NewsLetter PORCINA PRÓTESE VALVULAR ORGÂNICA BIOLÓGICA. Introdução. julho 2015 nº37. Boletim Científico ano 6

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NewsLetter PORCINA PRÓTESE VALVULAR ORGÂNICA BIOLÓGICA. Introdução. www.braile.com.br. julho 2015 nº37. Boletim Científico ano 6"

Transcrição

1 NewsLetter Boletim Científico ano 6 julho 05 nº37 Biológica & Soluções Cardiovascular Eletromecânica Endovascular Oncologia PRÓTESE VALVULAR ORGÂNICA BIOLÓGICA PORCINA Aparecida de Fátima Giglioti, PhD Vladimir D. A. Ramirez 3 Gilberto Goissis, PhD Domingo M. Braile, MD, PhD Química Biomédico 3 Professor Doutor, Farmacêutico-Bioquímico Professor Doutor, Cirurgião Cardíaco Braile Biomédica Ind. Com. Repres. Ltda São José do Rio Preto, SP, Brasil Introdução As doenças que acometem as válvulas cardíacas causam importantes danos à saúde, comprometendo as atividades do sistema circulatório, prejudicando a qualidade de vida do paciente. Dentre essas enfermidades está a estenose aórtica, responsável por () até 60% de mortes, principalmente idosos. A estenose aórtica atinge cerca de 3% da população acima de 70 anos de idade. O padrão ouro no tratamento é a intervenção cirúrgica, com substituição da valva nativa por uma bioprótese, sendo classificado como procedimento de alta complexidade. Dentre as próteses disponíveis, existem as válvulas mecânicas, que necessitam a administração de anticoagulantes por toda a vida do paciente, e as válvulas biológicas que, como problema a longo prazo (cerca de 5 anos em média), apresenta a deterioração de seus folhetos, sendo necessária nova operação para () troca da válvula.

2 A PRÓTESE VALVULAR é um dos dispositivos biológicos para tratamento da estenose aórtica. Diversos estudos relatam a qualidade dessa bioprótese, ressaltando o baixo teor de calcificação, a resistência à fadiga mecânica e a dispensabilidade de (3) anticoagulantes. Além disso, há uma incidência muito baixa de tromboembolismo e mortalidade tardia encontrados nos estudos de seguimento dos pacientes submetidos ao tratamento com este tipo de produto. De acordo com Davila e colaboradores (978), a válvula porcina é superior à prótese valvular mecânica (3) quando em posição mitral ou tricúspide, além de possuir uma alta durabilidade. Maluf e colaboradores (000) afirmam que a válvula porcina é eficiente na correção da tetralogia de Fallot, possuindo () resultados satisfatórios a médio prazo. Considerando que uma das principais causas de deterioração das biopróteses orgânicas é a calcificação, a PRÓTESE VALVULAR é submetida a tratamento específico (vide abaixo) para amenizar a incidência de tal fenômeno, aumentando-lhe a durabilidade e diminuindo a necessidade de novas intervenções. Indicação A P R Ó T E S E VA LV U L A R BRAILE BIOMÉDICA (Figura ) é indicada para substituição da valva mitral, aórtica, tricúspide ou pulmonar. Fabricação São confeccionadas em suporte de poliacetal flexível, recoberto por delgada película de material orgânico, sobre o qual são montadas as cúspides. Um anel de aço inoxidável 36, grau médico, inserido na base do s u p o r t e, r e f o r ç a a s u a consistência e permite identificar a posição da válvula no paciente por simples exame radiológico. São fornecidas nos diâmetros 9,, 3, 5, 7, 9, 3, 33 e 35 mm, em solução de formaldeído %, n ã o p i r o g ê n i c a, c o m a esterilidade garantida por procedimento validado. Figura. PRÓTESE VALVULAR ORGÂNICA BIOLÓGICA PORCINA.

3 Processamento e Tratamento Anticalcificante O processo de fabricação da PRÓTESE VALVULAR é realizado dentro dos padrões exigido pela BPF-ANVISA e atende a ISO 385, com controle de qualidade baseado na avaliação de suas propriedades físicas e integridade histológica, desde a coleta das valvas porcinas até o final de seu processamento. As lacínias da válvula porcina, após o processamento com glutaraldeído (GA), são submetidas a um tratamento oxidante desenvolvido pela Braile Biomédica para redução das ligações poliméricas de GA e grupos aldeídicos livres presentes (Figura ), que comprovadamente contribuem na calcificação das (5) biopróteses valvulares pós-implante. Figura. Representação esquemática da reação do glutaraldeído (GA) com cúspide de válvula porcina (I) com indicação de ligações cruzadas de GA polimérico e grupos aldeídicos livres (II) seguido da oxidação destes grupos (III). A eficácia deste tratamento é comprovada pela significativa redução da calcificação observada para o (6) pericárdio bovino (PB) submetido ao mesmo processo, tanto em subcutâneo de ratos quanto em (7) ovelhas. Os índices de calcificação observados foram inferiores a 5 µg Ca/mg de tecido seco, comparando-se muito favoravelmente em relação a outros procedimentos anticalcificantes descritos na (8-) literatura e utilizados na fabricação de válvulas processadas com GA. Em subcutâneo de ratos, os índices de calcificação de biopróteses fabricadas com valvas porcina e PB tratados apenas com GA (,3) sem tratamentos anticalcificantes são elevados e maiores que 00 µg Ca/mg de tecido seco. 3

4 Performance Hidrodinâmica Ensaios de performance hidrodinâmica foram realizados em atendimento à Norma Técnica ISO 580:005/(R) 00 - Cardiovascular Implants - Cardiac Valve Prostheses (Tabela ) para avaliação dos seguintes parâmetros: Área Efetiva do Orifício (AEO): área interna da válvula, em cm, que abre efetivamente durante o ciclo cardíaco, sob fluxo e pressão constantes; Gradiente de Pressão Médio (ÄP): gradiente de pressão transvalvar, dado em mmhg; Fração de Regurgitação: volume, em porcentagem, que retorna durante o fechamento da válvula (soma dos volumes de fechamento e vazamento), em relação ao débito cardíaco. Tabela. Requisitos de performance hidrodinâmica requeridos pela ISO 580:005/(R) 00. Parâmetro Posição Aórtica/Mitral Diâmetro da Válvula (mm) AEO (cm ) Fração de Regurgitação (%) 0,70,0, Os resultados do comportamento destes parâmetros para válvulas de 9, 5 e 3 mm estão ilustrados na Figuras 3, e 5. Área Efetiva do Orifício (cm ) 3,5 3,5,5 0, Figura 3. Área efetiva do orifício (AEO) para PRÓTESE VALVULAR de 9, 5 e 3 mm de Diâmetro 9 Diâmetro 5 Diâmetro 3,0 Gradiente de Pressão Médio (mmhg) 0,0 8,0 6,0,0,0 0, Diâmetro 9 Diâmetro 5 Diâmetro 3 Figura. Gradiente de pressão médio (ÄP) para PRÓTESE VALVULAR de 9, 5 e 3 mm de

