Qualidade da gestão de medicamentos em hospitais públicos*

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Qualidade da gestão de medicamentos em hospitais públicos*"

Transcrição

1 Qualidade da getão de medicamento em hopitai público* André Gutavo Gadelha Mavignier de Noronha** Djalma Freire Borge*** S UMÁRIO: 1. Introdução; 2. Metodologia; 3. Reultado; 4. Concluão. S UMMARY: 1. Introduction; 2. Methodology; 3. Reult; 4. Concluion. P ALAVRAS-CHAVE: qualidade da getão de medicamento; aitência logítica de medicamento; deficiência da aitência logítica de medicamento em hopitai público. K EY WORDS: quality of medication management; medication logitic; medication logitic deficiency in public hopital. Ete artigo é baeado em um etudo exploratório e comparativo entre padrõe de qualidade relatado em literatura científica e padrõe exitente no trê maiore hopitai público do município de Natal (RN). O objetivo foi determinar o nível de qualidade da aitência logítica de medicamento e correlato nea intituiçõe. O dado foram levantado com um intrumento de coleta aplicado pelo pequiadore, que continha o indicadore relevante para permitir a verificação da qualidade de getão de medicamento e correlato no etore ecolhido adminitração, compra, almoxarifado e farmácia. O reultado motraram que muito fatore contribuem de maneira deciiva para a falta de medicamento e correlato, de forma direta e indireta. No entanto, a maioria é deconhecida ou ignorada pelo getore hopitalare. Aim, a deficiência na área de aitência logítica de medicamento e correlato é uma caracterítica do hopitai etuda- * Artigo recebido em maio 2004 e aceito em fev ** Metre em adminitração. Profeor da Univeridade Potiguar. Endereço: Rua Jacarandá, 7921 Bairro Pitimbu Conjunto Satélite CEP , Natal, RN, Brail. *** Doutor em adminitração. Profeor da UFRN. Endereço: Rua Noa Senhora de Lourde, 236, ap. 300 Tirol CEP , Natal, RN, Brail.

2 896 André Gutavo Gadelha Mavignier de Noronha e Djalma Freire Borge do e a qualidade da ua aitência logítica e afata muito do padrão definido pelo teórico pequiado. The quality of medication management in public hopital Thi article i baed on an exploratory tudy comparing the quality tandard decribed in cientific literature with the actual one in public hopital in the city of Natal, capital of the tate of Rio Grande do Norte, Brazil. The objective wa to determine the level of quality in medication and related item logitic in thee intitution. The data wa gathered through a collection intrument applied by the reearcher. Such intrument contained relevant indicator that allowed the verification the quality of medication and related item management in the elected ector: adminitration, purchae, upplie and pharmacy. The reult how that many factor contribute directly and indirectly in a deciive manner to the hortage of medication and related item. However, mot of them are either unknown or overlooked by hopital manager. The deficiency in medication and related item logitic i typical of the tate hopital under tudy and the quality of their logitic i far from cientific literature tandard. 1. Introdução A aitência farmacêutica hopitalar contitui um itema complexo e relevante no âmbito da getão de itema e erviço de aúde, não omente por contemplar um do inumo báico para cuidado ao paciente, como também pelo alto cuto que envolvem ee tipo de produto. Wilken e Bermudez (1999) fornecem algun exemplo que ervem para dar uma noção da dimenão do recuro financeiro relacionado a medicamento em intituiçõe de aúde: t t t o cuto da aitência farmacêutica pretada no hopitai da rede do Minitério da Saúde, no Rio de Janeiro, em 1996, correpondeu a 8,8% do gato gerai do hopitai na época; etudo efetuado no EUA indicam que o cuto com medicamento conomem cerca de 7 a 15% do gato gerai do hopitai; na Europa, calcula-e que o cuto com medicamento em hopitai variam entre 5 e 10% do gato totai. Segundo divera fonte citada também por Wilken e Bermudez (1999), o conumo de medicamento em nível mundial vem crecendo contantemente na última década, de US$ 42,9 bilhõe em 1975 paou para US$ 79 bilhõe em 1980; atingiu

3 Qualidade da Getão de Medicamento em Hopitai Público 897 US$ 93 bilhõe em 1985 e chegou a US$ 172,7 bilhõe em Em 1999 ituou-e no patamar de US$ 297,3 bilhõe. O Brail atualmente repreenta um mercado de aproximadamente US$ 10,3 bilhõe anuai e etá relacionado entre o cinco conumidore mai importante do mundo. Por outro lado, em noo paí uma grande ditância epara a realidade do erviço de aúde nacionai do parâmetro preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Organização Pan-americana da Saúde (Opa). Memo apó o Minitério da Saúde ter publicado a Portaria nº 3.916, de 30 de outubro de 1998 (Brail, 1998), que etabelece a bae de uma política de medicamento e aitência farmacêutica, não exite ainda a garantia de implantação da diretrize apontada. Tudo paa por invetimento etruturai, qualificação e quantificação adequada de recuro humano, etabelecimento de programa de qualidade e uficiente dotação orçamentária, tornando clara a neceidade do planejamento e deenvolvimento de itema de getão hopitalar que confiram epecial detaque à atividade de farmácia, dada a ua importância tanto no que e refere à qualidade do atendimento, quanto à economicidade do etor. A ituação atual da aitência farmacêutica em noo paí agravou-e em função principalmente do quadro de profunda ecaez de recuro de todo o tipo, acarretando inúmero trantorno ao uuário, em decorrência da má qualidade da aitência pretada e que pode levar, como coneqüência, ao rico de ituaçõe relativa ao uo irracional de medicamento. Ao que parece, o modelo de aitência à aúde que vem endo implantado no paí ao longo do último ano tem contribuído de forma deciiva para o agravamento da crie da intituiçõe pretadora de erviço aitenciai ubidiada pelo Sitema Único de Saúde (SUS). Para Carvalho e Santo (1995), algun fatore podem er coniderado barreira à definitiva implementação da Lei Orgânica da Saúde: t t t t o obtáculo trazido pela corrente opota à concepção e execução da política ociai e econômica apta a garantir o direito à aúde; a complexidade do fato e circuntância que envolvem a organização do SUS e o eu funcionamento (epecialmente no campo jurídico, adminitrativo e financeiro); a falta de vontade política para concretizar a decentralização precrita no texto contitucional; a profunda raíze da prática da centralização de poder e, coneqüentemente, da centralização da ditribuição do recuro ficai;

4 898 André Gutavo Gadelha Mavignier de Noronha e Djalma Freire Borge t o fato hitórico de que a aúde ó começou a er juridicamente caracterizada como um conjunto de açõe e erviço, público e privado, ujeito a diretrize contitucionai e à inovadora regulamentação legal, por volta do início da década paada (Contituição Federal, 1988; contituiçõe etaduai, 1989; lei orgânica municipai, 1990; e Lei Orgânica da Saúde, 1990), não tendo havido ainda interee uficiente para identificação, edimentação e aplicação de princípio, objetivo e fórmula adminitrativa. De outra parte, não parece haver integração entre a rede báica de aitência à aúde e o hopitai de referência, o que inviabiliza o conhecimento do indicadore epidemiológico, coniderado imprecindívei para e dimenionar o conumo de medicamento e correlato durante o planejamento para aquiição dee produto. O hopitai, por outro lado, geralmente, não identificam com propriedade o indicadore epidemiológico. Em algun cao, devido à ubnotificação da doença, o indicadore de aúde pública braileira etão ora ub ora uperdimenionado, proporcionando previõe equivocada durante o planejamento para aquiição de medicamento e correlato, o que reulta em falta (ruptura de etoque) ou exceo e até perda dete, ocaionando aumento de gato. Do memo modo, o reponávei pelo erviço de farmácia hopitalar não conhecem o orçamento diponível para a aquiição de medicamento e correlato, o que dificulta a utilização da claificação ABC, método mundialmente utilizado para etabelecer prioridade durante a programação para o abatecimento de produto. Por motivo culturai o inúmero fatore que alteram o abatecimento e o conumo de medicamento e correlato, além da evolução natural da doença, não ão invetigado e aim terminam ignorado. Igualmente, a luta trabalhita que de maneira impreviível paraliam o atendimento báico de paciente portadore de doença crônica (diabete, hipertenão e outra) podem levar ao agravamento de eu quadro, culminando com internamento de alto cuto e, coneqüentemente, com aumento de conumo de vário produto. Tudo aim leva a crer que no hopitai braileiro o medicamento e correlato recebem o memo tratamento de um material qualquer, dentro do contexto da adminitração de materiai, o que repreenta total deconhecimento, por parte do getore, da inúmera variávei que, epecificamente, podem alterar o parâmetro do eu abatecimento e conumo. Por outro lado, a atividade relativa ao abatecimento de medicamento e correlato no hopitai público braileiro ão deempenhada de forma batante precária, ocaionando conflito adminitrativo entre a chefia da farmácia e o diretore dee hopitai, com relativa freqüência.

5 Qualidade da Getão de Medicamento em Hopitai Público 899 Ao que parece, a complexidade que envolve a rotatividade de etoque de medicamento e correlato não é coniderada, poi toda a equipe adminitrativa aume a potura de profunda conhecedora do aunto, apear de não avaliar a permanente variaçõe de abatecimento e conumo, ora para mai, ora para meno. Daí torna-e imprecindível que ejam elaborada e implementada mudança nea área, viando aprimorar a qualidade da aitência logítica de medicamento e correlato. Na literatura científica nacional conultada não há regitro de etudo relativo ao impacto promovido por açõe adminitrativa, demora em compra, corte no recuro; açõe técnica, parecer em compra, armazenamento, uo racional, deperdício; e açõe ociai, greve de categoria profiionai, falha no atendimento da população na periferia e interior, condiçõe ocioeconômica da população. Bem como de outra influência relativa ao indicadore epidemiológico de aúde pública, dado demográfico, morbidade, mortalidade, notificação de epidemia e notificação de agravo inuitado, temática intimamente relacionada à logítica de medicamento e correlato em hopitai. Portanto, há uma grande neceidade de e obter informaçõe epecífica para colaborar na formação de uma conciência técnicoadminitrativa que priorize a olução de todo ee problema, viando elevar a qualidade da aitência pretada na aúde pública. Tai fatore ão objeto de análie ampla e profunda na literatura científica internacional, que vem dedicando um longo epaço de invetigação para determinar padrõe epecífico de abatecimento e conumo de medicamento e correlato em unidade hopitalare. Sendo aim, jutifica-e plenamente uma pequia direcionada a eclarecer em que medida intituiçõe hopitalare no paí operam na área de logítica de medicamento e correlato, de acordo com padrõe logítico comumente aceito e contemplado pela literatura científica. Dea forma, a propota foi examinar ea problemática tomando como foco de análie trê hopitai público da cidade de Natal. Todavia, é neceário um breve comentário a repeito da delimitação da pequia por caua do perfil da intituiçõe hopitalare incluída no etudo. Embora muito etore em um hopital etejam envolvido com a logítica de medicamento e correlato, de forma direta ou indireta, na forma de conumidore ou provedore, ou ainda como planejadore de ua aquiição ou compra, ou no momento de ua recepção, armazenamento, preparação, ditribuição, ou memo utilização, faz-e neceário eclarecer que para ete trabalho procurou-e etudar apena o etore de adminitração, compra, almoxarifado e farmácia, poi o reultado finai da atividade dee etore interferem diretamente na política de medicamento da intituição. Memo porque é difícil medir a qualidade durante a utilização, eja no momento da avaliação-eleção-precrição, bem como durante a adminitração.

