REGIONAL CENTRO-OESTE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGIONAL CENTRO-OESTE"

Transcrição

1 REGIONAL CENTRO-OESTE SOJA DESPONTA NO CENTRO-OESTE, REDUZINDO ÁREAS DE MILHO VERÃO E ALGODÃO A produção de soja despontou no Centro-Oeste brasileiro nesta safra verão 2012/13, ocupando áreas antes destinadas ao cultivo de milho verão e algodão. O preço bem atrativo da soja frente às demais culturas foi apontado como o fatorchave que motivou os produtores da região a ampliar a área cultivada com a oleaginosa. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a região Centro-Oeste deverá cultivar 12,778 milhões de hectares de soja na temporada 2012/13, acima dos 11,495 milhões de hectares plantados na safra passada. As perspectivas apontam para uma safra de soja muito favorável, apesar dos problemas climáticos registrados no decorrer do desenvolvimento, especialmente na fase de floração, por conta da seca e, mais recentemente, no período de colheita, em razão das chuvas ocorridas entre o final de janeiro e a primeira semana de fevereiro. A produção esperada é de 39,627 milhões de toneladas, conforme a Conab, superando as 34,904 milhões de toneladas obtidas na temporada 2011/12. A produtividade média tende a avançar também frente à temporada passada, passando de quilos por hectare para quilos por hectare. Mantendo a tradição, o Centro-Oeste seguirá investindo em menores áreas para a safra verão de milho, por conta da concorrência com a soja, mas seguirá apostando forte no plantio de milho segunda safra, cujas áreas deverão ser maiores que as cultivadas na safrinha As indefinições, se ainda existentes, decorrem das chuvas de grande volume registradas nas últimas semanas na região, que vem atrasando a colheita da soja e o posterior cultivo do milho safrinha. A perspectiva da Conab aponta para um cultivo de 5,142 milhões de hectares de milho segunda safra no Centro-Oeste em 2013, superando os 4,548 milhões de hectares plantados na safrinha Se as condições climáticas forem favoráveis, a expectativa é de que sejam colhidas 25,826 milhões de toneladas na segunda safra 2013, superando as 25,393 milhões de toneladas colhidas no ano passado. A produtividade tende a cair, passando de quilos por hectare para quilos por hectare. Na cultura do algodão, ainda sentindo os impactos da grande oferta existente na safra passada, que culminaram em queda nos preços, muitos produtores do Centro-Oeste decidiram reduzir a área cultivada nesta safra verão, optando também pelo cultivo da oleaginosa. A área plantada na safra 2012/13 deve ficar em 626,9 mil hectares, aquém dos 877,3 mil hectares plantados na temporada passada, segundo dados da Conab. Também de acordo com a estatal, a produção em pluma deve atingir 905,9 mil toneladas, aquém dos 1,259 milhão de toneladas em pluma colhidos na safra 2011/12. A produtividade média em pluma deve atingir quilos por hectare, superando a rentabilidade de quilos por hectare registrados na safra passada. Acompanhe com mais detalhes as informações sobre as culturas de soja, milho e algodão nos três principais estados produtores do Centro- Oeste: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. MATO GROSSO Estado cultiva área recorde de soja na temporada 2012/13 A área cultivada de soja pelo Mato Grosso na temporada 2012/13 será recorde, ocupando 7,89 milhões de hectares, 12% a mais que na temporada anterior, de 7,072 milhões de hectares, segundo informações do Instituto Mato Grossense de Economia Agropecuária (IMEA). De acordo com o gestor do IMEA, Daniel Latorraca, a colheita havia atingido 11% até a primeira semana de fevereiro, com uma produtividade média em torno de 50 sacas de 60 quilos por hectare, aquém da média final esperada de 51 sacas de 60 quilos por hectare. Isso ocorreu por conta do excesso de chuva registrado no estado, o que trouxe algum prejuízo devido à incidência de grãos ardidos, especialmente em áreas nas quais o produtor pretende fazer o cultivo da segunda safra de algodão. "A chuva já esperada, por conta do fenômeno climático El Niño, e não tende a impactar no resultado final da safra, que deve ficar em 24,131 milhões de toneladas, superando as 21,367 milhões de toneladas de oleaginosa colhidas na temporada 2011/12", afirma. Latorraca sinaliza que as chuvas esperadas para o final de fevereiro na região devem garantir uma colheita com boa produtividade. Ele destaca que o Mato Grosso, apesar da expansão da área, não tem evoluído muito na produtividade média, que se mantém em torno de 50 sacas de 60 quilos por hectare anualmente, pois muitas áreas cultivadas são oriundas da pecuária, antes ocupadas com pasto, o que acaba impedindo um grande avanço no rendimento médio.

