APLICAÇÃO PARA CABOS DE BAIXA E ALTA TEMPERATURA 2013 FNCE FABRICA NACIONAL DE CONDUTORES ELÉTRICOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APLICAÇÃO PARA CABOS DE BAIXA E ALTA TEMPERATURA 2013 FNCE FABRICA NACIONAL DE CONDUTORES ELÉTRICOS"

Transcrição

1 APLICAÇÃO PARA CABOS DE BAIXA E ALTA TEMPERATURA 2013 FNCE FABRICA NACIONAL DE CONDUTORES ELÉTRICOS

2 ÍNDICE INTRODUÇÃO DEFINIÇÕES REDONDO SÓLIDO REDONDO NORMAL REDONDO COMPACTO FLEXÍVEL EXTRA FLEXÍVEL CONDUTOR (TIPOS DE CONSTRUÇÃO) MATERIAIS DO CONDUTOR UTILIZAÇÃO DOS CONDUTORES TIPOS DE ISOLAÇÃO ISOLAÇÃO SÓLIDA (EXTRUDADA) TERMOPLÁSTICOS TERMOFÍXOS ISOLAÇÃO EXTRATIFICADA BLINDAGEM BLINDAGEM DO CONDUTOR BLINDAGEM DA ISOLAÇÃO (PARTE NÃO METÁLICA) BLINDAGEM DA ISOLAÇÃO(PARTE METÁLICA) COBRE (TABELA DE CABOS) CABO MULTPILEX CABO CONSTRUPLAST CABO CONSTRUPLAST CABO METAVOLT CORDÃO METAFLEX TORCIDO E PARALELO CABO FLEXIPLAST CABO SOLDAPLAST CABO METANAX CABO METALINK S/C CABO METALINK CABO CONTROLE METANAX CABONORVINIL CABO NORVINIL E/ CABO NORVINIL/ NORVINIL E7-NEUTRO CONCENTRICO CABO INSTRUMENTAÇÃO S/B CABO INSTRUMENTAÇÃO BC CABO INSTRUMENTAÇÃO BI CABO INSTRUMENTAÇÃO BIC CABO METALINK MT CABO PIROPLAST CABO NORLIDES 750V 130 C CABO W-M CABO SO-M

3 9.24 CABO SILASTIL 750V 200 C CADO MULTIPLO SILASTIL 750V 200 C CABO STAR 750V 200 C CABO STAR - M 750V 200 C CABO SILASTIL 750V 300 C CABO MULTIPLO SILASTIL 750V 300 C CABO STAR - HT 750V 300 C CABO STAR - HT - M 750V 300 C CABO SILASTIL FG 750V 200 C CABO MULTIPLO SILASTIL FG 750V 200 C CABO SILASTIL FG 750V 300 C CABO MULTIPLO SILASTIL FG 750V 300 C CABO SILASTIL MT 200 C CABO TKK 750V 400 C CABO HYPALON CABO DE IGNIÇÃO CABO CONTROLE NORPRENE FLEX 1Kv CABO NORPRENE FLEX 0,6/1 Kv CABO NORPRENE 3,6/6Kv CABO GM CABO SHM CABO SHDM CABO PONTEPRENE CABO PONTEFLEX CABO ARTEFLEX CABO NORVAX CABO METAFLON 250V 200 C CABO METAFLON 250V 150 C CABO METAFLON 600V 200 C CABO METAFLON 600V 150 C CABO METAFLON 1000V 200 C CABO METAFLON 1000V 150 C CABO METAFLON 300V 200 C CABO METAFLON 300V 150 C CABO METAFLON 600V 200 C CABO METAFLON BLINDADO 600V 200 C CABO METAZEL 600V 150 C CABO METAZEL 600V 150 C MATERIAS PRIMAS UTILIZADAS E A FAIXA DE TEMPERATURA SUPORTAVEL NA INSTALAÇÃO

4 INTRODUÇÃO Diz-se condutor elétrico o material, geralmente um elemento metálico, destinado ao transporte de energia elétrica em instalações de geração, transmissão e utilização de energia elétrica. Existem inúmeras aplicações e ambientes onde a eletricidade é utilizada, tendo para os mesmos uma diversidade de tipos de condutores elétricos. Portanto, é necessária uma escolha adequada de tipo de condutores a ser utilizado para que tenha aproveitamento eficiente e seguro sem que haja desperdício financeiro e de energia. 4

5 1. DEFINIÇÕES Os condutores de acordo com os tipos de formação são classificados: 1.1 Redondo sólido (fio) Constituído somente por um elemento condutor. 1.2 Redondo normal (cabo) Constituído pela reunião de vários fios de mesmo diâmetro, encordoados em uma ou mais coroas sucessivas. Também conhecido como formação concêntrica ou formação normal. 1.3 Redondo compacto Construção semelhante ao redondo normal, porém é compactado por uma fieira na fase de encordoamento, reduzindo o seu diâmetro original. Os fios componentes devem ter o diâmetro ligeiramente maior que os fios redondo normais. 1.4 Flexíveis Constituído por uma grande quantidade de fios de diâmetro reduzido formando uma coxa. 1.5 Extra-flexíveis Constituído pela reunião de coxas. Nota *Coxa: Grupo de fios para formação de cordas, de um cabo flexível. 5

6 2. CONDUTOR (TIPOS DE CONSTRUÇÃO) REDONDO SOLIDO REDONDO NORMAL REDONDO COMPACTO FLEXÍVEL E EXTRA FLEXÍVEL 6

7 3. MATERIAIS DO CONDUTOR Cobre (Cu) Alumínio (Al) Motivo: Materiais que oferecem baixa resistência à passagem de corrente elétrica, custo adequado para esta utilização e de fácil manuseio. Cobre Eletrolítico (refinado por eletrólise) - Aplicação: condutores - Condutibilidade: 100% IACS - Pureza mínima: 99,9% - Densidade: 8,89 g/cm³ - Resistividade: 17,24 OHM mm²/km Alumínio - Aplicação: condutores nus para transmissão e distribuição de energia (instalações aéreas). - Condutibilidade: 61% IACS - Pureza mínima: 100% - Densidade: 2,7 g/cm³ - Resistividade: 28,86 OHM MM²/km - Têmpera: Mole (EC-0),⅟4 Duro (H-12), ½ Duro (H-14), ¾ Duro (H-16), Duro (H-19). 7

8 4. UTILIZAÇÃO DOS CONDUTORES Nu Os condutores podem ser utilizados em duas formas: Isolado Condutor Nu Não possui revestimento, isolação ou camada protetora. Pode ser condutor sólido ou encordoado. Condutor isolado Possui isolação, para isolá-los eletricamente de outros condutores e da terra, pode ser com condutor sólido ou encordoado, unipolar ou multipolar. Dependendo da utilização, além da isolação, o condutor receberá uma variedade de outros componentes. 5. TIPOS DE ISOLAÇÃO Os materiais mais utilizados como isolantes são: Termoplásticos PVC - Cloreto de Polivinila PE - Polietileno Sólidos (extrudados) XLPE - Polietileno Reticulado Termofixos EPR - Borracha Etileno Propileno HEPR Borracha etileno propileno alto modulo Silicone Estratificados - Papel impregnado com composto não escoante. - Papel impregnado com óleo fluído sob pressão (cabo OF). 8

