TRABALHO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA PROJETADO PARA A EMPRESA MOSER DEFUMADOS ME

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TRABALHO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA PROJETADO PARA A EMPRESA MOSER DEFUMADOS ME"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ JONATHAS DUARTE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA PROJETADO PARA A EMPRESA MOSER DEFUMADOS ME ITAJAÍ 2014

2 JONATHAS DUARTE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA PROJETADO PARA A EMPRESA MOSER DEFUMADOS ME Trabalho de Conclusão de Estágio desenvolvido para o Estágio Supervisionado do Curso de Administração do Centro de Ciências Sociais Aplicadas Gestão da Universidade do Vale do Itajaí. Orientador: Prof. Anacleto Laurino Pinto ITAJAÍ 2014

3 Agradecimentos, Agradeço a todos que contribuíram, de alguma forma, para a realização deste trabalho, em especial aos meus pais Cesar e Adriane, à minha mulher Ariadne e ao professor orientador Anacleto.

4 3 A bandeira são somente cores E os nossos valores você não sentiu Isso é Brasil, isso é Brasil (Mc garden).

5 EQUIPE TÉCNICA a) Nome do estagiário Jonathas Duarte b) Área de estágio Administração financeira c) Orientador de conteúdo Prof. Anacleto Laurino Pinto d) Supervisor de campo Amanda Moser e) Responsável pelo Estágio Prof. Eduardo Krieger da Silva.

6 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO a) Razão Social Moser Defumados ME b) Endereço Rua: Jose Lopes, bairro Cordeiro, Itajaí, Santa Catarina. c) Setor de Desenvolvimento do Estágio Financeiro d) Duração do estágio 240 horas e) Nome e cargo do supervisor de campo Amanda Moser Gerente-Administrativa f) Carimbo e visto da organização

7 RESUMO Nos dias de hoje se faz necessário ter dentro das organizações um processo de controle financeiro. Por conta disso, e a complexidade da expansão e competitividade dos mercados, verifica-se uma grande necessidade das empresas em buscarem ferramentas que auxiliem no planejamento e controle de seus recursos. O fluxo de caixa é uma ferramenta de gestão que assume um papel fundamental na gestão financeira da empresa, através dele controlam-se as movimentações de caixa, podendo assim posteriormente projetar o caixa. Desta forma é possível prever estimativas da situação futura da empresa, possibilitando à empresa planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar os recursos financeiros. Este trabalho teve como objetivo elaborar o fluxo de caixa projetado apara a empresa Moser ME Defumados, possibilitando um controle eficaz das entradas e saídas de recursos financeiros da empresa e demonstrar a importância de um controle rígido sobre as finanças. Para o levantamento dos dados foram utilizados tabelas para controle das movimentações financeiras, correspondentes aos meses de junho a dezembro de 2013, os quais formam base para a projeção do fluxo de caixa referente ao período de julho a dezembro de 2014, sendo que as tabelas foram analisadas qualitativamente para um melhor entendimento. A tipologia de pesquisa utilizada foi a proposição de planos. No início da pesquisa a empresa não possuía nenhuma ferramenta de gestão, essas ferramentas são de suma importância para empresas de todos os portes e principalmente para o crescimento de empresas de pequeno porte, por conseguirem analisar o futuro da empresa e tomar decisões com antecedências. O resultado final da pesquisa apontou que a empresa em questão, terá no segundo semestre de 2014 uma vida financeira saudável, uma vez que haverá excedentes de caixa em todos os meses, podendo analisar o melhor investimento para os excedentes. Esta análise, além de auxiliar o gestor da empresa em suas futuras tomadas de decisão, permite visualizar os resultados dos processos da empresa como um todo. Palavras-chave: Gestão financeira; fluxo de caixa projetado; entradas e saídas de caixa; controle.

8 LISTAS DE TABELAS Tabela 1 Modelo de fluxo de caixa 32 Tabela 2 Modelo de mapa auxiliar de recebimento das vendas a prazo 33 Tabela 3 Modelo de mapa auxiliar de pagamentos das compras a prazo 34 Tabela 4 Combinações entre prazo de cobertura e período de informação 38 Tabela 5 Relatório dos eventos que provocam ingressos e desembolsos de caixa 49 Tabela 6 Projeção dos eventos que provocam ingressos e desembolsos de caixa 51 Tabela 7 Mapa auxiliar de entradas de caixa a prazo 53 Tabela 8 Mapa auxiliar de saída de caixa a prazo 54 Tabela 9 Fluxo de caixa projetado para o segundo semestre de

9 8 LISTAS DE GRÁFICOS GRÁFICO 1 Comparação entre os recebimentos à vista e recebimentos a prazo 61 GRÁFICO 2 Comparação sobre o total de entradas e pagamentos a prazo aos fornecedores 62 GRÁFICO 3 Demonstrativo em porcentagem dos pagamentos a fornecedores a prazo em relação ao total de entradas 63 GRÁFICO 4 Caixa líquido gerado pelas atividades operacionais no segundo semestre de GRÁFICO 5 Aumento/diminuição líquido nas disponibilidades dos segundo semestre de GRÁFICO 6 Aplicações financeiras dos excedentes de caixa no segundo semestre de

10 9 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO Objetivo geral Objetivos específicos Justificativa da realização do estudo Aspectos metodológicos Técnicas de coleta e análise dos dados FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Empresa familiar Administração Funções da administração Planejar Organizar Dirigir Controlar Administração financeira Orçamento de caixa Fluxo de caixa projetado Objetivo do fluxo de caixa Finalidades do fluxo de caixa Descrição dos itens do fluxo de caixa Alterações nos saldos de caixa Transações que não afetam o caixa Causas de faltas de recursos Modelo de fluxo de caixa Mapas auxiliares Contas a receber Contas a pagar Análise e controle do fluxo de caixa Requisitos para implantação do fluxo de caixa Prazos para planejamento do fluxo de caixa... 38

11 Requisitos para uma administração de caixa eficiente Capital de giro Administração do capital de giro Análise da necessidade de capital de giro Fontes de financiamento Regime de competência e regime de caixa CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA Histórico Ramo de atividade Estrutura organizacional Visão Missão Mercados RESULTADOS DA PESQUISA Resultados obtidos Projeção dos resultados obtidos Mapas auxiliares Mapas auxiliares de entradas de caixa Mapas auxiliares de saída de caixa Fluxo de caixa projetado SUGESTÕES PARA A ORGANIZAÇÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS ASSINATURA DOS RESPONSÁVEIS... 77

