UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM IMPACTO DA IMPLANTAÇÃO DO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Por: Roberto Araujo de Oliveira Orientador Prof. MARCELO SALDANHA Rio de Janeiro 2011

2 2 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM IMPACTO DA IMPLANTAÇÃO DO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Apresentação de monografia à Universidade Candido Mendes como requisito parcial para obtenção do grau de especialista em Gestão Pública Autor. Roberto Araujo de Oliveira

3 3 AGRADECIMENTOS Ao corpo docente do Instituto A Vez do Mestre e aos alunos, amigos de trabalho, que direta ou indiretamente contribuíram para a confecção do presente trabalho.

4 4 DEDICATÓRIA À família e amigos, pela paciência.

5 5 RESUMO O presente trabalho é uma tentativa de reportar o esforço desenvolvido pelo executivo do Governo do Estado do Rio de Janeiro, através das secretarias da Casa Civil e de Planejamento, em conjunto com o PRODERJ, para modernizar a gestão de seus processos de trabalho. A implantação deste projeto permanece em andamento e os resultados desejados ainda dependem de muito trabalho. Faço parte do projeto, sendo um dos representantes da Subsecretaria Adjunta de Modernização da Gestão, da Secretaria de Planejamento. Ousar fazer o registro do este esforço, concomitantemente a minha participação no grupo técnico do Projeto Processo Digital corresponde a trocar o pneu com o carro em movimento. Foi preciso esperar que as principais definições fossem tomadas, e já houvesse informações consistentes a apresentar, para somente então redigir este trabalho. Espero que este texto ajude a dar a exata dimensão das dificuldades e de quanto ainda será necessário trabalhar para que os objetivos do presente projeto, desta empreitada inovadora, sejam alcançados.

6 6 METODOLOGIA Esta pesquisa será realizada durante a minha participação no Projeto Processo Digital, nome atual do GED- Gestão Eletrônica de Documentos, no qual participo como um dos dois representante da SEPLAG (Secretaria de Planejamento) do core-team (grupo técnico), composto com a participação de representantes da Casa Civil, da SEPLAG, do PRODERJ e do consórcio B2BR/DSCON, que tem o gerencia do grupo técnico, com a responsabilidade das formulações técnicas do projeto. A B2BR é a responsável pelo fornecimento dos produtos de HARDWARE e SOFTWARE e a DSCON a parte dos serviços com a implantação dos 4 processos previstos na licitação implantados, treinamento na nova tecnologia e gerência na montagem de todo o ambiente. Mais recentemente o Arquivo Público esta participando do grupo técnico, com importante missão, como veremos mais a frente. Além do já citado grupo técnico, participo do grupo de Transição e Treinamento, com reuniões semanais, que tem a responsabilidade de preparar o Estado na aceitação das inevitáveis mudanças que ocorrerão com o aporte das novas tecnologias e pelo treinamento dos técnicos do estado que a absorverão. O management-team ( grupo gerencial) composto com a participação de subsecretários das mesmas áreas do estado e tem a palavra final pelas formulações advindas dos dois primeiros grupos, com reuniões quinzenais. A expectativa inicial, de quando submeti este Plano de Pesquisa era de já no início de Julho de 2011 ter algum processo efetivamente implantado no Estado de modo a testemunhar o seu impacto. Contudo com o atraso para o mês de Agosto de 2011, do inicio das implantações, justificado pela abrangência e complexidade das tarefas envolvidas em sua realização, darei a situação existente em 11 de Julho, quando faço o corte na pesquisa, de modo que possa fazer a entrega da pesquisa. O atual cronograma de implantação dos processos, para os quais foram escolhidos 5 secretarias ou órgãos da administração direta para o plano piloto que contemplará os 3 primeiros processos. Na relação abaixo aparecem os

7 7 processos que serão automatizados, os órgãos e as respectivas datas de inicio previstas. Cadastrar Veículos O processo de cadastrar veículos consiste no cadastramento para posterior manutenção e obtençao de combustível para a sua locomoção, dos veículos comprados ou alugados pelo Estado do Rio de Janeiro. SESEG (09/08) Secretaria de Segurança SESDEC (15/08) Secretaria de Saúde e Defesa Civil SSMCC (22/08) Secretaria de Educação SEAPEC (22/08) Secretaria de Agricultura e Pecuária DETRAN (22/08) Departamento de Trânsito Nomear e Exonerar O processo controla a nomeação e exoneração de funcionários desde a solicitação inicial até a sua publicação na Imprensa Oficial. SEPLAG : (31/08) Secretaria de Planejamento Vice-Governadoria (12/09) Vice-Governadoria SEFAZ : (19/09) Secretaria de Fazenda SEEDUC : (19/09) Secretaria de Educação SEASDH : (19/09) Secretaria de Assistência Social e Direitos Humnos. Gerir Combustível O processo permite que os órgãos que possuem veículos cadastrados no Estado do Rio de Janeiro comprem combustíveis para seus veículos próprios ou alugados. SESEG (13/09) Secretaria de Segurança SEPLAG (19/09) Secretaria de Planejamento SESDEC (26/09) Secretaria de Saúde e Defesa Civil INEA (26/09) Instituto Estadual do Ambiente SEAPEC (26/09) Secretaria de Agricultura e Pecuária SEFAZ (26/09) Secretaria de Fazenda

8 8 Para o 4º processo previsto na licitação, Cadastrar Compra de Armamentos, de responsabilidade da Secretaria de Segurança, houve uma grande reformulação e sua implantação ficou para o final do mês de Setembro de Outros novos processos, em diversas fases de desenvolvimento, já começaram a serem analisados; processo Gabinete do Governador da Casa Civil, processo Solicitação de Certificado Digital do PRODERJ, processo Fiscalização Ambiental do INEA e o processo E-PAT (Processo Administrativo Tributário) da Secretaria de Fazenda. Em consequência do atraso nas data previstas de implantação dos primeiros processos digitais foi inevitável fazer um corte na análise previamente prevista no presente trabalho. Ficará o trabalho restrito as expectativas de impacto da implantação do Projeto Processo Digital. O corte contempla até a data de 8 de julho de 2011, porque na 2ª feira 11 de julho começou o terceiro curso de treinamento, realizado durante 8 horas por dia, o que impossibilitará o acompanhamento diário do andamento do projeto, e também, porque em algum momento eu teria que interrompe-lo para poder dar o meu testemunho.

