ANALISTA-TRIBUTÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL atribuições SINDIRECEITA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANALISTA-TRIBUTÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL atribuições SINDIRECEITA"

Transcrição

1 ANALISTA-TRIBUTÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL atribuições SINDIRECEITA 1

2 O Analista Tributário Da Receita Federal do Brasil - O Analista-Tributário da Receita Federal do Brasil é um servidor público, de nível superior, que pertence à Carreira Auditoria da Receita Federal do Brasil, que faz parte do grupo de carreiras específicas de Estado. Este servidor é um agente central na administração aduaneira. Atualmente, a Receita Federal conta com cerca de Analistas- Tributários. Desse total, pouco mais de desempenham suas atribuições na Aduana, ou seja, são responsáveis pelo controle de entrada e saída de produtos, veículos e pessoas para o exterior ou dele provenientes e pela cobrança dos tributos pertinentes a essas operações. Atuação Nos aeroportos, atuam nos 35 terminais de passageiros e 41 terminais de cargas; nos portos, trabalham nos 38 terminais organizados, nas 44 Instalações portuárias fluviais e lacustres e nas 165 Instalações portuárias marítimas; na Fronteira Terrestre, o Analista-Tributário está presente nos 34 Pontos alfandegados; no interior do País, executa suas funções nos 66 Portos Secos, nos sete Centros Logísticos Industriais Aduaneiros, em três Centros de distribuição de remessas postais internacionais e nos três Polos de processamento de remessas expressas ; e no Centros de Atendimento ao Contribuinte, os chamados CAC s Aduaneiros. 2 3

3 Atribuições Os Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil participam da fiscalização aduaneira, do desembaraço de importação e exportação e do trânsito aduaneiro. 4 5

4 O Analista-Tributário desempenha funções essenciais para a aduana como: - a admissão temporária de veículos e embarcações; - a análise de risco de cargas e empresas; - o controle da segurança aduaneira; - a verificação física de mercadorias e veículos; - o desembaraço de bagagens; - a operação de sistemas como o siscomex (importação / exportação / trânsito) e siscomex carga; - a prestação de informações ao contribuinte. Este servidor também atua: - na área de tecnologia da informação; - nas ações de vigilância e repressão em zona secundária; - nos procedimentos de habilitação junto à Receita Federal dos intervenientes do Comércio Internacional. 6 7

5 O trabalho do Analista-Tributário foi essencial para os resultados obtidos na atividade aduaneira em No ano passado a Receita Federal do Brasil: - Apreendeu R$ 2 bilhões em mercadorias e veículos - Realizou operações de vigilância e repressão - Desembaraçou 3,67 milhões de Declarações de importação e exportação - Realizou o processamento de mais de 51 mil passageiros por dia nos aeroportos brasileiros, o que totaliza 18,7 milhões de passageiros no ano - Fiscalizou 14,4 milhões de remessas postais internacionais - Processou 4,7 milhões de volumes de remessas expressas - Arrecadou R$ 93 bilhões em tributos e direitos vinculados ao comércio exterior - E lançou R$ 4,3 bilhões em créditos tributários a partir de ações de fiscalização de zona secundária arre cada ção

6 Esses resultados podem ser ainda melhores. O Brasil vive um novo momento. O Estado retomou a capacidade de planejar e investir em infraestrutura. Protos estão sendo ampliados e modernizados. Aeroportos internacionais recebem cada vez mais passageiros. Novos corredores de exportação surgem com a revitalização das ferrovias. As importações e exportações brasileiras já ultrapassaram os 500 bilhões de dólares e continuam a crescer. Também está mais do que provado que a fragilidade no controle das fronteiras secas está diretamente ligada à criminalidade que toma conta das cidades brasileiras. O Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil, o Sindireceita, defende a necessidade imediata de definição das atribuições desses servidores em Lei e a realização de concursos para a ampliação das vagas para o cargo de Analista- Tributário. Medidas como a instituição do porte de armas, o funcionamento 24 horas de todos os terminais alfandegados e o investimento em viaturas e equipamentos como scanners fazem parte de um conjunto de medidas que precisam ser adotas de imediato e que trarão benefícios para toda a sociedade. Valorizar o Analista-Tributário da Receita Federal do Brasil é o caminho para um Aduana mais forte

7 12 SHCGN 702/703 Bloco E Loja 37 Asa Norte CEP: Brasília/DF Fone: (61) Fax: (61)

R E I D I. September, 2012

R E I D I. September, 2012 Aduana Brasileira R E I D I September, 2012 Organograma R E I D I Aduana Responsabilidades Regulador Economico Protecao comercial Regimes especiais Arrecadacao Ambiente Competitivo Seguranca Publica Crimes

Leia mais

Analista-Tributários da RFB. Porte de arma MP 693/15 altera a Lei /02

Analista-Tributários da RFB. Porte de arma MP 693/15 altera a Lei /02 Analista-Tributários da RFB Porte de arma MP 693/15 altera a Lei 10.593/02 O exercício da administração aduaneira compreende a fiscalização e o controle sobre o comércio exterior, essenciais à defesa dos

Leia mais

INTRODUÇÃO. Portaria SDA nº 297, de 22/06/1998:

INTRODUÇÃO. Portaria SDA nº 297, de 22/06/1998: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Secretaria de Defesa Agropecuária SDA Coordenação Geral do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional VIGIAGRO Junho / 2013 INTRODUÇÃO Portaria

Leia mais

Portos Secos. Gabriela Heckler. Doutoranda em Direito pela Ruprecht-Karls-Universität de Heidelberg - Alemanha. Mestre em

Portos Secos. Gabriela Heckler. Doutoranda em Direito pela Ruprecht-Karls-Universität de Heidelberg - Alemanha. Mestre em Portos Secos Gabriela Heckler. Doutoranda em Direito pela Ruprecht-Karls-Universität de Heidelberg - Alemanha. Mestre em Ciência Jurídica pela UNIVALI. Windson Barra Hotel 28/03/2011 1 Portos Secos Possibilidade

Leia mais

DESPACHOS ADUANEIROS SUPRINDO A NECESSIDADE CADA VEZ MAIS EXIGENTE E DINÂMICA DO COMERCIO EXTERIOR.

