As PMEs que Mais Crescem no Brasil Um estudo sobre os desafios do ambiente de negócios no caminho das empresas emergentes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As PMEs que Mais Crescem no Brasil Um estudo sobre os desafios do ambiente de negócios no caminho das empresas emergentes"

Transcrição

1 A PME que Mai Crecem no Brail Um etudo obre o deafio do ambiente de negócio no caminho da emprea emergente 2012

2 A c r e c P M E e m q u e n o B m a i a r l i O Cuto Brail da emergente Uma hitória de obtáculo e muita uperaçõe A Deloitte e a revita Exame PME têm a atifação de apreentar nete relatório o reultado da 7ª edição da pequia A PME que Mai Crecem no Brail, levantamento que já e conolidou como referência no mercado nacional no acompanhamento da organizaçõe emergente. Além de apreentar o ranking da 250 pequena e média emprea que mai creceram no Paí no último trê ano completo ( ), a publicação revela viõe, prática e tendência que contam de repota coletada com o lídere da organizaçõe participante. A emprea claificada para o ranking da que mai crecem vêm contruindo uma trajetória conitente de expanão, deixando liçõe importante em um paí que buca hoje alternativa para uperar gargalo hitórico, que ainda dificultam o pleno deenvolvimento do potencial empreendedor do empreário braileiro. Deloitte e Exame PME acreditam que a leitura do reultado deta edição é eencial a todo aquele que queiram aprender como é poível, apear da dificuldade externa, crecer de modo utentável no Brail. Com o tema O cuto Brail da emergente O deafio do ambiente de negócio no caminho da PME, o etudo dete ano aborda quetõe eenciai para o avanço da organizaçõe braileira. Com o tema O Cuto Brail da emergente O deafio do ambiente de negócio no caminho da PME, o etudo dete ano aborda quetõe eenciai para o avanço da organizaçõe braileira. Sumário Um retrato da PME... 4 Contexto de mercado... 5 O principai obtáculo da emergente... 8 Como a 250 chegaram ao topo Ranking da 250 PME que mai crecem A PME que mai crecem por região Análie do indicadore financeiro Para uperar o obtáculo Hitórico do etudo

3 Metodologia do etudo A atual edição do etudo teve eu período de campo entre o dia 3 de abril e 15 de junho de 2012, por meio de um quetionário diponível no webite da Deloitte (www.deloitte.com.br). O convite para participar do etudo foi enviado por para aproximadamente 16 mil emprea. Ee univero de convidado foi complementado por outra organizaçõe que manifetaram o interee em participar, apó aberem da exitência da pequia por meio da divulgação em webite, como o da revita Exame PME, de anúncio publicitário, de mídia ociai e de nota editoriai veiculada na imprena em geral e pela própria emprea realizadora. Critério O critério para qualificar a emprea no ranking da 250 que mai crecem foram: Etar em fae operacional, no Brail, há mai de cinco ano; Ter obtido receita líquida entre R$ 3 milhõe e R$ 300 milhõe em 2011 (último ano do triênio avaliado); Não fazer parte de um conglomerado emprearial com mai de 50% do eu capital controlado por etrangeiro; Não etar vinculada (coligada ou controlada) a grupo emprearial com receita líquida igual ou uperior a R$ 2 bilhõe por ano, independentemente da origem de eu capital. O regulamento da pequia ficou diponível a toda a emprea intereada por meio do webite da Deloitte (www.deloitte.com.br), durante todo o período de campo. Fora do univero Por pouírem caracterítica diferenciada de geração e avaliação de receita, o que impediria a comparação com outra emprea, não puderam participar do etudo: cooperativa, intituiçõe financeira e organizaçõe em fin lucrativo e governamentai. Também tiveram ua participação vetada a emprea do egmento de auditoria, conultoria e editora (etore de atuação da organizadora do etudo). Conteúdo O reultado apreentado nete relatório referem-e à amotra total da pequia, ou eja, à 336 emprea que atenderam a todo o critério etabelecido no regulamento. Epecificamente no capítulo Como a 250 PME chegaram ao topo, etão apontado dado referente apena à emprea que compõem o ranking da que mai crecem no Brail. Participante Demontraçõe financeira Amotra total Ranking oficial da pequia 537 emprea participaram do etudo 402 enviaram a Demontraçõe Financeira 336 atenderam a todo o critério 250 claificada para o grupo de maior crecimento A PME que Mai Crecem no Brail 3

4 Um retrato da PME Quem ão a participante Perfil A receita líquida da 336 emprea participante da amotra total da pequia oma R$ 19 bilhõe. O controle da organizaçõe motra-e, em 73% do cao, familiar. Outra 20% da repondente pouem controle pulverizado, 5% têm controle de grupo emprearial e 2% ão controlada por invetidor intitucional. Claificação por etore (em % da amotra total) Informática, TI e internet Comércio varejita e atacadita 11,1 Pretação de erviço 10,5 Máquina e equipamento 9,0 Contrução civil 7,8 24,3 Sobre o etore de atuação da que compõem a amotra total, o maior grupo de participante pertence à área de informática, TI e internet (24,3% do repondente). Na equência, com 11,1%, vêm a emprea de comércio varejita e atacadita, ficando o terceiro lugar com a pretadora de erviço (9%). Alimento e bebida Indútria química Serviço de contrução Siderurgia e metalurgia Têxtil e calçado 5,1 3,6 3,6 3,0 2,4 Demai egmento de erviço: 7,5% Demai egmento de manufatura: 6,9% Demai egmento em geral: 5,2% Onde ela etão Região Nordete Taxa anual 1 : 32% Repreentam: 11% da 250 que + crecem e 10% do total Regiõe Norte e Centro Oete Taxa anual 1 : 30% Repreentam: 7% da 250 que + crecem e 6% do total 1 Taxa anual refere-e à média de crecimento da emprea participante da pequia entre 2009 a 2011 Região Sul Taxa anual 1 : 30% Repreentam: 21% da 250 que + crecem e 24% do total Região Sudete Taxa anual 1 : 36% Repreentam: 61% da 250 que + crecem e 60% do total A PME no comércio exterior 21% importam e exportam 16% apena importam 5% apena exportam 4

5 Contexto de mercado O peo do Cuto Brail e o deafio para chegar ao topo Diferentemente do que ocorre com eu pare emergente, como a China, por exemplo, a economia braileira parece crecer de forma linear. Não batam política de redução da taxa báica de juro do mercado financeiro, iençõe ficai e nem memo programa governamentai para elevar o conumo interno. Há uma barreira no crecimento da indútria nacional, que impede a competitividade do produto braileiro: o chamado Cuto Brail. O termo refere-e ao conjunto de dificuldade etruturai, burocrática e econômica que encarecem o invetimento e a produção no Paí. São obtáculo que vão dede o deafio na hora de planejar e implantar um negócio, paando pelo deenvolvimento de novo produto e elevado cuto para empregar, até chegar à divera taxa e impoto. Conforme a pequia Doing Buine 2012, realizada pelo Banco Mundial, em um ranking que abrange 183 paíe, o Brail ficou como a 126ª economia mai fácil para fazer negócio. O primeiro lugar da lita ficou com Singapura, o egundo, com Hong Kong, e o 3º, com a Nova Zelândia, ficando o Etado Unido com o 4º lugar. Enquanto a maior parte do paíe tem um ou doi tributo indireto, o Brail tem ei, com grande diveridade de legilaçõe, que etão em permanente alteração. Memo diante de tanto entrave, é poível identificar emprea emergente que, além de manter um nível elevado de invetimento e contrataçõe, apreentam um crecimento acelerado de ua receita. A opa de letra do Cuto Brail Termo mai citado pelo repondente na pequia obre quai ão o principai deafio para o negócio* Concorrência Falta de apoio governamental Infraetrutura Aprovaçõe do BNDES Cadeia de uprimento Legilação trabalhita Carga tributária Mão de obra qualificada Impoto Obtenção de recuro de financiamento Entrave do comércio exterior Corrupção Invetimento em tecnologia Burocratização para licença ambientai * Quanto maior o tamanho da palavra ou expreão acima, maior a quantidade de citaçõe identificada na repota da emprea entrevitada A PME que Mai Crecem no Brail 5

6 O reultado da atual edição do etudo ajudam a entender como ee univero de deafio externo afeta a pequena e média emprea. A pequia traz um ranking da 250 pequena e média braileira que regitraram a maiore taxa de crecimento em ua receita no último trê ano e ainda apreenta o maiore deafio uperado pela PME no ambiente de negócio. Em um pergunta aberta, pedimo que o participante elencaem quai o maiore deafio do pequeno e médio empreário braileiro. O termo carga tributária e legilação trabalhita foram o mai citado (veja todo o temo no quadro da pág. 5). Identificar quai ão o obtáculo que impedem a promoção da competitividade do negócio no Brail é o primeiro pao. Enquanto não alcançamo o fim dea ecada de deafio, podemo aprender como uperá-lo, com a emprea que compõem o ranking da 250 PME que mai crecem no Paí. Mudança no Brail No final de 2009, uma da principai revita de economia do mundo, The Economit, publicou em ua capa a eguinte manchete: Brazil take off (na tradução para o portuguê, O Brail decola ), citando que o Paí chegaria a apreentar alta taxa de crecimento do Produto Interno Bruto (PIB) e, em 2014, e tornaria a 5ª maior economia do mundo. Durante o ano de 2010, o Brail, de fato, apreentou uma forte taxa de crecimento, atingindo 7,5% do PIB. Ma, já no último trimetre do memo ano, o Paí indicava uma pequena deaceleração da atividade econômica nacional. Já em 2011, o cenário motrou-e diferente do eperado doi ano ante, com um PIB de apena 2,5%. Para entender o que levou a ea mudança no cenário, devemo lembrar que, durante 2009, apó a ecloão da crie econômica norte-americana, houve uma érie de política de promoção de conumo nacional, com iençõe ficai, redução do juro e ampliação do crédito. O reultado foi um aumento do conumo nacional que, conequentemente, reultou em um forte crecimento da economia braileira em No entanto, ee crecimento não foi utentado em 2011, uma vez que a produção nacional não acompanhou o ritmo de aumento do conumo. Nota-e que a indútria braileira não foi capaz de ultrapaar a barreira que impede o aumento no ritmo de produção: o Cuto Brail. Nem a política de incentivo ao conumo e tampouco o programa governamentai foram uficiente para vencer ee obtáculo, que atravanca a competitividade do produto braileiro. Enquanto não alcançamo o fim dea ecada de deafio, podemo aprender como uperá-lo, com a emprea que compõem o ranking da 250 PME que mai crecem no Paí. 6