6 900 André Gutavo Gadelha Mavignier de Noronha e Djalma Freire Borge O hopitai incluído no etudo pertencem à rede pública de aúde, localizado no município de Natal, coordenado pela Secretaria de Saúde do Governo do Etado do Rio Grande do Norte e pouem o SUS como a única entidade mantenedora de ua depea, atravé de repae feito pela ecretaria. Entre o hopitai pertencente à rede pública de aúde, foram ecolhido trê para a pequia. O primeiro dele foi o Hopital Monenhor Walfredo Gurgel, um pronto-ocorro de médio porte, com capacidade de 246 leito e atendimento 24 hora em divera epecialidade clínica e cirúrgica; o egundo foi o Hopital Joé Pedro Bezerra, também um pronto-ocorro de médio porte, com capacidade de 207 leito e atendimento durante 24 hora em divera epecialidade clínica e cirúrgica; o terceiro hopital etudado foi o Hopital Gielda Trigueiro, também de médio porte, apreentando capacidade de 129 leito, atendimento 24 hora, e epecializado em doença infecto-contagioa. Um etudo exploratório e comparativo foi realizado, com o objetivo de medir a qualidade da getão de medicamento em hopitai público do município de Natal em comparação com padrõe de qualidade em logítica referenciado na literatura científica. A quetão central da pequia foi: quai o procedimento de getão de medicamento e correlato praticado pelo etore ecolhido adminitração, compra, almoxarifado e farmácia definem o nível de qualidade em logítica, comparando com o padrõe de excelência referenciado na literatura científica? 2. Metodologia Para reponder à quetõe de pequia definiu-e um conjunto de indicadore por etore pequiado adminitração, compra, almoxarifado e farmácia com o objetivo de avaliar a qualidade de getão de medicamento e correlato. O dado foram levantado com um intrumento de coleta aplicado pelo pequiadore no trê hopitai ecolhido para o etudo. Ele contém o indicadore relevante para permitir a verificação da qualidade de getão de medicamento e correlato no etore ecolhido, e foi repondido verbalmente pelo informante, ao tempo em que o pequiador regitrava a repota. Dea forma, o intrumento de coleta de dado utilizado pode er definido como do tipo formulário. O levantamento do dado ocorreu no período de janeiro a março de Com a finalidade de preervar a identidade do hopitai que participaram da pequia, foi neceário denominá-lo aleatoriamente A, B e C. O grupo de informante foi compoto de um adminitrador hopitalar, um coordenador de compra, um coordenador de almoxarifado e um coordenador de farmácia, integrante do quadro de recuro humano de cada hopital (A, B e C), totalizando 12 participante diretamente relacionado à coleta de dado. O indicadore utilizado ão apreentado no quadro.

7 Qualidade da Getão de Medicamento em Hopitai Público 901 A itemática utilizada para análie e interpretação do dado foi adaptada de Wilken e Bermudez (1999). Em primeiro lugar determinou-e a exitência total, a exitência parcial ou a inexitência de contrução e utilização de cada um do indicadore definido como padrão pela literatura científica e referenciado ao etore adminitração, compra, almoxarifado e farmácia da intituiçõe hopitalare pequiada. A exitência total, parcial ou a inexitência de contrução e utilização dee indicadore na getão de medicamento e correlato em intituiçõe hopitalare, define a qualidade de getão dea organizaçõe. Adotando-e a mema itemática de medição etabelecida por Wilken e Bermudez definiu-e a eguinte ecala de pontuação: 0 = indicador não exitente; 1 = indicador parcialmente exitente; 2 = indicador exitente. Em egundo lugar, igualmente utilizando a ecala definida por Wilken e Bermudez, fez-e a totalização da pontuação obtida por cada um do etore da intituiçõe pequiada adminitração, compra, almoxarifado e farmácia e calculou-e o percentual alcançado comparando-o depoi com o padrão definido na literatura científica. A ecala de reultado definida por Wilken e Bermudez e utilizada na pequia tem a eguinte configuração: 0-29% = inuficiente; 30-59% = regular; 60-89% = bom; % = excelente. 3. Reultado A análie de reultado foi feita para cada um do etore individualmente, ou eja, adminitração, compra, almoxarifado e farmácia. A tabela 1 contém o indicadore definido para determinar o nível de qualidade da getão de medicamento no etor de adminitração pela comparação com padrõe de qualidade em logítica referenciado na literatura científica. Pode-e obervar que, do cinco indicadore analiado, apena o referente à invetigação obre a variaçõe de conumo obteve pontuação. Entretanto, memo com relação a ete indicador, foi contatado que apena eram feita pelo hopitai comparaçõe entre valore totai de mee conecutivo, e não eram analiado o produto unitariamente ou por grupo, comparando-o com outro indicadore de conumo. Por io, ea repota foi coniderada indicador parcialmente exitente. Como reultado geral do conjunto do cinco indicadore analiado, podee obervar que o etore adminitrativo do hopitai pequiado obtiveram apena 10% do total de ponto levado em conideração pelo teórico pequiado, para que a aitência logítica com relação ao abatecimento de medicamento eja coniderada excelente (100%). Aim, em função do reultado encontrado, a qualidade da getão de medicamento e correlato do etore de adminitração do trê hopitai pequiado foi avaliada como inuficiente.

8 902 André Gutavo Gadelha Mavignier de Noronha e Djalma Freire Borge Com relação ao etor de compra do hopitai pequiado, o dado ão apreentado na tabela 2. Pode-e obervar que, do ei indicadore analiado, apena o referente à análie de preço de produto e olicitação de parecer técnico receberam pontuação. Entretanto, também aqui e obervou que o hopitai pequiado apena faziam comparaçõe entre preço de compra de mee conecutivo e não comparavam com outra intituiçõe ou a média de mercado. Do memo modo a olicitação de parecer técnico era feita eporadicamente, omente quando o conhecimento técnico poderia diferenciar iten imilare. Por io, ea repota foram coniderada indicadore parcialmente exitente. Indicadore de qualidade da aitência logítica de medicamento e correlato utilizado para a coleta de dado Indicadore Setor de adminitração Análie do fatore que geram ruptura de etoque Análie do apecto técnico e/ou epidemiológico para definição de corte no pedido de compra Invetigação obre a variaçõe de conumo Definição prévia do orçamento para a compra de medicamento Supervião do fluxo de compra, recepção e dipenação de medicamento Indicadore Setor de compra Análie do iten não cotado por pedido de compra Utilização da claificação ABC e/ou XYZ para definição de prioridade de compra Análie de preço de produto comprado Definição de corte no pedido de compra Análie de competitividade por fornecedor Solicitação de parecer técnico obre a compra de medicamento Indicadore Setor de almoxarifado Análie do medicamento que mai ofrem ruptura de etoque Análie do cao de atrao na entrega Análie do cao de erro qualitativo na entrega Análie do cao de erro quantitativo na entrega Análie do cao de perda por dano fíico Análie do cao de perda por devio Análie do cao de perda por validade continua Indicadore Setor de farmácia

9 Qualidade da Getão de Medicamento em Hopitai Público 903 Diponibilidade orçamentária para a aquiição de medicamento e correlato Utilização do índice de cobertura da padronização de medicamento Utilização do índice de aceitação da padronização de medicamento Análie do conumo de antimicrobiano terapêutico, em número de doe diária definida (DDD) Exitência de controle de qualidade de produto manipulado Análie de precriçõe não atendida completamente por falta de medicamento Análie de informaçõe fornecida obre utilização de medicamento Fonte: Wilken e Bermudez (1999); Brail (1994, 1997 e 1999); Dupim (1999); Opa (1997); Management Science for Health (1997). Tabela 1 Reultado da pequia utilizando indicadore de qualidade da aitência logítica de medicamento e correlato no etor de adminitração Indicadore de qualidade Padrão Hopitai A B C Análie do fatore que geram ruptura de etoque Análie do apecto técnico e/ou epidemiológico para definição de corte no pedido de compra Invetigação obre a variaçõe no conumo Definição prévia do orçamento para a compra de medicamento Supervião do fluxo de compra, recepção e dipenação de medicamento Total Percentual Reultado E I I I Fonte: Dado coletado pelo autore. Reultado: 0-29% = inuficiente (I); 30-59% = regular (R); 60-89% = bom (B); % = excelente (E). Tabela 2 Reultado da pequia utilizando indicadore de qualidade da aitência logítica de medicamento e correlato no etor de compra Indicadore de qualidade Padrão Hopitai A B C Análie do iten não cotado por pedido de compra

10 904 André Gutavo Gadelha Mavignier de Noronha e Djalma Freire Borge Utilização da claificação ABC e/ou XYZ para definição de prioridade de compra Análie de preço de produto comprado Definição de corte no pedido de compra Análie de competitividade por fornecedor Solicitaçõe de parecer técnico obre a compra Total Percentual ,66 16,66 16,66 Reultado E I I I Fonte: Dado coletado pelo autore. Reultado: 0-29% = inuficiente (I); 30-59% = regular (R); 60-89% = bom (B); % = excelente (E). Como reultado geral do conjunto do ei indicadore analiado, pode-e obervar que o etore de compra obtiveram apena 16,66% do total de ponto levado em conideração pelo teórico pequiado para que a aitência logítica com relação ao abatecimento de medicamento foe coniderada excelente (100%). Aim, em função do reultado encontrado o etore de compra do trê hopitai pequiado foram avaliado como inuficiente. O nível de qualidade da getão de medicamento e correlato no etor de almoxarifado no hopitai pequiado é apreentado na tabela 3. Oberva-e que do ete indicadore analiado apena o referente à análie do medicamento e correlato que mai ofrem ruptura de etoque recebeu pontuação. Entretanto, da mema forma que em relação ao etore de adminitração e compra, notou-e durante a pequia que apena era feito o acompanhamento do iten não cotado no proceo de compra. Já a análie e invetigação da ruptura promovida pelo aumento no conumo não eram adequadamente acompanhada. Por io, ea repota foi coniderada indicador parcialmente exitente. Como reultado geral do conjunto do ete indicadore analiado para o etor de almoxarifado do hopitai pequiado, pode-e obervar que ele obtiveram apena 7,14% do total de ponto levado em conideração pelo teórico pequiado para que a aitência logítica com relação ao abatecimento de medicamento foe coniderada excelente (100%). Aim, em função do reultado encontrado, o etore de almoxarifado do trê hopitai pequiado foram avaliado como inuficiente. A tabela 4 contém o indicadore definido para determinar o nível de qualidade da getão de medicamento no etor de farmácia do hopitai pequiado, pela comparação com padrõe de qualidade em logítica referenciado na literatura científica. Oberva-e que do ete indicadore analiado apena o referente à análie de informaçõe fornecida obre utilização de medicamento recebeu pontuação.

