ORPLANA INFORMA N de DEZEMBRO de 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORPLANA INFORMA N 50 23 de DEZEMBRO de 2013"

Transcrição

1 /CÓ ÉCC: v. ona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : P F de de 2013 C PÇ ÇÚC C PÇÃ: emanas de 09 a 13/12/2013 e 16 a 20/12/ Preços médios do açúcar no mercado P e do etanol, anidro e hidratado, levantados pelo CP/Q. P 09 a 13/12/ a 20/12/2013 $/kg $/kg $ $ ÇÃ $ % $/saco 51,04 0, ,68 0,5344-0,36-0,71 C $/m3 1457,40 0, ,00 0,5151-6,4-0,44 C $/m3 1294,40 0, ,40 0, ,0-0,93 $/m3 1316,50 0, ,20 0,4851-7,3-0,55 ólar $ 2,3296 2,3449 0,0153 0,65 Figura 1. Comportamento dos preços do kg de do, C, C, e do no mês de ezembro de ,5 2,4 2,3 2,2 2,1 2,0 1,9 1,8 1,7 1,6 1,5 1,4 1,3 1,2 1,1 1,0 0,9 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 0,0 0,5440 2,4339 2,3296 2,3639 0,4851 0,4878 0,4863 0,4751 0,4796 0,4764 0,5151 0,5174 0,5095 0,5344 0,5382 C C ólar - $ $/kg - 02 a 06/12/2013 $/kg - 09 a 13/12/2013 $/kg - 16 a 20/12/ Preço líquido do açúcar ao produtor 09 a 13/12/ a 20/12/2013 ÇÃ P $/t $/saco $/t $/saco $/t $/saco % 949,34 47,47 942,57 47,13-6,77-0,34-0,71 preço do açúcar no mercado P apresenta no mês de ezembro uma queda de 2,2% ($ 21,20/t), e na safra apresenta uma alta de 17,5% ($ 140,35/t ou $ 7,02/saco). 3. Projeção de preços semanal projeção de preços da safra 2013/2014 apresentada a seguir, foi elaborada com base nos preços do açúcar e do etanol praticados no mercado interno, divulgados pelo CP/Q e da cotação de preços médios de açúcar branco e P, projetados com base na olsa de ova 1

2 /CÓ ÉCC: v. ona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : York. 2

3 /CÓ ÉCC: v. ona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : 3 ês PÇÃ Fechamento 1ª 2ª 3ª 4ª bril/13 0,4444 0,4444 0,4447 0,4447 0,4473 0,4473 0,4483 0,4483 0,4470 0,4470 aio 0,4344 0,4406 0,4363 0,4417 0,4360 0,4411 0,4284 0,4370 0,4363 0,4416 unho 0,4386 0,4412 0,4394 0,4415 0,4425 0,4429 0,4425 0,4435 0,4416 0,4426 ulho 0,4479 0,4446 0,4446 0,4438 0,4419 0,4430 0,4402 0,4425 0,4415 0,4429 gosto 0,4388 0,4426 0,4357 0,4418 0,4362 0,4420 0,4384 0,4427 0,4436 0,4440 etembro 0,4467 0,4447 0,4443 0,4442 0,4422 0,4437 0,4411 0,4435 0,4441 0,4439 utubro 0,4396 0,4431 0,4402 0,4432 0,4401 0,4432 0,4411 0,4434 0,4412 0,4434 ovembro 0,4538 0,4449 0,4569 0,4453 0,4592 0,4456 0,4583 0,4450 0,4637 0,4461 ezembro 0,4660 0,4479 0,4645 0,4478 0,4634 0, ercado Futuro o mercado futuro, os preços do açúcar na olsa de ova York fecharam a semana de 16 a 20/12/2013 em queda, enquanto que os preços do tanol idratado posto Paulínia (P), e a cotação do ólar também fecharam a semana em queda, em relação à semana anterior (09 a 13/12/2013). 5. Figura 2 - Comportamento dos preços do açúcar de mercado interno () e externo ( e P), nos meses de abril a outubro e os projetados para o mês de ezembro de F 2013/ $ P C ÇÚC P ÇÚC 6. ariação dos preços líquidos do etanol anidro carburante (C), do etanol hidratado carburante (C) e industrial (), devidos ao produtor, praticados no mês de ezembro e na afra 2013/2014. ÇÃ % C C afra 8,5 6,6 6,7 ês 1,1-0,3-0,3

4 /CÓ ÉCC: v. ona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : Figura 3 - Comparação entre os preços do çúcar de ercado nterno (), expresso em preço do etanol anidro e os do tanol de todos os tipos nos meses de abril a outubro e os projetados para o mês de ezembro de 2013 da F 2013/ C $/m3 de anidro çúcar x tanol nidro C $/m3 de hidratado çúcar x tanol idratado

5 /CÓ ÉCC: v. ona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : ia 16 eunião ensal do CC/P, que foi realizada na C, em ão Paulo, para tratar dos seguintes assuntos: provação da da reunião realizada em 18/11/2013; afra 2013/2014: Produção de cana-deaçúcar, açúcar e etanol; Qualidade da matéria-prima tualização dos resultados; ovidades do etor da groindústria da cana-de-açúcar; evisão do X de Comercialização efinição; Circular sobre ncaminhamento; evisão do odelo CC rupo de rabalho; utros ssuntos C Crise compromete 200 milhões de toneladas de cana no Centro ul falta de políticas públicas e os incentivos para a gasolina por parte do governo federal, além de provocar vultuosos prejuízos à Petrobras e à toda a cadeia produtiva sucroenergética, colocam em risco 200 milhões de toneladas de cana produzidas por 1/3 das usinas brasileiras que encontram-se em situação de grande risco e convivem com dificuldades financeiras difíceis de serem vencidas. avaliação é do eng. agrônomo e diretor do banco taú lexandre Figliolino, em depoimento feito ontem ao rasilgro em ão Paulo e que integra a érie special que esperar de egundo ele, produzir biocombustíveis no rasil tornou-se um grande mico, ao explicar a intenção de grandes grupos estrangeiros de colocarem à venda seus ativos em usinas no País. stes investidores foram motivados por fundamentos positivos anunciados pelo governo que acabaram não se consolidando. u seja, recursos de acionistas que poderiam ser aplicados em qualquer outro lugar onde teriam rentabilidade e justificariam investimentos em atividades lucrativas, o que não foi o caso das usinas canavieiras, acrescenta. lexandre Figliolino afirma na entrevista que não há, pelo menos para 2014, qualquer sinalização de mudanças para o setor sucroenergético. á usinas cujo endividamento é pequeno e que não compromete suas atividades. ão que estas usinas estejam tendo grandes lucros, mas pelo menos não correm o risco de encerrarem suas atividades, diz. le também argumenta que o governo aplicou a lei de obin ood ao contrário, ao garantir linhas de financiamentos para os grandes grupos consolidados e não oferecer nenhuma opção aos grupos que encontram-se em dificuldades e que dificilmente conseguirão se manter no negócio, justificou (a edação, 18/12/13) nica prevê que 9 unidades deixarão de processar cana na safra 2014/15 Próxima temporada deve ter uma nova usina em operação. Capacidade de moagem tende a ser semelhante à observada atualmente. nião da ndústria de Cana-de-açúcar (nica) prevê que nove unidades deixarão de processar a safra em 2014/15, menos que as 12 unidades observadas no atual ciclo. inda de acordo com a entidade, a próxima temporada deve ter uma nova usina (greenfield) em operação e uma que deve voltar a moer cana. e acordo com ntonio de Padua odrigues, diretor técnico da entidade, a capacidade de moagem em 2014/15 tende a ser semelhante à observada atualmente, de 3,6 milhões de toneladas por dia. ' "É possível uma pequena ampliação da moagem por meio da antecipação do início da safra, já que cerca de 50% das unidades iniciaram a safra esse ano após o dia 15 de abril", ponderou. Conforme o executivo, o volume a ser processado na próxima temporada vai depender "fundamentalmente" das condições climáticas (gência stado, 17/12/13) Produção de cana terá estagnação em 2014 ntidade das usinas do centro-sul aponta baixa rentabilidade e usinas que deixarão de produzir como motivos. afra deste ano teve alta de 18,97% na produção de álcool e ligeiro crescimento na fabricação de açúcar. 5