12 11 1 INTRODUÇÃO A origem dos produtos defumados está relacionada ao tempo em que o homem sentiu a necessidade de conservar a carne por longos períodos de tempo. Descobriu dessa forma dois métodos, a salga e a defumação. A região do Vale de Itajaí é uma das maiores produtoras de defumados do estado. O atual cenário econômico representa grande instabilidade para as organizações, em geral para as pequenas e médias empresas. Entretanto, conquistar novos clientes não é o suficiente. A empresa precisa ser organizada financeiramente para adquirir vantagem competitiva. De acordo com o Sebrae (2008), um dos principais motivos que levam as empresas à falência é a falta de controle de custos, além da ausência de outros controles internos relacionados à capacidade de gerenciamento. Por isso é importante que as organizações possuam um fluxo de caixa, uma ferramenta financeira que auxilia o administrador a controlar receitas e despesas e, consequentemente, tomar decisões mais precisas. Neste contexto, destaca-se o fluxo de caixa projetado, considerado um dos principais instrumentos de análise de uma empresa, proporciona ao administrador uma visão dos recursos financeiros da organização, visto que ao planejar suas finanças, a organização se torna mais preparada para possíveis crises no futuro, consegue taxas de juros menores em caso de necessidade de empréstimos e garante disponibilidade de caixa para investimentos rentáveis. A Moser Defumando ME é uma microempresa que atua no comércio atacadista de defumados e embutidos. Há 25 anos no mercado, é referência no setor na região de Itajaí e cidades vizinhas. Mesmo sendo uma empresa reconhecida pela qualidade dos produtos, e já estando há certo tempo no mercado, a Moser Defumados enfrenta problemas para administrar o seus recursos financeiros, já que não possuía, até o início do presente estudo, um controle adequado das entradas e saídas de caixa. A falta de um fluxo de caixa projetado na empresa promove dificuldade para que sejam honrados seus compromissos financeiros, além de impossibilitar a visualização dos excedentes de caixa, que podem ser investidos e gerar retorno para a empresa.

13 12 Visando contribuir com os gestores da empresa objeto de estudo, foi desenvolvido o fluxo de caixa projetado para o período de julho a dezembro de 2014, tendo como base os eventos que provocam entradas e saídas de caixa, correspondentes aos meses de junho a dezembro de Objetivo geral Este estudo teve como objetivo geral elaborar o fluxo de caixa projetado para a empresa Moser Defumados ME. Segundo Roesch (2009, p. 96), objetivo geral define o propósito do trabalho. O objetivo geral é, portanto, o escopo principal do trabalho, que irá nortear todo o desenvolvimento do estudo. 1.2 Objetivos específicos Os objetivos específicos determinam os caminhos a serem percorridos para se alcançar o objetivo geral. Segundo Roesch (2012, p.97), os objetivos específicos operacionalizam especificam o modo como se pretende atingir um objetivo geral. Assim, para os propósitos desse estudo foram definidos os seguintes objetivos específicos: analisar a atual rotina administrativa de caixa da empresa; organizar documentos para o controle das entradas e saídas de caixa; identificar eventos relacionados às entradas e saídas de caixa; identificar a política adotada em relação aos prazos de recebimento das vendas, bem como para pagamento de fornecedores; verificar a expectativa de comportamento da receita para o período

14 13 de projeção do fluxo de caixa; analisar o material coletado para a formação do fluxo de caixa; projetar o fluxo de caixa. 1.3 Justificativa da realização do estudo Com a alta competitividade, as empresas estão tornando-se cada dia mais conscientes em matéria de organização. Hoje, é indispensável que se gerencie com competência todos os recursos financeiros disponíveis na empresa. O fluxo de caixa é uma das ferramentas indispensáveis à boa gestão das organizações, de acordo com Maximiano (1995, p 85), todo problema exige uma decisão para ser resolvida, mas as decisões nem sempre nascem de problemas. Muitas decisões originam-se de oportunidades, objetivos e interesses. Neste contexto, definiu-se o problema de pesquisa deste trabalho: Qual a importância do fluxo de caixa projetado na gestão dos recursos financeiros da empresa? A inexistência de um fluxo de caixa na organização resultava em decisões tomadas aleatoriamente. Este estudo auxiliará a empresa a conhecer de forma detalhada as entradas e saídas dos recursos financeiros, contribuindo para melhorar o processo de decisão do empreendedor e aumentar a vantagem competitiva da organização. As operações financeiras devem ser acompanhadas cuidadosamente, pois qualquer deficiência no planejamento e controle destas operações pode causar grandes transtornos e prejuízos para a organização. O trabalho foi viável, uma vez que o acadêmico teve acesso aos dados necessários, o empresário teve interesse no desenvolvimento do trabalho e se comprometeu em fornecer as informações. Também foi viável em relação ao tempo de elaboração, visto que o acadêmico dispôs de tempo para cumprir as etapas do estudo.

15 14 O trabalho é original, pois nunca foi implantado um fluxo de caixa projetado na empresa objeto de estudo. Os custos do trabalho foram suportados pelo acadêmico, com auxílio do proprietário. A pesquisa também proporcionou ao acadêmico a oportunidade de colocar em prática os conhecimentos adquiridos na universidade e contribuiu para o desenvolvimento da empresa. Para a universidade, o trabalho agregará valor, produzindo conhecimento para a área de Administração e aproximando a universidade das microempresas. 1.4 Aspectos metodológicos Neste item são abordados os aspectos metodológicos, a partir dos quais o trabalho de estágio foi desenvolvido, especificando como a pesquisa se caracterizou, como ocorrereu a coleta de dados e como foram analisados os mesmo. Segundo Roesch (2006), na tipologia do trabalho de estágio: a preocupação é eminentemente com projetos orientados para resolver problemas específicos nas organizações. Por esta razão, a caracterização da pesquisa com melhor adaptação para o fluxo de caixa à empresa foi a proposição de planos, que está diretamente associada aos procedimentos utilizados para se coletar e analisar as informações captadas. A escolha dos métodos e técnicas a serem utilizados está ligada ao problema estudado e dependerá de elementos como recursos financeiros, humanos e do próprio objeto de pesquisa (MARCONI; LAKATOS, 1999). Na Proposição de Planos são apresentadas soluções para problemas já identificados pela organização, não se caracterizando pela pesquisa, mas sim pela aplicação ou adaptação destas soluções. O método adotado pelo acadêmico para a realização deste estudo foi qualitativo com aporte quantitativo. Segundo Richardson (1999), os estudo que empregam uma metodologia qualitativa onde se pode descrever a complexidade de determinado problema, analisar a interação de certas variáveis, compreender e

16 15 classificar processos dinâmicos vividos por grupos, sócios, e contribuir no processo de mudanças de determinado grupo. As pesquisas qualitativas de campo exploram particularmente as técnicas de observação e entrevista, devido à propriedade com que estes instrumentos penetram na complexidade de um problema (RICHARDSON, 1999). Após toda essa abordagem já citada, foi realizado um levantamento, no qual se demonstrou aos gestores da microempresa Moser Defumado ME, a situação financeira da mesma, para assim, poderem analisar e realizar previsões futuras. 1.5 Técnicas de coleta e análise dos dados A análise de dados é a etapa final de um processo de investigação científica. Nesta etapa o pesquisador procura compreender o objetivo de estudo. Os dados utilizados nesta pesquisa tiveram fontes primárias e secundárias. Segundo Richardson (1999, p. 253), uma fonte primária é aquela que teve uma relação física direta com os fatos analisados, existindo um relato ou registro da experiência vivenciada. Define-se dados secundários como aqueles que, por alguns motivos, já foram obtidos com outros fins, servem como análise para comparar a interpretação do momento na organização (ROESCH, 1996, p.140). Para a coleta de dados, foram utilizados documentos da organização, por meio de fontes primárias e secundárias. Elas são as amostra de atividades, que são muito aplicadas ao trabalho e ao gerenciamento de operações, as observações são realizadas em intervalos regulares e dirigem-se aos indivíduos na situação de trabalho ou processo de trabalho. Os documentos foram coletados, analisados e lançados no fluxo de caixa que foi criado para a empresa, juntamente com a análise do administrador responsável. Os dados coletados foram tabulados em planilhas Word / Excel, mês a mês, observando-se o regime de competência em que eventos financeiros (entradas e saídas de caixa) ocorreram.