9 SUMÁRIO INTRODUÇÃO CAPÍTULO I HISTÓRICO: Os antecedentes I.1 Primeiro mandato do Governo Sérgio Cabral I.2 Custos dos processos impressos I.3 Casa Civil - Antes e depois I.4 Situação de alguns arquivos I.5 Legislação I.6 A licitação CAPÍTULO II: METODOLOGIA DA PESQUISA CAPÍTULO III: PROJETO PROCESSO DIGITAL - A PROPOSTA III.1 - FUNCIONALIDADES NA GESTÃO DE DOOCUMENTOS III.2 - Assinatura digital CAPÍTULO IV: PLANO DE PESQUISA A EXECUÇÃO IV.1 Grupos de Trabalho IV.2 - Governança do Processo Digital IV.3 - Do levantamento à Implementação de processos IV.4 - Proposta de Automação Genérica de Processos (ad hoc) CONCLUSÃO BIBLIOGRAFIA CONSULTADA ANEXOS

10 10 INTRODUÇÃO Inicialmente informarei a situação anterior ao projeto, de como estava a situação dos arquivos do Estado do Rio de Janeiro, no início do primeiro mandato do Governador Sergio Cabral. A seguir a legislação que deu origem ao projeto Processo Digital, seguido dos elementos da proposta inovadora. A proposta do projeto virá a seguir, seguido do atual status de todos os grupos criados para a consecução de seus objetivos. Como foi estruturada a equipe, seus componentes e responsabilidades e finalmente uma conclusão do trabalho em que espero responder ao problema se a implantação do GED, agora nominado Processo Digital, provocará todas as mudanças prevista no projeto, trazendo todos os benefícios esperados.

11 11 CAPÍTULO I HISTÓRICO: Os antecedentes I.1 Primeiro mandato do Governo Sérgio Cabral Para a adoção de um choque de Gestão no estado contratou consultoria externa, da COPPE, que identificação de pouco mais de 40 processos estruturantes, dentre eles a Gestão eletrônica de Documentos como melhor alternativa em busca de eficiência em processos de Estado. Decidiu o governo por escolher uma plataforma única para a otimização de recursos com esta finalidade e contratou a COPPE para elaborar termo de referência e apoiar licitação. I.2 Custos dos processos impressos No anexo 1, o gráfico que quantifica os ganhos possíveis de serem obtidos com a não impressão dos atuais processos administrativos. Para um total de 869 mil processos por ano, estimando-se uma quantidade média de folhas impressas por processo de 50, a um custo da folha impressa de R$0,40 chegamos a um montante de R$ ! Este significativo valor justificam os investimentos realizados. Este valor é de apenas um ano e a solução digital que evitará a impressão dos processos não ficará restrito a um só ano, serão ganhos acumulados. Além dos ganhos econômicos outro aspecto de grande importância será o ecológico, evitando a derrubada de milhares de árvores. I.3 Casa Civil - Antes e depois No anexo 2 tem as fotografias que mostram a situação dos arquivos do Estado seja na Casa Civil. A situação era caótica e após os indispensáveis investimentos a situação agora é bem diferente como demonstra o antes e o depois.

12 12 I.4 Situação de alguns arquivos Também no Arquivo Público a situação não era melhor. No anexo 3 uma pequena amostra do descaso. I.5 Legislação Iniciativa de padronização da Gestão Documental abrangendo todo o estado; Arcabouço Legal do Processo Digital: Lei do processo administrativo Lei 5427; Decreto Nº que trata da implementação do processo administrativo eletrônico no âmbito do estado dando autenticidade, integridade e validade jurídica (Assinatura digital com certificado) objetivando melhorias e automatização dos Fluxo de Trabalho. O decreto nº de 15 de março de 2010, regulamenta a Lei Estadual nº 5.427, de 01 de abril de 2009, no que dispõe sobre a informatização de documentos e processos administrativos na administração pública estadual e dá outras providências. A partir do Processo Administrativo nº E-12/2707/2009, o Governo do Estado do Rio de Janeiro decretou do processo administrativo eletrônico, fruto desta análise de perspectiva sobre seus resultados. Iniciativa de padronização da Gestão Documental abrangendo todo o estado. Arcabouço Legal do Processo Digital: Lei do processo administrativo Lei 5427; Decreto No que trata da implementação do processo administrativo eletrônico no âmbito do estado; Autenticidade, integridade e validade jurídica( Assinatura digital com certificado); Iniciativa de melhorias e automatização dos Fluxo de Trabalho.

13 13 I.6 A licitação Prestação de serviços de cessão de direitos de uso definitivo, não exclusivo, e a implantação de uma solução de gerenciamento integrado de documentos e processos associados, por interface única para o usuário final. O consórcio vencedor da licitação realizada foi B2BR/DSCON. A B2BR com o fornecimento dos produtos ORACLE e a DSCON com a parte dos serviços a serem implantados. Para a consecução deste projeto, que exigirá uma grande integração de vários órgãos do estado, principalmente a Casa Civil, SEPLAG e PRODERJ. O anexo 5 traz a publicação no Diário Oficial do resultado da licitação, publicada em 17 de dezembro de Recursos de software que compõem o Oracle ECM Suite: ODC - Oracle Document Capture (Captura de documentos) UCM - Universal Content Management (Repositório de Informações) IRM - Information Rights Management (Controle da distribuição) URM - Universal Records Management ( Ger. informações do ciclo de vida dos documentos ) BPM - Business Process Management (Gerenciamento de Processos) BPEL BPEL Process Manager (Gerenciador de processos BPEL) OWL Oracle WebLogic (Servidor de Aplicações Java) WCM - Web Content Management (Publicação de Conteúdo) OWC Oracle WebCenter (Servidor de Portal)

14 14 CAPÍTULO II: METODOLOGIA DA PESQUISA Esta pesquisa será realizada durante a minha participação no Projeto Processo Digital, nome atual do GED- Gestão Eletrônica de Documentos, no qual participo como um dos dois representante da SEPLAG (Secretaria de Planejamento) do core-team (grupo técnico), composto com a participação de representantes da Casa Civil, da SEPLAG, do PRODERJ e do consórcio B2BR/DSCON, que tem o gerencia do grupo técnico, com a responsabilidade das formulações técnicas do projeto. A B2BR é a responsável pelo fornecimento dos produtos de HARDWARE e SOFTWARE e a DSCON a parte dos serviços com a implantação dos 4 processos previstos na licitação implantados, treinamento na nova tecnologia e gerência na montagem de todo o ambiente. Mais recentemente o Arquivo Público esta participando do grupo técnico, com importante missão, como veremos mais a frente. Além do já citado grupo técnico, participo do grupo de Transição e Treinamento, com reuniões semanais, que tem a responsabilidade de preparar o Estado na aceitação das inevitáveis mudanças que ocorrerão com o aporte das novas tecnologias e pelo treinamento dos técnicos do estado que a absorverão. O management-team ( grupo gerencial) composto com a participação de subsecretários das mesmas áreas do estado e tem a palavra final pelas formulações advindas dos dois primeiros grupos, com reuniões quinzenais. A expectativa inicial, de quando submeti este Plano de Pesquisa era de já no início de Julho de 2011 ter algum processo efetivamente implantado no Estado de modo a testemunhar o seu impacto. Contudo com o atraso para o mês de Agosto de 2011, do inicio das implantações, justificado pela abrangência e complexidade das tarefas envolvidas em sua realização, darei a situação existente em 11 de Julho, quando faço o corte na pesquisa, de modo que possa fazer a entrega da pesquisa. O atual cronograma de implantação dos processos, para os quais foram escolhidos 5 secretarias ou órgãos da administração direta para o plano piloto que contemplará os 3 primeiros processos. Na relação abaixo aparecem os