6 /CÓ ÉCC: v. ona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : baixa rentabilidade e a estimativa de que nove usinas podem deixar de produzir na próxima safra fizeram com que o setor sucroalcooleiro projete estagnação da produção de cana-de-açúcar em anúncio foi feito ontem em ão Paulo pela nica (nião da ndústria da Cana-de- çúcar), entidade que tem como associadas usinas do centro-sul do país. e acordo com a entidade, a safra atual conseguiu cumprir a demanda de combustíveis no país por causa da maior renovação de canaviais devido a financiamentos com juros subsidiados, formação de estoques e desonerações de P e Cofins. "s condições climáticas deste ano podem refletir negativamente na safra do ano que vem", afirmou ntonio Padua odrigues, diretor técnico da nica. a atual safra, houve um aumento de 10% na produção de cana em relação à safra passada, com 587 milhões de toneladas de cana, cenário de alta que não deve se refletir no próximo ano. s dados são referentes ao dia 1º, quando 75 usinas já haviam terminado suas safras. Celso orquato unqueira Franco, presidente da dop (nião dos Produtores de ionergia), disse concordar com a previsão e fala até em queda de produção na safra 2014/15. "inda é prematuro avaliar essas previsões, o período mais seguro é abril." á para hiago Campaz, especialista da consultoria F gro, a próxima safra de cana poderá ter um crescimento de até 3% na produção, por conta da capacidade de moagem das usinas. " que deve ditar isso é o regime de chuvas do ano que vem ", declarou. CÁ produção de etanol na atual safra cresceu 18,97%. de açúcar teve alta de 0,66%. "Foi uma safra bem mais alcooleira do que açucareira. eria preciso importar 7,4 bilhões de litros de gasolina caso não houvesse crescimento", disse odrigues. Para Campaz, para aumentar a produção a indústria deveria investir em capacidade de moagem, não em cana (Folha de.paulo, 18/12/13) Crise no setor sucroalcooleiro gera queda no P em dois municípios ertãozinho e atão, dois dos municípios da região de ibeirão Preto com presença da indústria sucroalcooleira na economia, tiveram queda no P (Produto nterno ruto) em mau resultado de ambas vai na contramão das outras oito cidades, entre as dez maiores da região de ibeirão Preto, que tiveram um crescimento médio de 8% naquele ano (veja quadro nesta página). ertãozinho sofreu uma retração do P, a soma das riquezas produzidas durante o ano, de 9%, e, atão, de 16%, segundo estudo do divulgado ontem. gerente-executivo do Ceise- (Centro das ndústrias do etor ucroenergético e iocombustíveis), ebastião acedo Pereira, afirmou que a falta de planejamento da matriz energética nacional e a retenção artificial do preço da gasolina prejudicaram a produção no campo, produzindo efeitos negativos nas indústrias do setor. indústria responde por 52% da economia de ertãozinho, e por 65%, em atão. egundo Pereira, 80% da indústria de ertãozinho é ligada ao setor ucroenergético. "m 2010, o apelo do etanol diminuiu com o [gás de] xisto nos stados nidos e o pré-sal já na fase avançada de implantação", disse. e acordo com Pereira, o horizonte de menor demanda pelo etanol fez com que as usinas de açúcar e álcool do país passassem a investir menos nos últimos anos. sso, ainda conforme ele, teve como resultados a redução da produtividade do setor e a diminuição da necessidade de encomendas de novas máquinas (Folha de.paulo, 18/12/13) Frentes Parlamentares são a única saída para setor e ilma terá de se explicar nos palanques m entrevista ao rasilgro, gravada na manhã de ontem em ão Paulo, uiz Carlos Correa Carvalho, presidente da ssociação rasileira de gribusiness e da consultoria Canaplan, elogiou a iniciativa da criação das Frentes Parlamentares de defesa do setor sucroenergético e cobrou da presidente ilma ousseff a inação governamental em relação aos biocombustíveis. 6

7 /CÓ ÉCC: v. ona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : ão há outra saída para resolver a crise provocada pela decisão presidencial de se tentar combater a inflação usando a Petrobras e colocando em risco a cadeia produtiva sucroenergética do que levar este debate para os parlamentos. s biocombustíveis já estão nas agendas de dois pré-candidatos à Presidência (overnador de Pernambuco duardo Campos, do P, e senador écio eves, do P-). ilma ousseff terá que se explicar nos palanques porque impôs prejuízos vultuosos à Petrobras e impôs a maior crise que o setor canavieiro já viveu em toda a sua história, afirmou Caio. le também se disse surpreso com a falta de diálogo e cordialidade nas relações entre lideranças dos trabalhadores (Força indical) e dos usineiros (Única), lembrando que na crise de 1999, quando ele era o principal executivo da nião da ndústria da Cana-de- çúcar, os trabalhadores exerceram papel fundamental no processo de reaproximação do setor sucroenergético com o governo FC. Fui à várias reuniões com representantes do governo na condição de assessor de federações dos trabalhadores, pois havia grande resistência e indisposição de setores governamentais em relação aos usineiros revelou o presidente da bag (a edação, 19/12/13) rupo Clealco toma posse da usina Campestre em Penápolis (P) rupo Clealco oficializou na tarde de terça-feira, 17, a posse da nidade de Produção ndependente (P) da sina Campestre, em Penápolis (P), arrematada por $ 187 milhões em novembro. ustiça do município emitiu o uto de missão de Posse à companhia, que também possui as unidades de Clementina e de Queiroz, ambas no interior do stado de ão Paulo. m comunicado, o diretor-executivo da Clealco, osé ntônio assetto, afirmou que a capacidade de moagem do grupo passará de 8 milhões para 10,5 milhões de toneladas com essa aquisição. 'lém disso, a nova unidade da empresa vai gerar empregos diretos e mais de 20 mil indiretos'. inda segundo o executivo, deverão ser investidos $ 50 milhões na usina. sina Campestre estava em recuperação judicial desde 2009, com dívida de cerca de $ 530 milhões (gência stado, 18/12/13) umenta produção de etanol no país, mas seu futuro é incerto produção de etanol na maior região açucareira do rasil aumentará este ano, mas os produtores enfrentam problemas financeiros que podem prejudicar futuras colheitas, afirmou a indústria nesta terça-feira. quantidade de açúcar processada nesta colheita até 1º de dezembro chegou a quase 600 milhões de toneladas, a maioria delas destinadas à crescente produção de etanol, segundo a nica, que representa 60% dos produtores de cana de açúcar e processadores do país. produção de etanol cresceu quase 19% durante o período enquanto a de açúcar só 0,66%, acrescentou. rasil é o maior produtor mundial de açúcar e o segundo, atrás dos stados nidos, na produção de etanol, que o produz a partir do milho. diretor técnico da nica, ntonio de Padua odrigues, disse que a colheita deve chegar a 589 milhões de toneladas. presidente da organização, lizabeth Farina, atribuiu o aumento da produção de etanol em parte ao crescimento da demanda, originada na decisão do governo de aumentar a porcentagem de etanol misturado com a gasolina: de 20 a 25%. egundo ela, a crescente produção de etanol também se devia aos "excedentes no mercado mundial de açúcar e a potencial demanda vinculada à grande frota de veículos com tecnologia flex no país". ais de 54% da cana de açúcar colhida este ano no rasil foi estimada para ser usada na produção de etanol, 50% a mais que no ano passado. consumo doméstico, que absorve 85% do etanol brasileiro produzido a partir da cana de açúcar, está crescendo ao mesmo ritmo que o mercado para veículos flex. 7