17 16 Após a tabulação, os dados foram atualizados monetariamente de acordo com as perspectivas do índice de inflação previsto para o período. Em relação aos montantes correspondentes às compras, vendas e tributos, além de terem sido atualizados monetariamente, foram acrescidos do percentual de crescimento previsto no faturamento para o segundo semestre de 2014, na visão do proprietário da empresa objeto de estudo. Após estes procedimentos, foram desenvolvidos mapas auxiliares de entradas e saídas de caixa com a intenção de identificar em que períodos os valores referentes às vendas e compras a prazo afetarão efetivamente o fluxo de caixa. Finalmente, com base nos dados projetados, devidamente atualizados monetariamente, e mapas auxiliares foi elaborado o fluxo de caixa para o período de julho a dezembro de 2014.

18 17 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Neste capítulo são abordados os fundamentos científicos com o objetivo de proporcionar a validade teórica do estudo, através da revisão bibliográfica de vários autores que constituirão o conjunto de conhecimento envolvido no presente trabalho. Dessa forma, foram contemplados os seguintes temas: administração geral, administração financeira, tópicos pontuais relacionados ao fluxo de caixa, planejamento, projetos organizacionais, tipologias e metodologias para desenvolvimento do estudo. 2.1 Empresa familiar A imagem que a maioria das pessoas faz de uma empresa familiar é de um negócio pequeno e administrado apenas pelos parentes, muitas vezes fadado ao insucesso e sem possibilidade de crescimento profissional para os que não são membros da família. É uma imagem distorcida da realidade Segundo Bernhoeft (1989, p, 35), a empresa familiar é aquela que tem sua origem e história vinculada a uma família; ou ainda, aquela que mantém membro da família administrando os negócios. Dentro de uma empresa familiar é possível encontrar e observar várias características que não envolvem somente o vínculo familiar, mais sim, de que maneira ou estilo a empresa é administrada. Dentre as características que tornam uma empresa familiar, uma das mais relevantes refere-se à importância que desempenha confiança mútua entre os funcionários, a partir deste dado, a visão de empresa familiar necessita ser revista, pois se pode dizer que a confiança mútua independe dos vínculos familiares. Moreira Junior e Bortoli Neto (2007, p.04) afirmam que os problemas que dificultam a sobrevivência das empresas familiares são variados, mas normalmente estão relacionados a conflitos familiares, sucessão e profissionalização.

19 18 A profissionalização é fundamental para o desenvolvimento da empresa familiar. Podem-se manter os membros da família mais aptos para desenvolverem suas atividades na empresa, mas é importante contratar funcionários competentes também, para mesclar a força de trabalho. Esta medida mitiga os efeitos da pressão familiar. 2.2 Administração A história mostra que a administração recebeu grande influência de diversas áreas do conhecimento humano, entre elas, pode-se citar a expressiva contribuição da filosofia. Chiavenato (1997, p.50) relata em seu livro uma afirmação de Sócrates (470 A.C 399 A.C), que a administração é uma habilidade pessoal separada do conhecimento técnico e da experiência. Cabe destacar outras contribuições importantes como a de Platão, com o seu ponto de vista sobre a democracia e administração dos negócios públicos; e a de Aristóteles, que estudou a organização do Estado e relata três tipos de administração pública: Monarquia, Aristocracia e Democracia. Outras áreas de conhecimento também influenciaram a ciência da administração e dessa forma a compreensão e o entendimento acerca do tema evoluiu com o passar dos anos. O órgão se define pela contribuição que prestam, é a administração que permite à respectiva organização presta sua cooperação. De acordo com Daft (2005, p. 05), administração é o alcance de metas organizacionais de maneira eficaz e eficiente por meio de planejamento, organização, liderança e controle dos recursos organizacionais. Atualmente os administradores ajustam todas as teorias na gestão das empresas, uma vez que todos os elementos são fundamentais para que a organização prospere e se destaque no mercado competitivo. A importância da Administração fica evidente em todos os níveis. Todos os componentes da organização devem compreender quais os objetivos buscados e

20 como isso será feito, realizando todas as tarefas com excelência, para que a empresa cresça e se desenvolva Funções da administração Apesar das constantes mudanças na ciência da Administração, suas funções básicas continuam as mesmas, que são: Planejar; Organizar; Dirigir; Controlar. A seguir descrevem-se cada uma utilizando os conceitos de Maximiano (2004); Stoner e Freeman (1999); Chiavenato (2000); Pires e Gaspar (1981); Kanaane (1995); Mintzberg (2001) e Oliveira (2002) Planejar Planejar é ao mesmo tempo um processo, uma habilidade e uma atitude. Assim, com o contrário de eficiência é desperdício, o contrário de planejamento é improvisação. Conforme menciona Maximiano (2004), o processo de planejar é a ferramenta para administrar as relações com o futuro, é uma aplicação especifica do processo de tomar decisões, e de alguma forma, as decisões procuram influenciar o futuro. Planejar é articular, coordenar atividades e resultados. Para isto são necessários procedimentos formalizados, padronizados e sistematizados durante a formulação de um plano estratégico, dos objetivos e das metas a serem alcançadas. Por outro lado, a organização deve acompanhar de perto a evolução do ambiente externo e exercer controle sobre o seu ambiente interno (MINTZBERG, 2001). Ainda sobre o processo de planejamento, Oliveira (2002) afirma que o planejamento pressupõe a necessidade de um processo decisório, que ocorrerá antes, durante e depois da sua elaboração e implementação na empresa. Portanto, é o planejamento que serve de guia em todas as decisões a serem tomadas na empresa.

