Responsáveis Técnicos: SILVIO ISOPO PORTO AROLDO ANTONIO DE OLIVEIRA NETO FRANCISCO OLAVO BATISTA DE SOUSA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Responsáveis Técnicos: SILVIO ISOPO PORTO AROLDO ANTONIO DE OLIVEIRA NETO FRANCISCO OLAVO BATISTA DE SOUSA"

Transcrição

1 Safra 2013/2014 Segundo Levantamento Agosto/2013 1

2 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia SPAE Departamento de CanadeAçúcar e Agroenergia DCAA Companhia Nacional de Abastecimento CONAB Diretoria de Política Agrícola e Informações DIPAI Superintendência de Informações do Agronegócio SUINF Responsáveis Técnicos: SILVIO ISOPO PORTO AROLDO ANTONIO DE OLIVEIRA NETO FRANCISCO OLAVO BATISTA DE SOUSA Gerência de Levantamento e Avaliação de Safra GEASA AIRTON CAMARGO PACHECO DA SILVA BERNARDO NOGUEIRA SCHLEMPER BRUNNO AUGUSTO CARDOSO COSTA CLEVERTON TIAGO CARNEIRO DE SANTANA ELEDON PEREIRA DE OLIVEIRA JOSÉ CAVALCANTE DE NEGREIROS JUAREZ BATISTA DE OLIVEIRA MARIA BEATRIZ ARAÚJO DE ALMEIDA ROBERTO ALVES DE ANDRADE Superintendências Regionais: Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins. Projeto Visual Gráfico THAÍS LORENZINI Catalogação na publicação: EQUIPE DA BIBLIOTECA DA CONAB C212 Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento de safra brasileira : canadeaçúcar, segundo levantamento, agosto/2013 Companhia Nacional de Abastecimento. Brasília : Conab Safra. 2. CanadeAçúcar. I. Título. 2

3 Safra 2013/2014 Segundo Levantamento Agosto/2013 3

4 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO SITUAÇÃO GERAL DA LAVOURA INFLUÊNCIAS CLIMÁTICAS ÁREA Expansão Renovação PRODUTIVIDADE PRODUÇÃO DE CANADEAÇÚCAR Produção de Açúcar Produção de Etanol RESULTADO DETALHADO

5 1 INTRODUÇÃO A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), no âmbito de um programa de cooperação com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), realizou entre os dias 07 e 20 de julho de 2013, o segundo levantamento da safra 2013/14 de canadeaçúcar e sua destinação para produção de açúcar e/ou álcool. Foram visitadas todas as unidades de produção sucroalcooleira em atividade, situadas em todos os estados produtores. De acordo com a metodologia empregada pela Conab, em cada levantamento são programadas visitas dos técnicos a todas as unidades de produção em atividade. Este contato direto com as fontes de informação, permite manter os dados atualizados de área cultivada, produtividade por unidade de área, por corte, e desempenho industrial de cada unidade de produção. Os dados são colhidos por meio de questionários modelo elaborados pela Conab, que subsidiam a consolidação das informações com elevado nível de confiança. É importante frisar que as informações contidas nos relatórios são um retrato fiel dos dados repassados pelos informantes escalados pelas próprias unidades de produção, mantendo reserva quanto às informações individuais, publicando apenas os números globais consolidados por Unidade da Federação. Nossa tarefa precípua é de analisar a consistência dos números coletados por unidade, fazer os eventuais ajustes necessários, efetuar a totalização para cada estado produtor e estimar a produção nacional. No primeiro levantamento são pesquisados dados estimativos como: área em produção, área expandida, área renovada, produtividade, produção, capacidade industrial, energia gerada e consumida, tipo de colheita, desenvolvimento vegetativo da cultura, intenção de esmagamento, quantidade de cana destinada à produção de açúcar e à produção de etanol, dentre outros. O segundo e terceiro levantamentos têm a finalidade de ajustar os dados estimados no primeiro levantamento, apurar as causas das possíveis alterações e após a consolidação das informações estabelecer e atualizar a estimativa da safra de canadeaçúcar e dos produtos dela originados. No quarto levantamento buscarseá a consolidação dos números finais da safra de canadeaçúcar nas Regiões CentroSul, Norte e Nordeste, juntamente com a intenção de plantio para o próximo exercício. 5

6 2 SITUAÇÃO GERAL DA LAVOURA Para a temporada 2013/14, a cultura da canadeaçúcar continua em expansão. A previsão é que o Brasil tenha um acréscimo na área de cerca de 314 mil hectares, equivalendo a 3,7% em relação à safra 2012/13. O acréscimo é reflexo do aumento de área da Região CentroSul. A Região Norte/Nordeste praticamente se mantém com a mesma área para a próxima safra. São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso do Sul deverão ser os estados com maior acréscimo de áreas com 95,9 mil hectares, 60,1 mil hectares, 92,5 mil hectares e 81,4 mil hectares, respectivamente. Este crescimento se deve à expansão de novas áreas de plantio das usinas já em funcionamento. A expectativa é que no CentroSul as usinas invistam mais em renovação de canaviais do que em expansão de novas áreas cultivadas. Essa informação também é correta para a Região Nordeste onde a maior seca dos últimos 40 anos afetou a safra 2012/13, deixando muitas usinas descapitalizadas, impedindo aumento de área. No Nordeste, também em função da seca, algumas usinas encerraram a moagem da temporada passada antes do período normal, mas isso não refletirá em um período maior de desenvolvimento da cana para a próxima safra, uma vez que a colheita continuou em ritmo normal. O que ocorreu foi apenas a mudança de destino da cana colhida, sendo que algumas usinas moeram o final de suas safras em parceria, diminuindo o custo da produção de açúcar e etanol, evitando assim um prejuízo maior do que o já ocasionado pela quebra de produtividade. As adversidades climáticas no Nordeste continuam nesse primeiro trimestre de 2013, o que provoca um atraso no desenvolvimento das lavouras. 3 INFLUÊNCIAS CLIMÁTICAS No Nordeste, a seca que atinge a região castigou os canaviais, principalmente aqueles que foram colhidos no final da safra que se encerrou em abril de 2013, e não têm umidade suficiente para o desenvolvimento da soqueira. As chuvas continuam escassas e os índices pluviométricos estão abaixo da média histórica, onde o deficit está prejudicando consideravelmente o ciclo produtivo da cultura da canadeaçúcar, uma vez que a umidade do solo apresentase abaixo do necessário para um bom desenvolvimento vegetativo do plantio ou da soca. O período de estiagem teve início em meados do ano passado e vem se prolongando até o presente, afetando os canaviais em formação. Na 6