7 O peo do Cuto Brail Impacto na produção No último ano, o etímulo ao conumo nacional, por meio de iençõe ficai, redução do juro e ampliação do crédito, apoiou a guinada na venda reai no varejo. Porém, a produção indutrial não coneguiu acompanhar o memo movimento que impulionou o volume de venda devido a fatore que minam a ua competitividade, endo muito dele componente do Cuto Brail (veja na pág. a eguir o principai obtáculo que o compõem). Evolução da produção indutrial e venda Índice (etembro/2008 = 100) Crie financeira de 2008 Venda reai no varejo Volume de produção indutrial Barreira da indútria Política governamentai pela recuperação da atividade econômica (2009) mai Ano (etimativa) PIB real 6,1% 5,2% -0,6% 7,5% 2,7% 1,9% Fonte: Reearch Deloitte (a partir da conolidação de dado do IBGE); produção e venda com ajute azonal O deafio do tributo Em 2011, o principai impoto, contribuiçõe e encargo omado correponderam a mai de R$ 1 trilhão. A carga tributária foi apontada pelo participante da pequia como o principal deafio ao negócio (veja mai no quadro da pág. 5). Principai impoto, contribuiçõe e encargo no Brail Arrecadação em 2011 (em R$ bilhão) 326,5 285,7 249,8 245,9 78,7 72,3 IR IPI e IOF 1 Contribuiçõe 2 Previdência ICMS e IPVA 3 FGTS 4 1 Impoto federal 2 A contribuiçõe compreendem: Cofin, CSLL, PIS/Paep, ICMS, Salário Educação 3 Impoto etaduai 4 Encargo trabalhita adminitrado pela Caixa Econômica Federal Fonte: Reearch Deloitte (a partir da conolidação de dado do Minitério da Fazenda, Receita Federal e Caixa Econômica Federal) A PME que Mai Crecem no Brail 7

8 O principai obtáculo da emergente Para aumentar a competitividade da pequena e média emprea e elevar a taxa de crecimento, é precio paar pelo obtáculo que o Cuto Brail impõe a ea organizaçõe emergente. A ecada da dificuldade De acordo com a repota da 336 emprea da amotra da pequia, o deafio do ambiente de negócio que mai incidem no aumento de cuto e que demandam mai eforço por parte da organizaçõe etão enumerado a eguir. Deafio do ambiente de negócio que mai incidem no aumento de cuto e eforço na emprea 44% 30% 7% 7% 6% 5% 1% Sitema legal e tributário Legilação trabalhita Captação de recuro Repota única; dado referente à amotra total de participante (336 emprea) Condiçõe de inovação Cadeia de uprimento Ambiente econômico e demográfico Comércio exterior A vião do empreariado obre o deafio* A principal dificuldade encontrada para o crecimento do negócio no ambiente braileiro é a carência de incentivo ao deenvolvimento de tecnologia nacional. * Depoimento de executivo entrevitado 8 Carga tributária, legilação trabalhita defaada e burocracia ão a principai dificuldade do ambiente de negócio braileiro e que muito no afetam, endo o grande entrave para noo crecimento utentável. A falta de padronização na aprovação do licenciamento ambiental de nova emprea é uma dificuldade. A exigência e eu prazo de cumprimento variam entre município de um memo Etado e variam mai ainda entre a federaçõe. Em decorrência da alta competitividade com produto e/ou erviço etrangeiro, e também do exceo abuivo de impoto cobrado, o mercado braileiro encontra-e deficiente para alcançar nívei de crecimento em eu negócio.

9 1º grande deafio Sitema legal e tributário O itema legal e tributário é o deafio mai apontado pela participante do etudo como o que mai acarreta aumento de cuto e eforço por parte da organizaçõe. Dentro dee univero, 69% do participante apontaram como o item que gera maior dificuldade para a emprea a quantidade e complexidade de documento e procedimento. Segundo a emprea participante, paga-e, em média, 18% da receita líquida em impoto por ano. Todo ee proceo obriga a PME a detinarem parte de eu funcionário a tarefa relacionada à getão de documentação. De acordo com o reultado, cerca de quatro funcionário ficaram dedicado, em 2011, apena ao atendimento de obrigaçõe legai e tributária da emprea. Em 17% da participante, o erviço foi terceirizado. Memo com peoal fixo para lidar com a documentação, 46% da emprea repondente foram multada ou notificada pelo Fico no último trê ano, por deconhecimento da obrigaçõe legai e tributária. A média de multa é de uma por emprea. Ee dado motra que, memo com peoal epecializado na área, ainda há muita dificuldade para compreender a norma legilativa braileira ligada à getão da emprea. A dificuldade para conhecer toda a normai legai e tributária que afetam o negócio foi apontada por 51% do participante. Já 47% dele apontaram como maior dificuldade o dipêndio de recuro neceário para manter a etrutura interna de profiionai, voltada a atender à obrigaçõe legai e tributária. A vião da PME Barreira aociada ao itema legal e tributário 69% 51% 47% 36% 24% Quantidade e complexidade de documento e procedimento envolvido no atendimento da obrigaçõe Dificuldade para conhecer toda a norma legai e tributária que afetam o negócio Dipêndio de recuro neceário para manter a etrutura interna de profiionai para atender a obrigaçõe legai e tributária Dificuldade de contratar profiionai qualificado para ajudar a emprea a atender à obrigaçõe legai Dipêndio de recuro neceário para terceirizar o atendimento à obrigaçõe legai e tributária Quetão com repota múltipla; no máximo, trê iten poderiam er ainalado Obtáculo em número Tempo gato na preparação de documentação para pagar impoto (em hora) Fonte: Pequia Doing Buine (Banco Mundial, 2012) Taxa de impoto pago pela participante da amotra total do etudo (em % da receita líquida) 18% na média da amotra 28% a 35% para emprea participante do etudo do etore de produto de conumo, energia elétrica e aneamento e eletrônico Até 12% para emprea participante do etudo do etore de açúcar e álcool, erviço de tranporte, produto de higiene e limpeza A PME que Mai Crecem no Brail 9

10 2º grande deafio Legilação trabalhita A legilação trabalhita no Brail foi criada em 1º de maio de 1943, com o objetivo de aegurar o direito e devere do empregadore e empregado. Contudo, não foram feita atualizaçõe ao longo da última ete década para adequá-la à realidade do mercado muito meno, da pequena e média emprea. Nee cenário, a PME têm grande dificuldade de aimilar o ônu para e manter na formalidade e garantir, para eu colaboradore, o direito inerente à contratação com carteira ainada. O neceário trâmite burocrático para contratação e demião, a negociaçõe com indicato, o pagamento de encargo e proceo trabalhita complicam ainda mai a realidade da PME. O reultado da pequia ratificam ea dificuldade, uma vez que 30% do repondente apontaram a legilação trabalhita como grande deafio no ambiente de negócio, endo o egundo deafio mai ainalado entre a barreira ao deenvolvimento de negócio. A vião da PME Barreira aociada à legilação trabalhita 88% 27% Cuto por funcionário etabelecido pela legilação trabalhita (FGTS, féria, vale-tranporte,13º, hora extra etc) Tempo requerido pela legilação e por prática trabalhita para proceo de contratação ou demião 22% Complexidade do procedimento para a contratação de profiionai 22% Dificuldade na negociação com indicato 20% Proceo legai que envolvem ex-funcionário, fornecedore etc 9% Complexidade na contratação de temporário Quetão com repota múltipla; no máximo, trê iten poderiam er ainalado Encargo que a emprea devem pagar ao trabalhadore Féria; Adicional de féria; 13º alário; Adicional de remuneração (hora extra, hora noturna, inalubridade, periculoidade); Auência remunerada; Licença; Repouo remunerado (também conhecido como Decano Semanal Remunerado DSR) ; Feriado; Recião contratual; Vale-tranporte; INSS ou PSS; FGTS Contratação a partir da Conolidação da Lei Trabalhita (CLT) Obtáculo em número Gato da participante da amotra total do etudo com tema ligado à legilação trabalhita, em 2011: 37% foi a média do gato em folha de pagamento dedicado a encargo trabalhita (excluindo benefício) 11,1% foi a participação do gato com benefício obre a folha de pagamento 4,7% foi a média do gato com demiõe obre a folha de pagamento 10

11 3º grande deafio Captação de recuro Captar recuro dentro do parâmetro do mercado braileiro pode er uma barreira para pequeno e médio empreário. De um lado, etão intituiçõe financeira que, além de preciar exigir garantia, cobram apreentação de relatório, como o plano de negócio da emprea e o demontrativo de getão. De outro, etão a PME, que, em algun cao, têm dificuldade para organizar toda ea documentação e e enquadrar em todo o queito. Ainda aim, ela preciam captar recuro para realizar novo invetimento. Ee é um impae frequente, que torna mai difícil a caminhada da emprea rumo ao crecimento. O nível de garantia e exigência atualmente requerida pela intituiçõe financeira para a conceão de crédito é a barreira mai apontada dentro do obtáculo repreentado pela captação de recuro ao pequeno e médio empreário (56%). A vião da PME Barreira aociada à captação de recuro 56% 41% Garantia e exigência atualmente requerida pela intituiçõe financeira para a conceão de crédito Complexidade do procedimento para a captação de crédito em banco de fomento 18% Atual conjuntura do mercado de capitai no Brail 9% 7% Complexidade do procedimento para a captação de recuro no exterior Modelo de eleção adotado pelo fundo de invetimento (private equity e venture capital) para definir emprea-alvo Quetão com repota múltipla; no máximo, trê iten poderiam er ainalado Obtáculo em número 12% foi a taxa média de juro pago durante o ano de 2011 pela emprea participante da atual edição do etudo 18% a 26% foi a taxa paga por emprea do egmento de produto de conumo em geral, turimo e hotelaria e indútria farmacêutica que participaram do etudo 8% a 10% foi a taxa paga por emprea do egmento de veículo e autopeça, indútria química e telecomunicaçõe que participaram do etudo 5,5% é a Taxa de Juro de Longo Prazo (TJLP)*, cuto báico do financiamento concedido pelo Banco Nacional de Deenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ao projeto do etor produtivo * Fonte: BNDES (informação de etembro de 2012) A PME que Mai Crecem no Brail 11

