MANUAL INSTRUTIVO CADASTRO DE NOVAS PROPOSTAS DE REFORMA, AMPLIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE (UBS)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL INSTRUTIVO CADASTRO DE NOVAS PROPOSTAS DE REFORMA, AMPLIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE (UBS)"

Transcrição

1 MANUAL INSTRUTIVO CADASTRO DE NOVAS PROPOSTAS DE REFORMA, AMPLIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE (UBS) PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE (UBS)

2 APRESENTAÇÃO Este Manual Instrutivo foi desenvolvido pelo Departamento de Atenção Básica (DAB/SAS/MS) com o objetivo de orientar os municípios/distrito Federal quanto ao cadastro de novas propostas de Ampliação, Construção e Reforma de Unidades Básicas de Saúde (UBS). Nele será descrito todas as etapas que o município deverá seguir para obter sucesso no cadastro da proposta. O Ministério da Saúde (MS) através do Programa de Requalificação das UBS visa contribuir para estruturação e o fortalecimento da Atenção Básica e para a continuidade da mudança do modelo de atenção à saúde no País, propondo que a melhoria da estrutura física da UBS seja facilitadora para a mudança das práticas das Equipes de Saúde. PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE (UBS)

3 PRIMEIRA ETAPA QUESTIONÁRIO ON-LINE DE DIAGNÓSTICO DAS UBS Acessar o Sistema de Monitoramento de Obras (SISMOB) e clicar em Questionário on-line de Diagnóstico das UBS, o qual estará disponível a partir do dia 15 de fevereiro de Se ainda não acessou o SISMOB, ou tem dúvida quanto ao Sistema, clique aqui e visualize o PASSO A PASSO DO SISMOB. PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE (UBS)

4 DADOS DO QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO DAS UBS 01 Tipo de imóvel: Próprio Cedido Alugado 02 Existência de documentação regular*: Sim Não *Será considerado imóvel com documentação regular, aquele que possuir um dos seguintes documentos: Certidão de registro emitida pelo cartório de registro de imóveis competente Termo de doação de forma irretratável e irrevogável por no mínimo 20 (vinte) anos ao município; Documentação admitida em lei como hábil à prova de propriedade e ocupação regular do imóvel; Declaração comprobatória da condição de terreno público. No Questionário serão disponibilizados os dados exportados dos diagnósticos de infraestrutura do Ministério da Saúde e do censo das UBS Vale ressaltar que apenas os campos de 01 a 07 poderão ser alterados, ou preenchidos, caso encontrem-se sem informação.

5 DADOS DO QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO DAS UBS 03 Localização do imóvel: Zona Urbana Zona Rural 04 Área construída do imóvel (m²) a área a ser informada não é a área total do terreno, e sim a área construída do imóvel. 05 Ano de construção do Imóvel: anos + 10 anos + 15 anos + 20 anos

6 DADOS DO QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO DAS UBS 06 Imóvel já foi reformado? Sim Não Se sim, informar o ano da última reforma e a origem do recurso (municipal, estadual ou federal) 07 Imóvel já foi ampliado? Sim Não Se sim, informar o ano da última ampliação e a origem do recurso (municipal, estadual ou federal) 08 Nº de Equipes de Saúde da Família cadastrada no CNES - essa informação será exportada da base de dados do Ministério da Saúde.

7 DADOS DO CENSO DAS UBS I - Coordenada Geográfica II- Tipo da Unidade: Posto de saúde Posto avançado Centro de saúde/unidade Básica de Saúde Outro(s) III - Quantidade de equipes de atenção básica na unidade por modalidade: Nº de Equipe de Saúde da Família com saúde bucal Nº de Equipe de Saúde da Família sem saúde bucal Nº de Equipe de atenção básica parametrizada* com saúde bucal Nº de Equipe de atenção básica parametrizada sem saúde bucal Outras configurações Atenção! Caso sua UBS ainda não tenha sido recenseada esses dados não serão visualizados.

8 DADOS DO CENSO DAS UBS IV- Infraestrutura da Unidade de Saúde Quantidade dos seguintes ambientes: Banheiros para funcionários Consultório Clínico Cons. Odontológico Sala de Curativo Sala de Acolhimento Recepção Farmácia Sala de vacina Sala de Observação Sala de procedimento Sala de nebulização Sala de reunião Sanitário para usuário masculino Sanitário para usuário feminino Sala de Estoc. de Medicamentos Sala de esterilização e estoc. de material Sala de lavagem/descontaminação Expurgo Local para depósito de lixo comum Sanitário adap. p/ pessoas com deficiência Sala de Espera, Se SIM, qual a capacidade instalada da sala de espera para pessoas sentadas?

9 DADOS DO CENSO DAS UBS V - Existência de Computador VI- Quantidade de computador em condições de uso VII - Número de consultório(s) com computador conectado à internet

10 SEGUNDA ETAPA NECESSIDADE DA UBS Após salvar os dados do Questionário on-line de Diagnóstico das UBS, o município/distrito Federal deverá selecionar a intervenção necessária para cada Unidade Básica de Saúde. Vale ressaltar que o preenchimento é obrigatório e que só poderá selecionar uma das opções. PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE (UBS)

11 AS INTERVENÇÕES OFERTADAS FORAM BASEADAS NOS SEGUINTES TIPOS DE UBS UBS Alugada e inadequada UBS Alugada e adequada UBS Própria e inadequada UBS Própria e adequada

12 UBS CONSIDERADA INADEQUADA UBS com metragem inferior a 153,24 m² que abrigue 1 Equipe de Saúde da Família (ESF) ou equipe de atenção básica compatível com o número de profissionais de 1 ESF; UBS com metragem inferior a 175 m² que abrigue 2 ESF ou equipe de atenção básica compatível com o número de profissionais de 2 ESF; UBS com metragem inferior a 192 m² que abrigue 3 ESF ou equipe de atenção básica compatível com o número de profissionais de 3 ESF; UBS com metragem inferior a 209 m² que abrigue no mínimo 4 ESF ou equipe de atenção básica compatível com o número de profissionais de 4 ESF ou mais;

13 INTERVENÇÕES OFERTADAS PARA AS UBS ALUGADAS UBS Alugada e inadequada: Construir uma UBS nova para substituí-la Alugar outro imóvel que seja adequado Solicitar ao proprietário do imóvel a adequação do mesmo UBS Alugada e adequada: Construir uma UBS nova para substituí-la Deseja continuar no imóvel alugado

14 INTERVENÇÕES OFERTADAS PARA AS UBS PRÓPRIAS UBS Própria e inadequada: Ampliar, se for possível; Construir uma UBS nova, caso não seja possível ampliá-la. UBS Própria e adequada: Ampliar, desde que amplie os serviços ou o número de equipes. Caso escolha ampliar o número de equipe, deverá informar o número de equipes a ser ampliado. Reformar, caso seja necessário. Não necessita reformar, nem deseja ampliar os serviços ou o número de equipes.