15 15 processos que serão automatizados, os órgãos e as respectivas datas de inicio previstas. Cadastrar Veículos O processo de cadastrar veículos consiste no cadastramento para posterior manutenção e obtençao de combustível para a sua locomoção, dos veículos comprados ou alugados pelo Estado do Rio de Janeiro. SESEG (09/08) Secretaria de Segurança SESDEC (15/08) Secretaria de Saúde e Defesa Civil SSMCC (22/08) Secretaria de Educação SEAPEC (22/08) Secretaria de Agricultura e Pecuária DETRAN (22/08) Departamento de Trânsito Nomear e Exonerar O processo controla a nomeação e exoneração de funcionários desde a solicitação inicial até a sua publicação na Imprensa Oficial. SEPLAG : (31/08) Secretaria de Planejamento Vice-Governadoria (12/09) Vice-Governadoria SEFAZ : (19/09) Secretaria de Fazenda SEEDUC : (19/09) Secretaria de Educação SEASDH : (19/09) Secretaria de Assistência Social e Direitos Humnos. Gerir Combustível O processo permite que os órgãos que possuem veículos cadastrados no Estado do Rio de Janeiro comprem combustíveis para seus veículos próprios ou alugados. SESEG (13/09) Secretaria de Segurança SEPLAG (19/09) Secretaria de Planejamento SESDEC (26/09) Secretaria de Saúde e Defesa Civil INEA (26/09) Instituto Estadual do Ambiente SEAPEC (26/09) Secretaria de Agricultura e Pecuária SEFAZ (26/09) Secretaria de Fazenda

16 16 Para o 4º processo previsto na licitação, Cadastrar Compra de Armamentos, de responsabilidade da Secretaria de Segurança, houve uma grande reformulação e sua implantação ficou para o final do mês de Setembro de Outros novos processos, em diversas fases de desenvolvimento, já começaram a serem analisados; processo Gabinete do Governador da Casa Civil, processo Solicitação de Certificado Digital do PRODERJ, processo Fiscalização Ambiental do INEA e o processo E-PAT (Processo Administrativo Tributário) da Secretaria de Fazenda. Em consequência do atraso nas data previstas de implantação dos primeiros processos digitais foi inevitável fazer um corte na análise previamente prevista no presente trabalho. Ficará o trabalho restrito as expectativas de impacto da implantação do Projeto Processo Digital. O corte contempla até a data de 8 de julho de 2011, porque na 2ª feira 11 de julho começou o terceiro curso de treinamento, realizado durante 8 horas por dia, o que impossibilitará o acompanhamento diário do andamento do projeto, e também, porque em algum momento eu teria que interrompe-lo para poder dar o meu testemunho.

17 17 CAPÍTULO III: PROJETO PROCESSO DIGITAL - A PROPOSTA A síntese deste projeto consiste na produção, registro, tramitação, arquivamento e consulta de documentos e processos administrativos pela administração pública do Estado do Rio de Janeiro, em meio eletrônico. Através de assinatura eletrônica haverá a identificação inequívoca do seu signatário, baseada na autenticação em certificado digital emitido por autoridade certificadora credenciada na Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileiras ( ICP-Brasil). A tramitação eletrônica será realizada com a utilização de redes de comunicação, preferencialmente a rede mundial de computadores. Contudo nos casos em que haja garantia legal do sigilo ou que mereçam restrição à consulta pública, o acesso será limitado a servidores previamente autorizados. Os principais objetivos do Processo Digital na administração pública do estado do Rio de janeiro são de aumentar a rapidez na tramitação dos processos e reduzir custos pela não impressão dos mesmos. Transformar em processos digitais os atuais processos administrativos, em papel, por meio de Implantação de uma solução de Gerenciamento Integrado de Documentos e Processos associados, de interface única para o usuário final do estado do Rio de Janeiro. Integração que será obtida do Estado do Rio de Janeiro com os órgãos que o compõem, seus servidores, cidadãos e terceiros trará grandes benefícios agilizando a ação do Estado na execução dos seus processos, grande segurança com a padronização dos documentos gerados, permitindo um controle mais efetivo destas atividades. III.1 - FUNCIONALIDADES NA GESTÃO DE DOOCUMENTOS Criar Documentos podem ser automaticamente criados na execução do processo e direcionados a meios magnéticos.

18 18 Capturar Através dos processos automatizados arquivos e imagens digitalizadas podem ser incorporadas ao processo. Armazenar Os documentos permanecerão armazenados pelo tempo e critérios de sigilo segundo suas características e importância. Versionar Os documentos poderão ser versionados para que as posições anteriores se for de interesse manté-las. Indexar Os documentos poderão ser indexados para facilitar a sua localização na base de dados. Localizar Os documentos poderão ser localizados inclusive por palavra-chave. Gerenciar Os documentos sofrerão a Gestão documental de acordo com a sua importância, criticidade, sigilo, etc. Distribuir Facilidade para a distribuição dos documentos segundo critérios preestabelecidos. Publicar Facilitar a publicação de segmentos selecionados para conhecimento amplo ou restrito. Excluir Os documentos que tiverem prazos de retenção serem descartados quando vencido o seu prazo. Reter Os documentos permanecerão retidos em meio magnético enquanto for conveniente. Gestão de documentos é o armazenamento e organização de documentos gerados, recebidos ou alterados pelos órgãos e Entidades do Estado durante a tramitação de seus processos, podendo suportar documentos em diferentes mídias: documentos eletrônicos, físicos e híbridos, que irão possibilitar atividades arquivísticas como classificação de documentos, manutenção de metadados, controle de sigilo, de criticidade, de temporalidade e destinação. Possibilitará também políticas de preservação e descarte, com recursos para prover preservação de documentos por longos períodos e Certificação Digital.

19 19 III.2 - Assinatura digital É um documento criptografado, segundo Diogo C. Gonzaga, que contém as informações necessárias para identificar o seu emissor, seja uma pessoa física ou jurídica. Ao receber a requisição de uma assinatura eletrônica, verificando os campos do certificado, poderemos ter certeza da sua integridade. Somente uma (AC) Autoridade Certificadora pode emitir um certificado digital devendo ser uma pessoa jurídica de insuspeita confiabilidade sob ponto de vista jurídico. O certificado digital é transmitido através de uma conexão segura, que usa um protocolo de transmissão específico para transmitir dados criptografados. Para que um certificado digital goze de total garantia sob o aspecto jurídico é indispensável que seja solicitado por uma (AR) Autoridade de Registro a uma (AC) Autoridade Certificadora. Validade Jurídica - Certificação Digital no Processo Digital: Maior segurança no trâmite e na verificação dos documentos assinados. Usos principais dos certificados digitais: garantia de sigilo e privacidade na web, Controle de acesso e para \garantia de sigilo e privacidade