21 Organizar Para que sejam atingidos os objetivos da organização, cabe a função de organização a tarefa de determinar e enumerar as atividades necessárias para tal. Esta função envolve a designação de tais atividades a um administrador, a delegação de autoridade e a provisão para coordenação de relações de atividades na estrutura da organização. Chiavenato (2000) descreve que organizar é priorizar as atividades e os equipamentos conforme sua importância, com o objetivo de se alcançar a eficácia do planejado. Pires e Gaspar (1981) definem organizar como agrupar atividades formando uma estrutura, sendo esta a forma ou maneira pela qual as atividades se apresentam. Podem ser Formais ou Informais, conforme a existência ou não de propósitos deliberados de organizar. Entende-se por organização de uma empresa a ordenação e o agrupamento de atividades e recursos, objetivando-se alcançar os objetivos os resultados preestabelecidos. Tratar-se de um processo de definir e dividir o trabalho e os recursos necessários para realizar os objetivos, um modelo pelo qual se organiza um sistema, implicando na atribuição de responsabilidades e autoridades a pessoas e grupos. Em outras palavras, é um conjunto de pessoas que trabalham juntas numa divisão de tarefas para atingir um objetivo comum Dirigir A direção é considerada uma missão de comando que consiste em fazer funcionar o corpo social da empresa ou instituição através de ordens. Diz respeito a dar ordens para que sejam executadas e se atinjam os objetivos colimados pela entidade. Sendo assim, o comando pode ser visto como a função administrativa de operar, dirigir uma empresa ou setor, na medida em que realiza algo, pois o comando detém o poder, sendo que a cooperação dos subordinados deve ser obtida consoante clara definição das tarefas e das responsabilidades.

22 21 De acordo com Maximiano (2004), direção é a função administrativa que se refere às relações interpessoais dos administradores e seus subordinados. Para que o planejamento e a organização sejam eficazes, eles precisam ser dinamizados pela orientação a ser dada às pessoas por meio de uma adequada comunicação e habilidade de liderança e de motivação. Segundo Moura (1986), a liderança dentro de qualquer organização é importantíssima, uma vez que é através dela, do trabalho do líder, que a organização irá melhorar no mercado globalizado e altamente competitivo. O autor supracitado define líder como uma pessoa que possui capacidade de influenciar um grupo de pessoas de maneira não coercitiva, utilizando-se do poder de seu cargo de chefia na organização, medindo seus atos e decisões que poderão afetar toda a equipe de trabalho, que deve por ele ser valorizada Controlar Esta função tem como principal tarefa verificar se tudo está saindo de acordo com o planejado, deve medir o desempenho. Em caso de desvio corrigi-los e assegurar a execução dos planos. Segundo Chiavenato (2000), a tarefa de controlar é dizer se o que foi planejado está sendo executado, com o objetivo de não se desviar da atividade fim, antes prevista. A partir dessa definição observou-se que o controle tem início no ponto em que o planejamento termina. Na visão de Stoner e Freeman (1999), o controle gerencial é um esforço sistemático de ajustar padrões de desempenho com objetivos de planejamento, projetar sistemas de feedback de informação, comparar o desempenho presente com estes padrões preestabelecidos, determinar se existem desvios e medir sua importância em iniciar qualquer ação necessária para garantir que todos os recursos da empresa estejam sendo usados do modo mais eficaz e eficiente possível para o alcance dos projetos da empresa.

23 Administração financeira A área financeira de uma empresa é de suma importância, por ela passam os reflexos de todo o fluxo de atividades desempenhadas nas demais áreas. Por outro lado, os seus resultados acabam afetando todo o comportamento estratégico e operacional da organização. A área de finanças pode ser considera um espelho, por refletir o comportamento das outras áreas. Segundo Zdanowicz (1998), o administrado financeiro procura conciliar a manutenção da liquidez e do capital de giro da empresa, para que esta possa honrar com as suas obrigações assumidas perante terceiros na data do vencimento, bem como a maximização dos lucros sobre os investimentos realizados pelos proprietários. Para Braga (1989), á meta da administração financeira é a maximização da riqueza dos acionistas, que constitui algo mais amplo e profundo do que a maximização dos lucros. O autor destaca que existem alguns aspectos relacionados com esta maximização das riquezas. O primeiro aspecto é a perspectiva de longo prazo, que revela que a empresa realiza investimentos que podem prejudicar seus resultados no presente, mas que trarão benefícios de longo prazo. O segundo aspecto é o valor do dinheiro no tempo. Os investimentos requerem desembolsos, e algumas técnicas permitem transformar fluxos de caixa futuros em valores atuais. O investidor pode então verificar se o investimento valerá à pena e se o valor de mercado da empresa aumentará ou ao menos permanecerá o mesmo. Outro aspecto é o retorno do capital próprio, no qual se explica que a Administração Financeira deve atender às expectativas dos acionistas de serem remunerados com dividendos e valorização de suas ações. O quarto aspecto, denominado risco, relaciona risco e retorno (quanto maior o retorno esperado, maiores os riscos). Por último, os dividendos mostram que os acionistas esperam receber dividendos independentemente das variações nos lucros, portanto, deve-se adotar uma política de distribuição regular de dividendos.

24 23 O administrador financeiro enfatiza entradas e saídas de caixa, que formam o Fluxo de Caixa. Ele mantém a solvência da empresa, analisando e planejando o fluxo de caixa para satisfazer as obrigações e adquirir os ativos necessários ao cumprimento dos objetivos da empresa (GITMAN, 2002, p. 12). A função financeira compreende um conjunto de atividades relacionadas à gestão dos fundos movimentados por todas as áreas da empresa, onde esta função é responsável pela obtenção dos recursos necessários e pela formulação de uma estratégia voltada para a otimização do uso desses fundos. O fluxo de caixa, um importante instrumento de controle e planejamento financeiro, será abordado nos próximos tópicos. A meta da administração financeira coincide com o objetivo básico dos proprietários ou acionista, suas decisões são orientadas para o aumento do valor de mercado da empresa, sendo que todas as suas atividades envolvem recursos e orientam-se para a obtenção de lucros (BRAGA, 1989). 2.5 Orçamento de caixa O setor financeiro de uma empresa é um dos pontos mais importantes para a organização. Todas as entrada e saídas de numerários decorrentes de transações realizadas entes e durante o período orçamentário são reunidos no orçamento de caixa, evidenciando os superávits e déficits mensais (BRAGA, 1989, p.238). As principais características do orçamento de caixa, segundo Zdanowicz (1998), são: flexibilidade na aplicação, considerando as frequentes flutuações da economia, o orçamento de caixa não pode ser considerado uma peça estática dentro do orçamento da empresa. Onde deverá ser adaptado às novas situações econômico-financeiras da empresa para o período seguinte, em função do seu controle. Projeção para o futuro, a partir da situação liquidez e capital de giro da empresa, o orçamento de caixa consiste na projeção do nível desejado de caixa, em função do atual para o futuro.