15 TERCEIRA ETAPA SITUAÇÃO DAS OBRAS DO MUNICÍPIO Nessa etapa o município/distrito Federal visualizará a situação das obras do município. Vale ressaltar que em 31 de maio de 2013 o município/distrito Federal deverá estar com suas obras em dia, caso contrário sua proposta não poderá ser selecionada. PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE (UBS)

16 Para que o município/distrito Federal visualize a situação de todas as obras de reforma, ampliação e construção de UBS habilitadas em anos anteriores, deverá acessar o Sistema de Monitoramento de Obras e clicar no botão Situação do Município, conforme tela a seguir:

17 DADOS EXPORTADOS AO CLICAR EM SITUAÇÃO DO MUNICÍPIO Número da proposta Tipo de recurso Emenda ou Programa Valor total da proposta Data de pagamento das respectivas parcelas Cadastramento da Obra no SISMOB sim ou não Conclusão do Projeto sim ou não Conclusão da contratação da obra sim ou não Ordem de Serviço cadastrada nos respectivos sistemas * sim ou não Parecer favorável ou adequação ** Alteração de endereço (apenas para construção de UBS) - não solicitada, concluída ou com pendência ***

18 * A Ordem de Serviço das propostas de construção de UBS habilitadas no período de 2009 a 2012 deverá ser inserida no Sistema de Cadastro de Propostas Fundo a Fundo, disponível no seguinte endereço eletrônico: Clique aqui para visualizar o passo a passo para inserção da Ordem de Serviço no Sistema do FNS. OBS: A ordem de Início de Serviços das propostas de Reforma e Ampliação devem ser inseridas no SISMOB. ** A situação adequação significa que foi emitido um parecer de diligência, e a proposta no momento está em posse do município, para que o mesmo realize as correções solicitadas no parecer. *** Alteração de endereço com pendência (somente para Construção de UBS) nesses casos não será permitido à inserção da Ordem de Inicio de Serviço no Sistema. Orientamos que acesse o site do Fundo Nacional de Saúde (http://fns.saude.gov.br/) e verifique o parecer emitido com relação à solicitação de alteração de endereço. Clique aqui e veja como visualizar o parecer no Sistema do FNS.

19 QUARTA ETAPA INFORMAÇÕES E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA CADASTRAR PROPOSTA Com o objetivo de facilitar e agilizar o cadastro da proposta, nessa etapa descreveremos todas as informações e documentos que o gestor local deverá providenciar para a realização do cadastro da proposta. Vale ressaltar que o Sistema para Cadastro de Proposta estará aberto no período de 01 a 05 de abril de 2013 nos seguintes endereços eletrônicos:. PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE (UBS)

20 INFORMAÇÕES E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA CADASTRAR PROPOSTA DE CONSTRUÇÃO Informar a localização da UBS a ser construída com endereço completo; Informar a coordenada geográfica do local da construção através de ferramenta disponibilizada no sistema de cadastro da proposta; Inserir a Certidão de registro emitida pelo cartório de registro de imóveis competente, ou alternativamente por termo de doação de forma irretratável e irrevogável por no mínimo 20 (vinte) anos ao município, ou Documentação admitida em lei como hábil à prova de propriedade e ocupação regular do imóvel, ou Declaração comprobatória da condição de terreno público.

21 INFORMAÇÕES E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA CADASTRAR PROPOSTA DE CONSTRUÇÃO Inserir 3 (três) fotografias do terreno. As fotografias deverão ser tiradas de ângulos diferentes, de modo que possibilite a visualização total do terreno; Informar as comunidades a serem beneficiadas e o número de habitantes a serem assistidos nesta UBS.

22 INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA CADASTRAR PROPOSTA DE CONSTRUÇÃO Informar o Porte da Unidade Básica de Saúde a ser pleiteada: UBS Porte I - destinada e apta a abrigar, no mínimo, 1 (uma) Equipe de Saúde da Família (esf) ou equipe de atenção básica, com nº de profissionais compatível à 1 esf - R$ ,00 metragem mínima: 297,72 m²; UBS Porte II - destinada e apta a abrigar, no mínimo, 2 (duas) Equipes de Saúde da Família ou equipe de atenção básica, com nº de profissionais compatível à 2 esf - R$ ,00 - metragem mínima: 374,04 m² UBS Porte III - destinada e apta a abrigar, no mínimo, 3 (três) Equipes de Saúde da Família ou equipe de atenção básica, com nº de profissionais compatível à 3 esf - R$ ,00 - metragem mínima: 481,32 m² UBS Porte IV - destinada e apta a abrigar, no mínimo, 4 (quatro) Equipes de Saúde da Família ou equipe de atenção básica, com nº de profissionais compatível à 4 esf ,00 - metragem mínima: 564,84 m²

23 INFORMAÇÕES E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA CADASTRAR PROPOSTA DE REFORMA Para que seja calculado o valor da Reforma, será necessário informar a porcentagem estimada para cada um dos grupos de serviços listados a seguir: I - Demolições e Retiradas; II - Infraestrutura; III - Estrutura; IV - Alvenaria; V - Cobertura; VI Esquadrias; VII - Instalações Hidrossanitárias; VIII - Instalações Elétricas; IX Rede Lógica; X Instalações Especiais; XI Pisos; XII - Revestimentos; XIII Vidros; XIV - Pinturas XV - Limpeza da Obra.

24 INFORMAÇÕES E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA CADASTRAR PROPOSTA DE REFORMA Inserir foto dos ambientes a serem reformados e/ou dos serviços que serão realizados, exemplo: foto do piso que poderá ser trocado, foto do revestimento a ser substituído, foto da cobertura a ser reformada e etc. As fotografias deverão ser tiradas de ângulos (posições) que possibilite a melhor visualização do ambiente a ser reformado ou do serviço a ser realizado. Vale ressaltar que as fotos solicitadas no SISMOB tem os seguintes objetivos: Viabilizar a aprovação da proposta e pagamento das parcelas a serem repassadas; Identificar a situação inicial da UBS, as ações executadas durante a realização da obra e o resultado após a conclusão.

25 QUAIS UBS PODERÃO SER REFORMADAS? Serão financiadas as reformas de Unidades Básicas de Saúde implantadas em imóvel próprio do Município/Distrito Federal ou a ele cedido por outro ente federativo, que possua documentação regular, cuja metragem seja superior a 153,24 m².

26 INFORMAÇÕES E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA CADASTRAR PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO Para que seja calculado o valor da Ampliação, será necessário informar os seguintes dados, com relação a cada ambiente: A quantidade de cada ambiente existente A área total (m²) existente de cada ambiente O ambiente que deseja ampliar e a área (m²) a ser ampliada O ambiente que deseja construir e a área (m²) a ser construída

27 INFORMAÇÕES E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA CADASTRAR PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO Inserir foto dos ambientes a serem ampliados ou da área a ser edificada na ampliação. As fotografias deverão ser tiradas de ângulos (posições) que possibilite a melhor visualização do ambiente a ser ampliado ou da área a ser edificada na ampliação. Vale ressaltar que as fotos solicitadas no SISMOB tem os seguintes objetivos: Viabilizar a aprovação da proposta e pagamento das parcelas a serem repassadas; Identificar a situação inicial da UBS, as ações executadas durante a realização da obra e o resultado após a conclusão.

28 QUAIS UBS PODERÃO SER AMPLIADAS? Serão financiadas ampliações de UBS implantadas em imóvel próprio do Município/Distrito Federal ou a ele cedido por outro ente federativo, que possua documentação regular, que tenha metragem inferior a 153,24 m² ou metragem superior a 153,24 m², desde que seja ampliada a oferta de serviços.