DESPACHOS ADUANEIROS SUPRINDO A NECESSIDADE CADA VEZ MAIS EXIGENTE E DINÂMICA DO COMERCIO EXTERIOR. DESPACHOS ADUANEIROS SUPRINDO A NECESSIDADE CADA VEZ MAIS EXIGENTE E DINÂMICA DO COMERCIO EXTERIOR. EMPRESA Nosso objetivo é personalizar o atendimento para cada empresa, dando-as exclusividade com células

Leia mais

Balanço Aduaneiro 2015 ANUAL

Balanço Aduaneiro 2015 ANUAL Balanço Aduaneiro 2015 ANUAL 1 Sumário 1. IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO...2 2. COMBATE A ILÍCITOS...5 3. CONTROLE E FISCALIZAÇÃO ADUANEIRA... 9 4. REMESSAS...9 5. CONTROLE DE BENS E VIAJANTES...12 2 1. IMPORTAÇÃO

Leia mais

Aula Demonstrativa. Legislação Aduaneira Professores: Rodrigo Luz e Luiz Missagia

Aula Demonstrativa. Legislação Aduaneira Professores: Rodrigo Luz e Luiz Missagia Aula Demonstrativa Legislação Aduaneira Professores: Rodrigo Luz e Luiz Missagia Aula 00 Aula Demonstrativa Aula Conteúdo Programático Data 00 Demonstrativa 22/07 01 Jurisdição Aduaneira e Controle Aduaneiro

Leia mais

A TRIBUTAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR SOB A ÓTICA ADUANEIRA A ADUANA BRASILEIRA

A TRIBUTAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR SOB A ÓTICA ADUANEIRA A ADUANA BRASILEIRA A TRIBUTAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR SOB A ÓTICA ADUANEIRA A ADUANA BRASILEIRA 1 A ADUANA BRASILEIRA Histórico 1587 Foral da Alfândega de Lisboa 1832/60/76 Regulamento das Alfândegas do Império 1885 - Consolidação

Leia mais

Formulário Consulta Pública RFB. Apresentação e orientações

Formulário Consulta Pública RFB. Apresentação e orientações Formulário Consulta Pública RFB Apresentação e orientações Este Formulário tem a finalidade de receber contribuições da sociedade organizada para subsidiar a tomada de decisão sobre uma Consulta Pública

Leia mais

Curso de Legislação Aduaneira para ATRFB. Prof. Thális Andrade

Curso de Legislação Aduaneira para ATRFB. Prof. Thális Andrade Curso de Legislação Aduaneira para ATRFB Prof. Thális Andrade -Professor -Importância da matéria de Legislação Aduaneira -Bibliografia básica BRASIL. Ministério da Fazenda. Disponível em: .

Leia mais

Secretaria da Receita Federal do Brasil

Secretaria da Receita Federal do Brasil Secretaria da Receita Federal do Brasil Procedimentos Aduaneiros Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 Brasília, 24 de fevereiro de 2016 Temas Abordados Bagagem Acompanhada Remessa Expressa (porta a

Leia mais

ABRACOMEX Guia Básico do Siscomex Exportação

ABRACOMEX Guia Básico do Siscomex Exportação ABRACOMEX Guia Básico do Siscomex Exportação 0800.7183810 Apresentação do Professor Douglas Cândido Graduação em Administração c/ Hab. em Comércio Exterior pela Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina

Leia mais

1.1 Tributação nas Importações. 1.3 Tributação nas Exportações. 1.4 Regimes Aduaneiros Especiais

1.1 Tributação nas Importações. 1.3 Tributação nas Exportações. 1.4 Regimes Aduaneiros Especiais 1.1 Tributação nas Importações 1.2 Preferências Tarifárias 1.3 Tributação nas Exportações 1.4 Regimes Aduaneiros Especiais 1.1 Tributação nas Importações 1.2 Preferências Tarifárias 1.3 Tributação nas

Leia mais

CONVERSANDO COM ESPECIALISTAS DE MERCADO: O papel do despachante aduaneiro no comércio internacional

CONVERSANDO COM ESPECIALISTAS DE MERCADO: O papel do despachante aduaneiro no comércio internacional CONVERSANDO COM ESPECIALISTAS DE MERCADO: O papel do despachante aduaneiro no comércio internacional Horário: 19h10 Local: Sala UL 25, bloco amarelo, FCA Limeira, 05 de setembro de 2012. O DESPACHANTE

Leia mais

SEMINÁRIO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL: CENÁRIO ANTIGLOBALIZAÇÃO E RESTRIÇÕES DA OMC A POLÍTICAS INDUSTRIAIS 27/04/2016

SEMINÁRIO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL: CENÁRIO ANTIGLOBALIZAÇÃO E RESTRIÇÕES DA OMC A POLÍTICAS INDUSTRIAIS 27/04/2016 SEMINÁRIO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL: CENÁRIO ANTIGLOBALIZAÇÃO E RESTRIÇÕES DA OMC A POLÍTICAS INDUSTRIAIS 27/04/2016 EQUIPE Programas brasileiros contestados Inovar-Auto Lei de Informática PADIS PATVD

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA Docente: TERESA LUCIANO VALIM E-mail: tlv-advocacia@uol.com.br Nome da Disciplina: LEGISLAÇÃO ADUANEIRA E COMPARADA Curso: 4º Semestre de TÉCNOLOGIA EM COMERCIO EXTERIOR Carga

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 0 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 16 - Data 16 de janeiro de 2017 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS MERCADORIAS ESTRANGEIRAS COMERCIALIZADAS A BORDO.

