Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1 CABOS ISOLADOS / COBERTOS DE BAIXA TENSÃO (até 1kV) Nota: Sob consulta, os cabos Forex, Flexonax, Forenax, Forefix podem ser fornecidos com armadura Fio e Cabo WPP Cordão FOREPLAST (300 V) Os fios WPP são utilizados em instalações aéreas de circuitos primários ou secundários. A cobertura de PVC não tem função de isolação, servindo apenas como proteção do condutor contra intempéries ou atmosferas agressivas. Cobre: Fio Classe 1A. Cabo Classe 2A ou 3A Alumínio. NORMA: Cobre - NBR 6524 Alumínio - NBR 7271 Os cordões Foreplast são recomendados para instalações internas e ligações de pequenos aparelhos de iluminação e eletrodomésticos. CONDUTOR: Cordão torcido ou cordão paralelo. Cobre, classe 4. NORMA: NBR IDENTIFICAÇÃO: Marrom ou Branco. Fio e Cabo FOREPLAST-BWF (750 V) Cabo FOREPLAST BWF Flexível (750 V) Os fios e cabos Foreplast BWF são recomendados para instalações fixas internas em prédios residenciais, comerciais e industriais. Cobre: Fio Classe 1 Cabo Classe 2 NORMA: NBR NM Devido à sua flexibilidade, os cabos Foreplast BWF Flexíveis são recomendados para fiações de quadros e painéis, além das instalações fixas de construção civil. Cobre, classe 4. NORMA: NBR NM 247-3

2 Cabo FORESOLDA V (750 V) Cabo PP (750 V) Os cabos Foresolda V são utilizados na ligação do terminal de saída da fonte de energia ao eletrodo da máquina de soldar a arco ou em outras aplicações em que seja necessário o uso de cabos extraflexíveis. Cobre, classe 6. NORMA: NBR 8762 Os cabos flexíveis PP são recomendados para instalações de aparelhos elétricos portáteis e eletrodomésticos em geral. CONDUTORES: Dois, três ou quatro. Cobre, classe 4. NORMA: NBR IDENTIFICAÇÃO: Cores. 2 condutores: Preto e Azul-Claro; 3 condutores: Preto, Branco e Azul-Claro; 4 condutores: Preto, Branco, Vermelho e Azul-Claro. Cabo FORENAX FR (0,6/1kV) Cabo FORENAX FR Flexível (0,6/1kV) Os cabos Forenax FR são recomendados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de subestações, instalações CONDUTORES: Um, dois, três ou quatro. Cobre: Classe 2, redondo normal até 6mm², redondo compacto para 10mm² e acima. Alumínio: Classe 1 até 6 mm², classe 2 para 10 mm² e acima. NORMA: NBR 7288 IDENTIFICAÇÃO: (Cabos multipolares) A números. Os cabos Forenax Flexível FR são recomendados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de subestações, instalações comerciais e industriais, ao ar livre ou subterrâneas, em locais secos ou úmidos e aplicações similares de qualquer espécie. CONDUTORES: Um, dois, três ou quatro. Cobre: Classe 5. NORMA: NBR 7288 IDENTIFICAÇÃO: (Cabos multipolares) A números.

3 Cabo FOREX sem cobertura (0,6/1kV) Cabo FOREX (0,6/1kV) Os cabos Forex sem cobertura são recomendados para instalações fixas em circuitos de alimentação, ao ar livre, em locais secos ou úmidos. Cobre: Classe 2, redondo normal até 6mm², redondo compacto para 10mm² e acima. Alumínio: Classe 1 até 6mm². Classe 2, redondo compacto, para 10mm² e acima. ISOLAÇÃO: XLPE NORMA: NBR 7285 Os cabos Forex são recomendados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de subestações, instalações CONDUTORES: Um, dois, três ou quatro. Cobre: Classe 2, redondo normal até 6mm2 e redondo compacto para 10mm² e acima. Alumínio: Classe 1 até 6mm2. Classe 2, redondo compacto, para 10mm² e acima. ISOLAÇÃO: XLPE NORMA: NBR 7287 IDENTIFICAÇÃO: (cabos multipolares) A números. Cabo HIPERFLEX 90 (0,6/1kV) Os cabos Hiperflex 90 são recomendados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de subestações, instalações CONDUTOR: Um, dois, três ou quatro. Cobre, classe 5. ISOLAÇÃO: XLPE NORMA: NBR 7287

4 Cabo FLEXONAX (0,6/1kV) Cabo FLEXONAX Flex 90 (0,6/1kV) Os cabos Flexonax são recomendados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de subestações, instalações CONDUTOR: Um, dois, três ou quatro. Cobre: Classe 2, redondo normal até 6mm² e redondo compacto para 10mm² e acima. Alumínio: Classe 1 até 6mm2. Classe 2, redondo compacto, para 10mm² e acima. ISOLAÇÃO: EPR IDENTIFICAÇÃO: (Cabos multipolares) A números. Os cabos Flexonax Flex 90 são recomendados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de subestações, instalações comerciais e industriais, ao ar livre ou subterrâneas, em locais secos ou úmidos e aplicações similares de qualquer espécie. CONDUTOR: Um, dois, três ou quatro. Cobre: Classe 5. ISOLAÇÃO: HEPR Cabo ATOX (0,6/1kV) Os cabos ATOX, por suas características de baixa emissão de fumaça e gases tóxicos, são especialmente indicados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de instalações comerciais e industriais de grande movimentação de pessoas, como metrôs, shopping centers, hospitais, centros comerciais, etc. CONDUTOR: Um, dois, três ou quatro. Cobre, classe 2, redondo normal até 6mm² e redondo compacto para acima. ISOLAÇÃO: Composto termofixo a base de poliolefina, com características especiais quanto à emissão de fumaça e gases tóxicos. COBERTURA: Composto Poliolefínico, com características especiais quanto à emissão de fumaça e gases tóxicos. IDENTIFICAÇÃO: Números impressos sobre o isolamento preto.

5 CABOS ISOLADOS / COBERTOS DE MÉDIA TENSÃO (1kV) Cabo FOREX (3,6/6 a 20/35kV) Cabo FOREX (3,6/6 a 15/25kV) Os cabos Forex são recomendados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de subestações, instalações Cobre, classe 2, redondo compacto. Alumínio, classe 2, redondo compacto. ISOLAÇÃO: XLPE - Parte metálica: Fios de cobre. NORMA: NBR 7287 Cabo FOREX TRIPLEX (15/25 a 20/35kV) Os cabos Forex são recomendados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de subestações, instalações CONDUTORES: Três. Cobre, classe 2, redondo compacto. Alumínio, classe 2, redondo compacto. ISOLAÇÃO: XLPE - Parte metálica: Fios de cobre. NORMA: NBR 7287 IDENTIFICAÇÃO: Através de fios de algodão coloridos aplicados entre as partes metálica e não metálica da blindagem da isolação nas cores preto, branco e vermelho. Os cabos Forex Triplex são recomendados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de subestações, instalações CONDUTOR: Três. Cobre, classe 2, redondo compacto. Alumínio, classe 2, redondo compacto. ISOLAÇÃO: XLPE - Parte metálica: Fios de cobre. NORMA: NBR 7287 IDENTIFICAÇÃO: Através de números impressos sobre a cobertura.