7 Região Norte as chuvas estão ocorrendo com frequência, favorecendo o desenvolvimento como um todo. É preciso ressaltar, que variações climáticas durante a safra em relação às chuvas, temperaturas e luminosidade fora dos níveis esperados, trarão consequências imediatas para o resultado final da safra, tanto no volume de canadeaçúcar produzido, como na concentração de açúcares totais recuperáveis (ATR) na planta, e consequentemente em seus produtos. 4 ÁREA A área cultivada com canadeaçúcar que será colhida e destinada à atividade sucroalcooleira na safra 2013/14 está estimada em mil hectares, distribuídas em todos estados produtores conforme suas características. O estado de São Paulo permanece como o maior produtor com 51,31% ( hectares) da área plantada, seguido por Minas Gerais com 8,0% ( hectares), Goiás com 9,3% ( hectares), Paraná com 7,04% ( hectares), Mato Grosso do Sul com 7,09% ( hectares), Alagoas com 5,02% ( hectares) e Pernambuco com 3,25% ( hectares). Nos demais estados produtores as áreas são menores, com representações abaixo de 3,0%. A área de canadeaçúcar destinada à produção neste ano safra deve apresentar um crescimento de 3,70% ou hectares em relação à safra passada. O aumento só não será maior por causa da intenção de plantio do Norte/Nordeste apresentar uma leve queda em relação à safra passada. A área de renovação e/ou novas áreas de canaviais previstas para acontecer na atual temporada é estimada em 16,92% das lavouras atuais. 4.1 Expansão O comportamento da expansão da área de canadeaçúcar tem suas particularidades em cada região do país, mas a projeção é que haja uma menor área de expansão em relação à safra passada. No geral, apenas para o estado do Amazonas não há projeção de plantio de novas áreas. O CentroSul deverá ter um incremento de 485 mil hectares na área de canadeaçúcar, um provável incremento de 6,3% nas áreas de canaviais. Para a Região Norte/Nordeste há uma projeção de aumento de 13,07 mil 7

8 hectares de canadeaçúcar. Os estados com maiores áreas de expansão devem ser: São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Paraná. 4.2 Renovação A área de renovação dos canaviais no Brasil, prevista para a safra 2013/14 deverá alcançar 969 mil hectares. O aumento da área com renovação diminui a infestação por ervas daninhas, reduz a idade média do canavial e consequentemente, melhora a produtividade. Na Região CentroSul, a área de renovação deve chegar a 872,8 mil hectares, correspondendo a 11,,0% das lavouras atuais. Destaque para São Paulo, Paraná, Goiás e Minas Gerais. Juntos, devem responder por 797,1 mil hectares de área de renovação no Brasil. A Região Norte/Nordeste deverá apresentar 96,2 mil hectares de áreas renovadas, 8,65% das lavouras da safra 2013/14. 5 PRODUTIVIDADE Apesar da instabilidade climática em algumas regiões produtoras neste primeiro trimestre, como é o caso do Nordeste, a perspectiva é de crescimento de 6,8% no rendimento da cultura. Neste primeiro levantamento, a produtividade média brasileira está estimada em kg/ha, maior que a safra 2012/13, que foi de kg/ha. A previsão de melhores condições climáticas neste ano safra em relação ao passado, além do maior investimento em manutenção dos canaviais e aumento de área de renovação deve proporcionar esse crescimento no volume de canadeaçúcar colhida para a próxima safra. Na Região Nordeste o clima ainda não está na normalidade, mas ainda assim esperase uma safra mais favorável em 2013/14. A perspectiva é um acréscimo de 4,80% na produtividade em relação à safra passada. 8

9 6 PRODUÇÃO DE CANADEAÇÚCAR A previsão de produção de canadeaçúcar da Região CentroSul deve ser de 594,1 milhões de toneladas, 11,5% maior que a produção da safra anterior. A Região Norte/Nordeste também sinaliza um aumento em torno de 3,6%, passando dos atuais 55,93 milhões de toneladas da safra 2012/13, para 57,92 milhões na safra 2013/14. A previsão do total de canadeaçúcar para ser moída é de 652,02 milhões de toneladas, com aumento de 10,70% em relação à safra 2012/13, que foi de 588,92 milhões de toneladas, significando que a quantidade que será moída deve ser 64,89 milhões de toneladas a mais que na safra anterior. A recuperação da produção, que foi severamente comprometida na safra passada, somandose a um possível incremento de área, justificase esta estimativa de crescimento da produção. Neste momento a safra 2012/13 está encerrada. O final da safra se estende um pouco no início de 2013 em virtude da safra de cana do Nordeste que é, em função do calendário agrícola, pouco mais tardia do que a CentroSul. 6.1 Produção de Açúcar Na safra anterior a produção de açúcar chegou a 38,34 milhões de toneladas. Neste contexto, a previsão é de que a produção de açúcar cresça 6,88% nesta safra de 2013/14, chegando a 40,97 milhões de toneladas, novamente impulsionada pelo crescimento de 7,44% na Região CentroSul. 70,03% do açúcar no país deverá ser produzido na Região Sudeste, 10,21% na Região CentroOeste, 9,87% na Região Nordeste e 8,83% na Região Sul. O percentual de açúcar total recuperável (ATR) destinado à produção de açúcar nesta safra está na média geral estimado em 46,91% do total. A canadeaçúcar equivalente a esta produção de ATR é estimada em 312,2 milhões de toneladas dos 653,81 milhões de produção, como mostra a Tabela 2. A distribuição do mix indica que o estado de Pernambuco, Alagoas, Paraná, Amazonas, São Paulo, e Rio Grande do Norte são mais açucareiros, destinando a maior parte da sua produção de canadeaçúcar e respectivamente, do seu ATR produzido para a produção de açúcar. O percentual de açúcar total recuperável (ATR) médio obtido na safra de 2013/14 foi de 135,7 kg/t de canadeaçúcar. Para esta safra a estimativa que este índice seja um pouco melhor chagando a 137,01 kg/t de canadeaçúcar. 9

10 6.2 Produção de Etanol A produção de etanol total fechou em 23,64 bilhões de litros na safra 2012/13 e é estimada em 27,17 bilhões de litros para 2013/14, um incremento de 3,53 bilhões de litros, alta de 14,94%. Deste total, 12,02 bilhões de litros deverão ser de etanol anidro, e 15,16 bilhões de litros serão de etanol hidratado. Assim, o etanol anidro deverá ter um acréscimo de 21,96% na produção, e o etanol hidratado terá aumento de 9,93%, quando comparados com a produção de etanol da safra anterior. Este estudo aponta para a Região Nordeste um acréscimo de 17,94% na produção de etanol hidratado, e redução de 7,74% do etanol anidro. Essa região deve responder por 2,47% da produção de etanol do país. Rondônia, Acre, Tocantins, Ceará, e Rio Grande do Sul têm seu ATR total destinado à produção de álcool. Destes, Rondônia, Acre, Ceará e Rio Grande do Sul produzem apenas etanol hidratado. Para esta produção, 53,09% da produção de ATR deverá ser destinado para a produção de álcool ou o equivalente a 339,8 milhões de toneladas de canadeaçúcar. Esta produção de etanol deverá continuar concentrada na Região CentroSul com 92,13% do total produzido no país, principalmente no estado de São Paulo (51,19%), Goiás (13,86%), Minas Gerais (9,74%), Mato Grosso do Sul (8,05%), Paraná (5,55%) e Mato Grosso (3,74%). 10