Leia mais

Passo a Passo para Iniciar uma Exportação

Passo a Passo para Iniciar uma Exportação Passo a Passo para Iniciar uma Exportação Apresentação do Professor Professor: Douglas Cândido. Administrador com ênfase em Comércio Exterior pela Estácio de Sá, MBA em Gestão de Negócios Internacionais

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO ÍNDICE

DIREITO TRIBUTÁRIO ÍNDICE DIREITO TRIBUTÁRIO ÍNDICE CAPÍTULO 01... 11 Conceito e Localização do Direito Tributário... 11 Tributo: Conceito, Espécies, Características e Classificações...11 Características...13 Classificações...16

Leia mais

Apresentação Centro de Gerenciamento de Riscos Aduaneiros. Junho de 2013

Apresentação Centro de Gerenciamento de Riscos Aduaneiros. Junho de 2013 Apresentação Centro de Gerenciamento de Riscos Aduaneiros Junho de 2013 28 UNIDADES ADUANEIRAS 181 PORTOS E INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS 37 AEROPORTOS ALFANDEGADOS 67 PORTOS SECOS 27 PONTOS DE FRONTEIRA TERRESTRE

Leia mais

Agenda. 1. Rompendo bloqueios: A Xícara Mental. 2. Governança Brasileira em Transportes. 4. Potenciais fluviais de integração Sul Americana

Agenda. 1. Rompendo bloqueios: A Xícara Mental. 2. Governança Brasileira em Transportes. 4. Potenciais fluviais de integração Sul Americana Agência Nacional de Transportes Aquaviários ANTAQ - Brasil Agenda 1. Rompendo bloqueios: A Xícara Mental 2. Governança Brasileira em Transportes 3. Números do Brasil e dimensões das hidrovias 4. Potenciais

Leia mais

Curso de Legislação Aduaneira para AFRFB. Prof. Thális Andrade

Curso de Legislação Aduaneira para AFRFB. Prof. Thális Andrade Curso de Legislação Aduaneira para AFRFB Prof. Thális Andrade -Professor -Importância da matéria de Legislação Aduaneira -Bibliografia básica BRASIL. Ministério da Fazenda. Disponível em: .

Leia mais

Processos Aduaneiros Especiais. SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR NO PEC NORDESTE FORTALEZA julho/2017 1

Processos Aduaneiros Especiais. SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR NO PEC NORDESTE FORTALEZA julho/2017 1 Processos Aduaneiros Especiais SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR NO PEC NORDESTE FORTALEZA julho/2017 1 Regimes Aduaneiros COMUM (ou geral): em que há pagamento de direitos aduaneiros, ou que confere isenção

Leia mais

DESCRITIVO DO PROCESSO REALIZAR TRATAMENTO ADUANEIRO DE EXPORTAÇÃO (Terrestre)

DESCRITIVO DO PROCESSO REALIZAR TRATAMENTO ADUANEIRO DE EXPORTAÇÃO (Terrestre) DESCRITIVO DO PROCESSO 04.01.02-03.02. REALIZAR TRATAMENTO ADUANEIRO DE EXPORTAÇÃO (Terrestre) BRASÍLIA, 09/03/16 1. Diagrama do processo 04.01.02-03.02. REALIZAR TRATAMENTO ADUANEIRO DE EXPORTAÇÃO (Terrestre)

Leia mais

Um despachante aduaneiro é o profissional especializado no desembaraço de mercadorias que transitam por alfândegas (aduana)

Um despachante aduaneiro é o profissional especializado no desembaraço de mercadorias que transitam por alfândegas (aduana) DESPACHO ADUANEIRO Um despachante aduaneiro é o profissional especializado no desembaraço de mercadorias que transitam por alfândegas (aduana) Um despachante oficial em Portugal é um representante por

Leia mais

Ministério da Fazenda

Ministério da Fazenda Ministério da Fazenda Secretária da Receita Federal do Brasil Subsecretaria de Aduana e Relações Internacionais Relatório Aduaneiro 2012 Subsecretaria de Aduana e Relações Internacionais I - Relatório

Leia mais

Formulário Consulta Pública RFB. Apresentação e orientações

Formulário Consulta Pública RFB. Apresentação e orientações Formulário Consulta Pública RFB Apresentação e orientações Este Formulário tem a finalidade de receber contribuições da sociedade organizada para subsidiar a tomada de decisão sobre uma Consulta Pública

Leia mais

DESCRITIVO DO PROCESSO REALIZAR TRATAMENTO ADUANEIRO DE EXPORTAÇÃO (DSE Marítimo e Aéreo)

DESCRITIVO DO PROCESSO REALIZAR TRATAMENTO ADUANEIRO DE EXPORTAÇÃO (DSE Marítimo e Aéreo) DESCRITIVO DO PROCESSO 04.01.0203.03. REALIZAR TRATAMENTO ADUANEIRO DE EXPORTAÇÃO (DSE Marítimo e Aéreo) BRASÍLIA, 09/03/16 1. Diagrama do processo 04.01.0203.03. REALIZAR TRATAMENTO ADUANEIRO DE EXPORTAÇÃO

Leia mais

Aprendendo na Prática Siscomex

Aprendendo na Prática Siscomex Aprendendo na Prática Siscomex Apresentação do Professor Professor: Douglas Cândido. Administrador com ênfase em Comércio Exterior pela Estácio de Sá, MBA em Gestão de Negócios Internacionais pela FGV,

Leia mais

REPETRO Benefícios do Estado

REPETRO Benefícios do Estado REPETRO Benefícios do Estado O que é o REPETRO? Regime aduaneiro especial que permite a importação de equipamentos para serem utilizados diretamente nas atividades de pesquisa e lavra das jazidas de petróleo

Leia mais

COANA - Coordenação-Geral de Administração Aduaneira Siscomex Trânsito Módulo Aduaneiro. Siscomex Trânsito Módulo Aduaneiro

COANA - Coordenação-Geral de Administração Aduaneira Siscomex Trânsito Módulo Aduaneiro. Siscomex Trânsito Módulo Aduaneiro 2017 1 Índice ÍNDICE 2 1.Solicitar/Registrar MIC-DTA de saída 4 1.1 Solicitação de um MIC-DTA de saída: Neste tipo de declaração de trânsito, o beneficiário será o transportador. 4 1.2 Preenchimento dos

Leia mais

Além disso, o trânsito até os locais de embarque das mercadorias também precisará ser monitorado.