25 24 Participação direta dos responsáveis, muitas são as informações e dados necessários para a elaboração do orçamento de caixa, onde serão fornecidos por vários departamentos da empresa. Sendo que as pessoas envolvidas neste processo devem estar cientes de sua responsabilidade na participação do orçamento (ZDAMOWICZ, 1998). 2.6 Fluxo de caixa projetado Denomina-se fluxo de caixa de uma empresa o conjunto de ingressos e desembolsos de numerário ao longo de um período determinado, consistindo na representação da situação da empresa, considerando todas as fontes de recursos e todas as aplicações em itens ativos, ou seja, é o instrumento de programação financeira que corresponde às estimativas de entradas e saídas de caixa em certo período projetado (ZDAMOWICZ, 1998). Entende-se como fluxo de caixa o registro e controle sobre a movimentação do caixa de qualquer empresa, expressando as entradas e saídas de recursos financeiros ocorridos em determinados períodos de tempo (CAMPOS 1997). O fluxo de caixa é o instrumento que permite ao administrador financeiro, planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar os recursos financeiros da sua empresa para um determinado período (ZDANOWICZ, 1998, p. 19). Por exemplo, um empréstimo, representa uma entrada de caixa quando o valor é recebido, e uma saída de caixa quando o dinheiro é devolvido com juros. Uma aplicação financeira, quando o dinheiro é aplicado, representa uma saída de caixa; quando o valor é retornado com juros, transforma-se em uma entrada de caixa. É fundamental que o administrador financeiro consiga administrar o fluxo de caixa de forma que sempre exista um saldo mínimo de caixa, para cobrir despesas imprevistas que possam surgir. Para Gitman (1997, p 88), é de grande importância as demonstrações desenvolvidas referentes ao fluxo de caixa, onde: O administrado financeiro pode elaborar e analisar demonstrações dos fluxos de caixa desenvolvidas a partir de demonstrações

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA

Leia mais

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira Aula 2 Gestão de Fluxo de Caixa Introdução Ao estudarmos este capítulo, teremos que nos transportar aos conceitos de contabilidade geral sobre as principais contas contábeis, tais como: contas do ativo

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO Lúcia de Fátima de Lima Lisboa RESUMO O presente artigo apresenta o fluxo de caixa como uma ferramenta indispensável para a gestão financeira

Leia mais

Organizando e administrando o negócio

Organizando e administrando o negócio NEGÓCIO CERTO COMO CRIAR E ADMINISTRAR BEM SUA EMPRESA Organizando e administrando o negócio Manual Etapa 4/Parte 1 Boas vindas! Olá, caro empreendedor! É um prazer estar com você nesta etapa de sua viagem

Leia mais

A IMPORTANCIA DA GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO RESUMO

A IMPORTANCIA DA GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO RESUMO A IMPORTANCIA DA GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO Flávio Augusto da Silva Dias flavinhokaf@hotmail.com Julio Cesar Sgarbi Julio.uru@hotmail.com RESUMO Com a busca de melhores resultados e maximização dos lucros

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Entradas a) contas à receber b) empréstimos c) dinheiro dos sócios

FLUXO DE CAIXA. Entradas a) contas à receber b) empréstimos c) dinheiro dos sócios FLUXO DE CAIXA É a previsão de entradas e saídas de recursos monetários, por um determinado período. Essa previsão deve ser feita com base nos dados levantados nas projeções econômico-financeiras atuais

Leia mais

SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA...7

SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA...7 FLUXO DE CAIXA SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 INTRODUÇÃO...3 CICLO DO FLUXO DE CAIXA...4 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 FATORES INTERNOS...4 FATORES EXTERNOS...5 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 SINTOMAS...6

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA EM UMA ORGANIZAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA EM UMA ORGANIZAÇÃO A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA EM UMA ORGANIZAÇÃO Nádia Nascimento Cardoso 1, Carla Cristina Ferreira de Miranda orientadora 2 1 Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas Universidade do Vale Paraíba,

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante)

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) FLUXO DE CAIXA Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) Brainstorming: Chuva de ideias ou Toró de parpite: O QUE É FLUXO DE CAIXA? (Objetivo: Saber

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Administração Financeira aplicação de recursos. distribuição CONCEITOS. Fluxo de caixa previsão de: ingressos desembolsos

FLUXO DE CAIXA. Administração Financeira aplicação de recursos. distribuição CONCEITOS. Fluxo de caixa previsão de: ingressos desembolsos 1 FLUXO DE CAIXA O fluxo de caixa é o instrumento que permite a pessoa de finanças planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar os recursos financeiros de sua empresa para determinado período. captação

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO REMUNERADO EM CIÊNCIAS

Leia mais

Determinação do Capital de Giro

Determinação do Capital de Giro Determinação do Capital de Giro Foco da Palestra Orientar e esclarecer os conceitos básicos para determinação e gerenciamento do Capital de Giro da empresa. Classificar e analisar as fontes e aplicações

Leia mais

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Introdução Definir o papel da gestão financeira; Conceitos de Gestão Financeira; Assim como sua importância na gestão de uma organização;

Leia mais

1 Administração de caixa

1 Administração de caixa 3 Administração Financeira Edison Kuster Nilson Danny Nogacz O que é realmente importante saber para uma boa administração financeira? Esta pergunta é comum entre os empresários, em especial aos pequenos

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul O segredo do sucesso da sua empresa é conhecer e entender o que entra e o que sai do caixa durante um dia, um mês ou um ano. 1 Fluxo de caixa: organize

Leia mais

Implantação do Fluxo de Caixa na Empresa Cestão Dimas.

Implantação do Fluxo de Caixa na Empresa Cestão Dimas. UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 2 Ana Karine Silva Dimas TRABALHO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO Implantação do Fluxo de Caixa na Empresa Cestão Dimas.

Leia mais

NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Quando alguém nos diz que o administrador financeiro é o elemento fundamental dentro de uma empresa, somos levados a perguntar: mas e os demais setores, são de pouca

Leia mais

Administração Financeira: princípios,

Administração Financeira: princípios, Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Claudio Miessa Rigo Material de apoio para aulas Administração Financeira:

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Financeiro

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Financeiro Módulo Financeiro Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre todos os itens do Módulo Financeiro. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no todo ou em partes do material

Leia mais

Análise das Demonstrações Contábeis

Análise das Demonstrações Contábeis Análise das Demonstrações Contábeis Prof. José MANOEL da Costa As demonstrações contábeis para usuário externo, publicadas aos usuários em geral, como já visto, são publicadas conforme princípios e normas

Leia mais

O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul

O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul Educação financeira. Esta é a palavra-chave para qualquer

Leia mais

Ciclo Operacional. Venda

Ciclo Operacional. Venda Sumário 1 Introdução... 1 2 Dinâmica dos Fluxos de Caixa... 2 3 Capital Circulante Líquido (CCL) e Conceitos Correlatos... 4 4 Necessidade de capital de giro (NCG)... 6 5 Saldo em Tesouraria (ST)... 9

Leia mais

ESTRUTURAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA NA EMPRESA MERCADO ARMANI

ESTRUTURAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA NA EMPRESA MERCADO ARMANI CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COM HABILITAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR ESTRUTURAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA NA EMPRESA MERCADO ARMANI Rogéli Armani Lajeado, novembro de 2008