5 7,0 Fração de Regurgitação (%) 6,0 5,0,0 3,0,0,0 0, Figura 5. Fração de regurgitação para PRÓTESE VALVULAR de 9, 5 e 3 mm de Diâmetro 9 Diâmetro 5 Diâmetro 3 (,5) Estes resultados são concordantes com dados obtidos anteriormente, de acordo com a Norma Técnica ANSI/AAMI/ISO 580:996 (ANS). A utilização clínica da VÁLVULA PORCINA BRAILE BIOMÉDICA, após aprovação do Ministério da Saúde para comercialização no Brasil, iniciou-se em 990, sendo que já foram produzidas mais de 50 mil unidades dentro dos padrões de qualidade que caracterizam os produtos da Braile Biomédica. Referências. Otto CM, Lind BK, Kitzman DW, Gersh BJ, Siscovick DS. Association of aortic-valve sclerosis with cardiovascular mortality and morbidity in the elderly. N Engl J Med. 999;3(3):-7.. Hammermeister K, Sethi GK, Henderson WG, Grover FL, Oprian C, Rahimtoola SH. Outcomes 5 years after valve replacement with a mechanical versus a bioprosthetic valve: final report of the Veterans Affairs Randomized Trial. J Am Coll Cardiol. 000;36(): Davila JC, Magilligan DJ, Lewis JW. Is the Hancock Porcine Valve the Best Cardiac Valve Substitute Today? Ann Thorac Surg. 978; 6(): Maluf MA, Braile DM, Silva C, Catani R, Carvalho AC, Buffolo E. Reconstruction of the Pulmonary Valve and Outflow Tract with Bicuspid Prosthesis in Tetralogy of Fallot. Ann Thorac Surg. 000;70: Schoen FJ, Levy RJ. Calcification of tissue heart valve substitutes: Progress toward understanding and prevention. Ann Thorac Surg. 005;79(3): Relatório Final TECAM RL855/00 -.0, 3 de Setembro de 0. Metodologia de Referência: "A Pratical Guide to ISO : Implant Effects" (ISO , 007); OECD Guidelines for testing of chemicals - "Guidance Notes for Analysis and Evaluation of Repeat- Dose Toxicity Studies. 3, (000) TECAM. 7. Taniguchi FP, Maizato MJ, Ambar RF, Pitombo RN, Leiner AA, Moreira LF, Cestari IA, Stolf NA. In vivo study of lyophilized bioprostheses: 3 month follow-up in young sheep. Rev Bras Cir Cardiovasc. 0, 7(), Shen M, Kara-Mostefa A, Chen L, Daudon M, Thevenin M, Lacour B, Carpentier A. Effect of ethanol and ether in the prevention of calcification of bioprostheses. Ann Thorac Surg. 00;7(5 Suppl):S Carpentier-Edwards PERIMOUNT Pericardial Pericardial Bioprosthesis Model 6900 Mitral, Summary of Safety and Effectivenes Data Pettenazzo E, Valente M, Thiene G. Octanediol treatment of glutalaldehyde fixed bovine pericardium: Evidence of anticalcification efficacy in the subcutaneous rat model. Eur J Cardiothorac Surg. 008;3():8-.. Pathak CP, Adams AK, Simpson T, Phillips RE Jr, Moore MA. Treatment of bioprosthetic heart valve tissue with long chain alcohol solution to lower calcification potential. J Biomed Mater Res. 00;69():0-.. Levy RJ, Schoen FJ, Flowers WB, Staelin ST. Initiation of mineralization in bioprosthetic heart valves: Studies of alkaline phosphatase activity and its inhibition by ACl3 or FeC3 preincubations. J Biomed Mater Res. 99;5(8): Schoen FJ, Levy RJ. Tissue heart valves: Current challenges and future research perspectives. J Biomed Mater Res. 999;7(): Yoshioka SA, Goissis G, Araujo RB, Ramirez VDA, Godoy MF, Braile DM. Hydrodynamic performance of bioprosthetic heart valves of bovine pericardium crosslinked with glutaraldehyde acetals. Rev Bras Eng Biomed. 999;5(-): Braile DM, Godoy MF, Souza DRS, Oliveira APML, Leal JC, Araujo RB, Goissis G. In vitro comparative study between bovine pericardial and porcine bioprosthesis. Braz J Cardiovasc Surg. 996;():70-3. INDÚSTRIA, COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA Av. Pres. Juscelino K. de Oliveira, 505 CEP São José do Rio Preto-SP - Brasil Telefone Fax SAC Other countries: phone

NewsLetter LINUS. ENDOPRÓTESE STENT-GRAFT Tratamento de Aneurisma de Aorta Abdominal. www.braile.com.br

NewsLetter LINUS. ENDOPRÓTESE STENT-GRAFT Tratamento de Aneurisma de Aorta Abdominal. www.braile.com.br NewsLetter Boletim Científico ano 6 novembro 2015 nº39 Biológica & Soluções Cardiovascular Eletromecânica Endovascular Oncologia LINUS ENDOPRÓTESE STENT-GRAFT Tratamento de Aneurisma de Aorta Abdominal

Leia mais

Tratamentos Anticalcificantes do Pericárdio Bovino Fixado com Glutaraldeído. Comparação e Avaliação de Possíveis Efeitos Sinérgicos

Tratamentos Anticalcificantes do Pericárdio Bovino Fixado com Glutaraldeído. Comparação e Avaliação de Possíveis Efeitos Sinérgicos QCVC Autoridades Atividade Científica Hall Central Informação Geral FAC Areas Temáticas Arritmias e Eletrofisiologia Bioengenharia e Informática Médica Cardiologia do Exercício Cardiologia Nuclear Cardiologia

Leia mais

Boletim Científico. Preditores de disfunção ventricular esquerda, após plastia mitral: efeitos da fibrilação atrial e hipertensão pulmonar.

Boletim Científico. Preditores de disfunção ventricular esquerda, após plastia mitral: efeitos da fibrilação atrial e hipertensão pulmonar. Boletim Científico SBCCV 01/09/2014 Número 04 Preditores de disfunção ventricular esquerda, após plastia mitral: efeitos da fibrilação atrial e hipertensão pulmonar. Predicting early left ventricular dysfunction

Leia mais

Implante Implante Transcateter Valvar Valvar Aórtico: Curso de Pós Graduação Lato Sensu Hospital Beneficência Portuguesa SP Maio/2010

Implante Implante Transcateter Valvar Valvar Aórtico: Curso de Pós Graduação Lato Sensu Hospital Beneficência Portuguesa SP Maio/2010 Implante Implante Transcateter Valvar Valvar Aórtico: Indicações, Aórtico: Indicações, Critério de Critério Seleção de e Seleção Resultados e Resultados Curso de Pós Graduação Lato Sensu Hospital Beneficência

Leia mais

Histórico Diagnóstico Indicações Tratamento cirúrgico Resultados e Complicações

Histórico Diagnóstico Indicações Tratamento cirúrgico Resultados e Complicações Valvulopatias Cardíacas II - Visão Cirúrgica Insuficiência Mitral Histórico Diagnóstico Indicações Tratamento cirúrgico Resultados e Complicações Prof. Dr. Jehorvan L. Carvalho História Existem relatos

