Termômetro da Consultoria Organizacional e Pesquisa Rápida de Honorários. 9ª edição

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Termômetro da Consultoria Organizacional e Pesquisa Rápida de Honorários. 9ª edição"

Transcrição

1 Termômetro da Consultoria Organizacional e Pesquisa Rápida de Honorários 9ª edição Av Paulista, 6 Conj 77 Bela Vista CEP -9 São Paulo SP Fone/Fax: 89-5/ wwwibcoorgbr Agosto de 8

2 Índice Introdução Operacionalização da Pesquisa Perfil dos Respondentes 5 Valores de Honorários para Consultoria Valores Agregados Valores de Honorários para Treinamento / Condução de Grupos Valores Agregados Valores de Honorários para Palestras / Conferências Valores Agregados 7 Valores de Honorários para Consultoria Valores por Faixa de Faturamento 9 Valores de Honorários para Treinamento / Condução de Grupos Valores por Faixa de Faturamento Valores de Honorários para Palestras / Conferências Valores por Faixa de Faturamento 55 Valores de Honorários para Consultoria Valores por Porte (Número de ) 58 Valores de Honorários para Treinamento / Condução de Grupos Valores por Porte (Número de ) 7 Valores de Honorários para Palestras / Conferências Valores por Porte (Número de ) 8 Valores de Honorários para Consultoria Valores por Área de Atuação 87 Valores de Honorários para Treinamento / Condução de Grupos Valores por Área de Atuação Valores de Honorários para Palestras / Conferências Valores por Área de Atuação Valores de Honorários Valores por Tipo de Cliente (Cidade Base) 6 Valores de Honorários Valores por Estado ( Seniores na Cidade Base) Valores de Honorários para Consultoria Sênior Perfil das Empresas ( Seniores na Cidade Base) 8 Valores de Honorários para Treinamento / Condução de Grupos Perfil das Empresas ( Seniores na Cidade Base) Valores de Honorários para Palestras Perfil das Empresas (Cidade Base) 6 Situação e Tendências Junho de 8 Situação Geral do Mercado de Consultoria 5 Impacto da TI na Atividade de Consultoria Impacto da Globalização na Atividade de Consultoria 5 Créditos 57

3 Introdução O IBCO, em apoio a seus associados, clientes e sociedade, realiza pela 9ª oportunidade o Termômetro da Consultoria Organizacional e a Pesquisa Rápida de Honorários A Pesquisa tem por objetivo apurar e apresentar dados de referência acerca de honorários de consultoria, treinamento e palestras / conferências e as tendências do mercado

4 Operacionalização da Pesquisa As respostas aos questionários da pesquisa foram obtidas por auto-preenchimento, realizado pelos 7 respondentes, em 6 Estados, de todas as Regiões do Brasil; 8 consultores receberam, por , os questionários, no período compreendido entre de maio e de junho de 8; Os dados coletados foram tabulados e analisados empregando análises descritivas agregadas (contagem, média, mediana, desvio padrão) para toda a base de respondentes e análises com base em classificações como Área de Atuação, Tipo de Cliente, Porte (faixa de faturamento) etc; A Pesquisa não adotou procedimentos metodológicos rigorosos, como amostragem probabilística etc e, portanto, seus resultados devem ser analisados como sinalizadores; e Por levantamento adicional qualitativo e de caráter exploratório realizado, pelo IBCO com um subconjunto de seus associados, avistou-se desafios no mercado da Consultoria

5 Perfil dos Respondentes 5

6 Os estados que apresentam o maior número de respondentes são: São Paulo com 6 respondentes (%); Rio de Janeiro com 8 respondentes (%); Paraná com respondentes (9%); e Rio Grande do Sul com respondentes (7%) Perfil dos Respondentes --distribuição geográfica Estado Resps % AMAZONAS % BAHIA % CEARÁ % DISTRITO FEDERAL % ESPÍRITO SANTO % GOIÁS % MATO GROSSO % MATO GROSSO DO SUL % MINAS GERAIS 6 % PARANÁ 9% PERNAMBUCO 8 6% Nenhum respondente respondente respondentes a 5 respondentes RIO DE JANEIRO RIO GRANDE DO NORTE RIO GRANDE DO SUL SANTA CATARINA 8 % % 7% % 6 a respondentes SÃO PAULO 6 6% Mais de respondentes TOTAL 7 % 6

7 Empresas com consultores ou menos representam cerca de 6% dos respondentes, 7% são consultores autônomos, 5% empresas com consultor e 8% empresas com consultores 7% dos respondentes apresentam faturamento anual até 5 mil reais, 5% faturam até mil reais e % entre mil e 5 mil reais Perfil dos Respondentes --porte Mais de consultores % de 5 a % de 6 a 5 % de a 5 % Interno % Autônomo 7% Consultor 5% 8% Faixa - Número de Base: 7 respostas de a 5 % de 5 a % mais de % Não Respondeu % Faixa Faturamento Anual de 5 mil a milhão 6% Base: 7 respostas de a 5 mil % menos de mil 5% 7

8 5% dos respondentes atuam há pelo menos dez anos no mercado de Consultoria, destes 6% há mais de anos 9% dos respondentes atuam entre 5 e anos, % há menos de 5 anos e 8% há menos de anos Perfil dos Respondentes tempo de atuação no mercado mais de anos 6% menos de anos 8% de a 5 anos % de a anos 5% de 5 a anos 9% Base: 7 respostas 8

9 A área de atuação com o maior número de respondentes é a de Gestão de Negócios / Desenvolvimento Organizacional, com mais de um terço dos respondentes, seguida por Recursos Humanos com % dos respondentes As com o menor número de respondentes são TI, com 6%, Finanças, com 7%, e Marketing, com 9% do total de respondentes da pesquisa Perfil dos Respondentes área de atuação 5 5 Processos % Marketing 9% Finanças 7% TI 6% Outra 7% Gestão de Neg e Des Org RH Processos Marketing Finanças TI Outra RH % Gestão de Neg e Des Org 6% Base: 7 respostas 9