2 Cultivo da Soja em Mato Grosso Latorraca comenta que o Mato Grosso nunca havia registrado uma comercialização tão avançada até agora. "Cerca de 69% da safra já foi negociada, contra 60% no ano passado e essa antecipação foi decorrente do fato do mercado ter apresentado grande liquidez e valores mais altos. "O preço médio da saca de soja ponderada atinge R$ 48,00, algo próximo a US$ 24,00, dependendo da variação cambial na temporada 2012/13, contra os R$ 42,00 de média verificados na temporada 2011/12, o que favorece a venda da oleaginosa", sinaliza. Ele acrescenta que metade da soja produzida em Mato Grosso é direcionada ao mercado internacional. Na safra 2011/12, o estado exportou 10,8 milhões de toneladas de soja. O restante é vendido no mercado doméstico. Mesmo com área maior, produção da segunda safra de milho no estado cairá em 2013 O plantio da segunda safra de milho em Mato Grosso estava completo em 10% da área até a primeira semana de fevereiro, mas com previsão de atingir 80% até o final de do mês, dependendo das condições climáticas, até então desfavoráveis por conta das chuvas, destaca Latorraca. Segundo levantamento do IMEA, a área plantada no estado será recorde, atingindo 2,787 milhões de hectares, avançando 11% frente aos 2,504 milhões de hectares cultivados na temporada 2011/12. Em compensação, devido ao uso de uma tecnologia média, mas inferior à da temporada passada, a produtividade média deve ficar em 80 sacas de 60 quilos por hectare, abaixo das 104 sacas colhidas na segunda safra "Tivemos um clima excepcional no ano passado, que não deve se repetir em Com isso, a expectativa de produção em 2013 tende a ser 15% menor frente às 15,586 milhões de toneladas obtidas no ano passado, alcançando 13,294 milhões de toneladas. Ainda assim, esse é um bom volume, 2 pois corresponde a quase o dobro das 7 milhões de toneladas obtidas na safra 2010/11", compara o gestor do IMEA. Latorraca sinaliza que os preços ponderados do milho neste ano variam entre R$ 17,50 e R$ 18,00 por saca de 60 quilos e mostram-se mais atrativos frente aos praticados no mesmo período do ano passado, de R$ 16,00. "Apesar disso, a comercialização até agora indica um avanço mais lento, com 17,6% da safrinha negociada, ante 42,6% no mesmo período do ano passado", afirma. O Mato Grosso deve manter a tendência de exportar 60% de sua produção ao mercado internacional, mantendo os 40% restantes no Brasil. "Vendemos 9 milhões de toneladas da safrinha passada. Do que ficou no mercado interno, cerca de 2,8 milhões de toneladas foram consumidas em Mato Grosso e o volume restante foi direcionado a outros estados", explica. Área cultivada de algodão em Mato Grosso deve cair 36% na safra 2012/13 Latorraca entende que a cultura de algodão talvez tenha sido a mais prejudicada no Mato Grosso, por conta dos grandes volumes de chuvas registrados e que vem dificultando o cultivo da segunda safra. "Os produtores visam o plantio em janeiro e na primeira semana de fevereiro, mas o atraso na colheita de primeira safra pode acabar se refletindo em queda na área", disse. "Muitas áreas que seriam cultivadas com algodão passaram a ser plantadas com milho", acrescenta. O gestor do IMEA salienta que a área cultivada com algodão na temporada 2012/13 tende a cair 36% frente à safra passada, de 722,568 mil hectares para 464,811 mil hectares,

3 Cultivo de milho 2a safra em Mato Grosso Comercialização de milho em Mato Grosso por conta dos preços depreciados do algodão com a produção recorde obtida no ano passado e com os estoques elevados, o que desmotivou os produtores.a produção de algodão em pluma no estado deve chegar a 632,296 mil toneladas, aquém das 1,089 milhão de toneladas registrada na temporada 2011/ 12. A produtividade média em pluma nesta safra tende a cair também frente à passada, de quilos por hectare para quilos por hectare por hectare. Latorraca destaca que a área de primeira safra, plantada em dezembro, alcançou 142 mil hectares, com uma queda de 61% ante a temporada 2011/12, por conta da migração de áreas para o cultivo da soja. Para a segunda safra, contudo, a expectativa é de que sejam cultivados 288 mil hectares, com crescimento de 6% frente à safra 2011/12. Após o período ideal de cultivo da segunda safra, ainda será plantada uma área de 34 mil hectares com algodão adensado, que recebe maiores quantidades de semente por hectare. O gestor comenta que o preço do algodão gira hoje em torno de R$ 57,00 por arroba, valor que supera a média registrada no mesmo período do ano passado, que oscilava entre R$ 49,00 e R$ 50,00 por arroba. "Nossa expectativa é que, com uma oferta menor, o preço do algodão possa subir ainda mais", comenta.no que tange a negócios, a expectativa é de que metade da safra seja exportada neste ano, percentual que não foge muito ao do ano passado, quando, o Mato Grosso exportou 554 mil toneladas de algodão em pluma. No que tange a vendas antecipadas, o estado vendeu até agora cerca de 56% da safra prevista, bem abaixo dos 89% negociados no mesmo período do ano passado. toneladas previstas inicialmente, com colheita estimada de 5,7 milhões de toneladas, segundo informações da Federação da Agricultura de Mato Grosso do Sul (Famasul). "Mesmo assim, ela ainda irá superar as 4,628 milhões de toneladas colhidas na temporada 2011/12", comenta o engenheiro-agrônomo da Famasul, Leonardo Carlotto. De acordo com Carlotto, o clima para o desenvolvimento das lavouras de soja em Mato Grosso do Sul foi bastante disperso nas diferentes regiões do estado, apesar das chuvas de bom volume registradas entre o final de janeiro e o início de fevereiro. O desenvolvimento foi normal no norte do Estado, mas na região sul houve problemas com a seca, que levaram a um replantio de áreas em outubro do ano passado, bem como em novembro, quando a falta de chuvas atingiu lavouras de ciclo precoce que estavam em enchimento de grãos. "Com isso alguns municípios do sul do estado terão perdas significativas com a estiagem. Apenas para ter uma ideia, alguns municípios como Naviraí, Fátima do Sul, Caarapó e Dourados ficaram sem chuvas durante períodos que variaram entre 20 e 30 dias", explica. A área de soja, por outro lado, por conta dos bons preços, recebeu um incremento de 11%, ocupando espaços antes Cultivo de algodão em Mato Grosso MATO GROSSO DO SUL Produção de Soja no estado deve ficar aquém da prevista por conta da estiagem Por conta dos efeitos do clima, a produção de soja em Mato Grosso do Sul deverá ficar aquém das 6 milhões de 3

4 Crédito: ASCOM Famato Com produção menor de algodão em Mato Grosso, expectativa é de que preço possa subir ainda mais, comenta o gestor do IMEA, Daniel Latorraca ocupados pelo milho verão e algodão, passando de 1,884 milhão de hectares para 2,1 milhões de hectares. O rendimento médio previsto para a soja gira em torno de 48 sacas de 60 quilos por hectare, aquém das 50 sacas previstas inicialmente, mas acima 44 sacas colhidas em média por hectare na temporada 2011/12. Conforme Carlotto, cerca de 35% da área de soja estava colhida até a segunda semana de fevereiro. Em termos de comercialização, a Famasul contabilizava que até 25 de janeiro, 51% da safra de soja havia sido negociada antecipadamente, contra 31% no mesmo período do ano passado. "Isso se deve ao preço, que está em cerca de R$ 10,00 acima do valor praticado no mesmo período de 2012, atingindo valor médio de R$ 53,00. Área de milho verão cai em Mato Grosso do Sul e cresce na segunda safra O Mato Grosso do Sul tem procurado investir forte no cultivo da segunda safra de milho, cultivando poucas áreas de cereal no verão. Neste ano não serão diferente. Conforme Carlotto, o estado reduziu ainda mais a área cultivada nesta safra frente à anterior, por conta do maior interesse dos produtores no cultivo da safra de soja. A Famasul estima uma área plantada de 48 mil hectares em todo estado, aquém dos 68 mil hectares plantados na safra verão 2011/12. A produção esperada para 2012/13 gira em torno de 360 mil toneladas, com rendimento médio de quilos por hectare, contra uma safra de 458 mil toneladas no ano passado e média de produtividade de quilos por hectare. A previsão é de que os trabalhos de colheita iniciem no final de fevereiro. Para a segunda safra, que tinha 25% da área plantada na segunda semana de fevereiro, a previsão é de um incremento frente aos 1,2 milhão de hectares cultivados em 2012, Produção de soja em Mato Grosso do Sul deve ficar aquém das 6 milhões de toneladas previstas inicialmente, relata o engenheiro-agrônomo da Famasul, Leonardo Carlotto Crédito: Assessoria de Comunicação Famasul 4