11 Qualidade da Getão de Medicamento em Hopitai Público 905 Entretanto, como pôde er obervado durante a invetigação, apena eram dada informaçõe quando olicitada. Não havia um formulário padrão onde a quetõe eram regitrada, repondida e arquivada. Não havia buca ativa para eclarecimento obre o uo racional e correto de medicamento. Por io, ea repota foi coniderada indicador parcialmente exitente. Tabela 3 Reultado da pequia utilizando indicadore de qualidade da aitência logítica de medicamento e correlato no etor de almoxarifado Indicadore de qualidade Padrão Hopitai A B C Análie do medicamento e correlato que mai ofrem ruptura de etoque Análie do cao de atrao na entrega Análie do cao de erro qualitativo na entrega Análie do cao de erro quantitativo na entrega Análie do cao de perda por dano fíico Análie do cao de perda por devio Análie do cao de perda por validade Total Percentual 100 7,14 7,14 7,14 Reultado E I I I Fonte: Dado coletado pelo autore. Reultado: 0-29% = inuficiente (I); 30-59% = regular (R); 60-89% = bom (B); % = excelente (E). Como reultado geral do conjunto do ete indicadore analiado, oberva-e na tabela 3, que o etore de farmácia obtiveram apena 7,14% do total de ponto levado em conideração pelo teórico pequiado para que a aitência logítica com relação ao abatecimento de medicamento eja coniderada excelente (100%). Aim, em função do reultado encontrado, o etore de farmácia do trê hopitai pequiado foram avaliado como inuficiente. De maneira geral, a organizaçõe motraram que em eu perfil atual há muita dicordância com relação ao padrõe preconizado pela OMS e pela Opa, além de outro trabalho que erviram de parâmetro de qualidade referenciado pela literatura científica pequiada.

12 906 André Gutavo Gadelha Mavignier de Noronha e Djalma Freire Borge 4. Concluão O reultado da análie poibilitam alguma concluõe com relação à avaliação do trê hopitai público etudado. No etor de adminitração, em relação à análie do fatore que geram ruptura de etoque, o primeiro indicador foi elaborado para decobrir e havia eficácia no controle do parâmetro de conumo de medicamento na intituiçõe de aúde pequiada. O gerente conultado não faziam análie ou avaliação de parâmetro de conumo de medicamento de forma rotineira ou arquivavam ee dado para planejamento futuro. O que e fazia era apena repor o etoque e foe neceário. O egundo indicador foi elaborado para decobrir e havia preocupação com relação à qualidade e à quantidade do produto no pedido de compra. A conulta obre a análie do apecto técnico e/ou epidemiológico para definição de corte no pedido de compra revelou que o gerente não faziam análie ou avaliação obre o aunto. Em relação à invetigação obre a variaçõe no conumo, ficou identificado que o trê gerente conultado não a faziam. O que e obervou foi que ela ó haveria cao alguém quetionae a variação de conumo de determinado produto. A invetigação não era itemática, nem periódica. Sobre a definição prévia do orçamento para a compra de medicamento, um indicador foi elaborado para decobrir e havia um bom planejamento com o etabelecimento de prioridade para o abatecimento de medicamento. Ficou demontrado que não e fazia análie ou avaliação obre o aunto. O que e alegou foi que ocorriam atrao no repae feito pela ecretaria de aúde etadual e/ou variação no valor repaado, e por io não era poível planejar. Tabela 4 Reultado da pequia utilizando indicadore de qualidade da aitência logítica de medicamento e correlato no etor de farmácia Indicadore de qualidade Padrão Hopitai A B C Informação obre a diponibilidade orçamentária para a aquiição de medicamento e correlato Utilização do índice de cobertura da padronização de medicamento

13 Qualidade da Getão de Medicamento em Hopitai Público 907 Utilização do índice de aceitação da padronização de medicamento Análie do conumo de antimicrobiano terapêutico, em número de doe diária definida (DDD) Exitência de controle de qualidade de produto manipulado Análie de precriçõe não atendida completamente por falta de medicamento Análie de informaçõe fornecida obre utilização de medicamento Total Percentual 100 7,14 7,14 7,14 Reultado E I I I Fonte: Dado coletado pelo autore. Reultado: 0-29% = inuficiente (I); 30-59% = regular (R); 60-89% = bom (B); % = excelente (E). Um último indicador invetigou o uperviionamento do fluxo de compra, armazenamento e dipenação. O trê gerente conultado não faziam análie ou avaliação obre o aunto. O que e pôde obervar era que e houvee alguma dúvida ou falha, eria feita a upervião apena no etor intereado. No etor de compra, em relação à análie do iten não cotado por pedido de compra, o primeiro indicador foi elaborado para decobrir e havia acompanhamento do cao do produto não cotado. O trê gerente conultado não faziam análie ou avaliação obre o aunto. Não havia invetigação obre o cao de medicamento ou materiai não cotado, deixando com io de e conhecer nova variávei que interferiem no abatecimento e planejamento. Sobre a utilização da claificação ABC e/ou XYZ para definição de prioridade de compra, um egundo indicador foi elaborado para decobrir e havia um bom planejamento com o etabelecimento de prioridade para a compra de medicamento. Nenhum gerente fazia análie ou avaliação utilizando alguma técnica de controle de etoque. Comprava-e apena a neceidade momentânea, e houvee recuro. Um terceiro indicador foi elaborado para decobrir e havia acompanhamento do cao de compra de produto com preço acima do praticado no mercado. Nenhum gerente conultado fazia análie ou avaliação obre o aunto. Outro indicador foi elaborado para decobrir e havia incronia entre a reai neceidade de abatecimento e o orçamento diponível para a compra de medicamento. O gerente conultado não faziam análie ou avaliação obre o aunto. Não e utilizavam indicadore epidemiológico ou hitórico para e fazer ee corte, ma apena a exitência ou não de recuro financeiro.

14 908 André Gutavo Gadelha Mavignier de Noronha e Djalma Freire Borge Sobre a análie de competitividade por fornecedor, um quinto indicador foi elaborado para decobrir e havia formação de cartéi em relação ao fornecedore de medicamento. Entre o trê gerente conultado, nenhum fazia análie ou avaliação obre o aunto. A impreão foi que realmente empre o memo fornecedore entregavam a mema mercadoria. Em relação à freqüência de olicitaçõe de parecer técnico obre a compra de medicamento, um exto indicador foi elaborado para decobrir e a aquiição do produto recebia repaldo técnico do farmacêutico para a compra de medicamento. Entre o trê gerente conultado, todo faziam algum tipo de conulta para eclarecimento de dúvida. Entretanto, ee eclarecimento eram muito eporádico e com io geravam-e conflito freqüente entre a gerência, poi nem empre o produto comprado atendia à neceidade técnica. No etor de almoxarifado, com relação à freqüência do medicamento que mai ofrem ruptura de etoque, um indicador foi elaborado para decobrir a peculiaridade que envolviam o medicamento mai afetado por tai problema. Todo o gerente faziam algum tipo de análie ou avaliação obre o aunto. No entanto, o que faziam era apena elaborar uma relação do produto não cotado apó a licitação, e com io levantar quai o iten que poderiam faltar. Porém, qualquer produto que foe conumido ante do tempo previto não era invetigado. Sobre a freqüência do cao de atrao na entrega de medicamento, um indicador foi elaborado para decobrir e havia diponibilidade do fornecedor comprometer a manutenção do etoque. Entre o trê gerente conultado, nenhum fazia uma análie ou avaliação obre o atrao na repoição do etoque. Ao que parece ete fato é rotina. O que e faz, geralmente, é o farmacêutico uar de ua amizade com colega de outro hopitai e pedir empretado. Com io, reolve-e o cao provioriamente. Entretanto, ea política de emprétimo cria um ciclo vicioo, poi dá empre margem para comprar com atrao e/ou o fornecedor entregar com atrao. Em relação à freqüência do cao de erro qualitativo na entrega de medicamento, o terceiro indicador foi elaborado para decobrir e havia efetividade na conferência da qualidade do produto no ato de recebimento do medicamento comprado. Entre o trê gerente conultado, nenhum fazia análie ou avaliação obre o aunto. Foi contatado que já houve cao de recebimento de produto diferente do pedido (concentração, volume, forma, epecificação, por exemplo) que ficou parado no etoque até vencer a validade e er jogado fora. A freqüência do cao de erro quantitativo na entrega de medicamento também foi analiada, para decobrir e havia efetividade na conferência da quantidade do produto no ato do recebimento do medicamento. Nenhum gerente fazia uma análie ou avaliação obre o aunto. A impreão que e teve é que já houve cao de er recebida uma quantidade de produto diferente do pedido (para mai ou para meno). Se o recebedor não quetionar nada, é lucro para o ditribuidor da