12 4º grande deafio Condiçõe para a inovação Detacar-e em meio à concorrência é um deafio contante da PME. Uma da etratégia para viabilizar ee grande pao é criar condiçõe para inovação, como deenvolver novo produto, contar com uma etrutura de produção que reduza cuto e renovar a imagem da emprea. Tudo io demanda tempo e invetimento do getore. Ma, ao invé de dedicar-e apena a repenar eu negócio e inovar, ele paam boa parte do tempo tentando vencer o deafio impoto pelo Cuto Brail. Por io, o item condiçõe para inovação foi o quarto colocado entre o principai deafio apontado pelo participante. De acordo com o maior grupo de repondente para eta quetão, 34%, o grande problema é o nível de complexidade em obter financiamento para deenvolver novo produto ou erviço. Outro 33% apontaram o baixo nível de apoio governamental para o memo deafio. Na equência, 32% citam o cuto com licença, certificaçõe e autorizaçõe como obtáculo da inovação da PME. Diante dee entrave, encontrar invetidore para alavancar o negócio no primeiro ano de mercado e inovar requer um longo caminho a er percorrido. Organizaçõe como a Inova Venture Participaçõe (IVP) e a Anjo do Brail, que atuam como uma rede de invetidore (em valor fechado de recuro diponívei), etimam ter mai de R$ 32 milhõe para invetir em negócio iniciante ó em Em contrapartida, para atrair ee apoio, é precio inovar e motrar diferenciai relevante. A vião da PME Barreira aociada à condiçõe para inovação 34% 33% 32% Complexidade em obter financiamento para deenvolver novo produto e erviço Nível de apoio governamental para deenvolver novo produto e erviço Cuto com licença, certificaçõe e autorizaçõe 23% Ditanciamento entre a emprea e a univeridade 19% Tempo médio levado pelo órgão competente para deferir o pedido de patente e regitro Quetão com repota múltipla; no máximo, trê iten poderiam er ainalado Obtáculo em número Regitro de propriedade Procedimento legalmente exigido Duração (dia) Fonte: Pequia Doing Buine (Banco Mundial, 2012) 12

13 5º grande deafio Cadeia de uprimento Dentro do deafio cadeia de uprimento, o fator mai crítico para o maior grupo de repondente da pequia (36%) é a qualidade do panorama logítico braileiro. O Brail poui uma extenão territorial de km², endo o quinto maior do planeta, além de er também um grande exportador de commoditie. Boa parte de ua produção mineral e agrícola vem do interior do Paí, endo neceário que todo ee produto percorram, muita veze, longo caminho para chegar ao grande centro e ao porto braileiro. Porém, a logítica do tranporte ainda é precária e não conegue atender adequadamente à demanda. São etrada mal acabada e outra com alto cuto operacional devido ao pedágio, ferrovia que não etão interligada e porto operando no limite da capacidade. Hoje a malha ferroviária braileira poui 29 mil quilômetro de extenão, o que ainda é pouco para o tamanho do Paí, incluive e compararmo com o Etado Unido, onde há 280 mil quilômetro em ferrovia. O governo braileiro inaliza etar atento a ea dificuldade. Importante plano de infraetrutura já foram concretizado pelo Programa de Aceleração do Crecimento (PAC), com a ampliação de novo projeto e que deverão er implementado até Entre a importante obra para o tranporte ferroviário braileiro, etá a Rodovia Norte-Sul, projetada para promover a integração nacional, minimizar cuto de tranporte e interligar a regiõe braileira, por meio da ua conexõe com ferrovia nova e exitente. Ea rodovia, que terá quilômetro de extenão, funcionará como uma epinha doral do tranporte ferroviário. A previão é de que a obra receba R$ 3,4 bilhõe em invetimento até Entre o benefício da Norte-Sul, etão o melhor deempenho econômico de toda a malha ferroviária, o aumento na competitividade do produto braileiro no exterior, o incentivo a invetimento na produção agrícola, além da melhora na renda e ditribuição da riqueza nacional. A vião da PME Barreira aociada à cadeia de uprimento 36% 30% 25% 22% 16% Qualidade do panorama logítico braileiro Concentração da cadeia de fornecimento do etor Tempo dependido no ecoamento de mercadoria em porto e aeroporto Dificuldade em lidar e negociar com fornecedore Dependência de produto importado Quetão com repota múltipla; no máximo, trê iten poderiam er ainalado Obtáculo em número 4,2% foi a média obre a receita líquida gata com logítica pela emprea participante da amotra total do etudo, em 2011 A PME que Mai Crecem no Brail 13

14 6º grande deafio Ambiente econômico-demográfico Em um paí onde o nívei de deemprego ão o mai baixo de toda a érie hitórica do Intituto Braileiro de Geografia e Etatítica (IBGE), paando de 10,5% para 5,2% em 9 ano, o pequeno e médio empreário deparam-e com um novo deafio: oferecer melhore alário e condiçõe de trabalho em um univero com crecente e tentadora oferta de emprego. A ituação econômica, em geral, melhorou na última década. Em contrapartida, o empreário enfrentam o gargalo de contratar peoal qualificado. De acordo com o Minitério do Trabalho e Emprego (MTE), a expanão da atividade de emprea etrangeira no Brail, omada à falta de mão de obra qualificada, gerou, no primeiro trimetre de 2012, um aumento ignificativo na autorizaçõe de trabalho para etrangeiro. No primeiro trê mee do ano, o vito concedido a profiionai qualificado em caráter temporário creceram 33% na comparação com o memo período de O aumento ocorreu epecialmente pela expanão da atividade no Brail de emprea etrangeira. O etor que mai demanda mão de obra etrangeira no Paí é o da indútria de óleo e gá, que repreenta 30% de toda a autorizaçõe de trabalho concedida. Já a autorizaçõe de trabalho para etrangeiro não temporário creceram 31% no primeiro trimetre do ano. Para ete aumento, contribuíram a conceõe de vito humanitário para haitiano e a autorizaçõe de até 90 dia concedida a técnico etrangeiro reponávei pela intalação de máquina e equipamento importado. De acordo com o repondente, dentro do exto maior deafio (Ambiente econômico-demográfico), a maior dificuldade é a falta de qualificação de mão de obra, problema apontado por 78% do repondente. A vião da PME Barreira aociada ao ambiente econômico-demográfico 78% 58% 37% 35% Qualificação da mão de obra Taxa de juro 11% Inflação Intabilidade cambial Valor do alário 6% Volume de invetimento etatai Quetão com repota múltipla; no máximo, trê iten poderiam er ainalado Obtáculo em número Taxa de deemprego no Brail (Relação entre peoa deocupada e a economicamente ativa; em %) O nível de deemprego atingiu o mai baixo índice de toda a ua érie hitórica em Um cenário de pleno emprego contribui indiretamente para a falta frequente de trabalhadore qualificado no mercado. 10, ,9 9,6 8,3 8,4 7,4 6, ,8 5,3 5, Fonte: Reearch Deloitte (baeado em dado do IBGE). Nota: dado correpondente à regiõe metropolitana de Salvador, Recife, Belo Horizonte e Rio de Janeiro 14

15 7º grande deafio Comércio exterior Se o caminho percorrido para que a commoditie cheguem ao porto do Brail ão grande gargalo no proceo, o trâmite para air do porto braileiro também contitui um deafio diário para pequeno e médio empreário. O comércio exterior é um do grande reponávei pela expanão do negócio e melhora na qualidade do produto, ma há grave falha no trâmite e na logítica para importação e exportação. O controle burocrático, a falta de logítica e infraetrutura em porto e aeroporto, o impoto cobrado nea operaçõe, o protecionimo e até memo a falta de uma cultura exportadora para PME tornam-e grave problema para o empreariado. A vião da PME Barreira aociada à cadeia de uprimento 27% Moroidade no trânito da mercadoria em porto e aeroporto em função da burocracia 22% Cuto com armazenagem e/ou tranporte de mercadoria 22% Complexidade do proceo aduaneiro 19% Qualidade da infraetrutura de tranporte do Paí 9% 8% Complexidade do procedimento para o regitro de novo produto para importação e exportação Complexidade do procedimento para a geração e emião de certificado e documento 4% Barreira não tarifária obre produto 4% Complexidade do procedimento para a contratação de câmbio Quetão com repota múltipla; no máximo, trê iten poderiam er ainalado Obtáculo em número Comércio global Exportação (em dia) Importação (em dia) PMES participante do etudo Tempo médio gato entre a preparação do documento até a chegada da mercadoria na fronteira ou local definido para exportação (taxa de repota: 22,9% da amotra total) 2 Tempo médio de armazenagem, deembaraço e tranporte da mercadoria na operaçõe de importação em 2011 (taxa de repota: 32,7% da amotra total) 3 Pequia Doing Buine (Banco Mundial, 2012) 2 A PME que Mai Crecem no Brail 15

