O ENSINO E APRENDIZADO DE NÚMEROS DECIMAIS SIMULANDO UM MERCADO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O ENSINO E APRENDIZADO DE NÚMEROS DECIMAIS SIMULANDO UM MERCADO"

Transcrição

1 O ENSINO E APRENDIZADO DE NÚMEROS DECIMAIS SIMULANDO UM MERCADO Instituição de Ensino Bolsistas ID Supervisor Coordenador Colégio Estadual Padre Cláudio Morelli Amanda Ferreira Procek Eduarda de Almeida Gomes Thadeu Angelo Miqueletto Prof. Dr. Anderson Roges Teixeira Góes 1. INTRODUÇÃO Este trabalho apresenta uma prática realizada pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação á Docência (PIBID) subprojeto Matemática 3, aplicada no ano letivo de 2016 à duas turmas de 6 ano do Ensino Fundamental do Colégio Estadual Padre Claudio Morelli onde a atividade foi desenvolvida em seis aulas de 45 minutos com aproximadamente 56 alunos ao todo. Nessa atividade utilizamos elementos da Expressão Gráfica (Góes, 2013), principalmente, os materiais manipuláveis, que auxiliam na apresentação de ideias, representações de conceitos, a formalizar e vizualizar problemas e aplicar em várias áreas do conhecimento. O conteúdo de números decimais foi à base de toda formação da atividade, em que foi organizada em três etapas, sendo duas teóricas e uma totalmente prática. A forma como a atividade foi desenvolvida tinha como objetivo fazer com que os alunos fossem capazes de resolver cálculos com números decimais de uma maneira natural, trazendo assim mais facilidades aos alunos com esse conteúdo e também expondo a eles como a matemática está presente no nosso cotidiano. Deste modo, escolhemos trazer a realidade 1

2 para sala de aula com o objetivo de ensinar um conteúdo adverso por eles, pois as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica (Brasília/2013, P.110) informa que as políticas pedagógicas devem estar ajustadas a realidade do aluno para uma melhor valorização cultural. 2. OBJETIVOS O aluno deve ser capaz de resolver cálculos com números decimais de uma maneira natural, observar o uso desta matéria no cotidiano e brincar aprendendo. 3. RECURSOS Materiais recicláveis arrecadados pelo professor; Caderno para apoio; Lápis ou Caneta para anotações; Tabela Fiscal confeccionada pelo professor; Calculadora (opcional); Dinheiro e moedas confeccionados pelo professor; 4. PROPOSTA E APLICAÇÃO DAS ATIVIDADES A atividade foi dividida em três etapas, sendo elas: 1) Observação; 2) Aplicação da Matemática no Cotidiano, e; 3) Verificação da aprendizagem. Na primeira etapa, fizemos uma atividade para os alunos resolverem, sem contextualização nenhuma de maneira que pudéssemos avaliar o nível de dificuldade e onde estava concentrada esta dificuldade. 2

3 Foto1: Atividade Diagnóstica Na segunda etapa mostramos que a Matemática esta ligada ao nosso dia-a-dia e que nos auxilia em diversas ocasiões e uma delas é a nossa ia ao mercado. A construção do Mercado foi rápida e prática, organizamos a sala de maneira que os produtos ficassem em torno da sala e deixamos o meio para os alunos circularem, cada aluno recebeu o cupom fiscal para anotarem o que compravam e o valor de R$75,00 reais para comprarem no mínimo um produto de cada mesa de maneira que sobrasse troco e esta compra seria para eles passarem o mês. Dada estas instruções, eles teriam 25 minutos para comprar, somar, calcular o troco para finalmente passar pela caixa que iria conferir com a calculadora se os cálculos estavam corretos. O objetivo nesta etapa foi analisar qual produto eles julgavam importantes, se eles sabiam diferenciar os valores 3

4 com a quantidade e se conseguiriam comprar tudo que fosse necessário sem passar a quantidade de dinheiro que eles teriam em cada situação. Foto2: Organização da Sala Foto3: Alunos Durante a Atividade Na terceira e última etapa, é aplicada a mesma atividade da etapa 1 (um), mas de uma maneira contextualizada, o objetivo era concluir onde estaria a maior dificuldade, na linguagem matemática, na leitura e interpretação ou no conteúdo. 4

5 4.1. Confecção do material Foto4: Atividade Conclusiva Os materiais recicláveis foram arrecadados pelo professor por longos meses para esta atividade, foi necessário organizar por categorias e etiquetar cada um com o seu devido valor. As notas foram compradas para facilitar na aplicação da atividade, porém as moedas foram impressas, recortadas e coladas uma a uma. O cupom fiscal foi feito no computador e impresso para os alunos se organizarem melhor durante a atividade e as calculadoras foram emprestada do laboratório de matemática da própria escola. Foto5 e 6: Cupom e/ou Tabela Fiscal e Dinheiro e Calculadores e Moedas 5

6 5. RESULTADOS A aplicação dessa atividade relacionando o mercado com o conteúdo dos números decimais é muito importante, uma vez que trabalha o cálculo mental de maneira rápida e a importância da matemática de se encaixar na realidade do aluno, visto que é um conteúdo em que os estudantes apresentam grandes dificuldades se for apresentado da forma banal e tais dificuldades aparecem também no futuro quando estiverem aprendendo outros conteúdos e em outras séries. E por fim, as correções e analises ainda estão em desenvolvimento, pelas universitárias que durante todo o processo perceberam que os alunos ainda não possuíam a noção do que é necessário comprar no mercado para passar o mês em suas casas, não entendem o porquê de um produto ser mais barato que o outro apenas pela marca, compravam sem saber se poderiam pagar por toda aquela compra e também não sabiam operar as calculadoras, mas a aplicação foi muito gratificante para os alunos que puderam aprender a matemática de forma lúdica, isto é, aprender a teoria brincando na prática e para o professor que pode também ensinar um pouco sobre a matemática da vida, onde o aluno deve saber usar a matemática a seu favor em todas as situações importantes da vida e principalmente no dia-a-dia. 6. REFERÊNCIAS GÓES, H. C. Um esboço de conceituação sobre Expressão Gráfica. Revista Educação Gráfica, vol. 17, no. 1, Bauru/SP, Brasil. As Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília/DF

