COMISSÃO INTERSETORIAL: RELATÓRIO 02 REVISÃO TECNICA DOS PEDIDOS DE AUTORIZAÇÃO PMI 002/2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMISSÃO INTERSETORIAL: RELATÓRIO 02 REVISÃO TECNICA DOS PEDIDOS DE AUTORIZAÇÃO PMI 002/2012"

Transcrição

1 AVISO Nº 002/ PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE (PMI) Recebimento de estudos e projetos da iniciativa privada para a definição de alternativas de requalificação e/ou implantação de sistemas de transporte, visando à melhoria da mobilidade urbana e de acesso à região insular de Florianópolis. REVISÃO TECNICA DOS PEDIDOS DE AUTORIZAÇÃO PMI 002/2012 Florianópolis, 12 de dezembro de 2012

2 Revisão Técnica dos pedidos de autorização PMI 002/2012 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO EMPRESAS PROPONENTES SOLUÇÕES APRESENTADAS POR PROPONENTE CATAMARAN DO BRASIL CCR - COMPANHIA DE CONCESSÕES RODOVIÁRIA / ESSE ENGENHARIA CONSULTIVA CVA Silva Engenharia, Arquitetura, Urbanismo e Meio Ambiente FLORIANÓPOLIS TERRA MAR (Jaime Lerner, Soifer, Andreoli Engenheiros Associados, Conselvan, Fraxino e Advogados Associados, Esteio Engenharia e Redirection) FLORIPA EM MOVIMENTO (Quark, MPE, Scomi e Brasell); FLORIPA XXI (Logistel, ITEC e TLPG - Brasil/Portugal) NeoGennium RESUMO E ENQUADRAMENTO DAS PROPOSTAS i

3 1. INTRODUÇÃO Em 24 de maio de 2012, a Secretaria de Estado da Infraestrutura/Departamento Estadual de Infraestrutura e a SCPar lançaram o Aviso Nº. 001/2012 abrindo Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para o recebimento de propostas que tenham por objeto a requalificação e a implantação de obras estruturantes visando à melhoria do sistema de transporte, de mobilidade urbana e de acesso à região insular de Florianópolis, a partir da BR Em 25 de julho de 2012, data fixada para entrega da PMI, 12 (doze) proponentes responderam ao chamamento do Estado apresentando soluções. Após o recebimento das propostas e análise da comissão intersetorial, o Comitê Gestor de Parcerias Público-Privadas (CGPPP) deliberou pela segregação das alternativas de solução de mobilidade urbana em duas novas etapas distintas, a primeira, referente a soluções de transporte público, com prioridade a passageiros, mas que pode ser também de uso misto, passageiros e veículos, e a segunda, com foco na melhoria de infraestrutura para veículos automotores, que terá seguimento num momento posterior. Desta forma, em 31 de outubro de 2012 foi lançado o Aviso de PMI 002/2012 com o objetivo de receber estudos e projetos da iniciativa privada para a definição de alternativas de requalificação e/ou implantação de sistemas de transporte, visando à melhoria da mobilidade urbana e de acesso à região insular de Florianópolis. Sete empresas solicitaram autorização para realizar os estudos técnicos, tendo o presente relatório objetivo de efetuar uma revisão técnica preliminar destes requerimentos, com vistas a subsidiar a tomada de decisão do CGPPP. 1

4 2. EMPRESAS PROPONENTES Em resposta ao Aviso Nº. 002/2012, sete empresas ou grupos consorciados (sem formalização de consórcio) solicitaram autorização para realizar estudos e projetos para definição de alternativas de requalificação e/ou implantação de sistemas de transporte, visando à melhoria da mobilidade urbana e de acesso à região insular de Florianópolis, conforme relação em ordem alfabética a seguir: Catamaran do Brasil; CCR/Esse Engenharia CVA Silva Engenharia, Arquitetura, Urbanismo e Meio Ambiente; Florianópolis Terra Mar (Jaime Lerner Arquitetos Associados, Soifer Participações, Andreoli Engenheiros Associados, Conselvan, Fraxino e Advogados Associados, Esteio Engenharia e Aerolevantamentos S.A., Redirection); Floripa em Movimento (Quark, MPE, Scomi e Brasell); Floripa XXI (Logistel, ITEC e TLPG - Brasil/Portugal); Neogennium; 2

5 3. SOLUÇÕES APRESENTADAS POR PROPONENTE O Aviso do Procedimento de Manifestação de Interesse estabeleceu que as empresas proponentes atentassem aos seguintes pré-requisitos, a saber: I Não serão aceitas propostas de estudo para obra pública (Lei federal n /1993). II A modelagem e estruturação econômico-financeira não poderá contemplar a possibilidade de alienação de solo acrescido de marinha como receita da concessionária. III A estruturação econômico-financeira deverá priorizar o menor desembolso possível de recursos públicos (considerando subsídios e contraprestação), com preferência para projetos autossustentáveis (concessão comum). E também que obedecessem ao seguinte conteúdo mínimo: I declaração de interesse e requerimento de autorização para realização dos estudos, da qual deve constar manifestação expressa do proponente indicando que concorda com as regras do presente PMI e do Decreto n. 962, de 08 de maio de 2012; II dados cadastrais contendo a qualificação completa do interessado, nome ou razão social, seu endereço completo, telefones para contato, área de atuação, e na hipótese de pessoa jurídica, o nome e a qualificação dos responsáveis perante a Administração Pública Estadual com dados para contato, devendo, em todos os casos, responsabilizar-se pela veracidade das declarações que fizer; III demonstração da experiência do interessado para a realização de estudos, levantamentos, investigações, dados, informações técnicas, projetos ou pareceres similares aos solicitados neste PMI; IV detalhamento das atividades que pretende realizar, cronograma e indicativo preliminar de preço para a realização dos estudos descritos no Anexo Único deste Aviso, com a indicação discriminada de prazos estimados para a conclusão de cada grupo de estudos; V estimativa de desembolso público pretendido para a viabilização do projeto proposto (incluindo contraprestação e/ou subsídios); VI Indicativo preliminar da solução a ser proposta. Para a realização da revisão técnica preliminar das soluções apresentadas, a Comissão Intersetorial procedeu à verificação do atendimento aos pré-requisitos e ao conteúdo mínimo exigido, resumindo cada uma das propostas, conforme apresentado na sequência. 3

6 3.1. CATAMARAN DO BRASIL Pré-requisitos A empresa não apresentou elementos que pudessem caracterizar o cumprimento dos prérequisitos Declaração de Interesse A empresa não apresentou declaração de interesse Dados Cadastrais Empresa: Catamaran do Brasil (BB Barcos ltda). Endereço: Av. Levy Ramos Martins, lote 10 s/n, BR 101, Km Imbituba - SC Telefone: Contato: Sr. Paulo Balbis Demonstração de experiência A empresa apresentou portfólio no qual demonstra experiência na construção de catamarans para transporte marítimo de passageiros, sem, contudo, demonstrar experiência em estudos/projetos na área de sistemas de transporte de massa Detalhamento das atividades (cronograma e indicativo de preço dos estudos) Apresentou valor estimado do projeto em R$ 20 milhões de reais, mas não apresentou detalhamento e cronograma dos estudos a serem realizados Estimativa de desembolso público Não apresentou Indicativo preliminar da solução Transporte marítimo de cargas e passageiros intermunicipal, com estações em São Miguel, Ilha (centro), Canasvieiras, Biguaçu, Barreiros, Estreito, Coqueiros, Ponte do Imaruí, Barra do Aririú e Praia do Sonho. O transporte será realizado em catamarans de 60/120 lugares com perspectiva de transporte de 4 mil passageiros/dia no primeiro semestre de

7 3.2. CCR - COMPANHIA DE CONCESSÕES RODOVIÁRIA / ESSE ENGENHARIA CONSULTIVA Pré-requisitos As empresas atendem aos pré-requisitos Declaração de Interesse A CCR S.A. e a ESSE Engenharia Consultiva tem a satisfação de apresentar para o Governo do Estado de Santa Catarina, através da SC Participações e Parcerias S/A SCPar, a solicitação de autorização para realizar estudos e projetos necessários no âmbito do Aviso Nº 002/2012 Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para recebimento de estudos e projetos da iniciativa privada para a definição de alternativas de requalificação e/ou implantação de sistemas de transporte, visando à melhoria da mobilidade urbana e de acesso à região insular de Florianópolis. (...) Por outro lado, declaramos concordar com as regras e condicionantes do presente PMI e do Decreto nº 962, de 08 de maio de Dados Cadastrais Empresa: CCR- Companhia de Concessões Rodoviárias S/A Endereço: Av. Chedid Jafet, 222 Bl. B, 4º andar - Vila Olímpia São Paulo - SP - Cep: Telefone: Responsável pelo projeto e veracidade das informações: Marcelo Rebouças Empresa: ESSE Engenharia Consultiva Endereço: Rod. SC-401 km 8,6 Cond. Emp. Corporate Park, Bl. 5 cj.1-sto. Antonio de Lisboa - Florianópolis-SC - Cep: Telefone: Responsável pelo projeto e veracidade das informações: Eng. Daniel Montagner 5

8 3.2.3 Demonstração de experiência A empresa CCR apresentou portfólio no qual relata experiência de concessões no Brasil, como a operação da Barcas S/A, empresa de transporte marítimo que opera o trecho entre as cidades de Niterói e Rio de Janeiro, transportando 29 milhões de passageiros em 2011, além da operação da linha 4 amarela do metro de São Paulo e da operação e manutenção da Ponte Rio-Niterói. A Empresa ESSE engenharia consultiva apresentou portfólio no qual relata experiência em estudos de engenharia, planejamento, viabilidade técnica, econômica, financeira e jurídica em transporte de passageiros (ônibus e teleférico), bem como de cargas (teleférico), em cidades como Itajaí, Criciúma, Florianópolis, Rio de Janeiro e São Paulo Detalhamento das atividades (cronograma e indicativo de preço dos estudos) O grupo proponente apresentou o cronograma abaixo, demonstrando o cumprindo do prazo de 120 dias para entrega dos estudos. As empresas apresentaram como custo para o desenvolvimento dos projetos uma estimativa de 3,5% do total dos investimentos a serem realizados, que estavam estimados em 990 6