Além disso, o trânsito até os locais de embarque das mercadorias também precisará ser monitorado. PORTOS E LOGÍSTICA (/NOTICIAS/PORTOS-E-LOGISTICA) Terça, 30 Maio 2017 08:49 Nova norma da Alfândega obriga o monitoramento de estufagens (/noticias/portos-elogistica/38961-novanorma-da-alfandegaobriga-o-monitoramentode-estufagens)

Leia mais

Sistemática do Comércio Exterior Adriana Viana Ana Cristina Bidueira Hellen Assunção Emanoela Pacheco Marla Noleto Karina Rodrigues

Sistemática do Comércio Exterior Adriana Viana Ana Cristina Bidueira Hellen Assunção Emanoela Pacheco Marla Noleto Karina Rodrigues Prof. Alexandre Almeida Sistemática do Comércio Exterior Adriana Viana Ana Cristina Bidueira Hellen Assunção Emanoela Pacheco Marla Noleto Karina Rodrigues O RECOF é o regime que permite a importação de

Leia mais

Exportações Estado SP. Importações

Exportações Estado SP. Importações Analisando o último trimestre de informações da balança comercial brasileira, nota-se que o país voltou a apresentar déficits comerciais em Setembro e Outubro de 214. Com os dados obtidos a partir do site

Leia mais

TRIBUTAÇÃO ATIVIDADES DE APOIO PORTUÁRIO E OUTROS SERVIÇOS CONEXOS PELO ISS. Antonio Carlos F. Abreu e Silva

TRIBUTAÇÃO ATIVIDADES DE APOIO PORTUÁRIO E OUTROS SERVIÇOS CONEXOS PELO ISS. Antonio Carlos F. Abreu e Silva TRIBUTAÇÃO ATIVIDADES DE APOIO PORTUÁRIO E OUTROS SERVIÇOS CONEXOS PELO ISS Antonio Carlos F. Abreu e Silva O Decreto-Lei 406/68 definia em seu artigo 12 e alíneas "a e b que: Art 12. Considera-se local

Leia mais

Formação Analista em Comércio Exterior

Formação Analista em Comércio Exterior Formação Analista em Comércio Exterior Objetivo: Habilitar os participantes para exercer a profissão de Analista em Comércio Exterior e trabalhar com a análise das operações, planejamento, coordenação

Leia mais

Porto Seco de Foz do Iguaçu: questões aduaneiras e territoriais PROF. ROBERTO FRANÇA (UNILA)

Porto Seco de Foz do Iguaçu: questões aduaneiras e territoriais PROF. ROBERTO FRANÇA (UNILA) Porto Seco de Foz do Iguaçu: questões aduaneiras e territoriais PROF. ROBERTO FRANÇA (UNILA) Problemática e contexto A globalização como um movimento em direção da integração das técnicas e do tempo; Invenção

Leia mais

I MEDIDAS DE FORTALECIMENTO

I MEDIDAS DE FORTALECIMENTO Medidas de Fiscalização e Controle Aduaneiro para Fortalecimento da Defesa Competitiva I MEDIDAS DE FORTALECIMENTO CRIAÇÃO E ESTRUTURAÇÃO DO CENTRO NACIONAL DE GESTÃO DE RISCO ADUANEIRO - Instituído o

Leia mais

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA AGENDA PORTOS CATARINENSES. Período 2015/2017

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA AGENDA PORTOS CATARINENSES. Período 2015/2017 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA AGENDA PORTOS CATARINENSES Período 2015/2017 Julho 2015 Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina Glauco José Côrte Presidente Câmara de

Leia mais

COMPARATIVO. Instrução Normativa SRF nº 102, de 20 de dezembro de 1994 Instrução Normativa SRF nº 1.479, de 07 de julho de 2014

COMPARATIVO. Instrução Normativa SRF nº 102, de 20 de dezembro de 1994 Instrução Normativa SRF nº 1.479, de 07 de julho de 2014 COMPARATIVO Instrução Normativa SRF nº 102, de 20 de dezembro de 1994 Instrução Normativa SRF nº 1.479, de 07 de julho de 2014 Disciplina os procedimentos de controle aduaneiro de carga aérea procedente

Leia mais

Funda. Fundo ppara o Desenvolvimento das Atividades Portuárias. Receita de ICMS

Funda. Fundo ppara o Desenvolvimento das Atividades Portuárias. Receita de ICMS Funda Fundo ppara o Desenvolvimento das Atividades Portuárias Receita de ICMS CONCEITO Incentivo Financeiro LEGISLAÇÃO Lei nº 2.508, de 22/05/1970 e suas alterações. REGULAMENTAÇÃO Inicialmente pelo Decreto

Leia mais

O QUE FAZ UM AGENTE DE CARGA INTERNACIONAL?

O QUE FAZ UM AGENTE DE CARGA INTERNACIONAL? O QUE FAZ UM AGENTE DE CARGA INTERNACIONAL? Objetivo: Habilitar os participantes para trabalhar com o Agenciamento de Cargas Internacionais, isto é, responsável pelo planejamento e a intermediação de soluções

Leia mais

PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO N O 2, DE 2016 (Medida Provisória nº 693, de 2015)

PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO N O 2, DE 2016 (Medida Provisória nº 693, de 2015) PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO N O 2, DE 2016 (Medida Provisória nº 693, de 2015) Altera as Leis n os 12.780, de 9 de janeiro de 2013, que dispõe sobre medidas tributárias referentes à realização, no Brasil,

Leia mais

Tributos aduaneiros. I- Imposto sobre importação de produtos estrangeiros II (art.