6 Cabo FLEXONAX (3,6/6 a 20/35 kv) Cabo FLEXONAX (3,6/6 a 20/35 kv) Os cabos Flexonax são recomendados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de subestações, instalações Cobre, classe 2, redondo compacto. Alumínio, classe 2, redondo compacto. ISOLAÇÃO: EPR - Parte metálica: Fios de cobre nu. Cabo FLEXONAX TRIPLEX (15/25 a 20/35 kv) Os cabos Flexonax são recomendados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de subestações, instalações comerciais e industriais, ao ar livre ou subterrâneas, em locais secos ou úmidos e aplicações similares de qualquer espécie. CONDUTORES: Três. Cobre, classe 2, redondo compacto. Alumínio, classe 2, redondo compacto. ISOLAÇÃO: EPR - Parte metálica: Fios de cobre nu. IDENTIFICAÇÃO: Através de fios de algodão coloridos aplicados entre as partes metálica e não metálica da blindagem da isolação nas cores preto, branco e vermelho. Cabo FLEXONAX Os cabos Flexonax Triplex são recomendados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de subestações, instalações comerciais e industriais, ao ar livre, em locais secos ou úmidos. CONDUTORES: Três. Cobre, classe 2, redondo compacto. Alumínio, classe 2, redondo compacto. ISOLAÇÃO: EPR - Parte metálica: Fios de cobre nu. IDENTIFICAÇÃO: Através de números impressos na cobertura. Os cabos Flexonax são recomendados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de subestações, instalações Cobre, classe 2 compactado. ISOLAÇÃO: EPR Camada semicondutora. BLINDAGEM METÁLICA: Camada semicondutora. NORMA: AEIC CS6 e IEC 60840

7 Cabo FOREFIX (3,6/6 a 12/20 kv) Cabo FOREFIX 3,6/6 a 12/20 kv Os cabos Forefix, pelo fato de possuírem bloqueio contra a penetração longitudinal de água, são recomendados para circuitos subterrâneos de distribuição de energia elétrica, sujeitos a contato com água, além de ligações de circuitos atendidos por rede aérea. Cobre, classe 2, redondo compacto. Alumínio, classe 2, redondo compacto. ISOLAÇÃO: EPR - Parte metálica: Fios de cobre nu. COBERTURA: Composto termoplástico de Polietileno. Cabo ATOX (1,8/3 a 15/25 kv) Os cabos Forefix, pelo fato de possuírem bloqueio contra a penetração longitudinal de água, são recomendados para circuitos subterrâneos de distribuição de energia elétrica, sujeitos a contato com água, além de ligações de circuitos atendidos por rede aérea. CONDUTOR: Três. Cobre, classe 2, redondo compacto. Alumínio, classe 2, redondo compacto. ISOLAÇÃO: EPR - Parte metálica: Fios de cobre nu. COBERTURA: Composto termoplástico de Polietileno. IDENTIFICAÇÃO: Através de fios de algodão coloridos aplicados entre as partes metálica e não metálica da blindagem da isolação nas cores preto, branco e vermelho. Cabo SLIM 105 (8,7/15 a 12/20 kv) Os cabos ATOX, por suas características de baixa emissão de fumaça e gases tóxicos, são especialmente indicados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de instalações comerciais e industriais de grande movimentação de pessoas, como metrôs, shopping centers, hospitais, centros comerciais etc. Cobre, classe 2 compactado. Opcionalmente poderemos fornecer cabos com condutores e blindagem metálica bloqueados à penetração longitudinal de umidade. ISOLAÇÃO: EPR Camada semicondutora. BLINDAGEM METÁLICA: Fios de cobre nu. COBERTURA: Composto Poliolefínico com características especiais quanto à emissão de fumaça e gases tóxicos. Em circuitos de alimentação e distribuição de energia elétrica em média tensão. Cobre, classe 2 compactado. ISOLAÇÃO: EPR para temperatura normal de operação no condutor de 105ºC. - Parte metálica: Fios de cobre nu.

8 CABOS MULTIPLEXADOS (0,6/1kV) DESCRIÇÃO: Os cabos Multiplex são formados pela reunião de 1, 2 ou 3 condutores fase em torno do condutor neutro de sustentação. Os cabos Multiplex são utilizados em redes aéreas de distribuição em tensões até 0.6/1kV, em instalações aéreas fixadas em postes ou fachadas, entradas de serviços, áreas arborizadas, áreas de poluição e salinidade ou locais com pouco espaço físico. Esses cabos apresentam grandes vantagens nas instalações quando comparados com o tradicional sistema de instalação de cabos cobertos, tipo WPP. Devido à proximidade de seus condutores, os cabos Multiplex apresentam menor reatância indutiva, proporcionando um melhor fator de potência, conferindo portanto, à rede menor queda de tensão. Em regiões onde existem atmosferas mais agressivas, como por exemplo, orla marítima, é recomendado o uso de cabos Multiplex com mensageiro em liga de alumínio. O emprego desses cabos permite também a eliminação de suportes (cruzetas) e isoladores, tornando a instalação rápida e econômica. CONDUTOR FASE: Deve ser constituído por um fio de alumínio (Classe 1) para seção 10mm² ou vários fios de alumínio (Classe 2) para as seções superiores, sendo a resistência à tração mínima de 105MPa. CONDUTOR NEUTRO: Deve ser constituído por cabo de alumínio nu (CA) ou cabo de alumínio liga 6201 (CAL). ISOLAÇÃO: A isolação deve ser constituída por composto extrudado à base de polietileno termoplástico (PE) ou polietileno reticulado (XLPE), com adição de negro de fumo para garantir resistência à ação dos raios ultravioleta. A temperatura do condutor em regime permanente não deve ultrapassar 70ºC para cabos isolados com PE ou 90ºC para cabos isolados com XLPE. A temperatura em regime de sobrecarga não deve ultrapassar 90ºC para cabos isolados com PE ou 130ºC para cabos isolados com XLPE. A temperatura em regime de curto-circuito não deve ultrapassar 130ºC para cabos isolados com PE ou 250ºC para cabos isolados com XLPE. Pelo menos um dos condutores fase será marcado a intervalos regulares de até 50cm com os seguintes dizeres: nome do fabricante; numero de condutores e seção nominal em mm²; material do condutor (Al); material da isolação (PE ou XLPE); tensão de isolamento, em kv; ano de fabricação; numero da norma. NORMA DE FABRICAÇÃO: NBR 8182