20 20 CAPÍTULO IV: PLANO DE PESQUISA A EXECUÇÃO A idéia era de ter com a minha participação no projeto de implantação do Processo Digital, uma visão privilegiada que permitisse antecipadamente, mesmo antes de um grande número de processos automatizados tivessem tido implantados, avaliar o impacto da nova tecnologia que respondesse o problema formulado no plano de pesquisa A implantação do GED provocará todas as mudanças previstas no projeto, trazendo todos os benefícios esperados?. Para responder a esta questão, inicialmente farei uma apresentação da tecnologia empregada e da forma como esta prevista para o seu uso. A tecnologia possui duas vertentes principais e complementares: que são a guarda de documentos em meio magnético sem a necessidade de impressão (ECM) e a automação de processos em um fluxo de atividades executadas pelos respectivos atores autorizados (BPM). IV.1 Grupos de Trabalho Para que os objetivos iniciais do projeto fossem alcançados, uma estrutura foi montada com diversos grupos de trabalho, atacando as principais áreas de atividades previstas: Grupo Técnico core-team, com representantes da Casa Civil, PRODERJ, SEPLAG e completado mais tarde com representante do Arquivo Público, tendo a gerência contratual do consorcio B2Br/DSCON, na pessoa do consultor Nielsen Seixas. Através de reuniões semanais, e tendo por responsabilidade a condução técnica de todas as áreas cobertas pelos demais grupos que reportavam o status do andamento de cada atividade do cronograma a eles delegada Grupo de Transição e Treinamento, composto basicamente pelos mesmos componentes do Grupo Técnico, com reuniões semanais, e

21 21 responsávels pelas por coordenar as atividades de Comunicação, Patrocínio e Liderança, Treinamento e Suporte que façam a transição para o ambiente de automação de processos com um mínimo de problemas. As atividades de Comunicaçã e Patrocínio e Liderança ficaram basicamente com a Casa Civil que detinham facilidades para esta tarefa O treinamento, já fazia parte do contrato assinado, detalhando até mesmo seus segmentos. Houve a necessidade de adaptações nas quantidades de vagas previstas, criação de novos cursos e mudanças em seu conteúdo. Desde cedo, ficou claro que o segmento Suporte seria crítico. Houveram muitas reuniões para a criação do modelo proposto, que deram base a especificação, para posterior contratação que será licitada, dado a impossibilidade de a curto prazo, o PRODERJ atender as suas especificidades por se tratar de ambiente bastante diferente ao qual presta suporte atualmente. A superestrutura de controle, a Governança Digital, ao qual o suporte estará ligado ainda esta em fase de aprovação (11 de Julho), e contemplará todos as novas áreas, necessárias para a implantação da nova tecnologia, de forma escalar, na medida em que os processos digitais entrem em produção. O suporte terá um Centro de Atendimento em 4 níveis para atender aos incidentes durante a execução dos processos. Outra necessidade imperiosa foi a de se obter o mais cedo possível a relação dos usuários dos processos digitais para compor o cadastro para as certificações digitais e demais informações atreladas aos serviços. Houveram reuniões com os assessores técnicos de todos os órgãos do Estado para informar as novidades ligadas aos processos digitais e explicar o preenchimento da planilha criada para identificar os usuários, suas funções nos processos, seus dados pessoais e equipamentos utilizados. Para todos os órgãos do Estado foi solicitado suas atuais disponibilidades de comunicação (LINKS), e dados de suas estruturas de rede. Houve dificuldades para a obtenção destas informações, porque a totalidade dos órgãos do Estado é superior a 80. Com a proximidade de

22 22 implantação do plano piloto, com os 3 processos iniciais e para somente 5 órgãos usuários em cada processo, foi aberto, pelos elementos do grupo técnico, um esquema emergencial para obter estes dados dos para esta primeira etapa Grupo de infraestrutura, responsável pela instalação dos produtos de HARDWARE e SOFTWARE, visto que a tecnologia exige grandes recursos em ambientes dedicados para o desenvolvimento, testes, homologação e produção, que ficou sob a responsabilidade do PRODERJ, onde estes recursos ficarão hospedados. Também identificar a necessidade de comunicação adequada visto que sua demanda prevista será d 2MBs quando já estiver implantados os processos iniciais. Este grupo deveria também verificar a necessidade de SCANNERS para a digitalização de documentos que serão capturados Grupo de Certificação Digital, também do PRODERJ, que ficou responsável pelo cadastramento e gerência das Assinaturas digitais. O PRODERJ é detentor de certificado próprio, de 2º nível, de certificação digital e a será usado quando a exigência for de menor monta em termos legais. Para os casos mais importantes será usada a Certificação Digital ICP-Brasil, emitido por autoridade certificadora credenciada na Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileiras. Como a capacidade do PRODERJ em emitir certificados é muito aquém do necessário, este grupo esta providenciando a contratação de empresa externa para as certidões de 2º nível. Um recurso conhecido por Assinatura Digital é muito usado com chaves públicas. Trata-se de um meio que permite provar que um determinado documento eletrônico é de procedência verdadeira. O receptor da informação usará a chave pública fornecida pelo emissor para se certificar da origem. Além disso, a chave fica integrada ao documento de forma que qualquer alteração por terceiros imediatamente a invalide. É importante frisar que assinatura digital não é o mesmo que assinatura digitalizada. Esta última consiste em uma assinatura feita a mão por um indivíduo que depois é capturada por scanner e incluída em documentos.

23 Grupo de processos, composto por analista experiente da DSCON e de componentes do grupo técnico, com a responsabilidade de verificar os 4 processos previamente definidos na licitação no ano anterior como objeto de automação. Este trabalho consiste em diversas etapas: Inicia com o levantamento da situação atualizada destes processos com as suas regras de negócios, junto com os órgãos responsáveis pela sua execução em BPM. Após a aprovação do desenho da situação atual do processo(as IS), a partir de sua análise, foi realizado o redesenho do processo, com as modificações necessárias para se obter maior eficiência na execução do processo e contemplar guarda em meio magnético de todos os documentos envolvidos no processo(ecm) a nova situação(to BE) é analisada exaustivamente junto com os gestores do processo até que as mudanças propostas alcancem seus objetivos e incorporem facilidades adicionais, sempre possível incorporando planilhas e sistemas anteriormente usadas de modo a tornar a proposta simplificadora e de execução mais rápida. Com a aprovação formal dos gestores do processo é realizado o levantamento dos requisitos funcionais e documentais envolvidos no processo. Requisitos funcionais são as informações necessárias para a identificação e detalhamento de todas as informações e formulários, com os seus respectivos campos, a serem consideradas na automação do processo. Já os requisitos documentais são as informações que tipificam os documentos utilizados, os caracterizam quando a sua importância, grau de sigilo e prazo de retenção em meio magnético. Participei pessoalmente de quase todas as reuniões realizadas com os gestores dos processos Cadastrar Veículos e Gerir Combustível que são processos sob a responsabilidade da SEPLAG e do Nomear e Exonerar no qual a SEPLAG teve participação como modelo para parte das atividades executadas. Para os processos da SEPLAG, que não eram muito grandes foram necessários em torno de 10 reuniões para todas as fases do levantamento incluindo as aprovações dos gestores destes processos.