5 Cultivo de soja em Mato Grosso do Sul Cultivo de milho 2a safra em Mato Grosso do Sul Fonte: Famasul Fonte: Famasul alcançando 1,5 milhão de hectares neste ano. Mesmo com o incremento na área, a previsão da Famasul é de que seja colhidas 5,48 milhões de toneladas de milho, com rendimento médio de quilo por hectare, abaixo das 6,117 milhões de toneladas obtidas na safrinha 2012, que teve rendimento médio de quilos por hectare. De acordo com Carlotto, a menor produção e rendimento médio neste ano decorrem do clima excepcional registrado no ano passado, que tende a não se repetir novamente. "Tivemos chuvas em épocas não previstas, que contribuíram para um resultado acima do esperado. Mesmo assim, o resultado previsto para este ano está dentro da normalidade", afirma. Levantamento da Famasul indica que a saca de milho gira em torno de R$ 25,00 na região, acima dos R$ 17,00 a R$ 18,00 praticados no mesmo período do ano passado. "Mesmo com o preço mais atrativo, as negociações do milho não evoluem no mesmo ritmo da soja. Até agora, cerca de 10% da segunda safra foi negociada até agora. O produtor prefere colher para depois comercializar sua safra", comenta. Produtor de Mato Grosso do Sul migra para soja e reduz área cultivada de algodão Carlotto ressalta que o cultivo de algodão vem se desenvolvendo bem no norte de Mato Grosso do Sul, por conta dos bons volumes de chuvas que vem sendo registrados. "Há muito pouco algodão de primeira safra no estado, embora percebamos que tenha ocorrido uma queda na área cultivada de segunda safra cultivada em dezembro e janeiro. A área total do estado caiu de 62 mil hectares na temporada 2011/12 para 40 mil hectares de na atual temporada, por conta dos preços mais atrativos da soja, que levou produtores a migrarem para esta cultura", disse. Em função da área menor, a produção em pluma tende a cair também, atingindo 61,4 mil toneladas, aquém das 84,6 mil toneladas obtidas na safra 2011/12. O rendimento médio, Cultivo de algodão em Mato Grosso do Sul Cultivo de soja em Goiás Fonte: Famasul Fonte: Faeg 5

6 Cultivo de milho 2a safra em Goiás Fonte: Faeg entretanto, tende a crescer, passando quilos por hectare em pluma para quilos por hectare. "O algodão vem apresentando um bom aspecto, com colheita prevista para março", sinaliza. O rendimento em pluma tende a ficar bem próximo do registrado na temporada 2011/12, de 38,5%. GOIÁS Bons preços favoreceram crescimento de área plantada de soja no Estado Levantamento divulgado pela Federação da Agricultura do Estado de Goiás (Faeg) indicou que a área de soja deverá terá um incremento de 9% na temporada 2012/13, passando de 2,7 para 2,9 milhões de hectares, por conta dos bons preços praticados para a oleaginosa, com cerca de 90% da área sendo transgênica. "O preço gira hoje entre R$ 55,00 e R$ 56,00 para a saca de 60 quilos, acima dos R$ 42,00 praticados no mesmo período do ano passado, o que foi um fator determinante para o avanço da área, informa o engenheiro-agrônomo Leonardo Machado. A expectativa de produção gira em torno de 9 milhões de toneladas, ante as 8,2 milhões de toneladas obtidas na safra 2011/12. A produtividade média deve recuar 10% frente à expectativa inicial prevista, de quilos por hectare, em razão da falta de chuvas na fase de plantio e também no período de floração das lavouras, que durou 20 dias. "Devemos colher em torno quilos por hectare, volume similar à média registrada na temporada 2011/12, de quilos por hectare", afirma. Machado salienta também que, por conta das chuvas entre o fim de janeiro e o inicio de fevereiro, havia um atraso na colheita até a segunda semana do mês, que estava completa entre 10% a 12% da área, ante 15% a 20% no mesmo período do ano passado. Por conta dos bons preços, Machado sinaliza que em torno de 65% da safra de soja tenha sido vendida antecipadamente até a segunda quinzena de fevereiro, contra 55% no mesmo período do ano passado. Área da segunda safra de milho deve crescer 5% em Goiás Levantamento da Federação da Agricultura de Goiás indica que a área de milho na safra verão do estado deve ficar em 400 mil hectares, apresentando um decréscimo de 25% frente aos 500 mil hectares cultivados na temporada 2011/12, em decorrência da maior atratividade de preços oferecida pela soja. "A exemplo da soja, o milho verão também foi afetado pela estiagem durante seu desenvolvimento e tudo indica que a produção deverá recuar de 4,3 milhões de toneladas para volumes entre 3,2 e 3,3 milhões de toneladas", destaca o engenheiro-agrônomo Leonardo Machado. Com isso, a produtividade média tende a ficar em quilos por hectare, aquém da rentabilidade obtida na temporada 2011/12, que oscilou entre e quilos por hectare. Leonardo salienta que os preços do milho estão mais atrativos neste ano frente ao mesmo período do ano passado. "A saca de 60 quilos é cotada de R$ 26,00 a R$ 28,00, contra valor de R$ 22,00 no ano passado", compara. Até agora, cerca de 1% da área foi colhida, com os produtores dando preferência à colheita da soja. No que tange à segunda safra, a expectativa é de que a área de milho possa crescer 5% neste ano, ocupando 729 Área cultivada de algodão em Goiás deve cair 45% ante a safra 2011/12, destaca o engenheiroagrônomo da Faeg, Leonardo Machado Crédito: Marcus Vinicius 6