O USO DE MATERIAIS MANIPULÁVEIS E DA TECNOLOGIA NA PREPARAÇÃO DE ALUNOS PARA A OBMEP

O USO DE MATERIAIS MANIPULÁVEIS E DA TECNOLOGIA NA PREPARAÇÃO DE ALUNOS PARA A OBMEP O USO DE MATERIAIS MANIPULÁVEIS E DA TECNOLOGIA NA PREPARAÇÃO DE ALUNOS PARA A OBMEP Instituição de Ensino: Colégio Estadual Padre Cláudio Morelli Bolsistas ID: Amanda Ferreira Procek¹, Matheus Willian².

Leia mais

DESCOBRINDO O TEOREMA DE PITÁGORAS

DESCOBRINDO O TEOREMA DE PITÁGORAS DESCOBRINDO O TEOREMA DE PITÁGORAS Instituição de Ensino Bolsistas ID Supervisor Coordenador Escola Municipal Coronel Durival Britto e Silva Jaqueline Hoschele e Adriano Cesar Bueno. Juliana da Cruz de

Leia mais

PRÁTICA INVESTIGATIVA COM AUXÍLIO DE MATERIAIS MANIPULÁVEIS NO ENSINO E APRENDIZADO DE POLÍGONOS

PRÁTICA INVESTIGATIVA COM AUXÍLIO DE MATERIAIS MANIPULÁVEIS NO ENSINO E APRENDIZADO DE POLÍGONOS PRÁTICA INVESTIGATIVA COM AUXÍLIO DE MATERIAIS MANIPULÁVEIS NO ENSINO E APRENDIZADO DE POLÍGONOS Instituição de Ensino Bolsistas ID Supervisor Coordenador Escola Municipal Coronel Durival de Britto e Silva

Leia mais

JOGOS MATEMÁTICOS BASEADOS NA TEORIA DAS MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS

JOGOS MATEMÁTICOS BASEADOS NA TEORIA DAS MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS JOGOS MATEMÁTICOS BASEADOS NA TEORIA DAS MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS Carlos Henrique Lange carloshenriquelange@hotmail.com José Guilherme Simion Antunes guisimion@gmail.com Juliana Raupp raupp_juliana@yahoo.com

Leia mais

Palavras-chave: Subprojeto PIBID da Licenciatura em Matemática, Laboratório de Educação Matemática, Formação de professores.

Palavras-chave: Subprojeto PIBID da Licenciatura em Matemática, Laboratório de Educação Matemática, Formação de professores. 00465 A IMPLANTAÇÃO DE UM LABORATÓRIO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA EM UMA ESCOLA PÚBLICA Regina Helena Munhoz Professora Adjunta Departamento de Matemática UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina RESUMO

Leia mais

EXPLORANDO OS POLINÔMIOS E OS GRÁFICOS DAS FUNÇÕES POLINOMIAIS

EXPLORANDO OS POLINÔMIOS E OS GRÁFICOS DAS FUNÇÕES POLINOMIAIS EXPLORANDO OS POLINÔMIOS E OS GRÁFICOS DAS FUNÇÕES POLINOMIAIS Educação Matemática nos Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio (Emaiefem) GT 10 Marcelino Jose de CARVALHO Universidade Federal

Leia mais

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ELIANE CALHEIROS

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ELIANE CALHEIROS SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ELIANE CALHEIROS OLIVIA EVANGELISTA BENEVIDES THIANE ARAUJO COSTA TRABALHANDO A MATEMÁTICA DE FORMA DIFERENCIADA A

Leia mais

APLICAÇÃO DE EQUAÇÃO DO SEGUNDO GRAU COM MATERIAIS MANIPULÁVEIS: JOGO TRILHA DAS EQUAÇÕES

APLICAÇÃO DE EQUAÇÃO DO SEGUNDO GRAU COM MATERIAIS MANIPULÁVEIS: JOGO TRILHA DAS EQUAÇÕES APLICAÇÃO DE EQUAÇÃO DO SEGUNDO GRAU COM MATERIAIS MANIPULÁVEIS: JOGO TRILHA DAS EQUAÇÕES Rafael Pereira da Silva Universidade Estadual da Paraíba rafaelpereira.jt@hotmail.com Jailson Lourenço de Pontes

Leia mais

Escola Adventista Thiago White

Escola Adventista Thiago White Roteiro de Matemática 6º ano A e B - 1º Bimestre Data Início / / Data Término / / Nota: Tema: Números Primos, MMC e MDC Conceituar um número primo e verificar se um número dado é ou não primo. Obter o

Leia mais

Palavras-chave: TIC; experimento; espaço amostral; evento.

Palavras-chave: TIC; experimento; espaço amostral; evento. UMA INTRODUÇÃO À TEORIA DA PROBABILIDADE: O USO DE AULAS MULTIMÍDIAS COMO FACILITADOR DO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM Diánis Ferreira Irias dianis.irias@hotmail.com Laura Lima Dias laura_limadias@hotmail.com

Leia mais

A prova é constituída por dois cadernos (Caderno 1 e Caderno 2), sendo permitido o uso de calculadora apenas no Caderno 1.