16 Como a 250 chegaram ao topo A vião da PME Memo diante de toda a dificuldade, há emprea que coneguem ubir cada degrau, driblar o deafio e chegar ao topo da organizaçõe emergente, com recorde de crecimento. O participante que repreentam a 250 PME que mai crecem no Brail contribuíram com ua viõe obre como melhorar o deempenho do negócio e driblar eventuai obtáculo à expanão de ua atividade. Prática adotada pela emprea do ranking no último doi ano Para aumentar o volume de venda 62% 59% 51% 49% 35% 23% Aumento do portfólio de produto e erviço Otimização de proceo e renovação da etrutura de venda Melhora na relação com cliente (CRM, mídia ociai etc) Criação de remuneração atrelada à meta de rentabilidade Invetimento em programa de fidelização de cliente Criação de novo canai de venda (internet, porta a porta etc) Para reduzir cuto e depea 65% 64% 36% 26% 25% 14% 6% Obtenção de melhore condiçõe de pagamento (prazo, juro) Renegociação e ubtituição de fornecedore Implantação de programa de aumento de produtividade Corte de cuto e redução do quadro de peoal Adoção de data fixa para recebimento de fatura e cobrança Subtituição de compra por inumo importado Participação de compra coletiva viando deconto Quetõe com repota múltipla; percentual a partir da repota conferida pela emprea que compõem o ranking da 250 que mai crecem Meno deafio, mai açõe Frente a tanto deafio, o getore paam boa parte do tempo tentando uperá-lo, endo obrigado a dedicar-e apena parcialmente à getão do negócio. Em uma da pergunta da pequia, o repondente foram quetionado obre o que fariam cao pudeem endereçar o tempo, o recuro e o eforço, hoje conumido pela dificuldade, na getão efetiva de ua emprea. No item mai citado, com 59% do apontamento, ele informaram que, cao foe poível, boa parte de eu tempo eria detinada a penar obre etratégia da emprea. Aim, coneguiriam elaborar um plano de negócio e planejar um crecimento utentável a longo prazo. Em egundo lugar, a quetão ainalada por 54% do repondente aponta que o empreário teriam cuto mai baixo e, portanto, ua emprea eria mai rentável, cao não exitiem tanto deafio. Como motrado anteriormente, falta mão de obra qualificada no Paí e, cao a emprea não preciaem lidar com tanto encargo e impoto, teriam a poibilidade de treinar eu peoal de forma mai adequada, item ainalado também por 54% do repondente. Remunerar melhor o funcionário foi o item apontado por 51% do repondente, entre a principai açõe que eriam realizada, cao o empreário não preciaem lidar com tanto deafio. Certamente, trabalhadore melhor remunerado contribuiriam para o aumento da renda per capita no Brail e para um avanço do nívei ociai do Paí, o que, conequentemente, alavancaria a economia. 16

17 A vião da PME Um cenário com meno obtáculo Cao a emprea pudee endereçar o tempo, o recuro e o eforço atualmente conumido com a dificuldade do ambiente de negócio em outra atividade, quai eriam a principai açõe? 59% 54% 54% 51% 38% 29% Boa parte do tempo da getão eria detinada a penar etratégia para a emprea Teríamo cuto mai baixo e, portanto, uma emprea mai rentável Poderíamo treinar melhor o noo funcionário Poderíamo remunerar melhor o noo funcionário Invetiríamo mai em tecnologia para uportar noo negócio Teríamo cuto mai baixo e, portanto, poderíamo oferecer preço mai baixo Quetõe com repota múltipla; percentual a partir da repota mai ainalada pela emprea que compõem o ranking da 250 que mai crecem A PME que Mai Crecem no Brail 17

18 Ranking nacional A 250 pequena e média emprea que regitraram a mai alta taxa de expanão em receita líquida entre 2009 e 2011 Emprea Setor Receita líquida (R$ mil) Crecimento (%) Anual 1 Arcitech Telecomunicaçõe , ,0 2 Reuter Contrução civil ,5 995,9 3 Valox Comércio varejita e atacadita ,5 838,3 4 Fernande Engenharia Contrução civil ,0 435,4 5 Grupo RR Pretação de erviço ,8 255,5 6 BRN Brail Comércio varejita e atacadita ,5 234,7 7 MTO Editorial e gráfico ,3 194,2 8 Recruiter Pretação de erviço ,3 187,3 9 EQS Engenharia Contrução civil ,5 163,2 10 Ecoteel Siderurgia e metalurgia ,3 148,0 11 Fly Higiene e limpeza ,1 146,2 12 Contrutora Andrade Mendonça Contrução civil ,5 145,5 13 Apetit Pretação de erviço ,0 144,5 14 Prazzo Engenharia Contrução civil ,0 124,9 15 VTI Informática, TI e internet ,9 123,6 16 Una Evento Propaganda e publicidade ,4 119,4 17 Techreult Informática, TI e internet ,0 117,7 18 Arvu Informática, TI e internet ,1 117,1 19 Conarte Engenharia Contrução civil ,1 113,8 20 Certiign Informática, TI e internet ,1 111,9 21 Aceo Digital Informática, TI e internet ,7 108,5 22 Prooft Informática, TI e internet ,3 106,9 23 Decatron Informática, TI e internet ,7 102,4 24 Clearale Informática, TI e internet ,5 100,4 25 Agência Ideal Propaganda e publicidade ,2 99,3 26 Pontal Engenharia Higiene e limpeza ,7 95,9 27 Piramide Montagen Contrução civil ,8 93,3 28 Devex Máquina e equipamento ,6 92,0 29 Rio Verde Engenharia Contrução civil ,4 85,8 30 MG Premoldado Contrução civil ,5 85,6 31 Coampa Contrução civil ,7 80,8 32 Forno de Mina Comércio varejita e atacadita ,4 77,6 33 Teckma Engenharia Serviço de contrução ,1 75,0 34 Teevo Informática, TI e internet ,9 74,9 35 Empreza Pretação de erviço ,0 73,8 36 Gemelo Pretação de erviço ,2 73,5 Obervaçõe: O nome de alguma emprea foram implificado por razõe de epaço ou clareza; A receita líquida indicada provém de informaçõe da demontraçõe de reultado fornecida pela emprea. 18

19 A i P M E q u e m a l i c r e c e m n o B a r Emprea Setor Receita líquida (R$ mil) Crecimento (%) Anual 37 E.Life Informática, TI e internet ,7 73,4 38 BVL Automotive Comércio varejita e atacadita ,7 72,5 39 2S Inovaçõe Tecnológica Comércio varejita e atacadita ,4 71,6 40 Santa Izabel Máquina e equipamento ,4 68,9 41 Enalta Máquina e equipamento ,4 68,9 42 Realeza Informática Informática, TI e internet ,4 68,6 43 Prepara Curo Pretação de erviço ,6 68,4 44 WRO Contrução civil ,6 68,4 45 Linx Informática, TI e internet ,3 67,7 46 Stocktotal Comércio varejita e atacadita ,6 66,9 47 LC Automação Indutrial Máquina e equipamento ,3 66,8 48 Apetit Paraná Pretação de erviço ,4 66,0 49 Proeg Serviço Pretação de erviço ,1 65,3 50 Grupo Marafon Siderurgia e metalurgia ,2 64,1 51 Qualidado Informática, TI e internet ,0 63,4 52 Santin Comércio varejita e atacadita ,0 61,6 53 Human Mobile Telecomunicaçõe ,9 61,2 54 Serttel Outra atividade ,4 61,1 55 Acqua Pecado Alimento ,9 60,9 56 Proguarda Adminitração e Serviço Higiene e limpeza ,6 60,8 57 Ogochi Têxtil e calçado ,7 60,5 58 Bettoni Serviço de contrução ,8 59,3 59 Via Permanente Máquina e equipamento ,9 59,0 60 Sanex Pretação de erviço ,1 58,8 61 Exto Informática, TI e internet ,2 58,5 62 Poliview Informática, TI e internet ,8 57,4 63 Bichara, Barata & Cota Pretação de erviço ,9 56,2 64 TMSA Máquina e equipamento ,8 55,5 65 Contat Informática, TI e internet ,1 54,6 66 Seva Máquina e equipamento ,3 51,8 67 Gertec - Serviço Telecomunicaçõe ,0 51,3 68 Peltier Telecomunicaçõe ,9 51,0 69 Conquet One Informática, TI e internet ,5 50,5 70 Digipix Editorial e gráfico ,2 50,1 71 Engebaa Máquina e equipamento ,3 48,1 72 Santé Pretação de erviço ,1 48,0 73 N&A Pretação de erviço ,5 47,5 74 Dimep Sitema Máquina e equipamento ,8 47,2 75 Cianet Networking Informática, TI e internet ,9 46,9 76 Equipo Veículo e autopeça ,7 46,9 77 Mater Turimo Turimo, hotelaria e lazer ,9 46,2 78 Vaga Tecnologia Informática, TI e internet ,8 45,2 79 Guimar Engenharia Serviço de contrução ,2 45,0 80 Pifer Tranporte ,2 44,3 81 Zipcode Informática, TI e internet ,7 44,1 A PME que Mai Crecem no Brail 19

20 A c i P M E q u e m a l i r e c e m n o B a r Emprea Setor Receita líquida (R$ mil) Crecimento (%) Anual 82 Cabletech Telecomunicaçõe ,5 44,1 83 Loga Logítica e Tranporte Tranporte ,0 43,9 84 Prodap Alimento ,4 43,7 85 EAC Software Informática, TI e internet ,5 43,4 86 Contrutora Vale Azul Contrução civil ,5 43,3 87 Radiopharmacu Indútria farmacêutica ,0 42,8 88 Digiytem Informática, TI e internet ,6 42,7 89 MGM Contrutora Contrução civil ,8 42,4 90 Bexpert Informática, TI e internet ,5 42,0 91 Paranaiba Fertilizante Indútria química ,3 41,9 92 Proguarda Vigilância e Segurança Pretação de erviço ,9 41,7 93 Grupo TV1 Pretação de erviço ,8 41,7 94 MCM Química Indútria química ,5 41,2 95 ISH Tecnologia Informática, TI e internet ,1 41,1 96 Wellcare Automação Informática, TI e internet ,4 40,5 97 4Bio Medicamento Comércio varejita e atacadita ,7 40,3 98 Ivia Informática, TI e internet ,9 39,6 99 Dudalina Têxtil e calçado ,7 39,5 100 Etaf Equipamento Máquina e equipamento ,2 39,4 101 Gertec - Tecvan Informática, TI e internet ,6 39,1 102 P3Image Comércio varejita e atacadita ,6 39,1 103 Deal Group Informática, TI e internet ,4 39,1 104 Etep Contrução civil ,6 38,8 105 Itaipu Norte Veículo e autopeça ,5 38,4 106 Imeve Agropecuária ,4 38,3 107 Staroft Informática, TI e internet ,2 38,3 108 Pet Society Comércio varejita e atacadita ,3 37,9 109 Rezende Sitema Informática, TI e internet ,7 37,7 110 Potenza Comércio varejita e atacadita ,5 37,7 111 Kimberlit Indútria química ,0 37,5 112 A Geradora Máquina e equipamento ,4 36,9 113 Globalbev Bebida ,9 36,3 114 Novaprolink Tecnologia Comércio varejita e atacadita ,9 36,0 115 Fiori Cimento, vidro e imilare ,7 35,9 116 Pilar Higiene e limpeza ,4 35,8 117 Contrutora Ribeiro Caram Contrução civil ,9 35,6 118 Coninco Informática, TI e internet ,6 35,1 119 Lotil Contrução civil ,6 35,1 120 Proeg Segurança Pretação de erviço ,0 34,5 121 Ditribuidora de Papéi Braile Comércio varejita e atacadita ,5 34,3 122 Frigorífico Silva Alimento ,4 34,0 123 Elba Serviço de aluguéi ,0 33,8 Obervaçõe: O nome de alguma emprea foram implificado por razõe de epaço ou clareza; A receita líquida indicada provém de informaçõe da demontraçõe de reultado fornecida pela emprea. 20

Enterprise Quality Management [EQM] Excelência em Gestão da Qualidade

Enterprise Quality Management [EQM] Excelência em Gestão da Qualidade Enterprie Quality Management [EQM] Excelência em Getão da Qualidade A Getão da Qualidade Total, do inglê Total Quality Management - TQM é uma etratégia de adminitração completa que tem como objetivo principal

Leia mais

Lider. ança. para criar e gerir conhecimento. }A liderança é um fator essencial para se alcançar o sucesso também na gestão do conhecimento.