10 A cada respondente, solicitou- se que informasse os três principais setores atendidos, os mais relevantes em faturamento O de serviços foi o mais citado (7%), seguido do setor de comércio (,%), e o composto por mecânico, siderúrgico e metalúrgico (,6%) Os setores de papel e celulose e esporte (,%) são os que apresentam menor percentual de citações entre os respondentes Perfil dos Respondentes tipo de cliente Serviços 7,7% Comércio Mecânica, Siderurgia e Metalurgia Alimentos e Bebidas Automotivo Entidades Empresariais Outros Química, Petroquímica e Plásticos Tecnologia, Telecomunicações e TI Governos Construção Civil Transportes Farmacêutico Eletroeletrônico Material de Construção Óleo & Gás Confecções e Têxtil Higiene, Limpeza e Cosméticos Comércio Exterior Mineração Franquias e Lj de Conveniência Esporte Papel e Celulose 6,% 5,%,%,% 9,5% 8,% 6,6% 5,8% 5,8% 5,%,%,6%,6%,9%,%,%,%,6%,9%,%,%,% % 5% % 5% % 5% % 5% Base: 7 respostas Cada respondente indicou os três setores mais relevantes

11 De maneira geral, divisa-se elevada concentração de empresas com a 5 consultores, exceção das da área de TI, com participação majoritária de empresas com mais de 5 consultores (5%) Entre os respondentes, destaca-se também a expressiva participação de consultores autônomos na área de Finanças, com % do total Perfil dos Respondentes área de atuação x porte (número de consultores) Porte - Número de Gest de Neg e Des Org Finanças Processos Marketing RH TI Outra Interno,9%, %, %, %, %, %, % Autônomo 5,7%, % 5,6 % 6,7 % 6, %,5 %, % Consultor,5%, % 7,8 % 5, % 9, %, %, % 9,6%, % 6,7 %, % 6, %,5 %, % De a 5 7,5%, % 8,9 % 5, % 5,5 % 5, %, % De 6 a 5,9%, %, %, %, % 5, %, % De 5 a,9%, %, %, %, % 5, %, % Mais de consultores,%, %, %, %, %, %, % Total, %, %, %, %, %, %, % Respondentes Base: 7 respostas

12 Descortina- se grande concentração de empresas que faturam até milhão de reais anualmente- cerca de 9% das empresas estão nessa faixa- para todas as áreas de atuação, exceção para as da área de TI que apresentam maior participação para aquelas que faturam mais de milhão de reais (5%), 5% apresentam faturamento de mais de de reais Perfil dos Respondentes área de atuação x porte (( faturamento anual )) Porte Faturamento Anual Gest de Neg e Des Org Finanças Processos Marketing RH TI Outra Não Respondeu,%,%,%,%,%,%,% Menos de mil 56,9% 66,7%,% 58,% 5,%,%,% De a 5 mil 7,6%,% 7,8% 5,%,% 5,%,% De 5 mil a milhão 5,7%,% 6,7% 8,% 6,% 5,%,% De a 5,%,% 5,6%,%,% 5,%,% De 5 a,%,% 5,6% 8,%,%,%, Mais de 5,9%,%,%,%,% 5,%, Total,%,%,%,%,,, Respondentes Base: 7 respostas

13 Valores de Honorários para Consultoria Análise Agregada Considerações sobre Honorários: a análise agregada considera todas as respostas dadas para cada tipo de honorário, independente de classificações como porte, área de atuação etc; honorários referentes a trabalhos fora da cidade base, na maioria dos casos, não englobam as despesas de transporte e estada, hospedagem e alimentação Em alguns casos, são cobradas ainda as horas de deslocamento, na ida e na volta

14 O valor médio para a hora de Consultor Sênior fora da cidade base (R$ 5) é 6% mais elevado que o valor médio revelado para a cidade base (R$ 7) para serviços de Consultoria Consultoria Sênior (valor hora) Valor Hora Na Cidade Base Quant Respostas Valor cobrado no Brasil e no exterior

15 O valor médio do dia de Consultor Sênior fora da cidade base (R$ 95) é % mais alto que o mostrado para a cidade base (R$ 556) para serviços de Consultoria Consultoria Sênior (valor dia) Valor Dia Quant Respostas Na Cidade Base

16 O valor médio para a hora de Consultor Pleno fora da cidade base (R$ 69) é % mais alto que o declarado para a cidade base (R$ ) para serviços de Consultoria Consultoria Pleno (valor hora) Valor Hora Na Cidade Base Quant Respostas Valor cobrado no Brasil e no exterior 6

17 O valor médio para o dia de Consultor Pleno fora da cidade base (R$ 5) é % mais alto que o mostrado para a cidade base (R$ ) para serviços de Consultoria Consultoria Pleno (valor dia) Valor Dia Quant Respostas Na Cidade Base

18 O valor médio para a hora de Consultor Júnior fora da cidade base (R$ 7) é 8% mais alto que o revelado para a cidade base (R$ 8) para serviços de Consultoria Consultoria Júnior (Valor Hora) Valor Hora Na Cidade Base Quant Respostas Valor cobrado no Brasil e no exterior 8

19 O valor médio para o dia de Consultor Júnior fora da cidade base (R$ 686) é % mais alto que o valor médio declarado para a cidade base (R$ 5) para serviços de Consultoria Consultoria Júnior (valor dia) Valor Dia Quant Respostas Na Cidade Base

20 Valores de Honorários para Treinamento / Condução de Grupos Análise Agregada Considerações sobre Honorários: a análise agregada considera todas as respostas dadas para cada tipo de honorário, independente de classificações como porte, área de atuação etc; honorários referentes a trabalhos fora da cidade base, na maioria dos casos, não englobam as despesas de transporte e estada, hospedagem e alimentação Em alguns casos, são cobradas ainda as horas de deslocamento, na ida e na volta

21 O valor médio para a hora de Consultor Sênior fora da cidade base (R$ 8) é 8% mais elevado que o revelado para a cidade base (R$ 6) para serviços de Treinamento / Condução de Grupos Treinamento // Condução de Grupos Sênior (valor hora) Valor Hora Quant Respostas Na Cidade Base

22 O valor médio para o dia de Consultor Sênior fora da cidade base (R$ 5) é 9% mais alto que o declarado para a cidade base (R$ 896) para serviços de Treinamento / Condução de Grupos Treinamento // Condução de Grupos Sênior (valor dia) Valor Dia Quant Respostas Na Cidade Base

23 O valor médio para a hora de Consultor Pleno fora da cidade base (R$ 99) é % mais alto que o manifestado para a cidade base (R$ 6) para serviços de Treinamento / Condução de Grupos Treinamento // Condução de Grupos Pleno (valor hora) Valor Hora Quant Respostas Na Cidade Base