9 milhões de reais, de acordo com a proposta apresentada no PMI 001/ Portanto, um valor estimado de R$ 34,65 milhões para a realização dos estudos Estimativa de desembolso público As empresas apresentaram indicativos de concessão comum, sem desembolso público, a serem confirmadas com a realização dos estudos Indicativo preliminar da solução Segue abaixo trechos do indicativo de solução proposto pelas empresas CCR e ESSE: A solução proposta contempla a integração de teleféricos, barcas e ferryboats para o transporte de passageiros e veículos, conforme apresentado na Fase I do PMI. Os modais ora propostos apresentam características singulares, consonantes com a geografia e a topografia da Ilha de Santa Catarina e o aglomerado urbano da grande Florianópolis. O projeto propõe a integração multimodal, na qual os atuais meios de mobilidade urbana automóveis, ônibus e bicicletas se integram a um novo sistema de transporte aéreo e marítimo, por meio de teleféricos, barcas e ferryboats. No sistema integrado, a intenção é reduzir a locomoção por meio de carros particulares, que priorizam o transporte individual e mais contribuem para agravar os congestionamentos. Esta integração aumentará a oferta por transporte público em diferentes centralidades do aglomerado urbano da grande Florianópolis, proporcionando o deslocamento para a porção insular da capital de modo mais rápido, seguro e confortável. Por outro lado, os sistemas oferecem condições plenas para, no curto prazo, minimizar os enormes transtornos causados pelos elevados congestionamentos, sobretudo na travessia das pontes Colombo Machado Salles e Pedro Ivo Campos e respectivos acessos insular e continental. Destaque-se também a possibilidade de contemplar um sistema de park and ride nas estações de modo a oferecer ao usuário do automóvel atratividade para deslocamentos pelos dois sistemas e, dessa forma, aliviar a pressão sobre o sistema viário. As estações poderão ser animadas com equipamentos destinados ao atendimento dos usuários (posto bancário, lojas de conveniências, serviço público, etc.), possibilitando proporcionar facilidades e conforto aos mesmos. A composição dos dois modais propostos visa captar demandas de diferentes polos já consolidados com uma grande integração multimodal na região central insular. No mapa abaixo observa-se que as rotas preliminarmente propostas tem o principal objetivo de oferecer ao usuário um transporte rápido e de qualidade justamente no eixo mais congestionado da região. 1 A empresa não estimou o valor dos investimentos no presente PMI, sendo adotado o valor de referência de acordo com a primeira proposta apresentada. 7

10 Por outro lado, poderá ser também estudada alternativa com modais complementares que contemple outras tecnologias de tal forma a dar maior amplitude à integração entre as múltiplas modalidades. 8

11 3.3. CVA Silva Engenharia, Arquitetura, Urbanismo e Meio Ambiente Pré-requisitos A empresa apresentou proposta de obra pública, sem indicativo de concessão ou PPP, não cumprindo, portanto, um dos pré-requisitos do Aviso n. 002/ Declaração de Interesse Declaramos que a empresa CVA Silva Engenharia Arquitetura e Meio Ambiente, atendendo ao exposto no Aviso 002/2012 Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para Recebimento de Estudos e Projetos de Alternativas de Requalificação e/ou Implantação de Sistema de Transporte, visando à Melhoria da Mobilidade Urbana e Acesso a Região Insular de Florianópolis, possui interesse na participação do certame, haja vista a importância e Mediante o exposto solicitamos autorização para a busca de recursos e início dos referidos Estudos e Projetos, para que possamos detalhar e comprovar, não apenas tecnicamente, mas social, ambiental e economicamente, de que nossa proposta é viável e vem solucionar em um prazo de médio os problemas vividos pelo trânsito caótico de Florianópolis e região. (...) Obs.: A empresa não concordou com os termos do Decreto n. 962/2012 ou com os termos do PMI Dados Cadastrais Empresa: CVA Silva Engenharia Arquitetura e Meio Ambiente Ltda Endereço: Av. Pref. Osmar Cunha, 183, Bloco B, Sl 812, Centro CEP Telefone: Contato: Arq. Clever A. S. Neves/ Valmir Antunes da Silva Demonstração de experiência A empresa apresentou portfólio onde apresenta experiência como subcontratada de empresas de consultoria como Iguatemi Engenharia, Prosul Engenharia, Única Consultores de Engenharia Urbana, realizando projetos técnicos no âmbito de engenharia rodoviária. 9

12 Obs.: A empresa não relatou experiências em sistemas de transporte de passageiros de massa Detalhamento das atividades (cronograma e indicativo de preço dos estudos) A empresa apresentou o cronograma abaixo, que também inclui o indicativo de preço dos estudos, demonstrando não concordar com o prazo de 120 dias proposto no edital. 1. Levantamento de Dados nesta fase deverá ser realizada todos os levantamentos de campo, que engloba as contagens de tráfego, demanda de passageiros, topografia, situação do sistema atual, tráfego, fluxo e dinâmica do trânsito e sua caracterização; 2. Desenvolvimento dos Estudos Ambientais e Impacto de Vizinhança nesta fase devem ser avaliados os condicionantes ambientais a fim de nortear as decisões de projeto; 3. Elaboração dos Projetos serão elaborados os projetos básicos a fim de comprovar tecnicamente a viabilidade de implantação do sistema, porém a nível de anteprojeto, necessitando de execução do Projeto Executivo detalhado como parte integrante do edital de PPP; 4. Montagem da Modelagem de Implantação do Sistema com este produto poderá ser viabilizado a licitação de implantação do sistema proposto Estimativa de desembolso público O valor para implantação do Sistema Proposto (BRT) é de R$ (cento e noventa e sete milhões, oitocentos e nove mil reais), baseando-se nas obras de infraestrutura necessárias para a segregação de vias exclusivas para o BRT (não inclui frota), como terraplanagem, pavimentação, drenagem, sinalização e obras complementares e estações Indicativo preliminar da solução Segue abaixo trechos do indicativo de solução proposto pela empresa CVA Silva: 10

13 A solução proposta, baseada nas diretrizes anteriormente apresentadas, tem no sistema de transporte coletivo através do uso do ônibus como a melhor alternativa no que tange a rapidez de implantação, e a adoção de infraestruturas já existentes. O uso das vias existentes, sem a ocorrência de maiores intervenções como alargamentos e desapropriações, irá reduzir o espaço ocupado pelos veículos de passeio, sendo assim o sistema vem ai encontro da diretriz 4- Restringir e dificultar o trânsito de veículos de passeio. As ruas anteriormente adotadas para o uso de carros, terá uma delas exclusiva para o transporte coletivo, porém alertamos que em alguns locais certamente serão necessários intervenções de maior porte. O transporte de ônibus proposto é baseado no uso de veículos tipo BRT (Bus Rapid Transit) em corredores exclusivos e em sua maioria segregados através de muretas e gradis. Esta solução foi concebida em diversas cidades do mundo, e se mostrou eficiente, tendo como expoente maior a cidade de Curitiba, Paraná. As Linhas do BRT serão implantadas nas principais vias arteriais do continente e ilha, e funcionarão em um sistema circular, em único sentido, ocupando assim apenas uma pista para o seu trânsito. O sistema de BRT proposto é complementado pelas linhas de transporte coletivo local, feitos através de ônibus convencionais e microônibus. Nas vias localizadas próximas a baia também serão viabilizadas a integração com o modal aquaviário, também parte integrante desta proposta, haja vista que haja vista que a proposta do PMI sugere também a melhoria nas condições de ligação da região continental com a ilha, porém sem a construção de pontes ou túneis. Neste sentido o transporte aquaviário se mostra o de menor custo e impacto de implantação. A situação do trânsito na grande Florianópolis se apresenta caótica em quase todos os bairros e municípios envolvidos, porém acreditamos que a quantidade de pessoas que se deslocam de Palhoça, São José, Biguaçu e bairros do continente deverá ser o foco emergencial na reestruturação do transporte coletivo, para que se possam ter resultados efetivos para melhora da mobilidade. As Linhas do BRT apresentadas seriam linhas prioritárias, mas que podem e devem ser complementadas com ampliação do sistema para o Sul, Norte e Leste da ilha. 11

14 3.4. FLORIANÓPOLIS TERRA MAR (Jaime Lerner, Soifer, Andreoli Engenheiros Associados, Conselvan, Fraxino e Advogados Associados, Esteio Engenharia e Redirection) Pré-requisitos O consórcio Florianópolis Terra Mar atende aos pré-requisitos Declaração de Interesse As empresas abaixo assinadas declaram, por meio desta, seu interesse em participar do Procedimento de Manifestação de Interesse para a Definição de Alternativas de Requalificação e/ou Implantação de Sistemas de Transporte, visando à Melhoria da Mobilidade Urbana e de Acesso à Região Insular de Florianópolis, nos termos do Aviso N. 002/2012 publicado pelo Governo do Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado de Infraestrutura, DEINFRA e SC Participações e Parcerias S.A. e do Decreto n. 962, de 08 de maio de 2012, e requerem autorização para realizar os estudos por esses instrumentos determinados Dados Cadastrais Empresa: Jaime Lerner Arquitetos Associados Endereço: Rua Bom Jesus, 76 Curitiba Paraná - CEP: Telefone: : (41) Área de atuação: arquitetura, urbanismo, soluções de mobilidade urbana e regional Contato: Sr. Jaime Lerner, Carlos Eduardo Ceneviva / Empresa: Soifer Participações Societárias Ltda. Endereço: Avenida Batel, 1750, sala 105 Curitiba Paraná - CEP: Telefone: : (41) Área de atuação: Imobiliário/Shopping Center, Logística, Turismo, Agronegócio, Reciclagem Contato: Sr. Nelsi Paulo Frizzo Empresa: Andreoli Engenheiros Associados Ltda. Endereço: Rua Taquari, 81 - loja 30. AlphaVille Graciosa Pinhais Paraná - CEP:

15 Telefone: (41) Área de atuação: consultoria e engenharia ambiental Contato: Sr. : Cleverson V. Andreoli Empresa: Esteio Engenharia e Aerolevantamentos S.A. Endereço: Rua Dr. Reynaldo Machado, 1151 Curitiba Paraná CEP: Telefone: (41) Área de atuação: projetos de engenharia, gerenciamento de obras e serviços especializados,correlatos. Contato: Sr. : Marlus Coelho Empresa: Conselvan, Fraxino & Advogados Associados Endereço: Rua Alberto Folloni, 1199 Curitiba Paraná CEP: Telefone: (41) Área de atuação: questões jurídicas com especialidade em licitações públicas Contato: Sr. : Luiz Gustavo Fraxino e Sra.: Lenita Marcelino da Silva Prestes / Empresa: Redirection Assessoria Empresarial Ltda. Endereço: Av. Sete de Setembro, 6248 CEP: Telefone: (41) Área de atuação: finanças corporativas, gestão e reestruturação de empresas Contato: Sr.: João Caetano Ferraz Magalhães e Cláudio Dario Doerzbacher Junior não informado Demonstração de experiência O consórcio Florianópolis Terra Mar dividiu as atividades de acordo com a especialidade dos consorciados, conforme segue: Grupo 1 - Avaliação da Demanda Atual e Futura da Rede de Transportes e Veículos - Jaime Lerner Arquitetos Associados: - Jaime Lerner: Apresentou portfólio no qual relata diversos estudos urbanísticos em metrópoles brasileiras (Curitiba, Rio de Janeiro, Recife, Niterói) e de países da América latina 13