Lider. ança. para criar e gerir conhecimento. }A liderança é um fator essencial para se alcançar o sucesso também na gestão do conhecimento. Liderança para criar e gerir conhecimento Lider ança para criar e gerir conhecimento }A liderança é um fator eencial para e alcançar o uceo também na getão do conhecimento.~ 48 R e v i t a d a ES P M janeiro

Leia mais

COP Comunication on Progress EQÜIDADE DE GÊNERO

COP Comunication on Progress EQÜIDADE DE GÊNERO COP Comunication on Progre São Paulo, 28 de fevereiro de 2011 A Ferol Indútria e Comércio SA declara eu apoio contínuo ao Pacto Global. A Ferol acredita na diveridade e na pluralidade como ferramenta de

Leia mais

Inclusão Social dos Jovens nos Assentamentos Rurais de Areia com ênfase no trabalho da Tutoria e recursos das novas TIC s

Inclusão Social dos Jovens nos Assentamentos Rurais de Areia com ênfase no trabalho da Tutoria e recursos das novas TIC s Incluão Social do Joven no Aentamento Rurai de Areia com ênfae no trabalho da Tutoria e recuro da nova TIC MIRANDA 1, Márcia C.V.; SILVA 2, Fátima do S.; FÉLIX 3, Jânio 1 Profeora orientadora e coordenadora

Leia mais

Avaliação de Ações. Mercado de Capitais. Luiz Brandão. Ações. Mercado de Ações

Avaliação de Ações. Mercado de Capitais. Luiz Brandão. Ações. Mercado de Ações Mercado de Capitai Avaliação de Açõe Luiz Brandão O título negociado no mercado podem de renda fixa ou de renda variável. Título de Renda Fixa: Conhece-e de antemão qual a remuneração a er recebida. odem

Leia mais

PROCEDIMENTO DE MERCADO AM.04 Cálculo de Votos e Contribuição

PROCEDIMENTO DE MERCADO AM.04 Cálculo de Votos e Contribuição PROCEDIMENTO DE MERCADO AM.04 Cálculo de Voto e Contribuição Reponável pelo PM: Acompanhamento do Mercado CONTROLE DE ALTERAÇÕES Verão Data Decrição da Alteração Elaborada por Aprovada por PM AM.04 - Cálculo

Leia mais

CRECHE COMUNITARIA PINGO DE GENTE AV.Senador Levindo Coelho 130 Tirol CEP.30662-290 CNPJ: 21508312.0001/80

CRECHE COMUNITARIA PINGO DE GENTE AV.Senador Levindo Coelho 130 Tirol CEP.30662-290 CNPJ: 21508312.0001/80 ORGANIZAÇÃO PROPONENTE: CRECHE COMUNITARIA PINGO DE GENTE PROJETO : CUIDANDO EDUCANDO E CONSTRUINDO CIDADÃOS DO FUTURO. LINHA PROGRAMÁTICA DO PROJETO Creche, Educação Infantil, Socialização,Garantia de

Leia mais

Qualidade da gestão de medicamentos em hospitais públicos*

Qualidade da gestão de medicamentos em hospitais públicos* Qualidade da getão de medicamento em hopitai público* André Gutavo Gadelha Mavignier de Noronha** Djalma Freire Borge*** S UMÁRIO: 1. Introdução; 2. Metodologia; 3. Reultado; 4. Concluão. S UMMARY: 1.

Leia mais

Rentabilidade das Instituições Financeiras no Brasil: Mito ou Realidade? Autores JOSÉ ALVES DANTAS Centro Universitário Unieuro

Rentabilidade das Instituições Financeiras no Brasil: Mito ou Realidade? Autores JOSÉ ALVES DANTAS Centro Universitário Unieuro Rentabilidade da Intituiçõe Financeira no Brail: Mito ou Realidade? Autore JOSÉ ALVES DANTAS Centro Univeritário Unieuro PAULO ROBERTO BARBOSA LUSTOSA PMIRPGCC - UNB/UFPB/UFPE/UFRN Reumo A dicuão obre

Leia mais

CAPÍTULO 6 - Testes de significância

CAPÍTULO 6 - Testes de significância INF 16 CAPÍTULO 6 - Tete de ignificância Introdução Tete de ignificância (também conhecido como Tete de Hipótee) correpondem a uma regra deciória que no permite rejeitar ou não rejeitar uma hipótee etatítica

Leia mais

ESTUDO DE GEOMARKETING

ESTUDO DE GEOMARKETING ESTUDO DE GEOMARKETING Aplicabilidade no egmento de Franquia O etudo de Geomarketing permite avaliar o ponto de venda exitente da rede em etudo e poibilita apontar nova oportunidade de negócio em comprometer

Leia mais

CATÁLOGO DE CURSOS SELECIONADOS

CATÁLOGO DE CURSOS SELECIONADOS CATÁLOGO DE CURSOS SELECIONADOS Laureate Network Product & Service Copyright 2013 Laureate Education, Inc. ÍNDICE C A T Á L O G O L N P S ÍCONE Nome do Curo Língua Duração Deenvolvimento do Corpo Acadêmico

Leia mais

O URBANO E A PRODUÇÃO IMOBILIÁRIA EM CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - ES

O URBANO E A PRODUÇÃO IMOBILIÁRIA EM CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - ES P A N Ó P T I C A O URBANO E A PRODUÇÃO IMOBILIÁRIA EM CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - ES Daniel Pitzer Zippinotti Univeridade Federal do Epírito Santo - UFES 1. INTRODUÇÃO O preente trabalho procura apreentar

Leia mais

Pescando direitos. Medidas Provisórias nºs 664 e 665 de 30 dezembro de 2014. Sobre as MP's 664 e 665 de 2014:

Pescando direitos. Medidas Provisórias nºs 664 e 665 de 30 dezembro de 2014. Sobre as MP's 664 e 665 de 2014: Pecando direito Boletim Jurídico do CPP/ Abril de 2015. 1ª edição. Medida Proviória nº 664 e 665 de 30 dezembro de 2014. Sobre a MP' 664 e 665 de 2014: Em 30 dezembro de 2014 foram promulgada a Medida

Leia mais

Afetação de recursos, produtividade e crescimento em Portugal 1

Afetação de recursos, produtividade e crescimento em Portugal 1 Artigo 65 Afetação de recuro, produtividade e crecimento em Portugal 1 Daniel A. Dia 2 Carlo Robalo Marque 3 Chritine Richmond 4 Reumo No período 1996 a 2011 ocorreu uma acentuada deterioração na afetação

Leia mais

Estabelecer critérios e procedimentos gerais para gerir a Secretaria do Conselho da Magistratura (SECCM).

Estabelecer critérios e procedimentos gerais para gerir a Secretaria do Conselho da Magistratura (SECCM). Propoto por: Equipe da Secretaria do Conelho da Magitratura (SECCM) Analiado por: Repreentante da Adminitração Superior (RAS/SECCM) Aprovado por: Secretária da Secretaria do Conelho da Magitratura (SECCM)

Leia mais

A EDUCAÇÃO BRASILEIRA NAS ÚLTIMAS DÉCADAS: OBSTÁCULOS E METAS DENTRO E FORA DA ESCOLA

A EDUCAÇÃO BRASILEIRA NAS ÚLTIMAS DÉCADAS: OBSTÁCULOS E METAS DENTRO E FORA DA ESCOLA 329 A EDUCAÇÃO BRASILEIRA NAS ÚLTIMAS DÉCADAS: OBSTÁCULOS E METAS DENTRO E FORA DA ESCOLA BRAZILIAN EDUCATION IN LAST DECADES: BARRIERS AND GOALS INSIDE AND OUTSIDE SCHOOL 1 t r a v e i a e d. 1 0 i n

Leia mais

As PMEs que mais CRESCEM no Brasil. Empresas e empreendedores O novo ranking das PMEs e um perfil dos líderes das emergentes em 8 anos da pesquisa

As PMEs que mais CRESCEM no Brasil. Empresas e empreendedores O novo ranking das PMEs e um perfil dos líderes das emergentes em 8 anos da pesquisa As PMEs que mais CRESCEM no Brasil 2013 Empresas e empreendedores O novo ranking das PMEs e um perfil dos líderes das emergentes em 8 anos da pesquisa Sumário O perfil do empreendedor brasileiro... 4 Faixa

Leia mais

Projeto Crescer I e II

Projeto Crescer I e II Projeto Crecer I e II Motra Local de: Araponga Categoria do projeto: I Projeto em Andamento (projeto em execução atualmente) Nome da Intituição/Emprea: Paulo Hermínio Pennacchi, preidente da Caa do Bom

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS DE CONTROLADORIA EM ORGÃOS PÚBLICOS: UM ESTUDO NOS MUNICÍPIOS MATOGROSSENSES DA REGIÃO SUDOESTE

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS DE CONTROLADORIA EM ORGÃOS PÚBLICOS: UM ESTUDO NOS MUNICÍPIOS MATOGROSSENSES DA REGIÃO SUDOESTE SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS DE CONTROLADORIA EM ORGÃOS PÚBLICOS: UM ESTUDO NOS MUNICÍPIOS MATOGROSSENSES DA REGIÃO SUDOESTE Autoria: Marco Antonio de Souza, Aldo Céar da Silva Ortiz, Lauro Brito

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Reolução n 12/ 2013 Aprova a reformulação do Projeto Pedagógico do Curo de Graduação em Pedagogia

Leia mais

Professora FLORENCE. Resolução:

Professora FLORENCE. Resolução: 1. (FEI-SP) Qual o valor, em newton, da reultante da força que agem obre uma maa de 10 kg, abendo-e que a mema poui aceleração de 5 m/? Reolução: F m. a F 10. 5 F 50N. Uma força contante F é aplicada num

Leia mais

PENSAMENTO SISTÊMICO APLICADO A SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO. Leila Lage Humes lhumes@usp.br

PENSAMENTO SISTÊMICO APLICADO A SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO. Leila Lage Humes lhumes@usp.br V I I S E M E A D E S T U D O D E C A S O M É T O D O S Q U A N T I T A T I V O S E I N F O R M Á T I C A PENSAMENTO SISTÊMICO APLICADO A SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO Leila Lage Hume lhume@up.br

Leia mais

Artigos. Comunicação organizacional e relações públicas: caminhos que se cruzam, entrecruzam ou sobrepõem?