24 O valor médio para o dia de Consultor Pleno fora da cidade base (R$ 57) é 9% mais elevado que o mostrado para a cidade base (R$ ) para serviços de Treinamento / Condução de Grupos Treinamento // Condução de Grupos Pleno (valor dia) Valor Dia Quant Respostas Na Cidade Base

25 O valor médio para a hora de Consultor Júnior fora da cidade base (R$ 9) é % mais alto que o divulgado para a cidade base (R$ 6) para serviços de Treinamento / Condução de Grupos Treinamento // Condução de Grupos Júnior (valor hora) Valor Hora Quant Respostas Na Cidade Base

26 O valor médio do dia de Consultor Júnior fora da cidade base (R$ 57) é 66% mais alto que o declarado para a cidade base (R$ ) para serviços de Treinamento / Condução de Grupos Treinamento // Condução de Grupos Júnior (valor dia) Valor Dia Quant Respostas Na Cidade Base

27 Valores de Honorários para Palestras / Conferências Análise Agregada Considerações sobre Honorários: a análise agregada considera todas as respostas dadas para cada tipo de honorário, independente de classificações como porte, área de atuação etc; honorários referentes a trabalhos fora da cidade base, na maioria dos casos, não englobam as despesas de transporte e estada, hospedagem e alimentação Em alguns casos, são cobradas ainda as horas de deslocamento, na ida e na volta 7

28 O valor médio para Palestras / Conferências, de a horas, fora da cidade base (R$ 57) é 8% mais elevado que o declarado para a cidade base (R$ 96) Palestras // Conferências (de a horas) Valor Hora Quant Respostas Na Cidade Base

29 Valores de Honorários para Consultoria Valores por Faixa de Faturamento Considerações sobre Honorários: honorários referentes a trabalhos fora da cidade base, na maioria dos casos, não englobam as despesas de transporte e estada, hospedagem e alimentação Em alguns casos, são cobradas ainda as horas de na ida e na volta deslocamento, 9

30 Empresas com faturamento anual acima de apresentam a maior média para o valor da hora de Consultor Sênior (R$ 57 na cidade base e R$ 555, fora da cidade base) Consultoria Sênior (valor hora por faixa de faturamento) Cidade Base < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas

31 Entretanto, a mediana é maior para as empresas com faturamento entre 5 mil e 5 por ano (entre R$ 8 e R$ 5 na cidade base e R$ por hora, fora da cidade base) Consultoria Sênior (valor hora por faixa de faturamento) Cidade Base Valor Hora (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual Valor Hora (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual

32 Empresas com faturamento anual entre 5 e apresentam a maior média para o valor dia de Consultor Sênior (R$ 55 na cidade base e R$ 75, fora da cidade base) Consultoria Sênior (valor dia por faixa de faturamento) Cidade Base < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas

33 A mediana também é maior para as empresas com faturamento entre 5 e por ano, apresentando os mesmos valores que a média Consultoria Sênior (valor dia por faixa de faturamento) Cidade Base Valor Dia (R$) Mediana 5 < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual Valor Dia (R$) Mediana 5 < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual

34 Empresas com faturamento anual superior a apresentam a maior média para o valor da hora de Consultor Pleno tanto na cidade base (R$ 7) quanto fora da cidade base (R$ 6) Consultoria Pleno (valor hora por faixa de faturamento) Cidade Base < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas

35 A mediana do valor da hora na cidade base é maior para as empresas com faturamento anual acima de (R$ ) Fora da cidade base, a mediana do valor da hora é maior para as empresas na faixa entre e 5 mil Reais (R$ 65) Consultoria Pleno (valor hora por faixa de faturamento) Cidade Base 5 7 Valor Hora (R$) Mediana 5 < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual 5 6 Valor Hora (R$) Mediana 5 < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual 5

36 Empresas com faturamento anual nas faixas entre e milhão apresentam a maior média para o valor dia de Consultor Pleno (R$ 7 e R$ 8 na cidade base e R$ 6 e R$ por dia fora da cidade base) Consultoria Pleno (valor dia por faixa de faturamento) Cidade Base < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas

37 A mediana do valor dia é maior para as empresas com faturamento anual na faixa entre 5 mil e milhão (R$ na cidade base e R$ fora da cidade base) Consultoria Pleno (valor dia por faixa de faturamento) Cidade Base Valor Dia (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual Valor Dia (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual 7

38 Empresas com faturamento anual acima de exibem a maior média para o valor da hora de Consultor Júnior tanto na cidade base (R$ 6) quanto fora da cidade (R$ ) Consultoria Júnior (valor hora por faixa de faturamento) Cidade Base < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas

39 A mediana do valor da hora na cidade base é maior para as empresas com faturamento anual na faixa acima de 5 (R$ ) Fora da cidade base, a mediana é maior para as empresas na faixa entre e 5 mil Reais (R$ ) Consultoria Júnior (valor hora por faixa de faturamento) Cidade Base 6 6 Valor Hora (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual 6 9 Valor Hora (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual 9

40 Empresas com faturamento anual nas faixas entre e milhão apresentam a maior média para o valor dia de Consultor Júnior na cidade base (R$ 67 e R$ 666) Fora da cidade base, empresas com faturamento na faixa entre e 5 mil reais apresentam a maior média para o valor dia de Consultor Júnior (R$ 988) Consultoria Júnior (valor dia por faixa de faturamento) Cidade Base < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas

41 A mediana do valor dia na cidade base é maior para as empresas com faturamento anual na faixa entre 5 mil e milhão (R$ 7) Fora da cidade base, a mediana do valor dia é maior para as empresas com faturamento anual na faixa entre e 5 mil (R$ 975) Consultoria Júnior (valor dia por faixa de faturamento) Cidade Base 7 Valor Dia (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual Valor Dia (R$) < mil -5 mil 5 mil- milhão > Mediana Faixa de Faturamento Anual

42 Valores de Honorários para Treinamento / Condução de Grupos Valores por Faixa de Faturamento Considerações sobre Honorários: honorários referentes a trabalhos fora da cidade base, na maioria dos casos, não englobam as despesas de transporte e estada, hospedagem e alimentação Em alguns casos, são cobradas ainda as horas de deslocamento, na ida e na volta

43 Empresas com faturamento anual entre e 5 apresentam a maior média para o valor da hora de Consultor Sênior (R$ 57 na cidade base e R$ 5, fora da cidade base) Treinamento // Condução de Grupos Sênior (valor hora por faixa de faturamento) Cidade Base < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas

44 A mediana também é maior para as empresas com faturamento entre e 5 por ano (R$ 5 por hora na cidade base e R$ 6 por hora, fora da cidade base) Treinamento // Condução de Grupos Sênior (valor hora por faixa de faturamento) Cidade Base Valor Hora (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão -5 > Faixa de Faturamento Anual Valor Hora (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão -5 > Faixa de Faturamento Anual

45 Empresas com faturamento anual entre e apresentam a maior média para o valor dia de Consultor Sênior (R$ 688 e R$ 5 na cidade base e R$ 588 e R$ 55, fora da cidade base) Treinamento // Condução de Grupos Sênior (valor dia por faixa de faturamento) Cidade Base < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas

46 A mediana também é maior para as empresas com faturamento entre e por ano revelando os mesmos valores que a média para estas faixas de faturamento Treinamento // Condução de Grupos Sênior (valor dia por faixa de faturamento) Cidade Base Valor Dia (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual Valor Dia (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual 6

47 Empresas com faturamento anual entre e 5 apresentam a maior média para o valor da hora de Consultor Pleno (R$ 5 na cidade base e R$ 75, fora da cidade base) Treinamento // Condução de Grupos Pleno (valor hora por faixa de faturamento) Cidade Base < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas

48 A mediana também é maior para as empresas com faturamento entre e 5 por ano, mostrando os mesmos valores verificados para a média Treinamento // Condução de Grupos Pleno (valor hora por faixa de faturamento) Cidade Base Valor Hora (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão -5 > Faixa de Faturamento Anual Valor Hora (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão -5 > Faixa de Faturamento Anual 8

49 Empresas com faturamento anual entre 5 mil e milhão apresentam a maior média para o valor dia de Consultor Pleno (R$ 9 na cidade base e R$ 89 fora da cidade base) Treinamento // Condução de Grupos Pleno (valor dia por faixa de faturamento) Cidade Base < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas

50 Empresas com faturamento anual entre 5 mil e milhão apresentam a maior mediana para o valor dia de Consultor Pleno na cidade base (R$ ) Fora da cidade base, a maior mediana é mostrada pelas empresas nas faixas de faturamento entre 5 mil e 5 (R$ ) Treinamento // Condução de Grupos Pleno (valor dia por faixa de faturamento) Cidade Base Valor Dia (R$) < mil -5 mil 5 mil- milhão -5 > Mediana Faixa de Faturamento Anual Valor Dia (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão -5 > Faixa de Faturamento Anual 5

51 Empresas com faturamento anual entre e 5 apresentam a maior média para o valor da hora de Consultor Júnior (R$ na cidade base e fora da cidade base) Treinamento // Condução de Grupos Júnior (valor hora por faixa de faturamento) Cidade Base < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas

52 A mediana também é maior para as empresas com faturamento entre e 5 por ano, apresentando os mesmos valores verificados para a média Treinamento // Condução de Grupos Júnior (Valor Hora por Faixa de Faturamento) Cidade Base Valor Hora (R$) < mil -5 mil 5 mil- milhão -5 > Mediana Faixa de Faturamento Anual Valor Hora (R$) < mil -5 mil 5 mil- milhão -5 > Mediana Faixa de Faturamento Anual 5

53 Empresas com faturamento anual entre 5 mil e milhão apresentam a maior média para o valor dia de Consultor Júnior na cidade base (R$ 867 por dia) Fora da cidade base, empresas com faturamento na faixa entre e 5 mil mostram a maior média para o valor dia (R$ por dia) Treinamento // Condução de Grupos Júnior (valor dia por faixa de faturamento) Cidade Base < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas

54 Empresas com faturamento anual entre 5 mil e 5 apresentam a maior mediana para o valor dia de Consultor Júnior na cidade base (R$ ) Fora da cidade base, a maior mediana é mostrada pelas empresas nas faixas de faturamento entre e 5 mil (R$ 5) Treinamento // Condução de Grupos Júnior (valor dia por faixa de faturamento) Cidade Base Valor Dia (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão -5 > Faixa de Faturamento Anual 5 67 Valor Dia (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão -5 > Faixa de Faturamento Anual 5

55 Valores de Honorários para Palestras / Conferências Valores por Faixa de Faturamento Considerações sobre Honorários: honorários referentes a trabalhos fora da cidade base, na maioria dos casos, não englobam as despesas de transporte e estada, hospedagem e alimentação Em alguns casos, são cobradas ainda as horas de deslocamento, na ida e na volta 55

56 Empresas com faturamento anual entre e 5 e maior do que apresentam as maiores médias para o valor de Palestras e Conferências na cidade base (R$ 6 e R$ 9) Fora da cidade base, empresas com faturamento superior a revelam a maior média para o valor de Palestras e Conferências (R$ 5) Palestras // Conferências (valor de a horas, por faixa de faturamento) Cidade Base < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas < mil -5 mil 5 mil- milhão > Quant Respostas

57 Empresas com faturamento anual entre e 5 apresentam a maior mediana para o valor de Palestras e Conferências (R$ 5 na cidade base e R$ 65 fora da cidade base) Palestras // Conferências (valor de a horas, por faixa de faturamento) 5 Cidade Base Valor (R$) Mediana 5 < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual 5 5 Valor (R$) Mediana < mil -5 mil 5 mil- milhão > Faixa de Faturamento Anual 57

58 Valores de Honorários para Consultoria Valores por Porte (Faixas para o Número de ) Considerações sobre Honorários: honorários referentes a trabalhos fora da cidade base, na maioria dos casos, não englobam as despesas de transporte e estada, hospedagem e alimentação Em alguns casos, são cobradas ainda as horas de deslocamento, na ida e na volta 58

59 Uma empresa com mais de consultores apresentou o maior valor para a hora de Consultor Sênior na cidade base (R$ 7), seguida de empresas com consultor (R$ 8), empresas de 6 a 5 consultores (R$ 6) e de a 5 consultores (R$ ) Os consultores autônomos declararam as menores médias para o valor da hora na cidade base (R$ 57) Consultoria Sênior (valor hora por porte) Cidade Base Quant Respostas Interno Autônomo Consultor a a a Mais de Quant Respostas Interno Autônomo Consultor a a a 8 7 Mais de