15 Qualidade da Getão de Medicamento em Hopitai Público 909 dua maneira: eja porque a fatura da venda é aumentada, eja porque e recebe o que não e entregou. Um quinto indicador foi elaborado para decobrir e havia manueio inadequado do produto comprado. Entre o trê gerente conultado, nenhum fazia uma análie ou avaliação obre o aunto. Não e dava muita importância a perda dea natureza. Em relação à freqüência do cao de perda por devio, o exto indicador foi elaborado para decobrir e havia apropriação indébita. Entre o trê gerente conultado, nenhum fazia uma análie ou avaliação obre o aunto. Em vário momento e pôde perceber a facilidade que funcionário de divero etore tinham para obter medicamento para conumo próprio, até memo com autorização por ecrito da direção. Entre o trê gerente conultado obre a freqüência do cao de perda por validade, o étimo indicador foi elaborado para decobrir e havia efetividade na conferência da validade do produto no ato do recebimento e durante a manutenção do etoque. Nenhum dele fazia algum tipo de análie ou avaliação obre o aunto. O que e pôde obervar é que não havia um controle rigoroo com relação à validade durante a entrega e/ou uperetimação da quantidade comprada, reultando muita veze em perda. Finalmente, no etor de farmácia, obre a diponibilidade orçamentária para a aquiição de medicamento e correlato, um indicador foi elaborado para decobrir e havia um bom planejamento com o etabelecimento de prioridade para a repoição de etoque. Entre o trê gerente conultado, nenhum fazia análie ou avaliação obre o aunto. Sem a informação do orçamento diponível é difícil utilizar uma técnica de controle de etoque ou planejamento com o etabelecimento de prioridade para a repoição de etoque, como a claificação ABC e/ou a claificação XYZ. Em relação à utilização do índice de cobertura da padronização de medicamento, um egundo indicador foi elaborado para decobrir e o produto definido na padronização abrangiam a maioria da doença diagnoticada na intituição. Entre o trê gerente conultado, nenhum fazia análie ou avaliação obre o aunto. Não e abe dizer e o produto definido na padronização abrangem ou não a maioria da doença diagnoticada na intituição. Já com relação à utilização do índice de aceitação da padronização de medicamento, o terceiro indicador foi elaborado para decobrir e o produto definido na padronização etavam endo bem aceito pelo corpo clínico da intituição. Nenhum gerente fazia análie ou avaliação obre o aunto. Não e abe dizer e o produto definido na padronização etavam endo bem aceito ou não pelo corpo clínico da intituição.

16 910 André Gutavo Gadelha Mavignier de Noronha e Djalma Freire Borge Um outro indicador foi elaborado para decobrir e havia controle efetivo da antibioticoterapia em paciente internado. O trê gerente conultado não faziam uma análie ou avaliação obre o aunto. Em relação à exitência de controle de qualidade de produto manipulado, o quinto indicador foi elaborado para decobrir e havia controle efetivo da qualidade do medicamento e aneante manipulado. Nenhum do gerente conultado fazia algum tipo de análie ou avaliação obre o aunto. Sobre a análie de precriçõe não atendida completamente por falta de medicamento, o exto indicador foi elaborado para decobrir e a falta de medicamento etaria comprometendo a aitência ao paciente. O gerente não faziam algum tipo de análie ou avaliação obre o comprometimento da aitência, e por eta razão não e conegue medir até que ponto a falta de medicamento etaria comprometendo a qualidade da aitência ao paciente. Por fim, com referência à análie de informaçõe fornecida obre utilização de medicamento, o étimo indicador foi elaborado para decobrir e havia preocupação com relação ao uo racional e/ou correto de medicamento. O gerente conultado faziam algum tipo de análie ou avaliação com relação ao uo racional de medicamento. No entanto, o que faziam era apena uma análie rápida da precriçõe, obervando omente uperdoagem, ubdoagem, interação, incompatibilidade e via de adminitração. Porém, por divera razõe, a análie era feita com prea, e eta quetõe nem empre eram obervada. Não há um controle efetivo com relação ao uo racional e/ou correto de medicamento. Portanto, para o quatro etore pequiado, a deficiência na área de aitência logítica de medicamento e correlato é uma caracterítica da unidade hopitalare etudada. A concepção da elaboração de uma aitência logítica que atenda à reai neceidade da população ainda não etá próxima de er realizada, haja vita que o reultado obtido com a medida da qualidade da aitência no trê hopitai e afatam muito do padrão definido pelo teórico pequiado, comprometendo o atendimento à população, objetivo macro da política de aúde. A trê intituiçõe pouem problema de natureza emelhante, como falha de previão de conumo, compra a preço acima do mercado, invetimento em etoque deneceário, falta ou inuficiência de recuro financeiro, perda em função da validade, má conervação, devio e deperdício, entre outra quetõe, que, de forma direta ou indireta, interferem na qualidade da aitência pretada à população por repercutir em variaçõe permanente de abatecimento e conumo. Referência bibliográfica BALLOU, Ronald H. Logítica emprearial: tranporte, adminitração de materiai e ditribuição fíica. São Paulo: Atla, 1993.

17 Qualidade da Getão de Medicamento em Hopitai Público 911 BRASIL. Conelho Federal de Farmácia. Manual báico de farmácia hopitalar. Braília, Minitério da Saúde. Boa prática para a etocagem de medicamento. Braília: Ceme, Minitério da Saúde. Guia báico para a farmácia hopitalar. Braília: Coordenação de Controle de Infecção Hopitalar, Minitério da Saúde. Aprova a Política Nacional de Medicamento. Portaria nº 3.916, de 30 de outubro de DOU, n. 215-E, eção 1, p , 10 nov Minitério da Saúde. Manual braileiro de acreditação hopitalar. Braília: Departamento de Avaliação de Política de Saúde, CARVALHO, Guido Ivan de; SANTOS, Lenir. Comentário à Lei Orgânica da Saúde (Lei 8.080/90 e 8.142/90): Sitema Único de Saúde. 2. ed. São Paulo: Hucitec, COE, Charle P. The element of quality in pharmaceutical care. Texa: American Society of Hopital Pharmacit, DUPIM, Joé Auguto Alve. Aitência farmacêutica: um modelo de organização. Belo Horizonte: Segrac, HEINRITZ, Stuart F.; FARRELL, Paul V. Compra: princípio e aplicaçõe. São Paulo: Atla, MANAGEMENT SCIENCES FOR HEALTH. Managing drug upply. 2. ed. Wet Hartford: Kumarian, OPAS (ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DE SAÚDE). Guia para centro de ditribución de uminitro de medicamento. Centro locale: planificación, dieño e contrución. Wahington: Oficina Sanitaria Panamericana, Guía para el dearrollo de ervicio farmacéutico hopitalare. Wahington: Opa/ OMS, RAMA, Ana Critina da Cota Ribeiro. Avaliação de doi itema de ditribuição de medicamento. Revita de la Ofil, Madrid, v. 2, n. 2, p , VECINA NETO, Gonzalo; REINHARDT FILHO, Wilon. Getão de recuro materiai e de medicamento. São Paulo: Banco Itaú, IDS, Faculdade de Saúde Pública da USP, WILKEN, Paulo Roberto Coelho; BERMUDEZ, Jorge Antônio Zepeda. A farmácia no hopital: como avaliar? Braília: Ágora da Ilha, 1999.

Enterprise Quality Management [EQM] Excelência em Gestão da Qualidade

Enterprise Quality Management [EQM] Excelência em Gestão da Qualidade Enterprie Quality Management [EQM] Excelência em Getão da Qualidade A Getão da Qualidade Total, do inglê Total Quality Management - TQM é uma etratégia de adminitração completa que tem como objetivo principal

Leia mais

A EDUCAÇÃO BRASILEIRA NAS ÚLTIMAS DÉCADAS: OBSTÁCULOS E METAS DENTRO E FORA DA ESCOLA

A EDUCAÇÃO BRASILEIRA NAS ÚLTIMAS DÉCADAS: OBSTÁCULOS E METAS DENTRO E FORA DA ESCOLA 329 A EDUCAÇÃO BRASILEIRA NAS ÚLTIMAS DÉCADAS: OBSTÁCULOS E METAS DENTRO E FORA DA ESCOLA BRAZILIAN EDUCATION IN LAST DECADES: BARRIERS AND GOALS INSIDE AND OUTSIDE SCHOOL 1 t r a v e i a e d. 1 0 i n

Leia mais

Confrontando Resultados Experimentais e de Simulação

Confrontando Resultados Experimentais e de Simulação Confrontando Reultado Experimentai e de Simulação Jorge A. W. Gut Departamento de Engenharia Química Ecola Politécnica da Univeridade de São Paulo E mail: jorgewgut@up.br Um modelo de imulação é uma repreentação

Leia mais

Inclusão Social dos Jovens nos Assentamentos Rurais de Areia com ênfase no trabalho da Tutoria e recursos das novas TIC s

Inclusão Social dos Jovens nos Assentamentos Rurais de Areia com ênfase no trabalho da Tutoria e recursos das novas TIC s Incluão Social do Joven no Aentamento Rurai de Areia com ênfae no trabalho da Tutoria e recuro da nova TIC MIRANDA 1, Márcia C.V.; SILVA 2, Fátima do S.; FÉLIX 3, Jânio 1 Profeora orientadora e coordenadora

Leia mais

Avaliação de Ações. Mercado de Capitais. Luiz Brandão. Ações. Mercado de Ações

Avaliação de Ações. Mercado de Capitais. Luiz Brandão. Ações. Mercado de Ações Mercado de Capitai Avaliação de Açõe Luiz Brandão O título negociado no mercado podem de renda fixa ou de renda variável. Título de Renda Fixa: Conhece-e de antemão qual a remuneração a er recebida. odem

Leia mais

Lider. ança. para criar e gerir conhecimento. }A liderança é um fator essencial para se alcançar o sucesso também na gestão do conhecimento.

Lider. ança. para criar e gerir conhecimento. }A liderança é um fator essencial para se alcançar o sucesso também na gestão do conhecimento. Liderança para criar e gerir conhecimento Lider ança para criar e gerir conhecimento }A liderança é um fator eencial para e alcançar o uceo também na getão do conhecimento.~ 48 R e v i t a d a ES P M janeiro

Leia mais

Reconhece e aceita a diversidade de situações, gostos e preferências entre os seus colegas.

Reconhece e aceita a diversidade de situações, gostos e preferências entre os seus colegas. Ecola Báic a 2º º e 3º º Ciclo Tema 1 Viver com o outro Tema Conteúdo Competência Actividade Tema 1 Viver com o outro Valore Direito e Devere Noção de valor O valore como referenciai para a acção: - o

Leia mais

Estabelecer critérios e procedimentos gerais para gerir a Secretaria do Conselho da Magistratura (SECCM).