Leia mais

Avaliação de Tecnologias em Saúde

Avaliação de Tecnologias em Saúde Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Avaliação de Tecnologias em Saúde Assunto: CoreValve TM Válvula Aórtica para Substituição Percutânea Canoas, Maio de 2009 AVALIAÇÃO DA CÂMARA TÉCNICA DE

Leia mais

Areconstrução funcional da via de saída do ventrículo

Areconstrução funcional da via de saída do ventrículo Rev Bras Cardiol Invas 2005; 13(2): 95-99. Braga SLN, et al. Implante Percutâneo de Válvula Pulmonar. Rev Bras Cardiol Invas 2005; 13(2): 95-99. Artigo de Revisão Implante Percutâneo de Válvula Pulmonar

Leia mais

Boletim Científico SBCCV 12-2012

Boletim Científico SBCCV 12-2012 1 2 Boletim Científico SBCCV 12-2012 Análise de desfechos após 5 anos do implante transcateter de válvula aórtica balãoexpansível, no Canadá. 5-Year Outcome After Transcatheter Aortic Valve Implantation.

Leia mais

PRÓTESE VALVAR MITRAL: 20 ANOS DE SEGUIMENTO DE UMA AMOSTRA DE PACIENTES OPERADOS NO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL

PRÓTESE VALVAR MITRAL: 20 ANOS DE SEGUIMENTO DE UMA AMOSTRA DE PACIENTES OPERADOS NO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL Angela Henrique Silva Ribeiro PRÓTESE VALVAR MITRAL: 20 ANOS DE SEGUIMENTO DE UMA AMOSTRA DE PACIENTES OPERADOS NO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL Porto Alegre, 2013 Angela

Leia mais

Intervenções percutâneas. Tratamento das obstruções da via de saída do Ventrículo Esquerdo

Intervenções percutâneas. Tratamento das obstruções da via de saída do Ventrículo Esquerdo Intervenções percutâneas Tratamento das obstruções da via de saída do Ventrículo Esquerdo Célia Maria C. Silva Declaro que não existe conflito de interesse nesta minha apresentação Estenose Valvar Aórtica

Leia mais

Lesão coronária tardia após cirurgia de switch arterial na transposição de grandes artérias

Lesão coronária tardia após cirurgia de switch arterial na transposição de grandes artérias Lesão coronária tardia após cirurgia de switch arterial na transposição de grandes artérias F.X.Valente 1, C. Trigo 2, J.D.F. Martins 2, I. Freitas 2, F. Paramés 2, M. António 2, L. Bakero 3, J. Fragata

Leia mais

IMPACTO EPIDEMIOLÓGICO DA ESTENOSE AÓRTICA, QUAIS OS DADOS NACIONAIS?

IMPACTO EPIDEMIOLÓGICO DA ESTENOSE AÓRTICA, QUAIS OS DADOS NACIONAIS? IMPACTO EPIDEMIOLÓGICO DA ESTENOSE AÓRTICA, QUAIS OS DADOS NACIONAIS? Prof. Dr. Flávio Tarasoutchi Unidade de Valvopatias Instituto do Coração (InCor) - Hospital das Clínicas Universidade de São Paulo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO DIA - 20/12/2009 CARGO: CIRURGIÃO CARDÍACO C O N C U R S O P Ú B L I C O - H U A C / 2 0 0 9 Comissão de

Leia mais

ANEURISMA DE AORTA. ESTADO DA ARTE

ANEURISMA DE AORTA. ESTADO DA ARTE ANEURISMA DE AORTA. CORREÇÃO POR VIA ENDO-VASCULAR ESTADO DA ARTE Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia Seção Médica de Radiologia 2010 ACCF/AHA/AATS/ACR/ASA/SCA/SCAI/SIR/STS SVM Guidelines for the

Leia mais

Prótese Valvular Aórtica

Prótese Valvular Aórtica Aquilo que o cardiologista clínico deve saber sobre Intervenção não coronária- Quando e Como Prótese Valvular Aórtica Algarve, Abril 2014 Daniel Caeiro Centro Hospitalar Gaia/Espinho História natural da

Leia mais

FISIOLOGIA CARDÍACA, VALVOPATIAS E A ATUAÇÃO DO NUTRICIONISTA

FISIOLOGIA CARDÍACA, VALVOPATIAS E A ATUAÇÃO DO NUTRICIONISTA FISIOLOGIA CARDÍACA, VALVOPATIAS E A ATUAÇÃO DO NUTRICIONISTA Heloísa C. Del Buono* Renata Silingardi * Maria Silvia Bergo Guerra*** Mari Uyeda**** RESUMO De acordo com a Organização Mundial de Saúde OMS,

Leia mais

Cirurgia de Válvula Cardíaca

Cirurgia de Válvula Cardíaca Cirurgia de Válvula Cardíaca Informações que Todos os Pacientes Devem Saber Índice O Coração...1 Problemas Valvares e seus Diagnósticos...7 Tratamento das Válvulas...11 Cuidados após a Cirurgia...15 Perguntas

Leia mais

Hipertensão Arterial Pulmonar Protocolos Por que e para que? Ricardo Fonseca Martins

Hipertensão Arterial Pulmonar Protocolos Por que e para que? Ricardo Fonseca Martins Hipertensão Arterial Pulmonar Protocolos Por que e para que? Ricardo Fonseca Martins HAP Definição Condição patológica caracterizada pela elevação da pressão arterial pulmonar média acima de 25mmHg com

Leia mais

Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências. Avaliação de Tecnologias em Saúde

Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências. Avaliação de Tecnologias em Saúde Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Avaliação de Tecnologias em Saúde Sumário de Evidências sobre a comparação das válvulas mecânicas Medtronic Hall e St Jude Medical Canoas, novembro de 2007

Leia mais

Estenose Mitral. Definição e Etiologia

Estenose Mitral. Definição e Etiologia Estenose Mitral Definição e Etiologia A estenose da válvula mitral é um estreitamento da abertura da válvula mitral que aumenta a resistência ao fluxo da corrente sanguínea do átrio esquerdo para o ventrículo

Leia mais

Indicações e Resultados do Tratamento Percutâneo de Obstruções à Via de Saída do VD

Indicações e Resultados do Tratamento Percutâneo de Obstruções à Via de Saída do VD Indicações e Resultados do Tratamento Percutâneo de Obstruções à Via de Saída do VD Carlo B Pilla e Cardiologia Intervencionista SBHCI 2012 Obstruções à VSVD Estenose subvalvar pulmonar* Estenose valvar

Leia mais

Curso de Revisão para Enfermagem em Intervenção Cardiovascular 2012

Curso de Revisão para Enfermagem em Intervenção Cardiovascular 2012 Serviço de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista Hospital São Paulo Hospital do Rim e Hipertensão UNIFESP - EPM Curso de Revisão para Enfermagem em Intervenção Cardiovascular 2012 Eduardo Rodrigues