7 mil hectares, acima dos 690 mil hectares plantados em 2012, embora tudo ainda dependa das condições climáticas, tendo em vista que o plantio até agora atinge entre 5% a 6% da área, contra 15% no mesmo período do ano passado. "A chuva vem atrapalhando um pouco a colheita da soja e o cultivo do milho", disse. A expectativa de produtividade média esperada pela Faeg para o milho é de quilos por hectare, alcançando produção de 4,2 milhões de toneladas, abaixo da produtividade média de quilos por hectare e da safra de 6 milhões de toneladas de milho colhidas em Em termos de negócios, apenas cerca de 10% da safrinha de milho foi vendida antecipadamente. Chuvas prejudicam plantio de algodão em Goiás O plantio de algodão em Goiás tem sido prejudicado por conta das chuvas, atingindo em torno de 5% da área até o momento contra 10% a 15% no mesmo período do ano passado. A previsão da Faeg é de que sejam cultivados 50 mil hectares na temporada 2012/13 (primeira e segunda safra), área 45% menor que a registrada na temporada 2011/12, já que muitos produtores optaram pelo plantio de soja. "A expectativa de produção em pluma é de 79,3 mil toneladas, recuando 38,4% frente ao ano passado", comenta Machado. A produtividade média em pluma, por outro lado, tende a alcançar quilos por hectare, crescendo 10% frente à safra 2011/12, que teve rendimento de quilos por hectare. é uma publicação da Agência SAFRAS, do Grupo SAFRAS & Mercado. Editor responsável: Dylan Della Pasqua Redação: Arno Baasch Projeto Gráfico: Carlos Soares Av. Independência, 1299 Sala 403 CEP Porto Alegre RS Telefones: 0(xx) (xx) (xx) Todos os direitos reservados. Reprodução proibida, exceto mediante permissão por escrito e citada a fonte. Circulação reservada e exclusiva para assinantes. 7

Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra

Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra Ano 8 Edição 15 - Setembro de 2015 Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra A forte valorização do dólar frente ao Real no decorrer deste ano apenas no período de

Leia mais

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2013 MUNDO A economia mundial cada vez mais globalizada tem sido o principal propulsor responsável pelo aumento da produção de soja. Com o aumento do

Leia mais

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro 2015 PARANÁ A estimativa de área para a safra 2015/16 de soja é recorde no Paraná. Segundo os técnicos de campo serão semeados 5,24 milhões de hectares,

Leia mais

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014 BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014 Milho: Os preços no mercado brasileiro ficaram estáveis e até mesmo um pouco mais baixos em algumas praças. A incerteza dos produtores quanto à produtividade do milho

Leia mais

ISS 2316-1019 I N F O R M AT I VO Casa Rural. edição outubro 2012. Agricultura. Soja - Milho - Insumos Agrícolas

ISS 2316-1019 I N F O R M AT I VO Casa Rural. edição outubro 2012. Agricultura. Soja - Milho - Insumos Agrícolas ISS 2316-119 I N F O R M AT I VO Casa Rural edição outubro 212 Agricultura Soja - Milho - Insumos Agrícolas SOJA Comportamento dos Preços Internos de Mato Grosso do Sul (R$/SC) 75, 74, 73, 72, 71, 7, 69,

Leia mais

RELATÓRIO DE MERCADO JULHO DE 2015

RELATÓRIO DE MERCADO JULHO DE 2015 RELATÓRIO DE MERCADO JULHO DE 2015 COMMODITIES AGRÍCOLAS RESUMO DOS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO DE COMMODITIES AGRÍCOLAS SUMÁRIO OFERTA 4 8 VARIAÇÕES HISTÓRICAS E FORECAST 6 DEMANDA 9 CONSIDERAÇÕES

Leia mais

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 Mercado Internacional Em 2007, a produção anual de milho atingiu quase 720 milhões de tonelada (Tabela 1), quando os Estados Unidos,

Leia mais

HIDRATADO ACUMULA QUEDA DE 18,79% EM 30 DIAS. EXPECTATIVA DE QUEDA AINDA CONTINUA

HIDRATADO ACUMULA QUEDA DE 18,79% EM 30 DIAS. EXPECTATIVA DE QUEDA AINDA CONTINUA Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Nº 395 Ano IX 08/maio/2014 HIDRATADO ACUMULA QUEDA DE 18,79% EM 30 DIAS. EXPECTATIVA DE QUEDA AINDA CONTINUA No mercado físico de etanol a segunda semana de

Leia mais

CLIPPING 06/02/2014 Acesse: www.cncafe.com.br

CLIPPING 06/02/2014 Acesse: www.cncafe.com.br CLIPPING Acesse: www.cncafe.com.br Após altas, produtor não deve exercer opção de venda de café Valor Econômico Tarso Veloso e Carine Ferreira Após a sequência de altas do café arábica na bolsa de Nova

Leia mais

TRIGO Período de 12 a 16/10/2015

TRIGO Período de 12 a 16/10/2015 TRIGO Período de 2 a 6/0/205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço Atual PR 60 kg 29,5 34,0 35,42 35,94 Semana Atual

Leia mais

Edição 40 (Março/2014)

Edição 40 (Março/2014) Edição 40 (Março/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação oficial acelera por alimentos e transportes (Fonte: Terra) O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) avançou 0,73% em março

Leia mais

Este Informativo é uma publicação mensal, enviado para 21.625 Parceiros Rurais. Edição nº 20 - Setembro de 2015. Nesta Edição. Página 2.

Este Informativo é uma publicação mensal, enviado para 21.625 Parceiros Rurais. Edição nº 20 - Setembro de 2015. Nesta Edição. Página 2. I N F O R M A T I V O Este Informativo é uma publicação mensal, enviado para 21.625 Parceiros Rurais. Edição nº 20 - Setembro de 2015. Nesta Edição Agricultura Página 2 O Dragão está em xeque? Prezados

Leia mais

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Produção mundial deve recuar em 2007/08 Segundo o relatório de oferta e demanda divulgado pelo Usda em setembro

Leia mais

MARGENS ESTREITAS PARA O PRODUTOR DE ALGODÃO

MARGENS ESTREITAS PARA O PRODUTOR DE ALGODÃO MARGENS ESTREITAS PARA O PRODUTOR DE ALGODÃO Custos Algodão A produção de algodão no Brasil está crescendo de forma expressiva, devido à boa competitividade dessa cultura frente a outras concorrentes em

Leia mais

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Super-safra norte-americana Em seu boletim de oferta e demanda mundial de setembro o Usda reestimou para cima suas projeções para a safra 2007/08.