9 6. ISOLAÇÃO SÓLIDA (EXTRUDADA) 6.1 Termoplásticos: Pode ser amolecido mediante calor e endurecido mediante resfriamento repedidas vezes (reaproveitáveis). Geralmente possuem limites térmicos menores que os termofixos. 6.2 Termofixos: Pode ser amolecido mediante calor, mas uma vez endurecido pelo resfriamento não mais será amolecido (não reaproveitáveis). Geralmente possuem limites térmicos superiores ao dos termoplásticos. 7. ISOLAÇÃO ESTRATIFICADA Requer cuidados especiais e mão de obra qualificada na instalação. O cabo com isolação estratificada é usado apenas para concessionárias de Energia Elétrica (CESP, CPFL, Eletropaulo). Para condutores de média tensão, além da isolação, são necessários os seguintes componentes: 8. BLINDAGEM Tem como finalidade diminuir e uniformizar os esforços elétricos dentro do cabo. do condutor Blindagem parte metálica da isolação parte não metálica 9

10 8.1 Blindagem do condutor Fita OU camada de composto semicondutor extrudada diretamente sobre o condutor, a fim de torná-la cilíndrico, uniformizado a distribuição do campo elétrico, eliminando desta forma as concentrações de campo elétrico. 8.2 Blindagem da isolação: Parte não metálica - Material semicondutor que pode ser fita OU, extrudado. - Tem finalidade de uniformizar o campo elétrico, e eliminar os vazios entre a isolação e a parte metálica. - é conhecida também como 2ª (segunda) camada semicondutora. 10

11 8.3 Blindagem da isolação: Parte metálica - Material condutor (fio ou fitas de cobre). - Tem por finalidade conduzir as correntes de curto circuito. De acordo com as solicitações impostas ao cabo pelo tipo de instalação, é necessário uma cobertura extra destinada a proteger contra a corrosão de abrasões durante e após o manuseio e instalação. a) Proteção não metálica - Termoplásticos (halogenados e não halogenados). - Termofixos (halogenados e não halogenados). b) Proteção metálica Instalação onde possa sofrer danos mecânicos podem ser: - Armação com fitas planas de aço aplicada transversalmente, colocadas entre capa interna e cobertura não metálica. - Armação com fios de aço impregnados nos casos em que se deseja aumentar a resistência mecânica do cabo aos esforços de tração. 11

12 9. COBRE Tempera mole Fios e cabos isolados para instalações fixas e móveis. Meio - duro Fios e cabos nus ou isolados para instalações aéreas e aterramento. PRODUTO NORMA APLICAVEL Cabos Multiplex NBR 8182 Fio e cabo Construplast NBR NM Cabo Metavolt NBR NM Cordão Metaflex NBR Cabo Flexiplast NBR Cabo Soldaplast NBR 8762 Cabo Metanax NBR 7288 Cabo Metalink NBR 7287 Cabo Metalink s/ cobertura Cabo Norvinil ; Cabo Norvinil / E/7 Cabo Controle Metanax NBR 7285 NBR 7286 NBR 7289 APLICAÇÃO Ideal para instalações de serviço e distribuição, pois possuem grandes vantagens econômicas e físicas sobre os métodos de instalações tradicionais. Para instalações internas fixas de luz e força em prédios residenciais, comerciais, industriais em circuitos de distribuição e em circuitos terminais. Para instalações internas fixas de luz e força em prédios residenciais, comerciais, industriais em circuitos de distribuição e em circuitos terminais. Devido a sua flexibilidade são também utilizados em fiações internas de painéis, quadros ou outras instalações, onde sejam necessários cabos flexíveis. Para ligações de aparelhos de iluminação como quebra-luzes, pendentes, lustres e para ligação de aparelhos eletrodomésticos portáveis. Para ligações de aparelhos ou máquinas móveis com arraste do condutor como: enceradeiras, aspiradores de pó, cortador de grama, etc. Para ligação do terminal de saída da fonte de energia ao eletrodo de máquina de soldar a arco. Para instalação fixa de luz, e força em prédios residenciais, comerciais, industriais em circuitos de distribuição e circuitos terminais para entrada subterrânea de energia em baixa tensão. Para instalação fixa de luz e força em prédios residenciais, comerciais, industriais em circuitos de distribuição, circuitos terminais e para energia em baixa tensão. Para instalações fixa de luz e força em prédios residenciais, comerciais, industriais em circuitos de distribuição, circuitos terminais e para entrada subterrânea de energia em baixa tensão. Para instalação fixa de luz e força em prédios residenciais, comerciais, industriais em circuitos de distribuição, circuitos terminais e para entrada subterrânea de energia em baixa tensão. Para instalações fixas em circuitos de controle, comando e sinalização de equipamentos, usinas, geradores industriais. 12

13 Controle Norvinil ; Controle Norvinil E/7 Cabo de Instrumentação SB/ BC/ BIC / BI Cabo Metalink média tensão Cabo Norvinil média tensão NBR 7290 NBR NBR 7287 NBR 7286 Cabo Piroplast NBR 9117 Cabo Norlides 750V 130 NBR 9114 Cabo W-M NBR 9655 Cabo SO-M NBR 9372 Cabo Silastil 750V 200 Cabo Multiplo Silastil 750V 200 NBR NBR Cabo Star 750V 200 C NBR Cabo Star - M 200 C NBR Cabo Silastil 750V 300 C NBR Instalações fixas em geral (leito, bandejas, ventiladas, eletrodutos, etc), especialmente nas áreas de automação industrial, onde é crescente a presença de eletrônicas de potência, associados à geração de ruídos eletromagnéticos. Para instrumentação eletrônica de instalações industriais em geral, e para indústrias químicas / petroquímicas em particular. Para instalação de circuitos de alimentação e distribuição de energia elétrica, em subestações, instalações industriais e comerciais. Para instalação de circuitos de alimentação e distribuição de energia elétrica em subestações, instalações industriais e comerciais. Para ligações externas de motores que operam em temperaturas elevadas. Nas fiações de quadros e painéis elétricos, nas ligações de reatores de lâmpadas fluorescentes e em outras aplicações que exijam cabos flexíveis e com resistência á temperatura elevada. Lides de motores, ligações internas em aparelhos e equipamentos que trabalham em temperaturas até 130 C. Utilizados para ligações com fonte externa de energia elétrica, de equipamentos móveis pesados de mineração, siderurgia e outras atividades similares em tensão até 750v. Particularmente utilizados onde se exige grande flexibilidade, resistência à abrasão e esforços mecânicos. Recomendados para circuitos de comando ou de potência em maquinas móveis de mineração, pórticos, e nas ligações das botoeiras de pontes rolantes. Motores elétricos, estufas, luminárias, fornos, fogões, resistências elétrica, túnel de congelamento e instalações elétricas industriais cuja temperatura ambiente esteja entre - 70 C até 200 C. Circuitos de controle, comando e sinalização em instalações industriais cuja temperatura ambiente esteja entre - 70 C até 200 C, motores, máquinas equipamentos diversos, etc. Motores, fornos, estufa, caldeira, luminárias e equipamentos elétricos instalados em ambiente severo que exija flexibilidade e resistência mecânica e a temperatura poderá alcançar de - 70 C até 200 C Circuitos de controle, comando e sinalização instalados em abiente severo e que exija flexibilidade, resistência mecânica e a temperatura poderá alcançar de -70 C até 200 C. Motores, resistências, fornos elétricos, estufas, luminárias, extrusoras, fogões ou equipamentos industriais em ambiente que a temperatura alcance a 300 C. Cabo Multiplo Silastil 750V 300 C NBR Motores, resistências, fornos, máquinas, equipamentos elétricos e equipamentos industriais instados em ambientes cuja temperatura alcança até 300 C. 13