29 CRITÉRIOS PARA SELEÇÃO DAS PROPOSTAS DE REFORMA E AMPLIAÇÃO/PAC Municípios com maior percentual de população em extrema pobreza Desempenho do Município na execução das obras do programa de Requalificação de Unidades Básicas de QUAIS Saúde. UBS PODERÃO SER AMPLIADAS? Sistema de Monitoramento de Obras (SISMOB) atualizado para propostas de reformas e ampliações habilitadas no período de 2011 a Ter inserido no SISMOB até dia 31 de maio a Ordem de Início de Serviço das propostas de reforma e ampliação habilitadas no período de 2011 a 2012.

30 CRITÉRIOS PARA SELEÇÃO DAS PROPOSTAS DE CONSTRUÇÃO/PAC Municípios ou região do município com maior percentual de população em extrema pobreza Desempenho do Município na execução das obras do programa de Requalificação de Unidades Básicas de Saúde. Programa Minha Casa QUAIS Minha UBS Vida PODERÃO SER AMPLIADAS? Terreno Regularizado Sistema de Monitoramento de Obras (SISMOB) atualizado para propostas de construção, reforma e ampliação habilitadas no período de 2009 a Ter inserido até o dia 31 de maio de 2013, nos respectivos sistemas, a Ordem de Início de Serviço das propostas de reforma, ampliação e construção de UBS, habilitadas no período de 2009 a 2012.

Programa de Requalificação de UBS

Programa de Requalificação de UBS Programa de Requalificação de UBS PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS Programa instituído no ano de 2011 para estabelecer mecanismos de repasse de recursos financeiros para as Unidades Básicas de Saúde.

Leia mais

NOVAS ADESÕES AO PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS

NOVAS ADESÕES AO PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA NOVAS ADESÕES AO PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS O Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Atenção Básica, inicia

Leia mais

Nota Técnica - Programa de Requalificação de UBS

Nota Técnica - Programa de Requalificação de UBS Nota Técnica - Programa de Requalificação de UBS Esta Nota técnica trata dos principais pontos do Programa de Requalificação de Unidades Básicas e apresenta os fluxos que devem ser seguidos pelos municípios

Leia mais

INSTRUTIVO DE ORIENTAÇÃO PARA LIBERAÇÃO DE INCENTIVO FINANCEIRO

INSTRUTIVO DE ORIENTAÇÃO PARA LIBERAÇÃO DE INCENTIVO FINANCEIRO MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA INSTRUTIVO DE ORIENTAÇÃO PARA LIBERAÇÃO DE INCENTIVO FINANCEIRO PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

Leia mais

Emendas Impositivas e Sistema de Monitoramento de Obras -SISMOB. Porto Alegre/RS, 14 de julho de 2015

Emendas Impositivas e Sistema de Monitoramento de Obras -SISMOB. Porto Alegre/RS, 14 de julho de 2015 Emendas Impositivas e Sistema de Monitoramento de Obras -SISMOB Porto Alegre/RS, 14 de julho de 2015 Emendas Parlamentares 2015 Orçamento Impositivo Orçamento Impositivo A Emenda Constitucional 86/2015

Leia mais

PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE Resultado Seleção 2013/2014 1º CICLO COMPONENTE Nº DE MUNICÍPIOS Nº DE PROPOSTA VALOR TOTAL Construção 2311 4675 R$ 2.073.723.000,00 Reforma 975

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA FOTOGRAFAR AS OBRAS DE REFORMA, AMPLIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

MANUAL DE ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA FOTOGRAFAR AS OBRAS DE REFORMA, AMPLIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE MANUAL DE ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA FOTOGRAFAR AS OBRAS DE REFORMA, AMPLIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE APRESENTAÇÃO As informações descritas neste documento tem o objetivo de orientar os

Leia mais

SISTEMA DE MONITORAMENTO DE OBRAS- SISMOB COMPONENTE REFORMA

SISTEMA DE MONITORAMENTO DE OBRAS- SISMOB COMPONENTE REFORMA Sistema de Monitoramento de Obras SISTEMA DE MONITORAMENTO DE OBRAS- SISMOB COMPONENTE REFORMA PASSO A PASSO ATENÇÃO O município deverá acessar o sistema a cada 30 dias para informar a sua situação, mesmo

Leia mais

Orientações para a construção e ampliação de Unidades Básicas de Saúde - UBS

Orientações para a construção e ampliação de Unidades Básicas de Saúde - UBS Orientações para a construção e ampliação de Unidades Básicas de Saúde - UBS Introdução A Secretaria de Estado da Saúde estabeleceu como ação estruturante para a implantação das redes de atenção no Paraná,

Leia mais

Especializanda Laura Cristina M. Sousa Orientadora Profª. Dra. Jeane Félix

Especializanda Laura Cristina M. Sousa Orientadora Profª. Dra. Jeane Félix UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO, AVALIAÇÃO E PRODUÇÃO PEDAGÓGICA EM SAÚDE EDUCASAÚDE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA E EDUCAÇÃO NA SAÚDE Especializanda

Leia mais

Manual Prático de Cadastramento Imóveis CADASTRAMENTO DE IMÓVEIS; Acesse o site www.imobiliariacanale.com.br Clique Intranet

Manual Prático de Cadastramento Imóveis CADASTRAMENTO DE IMÓVEIS; Acesse o site www.imobiliariacanale.com.br Clique Intranet CADASTRAMENTO DE IMÓVEIS; Acesse o site www.imobiliariacanale.com.br Clique Intranet Na tela de login entre com Usuário e Senha Página 1 Na lateral esquerda clicar em Imóveis e depois opção Incluir Na

Leia mais

Saúde mais Perto de Você

Saúde mais Perto de Você Saúde mais Perto de Você FINANCIAMENTO DA ATENÇÃO BÁSICA Ano PAB fixo PAB variável Estruturação + Construção e Ampliação Valor total 2010 R$ 3,65 Bi R$ 5,92 Bi R$ 147 Mi R$ 9,73 Bi 2012 R$ 4,42 Bi R$ 8,31

Leia mais

PASSO A PASSO PARA INSTALAÇÃO DO E-SUS E DIGITAÇÃO DAS FICHAS DO PSE

PASSO A PASSO PARA INSTALAÇÃO DO E-SUS E DIGITAÇÃO DAS FICHAS DO PSE ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DIRETORIA DE ATENÇÃO BÁSICA PASSO A PASSO PARA INSTALAÇÃO DO E-SUS E DIGITAÇÃO DAS FICHAS DO PSE 1º Passo Acesse o Portal

Leia mais

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO 1. FUNCIONÁRIOS - EFETIVOS Médico Clínico 0 Médico Pediatra 1 Médico de Estratégia PSF 3 Psicólogo Clínico 30 horas 0 Psicólogo Clínico 40 horas 1 Cirurgião Dentista 2 Auxiliar de Saúde Bucal 2 Fonoaudiólogo

Leia mais

MANUAL DE USO DO SISTEMA SAIPS - SISTEMA DE APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS EM SAÚDE

MANUAL DE USO DO SISTEMA SAIPS - SISTEMA DE APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS EM SAÚDE MANUAL DE USO DO SISTEMA SAIPS - SISTEMA DE APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS EM SAÚDE CADASTRAMENTO DE PROPOSTAS. COMPONENTES HABILITAÇÃO PARA INCENTIVO DE INVESTIMENTO DE CONSTRUÇÃO OU AMPLIAÇÃO PARA

Leia mais

D E C R E T A: Art. 1 - Ficam estabelecidas os procedimentos e valores relativos ao PROGRAMA HABITAR MAMBORÊ de que trata a Lei Municipal 58/2013.