Leia mais

Após extensa revisão os autores deste trabalho dão as

Após extensa revisão os autores deste trabalho dão as Qual é o risco de eventos cardíacos adversos ou de sangramento grave, após cirurgias não cardíacas, relativos à terapia antiplaquetária, em pacientes com angioplastia coronariana prévia? The Risk of Adverse

Leia mais

Manejo da terapia antitrombótica em pacientes submetidos a procedimentos invasivos ou cirurgia

Manejo da terapia antitrombótica em pacientes submetidos a procedimentos invasivos ou cirurgia Manejo da terapia antitrombótica em pacientes submetidos a procedimentos invasivos ou cirurgia EULER MANENTI MD PhD FACC Ins2tuto de Medicina Cardiovascular Sistema de Saúde Mãe de Deus Porto Alegre Conflito

Leia mais

SIMULADOR DE PRÓTBSBS VALVARBS BH FWm PULSÁTIJ. DKSENVOLVIHKNTO B DBSBHPBNHO. por

SIMULADOR DE PRÓTBSBS VALVARBS BH FWm PULSÁTIJ. DKSENVOLVIHKNTO B DBSBHPBNHO. por RBE. VOL.6 N.2 1989 SIMULADOR DE PRÓTBSBS VALVARBS BH FWm PULSÁTIJ. DKSENVOLVIHKNTO B DBSBHPBNHO por S.A.HAYASHIDA ~, P.M.POMERANTZEFF,2,R. A. PURCHIO ~, M.S.OSHIRO ~, A.A.LEIRNER 3, A.D.JATENE 4 RBSUHO

Leia mais

Protocolo de Gerenciamento e Conservação do Sangue em Cirurgias Cardíacas Graves e Complexas. Dr. Antonio Alceu dos Santos

Protocolo de Gerenciamento e Conservação do Sangue em Cirurgias Cardíacas Graves e Complexas. Dr. Antonio Alceu dos Santos Protocolo de Gerenciamento e Conservação do Sangue em Cirurgias Cardíacas Graves e Complexas Dr. Antonio Alceu dos Santos Dr. Antonio Alceu dos Santos Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo Não

Leia mais

ANÁLISE EXPERIMENTAL DO DESEMPENHO HIDRODINÂMICO DE VÁLVULAS CARDÍACAS ARTIFICIAIS

ANÁLISE EXPERIMENTAL DO DESEMPENHO HIDRODINÂMICO DE VÁLVULAS CARDÍACAS ARTIFICIAIS ANÁLISE EXPERIMENTAL DO DESEMPENHO HIDRODINÂMICO DE VÁLVULAS CARDÍACAS ARTIFICIAIS Gustavo Bifaroni bifaroni@dem.feis.unesp.br Sérgio Said Mansur mansur@dem.feis.unesp.br Edson Del Rio Vieira delrio@dem.feis.unesp.br

Leia mais

Boletim Científico SBCCV 11-2012

Boletim Científico SBCCV 11-2012 1 2 Boletim Científico SBCCV 11-2012 Nova Diretriz da American Heart Association para Doença Coronariana Estável confirma papel da terapia clínica e da cirurgia de revascularização miocárdica, como estratégias

Leia mais

http://www.theheart.org/article/1466345.do.

http://www.theheart.org/article/1466345.do. Resultados finais do estudo SYNTAX reafirmam a cirurgia de revascularização miocárdica como intervenção de escolha, em pacientes com doença coronária complexa. http://www.theheart.org/article/1466345.do.

Leia mais

Evaluation of Prosthetic Valves with Echocardiography and Doppler Ultrasound

Evaluation of Prosthetic Valves with Echocardiography and Doppler Ultrasound Rev bras ecocardiogr imagem cardiovasc. 2011;24(3):58-83 Artigo de Revisão Avaliação Ecocardiográfica das Próteses Valvares Cardíacas Evaluation of Prosthetic Valves with Echocardiography and Doppler Ultrasound

Leia mais

Uma proposta para nomenclatura dos defeitos congênitos do sistema cardiovascular

Uma proposta para nomenclatura dos defeitos congênitos do sistema cardiovascular Rev Bras Cir Cardiovasc 2002; 17(1): 1-5. Abreu Filho C A C, Dallan L A O, Lisboa L A F, Platania F, Iglézias J C R, Cabral R H, Bordallo R, Dallan L A P, Oliveira S Artigo Especial Uma proposta para nomenclatura

Leia mais

Maria Christiane Valeria Braga Braile-Sternieri

Maria Christiane Valeria Braga Braile-Sternieri Maria Christiane Valeria Braga Braile-Sternieri Pericárdio Bovino Tratado com Ácido Glutâmico para Confecção de Próteses Valvulares Cardíacas: Estudos In Vitro e In Vivo Tese apresentada à Faculdade de

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA

FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA 1 FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA Av. Prof. Alfredo Balena 190-2 0 andar Caixa postal 340 - CEP 30130-100 031-3409-9759 e 3409-9760 cirurgia@medicina.ufmg.br CIR TÓPICOS CLÍNICA

Leia mais

SISTEMA DE TESTE DE FADIGA PARA SUPORTES FLEXíVEIS DE BIOPRÓTESES DE VALVAS CARDíACAS. por. AN.J. CASAGRANDE1. J.B.P. PAULlN2 e I.S.J.

SISTEMA DE TESTE DE FADIGA PARA SUPORTES FLEXíVEIS DE BIOPRÓTESES DE VALVAS CARDíACAS. por. AN.J. CASAGRANDE1. J.B.P. PAULlN2 e I.S.J. RBE VOL. 9 I N. 2 23 SISTEMA DE TESTE DE FADIGA PARA SUPORTES FLEXíVEIS DE BIOPRÓTESES DE VALVAS CARDíACAS. por AN.J. CASAGRANDE1. J.B.P. PAULlN2 e I.S.J. CASAGRANDE3 RESllMO- - Com o propósito de contribuir

Leia mais

Selo diafragma com conexão flangeada Com diafragma faceado ao processo Modelo 990.27

Selo diafragma com conexão flangeada Com diafragma faceado ao processo Modelo 990.27 Selo diafragma Selo diafragma com conexão flangeada Com diafragma faceado ao processo Modelo 990.27 WIKA Folha técnica DS 99.27 Outras aprovações veja página 3 Aplicações Indústria de processos químicos

Leia mais

JOSE CICERO STOCCO GUILHEN

JOSE CICERO STOCCO GUILHEN JOSE CICERO STOCCO GUILHEN ESTUDO EXPERIMENTAL DO IMPLANTE TRANSCATETER DE PRÓTESE VALVULADA AUTOEXPANSÍVEL NA VIA DE SAÍDA DO VENTRÍCULO DIREITO EM PORCOS Tese apresentada à Universidade Federal de São

Leia mais

TEP - Evolução. Após episódio de TEP agudo, em 85 a 90% dos casos ocorre. trombólise espontânea ou farmacológica e recanalização do vaso

TEP - Evolução. Após episódio de TEP agudo, em 85 a 90% dos casos ocorre. trombólise espontânea ou farmacológica e recanalização do vaso Fabio B. Jatene Prof. Titular do Departamento de Cardiopneumologia -HC HC-FMUSP TEP Agudo 1cm TEP - Evolução Após episódio de TEP agudo, em 85 a 90% dos casos ocorre trombólise espontânea ou farmacológica