Leia mais

ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA PROJETADO PARA A EMPRESA MAFRA ALUMÍNIOS

ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA PROJETADO PARA A EMPRESA MAFRA ALUMÍNIOS UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1111 PRISCILA MAFRA VIVIANE LINHARES TRABALHO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA PROJETADO PARA

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

Prezado empreendedor,

Prezado empreendedor, Prezado empreendedor, Caderno do Empreendedor Este é o Caderno do Empreendedor, criado para facilitar o dia-a-dia da sua empresa. Com ele você poderá controlar melhor suas despesas, saber quanto está vendendo

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA January, 99 1 CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Paulo César Leite de Carvalho 1. INTRODUÇÃO A administração financeira está estritamente ligada à Economia e Contabilidade, e pode ser vista

Leia mais

Implantação de Fluxo de Caixa Projetado na Empresa Ranzan Transportes LTDA

Implantação de Fluxo de Caixa Projetado na Empresa Ranzan Transportes LTDA UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS - GESTÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Alessandra Ranzan TRABALHO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO - TCE Implantação de Fluxo de Caixa Projetado na Empresa

Leia mais

A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios

A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios Vanessa da Silva Sidônio vanessa_sidonio@hotmail.com Professor Heber Lavor Moreira heber@peritocontador.com.br Trabalho da Disciplina Administração

Leia mais

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC Contabilidade Avançada Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Prof. Dr. Adriano Rodrigues Normas Contábeis: No IASB: IAS 7 Cash Flow Statements No CPC: CPC 03 (R2) Demonstração dos Fluxos de Caixa Fundamentação

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE FLUXO DE CAIXA Por: Adriana Sant Anna dos Santos Orientador Profº.: Luiz Claudio Lopes Alves D.Sc. Rio de Janeiro 2009 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

Aula 1 - Montagem de Fluxo de Caixa de Projetos

Aula 1 - Montagem de Fluxo de Caixa de Projetos Avaliação da Viabilidade Econômico- Financeira em Projetos Aula 1 - Montagem de Fluxo de Caixa de Projetos Elias Pereira Apresentação Professor Alunos Horário 19:00h às 23:00 h com 15 min. Faltas Avaliação

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM FLUXO DE CAIXA PROJETADO PARA A EMPRESA CLAUDIA SCHEIFELE ME

ELABORAÇÃO DE UM FLUXO DE CAIXA PROJETADO PARA A EMPRESA CLAUDIA SCHEIFELE ME UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ DIANA CRISTINA DA SILVA ELABORAÇÃO DE UM FLUXO DE CAIXA PROJETADO PARA A EMPRESA CLAUDIA SCHEIFELE ME ITAJAÍ 2014 DIANA CRISTINA DA SILVA ELABORAÇÃO DE UM FLUXO DE CAIXA

Leia mais

Análise das Demonstrações Financeiras

Análise das Demonstrações Financeiras UNIPAC UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS, LETRAS E SAÚDE DE UBERLÂNDIA. Rua: Barão de Camargo, nº. 695 Centro Uberlândia/MG. Telefax: (34) 3223-2100 Análise das Demonstrações

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

PROPOSTA DE PLANEJAMENTO FINANCEIRO PARA UMA MICROEMPRESA DO COMÉRCIO VAREJISTA DE VESTUÁRIO

PROPOSTA DE PLANEJAMENTO FINANCEIRO PARA UMA MICROEMPRESA DO COMÉRCIO VAREJISTA DE VESTUÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS Eduardo Durigon PROPOSTA DE PLANEJAMENTO FINANCEIRO PARA UMA MICROEMPRESA DO COMÉRCIO VAREJISTA

Leia mais

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira darianer@fia.com.br www.fia.com.br/proced Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira 1 Objetivo Planejamento

Leia mais

Projeções dos Demonstrativos Contábeis. Prof. Isidro

Projeções dos Demonstrativos Contábeis. Prof. Isidro Projeções dos Demonstrativos Contábeis Prof. Isidro Planejamento Financeiro O planejamento financeiro de uma empresa busca determinar suas necessidades de caixa e é feito em dois níveis: Curto prazo (operacional)

Leia mais

GPME Prof. Marcelo Cruz

GPME Prof. Marcelo Cruz GPME Prof. Marcelo Cruz Política de Crédito e Empréstimos Objetivos Compreender os tópicos básicos da administração financeira. Compreender a relação da contabilidade com as decisões financeiras. Compreender

Leia mais

Contabilidade Financeira

Contabilidade Financeira Contabilidade Prof. Dr. Alvaro Ricardino Módulo: Contabilidade Básica aula 04 Balanço Patrimonial: Grupo de Contas II Aula 4 Ao final desta aula você : - Conhecerá os grupos de contas do Ativo e Passivo.

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

Gerenciando o Fluxo de Caixa com Eficiência

Gerenciando o Fluxo de Caixa com Eficiência Gerenciando o Fluxo de Caixa com Eficiência 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Custo financeiro alto CENÁRIO ATUAL Concorrência cada vez mais competitiva Consumidores que exigem maiores

Leia mais

Planejamento Financeiro

Planejamento Financeiro Planejamento Financeiro Geralmente quando um consultor é chamado a socorrer uma empresa, ele encontra, dentre outros, problemas estruturais, organizacionais, de recursos humanos. O problema mais comum

Leia mais

Curso: Assistente Administrativo Financeiro.

Curso: Assistente Administrativo Financeiro. Assistente Administrativo Financeiro Introdução A administração financeira está intimamente ligada à Economia e Contabilidade, utilizando informações contábeis e conceitos econômicos, correspondendo a

Leia mais

Planejamento Financeiro Empresarial

Planejamento Financeiro Empresarial Planejamento financeiro empresarial 1 Planejamento Financeiro Empresarial Hinara Araújo Thé Prof: Héber Lavor Moreira E-mail: heber@peritocontador.com.br Resumo: Este artigo refere-se ao planejamento financeiro

Leia mais

Administração Financeira II

Administração Financeira II Administração Financeira II Introdução as Finanças Corporativas Professor: Roberto César INTRODUÇÃO AS FINANÇAS CORPORATIVAS Administrar é um processo de tomada de decisões. A continuidade das organizações

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE O FLUXO DE CAIXA COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO FINANCEIRA E EMPRESARIAL Por: Andréa Virgínia Martins Pereira Orientador: Sergio

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

EXERCÍCIO. A Industrial Chardos S/A projetou as seguintes transações para o período de outubro a dezembro de 20X0 e janeiro a junho de 20X1:

EXERCÍCIO. A Industrial Chardos S/A projetou as seguintes transações para o período de outubro a dezembro de 20X0 e janeiro a junho de 20X1: Alunos: Turma: 12 EXERCÍCIO A Industrial Chardos S/A projetou as seguintes transações para o período de outubro a dezembro de 20X0 e janeiro a junho de 20X1: Transações econômico-financeiras Out Nov Dez

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA GERENCIAL

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA GERENCIAL FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração Kênia Flávia Viegas de Oliveira A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA GERENCIAL Pará de Minas 2014 Kênia Flávia Viegas de Oliveira A IMPORTÂNCIA

Leia mais

Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional

Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional O tamanho que a micro ou pequena empresa assumirá, dentro, é claro, dos limites legais de faturamento estipulados pela legislação para um ME ou EPP, dependerá do

Leia mais

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade?