24 24 Durante o levantamento dos 4 processos iniciais foram identificadas necessidades de Integração com outras aplicações que estão abaixo relacionadas com seus respectivos status: UPO - Especificação técnica aprovada. Em desenvolvimento. EDOFs - Elaborando especificação técnica. SIG RH - Reuniões de Levantamento em andamento. TCE - Arquivo de assinatura encaminhado para validação. DETRAN - Ainda não realizado, mas muito desejável. Será usado uma provável webservice já disponível no Detran que recuperasse a partir da placa ou do nº do renavan as informações dos veículos para serem usadas no processo Cadastrar Veículos Grupo gerencial ( management-team ), composto por gerentes da Secretaria da Casa Civil, da Secretaria de Planejamento, do PRODERJ e do consorcio B2BR/DSCON, com reuniões quinzenais, responsáveis pela decisão em última instância das propostas levadas pelo Grupo técnico. IV.2 - Governança do Processo Digital Desde logo ficou claro para o grupo técnico que o ambiente no qual os processos digitais iriam ter vida requereriam atenções especiais diferentes dos atuais disponibilizados pelo PRODERJ para os sistemas não processuais. A linguagem era diferente, os softwares envolvidos próprios, e, até mesmo os usuários envolvidos diferenciados. É uma nova cultura enfim e não poderia, principalmente em sua fase de consolidação ficar restrito a uma pequena parcela de atenção atualmente dedicada aos sistemas de informação já em produção, como o de Compras, Recursos humanos e outros mais.xxxxxxxx Outro ponto sensível é o de suporte aos processos digitais. Enquanto quase a totalidade dos usuários diretos no sistema de informação tradicional é composto pelo quadro operacional, nos processos digitais, por conta das

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

Os Esforços e Avanços da Sefaz na Gestão Documental. Alexandre Mendonça Secretaria da Fazenda Departamento de Tecnologia da Informação 28/03/2013

Os Esforços e Avanços da Sefaz na Gestão Documental. Alexandre Mendonça Secretaria da Fazenda Departamento de Tecnologia da Informação 28/03/2013 Os Esforços e Avanços da Sefaz na Gestão Documental Alexandre Mendonça Secretaria da Fazenda Departamento de Tecnologia da Informação 28/03/2013 Gestão de Conteúdo Digital - ECM GED/ECM é um conjunto de

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Goiânia 12/2011 Versionamento 12/12/2011 Hugo Marciano... 1.0

Leia mais

Orientações para contratação de SIGAD e serviços correlatos

Orientações para contratação de SIGAD e serviços correlatos Conselho Nacional de Arquivos Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos Orientação Técnica n.º 1 Abril / 2011 Orientações para contratação de SIGAD e serviços correlatos Este documento tem por objetivo

Leia mais

Dealer Platinum: SOLUÇÕES PAPERLESS GED ECM BPMS

Dealer Platinum: SOLUÇÕES PAPERLESS GED ECM BPMS Dealer Platinum: SOLUÇÕES PAPERLESS GED ECM BPMS A EMPRESA A ECMDOC é empresa focada em Soluções Paperless para o Gerenciamento de Documentos, Conteúdo, Informações e Processos para pequenas, médias e

Leia mais

Credenciamento para Emissão de NF-e

Credenciamento para Emissão de NF-e S SEFAZ-Se Secretaria de Estado da Fazenda de Sergipe Credenciamento para Emissão de NF-e Manual Versão 1.2 Aracaju (Se), 17/12/2007 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO...3 2. PROCESSSO DE CREDENCIAMENTO PARA EMISSÃO

Leia mais

Sociedade do Conhecimento

Sociedade do Conhecimento Gerenciamento (Gestão) Eletrônico de Documentos GED Introdução Gerenciamento Eletrônico de Documentos - GED Sociedade do Conhecimento Nunca se produziu tanto documento e se precisou de tanta velocidade

Leia mais

METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO INFOECIA. Introdução

METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO INFOECIA. Introdução Introdução O objetivo deste documento é descrever de uma forma simplificada, o processo implantação de sistemas corporativos da Infoecia. Neste documento é apresentado o ciclo de vida padrão dos projetos

Leia mais

A Nota Fiscal Eletrônica proporciona benefícios a todos os envolvidos em uma transação comercial.

A Nota Fiscal Eletrônica proporciona benefícios a todos os envolvidos em uma transação comercial. O QUE É A NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-E? Podemos conceituar a Nota Fiscal Eletrônica como sendo um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar,

Leia mais

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM CONTÁBIL

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM CONTÁBIL GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM CONTÁBIL Digitalize e Gerencie de forma estruturada e simples os documentos Contábeis de sua empresa em uma plataforma segura e totalmente

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Tópicos Avançados II 5º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 5: Certificado Digital e Nota

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Dados de Identificação. Dirigente máximo da instituição. Nome/Sigla da instituição pública. Nome do dirigente máximo. Nome/Cargo do dirigente de TI

Dados de Identificação. Dirigente máximo da instituição. Nome/Sigla da instituição pública. Nome do dirigente máximo. Nome/Cargo do dirigente de TI Dados de Identificação Dirigente máximo da instituição Nome/Sigla da instituição pública Nome do dirigente máximo Nome/Cargo do dirigente de TI Endereço do setor de TI 1 Apresentação O Tribunal de Contas

Leia mais

PORTARIA TC Nº 433, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA TC Nº 433, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA TC Nº 433, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2014. Institui o processo administrativo eletrônico no âmbito do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco. O PRESIDENTE DO DO ESTADO DE PERNAMBUCO, no uso de suas

Leia mais

Unidade: Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRDI Nº: MANUAL DE PROCEDIMENTOS. TÍTULO: Modelar Processos 1/17

Unidade: Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRDI Nº: MANUAL DE PROCEDIMENTOS. TÍTULO: Modelar Processos 1/17 1/17 ESTA FOLHA ÍNDICE INDICA EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA NA EMISSÃO CITADA R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 FL. FL. 01 X 26 02 X 27 03 X 28 04 X 29 05 X 30 06 X

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO DOCUMENTOS JURÍDICOS

BOLETIM INFORMATIVO DOCUMENTOS JURÍDICOS BOLETIM INFORMATIVO DOCUMENTOS JURÍDICOS 10 passos para implantação de projetos de Gestão da informação no setor Jurídico outubro/2013 A AUTOMAÇÃO DE DOCUMENTOS JURÍDICOS É VITAL PARA O PRÓPRIO PROCESSO

Leia mais

Portal Cidadão - Governo

Portal Cidadão - Governo Portal Cidadão - Governo A Certisign Manaus Recife Brasília Goiânia Belo Horizonte São Paulo Rio de Janeiro Porto Alegre A Certisign Pioneira no mercado Certificação na América Latina Única com foco exclusivo

Leia mais

Sistemas informatizados para a guarda do prontuário médico - Resolução: 1639 de 10/7/2002

Sistemas informatizados para a guarda do prontuário médico - Resolução: 1639 de 10/7/2002 Sistemas informatizados para a guarda do prontuário médico - Resolução: 1639 de 10/7/2002 Ementa: Aprova as "Normas Técnicas para o Uso de Sistemas Informatizados para a Guarda e Manuseio do Prontuário

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema MANUAL DO PROCESSO ELETRÔNICO Processos de Concessão de Benefícios Histórico da Revisão Data Versão

Leia mais

Oficina 1: CUSTOS. Ocorrência Desafio Ocorrências Lições Aprendidas Melhorias Considerações SGE. Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos

Oficina 1: CUSTOS. Ocorrência Desafio Ocorrências Lições Aprendidas Melhorias Considerações SGE. Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos Oficina : CUSTOS 2 Orçamento sem financeiro (Cronograma X Desembolso) Comunicação quanto ao Risco de não execução do projeto Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos Negociação com SPOA/Secr.