60 Fora da cidade base, uma empresa com mais de consultores apresentou o maior valor para a hora de Consultor Sênior (R$ 7), em seqüência se apresentaram as empresas com consultor (R$ 5), empresas de a 5 consultores (R$ 6) e as de 6 a 5 consultores (R$ 8) Os consultores autônomos declararam as menores médias para o valor da hora fora da cidade base (R$ 6) Consultoria Sênior (valor hora por porte) Cidade Base 7 7 Valor Hora (R$) Mediana Interno Autônomo Consultor De a 5 De 6 a 5 De 5 a Mais de Faixa de Faturamento Anual 7 7 Valor Hora (R$) Mediana Interno Autônomo Consultor De a 5 De 6 a 5 De 5 a Mais de Faixa de Faturamento Anual 6

61 Empresas de 6 a 5 consultores apresentaram a maior média para o valor dia de Consultor Sênior na cidade base (R$ ), seguidas por empresas de consultor (R$ 8) e das de a 5 consultores (R$ 5) Os consultores autônomos revelaram as menores médias para o valor dia na cidade base (R$ 88) Consultoria Sênior (valor dia por porte) Cidade Base Quant Respostas Interno Autônomo Consultor a a a 58 Quant Respostas Interno 5 5 Autônomo Consultor a a a

62 Fora da cidade base, empresas com consultor apresentaram a maior média para o valor dia de Consultor Sênior (R$ 9), seguidas por empresas de 6 a 5 consultores (R$ 5) e das de a 5 consultores (R$ 8) Os consultores autônomos divulgaram as menores médias para o valor dia fora da cidade base (R$ 96) Consultoria Sênior (valor dia por porte) Cidade Base 5 8 Valor Dia (R$) Mediana 5 Interno Autônomo Consultor De a 5 De 6 a 5 De 5 a Porte Valor Dia (R$) Mediana 5 Interno Autônomo Consultor De a 5 De 6 a 5 De 5 a Porte 6

63 Uma empresa com mais de consultores apresentou o maior valor para a hora de Consultor Pleno na cidade base (R$ 866), seguida por empresas que possuem entre e 5 consultores (R$ ) e empresas de 5 a consultores (R$ ) Os consultores autônomos declararam as menores médias para o valor da hora na cidade base (R$ 8), seguidos pelas empresas de 6 a 5 consultores (R$ 88) Consultoria Pleno (valor hora por porte) Cidade Base Quant Respostas Interno Autônomo Consultor a a a Mais de Quant Respostas Interno Autônomo Consultor a a a Mais de

64 Fora da cidade base, uma empresa com mais de consultores apresentou o maior valor para a hora de Consultor Pleno (R$ 866) Em seqüência se apresentam empresas com consultor (R$ 85), seguidas por empresas de consultores (R$ 7) e das de a 5 consultores (R$ 65) Empresas de 6 a 5 consultores exibiram as menores médias para o valor da hora fora da cidade base (R$ ) Consultoria Pleno (valor hora por porte) Cidade Base Valor Hora (R$) Mediana Interno Autônomo Consultor De a 5 De 6 a 5 De 5 a Mais de Faixa de Faturamento Anual Valor Hora (R$) Mediana Interno Autônomo Consultor De a 5 De 6 a 5 De 5 a Mais de Faixa de Faturamento Anual 6

PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição- 2011 / 2012

PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição- 2011 / 2012 Member of ICMCI International Council of Management Consulting Institutes PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição 2011 / 2012 Av. Paulista, 326 Conj. 77 Bela Vista CEP 01310902

Leia mais

PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 10ª edição- 2009

PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 10ª edição- 2009 PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL ª edição- 9 Av Paulista, 6 Conj 77 Bela Vista CEP -9 São Paulo SP Fone/Fax: 89-/6 897 ibco@ibcoorgbr - wwwibcoorgbr INTRODUÇÃO O IBCO, em apoio

Leia mais

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados 14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados Apresentação Este relatório apresenta os resultados da 14ª Avaliação de Perdas realizada com os principais supermercados do Brasil. As edições

Leia mais

Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação

Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação AS INDÚSTRIAS NECESSITAM IN O VAR PARA SEREM MAIS COMPETITIVAS + Educação Tecnologia + Inovação = Competitividade INSTITUTOS SENAI DE TECNOLOGIA (60) MA Construção

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Setembro/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Junho/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia Sublimites estaduais de enquadramento para o ICMS no Simples Nacional 2012/2013 Vamos acabar com essa ideia 4 CNI APRESENTAÇÃO Os benefícios do Simples Nacional precisam alcançar todas as micro e pequenas

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (dezembro/13) Janeiro de 2014 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (julho/2015) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing Edson José de Lemos Júnior Ermeson Gomes da Silva Jardson Prado Coriolano da Silva Marcos Antonio Santos Marinho Rosinaldo Ferreira da Cunha RELATÓRIO GERENCIAL

Leia mais

SENAI. Historia Criado em 1942, para apoiar o lançamento da indústria brasileira. Necessidade de mão-de-obra qualificada.

SENAI. Historia Criado em 1942, para apoiar o lançamento da indústria brasileira. Necessidade de mão-de-obra qualificada. SENAI Missão Promover a educação profissional e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias industriais, contribuindo para elevar a competitividade da indústria brasileira. Historia Criado

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2010

Contas Regionais do Brasil 2010 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2010 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 23/11/2012 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

Relatório Gerencial TECNOVA

Relatório Gerencial TECNOVA Relatório Gerencial TECNOVA Departamento de Produtos Financeiros Descentralizados - DPDE Área de Apoio à Ciência, Inovação, Infraestrutura e Tecnologia - ACIT Fevereiro de 2015 Marcelo Nicolas Camargo

Leia mais

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX SUMÁRIO 1 ICMS 1.1 CONTRIBUINTE 1.2 FATO GERADOR DO IMPOSTO 1.3 BASE DE CÁLCULO DO IMPOSTO 1.4 REDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO 1.5 CARTA DE CORREÇÃO 1.6 CÓDIGO DA SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 Tributos incluídos no Simples Nacional Brasília 19 de setembro de 2013 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Ações MEI Políticas de caráter horizontal (incentivos fiscais, crédito, melhoria de marcos regulatórios); Políticas para setores estratégicos;

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Perspectivas da economia / Comprometimento de renda Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para

Leia mais

PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009

PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009 2011 Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) Diretoria de Inovação (DRIN) Departamento de Acompanhamento (DAC) PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009 Janeiro/2011