A prova é constituída por dois cadernos (Caderno 1 e Caderno 2), sendo permitido o uso de calculadora apenas no Caderno 1. INFORMAÇÃO - PROVA FINAL A NÍVEL DE ESCOLA MATEMÁTICA Prova 82 2015 3º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova final a

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL TENENTE JOSÉ LUCIANO Projeto: JOGAR, DIVERTIR E APRENDER COM A DONA MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL TENENTE JOSÉ LUCIANO Projeto: JOGAR, DIVERTIR E APRENDER COM A DONA MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL TENENTE JOSÉ LUCIANO Projeto: JOGAR, DIVERTIR E APRENDER COM A DONA MATEMÁTICA - 2015...o brinquedo desperta interesse e curiosidade... Rubem Alves Autora: Rita Siqueira Público alvo: alunos

Leia mais

Prova Escrita de Matemática

Prova Escrita de Matemática Informação - Prova Final a Nível de Escola Prova Escrita de Matemática Prova 82 2015 9.º Ano de Escolaridade Duração da Prova: 90 minutos 3.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)

Leia mais

OFICINA: HISTÓRIA DA MATEMÁTICA. Resumo

OFICINA: HISTÓRIA DA MATEMÁTICA. Resumo OFICINA: HISTÓRIA DA MATEMÁTICA Resumo Os grandes matemáticos surgiram antes e depois de Cristo, inventando novas fórmulas, soluções e cálculos. A inteligência do homem era algo tão magnífico, que a matemática

Leia mais

NÚMEROS E ÁLGEBRA FUNÇÕES

NÚMEROS E ÁLGEBRA FUNÇÕES Professores: Josiane Caroline Protti Disciplina: Matemática Ano: 1º ano E Período: 1º Bimestre - Atividades com os alunos para - Atividades dos livros didáticos e - Correção das atividades na lousa e individual.

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA: Como calcular o perímetro de um círculo?

RELATO DE EXPERIÊNCIA: Como calcular o perímetro de um círculo? PROFESSORA: Alexandra Petry Leonardo. PROFESSOR COAUTOR: Nilton Sérgio Rech. CRTE -Toledo E-mail: alepetry@seed.pr.gov.br ESCOLA: Colégio Estadual Professor Jaime Rodrigues. Ensino Fundamental e Médio.

Leia mais

Matemática Prova Para: Escolas João de Araújo Correia. Objeto da Avaliação. Caracterização da prova

Matemática Prova Para: Escolas João de Araújo Correia. Objeto da Avaliação. Caracterização da prova Matemática Prova 52 2015 Prova Final a 2015 Para: Reprografias Portal do Agrupamento 2º Ciclo do Ensino Básico Diretores de Turma Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Despacho Normativo n.º 6-A/2015,

Leia mais

ÁBACO VERTICAL. 1º. Passo: Explicar aos alunos o significado de cada pino do ábaco.

ÁBACO VERTICAL. 1º. Passo: Explicar aos alunos o significado de cada pino do ábaco. ÁBACO VERTICAL É de extrema importância que os alunos construam os conceitos de número já nas séries iniciais, a fim de que estes evoluam do concreto aos estágios de abstração. Os Parâmetros Curriculares

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS ONLINE NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NAS SÉRIES FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS ONLINE NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NAS SÉRIES FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL A UTILIZAÇÃO DE JOGOS ONLINE NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NAS SÉRIES FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância Lucas

Leia mais

5. Objetivo geral (prever a contribuição da disciplina em termos de conhecimento, habilidades e atitudes para a formação do aluno)

5. Objetivo geral (prever a contribuição da disciplina em termos de conhecimento, habilidades e atitudes para a formação do aluno) ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais

O LÚDICO NO ESTUDO DE FUNÇÃO EXPONENCIAL

O LÚDICO NO ESTUDO DE FUNÇÃO EXPONENCIAL O LÚDICO NO ESTUDO DE FUNÇÃO EXPONENCIAL Instituição de Ensino Bolsistas ID Supervisor Coordenador Colégio Estadual Padre Cláudio Morelli Ensino Fundamental e Médio Gessiel Nardini Sperotto Prof. Thadeu

Leia mais

O TANGRAM COMO RECURSO DA EXPRESSÃO GRÁFICA NO ENSINO E APRENDIZADO DE ÁREAS

O TANGRAM COMO RECURSO DA EXPRESSÃO GRÁFICA NO ENSINO E APRENDIZADO DE ÁREAS O TANGRAM COMO RECURSO DA EXPRESSÃO GRÁFICA NO ENSINO E APRENDIZADO DE ÁREAS Instituição de Ensino: Bolsistas ID : Supervisor: Coordenador Colégio Estadual Padre Cláudio Morelli Matheus Willian Duarte

Leia mais

FACCAMP Faculdade Campo Limpo Paulista Curso Graduação em Pedagogia, Licenciatura Res. CNE/CP no. 1/2006 Diretrizes Curriculares Nacionais

FACCAMP Faculdade Campo Limpo Paulista Curso Graduação em Pedagogia, Licenciatura Res. CNE/CP no. 1/2006 Diretrizes Curriculares Nacionais Campo Limpo Paulista 2012 2 Atualizado em 14.08.2012 PORTFÓLIO DE FORMAÇÃO Regulamento 1. Apresentação O Portfólio de formação é um documento que facilita a observação da aprendizagem do aluno, por ele

Leia mais

Avaliação dos Estudantes sobre o Uso de Imagens como Recurso Auxiliar no Ensino de Conceitos Químicos

Avaliação dos Estudantes sobre o Uso de Imagens como Recurso Auxiliar no Ensino de Conceitos Químicos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PIBID-PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA BOLSISTA: LIANE ALVES DA SILVA Avaliação dos Estudantes sobre o Uso de Imagens como Recurso Auxiliar

Leia mais

Critérios de Avaliação de Matemática

Critérios de Avaliação de Matemática COLÉGIO DA RAINHA SANTA ISABEL MATEMÁTICA Critérios de Avaliação de Matemática º e 3º Ciclo do Ensino Básico 01/013 A avaliação consiste no processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso

Leia mais

7.1. Discussão teórica A aula foi produzida a partir dos tópicos presentes no currículo nacional do Ensino Médio.

7.1. Discussão teórica A aula foi produzida a partir dos tópicos presentes no currículo nacional do Ensino Médio. 1. Escola: Aníbal de Freitas 2. Bolsista Aline Chinalia 3. Data: 05/08/2015 4. Atividade: Aula Tema: Equações do Segundo Grau 5. Duração: 1h20 min 6. Objetivo: O objetivo desta atividade é trabalhar um

Leia mais

PROJETO: OPERAÇÕES COM NÚMEROS DECIMAIS

PROJETO: OPERAÇÕES COM NÚMEROS DECIMAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID) ESCOLA MUNICIPAL HERMANN GMEINNER Bolsistas: Jacqueline Cristina de Medeiros Supervisora: Patrícia

Leia mais

Título do Produto: USO DE MODELOS NA CONTEXTUALIZAÇÃO DA TEORIA ATÔMICA

Título do Produto: USO DE MODELOS NA CONTEXTUALIZAÇÃO DA TEORIA ATÔMICA Título do Produto: USO DE MODELOS NA CONTEXTUALIZAÇÃO DA TEORIA ATÔMICA Objetivo: Mostrar a relevância, no ensino de Química, da utilização de modelos para a contextualização da teoria atômica, utilizando

Leia mais

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 4º BIMESTRE º B - 11 Anos

MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 4º BIMESTRE º B - 11 Anos PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO/ SEÇÃO DE ENSINO FORMAL Centro de Formação Pedagógica CENFOP MATEMÁTICA PLANEJAMENTO 4º

Leia mais

INFORMAÇÃO- PROVA COMUM

INFORMAÇÃO- PROVA COMUM INFORMAÇÃO- PROVA COMUM 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova comum, do ensino secundário, da disciplina de, a realizar em 2015, conforme decisão do Conselho Pedagógico

Leia mais

PROJETO: BRINCANDO DE FAZ DE CONTA: VIVÊNCIAS DE HISTÓRIAS INFANTIS NA EDUCAÇÃO FÍSICA

PROJETO: BRINCANDO DE FAZ DE CONTA: VIVÊNCIAS DE HISTÓRIAS INFANTIS NA EDUCAÇÃO FÍSICA Diretora: Irene Gomes Lepore Coordenadora Pedagógica: Alba Coppini Lopes Professora Responsável: Mariana Aparecida Ferreira de Camargo Professora Participante: Ana Claudia Silva Davini PROJETO: BRINCANDO

Leia mais

Aplicação de jogos virtuais como temática de educação entre as matérias

Aplicação de jogos virtuais como temática de educação entre as matérias Aplicação de jogos virtuais como temática de educação entre as matérias Autor: Bianca de Lima Co-autores: Danielle Costa Fernanda Jesus Orientador: José Vicente Robaina Co-Orientador: Ana Lúcia Bastos

Leia mais

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013 Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático Língua Portuguesa 2012/2013 ATITUDES Formação para a cidadania. Apresentação dos materiais necessários, cumprimento de tarefas propostas, assiduidade,

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL TIA ANA

CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL TIA ANA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRUSQUE - UNIFEBE CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL TIA ANA Coordenador Institucional: Marcilene Pöpper Gomes Coordenadora de Área: Clarice Pires Professor(a) Supervisor(a): Fabiana Veríssimo

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 0262 ETEC ANHANGUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: CONTABILIDADE DE CUSTOS Eixo tecnológico: GESTÃO E NEGOCIOS

Leia mais

O QUE PENSAM OS ESTUDANTES DA ESCOLA SINHA SABÓIA SOBRE A MATEMÁTICA

O QUE PENSAM OS ESTUDANTES DA ESCOLA SINHA SABÓIA SOBRE A MATEMÁTICA O QUE PENSAM OS ESTUDANTES DA ESCOLA SINHA SABÓIA SOBRE A MATEMÁTICA Camila Sousa Vasconcelos Estudante-Bolsista do PIBID/Matemática/UVA Luana de Sousa Sales Estudante-Bolsista do PIBID/Matemática/UVA

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ITUIUTABA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE ITUIUTABA

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ITUIUTABA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE ITUIUTABA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE REALIZAÇÃO APOIO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE CATEGORIA A 2ª FASE INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA I) Este caderno

Leia mais

APRENDENDO MATEMÁTICA: A ESCOLA E O USO DOS JOGOS

APRENDENDO MATEMÁTICA: A ESCOLA E O USO DOS JOGOS APRENDENDO MATEMÁTICA: A ESCOLA E O USO DOS JOGOS Alaiane Silva da Cunha Mendonça Lai1989paulo@hotmail.com Alzenira de Oliveira Carvalho Escola Prof.ª Berta Vieira de Andrade BVA oliveiraalzenira@hotmail.com

Leia mais

JOGOS NA APREENDIZAGEM DA QUÍMICA: VII MICTI ARAQUARI/2014

JOGOS NA APREENDIZAGEM DA QUÍMICA: VII MICTI ARAQUARI/2014 JOGOS NA APREENDIZAGEM DA QUÍMICA: VII MICTI ARAQUARI/01 Felício¹, Pedro; Baéssa², Victor; Barbosa³, Maria Aparecida Colégio Técnico da Universidade Rural, Seropédica/RJ INTRODUÇÃO Existem vários estudos

Leia mais

Frações. Resumo Iconográfico LEGENDA. Uma hora-aula de 45 minutos. Livro Didático. Conhecimentos adquiridos em aulas passadas. Objeto de Aprendizagem

Frações. Resumo Iconográfico LEGENDA. Uma hora-aula de 45 minutos. Livro Didático. Conhecimentos adquiridos em aulas passadas. Objeto de Aprendizagem Frações Resumo Iconográfico Duração Pré-requisitos Pré-requisitos técnicos Estratégias Avaliação LEGENDA Uma hora-aula de 45 minutos Conhecimentos adquiridos em aulas passadas Conhecimentos de Informática