14 Cabo Star -HT 750V 300 C Cabo Star HT - M 750V 300 C Cabo Silastil FG 750v 200 C NBR NBR NBR Motores, resistências, fornos elétricos, estufas, luminárias, extrusoras, fogões ou equipamentos industriais instalados em ambiente agressivo cuja temperatura poderá alcançar até 300 C. Motores, resistências, fornos, máquinas, equipamentos elétricos ou equipamentos industriais instados em ambientes agressivos cuja temperatura pode alcançar até 300 C. Ligações internas e externas de equipamentos elétricos, ligação de motores, estufas, luminárias, fornos, fogões, resistências, caldeiras e instalações industriais, onde o cabo poderá ficar em contato com a superfície quente ou chama. Cabo Multiplo Silastil FG 750V 200 C Cabo Silastil FG 750V 300 C Cabo Multiplo Silastil FG 750V 300 C NBR NBR NBR Circuito de controles, comando e sinalização, motores, equipamentos portáteis, ferramentas e sinalizações industriais onde o cabo poderá ficar em contato com a superfície quente ou fria. Ligações internas e externas em motores, estufas, luminárias, fogões, extrusoras, fornos, resistências elétricas, caldeiras e equipamentos industriais instalados em locais onde a temperatura poderá alcançar até 300 C. Ligações internas e externas em motores, estufas, luminárias, fogões, extrusoras, fornos, resistências elétricas e equipamentos industriais instalados em locais onde a temperatura poderá alcançar até 300 C. Ignição de motor, equipamentos elétricos de média tensão Cabo Silastil MT 200 C ASTM-D-2526 onde a temperatura ambiente poderá alcançar até 200 C. Cabo TKK 750V 400 C ETF Ligações de equipamentos elétricos, cuja temperatura poderá alcançar até 400 C. Cabo Hypalon NBR 9373 Iluminação, painéis de locomotiva e motor de tração. Ignição SAE J2031 Ignição. Circuitos de potência em instalações fixas, canaleta, Cabo Controle eletroduto diretamente em contato com o solo ou a água; NBR 7290 Norprene Flex 1kV circuito de distribuição agressivo; circuito de alimentadores de equipamentos elétricos. Cabo Norprene Flex 0,6/1kV Cabo Norprene Flex 3,6/6kV NBR 7286 NBR 7286 Circuitos de potência em instalações fixas, canaleta, eletroduto diretamente em contato com o solo ou a água; circuito de distribuição agressivo; circuito de alimentadores de equipamentos elétricos externos. Cabo GM NBR 9655 Utilizados para ligações com fonte externa de energia elétrica, de equipamentos moveis pesados de mineração, siderurgia e outras atividades similares em tensão até 750V. Particularmente utilizados onde se exige grande flexibilidade, resistência à abrasão e esforços mecânicos. 14

15 Cabo SHM NBR 9375 Cabo SHDM NBR 9375 Cabo Ponteprene NBR 13249/7290 Cabo Ponteflex NBR 6251/13249/7289 Cabo Arteflex NBR 7288 Cabo Norvax Cabo Metaflon 250V 200 C Cabo Metaflon 250V 150 C Cabo Metaflon 600V 200 C Cabo Metaflon 600V 150 C Cabo Metaflon 1000V 200 C Cabo Metaflon 1000V 150 C Cabo Metaflon 300V 200 C / 150 C IEC v IEC ,6/1kV MIL - W /13 MIL - W /13 MIL - W /11 MIL - W /11 MIL - W /11 MIL - W /12 MIL - W /11 Utilizados para ligações com fonte externa de energia elétrica, de equipamentos moveis pesados de mineração, siderurgia e outras atividades similares em tensão até 750v. Particularmente utilizados onde se exige grande flexibilidade, resistência à abrasão e esforços mecânicos. Circuito de alimentação e comando de maquinas e equipamentos moveis pesados de mineração e siderurgia. Sistema de comando em pontes, sistema festoon, pórticos, empilhadeiras de minério, enroladores de cabos, esteira portas-cabo, retomadoras e similares. Sistema de comando em pontes, sistema festoon, pórticos, empilhadeiras de minério, enroladores de cabos, esteira porta-cabo, retomadoras e similares. Instalações fixas em geral (leito, bandejas, ventiladas, eletrodutos, etc), especialmente nas áreas de automação industrial, onde é crescente a presença de eletrônicas de potência, associados à geração de ruídos eletromagnéticos. Bomba submersal ( poço artesiano). Circuitos de potência em instalações fixas de navios e plataformas off shore de petróleo. São empregados em equipamentos eletrônicos, painéis de computadores e em outras áreas onde exista risco de fogo e espaço reduzido. Tem o mesmo campo de aplicação do tipo MF , somente que os condutores são estanhados, portanto a temperatura de trabalho será menor. Empregados em equipamentos eletrônicos, fornos, lides de motores, secadores, caldeiras, etc. Tem o mesmo campo de aplicação do tipo MF , exceto que os condutores são estanhados, portanto a temperatura e serviço será menor. São usados em equipamentos eletrônicos, painéis de computadores, fornos, lides de motores, secadores, caldeiras, etc. Tem o mesmo campo de aplicação do tipo MF , apenas os condutores são estanhados, portanto a temperatura e serviço serão menores. São utilizados em instalações elétricas internas, e também adequados para locais onde fiquem imersos em gasolina e banhos de óleo até 80 C. Cabo Metaflon 600V C MIL - W /11 São utilizados em instalações de aparelhos em geral quando expostos á temperaturas que não excedam 200 C ou 150 C. São também adequados em locais onde fiquem imersos em gasolina ou óleo até 80 C. 15

16 Cabo Metaflon Blindado 600V -200 C Cabo Metazel 600V 150 C Cabo Metazel 600V 150 C ETF /2003 MIL- W /16 MIL- W /18 São utilizados em interligações de equipamentos eletrônicos. 16

17 9.1 Cabos Multiplex - Condutor fase isolada de cobre têmpera mole - Condutor neutro nu tempera dura As suas características de isolamento estão de acordo com o exigido nas normas e regulamentos vigentes, quando usados nas redes de distribuição secundárias são particularmente úteis, diminuindo os desbates de árvores, eliminado-se assim as cautelas que os condutores desprotegidas necessitam. As vantagens destes tipos de condutores podem ser resumidas como segue: - diminuem o número de acessórios de apoio; - podem ser instalados em vãos maiores como também em espaços reduzidos; - reduzem os acidentes com o pessoal durante a montagem e conservação; - manutenção econômica; -têm uma aparência limpa e agradável; - possuem todas as características elétricas e mecânicas dos condutores não revestidos; - pelo seu baixo peso dispensam acessórios especiais de fixação; - proporcionam maiores rentabilidade operacionais nas instalações. 9.2 Fio Construplast Condutor: Cobre Têmpera mole - sólido Isolamento: PVC 70 anti chama 17