9 CABO MULTIIPLEXADO AUTO--SUSTENTADO PARA MÉDIIA TENSÃO Os cabos Forex multiplexados auto-sustentados são recomendados para instalações aéreas de alimentação e distribuição de energia elétrica, saídas de subestações e aplicações similares de qualquer espécie. CONDUTOR FASE: Fios de alumínio 1350 compactados, encordoamento classe 2 BLINDAGEM DO CONDUTOR: composto termofixo aplicado por extrusão ISOLAÇÃO: composto termofixo de polietileno reticulado (XLPE) para temperatura de operação no condutor de 90 C, na cor preta. Parte não metálica: camada semicondutora aplicada por extrusão (retirada a frio) Parte metálica: fios de cobre nu, têmpera mole, seção 6mm² COBERTURA: composto termoplástico de polietileno ou PVC, na cor preta. Identificação das veias através de números impressos Neutro de sustentação: formado por fios encordoados de alumínio liga O neutro de sustentação é aplicado ao redor das 3 veias formando o cabo multiplexado. NORMA DE FABRICAÇÃO: NBR 9024 Cabos de potência multiplexados auto-sustentados com isolação extrudada de EPR ou XLPE para tensões de 10 kv a 35 kv

10 CABOS PROTEGIDOS DESIGNAÇÃO: - CABO AL ENTRE ÁRVORES 15kV - CABO AL ENTRE ÁRVORES 25kV - CABO AL ENTRE ÁRVORES 35kV DESCRIÇÃO: O CABO AL ENTRE ÁRVORES é formado por um condutor de seção circular compactada, constituído por fios encordoados de alumínio, com ou sem bloqueio longitudinal contra a penetração de umidade, com uma cobertura protetora de polietileno reticulado (XLPE) na cor preta, com características especiais de resistência ao trilhamento elétrico (tracking) de 2.75kV, resistência à abrasão e aos raios ultra-violeta. A superfície externa da cobertura é marcada a intervalos regulares de até 50cm, com caracteres permanentes, que não favorecem o trilhamento elétrico, de dimensões e legibilidade adequadas, contendo no mínimo as seguintes informações: nome ou marca do fabricante; material e seção nominal em mm² do condutor; classe de tensão, em kv; "cabo não isolado - não tocar"; material da cobertura; ano de fabricação; "bloqueado" (se for o caso). Os cabos entre árvores são dotados de cobertura protetora extrudada de material polimérico, visando a redução da corrente de fuga em caso de contato acidental do cabo com objetos aterrados e diminuição do espaçamento entre condutores. São recomendados para redes de distribuição urbana em regiões arborizadas, locais com possibilidades de mais de um circuito utilizando o mesmo poste, sistemas que exijam maior confiabilidade e segurança. CONDUTOR: O condutor deve ser de seção circular compactada, constituído por fios encordoados de alumínio, sendo o bloqueio opcional. Este se existir, deve preencher totalmente os interstícios entre os fios componentes, com material compatível química e termicamente com os componentes do cabo. BLINDAGEM SEMICONDUTORA DO CONDUTOR: Será constituída por camada semicondutora extrudada de material polimérico compatível com o material da cobertura e obrigatória somente para cabos 25kV e 35kV. COBERTURA: A cobertura será constituída por uma camada de polietileno reticulado (XLPE), na cor preta, resistente às intempéries, trilhamento elétrico, radiação ultravioleta e abrasão mecânica. A temperatura do condutor não deve ultrapassar 90ºC em regime permanente, 100ºC em regime de sobrecarga e 250ºC em regime de curto-circuito. NORMAS APLICÁVEIS: NBR (EB-2173) e CODI

11 CABOS ANTI-FURTO (0,6/1kV) Os cabos anit-furto são recomendados para instalação em locais que apresentem alto índice de futo de energia através de ligações clandestinas nas redes de concessionárias. CONDUTOR: cobre nu, têmpera mole, encordoamento classe 2 ISOLAÇÃO: composto termofixo de polietileno reticulado (XLPE) para temperatura de operação no condutor de 90 C, na cor preta. CONDUTOR NEUTRO: fios de cobre nu, têmpera mole, aplicados helicoidalmente sobre a isolação, com seção igual ou maior à do condutor fase COBERTURA: composto termoplástico de polietileno ou composto termofixo de polietileno reticulado XLPE), na cor preta NORMA DE FABRICAÇÃO: NBR 7287 Cabos de potência com isolação sólida extrudada de Polietileno Reticulado (XLPE) para tensões de isolamento de 1kV a 35kV.

12 COBRE Fio de COBRE nu COBRE CLASSE 3A Os fios de cobre nu são recomendados para instalações aéreas de distribuição e em circuitos de aterramento. N O R M A S: - NBR 5111 (têmpera mole) - NBR 6524 (têmperas meio dura e dura). Os cabos de cobre nu são recomendados para instalações de aterramento e em sistemas elétricos aéreos de transmissão e distribuição, onde é requerida alta condutividade. Tempera: Mole Classe 2; Meio dura e Dura Classe 2A. N O R M A: NBR 5349 Tempera mole. NBR 6524 Tempera meio dura. NBR 6524 Tempera dura. COBRE CLASSE 2 e 2A Os cabos de cobre nu são recomendados para instalações de aterramento e em sistemas elétricos aéreos de transmissão e distribuição, onde é requerida alta condutividade. Tempera: Mole Classe 2; Meio dura e Dura Classe 2A. N O R M A: NBR 5349 Tempera mole. NBR 6524 Tempera meio dura. NBR 6524 Tempera dura.

13 ALUMÍNIO Cabos de ALUMÍNIO (CA) DESCRIÇÃO: O cabo CA é um condutor encordoado concêntrico composto de uma ou mais camadas (coroas) de fios de alumínio 1350 e pode ser fornecido em diversas classes de encordoamento e têmperas para melhor satisfazer as exigências de aplicação. CLASSEA A: Para condutores nus normalmente usados em linhas aéreas. CLASSE A: Para condutores a serem cobertos com materiais resistentes às intempéries e para condutores nus cuja instalação exija uma flexibilidade maior do que a proporcionada pela Classe AA. NORMA: ASTM B-231

14 Cabo de ALUMÍNIO com alma de AÇO (CAA) DESCRIÇÃO: O cabo CAA é um condutor encordoado concêntrico composto de uma ou mais camadas (coroas) de fios de alumínio 1350, têmpera dura (H19) e um núcleo (alma) de aço galvanizado de alta resistência mecânica. Conforme a dimensão do cabo, o núcleo pode ser constituído por um único fio de aço ou vários fios de aço encordoados. Devido às numerosas combinações possíveis de fios de alumínio e aço, pode-se variar a proporção dos mesmos, a fim de se obter relação entre capacidade de transporte de corrente e resistência mecânica para cada aplicação. O núcleo de aço pode ser fornecido com três diferentes pesos de cobertura de zinco (Classes A, B e C). Para uma melhor proteção onde as condições corrosivas são severas, podem ser usadas as coberturas de zinco de Classe B ou C. Há, contudo, alguma redução na resistência mecânica final quando estas coberturas são usadas. Outros projetos podem ser elaborados para exigências especiais, pois seria impraticável relacionar todas as combinações possíveis de dimensões e encordoamento. NORMA: ASTM B-232