Leia mais

Produção de Alimentos e Energia. Ribeirão Preto

Produção de Alimentos e Energia. Ribeirão Preto Produção de Alimentos e Energia e o Exercício Profissional Ribeirão Preto AdilmaScamparini Engenheira de Alimentos Email ascamparini@uol.com.br F 019 81133730 FAX 019 21214527 Produção de Alimentos Alimentos

Leia mais

Preço médio da Soja em MS Período: 06/03 á 11/03 de 2014 - Em R$ por saca de 60 kg

Preço médio da Soja em MS Período: 06/03 á 11/03 de 2014 - Em R$ por saca de 60 kg SOJA» MERCADO INTERNO Na primeira semana de março houve leve apreciação nos preços da saca de 6 Kg de soja em grãos, estes cresceram em média 1,2% em relação aos preços observados 6/mar. Mas em comparação

Leia mais

110,0 105,0 100,0 95,0 90,0 85,0 80,0

110,0 105,0 100,0 95,0 90,0 85,0 80,0 BOI GORDO O ano de 2013 registrou preços elevados para a arroba do boi gordo, em todas as praças pecuárias acompanhadas pelo Sistema FAEB/SENAR. No acumulado do ano, foram verificadas as seguintes valorizações:

Leia mais

Edição 38 (Março/2014)

Edição 38 (Março/2014) Edição 38 (Março/2014) Cenário Econômico: A atividade do comércio varejista registrou crescimento de 6,1% em fevereiro ante o mesmo período do ano anterior, na terceira aceleração consecutiva do resultado

Leia mais

ALGODÃO EM MATO GROSSO JULHO/15

ALGODÃO EM MATO GROSSO JULHO/15 ALGODÃO EM MATO GROSSO JULHO/15 CONJUNTURA MENSAL ANO 1. Nº 3 O 11º Levantamento de Grãos da Conab, divulgado em 11 de agosto de 2015, manteve suas estimativas para a safra 2014/15, de algodão em pluma

Leia mais

ALGODÃO 2ª SAFRA NA SAFRA 14/15 DEZEMBRO - ANO 6 - EDIÇÃO 67

ALGODÃO 2ª SAFRA NA SAFRA 14/15 DEZEMBRO - ANO 6 - EDIÇÃO 67 ALGODÃO 2ª SAFRA NA SAFRA 14/15 DEZEMBRO - ANO 6 - EDIÇÃO 67 A decisão sobre o plantio do algodão segunda safra a esta altura já foi tomada. Seu Custo Operacional (CO) é estimado pelo Cepea em R$ 5.614,63/ha

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

Responsáveis Técnicos: SILVIO ISOPO PORTO AROLDO ANTONIO DE OLIVEIRA NETO FRANCISCO OLAVO BATISTA DE SOUSA

Responsáveis Técnicos: SILVIO ISOPO PORTO AROLDO ANTONIO DE OLIVEIRA NETO FRANCISCO OLAVO BATISTA DE SOUSA Safra 2013/2014 Segundo Levantamento Agosto/2013 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia SPAE Departamento de CanadeAçúcar e Agroenergia DCAA Companhia

Leia mais

Mercado. Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014

Mercado. Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014 Mercado Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014 Por: WELLINGTON SILVA TEIXEIRA As mudanças climáticas provocadas pelo aquecimento global suscitam as discussões em torno da necessidade da adoção

Leia mais

CONJUNTURA MENSAL JUNHO

CONJUNTURA MENSAL JUNHO SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA MENSAL JUNHO ANO 1 Nº2 O preço mundial da commodity apresenta movimento de alta em nível mundial, impulsionado principalmente pelas condições climáticas adversas nos Estados

Leia mais

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Outubro de 2012. MUNDO O milho é o cereal mais produzido no mundo. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a produção média do

Leia mais

Milho Período: 19 a 23/10/2015

Milho Período: 19 a 23/10/2015 Milho Período: 19 a 23/10/2015 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços médios semanais apresentados nas praças de

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: AGOSTO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

Página Rural. Página Inicial Notícias Artigos Entrevistas Feiras e Eventos Indicadores Leilões Multimídia Publicações Reportagens.

Página Rural. Página Inicial Notícias Artigos Entrevistas Feiras e Eventos Indicadores Leilões Multimídia Publicações Reportagens. 1 de 5 31/5/2011 15:17 Página Rural Página Inicial Notícias Artigos Entrevistas Feiras e Eventos Indicadores Leilões Multimídia Publicações Reportagens Ads by Google Leilão Gado Soja Festa Safra Boa tarde!

Leia mais

SOJA NEGOCIA POUCO EM NOVEMBRO POR DÓLAR E CHICAGO EM BAIXA

SOJA NEGOCIA POUCO EM NOVEMBRO POR DÓLAR E CHICAGO EM BAIXA Panorama Geral dos Mercados Agrícolas Ano IV n o 194 30 de novembro de 2015 www.sistemafaep.org SOJA NEGOCIA POUCO EM NOVEMBRO POR DÓLAR E CHICAGO EM BAIXA O mercado brasileiro de soja teve uma comercialização

Leia mais

MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO

MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO Paulo Magno Rabelo (1) A análise de desempenho da produção de trigo no mundo desperta apreensões fundamentadas quanto aos indicadores de área

Leia mais

A balança comercial do agronegócio brasileiro

A balança comercial do agronegócio brasileiro A balança comercial do agronegócio brasileiro Antonio Carlos Lima Nogueira 1 Qual é a contribuição atual dos produtos do agronegócio para o comércio exterior, tendo em vista o processo atual de deterioração

Leia mais

A RECUPERAÇÃO DA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NO BRASIL. Joffre Kouri (Embrapa Algodão / joffre@cnpa.embrapa.br), Robério F. dos Santos (Embrapa Algodão)

A RECUPERAÇÃO DA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NO BRASIL. Joffre Kouri (Embrapa Algodão / joffre@cnpa.embrapa.br), Robério F. dos Santos (Embrapa Algodão) A RECUPERAÇÃO DA PRODUÇÃO DO ALGODÃO NO BRASIL Joffre Kouri (Embrapa Algodão / joffre@cnpa.embrapa.br), Robério F. dos Santos (Embrapa Algodão) RESUMO - Graças a incentivos fiscais, ao profissionalismo