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAPÁ IFAP CÂMPUS MACAPÁ

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAPÁ IFAP CÂMPUS MACAPÁ 13 específica, de segunda-feira a sexta-feira e aos sábados, caso seja necessário para complementação do período letivo e/ou carga horária curricular. Cada aula tem durafao de 50min (cinquenta minutos),

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de Matemática

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de Matemática Informação - Prova de Equivalência à Frequência de Matemática 2.º Ciclo do Ensino Básico Decreto-Lei nº139 /2012, de 5 de junho, alterado pelo Despacho Normativo n.º1-g/2016 Prova 62 (2016) Duração da

Leia mais

Matemática Maio 2016

Matemática Maio 2016 INFORMAÇÃO Prova Final de Ciclo a Nível de Escola Matemática Maio 2016 Prova 82 2016 3.º Ciclo do Ensino Básico Prova: Escrita O presente documento divulga informação relativa à prova final a nível de

Leia mais

A AULA DEMONSTRATIVA E A AULA PRÁTICA COMO MEIOS DE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA PARA ALUNOS DE ENSINO BÁSICO REALIZADAS POR PIBID DE BIOLOGIA

A AULA DEMONSTRATIVA E A AULA PRÁTICA COMO MEIOS DE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA PARA ALUNOS DE ENSINO BÁSICO REALIZADAS POR PIBID DE BIOLOGIA A AULA DEMONSTRATIVA E A AULA PRÁTICA COMO MEIOS DE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA PARA ALUNOS DE ENSINO BÁSICO REALIZADAS POR PIBID DE BIOLOGIA Vanessa Gomes Silva 1, Aline Bezerra da Silva Santos 2, André

Leia mais

Operações com Números Naturais Multiplicação e Divisão

Operações com Números Naturais Multiplicação e Divisão Operações com Números Naturais Multiplicação e Divisão Resumo Iconográfico Duração Pré-requisitos Pré-requisitos técnicos Estratégias Avaliação LEGENDA Uma hora-aula de 45 minutos Conhecimentos adquiridos

Leia mais

Tatiane Moraes Analista de instrumentos de avaliação

Tatiane Moraes Analista de instrumentos de avaliação Tatiane Moraes Analista de instrumentos de avaliação Tatianemoraes@caed.ufjf.br Objetivo Analisar e interpretar os resultados do SAEPB para (re)planejamento das ações pedagógicas implementadas em sala

Leia mais

GUIA DO PROFESSOR SHOW ATÔMICO

GUIA DO PROFESSOR SHOW ATÔMICO Conteúdos: Tempo: Objetivos: Descrição: Produções Relacionadas: Modelos atômico Uma aula de 50 minutos SHOW ATÔMICO Apresentar a evolução dos modelos atômicos até o aceito atualmente. Filósofos e cientistas

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE A MATEMÁTICA ESCOLAR E A MATEMÁTICA DO COTIDIANO PROFISSIONAL

RELAÇÕES ENTRE A MATEMÁTICA ESCOLAR E A MATEMÁTICA DO COTIDIANO PROFISSIONAL RELAÇÕES ENTRE A MATEMÁTICA ESCOLAR E A MATEMÁTICA DO COTIDIANO PROFISSIONAL 08932243409 Eixo temático: Etnomatemática e as relações entre tendências em educação Matemática. RESUMO: Este trabalho visa

Leia mais

MATEMÁTICA 2016 Prova 82

MATEMÁTICA 2016 Prova 82 INFORMAÇÃO-PROVA FINAL A NÍVEL DE ESCOLA MATEMÁTICA 2016 Prova 82 3º Ciclo do Ensino Básico O presente documento divulga informação relativa à prova final do 3.º Ciclo do Ensino Básico da disciplina de

Leia mais

6º ano 1 o TRIMESTRE

6º ano 1 o TRIMESTRE ESCOLA ESTADUAL DE BOA VISTA E.F. Disciplina: Matemática Curso: Ensino Fundamental Anos: 6º, 7º, 8º e 9º anos Professores: Eliane R. Vicente Ano Letivo: 2012 II JUSTIFICATIVA PLANO DE TRABALHO DOCENTE

Leia mais

PROVINHA BRASIL Orientações para Secretarias de Educação Primeiro Semestre

PROVINHA BRASIL Orientações para Secretarias de Educação Primeiro Semestre PROVINHA BRASIL Orientações para Secretarias de Educação Primeiro Semestre - 2010 INFORME GESTOR teste capa verde.indd 1 13/1/2010 08:40:47 Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação

Leia mais

Critérios de avaliação Geometria Descritiva A 10º/11º

Critérios de avaliação Geometria Descritiva A 10º/11º 1. Finalidades da Disciplina Segundo o programa da disciplina de Geometria Descritiva: http://sitio.dgidc.minedu.pt/recursos/lists/repositrio%20recursos2/attachments/235/geometria_desc_a_10_11.pd f Desenvolver

Leia mais

EXPRESSÕES NUMÉRICAS FRACIONÁRIAS

EXPRESSÕES NUMÉRICAS FRACIONÁRIAS EXPRESSÕES NUMÉRICAS FRACIONÁRIAS Introdução: REGRA DE SINAIS PARA ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO: Sinais iguais: Adicionamos os algarismos e mantemos o sinal. Sinais diferentes: Subtraímos os algarismos e aplicamos

Leia mais

O CONCEITO DE ÁREA E PERÍMETRO DE FIGURAS PLANAS PARA OS ALUNOS DO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

O CONCEITO DE ÁREA E PERÍMETRO DE FIGURAS PLANAS PARA OS ALUNOS DO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL O CONCEITO DE ÁREA E PERÍMETRO DE FIGURAS PLANAS PARA OS ALUNOS DO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Educação Matemática nos Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio (EMAIEFEM) GT10 Erivaldo Gumercindo