Leia mais

THE NEW ENGLAND JOURNAL OF MEDICINE A P R E S E N T A Ç Ã O : D R. L E A N D R O M A N D A L O U F A S

THE NEW ENGLAND JOURNAL OF MEDICINE A P R E S E N T A Ç Ã O : D R. L E A N D R O M A N D A L O U F A S THE NEW ENGLAND JOURNAL OF MEDICINE PERCUTANEUS REPAIR OR SURGERY FOR MITRAL REGURGITATION EVEREST II=ENDOVASCULAR VALVE EDGE-TO-EDGE REPAIR STUDY A P R E S E N T A Ç Ã O : D R. L E A N D R O M A N D A

Leia mais

DISPOSITIVO DE ASSISTENCIA VENTRICULAR: DESENVOLVIMENTO E AVALIACAO HIDRODINAMICA "IN VITRO" por

DISPOSITIVO DE ASSISTENCIA VENTRICULAR: DESENVOLVIMENTO E AVALIACAO HIDRODINAMICA IN VITRO por DISPOSITIVO DE ASSISTENCIA VENTRICULAR: DESENVOLVIMENTO E AVALIACAO HIDRODINAMICA "IN VITRO" por S. A. HAYASHIDA1, M. S. OSHIRO 1, E. I. NAKAYAMA1, M. J. S. MAIZAT01, H. T. T. OYAMA1, A. A. LEIRNER2, A.

Leia mais

Avaliação de Tecnologias em Saúde. Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências

Avaliação de Tecnologias em Saúde. Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Avaliação de Tecnologias em Saúde Assunto: CARDIOBLATE : Sistema de Ablação Cardíaca para o Tratamento de Arritmias Canoas, Outubro de 2008 AVALIAÇÃO DA

Leia mais

SUBSTITUTO DE DURA-MÁTER PATCH BOVINO 11/2008

SUBSTITUTO DE DURA-MÁTER PATCH BOVINO 11/2008 UNIMED-BH - COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO LTDA GRUPO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE - GATS SUBSTITUTO DE DURA-MÁTER PATCH BOVINO 11/2008 Belo Horizonte Março 2008 Autoras: Dra. Christiane Guilherme

Leia mais

Avaliação ecocardiográfica em pacientes submetidos à substituição de cordas tendíneas rotas

Avaliação ecocardiográfica em pacientes submetidos à substituição de cordas tendíneas rotas ARTIGO ORIGINAL Avaliação ecocardiográfica em pacientes Echocardiographic evaluation of patients submitted to replacement of ruptured chordae tendineae João Carlos LEAL 1, Francisco GREGORI JR 2, Luis

Leia mais

Fisiologia Geral. Biofísica da Circulação: artérias

Fisiologia Geral. Biofísica da Circulação: artérias Fisiologia Geral Biofísica da Circulação: O ciclo cardíaco; Interconversão de energias nas artérias SISTEMA CARDIOVASCULAR Sistema de ductos fechados com uma bomba hidráulica: O coração. Artérias: vasos

Leia mais

Hemodinâmica. Cardiovascular. Fisiologia. Fonte: http://images.sciencedaily.com/2008/02/080226104403-large.jpg

Hemodinâmica. Cardiovascular. Fisiologia. Fonte: http://images.sciencedaily.com/2008/02/080226104403-large.jpg Fonte: http://images.sciencedaily.com/2008/02/080226104403-large.jpg Fisiologia Cardiovascular Hemodinâmica Introdução O sistema circulatório apresenta várias funções integrativas e de coordenação: Função

Leia mais

cateter de Swan-Ganz

cateter de Swan-Ganz cateter de Swan-Ganz Dr. William Ganz Dr. Jeremy Swan A introdução, por Swan e Ganz, de um cateter que permitia o registro de parâmetros hemodinâmicos na artéria pulmonar a partir de 1970 revolucionou

Leia mais

08h30-08h45 Analise das novas diretrizes de CRM da ESC 2014. Indicaçao e procedimento na CRM em pacientes com FE diminuída

08h30-08h45 Analise das novas diretrizes de CRM da ESC 2014. Indicaçao e procedimento na CRM em pacientes com FE diminuída PROGRAMA CIENTÍFICO Quinta-feira 13 de agosto de 2015 SALA A MESA REDONDA - DAC CRÔNICA Analise das novas diretrizes de CRM da ESC 2014 Indicaçao e procedimento na CRM em pacientes com FE diminuída Quando

Leia mais

8º SIMPÓSIO DE CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA PARA O CLÍNICO

8º SIMPÓSIO DE CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA PARA O CLÍNICO 8º SIMPÓSIO DE CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA PARA O CLÍNICO ESTADO ATUAL E PERSPECTIVAS DA INTERVENÇÃO CORONÁRIA EM PACIENTES COM LESÃO DE TRONCO NÃO PROTEGIDO JOÃO BATISTA L.LOURES LESÃO DE TCE NÃO PROTEGIDO

Leia mais

OPME -Órteses, Próteses e Materiais Especiais: Uma Discussão sobre uso e abusos Marcelo Queiroga Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI) Presidente Conselheiro CRM-PB

Leia mais

CAV - Centro de Acesso Vasculares

CAV - Centro de Acesso Vasculares CAV - Centro de Acesso Vasculares Exames Complementares Paulo Almeida Cirurgião Vascular Centro Hospitalar do Porto Hospital Santo António GEV- Grupo Estudos Vasculares Consulta de AcessosVasculares: Mapeamento

Leia mais

CENAP CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO TÉCNICO EM RADIOLOGIA DANIELE MÜLLER BISINELA ANÁLISE DA EFICÁCIA DO RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO

CENAP CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO TÉCNICO EM RADIOLOGIA DANIELE MÜLLER BISINELA ANÁLISE DA EFICÁCIA DO RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO CENAP CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO TÉCNICO EM RADIOLOGIA DANIELE MÜLLER BISINELA ANÁLISE DA EFICÁCIA DO RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO CASCAVEL 2010 2 DANIELE MÜLLER BISINELA ANÁLISE DA EFICÁCIA DO

Leia mais

Mirtazapina é Indicada para o Tratamento de Fibromialgia

Mirtazapina é Indicada para o Tratamento de Fibromialgia Mirtazapina é Indicada para o Tratamento de Fibromialgia Melhora a Qualidade de Vida dos Pacientes Diminui a Dor Musculoesquelética Beneficia a Qualidade do Sono Reduz a Incapacidade Relacionada à Doença

Leia mais

NLST: estamos prontos para o rastreamento do câncer de pulmão?

NLST: estamos prontos para o rastreamento do câncer de pulmão? NLST: estamos prontos para o rastreamento do câncer de pulmão? Vladmir Cláudio Cordeiro de Lima, MD, PhD Hospital A.C. Camargo São Paulo - Brasil Rastreamento do Câncer de Pulmão Fonte: World Health Organization.