Tributos aduaneiros. I- Imposto sobre importação de produtos estrangeiros II (art. Tributos aduaneiros Os tributos sobre o comércio exterior têm natureza predominantemente extrafiscal, ou seja, de interferência no domínio econômico, com importante papel no desempenho das exportações,

Leia mais

CIRCULAR Nº 044/2003 MEDIDA PROVISÓRIA 135/03 LEGISLAÇÃO ADUANEIRA

CIRCULAR Nº 044/2003 MEDIDA PROVISÓRIA 135/03 LEGISLAÇÃO ADUANEIRA São Paulo, 20 de Novembro de 2003. DE: PARA: MÁRCIO FERNANDES DA COSTA Presidente ASSOCIADOS CIRCULAR Nº 044/2003 MEDIDA PROVISÓRIA 135/03 LEGISLAÇÃO ADUANEIRA O Governo Federal editou a Medida Provisória

Leia mais

S O L U T I O N S T R A D E. www. solutionsfortrade. c om

S O L U T I O N S T R A D E. www. solutionsfortrade. c om S O L U T I O N S T R A D E F O R www. solutionsfortrade. c om O que fazemos A Solutions for Trade é uma trading company sediada em Brasil, que desenvolve soluções em operações de comércio exterior, nas

Leia mais

Curso preparatório: AUDITOR-FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL

Curso preparatório: AUDITOR-FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Curso preparatório: AUDITOR-FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Disciplina:. Professor: Smith Barreni. Considerações iniciais SISCOMEX - Sistema Integrado de Comércio Exterior. Art. 2º, Decreto 660/92:

Leia mais

Facilitação do Comércio Exterior. Encontro Nacional de Comércio Exterior Enaex 2013

Facilitação do Comércio Exterior. Encontro Nacional de Comércio Exterior Enaex 2013 Facilitação do Comércio Exterior Encontro Nacional de Comércio Exterior Enaex 2013 8,5 milhões de km2 16.886 Km de Fronteiras terrestres 7.367 Km de Orla Marítima 197 milhões de habitantes PIB de 2,39

Leia mais

SWISSCAM - Câmara de Comércio Suíço-Brasileira Maio 13

SWISSCAM - Câmara de Comércio Suíço-Brasileira Maio 13 SWISSCAM - Câmara de Comércio Suíço-Brasileira Maio 13 Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio João Simonette Sirlene Silva

Leia mais

ZPE CEARÁ. A primeira a operar no Brasil. Mário Lima Junior Presidente ZPE Ceará. zpeceara.ce.gov.br facebook.com/zpeceara twitter.

ZPE CEARÁ. A primeira a operar no Brasil. Mário Lima Junior Presidente ZPE Ceará. zpeceara.ce.gov.br facebook.com/zpeceara twitter. ZPE CEARÁ A primeira a operar no Brasil Mário Lima Junior Presidente ZPE Ceará zpeceara.ce.gov.br facebook.com/zpeceara twitter.com/zpeceara CONCEITO A ZPE Zona de Processamento de Exportação é uma área

Leia mais

Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza

Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza Regional Nordeste Concessões e Parcerias Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de Fortaleza Programa de Gestão de PPPs do Estado do Piauí Viviane Moura Bezerra Superintendente de Parcerias

Leia mais

3.4b Órgãos intervenientes no processo de regulação das atividades de negócios internacionais O M C

3.4b Órgãos intervenientes no processo de regulação das atividades de negócios internacionais O M C 3.4b Órgãos intervenientes no processo de regulação das atividades de negócios internacionais O M C DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTES: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria

Leia mais

Regimes Aduaneiros Especiais - Introdução

Regimes Aduaneiros Especiais - Introdução Regimes Aduaneiros Especiais - Introdução Marcelo Alvares Vicente Advogado, Professor universitário Mestre em Direito Tributário pela PUC/SP Despachante aduaneiro credenciado 8ª RF/RFB 1 Regimes aduaneiros

Leia mais

Receita Federal do Brasil disponibiliza Manuais Aduaneiros via internet Por Hélio Sandro Pereira dos Santos *

Receita Federal do Brasil disponibiliza Manuais Aduaneiros via internet Por Hélio Sandro Pereira dos Santos * Receita Federal do Brasil disponibiliza Manuais Aduaneiros via internet Por Hélio Sandro Pereira dos Santos * O projeto Manuais Aduaneiros começou em 2007 quando a Receita Federal do Brasil (RFB) formou

Leia mais

Logística Internacional

Logística Internacional PLANO DE ENSINO 2014.2 Logística Internacional Semestre: 4º Carga Horária: 47 h Ementa Introdução aos conceitos e aplicação prática do fluxo de funcionamento da Logística Internacional abrangendo as diferentes

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO III: IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO

DIREITO TRIBUTÁRIO III: IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO DIREITO TRIBUTÁRIO III: E EXPORTAÇÃO Prof. Thiago Gomes HIPÓTESE DE INCIDÊNCIA Incidente sobre a inserção, no território nacional, de bens procedentes de outros países. (Fundamento Legal: Art. 153, I,

Leia mais

MERCADO DE CÂMBIO. Prof.Nelson Guerra Ano 2012 / 2013

MERCADO DE CÂMBIO. Prof.Nelson Guerra Ano 2012 / 2013 MERCADO DE CÂMBIO e Prof.Nelson Guerra Ano 2012 / 2013 MERCADO DE CÂMBIO CONCEITO É o mercado que reúne compradores e vendedores de moedas estrangeiras, sob supervisão do Banco Central. Os compradores

Leia mais

Aspectos Administrativos Gerais da Importação

Aspectos Administrativos Gerais da Importação Aspectos Administrativos Gerais da Importação Define-se importação como sendo o ato de inserir no país produtos ou serviços oriundos do exterior, sendo que o processo de tal aquisição oportuniza o intercâmbio

Leia mais

COMISSÃO MISTA DESTINADA A APRECIAR A MPV Nº 693/2015. MEDIDA PROVISÓRIA N o 693, DE (Mensagem n o 365/ PR)

COMISSÃO MISTA DESTINADA A APRECIAR A MPV Nº 693/2015. MEDIDA PROVISÓRIA N o 693, DE (Mensagem n o 365/ PR) 1 COMISSÃO MISTA DESTINADA A APRECIAR A MPV Nº 693/2015 MEDIDA PROVISÓRIA N o 693, DE 2015 (Mensagem n o 365/2015 - PR) Altera a Lei nº 12.780, de 9 de janeiro de 2013, que dispõe sobre medidas tributárias