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DOS ALUNOS EVADIDOS

ACOMPANHAMENTO DOS ALUNOS EVADIDOS ACOMPANHAMENTO DOS ALUNOS EVADIDOS Flávia de Jesus Medeiros i Discente da Faculdade de Educação e Estudos Sociais de Uberlândia flaviamedeiros97@gmail.com Janaina Silva Reis ii Discente da Faculdade de

Leia mais

5. Objetivo geral (prever a contribuição da disciplina em termos de conhecimento, habilidades e atitudes para a formação do aluno)

5. Objetivo geral (prever a contribuição da disciplina em termos de conhecimento, habilidades e atitudes para a formação do aluno) ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais

PIBID MATEMÁTICA E A CONSTRUÇÃO DE CASINHAS DE JARDIM COM MATERIAIS DE BAIXO CUSTO

PIBID MATEMÁTICA E A CONSTRUÇÃO DE CASINHAS DE JARDIM COM MATERIAIS DE BAIXO CUSTO PIBID MATEMÁTICA E A CONSTRUÇÃO DE CASINHAS DE JARDIM COM MATERIAIS DE BAIXO CUSTO A.P.V. RENGEL 1 ; A. ÁVILA¹; D. D. CHIESA¹; D. BAVARESCO 2 ; G.B.F.DIAS 3, M.CARRARO¹; M. MAITO¹; RESUMO: Inovações no

Leia mais

MÓDULO 2 POTÊNCIA. Capítulos do módulo:

MÓDULO 2 POTÊNCIA. Capítulos do módulo: MÓDULO 2 POTÊNCIA Sabendo que as potências tem grande importância no mundo da lógica matemática, nosso curso terá por objetivo demonstrar onde podemos utilizar esses conceitos no nosso cotidiano e vida

Leia mais

» INTRODUÇÃO. Realização de Provas e Exames JNE/2015 Alunos com Necessidades Educativas Especiais, da

» INTRODUÇÃO. Realização de Provas e Exames JNE/2015 Alunos com Necessidades Educativas Especiais, da INFORMAÇÃO - PROVA FINAL A NÍVEL DE ESCOLA PORTUGUÊS PROVA 51 2015 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)» INTRODUÇÃO Este documento foi construído de acordo com a Informação

Leia mais

Plano de Execução 5º ano Ensino Fundamental I

Plano de Execução 5º ano Ensino Fundamental I Plano de Execução 5º ano Ensino Fundamental I - 2016 Materiais Período de utilização Utilização 01 Estojo contendo: Lápis grafite preto nº 02 Borracha Apontador Lápis de cor 12 cores Conjunto de canetinhas

Leia mais

Professor conteudista: Renato Zanini

Professor conteudista: Renato Zanini Matemática Básica Professor conteudista: Renato Zanini Sumário Matemática Básica Unidade I 1 OS NÚMEROS REAIS: REPRESENTAÇÕES E OPERAÇÕES... EXPRESSÕES LITERAIS E SUAS OPERAÇÕES...6 3 RESOLVENDO EQUAÇÕES...7

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem 3º CICLO MATEMÁTICA 7ºANO TEMAS/DOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ESCOLA DE ENGENHARIAS

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ESCOLA DE ENGENHARIAS 1 Centro Universitário Autônomo do Brasil - UniBrasil COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ESTAGIÁRIO(A): XXXXXXXXXXXXXX RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Relatório Final de Estágio Curricular

Leia mais

Atividade: A matemática das plantas de casas e mapas.

Atividade: A matemática das plantas de casas e mapas. Atividade: A matemática das plantas de casas e mapas. Introdução Nessa atividade será proposto que o aluno escolha um dos passeios: a visita a casa da arquiteta ou um passeio pela cidade com o Pai de Luca.

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 95 aprovado pela portaria Cetec nº 38 de 30/10/2009 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Controle e Processos

Leia mais

O ENSINO DOS CONCEITOS DE MÉDIA, MEDIANA E MODA ATRAVÉS DE UM JOGO DE CARTAS

O ENSINO DOS CONCEITOS DE MÉDIA, MEDIANA E MODA ATRAVÉS DE UM JOGO DE CARTAS O ENSINO DOS CONCEITOS DE MÉDIA, MEDIANA E MODA ATRAVÉS DE UM JOGO DE CARTAS José Marcos Lopes Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho jmlopes@mat.feis.unesp.br Renato Sagiorato Corral Resende

Leia mais

3ª Eduardo e Ana. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade

3ª Eduardo e Ana. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade Matemática 3ª Eduardo e Ana 8 Ano E.F. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade Competência 3 Foco: Espaço e Forma Utilizar o conhecimento geométrico para realizar a leitura e a representação da realidade

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ

CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ ORIGEM DO UNIVERSO, FORMAÇÃO DA VIDA NA TERRA ESTUDANDO FÓSSEIS: O CAMINHO DA EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES 1º semestre de 201 3ª feira, das 13h30 às 17h30 SANTO ANDRÉ

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Filosofia e Ciências Humanas Departamento de Ciências Geográficas

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Filosofia e Ciências Humanas Departamento de Ciências Geográficas SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Filosofia e Ciências Humanas Departamento de Ciências Geográficas CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 42,

Leia mais

Eixo Temático 3-Currículo, Ensino, Aprendizagem e Avaliação

Eixo Temático 3-Currículo, Ensino, Aprendizagem e Avaliação Eixo Temático 3-Currículo, Ensino, Aprendizagem e Avaliação CONCEPÇÕES DOS EDUCANDOS SOBRE A UTILIZAÇÃO DO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA NA ESCOLA PÚBLICA Leandra Tamiris de Oliveira Lira-UFRPE Leonardo Barbosa

Leia mais

130 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

130 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB 130 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II EDITAL Nº 011/2012/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

Caderno de Prova. Professor de Educação Física. Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação

Caderno de Prova. Professor de Educação Física. Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação Concurso Público Edital 00/ http://educa.fepese.org.br Caderno de Prova outubro de outubro das 5 às 8 h h de duração* questões S5

Leia mais

De Olho nas Reações. Apresentação

De Olho nas Reações. Apresentação De Olho nas Reações Apresentação A atividade lúdica De Olho Nas Reações é um jogo de cartas que foi inspirado no jogo conhecido popularmente como Copo d água. Entretanto, várias adaptações nas regras foram

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO GRUPO DISCIPLINAR DE BIOLOGIA E GEOLOGIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A avaliação é uma componente essencial do processo de ensino-aprendizagem e deve ser sistemática e cuidadosa para ser objetiva e rigorosa.