8 /CÓ ÉCC: v. ona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : m 2020, espera-se que esses veículos representem 89% da frota brasileira, dos atuais 60%. Contudo, a nica disse que está preocupada com a queda das receitas devido às fortes dívidas das usinas de açúcar. "o ano passado, os produtores usaram quase 15% de suas receitas para pagar juros", disse a nica em nota à imprensa. Farina destacou que, apesar das recentes medidas oficiais de estímulo, "a crescente produção registrada durante a colheita atual não deve se repetir nos próximos anos". "o contexto atual, não há rentabilidade que justifique a construção de novas usinas", acrescentou (France Press, 17/12/13) pesar do etanol, ano foi positivo para unge Com avanços expressivos nas áreas de grãos e de alimentos e ingredientes, a multinacional americana unge caminha para encerrar 2013 com melhores resultados que no ano passado no rasil, onde é a maior exportadora do agronegócio e uma das líderes do setor. companhia mantém boas perspectivas para 2014, ainda que o cenário geral seja menos promissor e os desafios no segmento de açúcar e bioenergia, problemático nos últimos anos, tendam a ser ainda maiores. Como tem capital aberto nos stados nidos, a empresa não adianta as estimativas preliminares do desempenho financeiro da subsidiária brasileira neste ano ou faz projeções para o próximo. Porém, dados disponíveis sinalizam que cresceu o peso do país nos negócios globais, apesar de a frente sucroalcooleira estar puxando os lucros globais da múlti para baixo. os nove primeiros meses deste ano, a receita líquida mundial da múlti subiu 2,3% em relação ao mesmo período de 2012 e somou $ 44,972 bilhões. lucro líquido caiu 77,6%, para $ 143 milhões. "Foi um ano muito bom para as divisões agribusiness e food ingredients. as, racionalmente falando, para açúcar e bioenergia foi decepcionante", afirmou Pedro Parente, presidente e C da unge rasil. divisão de agribusiness inclui os negócios com grãos (soja e milho), cujas exportações a partir do país deverão alcançar 17,9 milhões de toneladas em 2013, 16,2% mais que no ano passado. á a área de food ingredients é puxada por trigo e derivados, onde o movimento deverá ficar perto de 1,5 milhão de toneladas. mpulsionada pelos grãos - cuja oferta doméstica aumentou graças a boas colheitas na safra 2012/13 e mercado no qual os preços se mantiveram em níveis ainda elevados -, a receita das exportações totais da subsidiária brasileira da multinacional tende a fechar o ano com incremento de dois dígitos. egundo a ecretaria de Comércio xterior (ecex), de janeiro a novembro os embarques da unge atingiram $ 7,055 bilhões, 16,2% acima de igual intervalo de 2012, ano em que a receita líquida da companhia no país alcançou $ 38,4 bilhões. sse resultado manteve a empresa como a terceira maior exportadora do país no período, atrás de ale ($ 23,840 bilhões) e Petrobras ($ 12,099 bilhões), à frente de concorrentes diretas como Cargill ($ 4,325 bilhões) e ($ 4,12 bilhões). ambém americanas, essas tradings ficaram, respectivamente, na quinta e na sexta posições do ranking das maiores empresas exportadoras do rasil de janeiro a novembro, de acordo com dados da ecex. egundo Parente, a boa performance das exportações de grãos refletiu, além de condições de mercado atraentes, melhoras na logística de escoamento, que absorveram grande parte dos $ 500 milhões investidos pelo grupo no país em "os últimos três anos, ampliamos em 50% o volume embarcado nos nossos terminais portuários e melhoramos nosso planejamento. ssim, os problemas logísticos que vimos no país neste ano aumentaram nossos custos, mas conseguimos otimizar as operações", disse. os últimos dois anos, informou o executivo, os investimentos em melhorias nos portos - sobretudo antos (P), Paranaguá (P) e ão Francisco do ul (C) - e na ampliação da rede de terminais no rasil chegaram a $ 200 milhões. valor inclui os aportes no projeto que visa a ampliar o escoamento da produção pelo orte do país por meio da combinação dos modais rodoviário e hidroviário. Parente lembra que nem só de exportação de grãos vive a divisão agribusiness da companhia. omados os embarques e o processamento, o volume de soja movimentado pela unge no país chegará a quase 30 milhões de toneladas neste ano. colheita total da oleaginosa no país foi de 81,5 milhões de toneladas, segundo a Companhia acional de 8