Artigos. Comunicação organizacional e relações públicas: caminhos que se cruzam, entrecruzam ou sobrepõem? E t u d o17 Artigo Comunicação organizacional e relaçõe pública: caminho que e cruzam, entrecruzam ou obrepõem? IVONE DE LOUDES OLIVEIRA Metre em Ciência da Comunicação pela ECA-USP e doutora em Comunicação

Leia mais

Imposto de Renda Pessoa Física

Imposto de Renda Pessoa Física Impoto de Renda Peoa Fíica 2006 Manual de Preenchimento Declaração de Ajute Anual Modelo Completo - Ano-calendário de 2005 Receita Federal Minitério da Fazenda GOVERNO FEDERAL Índice PÁG. ENTREGA DA DECLARAÇÃO

Leia mais

ÍNDICE. 03 Desenvolvimento do Corpo Acadêmico Laureate. 10 Laureate Languages. 14 Produtos da Marca Laureate. 18 Melhores Práticas Laureate

ÍNDICE. 03 Desenvolvimento do Corpo Acadêmico Laureate. 10 Laureate Languages. 14 Produtos da Marca Laureate. 18 Melhores Práticas Laureate ÍNDICE 03 Deenvolvimento do Corpo Acadêmico Laureate 10 Laureate Language 14 Produto da Marca Laureate 18 Melhore Prática Laureate MY.LAUREATE.NET 3 Promovendo a Excelência de Enino Como Melhorar o Enino

Leia mais

Confrontando Resultados Experimentais e de Simulação

Confrontando Resultados Experimentais e de Simulação Confrontando Reultado Experimentai e de Simulação Jorge A. W. Gut Departamento de Engenharia Química Ecola Politécnica da Univeridade de São Paulo E mail: jorgewgut@up.br Um modelo de imulação é uma repreentação

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PIAUÍ COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PIAUÍ COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO 1 EDITAL CONVITE Nº 009/2011-CPL/GPDP Proceo Adminitrativo nº 0221/2011 -CPL/GDPG A, atravé da Comião Permanente de Licitação, intituída pela Portaria nº 383/2011-GDPG, datada de 08/07/2011, da Exma. Sra.

Leia mais

Projeto Visita Virtual e Videoconferência Judicial

Projeto Visita Virtual e Videoconferência Judicial Projeto Viita Virtual e Videoconferência Judicial Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN) Minitério da Jutiça Ete projeto naceu de uma parceria entre o Departamento Penitenciário Nacional e a Defenoria

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA CA E CC - GAT

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA CA E CC - GAT XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Verão.0 22 a 25 Novembro de 2009 Recife PE GRUPO IV GRUPO DE ESTUDO DE ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA CA E CC GAT

Leia mais

3 Fuga de cérebros e investimentos em capital humano na economia de origem uma investigação empírica do brain effect 3.1.

3 Fuga de cérebros e investimentos em capital humano na economia de origem uma investigação empírica do brain effect 3.1. 3 Fuga de cérebro e invetimento em capital humano na economia de origem uma invetigação empírica do brain effect 3.1. Introdução Uma da vertente da literatura econômica que etuda imigração eteve empre

Leia mais

O CORPO HUMANO E A FÍSICA

O CORPO HUMANO E A FÍSICA 1 a fae Prova para aluno do 9º e 1º ano LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: 01) Eta prova detina-e excluivamente a aluno do 9 o ano do enino fundamental e 1º ano do enino médio. Ela contém trinta quetõe.

Leia mais

Padronizar os procedimentos relativos ao suporte de áudio e vídeo na Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro - EMERJ.

Padronizar os procedimentos relativos ao suporte de áudio e vídeo na Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro - EMERJ. Propoto por: Diretor do Departamento de Tecnologia de Informação e Comunicação (DETEC) Analiado por: Aeora da Aeoria de Getão Etratégica (ASGET) Aprovado por: Secretária-Geral de Enino (SECGE) 1 OBJETIVO

Leia mais

operação. Determine qual o percentual de vezes que o servidor adicional será acionado.

operação. Determine qual o percentual de vezes que o servidor adicional será acionado. P r i m e i r o e m e t r e d e 2 4 Revião da Poion e da Exponencial. Suponha ue o aceo a um ervidor de web iga uma Poion com taxa de uatro aceo por minuto. (i) Encontre a probabilidade de ue ocorram aceo

Leia mais

Curso de Análise Matricial de Estruturas 1 I - INTRODUÇÃO

Curso de Análise Matricial de Estruturas 1 I - INTRODUÇÃO Curo de Análie Matricial de Etrutura 1 I - INTRODUÇÃO I.1 - Introdução O proceo de um projeto etrutural envolve a determinação de força interna e de ligaçõe e de delocamento de uma etrutura. Eta fae do

Leia mais

I Desafio Petzl Para Bombeiros Regulamento Campeonato Internacional de Técnicas Verticais e Resgate

I Desafio Petzl Para Bombeiros Regulamento Campeonato Internacional de Técnicas Verticais e Resgate ! I Deafio Petzl Para Bombeiro Regulamento Campeonato Internacional de Técnica Verticai e Regate A Spelaion, ditribuidor excluivo Petzl no Brail e o Corpo de Bombeiro de Goiá, etá organizando o Primeiro

Leia mais

A PRODUÇÃO DE SENTIDOS NOS CAMINHOS DO HIPERTEXTO THE PRODUCTION OF SENSE IN THE HYPERTEXT WAY

A PRODUÇÃO DE SENTIDOS NOS CAMINHOS DO HIPERTEXTO THE PRODUCTION OF SENSE IN THE HYPERTEXT WAY 27 A PRODUÇÃO DE SENTIDOS NOS CAMINHOS DO HIPERTEXTO THE PRODUCTION OF SENSE IN THE HYPERTEXT WAY 1 RESUMO: A tecnologia da informação e comunicação - TIC ampliam o epaço para comunicação e interação na

Leia mais

Livro para a SBEA (material em construção) Edmundo Rodrigues 9. peneiras

Livro para a SBEA (material em construção) Edmundo Rodrigues 9. peneiras Livro para a SBEA (material em contrução) Edmundo Rodrigue 9 4.1. Análie granulométrica Granulometria, graduação ou compoição granulométrica de um agregado é a ditribuição percentual do eu divero tamanho

Leia mais

UMA ABORDAGEM GLOBAL PARA O PROBLEMA DE CARREGAMENTO NO TRANSPORTE DE CARGA FRACIONADA

UMA ABORDAGEM GLOBAL PARA O PROBLEMA DE CARREGAMENTO NO TRANSPORTE DE CARGA FRACIONADA UMA ABORDAGEM GLOBAL PARA O PROBLEMA DE CARREGAMENTO NO TRANSPORTE DE CARGA FRACIONADA Benjamin Mariotti Feldmann Mie Yu Hong Chiang Marco Antonio Brinati Univeridade de São Paulo Ecola Politécnica da

Leia mais

ANÁLISE DOS RESULTADOS BIÓTICOS E ABIÓTICOS DA RESTAURAÇÃO DA MATA CILIAR DE NASCENTE UTILIZANDO TÉCNICAS DE NUCLEAÇÃO

ANÁLISE DOS RESULTADOS BIÓTICOS E ABIÓTICOS DA RESTAURAÇÃO DA MATA CILIAR DE NASCENTE UTILIZANDO TÉCNICAS DE NUCLEAÇÃO 164 ANÁLISE DOS RESULTADOS BIÓTICOS E ABIÓTICOS DA RESTAURAÇÃO DA MATA CILIAR DE NASCENTE UTILIZANDO TÉCNICAS DE NUCLEAÇÃO Carla Tiemi Fukumoto; Renata Ribeiro de Araújo. Engenharia Ambiental. Departamento

Leia mais

www.inglesdojerry.com.br

www.inglesdojerry.com.br www.ingledojerry.com.br AGRADECIMENTOS Meu mai incero agradecimento, A Deu, que em ua incomenurável e infinita abedoria tem me dado aúde e força para atravé dete trabalho levar o enino do idioma a peoa

Leia mais

Caixa Geral Depósitos SA Entrada em vigor: 27-01-2012 VALORES MOBILIÁRIOS. 1. Operações de Bolsa. Page 1

Caixa Geral Depósitos SA Entrada em vigor: 27-01-2012 VALORES MOBILIÁRIOS. 1. Operações de Bolsa. Page 1 Na contratação de erviço de invetimento em valore mobiliário, o invetidore não qualificado devem analiar atentamente o preçário para calcular o encargo totai previívei do invetimento a realizar, incluindo

Leia mais

Reconhece e aceita a diversidade de situações, gostos e preferências entre os seus colegas.