16 (Panamá, Cidade do México), envolvendo projetos de planejamento e implantação de transporte público, como transporte marítimo, metro, BRT (Bus Rapid Transit). Grupo 2 - Desenvolvimento das Soluções para Atendimento da Demanda - Jaime Lerner Arquitetos Associados: - Jaime Lerner (idem) Grupo 3 - Planejamento de Implantação Jaime Lerner Arquitetos Associados e Esteio Engenharia - Jaime Lerner (idem) - A Esteio Engenharia apresentou portfólio que relata experiência nas áreas de desenvolvimento rural, desenvolvimento urbano (planejamento urbano e tributação, projeto de rede viária, cadastramentos especializados), meio ambiente, projetos de engenharia (subsídios para projetos viários rodovias, ferrovias e aeroportos, EIA/RIMA, sondagens de solo, assessoria em operação rodoviária, ensaios de solo e concreto, topobatimetria, etc.) Grupo 4 - Apreciação de Impacto Sócio-econômica e Ambiental Andreoli Engenheiros Associados e Jaime Lerner Arquitetos Associados - A Andreoli Engenheiros Associados apresentou portfólio que relata experiência na elaboração de documentos ambientais para licenciamento (RAS, RAP, PCA, EAS, EPIA/RIMA), elaboração de projetos ambientais para implantação de centrais hidrelétricas, dentre outros serviços ligados à área ambiental, em 18 estados brasileiros, e também no México. - Jaime Lerner (idem) Grupo 5 Projetos de Engenharia Esteio + Jaime Lerner Arquitetos Associados - Jaime Lerner (idem) - Esteio (idem) Grupo 6 - Modelagem e Estruturação Econômico-financeira para Implantação do Projeto na Modalidade Concessão ou PPP Redirection Assessoria Empresarial + Grupo Soifer +Conselvan, Fraxino & Advogados Associados A empresa Redirection apresentou portfólio que relata experiência em finanças corporativas, investimentos, consultoria em gestão e business process outsoursing. A empresa assessorou o INAP (Instituto Nacional de Administração Prisional LTDA) na estruturação do consórcio vencedor da PPP de construção e gestão do complexo penitenciário em Minas Gerais (Business Plan, estrutura societária, avaliação econômico financeira, assessoria para captação de recursos junto ao BNDES). O grupo Sofier apresentou portfólio no qual relata experiência em investimentos nas áreas logísticas (Terminais de Conteiners em Paranaguá), gestão de complexos turísticos, investimentos e gestão de shopping centers (Pátio Batel, RioSul, Shopping São José e Shopping Muller Paraná e Joinville), além de investimentos em agronegócios e reciclagem. O escritório Conselvan, Fraxino & Advogados Associados descreveu a experiência de seus sócios, das quais é possível destacar: Assessoria da concessionária vencedora da licitação da concessão do Aeroporto de Guarulhos (incluindo estruturação da proposta), Advogados especialistas em contratos administrativos, incluindo PPP e concessões. 14

17 Grupo 7 Aspectos Legais Conselvan, Fraxino & Advogados Associados Conselvan, Fraxino & Advogados Associados (idem) Detalhamento das atividades (cronograma e indicativo de preço dos estudos) A empresa apresentou o cronograma abaixo, demonstrando o cumprindo do prazo de 120 dias para entrega dos estudos. O valor dos estudos está estimado em R$ ,00 (dezesseis milhões de reais) Estimativa de desembolso público A solução tem um custo total estimado de R$ ,00 (quatrocentos milhões, quinhentos e quinze mil reais). Desse valor, o subsídio público a ser fornecido seria na ordem de R$ ,00 (duzentos e sete milhões, quinhentos e setenta e cinco mil reais), podendo chegar a R$ ,00 (cento e quinze milhões e setenta e cinco mil reais), caso as estações permitam investimentos imobiliários Indicativo preliminar da solução Segue abaixo trechos do indicativo de solução proposto pelo consórcio Florianópolis Terra- Mar: A proposta Terra Mar é um conjunto amplo de intervenções que possibilita a melhoria sistêmica da condição de mobilidade urbana e acessibilidade da Grande Florianópolis, criando novas e sustentáveis alternativas de deslocamento tanto entre a Ilha e o Continente quanto internamente a esses dois territórios. São duas as vertentes trabalhadas: a aquaviária (mar) e em superfície (terra). Na modalidade aquaviária foram propostos dois tipos de ligações: por ferry boat e por barcas. Preliminarmente, foram sugeridos quatro pontos de conexão via ferry boat, organizados em pares, que ligam a porção norte do Continente-Ilha, enquanto que os outros dois conectam a porção Sul. Os ferrys farão o transporte de passageiros e veículos, ampliando as alternativas de acesso a essas áreas. Investimentos no sistema viário completarão as ligações necessárias entre os pontos de embarque/desembarque e o sistema viário principal. 15

18 Duas linhas de barcas promoverão a ligação entre as áreas mais densamente ocupadas tanto na Ilha quanto no Continente. Cumprirão também o itinerário cursado pelos ferrys, fechando o circuito. Dentro de uma concepção inicial estão preliminarmente previstas treze paradas, além das quatro já estabelecidas, com possibilidade de integração entre as linhas nos pontos próximos à ponte Hercílio Luz. Esse sistema, com ambas as linhas operando nos dois sentidos, terá capacidade para transportar passageiros/dia. Sua implantação poderá ser feita em etapas até atingir essa capacidade inicialmente estimada, que poderá ser incrementada com a criação de novas linhas e/ou ligações diretas entre os pontos de maior demanda. A nova opção aquaviária tem uma forte interface com o transporte terrestre. Serão criadas novas linhas alimentadoras, inicialmente estimadas em 51 (3 linhas por estação com aproximadamente 6km de percurso cada uma), que percorrerão áreas relativamente próximas aos pontos de embarque e desembarque das barcas, aproximando a vizinhança desses novos endereços. Serão promovidas melhorias nos itinerários que essas linhas percorrerão, com investimentos em infraestrutura (pavimentação, paisagismo, iluminação, paradas, comunicação visual) e frota. Cabe destacar que essas novas linhas alimentadoras também se integram e aumentam a cobertura do sistema em terra já existente, aumentando a capilaridade da rede. Como o sistema existente já conta com integração tarifária por cartão, essas relações ficam facilitadas. As linhas troncais existentes receberão investimentos para incrementar sua eficiência, aumentando a prioridade para o transporte público e suas pontas se conectarão aos pontos de parada dos ferry-boats, completando o circuito Terra - Mar. Serão buscadas alternativas para o transporte pré-pago em nível, o estabelecimento de faixas para a circulação dos ônibus e, quando necessário, canaletas exclusivas, além da preferência nas intercessões. A frota que operará nessas linhas também receberá investimentos buscando veículos de maior capacidade e com matriz energética mais limpa, tais como os ônibus elétricos. Os terminais receberão as adaptações necessárias para acompanhar os ganhos operacionais nas linhas, com a eventual reativação de terminais existentes e mesmo a criação de novos. Haverá ainda investimentos nos sistemas de controle da operação, permitindo agregar tecnologias que tragam maior agilidade e confiabilidade à rede e conforto ao usuário. No conjunto busca-se estabelecer padrões ótimos de operação, trazendo ganhos quantitativos e qualitativos consistentes tanto para os usuários quanto para os operadores. Ressalta-se ainda a oportunidade que os novos pontos de parada do transporte aquaviário têm de estruturar pontos de interesse dentro do bairro, tanto para a qualificação dos espaços públicos quanto para o fortalecimento da identidade dos bairros/praias, o surgimento de novas oportunidades econômicas e a geração de deslocamentos mais sustentáveis. 16

19 17

20 3.5. FLORIPA EM MOVIMENTO (Quark, MPE, Scomi e Brasell); Pré-requisitos O consórcio Floripa em Movimento atende aos pré-requisitos Declaração de Interesse Dados Cadastrais Empresa: Brasil Gestão Empresarial Ltda. Endereço: Rua Geraldo Flausino Gomes, 61, 9º andar. CEP: São Paulo/SP Telefone: (11)

21 Contato: Sr. Osmar Ely Barros Ferreira / Empresa: MPE Montagens e Projetos Especais S.A. Endereço: Rua São Francisco Xavier, 603 Maracanã CEP: Rio de Janeiro/RJ Telefone: (21) Contato: Sr. Adagir de Salles Abreu Filho / Empresa: Quark Fabricação de Equipamentos Ferroviários e Serviços de Engenharia. Endereço: Rua Rio ICA, 480, 1º andar, Ed. Celebration Smart Offices Conj. Vieira Alves Manaus/AM CEP: Telefone: (11) Contato: Sr. Halan Lemos Moreira / Empresa: Scomi Engineering Bhd.. Endereço: Rua Geraldo Flausino Gomes, 61, 9º andar CEP.: São Paulo/SP Telefone: (11) Contato: Sr. Hilmy Zaini Bin Zainal Demonstração de experiência Quark Soluções em Transportes Ltda., foi constituída pelas empresas Scomi Engineering Bhd., MPE Montagens de Projetos Especiais S.A. e Brasell Gestão Empresarial Ltda., especialmente para atender a necessidade de transporte no mercado nacional. A empresa MPE apresentou portfólio que relata a execução de contratos de engenharia (fornecimento de material rodante, sistemas eletrônicos e de energia e via permanente, fabricação e fornecimento de monotrilho) junto a empresas concessionárias do setor ferroviário, tais como : Metrô SP, CPTM SP, Metrô RJ, Riotrilhos, Metrô de Salvador, CBTU, RFFSA, TRENSURB RS, Supervia, e MRS Logística entre outras. O grupo MPE também relatou a estruturação da PPP da linha 18 em São Paulo (estudos técnicos, financeiros e jurídicos). O grupo MPE também relatou que possui uma parceria com o estaleiro australiano AUSTAL, para o fornecimento de Ferry Boat em alumínio. A empresa Brasell Gestão Empresarial apresentou portfólio no qual relata que coordenou o projeto de PPP da linha 18 em São Paulo, realizando os estudos de avaliação econômicofinanceira, avaliação de indicadores de desempenho, análise dos aspectos legais, análise da 19