Leia mais

Painel 1 Desmistificando iner

Painel 1 Desmistificando iner 8º Seminário Internacional em Logística Agroindustrial "Eu contenho, tu contêineres" Painel 1 Desmistificando contêiner iner Piracicaba, 18 de abril de 2011 Armindo Adegas de Carvalho armindo.adegas@ecopatio.com.br

Leia mais

Fundo Especial de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização (FUNDAF)

Fundo Especial de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização (FUNDAF) Mercadores Fundo Especial de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização (FUNDAF) Coletânea (Normas Vigentes) Versão 2.00 - Maio de 2010 Atualizada até: Instrução Normativa SRF nº

Leia mais

NÓS LOGÍSTICOS E ADUANAS NA FRONTEIRA SUL DO BRASIL

NÓS LOGÍSTICOS E ADUANAS NA FRONTEIRA SUL DO BRASIL CIÊNCIAS HUMANAS NÓS LOGÍSTICOS E ADUANAS NA FRONTEIRA SUL DO BRASIL OLEGÁRIO, Polianna Teixeira. Estudante do Curso de Geografia- ILATIT UNILA; E-mail: polianna.olegario@aluno.unila.edu.br; SILVA JUNIOR,

Leia mais

Guia para Cálculo de Impostos de Importação

Guia para Cálculo de Impostos de Importação Guia para Cálculo de Impostos de Importação Ao importar algo no exterior e solicitar o envio para o Brasil, além do valor do produto e do frete é importante saber todos os encargos que incidem sobre a

Leia mais

OBJETIVO FOMENTAR O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO DO ABC NAS OPERAÇÕES LOGISTICAS

OBJETIVO FOMENTAR O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO DO ABC NAS OPERAÇÕES LOGISTICAS OBJETIVO FOMENTAR O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO DO ABC NAS OPERAÇÕES LOGISTICAS CONSOLIDAR A REGIÃO COMO PONTO DE APOIO E SUPORTE PARA AS OPERAÇÕES DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO DA ÁREA PORTUARIA DE SANTOS

Leia mais

PRANA SIGNIFICA ENERGIA VITAL. FOCADOS NISSO, NOS EMPENHAMOS PARA SER A ENERGIA PROPULSORA DA SUA RELAÇÃO COM O COMÉRCIO INTERNACIONAL CONECTANDO

PRANA SIGNIFICA ENERGIA VITAL. FOCADOS NISSO, NOS EMPENHAMOS PARA SER A ENERGIA PROPULSORA DA SUA RELAÇÃO COM O COMÉRCIO INTERNACIONAL CONECTANDO PRANA SIGNIFICA ENERGIA VITAL. FOCADOS NISSO, NOS EMPENHAMOS PARA SER A ENERGIA PROPULSORA DA SUA RELAÇÃO COM O COMÉRCIO INTERNACIONAL CONECTANDO SEUS NEGÓCIOS COM O MUNDO. QUEM SOMOS SOMOS UMA EMPRESA

Leia mais

H E A D - O F F I C E : B R A N C H - O F F I C E

H E A D - O F F I C E : B R A N C H - O F F I C E Nossa história Fundada em 1994 Soluções rápidas e eficientes para comércio exterior, tais como: desembaraço aduaneiro, gestão de operações internacionais e agenciamento de cargas. 1994 1999 B R AN C H

Leia mais

índice Envolvimento de Diversos Órgãos Porto Seco e DAC Breve Cenário dos Terminais de Uso Privado Gargalos Gerais

índice Envolvimento de Diversos Órgãos Porto Seco e DAC Breve Cenário dos Terminais de Uso Privado Gargalos Gerais índice Porto Seco e DAC Breve Cenário dos Terminais de Uso Privado Gargalos Gerais Conflito de competência regulatória entre a SEP/MT e a ANTAQ Envolvimento de Diversos Órgãos Kincaid Mendes Vianna Advogados

Leia mais

TRIBUTAÇÃO SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR Imposto de Importação Imposto de Exportação. Prof. Marcelo Alvares Vicente

TRIBUTAÇÃO SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR Imposto de Importação Imposto de Exportação. Prof. Marcelo Alvares Vicente TRIBUTAÇÃO SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR Imposto de Importação Imposto de Exportação Prof. Marcelo Alvares Vicente Tributação sobre o Comércio Exterior Necessidade de análise sistemática do Ordenamento jurídico

Leia mais

Fundo Especial de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização (FUNDAF)

Fundo Especial de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização (FUNDAF) Fundo Especial de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização (FUNDAF) Coletânea de Instruções Normativas (Versão Histórica) Versão 1.0 - Setembro de 2002 Atualizada até a Instrução

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO ANALISTA TRIBUTÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ATFRB

CONTROLE DE CONTEÚDO ANALISTA TRIBUTÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ATFRB CONTROLE DE CONTEÚDO ANALISTA TRIBUTÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ATFRB 1 Compreensão Textual. LÍNGUA PORTUGUESA 2 Ortografia. 3 Semântica. 4 Morfologia. 5 Sintaxe. 6 Pontuação. 1 Interpretação de

Leia mais

Escola Secundária de Paços de Ferreira Curso Profissional de Técnicas de Secretariado. Escola Secundária de Paços de Ferreira

Escola Secundária de Paços de Ferreira Curso Profissional de Técnicas de Secretariado. Escola Secundária de Paços de Ferreira Escola Secundária de Paços de Ferreira Curso Profissional Técnicas de Secretariado Ano Lectivo: 2009/10 Disciplina: Técnicas de Secretariado Professora: Adelina Silva Novembro de 2009 Trabalho realizado

Leia mais

Loja Franca em Fronteira Terrestre

Loja Franca em Fronteira Terrestre Loja Franca em Fronteira Terrestre 1 Condições gerais de Loja Franca (Decreto-Lei nº 1.455/76) O funcionamento poderá ser autorizado: LOJA FRANCA DE PORTO E AEROPORTO (Regime Aduaneiro Especial) Para venda