Estabelecer critérios e procedimentos gerais para gerir a Secretaria do Conselho da Magistratura (SECCM). Propoto por: Equipe da Secretaria do Conelho da Magitratura (SECCM) Analiado por: Repreentante da Adminitração Superior (RAS/SECCM) Aprovado por: Secretária da Secretaria do Conelho da Magitratura (SECCM)

Leia mais

Artigos. Comunicação organizacional e relações públicas: caminhos que se cruzam, entrecruzam ou sobrepõem?

Artigos. Comunicação organizacional e relações públicas: caminhos que se cruzam, entrecruzam ou sobrepõem? E t u d o17 Artigo Comunicação organizacional e relaçõe pública: caminho que e cruzam, entrecruzam ou obrepõem? IVONE DE LOUDES OLIVEIRA Metre em Ciência da Comunicação pela ECA-USP e doutora em Comunicação

Leia mais

O CORPO HUMANO E A FÍSICA

O CORPO HUMANO E A FÍSICA 1 a fae Prova para aluno do 9º e 1º ano LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: 01) Eta prova detina-e excluivamente a aluno do 9 o ano do enino fundamental e 1º ano do enino médio. Ela contém trinta quetõe.

Leia mais

XLVI Pesquisa Operacional na Gestão da Segurança Pública

XLVI Pesquisa Operacional na Gestão da Segurança Pública PROBLEMA DE CORTE UNIDIMENSIONAL COM SOBRAS APROVEITÁVEIS: RESOLUÇÃO DE UM MODELO MATEMÁTICO Adriana Cherri Departamento de Matemática, Faculdade de Ciência, UNESP, Bauru adriana@fc.unep.br Karen Rocha

Leia mais

CAPÍTULO 6 - Testes de significância

CAPÍTULO 6 - Testes de significância INF 16 CAPÍTULO 6 - Tete de ignificância Introdução Tete de ignificância (também conhecido como Tete de Hipótee) correpondem a uma regra deciória que no permite rejeitar ou não rejeitar uma hipótee etatítica

Leia mais

CATÁLOGO DE CURSOS SELECIONADOS

CATÁLOGO DE CURSOS SELECIONADOS CATÁLOGO DE CURSOS SELECIONADOS Laureate Network Product & Service Copyright 2013 Laureate Education, Inc. ÍNDICE C A T Á L O G O L N P S ÍCONE Nome do Curo Língua Duração Deenvolvimento do Corpo Acadêmico

Leia mais

UMA ABORDAGEM GLOBAL PARA O PROBLEMA DE CARREGAMENTO NO TRANSPORTE DE CARGA FRACIONADA

UMA ABORDAGEM GLOBAL PARA O PROBLEMA DE CARREGAMENTO NO TRANSPORTE DE CARGA FRACIONADA UMA ABORDAGEM GLOBAL PARA O PROBLEMA DE CARREGAMENTO NO TRANSPORTE DE CARGA FRACIONADA Benjamin Mariotti Feldmann Mie Yu Hong Chiang Marco Antonio Brinati Univeridade de São Paulo Ecola Politécnica da

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PIAUÍ COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PIAUÍ COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO 1 EDITAL CONVITE Nº 009/2011-CPL/GPDP Proceo Adminitrativo nº 0221/2011 -CPL/GDPG A, atravé da Comião Permanente de Licitação, intituída pela Portaria nº 383/2011-GDPG, datada de 08/07/2011, da Exma. Sra.

Leia mais

COP Comunication on Progress EQÜIDADE DE GÊNERO

COP Comunication on Progress EQÜIDADE DE GÊNERO COP Comunication on Progre São Paulo, 28 de fevereiro de 2011 A Ferol Indútria e Comércio SA declara eu apoio contínuo ao Pacto Global. A Ferol acredita na diveridade e na pluralidade como ferramenta de

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS DE CONTROLADORIA EM ORGÃOS PÚBLICOS: UM ESTUDO NOS MUNICÍPIOS MATOGROSSENSES DA REGIÃO SUDOESTE

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS DE CONTROLADORIA EM ORGÃOS PÚBLICOS: UM ESTUDO NOS MUNICÍPIOS MATOGROSSENSES DA REGIÃO SUDOESTE SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS DE CONTROLADORIA EM ORGÃOS PÚBLICOS: UM ESTUDO NOS MUNICÍPIOS MATOGROSSENSES DA REGIÃO SUDOESTE Autoria: Marco Antonio de Souza, Aldo Céar da Silva Ortiz, Lauro Brito

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM CASUAL SIMPLES E AMOSTRAGEM SISTEMÁTICA

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM CASUAL SIMPLES E AMOSTRAGEM SISTEMÁTICA Etudo comparativo entre o procedimento de amotragem... 67 ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS PROCEDIMENTOS DE AMOSTRAGEM CASUAL SIMPLES E AMOSTRAGEM SISTEMÁTICA EM INVENTÁRIOS DE ARBORIZAÇÃO URBANA Comparative

Leia mais

Competências/ Objetivos Especifica(o)s

Competências/ Objetivos Especifica(o)s Tema B- Terra em Tranformação Nº previta Materiai Contituição do mundo material Relacionar apecto do quotidiano com a Química. Reconhecer que é enorme a variedade de materiai que no rodeiam. Identificar

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Reolução n 12/ 2013 Aprova a reformulação do Projeto Pedagógico do Curo de Graduação em Pedagogia

Leia mais

PROCEDIMENTO DE MERCADO AM.04 Cálculo de Votos e Contribuição

PROCEDIMENTO DE MERCADO AM.04 Cálculo de Votos e Contribuição PROCEDIMENTO DE MERCADO AM.04 Cálculo de Voto e Contribuição Reponável pelo PM: Acompanhamento do Mercado CONTROLE DE ALTERAÇÕES Verão Data Decrição da Alteração Elaborada por Aprovada por PM AM.04 - Cálculo

Leia mais

CRECHE COMUNITARIA PINGO DE GENTE AV.Senador Levindo Coelho 130 Tirol CEP.30662-290 CNPJ: 21508312.0001/80

CRECHE COMUNITARIA PINGO DE GENTE AV.Senador Levindo Coelho 130 Tirol CEP.30662-290 CNPJ: 21508312.0001/80 ORGANIZAÇÃO PROPONENTE: CRECHE COMUNITARIA PINGO DE GENTE PROJETO : CUIDANDO EDUCANDO E CONSTRUINDO CIDADÃOS DO FUTURO. LINHA PROGRAMÁTICA DO PROJETO Creche, Educação Infantil, Socialização,Garantia de

Leia mais

ESTUDO DE GEOMARKETING

ESTUDO DE GEOMARKETING ESTUDO DE GEOMARKETING Aplicabilidade no egmento de Franquia O etudo de Geomarketing permite avaliar o ponto de venda exitente da rede em etudo e poibilita apontar nova oportunidade de negócio em comprometer

Leia mais

Projeto Crescer I e II

Projeto Crescer I e II Projeto Crecer I e II Motra Local de: Araponga Categoria do projeto: I Projeto em Andamento (projeto em execução atualmente) Nome da Intituição/Emprea: Paulo Hermínio Pennacchi, preidente da Caa do Bom

Leia mais

Projeto Visita Virtual e Videoconferência Judicial

Projeto Visita Virtual e Videoconferência Judicial Projeto Viita Virtual e Videoconferência Judicial Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN) Minitério da Jutiça Ete projeto naceu de uma parceria entre o Departamento Penitenciário Nacional e a Defenoria

Leia mais

CAPÍTULO 10 Modelagem e resposta de sistemas discretos

CAPÍTULO 10 Modelagem e resposta de sistemas discretos CAPÍTULO 10 Modelagem e repota de itema dicreto 10.1 Introdução O itema dicreto podem er repreentado, do memo modo que o itema contínuo, no domínio do tempo atravé de uma tranformação, nete cao a tranformada

Leia mais

P R O J E T O. Arte. Pneus

P R O J E T O. Arte. Pneus P R O J E T O Arte em C NSCIÊNCIA Promovendo a concientização ecológica utilizando como ferramenta a arte e o ecodeign, criando produto e artefato a partir de reíduo ólido de póconumo (pneu uado) como

Leia mais

Curso de Análise Matricial de Estruturas 1 I - INTRODUÇÃO

Curso de Análise Matricial de Estruturas 1 I - INTRODUÇÃO Curo de Análie Matricial de Etrutura 1 I - INTRODUÇÃO I.1 - Introdução O proceo de um projeto etrutural envolve a determinação de força interna e de ligaçõe e de delocamento de uma etrutura. Eta fae do

Leia mais

Fotografando o Eclipse Total da Lua

Fotografando o Eclipse Total da Lua Fotografando o Eclipe Total da Lua (trabalho apreentado para o Mueu de Atronomia e Ciência Afin) http://atrourf.com/diniz/artigo.html Autor: Joé Carlo Diniz (REA-BRASIL) "Você pode e deve fotografar o

Leia mais

A PRODUÇÃO DE SENTIDOS NOS CAMINHOS DO HIPERTEXTO THE PRODUCTION OF SENSE IN THE HYPERTEXT WAY

A PRODUÇÃO DE SENTIDOS NOS CAMINHOS DO HIPERTEXTO THE PRODUCTION OF SENSE IN THE HYPERTEXT WAY 27 A PRODUÇÃO DE SENTIDOS NOS CAMINHOS DO HIPERTEXTO THE PRODUCTION OF SENSE IN THE HYPERTEXT WAY 1 RESUMO: A tecnologia da informação e comunicação - TIC ampliam o epaço para comunicação e interação na

Leia mais

Margarida Borges e Elsa Bronze da Rocha

Margarida Borges e Elsa Bronze da Rocha Alteraçõe à avaliação da unidade curricular de Genética Molecular do Metrado Integrado de Ciência Farmacêutica (MICF) com impacto ignificativo na aprovaçõe e claificaçõe Margarida Borge e Laboratório de

Leia mais

Rentabilidade das Instituições Financeiras no Brasil: Mito ou Realidade? Autores JOSÉ ALVES DANTAS Centro Universitário Unieuro

Rentabilidade das Instituições Financeiras no Brasil: Mito ou Realidade? Autores JOSÉ ALVES DANTAS Centro Universitário Unieuro Rentabilidade da Intituiçõe Financeira no Brail: Mito ou Realidade? Autore JOSÉ ALVES DANTAS Centro Univeritário Unieuro PAULO ROBERTO BARBOSA LUSTOSA PMIRPGCC - UNB/UFPB/UFPE/UFRN Reumo A dicuão obre