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (setembro/13) outubro de 2013 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

Anuncie na revista oficial da raça Campolina Marchador. Midia Kit

Anuncie na revista oficial da raça Campolina Marchador. Midia Kit Anuncie na revista oficial da raça Campolina Marchador. Midia Kit Foto: Mairo Wellington Criada em 1870 por Cassiano Campolina para ser utilizada pela guarda do Imperador D. Pedro II, a raça Campolina

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR EM CARGOS DE E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Administrador AC 1 14 14.00 Administrador AL 1 53 53.00 Administrador AP 1 18 18.00 Administrador BA 1 75 75.00 Administrador DF 17 990 58.24 Administrador MT 1 55

Leia mais

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr Imagem: Santa Casa de Santos fundada em 1543 Atualização: 26/outubro Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr ópicos Filantró Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Objetivos do Projeto Governança

Leia mais

Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL. Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas

Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL. Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Rochester Gomes da Costa Departamento de Capital Semente 29 de outubro

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Cargo 1: Analista do MPU Área de Atividade: Apoio Técnico-Administrativo Especialidade: Arquivologia Distrito Federal / DF 596 4 149,00 Especialidade: Biblioteconomia Acre / AC 147 1 147,00 Especialidade:

Leia mais

Perfil das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação de Londrina e Região. Pedro José Granja Sella

Perfil das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação de Londrina e Região. Pedro José Granja Sella Perfil das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação de Londrina e Região Pedro José Granja Sella Objetivos Conhecer, em dados, o setor de Tecnologia da Informação e Comunicação da Região de Londrina;

Leia mais

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA -feira EM 2014, A ECONOFARMA RETORNA COM UM NOVO OLHAR SOBRE O VAREJO FARMACÊUTICO CENÁRIO ATUAL O varejo nacional projeta otimismo de crescimento para os

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para mapear os hábitos de consumo e compras para época

Leia mais

Interior de SP. Mailing Jornais

Interior de SP. Mailing Jornais São Paulo AGORA SÃO PAULO BRASIL ECONÔMICO D.C.I. DESTAK (SP) DIÁRIO DO COMMERCIO (SP) DIÁRIO DE SÃO PAULO DIÁRIO DO GRANDE ABC EMPREGO JÁ (SP) EMPREGOS & CONCURSOS (SP) EMPRESAS & NEGÓCIOS (SP) FOLHA

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES Brasília, janeiro/2011 Objetivos específicos da pesquisa 2 Avaliar a quantidade e a qualidade da rede credenciada. Avaliar os serviços oferecidos: o Plano CASSI Família

Leia mais

Análise Demográfica das Empresas da IBSS

Análise Demográfica das Empresas da IBSS CAPÍTULO 4 Análise Demográfica das Empresas da IBSS Apresentação A demografia de empresas investiga a estrutura do estoque de empresas em dado momento e a sua evolução, como os movimentos de crescimento,

Leia mais

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 1. Introdução O presente relatório objetiva apresentar os resultados estatísticos obtidos durante o período

Leia mais

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA ( 44.ª EDIÇÃO ) AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PRESIDENTE Ronaldo Mota Sardenberg CONSELHEIROS Emília

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004 RESULTADOS DE RIO BRANCO - ACRE

SONDAGEM INDUSTRIAL PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004 RESULTADOS DE RIO BRANCO - ACRE O QUE É A SONDAGEM INDUSTRIAL A Sondagem é uma pesquisa qualitativa realizada trimestralmente pela CNI e pelas Federações das s de 19 estados do país (AC, AL, AM, BA, CE, ES, GO, MG, MS, MT, PA, PB, PE,

Leia mais

Soluções sustentáveis em eficiência energética para a indústria

Soluções sustentáveis em eficiência energética para a indústria Soluções sustentáveis em eficiência energética para a indústria PROGRAMA SENAI + COMPETITIVIDADE INSTITUTOS SENAI DE TECNOLOGIA (60) MA Construção Civil CE EletroMetalmecânica Energias Renováveis RN Petróleo

Leia mais

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Um total de 131 municípios da região Norte participou do Levantamento Nacional do Transporte Escolar. No Acre, 36% dos municípios responderam

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA Inovação é o que distingue um líder de um seguidor. Steven Paul Jobs Grandes ideias mudam o mundo. Missão

Leia mais

Balanço Mercado de Trabalho 2014

Balanço Mercado de Trabalho 2014 Balanço Mercado de Trabalho 2014 x Resultados Fevereiro/2015 Apresentação Respondentes: 1016 profissionais do LinkedIn Período: de 15/jan/2015 a 10/fev/2015 Público:participantes dos seguintes grupos de

Leia mais

TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO

TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO UF da IES Nome da IES Nome do Curso Qtd. Inscritos SP FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Ciência e Tecnologia ** 16.253 BA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

Síntese da Pesquisa Realização BERNARDO LEITE CONSULTORIA www.bernardoleite.com.br

Síntese da Pesquisa Realização BERNARDO LEITE CONSULTORIA www.bernardoleite.com.br Síntese da Pesquisa Realização BERNARDO LEITE CONSULTORIA www.bernardoleite.com.br Objetivo da pesquisa: Identificar as práticas na aplicação da Avaliação de Desempenho Período da Pesquisa: 15 de Dezembro

Leia mais

Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil

Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil Observatório das MPEs SEBRAE-SP Março/2008 1 Características da pesquisa Objetivos: Identificar o grau de conhecimento e a opinião dos

Leia mais

Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C. 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1

Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C. 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Índice Objetivo, metodologia e amostra... 03 Perfil dos Respondentes... 04 Principais constatações sobre os hábitos de consumo

Leia mais

No que diz respeito à siderurgia em nível mundial, podemos destacar como principais pontos:

No que diz respeito à siderurgia em nível mundial, podemos destacar como principais pontos: Setor Siderúrgico 1 O setor siderúrgico brasileiro passou por profundas transformações na década de 90, tendo como principal elemento de mudança o processo de privatização do setor, que desencadeou, num

Leia mais

A Carreira Muller. As melhores soluções para sua empresa

A Carreira Muller. As melhores soluções para sua empresa ABRIL 2.013 A Carreira Muller ESTUDO REEMBOLSO QUILOMETRAGEM ABRIL 2013 As melhores soluções para sua empresa A Carreira Muller é uma empresa de consultoria empresarial que desenvolve e implanta soluções

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40.

