invenção

Leia mais

Painel 3 Tarifas, financiamento e sustentabilidade do setor

Painel 3 Tarifas, financiamento e sustentabilidade do setor Painel 3 Tarifas, financiamento e sustentabilidade do setor Marcos Bicalho dos Santos Brasília-DF, 01 de junho de 2017 Estrutura da apresentação 1. Tarifa pública x Tarifa de remuneração; 2. Fontes externas

Leia mais

A Visão do Empreendedor sobre Competitividade e Expansão da Oferta de PCH

A Visão do Empreendedor sobre Competitividade e Expansão da Oferta de PCH PCH Investimentos, Comercialização e Viabilidade A Visão do Empreendedor sobre Competitividade e Expansão da Oferta de PCH Ricardo Pigatto Presidente Rio de Janeiro, 16 de maio de 2007 Resumo Marco Regulatório

Leia mais

Diretrizes da Nova Política de Comércio Exterior Medidas para Ampliar a Competitividade

Diretrizes da Nova Política de Comércio Exterior Medidas para Ampliar a Competitividade Diretrizes da Nova Política de Comércio Exterior Medidas para Ampliar a Competitividade Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo do MDIC Rio de Janeiro, Agosto de 2011 Introdução 1 Panorama

Leia mais

Tributária Bruta

Tributária Bruta Evolução da Carga Tributária Bruta 1990 2009 Setembro de 2010 1 Os INFORMATIVOS ECONÔMICOS da (SPE) são elaborados a partir de dados de conhecimento público, cujas fontes primárias são instituições autônomas,

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO VIA CONSTRUÇÃO CIVIL NA REGIÃOMETROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

GERAÇÃO DE EMPREGO VIA CONSTRUÇÃO CIVIL NA REGIÃOMETROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO SEMINÁRIO MENOS GARGALOS E MAIS EMPREGOS. O QUE FAZER PARA RETOMAR AS OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO RIO? GERAÇÃO DE EMPREGO VIA CONSTRUÇÃO CIVIL NA REGIÃOMETROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO VICENTE DE PAULA LOUREIRO

Leia mais

Outorga da Termelétrica: proposta da CSA. Julho 2016 thyssenkrupp CSA / Steel

Outorga da Termelétrica: proposta da CSA. Julho 2016 thyssenkrupp CSA / Steel Outorga da Termelétrica: proposta da CSA Julho 2016 thyssenkrupp CSA / Steel O Complexo Siderúrgico Eficiência na utilização dos recursos Capacidade de produção de 5 milhões de ton/ano Autossuficiente

Leia mais

Perspectivas para os Setores Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis

Perspectivas para os Setores Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Perspectivas para os Setores Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Marco Antônio Martins Almeida Secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis spg@mme.gov.br Rio de Janeiro, 21

Leia mais

Hidrocarbonetos - O Pré-Sal - Dificuldades e Oportunidades. Adriano Pires Março de 2011

Hidrocarbonetos - O Pré-Sal - Dificuldades e Oportunidades. Adriano Pires Março de 2011 Hidrocarbonetos - O Pré-Sal - Dificuldades e Oportunidades Adriano Pires Março de 2011 1 Metas Nacionais de Produção e Reservas da Petrobras 7,4% a.a. 5.059 1.109 ia d / p e b il M 1.752 1.791 1.758 252

Leia mais

Resultados Comitê Setorial de IND P&G. 23 de novembro de 2006

Resultados Comitê Setorial de IND P&G. 23 de novembro de 2006 Resultados Comitê Setorial de IND P&G 23 de novembro de 2006 Carteira de Projetos CARTEIRA 2004 CARTEIRA 2005 CARTEIRA 2006 PROPOSTA CARTEIRA 2007 IND PG 1 IND PG 2 16 projetos IND PG 6 IND PG 8 13 projetos

Leia mais

Congresso Florestal Nova Prata Maio 2015

Congresso Florestal Nova Prata Maio 2015 Congresso Florestal Nova Prata Maio 2015 Apresentando a Ibá... PAPEL PISO LAMINADO PAINÉIS DE MADEIRA CELULOSE PRODUTORES INDEPENDENTES BIOMASSA PARA ENERGIA Uma associação com valores intrínsecos de desenvolvimento

Leia mais

Passo a Passo para Iniciar uma Exportação

Passo a Passo para Iniciar uma Exportação Passo a Passo para Iniciar uma Exportação Apresentação do Professor Professor: Douglas Cândido. Administrador com ênfase em Comércio Exterior pela Estácio de Sá, MBA em Gestão de Negócios Internacionais

Leia mais

Contrato Petrobras - YPFB

Contrato Petrobras - YPFB Contrato Petrobras - YPFB 31.10.06 E&P Acordo Petrobras-YPFB Produção: San Alberto, San Antonio e Colpa- Caranda (Petrobras Energía) Reservas provadas (SPE,2004): 681 MM boe (inclui Colpa-Caranda) Produção

Leia mais

SUAPE: BASE PARA EXPANSÃO DA INDÚSTRIA

SUAPE: BASE PARA EXPANSÃO DA INDÚSTRIA SUAPE: BASE PARA EXPANSÃO DA INDÚSTRIA O Nordeste de ontem O Novo Nordeste Fonte: Instituto Data Popular. Ago/2013 O Novo Nordeste Fonte: Instituto Data Popular. Ago/2013 Pernambuco fez a sua escolha

Leia mais

COMPETIÇÃO FISCAL E DESIGUALDADES REGIONAIS

COMPETIÇÃO FISCAL E DESIGUALDADES REGIONAIS COMPETIÇÃO FISCAL E DESIGUALDADES REGIONAIS FEDERALISMO E ASPECTOS DA GESTÃO PÚBLICA DO PARÁ Belém-Pará-Brasil Agosto/2005 OBJETIVO Apresentar no contexto do tema Competição Fiscal e Desigualdades Regionais

Leia mais

Rio Grande do Sul. Dinâmicas Territoriais E Planejamento Logístico. Com Dados SEPLAG RS

Rio Grande do Sul. Dinâmicas Territoriais E Planejamento Logístico. Com Dados SEPLAG RS Rio Grande do Sul Dinâmicas Territoriais E Planejamento Logístico Com Dados SEPLAG RS Principais Dinâmicas Territoriais Esvaziamento do Arco de Fronteira Expansão da concentração Porto Alegre - Caxias

Leia mais

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique República de Moçambique African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique Direcção Nacional da Industria Desenvolvimento Industrial em Moçambique Eng. Mateus Matusse

Leia mais

Por que Estamos Importando Gasolina? Adriano Pires Agosto/2013

Por que Estamos Importando Gasolina? Adriano Pires Agosto/2013 Por que Estamos Importando Gasolina? Adriano Pires Agosto/2013 1 Agenda Oferta e Demanda de Gasolina Preços da Gasolina: Defasagem e Perdas Soluções do Governo Propostas 2 Oferta e Demanda de Gasolina

Leia mais

O Projeto SPED NF-e na USIMINAS

O Projeto SPED NF-e na USIMINAS O Projeto SPED NF-e na USIMINAS Emanuel da Silva Franco Jr Coordenador do Projeto SPED AGENDA O Sistema USIMINAS O Projeto SPED Situação atual na USIMINAS O Projeto NF-e Situação atual na USIMINAS Pontos

Leia mais