Leia mais

Livro para a SBEA (material em construção) Edmundo Rodrigues 9. peneiras

Livro para a SBEA (material em construção) Edmundo Rodrigues 9. peneiras Livro para a SBEA (material em contrução) Edmundo Rodrigue 9 4.1. Análie granulométrica Granulometria, graduação ou compoição granulométrica de um agregado é a ditribuição percentual do eu divero tamanho

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA CA E CC - GAT

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA CA E CC - GAT XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Verão.0 22 a 25 Novembro de 2009 Recife PE GRUPO IV GRUPO DE ESTUDO DE ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA CA E CC GAT

Leia mais

Intruçõe Breve Verão 1 0 junho 2005 INSTRUÇÕES APENAS PARA PESSOAL QUALIFICADO APERTO DO CONJUNTO DE SUPORTES AVISO: O funcionamento da ua coluna como componente de um itema upeno pode potencialmente expor

Leia mais

a medicina de família e comunidade, a atenção primária à saúde e o ensino de graduação Recomendações & Potencialidades

a medicina de família e comunidade, a atenção primária à saúde e o ensino de graduação Recomendações & Potencialidades a medicina de família e comunidade, a atenção primária à aúde e o enino de graduação Recomendaçõe & Potencialidade organizadore e autore Maria Inez Padula Anderon 1, Marcelo Demarzo 2, Ricardo Donato Rodrigue

Leia mais

PENSAMENTO SISTÊMICO APLICADO A SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO. Leila Lage Humes lhumes@usp.br

PENSAMENTO SISTÊMICO APLICADO A SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO. Leila Lage Humes lhumes@usp.br V I I S E M E A D E S T U D O D E C A S O M É T O D O S Q U A N T I T A T I V O S E I N F O R M Á T I C A PENSAMENTO SISTÊMICO APLICADO A SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO Leila Lage Hume lhume@up.br

Leia mais

Afetação de recursos, produtividade e crescimento em Portugal 1

Afetação de recursos, produtividade e crescimento em Portugal 1 Artigo 65 Afetação de recuro, produtividade e crecimento em Portugal 1 Daniel A. Dia 2 Carlo Robalo Marque 3 Chritine Richmond 4 Reumo No período 1996 a 2011 ocorreu uma acentuada deterioração na afetação

Leia mais

O URBANO E A PRODUÇÃO IMOBILIÁRIA EM CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - ES

O URBANO E A PRODUÇÃO IMOBILIÁRIA EM CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - ES P A N Ó P T I C A O URBANO E A PRODUÇÃO IMOBILIÁRIA EM CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - ES Daniel Pitzer Zippinotti Univeridade Federal do Epírito Santo - UFES 1. INTRODUÇÃO O preente trabalho procura apreentar

Leia mais

I Desafio Petzl Para Bombeiros Regulamento Campeonato Internacional de Técnicas Verticais e Resgate

I Desafio Petzl Para Bombeiros Regulamento Campeonato Internacional de Técnicas Verticais e Resgate ! I Deafio Petzl Para Bombeiro Regulamento Campeonato Internacional de Técnica Verticai e Regate A Spelaion, ditribuidor excluivo Petzl no Brail e o Corpo de Bombeiro de Goiá, etá organizando o Primeiro

Leia mais

Professora FLORENCE. Resolução:

Professora FLORENCE. Resolução: 1. (FEI-SP) Qual o valor, em newton, da reultante da força que agem obre uma maa de 10 kg, abendo-e que a mema poui aceleração de 5 m/? Reolução: F m. a F 10. 5 F 50N. Uma força contante F é aplicada num

Leia mais

Pescando direitos. Medidas Provisórias nºs 664 e 665 de 30 dezembro de 2014. Sobre as MP's 664 e 665 de 2014:

Pescando direitos. Medidas Provisórias nºs 664 e 665 de 30 dezembro de 2014. Sobre as MP's 664 e 665 de 2014: Pecando direito Boletim Jurídico do CPP/ Abril de 2015. 1ª edição. Medida Proviória nº 664 e 665 de 30 dezembro de 2014. Sobre a MP' 664 e 665 de 2014: Em 30 dezembro de 2014 foram promulgada a Medida

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL N.º 001/2007

CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL N.º 001/2007 CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL N.º 001/2007 A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE INHAMBUPE, Etado da Bahia, no uo de ua atribuiçõe legai, mediante a condiçõe etipulada nete Edital, repaldada no art. 37, II da

Leia mais

Usos do Orkut O Movimento Heavy Metal e o BuddyPoke Enquanto Expressão de Subjetividade e de Identificação 1

Usos do Orkut O Movimento Heavy Metal e o BuddyPoke Enquanto Expressão de Subjetividade e de Identificação 1 Uo do Orkut O Movimento Heavy Metal e o BuddyPoke Enquanto Expreão de Subjetividade e de Identificação 1 Élida Fabiani Morai de CRISTO; Haroldo França REBOUÇAS Neto; Jacklene de Souza CARRÉRA; Keila Marina

Leia mais

Um exemplo de Análise de Covariância. Um exemplo de Análise de Covariância (cont.)

Um exemplo de Análise de Covariância. Um exemplo de Análise de Covariância (cont.) Um exemplo de Análie de Covariância A Regreão Linear e a Análie de Variância etudada até aqui, ão cao particulare do Modelo Linear, que inclui também a Análie de Covariância Em qualquer deta trê ituaçõe

Leia mais

Capítulo 5: Análise através de volume de controle

Capítulo 5: Análise através de volume de controle Capítulo 5: Análie atravé de volume de controle Volume de controle Conervação de maa Introdução Exite um fluxo de maa da ubtância de trabalho em cada equipamento deta uina, ou eja, na bomba, caldeira,

Leia mais

Padronizar os procedimentos relativos ao suporte de áudio e vídeo na Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro - EMERJ.

Padronizar os procedimentos relativos ao suporte de áudio e vídeo na Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro - EMERJ. Propoto por: Diretor do Departamento de Tecnologia de Informação e Comunicação (DETEC) Analiado por: Aeora da Aeoria de Getão Etratégica (ASGET) Aprovado por: Secretária-Geral de Enino (SECGE) 1 OBJETIVO

Leia mais

PROTEÇÕES COLETIVAS. Modelo de Dimensionamento de um Sistema de Guarda-Corpo

PROTEÇÕES COLETIVAS. Modelo de Dimensionamento de um Sistema de Guarda-Corpo PROTEÇÕES COLETIVAS Modelo de Dimenionamento de um Sitema de Guarda-Corpo PROTEÇÕES COLETIVAS Modelo de Dimenionamento de um Sitema de Guarda-Corpo PROTEÇÕES COLETIVAS Modelo de Dimenionamento de um Sitema

Leia mais

3 Fuga de cérebros e investimentos em capital humano na economia de origem uma investigação empírica do brain effect 3.1.

3 Fuga de cérebros e investimentos em capital humano na economia de origem uma investigação empírica do brain effect 3.1. 3 Fuga de cérebro e invetimento em capital humano na economia de origem uma invetigação empírica do brain effect 3.1. Introdução Uma da vertente da literatura econômica que etuda imigração eteve empre

Leia mais

O boi é quem manda. Acostume seus ouvidos o termo. Pastagens

O boi é quem manda. Acostume seus ouvidos o termo. Pastagens O boi é quem manda Patejo rotatínuo não abre mão da rotação de piquete, ma repeita comportamento natural do animai, que conomem apena porção mai nobre do pato. Maritela Franco maritela@revitadbo.com.br

Leia mais

Vicente Leite (1), Henrique Teixeira (1), Rui Araújo (2), Diamantino Freitas (2) Resumo

Vicente Leite (1), Henrique Teixeira (1), Rui Araújo (2), Diamantino Freitas (2) Resumo Sitema Electrónico de Condicionamento e Proceamento, em Tempo Real, da Tenõe e Corrente do Motor de Indução Trifáico Alimentado por Converore de Frequência Vicente Leite (1), Henrique Teieira (1), Rui

Leia mais

As PMEs que Mais Crescem no Brasil Um estudo sobre os desafios do ambiente de negócios no caminho das empresas emergentes

As PMEs que Mais Crescem no Brasil Um estudo sobre os desafios do ambiente de negócios no caminho das empresas emergentes A PME que Mai Crecem no Brail Um etudo obre o deafio do ambiente de negócio no caminho da emprea emergente 2012 A c r e c P M E e m q u e n o B m a i a r l i O Cuto Brail da emergente Uma hitória de obtáculo

Leia mais

Associação de Professores de Matemática PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DO EXAME DE MATEMÁTICA APLICADA ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS (PROVA 835) 2013 2ªFASE

Associação de Professores de Matemática PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DO EXAME DE MATEMÁTICA APLICADA ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS (PROVA 835) 2013 2ªFASE Aociação de Profeore de Matemática Contacto: Rua Dr. João Couto, n.º 7-A 1500-36 Liboa Tel.: +351 1 716 36 90 / 1 711 03 77 Fax: +351 1 716 64 4 http://www.apm.pt email: geral@apm.pt PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

Leia mais

EFEITOS DO COEFICIENTE DE POISSON E ANÁLISE DE ERRO DE TENSÕES EM TECTÔNICA DE SAL

EFEITOS DO COEFICIENTE DE POISSON E ANÁLISE DE ERRO DE TENSÕES EM TECTÔNICA DE SAL Copright 004, Intituto Braileiro de Petróleo e Gá - IBP Ete Trabalho Técnico Científico foi preparado para apreentação no 3 Congreo Braileiro de P&D em Petróleo e Gá, a er realizado no período de a 5 de

Leia mais

www.inglesdojerry.com.br

www.inglesdojerry.com.br www.ingledojerry.com.br AGRADECIMENTOS Meu mai incero agradecimento, A Deu, que em ua incomenurável e infinita abedoria tem me dado aúde e força para atravé dete trabalho levar o enino do idioma a peoa

Leia mais

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ETUDANTE ERAMU OUT Dede já, agradecemo a ua participação neta nova etapa do Projecto de Tutoria a Etudante ERAMU verão OUT. Com ete inquérito, pretendemo dar a conhecer

Leia mais

Programa de Formação Técnica Continuada. Categoria de Emprego para Motores CA / CC