18 9.3 Cabo Construplast Condutor: Cobre Têmpera mole, encordoamento classe 2 Isolamento: PVC 70 anti-chama 9.4 Cabo Metavolt Condutor: Cobre Têmpera mole, encordoamento flexível classe 5 Isolamento: PVC 70 anti-chama 9.5 Cordão Metaflex torcido e paralelo Condutor: Cobre Têmpera mole, encordoamento flexível classe 5 Isolamento: PVC 70 anti-chama 18

19 9.6 Cabo Flexiplast Condutor: Cobre Têmpera mole, encordoamento flexível classe 5 Isolamento: PVC 70 Flexível PVC/F Cobertura: PVC Tipo St1 flexível 9.7 Cabo Soldaplast Condutor: Cobre Têmpera mole. Encordoamento flexível Cobertura: PVC tipo St1 flexível 9.8 Cabo Metanax Condutor: Cobre Têmpera mole, encordoamento classe 2 ou 5 Isolamento: PVC 70 (PVC/A) Cobertura: PVC ST1 19

20 9.9 Cabo Metalink S/C Condutor: Cobre Têmpera mole, encordoamento classe 2 Isolamento: Polietileno termofixo (XLPE) na cor preta 9.10 Cabo Metalink Condutor: Cobre Têmpera mole, encordoamento classe 2 Isolamento: Polietileno termofixo (XLPE) Cobertura: PVC ST Cabo Controle Metanax Condutor: Cobre Têmpera mole, encordoamento classe 2 ou 5 Isolamento: PVC/A70 Cobertura: PVC ST1 20

21 9.12 Cabo Norvinil Condutor: Cobre Têmpera mole, encordoamento classe 2 ou 5 Isolamento a base de etileno propileno (EPR - 90 ) Cobertura: PVC ST Cabo Norvinil E/7 Condutor: Cobre Tempera mole, encordoamento classe 5 Isolamento:HEPR Cobertura: ST Cabo Norvinil / Norvinil E7 Neutro concentrico Condutor: Cobre nu mole flexível Isolação: Borracha Etilenopropileno, tipo HEPR (90 C) identificado por cores Capa Interna: PVC Neutro composto por espiral de fios de cobre Cobertura: PVC,ST2 preto 21

22 9.15 Cabo Instrumentação S/B Condutor: Cobre Têmpera mole, encordoamento classe 2 ou 5 Isolamento: PVC/A 70 C ou PVC/E C Cobertura: PVC ST Cabo instrumentação BC Condutor: Cobre Têmpera mole, encordoamento 2 ou 5 Isolamento: PVC/A70 ou PVC/E Blindagem coletiva: fita Al/Poliester com dreno de cobre estanhado Cobertura: PVC St1 ou St Cabo Instrumentação BI Condutor: Cobre Têmperatura mole, encordoamento classe 2 ou 5 Isolamento: PVC/A70 C ou PVC/E Blindagem dos pares, fita Al/Poliester com dreno de cobre estanhado Cobertura: PVC ST1 ou ST2 22

23 9.18 Cabo Instrumentação BIC Condutor: Cobre Têmpera mole, encordoamento classe 2 ou 5 Isolamento: PVC/A70 C ou PVC/E -105 Blindagem dos pares e coletivo fita Al/Poliester com dreno de cobre estanhado Cobertura: PVC ST1 ou ST Cabo Metalink MT Condutor: Cobre Têmpera mole, encordoamento classe 2 Blindagem do condutor: fita semicondutora Isolamento: XLPE 90 C Blindagem do isolamento: fita semicondutora / espiral de fios de cobre Cobertura: PVC ST Cabo Piroplast Condutor: Cobre Têmpera mole, nu ou estanhado, encordoamento classe 5 Isolamento: PVC/E

24 9.21 Cabo Norlides 750V 130 C Condutor: Cobre eletrolítico estanhado Isolamento: Composto termofixo - EPR para até 130 C 9.22 Cabo W-M Condutor: Cobre estanhado Isolamento: Composto termofixo etileno propileno Capa interna: Composto de termofixo Cobertura: Composto de termofixo na cor preta 9.23 Cabo SO-M Condutor: Cobre eletrolítico estanhado Isolação: Composto de termofixo para temperatura até 90 C. Cobertura: Composto termofixo SE1/A, cor preta 24

25 9.24 Cabo Silastil 750V 200 C Condutor: Cobre eletrolítico estanhado Capa externa: Borracha de silicone para temperaturas de -70 até 200 C 9.25 Cabo Multiplo Silastil 750V 200 C Condutor: Cobre eletrolítico estanhado Isolação: Borracha de silicone vulcanizado para temperatura - 70 C até 200 C, cor branca Cabo Star 750V 200 C Condutor: Cobre eletrolítico estanhado Isolação: Borracha de silicone vulcanizada para temperaturas de -70 C até 200 C, em cores. 25

26 9.27 Cabo Star-M 750V 200 C Condutor: cobre eletrolítico estanhado Isolação: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de - 70 C até 200 C Capa externa: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de - 70 C até 200 C, cor azul Cabo Silastil 750V 300 C Condutor: Cobre eletrolítico nu Isolação: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de até 300 C, cor terra siena Cabo Multiplo Silastil 750V 300 C Condutor: Cobre eletrolítico nu Isolação: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de até 300 C. Capa externa: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de até 300 C. 26

27 9.30 Cabo Star - HT 750V 300 C Condutor: Cobre eletrolítico nu Isolação: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de até 300 C, cor terra siena Star - HT-M 750V 300 C Condutor: Cobre eletrolítico nu Isolação: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de até 300 C. Capa externa: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de até 300 C, cor terra siena Cabo Silastil FG 750V 200 C Condutor: Cobre eletrolítico estanhado Isolação: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de até 200 C. Capa externa: Trança de fios de fibra de vidro, impregnada em solução de silicone, para temperaturas até 200 C. 27

28 9.33 Cabo Multiplo Silastil FG 750V 200 C Condutor: Cobre eletrolítico estanhado Isolação: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de até 200 C. Capa interna: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de até 200 C, cor branca. Capa externa: Trança de fios de fibra de vidro impregnada em solução de silicone, para temperaturas até 200 C Cabo Silastil FG 750V 300 C Condutor: Cobre eletrolítico nu Isolação: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de até 300 C, cor terra siena. Capa externa: Trança de fios de fibra de vidro, impregnada em solução de silicone, para temperaturas até 300 C. 28

29 9.35 Cabo Multiplo Silastil FG 750V 300 C Condutor: Cobre eletrolítico nu Isolação: Borracha de silicone vulcanizada par temperatura de até 300 C. Capa interna: Borracha de silicone vulcanizada par temperatura de até 300 C, cor terra siena. Capa externa: Trança de fios de fibra de vidro, impregnada em solução de silicone para temperatura de até 300 C, cor branca Cabo Silastil MT 200 C Condutor: Cobre eletrolítico estanhado Isolação: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de - 70 C até 200 C, cor amarela. Capa externa: Borracha de silicone vulcanizada para temperatura de - 70 C até 200 C, branca. 29