11 7 RESULTADO DETALHADO Os resultados obtidos neste primeiro levantamento da safra 2013/14 são apresentados em detalhes nas tabelas a seguir: Tabela 1 PRODUTOS DA INDÚSTRIA SUCROALCOOLEIRA COMPARATIVO DE ÁREA, PRODUTIVIDADE E PRODUÇÃO SAFRAS 2012/13 e 2013/14 ÁREA (Em mil ha) REGIÃO/UF PRODUTIVIDADE (Em kg/ha) PRODUÇÃO (Em mil t) Safra 2012/13 VAR. % Safra 2012/13 VAR. % Safra 2012/13 VAR. % NORTE 41,990 51,000 21, , , ,1 25,10 RO 2,560 3,170 24, ,70 125,1 235,0 87,80 AC 0,740 1,110 50, (31,60) 70,3 72,2 2,70 AM 3,680 3,670 (0,30) ,60 266,5 285,9 7,30 PA 11,440 11,900 4, ,90 695,3 809,2 16,40 TO 23,570 31,150 32, (3,4) 1.800, ,8 27, , ,660 (2,10) , , ,7 2,40 MA 41,900 39,560 (5,58) , , ,6 11,20 PI 14,740 14,890 1, (0,30) 828,1 833,8 0,70 CE 1,140 1,160 2, ,00 57,0 71,9 26,10 NORDESTE RN 53,620 57,740 7, (8,20) 2.247, ,0 (1,10) PB 121, ,350 0, (1,60) 5.354, ,1 (1,30) PE 312, ,030 (8,35) , , ,6 (1,70) AL 445, ,590 (0,70) , , ,0 3,80 SE 43,430 43,910 1, , , ,0 9,80 BA 48,610 52,430 7, (1,20) 3.083, ,7 6, , ,170 10, , , ,5 14,10 MT 235, ,670 (4,60) , , ,2 (3,40) MS 542, ,110 15, , , ,9 18,70 CENTROOESTE GO 725, ,390 12, , , ,4 16, , ,490 3, , , ,5 10,60 MG 721, ,920 8, , , ,9 16,60 ES 62,110 65,340 5, (1,00) 3.431, ,2 4,20 RJ 39,860 35,870 (10,00) (5,30) 1.893, ,2 (14,80) SP SUDESTE 4.419, ,360 2, , , ,2 9,90 SUL 612, ,830 1, , , ,1 12,90 PR 610, ,330 1, , , ,1 12,80 RS 1,560 1,500 (4,00) ,80 32,9 93,0 182,50 NORTE/NORDESTE 1.125, ,660 (1,20) , , ,8 3,60 CENTROSUL 7.359, ,490 4, , , ,1 11,50 BRASIL 8.485, ,150 3, , , ,9 10,70 FONTE: CONAB 2º Levantamento: agosto de

12 Tabela 2 PRODUTOS DA INDÚSTRIA SUCROALCOOLEIRA ESTIMATIVA DE PRODUÇÃO E DESTINAÇÃO (Em toneladas) REGIÃO/UF NORTE INDÚSTRIA SUCROALCOOLEIRA TOTAL AÇÚCAR 3.700,1 ETANOL 498, ,3 RO 235,0 235,0 AC 72,2 72,2 AM 285,9 163,0 122,9 PA 809,2 335,8 473,4 TO 2.297,8 NORDESTE 2.297, , , , ,6 71, ,6 PI 833,8 394,4 439,4 CE 71,9 71,9 RN 2.223, , ,8 PB 5.283, , ,5 PE , , ,1 AL , , ,1 SE 2.437,0 782, ,7 BA 3.284,7 919, , , , ,4 MT , , ,0 MS , , ,2 GO , , , , , ,7 MG , , ,1 ES 3.575, , ,0 RJ 1.614,2 775,3 838,9 SP , , ,8 SUL , , ,8 PR , , ,8 RS 93,0 MA CENTROOESTE SUDESTE NORTE/NORDESTE 93, , , ,5 CENTROSUL , , ,0 BRASIL , , ,4 FONTE: CONAB 2º Levantamento: agosto de

13 Tabela 3 PRODUTOS DA INDÚSTRIA SUCROALCOOLEIRA ESTIMATIVA DE PRODUÇÃO E DESTINAÇÃO INDÚSTRIA SUCROALCOOLEIRA REGIÃO/UF AÇÚCAR (1.000 t) NORTE 58,7 ETANOL TOTAL (Em l) ,0 ETANOL ANIDRO (Em l) ,7 ETANOL HIDRATADO (Em l) ,3 RO , ,3 AC 4.213, , ,4 AM 15, ,4 PA 43, , , , , , , , , , ,4 MA 9, , , ,9 PI 50, , , ,0 TO NORDESTE CE 5.101,4 RN 146, , , ,4 PB 229, , , ,1 PE 1.349, , , ,2 AL 2.191, , , ,1 SE 95, , , ,3 BA 113, , , , , , , ,8 MT 418, , , ,7 MS 2.026, , , ,3 GO 1.969, , , , , , , ,6 MG 3.570, , , ,3 ES 142, , , ,4 RJ 87, ,1 SP , , , ,8 SUL 3.619, , , ,19 PR 3.619, , , ,7 CENTROOESTE SUDESTE RS NORTE/NORDESTE 6.543, , , , , , , ,6 CENTROSUL , , , ,6 BRASIL , , , ,2 FONTE: CONAB 2º Levantamento: agosto de

14 Tabela 4 PRODUTOS DA INDÚSTRIA SUCROALCOOLEIRA ESTIMATIVA DA PRODUÇÃO DE AÇÚCAR REGIÃO/UF CANADEAÇÚCAR DESTINADA AO AÇÚCAR (Em 1000t) Safra 2012/13 NORTE 468,4 498,8 AM 186,7 163,0 PA 281,7 335, ,8 MA PI Variação Safra 2012/13 6,49 52,4 58,7 6,4 12,14 (12,69) 15,2 15,2 (0,0) (0,16) 19,20 37,1 43,5 6,4 17, ,5 3, , ,7 88,0 2,15 66,9 71,0 6,01 8,9 9,3 0,4 4,49 403,7 394,4 (2,31) 52,4 50,7 (1,7) (3,24) RN 1.193, ,2 2,06 133,9 146,3 12,4 9,26 PB 1.582, ,6 10,41 211,2 229,8 18,6 8,81 PE 9.915, ,5 4, , ,2 137,9 11,39 AL , ,9 4, , ,8 (40,7) (1,82) SE 994,9 782,3 (21,37) 134,2 95,6 (38,6) (28,78) (2,92) (0,3) (0,29) NORDESTE BA VAR. % AÇÚCAR (Em 1000t) 947,3 919, , ,1 8,63 113,4 113, , ,6 MT 3.802, ,2 (17,04) 491,9 418,1 MS , ,7 19, ,9 GO , ,1 4, , ,8 MG ,9 ES CENTROOESTE Absoluta % 304,5 7,41 (73,8) (15,01) 2.026,4 284,5 16, , ,2 93,9 5,01 5, , , ,3 6, ,8 3, , ,9 152,5 4, , ,2 14,30 118,4 142,4 24,0 20,23 RJ 879,6 775,3 (11,86) 95,5 87,9 (7,6) (7,91) SP , ,4 6, , , ,4 6,61 SUL , ,3 13, , ,1 525,4 16,98 PR , ,3 13, , ,1 525,4 16, , ,3 3, , ,4 94,3 2,27 CENTROSUL , ,1 6, , , ,3 7,44 BRASIL , ,5 6, , , ,6 6,88 SUDESTE NORTE/NORDESTE FONTE: CONAB 2º Levantamento: agosto de