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade? Nas atividades empresariais, a área financeira assume, a cada dia, funções mais amplas de coordenação entre o operacional e as expectativas dos acionistas na busca de resultados com os menores riscos.

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0405 05 IDENTIFICAÇÃO: Título: ORÇAMENTO EMPRESARIAL Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO O QUE É : É um instrumento de planejamento

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA MÓDULO I

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA MÓDULO I 1 CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA MÓDULO I 2 ESSE CURSO FOI CRIADO E É PROMOVIDO PELA INSTITUIÇÃO Todos os Direitos Reservados 3 Bem Vindo ao Curso! 1- O Que é Fluxo de Caixa _Fatores que Afetam

Leia mais

Gestão do Fluxo de Caixa em Épocas de Crise

Gestão do Fluxo de Caixa em Épocas de Crise Gestão do Fluxo de Caixa em Épocas de Crise Lucro que não gera caixa é ilusão "Se você tiver o suficiente, então o fluxo de caixa não é importante. Mas se você não tiver, nada é mais importante. É uma

Leia mais

EMPREENDEDORISMO Marketing

EMPREENDEDORISMO Marketing Gerenciando o Marketing EMPREENDEDORISMO Marketing De nada adianta fabricar um bom produto ou prestar um bom serviço. É preciso saber colocálo no mercado e conseguir convencer as pessoas a comprá-lo. O

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS ...

ORIENTAÇÕES GERAIS ... ORIENTAÇÕES GERAIS O Projeto de viabilidade econômico-financeira será solicitado, a critério do Banco, de acordo com as características do investimento, finalidade do projeto, tipo de segmento de mercado,

Leia mais

ANÁLISE DA ESTRUTURA DE LIQUIDEZ PROPOSTA POR FLEURIET: UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA LOCALIZA RENT A CAR

ANÁLISE DA ESTRUTURA DE LIQUIDEZ PROPOSTA POR FLEURIET: UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA LOCALIZA RENT A CAR 0 ANÁLISE DA ESTRUTURA DE LIQUIDEZ PROPOSTA POR FLEURIET: UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA LOCALIZA RENT A CAR Gabriela de Castro Gaudêncio Cassimiro 1 Thiago Moura de Carvalho 2 Rosália Gonçalves Costa Santos

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO

Leia mais

Fluxo de caixa nas organizações

Fluxo de caixa nas organizações Perquirere: Patos de Minas: UNIPAM, 8(2):259-270, dez. 2011 Fluxo de caixa nas organizações Dalila Gonçalves Rios Aluna da Pós-graduação em Gestão Empresarial, Graduada em Administração do Centro Universitário

Leia mais

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro.

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro. Plano de Ensino Conceito A Função Financeira nas Empresas Utilização das informações contábeis Áreas de Decisões Financeiras Objetivos do Administrador Financeiro Organização da Função Financeira Estrutura

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO FINANCEIRA: BALANÇO PATRIMONIAL Blume Pfleger Valmira Trapp Fernandes

DEMONSTRAÇÃO FINANCEIRA: BALANÇO PATRIMONIAL Blume Pfleger Valmira Trapp Fernandes DEMONSTRAÇÃO FINANCEIRA: BALANÇO PATRIMONIAL Blume Pfleger Valmira Trapp Fernandes RESUMO: Dentro do plano de contas de uma empresa, o Balanço Patrimonial, deve ser produzido de maneira minuciosa e exata,

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICA DE BALANÇO

ANÁLISE ECONÔMICA DE BALANÇO 1 ANÁLISE ECONÔMICA DE BALANÇO 1 QUOCIENTES DE RENTABILIDADE Os Quocientes de Rentabilidade servem para medir a capacidade econômica da empresa, isto é, evidenciam o grau de êxito econômico obtido pelo

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Unidade II FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Objetivos Ampliar a visão sobre os conceitos de Gestão Financeira; Conhecer modelos de estrutura financeira e seus resultados; Conhecer

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS DE PEQUENO PORTE

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS DE PEQUENO PORTE A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS DE PEQUENO PORTE Alexandre Prólico Szpyra 1 alexandre.prolico@battistella.com.br Everton Luiz do Nascimento 2 everton@tha.com.br Fabiano Salles de Andrade 3

Leia mais

Basicamente, o relatório de fluxo de caixa deve ser segmentado em três grandes áreas:

Basicamente, o relatório de fluxo de caixa deve ser segmentado em três grandes áreas: CASHFLOW OU FLUXO DE CAIXA 1. CONCEITO É um demonstrativo que reflete dinamicamente o fluxo do disponível da empresa, em um determinado período de tempo. 2. FINALIDADES 2.1. Evidenciar a movimentação dos

Leia mais

O caso da loja de confecção da dona Marieta da Modda

O caso da loja de confecção da dona Marieta da Modda GESTÃO FINANCEIRA Quando temos problemas de saúde procuramos um médico, sendo ele clínico geral ou especialista, conforme o caso. Normalmente, selecionamos um médico bastante conhecido e com boas referências

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

Unidade II Orçamento Empresarial. Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento

Unidade II Orçamento Empresarial. Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento Unidade II Orçamento Empresarial Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento Referências Bibliográficas Fundamentos de Orçamento Empresarial Coleção resumos de contabilidade Vol. 24 Ed. 2008 Autores:

Leia mais

O que é Finanças? 22/02/2009 INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS CORPORATIVAS

O que é Finanças? 22/02/2009 INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS CORPORATIVAS Prof. Paulo Cesar C. Rodrigues E mail: prdr30@terra.com.br INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS CORPORATIVAS O que é administração financeira? Qual sua importância para as corporações? Como são tomadas as decisões financeiras?

Leia mais

DIAGNÓSTICO FINANCEIRO DE UMA PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA - CTAE

DIAGNÓSTICO FINANCEIRO DE UMA PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA - CTAE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS IFCH DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO ECONÔMICO DEPE CENTRO TÉCNICO ECONÔMICO DE ASSESSORIA EMPRESARIAL CTAE DIAGNÓSTICO

Leia mais

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO E DA NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO NA GESTÃO DOS NEGÓCIOS UM ESTUDO APLICADO NA EMPRESA VIVO S/A.