22 demanda, levantamento dos estudos e projetos existentes, simulação de cenários, dimensionamento da oferta, indicação dos investimentos exigidos, dentre outros. A Brasell ainda assessora a empresa SCOMI, no projeto, fabricação, fornecimento e implantação do sistema de Monotrilho na linha 17 ouro, em São Paulo, além de Manaus, nas áreas de gestão, financeira, jurídica e operacional. A empresa SCOMI apresentou portfólio no qual relata experiência no setor petrolífero, logística marítima, apoio off-shore e setor de transportes. No setor de transporte é especialista no projeto, fabricação, fornecimento e implantação de sistemas de transporte monotrilho, estando presente no Monotrilho de Kuala Lampur, India, e nos Monotrilhos de São Paulo e Manaus. A empresa ainda apresentou declaração de quatro empresas que demonstram interesse em serem contratadas pelo consórcio na realização de estudos para o presente PMI, são elas: - Ernst & Young, que apresentou portfólio relatando experiência na área de estruturação econômico-financeira e business plan para projetos de PPP e concessão. - Escritório Nelson Willians & Advogados Associados, que relatou experiência na elaboração de modelagem contratual (matriz de riscos, aspectos legais, ambientais e regulatórios, estrutura de garantias, etc.), elaboração de termo de edital e minuta contratual na PPP Habitacional da Casa Paulista (SP), PMI linha 18 bronze, metro de SP, PPP linha 17 (monotrilho), em SP e monotrilho de Manaus. - Ultra Global Prt. que relatou a concepção, construção, operação e manutenção do sistema de transporte POD-SIT (Sistema de Transporte Inteligente), bem como os serviços para a elaboração de projetos, estudos ou consultorias para esse sistema. O Sistema POD-SIT opera atualmente no aeroporto de Heathrow e AM Amritsar, Índia, numa área urbana. - Iguatemi Consultoria e Serviços de Engenharia Ltda, que relatou experiência na elaboração de projetos de engenharia rodoviária (básicos, executivos e finais), supervisão de obras em rodovias, estudos de viabilidade técnicos econômicos e ambiental (EVTEA), prestando serviços para DNIT (BR 101/SC, BR 470/SC, BR 282/SC, etc.), DEINFRA (SC 438, SC 473, SC 430, etc.) dentre outros Detalhamento das atividades (cronograma e indicativo de preço dos estudos) O cronograma abaixo apresenta de forma resumida (adaptada) o cronograma proposto pelo consórcio (120 dias). 20

23 A estimativa inicial de custo dos estudos foi fixada em R$ 6,8 milhões Estimativa de desembolso público O consórcio dividiu o projeto em 4 etapas. Sendo as etapas 1, 3 e 4 constituídas de aplicação da tecnologia de POD-SIT (na etapa 1 está previsto também 32 km de transporte marítimo, com 4 estações). Nestas etapas o consórcio afirmou indicativos de concessão comum (sem contraprestação ou subsídio público), com a ressalva de uma possível contraprestação de R$ 2,36 por passageiro em um cenário pessimista (tornando-se, nesse caso, uma PPP). Na segunda etapa, onde o monotrilho seria implementado, prevê-se uma contraprestação abaixo de R$ 6,83 por passageiro. O consórcio não demonstrou a demanda transportada do sistema proposto, para que se pudesse chegar em valores de contraprestação global Indicativo preliminar da solução Seguem abaixo trechos do indicativo de solução proposto pelo consórcio Floripa em Movimento: O sistema proposto será implantado em etapas e fases, prevendo assim, a inauguração do sistema no menor prazo possível, que poderia vir a ser inferior a 18 meses nas condições ideais. Preliminarmente, estima-se que as etapas e fases serão compostas dos seguintes elementos: A etapa 1 é constituída pelos seguintes sistemas de transporte: POD-SIT com 22,02 km e 28 estações. Transporte Marítimo com 32,70 km e 4 estações totais. Fase 1: POD-SIT: 5,89 KM - 7 estações, 1 centro de manutenção. Transporte Marítimo 32,70 km - 4 estações 21

24 Fase 2: POD-SIT: 2,37 KM - 5 estações Fase 3: POD-SIT: 2,20 km - 2 estações Fase 4: POD-SIT: 7,10 km - 9 estações Fase 5: POD-SIT: 4,46 km - 3 estações Nesta etapa, os municípios de Palhoça e Biguaçu serão conectados a Florianópolis através de transporte marítimo, também, utilizar-se-á o POD-SIT na conexão Ilha Continente e em rotas nas principais avenidas da Ilha de Santa Catarina. A etapa 2 é constituída pelo seguinte sistema de transporte: Monotrilho Fase Única: 6,49 km - 8 estações 1 Centro Manutenção 1Nesta etapa, os bairros Kobrasol e Campinas (São José), além dos bairros Capoeiras e Estreito (Florianópolis) serão ligados à Estação Estreito (Cabeceira Continental da Ponte Hercílio Luz). A etapa 3 é constituída pelo seguinte sistema de transporte: POD-SIT Fase Única: 4,56 km - 9 estações 1 Centro Manutenção Nesta etapa, o bairro de Barreiros (São José) será ligado à Estação Nossa Sra. de Fátima, conexão com o monotrilho. A etapa 4 é constituída pelo seguinte sistema de transporte: POD-SIT Fase Única: 4,60 km 9 estações Nesta etapa, os bairros de Kobrasol, Campinas (São José) serão conectados por um sistema interno, cuja destinação eprmitirá integração com o monotrilho. 22

25 3.6. FLORIPA XXI (Logistel, ITEC e TLPG - Brasil/Portugal) Pré-requisitos O consórcio Floripa XXI atende aos pré-requisitos Declaração de Interesse As empresas Logistel SA, ITEC - Infra Tech Engenharia e Consultoria SA e TLPG Soluções Integradas de Logística (em processo de constituição) vêm, pela presente, apresentar a sua Declaração de Interesse em participar no Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), para recebimento de Estudos e Projetos da Iniciativa Privada para Definição de Alternativas de Requalificação e/ou Implantação de Sistemas de Transporte, visando a Melhoria da Mobilidade Urbana e de Acesso à Região Insular de Florianópolis, a que se refere o Aviso Nº 002/2012 e, de acordo com o estabelecido no ponto I do item 6 do aviso acima mencionado, requerem autorização para a realização dos correspondentes estudos e manifestem, expressamente, a sua concordância com as regras do presente PMI e do decreto Nº 962, de 08 de maio de Dados Cadastrais Empresa: Logistel SA Endereço: Rua Av. Condes de Barcelona, Vivenda Arbom Distrito Lisboa, Conselho: Cascais, Freguesia: Estoril, Área de atuação: Logística Contato: Sr. Manuel Ferreira Caetano, Presidente Telefone: Empresa: ITEC - Infra Tech Engenharia e Consultoria AS Endereço: SHIS QI 21 CL BLOCO D LAGO SUL Brasília/DF Brasil CEP: Área de atuação: Engenharia Consultiva Contato: Sr. Joaquim Soutinho Telefone: (61)

26 Empresa: TLPG Soluções Integradas de Logística Endereço: Av. José César de Oliveira, nº 181 Conjunto nº 501 Vila Leopoldina CEP São Paulo Brasil. Área de atuação: Engenharia Consultiva Contato: Sr. Thomas Paul Clemens Buschhausen Telefone: (11) Demonstração de experiência A empresa Logistel apresentou portfólio onde relata experiência em elaboração de estudos técnicos na área de planejamento e engenharia de transportes (Metro Ligeiro, ferroviário e marítimo), como estudos de viabilidade técnica, econômica e financeira, plano estratégico de infraestrura de transportes, estudos de regulamentação de transportes, planos diretores de transportes, plataformas logísticas. A maioria dos estudos foi desenvolvida no exterior (Macau China, Luanda Angola e Moçambique). A empresa ITEC apresentou portfólio onde relata a execução do projeto básico do BRT do Distrito Federal (DF), Estudo de Origem e Destino (DF), Plano Diretor (DF), Estudo de demanda para implantação do Corredor Verde em Curitiba (BRT + VLT), dentre outros estudos na área de mobilidade urbana que incluem planejamento de sistemas de transportes, levantamento de demanda, estudos de viabilidade técnica econômica, financeira e ambiental em cidades como Salvador, Porto Alegre e Curitiba. A TLPG Apresentou o estudo encaminhado ao Governo do Estado de Santa Catarina (Metro Ligeiro) e a Introdução de transportes de passageiros na malha ferroviária Tereza Cristina Detalhamento das atividades (cronograma e indicativo de preço dos estudos) O cronograma abaixo apresenta o cronograma proposto pelo consórcio (120 dias). O custo previsto para os estudos descritos acima, previstos pelo consórcio, são na ordem de USD $ 6 milhões, ou, aproximadamente, R$ 12,6 milhões de reais. 24

27 3.6.5 Estimativa de desembolso público O Consórcio prevê quatro cenários para viabilização do empreendimento: CENÁRIO I (CENÁRIO BASE) Consagra a opção de base, ou seja, a que considera a aquisição inicial de todas as componentes do investimento, sem quaisquer efeitos externos. CENÁRIO II Integra a valorização resultante da possível exploração imobiliária de instalações da concessão, como é o caso, designadamente, da Estação Central, no CEASA, e do Terminal Multimodal no TICEN, assim como a venda de espaços para publicidade, seja nas estações seja, depois, nos próprios trens. CENÁRIO III Considera a opção da aquisição do material rolante em regime de leasing sobre as condições e pressupostos do Cenário Base. CENÁRIO IV Associa os pressupostos consagrados nos Cenários I e II, de que resulta a avaliação no valor global do investimento dos efeitos da valorização do imobiliário e da publicidade e do regime de leasing aplicado ao material rolante. OBS.: Investimentos previstos em dólares (USD$) Indicativo preliminar da solução Segue abaixo trechos do indicativo de solução proposto pelo consórcio Floripa XXI: A cobertura do território pela rede de metrô ligeiro de superfície é mostrada na figura seguinte. A rede evidencia a ligação entre os municípios com maior densidade populacional: Florianópolis, capital do Estado, S. José, Palhoça e Biguaçu. No total, a população residente é atualmente de habitantes, representando cerca de 13% da população total do Estado de Santa Catarina, que de acordo com as estatísticas oficiais é de habitantes. Projeções recentes levam, contudo, a admitir que por volta do ano 2030 a polução possa rondar os cerca de 7 milhões de habitantes, representando um acréscimo em termos percentuais computado em 11% alcançável durante praticamente três décadas. 25

28 O desenho da rede evidencia também a expectativa de ligação a terminais marítimos para articulação com o sistema hidroviário, assim como a existência de interfaces com o sistema de transporte coletivo rodoviário, que têm dois terminais comuns, na Estação Central, no espaço ocupado atualmente pelo CEASA, e no TICEN, nós preferenciais de ligação intermodal, com grande capacidade e localização estratégica, que dão conteúdo prático e operacional notável à perspetiva de intermodalidade e de complementaridade modal, que é uma das bandeiras do projeto do metrô ligeiro de superfície que se propõe para a solução dos problemas de mobilidade da Grande Florianópolis. Para além destes pontos nodais, todas as estações/paragens das várias linhas, existentes ao longo do percurso de 67,4 kms que tem a rede, num total de 91 estações, disponibilizam interfaces naturais com o transporte coletivo de passageiros e inclusivamente também com eventuais linhas de BRT adjacentes, com percursos coincidentes ou convergentes que possam vir a ser criadas. É assim inequívoca a preocupação de implementar em termos conceptuais o princípio da intermodalidade, que é complementada com as iniciativas já desenvolvidas pelo consórcio FLORIPA XXI, junto dos operadores de ônibus reunidos no Sindicato das Empresas de Transporte do Estado de Santa Catarina (SETPESC) e de duas empresas construtoras de embarcações (ferries) com fábricas no Estado de Santa Catarina, em Biguaçu e Imbituba, respetivamente, uma das quais está obtendo certificação como operador de transporte marítimo e se encontra disponível para realizar serviços hidroviários em linhas de cabotagem que venham a ser criadas. Na figura abaixo encontra-se representado o traçado indicativo das várias linhas da rede de metrô ligeiro de superfície. (...) (...) Entretanto, chama-se a atenção para o fato de o traçado tal como apresentado ser, numa primeira instância, o sítio físico, isto é, o espaço geográfico, por onde evoluirá a rede e, tal como representado, poder comportar duas soluções relativas à solução do binômio 26

29 infraestruturas-material rolante, que será avaliada depois, na fase de projeto, em duas alternativas distintas, ou cenários, a saber: - Cenário Base (VLT) ; - Cenário Alternativo (Monotrilho); 27

30 3.7. NeoGennium Pré-requisitos A empresa NeoGennium atende aos pré-requisitos Declaração de Interesse Atendendo ao disposto no Aviso nº 002/2012, do Governo do estado de Santa Catarina (SIE/DEINFRA/SCPar), vimos por meio desta manifestar nosso interesse em participar na préqualificação para a apresentação de estudos e projetos de implantação de sistemas de transporte visando à melhor mobilidade urbana e acesso à região insular de Florianópolis e solicitar autorização para realização dos estudos conforme descritos no termo de referencia anexo ao referido Aviso, a saber: (i) grupo 1: avaliação da demanda atual e futura da rede de transporte e veículos; (ii) grupo 2: desenvolvimento de soluções para atendimento da demanda; (iii) grupo 3: planejamento da implantação; (iv) grupo 4: avaliação preliminar de impacto sócio-ambiental; (v) grupo 5: projetos de engenharia; (vi) grupo 6: modelagem e estruturação econômico-financeira para implantação do projeto na modalidade concessão ou PPP; (vii) aspectos legais. Informamos que concordamos com as regras do PMI e do Decreto nº 962 de 08 de maio de Dados Cadastrais Empresa: Neogennium Processamento de Dados Eireli ME Endereço: Rua Adhemar da Silva, 826 Sala 201 (Setor G&P Associados), Kobrasol São José SC Telefone: Contato: Reus Salini Demonstração de experiência A empresa apresentou portfólio no qual relata que possui em seus quadros profissionais com nível de mestrado, doutorado e pós-doutorado com experiências nacional e internacional, incluindo Suécia, Estados Unidos, e outros. A empresa citou atividades como: análise de dados de mobilidade urbana da grande Florianópolis, avaliação da rede de transporte rodoviária e implantação do sistema de gerência de pavimentos da Moldávia, em conjunto com o Swedish National Road Consulting, e estudos econômicos financeiro em projetos diversos, dentre outras atividades técnicas não relacionadas a sistema de transporte de massa. 28

31 3.7.4 Detalhamento das atividades (cronograma e indicativo de preço dos estudos) O cronograma abaixo apresenta o cronograma proposto pela empresa (120 dias). O custo estimado para os estudos é de R$ 1,97 milhões (um milhão e novecentos e setenta mil reais) Estimativa de desembolso público Na construção e implantação do sistema proposto de monotrilho a empresa estabeleceu que o desembolso público será: nenhum ou conforme indicado nos estudos técnicos e econômicos. O Custo total do investimento para construção e implantação do sistema de transporte proposto é de R$ 1,31 bilhões (um bilhão, trezentos e dez milhões de reais). Para a operação do sistema de monotrilho proposto a empresa não previu desembolso público Indicativo preliminar da solução Segue abaixo trechos do indicativo de solução proposto pela empresa Neogennium: Esta proposta prevê a implantação de uma linha para trem do tipo monotrilho, elevada em cerca de 9,0 m a partir do nível do terreno em toda a sua extensão, com dois monotrilhos paralelos permitindo o trânsito bidirecional simultâneo e extensão de aproximadamente 16 km, conectando o entroncamento entre a Via Expressa (BR-282) e a BR-101, nas proximidades do Shopping Itaguaçu, até o campus principal da Universidade Federal de Santa Catarina. As localizações definitivas dos terminais multimodais de passageiros serão definidas durante os estudos técnicos que serão realizados. Preliminarmente, para fins de referência, está prevista a integração do transporte de ônibus com o trem monotrilho nos seguintes locais: Nas proximidades do Shopping Itaguaçu; Nas proximidades do Supermercado Angeloni no Bairro Capoeiras; No atual Terminal de Integração do Centro de Florianópolis (TICEN); Na Avenida Beira Mar Norte, com acesso pela Praça Esteves Júnior; Na Avenida Beira Mar Norte, com acesso pela Praça Governador Celso Ramos; 29

TERMO DE AUTORIZAÇÃO

TERMO DE AUTORIZAÇÃO TERMO DE AUTORIZAÇÃO AVISO Nº 002/2012 Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para recebimento de estudos e projetos para definição de alternativas de requalificação e/ou implantação de sistemas

Leia mais

Transporte e Planejamento Urbano

Transporte e Planejamento Urbano Transporte e Planejamento Urbano para o Desenvolvimento da RMRJ Julho/2014 Cidades a maior invenção humana As cidades induzem a produção conjunta de conhecimentos que é a criação mais importante da raça

Leia mais

CIDADE DO CIDADE PARA AUTOMÓVEL PESSOAS

CIDADE DO CIDADE PARA AUTOMÓVEL PESSOAS MOBILIDADE URBANA Na região Metropolitana de Florianópolis e o PLAMUS Superintendência da Região Metropolitana da Grande Florianópolis CIDADE DO AUTOMÓVEL CIDADE PARA PESSOAS RACIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO Espaço

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO. Infraestrutura necessária para realização da Copa do Mundo FIFA 2014

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO. Infraestrutura necessária para realização da Copa do Mundo FIFA 2014 TM GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO Infraestrutura necessária para realização da Copa do Mundo FIFA 2014 SOLUÇÕES ENCAMINHADAS Constituição do COMITÊ PAULISTA (Grupo Executivo

Leia mais

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras nº 342 outubro 2014 Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras Odebrecht 70 anos: projetos que contribuem para melhorar as opções de mobilidade urbana das comunidades Odebrecht Infraestrutura Brasil

Leia mais

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS ESPELHO DE 001 - Construção do Contorno Ferroviário de Curitiba AUTOR DA Luciano Ducci 37050001 539 0141 - Promover a expansão da malha ferroviária federal

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis Plamus. Guilherme Medeiros SC Participações e Parcerias S.A. Governo de Santa Catarina

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis Plamus. Guilherme Medeiros SC Participações e Parcerias S.A. Governo de Santa Catarina Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis Plamus Guilherme Medeiros SC Participações e Parcerias S.A. Governo de Santa Catarina Introdução PLAMUS e status do projeto Diagnóstico: qual

Leia mais

Infraestrutura, Segurança e PPPs

Infraestrutura, Segurança e PPPs www.pwc.com Infraestrutura, Segurança e PPPs Dezembro, 2011 Agenda - Características de uma PPP - Alguns Projetos de PPP no Brasil - Exemplos de PPP em Infraestrutura e Segurança 2 Características de uma

Leia mais

Extensão Norte Linha 1 - TRENSURB São Leopoldo - Novo Hamburgo

Extensão Norte Linha 1 - TRENSURB São Leopoldo - Novo Hamburgo Extensão Norte Linha 1 - TRENSURB São Leopoldo - Novo Hamburgo Metrô em elevado com extensão de 9,3 Km com rede elétrica aérea, sinalização, bilhetagem eletrônica, escadas rolantes Quatro Estações de Passageiros

Leia mais

Políticas de integração para mobilidade urbana em cidades coordenadas por diferente modais Wagner Colombini Martins 20/09/2013

Políticas de integração para mobilidade urbana em cidades coordenadas por diferente modais Wagner Colombini Martins 20/09/2013 Políticas de integração para mobilidade urbana em cidades coordenadas por diferente modais Wagner Colombini Martins 20/09/2013 A gestão pública brasileira é marcada pela atuação setorial, com graves dificuldades

Leia mais

Evolução do congestionamento

Evolução do congestionamento Evolução do congestionamento Crescimento populacional estável Taxa de motorização crescente 2025 2005 Surgimento de novos pólos de atração de viagens Deslocamentos na cidade Rede de transporte para 2016

Leia mais

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 Frota antiga e tecnologia obsoleta; Serviço irregular de vans operando em todo o DF 850 veículos; Ausência de integração entre os modos e serviços; Dispersão das linhas;

Leia mais

Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis

Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis Documento confidencial para uso e informação do cliente Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis Apresentação Florianópolis Dezembro

Leia mais

Transporte e Infraestrutura: Perspectivas para o Transporte Público Urbano

Transporte e Infraestrutura: Perspectivas para o Transporte Público Urbano Transporte e Infraestrutura: Perspectivas para o Transporte Público Urbano Otávio Vieira da Cunha Filho Presidente da Diretoria Executiva NTU Rio de Janeiro, 17/08/2012 1 Estrutura 1. Contexto; 2. O que

Leia mais

O Problema dos Transportes Urbanos de Passageiros no Brasil

O Problema dos Transportes Urbanos de Passageiros no Brasil O Problema dos Transportes Urbanos de Passageiros no Brasil Uma Contribuição para as Discuções sobre o Tema. O crescimento da urbanização da população brasileira, os incentivos generosos do governo federal

Leia mais

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Gustavo Guerrante. 30 de novembro de 2015

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Gustavo Guerrante. 30 de novembro de 2015 Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro Gustavo Guerrante 30 de novembro de 2015 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas Em 2009, institucionalizou-se

Leia mais

Projetos de Melhoria da Mobilidade Urbana até 2014

Projetos de Melhoria da Mobilidade Urbana até 2014 Projetos de Melhoria da Mobilidade Urbana até 2014 Melhoria da Infraestrutura Viária e Transporte na Capital Abril/2011 Mobilidade Urbana em Belo Horizonte BRT Antônio Carlos/Pedro I Meta 1 VIADUTOS DE

Leia mais

Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte COPA 2014

Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte COPA 2014 INFRAESTRUTURA PARA A COPA 2014 Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte COPA 2014 Novembro/12 Agosto/2011 Empreendimentos de Mobilidade Urbana BRT Antônio Carlos/Pedro I Meta 1: Interseção com Av.

Leia mais

VISITA À FÁBRICA DO VLT CARIOCA TAUBATÉ - SP

VISITA À FÁBRICA DO VLT CARIOCA TAUBATÉ - SP VISITA À FÁBRICA DO VLT CARIOCA TAUBATÉ - SP Modalidade PPP Patrocinada Duração do contrato 25 anos Consórcio VLT Carioca CCR Invepar OTP RioPar RATP Benito Roggio Transporte Sociedad Anónima - BRT 2 O

Leia mais

Pesquisa CNT de Ferrovias 2011

Pesquisa CNT de Ferrovias 2011 Cresce o transporte de cargas nas ferrovias brasileiras As ferrovias brasileiras se consolidaram como uma alternativa eficiente e segura para o transporte de cargas. A, que traçou um panorama do transporte

Leia mais

Metrô Leve de Goiânia. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre

Metrô Leve de Goiânia. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Metrô Leve de Goiânia Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Novembro 2011 Agenda Escolha do modal Requisitos para o projeto Referências internacionais Desenvolvimento urbano de Goiânia Estudo

Leia mais

Obras de Mobilidade Urbana no Município da Cidade do Rio de Janeiro. Alexandre Pinto Secretario Municipal de Obras

Obras de Mobilidade Urbana no Município da Cidade do Rio de Janeiro. Alexandre Pinto Secretario Municipal de Obras Obras de Mobilidade Urbana no Município da Cidade do Rio de Janeiro Alexandre Pinto Secretario Municipal de Obras BRTs Criado no Brasil e exportado para diversas cidades, tais como Bogotá, Pequim e Johanesburgo,

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA DESENVOLVIMENTO DE LAY-OUT DE PROPOSTA ALTERNATIVA PARA O SISTEMA G DE TRANSPORTE PÚBLICO MULTIMODAL PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA GRANDE VITÓRIA GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

Leia mais

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV Encontro Econômico Brasil - Alemanha 2009 Cooperação para o Crescimento e Emprego Idéias e Resultados TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV Secretaria de Política Nacional de Transportes / MT - Engº Marcelo Perrupato

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH. Marcelo Cintra do Amaral. 20 de novembro de 2012

Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH. Marcelo Cintra do Amaral. 20 de novembro de 2012 Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH Marcelo Cintra do Amaral 20 de novembro de 2012 Roteiro da apresentação: Contexto do PlanMob-BH: prognóstico, caráter de plano diretor, etapas

Leia mais

BRT Transoeste: transformando o conceito de transporte público no Rio de Janeiro

BRT Transoeste: transformando o conceito de transporte público no Rio de Janeiro BRT Transoeste: transformando o conceito de transporte público no Rio de Janeiro Richele Cabral 1 ; Eunice Horácio S. B. Teixeira 1 ; Milena S. Borges 1 ; Miguel Ângelo A. F. de Paula 1 ; Pedro Paulo S.

Leia mais

Superintendência de Planejamento e Gestão Territorial (SGT)

Superintendência de Planejamento e Gestão Territorial (SGT) Superintendência de Planejamento e Gestão Territorial (SGT) SEMINÁRIO CONFEA/CREA-BA: ACOMPANHAMENTO OBRAS DA COPA 12/04/2011 OBRAS A CARGO DA SEDUR Corredor Estruturante Aeroporto-Acesso Norte, do Sistema

Leia mais

BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2012/2013

BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2012/2013 BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2012/2013 O setor se reúne para divulgar seus números, que refletem a importância dos trilhos para a mobilidade dos brasileiros Aumento de 8% no número de passageiros

Leia mais

CRITÉRIOS TÉCNICOS PARA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MOBILIDADE URBANA. Lúcia Maria Mendonça Santos Ministério das Cidades

CRITÉRIOS TÉCNICOS PARA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MOBILIDADE URBANA. Lúcia Maria Mendonça Santos Ministério das Cidades CRITÉRIOS TÉCNICOS PARA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MOBILIDADE URBANA Lúcia Maria Mendonça Santos S e m i n á r i o M o b i l i d a d e U r b a n a S u s t e n t á v e l : P r á t i c a s e T e n d ê n c

Leia mais

Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana

Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana PAC 2 SÃO PAULO R$ 241,5 bilhões R$ milhões Eixo 2011-2014 Pós 2014 TOTAL Transportes 55.427 2.169 57.596 Energia 57.578 77.936 135.513 Cidade Melhor

Leia mais

Esquema operacional de trânsito para a construção do BRT TransBrasil

Esquema operacional de trânsito para a construção do BRT TransBrasil Esquema operacional de trânsito para a construção do BRT TransBrasil Desde sábado, dia 10 de janeiro, a Avenida Brasil tem 2,5 faixas interditadas no trecho Caju e Manguinhos A Prefeitura do Rio, por meio

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil. Ações do Governo de Minas Gerais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil. Ações do Governo de Minas Gerais COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil Ações do Governo de Minas Gerais 27 de Outubro de 2009 Roteiro Estratégia de Execução Modernização do Mineirão Reforma dos Estádios Alternativos Mobilidade

Leia mais

Investimento Global (R$ mi) 1 Belo Horizonte BRT: Antônio Carlos / Pedro I 726,4 382,3-344,2 -

Investimento Global (R$ mi) 1 Belo Horizonte BRT: Antônio Carlos / Pedro I 726,4 382,3-344,2 - Anexo A - Mobilidade Urbana Empreendimento (obra, projeto e desapropriação) 1 Belo Horizonte BRT: Antônio Carlos / Pedro I 726,4 382,3-344,2-2 Belo Horizonte Corredor Pedro II e Obras Complementares nos

Leia mais

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos 7º Encontro de Logística e Transporte FIESP maio/2012 Conrado Grava de Souza Conselheiro ANPTrilhos Apoio: ANPTrilhos Objetivo

Leia mais

UGP COPA Unidade Gestora do Projeto da Copa

UGP COPA Unidade Gestora do Projeto da Copa Organização da Copa 2014 PORTFÓLIOS UGPCOPA ARENA E ENTORNO INFRAESTRUTURA TURÍSTICA FAN PARKS LOC COPA DESPORTIVA EVENTOS DA FIFA GERENCIAMENTO DE PROJETOS OBRIGAÇÕES GOVERNAMENTAIS SUPRIMENTOS COPA TURÍSTICA

Leia mais

PREFEITO E PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF ANUNCIAM NOVOS INVESTIMENTOS EM MOBILIDADE URBANA NO RIO

PREFEITO E PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF ANUNCIAM NOVOS INVESTIMENTOS EM MOBILIDADE URBANA NO RIO PREFEITO E PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF ANUNCIAM NOVOS INVESTIMENTOS EM MOBILIDADE URBANA NO RIO Governo Federal libera R$ 1,63 bilhão para implantação do BRT Transbrasil e do VLT do Centro A presidenta Dilma

Leia mais

Nos trilhos do progresso

Nos trilhos do progresso Nos trilhos do progresso brasil: polo internacional de investimentos e negócios. Um gigante. O quinto maior país do mundo em extensão e população e o maior da América Latina, onde se destaca como a economia

Leia mais

TREM DE GUARULHOS EXPRESSO AEROPORTO

TREM DE GUARULHOS EXPRESSO AEROPORTO TREM DE GUARULHOS EXPRESSO AEROPORTO REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 2 Municípios Habitantes PIB (Regional) Comércio e Serviços 39 18,6 milhões 10,5% população Brasileira R$ 244 Bilhões 15,7% PIB Brasileiro

Leia mais

Perspectivas do Trem de Alta Velocidade

Perspectivas do Trem de Alta Velocidade Perspectivas do Trem de Alta Velocidade Bernardo Figueiredo Julho/2013 TRENS DE ALTA VELOCIDADE Segurança: Trem de Alta Velocidade é mais seguro. AVIÃO Número de mortes por bilhão de passageiro/km RODOVIA

Leia mais

MODELO DE CARTA-CONSULTA PAC 2 MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE

MODELO DE CARTA-CONSULTA PAC 2 MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE MODELO DE CARTA-CONSULTA PAC 2 MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE Proponente: Município Beneficiado: Estado: Nome Entidade: CNPJ: Endereço da Sede: CEP: Tel/Fax: Representante Legal:

Leia mais

Unidade Gestora do Projeto da Copa. Unidade d Gestora do Projeto da Copa MOBILIDADE URBANA

Unidade Gestora do Projeto da Copa. Unidade d Gestora do Projeto da Copa MOBILIDADE URBANA Unidade d Gestora do Projeto da Copa MOBILIDADE URBANA PLANO DE GOVERNANÇA POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MANAUS 1.802.014 Hab População/ bairros de Manaus DISTRIBUIÇÃO DA FROTA DE VEÍCULOS EM MANAUS Automóveis

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana de BH

Plano de Mobilidade Urbana de BH 4 a 7 de junho de 2013 Hotel Ouro Minas Plano de Mobilidade Urbana de BH Ramon Victor Cesar Presidente de BHTRANS Contexto do PlanMob-BH: Cenários, diagnóstico e prognósticos Desafio 1: como articular

Leia mais

Programa Estadual de Mobilidade Urbana PROMOB PROGRAMA ESTADUAL DE MOBILIDADE URBANA PROMOB

Programa Estadual de Mobilidade Urbana PROMOB PROGRAMA ESTADUAL DE MOBILIDADE URBANA PROMOB PROGRAMA ESTADUAL DE MOBILIDADE URBANA PROMOB ARAÇOIABA 15.108 90 IGARASSU 82.277 323 ITAPISSUMA 20.116 74 ITAMARACÁ 15.858 65 PRAIA DE MARIA FARINHA A REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE Municípios: 14 População:

Leia mais

Luiz Carlos Bueno de Lima

Luiz Carlos Bueno de Lima A política nacional de transporte t e da mobilidade urbana Luiz Carlos Bueno de Lima Secretário Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Transporte e

Leia mais

BRT MANAUS TRANSPORTE PÚBLICO MASSIVO: BRT MANAUS

BRT MANAUS TRANSPORTE PÚBLICO MASSIVO: BRT MANAUS TRANSPORTE PÚBLICO MASSIVO: BRT MANAUS CLAUDEMIR JOSÉ ANDRADE Arquiteto e Urbanista Membro da Comissão Executiva de Planejamento e Gestão de Projetos Manaus Sede da Copa do Mundo de 2014. BUS RAPID TRANSIT?

Leia mais

PROGRAMA DE INVESTIMENTO EM MOBILIDADE NA RMS COM VISTAS À COPA 2014

PROGRAMA DE INVESTIMENTO EM MOBILIDADE NA RMS COM VISTAS À COPA 2014 PROGRAMA DE INVESTIMENTO EM MOBILIDADE NA RMS COM VISTAS À COPA 2014 Proposta de estruturação com investimentos nos grandes corredores de transporte na Região Metropolitana de Salvador RMS A Fonte Nova

Leia mais

Governo Estadual RS 509

Governo Estadual RS 509 1 - RODOVIAS / TRAVESSIA URBANA Governo Federal BR 158, BR 287 e BR 392 Governo Estadual RS 509 Governo Municipal Av. Helvio Basso 2 - MOBILIDADE URBANA Plano Diretor de Mobilidade Urbana TR está pronto.

Leia mais

DÂMOCLES PANTALEÃO LOPES TRINTA WALTER FERNANDES DE MIRANDA NETO SECRETÁRIO ADJUNTO DE PLANEJAMENTO DE OBRAS DA COPA 2014

DÂMOCLES PANTALEÃO LOPES TRINTA WALTER FERNANDES DE MIRANDA NETO SECRETÁRIO ADJUNTO DE PLANEJAMENTO DE OBRAS DA COPA 2014 INVESTIMENTOS EM MOBILIDADE URBANA PARA A COPA INVESTIMENTOS SECRETARIA ADJUNTA EM MOBILIDADE DE PLANEJAMENTO URBANA DE OBRAS PARA DA A COPA MOBILIDADE URBANA - COPA DÂMOCLES PANTALEÃO LOPES TRINTA SECRETÁRIO

Leia mais

GERALDO ALCKMIN 18/10/2011

GERALDO ALCKMIN 18/10/2011 GERALDO ALCKMIN 18/10/2011 AÇÕES E PROJETOS HABITAÇÃO - 150 mil novas moradias nos próximos quatro anos, para atender a famílias que ganham até 5 salários mínimos, triplicando a produção de moradias no

Leia mais

REGIÕES METROPOLITANAS

REGIÕES METROPOLITANAS REGIÕES METROPOLITANAS MOBILIDADE URBANA NAS REGIÕES METROPOLITANAS NOVEMBRO/2003- Rj SISTEMA INTEGRADO MULTIMODAL DE TRANSPORTE DA REGIÃO METROPOLITANA DA CIDADE DO SALVADOR REGIÃ0 METROPOLITANA DE SALVADOR

Leia mais

NOVEMBRO 2013 1º RELATÓRIO DE ANDAMENTO

NOVEMBRO 2013 1º RELATÓRIO DE ANDAMENTO NOVEMBRO 2013 ESTUDO PRELIMINAR PARA IMPLANTAÇÃO DE PONTE SOBRE O RIO SÃO FRANCISCO, ENTRE OS MUNICÍPIOS DE PENEDO/AL E NEÓPOLIS/SE 1º RELATÓRIO DE ANDAMENTO ESTUDO PRELIMINAR PARA IMPLANTAÇÃO DE PONTE

Leia mais

As condições de acessibilidade e mobilidade nas cidades receptoras. Diretoria de Engenharia - DE

As condições de acessibilidade e mobilidade nas cidades receptoras. Diretoria de Engenharia - DE As condições de acessibilidade e mobilidade nas cidades receptoras Diretoria de Engenharia - DE Cidades candidatas e seus aeroportos Aeroportos da INFRAERO primeira e última imagem que o turista estrangeiro

Leia mais

Rodovia Perimetral Norte

Rodovia Perimetral Norte Buscando criar um novo caminho que integre as três rodovias Federais (Br s 101, 116 e 324), que cruzam Feira de Santana, a rodovia perimetral norte de 33 km, surge como uma alternativa muito importante

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO

TRANSPORTE FERROVIÁRIO TRANSPORTE FERROVIÁRIO O transporte ferroviário no Brasil sofreu, durante um grande período, talvez devido à grande concorrência do transporte rodoviário, a falta de incentivo com relação à ampliação do

Leia mais

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Belo Horizonte. Setembro/2013

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Belo Horizonte. Setembro/2013 CodeP1 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede: Belo Horizonte Setembro/2013 Belo Horizonte: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s CodeP2 Referência Set/13, Distribuição dos

Leia mais

MOBILIDADE E LOGÍSTICA NO RJ SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES 2015-2018

MOBILIDADE E LOGÍSTICA NO RJ SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES 2015-2018 MOBILIDADE E LOGÍSTICA NO RJ SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES 2015-2018 Plano Diretor de Mobilidade para Região Metropolitana do Rio de Janeiro Plano Estratégico de Logística e Cargas do Estado do Rio

Leia mais

Amapá 2,1. Pará 46,2. Ceará 25,4 Pernambuco 22,3. Maranhão 17,4. Roraima 3,7. Tocantins 19,7. Rio Grande do Norte 7,5. Piauí 9,9.

Amapá 2,1. Pará 46,2. Ceará 25,4 Pernambuco 22,3. Maranhão 17,4. Roraima 3,7. Tocantins 19,7. Rio Grande do Norte 7,5. Piauí 9,9. INFRAESTRUTURA Valores de investimentos sugeridos pelo Plano CNT de Transporte e Logística 2014 em todos os Estados brasileiros, incluindo os diferentes modais (em R$ bilhões) Tocantins 19,7 Roraima 3,7

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha

Operação Urbana Porto Maravilha Operação Urbana Porto Maravilha AGENDA 1. VISÃO GERAL DO PROJETO PORTO MARAVILHA 2. MODELAGEM FINANCEIRA 1. ARCABOUÇO JURÍDICO 2. ESTUDOS TÉCNICOS 3. MODELAGEM DA PPP 4. RECEITAS X DESPESAS 5. LEILÃO DOS

Leia mais

Concessão Rodoviária Estadual Trecho Litoral Norte

Concessão Rodoviária Estadual Trecho Litoral Norte Concessão Rodoviária Estadual Trecho Litoral Norte Descrição Concessão à iniciativa privada dos principais eixos rodoviários de acesso ao litoral norte de Alagoas, visando a melhoria operacional, manutenção,

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA ESTAÇÕES BHBUS PAMPULHA E SÃO JOSÉ

CONSULTA PÚBLICA ESTAÇÕES BHBUS PAMPULHA E SÃO JOSÉ CONSULTA PÚBLICA ESTAÇÕES BHBUS PAMPULHA E SÃO JOSÉ O presente documento contém os pedidos de esclarecimentos e sugestões a respeito da concessão de obra pública para as Estações Bhbus Pampulha e São José

Leia mais

MOBILIDADE URBANA DESAFIOS E PERSPECTIVAS MARCILIO CUNHA

MOBILIDADE URBANA DESAFIOS E PERSPECTIVAS MARCILIO CUNHA MOBILIDADE URBANA DESAFIOS E PERSPECTIVAS MOBILIDADE URBANA Determina a adoção de uma visãosistêmica sobre toda a movimentação de bens e pessoas. MOBILIDADE URBANA Envolvemtodososmodoseelementosque produzem

Leia mais

CORREDOR GUARULHOS-SÃO PAULO CORREDOR METROPOLITANO GUARULHOS - SÃO PAULO

CORREDOR GUARULHOS-SÃO PAULO CORREDOR METROPOLITANO GUARULHOS - SÃO PAULO CORREDOR METROPOLITANO GUARULHOS - SÃO PAULO ACE Associação Comercial Empresarial de Guarulhos 25/Outubro/2013 MISSÃO: Promover e gerir o transporte intermunicipal de baixa e média capacidades para passageiros

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO - OPORTUNIDADES Um evento esportivo do porte de uma Copa do Mundo é como uma grande vitrine do país no exterior e corresponde a um

Leia mais

Sistema Metro-Ferroviário e a Integração Metropolitana do Transporte na RMPA

Sistema Metro-Ferroviário e a Integração Metropolitana do Transporte na RMPA MOBILIDADE URBANA EM REGIÕES METROPOLITANAS Sistema Metro-Ferroviário e a Integração Metropolitana do Transporte na RMPA Marco Aurélio Spall Maia Diretor Presidente TRENSURB-Porto Alegre Região Metropolitana

Leia mais

ANEXO II DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO DO TRANSPORTE COLETIVO DO RIO DE JANEIRO

ANEXO II DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO DO TRANSPORTE COLETIVO DO RIO DE JANEIRO ANEXO II DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO DO TRANSPORTE COLETIVO DO RIO DE JANEIRO 1. Perspectiva para o Sistema de Transporte Futuro 1.1. Introdução 1.2. Definições 2. Política Tarifária 3. Tecnologias

Leia mais

Programa de Integração e Mobilidade Urbana da Região Metropolitana do Rio de Janeiro

Programa de Integração e Mobilidade Urbana da Região Metropolitana do Rio de Janeiro Programa de Integração e Mobilidade Urbana da Região Metropolitana do Rio de Janeiro Waldir Peres Superintendente Agência Metropolitana de Transportes Urbanos São Paulo Setembro de 2011 Plano Geral Rio

Leia mais

DRAFT. PROJETO DE MOBILIDADE URBANA DE MANAUS 6 de outubro de 2009

DRAFT. PROJETO DE MOBILIDADE URBANA DE MANAUS 6 de outubro de 2009 PROJETO DE MOBILIDADE URBANA DE MANAUS 6 de outubro de 2009 Agenda Crescimento de Manaus Solução de mobilidade urbana Resumo do projeto do monotrilho Resumo do projeto do BRT Quadro 2 Agenda Crescimento

Leia mais

ANEXO XI: INTERVENÇÕES PRIORITÁRIAS NO SISTEMA VIÁRIO MUNICIPAL

ANEXO XI: INTERVENÇÕES PRIORITÁRIAS NO SISTEMA VIÁRIO MUNICIPAL LEI N. ANEXO XI: INTERVENÇÕES PRIORITÁRIAS NO SISTEMA VIÁRIO MUNICIPAL PLANO DIRETOR DO MUNICÍPIO DO IPOJUCA VIAS ARTERIAIS VIA PE-060 PE-038 PE-009 I - Requalificação com sua duplicação em todo o trecho

Leia mais

Projetos de Expansão e Modernização

Projetos de Expansão e Modernização Projetos de Expansão e Modernização Março/2012 Jundiaí Várzea Paulista Campo Limpo Paulista Francisco Morato Franco da Rocha Caieiras REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Itaquaquecetuba Osasco Barueri São

Leia mais

Indicadores de Desempenho do Sistema Transportes

Indicadores de Desempenho do Sistema Transportes Indicadores de Desempenho do Sistema Transportes Estratégia Unindo Ações OBJETIVOS ESTRATÉGICOS Fortalecer a capacidade de planejamento buscando o alinhamento das esferas de governo e sociedade Incorporar

Leia mais

Panorama do Plamus Julho de 2015

Panorama do Plamus Julho de 2015 Panorama do Plamus Julho de 2015 O PLAMUS foi elaborado por consórcio de três empresas LogitEngenharia, Strategy& e Machado Meyer Advogados, com cinco parceiros Consórcio Empresa brasileira, fundada há

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL

A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL 04/05/2011 Senado Federal - Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo O BRASIL EM NÚMEROS BASE PARA O CRESCIMENTO Os investimentos nas áreas

Leia mais

Mobilidade Carioca. BRTs e a rede integrada de transportes de alta capacidade da cidade

Mobilidade Carioca. BRTs e a rede integrada de transportes de alta capacidade da cidade Mobilidade Carioca Mobilidade Carioca BRTs e a rede integrada de transportes de alta capacidade da cidade Rede de Transporte em 2010 trem metrô Rede de Transporte em 2012 trem metrô BRT Rede de Transporte

Leia mais

Concessão Rodoviária Estadual Trecho Litoral Sul

Concessão Rodoviária Estadual Trecho Litoral Sul Concessão Rodoviária Estadual Trecho Litoral Sul Descrição Concessão à iniciativa privada dos principais eixos rodoviários de acesso ao litoral sul de Alagoas, visando a melhoria operacional, manutenção,

Leia mais

Plano de ações para segurança no corredor ferroviário

Plano de ações para segurança no corredor ferroviário Plano de ações para segurança no corredor ferroviário Fase 3 Elaboração das propostas Etapa 3.1, 3.2 e 3.4 Concepção, análise e detalhamento das propostas Página 1 de 10 Sumário 2.5. Plano de ações para

Leia mais

Copa do Mundo FIFA 2014

Copa do Mundo FIFA 2014 1. Belo Horizonte Copa do Mundo FIFA 2014 CODE-2 Belo Horizonte Belo Horizonte Quantitativo de Empreendimentos e Investimentos por Tema Nº de Empreendimentos Investimento Total (R$ mi) Estádio Mobilidade

Leia mais

Júlio Eduardo dos Santos

Júlio Eduardo dos Santos Júlio Eduardo dos Santos Secretário Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Linha do Tempo 1965 a 2003 Extinção da GEIPOT Lei 10.233 / 2001 Criação da EBTU lei nº 6.261 em 1975 Extinção da EBTU Dec.

Leia mais

NOVAS OBRAS DE MOBILIDADE. Menos tempo no trânsito. Mais tempo com a família.

NOVAS OBRAS DE MOBILIDADE. Menos tempo no trânsito. Mais tempo com a família. NOVAS OBRAS DE MOBILIDADE Menos tempo no trânsito. Mais tempo com a família. NOVAS OBRAS DE MOBILIDADE BRT Cristiano Machado Empreendimento BRT Antônio Carlos / Pedro I -Meta 4A Trecho Centro - Pampulha

Leia mais

DESMISTIFICANDO AS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS

DESMISTIFICANDO AS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS DESMISTIFICANDO AS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS UMA IMPORTANTE ALTERNATIVA PARA O AVANÇO DA INFRAESTRUTURA BRASILEIRA Daniel R. Figueiredo Especialista em Estruturação de Projetos de PPP e Concessões 26/08/2015

Leia mais

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES JULHO 2015 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS URBANO Fonte: Pesquisa de mobilidade 2012 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS

Leia mais

ÍNDICE. Capítulo I...5. Do Sub-Sistema Viário Estrutural...5. Capítulo II...5. Do Sub-Sistema de Apoio...5 DISPOSIÇÕES FINAIS...6

ÍNDICE. Capítulo I...5. Do Sub-Sistema Viário Estrutural...5. Capítulo II...5. Do Sub-Sistema de Apoio...5 DISPOSIÇÕES FINAIS...6 ÍNDICE Capítulo I...5 Do Sub-Sistema Viário Estrutural...5 Capítulo II...5 Do Sub-Sistema de Apoio...5 DISPOSIÇÕES FINAIS...6 1 PREFEITURA MUNICIPAL DE CRATEÚS PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO PDDU

Leia mais

[ ARQUITETURA ] [ TEXTO VERENA PARANHOS ] 1 5 2 L E T S G O B A H I A DIVULGAÇÃO

[ ARQUITETURA ] [ TEXTO VERENA PARANHOS ] 1 5 2 L E T S G O B A H I A DIVULGAÇÃO [ ARQUITETURA ] [ TEXTO VERENA PARANHOS ] DIVULGAÇÃO COMPLEXO DE VIADUTOS DO IMBUÍ Projeção apresenta como será o complexo de viadutos que vai desafogar o trânsito na Avenida Paralela. As obras foram autorizadas

Leia mais

AS/DEURB. 2 Seminário de Trólebus. Instituto de Engenharia SP. 14 de maio de 2013

AS/DEURB. 2 Seminário de Trólebus. Instituto de Engenharia SP. 14 de maio de 2013 AS/DEURB 2 Seminário de Trólebus Instituto de Engenharia SP 14 de maio de 2013 Carlos Malburg Gerente Setorial de Mobilidade Urbana cmalburg@bndes.gov.br Transporte (recentes) Principais Contratações Metro

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº,de 2012 (Dos Sr. José de Filippi Júnior e Carlos Zarattini)

PROJETO DE LEI Nº,de 2012 (Dos Sr. José de Filippi Júnior e Carlos Zarattini) PROJETO DE LEI Nº,de 2012 (Dos Sr. José de Filippi Júnior e Carlos Zarattini) Institui as diretrizes da Política Metropolitana de Mobilidade Urbana (PMMU), cria o Pacto Metropolitano da Mobilidade Urbana

Leia mais

ATUAÇÃO DO TCU CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE INFRA ESTRUTURA

ATUAÇÃO DO TCU CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE INFRA ESTRUTURA SEMINÁRIO INTERNACIONAL CONCESSÃO DE AEROPORTOS ATUAÇÃO DO TCU NO ACOMPANHAMENTO DE CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE INFRA ESTRUTURA Francisco Giusepe Donato Martins Secretaria de Fiscalização de Desestatização

Leia mais

Responsabilidade (R$ milhões) Contratado

Responsabilidade (R$ milhões) Contratado SELEÇÃO DE OBRAS DA COPA DE ACORDO COM O PORTAL DA TRASPARÊNCIA DA COPA DA CGU - ACESSO EM 27/09/2011 Belo Horizonte > Aeroportos e Portos > Aeroporto Tancredo Neves - Confins: Reforma e Ampliação da Pista

Leia mais

Localização Estratégica

Localização Estratégica PORTO MARAVILHA Localização Estratégica Aeroporto Internacional Tom Jobim 11 km Oceano Atlântico Maracanã 5 km Aeroporto Santos Dumont 2 km Corcovado 7 km Copacabana 8 km Pão de Açúcar 6 km Perímetro Porto

Leia mais

Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ

Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ 1 1 Introdução Sustentabilidade Mudança nos atuais modelos de produção e consumo Alternativas

Leia mais

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Cronograma Índice Apresentação da TC Urbes Objetivos do Plano de Mobilidade Sustentável Cidade e Mobilidade Diagnóstico Planejamento

Leia mais

LEI Nº 370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 A CÂMARA MUNICIPAL DE CAFEARA APROVA E EU, PREFEITO DO MUNICÍPIO, SANCIONO A SEGUINTE LEI:

LEI Nº 370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 A CÂMARA MUNICIPAL DE CAFEARA APROVA E EU, PREFEITO DO MUNICÍPIO, SANCIONO A SEGUINTE LEI: LEI Nº 370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 Institui a Lei do Sistema Viário do Município de Cafeara, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE CAFEARA APROVA E EU, PREFEITO DO MUNICÍPIO, SANCIONO A SEGUINTE

Leia mais

Mapa 09 Área Central de PiracicabaOcupação do Solo. Urbano

Mapa 09 Área Central de PiracicabaOcupação do Solo. Urbano L E I T U R A E I N T E R P R E T A Ç Ã O D A S I T U A Ç Ã O U R B A N A Mapa 09 de PiracicabaOcupação do Solo Urbano P L A N O D E A Ç Ã O P A R A R E A B I L I T A Ç Ã O U R B A N A D A Á R E A C E

Leia mais

BRT em Belo Horizonte Melhoria da Mobilidade para a Copa 2014

BRT em Belo Horizonte Melhoria da Mobilidade para a Copa 2014 BRT em Belo Horizonte Melhoria da Mobilidade para a Copa 2014 Situação Atual População de Belo Horizonte: 2,4 milhões de habitantes População da RMBH: 4,5 milhões de habitantes 3,8 milhões de viagens/dia

Leia mais

Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema

Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema Mais de 100 mil km percorridos Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema Estudo da CNT mostra que 57,3% têm alguma deficiência no estado geral; 86,5% dos trechos são de pista simples e

Leia mais

INTERVENÇÕES URBANÍSTICAS COMO AGENTES DE REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA

INTERVENÇÕES URBANÍSTICAS COMO AGENTES DE REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA INTERVENÇÕES URBANÍSTICAS COMO AGENTES DE REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA HUMBERTO COSTA Secretário das Cidades Governo de Pernambuco 17 de setembro Recife / PE Prevenção da violência x ESPAÇO URBANO AS ESTATÍSTICAS

Leia mais

O TRANSPORTE PÚBLICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA

O TRANSPORTE PÚBLICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA Intervenção Urbana para melhoria da Qualidade de Vida e Inclusão Social na Região Metropolitana de Goiânia O TRANSPORTE PÚBLICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA A REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA Localização

Leia mais

TRANSPORTE PÚBLICO. Novos conceitos para o transporte de passageiros

TRANSPORTE PÚBLICO. Novos conceitos para o transporte de passageiros TRANSPORTE PÚBLICO Novos conceitos para o transporte de passageiros A história do transporte O Começo... o... Caminhos a pé e por animais Os caminhos eram percorridos a pé ou em lombos de cavalos, carroças

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL

OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL Estudo realizado com 259 empresas; Faturamento das empresas pesquisadas representando mais de 30% do PIB brasileiro; O objetivo principal é mapear e avaliar a importância

Leia mais

abril/2013 CICLOVIA ZONA NORTE

abril/2013 CICLOVIA ZONA NORTE abril/2013 CICLOVIA ZONA NORTE introdução Das temáticas de crise das grandes cidades nos dias de hoje, uma das questões mais contundentes é a mobilidade urbana. A cidade de São Paulo, metrópole que sofre

Leia mais

Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social?

Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social? Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social? Panorama das ações e projetos e hipóteses gerais da pesquisa Juciano Martins Rodrigues Aumento no tempo de deslocamento Crescimento do número

Leia mais