Leia mais

Cirurgia Valvar em Gestantes. Experiência em Oito Casos

Cirurgia Valvar em Gestantes. Experiência em Oito Casos Cirurgia Valvar em Gestantes. Experiência em Oito Casos Pablo Maria Alberto Pomerantzeff, Anderson Benício, Carlos Manuel de Almeida Brandão, Walkiria Samuel Ávila, Paulo Cesar Luiz Bueno, Max Grinberg,

Leia mais

AVALIAÇÃ ÇÃO ECOCARDIOGRAFICA DA FUNÇÃ. José Flávio Sette de Souza jflavioss@uol.com.br

AVALIAÇÃ ÇÃO ECOCARDIOGRAFICA DA FUNÇÃ. José Flávio Sette de Souza jflavioss@uol.com.br AVALIAÇÃ ÇÃO ECOCARDIOGRAFICA DA FUNÇÃ ÇÃO O DIASTÓLICA DO VE José Flávio Sette de Souza jflavioss@uol.com.br Funçã ção o Diastólica Normal... A capacidade de enchimento ventricular esquerdo o suficiente

Leia mais

Setor de PET/CT & Medicina Nuclear PET/CT (FDG) Agradecimento a Dra. Carla Ono por ceder material científico

Setor de PET/CT & Medicina Nuclear PET/CT (FDG) Agradecimento a Dra. Carla Ono por ceder material científico PET/CT (FDG) Agradecimento a Dra. Carla Ono por ceder material científico EMENTA 1. PET/CT com FDG: Conceitos básicos 2. PET/CT-FDG no CA de Pulmão e NPS: a. Indicações aprovadas pela ANS b. Bases científicas

Leia mais

A Prática Cardiológica no Cenário da Alta Complexidade

A Prática Cardiológica no Cenário da Alta Complexidade A Prática Cardiológica no Cenário da Alta Complexidade Doença Aterosclerótica Coronariana e o Emprego Racional de Endopróteses Procedimento Operacional Padrão Dr. Marco Antonio de Mattos Hospital UNIMED-RIO-

Leia mais

PERFUSÃO INTRAPERITONEAL HIPERTÉRMICA

PERFUSÃO INTRAPERITONEAL HIPERTÉRMICA NewsLetter Boletim Científico ano 6 abril 2015 nº36 Biológica & Soluções Cardiovascular Eletromecânica Endovascular Oncologia PERFUSÃO INTRAPERITONEAL HIPERTÉRMICA 1 Nathália Paiva Pereira, MsC 2 Renata

Leia mais

Válvula cardíaca de carbono de duplo folheto Biplus: projeto e desenvolvi mento

Válvula cardíaca de carbono de duplo folheto Biplus: projeto e desenvolvi mento Rev Bras Cir Cardiovasc 1996; 11(4): 274-8. Válvula cardíaca de carbono de duplo folheto Biplus: projeto e desenvolvi mento Hélio Pereira de MAGALHÃES*, Ana Lúcia MACHADO*, Arthur J. RAOUL **, Ary Fernandes

Leia mais

Reoperações em Cirurgia Cardíaca: a experiência de 5 anos de um Centro

Reoperações em Cirurgia Cardíaca: a experiência de 5 anos de um Centro Reoperações em Cirurgia Cardíaca: a experiência de 5 anos de um Centro Rui Cerejo, Luís Baquero, Andreia Gordo, Hagen Kahlbau, Nuno Banazol, José Fragata Hospital de Santa Marta Centro Hospitalar Lisboa

Leia mais

Operação de Rastelli utilizando-se conduto valvulado de pericárdio bovino: experiência inicial

Operação de Rastelli utilizando-se conduto valvulado de pericárdio bovino: experiência inicial Re v. Bras. Gir. Gardiovasc., 3(2) 84-92, 1988. Operação de Rastelli utilizando-se conduto valvulado de pericárdio bovino: experiência inicial Carlos R. MORAES', Jorge V. RODRIGUES', Cláudio A. GOMES',

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE TRATAMENTO DAS DOENÇAS CORONÁRIA E CAROTÍDEA CONCOMITANTE

ESTRATÉGIAS DE TRATAMENTO DAS DOENÇAS CORONÁRIA E CAROTÍDEA CONCOMITANTE ESTRATÉGIAS DE TRATAMENTO DAS DOENÇAS CORONÁRIA E CAROTÍDEA CONCOMITANTE MARCOS ANTONIO MARINO COORDENADOR DEPARTAMENTO DE HEMODINÂMICA, CARDIOLOGIA E RADIOLOGIA VASCULAR INTERVENCIONISTA CONFLITO DE INTERESSES

Leia mais

PÔSTERES DIA 13/11/2015-08:00 ÀS 12:00 TÍTULO

PÔSTERES DIA 13/11/2015-08:00 ÀS 12:00 TÍTULO 1 PÔSTERES DIA 13/11/2015-08:00 ÀS 12:00 A CIRCULAÇÃO EXTRACORPOREA NA CIRURGIA CARDÍACA BRASILEIRA: HISTÓRICO, AVANÇOS E DESAFIOS. 2 A DISSECÇÃO AÓRTICA E O TRATAMENTO ENDOVASCULAR 3 A IMPORTÂNCIA DA

Leia mais

Stents farmacológicos e diabetes

Stents farmacológicos e diabetes Stents farmacológicos e diabetes Constantino González Salgado Hospital Pró Cardíaco Realcath-RealCordis HUPE-UERJ DM analisando o problema O Diabetes Mellitus é doença sistêmica de elevada prevalência

Leia mais

Sistema Circulatório. Prof. Dr.Thiago Cabral

Sistema Circulatório. Prof. Dr.Thiago Cabral Funções: Transportar Nutrientes e oxigênio as células; Retirar resíduos do metabolismo; Defender o organismo contra substâncias estranhas e microorganismos. Características Sistema fechado; Constituído

Leia mais

MODELO DE INSTRUÇÕES DE USO INSTRUMENTAL NÃO ARTICULADO NÃO CORTANTE NÃO ESTÉRIL DESCARTÁVEL

MODELO DE INSTRUÇÕES DE USO INSTRUMENTAL NÃO ARTICULADO NÃO CORTANTE NÃO ESTÉRIL DESCARTÁVEL MODELO DE INSTRUÇÕES DE USO INSTRUMENTAL NÃO ARTICULADO NÃO CORTANTE NÃO ESTÉRIL DESCARTÁVEL (As informações aqui apresentadas são de caráter declaratório, podendo o texto final, ter formatação diferente)

Leia mais

Rastreamento do câncer de pulmão

Rastreamento do câncer de pulmão Rastreamento do câncer de pulmão Arthur Soares Souza Jr. Professor livre docente da FAMERP Membro do Ultra X Diagnóstico por Imagem São José do Rio Preto - SP Rastreamento do câncer de pulmão Estamos familiarizados

Leia mais

SBCBA. Jornadas do interior mobilizam

SBCBA. Jornadas do interior mobilizam SBCBA Interiorização do Conhecimento Jornadas do interior mobilizam cardiologistas de diversas regiões da Bahia SBC-BA e Fundação Lar Harmonia realizam ação de saúde comunitária Artigo Científico: Novas