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: ABRIL/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

MANUAL DE VENDAS SEGURO COLHEITA GARANTIDA

MANUAL DE VENDAS SEGURO COLHEITA GARANTIDA MANUAL DE VENDAS SEGURO COLHEITA GARANTIDA 1 Finalidade O setor Agropecuário é, e sempre foi, fundamental para a economia Brasileira, porém está sujeito aos riscos de produção por intempéries da Natureza

Leia mais

ALGODÃO EM MATO GROSSO AGOSTO/15

ALGODÃO EM MATO GROSSO AGOSTO/15 ALGODÃO EM MATO GROSSO AGOSTO/15 CONJUNTURA MENSAL ANO 1. Nº 4 O 12º Levantamento de Safras da Conab, divulgado em 11 de setembro de 2015, consolidou os dados sobre produção, área e produtividade de algodão

Leia mais

INDICAÇÃO N o, DE 2015

INDICAÇÃO N o, DE 2015 55ª Legislatura 1ª Sessão Legislativa Ordinária INDICAÇÃO N o, DE 2015 Sugere a criação de um programa de irrigação nas regiões afetadas por estiagens, em estados brasileiros. Agricultura, Pecuária e Abastecimento:

Leia mais

Tabela 1. Raiz de mandioca Área colhida e quantidade produzida - Brasil e principais estados Safras 2005/06 a 2007/08

Tabela 1. Raiz de mandioca Área colhida e quantidade produzida - Brasil e principais estados Safras 2005/06 a 2007/08 Mandioca outubro de 2008 Safra nacional 2006/07 Na safra brasileira 2006/07 foram plantados 2,425 milhões de hectares e colhidos 26,920 milhões de toneladas - representando um crescimento de 0,87% e de

Leia mais

Janeiro de 2013 Volume 01

Janeiro de 2013 Volume 01 Janeiro de 2013 Volume 01 Janeiro de 2013 Volume 01 2 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Companhia Nacional de Abastecimento - Conab Dipai - Diretoria de Política Agrícola e Informações

Leia mais

Tendências de Mercado

Tendências de Mercado Tendências de Mercado Produto - BOI GORDO (Arroba) Feira de Santana 77,00 77,00 77,00 77,00 Itapetinga 71,00 71,00 71,00 FERIADO 71,00 Santo Antonio de Jesus 76,00 76,00 76,00 76,00 Salvador 78,00 78,00

Leia mais

Milho Período: 13 a 17/07/2015

Milho Período: 13 a 17/07/2015 Milho Período: 13 a 17/07/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,1507 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

3,8 milhões de hectares de lavouras ruins nos EUA

3,8 milhões de hectares de lavouras ruins nos EUA BOLSA DE CHICAGO 3,8 milhões de hectares de lavouras ruins nos EUA Chuvas diminuíram nesta semana, mas ainda acumularam grandes volumes em pontos já muitos úmidos do Meio-Oeste 3 EUA Lavouras De Soja Ruins

Leia mais

RELATÓRIO TÈCNICO. Técnico: João Adolfo Kasper. Período de Viagem:19/06/2005 á 25/06/2005

RELATÓRIO TÈCNICO. Técnico: João Adolfo Kasper. Período de Viagem:19/06/2005 á 25/06/2005 RELATÓRIO TÈCNICO Técnico: João Adolfo Kasper Período de Viagem:19/06/2005 á 25/06/2005 Objetivo: Realizar o 5º Levantamento da Safra 2004/2005 sendo a 3ª avaliação para as culturas, Arroz Sequeiro, Milho

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas sexta-feira, 13 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 139,70 0,00 0,00-0,55 SET13 116,25 116,10 115,75-0,20

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: JULHO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura

Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura A safra de grãos do país totalizou 133,8 milhões de toneladas em 2009, de acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de dezembro,

Leia mais

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO A soja é a commodity mais importante do Brasil, pelo valor da produção obtida de grão, óleo e farelo, significativa parcela na receita cambial, área plantada, consumo de

Leia mais

GOVERNO INDICA QUE EVENTUAL ELEVAÇÃO DA MISTURA PODE SAIR SOMENTE APÓS 2015

GOVERNO INDICA QUE EVENTUAL ELEVAÇÃO DA MISTURA PODE SAIR SOMENTE APÓS 2015 Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Nº 406 Ano IX 24/julho/2014 GOVERNO INDICA QUE EVENTUAL ELEVAÇÃO DA MISTURA PODE SAIR SOMENTE APÓS 2015 Nos últimos dias começaram a ocorrer no mercado boatos

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA)

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Relatório com as principais notícias divulgadas pela mídia

Leia mais

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL D E R A L PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS 20/03/06 O levantamento de campo realizado pelo DERAL, no

Leia mais

Milho Período: 16 a 20/03/2015

Milho Período: 16 a 20/03/2015 Milho Período: 16 a 20/03/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,2434 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

Milho Período: 11 a 15/05/2015

Milho Período: 11 a 15/05/2015 Milho Período: 11 a 15/05/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,0203 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. Abril de 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. Abril de 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Indicadores IBGE Estatística da Produção Agrícola Abril de 2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão

Leia mais

ESCRITÓRIO ROBERT DANIEL

ESCRITÓRIO ROBERT DANIEL Respondendo a consulta feita pelo senhor, segue o que apurei: Área - Produção - Produtividade - Algodão no Brasil Baseado nos relatórios dos principais órgãos responsáveis em apurar os números da safra

Leia mais

2.2 - SÃO PAULO, PARANÁ, ESPÍRITO SANTO, BAHIA E RONDÔNIA.

2.2 - SÃO PAULO, PARANÁ, ESPÍRITO SANTO, BAHIA E RONDÔNIA. 1 - INTRODUÇÃO No período de 01 a 14 de abril de 2007, os técnicos da CONAB e das instituições com as quais mantém parceria visitaram municípios produtores de café em Minas Gerais, Espírito Santo, São

Leia mais

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ DACEC Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ Comentários referentes ao período entre 21/06/2013 a 27/06/2013 Prof. Dr. Argemiro Luís Brum 1 Prof. Ms.