15 Tabela 5 PRODUTOS DA INDÚSTRIA SUCROALCOOLEIRA ESTIMATIVA DA PRODUÇÃO ETANOL TOTAL CANADEAÇÚCAR DESTINADA AO ETANOL TOTAL (Em 1000t) ETANOL TOTAL (Em 1000 litros) REGIÃO/UF Safra 2012/ , ,3 RO 125,1 AC Variação Safra 2012/13 28, , , ,8 27,46 235,0 87, , , ,5 98,20 70,3 72,2 2, , ,4 110,9 2,70 AM 79,8 122,9 53, , , ,7 76,07 PA 413,6 473,4 14, , , ,6 12,82 TO 1.800, ,8 27, , , ,2 25, , ,2 0, , ,7 (11.227,8) (0,68) 2.005, ,6 11, , , ,2 9,97 PI 424,4 439,4 3, , ,7 849,3 2,59 CE 57,0 71,9 26, , , ,8 27,90 RN 1.054, ,8 (4,69) , , ,1 2,97 PB 3.772, ,5 (6,27) , ,7 (23.493,4) (7,69) PE 3.660, ,1 (17,59) , ,1 (31.812,1) (11,78) AL 6.732, ,1 1, , ,5 (21.028,1) (3,89) SE 1.224, ,7 35, , , ,9 22,13 BA 2.136, ,0 10, , , ,4 14, , ,4 16, , , ,1 15,60 MT , ,0 0, , , ,5 3,33 MS , ,2 18, , , ,4 14,19 GO , ,3 20, , , ,2 20, , ,7 15, , , ,4 16,16 MG , ,1 30, , , ,7 31,08 ES 2.424, ,0 (0,02) , , ,2 5,06 RJ 1.014,1 838,9 (17,27) , ,1 (9.267,6) (13,57) SP , ,8 13, , , ,1 14,02 SUL , ,8 12, , , ,9 16,01 PR , ,8 12, , , ,6 15,66 RS 32,9 93,0 182, , , ,4 292, , ,5 3, , , ,0 2,47 CENTROSUL , ,0 15, , , ,3 16,00 BRASIL , ,4 14, , , ,3 14,94 NORTE NORDESTE MA CENTROOESTE SUDESTE NORTE/NORDESTE VAR. % Absoluta % FONTE: CONAB 2º Levantamento: agosto de

16 Tabela 6 PRODUTOS DA INDÚSTRIA SUCROALCOOLEIRA ESTIMATIVA DA PRODUÇÃO DE ETANOL ANIDRO CANADEAÇÚCAR DESTINADA AO ETANOL ANIDRO (Em 1000t) ETANOL ANIDRO (Em 1000 litros) REGIÃO/UF Safra 2012/ , ,8 PA 282,3 TO NORTE NORDESTE MA PI VAR. % Variação Safra 2012/13 23, , , ,3 21,72 295,4 4, , ,2 634,1 2, , ,5 27, , , ,2 25, , ,7 (10,72) , ,4 ( ,0) (11,67) 1.720, ,4 5, , , ,7 3,87 406,2 416,9 2, , ,7 520,5 1,66 Absoluta % RN 611,4 366,8 (40,01) , ,3 (14.586,0) (35,78) PB 1.923, ,2 (3,29) , ,6 (7.150,3) (4,69) PE 2.335, ,8 (22,92) , ,9 (29.903,1) (17,63) AL 4.252, ,8 (12,50) , ,4 (59.945,6) (17,84) SE 455,8 704,3 54, , , ,8 39,94 BA 1.106,5 756,5 (31,63) , ,3 (23.448,0) (29,78) , ,5 23, , , ,4 23,58 MT 6.184, ,9 (1,83) , , ,1 0,58 MS 6.199, ,1 40, , , ,1 36,56 GO , ,5 29, , , ,2 29, , ,5 25, , , ,0 26,37 MG , ,8 67, , , ,0 69,26 ES 1.488, ,1 4, , , ,1 9,41 SP , ,6 19, , , ,9 20,21 SUL 5.033, ,4 21, , , ,3 25,04 PR 5.033, ,4 21, , , ,3 25, , ,5 (7,07) , ,1 (86.187,7) (7,74) CENTROSUL , ,4 25, , , ,7 25,74 BRASIL , ,9 21, , , ,0 21,96 CENTROOESTE SUDESTE NORTE/NORDESTE FONTE: CONAB 2º Levantamento: agosto de

17 Tabela 7 PRODUTOS DA INDÚSTRIA SUCROALCOOLEIRA ESTIMATIVA DA PRODUÇÃO DE ETANOL HIDRATADO REGIÃO/UF CANADEAÇÚCAR DESTINADA AO ÁLCOOL HIDRATADO (Em 1000t) Safra 2012/13 NORTE 942, ,5 RO 125,1 AC Variação Absoluta Safra 2012/13 37, , , ,5 37,39 235,0 87, , , ,5 98,20 70,3 72,2 2, , ,4 110,9 2,70 AM 79,8 122,9 53, , , ,7 76,07 PA 131,3 178,0 35, , , ,5 33,33 TO 535,9 689,3 28, , , ,0 26, , ,5 18, , , ,1 15,70 MA 284,3 419,3 47, , , ,5 45,36 PI 18,2 22,5 23, , ,0 328,8 22,39 CE 57,0 71,9 26, , , ,8 27,90 RN 442,8 638,0 44, , , ,1 54,24 PB 1.848, ,3 (9,37) , ,1 (16.343,2) (10,68) PE 1.325, ,3 (8,20) , ,2 (1.909,0) (1,90) AL 2.480, ,3 26, , , ,5 19,03 SE 768,5 950,4 23, , , ,1 12,01 BA 1.030, ,5 56, , , ,5 60, , ,9 12, , , ,7 12,25 MT 6.331, ,0 3, , , ,4 5,90 MS , ,1 9, , , ,3 6,60 GO , ,8 17, , , ,0 17, , ,3 7, , , ,3 7,68 MG , ,3 2, , , ,6 3,51 ES 936,1 875,9 (6,43) , ,4 (1.078,9) (1,58) RJ 1.014,1 838,9 (17,27) , ,1 (9.267,6) (13,57) SP , ,2 8, , , ,2 8,74 SUL , ,4 8, , , ,6 12,11 PR , ,4 8, , , ,3 11,60 RS 32,9 93,0 182, , , ,4 292, , ,0 20, , , ,6 17,94 CENTROSUL , ,6 9, , , ,7 9,48 BRASIL , ,6 9, , , ,3 9,93 NORDESTE CENTROOESTE SUDESTE NORTE/NORDESTE VAR. % ÁLCOOL HIDRATADO ( Em litros) % FONTE: CONAB 2º Levantamento: agosto de

18 18

19 19

2.2 - SÃO PAULO, PARANÁ, ESPÍRITO SANTO, BAHIA E RONDÔNIA.