D E C R E T A: Art. 1 - Ficam estabelecidas os procedimentos e valores relativos ao PROGRAMA HABITAR MAMBORÊ de que trata a Lei Municipal 58/2013. DECRETO MUNICIPAL Nº. 05/2014 SUMULA: Regulamenta a doação de material de construção e o fornecimento de mão-de-obra a famílias carentes de natureza habitacional na forma do PROGRAMA HABITAR MAMBORÊ disposto

Leia mais

Acesso ao sistema. Os cartórios judiciais e seus respectivos diretores serão previamente cadastrados no sistema.

Acesso ao sistema. Os cartórios judiciais e seus respectivos diretores serão previamente cadastrados no sistema. PENHORA ONLINE Acesso ao sistema Diretores de Cartórios Os cartórios judiciais e seus respectivos diretores serão previamente cadastrados no sistema. Os diretores serão os administradores do sistema e

Leia mais

Dois novos relatórios estão disponíveis nesta versão do Imobiliária 21. São eles: Devedores e Imóvel por Área. Veja abaixo como emitir cada um.

Dois novos relatórios estão disponíveis nesta versão do Imobiliária 21. São eles: Devedores e Imóvel por Área. Veja abaixo como emitir cada um. Sumário Este documento de versionamento contém: 1. Inclusão dos relatórios: Devedores e Imóvel por Área. 2. Inclusão do campo Código de Município no cadastro de cidade. 3. Publicação de boletos de proprietário

Leia mais

MANUAL DE USO DO SISTEMA DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DE POLÍTICAS EM SAÚDE - SAIPS

MANUAL DE USO DO SISTEMA DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DE POLÍTICAS EM SAÚDE - SAIPS MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA MANUAL DE USO DO SISTEMA DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DE POLÍTICAS EM SAÚDE - SAIPS COMPONENTE: HABILITAÇÃO DE CUSTEIO DO PROGRAMA

Leia mais

Manual de uso PSIM Client 2010

Manual de uso PSIM Client 2010 MANUAL DE USO PSIM MESSENGER VERSÃO 2010 ÍNDICE Manual de uso PSIM Client 2010 INSTALAÇÃO...2 INSTALAÇÃO LOCAL...2 CONFIGURAÇÃO DE USUÁRIO NO PSIM CLIENT 2010...12 QUANDO O FUNCIONÁRIO JÁ ESTÁ CADASTRADO

Leia mais

Bauhaus Sistemas Sistema Terra. Cadastro Imobiliário. O conteúdo a seguir mostrará as características e funcionalidades do cadastro imobiliário.

Bauhaus Sistemas Sistema Terra. Cadastro Imobiliário. O conteúdo a seguir mostrará as características e funcionalidades do cadastro imobiliário. Treinamento Bauhaus Sistemas Sistema Terra Cadastro Imobiliário O conteúdo a seguir mostrará as características e funcionalidades do cadastro imobiliário. CADASTRO IMOBILIÁRIO Cadastro de imóveis O cadastro

Leia mais

NOTA TÉCNICA 28 2012. Redefine o Programa Academia da Saúde no âmbito do SUS e dá outras providências.

NOTA TÉCNICA 28 2012. Redefine o Programa Academia da Saúde no âmbito do SUS e dá outras providências. NOTA TÉCNICA 28 2012 Redefine o Programa Academia da Saúde no âmbito do SUS e dá outras providências. Brasília, 21 de julho de 2013 1. Introdução / antecedentes: O Programa Academia da Saúde foi instituído

Leia mais

PROINFÂNCIA E QUADRAS ESPORTIVAS COBERTAS

PROINFÂNCIA E QUADRAS ESPORTIVAS COBERTAS NOVOS EIXOS DO PAC 2 NA EDUCAÇÃO PROINFÂNCIA E QUADRAS ESPORTIVAS COBERTAS ORIENTAÇÕES GERAIS PARA PREENCHIMENTO DOS DADOS NO SIMEC Brasília/DF, Outubro de 2010 APRESENTAÇÃO No período compreendido entre

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA 2013

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA 2013 Ministério da Saúde Ministério da Educação Manual Para Adesão PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA 2013 BRASÍLIA-DF 2013 Índice Apresentação -------------------------------------------------------------------------

Leia mais

1. FUNCIONÁRIOS - EFETIVOS

1. FUNCIONÁRIOS - EFETIVOS UNIDADE DE SAÚDE - SANTO ANDRÉ Diretora: Juliana da Conceição Fagundes E-mail: dussandre@correio1.vitoria.es.gov.br Endereço: Rua da Coragem, 200 Telefone: (27) 3323-7222 / 3332-7825 Funcionamento: 7h

Leia mais

Formulário de Resíduos Sólidos - Armazenador

Formulário de Resíduos Sólidos - Armazenador Formulário de Resíduos Sólidos - Armazenador Quem deve preencher este formulário? Armazenadores de resíduos sólidos perigosos, que realizem atividades relacionadas no Anexo I da Instrução Normativa Ibama

Leia mais

VINCULAR NIRF INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO

VINCULAR NIRF INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO VINCULAR NIRF A aba VINCULAR NIRF refere-se aos dados de integração entre os cadastros do INCRA (Sistema Nacional de Cadastro Rural - SNCR) e da Receita Federal do Brasil (Cadastro de Imóveis Rurais -

Leia mais

Programa Segundo Tempo. Funcionamento de Núcleo de Esporte Educacional. Manual de Orientação de Cadastramento On-Line

Programa Segundo Tempo. Funcionamento de Núcleo de Esporte Educacional. Manual de Orientação de Cadastramento On-Line Programa Segundo Tempo Funcionamento de Núcleo de Esporte Educacional Manual de Orientação de Cadastramento On-Line SNEED-SE/SPOA/CGMI/ME Índice Introdução... 3 Apresentação de Pleitos... 4 Apresentação

Leia mais

Crédito Imobiliário HSBC

Crédito Imobiliário HSBC Crédito Imobiliário HSBC A compra de um imóvel é sempre um passo muito importante na vida de qualquer pessoa. E para você ter a certeza de que está fazendo um bom negócio, o banco HSBC desenvolveu um conjunto

Leia mais

Sistema para Administração de Condomínio www.condominiomais.com.br SUMÁRIO

Sistema para Administração de Condomínio www.condominiomais.com.br SUMÁRIO SUMÁRIO I. MENU... 2 II. CONSULTA / ALTERAÇÃO / ESTORNO... 4 III. MENSAGEM... 5 IV. MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA... 6 CONSULTA... 6 LANÇAMENTO... 7 V. BOLETO... 8 VI. RELATÓRIO... 10 VII. RESERVA... 11 VIII.