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40. BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 269.719,83 387.213,30 406.882,12 310.956,48 318.530,07 375.612,10 414.745,41 233.717,31 309.486,24 320.128,57 267.045,80 205.498,88

Leia mais

2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2014 DEZEMBRO Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos Elaboração, distribuição e informações: MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Diretoria

Leia mais

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil 2014 Objetivo Metodologia Perfil da Empresa de Consultoria Características das Empresas Áreas de Atuação Honorários Perspectivas e Percepção de Mercado

Leia mais

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias 50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias Pesquisa realizada pela Rizzo Franchise e divulgada pela revista Exame listou as 50 cidades com as melhores oportunidades para abertura de

Leia mais

A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores

A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores Reunião da Mobilização Empresarial pela Inovação São Paulo 05.11.2010 Micro e Pequenas Empresas no Brasil

Leia mais

Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad. 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor)

Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad. 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor) Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor) Principais obstáculos à ampliação da produtividade do trabalho

Leia mais

OPORTUNIDADES PARA INVESTIMENTO NA INDÚSTRIA QUÍMICA NO BRASIL

OPORTUNIDADES PARA INVESTIMENTO NA INDÚSTRIA QUÍMICA NO BRASIL OPORTUNIDADES PARA INVESTIMENTO NA INDÚSTRIA QUÍMICA NO BRASIL Bilhões US$ FOB Balança comercial brasileira A balança comercial brasileira de bens tipicamente produzidos pela indústria de transformação

Leia mais

RIO ALÉM DO PETRÓLEO CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Adriana Fontes Mauricio Blanco Valéria Pero. Inovação tecnológica

RIO ALÉM DO PETRÓLEO CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Adriana Fontes Mauricio Blanco Valéria Pero. Inovação tecnológica RIO ALÉM DO PETRÓLEO CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Adriana Fontes Mauricio Blanco Valéria Pero Inovação tecnológica Uma das faces do desenvolvimento econômico pode ser vista

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014 16 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014 16 Retratos da Sociedade Brasileira: Problemas e Prioridades do Brasil para 2014 CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA

Leia mais

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Informações Básicas Recursos Humanos Foram pesquisadas as pessoas que trabalhavam na administração direta e indireta por vínculo empregatício e escolaridade;

Leia mais

Inventar com a diferenca,

Inventar com a diferenca, Inventar com a diferenca, cinema e direitos humanos PATROCÍNIO APOIO REALIZAÇÃO Fundação Euclides da Cunha O que é Inventar com a diferença: cinema e direitos humanos O projeto visa oferecer formação e

Leia mais

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr Imagem: Santa Casa de Santos fundada em 1543 Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr ópicos Filantró Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Objetivos do Projeto Governança Metodologia Seleção

Leia mais

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO. Resumo Executivo Pesquisa 2013

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO. Resumo Executivo Pesquisa 2013 PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO Resumo Executivo Pesquisa 2013 APRESENTAÇÃO Em ação conjunta para o melhor conhecimento das capacidades do mercado brasileiro da construção em aço, o CBCA Centro

Leia mais

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR 8 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR Secretaria de Vigilância em Saúde/MS 435 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA/COR MORTALIDADE POR CAUSAS EXTERNAS Evolução da mortalidade por causas externas

Leia mais

Pesquisa Thomas: Tendências em Gestão de Pessoas 2012

Pesquisa Thomas: Tendências em Gestão de Pessoas 2012 Pesquisa Thomas: Tendências em Gestão de Pessoas 2012 O estudo foi realizado no mês de novembro de 2012, e contou com a participação de 224 empresas de diferentes portes e segmentos de negócio. Podemos

Leia mais

RELATÓRIO DA GERÊNCIA DE MONITORAMENTO PANORAMA DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO - ANO 2011

RELATÓRIO DA GERÊNCIA DE MONITORAMENTO PANORAMA DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO - ANO 2011 RELATÓRIO DA GERÊNCIA DE MONITORAMENTO PANORAMA DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO - ANO 2011 Março 2012 SUMÁRIO I - EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE COOPERATIVAS, COOPERADOS E EMPREGADOS, 3 II - ANÁLISE POR RAMO, 8 2.1

Leia mais

Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação

Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira SENAI Departamento Nacional Brasília, 18 de Setembro

Leia mais

Departamento de Financiamentos APEI FINEP. julho de 2009

Departamento de Financiamentos APEI FINEP. julho de 2009 Departamento de Financiamentos APEI FINEP julho de 2009 Objetivo Apresentar a FINEP e seus mecanismos de fomento; Orientar as empresas sobre aplicabilidade desses mecanismos; Apresentação Institucional

Leia mais

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Energia Ambiente Mobilidade Saúde Segurança Comunicações O SENAI E SUA CAPACIDADE ATUAL DE ATENDIMENTO O SENAI é a maior rede privada

Leia mais

Geração de Emprego Formal no NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 2011

Geração de Emprego Formal no NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 2011 Geração de Emprego Formal no RIO DE JANEIRO NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 211 1 211 O crescimento da economia fluminense nos últimos

Leia mais

Objetivo do Projeto Articular, organizar e animar uma Rede Nacional

Objetivo do Projeto Articular, organizar e animar uma Rede Nacional Objetivo do Projeto Articular, organizar e animar uma Rede Nacional de Comercialização Solidária constituída por empreendimentos econômicos comerciais feiras permanentes, lojas e centrais/centros públicos

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

Grandes empresas familiares brasileiras Uma análise da publicação VALOR 1000

Grandes empresas familiares brasileiras Uma análise da publicação VALOR 1000 Grandes empresas familiares brasileiras Uma análise da publicação VALOR 1000 VALOR 1000 é uma publicação anual do jornal Valor Econômico Copyright 2004 Prosperare SUMÁRIO EXECUTIVO INTRODUÇÃO PANORAMA

Leia mais

AGRADECIMENTOS... 4 PREFÁCIO... 5 SUMÁRIO EXECUTIV O...

AGRADECIMENTOS... 4 PREFÁCIO... 5 SUMÁRIO EXECUTIV O... ÍNDICE AGRADECIMENTOS... 4 PREFÁCIO... 5 SUMÁRIO EXECUTIV O... 6 1 O ATUAL ESTÁGIO DE IMPLANTAÇÃO DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NO SETOR PÚBLICO... 7 2 VARIÁVEIS E DADOS UTILIZADOS... 8 VARIÁVEL I... 8 VARIÁVEL

Leia mais

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil...