Programa de Formação Técnica Continuada. Categoria de Emprego para Motores CA / CC Programa de Formação Técnica Continuada Categoria de Emprego para Motore CA / CC Índice.Introdução.... Chave manuai etrela triângulo.... O motore.... Motore de indução tipo gaiola.... Motore de indução

Leia mais

Projeto Sinergia Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Departamento Nacional

Projeto Sinergia Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Departamento Nacional Projeto Sinergia Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Departamento Nacional Av. Ayrton Senna, 5.555 Barra da Tijuca CEP 22775-004 Rio de Janeiro RJ Brail Tel.: (21) 2136-5672 Fax: (21) 2136-5532/5689

Leia mais

Figura 3.1 - Curva granulométrica por peneiramento e sedimentação de uma amostra de solo residual (Minas de calcáreo Caçapava do Sul)

Figura 3.1 - Curva granulométrica por peneiramento e sedimentação de uma amostra de solo residual (Minas de calcáreo Caçapava do Sul) Nota de Aula - Mecânica do Solo 23 UNIDADE 3 GRANULOMETRIA DOS SOLOS 3.1 Introdução Todo o olo, em ua fae ólida, contêm partícula de diferente tamanho em proporçõe a mai variada. A determinação do tamanho

Leia mais

Máquinas Eléctricas. Motores de indução. Motores assíncronos. Arranque

Máquinas Eléctricas. Motores de indução. Motores assíncronos. Arranque Motore de indução Arranque São motore robuto e barato (fabricado em maa), embora tendo o inconveniente de não erem regulávei. Conequentemente, uma vez definido um binário e uma corrente, ete apena dependem

Leia mais

ÍNDICE. 03 Desenvolvimento do Corpo Acadêmico Laureate. 10 Laureate Languages. 14 Produtos da Marca Laureate. 18 Melhores Práticas Laureate

ÍNDICE. 03 Desenvolvimento do Corpo Acadêmico Laureate. 10 Laureate Languages. 14 Produtos da Marca Laureate. 18 Melhores Práticas Laureate ÍNDICE 03 Deenvolvimento do Corpo Acadêmico Laureate 10 Laureate Language 14 Produto da Marca Laureate 18 Melhore Prática Laureate MY.LAUREATE.NET 3 Promovendo a Excelência de Enino Como Melhorar o Enino

Leia mais

SITE EM JAVA PARA A SIMULAÇÃO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS

SITE EM JAVA PARA A SIMULAÇÃO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS SITE EM JAVA PARA A SIMULAÇÃO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS Reumo Luca Franco de Ai¹ Marcelo Semenato² ¹Intituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia/Campu Jataí/Engenharia Elétrica/PIBIT-CNPQ lucafranco_jty@hotmail.com

Leia mais

Palavras-chave:Algoritmo Genético; Carregamento de Contêiner; Otimização Combinatória.

Palavras-chave:Algoritmo Genético; Carregamento de Contêiner; Otimização Combinatória. Reolução do Problema de Carregamento e Decarregamento 3D de Contêinere em Terminai Portuário para Múltiplo Cenário via Repreentação por Regra e Algoritmo Genético Aníbal Tavare de Azevedo (UNICAMP) anibal.azevedo@fca.unicamp.br

Leia mais

Quantas equações existem?

Quantas equações existem? www2.jatai.ufg.br/oj/index.php/matematica Quanta equaçõe exitem? Rogério Céar do Santo Profeor da UnB - FUP profeorrogeriocear@gmail.com Reumo O trabalho conite em denir a altura de uma equação polinomial

Leia mais

EDITAL N o 01/2014 SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO MESTRADO ACADÊMICO EM ENGENHARIA DE PESCA TURMA 2015

EDITAL N o 01/2014 SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO MESTRADO ACADÊMICO EM ENGENHARIA DE PESCA TURMA 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO CERÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PESCA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PESCA EDITAL N o 01/2014 SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO MESTRADO ACADÊMICO

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE TEMPOS DE RESIDÊNCIA EM SISTEMAS ALIMENTADOS COM VAZÃO VARIÁVEL. Renata Akemi Sassaki

DISTRIBUIÇÃO DE TEMPOS DE RESIDÊNCIA EM SISTEMAS ALIMENTADOS COM VAZÃO VARIÁVEL. Renata Akemi Sassaki DISTRIBUIÇÃO DE TEMPOS DE RESIDÊNIA EM SISTEMAS ALIMENTADOS OM VAZÃO VARIÁVEL Renata Akemi Saaki TESE SUBMETIDA AO ORPO DOENTE DA OORDENAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Imposto de Renda Pessoa Física

Imposto de Renda Pessoa Física Impoto de Renda Peoa Fíica 2006 Manual de Preenchimento Declaração de Ajute Anual Modelo Completo - Ano-calendário de 2005 Receita Federal Minitério da Fazenda GOVERNO FEDERAL Índice PÁG. ENTREGA DA DECLARAÇÃO

Leia mais

Digifort Enterprise A mais completa solução Digifort para monitoramento de câmeras e alarmes.

Digifort Enterprise A mais completa solução Digifort para monitoramento de câmeras e alarmes. Digifort Enterprie A mai completa olução Digifort para monitoramento de câmera e alarme. A verão Enterprie é o pacote que compreende todo o recuro diponívei para o Sitema Digifort, oferecendo total gerenciamento

Leia mais

Observação: CURSOS MICROSOFT

Observação: CURSOS MICROSOFT Obervação: O material utilizado nete curo é de propriedade e ditribuição da emprea Microoft, podendo er utilizado por qualquer peoa no formato de ditribuição WEB e leitura em PDF conforme decrito na lei

Leia mais

QUATRO ARTISTAS E SEUS POSICIONAMENTOS FRENTE À REALIDADE DAS MÁQUINAS FOUR ARTISTS AND THEIR VIEWS ABOUT MACHINES

QUATRO ARTISTAS E SEUS POSICIONAMENTOS FRENTE À REALIDADE DAS MÁQUINAS FOUR ARTISTS AND THEIR VIEWS ABOUT MACHINES 105 QUATRO ARTISTAS E SEUS POSICIONAMENTOS FRENTE À REALIDADE DAS MÁQUINAS FOUR ARTISTS AND THEIR VIEWS ABOUT MACHINES 1 RESUMO: Ete artigo traz uma reflexão obre o poicionamento de quatro artita frente

Leia mais

PRE/OO UM PROCESSO DE REENGENHARIA ORIENTADA A OBJETOS

PRE/OO UM PROCESSO DE REENGENHARIA ORIENTADA A OBJETOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PRE/OO UM PROCESSO DE REENGENHARIA ORIENTADA A OBJETOS COM ÊNFASE NA GARANTIA

Leia mais

Análise da viabilidade econômica de um sistema silvipastoril com eucalipto para a Zona da Mata de Minas Gerais 1

Análise da viabilidade econômica de um sistema silvipastoril com eucalipto para a Zona da Mata de Minas Gerais 1 Análie da viabilidade econômica de um itema ilvipatoril... 107 Análie da viabilidade econômica de um itema ilvipatoril com eucalipto para a Zona da Mata de Mina Gerai 1 Economic viability analyi of a ilvopatoral

Leia mais

Universidade Paulista Júlio de Mesquita Filho - Campus de Araraquara.

Universidade Paulista Júlio de Mesquita Filho - Campus de Araraquara. Univeridade Paulita Júlio de Mequita Filho - Campu de Araraquara. P Credenciamento do curo de po-graduação em Odontologia, com área de concentração em Dentítica Retauradora, a nível de metrado. Virgínio

Leia mais

Taxa de Juros e Default em Mercados de Empréstimos Colateralizados

Taxa de Juros e Default em Mercados de Empréstimos Colateralizados Etudo Econômico 41(4) outubro/dezembro de 2011 Taxa de Juro e Default em Mercado de Emprétimo Colateralizado Sergio Ricardo Fautino Batita - Joé Angelo Divino - Jaime Orrillo Submetido: 26 de março de

Leia mais

Digifort Standard Solução intermediária para instalação de até 32 câmeras

Digifort Standard Solução intermediária para instalação de até 32 câmeras Digifort Standard Solução intermediária para intalação de até 32 câmera A verão Standard fornece o recuro ideai para o monitoramento local e remoto de até 32 câmera por ervidor e por er a verão intermediária

Leia mais

ESTUDO DINÂMICO DA PRESSÃO EM VASOS SEPARADORES VERTICAIS GÁS-LÍQUIDO UTILIZADOS NO PROCESSAMENTO PRIMÁRIO DE PETRÓLEO

ESTUDO DINÂMICO DA PRESSÃO EM VASOS SEPARADORES VERTICAIS GÁS-LÍQUIDO UTILIZADOS NO PROCESSAMENTO PRIMÁRIO DE PETRÓLEO ESTUDO DINÂMICO DA PRESSÃO EM VASOS SEPARADORES VERTICAIS GÁS-LÍQUIDO UTILIZADOS NO PROCESSAMENTO PRIMÁRIO DE PETRÓLEO Thale Cainã do Santo Barbalho 1 ; Álvaro Daniel Tele Pinheiro 2 ; Izabelly Laria Luna

Leia mais

R. IP CA(t=1)= IP CA(t=2)= A inação é: IP CA(t=2) IP CA(t=1) IP CA(t=1)

R. IP CA(t=1)= IP CA(t=2)= A inação é: IP CA(t=2) IP CA(t=1) IP CA(t=1) Gabarito - Lita 1 - Introdução à Economia 2 - FCE/UERJ - 2016.2 1 - Explique por que o PIB real, e não o PIB nominal, deve er uado como medida de renda. 2 - Conidere uma economia com doi ben: carro e computadore.