Leia mais

DATA DA VISITA: 26/11/2013 DATA DA VISITA: 28/04/2015 UNIDADE DE SAÚDE DR MANOEL DA ROCHA COUTINHO

DATA DA VISITA: 26/11/2013 DATA DA VISITA: 28/04/2015 UNIDADE DE SAÚDE DR MANOEL DA ROCHA COUTINHO DATA DA VISITA: 26/11/2013 DATA DA VISITA: 28/04/2015 UNIDADE DE SAÚDE DR MANOEL DA ROCHA COUTINHO Responsável: Adriana dos Santos Leandro Endereço: Rua Fenelon Gomes, 112 Bairro: Ilha do Principe CEP:

Leia mais

PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O SUPERVISOR RELATÓRIO DE SUPERVISÃO PRÁTICA PROVAB 2014

PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O SUPERVISOR RELATÓRIO DE SUPERVISÃO PRÁTICA PROVAB 2014 PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O SUPERVISOR RELATÓRIO DE SUPERVISÃO PRÁTICA PROVAB 2014 Brasília/DF, 6 de outubro de 2014. 1 APRESENTAÇÃO RELATÓRIO DE SUPERVISÃO

Leia mais

Academia da Saúde: um Espaço de Promoção da Saúde no Território

Academia da Saúde: um Espaço de Promoção da Saúde no Território SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ATENÇÃO BÁSICA Academia da Saúde: um Espaço de Promoção da Saúde no Território HÊIDER AURÉLIO PINTO Diretor do Departamento de Atenção Básica/SAS/MS Rio de Janeiro, agosto de

Leia mais

Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 2. CADASTRO DA EMPRESA... 8 3. CONTROLE DE PERMISSÕES... 14 4. CONFIGURAÇÕES DA EMPRESA... 19 5. CND...

Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 2. CADASTRO DA EMPRESA... 8 3. CONTROLE DE PERMISSÕES... 14 4. CONFIGURAÇÕES DA EMPRESA... 19 5. CND... Sage CND Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 1.1. Primeiro Acesso... 2 1.2. Conhecendo a Plataforma Sage... 4 1.2.1. Seleção de Empresa de Trabalho... 4 1.2.2. Sair do sistema/minhas Configurações... 5 1.2.3.

Leia mais

SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR

SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR CAIXA SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR MANUAL DO USUÁRIO DA FARMÁCIA (INTERNET) Versão 12-05/01/2015 1 ÍNDICE CAIXA CAIXA...1 CAIXA...2 CAIXA...2 1.Introdução... 2 2.Objetivo do Sistema...3 3.Usuário

Leia mais

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES MINHA CASA, MINHA VIDA Ampliação das oportunidades de acesso das famílias

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CONSTRUÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE

MEMORIAL DESCRITIVO CONSTRUÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE MEMORIAL DESCRITIVO CONSTRUÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE Proponente: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITATIBA DO SUL Localização: BAIRRO FUNDEC Área da construção: 232,93 m² Resp. Técnica: Marlei Salete Ogrodowski

Leia mais

A instalação do SIMA pode ser feita com o uso do CD do SIMA, distribuído pela INSIEL ou através de download do programa na homepage www.insiel.com.br.

A instalação do SIMA pode ser feita com o uso do CD do SIMA, distribuído pela INSIEL ou através de download do programa na homepage www.insiel.com.br. SIMA MANUAL DO USUÁRIO INSTALANDO O SIMA A instalação do SIMA pode ser feita com o uso do CD do SIMA, distribuído pela INSIEL ou através de download do programa na homepage www.insiel.com.br. - Instalando

Leia mais

INSTRUTIVO DE PREENCHIMENTO DE PROJETOS DE IMPLANTAÇÃO, IMPLEMENTAÇÃO, FORTALECIMENTO E/OU APERFEIÇOAMENTO DE INICIATIVAS

INSTRUTIVO DE PREENCHIMENTO DE PROJETOS DE IMPLANTAÇÃO, IMPLEMENTAÇÃO, FORTALECIMENTO E/OU APERFEIÇOAMENTO DE INICIATIVAS INSTRUTIVO DE PREENCHIMENTO DE PROJETOS DE IMPLANTAÇÃO, IMPLEMENTAÇÃO, FORTALECIMENTO E/OU APERFEIÇOAMENTO DE INICIATIVAS PRIORITÁRIAS DA POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM (PNAISH)

Leia mais

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação PAR

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação PAR Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação PAR PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS - PAR PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS - PAR O Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, um Programa Estratégico do PDE, instituído

Leia mais

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES MINHA CASA, MINHA VIDA Ampliação das oportunidades de acesso das famílias

Leia mais

Nome da Unidade de Atenção Básica: Tipo da Unidade: Número do CNES: Data da Visita: Emissor do Questionário: Número do Protocolo:

Nome da Unidade de Atenção Básica: Tipo da Unidade: Número do CNES: Data da Visita: Emissor do Questionário: Número do Protocolo: ASPECTO DO FORMULÁRIO: ACESSIBILIDADE NA UNIDADE DE SAÚDE 1) SOBRE ACESSIBILIDADE NAS DEPENDÊNCIAS DA UNIDADE: a) A unidade tem acessibilidade em todos os ambientes? (i) Onde não há? b) Todas as entradas

Leia mais

MÓDULO 5 Movimentações

MÓDULO 5 Movimentações MÓDULO 5 Movimentações Bem-vindo(a) ao quinto módulo do curso. Agora que você já conhece as entradas no HÓRUS, aprenderá como são feitas as movimentações. As movimentações do HÓRUS são: Requisição ao Almoxarifado:

Leia mais

PASSO A PASSO PARA ACESSAR O SAIPS: ACESSAR O SISTEMA GESTOR MUNICIPAL OU ESTADUAL ACESSO DO GESTOR. 1.1 No navegador, digite: www.saips.saude.gov.

PASSO A PASSO PARA ACESSAR O SAIPS: ACESSAR O SISTEMA GESTOR MUNICIPAL OU ESTADUAL ACESSO DO GESTOR. 1.1 No navegador, digite: www.saips.saude.gov. PASSO A PASSO PARA ACESSAR O SAIPS: ACESSAR O SISTEMA GESTOR MUNICIPAL OU ESTADUAL ACESSO DO GESTOR 1.1 No navegador, digite: www.saips.saude.gov.br 1.2. - Deve Digite ser o CNPJ realizado do FUNDO com

Leia mais

Procedimento Documentado. Sistema de Homologação de Cobrança. Versão 1.0. Departamento de Produtos e Serviços Página 1

Procedimento Documentado. Sistema de Homologação de Cobrança. Versão 1.0. Departamento de Produtos e Serviços Página 1 Procedimento Documentado Sistema de Homologação de Cobrança Versão 1.0 Departamento de Produtos e Serviços Página 1 Histórico Data Versão Descrição Responsável 14/03/2014 1.0 Criação do Procedimento Documentado

Leia mais

Monitoramento das Obras de Unidades Básicas de Saúde (UBS) Secretaria Executiva Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica

Monitoramento das Obras de Unidades Básicas de Saúde (UBS) Secretaria Executiva Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Monitoramento das Obras de Unidades Básicas de Saúde (UBS) Secretaria Executiva Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Política Nacional de Atenção Básica - Saúde Mais Perto de Você