2.2 - SÃO PAULO, PARANÁ, ESPÍRITO SANTO, BAHIA E RONDÔNIA. 1 - INTRODUÇÃO No período de 01 a 14 de abril de 2007, os técnicos da CONAB e das instituições com as quais mantém parceria visitaram municípios produtores de café em Minas Gerais, Espírito Santo, São

Leia mais

Perfil do Setor do Açúcar e do Álcool no Brasil

Perfil do Setor do Açúcar e do Álcool no Brasil Perfil do Setor do Açúcar e do Álcool no Brasil Volume 5 - Safra 2011/2012 ISSN 2318-3772 Diretoria de Política Agrícola e Informações Superintendência de Informações do Agronegócio Brasília, 2013 Presidenta

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia AÇÚCAR E ÁLCOOL NO BRASIL

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia AÇÚCAR E ÁLCOOL NO BRASIL Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia AÇÚCAR E ÁLCOOL NO BRASIL Departamento da Cana-de-açúcar e Agroenergia MARÇO 2007 www.agricultura.gov.br daa@agricultura.gov.br

Leia mais

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. Abril de 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. Abril de 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Indicadores IBGE Estatística da Produção Agrícola Abril de 2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão

Leia mais

Mercado. Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014

Mercado. Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014 Mercado Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014 Por: WELLINGTON SILVA TEIXEIRA As mudanças climáticas provocadas pelo aquecimento global suscitam as discussões em torno da necessidade da adoção

Leia mais

Janeiro de 2013 Volume 01

Janeiro de 2013 Volume 01 Janeiro de 2013 Volume 01 Janeiro de 2013 Volume 01 2 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Companhia Nacional de Abastecimento - Conab Dipai - Diretoria de Política Agrícola e Informações

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2013 MUNDO A economia mundial cada vez mais globalizada tem sido o principal propulsor responsável pelo aumento da produção de soja. Com o aumento do

Leia mais

Safra 2013/2014. Primeira Estimativa. Maio/2013. São Paulo e Triângulo Mineiro. Acompanhamento da Safra de Laranja 2013/14 1

Safra 2013/2014. Primeira Estimativa. Maio/2013. São Paulo e Triângulo Mineiro. Acompanhamento da Safra de Laranja 2013/14 1 Safra 2013/2014 Primeira Estimativa São Paulo e Triângulo Mineiro Maio/2013 Acompanhamento da Safra de Laranja 2013/14 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) Companhia Nacional de

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Cargo 1: Analista do MPU Área de Atividade: Apoio Técnico-Administrativo Especialidade: Arquivologia Distrito Federal / DF 596 4 149,00 Especialidade: Biblioteconomia Acre / AC 147 1 147,00 Especialidade:

Leia mais

Cana-deaçúcar ACOMPANHAMENTO DA SAFRA BRASILEIRA OBSERVATÓRIO AGRÍCOLA. V. 2 - SAFRA 2015/16- N.3 - Terceiro levantamento DEZEMBRO 2015

Cana-deaçúcar ACOMPANHAMENTO DA SAFRA BRASILEIRA OBSERVATÓRIO AGRÍCOLA. V. 2 - SAFRA 2015/16- N.3 - Terceiro levantamento DEZEMBRO 2015 ISSN: 2318-7921 OBSERVATÓRIO AGRÍCOLA ACOMPANHAMENTO DA SAFRA BRASILEIRA Cana-deaçúcar V. 2 - SAFRA 2015/16- N.3 - Terceiro levantamento DEZEMBRO 2015 Monitoramento agrícola Cana-de-açúcar Safra 2015/16

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (julho/2015) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra

Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra Ano 8 Edição 15 - Setembro de 2015 Alta do dólar eleva preços, atrasa aquisições de insumos e reduz poder de compra A forte valorização do dólar frente ao Real no decorrer deste ano apenas no período de

Leia mais

27 de abril de 2016. Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017

27 de abril de 2016. Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017 27 de abril de 2016 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017 ROTEIRO I. Considerações sobre a atual situação do setor sucroenergético II. Bioeletricidade III. Condições climáticas e agronômicas

Leia mais

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil...

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil... ...... PRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM MARÇO DE 2012 SUMÁRIO 1 - Lavouras... 5 TABELAS DE RESULTADOS Safra 2012 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra

Leia mais

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Um total de 131 municípios da região Norte participou do Levantamento Nacional do Transporte Escolar. No Acre, 36% dos municípios responderam

Leia mais

GeoSafras - Geotecnologias aplicadas ao Monitoramento Agrícola. Diretor de Política Agrícola e Informações

GeoSafras - Geotecnologias aplicadas ao Monitoramento Agrícola. Diretor de Política Agrícola e Informações GeoSafras - Geotecnologias aplicadas ao Monitoramento Agrícola Diretor de Política Agrícola e Informações Mandato Legal Empresa pública, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Abril de 2012 Expectativa de expansão da safra 2012/13 do complexo sucroalcooleiro no Brasil poderá ser afetada pelo clima seco Regina Helena Couto Silva Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais

ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE INFORME RURAL ETENE PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE CANA DE AÇÚCAR NO NORDESTE.

ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE INFORME RURAL ETENE PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE CANA DE AÇÚCAR NO NORDESTE. O nosso negócio é o desenvolvimento ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE ETENE INFORME RURAL ETENE PRODUÇÃO E ÁREA COLHIDA DE CANA DE AÇÚCAR NO NORDESTE Ano 4 200 Nº 20 O nosso negócio

Leia mais

Impurezas e Qualidade da Cana-de-Açúcar

Impurezas e Qualidade da Cana-de-Açúcar Impurezas e Qualidade da Cana-de-Açúcar Levantamento dos níveis de impurezas nas últimas safras Jaime Finguerut jaime@ctc.com.br Luiz Antonio Dias Paes 5 de Junho de 2014 Agenda Dados Gerais da Safra 13/14

Leia mais

Relatório Gerencial TECNOVA

Relatório Gerencial TECNOVA Relatório Gerencial TECNOVA Departamento de Produtos Financeiros Descentralizados - DPDE Área de Apoio à Ciência, Inovação, Infraestrutura e Tecnologia - ACIT Fevereiro de 2015 Marcelo Nicolas Camargo

Leia mais

DERAL-Departamento de Economia Rural A CANA-DE-AÇÚCAR E O SETOR SUCROALCOOLEIRO

DERAL-Departamento de Economia Rural A CANA-DE-AÇÚCAR E O SETOR SUCROALCOOLEIRO A CANA-DE-AÇÚCAR E O SETOR SUCROALCOOLEIRO PROGNÓSTICO 2014/15 Maio de 2014 A previsão ao setor sucroalcooleiro no Paraná é de um pequeno crescimento ao longo da safra 2014, confirmando a recuperação ocorrida