Leia mais

DISSERTATIVA. DSE Supervisor Escolar CADERNO DE PROVA. Instruções. Atenção!

DISSERTATIVA. DSE Supervisor Escolar CADERNO DE PROVA. Instruções. Atenção! CADERNO DE PROVA DISSERTATIVA Prefeitura de Florianópolis Secr. Mun. de Educação/Secr. Mun. da Administração Concurso Público Edital n o 009/05 http://educa05.fepese.org.br Instruções Confira o número

Leia mais

Este documento dá a conhecer os seguintes aspetos relativos à Prova Final a Nível de Escola:

Este documento dá a conhecer os seguintes aspetos relativos à Prova Final a Nível de Escola: 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da Prova Final a Nível de Escola, nos termos das orientações gerais das condições especiais na realização de provas finais de ciclo para

Leia mais

Por exemplo, calcular 30% de Ora, 30% = = 0,3. Portanto, é só fazer a multiplicação ,3. O resultado é 975. Suponha que Osvaldo tem na cade

Por exemplo, calcular 30% de Ora, 30% = = 0,3. Portanto, é só fazer a multiplicação ,3. O resultado é 975. Suponha que Osvaldo tem na cade MATEMÁTICA FINANCEIRA AULA 01: PORCENTAGEM TÓPICO 02: CÁLCULO DE PORCENTAGEM Suponha que uma loja de tecidos pague 5% de comissão sobre o total de vendas. Se o vendedor Joaquim num determinado mês vendeu

Leia mais

Criando a matemática com o Stop Motion

Criando a matemática com o Stop Motion Criando a matemática com o Stop Motion E. E. Oswaldo Aranha Sala 3 / Sessão 1 Professor(es) Apresentador(es): Professora Conceição Rebucci Manno e Professora Sheila Jane Sulzbeck. Realização: Foco As Disciplinas

Leia mais

1 EMENTA 2 OBJETIVOS DO COMPONENTE CURRICULAR 3 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. Cálculo e Raios e comprimentos Plano cartesiano Análise de gráficos

1 EMENTA 2 OBJETIVOS DO COMPONENTE CURRICULAR 3 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. Cálculo e Raios e comprimentos Plano cartesiano Análise de gráficos PLANO DE ENSINO Disciplina Fundamentos de Matemática Código Docente Daniela Macêdo Damaceno Pinheiro Semestre I/2013.1 Carga horária 80h 1 EMENTA Frações Produtos notáveis Funções, equações e inequações

Leia mais

A velha história das multidões. Série Matemática na Escola

A velha história das multidões. Série Matemática na Escola A velha história das multidões Série Matemática na Escola Objetivos 1. Revelar como é feita a estimativa do número de pessoas em um evento 2. Mostrar como cálculos matemáticos simples nos auxiliam a confrontar

Leia mais

Análise dos descritores da APR II 4ª série/5º ano Matemática

Análise dos descritores da APR II 4ª série/5º ano Matemática Análise dos descritores da APR II 4ª série/5º ano Matemática D10 Num problema, estabelecer trocas entre cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro, em função de seus valores. O que é? Por meio deste

Leia mais

Plano de Execução 3º ano Ensino Fundamental I

Plano de Execução 3º ano Ensino Fundamental I Plano de Execução 3º ano Ensino Fundamental I - 2016 Materiais Período de utilização Utilização 01 Estojo contendo: Lápis grafite preto nº 02 Borracha Apontador Lápis de cor 12 cores Conjunto de canetinhas

Leia mais

Informação Prova Final de Matemática a Nível de Escola

Informação Prova Final de Matemática a Nível de Escola Escola Secundária de Paços de Ferreira Prova Final de Exame a Nível de Escola do Terceiro Ciclo Informação Prova Final de Matemática a Nível de Escola Prova 82 2016 3.º Ciclo do Ensino Básico O presente

Leia mais

Aula 02 Introdução à Lógica. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes

Aula 02 Introdução à Lógica. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes Aula 02 Introdução à Lógica Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes Agenda da Aula Conceitos Iniciais sobre Lógica; Argumento; Inferência; Princípios. Contextualização: Situação

Leia mais

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Domínios e subdomínios Metas/Objetivos Objetivos gerais 3º Ciclo Matemática 7º Ano Conteúdos Programáticos Critérios de Avaliação Instrumentos de Avaliação Números e Operações: Números racionais Álgebra:

Leia mais

Jacques Therrien, UFC/UECE

Jacques Therrien, UFC/UECE Jacques Therrien, UFC/UECE ALGUNS PRINCÍPIOS QUE FUNDAMENTAM PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAR: É O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO E DE RECONSTRUÇÃO CRIATIVA DE SI E DO MUNDO SOCIAL ONDE CONVIVEMOS É

Leia mais

NOTA EXPLICATIVA ENEM 2015 POR ESCOLA

NOTA EXPLICATIVA ENEM 2015 POR ESCOLA NOTA EXPLICATIVA ENEM 2015 POR ESCOLA 1 - RESULTADOS DO ENEM 2015 AGREGADOS POR ESCOLA Os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) auxiliam estudantes, pais, professores, diretores das escolas