Leia mais

MAIS MÉDICOS TUTORIAL PARA O SUPERVISOR RELATÓRIO DA PRIMEIRA VISITA DE SUPERVISÃO

MAIS MÉDICOS TUTORIAL PARA O SUPERVISOR RELATÓRIO DA PRIMEIRA VISITA DE SUPERVISÃO MAIS MÉDICOS TUTORIAL PARA O SUPERVISOR RELATÓRIO DA PRIMEIRA VISITA DE SUPERVISÃO Brasília/DF, 7 de maio de 2015. 1 APRESENTAÇÃO RELATÓRIO DA PRIMEIRA VISITA DE SUPERVISÃO Prezado (a) Supervisor (a) participante

Leia mais

MAIS MÉDICOS TUTORIAL PARA O SUPERVISOR

MAIS MÉDICOS TUTORIAL PARA O SUPERVISOR MAIS MÉDICOS TUTORIAL PARA O SUPERVISOR Distrito Sanitário Especial Indígena - DSEI RELATÓRIO DA PRIMEIRA VISITA DE SUPERVISÃO IN LOCO - DSEI Brasília/DF, 7 de maio de 2015. 1 APRESENTAÇÃO RELATÓRIO DA

Leia mais

Manual SIGETEC. Sistema de Gestão Tecnológica. Adesão ao Proinfo utilizando o sistema SIGETEC. Proinfo. Ministério da Educação

Manual SIGETEC. Sistema de Gestão Tecnológica. Adesão ao Proinfo utilizando o sistema SIGETEC. Proinfo. Ministério da Educação Manual SIGETEC Sistema de Gestão Tecnológica Adesão ao Proinfo utilizando o sistema SIGETEC Proinfo Ministério da Educação ÍNDICE Introdução 07 1º Passo - Termo de Adesão. 09 2º Passo Cadastro do Prefeito.

Leia mais

CADASTRO DE INSTITUIÇÕES DE ATENDIMENTO À CRIANÇA E ADOLESCENTE

CADASTRO DE INSTITUIÇÕES DE ATENDIMENTO À CRIANÇA E ADOLESCENTE CADASTRO DE INSTITUIÇÕES DE ATENDIMENTO À CRIANÇA E ADOLESCENTE I INFORMAÇÕES DA ENTIDADE EXECUTORA 01) Nome da Entidade: 02) Endereço da Entidade (rua, avenida... número, complemento): 03) Bairro/vila/Jardim:

Leia mais

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS MANUAL DO PRESTADOR DE SERVIÇOS CONSULTÓRIOS/CLÍNICAS CREDENCIADAS PARA ATENDIMENTO ELETIVO (FASCÍCULO DO ATENDIMENTO ELETIVO) VERSÃO I - 2013 Instituto

Leia mais

O Desenvolvimento do Web Site é um processo em separado podendo ser negociado em conjunto com o Sistema de Gerenciamento de Imóveis.

O Desenvolvimento do Web Site é um processo em separado podendo ser negociado em conjunto com o Sistema de Gerenciamento de Imóveis. Objetivo do Sistema: Permite gerenciar os Imóveis da Imobiliária para Locação de Temporada e para Venda, e está 100% integrado ao desenvolvimento do Web Site da Empresa caso ainda não possua. O Desenvolvimento

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA

ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA ITCMD Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de quaisquer Bens ou Direitos MANUAL DO USUÁRIO 2012 O ITCMD tem como fato gerador a transmissão de bens e direitos

Leia mais

Ministério da Saúde Ministério da Educação. Manual Para Adesão. PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA 2014 PASSO A PASSO PARA ADESáO

Ministério da Saúde Ministério da Educação. Manual Para Adesão. PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA 2014 PASSO A PASSO PARA ADESáO Ministério da Saúde Ministério da Educação Manual Para Adesão PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA 2014 PASSO A PASSO PARA ADESáO BRASÍLIA 2014 Índice O que é o Programa Saúde na Escola? -----------------------------------------------

Leia mais

Manual do usuário. Softcall Java. versão 1.0.5

Manual do usuário. Softcall Java. versão 1.0.5 Manual do usuário Softcall Java versão 1.0.5 Sumário Iniciando SoftCall...3 Tela Principal...3 Configurando o SoftCall...4 Agenda...5 Incluindo um contato...5 Procurando um contato...6 Apagando um contato...6

Leia mais

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo SISRH

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo SISRH Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo SISRH Sistema de Gestão de Pessoas Versão 2.0a Manual de Operação

Leia mais

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS MANUAL DO PRESTADOR DE SERVIÇOS DE SADT ELETIVO (FASCÍCULO DO SADT ELETIVO) VERSÃO I - 2013 Instituto Curitiba de Saúde ICS - Plano Padrão ÍNDICE APRESENTAÇÃO

Leia mais

MANUAL PRÁTICO PARA CADASTRO DE MATERIAL E REQUISIÇÃO DE COMPRA NO SIPAC.

MANUAL PRÁTICO PARA CADASTRO DE MATERIAL E REQUISIÇÃO DE COMPRA NO SIPAC. MANUAL PRÁTICO PARA CADASTRO DE MATERIAL E REQUISIÇÃO DE COMPRA NO SIPAC. 1. CONSULTA DE MATERIAL 1.1. NÃO, O MATERIAL NÃO CONSTA NO CATÁLOGO 1.2. SIM, O MATERIAL CONSTA NO CATÁLOGO 2. CADASTRO DE MATERIAL

Leia mais

Prioridade se traduz em mais e melhores recursos para a Atenção Básica

Prioridade se traduz em mais e melhores recursos para a Atenção Básica Prioridade se traduz em mais e melhores recursos para a Atenção Básica Hêider A. Pinto 1 Rodolfo S. Koerner 2 Diego C. A. Silva 3 No artigo Atenção básica agora é prioridade, escrito em 2011, analisamos

Leia mais

Estabelece as diretrizes gerais para aplicação dos recursos alocados ao Programa de Arrendamento Residencial - PAR e dá outras providências.

Estabelece as diretrizes gerais para aplicação dos recursos alocados ao Programa de Arrendamento Residencial - PAR e dá outras providências. PORTARIA Nº 231, DE 4 DE JUNHO DE 2004 Estabelece as diretrizes gerais para aplicação dos recursos alocados ao Programa de Arrendamento Residencial - PAR e dá outras providências. O MINISTRO DE ESTADO

Leia mais

GASTOS PÚBLICOS NOS CENTROS ESPECIALIZADOS EM ODONTOLOGIA SITUADOS EM FORTALEZA-CEARÁ Cleonice Moreira Cordeiro 1

GASTOS PÚBLICOS NOS CENTROS ESPECIALIZADOS EM ODONTOLOGIA SITUADOS EM FORTALEZA-CEARÁ Cleonice Moreira Cordeiro 1 GASTOS PÚBLICOS NOS CENTROS ESPECIALIZADOS EM ODONTOLOGIA SITUADOS EM FORTALEZACEARÁ Cleonice Moreira Cordeiro 1 Introdução Vera Maria Câmara Coelho 2 O estudo analisou os gastos nos Centros Especializados

Leia mais

ENADE 2014 ORIENTAÇÕES GERAIS

ENADE 2014 ORIENTAÇÕES GERAIS ENADE 2014 ORIENTAÇÕES GERAIS APRESENTAÇÃO Apresentamos abaixo informações e instruções para que a participação dos estudantes do IFIBE no ENADE 2014 seja feita de forma consistente a fim de que todas

Leia mais

4. Uso do SIG para gestão de informações do Dia C

4. Uso do SIG para gestão de informações do Dia C Manual de Orientação para Inscrição e Preenchimento e Envio de Relatórios do Dia C com uso do Sistema de Informações Gerenciais do Sistema Ocemg SIG 1. Objetivo Este manual tem por objetivo instruir os

Leia mais

Manual de Orientações Abertura de Empresas Pessoa Física

Manual de Orientações Abertura de Empresas Pessoa Física Manual de Orientações Abertura de Empresas Pessoa Física PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITATIBA SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO SUMÁRIO 1 ACESSO... 4 1.1 ABERTURA ON-LINE... 5 1.2 DADOS DO CONTRIBUINTE...