9 /CÓ ÉCC: v. ona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : bastecimento (Conab). "m determinadas épocas, somos os maiores contratadores de fretes rodoviários do país", disse. os investimentos realizados neste ano, o C também destacou os que foram direcionados para a conclusão da primeira unidade de biodiesel da empresa no país - que absorveu $ 60 milhões e inicialmente será capaz de produzir 150 mil metros cúbicos por ano - e os empregados na aquisição do moinho de trigo era Cruz, situado em anta uzia, inas erais, e que faturou quase $ 45 milhões em novo moinho fortalece a liderança da unge nesse mercado no rasil. Com moinhos em cinco stados e no istrito Federal, a companhia já processou, no total, cerca de 1,5 milhão de toneladas de trigo neste ano. "esse segmento [a área de trigo está incluída em alimentos e ingredientes], foi um ano excepcional. ecuperamos nossa trajetória de crescimento, melhoramos o mix de produtos e preços e tivemos margens melhores", disse Parente. o ano passado, a empresa desfez a associação que mantinha há oito anos com a. acêdo. Com ela, a unge produzia farinha de trigo para a parceira para uso doméstico ou como ingrediente de produtos como massas, misturas e biscoitos, o que a impedia de atuar diretamente nesses mercados. " unge iniciou as operações no rasil, em 1905, com trigo. stá no da empresa", afirmou o C. inda em alimentos e ingredientes, Parente também disse que houve bons resultados nos mercados de óleos vegetais, com diversificação de portfólio e resultados positivos em testes de qualidade realizados. ssim, a área colaborou para os resultados gerais positivos observados no ano e ajudou a diluir os reveses que voltaram a marcar a área de açúcar e bioenergia. "inda é a nossa grande dor de cabeça", reconhece Parente, que foi chefe da Casa Civil no governo de Fernando enrique Cardoso, período em que também foi ministro do Planejamento e, interinamente, das inas e nergia. "Por uma combinação de fatores, os resultados não aparecem". esta entrevista, ele preferiu não aprofundar o raciocínio, mas é conhecida a posição do segmento contra a política de preços de combustíveis do governo e contra a perda do diferencial de preços do etanol em relação à gasolina. pesar do cenário adverso, inclusive climático, sobretudo nas duas safras anteriores à atual, a moagem de cana nas usinas da múlti crescerá 12% em relação a 2012, para cerca de 20 milhões de toneladas. executivo afirmou que a unge tem procurado manter investimentos no segmento, principalmente na área agrícola, e que a companhia plantou 180 mil hectares nos últimos três anos, incluindo expansões e renovação de canaviais. o total, a área plantada supera 300 mil hectares. fato de ser uma das maiores empresas do ramo sucroalcooleiro nacional não impede, contudo, que o C global da unge, o americano oren chroder, seja implacável sobre os resultados obtidos. Quando divulgou os resultados globais da múlti no terceiro trimestre deste ano, ele deixou claro que ativos ligados a esse negócio poderão ser vendidos para ajustar as operações e tentar melhorar a performance. "as só vamos colocar no negócio o caixa gerado pelo próprio negócio. plicações líquidas de caixa terão que aguardar enquanto não houver retorno", afirmou Pedro Parente. Parente não tem grandes esperanças de que isso aconteça em s boas perspectivas da empresa para o ano que vem estão no mercado de soja, tendo em vista a expectativa de mais uma colheita recorde no rasil e na divisão de alimentos e ingredientes. Para o milho, que ganhou destaque nas operações nos últimos três anos, também não há empolgação, tendo em vista os sinais de queda da produção no rasil e dos preços nos fronts externo e domestic (alor, 20/12/13) setor sucroalcooleiro e o Poder udiciário: como resolver esta relação? - osé svaldo ozzo a década de 1990, a Cooperativa de Produtores de Cana-de-çúcar, çúcar e Álcool do stado de ão Paulo (Copersucar), em benefício de várias empresas do setor sucroalcooleiro propôs, contra a nião (Federal), uma ção udicial rdinária de Caráter indenizatório. motivo eram os prejuízos sofridos em decorrência das diferenças de preços praticados no mercado de cana-de-açúcar, apurados pelos índices oficiais do açúcar e do álcool por estes terem sido fixados pelo extinto nstituto do çúcar e do Álcool () abaixo dos níveis exigíveis, em função da aplicação dos critérios legais prescritos, nos termos da ei nº 4.870, de

10 /CÓ ÉCC: v. ona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : foi criado em 1933 tendo como principais objetivos resolver os problemas de superprodução da agroindústria canavieira por meio de planejamento e controle anual da produção, e ainda adequar as necessidades do consumo interno e externo. utra função da autarquia era o de organizar as bases para o aumento da produção alcooleira nacional, através de financiamentos de destilarias anexas às usinas de açúcar. sso, porque foi atribuída à autarquia a competência para apurar os preços a serem praticados no mercado, de acordo com o levantamento de custos de produção agrícola e industrial, valorizada anualmente por meio de pesquisas contábeis e de outras técnicas complementares. PÍ Porém, entre os anos de 1985 a 1989, o não considerou os índices oficiais apurados pela Fundação etúlio argas, o que acabou por gerar uma série de prejuízos para as empresas do setor sucroalcooleiro, os quais passaram a pleitear uma demanda judicial a título de indenização contra a nião. Com a extinção do em 1990, toda oferta e demanda de produtos e matériasprimas ligados ao setor passaram a ser regulados pelos critérios de livre mercado. este contexto, coube aos advogados evocarem o Poder udiciário, tendo como principal objetivo elucidar todo o conjunto de normas que envolvem este assunto e, mais do que isso, equacionar teses conflitantes, com foco principal na área tributária envolvendo o setor sucroalcooleiro. Certo é que alguns pedidos obtiveram sentença de mérito favorável em todas as instâncias, tendo a decisão final transitado em julgado, portanto, não sendo mais passível de recursos pela nião (Federal), muito embora o valor total desta demanda encontra-se, até então, em discussão por meio de ção escisória, bem como em face de mbargos à xecução da nião Federal questionando os critérios adotados para o cálculo das referidas verbas. nfim, temos uma contenda acirrada na ustiça que envolve bilhões de reais. números são os motivos dessa demora. m deles, provocados por ensejos internos, pelo enfrentamento do próprio judiciário. utros, por ocasião de determinadas circunstâncias em que há a necessidade dependente, para esta solução, da intervenção de outros Poderes e de terceiros, ou seja, as causas externas. odas estas casualidades estão estritamente ligadas à morosidade e contribuem para o problema. gora, recentemente, foi publicado na mídia que as empresas, para receberem os recursos, terão de provar, por meio de perícia nos seus balanços, que efetivamente sofreram prejuízos com a intervenção governamental. esmo com um minucioso trabalho pericial, é quase impraticável apurar os prejuízos da forma como está sendo determinado pelo uperior ribunal de ustiça definindo que a perícia deverá comparar o preço tabelado com os custos individuais das empresas, embora a lei, na época, determinava que o preço seria fixado com base nos custos médios regionais. á existe um córdão do upremo ribunal Federal reconhecendo às produtoras de açúcar e álcool o direito às indenizações, de acordo com a diferença entre o preço tabelado e o fixado pela F. amos aguardar o desfecho. Parece-nos que ainda teremos um bom trabalho pela frente (osé svaldo ozzo, consultor tributarista e sócio da C Consultores, é formado em ireito. Foi também ócio da e da KP e professor de Planejamento ributário na P de ibeirão Preto) 10

ORPLANA INFORMA N 39 01 de Outubro de 2012

ORPLANA INFORMA N 39 01 de Outubro de 2012 D/CÓ ÉCNC: v. Dona aria lisa, 283 CP 13405-232 Piracicaba/P - Fone (019) 3423-3690 -mail: PN@PN.com.br : www.pn.com.br PN NF N 39 01 de utubro de 2012 PÇ D ÇÚC, D N ND DD CN DD ND N QD PÇÃ: emana de 24

Leia mais

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Exportações de açúcar da empresa devem aumentar 86% na safra 2009/2010 A Copersucar completa

Leia mais

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético 23 de julho de 2015 Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético Antonio de Padua Rodrigues Diretor técnico ROTEIRO I. Perspectivas para a safra 2015/2016 II. Mercados de açúcar e de etanol

Leia mais

N 03-18 de Janeiro de 2010

N 03-18 de Janeiro de 2010 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP 13405-125 Piracicaba/P - Fone (019) 3423-3690 -mail: orplana@orplana.com.br : www.orplana.com.br 1 03-18 de aneiro de 2010 PÇ D ÇÚC D D DD PÇÃ: emana de 11 a 15/01/2010

Leia mais

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015 São Paulo, 23 de abril de 2014 ROTEIRO I. Safra 2013/2014 na região Centro-Sul: dados finais Condições climáticas e agronômicas Moagem e produção Mercados