30 9.37 Cabo TKK 750V 400 C Condutor: Cobre eletrolítico nu Isolação: Fitas de alta resistência a temperatura de até 400 C e rigidez dielétrica. Capa externa: Trança têxtil, impregnada em solução de silicone resistente a altas temperaturas Cabo Hypalon Condutor: Cobre eletrolítico estanhado Isolação: Composto de termofixo especial para temperatura até 90 C Cabo de ignição Condutor: Cobre nu Têmpera mole, encordoamento classe 4 ou 5 Cobertura: Composto de termofixo para temperaturas de até 90 C. 30

31 9.40 Cabo Controle Norprene Flex 1kV Condutor: Cobre eletrolítico estanhado Isolação: Composto termofixo EPR para temperatura de até 90 C Cobertura: Composto termofixo SE1/A, para temperatura de até 90 C, na cor preta Cabo Norprene Flex 0,6/1kV Condutor: Cobre eletrolítico estanhado Isolação: Composto termofixo EPR para temperatura de até 90 C Cobertura: Composto termofixo SE1/A, para temperatura de até 90 C, na cor preta. 31

32 9.42 Cabo Norprene 3,6/6kV Condutor: Cobre eletrolítico estanhado Têmpera mole, encordoamento classe 2 Blindagem do condutor: Fita semicondutora Isolação: Composto de EPR, para temperaturas de até 105 C. Bindagem do isolamento: Fita semi condutora/ espiral fios de cobre Cobertura: Composto de termofixo, na cor preta Cabo GM Condutor de potência, flexível, formado por fios de cobre estanhados. Isolação: Composto de termofixo etileno propileno Capa interna: Composto termofixo Cobertura: Composto termofixo, na cor preta. 32

33 9.44 Cabo SHM Condutor de potência, flexível, formado por fios de cobre estanhados. Isolação: Composto de termofixo etileno propileno Capa interna: Composto termofixo, na cor preta Cobertura: Composto termofixo, na cor preta Cabo SHDM Condutor: Flexível de cobre estanhado Isolação: Composto de termofixo para temperatura de até 90 C Capa interna: Composto termofixo, SE3 Cobertura: Composto termofixo, SE5, na cor preta Cabo Ponteprene Condutor: Formados por fios de cobre eletrolítico estanhados Têmpera mole, encordoamento classe 6 Isolação: Composto de termofixo especial, para temperaturas de até 90 C Cobertura: Composto termoplástico especial de PVC, extra flexível, na cor preta. 33

34 9.47 Cabo Ponteflex Condutor: Formados por fios eletrolítico de cobre nu Têmpera mole, encordoamento classe 6 Isolação: Composto termoplástico de PVC, para temperaturas de até 70 C Cobertura: Composto termoplástico especial de PVC, extra flexível, na cor preta Cabo Arteflex Condutor: Formado por fios cobre eletrolíticos nu Isolação: Composto de termoplástico especial, para temperatura de até 70 C Cobertura: Composto de termoplástico especial, para temperatura de até 70 C, na cor preta. 34

35 9.49 Cabo Norvax Condutor: Formado por fios de cobre estanhados Têmpera mole classe 2 ou flexível quando solicitado Isolação: Composto termofixo etileno propileno ou composto poliolefínico isento de halogênios Capa externa : composto termoplástico ou termofixo não halogenado, quando aplicável 9.50 Cabo Metaflon 250V 200 C Condutor: Cobre eletrolítico, solido ou encordoados. Têmpera mole, prateados Isolação: Camada de fluorporlímero FEP extrudado, com espessura nominal de 0,15mm Cabo Metaflon 250V 150 C Condutor: Cobre eletrolítico, solido ou encordoados. Têmpera mole, estanhado Isolação: Camada de fluorporlímero FEP extrudado, com espessura nominal de 0,15mm Cabo Metaflon 600V 200 C Condutor: Cobre eletrolítico, solido ou encordoados. Têmpera mole, prateados Isolação: Camada de fluorporlímero FEP extrudado, com espessura nominal de 0,25mm. 35

36 9.53 Cabo Metaflon 600V 150 C Condutor: Cobre eletrolítico, solido ou encordoados. Têmpera mole, estanhado Isolação: Camada de fluorporlímero FEP extrudado, com espessura nominal de 0,25mm 9.54 Cabo Metaflon 1000V 200 C Condutor: Cobre eletrolítico, solido ou encordoados. Têmpera mole, prateados. Isolação: Camada de fluorporlímero FEP extrudado, com espessura nominal de 0,40mm Cabo Metaflon 1000V 150 C Condutor: Cobre eletrolítico, solido ou encordoados. Têmpera mole, estanhado Isolação: Camada de fluorporlímero FEP extrudado, com espessura nominal de 0,40mm Cabo Metaflon 300V 200 C Condutor 1: UL 1333 sendo cobre eletrolítico, solido ou encordoados. Têmpera mole, prateado. Tipo Condutor 2: UL 1332 sendo cobre eletrolítico, solido ou encordoados. Têmpera mole, prateado. Tipo Isolação: Camada de fluorporlímero FEP extrudado, com espessura nominal de 0,33mm Cabo Metaflon 300V 150 C Condutor 1: UL 1333 sendo cobre eletrolítico, solido ou encordoados. Têmpera mole, estanhado. Tipo Condutor 2: UL 1332 sendo cobre eletrolítico, solido ou encordoados. Têmpera mole,estanhado. Tipo Isolação: Camada de fluorporlímero FEP extrudado, com espessura nominal de 0,33mm. 36

FIOS E CABOS BAIXA TENSÃO

FIOS E CABOS BAIXA TENSÃO FIOS E CABOS BAIXA TENSÃO Conceitos Básicos sobre es Elétricos Definições: Vergalhão Produto metálico não-ferroso de seção maciça circular, destinado à fabricação de fios. Fio Metálico Produto maciço,

Leia mais

CABOS ISOLADOS / COBERTOS DE BAIXA TENSÃO (até 1kV) Nota: Sob consulta, os cabos Forex, Flexonax, Forenax, Forefix podem ser fornecidos com armadura Fio e Cabo WPP Cordão FOREPLAST (300 V) Os fios WPP

Leia mais

-30.-40-40 -40-50 -40 X -90-190 X -70

-30.-40-40 -40-50 -40 X -90-190 X -70 APRESENTAÇÃO A FNCE, empresa nacional com tradição a mais de 0 anos no mercado de condutores elétricos esta comprometida com a qualidade de seus produtos, treinamentos dos seus colaboradores e preservação

Leia mais

CONDUSCAMP CONDUTORES CAMPINAS LTDA. Conectando soluções em condutores

CONDUSCAMP CONDUTORES CAMPINAS LTDA. Conectando soluções em condutores CONDUSCAMP CONDUTORES CAMPINAS LTDA. Conectando soluções em condutores QUEM SOMOS EMPRESA CONHEÇA A CONDUSCAMP Com uma consolidada história no mercado de condutores elétricos, a Conduscamp há mais de 15

Leia mais

Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V

Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V Características Construtivas 1) Para Fio Inbranil Antichama: condutor sólido de cobre eletrolítico nu, têmpera mole, classe 1. Para Cabo Inbranil Antichama: condutor

Leia mais

REPRESENTANTE AUTORIZADO CONSTRUTORAS, INSTALADORAS E B2B - SP

REPRESENTANTE AUTORIZADO CONSTRUTORAS, INSTALADORAS E B2B - SP REPRESENTANTE AUTORIZADO CONSTRUTORAS, INSTALADORAS E B2B - SP 50 anos. E muitas obras de experiência. Em sua longa trajetória, o Grupo Nambei já realizou o fornecimento de fios e cabos para centenas de

Leia mais

Fios e cabos elétricos

Fios e cabos elétricos Fios e cabos elétricos Fios e cabos elétricos 3 FIO PLASTICOM ANTICHAMA 450/750 V 5 CAbO PLASTICOM ANTICHAMA 450/750 V 7 CAbO CObreNAx ANTICHAMA 0,6/1 kv 9 CAbO COMPex 0,6/1 kv (COMPACTADO) 11 CAbO FLexICOM

Leia mais

ELÉTRICA. seção 7,98 4,95 3,30 1,91 33,2 39,4 48,0. Cordão Paralelo

ELÉTRICA. seção 7,98 4,95 3,30 1,91 33,2 39,4 48,0. Cordão Paralelo ELÉTRICA APLICAÇÕES: São utilizados em instalações de baixa tensão, como construção civil, instalações industriais e comerciais, para tensões de até 75V. CONDUTOR: Corda flexível, classe 4 de encordoamento

Leia mais

Produtos. Fio e Cabo Pauliplast BWF 750V. Fio e Cabo de Cobre Nu. 2 www.ipce.com.br. Fios e cabos para uso geral de baixa tensão

Produtos. Fio e Cabo Pauliplast BWF 750V. Fio e Cabo de Cobre Nu. 2 www.ipce.com.br. Fios e cabos para uso geral de baixa tensão Fio e Cabo de Cobre Nu Fio e Cabo Pauliplast BWF 750V Características dimensionais e resistência elétrica de fios e cabos de cobre nu, meio duro e duro Empregados em linhas aéreas para transmissão e distribuição

Leia mais

CONDUTORES ELÉTRICOS

CONDUTORES ELÉTRICOS CONDUTORES ELÉTRICOS R = ρ l S ( Ω) Produto metálico, geralmente de forma cilíndrica, utilizada para transportar energia elétrica ou transmitir sinais elétricos. ρ cobre = 1,72 10-8 Ωm ρ alum = 2,80 10-8

Leia mais

Soluções inovadoras em fios e cabos elétricos.

Soluções inovadoras em fios e cabos elétricos. 1 Soluções inovadoras em fios e cabos elétricos. Somos um dos maiores fabricantes mundiais de fios e cabos, com mais de 170 anos de história de progresso contínuo em nível global e mais de 40 anos no Brasil.

Leia mais

Liderança em Cabos Vulcanizados. Cabos unipolares para altas temperaturas

Liderança em Cabos Vulcanizados. Cabos unipolares para altas temperaturas Cabos unipolares para altas temperaturas 2 A CONFIABILIDADE QUE FAZ A DIFERENÇA (Estas certificações são da linha geral de cabos produzidos pela Cofibam) Política da qualidade A COFIBAM SE COMPROMETE EM

Leia mais

Cabo para Sinal e Detecção de Incêndio - s/ blindagem - 600 V - flexível - Instalações contínuas cem tubulação de aço galvanizado para blindagem eletrostática e magnética; Cabo formado por dois ou mais

Leia mais

Cabos Elétricos. Cabo Conduspar BWF 750V. Cabo Singelo Flexpar BWF 750V

Cabos Elétricos. Cabo Conduspar BWF 750V. Cabo Singelo Flexpar BWF 750V Cabos Elétricos Cabo Conduspar BWF 750V Características Construtivas (NBR NM47-3): Fios sólidos cobre eletrolítico, seção circular não compactado, têmpera mole, classe encordoamento (NBR NM80), isolamento

Leia mais

CABOS ESPECIAIS CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA SIMÉTRICO SOLUÇÕES ESPECIAIS SINAL GARANTIDO DE PONTA A PONTA

CABOS ESPECIAIS CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA SIMÉTRICO SOLUÇÕES ESPECIAIS SINAL GARANTIDO DE PONTA A PONTA CABO INVERSOR DE FREQUÊNCIA pretas numeradas + uma veia verde/amarela. em fita de alumínio invertida + dreno estanhado de 0,5mm2 sobreposta por trança de cobre estanhado. SINAL GARANTIDO DE PONTA A PONTA

Leia mais

Certificado de Registro e Classificação Cadastral - CRCC

Certificado de Registro e Classificação Cadastral - CRCC CERTIFICAMOS que a empresa acima identificada encontra-se regularmente inscrita no Cadastro de es de Materiais e/ou Serviços da PETROBRAS e habilitada para as especialidades indicadas conforme relação

Leia mais

Uma história de evolução e constante expansão

Uma história de evolução e constante expansão 2 Uma história de evolução e constante expansão A história da SIL é resultado de um trabalho empreendedor, pautado pela ética, confiabilidade e seriedade. A companhia foi, por duas décadas, uma das principais

Leia mais

EM-RIOLUZ-74 ESPECIFICAÇÃO DE CABO PARA REDE SUBTERRÂNEA DE IP

EM-RIOLUZ-74 ESPECIFICAÇÃO DE CABO PARA REDE SUBTERRÂNEA DE IP DIRETORIA TECNOLÓGICA E DE PROJETO DTP GERÊNCIA TECNOLÓGICA E DE DESENVOLVIMENTO GTD EM-RIOLUZ-74 ESPECIFICAÇÃO DE CABO PARA REDE SUBTERRÂNEA DE IP EMISSÃO- 02 29.12.2014 ESPECIFICAÇÃO EM-RIOLUZ-74 EMISSÃO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$ ANEXO 2 Planilha Orçamentária Estimativa de Quantitativos e Preços Máximos Global e Unitários LOTE ÚNICO ESPECIFICAÇÃO DO ITEM Qtde. Unitário R$ Total R$ 01 02 03 04 05 CHAVE NIVEL TIPO BOIA,ATUACAO: ALARME

Leia mais

Manual Técnico. Aplicações recomendadas para os fios e cabos de BT e MT

Manual Técnico. Aplicações recomendadas para os fios e cabos de BT e MT Manual Técnico Aplicações recomendadas para os fios e cabos de BT e MT Líder Mundial na Indústria de Cabos Com a energia como base de seu desenvolvimento, a Nexans é a líder mundial na indústria de cabos,

Leia mais

Capítulo 5. Linhas elétricas. 5.1 Aspectos gerais 26/04/2010

Capítulo 5. Linhas elétricas. 5.1 Aspectos gerais 26/04/2010 Capítulo 5 Linhas elétricas 2008 by Pearson Education slide 1 5.1 Aspectos gerais Condutor elétrico Fio Barra Linha pré-fabricada Barramento Condutor encordoado: classes 1 a 6 Cabo Corda Perna Coroa Cabo

Leia mais

Cabo Cofivinil HEPR (1 Condutor) 0,6/1kV 90 o C

Cabo Cofivinil HEPR (1 Condutor) 0,6/1kV 90 o C Cabo Cofivinil HEPR (1 Condutor) 0,6/1kV 90 o C 1 Dados Construtivos: 1.1 Desenho: 1 2 3 4 1 Condutor: Fios de cobre eletrolítico nu, têmpera mole. Encordoamento classe 05. 2 Separador: Fita não higroscópica