Leia mais

Orientações Básicas para Análise e Tramitação de Projetos de Pesquisa pela Plataforma Brasil pelos Comitês de Ética em Pesquisa

Orientações Básicas para Análise e Tramitação de Projetos de Pesquisa pela Plataforma Brasil pelos Comitês de Ética em Pesquisa Orientações Básicas para Análise e Tramitação de Projetos de Pesquisa pela Plataforma Brasil pelos Comitês de Ética em Pesquisa Versão 1.2 Histórico de revisão Versão Autor Data Descrição Equipe suporte

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR LOCAL. Entidade Municipal

MANUAL DO ADMINISTRADOR LOCAL. Entidade Municipal Sistema de Registro Integrado REGIN MANUAL DO ADMINISTRADOR LOCAL ENTIDADE MUNICIPAL Entidade Municipal MANUAL DO USUÁRIO Abril / 2011 ÍNDICE Objetivos do Sistema de Registro de Integração - REGIN...3

Leia mais

O Feirão DA SUA CASA.

O Feirão DA SUA CASA. O Feirão DA SUA CASA. Tudo o que você queria saber sobre o financiamento da CAIXA para comprar, construir ou reformar sua casa. E tudo sobre o Programa Minha Casa Minha Vida para quem ganha até R$ 4.900,00.

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO Módulo de gerenciamento do Programa Nacional de Suplementação do Ferro

MANUAL DO USUÁRIO Módulo de gerenciamento do Programa Nacional de Suplementação do Ferro Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição MANUAL DO USUÁRIO Módulo de gerenciamento do Programa Nacional de

Leia mais

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL Portal do Servidor Publico Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL 1 Indice Apresentação do Portal... 03 Acesso ao Portal do Servidor Publico... 04 Solicitar Senha... 04 Disponibilidade do Portal... 06

Leia mais

Fazer um cálculo no produto RD Equipamentos e Agronegócio.

Fazer um cálculo no produto RD Equipamentos e Agronegócio. Fazer um cálculo no produto RD Equipamentos e Agronegócio. 1) Logar no Kit Médias Empresas Clicar no ícone Tókio Marine Empresarial, que abrirá a tela de login, veja abaixo. Caso seja o primeiro acesso

Leia mais

Gerenciador da Carteira de Imóveis Online

Gerenciador da Carteira de Imóveis Online Gerenciador da Carteira de Imóveis Online 1 INDICE Apresentação... 4 Principais Características... 4 Tela Inicial do Univen WEB... 5 ARQUIVO... 6 Cadastro de Imóveis... 6 a) Conhecendo a tela Cadastro

Leia mais

CREDENCIAMENTO Nº 2014/12284 (7421) Errata

CREDENCIAMENTO Nº 2014/12284 (7421) Errata CREDENCIAMENTO Nº 2014/12284 (7421) Errata OBJETO: Credenciamento de empresas que cumpram as exigências de habilitação, visando à contratação de serviços técnicos profissionais de engenharia e/ou arquitetura,

Leia mais

GESTORES/FISCAIS INSTITUCIONAIS. Módulo Monitoramento Obras 2.0 - FNDE

GESTORES/FISCAIS INSTITUCIONAIS. Módulo Monitoramento Obras 2.0 - FNDE GESTORES/FISCAIS INSTITUCIONAIS Módulo Monitoramento Obras 2.0 - FNDE CGIMP 06/09/2013 Como consultar e preencher o Modulo Monitoramento de Obras Simec 2.0 Sumário 2 Definições Apresentando o Sistema Integrado

Leia mais

Gerenciador de Imóveis

Gerenciador de Imóveis Gerenciador de Imóveis O Corretor Top é o mais completo sistema de gestão de imóveis do mercado, onde corretores terão acesso à agenda, cadastro de imóveis, carteira de clientes, atendimento, dentre muitas

Leia mais

Sumário. www.samisistemas.com.br Porto Alegre 51 3254.5454 Florianópolis 48 3094.1775 São Paulo 11 3076.499 Rio de Janeiro 21 3031.

Sumário. www.samisistemas.com.br Porto Alegre 51 3254.5454 Florianópolis 48 3094.1775 São Paulo 11 3076.499 Rio de Janeiro 21 3031. Sumário Legenda... 3 1. Caixa... 4 1.1. Caixa... 4 1.1.1. Abertura de Caixa... 4 1.1.1.1. Lançamentos de Caixa... 6 1.1.2. Fechamento de Caixa... 38 1.2. Consultas... 39 1.2.1. Fita do Caixa... 39 1.2.2.

Leia mais

SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR

SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR MANUAL DO USUÁRIO DA FARMÁCIA (INTERNET) Versão 7 18/05/2009 Revisão Geral ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVOS DO SISTEMA...3 3. USUÁRIO GESTOR...3 4. AMBIENTE DO SISTEMA

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE IX Envio das Informações e documentos para o TCE VERSÃO 2015 Novembro

Leia mais

perfazendo carga horária semanal de 120 hs. semanais + 1 Auxiliar em Saúde Bucal (ASB) por CD *

perfazendo carga horária semanal de 120 hs. semanais + 1 Auxiliar em Saúde Bucal (ASB) por CD * A Política Nacional de Saúde Bucal, intitulada Brasil Sorridente, propicia a ampliação e a qualificação da Atenção Especializada em Saúde Bucal, através de uma de suas principais linhas de atuação, com

Leia mais

SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO Departamento de Tecnologia da Informação tecnologia@unimeditabira.com.br 31 3839-771 3839-7713 Revisão 03 Itabira Setembro 2015 Sumário 1. Acessando

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAXÁ

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAXÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAXÁ Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão ARAXÁ MINAS GERAIS 2010 Manual do Sistema de Arrecadação Tributária SIAT Online e Nota Fiscal Eletrônica de Serviços NFS-e ÍNDICE

Leia mais

1 Natuur Online Cadastre-se Nome, Login E-mail Cadastrar.

1 Natuur Online Cadastre-se Nome, Login E-mail Cadastrar. 1 Essa é a tela de acesso do Natuur Online, clique aqui para acessar o site e siga o passo-apasso abaixo. Se esse é o seu primeiro acesso, clique em Cadastre-se. 2 - Preencha os dados solicitados com Nome,