Leia mais

Pacto pela Infraestrutura Nacional e Eficiência Logística. Marinha Mercante Brasileira X Burocracia

Pacto pela Infraestrutura Nacional e Eficiência Logística. Marinha Mercante Brasileira X Burocracia Pacto pela Infraestrutura Nacional e Eficiência Logística Marinha Mercante Brasileira X Burocracia Luís Fernando Resano Vice-Presidente Executivo do Syndarma Sindicato Nacional das Empresas de Navegação

Leia mais

Exporta Fácil. Comercialização para o exterior

Exporta Fácil. Comercialização para o exterior Comercialização para o exterior Comercialização para o exterior Comercialização para o exterior Preparar a Exportação e postar via Comercialização para o exterior Comercialização para o exterior Invoices

Leia mais

Regimes jurídicos tributário e aduaneiro e a denúncia espontânea. Luiz Roberto Domingo Mestre PUC/SP e Conselheiro CARF

Regimes jurídicos tributário e aduaneiro e a denúncia espontânea. Luiz Roberto Domingo Mestre PUC/SP e Conselheiro CARF Regimes jurídicos tributário e aduaneiro e a denúncia espontânea Luiz Roberto Domingo Mestre PUC/SP e Conselheiro CARF Princípios Constitucionais - Atividade Aduaneira Soberania art. 1º, inc. I (Proteção

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito de ICMS nas operações de Importação - RS

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito de ICMS nas operações de Importação - RS Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito de 26/02/2016 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 2.1. RICMS RS... 3 2.2. IN DRP nº 045/98... 4 3. Análise

Leia mais

Introdução à Nova Logística

Introdução à Nova Logística UPS do Brasil 2016 Introdução à Nova Logística A UPS é a maior empresa do mundo em entregas expressas e líder global em serviços da Cadeia de Suprimentos. A Logística da UPS é única porque tem: Capacidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 45, DE 27 DE JANEIRO DE 2017 DOU de 30/01/2017 [Página 35]

MINISTÉRIO DA FAZENDA GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 45, DE 27 DE JANEIRO DE 2017 DOU de 30/01/2017 [Página 35] MINISTÉRIO DA FAZENDA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 45, DE 27 DE JANEIRO DE 2017 DOU de 30/01/2017 [Página 35] Dispõe sobre a atualização monetária da Taxa de Fiscalização de Vigilância

Leia mais

O Comércio Exterior. a Receita Federal do Brasil. Itajaí, 18 de fevereiro de 2011

O Comércio Exterior. a Receita Federal do Brasil. Itajaí, 18 de fevereiro de 2011 O Comércio Exterior & Itajaí, 18 de fevereiro de 2011 Contexto A RFB é o órgão responsável pela administração e controle aduaneiro no País. Missão Institucional: Arrecadaçãod ã dos tib tributost sobre

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Instrução Normativa nº 1.456, de 10.03.14 DOU-1, de 11.03.14. SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Altera a Instrução Normativa SRF nº 611, de 18 de janeiro de 2006, que dispõe sobre a utilização de

Leia mais

DESPACHO ADUANEIRO EXPRESSO (LINHA AZUL)

DESPACHO ADUANEIRO EXPRESSO (LINHA AZUL) DESPACHO ADUANEIRO EXPRESSO (LINHA AZUL) 1ª Parte Visão Geral ABRIL 2007 1 Histórico MODELO ANTERIOR (IN 47/2001) MODIFICAÇÕES MODELO ATUAL MODELO FUTURO 2 Linha Azul Atual IN 476/2004 Despacho Aduaneiro

Leia mais

DESCRITIVO DO PROCESSO REALIZAR VERIFICAÇÃO FÍSICA DA MERCADORIA (DE - Exportação)

DESCRITIVO DO PROCESSO REALIZAR VERIFICAÇÃO FÍSICA DA MERCADORIA (DE - Exportação) DESCRITIVO DO PROCESSO 04.01.0203.01.01. REALIZAR VERIFICAÇÃO FÍSICA DA MERCADORIA (DE Exportação) BRASÍLIA, 09/03/16 1. Diagrama do processo 04.01.0203.01.01. REALIZAR VERIFICAÇÃO FÍSICA DA MERCADORIA

Leia mais

Panorama das Ferrovias Brasileiras

Panorama das Ferrovias Brasileiras Panorama das Ferrovias Brasileiras Fernanda Rezende Coordenadora de Desenvolvimento do Transporte - CNT 17/10/2017 O Processo de Concessão das Ferrovias Evolução dos investimentos das concessionárias ferroviárias

Leia mais

Formação de Agente de Carga Internacional Telefone

Formação de Agente de Carga Internacional Telefone Formação de Agente de Carga Internacional Telefone 0800.7183810 Objetivo: Habilitar os participantes para exercer a profissão de Agente de Cargas, que é o responsável pelo planejamento e a intermediação

Leia mais

TABELA DE PREÇOS DO TERMINAL PORTUÁRIO DO PECÉM Vigência: 20 DE MAIO DE 2016

TABELA DE PREÇOS DO TERMINAL PORTUÁRIO DO PECÉM Vigência: 20 DE MAIO DE 2016 TABELA DE PREÇOS DO Vigência: 20 DE MAIO DE 2016 TABELA A - PREÇOS DOS SERVIÇOS PRESTADOS OU DISPONIBILIZADOS PELA CEARÁPORTOS 100.000 SERVIÇOS OPERACIONAIS 100.100 Utilização da Infraestrutura Aquaviária

Leia mais

RECEITA FEDERAL SUMÁRIO. Língua Portuguesa. Compreensão Textual Ortografia Semântica... 9/34. Morfologia Sintaxe...