Leia mais

Bulhas e Sopros Cardíacos

Bulhas e Sopros Cardíacos O conceito de pressão máxima e pressão mínima Quando se registra uma pressão de 120 mmhg por 80 mmhg, indica-se que a pressão sistólica é de 120 mmhg e a pressão diastólica é de 80 mmhg, ou seja, que estas

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA BIOMÉDICA (PPGEB) ANGELA MARIA PERUZZO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA BIOMÉDICA (PPGEB) ANGELA MARIA PERUZZO 2 UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA BIOMÉDICA (PPGEB) ANGELA MARIA PERUZZO AVALIAÇÃO MECÂNICA E HISTOLÓGICA DE PERICÁRDIO BOVINO DESCELULARIZADO SUBMETIDO

Leia mais

Catálogo. Torneiras - Registros e Acessórios. Requinte - Alta Qualidade - Conformidade

Catálogo. Torneiras - Registros e Acessórios. Requinte - Alta Qualidade - Conformidade Catálogo Torneiras - Registros e Acessórios Requinte - Alta Qualidade - Conformidade Torneira sensor cano U - Retangular 1878 Torneira sensor cano 1 Quadrada 1879 Torneira sensor cano U 1880 Torneira sensor

Leia mais

Substituição Valvar Aórtica Percutânea para o Tratamento da Estenose Aórtica. Experiência Inicial no Brasil

Substituição Valvar Aórtica Percutânea para o Tratamento da Estenose Aórtica. Experiência Inicial no Brasil Substituição Valvar Aórtica Percutânea para o Tratamento da Estenose Aórtica. Experiência Inicial no Brasil Percutaneous Aortic Valve Replacement for the Treatment of Aortic Stenosis. Early Experience

Leia mais

HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA EM 2016

HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA EM 2016 HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA EM 2016 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Início 2 de Fevereiro

Leia mais

Miniaturização no Pacing permanente

Miniaturização no Pacing permanente Miniaturização no Pacing permanente Para onde vamos? Dr. Luis Alves Carpinteiro CHLN / HSM Miniaturização no pacing permanente A miniaturização de sistemas implantáveis para terapia de ritmo cardíaco designa

Leia mais

Sistema para Gerenciamento de

Sistema para Gerenciamento de Sistema para Gerenciamento de Dosagem Getinge 2 Sistema para Gerenciamento de Dosagem Getinge Sistema para Gerenciamento de Dosagem Getinge (CMS) UM PROCESSO APRIMORADO, UMA SOLUÇÃO ÚNICA A Getinge pode

Leia mais

Filtros T e ROTOFILTERS

Filtros T e ROTOFILTERS Introdução O entupimento de emissores (gotejadores, microaspersores e tubo gotejadores) é a mais importante limitação dos sistemas de irrigação localizada. A dimensão da passagem de água destes componentes

Leia mais

Cirurgia de Revascularização Miocárdica. Resultados do Sistema Único de Saúde

Cirurgia de Revascularização Miocárdica. Resultados do Sistema Único de Saúde Cirurgia de Revascularização Miocárdica. Resultados do Sistema Único de Saúde Myocardial Revascularization Surgery (MRS). Results from National Health System (SUS) Leopoldo S. Piegas, Olímpio J Nogueira

Leia mais

OS EFEITOS DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM PACIENTES PÓS- CIRURGIA CARDÍACA

OS EFEITOS DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM PACIENTES PÓS- CIRURGIA CARDÍACA OS EFEITOS DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA EM PACIENTES PÓS- CIRURGIA CARDÍACA Vanessa Mota Lins Eder Rodrigues Machado RESUMO: Introdução: Trata-se de um estudo que sintetizou o conhecimento produzido acerca

Leia mais

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza Treinamento de Força e Diabetes Ms. Sandro de Souza Taxa de prevalência de Diabetes Mellitus Período: 2009 Relevância Diagnóstico de DIABETES MELLITUS Diabetes Care. 2007;30:S4 41. Resistência a Insulina

Leia mais

Sistema cardiovascular

Sistema cardiovascular Roteiro: Sistema cardiovascular Organizacao do sistema circulatorio coracao, arterias, veias fluxo sanguineo: coracao, tecidos, pulmao, coracao Bomba cardiaca musculo cardiaco e contracao funcionamento

Leia mais

Semiologia Cardiovascular. Estenose Aórtica. Por Gustavo Amarante

Semiologia Cardiovascular. Estenose Aórtica. Por Gustavo Amarante Semiologia Cardiovascular Estenose Aórtica Por Gustavo Amarante 1- Etiologia A obstrução da via de saída do ventrículo esquerdo na maioria das vezes localizase na valva aórtica. Mas pode haver obstrução

Leia mais

1. Resumo executivo... 2 2. Conclusão... 2 2.1... 2 2.2. Recomendação... 2 3. Análise da solicitação... 2

1. Resumo executivo... 2 2. Conclusão... 2 2.1... 2 2.2. Recomendação... 2 3. Análise da solicitação... 2 NTRR 22/2014 Solicitante: BERNADETE PORTUGAL SIMÃO Data:31 /01 /2014 Medicamento x Material Procedimento Cobertura Número do processo: 0001041-06.2014.8.13.0444 Réu: Estado de Minas Gerais TEMA: Aneurisma

Leia mais

No jovem com FA paroxística e sem cardiopatia estrutural a ablação deve ser a terapêutica inicial? DIOGO CAVACO

No jovem com FA paroxística e sem cardiopatia estrutural a ablação deve ser a terapêutica inicial? DIOGO CAVACO No jovem com FA paroxística e sem cardiopatia estrutural a ablação deve ser a terapêutica inicial? DIOGO CAVACO EPIDEMIOLOGIA Prevalência aumenta com a idade 1% na população geral 80 anos

Leia mais

Portaria Inmetro/Dimel n.º 261, de 14 de julho de 2009.

Portaria Inmetro/Dimel n.º 261, de 14 de julho de 2009. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria Inmetro/Dimel n.º 261, de 14

Leia mais

Cranberry. Tratamento e prevenção infecção urinária

Cranberry. Tratamento e prevenção infecção urinária Cranberry Tratamento e prevenção infecção urinária Nome científico: Vaccinium macrocarpon Família: Ericaceae Parte utilizada: fruto Ativos: antocianidinas, flavonóides, proantocianidinas, taninos condensados

Leia mais

Substituição da Valva Aórtica com Auto-enxerto Pulmonar (Cirurgia de Ross). Experiência Inicial

Substituição da Valva Aórtica com Auto-enxerto Pulmonar (Cirurgia de Ross). Experiência Inicial 15 Substituição da Valva Aórtica com Auto-enxerto Pulmonar (Cirurgia de Ross). Experiência Inicial Francisco Diniz Affonso da Costa, Robinson Poffo, Maria Adriana Almeida Costa Lima, George Ronald Soncini

Leia mais

RCC- Radiologia Clínica de Campinas A Imagem da sua Saúde RESSONÂNCIA MAGNÉTICA 3.0 TESLA