15 CABOS DE CONTROLE Cabo de CONTROLE FORENAX Tipo 1 (500V ou 1000V) Cabo de CONTROLE FORENAX Tipo 2 (500V ou 1000V) Os cabos Controle Forenax - Tipo 1 são adequados para uso em circuitos de controle, comando e sinalização de equipamentos elétricos em geral, em instalações fixas. CONDUTORES: De dois (2) a vinte e cinco (25). Cobre, classe 2. REUNIÃO DAS VEIAS: Um enchimento química e termicamente compatível com os demais componentes do cabo é aplicado na reunião das veias, quando necessário. N O R M A: NBR 7289 IDENTIFICAÇÃO: A números. Os cabos Controle Forenax - Tipo 2 são adequados para uso em circuitos de controle, comando e sinalização de equipamentos elétricos em geral, em instalações fixas. CONDUTORES: De dois (2) a vinte e cinco (25). Cobre, classe 4. REUNIÃO DAS VEIAS: Um enchimento química e termicamente compatível com os demais componentes do cabo é aplicado na reunião das veias, quando necessário. N O R M A: NBR 7289 IDENTIFICAÇÃO: A números.

16 Cabo de CONTROLE FORENAX BLINDADO Tipo 1 (500V ou 1000V) Cabo de CONTROLE ATOX (1000V) Os cabos Controle Forenax Blindado - Tipo 1 são adequados para uso em circuitos de controle, comando e sinalização de equipamentos elétricos em geral, em instalações fixas. CONDUTORES: De dois (2) a vinte e cinco (25). Cobre, classe 2. REUNIÃO DAS VEIAS: Um enchimento química e termicamente compatível com os demais componentes do cabo é aplicado na reunião das veias, quando necessário. CAPA INTERNA: PVC BLINDAGEM METÁLICA: Fita de cobre nu. N O R M A: NBR 7289 IDENTIFICAÇÃO: A números. Os cabos ATOX, por suas características de baixa emissão de fumaça e gases tóxicos, são especialmente indicados para uso em circuitos de alimentação e distribuição de instalações comerciais e industriais de grande movimentação de pessoas, como metrôs, shopping centers, hospitais, centros comerciais, etc. CONDUTORES: Cobre, classe 2, redondo normal para bitolas até 6mm² e redondo compacto para bitolas maiores. ISOLAÇÃO: Composto termofixo a base de poliolefina, com características especiais quanto à emissão de fumaça e gases tóxicos. REUNIÃO DAS VEIAS: Um enchimento química e termicamente compatível com os demais componentes do cabo é aplicado na reunião das veias, quando necessário. COBERTURA: Composto Poliolefínico, com características especiais quanto à emissão de fumaça e gases tóxicos. N O R M A: NBR 7286 e NBR IDENTIFICAÇÃO: Números impressos sobre o isolamento preto.

FIOS E CABOS BAIXA TENSÃO

FIOS E CABOS BAIXA TENSÃO FIOS E CABOS BAIXA TENSÃO Conceitos Básicos sobre es Elétricos Definições: Vergalhão Produto metálico não-ferroso de seção maciça circular, destinado à fabricação de fios. Fio Metálico Produto maciço,

Leia mais

Soluções inovadoras em fios e cabos elétricos.

Soluções inovadoras em fios e cabos elétricos. 1 Soluções inovadoras em fios e cabos elétricos. Somos um dos maiores fabricantes mundiais de fios e cabos, com mais de 170 anos de história de progresso contínuo em nível global e mais de 40 anos no Brasil.

Leia mais

Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V

Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V Características Construtivas 1) Para Fio Inbranil Antichama: condutor sólido de cobre eletrolítico nu, têmpera mole, classe 1. Para Cabo Inbranil Antichama: condutor

Leia mais

Fios e cabos elétricos

Fios e cabos elétricos Fios e cabos elétricos Fios e cabos elétricos 3 FIO PLASTICOM ANTICHAMA 450/750 V 5 CAbO PLASTICOM ANTICHAMA 450/750 V 7 CAbO CObreNAx ANTICHAMA 0,6/1 kv 9 CAbO COMPex 0,6/1 kv (COMPACTADO) 11 CAbO FLexICOM

Leia mais

Produtos. Fio e Cabo Pauliplast BWF 750V. Fio e Cabo de Cobre Nu. 2 www.ipce.com.br. Fios e cabos para uso geral de baixa tensão

Produtos. Fio e Cabo Pauliplast BWF 750V. Fio e Cabo de Cobre Nu. 2 www.ipce.com.br. Fios e cabos para uso geral de baixa tensão Fio e Cabo de Cobre Nu Fio e Cabo Pauliplast BWF 750V Características dimensionais e resistência elétrica de fios e cabos de cobre nu, meio duro e duro Empregados em linhas aéreas para transmissão e distribuição

Leia mais

Cabo Foreplast BWF Flexível 750V

Cabo Foreplast BWF Flexível 750V Cabo Foreplast BWF Flexível 7V Devido à sua flexibilidade, os cabos Foreplast BWF flexíveis são recoendados para fiações de quadros e painéis, alé das instalações fixas de construção civil. : Cobre nu,

Leia mais

CONDUTORES ELÉTRICOS

CONDUTORES ELÉTRICOS CONDUTORES ELÉTRICOS R = ρ l S ( Ω) Produto metálico, geralmente de forma cilíndrica, utilizada para transportar energia elétrica ou transmitir sinais elétricos. ρ cobre = 1,72 10-8 Ωm ρ alum = 2,80 10-8

Leia mais

REPRESENTANTE AUTORIZADO CONSTRUTORAS, INSTALADORAS E B2B - SP

REPRESENTANTE AUTORIZADO CONSTRUTORAS, INSTALADORAS E B2B - SP REPRESENTANTE AUTORIZADO CONSTRUTORAS, INSTALADORAS E B2B - SP 50 anos. E muitas obras de experiência. Em sua longa trajetória, o Grupo Nambei já realizou o fornecimento de fios e cabos para centenas de

Leia mais

Cabos Elétricos. Cabo Conduspar BWF 750V. Cabo Singelo Flexpar BWF 750V

Cabos Elétricos. Cabo Conduspar BWF 750V. Cabo Singelo Flexpar BWF 750V Cabos Elétricos Cabo Conduspar BWF 750V Características Construtivas (NBR NM47-3): Fios sólidos cobre eletrolítico, seção circular não compactado, têmpera mole, classe encordoamento (NBR NM80), isolamento

Leia mais

Uma história de evolução e constante expansão

Uma história de evolução e constante expansão 2 Uma história de evolução e constante expansão A história da SIL é resultado de um trabalho empreendedor, pautado pela ética, confiabilidade e seriedade. A companhia foi, por duas décadas, uma das principais

Leia mais

TABELA 1 Os métodos de referência são os de instalação indicados na NBR - 5410

TABELA 1 Os métodos de referência são os de instalação indicados na NBR - 5410 CAPACIAE E CONUÇÃO E CORRENTE PARA CABO E BAIXA TENÃO O dimensionamento de uma instalação elétrica alimentada sob tensão nominal igual ou inferior a 00V, em corrente alternada é a 0V em corrente contínua,

Leia mais

Tabelas de Dimensionamento

Tabelas de Dimensionamento Com o objetivo de oferecer um instrumento prático para auxiliar no trabalho de projetistas, instaladores e demais envolvidos com a seleção e dimensionamento dos em uma instalação elétrica de baixa tensão,

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-13/07/2009 13/07/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior SUMÁRIO 1. RESUMO...3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...3 3.