Leia mais

Instalações Elétricas Industriais. Prof. Carlos T. Matsumi

Instalações Elétricas Industriais. Prof. Carlos T. Matsumi Instalações Elétricas Industriais Divisão de Sistemas de Alimentação Faixa de Tensão Elétrica (IE) orrente Alternada - A orrente ontínua- Extra Baixa Tensão: Tensão Inferior à 50 V (A) e 120 V () Baixa

Leia mais

DEFINIÇÕES. Entrada de energia. Entrada de serviço

DEFINIÇÕES. Entrada de energia. Entrada de serviço 1 Entrada de energia DEFINIÇÕES Instalação de responsabilidade do consumidor, compreendendo ramal de entrada, poste particular ou pontalete, caixas, dispositivos de proteção, eletrodo de aterramento e

Leia mais

Portaria n.º 589, de 05 de novembro de 2012

Portaria n.º 589, de 05 de novembro de 2012 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 589, de 05 de novembro de 2012 O PRESIDENTE

Leia mais

NTU AES 003-1. Condutores Elétricos Distr. Subterrânea NORMA TÉCNICA UNIFICADA AES ELETROPAULO / AES SUL

NTU AES 003-1. Condutores Elétricos Distr. Subterrânea NORMA TÉCNICA UNIFICADA AES ELETROPAULO / AES SUL NTU AES 003-1 Condutores Elétricos Distr. Subterrânea NORMA TÉCNICA UNIFICADA AES ELETROPAULO / AES SUL Elaborado: Aprovado: DATA: 30/09/2010 João Carlos Nacas AES Eletropaulo Fernanda Pedron AES Sul Sergio

Leia mais

CONDUTORES ELÉTRICOS DE BAIXA TENSÃO

CONDUTORES ELÉTRICOS DE BAIXA TENSÃO 8 CONDUTORES ELÉTRICOS DE BAIXA TENSÃO 8.1 INTRODUÇÃO Em qualquer circuito elétrico, nota-se a presença de elementos condutores, que interligam os equipamentos elétricos às fontes e aos demais componentes

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS BRASILEIRAS SOBRE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

NORMAS TÉCNICAS BRASILEIRAS SOBRE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS NORMAS TÉCNICAS BRASILEIRAS SOBRE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Novas Normas NBR IEC 61643-1 - Dispositivos de proteção contra surtos em baixa tensão - Parte 1: Dispositivos de proteção conectados a sistemas de

Leia mais

CABOS ELÉTRICOS PARA APLICAÇÃO EM OFFSHORE 1/2013

CABOS ELÉTRICOS PARA APLICAÇÃO EM OFFSHORE 1/2013 1/2013 CABOS ELÉTRICOS PARA APLICAÇÃO EM OFFSHORE ÍNDICE: Cabos Elétricos de Energia e Controle - 0,6/1kV (1,8/3kV) LKM-SHF2 & LKM-SHF2 FLEX...4 LKMM-SHF2...8 LKSM-SHF2 & LKSM-SHF2 FLEX...10 LKMSM-SHF2...14

Leia mais

Cabos Navais. Introdução

Cabos Navais. Introdução Cabos Navais Introdução A Prysmian Energia Cabos e Sistemas do Brasil S.A. apresenta a sua linha de cabos para aplicação em plataformas de petróleo off-shore e navios, tipo LS0H (Low Smoke Zero Halogen),

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Há 22 anos produzindo qualidade

APRESENTAÇÃO. Há 22 anos produzindo qualidade APRESENTAÇÃO Há 22 anos produzindo qualidade 3 A CONDUMIG - Indústria de Condutores Elétricos, localizada em Divinópolis, centro-oeste mineiro, é a maior fabricante de Fios e Cabos, Rígidos e Flexíveis

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 07/05/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Quadro de Distribuição Circuitos Terminais Circuitos Terminais Quadro de Distribuição Quadro de Distribuição

Leia mais

Tabelas de Dimensionamento

Tabelas de Dimensionamento Com o objetivo de oferecer um instrumento prático para auxiliar no trabalho de projetistas, instaladores e demais envolvidos com a seleção e dimensionamento dos em uma instalação elétrica de baixa tensão,

Leia mais

Cabo Foreplast BWF Flexível 750V

Cabo Foreplast BWF Flexível 750V Cabo Foreplast BWF Flexível 7V Devido à sua flexibilidade, os cabos Foreplast BWF flexíveis são recoendados para fiações de quadros e painéis, alé das instalações fixas de construção civil. : Cobre nu,

Leia mais

LONA DE FREIO PEÇAS ESPECIAIS

LONA DE FREIO PEÇAS ESPECIAIS GAXETAS SECAS MANTA E TECIDO DE FIBRA CERÂMICA GAXETAS IMPREGNADAS FITAS CORTIÇA J U N T A E S P I R A L A D A FELTRO J U N T A D E V E D A Ç Ã O PAPELÃO HIDRAÚLICO F I T A P A T E N T E T E F L O N JUNTA

Leia mais

POLIRON 105 CM 03 CL2 B FR Cabo Controle Blindado 3 x 0,50 70ºC 0,5kV classe 2

POLIRON 105 CM 03 CL2 B FR Cabo Controle Blindado 3 x 0,50 70ºC 0,5kV classe 2 POLIRON Código 7200 POLIRON 105 CM 02 CL2 B FR Cabo Controle Blindado 2x 0,50 70ºC 0,5kV classe 2 /bitolas de 1,5mm 2 a 10 estruturado, alimentação, sist. microprocessados, em plantas industria quimica,

Leia mais

Catálogo de. Produtos

Catálogo de. Produtos Catálogo de Produtos Atualização: Janeiro/01. Sumário Tabelas de Dimensionamento Fios e Cabos Elétricos de Cobre para Baixa Tensão 6 Fio Sólido BWF 0 V Cabo BWF 0 V 8 Cabo Flexível Corfitox HEPR 90 C 0,6/1

Leia mais

Av. Maria Leonor, 1222 Pq. Reid Diadema CEP 09920-080 Tel.: 55-11 4092-9000 FAX.: 55 11 4092-9090

Av. Maria Leonor, 1222 Pq. Reid Diadema CEP 09920-080 Tel.: 55-11 4092-9000 FAX.: 55 11 4092-9090 v 6 5 4 3 2 1 1- condutor 2- isolação 3- separador 4- capa intermediária 5- trança de cobre estanhado 6- capa externa CONSTRUÇÃO CONDUTORES: formados com 7 elementos de cobre eletrolítico, conforme NM

Leia mais

DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS:

DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410 relativos à escolha

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-206/2007 R-02 CABO DE CONTROLE BLINDADO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-206/2007 R-02 CABO DE CONTROLE BLINDADO /007 R-0 DOCUMENTO NORMATIVO I JUN/007 APRESENTAÇÃO Este documento encerra requisitos, recomendações e diretrizes para nortear os interessados no fornecimento de Cabo de Controle Blindado, multipolar em

Leia mais

LINHA DE PRODUTOS NEXANS

LINHA DE PRODUTOS NEXANS LÍDER GLOBAL EM CABOS E SISTEMAS DE CABEAMENTO LINHA DE PRODUTOS NEXANS Seja qual for a aplicação, conte com as soluções e a qualidade Nexans INSTITUCIONAL O mundo em que vivemos requer cada vez mais energia