Leia mais

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Agricultura Familiar no Mundo São 500 milhões de estabelecimentos da agricultura familiar

Leia mais

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Seminário de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos Mesa Redonda I Exposição humana a agrotóxicos: ações em desenvolvimento Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Coordenação

Leia mais

DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS

DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS EM CULTURA NO BRASIL v. 1 Gastos públicos com cultura no Brasil: 1985-1995 Contrato de prestação de serviços que entre si celebram a União Federal, por intermédio da Secretaria

Leia mais

$ $ À espera da competitividade

$ $ À espera da competitividade etanol À espera da competitividade foi mais um ano de sufoco para o setor sucroalcooleiro, que ainda sente os reflexos da crise de 2008, que deixou as usinas sem crédito, justamente quando haviam assumido

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 CALENDÁRIO AGRÍCOLA - FEIJÃO Safra 1ª - Safra das Águas 2ª - Safra da Seca 3ª - Safra de Inverno Principais Regiões Sul, Sudeste,

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Produção e Agroenergia. Anuário Estatístico da. Agroenergia

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Produção e Agroenergia. Anuário Estatístico da. Agroenergia MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Produção e Agroenergia Anuário Estatístico da Agroenergia Brasília/DF 2009 2009 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Todos

Leia mais

Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil

Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil O Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil é mais uma publicação do Plano Juventude Viva, que reúne ações de prevenção para reduzir a vulnerabilidade de jovens

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

REGIONAL CENTRO-OESTE

REGIONAL CENTRO-OESTE REGIONAL CENTRO-OESTE SOJA DESPONTA NO CENTRO-OESTE, REDUZINDO ÁREAS DE MILHO VERÃO E ALGODÃO A produção de soja despontou no Centro-Oeste brasileiro nesta safra verão 2012/13, ocupando áreas antes destinadas

Leia mais

Biocombustíveis: Estudo de culturas adequadas à sua produção: um panorama da produção agrícola da cana de açúcar e da soja.

Biocombustíveis: Estudo de culturas adequadas à sua produção: um panorama da produção agrícola da cana de açúcar e da soja. Biocombustíveis: Estudo de culturas adequadas à sua produção: um panorama da produção agrícola da cana de açúcar e da soja. Maria Helena M. Rocha Lima Nilo da Silva Teixeira Introdução Quais os fatores

Leia mais

SUMÁRIO. Avaliação da Safra Agrícola 2007/20087 Segundo Levantamento de Intenção de Plantio Novembro/2007 1

SUMÁRIO. Avaliação da Safra Agrícola 2007/20087 Segundo Levantamento de Intenção de Plantio Novembro/2007 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2 2. METODOLOGIA 2 3. ESTIMATIVA DA ÁREA PLANTADA 3 4. ESTIMATIVA DA PRODUÇÃO 4 5. AVALIAÇÃO DAS CULTURAS 6 6. ESTIMATIVAS DE ÁREA, PRODUÇÃO E PRODUTIVIDADE 13 7. BALANÇO DE OFERTA

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 Mercado Internacional Em 2007, a produção anual de milho atingiu quase 720 milhões de tonelada (Tabela 1), quando os Estados Unidos,

Leia mais

EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR CAEM 42% EM FEVEREIRO

EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR CAEM 42% EM FEVEREIRO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 16/março/2015 n. 566 EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR CAEM 42% EM FEVEREIRO Os dados mais recentes de exportação de açúcar disponibilizados pela Secretaria de

Leia mais

[Infográfico] As projeções de produção da cana, açúcar e etanol na safra 2023/2024

[Infográfico] As projeções de produção da cana, açúcar e etanol na safra 2023/2024 As projeções de produção de cana, açúcar e etanol para a safra 2023/24 da Fiesp/MB Agro No Brasil, a cana-de-açúcar experimentou um forte ciclo de crescimento da produção na década passada. A aceleração

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DA RORAIMA Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 224.118 2,64% 5,82% População - mil (1)

Leia mais

1 Lavouras. 1.1 Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas quinta estimativa da safra 2012, em relação à produção obtida em 2011

1 Lavouras. 1.1 Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas quinta estimativa da safra 2012, em relação à produção obtida em 2011 1 Lavouras 1.1 Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas quinta estimativa da safra 212, em relação à produção obtida em 211 A quinta avaliação da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas

Leia mais

Edição 40 (Março/2014)

Edição 40 (Março/2014) Edição 40 (Março/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação oficial acelera por alimentos e transportes (Fonte: Terra) O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) avançou 0,73% em março

Leia mais

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo

Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo Versão Online Boletim No: 02/2014 Dezembro, 2014 Monitoramento da Cultura de Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo I. PANORAMA DA SAFRA A área destinada à produção de cana-deaçúcar na safra 2014/15 apresentou

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SETOR AGROINDUSTRIAL SUCROALCOOLEIRO NO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

A IMPORTÂNCIA DO SETOR AGROINDUSTRIAL SUCROALCOOLEIRO NO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL A IMPORTÂNCIA DO SETOR AGROINDUSTRIAL SUCROALCOOLEIRO NO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL Alexandre de Souza Correa¹; Jaylton Bonacina de Araujo² UFGD/FACE Caixa Postal 364, 79.804-970

Leia mais

Quadro II - PREÇO DO AÇÚCAR CRISTAL COLOCADO NO PORTO DE SANTOS - SP NA CONDIÇÃO SOBRE RODAS - (Em R$/Saca de 50kg*)

Quadro II - PREÇO DO AÇÚCAR CRISTAL COLOCADO NO PORTO DE SANTOS - SP NA CONDIÇÃO SOBRE RODAS - (Em R$/Saca de 50kg*) CANA-DE-AÇÚCAR Período: Janeiro/2016 Quadro I - PREÇO NA USINA EM SÃO PAULO (Em R$/unidade*) Produtos Unidade 24 12 1 Mês Mês Atual Açúcar Cristal Cor ICUMSA 130 a 180 Saco/50 kg 50,20 51,05 80,57 83,75

Leia mais

CONJUNTURA 24.05.2010 FEIJÃO. João Ruas Gerência de Alimentos Básicos Superintendência de Gestão da Oferta

CONJUNTURA 24.05.2010 FEIJÃO. João Ruas Gerência de Alimentos Básicos Superintendência de Gestão da Oferta CONJUNTURA 24.05.2010 FEIJÃO João Ruas Gerência de Alimentos Básicos Superintendência de Gestão da Oferta MERCADO -Comportamento das principais cultivares plantadas no Brasil; -Situação da Safra 2009/2010;

Leia mais

Diagnóstico da institucionalização da Política Nacional de Educação Permanente do Sistema Único de Assistência Social nos estados brasileiros

Diagnóstico da institucionalização da Política Nacional de Educação Permanente do Sistema Único de Assistência Social nos estados brasileiros Diagnóstico da institucionalização da Política Nacional de Educação Permanente do Sistema Único de Assistência Social nos estados brasileiros Denise Mafra Gonçalves; Maria Cristina Abreu Martins de Lima;

