Uma história de evolução e constante expansão

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Uma história de evolução e constante expansão"

Transcrição

1

2 2

3 Uma história de evolução e constante expansão A história da SIL é resultado de um trabalho empreendedor, pautado pela ética, confiabilidade e seriedade. A companhia foi, por duas décadas, uma das principais distribuidoras de materiais elétricos para a Capital e Grande São Paulo com a marca Elétrica Danúbio foi o ano de transição dessa história: a empresa passa a fabricar sua linha de fios e cabos elétricos e dá início à marca SIL; e, de forma gradual, encerra as atividades de suas revendas. Em 2001, instala-se em um moderno complexo industrial na cidade de Guarulhos, em São Paulo, e passa a viver um período de franco crescimento. Em setembro de 2009, a SIL inaugura sua unidade de Joinville (SC), para atender à crescente demanda, acompanhar os avanços tecnológicos e o rigoroso controle de qualidade que o mercado exige e, consequentemente, manter o rápido atendimento ao cliente e o respeito ao consumidor. Pelo seu empenho em aperfeiçoar seus processos de fabricação, comercialização e serviços tem seu Sistema de Gestão de Qualidade certificado e em conformidade com os requisitos da NBR ISO Seus fios e cabos elétricos possuem os Certificados de Conformidade do INMETRO. Como resultado de tanta dedicação, a SIL conquistou a preferência no mercado de fios e cabos elétricos e o reconhecimento técnico do nível de excelência dos seus processos industriais, confirmados por eletricistas, arquitetos, engenheiros, construtores, lojistas e outros profissionais em todas as pesquisas realizadas pelo setor de construção civil. Prêmio Anamaco º lugar - Categoria Grandes Clientes 2º lugar - Categoria Pulverização Prêmio ABREME 2009 Categoria Prata de Melhor Fornecedor Prêmio Ranking de Conceito e Imagem da Indústria Revista Revenda º lugar Prêmio PINI º lugar - Categoria Fios e Cabos Elétricos Uma empresa humana e comprometida com o bem-estar social Para a SIL, não basta produzir bens e serviços de alta qualidade. É preciso ter ações transparentes e atitudes responsáveis, que valorizem o desenvolvimento social e o respeito à vida. Como parte dessa premissa, estabeleceu parcerias com importantes organizações não governamentais, com o objetivo de ajudar aqueles que mais necessitam.

4 4

5 5

6 Fio Sólido SIL 750 V Recomendado para instalações industriais, comerciais e residenciais de força e de luz, embutido em eletrodutos ou sobre isoladores. Deve ser instalado conforme a norma NBR Dados técnicos: condutor de fio sólido de cobre eletrolítico, têmpera mole, classe 1, isolação de composto termoplástico polivinílico (PVC) tipo BWF, característica de não-propagação e auto-extinção do fogo, classe térmica 70º C. Tensão de isolação 450/750 V. *Produto certificado com a marca de conformidade INMETRO. Norma aplicável: NBR NM 247- (antiga NBR 6148) Formação do Condutor (nº de fios) Cores Acond. Peso (kg/100m) Carretel (Metros) Encartelado (Metros) 1,5 1,4 1 0,7 2,8 1, e 25 2,5 1,7 1 0,8, e ,2 1 0,8,8 4, e ,7 1 0,8 4, 6, e 25 10, ,5 10, e 25 Carretel Encartelado Cabo Rígido SIL 750 V Recomendado para instalações industriais, comerciais e residenciais de força e de luz, embutido em eletrodutos ou sobre isoladores. Deve ser instalado conforme a norma NBR Dados técnicos: condutor de fios de cobre eletrolítico, têmpera mole, classe 2 de encordoamento, isolado em composto termoplástico polivinílico (PVC) tipo BWF, característica de não-propagação e auto-extinção do fogo, classe térmica 70º C. Tensão de isolação 450/750 V. *Produto certificado com a marca de conformidade INMETRO. Norma aplicável: NBR NM 247- (antiga NBR 6148) Nas bobinas, o comprimento depende de consulta prévia. Cores diferentes podem ser fabricadas sob encomenda. Formação do Condutor (nº de fios) Cores Acond. Peso (kg/100m) 6,2 7 0,8 4,6 6,8 10 4, ,9 11,5 16 5, ,4 25 6,4 7 1,2 8,5 26,6 5 7,6 7 1,2 9,6 6,6 50 8,8 19 1,4 11,4 49, ,5 19 1,4 1,1 70, ,4 19 1,6 15, 96, ,1 7 1,6 17, 119, ,7 7 1,8 19, 149, , ,6 188, ,8 61 2,2 24,2 24, ,5 61 2,4 27, 29, ,7 61 2,6 0,9 79, ,9 61 2,8 4,5 48 Bobina 6

7 Cabo Rígido Silnax 0,6/1 kv Recomendado para instalações industriais, comerciais e residenciais de força nos circuitos alimentadores de subestações transformadoras e em redes subterrâneas de distribuição de energia elétrica. É destinado às instalações fixas, podendo ser instalado em bandejas, canaletas, eletrodutos ou dutos subterrâneos, proporcionando, com a característica de auto-extinção do fogo, maior segurança. Deve ser instalado conforme a norma NBR Dados técnicos: condutor de fios de cobre eletrolítico, têmpera mole, classe 2 de encordoamento, isolado e coberto com composto termoplástico polivinílico (PVC) tipo BWF, característica de não-propagação e auto-extinção do fogo, classe térmica 70ºC. *Produto certificado com a marca de conformidade INMETRO. Norma aplicável: NBR 7288 Nas bobinas, o comprimento depende de consulta prévia. Cores diferentes podem ser fabricadas sob encomenda. Formação do Condutor (nº de fios) da Capa (mm) 6, ,6 9,2 10 4, ,9 14,7 16 5, ,2 25 6,5 7 1,2 1,1 10,9 2,7 5 7,6 7 1,2 1,1 11,8 42,8 50 8,9 19 1,4 1,2 14, 57, ,6 19 1,4 1,2 15,6 79, ,5 19 1,6 1, , ,1 7 1,6 1, 19,9 10, ,7 7 1,8 1,4 22,1 162, , ,5 24,6 204, ,8 61 2,2 1,6 27, ,5 61 2,4 1,7 0,7 16, ,7 61 2,6 1,9 4,7 408, ,9 61 2,8 2 8,5 516,8 Cores Acond. Peso (kg/100m) Bobina Fio e Cabo Rígido Nu Recomendado para sistemas de aterramento e outras aplicações que necessitem de cobre com alto grau de pureza e têmpera mole. Dados técnicos do fio: condutor de fio sólido de cobre eletrolítico, têmpera mole, classe 1. Dados técnicos do cabo rígido: condutor de fios de cobre eletrolítico, têmpera mole, classe 2. Formação do Condutor (nº de fios) Acond. Peso (kg/100m) 1,5 1,4 1 1, 2,5 1,7 1 2,1 4 2,2 1,4 6 2, ,5 1 8,4 Formação do Condutor (nº de fios) Acond. Peso (kg/100m) 4 2,6 7,5 6,2 7 5,2 10 4,2 7 8,9 16 5, ,4 7 21,6 5 7,6 7 0,8 50 8, , , , , , , , ,7 7 10, , , , ,8 Bobina 7