Reconhece e aceita a diversidade de situações, gostos e preferências entre os seus colegas. Ecola Báic a 2º º e 3º º Ciclo Tema 1 Viver com o outro Tema Conteúdo Competência Actividade Tema 1 Viver com o outro Valore Direito e Devere Noção de valor O valore como referenciai para a acção: - o

Leia mais

Termômetro tributário 2015 Tendências e desafios do profissional de impostos no Brasil

Termômetro tributário 2015 Tendências e desafios do profissional de impostos no Brasil Termômetro tributário 01 Tendências e desafios do profissional de impostos no Brasil Gestor tributário: aspirações e tendências Esta é mais uma edição do estudo da Deloitte sobre a área tributária no Brasil,

Leia mais

XLVI Pesquisa Operacional na Gestão da Segurança Pública

XLVI Pesquisa Operacional na Gestão da Segurança Pública PROBLEMA DE CORTE UNIDIMENSIONAL COM SOBRAS APROVEITÁVEIS: RESOLUÇÃO DE UM MODELO MATEMÁTICO Adriana Cherri Departamento de Matemática, Faculdade de Ciência, UNESP, Bauru adriana@fc.unep.br Karen Rocha

Leia mais

CAPÍTULO 10 Modelagem e resposta de sistemas discretos

CAPÍTULO 10 Modelagem e resposta de sistemas discretos CAPÍTULO 10 Modelagem e repota de itema dicreto 10.1 Introdução O itema dicreto podem er repreentado, do memo modo que o itema contínuo, no domínio do tempo atravé de uma tranformação, nete cao a tranformada

Leia mais

PROTEÇÕES COLETIVAS. Modelo de Dimensionamento de um Sistema de Guarda-Corpo

PROTEÇÕES COLETIVAS. Modelo de Dimensionamento de um Sistema de Guarda-Corpo PROTEÇÕES COLETIVAS Modelo de Dimenionamento de um Sitema de Guarda-Corpo PROTEÇÕES COLETIVAS Modelo de Dimenionamento de um Sitema de Guarda-Corpo PROTEÇÕES COLETIVAS Modelo de Dimenionamento de um Sitema

Leia mais

A receita da rentabilidade para expandir os negócios Um estudo sobre as PMEs que mais crescem no Brasil

A receita da rentabilidade para expandir os negócios Um estudo sobre as PMEs que mais crescem no Brasil A receita da rentabilidade para expandir os negócios Um estudo sobre as PMEs que mais crescem no Brasil 2011 Sumário Metodologia do estudo...4 Amostra da pesquisa...6 Lições que fazem crescer...7 Os determinantes

Leia mais

a medicina de família e comunidade, a atenção primária à saúde e o ensino de graduação Recomendações & Potencialidades

a medicina de família e comunidade, a atenção primária à saúde e o ensino de graduação Recomendações & Potencialidades a medicina de família e comunidade, a atenção primária à aúde e o enino de graduação Recomendaçõe & Potencialidade organizadore e autore Maria Inez Padula Anderon 1, Marcelo Demarzo 2, Ricardo Donato Rodrigue

Leia mais

Máquinas Eléctricas. Motores de indução. Motores assíncronos. Arranque

Máquinas Eléctricas. Motores de indução. Motores assíncronos. Arranque Motore de indução Arranque São motore robuto e barato (fabricado em maa), embora tendo o inconveniente de não erem regulávei. Conequentemente, uma vez definido um binário e uma corrente, ete apena dependem

Leia mais

SISTEMA DE DESEMPENHO TERRITORIAL BRASIL

SISTEMA DE DESEMPENHO TERRITORIAL BRASIL SISTEMA DE DESEMPENHO TERRITORIAL BRASIL Ampliando a tranição para a utentabilidade em município e etado atravé da conexão entre o poder emprearial, do produtore rurai, do governo e da ociedade civil.

Leia mais

Sede Nacional Sede N a N ci c o i nal l - SP

Sede Nacional Sede N a N ci c o i nal l - SP Sede Nacional Sede Nacional - SP Fundação: 1937 - origem em um sindicato de máquinas têxteis; Possui 1.500 empresas associadas e representa 4,5 mil empresas; O setor representado pela ABIMAQ gera mais

Leia mais

Taxa de Juros e Default em Mercados de Empréstimos Colateralizados

Taxa de Juros e Default em Mercados de Empréstimos Colateralizados Etudo Econômico 41(4) outubro/dezembro de 2011 Taxa de Juro e Default em Mercado de Emprétimo Colateralizado Sergio Ricardo Fautino Batita - Joé Angelo Divino - Jaime Orrillo Submetido: 26 de março de

Leia mais

Palavras-chave:Algoritmo Genético; Carregamento de Contêiner; Otimização Combinatória.

Palavras-chave:Algoritmo Genético; Carregamento de Contêiner; Otimização Combinatória. Reolução do Problema de Carregamento e Decarregamento 3D de Contêinere em Terminai Portuário para Múltiplo Cenário via Repreentação por Regra e Algoritmo Genético Aníbal Tavare de Azevedo (UNICAMP) anibal.azevedo@fca.unicamp.br

Leia mais

Digifort Standard Solução intermediária para instalação de até 32 câmeras

Digifort Standard Solução intermediária para instalação de até 32 câmeras Digifort Standard Solução intermediária para intalação de até 32 câmera A verão Standard fornece o recuro ideai para o monitoramento local e remoto de até 32 câmera por ervidor e por er a verão intermediária

Leia mais

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR Situação Atual do Setor Têxtil e de Confecção Aguinaldo Diniz Filho Presidente da Abit Brasília, 19 de junho de 2013 PERFIL DO SETOR ESTRUTURA DA CADEIA TEXTIL E DE CONFECÇÃO

Leia mais

AULA 02 POTÊNCIA MECÂNICA. = τ. P ot

AULA 02 POTÊNCIA MECÂNICA. = τ. P ot AULA 0 POTÊNCIA MECÂNICA 1- POTÊNCIA Uma força pode realizar um memo trabalho em intervalo de tempo diferente. Quando colocamo um corpo de maa m obre uma mea de altura H num local onde a aceleração da

Leia mais

Um exemplo de Análise de Covariância. Um exemplo de Análise de Covariância (cont.)

Um exemplo de Análise de Covariância. Um exemplo de Análise de Covariância (cont.) Um exemplo de Análie de Covariância A Regreão Linear e a Análie de Variância etudada até aqui, ão cao particulare do Modelo Linear, que inclui também a Análie de Covariância Em qualquer deta trê ituaçõe

Leia mais

Rumo à abertura de capital

Rumo à abertura de capital Rumo à abertura de capital Percepções das empresas emergentes sobre os entraves e benefícios 15º Encontro Nacional de Relações com Investidores e Mercado de Capitais 4 de julho de 2013 Pontos de partida

Leia mais

Programa de Formação Técnica Continuada. Categoria de Emprego para Motores CA / CC

Programa de Formação Técnica Continuada. Categoria de Emprego para Motores CA / CC Programa de Formação Técnica Continuada Categoria de Emprego para Motore CA / CC Índice.Introdução.... Chave manuai etrela triângulo.... O motore.... Motore de indução tipo gaiola.... Motore de indução

Leia mais

Associação de Professores de Matemática PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DO EXAME DE MATEMÁTICA APLICADA ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS (PROVA 835) 2013 2ªFASE

Associação de Professores de Matemática PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DO EXAME DE MATEMÁTICA APLICADA ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS (PROVA 835) 2013 2ªFASE Aociação de Profeore de Matemática Contacto: Rua Dr. João Couto, n.º 7-A 1500-36 Liboa Tel.: +351 1 716 36 90 / 1 711 03 77 Fax: +351 1 716 64 4 http://www.apm.pt email: geral@apm.pt PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

Leia mais

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ETUDANTE ERAMU OUT Dede já, agradecemo a ua participação neta nova etapa do Projecto de Tutoria a Etudante ERAMU verão OUT. Com ete inquérito, pretendemo dar a conhecer

Leia mais

Digifort Professional A solução ideal para empresas que necessitam o gerenciamento de até 64 câmeras

Digifort Professional A solução ideal para empresas que necessitam o gerenciamento de até 64 câmeras Digifort Profeional A olução ideal para emprea que neceitam o gerenciamento de até 64 câmera A verão Profeional fornece o melhore recuro para o monitoramento local e remoto de até 64 câmera por ervidor,

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL N.º 001/2007

CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL N.º 001/2007 CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL N.º 001/2007 A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE INHAMBUPE, Etado da Bahia, no uo de ua atribuiçõe legai, mediante a condiçõe etipulada nete Edital, repaldada no art. 37, II da

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM CASUAL SIMPLES E AMOSTRAGEM SISTEMÁTICA

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM CASUAL SIMPLES E AMOSTRAGEM SISTEMÁTICA Etudo comparativo entre o procedimento de amotragem... 67 ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM CASUAL SIMPLES E AMOSTRAGEM SISTEMÁTICA EM INVENTÁRIOS DE ARBORIZAÇÃO URBANA Comparative

Leia mais

O boi é quem manda. Acostume seus ouvidos o termo. Pastagens

O boi é quem manda. Acostume seus ouvidos o termo. Pastagens O boi é quem manda Patejo rotatínuo não abre mão da rotação de piquete, ma repeita comportamento natural do animai, que conomem apena porção mai nobre do pato. Maritela Franco maritela@revitadbo.com.br

Leia mais

Usos do Orkut O Movimento Heavy Metal e o BuddyPoke Enquanto Expressão de Subjetividade e de Identificação 1

Usos do Orkut O Movimento Heavy Metal e o BuddyPoke Enquanto Expressão de Subjetividade e de Identificação 1 Uo do Orkut O Movimento Heavy Metal e o BuddyPoke Enquanto Expreão de Subjetividade e de Identificação 1 Élida Fabiani Morai de CRISTO; Haroldo França REBOUÇAS Neto; Jacklene de Souza CARRÉRA; Keila Marina

Leia mais

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015 Investe São Paulo Campinas, 17 de março de 2015 Missão Ser a porta de entrada para novos investimentos e a expansão dos negócios existentes, gerando inovação tecnológica, emprego e renda. Promover a competitividade

Leia mais

Intruçõe Breve Verão 1 0 junho 2005 INSTRUÇÕES APENAS PARA PESSOAL QUALIFICADO APERTO DO CONJUNTO DE SUPORTES AVISO: O funcionamento da ua coluna como componente de um itema upeno pode potencialmente expor

Leia mais

Os determinantes do crescimento para as empresas emergentes

Os determinantes do crescimento para as empresas emergentes Os determinantes do crescimento para as empresas emergentes Inovação, o denominador comum do crescimento Pela décima vez consecutiva, a Deloitte tem o orgulho de apresentar o levantamento das Pequenas

Leia mais

6.2.1 Prescrições gerais

6.2.1 Prescrições gerais CAPÍTULO 6.2 PRESCRIÇÕES RELATIVAS AO FABRICO E AOS ENSAIOS SOBRE OS RECIPIENTES SOB PRESSÃO, AEROSSÓIS, RECIPIENTES DE BAIXA CAPACIDADE CONTENDO GÁS (CARTUCHOS DE GÁS) E CARTUCHOS DE PILHAS DE COMBUSTÍVEL