Leia mais

O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO E O SETOR DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 E OS CENÁRIOS DE LONGO PRAZO Carlos Cogo Agosto/2012 LA NIÑA PROVOCA FORTES QUEBRAS EM SAFRAS DE GRÃOS O

Leia mais

$ $ À espera da competitividade

$ $ À espera da competitividade etanol À espera da competitividade foi mais um ano de sufoco para o setor sucroalcooleiro, que ainda sente os reflexos da crise de 2008, que deixou as usinas sem crédito, justamente quando haviam assumido

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: ABRIL/2014 CEPEA - AÇÚCAR & ETANOL I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Relações de preços mercados interno e internacional

Leia mais

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO GRÃOS: SOJA, MILHO, TRIGO e ARROZ TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 NO BRASIL E NO MUNDO Carlos Cogo Setembro/2012 PRODUÇÃO MUNDIAL DEVE RECUAR 4,1% NA SAFRA 2012/2013 ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS DEVEM

Leia mais

[Infográfico] As projeções de produção da cana, açúcar e etanol na safra 2023/2024

[Infográfico] As projeções de produção da cana, açúcar e etanol na safra 2023/2024 As projeções de produção de cana, açúcar e etanol para a safra 2023/24 da Fiesp/MB Agro No Brasil, a cana-de-açúcar experimentou um forte ciclo de crescimento da produção na década passada. A aceleração

Leia mais

Milho Período: 11 a 15/05/2015

Milho Período: 11 a 15/05/2015 Milho Período: 11 a 15/05/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,0203 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

Açúcar: Informativo Quinzenal. Oferta se acentua e preços cedem. Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo.

Açúcar: Informativo Quinzenal. Oferta se acentua e preços cedem. Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo. Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada CEPEA/ESALQ/USP 25 de maio de 2011 Volume 1, Edição 22 Açúcar: Informativo Quinzenal Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo DATA Valor

Leia mais

Responsáveis Técnicos: SILVIO ISOPO PORTO AROLDO ANTONIO DE OLIVEIRA NETO FRANCISCO OLAVO BATISTA DE SOUSA

Responsáveis Técnicos: SILVIO ISOPO PORTO AROLDO ANTONIO DE OLIVEIRA NETO FRANCISCO OLAVO BATISTA DE SOUSA Safra 2013/2014 Segundo Levantamento Agosto/2013 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia SPAE Departamento de CanadeAçúcar e Agroenergia DCAA Companhia

Leia mais

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os Desempenho da Agroindústria em 2004 Em 2004, a agroindústria obteve crescimento de 5,3%, marca mais elevada da série histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003),

Leia mais

N 047-16 de Novembro de 2009

N 047-16 de Novembro de 2009 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP 13405-125 Piracicaba/P - Fone (019) 3423-3690 -mail: orplana@orplana.com.br : www.orplana.com.br 047-16 de ovembro de 2009 PÇ D ÇÚC D D C PÇ D DD PÇÃ: emana de 09 a

Leia mais

Mercado global. vive momento de mudanças

Mercado global. vive momento de mudanças DATAGRO Mercado global vive momento de mudanças A indústria mundial de açúcar e etanol, setor no qual o Brasil figura como um dos principais líderes, vive um cenário de transformações. Enquanto no país

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

Biocombustíveis. Também chamados de agrocombustíveis

Biocombustíveis. Também chamados de agrocombustíveis Biocombustíveis Também chamados de agrocombustíveis Biomassa É o combustível obtido a partir da biomassa: material orgânico vegetal ou animal Uso tradicional: lenha, excrementos Etanol: álcool combustível.

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Máquinas e Equipamentos de Qualidade

Máquinas e Equipamentos de Qualidade Máquinas e Equipamentos de Qualidade 83 A indústria brasileira de máquinas e equipamentos caracteriza-se pelo constante investimento no desenvolvimento tecnológico. A capacidade competitiva e o faturamento

Leia mais

Projeções de custos e rentabilidade do setor sucroenergético na região Nordeste para a safra 2013/14: o desafio de sobrevivência dos fornecedores

Projeções de custos e rentabilidade do setor sucroenergético na região Nordeste para a safra 2013/14: o desafio de sobrevivência dos fornecedores Projeções de custos e rentabilidade do setor sucroenergético na região Nordeste para a safra 2013/14: o desafio de sobrevivência dos fornecedores Essa publicação apresenta as projeções de custos de produção

Leia mais

REDUÇÃO DA TAXA DE POUPANÇA E AS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS: 2010-2014

REDUÇÃO DA TAXA DE POUPANÇA E AS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS: 2010-2014 NOTAS CEMEC 01/2015 REDUÇÃO DA TAXA DE POUPANÇA E AS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS: 2010-2014 Carlos A. Rocca Lauro Modesto Santos Jr. Fevereiro de 2015 1 1. Introdução No Estudo Especial CEMEC de novembro

Leia mais

Edição 44 (Abril/2014)

Edição 44 (Abril/2014) Edição 44 (Abril/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação tem maior alta desde janeiro de 2013 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial,

Leia mais

Alternativas para a reestruturação financeira com apoio de fornecedores e investidores - uma visão abrangente para a cadeia produtiva sucroenergética

Alternativas para a reestruturação financeira com apoio de fornecedores e investidores - uma visão abrangente para a cadeia produtiva sucroenergética Alternativas para a reestruturação financeira com apoio de fornecedores e investidores - uma visão abrangente para a cadeia produtiva sucroenergética POR: ANTÓNIO AIRES - 14/08/2014 SITUAÇÃO ATUAL Valor

Leia mais

Preços médios da tonelada de cana para pagamento - Safra 2010/2011 - A

Preços médios da tonelada de cana para pagamento - Safra 2010/2011 - A Edição nº 20 maio de 2011 EDIÇÃO ESPECIAL DE FECHAMENTO SAFRA O Informe Especial da Canaoeste tem como objetivo, transmitir aos associados todas as informações relevantes da safra 2010/2011, encerrada

Leia mais

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de Desempenho da Agroindústria No fechamento do primeiro semestre de 2005, a agroindústria registrou crescimento de 0,3%, taxa bastante inferior à assinalada pela média da indústria brasileira (5,0%) no mesmo

Leia mais

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo Versão Online Boletim No: 13 Novembro, 2015 Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo I. PANORAMA O atual cenário econômico brasileiro está preocupando diversos setores, inclusive

Leia mais

Mercado. Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014

Mercado. Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014 Mercado Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014 Por: WELLINGTON SILVA TEIXEIRA As mudanças climáticas provocadas pelo aquecimento global suscitam as discussões em torno da necessidade da adoção

Leia mais

NOTA CEMEC 03/2015 FATORES DA QUEDA DO INVESTIMENTO 2010-2014

NOTA CEMEC 03/2015 FATORES DA QUEDA DO INVESTIMENTO 2010-2014 NOTA CEMEC 03/2015 FATORES DA QUEDA DO INVESTIMENTO 2010-2014 Março 2015 1 NOTA CEMEC 03/2015 SUMÁRIO Os dados de Contas Nacionais atualizados até o terceiro trimestre de 2014 revelam a continuidade da

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Pronunciamento sobre a questão

Leia mais

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014 São Paulo, 29 de abril de 2013 ROTEIRO I. Safra 2012/2013 na região Centro-Sul: dados finais Moagem e produção Mercados de etanol e de açúcar Preços e

Leia mais

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL IMPORTÂNCIA ECONOMICA 1- Exportações em 2014: Mais de US$ 100 bilhões de dólares; 2- Contribui com aproximadamente 23% do PIB brasileiro; 3- São mais de 1 trilhão de Reais e

Leia mais

Índice de Confiança do Agronegócio

Índice de Confiança do Agronegócio Índice de Confiança do Agronegócio Primeiro Trimestre 2015 Principais Resultados:» Índice de Confiança do Agronegócio» Índice da Indústria (antes e depois da porteira)» Índice do Produtor Agropecuário

Leia mais

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 1. INTRODUÇÃO O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), realiza sistematicamente

Leia mais

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Super-safra norte-americana Em seu boletim de oferta e demanda mundial de setembro o Usda reestimou para cima suas projeções para a safra 2007/08.