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO E DA NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO NA GESTÃO DOS NEGÓCIOS UM ESTUDO APLICADO NA EMPRESA VIVO S/A. ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO E DA NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO NA GESTÃO DOS NEGÓCIOS UM ESTUDO APLICADO NA EMPRESA VIVO S/A. KOMATSU, Solange Akemy (TCC Ciências Contábeis) FECILCAM,

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO RESUMO DO EMPREENDIMENTO 01 EMPREENDIMENTO 02 NEGÓCIO E MERCADO: DESCRIÇÃO 2.1 ANÁLISE MERCADOLÓGICA 2.2 MISSÃO DA EMPRESA 03 CONCORRÊNCIA 04 FORNECEDORES 05 PLANO

Leia mais

APLICATIVO EXCEL UMA FERRAMENTA ADEQUADA PARA AUXILIAR O GERENCIAMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: UM ESTUDO DE CASO

APLICATIVO EXCEL UMA FERRAMENTA ADEQUADA PARA AUXILIAR O GERENCIAMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: UM ESTUDO DE CASO APLICATIVO EXCEL UMA FERRAMENTA ADEQUADA PARA AUXILIAR O GERENCIAMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: UM ESTUDO DE CASO Fabiane Biava Sales (G-UEM) Rafael Pansanato (G-UEM) José Braz Hercos Junior (UEM)

Leia mais

O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques

O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques Seguindo a estrutura proposta em Dornelas (2005), apresentada a seguir, podemos montar um plano de negócios de forma eficaz. É importante frisar

Leia mais

1. CONCEITOS 2. OBJETIVOS

1. CONCEITOS 2. OBJETIVOS 1. CONCEITOS A Demonstração do Fluxo de Caixa demonstra a origem e a aplicação de todo o dinheiro que transitou pelo Caixa em um determinado período e o resultado desse fluxo (Iudícibus e Marion, 1999).

Leia mais

GERENCIAMENTO DO FLUXO DE CAIXA

GERENCIAMENTO DO FLUXO DE CAIXA GERENCIAMENTO DO FLUXO DE CAIXA Cristiane Escarpelini dos Santos - cristianne88@hotmail.com Ricardo dos Santos Gabriel de Jesus - rickccb@gmail.com Profº. M. Sc. Francisco Cezar Vendrame - fcvendrame@unisalesiano.edu.br

Leia mais

FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração. Alessandra de Almeida Rosa

FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração. Alessandra de Almeida Rosa FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração Alessandra de Almeida Rosa A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA NA GESTÃO FINANCEIRA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Pará de Minas 2013 1 Alessandra de Almeida

Leia mais

DVA Demonstração do Valor Adicionado

DVA Demonstração do Valor Adicionado DVA Demonstração do Valor Adicionado A DVA foi inserida pela Lei nº 11.638/2007, (artigo 176, inciso V), no conjunto de demonstrações financeiras que as companhias abertas devem apresentar ao final de

Leia mais

FLUXO DE CAIXA: UMA ABORDAGEM GERENCIAL

FLUXO DE CAIXA: UMA ABORDAGEM GERENCIAL FLUXO DE CAIXA: UMA ABORDAGEM GERENCIAL Renato Lopes da Silva (G UEM) Cristiani Passolongo Noveli (UEM) RESUMO O caixa da empresa é formado por seus ativos circulantes montantes depositados em contas bancárias

Leia mais

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES 1. INTRODUÇÃO Referente à elaboração e divulgação de informações pelas instituições administradoras dos Fundos de Investimento Imobiliário, para o mercado de valores mobiliários e encaminhamento à Comissão

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE CURTO PRAZO

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE CURTO PRAZO ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE CURTO PRAZO 1.1. Capital de Giro O Capita de Giro refere-se aos recursos correntes de curto prazo pertencentes à empresa. Dessa forma, o capital de giro corresponde aos recursos

Leia mais

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira Aula 3 Gestão de capital de giro Introdução Entre as aplicações de fundos por uma empresa, uma parcela ponderável destina-se ao que, alternativamente, podemos chamar de ativos correntes, ativos circulantes,

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE FINANÇAS 1 JUSTIFICATIVA

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE FINANÇAS 1 JUSTIFICATIVA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE FINANÇAS 1 JUSTIFICATIVA A atividade empresarial requer a utilização de recursos financeiros, os quais são obtidos na forma de crédito e de

Leia mais

AVALIANDO SE O CRÉDITO É PROBLEMA OU SOLUÇÃO

AVALIANDO SE O CRÉDITO É PROBLEMA OU SOLUÇÃO AVALIANDO SE O CRÉDITO É PROBLEMA OU SOLUÇÃO 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Objetivos Orientar os empreendedores sobre a importância da permanente gestão empresarial e sua direta

Leia mais

FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI

FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI SOCORRO 2011 FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA

Leia mais

CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO

CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO 1 Fundamentos sobre Capital de Giro O objetivo da Administração Financeira de Curto

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU JONATHA GONÇALVES ZANONI

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU JONATHA GONÇALVES ZANONI 1 UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU JONATHA GONÇALVES ZANONI UTILIZAÇÃO DA FERRAMENTA FLUXO DE CAIXA PROJETADO EM EMPRESAS CLASSIFICADAS PELO PORTE COMO

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA - FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE - FABET JAQUELINE VANESSA MORCHE

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA - FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE - FABET JAQUELINE VANESSA MORCHE 0 FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA - FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE - FABET JAQUELINE VANESSA MORCHE IMPORTANCIA DA CONTABILIDADE NA GESTÃO EMPRESARIAL Concórdia -

Leia mais

ROTEIRO DE LEVANTAMENTO DE DADOS E INFORMAÇÕES PARA UM DIAGNÓSTICO INTEGRADO DE PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

ROTEIRO DE LEVANTAMENTO DE DADOS E INFORMAÇÕES PARA UM DIAGNÓSTICO INTEGRADO DE PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS - IFCH DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO ECONÔMICO - DEPE CENTRO TÉCNICO ECONÔMICO DE ASSESSORIA EMPRESARIAL

Leia mais

ANÁLISE DAS ROTINAS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE UMA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO SETOR VIDREIRO, DE CRICIÚMA SC

ANÁLISE DAS ROTINAS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE UMA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO SETOR VIDREIRO, DE CRICIÚMA SC UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GESTÃO FINANCEIRA MAÍRA MEDEIROS RONSANI DA SILVA ANÁLISE DAS ROTINAS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE UMA EMPRESA

Leia mais

APOSTILA DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS POR ÍNDICES PADRONIZADOS

APOSTILA DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS POR ÍNDICES PADRONIZADOS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA ESCOLA SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GERÊNCIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS PROGRAMA DE EXTENSÃO: CENTRO DE DESENVOLVIMENTO EM FINANÇAS PROJETO: CENTRO DE CAPACITAÇÃO

Leia mais

A SUPERIORIDADE DO MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS

A SUPERIORIDADE DO MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS A SUPERIORIDADE DO MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS Prof. Alexandre Assaf Neto O artigo está direcionado essencialmente aos aspectos técnicos e metodológicos do

Leia mais