8 Cabo FlexSil 750 V Recomendado para instalações industriais e residenciais de força e de luz, em circuitos de comandos, sinalizações, etc. Por se tratar de um produto com boa flexibilidade, possui maior facilidade de instalação e manuseio. Deve ser instalado conforme a norma NBR Dados técnicos: condutor de fios de cobre eletrolítico, têmpera mole, classe 4 de encordoamento até a seção 6 mm 2 e classe 5 de encordoamento a partir da seção 10 mm 2 (extraflexível), isolado em composto termoplástico polivinílico (PVC) tipo BWF, característica de não-propagação e auto-extinção do fogo, classe térmica 70ºC. Tensão de isolação 450/750 V. *Produto certificado com a marca de conformidade INMETRO. Norma aplicável: NBR NM 247- (antiga NBR 6148) Nas bobinas, o comprimento depende de consulta prévia. Os dados da tabela estão sujeitos a alterações, sem consulta prévia. Cores diferentes podem ser fabricadas sob encomenda. Verde/amarelo: também conhecido como brasileirinho, deve ser utilizado como condutor de proteção (terra). 1 1, 0,6 2,4 1, ,5 1,5 0,7 2,8 1, e 25 2,5 2 0,8, e ,5 0,8 4 4, e ,8 4,5 6, e ,8 10, e , , 1,2 8,7 24,7 5 7,4 1,2 9, ,4 11,9 48, ,5 1,4 1,5 64, ,1 1,6 15, 87, ,2 1,6 17,4 102, ,5 1,8 19, ,9 2 21,4 158, , 2,2 24,4 212,4 Carretel Bobina Encartelado Cabo Flexível AtoxSil Os cabos flexíveis AtoxSil devem ser utilizados em locais de alta densidade de ocupação e/ou com condições de fuga difíceis, conforme exige a norma da ABNT NBR 5410 Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Nesta norma, esses locais são classificados como BD2, BD e BD4: Cores Acond. Peso (kg/100m) Carretel (Metros) Encartelado (Metros) BD2 Baixa densidade de ocupação. Percurso de fuga longo (edificações residenciais com altura superior a 50 m e edificações não-residenciais com baixa densidade de ocupação e altura superior a 28 m). BD Alta densidade de ocupação. Percurso de fuga breve (teatros, cinemas, lojas de departamentos, escolas. Edificações não-residenciais com alta densidade de ocupação e altura inferior a 28 m). BD4 Alta densidade de ocupação. Percurso de fuga longo (locais de afluência de público de maior porte, como shopping centers, grandes hotéis e hospitais, estabelecimentos de ensino que ocupam diversos pavimentos de uma edificação, etc. Edificações não-residenciais com alta densidade de ocupação e altura superior a 28 m). Os cabos AtoxSil, para atender aos requisitos normativos, são não-propagantes de chama, livres de halogênios e apresentam baixa emissão de fumaça e gases tóxicos. Dados técnicos: Condutor de fios de cobre eletrolítico, têmpera mole, classe 4 de encordoamento, isolado em composto termoplástico não-halogenado e com características de não-propagação e auto-extinção do fogo, com baixa emissão de fumaça e gases tóxicos, classe térmica 70º C. Norma aplicável: NBR 1248 As caixas possuem rolos de 100 metros. Condutor (mm 2 ) Caixa Cores Acond. Peso (kg/100m) 1,5 1,5 0,7 2,8 1,9 2,5 2 0,8,4 2,9 4 2,5 0,8 4 4,5 6 0,8 4,5 6, 8

9 Cabo Flexível Silnax 0,6/1 kv Recomendado para instalações industriais, comerciais e residenciais de força, nos circuitos alimentadores de subestações transformadoras e em redes subterrâneas de distribuição de energia elétrica. É destinado às instalações fixas, podendo ser instalado em bandejas, canaletas, eletrodutos ou dutos subterrâneos, proporcionando, com a característica de auto-extinção do fogo, maior segurança. Deve ser instalado conforme a norma NBR Dados técnicos: condutor de fios de cobre eletrolítico, têmpera mole, classe 4 de encordoamento até a seção 6 mm 2 e classe 5 a partir da seção 10 mm 2, isolado e coberto com composto termoplástico polivinílico (PVC) tipo BWF, característica de não-propagação e auto-extinção do fogo, classe térmica 70º C. *Produto certificado com a marca de conformidade INMETRO Norma aplicável: NBR 7288 Nas bobinas, o comprimento depende de consulta prévia. Cores diferentes podem ser fabricadas sob encomenda. Algumas seções nominais abaixo são fabricadas sob encomenda. Cores dos condutores multipolares conforme descrito abaixo: 2 condutores: preto e azul-claro condutores: preto, branco e azul-claro 4 condutores: preto, branco, vermelho e azul-claro da Capa (mm) 1 x ,5 9,1 1 x ,8 1,9 1 x ,7 19,9 1 x 25 6, 1,2 1,1 11,1 29,7 1 x 5 7,4 1,2 1,1 12 9,1 1 x ,4 1,2 14,5 54,2 1 x 70 10,5 1,4 1,2 15,8 7 1 x 95 12,1 1,6 1, 18,1 97,4 1 x ,2 1,6 1, 20,2 11,8 1 x ,5 1,8 1,4 22,1 145,5 1 x ,9 2 1,5 24,6 174,5 1 x , 2,2 1,6 26, x 1,5 1,5 0,8 1 7,9 9,2 2 x 2,5 2 0,8 1,1 8,8 16,6 2 x 4 2,5 1 1,1 10,7 18,5 2 x 6 1 1,2 12,2 25,6 2 x ,2 14,2 7, 2 x , 16,7 54,5 2 x25 6, 1,2 1,4 20,2 8 2 x 5 7,4 1,2 1,5 22,6 109,5 2 x ,4 1,6 26,8 149,6 x 1,5 1,5 0,8 1,1 8, 10,8 x 2,5 2 0,8 1,1 9,5 15,2 x 4 2,5 1 1,2 11,5 2,4 x 6 1 1,2 12,2 1,5 x , 15,2 47 x , 18,5 7 x25 6, 1,2 1,4 21,9 110,5 x 5 7,4 1,2 1,5 24,8 145,9 x ,4 1,6 29,4 202,1 x 70 10,5 1,4 1,7,2 271,9 x 95 12,1 1,6 1,9 8,1 60,4 x ,2 1,6 2 42,6 444, 4 x 1,5 1,5 0,8 1,1 9,2 1,6 4 x 2,5 2 0,8 1,1 10,2 18,2 4 x 4 2,5 1 1,2 12,6 28,6 4 x 6 1 1,2 1,8 7,1 4 x , 16,8 58,6 4 x ,4 20,2 94,7 4 x25 6, 1,2 1,5 24,4 141,2 4 x 5 7,4 1,2 1,6 27,6 186,15 4 x ,4 1,7 2,8 259, 4 x 70 10,5 1,4 1,9 7 48,8 4 x 95 12,1 1,6 2 42,5 462,6 4 x ,2 1,6 2,1 47,6 570,8 Cores Acond. Peso (kg/100m) Bobina 9

10 Cabo Flexível Silnax 0,6/1 kv HEPR 90º C Recomendado para instalações industriais, comerciais e residenciais de força, nos circuitos alimentadores de subestações transformadoras e em redes subterrâneas de distribuição de energia elétrica. É destinado às instalações fixas, podendo ser instalado em bandejas, canaletas, eletrodutos ou dutos subterrâneos, proporcionando com a característica de auto-extinção do fogo, maior segurança. Por ser um cabo isolado em HEPR 90ºC, sua capacidade de corrente elétrica é superior em relação ao cabo isolado em PVC. Deve ser instalado conforme a norma NBR Dados técnicos: condutor de fios de cobre eletrolítico, têmpera mole, classe 4 de encordoamento até a seção 6 mm 2 e classe 5 a partir da seção 10 mm 2, isolado em composto termofixo HEPR (EPR/B), classe térmica 90º C e coberto com composto termoplástico polivinílico (PVC) tipo BWF, característica de não-propagação e auto-extinção do fogo. Norma aplicável: NBR 7286 Nas bobinas, o comprimento depende de consulta prévia. Cores diferentes podem ser fabricadas sob encomenda. Algumas seções nominais abaixo são fabricadas sob encomenda. Cores dos condutores multipolares conforme descrito abaixo: 2 condutores: preto e azul-claro condutores: preto, branco e azul-claro 4 condutores: preto, branco, vermelho e azul-claro da Capa (mm) 1 x 6 0,7 0,9 6,2 7,9 1 x ,7 1 7,4 12,4 1 x ,7 1 8, x 25 6, 0,9 1,1 10, 27,1 1 x 5 7,4 0,9 1,1 11,4 6,8 1 x ,2 1,4 51,6 1 x 70 10,5 1,1 1,2 15,1 69, 1 x 95 12,1 1,1 1, 16,9 91,4 1 x ,2 1,2 1, 19,2 109,1 1 x ,5 1,4 1,4 21,8 140,8 1 x ,9 1,6 1,4 2, x , 1,7 1,5 26, x 1,5 1,5 0,7 1 7,9 8,8 2 x 2,5 2 0,7 1,1 9 12,2 2 x 4 2,5 0,7 1,1 9, x 6 0,7 1, , 2 x ,7 1,2 1,4 2 x ,7 1,2 15,4 49,5 2 x 25 6, 0,9 1, 19 78,5 2 x 5 7,4 0,9 1,4 21,4 105,5 2 x ,5 25,2 145,6 x 1,5 1,5 0,7 1 8,4 10,4 x 2,5 2 0,7 1,1 9,4 14,4 x 4 2,5 0,7 1,1 10,8 20,5 x 6 0,7 1,1 11,7 26,6 x ,7 1,2 14,9 44,4 x ,7 1, 17,2 6,55 x 25 6, 0,9 1, ,55 x 5 7,4 0,9 1,5 2,7 11,8 x ,6 27,6 181,8 x 70 10,5 1,1 1,7 2, 252,2 x 95 12,1 1,1 1,8 6,1 28,1 x ,2 1,2 1,9 40, x 1,5 1,5 0,7 1,1 9,4 1, 4 x 2,5 2 0,7 1,1 10, 17,7 4 x 4 2,5 0,7 1,1 11,6 24,9 4 x 6 0,7 1,2 1,9 4 x ,7 1,2 16, x ,7 1, 19 81,4 4 x 25 6, 0,9 1,5 2,2 128,1 4 x 5 7,4 0,9 1,5 26, x ,7 0,7 25,2 4 x 70 10,5 1,1 1,8 5,9 25,8 4 x 95 12,1 1,1 1,9 40,2 48, 4 x ,2 1,2 2,1 45,1 57 Cores Acond. Peso (kg/100m) Bobina 10

11 Cabo Silflex PP 750 V Ideal para ligações de aparelhos elétricos em geral, móveis ou fixos, como eletrodomésticos, ferramentas motorizadas e equipamentos que requerem cabos de grande flexibilidade e resistência. Dados técnicos: condutores de fios de cobre eletrolítico, têmpera mole, classe de encordoamento 4, isolação de composto termoplástico polivinílico (PVC) tipo BWF, classe térmica 70º C. Cobertura de composto termoplástico polivinílico (PVC) tipo ST1. *Produto certificado com a marca de conformidade INMETRO Norma aplicável: NBR 1249 Nas bobinas, o comprimento depende de consulta prévia. Cores dos condutores multipolares conforme descrito abaixo: 2 condutores: preto e azul-claro condutores: preto, branco e azul-claro 4 condutores: preto, branco, vermelho e azul-claro da Capa (mm) Cores Acond. Peso (kg/100m) 2 x 1 1, 0,6 0,8 6,2 5,8 2 x 1,5 1,5 0,8 0,8 7,5 8,2 2 x 2,5 2 0,8 1 8,7 11,5 2 x 4 2,5 1 1,8 11,9 20, 2 x ,5 27,7 x 1 1, 0,6 0,8 6,5 6,9 x 1,5 1,5 0,8 0,9 8 9,9 x 2,5 2 0,8 1,1 9, 14,6 x 4 2,5 1 1,9 12,8 25,2 x 6 1 2,1 14,,4 4 x 1 1, 0,6 0,9 7,41 8,8 4 x 1,5 1,5 0,8 1 8,8 12,4 4 x 2,5 2 0,8 1,1 10,2 17,5 4 x 4 2, , 2,4 4 x 6 1 2, 15,8 42, Bobina 11

12 Cordão Flexível Paralelo e Torcido SIL 00 V Recomendado para instalações aparentes e móveis, de aparelhos eletrodomésticos, iluminação, ligação de aparelhos de som e imagem, aparelhos elétricos portáteis, extensões e ligações aparentes. Dados técnicos: condutor de fios de cobre eletrolítico, classe de encordoamento 4, têmpera mole, isolação de composto termoplástico polivinílico (PVC). *Produto certificado com a marca de conformidade INMETRO Norma aplicável: NBR 1249 Cordão Flexível Paralelo SIL 00 V 2 x 0,5 0,9 0,8 2,5 x 5,1 2, e 25 2 x 0,75 1,1 0,8 2,7 x 5,4 2, e 25 2 x 1 1, 0,8 2,8 x 5,7, e 25 2 x 1,5 1,5 0,8,1 x 6, e 25 2 x 2,5 2 0,8,4 x 6, e 25 2 x 4 2,5 0,8 4 x 7,6 8, e 25 Carretel Encartelado Cordão Flexível Torcido SIL 00 V Cores Acond. Peso (kg/100m) Carretel (Metros) Encartelado (Metros) Cores Acond. Peso (kg/100m) Carretel (Metros) 2 x 0,5 0,9 0,8 2,5 2, x 0,75 1,1 0,8 2,6 2, x 1 1, 0,8 2,8, x 1,5 1,5 0, x 2,5 2 0,8,4 5, x 4 2,5 0,8 4 8,8 00 Carretel Cabo Chumbo SIL Concebido especialmente para instalações internas fixas que tenham contato com superfícies expostas e úmidas. Sua cobertura reforçada oferece grande resistência a ações mecânicas. Dados técnicos: dois condutores sólidos de cobre eletrolítico, têmpera mole, isolação de composto termoplástico polivinílico (PVC) tipo BWF, resistente à chama, classe térmica 70º C. Cobertura de composto termoplástico polivinílico. Norma aplicável: NBR 8661 da Capa (mm) Cores Acond. Peso (kg/100m) Carretel (Metros) 2 x 0,75 1 0,6 0,8,5 x 5, x 1 1,1 0,6 0,8,7 x 6, 4, x 1,5 1,4 0,7 0,8 4,1 x 7 5, x 2,5 1,7 0,8 1 5 x 8,5 9, x 4 2,2 0,8 1,1 5,5 x 9,6 1,2 200 Carretel 12

13 Cabo de Som Bicolor e Cabo Cristal Polarizado Recomendado para transmissão de áudio em sistemas de sonorização ambiente e automotiva. Dados Técnicos: Condutores de fios de cobre eletrolítico, têmpera mole, classe de encordoamento 4, isolação de composto termoplástico polivinílico tipo cristal, classe térmica 70º C. Norma Aplicável: NBR NM 280 Nas bobinas, o comprimento depende de consulta prévia. 0,75 1,1 0,8 2,7 2, , 0,8 2,8,1 1,5 1,5 0,8,1, ,5 1,9 0,8,4 5,8 4 2,5 0,8 4 8,6 Cores Acond. Peso (kg/100m) Carretel (Metros) Carretel Bobina Cabo Coaxial SIL RGC OHMS Recomendado para instalações internas e externas de antenas individuais e coletivas em UHF/VHF, antenas parabólicas e utilização na instalação de câmeras de CFTV. Dados Técnicos: Condutor de aço cobreado 0,81 mm, isolado em polietileno expanso a gás, com blindagem de fita de poliéster aluminizado, mais trança de fios de alumínio 67%. Possui capa de composto termoplástico polivinílico (PVC), característica de não-propagação de chama e auto-extinção de fogo. Homologação Anatel nº Norma aplicável: Resolução nº 470, de 4 de julho de 2001, da Anatel Formação do Condutor (nº de fios) da Capa (mm) Dimensão Nominal Impedância Nominal (Ω) Peso (kg/100m) Carretel (Metros) 0,81 1,7 0,8 6,1 75,1 00 Cores Acond. Carretel A SIL Fios e Cabos Elétricos não se responsabiliza por danos pessoais ou materiais decorrentes do uso inadequado e/ou negligente das informações contidas neste. 1

14 Seções Mínimas dos Condutores Informações extraídas da norma NBR 5410:2004 Tipo de Instalação Utilização do Circuito Seção Mínima do Instalação Fixa Ligações Móveis Circuito de iluminação Circuito de força (tomadas) Tomada de uso específico Para um equipamento específico Para qualquer outra aplicação 1,5 2,5 De acordo com o equipamento a ser ligado Como especificado na norma do equipamento 0,75 Tabela de Conversão AWG mm ,5 18 0, ,5 12 2, /0 50 / Encartelados Fornecidos em embalagens com 15 e 25 metros, conforme as tabelas dos produtos. As cores produzidas para encartelados de Fio Sólido SIL e Cabo FlexSil são: O Cordão Flexível Paralelo SIL é produzido nas cores: Cores dos condutores neutro, de proteção (terra) e fase Carretéis Os carretéis possuem cm de diâmetro e 24 cm de largura. Cada produto em carretel possui um comprimento, que depende do diâmetro do material acondicionado. Conforme a norma NBR 5410: Instalações Elétricas de Baixa Tensão, as cores azul-claro e verde/amarelo ou simplesmente verde, são exclusivas para certas funções. O condutor com isolação na cor azul-claro deve ser utilizado como condutor neutro. O condutor com isolação verde/amarelo ou simplesmente verde, deve ser utilizado como condutor de proteção, também conhecido como fio terra. O condutor utilizado como fase poderá ser de qualquer cor, exceto as cores citadas acima. 14

15 Queda de Tensão Conforme a norma NBR 5410:2004 Instalações Elétricas de Baixa Tensão, item , em nenhum caso a queda de tensão nos circuitos terminais pode ser superior a 4%, mas quedas de tensão maiores são permitidas para equipamentos com corrente de partida elevada, durante o período de partida, desde que dentro dos limites permitidos em suas normas respectivas. Abaixo, está a tabela de queda de tensão para produtos isolados em PVC 70º C e temperatura ambiente de 0º C, instalados conforme método de referência B1. Cálculo: Queda de tensão (V) = queda de tensão tabelada (V/A.km) x corrente do circuito (A) x comprimento (km) Queda de tensão em % = [queda de tensão (V) / tensão do circuito (V)] x 100 Queda de tensão para cos = 0,8 (V/A.km) Seção Nominal do Conduto não-magnético Conduto magnético Circuito monofásico Circuito trifásico 1,5 2, 20,2 2 2,5 14, 12, ,96 7, ,0 5,25 5,87 10,6,17, ,2 2,0 2, ,51 1, 1,5 5 1,12 0,98 1, ,85 0,76 0, ,62 0,55 0, ,48 0,4 0, ,4 0,6 0, ,5 0,1 0, , 0,27 0, ,26 0,2 0,29 Tabela de Corrente em plena carga de motores CA 60 hz Potência Nominal Motor Monofásico Motor Trifásico Cv kw 115V 220V 220V 80V 480V 1/ 0,25 7,2, /2 0,7 9,8 4,9 2 1,2 1 /4 0,55 1,8 6,9 2,8 1,6 1,4 1 0, ,5 2,1 1,8 1,5 1, ,9 2,5 2 1, ,5,8, 2, ,2 4,5 5, ,7 7,5 7,5 5, , , Fonte: National Electrical Code Veja na tabela abaixo qual é o seu método de instalação e verifique nas tabelas das páginas ao lado, qual a capacidade de corrente do condutor elétrico em questão. Tabela de Método de Instalação Método de instalação número Esquema ilustrativo Descrição Método de referência 7 Condutores isolados ou cabos unipolares em eletroduto de seção circular embutido em alvenaria B1 8 Cabo multipolar em eletroduto de seção circular embutido em alvenaria B2 11 Cabos unipolares ou cabo multipolar, sobre parede ou espaçado desta, menos de 0, vez o diâmetro do cabo C 12 Cabos unipolares ou cabo multipolar em bandeja não-perfurada, perfilado ou prateleira C 1 Cabos unipolares ou cabo multipolar em bandeja perfurada, horizontal ou vertical E (multipolar) F (unipolares) 15 Extraída da norma NBR 5410:2004 Instalações Elétricas de Baixa Tensão.

16 Capacidade de condução de corrente em ampères (A) para cabos de cobre com isolação em PVC (70º C) Método de instalação: B1, B2 e C. Condutor (mm 2 ) 2 B1 2 0, , ,5 17,5 15,5 16, ,5 17,5 2, Extraída da norma NBR 5410:2004 Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Métodos de referência indicados B2 2 C Método de instalação: E e F. Métodos de referência indicados 2 Cabos Multipolares 2, Justapostos Cabos Unipolares, em Trifólio, no mesmo Plano Justapostos Seção Nominal do Método E Método E Método F Método F Método F , , , , , Extraída da norma NBR 5410:2004 Instalações Elétricas de Baixa Tensão. 16

17 Capacidade de condução de corrente em ampères (A) para cabos de cobre com isolação em EPR ou XLPE (90º C) Método de instalação: B1, B2 e C. Condutor (mm 2 ) 2 Extraída da norma NBR 5410:2004 Instalações Elétricas de Baixa Tensão. B1 Métodos de referência indicados 2 0, , , , , B2 2 C Método de instalação: E e F. Seção Nominal do 2 Cabos Multipolares Métodos de referência indicados 2, Justapostos Cabos Unipolares, em Trifólio Método E Método E Método F Método F, no mesmo Plano Justapostos Método F , , , , Extraída da norma NBR 5410:2004 Instalações Elétricas de Baixa Tensão. 17

18 SIL. PRODUTOS QUE DÃO SAMBA, PARA UM BOM RÍTMO DE VENDAS. Os constantes investimentos em tecnologia e qualidade garantem à SIL, a segurança de colocar no mercado produtos de excelente aceitação e competitividade. Além disso, a empresa investe em suporte para os revendedores e o público consumidor final gerando satisfação e reconhecimento de um mercado cada vez mais exigente. PDV MÓBILE INFLÁVEL ADESIVO DE CHÃO BANNER EMBALAGENS (*APROVADO PELO INMETRO) EXPOSITOR DE CARRETÉIS COM MEDIDOR DE FIOS DISPLAY 18

19 Mídia ANÚNCIOS Veiculados nas mais importantes revistas do segmento e em jornais de grande circulação, garantem a visibilidade e evolução da marca de fios e cabos elétricos mais premiada do Brasil. Estádio do Pacaembu Estádio do Morumbi PLACA EM ESTÁDIO Painéis em estádios nos principais campeonatos de futebol. INTERNET O website da SIL disponibiliza serviços e informações importantes para eletricistas, revendas e para o público em geral, em três idiomas: Português, Inglês e Espanhol. RÁDIO Veiculação de spots, jingles e patrocínio em programas esportivos. 19

20

Fios e cabos elétricos

Fios e cabos elétricos Fios e cabos elétricos Fios e cabos elétricos 3 FIO PLASTICOM ANTICHAMA 450/750 V 5 CAbO PLASTICOM ANTICHAMA 450/750 V 7 CAbO CObreNAx ANTICHAMA 0,6/1 kv 9 CAbO COMPex 0,6/1 kv (COMPACTADO) 11 CAbO FLexICOM

Leia mais

FIOS E CABOS BAIXA TENSÃO

FIOS E CABOS BAIXA TENSÃO FIOS E CABOS BAIXA TENSÃO Conceitos Básicos sobre es Elétricos Definições: Vergalhão Produto metálico não-ferroso de seção maciça circular, destinado à fabricação de fios. Fio Metálico Produto maciço,

Leia mais

Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V

Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V Características Construtivas 1) Para Fio Inbranil Antichama: condutor sólido de cobre eletrolítico nu, têmpera mole, classe 1. Para Cabo Inbranil Antichama: condutor

Leia mais

Tabelas de Dimensionamento

Tabelas de Dimensionamento Com o objetivo de oferecer um instrumento prático para auxiliar no trabalho de projetistas, instaladores e demais envolvidos com a seleção e dimensionamento dos em uma instalação elétrica de baixa tensão,

Leia mais

CABOS ISOLADOS / COBERTOS DE BAIXA TENSÃO (até 1kV) Nota: Sob consulta, os cabos Forex, Flexonax, Forenax, Forefix podem ser fornecidos com armadura Fio e Cabo WPP Cordão FOREPLAST (300 V) Os fios WPP

Leia mais

Produtos. Fio e Cabo Pauliplast BWF 750V. Fio e Cabo de Cobre Nu. 2 www.ipce.com.br. Fios e cabos para uso geral de baixa tensão

Produtos. Fio e Cabo Pauliplast BWF 750V. Fio e Cabo de Cobre Nu. 2 www.ipce.com.br. Fios e cabos para uso geral de baixa tensão Fio e Cabo de Cobre Nu Fio e Cabo Pauliplast BWF 750V Características dimensionais e resistência elétrica de fios e cabos de cobre nu, meio duro e duro Empregados em linhas aéreas para transmissão e distribuição

Leia mais

DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS:

DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410 relativos à escolha

Leia mais

CONDUTORES ELÉTRICOS

CONDUTORES ELÉTRICOS CONDUTORES ELÉTRICOS R = ρ l S ( Ω) Produto metálico, geralmente de forma cilíndrica, utilizada para transportar energia elétrica ou transmitir sinais elétricos. ρ cobre = 1,72 10-8 Ωm ρ alum = 2,80 10-8

Leia mais

BAIXA TENSÃO Uso Geral

BAIXA TENSÃO Uso Geral Dimensionamento OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONA- MENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410/2004 relativos à escolha

Leia mais

REPRESENTANTE AUTORIZADO CONSTRUTORAS, INSTALADORAS E B2B - SP

REPRESENTANTE AUTORIZADO CONSTRUTORAS, INSTALADORAS E B2B - SP REPRESENTANTE AUTORIZADO CONSTRUTORAS, INSTALADORAS E B2B - SP 50 anos. E muitas obras de experiência. Em sua longa trajetória, o Grupo Nambei já realizou o fornecimento de fios e cabos para centenas de

Leia mais

BAIXA TENSÃO Uso Geral

BAIXA TENSÃO Uso Geral Dimensionamento OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONA- MENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410/2004 relativos à escolha

Leia mais

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004)

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004) MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela da NBR5410/004) Método de instalação número: Esquema ilustrativo Descrição Método de instalação a utilizar para a capacidade de condução de corrente 1 1 1 eletroduto de seção

Leia mais

Manual Técnico. Aplicações recomendadas para os fios e cabos de BT e MT

Manual Técnico. Aplicações recomendadas para os fios e cabos de BT e MT Manual Técnico Aplicações recomendadas para os fios e cabos de BT e MT Líder Mundial na Indústria de Cabos Com a energia como base de seu desenvolvimento, a Nexans é a líder mundial na indústria de cabos,

Leia mais

Cabo para Sinal e Detecção de Incêndio - s/ blindagem - 600 V - flexível - Instalações contínuas cem tubulação de aço galvanizado para blindagem eletrostática e magnética; Cabo formado por dois ou mais

Leia mais

-30.-40-40 -40-50 -40 X -90-190 X -70

-30.-40-40 -40-50 -40 X -90-190 X -70 APRESENTAÇÃO A FNCE, empresa nacional com tradição a mais de 0 anos no mercado de condutores elétricos esta comprometida com a qualidade de seus produtos, treinamentos dos seus colaboradores e preservação

Leia mais

Soluções inovadoras em fios e cabos elétricos.

Soluções inovadoras em fios e cabos elétricos. 1 Soluções inovadoras em fios e cabos elétricos. Somos um dos maiores fabricantes mundiais de fios e cabos, com mais de 170 anos de história de progresso contínuo em nível global e mais de 40 anos no Brasil.

Leia mais

Catálogo de. Produtos

Catálogo de. Produtos Catálogo de Produtos Atualização: Janeiro/01. Sumário Tabelas de Dimensionamento Fios e Cabos Elétricos de Cobre para Baixa Tensão 6 Fio Sólido BWF 0 V Cabo BWF 0 V 8 Cabo Flexível Corfitox HEPR 90 C 0,6/1

Leia mais

TABELA 1 Os métodos de referência são os de instalação indicados na NBR - 5410

TABELA 1 Os métodos de referência são os de instalação indicados na NBR - 5410 CAPACIAE E CONUÇÃO E CORRENTE PARA CABO E BAIXA TENÃO O dimensionamento de uma instalação elétrica alimentada sob tensão nominal igual ou inferior a 00V, em corrente alternada é a 0V em corrente contínua,

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Há 22 anos produzindo qualidade

APRESENTAÇÃO. Há 22 anos produzindo qualidade APRESENTAÇÃO Há 22 anos produzindo qualidade 3 A CONDUMIG - Indústria de Condutores Elétricos, localizada em Divinópolis, centro-oeste mineiro, é a maior fabricante de Fios e Cabos, Rígidos e Flexíveis

Leia mais

Tipos de linhas. Sumário Linhas Elétricas Dimensionamento. Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas

Tipos de linhas. Sumário Linhas Elétricas Dimensionamento. Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Tipos de linhas Sumário Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Instalação dos condutores Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Os cabos multipolares só deve conter os condutores de um

Leia mais

www.rcmcaboseletricos.com.br

www.rcmcaboseletricos.com.br Distrito Industrial Porto União SC Brasil End: Rua Paulista 300 CEP 8900000 Tel: (2) 3523.8785 (2) 352.3353 www.rcmcaboseletricos.com.br catálogo de produtos Nós trabalhamos com energia. A RCM Cabos Elétricos

Leia mais

Informações e Tabelas Técnicas

Informações e Tabelas Técnicas As instalações e dimensionamentos de fios e cabos elétricos de baixa tensão devem obedecer as recomendações indicadas na NBR 5410/2004. Características dos condutores de cobre mole para fios e cabos isolados

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$ ANEXO 2 Planilha Orçamentária Estimativa de Quantitativos e Preços Máximos Global e Unitários LOTE ÚNICO ESPECIFICAÇÃO DO ITEM Qtde. Unitário R$ Total R$ 01 02 03 04 05 CHAVE NIVEL TIPO BOIA,ATUACAO: ALARME

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural

Disciplina: Eletrificação Rural UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS RIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 6 Condutores elétricos - dimensionamento e instalação.

Leia mais

Cabos Elétricos. Cabo Conduspar BWF 750V. Cabo Singelo Flexpar BWF 750V

Cabos Elétricos. Cabo Conduspar BWF 750V. Cabo Singelo Flexpar BWF 750V Cabos Elétricos Cabo Conduspar BWF 750V Características Construtivas (NBR NM47-3): Fios sólidos cobre eletrolítico, seção circular não compactado, têmpera mole, classe encordoamento (NBR NM80), isolamento

Leia mais

Capítulo 5. Linhas elétricas. 5.1 Aspectos gerais 26/04/2010

Capítulo 5. Linhas elétricas. 5.1 Aspectos gerais 26/04/2010 Capítulo 5 Linhas elétricas 2008 by Pearson Education slide 1 5.1 Aspectos gerais Condutor elétrico Fio Barra Linha pré-fabricada Barramento Condutor encordoado: classes 1 a 6 Cabo Corda Perna Coroa Cabo

Leia mais

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

A solução ideal para instalações residenciais e terciárias

A solução ideal para instalações residenciais e terciárias NOVOS Disjuntores RX 3 A solução ideal para instalações residenciais e terciárias Ambiente Residencial - área úmida Ambiente Residencial Soho - Pequeno Escritório ou Home Office Ambiente Residencial -

Leia mais

Informações e Tabelas Técnicas

Informações e Tabelas Técnicas Características dos condutores de cobre mole para fios e cabos isolados 1 Temperatura característica dos condutores 1 Corrente de curto-circuito no condutor 1 Gráfico das correntes máximas de curto-circuito

Leia mais

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição DICAS Instalações elétricas residenciais 8ª Edição DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE Nos condutores existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim

Leia mais

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

INFORMAÇÕES TÉCNICAS INFORMAÇÕES TÉCNICAS ÍNDICE A Empresa... 03 Contato Comercial... 03 Seleção e Instalação de Condutores Elétricos (NBR 5410)... 04 Tabela de Produtos... 09 Métodos de Instalação... 10 Capacidade de Condução

Leia mais

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS No caso das instalações elétricas existentes nos espaços não comportarem a carga elétrica a ser ligada pelo evento, é necessário que a Contratante apresente os documentos e respeite as condições mínimas

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES Os seis critérios de dimensionamento de circuitos de BT: 1. Seção mínima; 2. Capacidade de condução de corrente; 3. Queda de tensão; 4. Proteção contra sobrecargas; 5. Proteção contra curtos-circuitos;

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS SITE: www.amm.org.br- E-mail: engenharia@amm.org.br AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 CEP 78000-070 CUIABÁ MT FONE: (65) 2123-1200 FAX: (65) 2123-1251 MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES

Leia mais

Instalações Elétricas Industriais. Prof. Carlos T. Matsumi

Instalações Elétricas Industriais. Prof. Carlos T. Matsumi Instalações Elétricas Industriais Divisão de Sistemas de Alimentação Faixa de Tensão Elétrica (IE) orrente Alternada - A orrente ontínua- Extra Baixa Tensão: Tensão Inferior à 50 V (A) e 120 V () Baixa

Leia mais

FIO PLASTICOM CABOS DE ENERGIA. Fios e cabos elétricos ANTICHAMA 450/750 V. Central de Relacionamento : (11)

FIO PLASTICOM CABOS DE ENERGIA. Fios e cabos elétricos ANTICHAMA 450/750 V. Central de Relacionamento : (11) FIO PLASTICOM ANTICHAMA 450/750 V têmpera mole, isolado com Policloreto de Vinila (PVC), tipo PVC/A para 70 C, antichama (BWF-B). embutidos em eletrodutos, bandejas ou canaletas. ANTICHAMA 450/750 V Normas

Leia mais

DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES

DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES z CNCEITS BÁSICS DE ELETRICIDADE Nos condutores existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim como os planetas ao redor do sol, giram ao redor

Leia mais

ELÉTRICA. seção 7,98 4,95 3,30 1,91 33,2 39,4 48,0. Cordão Paralelo

ELÉTRICA. seção 7,98 4,95 3,30 1,91 33,2 39,4 48,0. Cordão Paralelo ELÉTRICA APLICAÇÕES: São utilizados em instalações de baixa tensão, como construção civil, instalações industriais e comerciais, para tensões de até 75V. CONDUTOR: Corda flexível, classe 4 de encordoamento

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 07/05/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Quadro de Distribuição Circuitos Terminais Circuitos Terminais Quadro de Distribuição Quadro de Distribuição

Leia mais

Av. Maria Leonor, 1222 Pq. Reid Diadema CEP 09920-080 Tel.: 55-11 4092-9000 FAX.: 55 11 4092-9090

Av. Maria Leonor, 1222 Pq. Reid Diadema CEP 09920-080 Tel.: 55-11 4092-9000 FAX.: 55 11 4092-9090 v 6 5 4 3 2 1 1- condutor 2- isolação 3- separador 4- capa intermediária 5- trança de cobre estanhado 6- capa externa CONSTRUÇÃO CONDUTORES: formados com 7 elementos de cobre eletrolítico, conforme NM

Leia mais

4 LINHAS ELÉTRICAS. Figura 5: Exemplos de fios e cabos.

4 LINHAS ELÉTRICAS. Figura 5: Exemplos de fios e cabos. 8 4.1 Condutores elétricos. 4 LINHAS ELÉTRICAS Os condutores elétricos constituem os principais componentes das linhas elétricas que conduzem eletricidade até as cargas elétricas. Define-se condutor elétrico

Leia mais

Cabo Cofivinil HEPR (1 Condutor) 0,6/1kV 90 o C

Cabo Cofivinil HEPR (1 Condutor) 0,6/1kV 90 o C Cabo Cofivinil HEPR (1 Condutor) 0,6/1kV 90 o C 1 Dados Construtivos: 1.1 Desenho: 1 2 3 4 1 Condutor: Fios de cobre eletrolítico nu, têmpera mole. Encordoamento classe 05. 2 Separador: Fita não higroscópica

Leia mais

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Dimensionamento de Condutores e Eletrodutos

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Dimensionamento de Condutores e Eletrodutos Dimensionamento de Condutores e Eletrodutos Método da capacidade de condução de corrente Roteiro: 1. Calcular a corrente de projeto (I p ) dos circuitos da edificação; 2. Definir parâmetros de instalação

Leia mais

CONDUSCAMP CONDUTORES CAMPINAS LTDA. Conectando soluções em condutores

CONDUSCAMP CONDUTORES CAMPINAS LTDA. Conectando soluções em condutores CONDUSCAMP CONDUTORES CAMPINAS LTDA. Conectando soluções em condutores QUEM SOMOS EMPRESA CONHEÇA A CONDUSCAMP Com uma consolidada história no mercado de condutores elétricos, a Conduscamp há mais de 15

Leia mais

Instala es El tricas. Curso Completo

Instala es El tricas. Curso Completo Instala es El tricas Curso Completo SUMÁRIO 1 A Produção de Energia Elétrica...7 1.1 Usina Hidroelétrica...7 1.2 Usina Termoelétrica...7 1.3 Usina Nuclear...7 1.4 Usina Alternativa...7 2 A Transmissão

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE ELÉTRICOS INTRODUÇÃO Os fatores básicos que envolvem o dimensionamento de um condutor são: tensão nominal; freqüência nominal; potência ou corrente

Leia mais

Capítulo 3 Circuitos Elétricos

Capítulo 3 Circuitos Elétricos Capítulo 3 Circuitos Elétricos 3.1 Circuito em Série O Circuito Série é aquele constituído por mais de uma carga, ligadas umas as outras, isto é, cada carga é ligada na extremidade de outra carga, diretamente

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 Página 1 de 1 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO INDIVIDUAL 1.OBJETIVO Visando a redução de custos de expansão do sistema

Leia mais

Liderança em Cabos Vulcanizados. Cabos unipolares para altas temperaturas

Liderança em Cabos Vulcanizados. Cabos unipolares para altas temperaturas Cabos unipolares para altas temperaturas 2 A CONFIABILIDADE QUE FAZ A DIFERENÇA (Estas certificações são da linha geral de cabos produzidos pela Cofibam) Política da qualidade A COFIBAM SE COMPROMETE EM

Leia mais

Portaria n.º 589, de 05 de novembro de 2012

Portaria n.º 589, de 05 de novembro de 2012 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 589, de 05 de novembro de 2012 O PRESIDENTE

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 14/05/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Dimensionamento dos Condutores FASE Ampacidade Queda de Tensão Seção Mínima Dimensionamento dos Condutores

Leia mais

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES Prezado cliente, índice Bem-vindo à GVT. Agora sua empresa conta com soluções inovadoras de voz, dados e Internet com o melhor custo-benefício. Para garantir a qualidade dos serviços e aproveitar todos

Leia mais

CABOS ESPECIAIS CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA SIMÉTRICO SOLUÇÕES ESPECIAIS SINAL GARANTIDO DE PONTA A PONTA

CABOS ESPECIAIS CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA SIMÉTRICO SOLUÇÕES ESPECIAIS SINAL GARANTIDO DE PONTA A PONTA CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA pretas numeradas + uma veia verde/amarela. em fita de alumínio invertida + dreno estanhado de 0,5mm2 sobreposta por trança de cobre estanhado. SINAL GARANTIDO DE PONTA A PONTA

Leia mais

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PROJETO: ELÉTRICO Modelo: 3.000 m2 MAIO 2011 SUMÁRIO 1. GENERALIDADES... 03 2. DOCUMENTOS APLICÁVEIS... 04 3. DESCRIÇÃO DO PROJETO...

Leia mais

Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS

Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS 02.111-TD/AT-3013a Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS Gerência de Desenvolvimento e Engenharia de Ativos da Distribuição TD/AT Belo Horizonte Setembro/2013

Leia mais

Condutores e cabos eléctricos

Condutores e cabos eléctricos Condutores e cabos eléctricos Os condutores utilizados nas instalações eléctricas são geralmente de cobre, ou de alumínio. O condutor eléctrico pode ser divididos em: Condutor nu: é um condutor que não

Leia mais

CABOS ELÉTRICOS PARA APLICAÇÃO EM OFFSHORE 1/2013

CABOS ELÉTRICOS PARA APLICAÇÃO EM OFFSHORE 1/2013 1/2013 CABOS ELÉTRICOS PARA APLICAÇÃO EM OFFSHORE ÍNDICE: Cabos Elétricos de Energia e Controle - 0,6/1kV (1,8/3kV) LKM-SHF2 & LKM-SHF2 FLEX...4 LKMM-SHF2...8 LKSM-SHF2 & LKSM-SHF2 FLEX...10 LKMSM-SHF2...14

Leia mais

Cabos Navais. Introdução

Cabos Navais. Introdução Cabos Navais Introdução A Prysmian Energia Cabos e Sistemas do Brasil S.A. apresenta a sua linha de cabos para aplicação em plataformas de petróleo off-shore e navios, tipo LS0H (Low Smoke Zero Halogen),

Leia mais

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição Professor Jorge Alexandre A. Fotius Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Em áreas urbanas com baixa densidade

Leia mais

POLIRON 105 CM 03 CL2 B FR Cabo Controle Blindado 3 x 0,50 70ºC 0,5kV classe 2

POLIRON 105 CM 03 CL2 B FR Cabo Controle Blindado 3 x 0,50 70ºC 0,5kV classe 2 POLIRON Código 7200 POLIRON 105 CM 02 CL2 B FR Cabo Controle Blindado 2x 0,50 70ºC 0,5kV classe 2 /bitolas de 1,5mm 2 a 10 estruturado, alimentação, sist. microprocessados, em plantas industria quimica,

Leia mais

ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA

ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA 1. DETERMINAÇÃO DA CARGA INSTALADA a) Para definição do tipo de fornecimento, o consumidor deve determinar a carga instalada, somando-se a potência

Leia mais

8-Pregão Eletrônico n 134/2014 Fios e cabos validade da Ata 17/08/2015. Ata de Realização do Pregão Eletrônico Nº 00134/2014 (SRP)

8-Pregão Eletrônico n 134/2014 Fios e cabos validade da Ata 17/08/2015. Ata de Realização do Pregão Eletrônico Nº 00134/2014 (SRP) 8-Pregão Eletrônico n 134/2014 Fios e cabos validade da Ata 17/08/2015 Ata de Realização do Pregão Eletrônico Nº 00134/2014 (SRP) Às 09:30 horas do dia 30 de junho de 2014, reuniram-se o Pregoeiro Oficial

Leia mais

DEFINIÇÕES. Entrada de energia. Entrada de serviço

DEFINIÇÕES. Entrada de energia. Entrada de serviço 1 Entrada de energia DEFINIÇÕES Instalação de responsabilidade do consumidor, compreendendo ramal de entrada, poste particular ou pontalete, caixas, dispositivos de proteção, eletrodo de aterramento e

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Capítulo 4 Parte 2 Condutores elétricos: 1. semestre de 2011 Abraham Ortega Número de condutores isolados no interior de um eletroduto Eletroduto é um elemento de linha elétrica fechada,

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES MEMORIAL DESCRITIVO Memorial Descritivo Elétrico Projeto: Marcelo

Leia mais

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior Fornecimento de Energia Elétrica a Edificações de Múltiplas Unidades Consumidoras do Programa Minha Casa Minha Vida com Telemedição Processo Atividade Realizar novas ligações Executa ligação BT Código

Leia mais

APLICAÇÃO PARA CABOS DE BAIXA E ALTA TEMPERATURA 2013 FNCE FABRICA NACIONAL DE CONDUTORES ELÉTRICOS

APLICAÇÃO PARA CABOS DE BAIXA E ALTA TEMPERATURA 2013 FNCE FABRICA NACIONAL DE CONDUTORES ELÉTRICOS APLICAÇÃO PARA CABOS DE BAIXA E ALTA TEMPERATURA 2013 FNCE FABRICA NACIONAL DE CONDUTORES ELÉTRICOS ÍNDICE INTRODUÇÃO...4 1. DEFINIÇÕES...5 1.1 REDONDO SÓLIDO...5 1.2 REDONDO NORMAL...5 1.3 REDONDO COMPACTO...5

Leia mais

EM-RIOLUZ-74 ESPECIFICAÇÃO DE CABO PARA REDE SUBTERRÂNEA DE IP

EM-RIOLUZ-74 ESPECIFICAÇÃO DE CABO PARA REDE SUBTERRÂNEA DE IP DIRETORIA TECNOLÓGICA E DE PROJETO DTP GERÊNCIA TECNOLÓGICA E DE DESENVOLVIMENTO GTD EM-RIOLUZ-74 ESPECIFICAÇÃO DE CABO PARA REDE SUBTERRÂNEA DE IP EMISSÃO- 02 29.12.2014 ESPECIFICAÇÃO EM-RIOLUZ-74 EMISSÃO

Leia mais

TABELA DE PREÇOS OUTUBRO 2010 V. 1

TABELA DE PREÇOS OUTUBRO 2010 V. 1 TABELA DE PREÇOS OUTUBRO 2010 V. 1 CABO VINIL FLEXÍVEL CABOS 0,6/1kV CABO FITER FLEX CABO AFITOX EP90-F 1kV 1 2 4 1,5 1,22 2,597,480 4,568 2,5 1,78,849 5,249 6,86 4 2,584 5,556 7,727 10,167 6,647 7,711

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TR 20150139

TERMO DE REFERÊNCIA TR 20150139 TERMO DE REFERÊNCIA TR 20150139 1. DA JUSTIFICATIVA: Dispensa de licitação, via cotação eletrônica, nos termos do decreto estadual Nº 28.397, de 21 de setembro de 2006 para atender SC 13827 - UNBME 2.

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-13/07/2009 13/07/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior SUMÁRIO 1. RESUMO...3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...3 3.

Leia mais

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA MODELO TAM TRANSFORMADORES - TIPO TAM Os transformadores a seco moldados em resina epóxi são indicados para operar em locais que exigem segurança, os materiais utilizados em sua construção são de difícil

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR Tel.: (021) 2583 6737 Fax.: (021) 2583 6737 Cel.: (021) 9159 4057 dsp@dsp-rj.com.br 1 / 9 Sumário 1 OBJETIVO... 3 2- NORMAS APLICÁVEIS...

Leia mais

SIMBOLOGIA E CONVENÇÕES

SIMBOLOGIA E CONVENÇÕES SUMÁRIO 1. SIMBOLOGIA E CONVENÇÕES 3 2. ESQUEMAS FUNDAMENTAIS DE LIGAÇÕES 6 3. PROJETO 12 3.1. Análise inicial 12 3.2. Caracterização do fornecimento de energia 13 4. CÁLCULO LUMINOTÉCNICO 14 4.1. Definições

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças 1 de 7 01/12/2014 10:25 PREGÃO ELETRÔNICO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças Pregão Eletrônico Nº 00052/2014(SRP) - Pregão abandonado RESULTADO

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Regras práticas para projeto elétrico Iluminação, TUG, TUE Recomendações práticas Alguns símbolos diferentes (outra concessionária) Página do Professor - Manuel Rendón UFJF Manual

Leia mais

Aplicação de Sistema Telemedição em Unidades Consumidoras Alimentadas por Redes Subterrâneas Caso Praia do Paiva

Aplicação de Sistema Telemedição em Unidades Consumidoras Alimentadas por Redes Subterrâneas Caso Praia do Paiva Aplicação de Sistema Telemedição em Unidades Consumidoras Alimentadas por Redes Subterrâneas Caso Praia do Paiva Autores Marcelo Artur Xavier de Lima CELPE; José Aderaldo Lopes CELPE. 1 AGENDA: A Celpe;

Leia mais

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS CAPÍTULO 4: CAIXAS DE SAÍDA CONDIÇÕES As caixas de saída devem ser projetadas nas tubulações secundárias nas seguintes condições: a) Nas entradas e saídas de fios telefônicos nos eletrodutos; b) Para diminuir

Leia mais

13 - INSTALAÇÕES DE FORÇA MOTRIZ

13 - INSTALAÇÕES DE FORÇA MOTRIZ Instalações Elétricas Professor Luiz Henrique Alves Pazzini 104 13.1 - Introdução 13 - INSTALAÇÕES DE FORÇA MOTRIZ Existem três configurações básicas para alimentação de motores que operam em condições

Leia mais

Certificado de Registro e Classificação Cadastral - CRCC

Certificado de Registro e Classificação Cadastral - CRCC CERTIFICAMOS que a empresa acima identificada encontra-se regularmente inscrita no Cadastro de es de Materiais e/ou Serviços da PETROBRAS e habilitada para as especialidades indicadas conforme relação

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Condições de Operação 03 5.2. Materiais e Construção 04 6. PROCEDIMENTOS

Leia mais

SIMBOX XF. Design Segurança Fácil instalação. Quadros de distribuição de energia. A melhor opção em quadros de distribuição de energia.

SIMBOX XF. Design Segurança Fácil instalação. Quadros de distribuição de energia. A melhor opção em quadros de distribuição de energia. Fabricado no Brasil SIMBOX XF Quadros de distribuição de energia A melhor opção em quadros de distribuição de energia. Design Segurança Fácil instalação www.siemens.com.br/simboxxf SIMBOX XF Por fora muito

Leia mais

Fabricação de um cabo elétrico

Fabricação de um cabo elétrico Fabricação de um cabo elétrico TOP CABLE Bem-vindo à TOP CABLE. Somos um dos maiores fabricantes de cabos elétricos do mundo. VIDEOBLOG Neste videoblog explicamos-lhe como se fabrica um cabo elétrico.

Leia mais

Número PE022/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega

Número PE022/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega Folha 1 UNIVERSIDADE DO SUDOESTE DA - CAMPUS VITORIA DA CO 1 ALICATE, universal, de 8 polegadas, em aco, cabo com isolacao para 1000 volts e em conformidade com norma ABNT NBR vigente no que diz respeito

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CADASTRO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CD.DT.PDN.03.14.001 03 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA E CADASTRO (DEEE) SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO E MEMORIAL DE CÁLCULO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

ESPECIFICAÇÃO E MEMORIAL DE CÁLCULO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ESPECIFICAÇÃO E MEMORIAL DE CÁLCULO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS OBRA: C.M.E.I TIA JOVITA LOCAL: RUA PARACATU C/ RUA 4 C/ AVENIDA CRUZEIRO DO SUL - VILA PEDROSO. GOIÂNIA / GO. 1 1.0 - MEMORIAL DESCRITIVO.

Leia mais

NTU AES 003-1. Condutores Elétricos Distr. Subterrânea NORMA TÉCNICA UNIFICADA AES ELETROPAULO / AES SUL

NTU AES 003-1. Condutores Elétricos Distr. Subterrânea NORMA TÉCNICA UNIFICADA AES ELETROPAULO / AES SUL NTU AES 003-1 Condutores Elétricos Distr. Subterrânea NORMA TÉCNICA UNIFICADA AES ELETROPAULO / AES SUL Elaborado: Aprovado: DATA: 30/09/2010 João Carlos Nacas AES Eletropaulo Fernanda Pedron AES Sul Sergio

Leia mais

da qualidade ISO 9001:2008 certificados, a IPCE tem como A Qualidade na energia!

da qualidade ISO 9001:2008 certificados, a IPCE tem como A Qualidade na energia! da qualidade ISO 9001:2008 certificados, a IPCE tem como A Qualidade na energia! Tecnologia & Segurança Tecnologia que Proporciona Segurança A qualidade, conceito evolutivo e constante, exige a renovação

Leia mais

Informe Técnico SOLUÇÃO REMASTER 1.1 1.0 - DESCRIÇÃO DO PISO ELEVADO REMASTER 1.2. www.remaster.com.br

Informe Técnico SOLUÇÃO REMASTER 1.1 1.0 - DESCRIÇÃO DO PISO ELEVADO REMASTER 1.2. www.remaster.com.br A Remaster é uma empresa que proporciona um conjunto de soluções integradas e inteligentes em networking e revestimentos. Uma solução revolucionária composta por piso elevado, rede elétrica modular e cabos

Leia mais

O Site da Eletrônica Aterramento

O Site da Eletrônica Aterramento O Site da Eletrônica Aterramento 1 - Generalidades As características e a eficácia dos aterramentos devem satisfazer às prescrições de segurança das pessoas e funcionais da instalação. O valor da resistência

Leia mais

Seminário Online DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS

Seminário Online DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS Seminário Online DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS Leonel Rodrigues Gerente de Aplicação de Produto Nexans Product Application Dept. Sep 2014 1 Dimensionamento de Condutores Elétricos Dimensionamento

Leia mais

Í N D I C E D E R E V I S Õ E S D E S C R I Ç Ã O E / O U F O L H A S A T I N G I D A S

Í N D I C E D E R E V I S Õ E S D E S C R I Ç Ã O E / O U F O L H A S A T I N G I D A S Página de 30 PROJETO: Í N D I C E D E R E V I S Õ E S R E V. D E S C R I Ç Ã O E / O U F O L H A S A T I N G I D A S 0 EMISSÃO INICIAL 0 2 3 4 5 6 7 8 DATA 4.05.205 25.08.205 EXECUÇÃO WV WV VERIFICAÇÃO

Leia mais

LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA José Antonio Mocarzel engenheiro eletricista CREA RJ 1981103822

LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA José Antonio Mocarzel engenheiro eletricista CREA RJ 1981103822 LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA N O 21/2015 1. Informações gerais sobre o local da vistoria: Imóvel sito a rua Jornalista Irineu Marinho nº 441 Icaraí Niterói RJ Nome do Condomínio: Edifício Luanda CNPJ/MP:

Leia mais

Projeto de Instalações Elétricas Residenciais

Projeto de Instalações Elétricas Residenciais Projeto de Instalações Elétricas Residenciais Me. Hader Aguiar Dias Azzini hader_azzini@hotmail.com Campinas - ES 2014 Introdução Em geral, o projeto elétrico compreende quatro partes: Memória (justificativa

Leia mais

CONEXÃO AUTOMÁTICA. Tudo o que você precisa para fazer uma emenda elétrica rápida e perfeita.

CONEXÃO AUTOMÁTICA. Tudo o que você precisa para fazer uma emenda elétrica rápida e perfeita. CONEXÃO AUTOMÁTICA Tudo o que você precisa para fazer uma emenda elétrica rápida e perfeita. WAGO Tradição em Inovar Inovação é a base de tudo o que a WAGO faz e, há mais de 60 anos, temos nos empenhado

Leia mais

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO.

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO. Fornecimento de Energia Elétrica Nos banheiros deverão ser instalados um disjuntor bifásico no quadro de energia existente de cada quadrante conforme projeto. Deste quadro sairá a alimentação para os banheiros.

Leia mais

Portaria n.º 11, de 10 de janeiro de 2014. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 11, de 10 de janeiro de 2014. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 11, de 10 de janeiro de 2014. CONSULTA

Leia mais

Transformadores Secos. Motores Automação Energia Tintas

Transformadores Secos. Motores Automação Energia Tintas Motores Automação Energia Tintas www.weg.net Em um Transformador Seco WEG, há mais de 40 anos de experiência na fabricação de motores elétricos, mais de 25 anos na fabricação de transformadores e toda

Leia mais

A INTERFERÊNCIA ELETROMAGNÉTICA EM REDE DE COMPUTADORES

A INTERFERÊNCIA ELETROMAGNÉTICA EM REDE DE COMPUTADORES 01 A INTERFERÊNCIA ELETROMAGNÉTICA EM REDE DE COMPUTADORES A interferência eletromagnética (EMI) é um dos maiores causadores de falhas em redes de computadores, principalmente quando são utilizadas tubulações

Leia mais