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil... ...... PRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM MARÇO DE 2012 SUMÁRIO 1 - Lavouras... 5 TABELAS DE RESULTADOS Safra 2012 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra

Leia mais

Quantidade de pedidos registrados por mês

Quantidade de pedidos registrados por mês Relatório de Pedidos de Acesso à Informação e Solicitantes (*) Informações adicionais para o correto entendimento do relatório podem ser encontradas na última seção. Órgão(s) de referência: MinC - Ministério

Leia mais

Programas de Apoio à Exportação

Programas de Apoio à Exportação INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL Programas de Apoio à Exportação ENCOMEX JARAGUÁ DO SUL Flávio Martins Pimentel Coordenação-Geral de Programas de Apoio à Exportação MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social COMENTÁRIOS ACERCA DOS NÚMEROS FINAIS DO PIB DO RS E DAS DEMAIS UNIDADES DA FEDERAÇÃO EM 2010 Equipe

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil Número 24 Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 29 de julho de 2009 COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 2 1. Apresentação Este

Leia mais

Relatório Anual de Desempenho 2012

Relatório Anual de Desempenho 2012 Relatório Anual de Desempenho 2012 Brasília, janeiro de 2013 ALÔ SENADO Em 2012, o Alô Senado registrou 1.098.035 mensagens distribuídas. A maior parte dos atendimentos (95%) foram solicitações de envio

Leia mais

Data Custos/Techno Training

Data Custos/Techno Training Apresentação A Data Custos é uma empresa de consultoria e tem como objetivo oferecer soluções integradas, precisas e de fácil aplicabilidade por meio de processos de alinhamento de seus métodos de trabalho

Leia mais

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Estado Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2007

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2007 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2007 Brasília DF 2009 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO.... 3 PROCESSO DE COLETA

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES CARGO/ FORMÇÃO ÚLTIMA CLASSIFICAÇÃO CONVOCADA EDITAL 01/2011 PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 51ª

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES CARGO/ FORMÇÃO ÚLTIMA CLASSIFICAÇÃO CONVOCADA EDITAL 01/2011 PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 51ª ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 51ª PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 3ª PCD * PROFISSIONAL JÚNIOR ANALISTA DE SISTEMAS - ÊNFASE EM INFRAESTRUTURA RJ

Leia mais

TRABALHO E EDUCAÇÃO NA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU: expansão e desafios para o Mestrado Profissional no Brasil

TRABALHO E EDUCAÇÃO NA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU: expansão e desafios para o Mestrado Profissional no Brasil TRABALHO E EDUCAÇÃO NA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU: expansão e desafios para o Mestrado Profissional no Brasil QUARESMA, Adilene Gonçalves Centro Universitário UNA RESUMO O mestrado profissional é uma

Leia mais

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Partindo da figura da engrenagem, presente na logo atual do CFC, o novo logo desenvolvido mantém uma relação com o passado da instituição, porém com um olhar no presente e no futuro, na evolução e ascensão

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Analista de Correios / Administrador AC / Rio Branco 123 1 123,00 Analista de Correios / Técnico em Comunicação Social Atuação: Jornalismo AC / Rio Branco 27 1 27,00 Médico do Trabalho Formação: Medicina

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS. Lei 12.334/2010. Carlos Motta Nunes. Dam World Conference. Maceió, outubro de 2012

POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS. Lei 12.334/2010. Carlos Motta Nunes. Dam World Conference. Maceió, outubro de 2012 POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS Lei 12.334/2010 Carlos Motta Nunes Dam World Conference Maceió, outubro de 2012 Características da barragem para enquadramento na Lei 12.334/10 I - altura do

Leia mais

Pesquisa Hábitos de Consumo Dia dos Pais 2015

Pesquisa Hábitos de Consumo Dia dos Pais 2015 Pesquisa Hábitos de Consumo Dia dos Pais 2015 Agosto de 2015 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Índice o Objetivo, metodologia e amostra... 03 o Sumário... 04 o Perfil dos respondentes... 05 o Pretensão

Leia mais

IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL

IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL Brasília, Novembro/ 2013 Unidade de Políticas Públicas NOTA TÉCNICA IMPACTOS DAS DISTORÇOES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL Este estudo

Leia mais

PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias. 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF

PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias. 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF Dezembro de 2013 OBJETIVO Promover a competitividade das micro e pequenas empresas

Leia mais

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica Emissão de Nota Fiscal Eletrônica DANFE - Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica. É um documento que serve para acobertar a circulação da mercadoria. Impresso em via única; Validade em meio digital

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

Comentários sobre os Indicadores de Mortalidade

Comentários sobre os Indicadores de Mortalidade C.1 Taxa de mortalidade infantil O indicador estima o risco de morte dos nascidos vivos durante o seu primeiro ano de vida e consiste em relacionar o número de óbitos de menores de um ano de idade, por

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO Nota Técnica elaborada em 01/2014 pela CGAN/DAB/SAS. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NOTA TÉCNICA Nº15/2014-CGAN/DAB/SAS/MS

Leia mais

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS SETEMBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NO PIB 2013 Outros Serviços 33,7% Administração, saúde e educação públicas

Leia mais

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA -

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS

Leia mais

QUEM SOMOS Brasil Brokers Brasil Brokers Brasil Brokers Brasil Brokers

QUEM SOMOS Brasil Brokers Brasil Brokers Brasil Brokers Brasil Brokers QUEM SOMOS O maior e mais completo grupo de venda de imóveis do país. Assim é a Brasil Brokers. Formado por 26 imobiliárias líderes em 16 estados, o grupo conta com mais de 17 mil corretores altamente

Leia mais

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho brasília-df 2012 2012. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Brasília DF 2009 SUMÁRIO LISTA DE TABELAS... 3 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 PRESIDENTE: Marciano Gianerini Freire EQUIPE TÉCNICA: Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: Heike Duske César Melo

Leia mais

Release Notes. A seguir são apresentadas as funções implementadas na linha de produto TOTVS Service SOA, expedidas neste pacote de atualização.

Release Notes. A seguir são apresentadas as funções implementadas na linha de produto TOTVS Service SOA, expedidas neste pacote de atualização. TSS Notas de Release 2.26 Produto TOTVS Service SOA Versão 11 Data 10/02/14 A seguir são apresentadas as funções implementadas na linha de produto TOTVS Service SOA, expedidas neste pacote de atualização.

Leia mais