Leia mais

EM-RIOLUZ-74 ESPECIFICAÇÃO DE CABO PARA REDE SUBTERRÂNEA DE IP

EM-RIOLUZ-74 ESPECIFICAÇÃO DE CABO PARA REDE SUBTERRÂNEA DE IP DIRETORIA TECNOLÓGICA E DE PROJETO DTP GERÊNCIA TECNOLÓGICA E DE DESENVOLVIMENTO GTD EM-RIOLUZ-74 ESPECIFICAÇÃO DE CABO PARA REDE SUBTERRÂNEA DE IP EMISSÃO- 02 29.12.2014 ESPECIFICAÇÃO EM-RIOLUZ-74 EMISSÃO

Leia mais

DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS:

DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410 relativos à escolha

Leia mais

Alumínio Condutores Isolados e Cobertos

Alumínio Condutores Isolados e Cobertos Alumínio Condutores Isolados e Cobertos Líder Mundial na Industria de Cabos Com a energia como base de seu desenvolvimento, a Nexans é a líder mundial na indústria de cabos, graças à sua relevante atuação

Leia mais

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição Professor Jorge Alexandre A. Fotius Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Em áreas urbanas com baixa densidade

Leia mais

CONDUSCAMP CONDUTORES CAMPINAS LTDA. Conectando soluções em condutores

CONDUSCAMP CONDUTORES CAMPINAS LTDA. Conectando soluções em condutores CONDUSCAMP CONDUTORES CAMPINAS LTDA. Conectando soluções em condutores QUEM SOMOS EMPRESA CONHEÇA A CONDUSCAMP Com uma consolidada história no mercado de condutores elétricos, a Conduscamp há mais de 15

Leia mais

APLICAÇÃO PARA CABOS DE BAIXA E ALTA TEMPERATURA 2013 FNCE FABRICA NACIONAL DE CONDUTORES ELÉTRICOS

APLICAÇÃO PARA CABOS DE BAIXA E ALTA TEMPERATURA 2013 FNCE FABRICA NACIONAL DE CONDUTORES ELÉTRICOS APLICAÇÃO PARA CABOS DE BAIXA E ALTA TEMPERATURA 2013 FNCE FABRICA NACIONAL DE CONDUTORES ELÉTRICOS ÍNDICE INTRODUÇÃO...4 1. DEFINIÇÕES...5 1.1 REDONDO SÓLIDO...5 1.2 REDONDO NORMAL...5 1.3 REDONDO COMPACTO...5

Leia mais

Cabos e acessórios para redes subterrâneas

Cabos e acessórios para redes subterrâneas Cabos e acessórios para redes subterrâneas Evoluindo com você. A distribuição de energia Vida atual com alta dependência de energia elétrica: produção serviços uso doméstico Conseqüências nas grandes cidades:

Leia mais

BAIXA TENSÃO Uso Geral

BAIXA TENSÃO Uso Geral Dimensionamento OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONA- MENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410/2004 relativos à escolha

Leia mais

BAIXA TENSÃO Uso Geral

BAIXA TENSÃO Uso Geral Dimensionamento OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONA- MENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410/2004 relativos à escolha

Leia mais

Capítulo 5. Linhas elétricas. 5.1 Aspectos gerais 26/04/2010

Capítulo 5. Linhas elétricas. 5.1 Aspectos gerais 26/04/2010 Capítulo 5 Linhas elétricas 2008 by Pearson Education slide 1 5.1 Aspectos gerais Condutor elétrico Fio Barra Linha pré-fabricada Barramento Condutor encordoado: classes 1 a 6 Cabo Corda Perna Coroa Cabo

Leia mais

-30.-40-40 -40-50 -40 X -90-190 X -70

-30.-40-40 -40-50 -40 X -90-190 X -70 APRESENTAÇÃO A FNCE, empresa nacional com tradição a mais de 0 anos no mercado de condutores elétricos esta comprometida com a qualidade de seus produtos, treinamentos dos seus colaboradores e preservação

Leia mais

Portaria n.º 11, de 10 de janeiro de 2014. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 11, de 10 de janeiro de 2014. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 11, de 10 de janeiro de 2014. CONSULTA

Leia mais

Instalações Elétricas Industriais. Prof. Carlos T. Matsumi

Instalações Elétricas Industriais. Prof. Carlos T. Matsumi Instalações Elétricas Industriais Divisão de Sistemas de Alimentação Faixa de Tensão Elétrica (IE) orrente Alternada - A orrente ontínua- Extra Baixa Tensão: Tensão Inferior à 50 V (A) e 120 V () Baixa

Leia mais

Cabo para Sinal e Detecção de Incêndio - s/ blindagem - 600 V - flexível - Instalações contínuas cem tubulação de aço galvanizado para blindagem eletrostática e magnética; Cabo formado por dois ou mais

Leia mais

ELÉTRICA. seção 7,98 4,95 3,30 1,91 33,2 39,4 48,0. Cordão Paralelo

ELÉTRICA. seção 7,98 4,95 3,30 1,91 33,2 39,4 48,0. Cordão Paralelo ELÉTRICA APLICAÇÕES: São utilizados em instalações de baixa tensão, como construção civil, instalações industriais e comerciais, para tensões de até 75V. CONDUTOR: Corda flexível, classe 4 de encordoamento

Leia mais

Cabos Navais. Introdução

Cabos Navais. Introdução Cabos Navais Introdução A Prysmian Energia Cabos e Sistemas do Brasil S.A. apresenta a sua linha de cabos para aplicação em plataformas de petróleo off-shore e navios, tipo LS0H (Low Smoke Zero Halogen),

Leia mais

Manual Técnico. Aplicações recomendadas para os fios e cabos de BT e MT

Manual Técnico. Aplicações recomendadas para os fios e cabos de BT e MT Manual Técnico Aplicações recomendadas para os fios e cabos de BT e MT Líder Mundial na Indústria de Cabos Com a energia como base de seu desenvolvimento, a Nexans é a líder mundial na indústria de cabos,

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS BRASILEIRAS SOBRE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

NORMAS TÉCNICAS BRASILEIRAS SOBRE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS NORMAS TÉCNICAS BRASILEIRAS SOBRE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Novas Normas NBR IEC 61643-1 - Dispositivos de proteção contra surtos em baixa tensão - Parte 1: Dispositivos de proteção conectados a sistemas de