Leia mais

MULTILETRAMENTOS EM ESCOLAS PÚBLICAS: UMA ALTERNATIVA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL INTRODUÇÃO

MULTILETRAMENTOS EM ESCOLAS PÚBLICAS: UMA ALTERNATIVA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL INTRODUÇÃO MULTILETRAMENTOS EM ESCOLAS PÚBLICAS: UMA ALTERNATIVA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL Alex Junior Bilhoto Faria 1, Yuka Garcia Kinoshita 2, Winnie Mandela de Paula Raimundo 3 Karina Oliveira Silva 4 Marieli

Leia mais

SISTEMA DE NUMERAÇÃO NA FORMAÇÃO DO ALUNO UTILIZANDO MATERIAL CONCRETO

SISTEMA DE NUMERAÇÃO NA FORMAÇÃO DO ALUNO UTILIZANDO MATERIAL CONCRETO 1 SISTEMA DE NUMERAÇÃO NA FORMAÇÃO DO ALUNO UTILIZANDO MATERIAL CONCRETO Ariana Oliveira Gomes - ariana_emanuelle@hotmail.com-uesb Christiano Santos Lima Dias - khristiano_dias@hotmail.com-uesb Evaneila

Leia mais

Pensando por este lado, o trabalho tem objetivo principal de contribuir na formação desses alunos de uma forma que chame mais a atenção e lhe traga

Pensando por este lado, o trabalho tem objetivo principal de contribuir na formação desses alunos de uma forma que chame mais a atenção e lhe traga O USO DE APLICATIVOS COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA ENSINO DE GEOGRAFIA Alex Lourenço dos Santos Odelfa Rosa Universidade Federal de Goiás/Regional Catalão alexlourenco1@hotmail.com rosaodelfa@gmail.com

Leia mais

Titulo: O respeito em sala de aula: relato de intervenção em um sétimo ano de escola pública

Titulo: O respeito em sala de aula: relato de intervenção em um sétimo ano de escola pública 1 Titulo: O respeito em sala de aula: relato de intervenção em um sétimo ano de escola pública Autores: Nathalia Tayaná dos Santos Souza, UNISAL, nathtdss@gmail.com João Moreira de Paula Neto, UNISAL,

Leia mais

Disciplina Química: Relato da Importância das Aulas de Apoio no Ensino Médio

Disciplina Química: Relato da Importância das Aulas de Apoio no Ensino Médio Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto de Química Colégio Estadual Olinto da Gama Botelho Disciplina Química: Relato da Importância das Aulas de Apoio no Ensino Médio Licenciandos: Leyza Buarque

Leia mais

ESTUDOS INICIAIS DE LETRAMENTO DO BLOG QUIPIBID

ESTUDOS INICIAIS DE LETRAMENTO DO BLOG QUIPIBID IV Seminário da Pós-Graduação em Educação para Ciências e Matemática Práticas Pedagógicas para Inclusão e Diversidade Jataí - GO - 03 a 08 de outubro de 2016 ESTUDOS INICIAIS DE LETRAMENTO DO BLOG QUIPIBID

Leia mais

Vinte um divisores naturais. Série Problemas e soluções

Vinte um divisores naturais. Série Problemas e soluções Vinte um divisores naturais Série Problemas e soluções Objetivo 1. Entender e resolver um problema que envolve números primos e a fatoração de números naturais. Vinte e um divisores naturais Série Problemas

Leia mais

Organização do professor presencial para as atividades do dia. Acolhida do professor presencial e Vivência das Equipes INÍCIO DA TRANSMISSÃO

Organização do professor presencial para as atividades do dia. Acolhida do professor presencial e Vivência das Equipes INÍCIO DA TRANSMISSÃO EJA 4ª etapa Mediação Tecnológica / Ano Letivo: 2014 Componente Curricular: Matemática Professores do Estúdio: Carlos Alberto Batista Bastos e Ageu Pedro de Souza Carga Horária: 200 horas/aula Data: 04/06/2014

Leia mais

Compreender o que é Estrutura Geológica, identificar as camadas internas da Terra e atentar para a história e formação dos continentes (Pangeia).

Compreender o que é Estrutura Geológica, identificar as camadas internas da Terra e atentar para a história e formação dos continentes (Pangeia). UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES. DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID) I. Plano de Aula: Produto

Leia mais

Aulas Previstas. Objectivos Conteúdos Estratégias/Actividades Recursos Avaliação

Aulas Previstas. Objectivos Conteúdos Estratégias/Actividades Recursos Avaliação Escola E.B. 2.3 de Pedro de Santarém PLANIFICAÇÃO ANUAL MATEMÁTICA 5º ANO 2010/2011 Objectivos Conteúdos Estratégias/Actividades Recursos Avaliação Aulas Previstas Preparar e organizar o trabalho a realizar

Leia mais

SAEB / Prova Brasil Metodologia, Estratégias e Resultados Matrizes, Itens, Escala e Materiais

SAEB / Prova Brasil Metodologia, Estratégias e Resultados Matrizes, Itens, Escala e Materiais Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira SAEB / Prova Brasil Metodologia, Estratégias e Resultados Matrizes, Itens, Escala e Materiais SAEB - Metodologia

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE, CURSO E COORDENADOR DE CURSO GRADUAÇÃO PRESENCIAL REGIME QUADRIMESTRAL

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE, CURSO E COORDENADOR DE CURSO GRADUAÇÃO PRESENCIAL REGIME QUADRIMESTRAL RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE, CURSO E COORDENADOR DE CURSO GRADUAÇÃO PRESENCIAL REGIME QUADRIMESTRAL MÓDULO B 2015 CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER COMISSÃO PRÓPRIA DE

Leia mais

Probabilidade e Estatística I Antonio Roque Aula 2. Tabelas e Diagramas de Freqüência

Probabilidade e Estatística I Antonio Roque Aula 2. Tabelas e Diagramas de Freqüência Tabelas e Diagramas de Freqüência Probabilidade e Estatística I Antonio Roque Aula 2 O primeiro passo na análise e interpretação dos dados de uma amostra consiste na descrição (apresentação) dos dados

Leia mais