Leia mais

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a economia nacional registra um de seus piores momentos

Leia mais

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País o que é O QUE É. Lançado em Brasília em dezembro de 2011, o Movimento Mais Etanol visa detalhar e disseminar políticas públicas e privadas indispensáveis para: w O restabelecimento da competitividade do

Leia mais

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise A crise econômica afeta o setor sucroenergético principalmente, dificultando e encarecendo o crédito

Leia mais

DERAL-Departamento de Economia Rural A CANA-DE-AÇÚCAR E O SETOR SUCROALCOOLEIRO

DERAL-Departamento de Economia Rural A CANA-DE-AÇÚCAR E O SETOR SUCROALCOOLEIRO A CANA-DE-AÇÚCAR E O SETOR SUCROALCOOLEIRO PROGNÓSTICO 2014/15 Maio de 2014 A previsão ao setor sucroalcooleiro no Paraná é de um pequeno crescimento ao longo da safra 2014, confirmando a recuperação ocorrida

Leia mais

AÇÚCAR EM NOVA YORK ASSUME VANTAGEM SOBRE PREÇOS DO HIDRATADO EM RIBEIRÃO PRETO

AÇÚCAR EM NOVA YORK ASSUME VANTAGEM SOBRE PREÇOS DO HIDRATADO EM RIBEIRÃO PRETO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 07/setembro/2015 n. 591 AÇÚCAR EM NOVA YORK ASSUME VANTAGEM SOBRE PREÇOS DO HIDRATADO EM RIBEIRÃO PRETO A finalização da primeira semana de setembro

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

CAFÉ. Conab Companhia Nacional de Abastecimento SGAS Quadra 901, Bloco 901, Bloco A, Lote 69 70390-010 Brasília-DF Tel 61 3312 6000 www.conab.gov.

CAFÉ. Conab Companhia Nacional de Abastecimento SGAS Quadra 901, Bloco 901, Bloco A, Lote 69 70390-010 Brasília-DF Tel 61 3312 6000 www.conab.gov. CAFÉ Jorge Queiroz 1. MERCADO INTERNACIONAL Segundo o USDA, a produção mundial de café deverá atingir no ano 2009/2010, um total de 127,4 milhões de sacas. Entretanto, a OIC (Organização Internacional

Leia mais

VEÍCULO: VALOR ECONÔMICO SEÇÃO: BRASIL DATA: 26.05.14

VEÍCULO: VALOR ECONÔMICO SEÇÃO: BRASIL DATA: 26.05.14 VEÍCULO: VALOR ECONÔMICO SEÇÃO: BRASIL DATA: 26.05.14 VEÍCULO: VALOR ECONÔMICO SEÇÃO: EMPRESAS DATA: 23.05.14 Varejo e siderurgia preparam-se para vendas mais fracas Por Renato Rostás e Tatiane Bortolozi

Leia mais

REGIONAL CENTRO-OESTE

REGIONAL CENTRO-OESTE REGIONAL CENTRO-OESTE SOJA DESPONTA NO CENTRO-OESTE, REDUZINDO ÁREAS DE MILHO VERÃO E ALGODÃO A produção de soja despontou no Centro-Oeste brasileiro nesta safra verão 2012/13, ocupando áreas antes destinadas

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Commodities Agrícolas - Market Share por Porto

Commodities Agrícolas - Market Share por Porto 1 Destaques 2009 OvolumedaALLnoBrasilcresceu5,8%em2009para35.631bilhõesdeTKU,apesardo difícil cenário de mercado, com forte queda na produção industrial e redução de 12% na produção de produtos agrícolas

Leia mais

USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE

USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 30/novembro/2015 n. 603 USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE Com o título já enfático sobre o futuro dos preços

Leia mais

REUNIÃO TÉCNICA DE ECONOMIA O SETOR SUCROALCOOLEIRO UMA RADIOGRAFIA DO SETOR

REUNIÃO TÉCNICA DE ECONOMIA O SETOR SUCROALCOOLEIRO UMA RADIOGRAFIA DO SETOR REUNIÃO TÉCNICA DE ECONOMIA O SETOR SUCROALCOOLEIRO UMA RADIOGRAFIA DO SETOR CELSO FUJIOKA Março de 2014 DIRETORIA DE ECONOMIA DA ANEFAC POTENCIAL DE CULTIVO O plantio da cana-deaçúcar ocupa menos de 1%

Leia mais

ÍNDIA ATUALIZA SUAS PERSPECTIVAS DE PRODUÇÃO E FRUSTRA RECUPERAÇÃO EM NOVA YORK E LONDRES

ÍNDIA ATUALIZA SUAS PERSPECTIVAS DE PRODUÇÃO E FRUSTRA RECUPERAÇÃO EM NOVA YORK E LONDRES Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 08/junho/2015 n. 578 ÍNDIA ATUALIZA SUAS PERSPECTIVAS DE PRODUÇÃO E FRUSTRA RECUPERAÇÃO EM NOVA YORK E LONDRES O segundo maior produtor mundial da

Leia mais

ORPLANA INFORMA N 05 06 de fevereiro de 2012

ORPLANA INFORMA N 05 06 de fevereiro de 2012 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP 13405-125 Piracicaba/P - Fone (019) 3423-3690 -mail: P@P.com.br : www.p.com.br P F 05 06 de fevereiro de 2012 PÇ D ÇÚC, D D D DD C QD PÇ D D. PÇÃ: emana de 30/01 a 03/02/2012

Leia mais

Desempenho de vendas do setor segue forte

Desempenho de vendas do setor segue forte Macro Setorial segunda-feira, 20 de maio de 2013 Veículos Desempenho de vendas do setor segue forte Depois de obter recorde na venda de automóveis e comerciais leves em 2012, impulsionado por incentivos

Leia mais

Ano I Boletim II Outubro/2015. Primeira quinzena. são específicos aos segmentos industriais de Sertãozinho e região.