Leia mais

Cabo Cofivinil HEPR (1 Condutor) 0,6/1kV 90 o C

Cabo Cofivinil HEPR (1 Condutor) 0,6/1kV 90 o C Cabo Cofivinil HEPR (1 Condutor) 0,6/1kV 90 o C 1 Dados Construtivos: 1.1 Desenho: 1 2 3 4 1 Condutor: Fios de cobre eletrolítico nu, têmpera mole. Encordoamento classe 05. 2 Separador: Fita não higroscópica

Leia mais

DEFINIÇÕES. Entrada de energia. Entrada de serviço

DEFINIÇÕES. Entrada de energia. Entrada de serviço 1 Entrada de energia DEFINIÇÕES Instalação de responsabilidade do consumidor, compreendendo ramal de entrada, poste particular ou pontalete, caixas, dispositivos de proteção, eletrodo de aterramento e

Leia mais

Condutores elétricos

Condutores elétricos Sair da Norma Voltar para o Índice Alfabético Geral Condutores elétricos NOV 1986 NBR 5471 ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13-28º andar CEP 20003-900

Leia mais

Portaria n.º 589, de 05 de novembro de 2012

Portaria n.º 589, de 05 de novembro de 2012 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 589, de 05 de novembro de 2012 O PRESIDENTE

Leia mais

CABOS ESPECIAIS CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA SIMÉTRICO SOLUÇÕES ESPECIAIS SINAL GARANTIDO DE PONTA A PONTA

CABOS ESPECIAIS CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA SIMÉTRICO SOLUÇÕES ESPECIAIS SINAL GARANTIDO DE PONTA A PONTA CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA pretas numeradas + uma veia verde/amarela. em fita de alumínio invertida + dreno estanhado de 0,5mm2 sobreposta por trança de cobre estanhado. SINAL GARANTIDO DE PONTA A PONTA

Leia mais

Catálogo de. Produtos

Catálogo de. Produtos Catálogo de Produtos Atualização: Janeiro/01. Sumário Tabelas de Dimensionamento Fios e Cabos Elétricos de Cobre para Baixa Tensão 6 Fio Sólido BWF 0 V Cabo BWF 0 V 8 Cabo Flexível Corfitox HEPR 90 C 0,6/1

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Condições de Operação 03 5.2. Materiais e Construção 04 6. PROCEDIMENTOS

Leia mais

NTU AES 003-1. Condutores Elétricos Distr. Subterrânea NORMA TÉCNICA UNIFICADA AES ELETROPAULO / AES SUL

NTU AES 003-1. Condutores Elétricos Distr. Subterrânea NORMA TÉCNICA UNIFICADA AES ELETROPAULO / AES SUL NTU AES 003-1 Condutores Elétricos Distr. Subterrânea NORMA TÉCNICA UNIFICADA AES ELETROPAULO / AES SUL Elaborado: Aprovado: DATA: 30/09/2010 João Carlos Nacas AES Eletropaulo Fernanda Pedron AES Sul Sergio

Leia mais

CABOS ELÉTRICOS PARA APLICAÇÃO EM OFFSHORE 1/2013

CABOS ELÉTRICOS PARA APLICAÇÃO EM OFFSHORE 1/2013 1/2013 CABOS ELÉTRICOS PARA APLICAÇÃO EM OFFSHORE ÍNDICE: Cabos Elétricos de Energia e Controle - 0,6/1kV (1,8/3kV) LKM-SHF2 & LKM-SHF2 FLEX...4 LKMM-SHF2...8 LKSM-SHF2 & LKSM-SHF2 FLEX...10 LKMSM-SHF2...14

Leia mais

Terminais e Emendas para Cabos Elétricos

Terminais e Emendas para Cabos Elétricos Terminais e Emendas para Cabos Elétricos A KIT Acessórios, com sede no Rio de Janeiro, desde 1991, vem se dedicando exclusivamente a produção de acessórios para cabos elétricos. Desde 1999, a KIT Acessórios

Leia mais

Informações e Tabelas Técnicas

Informações e Tabelas Técnicas As instalações e dimensionamentos de fios e cabos elétricos de baixa tensão devem obedecer as recomendações indicadas na NBR 5410/2004. Características dos condutores de cobre mole para fios e cabos isolados

Leia mais

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES 3$'5 2'((6758785$6 '(/,1+$6(5('(6 PARTE 1 ASPECTOS GERAIS INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES Gerência de Planejamento e Engenharia Processo de Engenharia e Obras ASPECTOS GERAIS PARTE

Leia mais

LINHA DE PRODUTOS NEXANS

LINHA DE PRODUTOS NEXANS LÍDER GLOBAL EM CABOS E SISTEMAS DE CABEAMENTO LINHA DE PRODUTOS NEXANS Seja qual for a aplicação, conte com as soluções e a qualidade Nexans INSTITUCIONAL O mundo em que vivemos requer cada vez mais energia

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas Trifásicas com Transformadores 6.1. Estrutura M1 com Transformador 6.2.

Leia mais

3M MR Terminal Contrátil a Frio QT-II Corpo Isolador em Silicone,

3M MR Terminal Contrátil a Frio QT-II Corpo Isolador em Silicone, 3M MR Terminal Contrátil a Frio QT-II Corpo Isolador em Silicone, Série 5690K 15/25 KV a 20/35 KV Ambientes Externos e Internos Boletim Técnico Março/ 2011 1. Descrição do Produto Os conjuntos de terminais

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO Página 1. OBJETIVO 4 2. APLICAÇÃO 4 3. AFASTAMENTOS MÍNIMOS 5

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-013 Folha: 1/28 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO INSTITUTO LAB SYSTEM DE PESQUISAS E S LTDA. ACREDITAÇÃO N FIOS, CABOS E CORDÕES S MECÂNICOS Ensaio de tração e alongamento

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2 NORMA TÉCNICA CELG Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição NTC-18 Revisão 2 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-17/09/2012 22/10/2012 ENGENHARIA E SISTEMAS TÉCNICOS (DTES-ES) APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI (DTES-ES) SUMÁRIO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-206/2007 R-02 CABO DE CONTROLE BLINDADO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-206/2007 R-02 CABO DE CONTROLE BLINDADO /007 R-0 DOCUMENTO NORMATIVO I JUN/007 APRESENTAÇÃO Este documento encerra requisitos, recomendações e diretrizes para nortear os interessados no fornecimento de Cabo de Controle Blindado, multipolar em

Leia mais

Condutores e cabos eléctricos

Condutores e cabos eléctricos Condutores e cabos eléctricos Os condutores utilizados nas instalações eléctricas são geralmente de cobre, ou de alumínio. O condutor eléctrico pode ser divididos em: Condutor nu: é um condutor que não

Leia mais

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV SUL / SUDESTE AFASTADOR, ARMACAO SECUNDARIA, ACO CARBONO 1010-1020, ZINCADO A QUENTE, DIMENSOES: 1000 X700 10002599 MM, 4 FUROS, NORMAS