RECEITA FEDERAL SUMÁRIO. Língua Portuguesa. Compreensão Textual Ortografia Semântica... 9/34. Morfologia Sintaxe... Língua Portuguesa Compreensão Textual... 3 Ortografia... 21 Semântica... 9/34 Morfologia... 35 Sintaxe... 63 Pontuação... 99 Espanhol Interpretação de Textos... 3 Inglês Interpretação de Textos... 3 Raciocínio

Leia mais

ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO - ZPE

ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO - ZPE ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO - ZPE O Que é uma ZPE? Áreas delimitadas, especialmente designadas a indústrias exportadoras, nas quais estas usufruem de regimes tributário e cambial diferenciados,

Leia mais

DECRETOS-LEIS. 25 de 30 de novembro de 1937 Organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional.

DECRETOS-LEIS. 25 de 30 de novembro de 1937 Organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional. DECRETOS-LEIS 25 de 30 de novembro de 1937 Organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional. 341 de 17 de março de 1938 Regula a apresentação de documentos, por estrangeiros, ao Registro

Leia mais

C I R C U L A R C Ó D I G O N Ú M E R O D A T A 040/2012 MFZ /06/2012 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL A S S U N T O

C I R C U L A R C Ó D I G O N Ú M E R O D A T A 040/2012 MFZ /06/2012 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL A S S U N T O Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima Rua Visconde de Inhaúma, 134 Gr 1005 CEP 20094-900 - Centro - Rio de Janeiro RJ Brasil Tel.: (55 21) 3232-5600 Fax.: (55 21) 3232-5619 E-mail: syndarma@syndarma.org.br

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 300, de 14 de fevereiro de 2003

Instrução Normativa SRF nº 300, de 14 de fevereiro de 2003 Instrução Normativa SRF nº 300, de 14 de fevereiro de 2003 Disciplina a saída temporária de mercadorias da Zona Franca de Manaus, das Áreas de Livre Comércio e da Amazônia Ocidental. O SECRETÁRIO DA RECEITA

Leia mais

Operador Econômico Autorizado - OEA

Operador Econômico Autorizado - OEA Operador Econômico Autorizado - OEA O que é o OEA? O Programa Brasileiro de OEA consiste na certificação dos intervenientes em operações de comércio exterior envolvido na movimentação internacional de

Leia mais

INVESTIMENTOS PÚBLICOS - AV PERIMETRAL - MARGEM ESQUERDA 2ª FASE. 8º Encontro de Logística e Transportes

INVESTIMENTOS PÚBLICOS - AV PERIMETRAL - MARGEM ESQUERDA 2ª FASE. 8º Encontro de Logística e Transportes INVESTIMENTOS PÚBLICOS - AV PERIMETRAL - MARGEM ESQUERDA 2ª FASE INVESTIMENTOS PRIVADOS MODAL RODOVIÁRIO ACESSO RODOVIÁRIO OBRAS DO GOVERNO ESTADUAL ACESSO RODOVIÁRIO OBRAS DO GOVERNO ESTADUAL ACESSO RODOVIÁRIO

Leia mais

SISCOSERV Sistema Integrado de Comércio e Exterior de Serviços, Intangíveis e de Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio

SISCOSERV Sistema Integrado de Comércio e Exterior de Serviços, Intangíveis e de Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio CIRCULAR Nº 28/2012 São Paulo, 30 de Julho de 2012. SISCOSERV Sistema Integrado de Comércio e Exterior de Serviços, Intangíveis e de Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio Prezado Cliente,

Leia mais

Portal Único de Comércio Exterior. Novo Processo de Exportação DU-E

Portal Único de Comércio Exterior. Novo Processo de Exportação DU-E Portal Único de Comércio Exterior Novo Processo de Exportação DU-E Benefícios aos exportadores Eliminação de documentos. Integração com a Nota Fiscal eletrônica (NF-e). Redução de custos e consequente

Leia mais

Assessoria em Importação / Exportação de Sementes e Mudas

Assessoria em Importação / Exportação de Sementes e Mudas A EFFICIENT oferece todos os recursos de um despachante aduaneiro de grande porte, acompanhada de uma Gestão Personalizada, pois o nosso foco é o do cliente. Por isso a EFFICIENT AGRO ADUANA, foi indicada

Leia mais

Comércio Internacional para Concursos Guia de estudos Série Teoria e Questões

Comércio Internacional para Concursos Guia de estudos Série Teoria e Questões Comércio Internacional para Concursos Guia de estudos Série Teoria e Questões CAPÍTULO 1 POLÍTICAS COMERCIAIS. PROTECIONISMO E LIVRE CAMBISMO. COMÉRCIO INTERNACIONAL E CRESCIMENTO ECONÔMICO. BARREIRAS

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1742, DE 22 DE SETEMBRO DE 2017

INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1742, DE 22 DE SETEMBRO DE 2017 INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1742, DE 22 DE SETEMBRO DE 2017 (Publicado(a) no DOU de 26/09/2017, seção 1, pág. 17) Altera a Instrução Normativa SRF nº 28, de 27 de abril de 1994, a Instrução Normativa RFB

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1742, DE 22 DE SETEMBRO DE DOU de 26/09/2017, seção 1, pág. 17)

INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1742, DE 22 DE SETEMBRO DE DOU de 26/09/2017, seção 1, pág. 17) CIRCULAR SINDICOMIS SI/299/17 INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1742, DE 22 DE SETEMBRO DE 2017 DOU de 26/09/2017, seção 1, pág. 17) Altera a Instrução Normativa SRF nº 28, de 27 de abril de 1994, a Instrução

Leia mais

Infraestrutura portuária para o Turismo. Brazil World Cup Transportation Congress Tiago Pereira Lima Diretor da ANTAQ São Paulo, 26 de julho de 2011

Infraestrutura portuária para o Turismo. Brazil World Cup Transportation Congress Tiago Pereira Lima Diretor da ANTAQ São Paulo, 26 de julho de 2011 Infraestrutura portuária para o Turismo Brazil World Cup Transportation Congress Tiago Pereira Lima Diretor da ANTAQ São Paulo, 26 de julho de 2011 Aspectos institucionais da ANTAQ 2 Criada pela Lei nº

Leia mais