Ano I Boletim II Outubro/2015. Primeira quinzena. são específicos aos segmentos industriais de Sertãozinho e região. O presente boletim analisa algumas variáveis chaves na atual conjuntura da economia sertanezina, apontando algumas tendências possíveis. Como destacado no boletim anterior, a indústria é o carro chefe

Leia mais

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita)

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita) Fornecer aos agentes envolvidos no agronegócio, notadamente as indústrias de insumos agropecuários e de alimentos, além dos produtores, Governo e academia, informações estratégicas sobre a dinâmica futura

Leia mais

Edição 28 (Dezembro/2013)

Edição 28 (Dezembro/2013) Edição 28 (Dezembro/2013) Cenário Econômico: O fato de maior importância que ocorreu durante essa semana foi a noticia do FED, banco central dos EUA, que declarou a diminuição dos incentivos financeiros

Leia mais

MACROECONOMIA II PROFESSOR JOSE LUIS OREIRO PRIMEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS

MACROECONOMIA II PROFESSOR JOSE LUIS OREIRO PRIMEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS MACROECONOMIA II PROFESSOR JOSE LUIS OREIRO PRIMEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS 1 Questão: Considere uma economia na qual os indivíduos vivem por dois períodos. A população é constante e igual a N. Nessa economia

Leia mais

GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA.

GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA. EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA. GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS Consultores Legislativos da Área X Agricultura e Política Rural MARÇO/2009

Leia mais

DADOS DA CONAB TRAZEM AJUSTES E INDICAM MUDANÇA NA TENDÊNCIA DO MERCADO

DADOS DA CONAB TRAZEM AJUSTES E INDICAM MUDANÇA NA TENDÊNCIA DO MERCADO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 17/agosto/2015 n. 588 DADOS DA CONAB TRAZEM AJUSTES E INDICAM MUDANÇA NA TENDÊNCIA DO MERCADO A quinta-feira foi iniciada com a atualização de um importante

Leia mais

Índice de Confiança do Agronegócio

Índice de Confiança do Agronegócio Índice de Confiança do Agronegócio Terceiro Trimestre 2014 Principais Resultados:» Índice de Confiança do Agronegócio» Índice da Indústria (antes e depois da porteira)» Índice do Produtor Agropecuário

Leia mais

Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira

Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira Agenda Arcabouço Legal Panorama Brasil o Matriz Energética Brasileira o Biodiesel o Etanol o Novos Biocombustíveis Comentários Finais Arcabouço

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

3,8 milhões de hectares de lavouras ruins nos EUA

3,8 milhões de hectares de lavouras ruins nos EUA BOLSA DE CHICAGO 3,8 milhões de hectares de lavouras ruins nos EUA Chuvas diminuíram nesta semana, mas ainda acumularam grandes volumes em pontos já muitos úmidos do Meio-Oeste 3 EUA Lavouras De Soja Ruins

Leia mais

Quadro II - PREÇO DO AÇÚCAR CRISTAL COLOCADO NO PORTO DE SANTOS - SP NA CONDIÇÃO SOBRE RODAS - (Em R$/Saca de 50kg*)

Quadro II - PREÇO DO AÇÚCAR CRISTAL COLOCADO NO PORTO DE SANTOS - SP NA CONDIÇÃO SOBRE RODAS - (Em R$/Saca de 50kg*) CANA-DE-AÇÚCAR Período: Janeiro/2016 Quadro I - PREÇO NA USINA EM SÃO PAULO (Em R$/unidade*) Produtos Unidade 24 12 1 Mês Mês Atual Açúcar Cristal Cor ICUMSA 130 a 180 Saco/50 kg 50,20 51,05 80,57 83,75

Leia mais

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 1 Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 Entrevistador- Como o senhor vê a economia mundial e qual o posicionamento do Brasil, após quase um ano da quebra do

Leia mais

Reunião Pública 2013 Safra 13/14

Reunião Pública 2013 Safra 13/14 Reunião Pública 2013 Safra 13/14 Grupo São Martinho 300.000 ha Área agrícola de colheita 4 usinas São Martinho, Iracema, Santa Cruz e Boa Vista 21 milhões de tons Capacidade de processamento de cana de

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DO ÁLCOOL - PROÁLCOOL

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DO ÁLCOOL - PROÁLCOOL UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DO ÁLCOOL - PROÁLCOOL Cintia de Souza Oliveira 8662479 Karina Siqueira 8658676 Verônica Carvalho

Leia mais

Repensando a matriz brasileira de combustíveis

Repensando a matriz brasileira de combustíveis 1 Repensando a matriz brasileira de combustíveis Marcos Sawaya Jank Conselheiro do CDES A matriz energética brasileira se destaca pela grande incidência de fontes renováveis... Ao longo desta década, a

Leia mais

Giuliana Aparecida Santini, Leonardo de Barros Pinto. Universidade Estadual Paulista/ Campus Experimental de Tupã, São Paulo.

Giuliana Aparecida Santini, Leonardo de Barros Pinto. Universidade Estadual Paulista/ Campus Experimental de Tupã, São Paulo. Entraves à consolidação do Brasil na produção de energias limpas e renováveis Giuliana Aparecida Santini, Leonardo de Barros Pinto Universidade Estadual Paulista/ Campus Experimental de Tupã, São Paulo

Leia mais

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro estimado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados

Leia mais

Edição 40 (Março/2014)

Edição 40 (Março/2014) Edição 40 (Março/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação oficial acelera por alimentos e transportes (Fonte: Terra) O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) avançou 0,73% em março

Leia mais

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Produção mundial deve recuar em 2007/08 Segundo o relatório de oferta e demanda divulgado pelo Usda em setembro

Leia mais

ORPLANA INFORMA N 38 13 de OUTUBRO de 2014

ORPLANA INFORMA N 38 13 de OUTUBRO de 2014 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP 13405-232 Piracicaba/P - Fone (019) 3423-3690 -mail: P@P.com.br : www.p.com.br P F 38 13 de de 2014 PÇ D ÇÚC D D C DD D PÇ D DD C C. PÇÃ: emana de 06 a 10/10/2014 1.

Leia mais

Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer

Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer A demanda crescente nos mercados interno e externo por combustíveis renováveis, especialmente o álcool, atrai novos investimentos para a formação

Leia mais

RENTABILIDADE DO ETANOL HIDRATADO SOBRE O AÇÚCAR CAI NA PRIMEIRA SEMANA DE MAIO

RENTABILIDADE DO ETANOL HIDRATADO SOBRE O AÇÚCAR CAI NA PRIMEIRA SEMANA DE MAIO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano X 07/maio/2015 n. 444 RENTABILIDADE DO ETANOL HIDRATADO SOBRE O AÇÚCAR CAI NA PRIMEIRA SEMANA DE MAIO A finalização da primeira semana de maio mostrou uma

Leia mais

EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR CAEM 42% EM FEVEREIRO

EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR CAEM 42% EM FEVEREIRO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 16/março/2015 n. 566 EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR CAEM 42% EM FEVEREIRO Os dados mais recentes de exportação de açúcar disponibilizados pela Secretaria de

Leia mais

Painel 4 Perspectivas dos mercados de açúcar e etanol

Painel 4 Perspectivas dos mercados de açúcar e etanol BMFBovespa Seminário Perspectivas do Agribusiness 2012-2013 Painel 4 Perspectivas dos mercados de açúcar e etanol Andy Duff, Food & Agribusiness Research, Rabobank Brasil 22 de maio de 2012 Food & Agribusiness

Leia mais

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Ter, 02 de Agosto de 2011 07:13 Com base nos movimentos de mercado e da companhia alinhados ao aquecimento da indústria e economia brasileiras,

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICO FINANCEIRA DA EMPRESA BOMBRIL S.A.