Leia mais

Reducao da. Maioridade Penal: o que voce precisa. essa ideia nao e boa. saber para entender que

Reducao da. Maioridade Penal: o que voce precisa. essa ideia nao e boa. saber para entender que Reducao da Maioridade Penal: o que voce precia aber para entender que ea ideia nao e boa. Expediente Eta cartilha foi originalmente produzida e publicada pela equipe do Centro de Defea da Criança e do

Leia mais

Capítulo 5: Análise através de volume de controle

Capítulo 5: Análise através de volume de controle Capítulo 5: Análie atravé de volume de controle Volume de controle Conervação de maa Introdução Exite um fluxo de maa da ubtância de trabalho em cada equipamento deta uina, ou eja, na bomba, caldeira,

Leia mais

FRATTINI. Associados. Econômico. Agosto/14

FRATTINI. Associados. Econômico. Agosto/14 Agosto/14 Sumário ECONOMIA MELHORES & MAIORES 2014 ECONOMIA Inflação PIB Fonte: Veja, Julho 2014 Fonte: Veja, Julho 2014 Inflação Inflação continua preocupando em 2015. Fonte: Itaú BBA, Julho/14 Inflação

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014 Logística, Supply Chain e Infraestrutura Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Bolsistas Fapemig Gustavo

Leia mais

Projeto Sinergia Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Departamento Nacional

Projeto Sinergia Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Departamento Nacional Projeto Sinergia Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Departamento Nacional Av. Ayrton Senna, 5.555 Barra da Tijuca CEP 22775-004 Rio de Janeiro RJ Brail Tel.: (21) 2136-5672 Fax: (21) 2136-5532/5689

Leia mais

CREATING TOMORROW S SOLUTIONS

CREATING TOMORROW S SOLUTIONS CREATING TOMORROW S SOLUTIONS Contrução civil I Ligante Polimérico I América do Sul Vião Geral do Polímero em Pó VINNAPAS Como você quer otimizar ua argamaa? A argamaa percorreram um longo caminho dede

Leia mais

Análise da viabilidade econômica de um sistema silvipastoril com eucalipto para a Zona da Mata de Minas Gerais 1

Análise da viabilidade econômica de um sistema silvipastoril com eucalipto para a Zona da Mata de Minas Gerais 1 Análie da viabilidade econômica de um itema ilvipatoril... 107 Análie da viabilidade econômica de um itema ilvipatoril com eucalipto para a Zona da Mata de Mina Gerai 1 Economic viability analyi of a ilvopatoral

Leia mais

A CAPACIDADE DE SUBITIZING EM CRIANÇAS DE 4 ANOS

A CAPACIDADE DE SUBITIZING EM CRIANÇAS DE 4 ANOS A CAPACIDADE DE SUBIIZING EM CRIANÇAS DE 4 ANOS Maria João Ramalho Cordeiro Diertação apreentada à ecola Superior de Educação de Liboa para obtenção de grau de metre em Educação Matemática na Educação

Leia mais

ANÁLISE LINEAR COM REDISTRIBUIÇÃO E ANÁLISE PLÁSTICA DE VIGAS DE EDIFÍCIOS

ANÁLISE LINEAR COM REDISTRIBUIÇÃO E ANÁLISE PLÁSTICA DE VIGAS DE EDIFÍCIOS Anai do 47º Congreo Braileiro do Concreto - CBC005 Setembro / 005 ISBN 85-98576-07-7 Volume XII - Projeto de Etrutura de Concreto Trabalho 47CBC06 - p. XII7-85 005 IBRACON. ANÁLISE LINEAR COM REDISTRIBUIÇÃO

Leia mais

EM PAUTA O QUE É PRECISO FAZER PARA VIABILIZAR O ACESSO DE PEQUENAS & MÉDIAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL?

EM PAUTA O QUE É PRECISO FAZER PARA VIABILIZAR O ACESSO DE PEQUENAS & MÉDIAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL? O QUE É PRECISO FAZER PARA VIABILIZAR O ACESSO DE PEQUENAS & MÉDIAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL? 8 REVISTA RI Setembro 2013 É o mercado de capitais brasileiro que precisa das pequenas e médias

Leia mais

Apoio à Inovação. Junho de 2013

Apoio à Inovação. Junho de 2013 Apoio à Inovação Junho de 2013 Inovação: Conceito (...) implementação de um produto (bem ou serviço) novo ou significativamente aprimorado, ou um processo, ou um novo método de marketing, ou um novo método

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente O papeldo BNDES napromoçãodo desenvolvimento econômico e social do Brasil IV Fórum Internacional de comunicação e sustentabilidade Brasília, 26 de maio de 2011 Luciano Coutinho Presidente O Brasil ingressa

Leia mais

Digifort Enterprise A mais completa solução Digifort para monitoramento de câmeras e alarmes.

Digifort Enterprise A mais completa solução Digifort para monitoramento de câmeras e alarmes. Digifort Enterprie A mai completa olução Digifort para monitoramento de câmera e alarme. A verão Enterprie é o pacote que compreende todo o recuro diponívei para o Sitema Digifort, oferecendo total gerenciamento

Leia mais

PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição- 2011 / 2012

PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição- 2011 / 2012 Member of ICMCI International Council of Management Consulting Institutes PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição 2011 / 2012 Av. Paulista, 326 Conj. 77 Bela Vista CEP 01310902

Leia mais

A economia brasileira e oportunidades de investimento

A economia brasileira e oportunidades de investimento A economia brasileira e oportunidades de investimento Guido Mantega Ministro da Fazenda Aumento do investimento como prioridade do governo Formação Bruta de Capital Fixo, em % PIB *Acumulado até o 3º trimestre

Leia mais

Compliance tributário no Brasil As estruturas das empresas para atuar em um ambiente complexo

Compliance tributário no Brasil As estruturas das empresas para atuar em um ambiente complexo Compliance tributário no Brasil As estruturas das empresas para atuar em um ambiente complexo Pesquisa 2013/2014 Existe uma percepção disseminada de que, além do peso de toda a carga tributária, as empresas

Leia mais

P R O J E T O. Arte. Pneus

P R O J E T O. Arte. Pneus P R O J E T O Arte em C NSCIÊNCIA Promovendo a concientização ecológica utilizando como ferramenta a arte e o ecodeign, criando produto e artefato a partir de reíduo ólido de póconumo (pneu uado) como

Leia mais

Dispõe sobre a Gestão Documental no âmbito da 18ª Região da Justiça do Trabalho.

Dispõe sobre a Gestão Documental no âmbito da 18ª Região da Justiça do Trabalho. FL PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO SECRETARIA DO TRIBUNAL PLENO RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 32/2014 Dipõe obre a Getão Documental no âmbito da 18ª Região da Jutiça

Leia mais

A Carga Tributária para a Indústria de Transformação

A Carga Tributária para a Indústria de Transformação nº 01 A A Indústria de Transformação brasileira deve encerrar 2014 com mais um resultado negativo para a produção, ratificando o quadro de baixa atividade fabril que caracterizou últimos quatro anos, período

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA PREGOEIRO E EQUIPE DE APOIO EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE PREGÃO PRESENCIAL Nº 006/2015

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA PREGOEIRO E EQUIPE DE APOIO EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE PREGÃO PRESENCIAL Nº 006/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO: 360.413-6 PODER JUDICIÁRIO EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE PREGÃO PRESENCIAL Nº 006/2015 (Regitro de Preço para contratação de emprea epecializada, objetivando contrataçõe, eventuai

Leia mais

2 Histórico de fusões e aquisições e conceitos.

2 Histórico de fusões e aquisições e conceitos. 2 Histórico de fusões e aquisições e conceitos. 2.1. Fusões e aquisições globais Com a globalização e a necessidade de escalas cada vez maiores de operação, as grandes empresas ultrapassaram fronteiras

Leia mais

Competências/ Objetivos Especifica(o)s

Competências/ Objetivos Especifica(o)s Tema B- Terra em Tranformação Nº previta Materiai Contituição do mundo material Relacionar apecto do quotidiano com a Química. Reconhecer que é enorme a variedade de materiai que no rodeiam. Identificar

Leia mais

Termômetro tributário O perfil e as aspirações do profissional de impostos no Brasil. Pesquisa 2014/2015

Termômetro tributário O perfil e as aspirações do profissional de impostos no Brasil. Pesquisa 2014/2015 Termômetro tributário O perfil e as aspirações do profissional de impostos no Brasil Pesquisa 2014/2015 Entre desafios e demandas Um profissional multifacetado, envolvido com complexos aspectos técnicos

Leia mais

Figura 3.1 - Curva granulométrica por peneiramento e sedimentação de uma amostra de solo residual (Minas de calcáreo Caçapava do Sul)

Figura 3.1 - Curva granulométrica por peneiramento e sedimentação de uma amostra de solo residual (Minas de calcáreo Caçapava do Sul) Nota de Aula - Mecânica do Solo 23 UNIDADE 3 GRANULOMETRIA DOS SOLOS 3.1 Introdução Todo o olo, em ua fae ólida, contêm partícula de diferente tamanho em proporçõe a mai variada. A determinação do tamanho

Leia mais

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA Inovação é o que distingue um líder de um seguidor. Steven Paul Jobs Grandes ideias mudam o mundo. Missão

Leia mais

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas Perguntas e Respostas Índice 1. Qual é a participação de mercado da ALL no mercado de contêineres? Quantos contêineres ela transporta por ano?... 4 2. Transportar por ferrovia não é mais barato do que

Leia mais

s Rede Locais s Shielded Twisted Pair (STP); s Unshielded Twisted Pair (UTP); s Patch Panels; s Cabo Coaxial; s Fibra Óptica;

s Rede Locais s Shielded Twisted Pair (STP); s Unshielded Twisted Pair (UTP); s Patch Panels; s Cabo Coaxial; s Fibra Óptica; Rede de Computadore Rede Locai Shielded Twited Pair (STP); Unhielded Twited Pair (UTP); Patch Panel; Cabo Coaxial; Fibra Óptica; 2 2010 Airton Junior. All right reerved. Rede de Computadore É um conjunto

Leia mais