RCC- Radiologia Clínica de Campinas A Imagem da sua Saúde RESSONÂNCIA MAGNÉTICA 3.0 TESLA RCC- Radiologia Clínica de Campinas A Imagem da sua Saúde RESSONÂNCIA MAGNÉTICA 3.0 TESLA ABERTURA 70 CM + TIM SUPER ALTO CAMPO - ALTA RESOLUÇÃO MAIOR VELOCIDADE - MAIOR COMODIDADE PREZADO COLEGA Com grande

Leia mais

Diabetes implica risco 2 4x maior de doença coronária Cardiopatia isquémica é responsável por 75% das mortes relacionadas com a diabetes

Diabetes implica risco 2 4x maior de doença coronária Cardiopatia isquémica é responsável por 75% das mortes relacionadas com a diabetes Diabetes implica risco 2 4x maior de doença coronária Cardiopatia isquémica é responsável por 75% das mortes relacionadas com a diabetes Circulation 2003;108:1655 61 Diabetes predispõe para uma forma difusa

Leia mais

Figura 1 : Foto embalagem c/filme para Radiografia Geral Modelo TMAT-G/RA

Figura 1 : Foto embalagem c/filme para Radiografia Geral Modelo TMAT-G/RA INSTRUÇÕES DE USO FILMES KODAK PARA RADIOGRAFIA GERAL TMAT-G/RA (TMG/ RA); MXG; INSIGHT IT; INSIGHT IP, INSIGHT VHC (ITC) Kodak da Amazônia Indústria e Comércio Ltda. Fabricante: Kodak da Amazônia Indústria

Leia mais

07 e 08 de Maio de 2010 Centro de Eventos Hotel Deville Porto Alegre - RS

07 e 08 de Maio de 2010 Centro de Eventos Hotel Deville Porto Alegre - RS 07 e 08 de Maio de 2010 Centro de Eventos Hotel Deville Porto Alegre - RS 07h00 07h55 Credenciamento Programação Dia 7 de Maio de 2010 - sexta-feira Boas Vindas e Introdução Rogério Sarmento-Leite (RS),

Leia mais

Rascunhos de Um Acadêmico de Medicina Rafael Lessa

Rascunhos de Um Acadêmico de Medicina Rafael Lessa DOENÇA VALVAR CARDÍACA A maioria das doenças cardíacas valvares causa estenose valvar com obstrução do fluxo anterógrado ou insuficiência valvar com fluxo retrógrado. A estenose valvar impõe uma sobrecarga

Leia mais

30/07/2013. Ecocardiografia: PAPs = 64 mmhg VRT = 4,6 m/s Derrame pericárdico = ausente TAPSE = 2,8 cm

30/07/2013. Ecocardiografia: PAPs = 64 mmhg VRT = 4,6 m/s Derrame pericárdico = ausente TAPSE = 2,8 cm Hipertensão Arterial Pulmonar Idiopática (HAPI) Caso Clínico IV Curso Nacional de Circulação Pulmonar 28-2929 de Junho de 2013 - São Paulo SBPT Hugo Hyung Bok Yoo Pneumologia Jun/2010:, 39 anos, mecânico,

Leia mais

Tratamento endovascular da síndrome de congestão venosa pélvica em paciente portadora de varizes de membros inferiores

Tratamento endovascular da síndrome de congestão venosa pélvica em paciente portadora de varizes de membros inferiores Tratamento endovascular da síndrome de congestão venosa pélvica em paciente portadora de varizes de membros inferiores Autores Márcio F C Medeiros CRM/AL 5031 Especialista em Radiologia intervencionista

Leia mais

Segunda-Feira, 21 de Setembro de 2015

Segunda-Feira, 21 de Setembro de 2015 Segunda-Feira, 21 de Setembro de 2015 (19200) Simpósio Insuficiência Cardíaca, Cardiomiopatia e Doenças do Pericárdio Auditório 1 (Capacidade 500) 08:30 10:00 O Desafio da Avaliação de Dispneia em Pacientes

Leia mais

Análise do desempenho

Análise do desempenho Validação de Equipamentos em CME Análise do desempenho Conforme a RDC 15 Validação de Equipamentos em CME APRESENTAÇÃO Luciano Manoel - Especialista em processos de Qualificação de Equipamentos, com experiência

Leia mais

Brasil AccuTEST Systems, Brasil Vitória Espírito Santo - Brasil www.accutestsystems.com

Brasil AccuTEST Systems, Brasil Vitória Espírito Santo - Brasil www.accutestsystems.com Escritórios Centrais AccuTEST Systems, Inc. 76 Veterans Drive Suite 660 Holland Michigan USA 49423 Tel 616 394 1401 Fax 616 394 1402 www.accutestsystems.com Brasil AccuTEST Systems, Brasil Vitória Espírito

Leia mais

EuroSCORE e os pacientes submetidos a revascularização do miocárdio na Santa Casa de São Paulo

EuroSCORE e os pacientes submetidos a revascularização do miocárdio na Santa Casa de São Paulo EXPERIÊNCIA DE SERVIÇO Rev Bras Cir Cardiovasc ; (): 6-67 EuroSCORE e os pacientes submetidos a revascularização do miocárdio na Santa Casa de São Paulo EuroSCORE and the patients undergoing coronary bypass

Leia mais

ASSOCIAÇÃO MÉDICA DA PARAÍBA RISCO CIRÚRGICO. 9/7/2003 Dr. José Mário Espínola - AMPB 1

ASSOCIAÇÃO MÉDICA DA PARAÍBA RISCO CIRÚRGICO. 9/7/2003 Dr. José Mário Espínola - AMPB 1 ASSOCIAÇÃO MÉDICA DA PARAÍBA 1 I- CONCEITO: avaliação realizada por cardiologista, com fortes bases epidemiológicas, objetivando determinar classificação funcional do paciente, e risco de complicações

Leia mais

Doenças do Sistema Circulatório

Doenças do Sistema Circulatório Doenças do Sistema Circulatório Dados Mundiais: Mortes por grupos de causas - 2000 Total de Mortes: 55.694.000 Causas Externas ( 9.1%) Doenças Não Transmissíveis (59.0%) Doenças transmissíveis, mortalidade

Leia mais

TEMA: Uso de rivaroxabana (Xarelto ) em portadores de fibrilação atrial crônica

TEMA: Uso de rivaroxabana (Xarelto ) em portadores de fibrilação atrial crônica NT 65 Data: 08/04/2014 Solicitante: Dr. Eduardo Soares de Araújo Juiz de Direito Especial da Comarca Pública de Andradas Número do Processo: 0016044-91.2014.8.13.0026 TEMA: Uso de rivaroxabana (Xarelto

Leia mais

CÁLCULOS DE SHUNTS CARDÍACOS E MENSURAÇÃO DE ÁREA VALVAR

CÁLCULOS DE SHUNTS CARDÍACOS E MENSURAÇÃO DE ÁREA VALVAR CÁLCULOS DE SHUNTS CARDÍACOS E MENSURAÇÃO DE ÁREA VALVAR Curso Anual de Revisão em Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista SBHCI 2010 SALVADOR ANDRÉ B. CRISTÓVÃO BP-SP SHUNTS CARDÍACOS Desaturação

Leia mais