Leia mais

Gerenciamento Total da Informação

Gerenciamento Total da Informação RESOLUÇÃO CFM nº 1.639/2002 Aprova as "Normas Técnicas para o Uso de Sistemas Informatizados para a Guarda e Manuseio do Prontuário Médico", dispõe sobre tempo de guarda dos prontuários, estabelece critérios

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Regulamento SIGA. Versão 1.0. Outubro, 2013. Página 1 de 16

Regulamento SIGA. Versão 1.0. Outubro, 2013. Página 1 de 16 Regulamento SIGA Versão 1.0 Outubro, 2013 Página 1 de 16 Sumário Objetivo deste Regulamento...3 Introdução...4 Definição...4 O que é documento para o SIGA...4 Numeração dos documentos no SIGA...4 Disposição

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.638, DE 10 DE JULHO DE 2002

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.638, DE 10 DE JULHO DE 2002 CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO CFM Nº 1.638, DE 10 DE JULHO DE 2002 Define prontuário médico e torna obrigatória a criação da Comissão de Revisão de Prontuários nas instituições de saúde. O CONSELHO

Leia mais

A Empresa. Alguns Clientes que já utilizam nossa tecnologia.

A Empresa. Alguns Clientes que já utilizam nossa tecnologia. A Empresa A GDDoc é uma empresa especializada na gestão de documentos digitais e arquivos, auxilia as empresas a administrar através da tecnologia o uso de papel, para alcançar estes objetivos fazemos

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE

Leia mais

RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009

RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009 RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009 RESOLUÇÃO Nº. 16/2009 Autoriza a implantação do Processo Eletrônico no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA SECOM-PR N o 8 DE 19 DE DEZEMBRO DE 2014 Disciplina a implantação e a gestão da Identidade Padrão de Comunicação Digital das

Leia mais

GED / ECM / EIM. Gerenciamento Eletrônico de Documentos ou Gestão Eletrônica de Documentos. Por: Marcelo Vasconcelos Fatudo

GED / ECM / EIM. Gerenciamento Eletrônico de Documentos ou Gestão Eletrônica de Documentos. Por: Marcelo Vasconcelos Fatudo Gerenciamento Eletrônico de Documentos ou Gestão Eletrônica de Documentos Por: Marcelo Vasconcelos Fatudo OBJETIVOS: GERAR ARMAZENAR CONTROLAR COMPARTILHAR RECUPERAR DADOS E/OU INFORMAÇÕES DADO / INFORMAÇÃO

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências da Educação Departamento de Ciência da Informação

Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências da Educação Departamento de Ciência da Informação Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências da Educação Departamento de Ciência da Informação Daniela Sardá da Conceição Juliana Ribeiro Letícia Jansen Gonçalves IMPLEMENTAÇÃO SOFTWARE EMPRESA

Leia mais

Novo Guia de uso rápido do PROJUDI

Novo Guia de uso rápido do PROJUDI 1. O que é o PROJUDI? Novo Guia de uso rápido do PROJUDI O Processo Judicial Digital PROJUDI, também chamado de processo virtual ou de processo eletrônico, pode ser definido como um software que reproduz

Leia mais

Explorando o SharePoint como ferramenta de uma nova Gestão de Documentos Corporativos

Explorando o SharePoint como ferramenta de uma nova Gestão de Documentos Corporativos Explorando o SharePoint como ferramenta de uma nova Gestão de Documentos Marcos Moysés da Cunha marcos.cunha@eletrobras.com (21) 2514-5695 Gestão de Documentos SharePoint GED... caminho... Gestão de Documentos

Leia mais

Apresentação Comercial Gestão Documental

Apresentação Comercial Gestão Documental Apresentação Comercial Gestão Documental Gestão Documental Como é possível administrar sua empresa de forma eficiente? Quais os passos para tornar seu empreendimento mais competitivo? Como é possível saber

Leia mais

O QUE É DOCUMENTO PARA O SIGA

O QUE É DOCUMENTO PARA O SIGA APRESENTAÇÃO O SIGA - Sistema Integrado de Gestão Administrativa é o sistema oficial de gestão documental do Poder Judiciário baiano que permite a criação, transferência, assinatura e demais atos de tramitação

Leia mais

1. Qual a importância da gestão de documentos no desenvolvimento de sistemas informatizados de gerenciamento de arquivos?

1. Qual a importância da gestão de documentos no desenvolvimento de sistemas informatizados de gerenciamento de arquivos? CONSIDERAÇÕES DO ARQUIVO NACIONAL, ÓRGÃO CENTRAL DO SISTEMA DE GESTÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO SIGA, DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL ACERCA DO SISTEMA ELETRÔNICO DE INFORMAÇÕES SEI O Arquivo Nacional,

Leia mais

2. Compras Públicas. 2.1 Modalidades de licitação

2. Compras Públicas. 2.1 Modalidades de licitação Sumário 1. Apresentação... 3 2. Compras Públicas... 4 2.1 Modalidades de licitação... 4 Concorrência:... 4 Tomada de preços:... 5 Convite:... 5 Pregão:... 5 Concurso:... 5 Leilão:... 5 2.2 Tipos de licitação...

Leia mais

Ciclo BPM: da Estratégia à Medição

Ciclo BPM: da Estratégia à Medição Treinamentos em Gestão por Processos Ciclo BPM: da Estratégia à Medição Da modelagem e análise ao monitoramento da execução de processos automatizados: tudo o que você precisa saber para fazer a Gestão

Leia mais

SEAP / CAS. Manual V1.0

SEAP / CAS. Manual V1.0 SEAP / CAS Manual V1.0 Janeiro - 2013 Coordenadoria de Administração de Serviços - CAS Palácio das Araucárias Rua Jacy Loureiro de Campos, s/nº 80530-140 - Centro Cívico - Curitiba Paraná Fone: (41) 3313-6071

Leia mais

Gestão de Documentos

Gestão de Documentos Gestão de Documentos PALESTRA Arcabouço Tecnológico e Legal para Migração de Documentos e Processos Analógicos para Digitais com Validade Jurídica e maior Eficácia Probatória Curitiba, 1 de Julho de 2010

Leia mais

Sistema de Declaração Pessoal de Saúde Descritivo

Sistema de Declaração Pessoal de Saúde Descritivo Sistema de Declaração Pessoal de Saúde Descritivo Comp Line A empresa Criada em 1996, tem por filosofia associar tecnologia, parceria e transparência, através da disponibilização de painéis de controle,

Leia mais

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM Reduza Custos, aumente produtividade e melhore processos com a Gestão Eletrônica de Documentos para a área Jurídica. Com o Docsystem

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

3.2 SSI: formulário de Solicitação de Serviço à Informática - SSI, disponível na Intranet (Portal Corporativo Record).

3.2 SSI: formulário de Solicitação de Serviço à Informática - SSI, disponível na Intranet (Portal Corporativo Record). 1. OBJETIVOS Regulamentar o processo a ser seguido pelos usuários para liberação de ferramentas e recursos de Tecnologia da Informação, visando otimizar e agilizar as solicitações de forma que não gere

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO RESOLUÇÃO nº483/2009 Data da Norma: 04/03/2009 Órgão expedidor: ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Fonte: DJE de 22/06/2009, p. 1-77 Ementa: Cria o Programa de Gestão de Documentos Arquivísticos do

Leia mais

itech Marcelo Luiz Alves Fernandez Supervisor de Fiscalização de Documentos Digitais

itech Marcelo Luiz Alves Fernandez Supervisor de Fiscalização de Documentos Digitais PROJETO SAT-CF-e Sistema Autenticador e Transmissor de Cupom Fiscal Eletrônico itech Marcelo Luiz Alves Fernandez Supervisor de Fiscalização de Documentos Digitais 27/11/2012 Agenda O projeto SAT-CF-e

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos

Sistema de Automação Comercial de Pedidos Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos Cabana - Versão 1.0 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.5 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011

Leia mais

www.e-law.net.com.br certificação digital 1 de 5 Introdução

www.e-law.net.com.br certificação digital 1 de 5 Introdução www.e-law.net.com.br certificação digital 1 de 5 Introdução Cada pessoa cria sua assinatura de forma totalmente livre e a utiliza com significado de expressa concordância com os conteúdos dos documentos

Leia mais

OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7

OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7 OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7 Manual desenvolvido pela OASyS Informática, baseado na versão 2.0 da Nota Fiscal Eletrônica do SEFAZ. 1 Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0 Título

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1/2015

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1/2015 TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1/2015 TERMO DE REFERÊNCIA PARA REALIZAR A AUTOMATIZAÇÃO DA ANÁLISE DOS PROCESSOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO CEARÁ. SUMÁRIO Objetivo da contratação...2

Leia mais

Gestão Eletrônica de Documentos na Auditoria

Gestão Eletrônica de Documentos na Auditoria 6º Congresso Nacional Unimed de Auditoria em Saúde Marcelo Lúcio da Silva Gerente Executivo e de Certificação da SBIS Búzios-RJ, 17 de junho de 2011 Duke em 1935 2 Slide do Dr. Ed Hammond Duke em 2011

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA SEPN Quadra 514 Norte Lote 7 Bloco B CEP 70760 542 Brasília DF www.cnj.jus.br INSTRUÇÃO NORMATIVA

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA SEPN Quadra 514 Norte Lote 7 Bloco B CEP 70760 542 Brasília DF www.cnj.jus.br INSTRUÇÃO NORMATIVA CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA SEPN Quadra 514 Norte Lote 7 Bloco B CEP 70760 542 Brasília DF www.cnj.jus.br INSTRUÇÃO NORMATIVA INSTRUÇÃO NORMATIVA 67, DE 5 DE AGOSTO DE 2015 Regulamenta a Portaria SEI

Leia mais

Modelagem de Processos para Automação

Modelagem de Processos para Automação Treinamentos em Gestão por Processos Modelagem de Processos para Automação [ipe03] Implementando a Visão Futura: um curso prático para vencer a barreira existente entre negócio e TI. Implantar processos

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÕES

CARTILHA DE ORIENTAÇÕES NOTA FISCAL DE CONSUMIDOR ELETRÔNICA NFC-e MODELO 65 CARTILHA DE ORIENTAÇÕES Esteja pronto para a maior revolução no varejo dos últimos tempos: A Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica! 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Outlook XML Reader Versão 8.0.0 Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Add-in para o Outlook 2003, 2007 e 2010 responsável pela validação e armazenamento de notas fiscais eletrônicas. Atenção,

Leia mais

As etapas de automação

As etapas de automação As etapas de automação NEGREIROS, Leandro Ribeiro. Sistemas eletrônicos de gerenciamento de documentos arquivísticos: um questionário para escolha, aplicação e avaliação. Dissertação (mestrado em Ciência

Leia mais

Certificação Digital Automação na Assinatura de Documentos de Compras

Certificação Digital Automação na Assinatura de Documentos de Compras XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Certificação Digital Automação na Assinatura de Documentos de Compras Eder Soares

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS 1/38 DOCUMENTO DE REQUISITOS GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Versão 1.1 Identificação do Projeto CLIENTE: NOME DO CLIENTE TIPO DO SISTEMA OU PROJETO Participantes Função Email Abilio Patrocinador

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Professor: Adriel Ziesemer Disciplina: Engenharia de Software TRABALHO ACADÊMICO Cristian Santos - nº 45671 Guilherme

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO 1.1. Prestação de serviços de suporte técnico em sistema de colaboração ZIMBRA. 2. DESCRIÇÃO GERAL DOS SERVIÇOS

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino 1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino O SIE é um sistema aplicativo integrado, projetado segundo uma arquitetura multicamadas, cuja concepção funcional privilegiou as exigências da Legislação

Leia mais

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor H6Projetos Documento de Requisitos Versão 1.3 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 05/09/2013 1.0 Preenchimento do Capítulo 2 Requisitos Funcionais Evilson Montenegro 26/09/2013 1.1 Preenchimento

Leia mais

Cursos. Gerenciamento Eletrônico de Documentos Modelagem de Processos Workflow Outros cursos na área de BPM. Cursos em parceria com COPPE

Cursos. Gerenciamento Eletrônico de Documentos Modelagem de Processos Workflow Outros cursos na área de BPM. Cursos em parceria com COPPE Índice Cursos Gerenciamento Eletrônico de Documentos Modelagem de Processos Workflow Outros cursos na área de BPM Certificação Digital Cursos em parceria com COPPE http://www.iconenet.com.br/v2/material_promocional/cursos/cabecalho.htm1/2/2006

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

PROC. 02 CONTROLE DE DOCUMENTOS

PROC. 02 CONTROLE DE DOCUMENTOS 1 de 15 msgq CONTROLE DE DOCUMENTOS MACROPROCESSO GESTÃO DE PROCESSOS PROCESSO CONTROLE DE DOCUMENTOS CONTROLE DE DOCUMENTOS 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS...

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 13 DE ABRIL DE 2012

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 13 DE ABRIL DE 2012 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 13 DE ABRIL DE 2012 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁ- RIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica sumário >> Introdução... 3 >> Nota fiscal eletrônica: o começo de tudo... 6 >> Nota fiscal de consumidor eletrônica (NFC-e)... 10 >> Quais as vantagens

Leia mais

Nunca foi tão fácil utilizar

Nunca foi tão fácil utilizar Nunca foi tão fácil utilizar o Conectividade Social da CAIXA O que antes era feito com a autenticação de disquetes e precisava do antigo programa CNS para o relacionamento com a CAIXA e prestação de informações

Leia mais

Serviço Público Estadual GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária COMISSÃO DE PREGÃO BANCO MUNDIAL - BIRD

Serviço Público Estadual GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária COMISSÃO DE PREGÃO BANCO MUNDIAL - BIRD BANCO MUNDIAL - BIRD PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL EM MICROBACIAS HIDROGRÁFICAS RIO RURAL EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO N.º 019/2013 PROCESSO N.º E-02/001/00583/2013 ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

www.siteware.com.br Versão 2.6

www.siteware.com.br Versão 2.6 www.siteware.com.br Versão 2.6 Sumário Apresentação... 4 Login no PortalSIM... 4 Manutenção... 5 Unidades... 5 Unidades... 5 Grupos de CCQ... 5 Grupos de unidades... 6 Tipos de unidades... 6 Sistema de

Leia mais

Edição nº 141/2015 Brasília - DF, segunda-feira, 10 de agosto de 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA 67, DE 5 DE AGOSTO DE 2015

Edição nº 141/2015 Brasília - DF, segunda-feira, 10 de agosto de 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA 67, DE 5 DE AGOSTO DE 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA 67, DE 5 DE AGOSTO DE 2015 Regulamenta a Portaria-SEI 1 de 4 de agosto de 2015, que instituiu o Sistema Eletrônico de Informações - SEI no âmbito do Conselho Nacional de Justiça. O

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

NOTA TÉCNICA 44 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO OPERATIVO

NOTA TÉCNICA 44 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO OPERATIVO NOTA TÉCNICA 44 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO OPERATIVO Brasília, 28 de outubro de 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO

Leia mais

2012 Global. Central de Documentação e Serviços Ltda. Portfólio de Serviços

2012 Global. Central de Documentação e Serviços Ltda. Portfólio de Serviços 2012 Global Central de Documentação e Serviços Ltda. Portfólio de Serviços Quem Somos A GLOBAL CENTRAL DE DOCUMENTAÇÃO E SERVIÇOS LTDA foi constituída com o objetivo máximo de prestar serviços de consultoria

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA Anexo II.6 Especificações do Sistema de Bilhetagem Eletrônica PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 2 CONCEPÇÃO DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA... 2 2.1 Processos

Leia mais

Jan.2012. Características Gerais do Sistema:

Jan.2012. Características Gerais do Sistema: Jan.2012 Características Gerais do Sistema: O Software Global Cartórios traz um conceito novo em uma plataforma inovadora que reúne todas as especialidades em um único sistema. O Global Cartórios é um

Leia mais

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM QUALIDADE

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM QUALIDADE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM QUALIDADE Digitalize e Gerencie de forma estruturada e simples os documentos da Qualidade de sua empresa em uma plataforma segura e

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013 1. O que é Registro de Preços? PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013 O Sistema de Registro de Preços é "o conjunto de procedimentos para seleção de proposta

Leia mais

Solução Planner para Nota Fiscal Eletrônica (P/NF-e 3.7)

Solução Planner para Nota Fiscal Eletrônica (P/NF-e 3.7) Solução Planner para Nota Fiscal Eletrônica (P/NF-e 3.7) Introdução Desde abril de 2008 a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) se tornou obrigatória para diversos setores da economia nacional. A cada 6 meses,

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Conceitos Segurança da Informação Assinatura Digital Certificado Digital Criptografia Legislação Aplicabilidade no TJMG AGENDA Segurança da Informação É a proteção da informação de vários tipos de ameaças

Leia mais

Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11

Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11 Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11 Artigo 1 - Objetivo do documento 1.1. Este documento tem como objetivo regulamentar as atividades para credenciamento de uma empresa no Selo Excelência ABCEM.

Leia mais

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao»

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Proposta Comercial Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Data 14 de setembro de 2012 Preparado para: «Nome» «Sobrenome» 1. Objetivo

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.381

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.381 Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.381 Institui Regime Especial para dispensa da guarda e arquivo das Notas Fiscais de Serviços, condicionada à guarda e ao arquivo, pelo período decadencial, dos respectivos

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 06/06/2014 18:22:39 Endereço IP: 189.9.1.20 1. Liderança da alta administração 1.1. Com relação

Leia mais

ANEXO I. Projeto Básico

ANEXO I. Projeto Básico ANEXO I Projeto Básico 1. OBJETO Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de prospecção, análise, seleção, teste e indicação de tecnologias que equipem o Instituto Nacional de Meteorologia

Leia mais

Soluções. para o seu cliente mais importante. Governo

Soluções. para o seu cliente mais importante. Governo Soluções para o seu cliente mais importante. Governo A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes

Leia mais

Sistema Datachk. Documento de Requisitos. Versão <1.2> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s

Sistema Datachk. Documento de Requisitos. Versão <1.2> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s Documento de Requisitos Versão Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s 2010 2 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autores 27/04/2010 1.0 Criação da primeira versão

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO

RESUMO EXECUTIVO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO Documento 7.1 RESUMO EXECUTIVO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICIPIOS DO ESTADO DA BAHIA TCM-BA SALVADOR BAHIA MARÇO / 2010 1/10 1. Introdução Este documento faz parte do escopo do

Leia mais

Introdução. Benefícios para todos

Introdução. Benefícios para todos Introdução Esta cartilha tem a finalidade de guiar as empresas na implantação da Nota Fiscal Eletrônica e demonstrar as facilidades e vantagens do sistema para o contribuinte e para a sociedade A Nota

Leia mais

ATO Nº 303/2015. O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 303/2015. O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 303/2015 Disciplina a implantação do Processo Administrativo Eletrônico (Proad) no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO

Leia mais

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Questionário básico de Segurança da Informação com o objetivo de ser um primeiro instrumento para você avaliar, em nível gerencial, a efetividade

Leia mais

Gestão eletrônica do cadastro de corretora de valores

Gestão eletrônica do cadastro de corretora de valores Gestão eletrônica do cadastro de corretora de valores 1. INTRODUÇÃO As corretoras de valores devem armazenar todos os documentos cadastrais de seus clientes para ter acesso a esse material quando necessário.

Leia mais

Palavras-Chave: Aquisições; Planejamento de Aquisições; Controle de Aquisições; Projeto; Lead time; Processo; Meta.

Palavras-Chave: Aquisições; Planejamento de Aquisições; Controle de Aquisições; Projeto; Lead time; Processo; Meta. 1 A INFLUÊNCIA DO PLANEJAMENTO E CONTROLE DA AQUISIÇÃO NO PRAZO FINAL DO PROJETO Euza Neves Ribeiro Cunha RESUMO Um dos grandes desafios na gerência de projetos é planejar e administrar as restrições de

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada

CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada CONSULTA PÚBLICA O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES está preparando processo licitatório para contratação de serviços de consultoria técnica especializada, conforme detalhado

Leia mais

Luciano Rocha Diretor Técnico Enial Coord..de TI Sec. Geral Mesa da ALES www.al.es.gov.br - luciano@al.es.gov.br Tel.: 027 3382.

Luciano Rocha Diretor Técnico Enial Coord..de TI Sec. Geral Mesa da ALES www.al.es.gov.br - luciano@al.es.gov.br Tel.: 027 3382. Luciano Rocha Diretor Técnico Enial Coord..de TI Sec. Geral Mesa da ALES www.al.es.gov.br - luciano@al.es.gov.br Tel.: 027 3382.3858-99712845 GED - ECM Estatísticas: Gasta-se 400 horas por ano procurando

Leia mais