Leia mais

Marés, fases principais da Lua e bebês

Marés, fases principais da Lua e bebês Maré, fae principai da ua e bebê CADERNO BRASIEIRO DE ENSINO DE FÍSICA, FORIANÓPOIS, V.0, N. 1: P.10-9, ABR. 003 Fernando ang da Silveira Univeridade Federal do Rio Grande do Sul UFRGS Intituto de Fíica

Leia mais

operação. Determine qual o percentual de vezes que o servidor adicional será acionado.

operação. Determine qual o percentual de vezes que o servidor adicional será acionado. P r i m e i r o e m e t r e d e 2 4 Revião da Poion e da Exponencial. Suponha ue o aceo a um ervidor de web iga uma Poion com taxa de uatro aceo por minuto. (i) Encontre a probabilidade de ue ocorram aceo

Leia mais

Tensão Induzida por Fluxo Magnético Transformador

Tensão Induzida por Fluxo Magnético Transformador defi deartamento de fíica Laboratório de Fíica www.defi.ie.i.t Tenão Induzida or Fluxo Magnético Tranformador Intituto Suerior de Engenharia do Porto- Deartamento de Fíica Rua Dr. António Bernardino de

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE DADOS CLIMATOLÓGICOS DO RIO GRANDE DO SUL E SANTA CATARINA

RECUPERAÇÃO DE DADOS CLIMATOLÓGICOS DO RIO GRANDE DO SUL E SANTA CATARINA UPERAÇÃO DE DADOS CLIMATOLÓGICOS DO RIO GRANDE DO SUL E SANTA CATARINA Flavio Varone Gonçalve (1) Ilia S. Kim (1) Curo Pó-Graduação em Meteorologia, Faculdade de Meteorologia, UFPel. ABSTRACT Climatological

Leia mais

ANÁLISE LINEAR COM REDISTRIBUIÇÃO E ANÁLISE PLÁSTICA DE VIGAS DE EDIFÍCIOS

ANÁLISE LINEAR COM REDISTRIBUIÇÃO E ANÁLISE PLÁSTICA DE VIGAS DE EDIFÍCIOS Anai do 47º Congreo Braileiro do Concreto - CBC005 Setembro / 005 ISBN 85-98576-07-7 Volume XII - Projeto de Etrutura de Concreto Trabalho 47CBC06 - p. XII7-85 005 IBRACON. ANÁLISE LINEAR COM REDISTRIBUIÇÃO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA LIMA

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA LIMA EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL: n 070/204 PROCESSO ADMINISTRATIVO: n 278/204 IMPORTANTE: AO RETIRAR ESTE EDITAL, FAVOR PREENCHER O RECIBO DE RETIRADA DE EDITAL E ENVIÁ-LO PARA O E-MAIL INFORMADO NO PROPRIO

Leia mais

EDUARDO VIDAL VIOLA PRONOMES PESSOAIS E MARCADORES DE PESSOAS NAS LÍNGUAS AMERÍNDIAS

EDUARDO VIDAL VIOLA PRONOMES PESSOAIS E MARCADORES DE PESSOAS NAS LÍNGUAS AMERÍNDIAS EDUARDO VIDAL VIOLA PRONOMES PESSOAIS E MARCADORES DE PESSOAS NAS LÍNGUAS AMERÍNDIAS CAMPINAS, 2015 i ii UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS INSTITUTO DE ESTUDOS DA LINGUAGEM EDUARDO VIDAL VIOLA PRONOMES

Leia mais

INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA KLEYNA MOORE ALMEIDA

INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA KLEYNA MOORE ALMEIDA MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA (Real Academia de Artilharia, Fortificação e Deenho 1792) Kleyna Moore Almeida GARANTIA DA QUALIDADE

Leia mais

Os projetos realizados pelos Núcleos se encaixam em todas as áreas de enfoque do Rotary, sendo

Os projetos realizados pelos Núcleos se encaixam em todas as áreas de enfoque do Rotary, sendo Núcleo Rotary de Deenvolvimento Comunitário (NRDC) Reultado da pequia de 2013 e 2014 I. NRDC e eu projeto: 2014 2013 87% do NRDC e reuniram pelo meno uma vez por mê. 34% do NRDC dieram ter membro na faixa

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.179, DE 7 DE MAIO DE 1996 Autoriza a abertura de crédito especial para os fins que especifica, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ETADO DO ACRE AÇO ABER que a Assembléia Legislativa decreta

Leia mais

Projeto Pedagógico. Engenharia de Produção. Bacharelado

Projeto Pedagógico. Engenharia de Produção. Bacharelado Projeto Pedagógico Engenharia de Produção Bacharelado Americana 2015 LICEU CORAÇÃO DE JESUS Intituição Mantenedora Prof. M. P. Joé Adão Rodrigue da Silva Preidente CENTRO UNIVERSITÁRIO SALESIANO DE SÃO

Leia mais

JÚLIO VÍTOR KUNZLER JÚNIOR ANÁLISES TEÓRICA E EXPERIMENTAL DO GERADOR ASSÍNCRONO DE DUPLA ALIMENTAÇÃO O GEADA, E CONTRIBUIÇÃO À SUA OPERAÇÃO

JÚLIO VÍTOR KUNZLER JÚNIOR ANÁLISES TEÓRICA E EXPERIMENTAL DO GERADOR ASSÍNCRONO DE DUPLA ALIMENTAÇÃO O GEADA, E CONTRIBUIÇÃO À SUA OPERAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA JÚLIO VÍTOR KUNZLER JÚNIOR ANÁLISES TEÓRICA E EXPERIMENTAL DO GERADOR ASSÍNCRONO DE DUPLA ALIMENTAÇÃO

Leia mais

SINTAXE E SEMÂNTICA NA REFORMULAÇÃO DE ALGUMAS PRESCRIÇÕES GRAMATICAIS

SINTAXE E SEMÂNTICA NA REFORMULAÇÃO DE ALGUMAS PRESCRIÇÕES GRAMATICAIS 565 SINTAXE E SEMÂNTICA NA REFORMULAÇÃO DE ALGUMAS PRESCRIÇÕES GRAMATICAIS THE SYNTAX AND THE SEMANTICS IN THE REFORMULATION OF SOME GRAMMATICAL PRESCRIPTION 1 RESUMO: A preente reflexão tem por objetivo

Leia mais

Reducao da. Maioridade Penal: o que voce precisa. essa ideia nao e boa. saber para entender que

Reducao da. Maioridade Penal: o que voce precisa. essa ideia nao e boa. saber para entender que Reducao da Maioridade Penal: o que voce precia aber para entender que ea ideia nao e boa. Expediente Eta cartilha foi originalmente produzida e publicada pela equipe do Centro de Defea da Criança e do

Leia mais

Experimento #4. Filtros analógicos ativos LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA

Experimento #4. Filtros analógicos ativos LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA UNIVESIDADE FEDEAL DE CAMPINA GANDE CENTO DE ENGENHAIA ELÉTICA E INFOMÁTICA DEPATAMENTO DE ENGENHAIA ELÉTICA LABOATÓIO DE ELETÔNICA Experimento #4 Filtro analógico ativo EXPEIMENTO #4 Objetivo Gerai Eta

Leia mais

Compensadores. Controle 1 - DAELN - UTFPR. Os compensadores são utilizados para alterar alguma característica do sistema em malha fechada.

Compensadores. Controle 1 - DAELN - UTFPR. Os compensadores são utilizados para alterar alguma característica do sistema em malha fechada. Compenadore 0.1 Introdução Controle 1 - DAELN - UTFPR Prof. Paulo Roberto Brero de Campo O compenadore ão utilizado para alterar alguma caracterítica do itema em malha fechada. 1. Avanço de fae (lead):

Leia mais

A CAPACIDADE DE SUBITIZING EM CRIANÇAS DE 4 ANOS

A CAPACIDADE DE SUBITIZING EM CRIANÇAS DE 4 ANOS A CAPACIDADE DE SUBIIZING EM CRIANÇAS DE 4 ANOS Maria João Ramalho Cordeiro Diertação apreentada à ecola Superior de Educação de Liboa para obtenção de grau de metre em Educação Matemática na Educação

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA PREGOEIRO E EQUIPE DE APOIO EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE PREGÃO PRESENCIAL Nº 006/2015

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA PREGOEIRO E EQUIPE DE APOIO EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE PREGÃO PRESENCIAL Nº 006/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO: 360.413-6 PODER JUDICIÁRIO EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE PREGÃO PRESENCIAL Nº 006/2015 (Regitro de Preço para contratação de emprea epecializada, objetivando contrataçõe, eventuai

Leia mais

Análise de Sensibilidade de Anemômetros a Temperatura Constante Baseados em Sensores Termo-resistivos

Análise de Sensibilidade de Anemômetros a Temperatura Constante Baseados em Sensores Termo-resistivos UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ELETRICIDADE Análie de Senibilidade de Anemômetro a Temperatura Contante Baeado em Senore Termo-reitivo

Leia mais

= T B. = T Bloco A: F = m. = P Btang. s P A. 3. b. P x. Bloco B: = 2T s T = P B 2 s. s T = m 10 B 2. De (I) e (II): 6,8 m A. s m B

= T B. = T Bloco A: F = m. = P Btang. s P A. 3. b. P x. Bloco B: = 2T s T = P B 2 s. s T = m 10 B 2. De (I) e (II): 6,8 m A. s m B eolução Fíica FM.9 1. e Com bae na tabela, obervamo que o atleta etá com 5 kg acima do peo ideal. No gráfico, temo, para a meia maratona: 1 kg,7 min 5 kg x x,5 min. Na configuração apreentada, a força

Leia mais

GABARITO NÍVEL III. Questão 1) As Leis de Kepler.

GABARITO NÍVEL III. Questão 1) As Leis de Kepler. SOCIEDADE ASTONÔMICA BASILEIA SAB IV Olimpíada Braileira de Atronomia IV OBA - 001 Gabarito da Prova de nível III (para aluno do enino médio) GABAITO NÍVEL III Quetão 1) A Lei de Kepler. Johanne Kepler,

Leia mais

ATA PARA REUNIÃO DE INSTALAÇÃO DA COMISSÃO CENSITÁRIA MUNICIPAL

ATA PARA REUNIÃO DE INSTALAÇÃO DA COMISSÃO CENSITÁRIA MUNICIPAL ATA PARA REUNIÃO DE INTALAÇÃO DA COMIÃO CENITÁRIA MUNICIPAL Aos 29 dias do mês de agosto de (ano) 2006, às 10:25 horas, no(a) do Município ARAUCÁRIA, estado PR foi realizada a Reunião de Instalação da

Leia mais

IX SIMPÓSIO DE ESPECIALISTAS EM PLANEJAMENTO DA OPERAÇÃO E EXPANSÃO ELÉTRICA

IX SIMPÓSIO DE ESPECIALISTAS EM PLANEJAMENTO DA OPERAÇÃO E EXPANSÃO ELÉTRICA IX SEPOPE 3 a 7 de maio de 4 May, 3 th to 7 rd 4 Rio de Janeiro (RJ) Brail IX SIMPÓSIO DE ESPECIALISTAS EM PLANEJAMENTO DA OPERAÇÃO E EXPANSÃO ELÉTRICA IX SYMPOSIUM OF SPECIALISTS IN ELECTRIC OPERATIONAL

Leia mais