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

RELATÓRIO DE MERCADO JULHO DE 2015

RELATÓRIO DE MERCADO JULHO DE 2015 RELATÓRIO DE MERCADO JULHO DE 2015 COMMODITIES AGRÍCOLAS RESUMO DOS PRINCIPAIS INDICADORES DO MERCADO DE COMMODITIES AGRÍCOLAS SUMÁRIO OFERTA 4 8 VARIAÇÕES HISTÓRICAS E FORECAST 6 DEMANDA 9 CONSIDERAÇÕES

Leia mais

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil FACT-SHEET Cana-de-Açúcar, Milho e Soja Programa Agricultura e Meio Ambiente WWF - Brasília Março 28 WWF- Secretaria Geral Denise Hamú Superintendência de Conservação de Programas Temáticos Carlos Alberto

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO CADASTRO

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO CADASTRO 1 MANUAL DE PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO CADASTRO Atualizado em 07-abr-2014 Este documento refere-se às instruções de preenchimento do cadastro de usinas para o levantamento de custos de produção de cana-de-açúcar,

Leia mais

Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades

Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades 1 São Paulo, 16 de fevereiro de 2016 NOTA à IMPRENSA Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades A partir de janeiro de 2016, o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos)

Leia mais

Mercado Externo. Preço do milho (ZCN5) Índice Dólar (DXY) Fonte: TradingView, CMEGroup

Mercado Externo. Preço do milho (ZCN5) Índice Dólar (DXY) Fonte: TradingView, CMEGroup Mercado Externo Segundo relatório de abril do U.S Departament of Agriculture USDA, a produção de milho dos EUA será 2,8% maior do que na safra anterior, com uma estimativa de produção total de 361,1 milhões

Leia mais

LSPA LEVANTAMENTO SISTEMÁTICO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA PESQUISA MENSAL DE PREVISÃO E ACOMPANHAMENTO DAS SAFRAS AGRÍCOLAS NO ANO CIVIL

LSPA LEVANTAMENTO SISTEMÁTICO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA PESQUISA MENSAL DE PREVISÃO E ACOMPANHAMENTO DAS SAFRAS AGRÍCOLAS NO ANO CIVIL LSPA LEVANTAMENTO SISTEMÁTICO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA PESQUISA MENSAL DE PREVISÃO E ACOMPANHAMENTO DAS SAFRAS AGRÍCOLAS NO ANO CIVIL Fevereiro 2012 Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento,

Leia mais

Reunião do Conselho das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa CONFAP

Reunião do Conselho das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa CONFAP Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Reunião do Conselho das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa CONFAP Manoel Cardoso Assessoria de Planejamento e Estudos Brasília,

Leia mais

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Quem ganha com a Guerra Fiscal? O país perde Porque grande parte dos incentivos é concedido a importações

Leia mais

Açúcar Relatório de Mercado Março de 2014 MERCADO INDUSTRIAL

Açúcar Relatório de Mercado Março de 2014 MERCADO INDUSTRIAL Açúcar MERCADO INDUSTRIAL PRODUÇÃO CANA, AÇÚCAR E ETANOL As unidades produtoras do Centro-Sul processaram 149.271 toneladas de cana-de-açúcar na primeira quinzena de fevereiro, volume 3,8% menor ante as

Leia mais

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014 BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014 Milho: Os preços no mercado brasileiro ficaram estáveis e até mesmo um pouco mais baixos em algumas praças. A incerteza dos produtores quanto à produtividade do milho

Leia mais

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 PRESIDENTE: Marciano Gianerini Freire EQUIPE TÉCNICA: Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: Heike Duske César Melo

Leia mais

Geração de Emprego Formal no NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 2011

Geração de Emprego Formal no NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 2011 Geração de Emprego Formal no RIO DE JANEIRO NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 211 1 211 O crescimento da economia fluminense nos últimos

Leia mais

Gestão de risco rural, Proagro, seguro rural e Fundo de Catástrofe. Mesquita de Sant Ana Coordenador-Geral de Seguro Rural SPA/DEGER

Gestão de risco rural, Proagro, seguro rural e Fundo de Catástrofe. Mesquita de Sant Ana Coordenador-Geral de Seguro Rural SPA/DEGER Gestão de risco rural, Proagro, seguro rural e Fundo de Catástrofe Eustáquio Mesquita de Sant Ana Coordenador-Geral de Seguro Rural SPA/DEGER RR AP AM PA MA CE RN AC 90 s RO MT TO PI BA PB PE AL SE 80

Leia mais

José Geraldo Eugênio de França Diretor-Executivo Brasília - DF Junho/2008

José Geraldo Eugênio de França Diretor-Executivo Brasília - DF Junho/2008 UMA AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA José Geraldo Eugênio de França Diretor-Executivo Brasília - DF Junho/2008 ALGUMAS CONSEQÜÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS RECURSOS HÍDRICOS: A MODIFICAÇÃO

Leia mais

Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura

Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura A safra de grãos do país totalizou 133,8 milhões de toneladas em 2009, de acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de dezembro,

Leia mais

CENSO VARIETAL E DE PRODUTIVIDADE EM 2012

CENSO VARIETAL E DE PRODUTIVIDADE EM 2012 CENSO VARIETAL E DE PRODUTIVIDADE EM 2012 REGIÃO CENTRO-SUL RESUMO O censo varietal e de produtividade de cana-de-açúcar é realizado pelo CTC - Centro de Tecnologia Canavieira, na Região Centro-Sul do

Leia mais

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Pesquisa da 10ª Semana de Museus Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Panorama geral - Pesquisa da 10ª Semana Nº entradas

Leia mais

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS IV ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura 28 a 30 de maio de 2008 Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS

Leia mais

Preços médios da tonelada de cana para pagamento - Safra 2010/2011 - A

Preços médios da tonelada de cana para pagamento - Safra 2010/2011 - A Edição nº 20 maio de 2011 EDIÇÃO ESPECIAL DE FECHAMENTO SAFRA O Informe Especial da Canaoeste tem como objetivo, transmitir aos associados todas as informações relevantes da safra 2010/2011, encerrada

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40.

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) 450.000 120.000 400.000 100.000 350.000 80.000 300.000 250.000 60.000 200.000 150.000 40. BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 269.719,83 387.213,30 406.882,12 310.956,48 318.530,07 375.612,10 414.745,41 233.717,31 309.486,24 320.128,57 267.045,80 205.498,88

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SECRETARIA DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SECRETARIA DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SECRETARIA DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA Relatório Estatístico Preliminar de Resultados da Lei de Informática 8.248/91 e suas Alterações Dados dos Relatórios Demonstrativos

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Setembro/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

DECRETO Nº 6.961, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009.