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: MARÇO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE

MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE A Fundação Pró-Sementes aponta que um dos grandes problemas encontrados nos arrozais é a forte atuação de plantas invasoras, que são de difícil controle, prejudicando

Leia mais

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015 TRIGO Período de 02 a 06//205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço Atual PR 60 kg 29,56 35,87 36,75 36,96 Semana Atual

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas sábado, 14 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 139,00 0,00 0,00-0,70 SET13 115,55 115,70 115,70-0,70

Leia mais

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a economia nacional registra um de seus piores momentos

Leia mais

LSPA LEVANTAMENTO SISTEMÁTICO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA PESQUISA MENSAL DE PREVISÃO E ACOMPANHAMENTO DAS SAFRAS AGRÍCOLAS NO ANO CIVIL

LSPA LEVANTAMENTO SISTEMÁTICO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA PESQUISA MENSAL DE PREVISÃO E ACOMPANHAMENTO DAS SAFRAS AGRÍCOLAS NO ANO CIVIL LSPA LEVANTAMENTO SISTEMÁTICO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA PESQUISA MENSAL DE PREVISÃO E ACOMPANHAMENTO DAS SAFRAS AGRÍCOLAS NO ANO CIVIL Fevereiro 2012 Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento,

Leia mais

AGRÍCOLA NO BRASIL. Prefácio. resultados do biotecnologia: Benefícios econômicos da. Considerações finais... 7 L: 1996/97 2011/12 2021/22...

AGRÍCOLA NO BRASIL. Prefácio. resultados do biotecnologia: Benefícios econômicos da. Considerações finais... 7 L: 1996/97 2011/12 2021/22... O OS BENEFÍCIOS ECONÔMICOS DA BIOTECNOLOGIA AGRÍCOLA NO BRASIL L: 1996/97 2011/12 O caso do algodão geneticamente modificado O caso do milho geneticamente modificado O caso da soja tolerante a herbicida

Leia mais

Mercado Externo. Preço do milho (ZCN5) Índice Dólar (DXY) Fonte: TradingView, CMEGroup

Mercado Externo. Preço do milho (ZCN5) Índice Dólar (DXY) Fonte: TradingView, CMEGroup Mercado Externo Segundo relatório de abril do U.S Departament of Agriculture USDA, a produção de milho dos EUA será 2,8% maior do que na safra anterior, com uma estimativa de produção total de 361,1 milhões

Leia mais

Transcrição da Teleconferência Q&A Resultados do 4T08 Fertilizantes Heringer (FHER3 BZ) 12 de março de 2009

Transcrição da Teleconferência Q&A Resultados do 4T08 Fertilizantes Heringer (FHER3 BZ) 12 de março de 2009 Alexandre Falcão, Morgan Stanley: Bom dia. Na verdade, tenho duas perguntas. A primeira é sobre os estoques que vocês ainda estão carregando. Qual é o nível de preços desses estoques? E queria entender

Leia mais

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA OS MERCADOS DE SOJA, MILHO E TRIGO EM 2015 FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas OCEPAR Curitiba (PR), 02/out/14 www.agrural.com.br A INFORMAÇÃO

Leia mais

Revisão Mensal de Commodities

Revisão Mensal de Commodities Revisão Mensal de Commodities segunda-feira, 3 de dezembro de 2012 Oferta maior e desempenho misto A estabilização do crescimento na China e riscos geopolíticos também afetaram os preços das commodities.

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM LONDRINA-PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM LONDRINA-PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM LONDRINA-PR Foi realizado no dia 12 de julho de 2012 em Londrina (PR), o painel de custos de produção de grãos. A pesquisa faz parte do Projeto Campo Futuro da Confederação

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA)

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Relatório com as principais notícias divulgadas pela mídia

Leia mais

INTRODUÇÃO A SOJA CONTÉM

INTRODUÇÃO A SOJA CONTÉM MERCADO FUTURO Soja Diego Marafon Edemir Miotto Júnior Felipe Patel Prof. Dr. Miguel Ângelo Perondi INTRODUÇÃO Na atualidade, a soja apresenta-se como um produto em evidência Grão muito proveitoso, devido

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA "LUIZ DE QUEIROZ"

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ Na média, pecuarista ganha da inflação em setembro Em setembro, o custo efetivo da pecuária, pesquisado pela CNA/Cepea-USP, teve alta de apenas 0,22%, enquanto que a inflação medida pelo IGP-M alcançou

Leia mais

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 1. INTRODUÇÃO O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), realiza sistematicamente

Leia mais

Rentabilidade das propriedades de recria-engorda de MT cai em 2015

Rentabilidade das propriedades de recria-engorda de MT cai em 2015 Rentabilidade das propriedades de recria-engorda de MT cai em 2015 Por Prof. Dr. Sergio De Zen e Graziela Correr; Equipe Pecuária de Corte A rentabilidade em propriedades típicas de recria-engorda do estado

Leia mais

DERAL-Departamento de Economia Rural A CANA-DE-AÇÚCAR E O SETOR SUCROALCOOLEIRO

DERAL-Departamento de Economia Rural A CANA-DE-AÇÚCAR E O SETOR SUCROALCOOLEIRO A CANA-DE-AÇÚCAR E O SETOR SUCROALCOOLEIRO PROGNÓSTICO 2014/15 Maio de 2014 A previsão ao setor sucroalcooleiro no Paraná é de um pequeno crescimento ao longo da safra 2014, confirmando a recuperação ocorrida

Leia mais

Edição 39 (Março/2014)

Edição 39 (Março/2014) Edição 39 (Março/2014) Cenário Econômico: Governo atrasa pagamentos para melhorar situação fiscal Para tornar os dados de fevereiro melhores, governo atrasou os pagamentos às construtoras dos imóveis do

Leia mais

07. CEREAIS, FIBRAS E OLEAGINOSAS

07. CEREAIS, FIBRAS E OLEAGINOSAS 07. CEREAIS, FIBRAS E OLEAGINOSAS Algodão PERSPECTIVAS 2016 DESVALORIZAÇÃO DO REAL FRENTE AO DÓLAR AUMENTA OS CUSTOS DE PRODUÇÃO A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ALGODÃO DEVE CAIR PELO QUARTO ANO CONSECUTIVO E OS

Leia mais

Índices de perdas do plantio à pré-colheita dos principais grãos cultivados no País 1996-2002 Introdução

Índices de perdas do plantio à pré-colheita dos principais grãos cultivados no País 1996-2002 Introdução Índices de perdas do plantio à pré-colheita dos principais grãos cultivados no País 1996-2002 Introdução O presente estudo trata da construção de um modelo de quantificação das perdas de grãos do plantio

Leia mais

O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO E O SETOR DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 E OS CENÁRIOS DE LONGO PRAZO Carlos Cogo Agosto/2012 LA NIÑA PROVOCA FORTES QUEBRAS EM SAFRAS DE GRÃOS O

Leia mais

Os Benefícios Econômicos da Biotecnologia Agrícola no Brasil: 1996/97 a 2010/11

Os Benefícios Econômicos da Biotecnologia Agrícola no Brasil: 1996/97 a 2010/11 Céleres Os Benefícios Econômicos da Biotecnologia Agrícola no Brasil: 199/97 a 2010/11 O CASO DO ALGODÃO GENETICAMENTE MODIFICADO O CASO DO MILHO GENETICAMENTE MODIFICADO O CASO DA SOJA TOLERANTE A HERBICIDA

Leia mais

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise A crise econômica afeta o setor sucroenergético principalmente, dificultando e encarecendo o crédito

Leia mais

08/09/2015. Mundo Evolução da área (índice 100= safra 2000/01) Bolsa de Chicago Relação soja/milho no 1º contrato PROPHETX/AGRURAL

08/09/2015. Mundo Evolução da área (índice 100= safra 2000/01) Bolsa de Chicago Relação soja/milho no 1º contrato PROPHETX/AGRURAL PERSPECTIVAS PARA A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA NOS PRÓXIMOS 5 ANOS FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas ANDA 5º CONGRESSO BRASILEIRO DE FERTILIZANTES

Leia mais

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 dezembro, 2012 Índice 1. Algodão 2. Soja 3. Milho 4. Boi Gordo 5. Valor Bruto da Produção ALGODÃO Mil toneladas

Leia mais

USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE

USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 30/novembro/2015 n. 603 USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE Com o título já enfático sobre o futuro dos preços

Leia mais

Quadro II - PREÇO DO AÇÚCAR CRISTAL COLOCADO NO PORTO DE SANTOS - SP NA CONDIÇÃO SOBRE RODAS - (Em R$/Saca de 50kg*)

Quadro II - PREÇO DO AÇÚCAR CRISTAL COLOCADO NO PORTO DE SANTOS - SP NA CONDIÇÃO SOBRE RODAS - (Em R$/Saca de 50kg*) CANA-DE-AÇÚCAR Período: Janeiro/2016 Quadro I - PREÇO NA USINA EM SÃO PAULO (Em R$/unidade*) Produtos Unidade 24 12 1 Mês Mês Atual Açúcar Cristal Cor ICUMSA 130 a 180 Saco/50 kg 50,20 51,05 80,57 83,75

Leia mais

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2011/2012 levantamento divulgado em Abril/2012

Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2011/2012 levantamento divulgado em Abril/2012 Relatório mensal, por Núcleo Regional, referente ao desenvolvimento das lavouras de Goiás safra 2011/2012 levantamento divulgado em Abril/2012 Núcleo 1 Matrinchã, Jussara e região. Os trabalhos estão concentrados

Leia mais

Documento apresentado para discussão. II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações Sociais, Econômicas e Territoriais

Documento apresentado para discussão. II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações Sociais, Econômicas e Territoriais Documento apresentado para discussão II Encontro Nacional de Produtores e Usuários de Informações Sociais, Econômicas e Territoriais Rio de Janeiro, 21 a 25 de agosto de 2006 Sistema de Previsão de Safra

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Custo de Produção e Lucratividade da Cultura de Milho Sequeiro: um estudo de caso no município de Sud Mennucci, SP

Leia mais

Área de Algodão em Mato Grosso por Município 22 Variedades Mais Plantadas em Mato Grosso 23 CUSTO DE PRODUÇÃO 24 Quadro de Custos de Produção de

Área de Algodão em Mato Grosso por Município 22 Variedades Mais Plantadas em Mato Grosso 23 CUSTO DE PRODUÇÃO 24 Quadro de Custos de Produção de SUMÁRIO 1 PANORAMA INTERNACIONAL 3 Algodão Oferta e Demanda Mundial 3 FATORES INFLUENTES DA DEMANDA 4 FATORES ECONÔMICOS 4 FATORES POLÍTICOS 4 FATORES CLIMÁTICOS 4 Principais Países Produtores 5 Evolução

Leia mais

Diversificação, sustentabilidade e. dinheiro no bolso

Diversificação, sustentabilidade e. dinheiro no bolso Leitõezinhos se alimentam na mãe até os 22 dias de idade, quando seguem para engorda Diversificação, sustentabilidade e dinheiro no bolso Cooperativa em São Gabriel do Oeste, MS, tem faturamento quatro

Leia mais

Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades

Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades 1 São Paulo, 16 de fevereiro de 2016 NOTA à IMPRENSA Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades A partir de janeiro de 2016, o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos)

Leia mais

Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015)

Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015) Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015) Gráfico 1 Evolução da produção de grãos (Em milhões de toneladas) A produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas cresceu, em

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Abril de 2012 Expectativa de expansão da safra 2012/13 do complexo sucroalcooleiro no Brasil poderá ser afetada pelo clima seco Regina Helena Couto Silva Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais

Acompanhamento da Safra 2012/13 no MS

Acompanhamento da Safra 2012/13 no MS Acompanhamento da Safra 2012/13 no MS Circular Técnico nº 20 No acompanhamento da cultura do milho 2ª safra de Mato Grosso do Sul foram visitadas 52 propriedades entre os dias 22 e 25 de abril de 2013

Leia mais

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro estimado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados

Leia mais

1 Lavouras. 1.1 Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas quinta estimativa da safra 2012, em relação à produção obtida em 2011

1 Lavouras. 1.1 Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas quinta estimativa da safra 2012, em relação à produção obtida em 2011 1 Lavouras 1.1 Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas quinta estimativa da safra 212, em relação à produção obtida em 211 A quinta avaliação da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas

Leia mais

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ DACEC Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ Comentários referentes ao período entre 05/07/2013 a 11/07/2013 Prof. Dr. Argemiro Luís Brum 1 Prof. Ms.

Leia mais

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Abril de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg.

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Abril de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg. ANÁLISE SOJA MERCADO INTERNO: Nos primeiros dez dias do mês de maio houve valorização nos preços praticados da saca de soja de 6 kg quando comparados aos preços observados em 1 de maio,,38% de aumento

Leia mais