Leia mais

INDICE. Catálogo de cabos industriais e energia CAPÍTULOS

INDICE. Catálogo de cabos industriais e energia CAPÍTULOS INDICE Catálogo de cabos industriais e energia CAPÍTULOS 1 Cabos de Energia Harmonizados 2 Cabos de Energia - Baixa Tensão (0,6/1kV) 3 Cabos de Energia de Média e Alta Tensão 4 Cabos de Segurança 5 Cabos

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 07/05/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Quadro de Distribuição Circuitos Terminais Circuitos Terminais Quadro de Distribuição Quadro de Distribuição

Leia mais

www.rcmcaboseletricos.com.br

www.rcmcaboseletricos.com.br Distrito Industrial Porto União SC Brasil End: Rua Paulista 300 CEP 8900000 Tel: (2) 3523.8785 (2) 352.3353 www.rcmcaboseletricos.com.br catálogo de produtos Nós trabalhamos com energia. A RCM Cabos Elétricos

Leia mais

Acessórios Desconectáveis 200A

Acessórios Desconectáveis 200A 200A APLICAÇÃO Os Acessórios da Prysmian possuem uma concepção de projeto baseada no sistema plugue - tomada, porém para tensões, permitindo fácil conexão e desconexão de um cabo de potência, de um equipamento,

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural

Disciplina: Eletrificação Rural UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS RIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 6 Condutores elétricos - dimensionamento e instalação.

Leia mais

CAPACIDADE DE CONDUÇÃO DE CORRENTE 1/40

CAPACIDADE DE CONDUÇÃO DE CORRENTE 1/40 1/40 Os valores de capaci dade de condução de correntes constantes das tabelas a seguir, foram calculados de acordo com os critérios estabelecidos pela NBR 11301. Para os cálculos foram consideradas aterradas

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CONDUTOR DE ALUMÍNIO MULTIPLEXADO

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CONDUTOR DE ALUMÍNIO MULTIPLEXADO ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CONDUTOR DE ALUMÍNIO MULTIPLEXADO Código ETD-00.023 Data da emissão 28.12.1993 Data da última revisão 09.09.2009 Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Normas Complementares

Leia mais

Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS

Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS 02.111-TD/AT-3013a Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS Gerência de Desenvolvimento e Engenharia de Ativos da Distribuição TD/AT Belo Horizonte Setembro/2013

Leia mais

SAN.T.IN.NT 31. Os barramentos instalados em subestações e/ou cubículos deverão ser pintados em toda sua extensão, exceto nos pontos de conexão.

SAN.T.IN.NT 31. Os barramentos instalados em subestações e/ou cubículos deverão ser pintados em toda sua extensão, exceto nos pontos de conexão. 1 / 7 SUMÁRIO: 1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3. CONCEITOS BÁSICOS 4. PROCEDIMENTOS 5. REFERÊNCIAS 6. ANEXOS 1. FINALIDADE Esta norma tem como finalidade regulamentar os princípios básicos e procedimentos

Leia mais

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA MODELO TAM TRANSFORMADORES - TIPO TAM Os transformadores a seco moldados em resina epóxi são indicados para operar em locais que exigem segurança, os materiais utilizados em sua construção são de difícil

Leia mais

Liderança em Cabos Vulcanizados. Cabos unipolares para altas temperaturas

Liderança em Cabos Vulcanizados. Cabos unipolares para altas temperaturas Cabos unipolares para altas temperaturas 2 A CONFIABILIDADE QUE FAZ A DIFERENÇA (Estas certificações são da linha geral de cabos produzidos pela Cofibam) Política da qualidade A COFIBAM SE COMPROMETE EM

Leia mais

Informações e Tabelas Técnicas

Informações e Tabelas Técnicas Características dos condutores de cobre mole para fios e cabos isolados 1 Temperatura característica dos condutores 1 Corrente de curto-circuito no condutor 1 Gráfico das correntes máximas de curto-circuito

Leia mais

Certificado de Registro e Classificação Cadastral - CRCC

Certificado de Registro e Classificação Cadastral - CRCC CERTIFICAMOS que a empresa acima identificada encontra-se regularmente inscrita no Cadastro de es de Materiais e/ou Serviços da PETROBRAS e habilitada para as especialidades indicadas conforme relação

Leia mais

Portaria n.º 260, de 05 de junho de 2014.

Portaria n.º 260, de 05 de junho de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 260, de 05 de junho de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

Tendências Tecnológicas, Cabos Isolados para Média e Alta Tensão

Tendências Tecnológicas, Cabos Isolados para Média e Alta Tensão Tendências Tecnológicas, Cabos Isolados para Média e Alta Tensão Roger Tocchetto Breve histórico: como chegamos onde estamos Materiais contemporâneos e tendências Desenvolvimentos recentes notáveis EPR

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Há 22 anos produzindo qualidade

APRESENTAÇÃO. Há 22 anos produzindo qualidade APRESENTAÇÃO Há 22 anos produzindo qualidade 3 A CONDUMIG - Indústria de Condutores Elétricos, localizada em Divinópolis, centro-oeste mineiro, é a maior fabricante de Fios e Cabos, Rígidos e Flexíveis

Leia mais

Av. Maria Leonor, 1222 Pq. Reid Diadema CEP 09920-080 Tel.: 55-11 4092-9000 FAX.: 55 11 4092-9090

Av. Maria Leonor, 1222 Pq. Reid Diadema CEP 09920-080 Tel.: 55-11 4092-9000 FAX.: 55 11 4092-9090 v 6 5 4 3 2 1 1- condutor 2- isolação 3- separador 4- capa intermediária 5- trança de cobre estanhado 6- capa externa CONSTRUÇÃO CONDUTORES: formados com 7 elementos de cobre eletrolítico, conforme NM

Leia mais

A N E X O V I I I M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E L I N H A S E R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O S U B M E R S A S

A N E X O V I I I M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E L I N H A S E R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O S U B M E R S A S A N E X O V I I I M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E L I N H A S E R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O S U B M E R S A S C A T Á L O G O R E F E R E N C I A L DE M Ó D U L O S P A D R Õ E S D

Leia mais

O Site da Eletrônica Aterramento

O Site da Eletrônica Aterramento O Site da Eletrônica Aterramento 1 - Generalidades As características e a eficácia dos aterramentos devem satisfazer às prescrições de segurança das pessoas e funcionais da instalação. O valor da resistência

Leia mais

3M MR Terminal Contrátil a Frio QT-II Corpo Isolador em Silicone,

3M MR Terminal Contrátil a Frio QT-II Corpo Isolador em Silicone, 3M MR Terminal Contrátil a Frio QT-II Corpo Isolador em Silicone, Série 5630K 3,6/6 kv a 12/20 kv Ambientes Externos e Internos Boletim Técnico Novembro 2010 1. Descrição do Produto Os conjuntos de terminais

Leia mais

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004)

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004) MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela da NBR5410/004) Método de instalação número: Esquema ilustrativo Descrição Método de instalação a utilizar para a capacidade de condução de corrente 1 1 1 eletroduto de seção

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CADASTRO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CD.DT.PDN.03.14.001 03 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA E CADASTRO (DEEE) SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

CFOT-MF/UB. Interno / Externo

CFOT-MF/UB. Interno / Externo CFOT-MF/UB Tipo do Produto Cabos Ópticos Construção Dielétrico Núcleo Seco Tubo Loose (UB) ou Cordão Monofibra (MF) SM ou MM Descrição Conjunto constituído por cordões ópticos ("tight buffer") ou tubos

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Cruzamentos SEÇÃO 6 Rabichos SEÇÃO 7 Aterramento 1 OBJETIVO

Leia mais

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

INFORMAÇÕES TÉCNICAS INFORMAÇÕES TÉCNICAS ÍNDICE A Empresa... 03 Contato Comercial... 03 Seleção e Instalação de Condutores Elétricos (NBR 5410)... 04 Tabela de Produtos... 09 Métodos de Instalação... 10 Capacidade de Condução

Leia mais

Fitas Elétricas. Fita Isolante Scotch 33 + com impressão Uso profissional. Fita Isolante Highland Uso geral e industrial até 750V

Fitas Elétricas. Fita Isolante Scotch 33 + com impressão Uso profissional. Fita Isolante Highland Uso geral e industrial até 750V Fitas Elétricas Fita Isolante Scotch 33 + com impressão Uso profissional Fita Isolante Highland Uso geral e industrial até 750V A primeira fita isolante certificada pelo Inmetro, na NBR 5037/83, é também

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$ ANEXO 2 Planilha Orçamentária Estimativa de Quantitativos e Preços Máximos Global e Unitários LOTE ÚNICO ESPECIFICAÇÃO DO ITEM Qtde. Unitário R$ Total R$ 01 02 03 04 05 CHAVE NIVEL TIPO BOIA,ATUACAO: ALARME

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES Os seis critérios de dimensionamento de circuitos de BT: 1. Seção mínima; 2. Capacidade de condução de corrente; 3. Queda de tensão; 4. Proteção contra sobrecargas; 5. Proteção contra curtos-circuitos;

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

AUTORES: WOONG JIN LEE ALOISIO JOSÉ DE OLIVEIRA LIMA JORGE FERNANDO DUTRA JOSÉ M. PINHEIRO FRANKLIM FABRÍCIO LAGO CARLOS AUGUSTO V.

AUTORES: WOONG JIN LEE ALOISIO JOSÉ DE OLIVEIRA LIMA JORGE FERNANDO DUTRA JOSÉ M. PINHEIRO FRANKLIM FABRÍCIO LAGO CARLOS AUGUSTO V. AUTORES: WOONG JIN LEE ALOISIO JOSÉ DE OLIVEIRA LIMA JORGE FERNANDO DUTRA JOSÉ M. PINHEIRO FRANKLIM FABRÍCIO LAGO CARLOS AUGUSTO V. GRANATA 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO GENERALIDADES PROJETO CABOS E ACESSÓRIOS

Leia mais

Instalações Elétricas Industriais

Instalações Elétricas Industriais Instalações Elétricas Industriais ENG 1480 Professor: Rodrigo Mendonça de Carvalho Instalações Elétricas Industriais CAPÍTULO 01 INTRODUÇÃO Flexibilidade: admitir mudanças nas localizações dos equipamentos,

Leia mais

Manual Técnico de Distribuição

Manual Técnico de Distribuição Manual Técnico de Distribuição ESP ESPECIFICAÇÃO ESP - 602 CABO COBERTO PARA REDE COMPACTA ESP - 602 edição vigência aprovação Agosto/98 DDPP Página 1 1. OBJETIVO Esta Especificação define os requisitos

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-1/MN-3 29/5/212 RES nº 85/212, 29/5/212 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-1/MN-3 29/5/212 RES nº 85/212, 29/5/212 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

Tipos de linhas. Sumário Linhas Elétricas Dimensionamento. Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas

Tipos de linhas. Sumário Linhas Elétricas Dimensionamento. Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Tipos de linhas Sumário Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Instalação dos condutores Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Os cabos multipolares só deve conter os condutores de um

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ASPECTOS GERAIS... 1 3. EXCEÇÕES... 1 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

Instalações de média tensão ABNT NBR 14039

Instalações de média tensão ABNT NBR 14039 52 Instalações de média tensão ABNT NBR 14039 Capítulo IV Seleção e instalação de componentes Parte 1 Por Marcus Possi* O foco deste artigo é o Capítulo 6 da norma ABNT NBR 14039 Instalações elétricas

Leia mais

4 LINHAS ELÉTRICAS. Figura 5: Exemplos de fios e cabos.

4 LINHAS ELÉTRICAS. Figura 5: Exemplos de fios e cabos. 8 4.1 Condutores elétricos. 4 LINHAS ELÉTRICAS Os condutores elétricos constituem os principais componentes das linhas elétricas que conduzem eletricidade até as cargas elétricas. Define-se condutor elétrico

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Capítulo 4 Parte 2 Condutores elétricos: 1. semestre de 2011 Abraham Ortega Número de condutores isolados no interior de um eletroduto Eletroduto é um elemento de linha elétrica fechada,

Leia mais

É A MESMA QUE NOS MOTIVA.

É A MESMA QUE NOS MOTIVA. A ENERGIA QUE CHEGA ATÉ VOCÊ É A MESMA QUE NOS MOTIVA. CATÁLOGO MASTER 03. 05. APRESENTAÇÃO CONCEITOS BÁSICOS SOBRE CONDUTORES ELÉTRICOS 13. PRODUTOS 15. 16. 18. 19. 22. 24. 25. 27. 29. 31. 33. 34. 37.

Leia mais

ANEXO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS

ANEXO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS ANEXO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Este documento é parte integrante da Ata de Registro de Preços nº PE.DAQ.G.0132.2009, celebrada entre FURNAS e a empresa CONDUSPAR CONDUTORES ELÉTRICOS LTDA., que teve

Leia mais

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001 TERMO DE ADJUDICAÇÃO Às 15:21 horas do dia 17 de dezembro de 2012, o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Palmas, designado pela portaria 027/2012-GAB/SEFIN após analise da documentação do Pregão

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO Responsável Técnico: Proprietário / Responsável Legal: Marcos Antônio de Sordi Instituto Federal de Ciência e Eng.º Eletricista CREA PR-73895/D Tecnologia

Leia mais

A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O

A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O C A T Á L O G O R E F E R E N C I A L DE M Ó D U L O S P A D R Õ E S D E C O N S T R U Ç Ã O D E

Leia mais

Seminário Online DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS

Seminário Online DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS Seminário Online DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS Leonel Rodrigues Gerente de Aplicação de Produto Nexans Product Application Dept. Sep 2014 1 Dimensionamento de Condutores Elétricos Dimensionamento

Leia mais

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 1 TRANSFORMADORES DE MEDIDAS

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0052 ESPECIFICAÇÃO DE CABOS DE ALUMÍNIO

Leia mais