DECRETO Nº 6.961, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009. DECRETO Nº 6.961, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009. Aprova o zoneamento agroecológico da cana-de-açúcar e determina ao Conselho Monetário Nacional o estabelecimento de normas para as operações de financiamento

Leia mais

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro 2015 PARANÁ A estimativa de área para a safra 2015/16 de soja é recorde no Paraná. Segundo os técnicos de campo serão semeados 5,24 milhões de hectares,

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Perspectivas da economia / Comprometimento de renda Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para mapear os hábitos de consumo e compras para época

Leia mais

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Partindo da figura da engrenagem, presente na logo atual do CFC, o novo logo desenvolvido mantém uma relação com o passado da instituição, porém com um olhar no presente e no futuro, na evolução e ascensão

Leia mais

É uma ação permanente de promoção dos museus brasileiros coordenada pelo Ibram;

É uma ação permanente de promoção dos museus brasileiros coordenada pelo Ibram; Pesquisa da 13ª Semana Nacional de Museus Período de aplicação: 25 de maio a 30 de junho de 2015 Coordenação de Estudos Socioeconômicos e Sustentabilidade Ceses Departamento de Difusão, Fomento e Economia

Leia mais

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS SUFICIÊNCIA DE REDE: UM ESTUDO ECOLÓGICO SOBRE BENEFICIÁRIOS E REDES DE CUIDADOS À SAÚDE A PARTIR DE ANÁLISES EXPLORATÓRIAS DAS PROPORÇÕES DE PARTOS CESARIANOS E TAXAS DE MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág.

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág. RELATÓRIO SIOR 2012 ÍNDICE NOTÍCIAS 2011/2012 ANÁLISE DAS DEMANDAS GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO TEMPO DE ATENDIMENTO DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES MAPA DAS PRINCIPAIS DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2010

Contas Regionais do Brasil 2010 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2010 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 23/11/2012 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

Tabela 1. Raiz de mandioca Área colhida e quantidade produzida - Brasil e principais estados Safras 2005/06 a 2007/08

Tabela 1. Raiz de mandioca Área colhida e quantidade produzida - Brasil e principais estados Safras 2005/06 a 2007/08 Mandioca outubro de 2008 Safra nacional 2006/07 Na safra brasileira 2006/07 foram plantados 2,425 milhões de hectares e colhidos 26,920 milhões de toneladas - representando um crescimento de 0,87% e de

Leia mais

SUBVENÇÃO À PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR NO BRASIL: MEDIDA TEMPORÁRIA OU DEFINITIVA PARA A BAIXA PRODUTIVIDADE REGIONAL?

SUBVENÇÃO À PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR NO BRASIL: MEDIDA TEMPORÁRIA OU DEFINITIVA PARA A BAIXA PRODUTIVIDADE REGIONAL? SUBVENÇÃO À PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR NO BRASIL: MEDIDA TEMPORÁRIA OU DEFINITIVA PARA A BAIXA PRODUTIVIDADE REGIONAL? Gesmar Rosa dos Santos* Valquíria Cardoso Caldeira** 1 INTRODUÇÃO A ajuda estatal

Leia mais

Ministério da Agricultura. Pecuária e Abastecimento. Levantamento de Estoques Privados de Café Data de Referência: 31.03.2006 Relatório Final

Ministério da Agricultura. Pecuária e Abastecimento. Levantamento de Estoques Privados de Café Data de Referência: 31.03.2006 Relatório Final Ministério da Agricultura. Pecuária e Abastecimento Levantamento de Estoques Privados de Café Data de Referência: 31.03.2006 Relatório Final MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA Roberto

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA CULTURA DO CAFÉ

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA CULTURA DO CAFÉ MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO GERÊNCIA DE GEOTECNOLOGIA - GeoSafras RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA CULTURA DO CAFÉ 2007 Brasília 2007 INTRODUÇÃO

Leia mais

FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO

Leia mais

6º Censo da Reciclagem de PET no Brasil 2009/2010

6º Censo da Reciclagem de PET no Brasil 2009/2010 6º Censo da Reciclagem de PET no Brasil 2009/2010 Reciclagem de PET no Brasil 2009 Censo Por quê? O Censo é a metodologia mais indicada quando a população é pequena e a variabilidade dentro da população

Leia mais

UMA AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA

UMA AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA UMA AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA José Geraldo Eugênio de França Diretor-Executivo Brasília - DF Junho/2008 ALGUMAS CONSEQÜÊNCIAS DAS MUDANÇAS AS CLIMÁTICAS GLOBAIS RECURSOS HÍDRICOS: H

Leia mais

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO Resumo Executivo Pesquisa 2014 APRESENTAÇÃO Pelo terceiro ano consecutivo, o CBCA Centro Brasileiro da Construção em Aço e a ABCEM Associação Brasileira da Construção

Leia mais

FATORES CRÍTICOS À COMPETITIVIDADE DA SOJA NO PARANÁ E NO MATO GROSSO

FATORES CRÍTICOS À COMPETITIVIDADE DA SOJA NO PARANÁ E NO MATO GROSSO FATORES CRÍTICOS À COMPETITIVIDADE DA SOJA NO PARANÁ E NO MATO GROSSO Por: Carlos Eduardo Cruz Tavares 1 São várias as cadeias produtivas que constituem o complexo agroalimentar, destacando-se entre elas,

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COINT - Coordenação-Geral de Análise e Informações das Transferências Financeiras Intergovernamentais TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

Leia mais

Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil

Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil A expansão da agroenergia e seus impactos sobre os ecossistemas brasileiros Rio de Janeiro, 26-27 março 2007 Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil Eduardo Bandeira de Mello

Leia mais

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX SUMÁRIO 1 ICMS 1.1 CONTRIBUINTE 1.2 FATO GERADOR DO IMPOSTO 1.3 BASE DE CÁLCULO DO IMPOSTO 1.4 REDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO 1.5 CARTA DE CORREÇÃO 1.6 CÓDIGO DA SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

Panorama da Educação em Enfermagem no Brasil

Panorama da Educação em Enfermagem no Brasil Panorama da Educação em Enfermagem no Brasil Rede ABEn de Pesquisa em Educação em Enfermagem GT EDUCAÇÃO 2012 Portaria Nº 17/2012 Realizar a Pesquisa Panorama da Formação em Enfermagem no Brasil no período

Leia mais

ISSN 2318-7921 V. 1 - SAFRA 2014/15 N. 3 - Terceiro Levantamento Dezembro/2014

ISSN 2318-7921 V. 1 - SAFRA 2014/15 N. 3 - Terceiro Levantamento Dezembro/2014 ISSN 23187921 V. 1 SAFRA 2014/15 N. 3 Terceiro Levantamento Dezembro/2014 Presidente da República Dilma Rousseff Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) Neri Geller Secretaria de Produção

Leia mais

Panorama do Mercado Brasileiro. Richard Nicolas De Jardin

Panorama do Mercado Brasileiro. Richard Nicolas De Jardin Panorama do Mercado Brasileiro Richard Nicolas De Jardin Linha do Tempo Falta de Infraestrutura Poucos Postos Segmento de Taxi Privatizações Crescimento da Infraestrutura Novos mercados Aumento das Vendas

Leia mais

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis EDIÇÃO N o 91 Agosto/2015 BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Junho/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais