AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA"

Transcrição

1 AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 1

2 TRANSFORMADORES DE MEDIDAS Introdução São equipamentos que permitem aos instrumentos de medição e proteção funcionar adequadamente sem que seja necessário possuírem correntes e tensões nominais (circuito principal); Exemplos: Transformadores de Corrente (TC s) e Potencial (TP s) TC s são utilizados para suprir aparelhos que apresentam baixa resistência elétrica. Ex: bobinas de corrente dos amperímetros, relés, medidores de energia, de potência, etc. TP s são utilizados para suprir aparelhos que apresentam elevada impedância. Ex: bobinas de tensão dos voltímetros, relés de tensão, medidores, etc. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 2

3 TRANSFORMADORES DE MEDIDAS ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 3

4 TRANSFORMADORES DE MEDIDAS Vista geral de uma Subestação de 230 kv. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 4

5 Introdução É um equipamento destinado a produzir proporcionalmente em seu circuito secundário a corrente de seu circuito primário com a sua posição fasorial mantida, conhecida e adequada para uso em equipamentos de medição, controle e proteção (réplica em escala da corrente). ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 5

6 Introdução Os transformadores de corrente (TC s) tem basicamente três finalidades em um Sistema Elétrico de Potência: 1. Isolar os equipamentos de medição, controle e proteção do circuito de alta tensão; 2. Fornecer no seu secundário uma corrente proporcional à do primário; 3. Fornecer no secundário uma corrente de dimensões adequadas para serem usadas nos equipamentos de medição e proteção. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 6

7 Introdução Os TC s possuem o primário em série com o circuito que se deseja fazer a medição, controle ou proteção; Na sua forma mais simples, possuem um primário geralmente com poucas espiras e um secundário no qual a corrente nominal transformada é igual a 5 A (padrão); Na Europa a corrente secundária é normalizada em 1 A. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 7

8 Exemplo Se nos terminais primários de um TC, cuja relação de transformação nominal é de 20, circular uma corrente de 100 A, qual a corrente que se obtém no secundário? Define-se a relação de transformação do TC: I S = 1 N S NP I P I S = I P RTC I S = = 5,0 A Nota: Pela norma 6856 as correntes primárias do TC são de 5, 10, 15, 20, 25, 30, 40, 50, 60, 75, 100, 150, 200, 250, 300, 400, 500, 600, 800, 1000, 1200, 1500, 2000, 2500, 3000, 4000, 5000, 6000 e 8000 A. (norma ANSI) ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 8

9 Símbolo e Marca de Polaridade Para simplificar e evitar desenhar o núcleo magnético e os enrolamentos primários e secundários adota-se o símbolo: O modo como as bobinas estão enroladas no núcleo: ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 9

10 Símbolo e Marca de Polaridade O fabricante para identificar os enrolamentos dos TC s de mesma polaridade pode utilizar: Buchas de cor diferentes; ou Marcas permanentes em alto e baixo relevo. Regra: A corrente primária (I P ) entra pela marca de polaridade e a corrente secundária (I S ) sai pela marca de polaridade, assim as correntes estão em fase. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 10

11 Símbolo e Marca de Polaridade Nota: A norma NBR 6856 estabelece que os TC s para o serviço de medição e proteção, devam ser construídos com as polaridades mostradas abaixo. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 11

12 Características Construtivas a) Transformador de Corrente tipo Barra; b) Transformador de Corrente tipo Enrolado; c) Transformador de Corrente tipo Janela; d) Transformador de Corrente tipo Bucha; e) Transformador de Corrente tipo Núcleo Dividido; f) TC com vários Núcleos Secundários; g) TC com vários Enrolamentos Secundários; h) TC tipo Derivação no Secundário. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 12

13 a) TC tipo Barra: Características Construtivas É aquele cujo enrolamento primário é constituído por uma barra fixada através do núcleo do transformador; Esse modelo é o mais utilizado em subestações de potência de média e alta tensões; Esses transformadores podem acomodar até 4 núcleos; O núcleo tem a forma toroidal, enrolado com tira de açosilício. O enrolamento secundário consiste em fio esmaltado e isolado com tecido de algodão. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 13

14 Vista interna TC tipo barra classe 69 kv TC tipo barra 230 kv ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 14

15 b) TC tipo Enrolado: Características Construtivas É aquele cujo enrolamento primário é constituído de uma ou mais espiras envolvendo o núcleo do transformador. Transformador de Corrente tipo Enrolado ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 15

16 c) TC tipo Janela: Características Construtivas Não possui um primário fixo no transformador e é constituído de uma abertura através do núcleo. Transformador de Corrente tipo Janela ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 16

17 d) TC tipo Bucha: Características Construtivas É aquele cujas características são semelhantes ao TC tipo Barra, porém sua instalação é feita na bucha dos equipamentos (transformadores, disjuntores, etc), que funcionam como enrolamento primário; É muito empregado em transformadores de potência para uso, em geral, na proteção diferencial quando se deseja restringir a zona de proteção ao próprio equipamento. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 17

18 Características Construtivas Transformador de Potência com TC tipo Bucha ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 18

19 Características Construtivas e) TC tipo Núcleo Dividido: Características semelhantes aos TC s tipo janela, em que o núcleo pode ser separado para permitir envolver o condutor que funciona como enrolamento primário; Utilizado na fabricação de equipamentos manuais de medição de corrente e potência ativa ou reativa, já que permite obter os resultados sem seccionar o condutor ou a barra sob medição. Alicate Amperimétrico ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 19

20 Características Construtivas f) TC com vários Núcleos Secundários: É constituído de dois ou mais enrolamentos secundários, e cada um possui, individualmente, o seu núcleo ( A). Transformador de Corrente com vários Núcleos Secundários ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 20

21 Características Construtivas g) TC com vários Enrolamentos Secundários: É constituído de um único núcleo envolvido pelo enrolamento primário e vários enrolamentos secundários, que podem se ligados em série ou paralelo (300-5/2,5/10 A). Transformador de Corrente com vários Enrolamentos Secundários ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 21

22 Características Construtivas h) TC tipo Derivação no Secundário: É constituído de um único núcleo envolvido pelo enrolamento primário e secundário, sendo o núcleo provido de uma ou mais derivações (100/200/300-5 A). Transformador de Corrente tipo Derivação no Secundário ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 22

23 Características Elétricas Os transformadores de Corrente podem ser modelados através do modelo usual de transformadores; Resistência e Reatância Primária Resistência e Reatância Secundária Ramo Magnetizante ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 23

24 Características Elétricas Os transformadores de Corrente podem ser modelados através do modelo usual de transformadores; Perdas Ôhmicas (Correntes de Histerese e Foucault) Corrente Reativa devido às linhas de fluxo no circuito magnético Ramo Magnetizante ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 24

25 Características Elétricas O erro do TC é resultante essencialmente da corrente que circula no ramo magnetizante (Ie); Outro problema: saturação do núcleo. Quando isso ocorre, exige uma corrente de magnetização muito elevada, deixando de ser transferida para a carga, provocando assim um erro de valor considerável na medida da corrente secundária. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 25

26 Correntes Nominais Simbologias segundo a Norma NBR 6856: (:) exprime relações de enrolamentos diferentes; (-) separa correntes nominais de enrolamentos diferentes; Exemplo: A, A (dois enrolamentos primários). (x) separa correntes primárias ou relações nominais duplas cujos enrolamentos podem ser ligados em série ou paralelo; Exemplo: 300x600-5 A (correntes primárias nominais). (/) separa correntes primárias ou relações nominais obtidas por meio de derivações. Exemplo: 300/400-5 A ou 300-5/5 A. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 26

27 Correntes Nominais Correntes primárias e relações de transformação, sabendo que as correntes nominais secundárias são geralmente iguais a 5 A; ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 27

28 Classe de Exatidão Exprime nominalmente o erro esperado do transformador de corrente levando em conta o erro de relação de transformação e o erro de defasamento entre corrente primária e secundária. 0,1 Aferição e calibração dos instrumentos de laboratório; 0,3 Medidores de demanda e consumo para faturamento; 0,6 Acompanhamento de custos industriais; 1,2 Amperímentos e registradores gráficos; 3,0 Instrumentos de medida de ponteiros; > Serviços de proteção (geralmente 10%) ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 28

29 TRANSFORMADORES DE POTENCIAL Introdução Os TP s funcionam com base na conversão eletromagnética; Na sua forma mais simples, possuem um enrolamento primário de muitas espiras e um secundário por meio do qual se obtém a tensão desejada, padronizada em 115V ou 115/ 3; Utilizados para suprir aparelhos que apresente alta impedância elétrica. Exemplo: voltímetros, relés de tensão, medidores, etc. Ex: Se for aplicada uma tensão de V nos bornes primários de um TP cuja relação de transformação nominal é de 120, logo se obtém no secundário a tensão convertida de 115 V. Em geral, são instalados junto aos transformadores de corrente. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 29

30 TRANSFORMADORES DE POTENCIAL Instalação de um conjunto TP TC ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 30

31 TRANSFORMADORES DE POTENCIAL Características Construtivas Com relação às suas características construtivas os transformadores de potencial podem ser divididos: a) Transformadores de Potencial do tipo Indutivo; b) Transformadores de Potencial do tipo Capacitivo. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 31

32 TRANSFORMADORES DE POTENCIAL a) TP do tipo Indutivo: Características Construtivas São construídos para a utilização até a tensão de 138 kv; (custo de produção inferior ao do tipo capacitivo). São construídos segundo três grupos de ligação (NBR 6855): Grupo 1: Projetado para ligação entre fases. Utilizados em sistemas até 34,5 kv. Devem suportar 10% de sobrecarga; Grupo 2: Projetado para ligação entre fase e neutro de sistemas diretamente aterrados; Grupo 3: Projetado para ligação entre fase e neutro de sistemas onde não se garanta a eficácia do aterramento. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 32

33 TRANSFORMADORES DE POTENCIAL Características Construtivas Esquema de TP do grupo 1 TP do grupo 1 - classe 15 kv ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 33

34 TRANSFORMADORES DE POTENCIAL Características Construtivas Esquema de TP dos grupos 2 e 3 TP dos grupos 2 e kv ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 34

35 TRANSFORMADORES DE POTENCIAL b) TP do tipo Capacitivo: Características Construtivas São construídos para tensões iguais ou superiores a 69 kv; (elevado custo do TPI para níveis de tensão mais elevados). É constituído por um divisor capacitivo (imerso no interior de um invólucro de porcelana) ligado entre fase e terra; A não ser pela classe de exatidão, os TP s não se diferenciam entre aqueles destinados à medição e à proteção; Porém, são classificados de acordo com o erro que introduzem nos valores medidos. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 35

36 TRANSFORMADORES DE POTENCIAL Representação Esquemática do TP Capac. TP Capacitivo Partes e Componentes ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 36

37 TRANSFORMADORES DE POTENCIAL Tensões Nominais Simbologias segundo a Norma NBR 6855: (:) representa relações nominais. Exemplo: 120 : 1; (-) separa relações nominais e tensões primárias de enrolamentos diferentes; Exemplo: V. (x) separa tensões primárias nominais e relações nominais de enrolamentos destinados a serem ligados em série ou paralelo; Exemplo: x V. (/) separa tensões primárias ou relações nominais obtidas por meio de derivações. Exemplo: / 3-115/115/ 3. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 37

38 TRANSFORMADORES DE POTENCIAL Tensões Nominais Tensões primárias e relações de transformação, sabendo que a tensão secundária é padronizada em 115 V para TP s do grupo 1 e 115V e 115/ 3 para TP s dos grupos 2 e 3. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 38

39 TRANSFORMADORES DE MEDIDAS Comparação TP Indutivo e TP Capacitivo Custos de TPI s e TPC s em função da tensão nominal. Custo (pu) TPI TPC kv A diferença de custos se deve principalmente ao elevado número de bobinas necessárias para que um TP indutivo possa operar na mesma tensão de um TP capacitivo. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 39

40 DISJUNTORES DE ALTA TENSÃO Introdução Os disjuntores são equipamentos destinados a interrupção e restabelecimento das correntes elétricas em um determinado ponto do sistema; Disjuntores devem ser sempre instalados acompanhados de relés, sem relé um disjuntor é uma chave de manobra sem qualquer característica de proteção; Principal função: interromper a corrente de defeito (vários ka) no menor intervalo de tempo possível (< 8 ciclos); ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 40

41 DISJUNTORES DE ALTA TENSÃO Introdução Opera, continuamente, sob tensão e corrente de carga muitas vezes em ambientes severo; Temperatura, poeira, substâncias químicas, umidade, etc; Após muito tempo (muitas vezes anos) operando nestas condições são solicitados a operar. Deste modo todos os mecanismos dos disjuntores deve operar, realizando tarefas tecnicamente difíceis em décimos de segundos. ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 41

42 DISJUNTORES DE ALTA TENSÃO Introdução Exemplos Exemplos de Disjuntores de Potência ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 42

43 DISJUNTORES DE ALTA TENSÃO Introdução Exemplos Disjuntor a Gás SF6 500 kv Disjuntor a Óleo ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 43

44 DISJUNTORES DE ALTA TENSÃO Introdução Exemplos Disjuntor de 765 kv - Itaipu ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 44

45 DISJUNTORES DE ALTA TENSÃO Arco Elétrico Introdução Fenômeno que ocorre quando separam dois terminais de um circuito que conduz corrente elétrica; Separação dos Contatos Menor Área de Contato Maior Resistência Ôhmica Aumento das Perdas Joule Aumento da Temperatura ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 45

46 DISJUNTORES DE ALTA TENSÃO Arco Elétrico Subestação de 500 kv ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 46

47 DISJUNTORES DE ALTA TENSÃO Arco Elétrico Subestação de 500 kv ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 47

Transformadores Para Instrumentos. Prof. Carlos Roberto da Silva Filho, M. Eng.

Transformadores Para Instrumentos. Prof. Carlos Roberto da Silva Filho, M. Eng. Transformadores Para Instrumentos Prof. Carlos Roberto da Silva Filho, M. Eng. Sumário 1. Tipos de Transformadores. 2. Transformadores de Corrente - TCs. 3. Transformadores de Potencial TPs. 4. Ligação

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA TRANSFORMADORES DE INSTRUMENTOS PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA MEDIÇÃO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS Por que medir grandezas elétricas? Quais grandezas elétricas precisamos medir? Como medir

Leia mais

Cap.6 Transformadores para Instrumentos. TP Transformador de Potencial. TC Transformador de Corrente

Cap.6 Transformadores para Instrumentos. TP Transformador de Potencial. TC Transformador de Corrente Universidade Federal de Itajubá UNIFEI Cap.6 Transformadores para Instrumentos. TP Transformador de Potencial. TC Transformador de Corrente Prof. Dr. Fernando Nunes Belchior fnbelchior@hotmail.com fnbelchior@unifei.edu.br

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Avaliação do Sistema de Transformação em Subestações e Painéis de Média Tensão - Operação, Manutenção e Ensaios Eng. Marcelo Paulino Subestações

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA EQUIPAMENTOS ELÉTRICAS DE SUBESTAÇÕES PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TRANSFORMADORES Um transformador (ou trafo) é um dispositivo destinado a transmitir energia elétrica ou potência

Leia mais

TRANSFORMADOR. A figura 1 mostra o esquema de um transformador básico.

TRANSFORMADOR. A figura 1 mostra o esquema de um transformador básico. TRAFORMADOR O transformador é constituído basicamente por dois enrolamentos que, utilizando um núcleo em comum, converte primeiramente e- nergia elétrica em magnética e a seguir energia magnética em elétrica.

Leia mais

Transformadores trifásicos

Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Por que precisamos usar transformadores trifásicos Os sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica

Leia mais

DESTAQUE: A IMPORTÂNCIA DOS TRANSFORMADORES EM SISTEMAS DE ENERGIA ELÉTRICA

DESTAQUE: A IMPORTÂNCIA DOS TRANSFORMADORES EM SISTEMAS DE ENERGIA ELÉTRICA Capítulo 0 Transformadores DESTAQE: A IMPORTÂNCIA DOS TRANSFORMADORES EM SISTEMAS DE ENERGIA ELÉTRICA Os geradores elétricos, que fornecem tensões relativamente baixas (da ordem de 5 a 5 kv), são ligados

Leia mais

Figura 8.1 Representação esquemática de um transformador.

Figura 8.1 Representação esquemática de um transformador. CAPÍTULO 8 TRANSFORMADORES ELÉTRICOS 8.1 CONCEITO O transformador, representado esquematicamente na Figura 8.1, é um aparelho estático que transporta energia elétrica, por indução eletromagnética, do primário

Leia mais

Eng. Everton Moraes. Transformadores

Eng. Everton Moraes. Transformadores Eng. Everton Moraes Eng. Everton Moraes Transformadores 1 Transformadores Sumário INTRODUÇÃO... 3 1. Máquinas Elétricas... 3 1.1. Magnetismo... 3 1.2. Eletromagnetismo... 5 1.3. Solenóide... 5 2. Transformadores

Leia mais

APRESENTAÇÃO TÉCNICA DADOS CADASTRAIS

APRESENTAÇÃO TÉCNICA DADOS CADASTRAIS APRESENTAÇÃO TÉCNICA DADOS CADASTRAIS Razão Social: M Energia Com. de Transformadores LTDA-ME Logradouro: Osvaldo Tonini Número: 763 CEP: 13820-000 Cidade: Jaguariúna-SP CNPJ: 14.813.805/0001-69 IE: 395.032.246.110

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA EQUIPAMENTOS DA SE PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA COMPONENTES SUBESTAÇÕES OBJETIVOS Apresentar os principais equipamentos

Leia mais

TERMOS PRINCIPAIS UTILIZADOS EM TRANSFORMADORES

TERMOS PRINCIPAIS UTILIZADOS EM TRANSFORMADORES TRANSFORMADOR MONOFÁSICO: São transformadores que possuem apenas um conjunto de bobinas de Alta e Baixa tensão colocado sobre um núcleo. 1 TRANSFORMADOR TRIFÁSICO: São transformadores que possuem três

Leia mais

ESTUDO DE PROTEÇÃO METODOLOGIA DE CÁLCULO. SUBESTAÇÕES DE 15kV

ESTUDO DE PROTEÇÃO METODOLOGIA DE CÁLCULO. SUBESTAÇÕES DE 15kV ESTUDO DE PROTEÇÃO METODOLOGA DE CÁLCULO SUBESTAÇÕES DE 5kV Elaborado por Carlos Alberto Oliveira Júnior Maio 26 ÍNDCE. Obtenção dos dados...2.. Documentos necessários...2.2. Dados necessários...2 2. Cálculo

Leia mais

DEPT. DE ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES MÁQUINAS ELÉCTRICAS. Caracterização do Transformador Monofásico em Termos de Circuito Equivalente

DEPT. DE ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES MÁQUINAS ELÉCTRICAS. Caracterização do Transformador Monofásico em Termos de Circuito Equivalente DEPT. DE ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES MÁQUINAS ELÉCTRICAS Caracterização do Transformador Monofásico em Termos de Circuito Equivalente 1 Primário 220 V c 55 V 55 V 55 V 55 V Secundário Figure

Leia mais

1.1- DIVISÃO DOS TRANSFORMADORES

1.1- DIVISÃO DOS TRANSFORMADORES Quanto a Finalidade: TRANSFORMADORES 1.1- DIVISÃO DOS TRANSFORMADORES a)transformadores de Corrente; b)transformadores de Potencial; c)transformadores de Distribuição; d)transformadores de Força. Quanto

Leia mais

Circuitos Elétricos Circuitos Magneticamente Acoplados

Circuitos Elétricos Circuitos Magneticamente Acoplados Introdução Circuitos Elétricos Circuitos Magneticamente Acoplados Alessandro L. Koerich Engenharia de Computação Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) Os circuitos que estudamos até o momento

Leia mais

Prof. Cecil M. Fragoso Março de 1993

Prof. Cecil M. Fragoso Março de 1993 Transformadores Teoria e Projeto Apostila original por Prof. Cecil. Fragoso arço de 993 Reedição por Gabriel Gutierrez P. oares Revisão por anoel B. oares aio de 00 Transformadores - Conceito O transformador

Leia mais

Instalações elétricas resumo

Instalações elétricas resumo Instalações elétricas resumo Na instalação elétrica de um prédio (residencial, comercial ou industrial), temos basicamente: - Equipamentos relacionados com a alimentação da instalação, tais como geradores,

Leia mais

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA.

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. TRANSFORMADORES MONOFÁSICOS DE ISOLAÇÃO COM BLINDAGEM APLICAÇÃO Os transformadores monofásicos de isolação com blindagens, magnética e eletrostática, foram desenvolvidos

Leia mais

1ª PARTE: INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA ELETROTÉCNICA - IT

1ª PARTE: INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA ELETROTÉCNICA - IT 1ª PARTE: INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA ELETROTÉCNICA - IT SUMÁRIO Grandezas 01 1.1 Classificação das Grandezas 01 1.2 Grandezas Elétricas 01 2 Átomo (Estrutura Atômica) 01 2.1 Divisão do Átomo 01 3 Equilíbrio

Leia mais

Auto - Transformador Monofásico

Auto - Transformador Monofásico Auto - Transformador Monofásico Transformação de Tensão Transformação de tensão para várias tensões de entrada: U 2, U 3, U 23 = f (U 1 ) 1.1. - Generalidades A função do transformador é transformar a

Leia mais

Fundamentos de Máquinas Elétricas

Fundamentos de Máquinas Elétricas Universidade Federal do C Engenharia de nstrumentação, utomação e Robótica Fundamentos de Máquinas Elétricas rof. Dr. José Luis zcue uma Regulação de tensão Rendimento Ensaios de curto-circuito e circuito

Leia mais

Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas

Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas Filippe Pereira Dolgoff Engenheiro de Aplicação Produtos e Sistema de Baixa Tensão ABB 1 INTRODUÇÃO Um sistema elétrico

Leia mais

Sumário. Transformadores

Sumário. Transformadores Sumário UNIDADE I... 3 A NATUREZA DO MAGNETISMO... 3 CAMPOS MAGNÉTICOS... 3 FLUXO MAGNÉTICO Φ... 3 DENSIDADE DE FLUXO MAGNÉTICO B... 3 PERMEABILIDADE DE MATERIAIS MAGNÉTICOS... 3 ELETROMAGNETISMO... 4

Leia mais

SUBESTAÇÃO TIPOS DE SUBESTAÇÕES

SUBESTAÇÃO TIPOS DE SUBESTAÇÕES SUBESTAÇÃO Uma subestação elétrica é um grupamento de equipamentos elétricos com a finalidade de dirigir o fluxo de energia elétrica num sistema de potência e de possibilitar a operação segura do sistema,

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TRANSFORMADORES - PERDAS EM VAZIO Potência absorvida pelo transformador quando alimentado em tensão e frequência nominais,

Leia mais

Simbologia de instalações elétricas

Simbologia de instalações elétricas Simbologia de instalações elétricas Os símbolos gráficos usados nos diagramas unifilar são definidos pela norma NBR5444, para serem usados em planta baixa (arquitetônica) do imóvel. Neste tipo de planta

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 02/02/2014

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 02/02/2014 Questão 1 Conhecimentos Específicos Técnico em Eletrotécnica Um forno elétrico industrial de 100 kw/440v trifásico é acionado diariamente por cerca de 5 horas e 12 minutos. O consumo mensal (30 dias) de

Leia mais

13 - INSTALAÇÕES DE FORÇA MOTRIZ

13 - INSTALAÇÕES DE FORÇA MOTRIZ Instalações Elétricas Professor Luiz Henrique Alves Pazzini 104 13.1 - Introdução 13 - INSTALAÇÕES DE FORÇA MOTRIZ Existem três configurações básicas para alimentação de motores que operam em condições

Leia mais

UFCD: Máquinas elétricas - caracterização Ação: Eletromecânico/a de Manutenção Industrial Formador: António Gamboa

UFCD: Máquinas elétricas - caracterização Ação: Eletromecânico/a de Manutenção Industrial Formador: António Gamboa 1- Transformador monofásico Transformadores estáticos ou simplesmente transformadores são aparelhos eletromagnéticos, sem partes móveis, destinados a elevar ou baixar a tensão da corrente alternada. 2-

Leia mais

. analogamente. Np Ns. a = Ns

. analogamente. Np Ns. a = Ns - Transformadores O transformador é um equipamento elétrico formado por bobinas isoladas eletricamente em torno de um núcleo comum. A bobina que recebe energia de uma fonte ca é chamada de primário. A

Leia mais

Cap.4 - Medição de Tensão e Corrente Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais

Cap.4 - Medição de Tensão e Corrente Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais Universidade Federal de Itajubá UNIFEI Cap.4 - Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais Prof. Dr. Fernando Nunes Belchior fnbelchior@hotmail.com fnbelchior@unifei.edu.br Medição de Tensão

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 27 PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 QUESTÃO 41 De acordo com a NBR 5410, em algumas situações é recomendada a omissão da proteção contra sobrecargas. Dentre estas situações estão, EXCETO: a) Circuitos de comando.

Leia mais

Eletricidade Aplicada à Informática

Eletricidade Aplicada à Informática Professor: Leonardo Leódido Ligações Elétricas Sumário Dispositivos Eletro-Eletrônicos Dispositivos de Medição Dispositivos Eletro-Eletrônicos Resistência Todo elemento em um circuito oferece um certa

Leia mais

Capítulo 9 TRANSFORMADORES

Capítulo 9 TRANSFORMADORES Capítulo 9 TRANSFORMADORES Esta aula apresenta o princípio de funcionamento dos transformadores com base nas leis de Faraday e Lenz, mostra o papel dos transformadores em um sistema elétrico de corrente

Leia mais

Simbologia de instalações elétricas

Simbologia de instalações elétricas Simbologia de instalações elétricas Os símbolos gráficos usados nos diagramas unifilar são definidos pela norma NBR5444, para serem usados em planta baixa (arquitetônica) do imóvel. Neste tipo de planta

Leia mais

CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA

CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA ROMAGNOLE Produtos Elétricos S.A. 1 2 ROMAGNOLE Produtos Elétricos S.A. A energia é o núcleo dos acontecimentos,

Leia mais

Sistema de Proteção Elétrica em Subestações com Alta e Média Tensão Parte I

Sistema de Proteção Elétrica em Subestações com Alta e Média Tensão Parte I Sistema de Proteção Elétrica em Subestações com Alta e Média Tensão Parte I Prof. Eng. José Ferreira Neto ALLPAI Engenharia Out/14 Parte 1 -Conceitos O Sistema Elétrico e as Subestações Efeitos Elétricos

Leia mais

Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica Industrial e Computadores 2006/2007 Máquinas Eléctricas - Exercícios

Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica Industrial e Computadores 2006/2007 Máquinas Eléctricas - Exercícios Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica Industrial e Computadores 2006/2007 Máquinas Eléctricas - Exercícios Nome Nº ATENÇÃO: A justificação clara e concisa das afirmações e cálculos mais relevantes

Leia mais

Definição de Transformador. Funcionamento básico e principais partes

Definição de Transformador. Funcionamento básico e principais partes Definição de Transformador Funcionamento básico e principais partes O que é o transformador? Certa vez fui procurar no Google a respeito do assunto do trabalho... Transformer History Adivinhem o que achei?

Leia mais

Circuitos de Corrente Contínua

Circuitos de Corrente Contínua Circuitos de Corrente Contínua Conceitos básicos de eletricidade Fundamentos de Eletrostática Potencial, Diferença de Potencial, Corrente Tipos de Materiais Circuito Elétrico Resistores 1 Circuitos de

Leia mais

PERÍCIAS DE ENGENHARIA ELÉTRICA

PERÍCIAS DE ENGENHARIA ELÉTRICA PERÍCIAS DE ENGENHARIA ELÉTRICA PERICIAS NAS DIVERSAS ÁREAS DA ENGENHARIA ELÉTRICA 1. PERICIAS EM TRANSFORMADORES Transformadores a óleo e transformadores a seco; Verificação de seus componentes; Ensaios

Leia mais

LABORATÓRIO INTEGRADO III

LABORATÓRIO INTEGRADO III FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA LABORATÓRIO INTEGRADO III Experiência 02: TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS - FUNCIONAMENTO Prof. Norberto Augusto Júnior I) OBJETIVOS: Estudar

Leia mais

Trabalho Prático Nº 6.

Trabalho Prático Nº 6. Trabalho Prático Nº 6. Título: Carga Predominantemente Resistiva, Carga Predominantemente Indutiva e Carga Resistiva e Indutiva em paralelo. Objetivo: Este trabalho prático teve como objetivo montar três

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Workshop Etapa BRASÍLIA CEB CEB 01 UPS 150 kva IGBT/IGBT BASEADO NAS INFORMAÇÕES DO DIAGRAMA UNIFILAR APRESENTADO, DEFINIR: 1 - Corrente nominal

Leia mais

6. EXECUÇÃO DO PROJETO ELÉTRICO EM MÉDIA TENSÃO 6.1 DIMENSIONAMENTO DO TRANSFORMADOR

6. EXECUÇÃO DO PROJETO ELÉTRICO EM MÉDIA TENSÃO 6.1 DIMENSIONAMENTO DO TRANSFORMADOR 6. EXECUÇÃO DO PROJETO ELÉTRICO EM MÉDIA TENSÃO 6.1 DIMENSIONAMENTO DO TRANSFORMADOR Basicamente o transformador da subestação é dimensionado pela demanda da empresa no qual será instalado, porém este

Leia mais

11. Dado o circuito abaixo, determine a capacitância equivalente do circuito, sabendo que:

11. Dado o circuito abaixo, determine a capacitância equivalente do circuito, sabendo que: TÉCNICO EM ELETRICIDADE 4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 25 11. Dado o circuito abaixo, determine a capacitância equivalente do circuito, sabendo que: C1 = 300µF C2 = C3 = 300µF C4 = C5 = C6

Leia mais

TRANSFORMADORES DE CORRENTE

TRANSFORMADORES DE CORRENTE TRANSFORMADORES DE CORRENTE INTRODUÇÃO Os transformadores de corrente são equipamentos que permitem aos instrumentos de medição e proteção funcionarem adequadamente sem que seja necessário possuírem correntes

Leia mais

São componentes formados por espiras de fio esmaltado numa forma dentro da qual pode ou não existir um núcleo de material ferroso.

São componentes formados por espiras de fio esmaltado numa forma dentro da qual pode ou não existir um núcleo de material ferroso. Luciano de Abreu São componentes formados por espiras de fio esmaltado numa forma dentro da qual pode ou não existir um núcleo de material ferroso. É um dispositivo elétrico passivo que armazena energia

Leia mais

MÁQUINAS 1 CAPÍTULO 9

MÁQUINAS 1 CAPÍTULO 9 MÁQUA 1 CAÍTULO 9 TRAFORMADOR O transformador é um componente utilizado para converter o valor da amplitude da tensão de uma corrente alternada. O transformador é uma máquina elétrica que transfere energia

Leia mais

Transformador. Índice. Estrutura

Transformador. Índice. Estrutura Transformador Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Um transformador ou trafo é um dispositivo destinado a transmitir energia elétrica ou potência elétrica de um circuito a outro, transformando tensões,

Leia mais

CONSTRUÇÃO DO FÓRUM DA COMARCA DE UBERABA AV. MARANHÃO COM AV. CORONEL ANTÔNIO RIOS, S/N B. UNIVERSITÁRIO

CONSTRUÇÃO DO FÓRUM DA COMARCA DE UBERABA AV. MARANHÃO COM AV. CORONEL ANTÔNIO RIOS, S/N B. UNIVERSITÁRIO CONSTRUÇÃO DO FÓRUM DA COMARCA DE UBERABA AV. MARANHÃO COM AV. CORONEL ANTÔNIO RIOS, S/N B. UNIVERSITÁRIO MEMORIAL DESCRITIVO DA SUBESTAÇÃO ELÉTRICA ELÉTRICO-SUBESTAÇÃO ABRIGADA 2MVA 1/6 NOVO FÓRUM DA

Leia mais

Capítulo I. Princípios básicos de transformadores de potência. Manutenção de transformadores. Novo!

Capítulo I. Princípios básicos de transformadores de potência. Manutenção de transformadores. Novo! 52 Capítulo I Princípios básicos de transformadores de potência Por Marcelo Paulino* Em 1885, George Westinghouse Jr. compra os direitos da patente de Goulard-Gibbs para construir transformadores de corrente

Leia mais

Técnico em Eletrotécnica

Técnico em Eletrotécnica Técnico em Eletrotécnica Caderno de Questões Prova Objetiva 2015 01 Em uma corrente elétrica, o deslocamento dos elétrons para produzir a corrente se deve ao seguinte fator: a) fluxo dos elétrons b) forças

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS PATO BRANCO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO DE TECNOLOGIA EMMANUTENÇÃO INDUSTRIAL

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS PATO BRANCO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO DE TECNOLOGIA EMMANUTENÇÃO INDUSTRIAL UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS PATO BRANCO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO DE TECNOLOGIA EMMANUTENÇÃO INDUSTRIAL Paulo dos Santos CARACTERIZAÇÃO ELÉTRICA DE UM TRANSFORMADOR

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA. Introdução

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA. Introdução FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA Introdução A questão do fornecimento de energia elétrica é de suma importância para um funcionamento adequado de equipamentos eletro-eletrônicos. Assim sendo, cabe ao poder

Leia mais

23/02/2011 CABINE PRIMÁRIA. CONJUNTOS DE MANOBRA E CONTROLE PARA TENSÕES DE 1,0 kv até 36,2kV. Introdução.

23/02/2011 CABINE PRIMÁRIA. CONJUNTOS DE MANOBRA E CONTROLE PARA TENSÕES DE 1,0 kv até 36,2kV. Introdução. CABINE PRIMÁRIA CONJUNTOS DE MANOBRA E CONTROLE PARA TENSÕES DE 1,0 kv até 36,2kV Introdução. Os consumidores que necessitam de uma potência instalada superior a 75 kw e demanda igual ou inferior a 2500

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Atualização das informações. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Atualização das informações. Nome dos grupos Instalação de Banco de Capacitores em Baixa Tensão Processo Realizar Novas Ligações Atividade Executar Ligações BT Código Edição Data SM04.14-01.008 2ª Folha 1 DE 9 26/10/2009 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

Polaridade e relação em transformadores de potência

Polaridade e relação em transformadores de potência 68 Capítulo V Polaridade e relação em transformadores de potência Por Marcelo Paulino* O objetivo deste capítulo é apresentar os conceitos de polaridade e defasamento angular de transformadores e as metodologias

Leia mais

LIVRETO EXPLICATIVO ENERGIA ATIVA E REATIVA

LIVRETO EXPLICATIVO ENERGIA ATIVA E REATIVA LIVRETO EXPLICATIVO LIVRETO EXPLICATIVO ENERGIA ATIVA E REATIVA DEZEMBRO/2009 ELABORADO POR: CLÁUDIO F. DE ALBUQUERQUE ENG ELETRICISTA EDITADO POR: NELSON FUCHIKAMI LOPES ENG ELETRICISTA Índice 1 O que

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Dados do cliente Proprietário: Roney Casagrande CPF: 765.425.990-53 Endereço: Estrada Pinhal da Serra, n 04452, Interior Cidade: Pinhal da Serra RS CEP: 95.390-000 Dados da

Leia mais

Questão 3: Três capacitores são associados em paralelo. Sabendo-se que suas capacitâncias são 50μF,100μF e 200μF, o resultado da associação é:

Questão 3: Três capacitores são associados em paralelo. Sabendo-se que suas capacitâncias são 50μF,100μF e 200μF, o resultado da associação é: Questão 1: A tensão E no circuito abaixo vale: a) 0,5 V b) 1,0 V c) 2,0 V d) 5,0 V e) 10,0 V Questão 2: A resistência equivalente entre os pontos A e B na associação abaixo é de: a) 5 Ohms b) 10 Ohms c)

Leia mais

EXPERIÊNCIA 8 TRANSFORMADORES, CIRCUITOS EM CORRENTE ALTERNADA E FATOR DE POTÊNCIA

EXPERIÊNCIA 8 TRANSFORMADORES, CIRCUITOS EM CORRENTE ALTERNADA E FATOR DE POTÊNCIA EXPEÊNA 8 ANSFOMADOES, UOS EM OENE AENADA E FAO DE POÊNA 1 NODUÇÃO O transformador é um dispositivo elétrico que permite modificar a amplitude de tensões e correntes onsiste basicamente de duas bobinas

Leia mais

Instituição Escola Técnica Sandra Silva. Direção Sandra Silva. Título do Trabalho Fonte de Alimentação. Áreas Eletrônica

Instituição Escola Técnica Sandra Silva. Direção Sandra Silva. Título do Trabalho Fonte de Alimentação. Áreas Eletrônica Instituição Escola Técnica Sandra Silva Direção Sandra Silva Título do Trabalho Fonte de Alimentação Áreas Eletrônica Coordenador Geral Carlos Augusto Gomes Neves Professores Orientadores Chrystian Pereira

Leia mais

Capítulo III. Faltas à terra no rotor e proteções de retaguarda. Proteção de geradores. Faltas à terra no rotor. Tipos de sistemas de excitação

Capítulo III. Faltas à terra no rotor e proteções de retaguarda. Proteção de geradores. Faltas à terra no rotor. Tipos de sistemas de excitação 24 Capítulo III Faltas à terra no rotor e proteções de retaguarda Por Geraldo Rocha e Paulo Lima* Faltas à terra no rotor A função primária do sistema de excitação de um gerador síncrono é regular a tensão

Leia mais

TRANSFORMADORES ADRIELLE C. SANTANA

TRANSFORMADORES ADRIELLE C. SANTANA TRANSFORMADORES ADRIELLE C. SANTANA Aplicações As três aplicações básicas dos transformadores e que os fazem indispensáveis em diversas aplicações como, sistemas de distribuição de energia elétrica, circuitos

Leia mais

ANTEPROJETO DA SE-UFRJ 138 13,8 kv. Haroldo Ennes dos Santos Junior

ANTEPROJETO DA SE-UFRJ 138 13,8 kv. Haroldo Ennes dos Santos Junior ANTEPROJETO DA SE-UFRJ 138 13,8 kv Haroldo Ennes dos Santos Junior PROJETO SUBMETIDO AO CORPO DOCENTE DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

Subestações Elétricas

Subestações Elétricas Subestações Elétricas Gustavo Luiz Castro de Oliveira Muzy Projeto de Graduação apresentado ao curso de Engenharia Elétrica da Escola Politécnica, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, como parte

Leia mais

EVERTON DE OLIVEIRA RODRIGO RAMOS TEIXEIRA PROF LUIZ ROBERTO NOGUEIRA ESTAÇÃO DE BANCO DE TRANSFORMADORES PARA LIGAÇÕES TRIFÁSICAS

EVERTON DE OLIVEIRA RODRIGO RAMOS TEIXEIRA PROF LUIZ ROBERTO NOGUEIRA ESTAÇÃO DE BANCO DE TRANSFORMADORES PARA LIGAÇÕES TRIFÁSICAS UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA UNIVAP FACULDADE DE ENGENHARIAS, ARQUITETURA E URBANISMO - FEAU CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EVERTON DE OLIVEIRA RODRIGO RAMOS TEIXEIRA PROF LUIZ ROBERTO NOGUEIRA ESTAÇÃO

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito de sistemas de distribuição de energia elétrica, julgue os itens a seguir. 4 Ao operar em tensão secundária, um sistema de distribuição de energia elétrica funciona

Leia mais

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples CONCURSO DE ADMISSÃ ÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES 2009 1 a QUESTÃO Valor: 1,0 3m 02 g 3m 3m 4m 3m e 6m 4m 6m 6m d 4m 4m 02 02 02 4m 02 S g f 4m S S f e 4m c S d WS ab

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MEDIDOR DE ENERGIA ELRICA ELRÔNICO SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Condições de Serviço 03 5.2. Características

Leia mais

CONVERSÃO ELETROMECÂNICA DE ENERGIA - lista de exercícios sobre transformadores antonioflavio@ieee.org

CONVERSÃO ELETROMECÂNICA DE ENERGIA - lista de exercícios sobre transformadores antonioflavio@ieee.org 1ª. Questão Considere as seguintes impedâncias e tensões de um transformador cuja potência nominal é S N. Z AT : impedância de dispersão, referida à alta tensão, em ohms; Z BT : impedância de dispersão,

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 001/2011 SENAI-DR-RN/CTGÁS-ER PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. CARGO: INSTRUTOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIAS I Nível O

PROCESSO SELETIVO 001/2011 SENAI-DR-RN/CTGÁS-ER PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. CARGO: INSTRUTOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIAS I Nível O 2 PROCESSO SELETIVO 001/2011 SENAI-DR-RN/CTGÁS-ER PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CARGO: INSTRUTOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIAS I Nível O CÓDIGO DO CARGO/VAGA: V0013 1) Considere um transformador

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRICIDADE 2 MÓDULO

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRICIDADE 2 MÓDULO CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRICIDADE 2 MÓDULO 2010 SUMÁRIO 1 2ª LEI DE OHM...3 1.1 Tabela de Resistividade a 20 C...4 1.2 Exercício Resolvido...4 2 Transformadores introdução...5 3 Princípio e funcionamento...5

Leia mais

MODELOS: TRANSFORMADORES DE CORRENTE RH-80 RH-80B(500A) RH-80B(800A) RH-100 RH-40 RH-70 RH-78 RH-90 RH-120

MODELOS: TRANSFORMADORES DE CORRENTE RH-80 RH-80B(500A) RH-80B(800A) RH-100 RH-40 RH-70 RH-78 RH-90 RH-120 TRANSFORMADORES DE CORRENTE MODELOS: RH-80 RH-80B(500A) RH-80B(800A) RH-100 RH-40 RH-70 RH-78 RH-90 RH-120 www.anzo.com.br - contato@anzo.com.br 0 Modelo RH - 80 Os TC s foram desenvolvidos com características

Leia mais

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA MODELO TAM TRANSFORMADORES - TIPO TAM Os transformadores a seco moldados em resina epóxi são indicados para operar em locais que exigem segurança, os materiais utilizados em sua construção são de difícil

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

ENGENHEIRO ELETRICISTA

ENGENHEIRO ELETRICISTA ENGENHEIRO ELETRICISTA QUESTÃO 01 O projeto de uma S.E. consumidora prevê dois transformadores, operando em paralelo, com as seguintes características: 500kVA, 13800//220/127V, Z = 5% sob 13.8KV; I n =

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comissão Permanente de Concurso Público CONCURSO PÚBLICO 23 / MAIO / 2010

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comissão Permanente de Concurso Público CONCURSO PÚBLICO 23 / MAIO / 2010 Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comissão Permanente de Concurso Público PR CONCURSO PÚBLICO 23 / MAIO / 2010 ÁREA / SUBÁREA: ELETROTÉCNICA GABARITO MÁQUINAS ELÉTRICAS

Leia mais

1º Experimento 1ª Parte: Resistores e Código de Cores

1º Experimento 1ª Parte: Resistores e Código de Cores 1º Experimento 1ª Parte: Resistores e Código de Cores 1. Objetivos Ler o valor nominal de cada resistor por meio do código de cores; Determinar a máxima potência dissipada pelo resistor por meio de suas

Leia mais

BHR5 - SECCIONADORAS "SOB CARGA" FUSÍVEIS NH

BHR5 - SECCIONADORAS SOB CARGA FUSÍVEIS NH BHR5 - SECCIONADORAS "SOB CARGA" FUSÍVEIS NH Página 1 BHR5 - SECCIONADORAS "SOB CARGA" - FUSÍVEIS NH -proteção e comando de instalações elétricas em Baixa Tensão (BT). -prevista para incorporar fusíveis

Leia mais

PICCOLO. Empresa. Relatório de Ensaio. Características Gerais. Características Construtivas

PICCOLO. Empresa. Relatório de Ensaio. Características Gerais. Características Construtivas Empresa 08 de maio de 1971 - O Engº Paschoal Graziano, com vasta experiência no mercado de eletroeletrônica, e o filho Engº Nunziante Graziano Neto, com a garra e a determinação de um jovem engenheiro,

Leia mais

QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO CAPÍTULO 03

QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO CAPÍTULO 03 QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO CAPÍTULO 03 2 Capítulo 03 QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO Figura 01 Entrada de energia residencial Figura 02 Quadro de Distribuição Monofásico com DR (Disjuntor ou Interruptor) Geral 3 Figura

Leia mais

CONSOLIDAÇÃO DO MATERIAL DIDÁTICO DA DISCIPLINA DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE INSTRUMENTO.

CONSOLIDAÇÃO DO MATERIAL DIDÁTICO DA DISCIPLINA DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE INSTRUMENTO. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CONSOLIDAÇÃO DO MATERIAL DIDÁTICO DA DISCIPLINA DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE INSTRUMENTO. THAIS

Leia mais

Representação em PU P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s

Representação em PU P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s UNERDADE FEDERAL DE JU DE FORA Análise de istemas Elétricos de Potência Representação em PU P r o f. F l á v i o a n d e r s o n G o m e s E - m a i l : f l a v i o. g o m e s @ u f j f. e d u. b r E N

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CEP: 88040-900 - FLORIANÓPOLIS - SANTA CATARINA TEL. (048) 3721-9506 - FAX

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CEP: 88040-900 - FLORIANÓPOLIS - SANTA CATARINA TEL. (048) 3721-9506 - FAX UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CEP: 88040-900 - FLORIANÓPOLIS - SANTA CATARINA TEL. (048) 3721-9506 - FAX. (048) 3721-7538 PLANO DE ENSINO - DISCIPLINA: Proteção

Leia mais

Capítulo V. Transformadores de aterramento Parte I Paulo Fernandes Costa* Aterramento do neutro

Capítulo V. Transformadores de aterramento Parte I Paulo Fernandes Costa* Aterramento do neutro 60 Capítulo V Transformadores de aterramento Parte I Paulo Fernandes Costa* Os transformadores de aterramento são aplicados em muitas situações onde o arranjo do sistema elétrico exige que seja criado

Leia mais

Finalmente, para adaptar o nível de tensão às necessidades de consumo, são necessários outros transformadores (de distribuição).

Finalmente, para adaptar o nível de tensão às necessidades de consumo, são necessários outros transformadores (de distribuição). TRASFORMADORES TRFÁSCOS van Camargo Março de 007 ) ntrodução e Aspectos Construtivos Os transformadores trifásicos são equipamentos indispensáveis para o funcionamento de um sistema elétrico. O transformador

Leia mais

EDI-34 Instalações Elétricas

EDI-34 Instalações Elétricas EDI-34 Instalações Elétricas Plano de Disciplina 2º semestre de 2015 1. Identificação Sigla e título: EDI-34 Instalações Elétricas Curso de Engenharia Civil-Aeronáutica Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS, LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Local da realização dos serviços 03 5.2. Condições

Leia mais

APRESENTAÇÃO TÉCNICA. CONTATO COMERCIAL Erika Castro Tel: +55 (19) 9.9760-4433 E-mail: erika.castro@menergia.br.com Site: www.menergia.br.

APRESENTAÇÃO TÉCNICA. CONTATO COMERCIAL Erika Castro Tel: +55 (19) 9.9760-4433 E-mail: erika.castro@menergia.br.com Site: www.menergia.br. APRESENTAÇÃO TÉCNICA DADOS CADASTRAIS Razão Social: M Energia Com. de Transformadores LTDA-ME Logradouro: Osvaldo Tonini Número: 763 CEP: 13820-000 Cidade: Jaguariúna-SP CNPJ: 14.813.805/0001-69 IE: 395.032.246.110

Leia mais

Instalações Elétricas

Instalações Elétricas Instalações Elétricas Eletricidade Instalações Elétricas Aula 01 Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos 2 Modulo Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina Concessionária

Leia mais

Capítulo X Proteção de transformadores Parte II

Capítulo X Proteção de transformadores Parte II 30 Capítulo X Proteção de transformadores Parte II Por Cláudio Mardegan* No capítulo anterior, iniciamos o estudo sobre proteção dos transformadores. Na primeira parte, falamos sobre normas, guias de consulta

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Princípios de Instrumentação Biomédica. Módulo 4

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Princípios de Instrumentação Biomédica. Módulo 4 Universidade Federal do Rio de Janeiro Princípios de Instrumentação Biomédica Módulo 4 Faraday Lenz Henry Weber Maxwell Oersted Conteúdo 4 - Capacitores e Indutores...1 4.1 - Capacitores...1 4.2 - Capacitor

Leia mais

JONATAS MARQUES RODRIGUES. Estudo Tutorial da Proteção de Sistemas Elétricos Industriais

JONATAS MARQUES RODRIGUES. Estudo Tutorial da Proteção de Sistemas Elétricos Industriais JONATAS MARQUES RODRIGUES Estudo Tutorial da Proteção de Sistemas Elétricos Industriais JUIZ DE FORA 2013 JONATAS MARQUES RODRIGUES Estudo Tutorial da proteção de Sistemas Elétricos Industriais Monografia

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE)

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) Concurso Público - NÍVEL SUPERIOR CARGO: Tecnologista da Carreira de Desenvolvimento Tecnológico Classe: Tecnologista Junior Padrão I TEMA: CADERNO DE PROVAS

Leia mais

Indutores. Prof a. Michelle Mendes Santos michelle.mendes@ifmg.edu.br

Indutores. Prof a. Michelle Mendes Santos michelle.mendes@ifmg.edu.br Indutores Prof a. Michelle Mendes Santos michelle.mendes@ifmg.edu.br Indutores Consistem de um condutor enrolado com N voltas (espiras) na forma de um solenóide, ou de um tiróide. Podem conter ou não um

Leia mais

TRANSFORMADOR A SECO Geafol de 75 a 25.000 kva

TRANSFORMADOR A SECO Geafol de 75 a 25.000 kva Com a linha Geafol, obteve-se um transformador com excelentes características elétricas, mecânicas e térmicas que, adicionalmente, ainda é ecológico. São produzidos sob certificação DQS, ISO 9001 e ISO

Leia mais