ANÁLISE ECONÔMICO FINANCEIRA DA EMPRESA BOMBRIL S.A. Universidade Federal do Pará Centro: Sócio Econômico Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Análise de Demonstrativos Contábeis II Professor: Héber Lavor Moreira Aluno: Roberto Lima Matrícula:05010001601

Leia mais

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Resultados incluem primeiro ano de cultivo de milho geneticamente modificado, além das já tradicionais

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 As exportações em março apresentaram aumento de +27,85% em relação a fevereiro. O valor exportado superou novamente a marca de US$ 1 bilhão, atingindo

Leia mais

N 07-15 de Fevereiro de 2010

N 07-15 de Fevereiro de 2010 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP 13405-125 Piracicaba/P - Fone (019) 3423-3690 -mail: orplana@orplana.com.br : www.orplana.com.br 1 07-15 de Fevereiro de 2010 PÇ D ÇÚC PÇ D C PÇÃ: emana de 08 a 12/02/2010

Leia mais

INTRODUÇÃO PRINCIPAIS DESTAQUES DO 2º TRIMESTRE DE 2009 DESEMPENHO DO SETOR

INTRODUÇÃO PRINCIPAIS DESTAQUES DO 2º TRIMESTRE DE 2009 DESEMPENHO DO SETOR INTRODUÇÃO A LAEP Investments Ltd. foi constituída em junho de 2007 visando capturar oportunidades no setor lácteo no Brasil e no exterior, tanto na integração da cadeia produtiva do leite, quanto no beneficiamento

Leia mais

PLASCAR ANUNCIA RESULTADOS EM 31MARÇO 2015.

PLASCAR ANUNCIA RESULTADOS EM 31MARÇO 2015. PLASCAR ANUNCIA RESULTADOS EM 31MARÇO 2015. Cotação (31/03/15) PLAS3 - R$ 0,18 Valor de mercado em 31/03/15 (MARKET CAP BOVESPA) R$ 45 milhões Campinas, SP, 27 de abril de 2015 Plascar Participações Industriais

Leia mais

Destaques do Período. Resultados Financeiros

Destaques do Período. Resultados Financeiros Resultados 2T09 14 de Agosto de 2009 1 Agenda Foto: Unidade de Paulínia -SP Destaques do Período 2T09 1S09 Mercado Brasileiro de Fertilizantes Vendas e Distribuição por Cultura da Heringer LUCRO LÍQUIDO

Leia mais

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015 TRIGO Período de 02 a 06//205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço Atual PR 60 kg 29,56 35,87 36,75 36,96 Semana Atual

Leia mais

Ordenamento Territorial para Expansão da Cana-de-açúcar no Brasil Zoneamento Agroecológico da Cana-de-açúcar

Ordenamento Territorial para Expansão da Cana-de-açúcar no Brasil Zoneamento Agroecológico da Cana-de-açúcar Ordenamento Territorial para Expansão da Cana-de-açúcar no Brasil Zoneamento Agroecológico da Cana-de-açúcar Simpósio Internacional e Mostra de Tecnologia da Agroindústria sucroalcooleira SIMTEC 01 de

Leia mais

A FORMAÇÃO DOS PREÇOS DO ETANOL HIDRATADO NO MERCADO BRASILEIRO DE COMBUSTÍVEIS

A FORMAÇÃO DOS PREÇOS DO ETANOL HIDRATADO NO MERCADO BRASILEIRO DE COMBUSTÍVEIS A FORMAÇÃO DOS PREÇOS DO ETANOL HIDRATADO NO MERCADO BRASILEIRO DE COMBUSTÍVEIS Prof. Drº Nilton Cesar Lima Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Universidade Federal de Alagoas AGENDA Objetivos

Leia mais

CONJUNTURA DE SAFRAS, OU MAIS DO MESMO: EXPANSÃO DA FRONTEIRA AGRÍCOLA COM SOJA EM 2015/16

CONJUNTURA DE SAFRAS, OU MAIS DO MESMO: EXPANSÃO DA FRONTEIRA AGRÍCOLA COM SOJA EM 2015/16 CONJUNTURA DE SAFRAS, OU MAIS DO MESMO: EXPANSÃO DA FRONTEIRA AGRÍCOLA COM SOJA EM 2015/16 A Companhia Nacional do Abastecimento (Conab), divulgou recentemente sua primeira estimativa para a safra brasileira

Leia mais

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO A QGEP Participações iniciou o ano de 2011 com uma sólida posição financeira. Concluímos com sucesso a nossa oferta pública inicial de ações em fevereiro, com uma captação líquida

Leia mais

BRASIL. Francisca Peixoto

BRASIL. Francisca Peixoto BRASIL Francisca Peixoto INTRODUÇÃO BRASIL Um dos principais fornecedores de alimentos e matériasprimas do mundo Dotação única em recursos naturais Política agropecuária alinhada com estratégia nacional

Leia mais

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo Versão Online Boletim No: 12 Outubro, 2015 Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo I. PANORAMA Chuvas intensas no mês de setembro atrasaram a colheita de cana-de-açúcar nas principais

Leia mais

Apresentação de Resultados do 4T13

Apresentação de Resultados do 4T13 Apresentação de Resultados do 4T13 Geraldo Bom dia a todos. Em nome da M DIAS BRANCO, gostaria de agradecer a presença dos senhores em nossa teleconferência para discussão dos resultados da Companhia no

Leia mais

Desafios para o planejamento e a regulação do mercado de biocombustíveis

Desafios para o planejamento e a regulação do mercado de biocombustíveis VIII CBPE Congresso Brasileiro de Planejamento Energético Curitiba, agosto de 2012 Mesa Redonda: Fronteiras agro-energéticas Desafios para o planejamento e a regulação do mercado de biocombustíveis L.

Leia mais

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2013 MUNDO A economia mundial cada vez mais globalizada tem sido o principal propulsor responsável pelo aumento da produção de soja. Com o aumento do

Leia mais

Tereos Internacional Resultados do Primeiro Trimestre 2014/15

Tereos Internacional Resultados do Primeiro Trimestre 2014/15 Tereos Internacional Resultados do Primeiro Trimestre 20 São Paulo 12 de agosto de 2014 Principais Iniciativas e Destaques do Operacional 2 Cana-de-açúcar Brasil: Aumento dos benefícios do programa Guarani

Leia mais

RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010

RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010 Os Biocombustíveis no Brasil RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010 SUMÁRIO 1. Alguns dados d sobre o Brasil e a ANP 2. Os biocombustíveis no Brasil 3. O etanol 4. O biodiesel PANORAMA

Leia mais

Fase 2 (setembro 2012) Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012

Fase 2 (setembro 2012) Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 Apresentação A sondagem Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário 2012 Fase 2 apresenta a visão do empresário do transporte

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Novembro 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo Versão Online Boletim No: 02/2014 Dezembro, 2014 Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo I. PANORAMA DA SAFRA A área destinada à produção de cana-deaçúcar na safra 2014/15 apresentou

Leia mais

Um novo paradigma para o mercado de óleo de soja

Um novo paradigma para o mercado de óleo de soja Um novo paradigma para o mercado de óleo de soja A determinaça o dos preços do o leo de soja e as mudanças recentes no contexto mundial de oferta e demanda Natalia Orlovicin Analista de Mercado natalia.orlovicin@intlfcstone.com

Leia mais