Leia mais

Universidade Federal do Vale do São Francisco Programa de Assistência Estudantil

Universidade Federal do Vale do São Francisco Programa de Assistência Estudantil 1 - Introdução O sistema PAE da UNIVASF é uma ferramenta desenvolvida pelo Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI) que auxilia o processo seletivo de estudantes de graduação para o, que serão selecionados

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL Manual do ITIV - Contribuinte PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE TRIBUTAÇÃO M A N U A L D O ITIV PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL Manual do ITIV - Contribuinte

Leia mais

NOTA TÉCNICA 06 /2014

NOTA TÉCNICA 06 /2014 NOTA TÉCNICA 06 /2014 Redefinição do arranjo organizacional da(s) Equipe(s) de Saúde da Família Ribeirinha (ESFR) e Equipes de Saúde da Família Fluviais (ESFF) para os municípios da Amazônia Legal e Pantanal

Leia mais

Submissão de Projetos de Pesquisa

Submissão de Projetos de Pesquisa Submissão de Projetos de Pesquisa Versão 2.0 1 Versão Autor Data Descrição 1.0 Equipe suporte 13/10/2011 Criação do Plataforma Brasil documento 1.1 Equipe suporte Plataforma Brasil 1.2 Equipe suporte Plataforma

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA OS GESTORES MUNICIPAIS

ORIENTAÇÃO PARA OS GESTORES MUNICIPAIS ORIENTAÇÃO PARA OS GESTORES MUNICIPAIS Os médicos participantes do Projeto Mais Médicos para o Brasil são profissionais que atuarão nos serviços de Atenção Básica do Sistema Único de Saúde (SUS), a partir

Leia mais

MANUAL DO CONTRIBUINTE. Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação SEFAZ - ITCD FEV / 2013 VERSÃO 02

MANUAL DO CONTRIBUINTE. Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação SEFAZ - ITCD FEV / 2013 VERSÃO 02 MANUAL DO CONTRIBUINTE SEFAZ - ITCD Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação FEV / 2013 VERSÃO 02 Sumário ACESSO AO ITCD... 3 CADASTRO DE NOVA GUIA... 5 PREENCHIMENTO DA GUIA... 12 DADOS GERAIS...

Leia mais

PROJETO SOSORRISO: O CONTROLE SOCIAL CONQUISTANDO MAIS CAMPO GRANDE-MS

PROJETO SOSORRISO: O CONTROLE SOCIAL CONQUISTANDO MAIS CAMPO GRANDE-MS Para ajudar a proteger sua privacidade, o PowerPoint impediu o download automático desta imagem externa. Para baixar e exibir esta imagem, clique em Opções na Barra de Mensagens e clique em Habilitar conteúdo

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE DE PERNAMBUCO SECRETARIA EXECUTIVA DE ATENÇÃO À SAÚDE UPA ENGENHO VELHO

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE DE PERNAMBUCO SECRETARIA EXECUTIVA DE ATENÇÃO À SAÚDE UPA ENGENHO VELHO GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO UPA ENGENHO VELHO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO 2º TRIMESTRE DO 2º ANO DO CONTRATO DE GESTÃO Período de Dezembro de 2012 à Fevereiro de 2013 2 INTRODUÇÃO O presente relatório apresenta

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Sistema on-line

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Sistema on-line Sistema on-line O Instituto Ethos Organização sem fins lucrativos fundada em 1998 por um grupo de empresários, que tem a missão de mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de

Leia mais

Núcleo de Apoio à Saúde da Família NASF. Perguntas mais frequentes

Núcleo de Apoio à Saúde da Família NASF. Perguntas mais frequentes Núcleo de Apoio à Saúde da Família NASF Perguntas mais frequentes 1. O QUE É O NASF? 2. QUAIS PROFISSIONAIS PODEM COMPOR UM NASF? 3. COMO É DEFINIDA A COMPOSIÇÃO DAS EQUIPES NASF NOS MUNICÍPIOS? 4. COMO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.967

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.967 Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.967 Institui Programa Habitacional de interesse social, no âmbito do Projeto Terra, e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Vitória, Capital do Estado do Espírito

Leia mais

Chegar até as UBS nem sempre foi fácil...

Chegar até as UBS nem sempre foi fácil... Chegar até as UBS nem sempre foi fácil... Encontramos diversidade nas estruturas, modo de organização e escopo das ações de APS... O registro de campo como instrumento de pesquisa percepção dos entrevistadores

Leia mais

SISAB SISTEMA DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE E ATENÇÃO BÁSICA

SISAB SISTEMA DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE E ATENÇÃO BÁSICA Manual Prático Resumido de Instalação, Configuração e Uso dos Sistemas e-sus CDS (Coleta de Dados Simplificado), e-sus PEC (Prontuário Eletrônico do Cidadão) e e-sus PEC Centralizador (Centralizador de

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR LOCAL. Entidade Municipal

MANUAL DO ADMINISTRADOR LOCAL. Entidade Municipal MANUAL DO ADMINISTRADOR LOCAL Entidade Municipal Abril / 2011 ÍNDICE Objetivos do Sistema de Registro de Integrado - REGIN... 3 Principais Módulos do Sistema... 4 Módulo Controle de Acesso... 5 Módulo

Leia mais

CADPREV CADPREV Ente Local Aplicativo Desktop. Manual do Usuário. Cadastro de Acordos de Parcelamento. CADPREV - Manual do Usuário CADPREV-Ente Local

CADPREV CADPREV Ente Local Aplicativo Desktop. Manual do Usuário. Cadastro de Acordos de Parcelamento. CADPREV - Manual do Usuário CADPREV-Ente Local CADPREV CADPREV Ente Local Aplicativo Desktop Manual do Usuário Cadastro de Acordos de Parcelamento Data Última Atualização: 29/04/2013 1 de 18 Índice 1 Finalidade... 3 2 Visão Geral... 3 3 Funcionalidades...

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR SISTEMA INTEGRADO DE ATIVIDADES TÉCNICAS MANUAL DO USUÁRIO - CLIENTE

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR SISTEMA INTEGRADO DE ATIVIDADES TÉCNICAS MANUAL DO USUÁRIO - CLIENTE 1 GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR SISTEMA INTEGRADO DE ATIVIDADES TÉCNICAS MANUAL DO USUÁRIO - CLIENTE 1º PASSO CADASTRO DE PROPRIETÁRIO E/OU RESPONSÁVEL Prezado cliente,

Leia mais

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM NOTA TÉCNICA 41 2013 POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM DISPÕE SOBRE O REPASSE DE RECURSOS FINANCEIROS DE CUSTEIO A MUNICIPIOS, ESTADOS E DISTRITO FEDERL PARA A EXECUÇÃO DE AÇÕES DE

Leia mais

Fundap. Programa de Estágio. Manual de Utilização do Sistema de Administração de Bolsas de Estágio. Plano de Estágio

Fundap. Programa de Estágio. Manual de Utilização do Sistema de Administração de Bolsas de Estágio. Plano de Estágio Fundap Fundação do Desenvolvimento Administrativo Programa de Estágio Programa de Estágio Manual de Utilização do Sistema de Administração de Bolsas de Estágio Plano de Estágio Julho de 2008 SABE - Sistema

Leia mais