Leia mais

ANEXO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS

ANEXO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS ANEXO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Este documento é parte integrante da Ata de Registro de Preços nº PE.DAQ.G.0132.2009, celebrada entre FURNAS e a empresa CONDUSPAR CONDUTORES ELÉTRICOS LTDA., que teve

Leia mais

BAIXA TENSÃO Uso Geral

BAIXA TENSÃO Uso Geral Dimensionamento OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONA- MENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410/2004 relativos à escolha

Leia mais

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004)

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004) MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela da NBR5410/004) Método de instalação número: Esquema ilustrativo Descrição Método de instalação a utilizar para a capacidade de condução de corrente 1 1 1 eletroduto de seção

Leia mais

BAIXA TENSÃO Uso Geral

BAIXA TENSÃO Uso Geral Dimensionamento OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONA- MENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410/2004 relativos à escolha

Leia mais

Cabos e acessórios para redes subterrâneas

Cabos e acessórios para redes subterrâneas Cabos e acessórios para redes subterrâneas Evoluindo com você. A distribuição de energia Vida atual com alta dependência de energia elétrica: produção serviços uso doméstico Conseqüências nas grandes cidades:

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural

Disciplina: Eletrificação Rural UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS RIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 6 Condutores elétricos - dimensionamento e instalação.

Leia mais

É preciso entender a importância dos detalhes para dar valor a eles.

É preciso entender a importância dos detalhes para dar valor a eles. São os detalhes que realmente fazem a diferença e garantem que o todo seja excepcional. São os detalhes que evidenciam o cuidado, o diferencial, a complexidade. É preciso entender a importância dos detalhes

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TR 20150139

TERMO DE REFERÊNCIA TR 20150139 TERMO DE REFERÊNCIA TR 20150139 1. DA JUSTIFICATIVA: Dispensa de licitação, via cotação eletrônica, nos termos do decreto estadual Nº 28.397, de 21 de setembro de 2006 para atender SC 13827 - UNBME 2.

Leia mais

TABELA 1 Os métodos de referência são os de instalação indicados na NBR - 5410

TABELA 1 Os métodos de referência são os de instalação indicados na NBR - 5410 CAPACIAE E CONUÇÃO E CORRENTE PARA CABO E BAIXA TENÃO O dimensionamento de uma instalação elétrica alimentada sob tensão nominal igual ou inferior a 00V, em corrente alternada é a 0V em corrente contínua,

Leia mais

SAN.T.IN.NT 31. Os barramentos instalados em subestações e/ou cubículos deverão ser pintados em toda sua extensão, exceto nos pontos de conexão.

SAN.T.IN.NT 31. Os barramentos instalados em subestações e/ou cubículos deverão ser pintados em toda sua extensão, exceto nos pontos de conexão. 1 / 7 SUMÁRIO: 1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3. CONCEITOS BÁSICOS 4. PROCEDIMENTOS 5. REFERÊNCIAS 6. ANEXOS 1. FINALIDADE Esta norma tem como finalidade regulamentar os princípios básicos e procedimentos

Leia mais

Instalações elétricas resumo

Instalações elétricas resumo Instalações elétricas resumo Na instalação elétrica de um prédio (residencial, comercial ou industrial), temos basicamente: - Equipamentos relacionados com a alimentação da instalação, tais como geradores,

Leia mais

Tendências Tecnológicas, Cabos Isolados para Média e Alta Tensão

Tendências Tecnológicas, Cabos Isolados para Média e Alta Tensão Tendências Tecnológicas, Cabos Isolados para Média e Alta Tensão Roger Tocchetto Breve histórico: como chegamos onde estamos Materiais contemporâneos e tendências Desenvolvimentos recentes notáveis EPR

Leia mais

A N E X O V I I I M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E L I N H A S E R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O S U B M E R S A S

A N E X O V I I I M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E L I N H A S E R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O S U B M E R S A S A N E X O V I I I M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E L I N H A S E R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O S U B M E R S A S C A T Á L O G O R E F E R E N C I A L DE M Ó D U L O S P A D R Õ E S D

Leia mais

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PROJETO: ELÉTRICO Modelo: 3.000 m2 MAIO 2011 SUMÁRIO 1. GENERALIDADES... 03 2. DOCUMENTOS APLICÁVEIS... 04 3. DESCRIÇÃO DO PROJETO...

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR Tel.: (021) 2583 6737 Fax.: (021) 2583 6737 Cel.: (021) 9159 4057 dsp@dsp-rj.com.br 1 / 9 Sumário 1 OBJETIVO... 3 2- NORMAS APLICÁVEIS...

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Condições de Operação 03 5.2. Materiais e Construção 04 6. PROCEDIMENTOS

Leia mais

Terminais e Emendas para Cabos Elétricos

Terminais e Emendas para Cabos Elétricos Terminais e Emendas para Cabos Elétricos A KIT Acessórios, com sede no Rio de Janeiro, desde 1991, vem se dedicando exclusivamente a produção de acessórios para cabos elétricos. Desde 1999, a KIT Acessórios

Leia mais

ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA

ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA 1. DETERMINAÇÃO DA CARGA INSTALADA a) Para definição do tipo de fornecimento, o consumidor deve determinar a carga instalada, somando-se a potência

Leia mais

Informações e Tabelas Técnicas

Informações e Tabelas Técnicas Características dos condutores de cobre mole para fios e cabos isolados 1 Temperatura característica dos condutores 1 Corrente de curto-circuito no condutor 1 Gráfico das correntes máximas de curto-circuito

Leia mais

Condutores elétricos

Condutores elétricos Sair da Norma Voltar para o Índice Alfabético Geral Condutores elétricos NOV 1986 NBR 5471 ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13-28º andar CEP 20003-900

Leia mais

'111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111.

'111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111. '111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111. Composição: Tubos em Poliamida Flexível (Nylon 6) - Excelente resistência mecânica, resistência química, boa estabilidade

Leia mais

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição DICAS Instalações elétricas residenciais 8ª Edição DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE Nos condutores existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-013 Folha: 1/28 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO INSTITUTO LAB SYSTEM DE PESQUISAS E S LTDA. ACREDITAÇÃO N FIOS, CABOS E CORDÕES S MECÂNICOS Ensaio de tração e alongamento

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES MEMORIAL DESCRITIVO Memorial Descritivo Elétrico Projeto: Marcelo

Leia mais

DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES

DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES z CNCEITS BÁSICS DE ELETRICIDADE Nos condutores existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim como os planetas ao redor do sol, giram ao redor

Leia mais

Informações e Tabelas Técnicas

Informações e Tabelas Técnicas As instalações e dimensionamentos de fios e cabos elétricos de baixa tensão devem obedecer as recomendações indicadas na NBR 5410/2004. Características dos condutores de cobre mole para fios e cabos isolados

Leia mais

Número PE022/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega

Número PE022/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega Folha 1 UNIVERSIDADE DO SUDOESTE DA - CAMPUS VITORIA DA CO 1 ALICATE, universal, de 8 polegadas, em aco, cabo com isolacao para 1000 volts e em conformidade com norma ABNT NBR vigente no que diz respeito

Leia mais

Condutores e cabos eléctricos

Condutores e cabos eléctricos Condutores e cabos eléctricos Os condutores utilizados nas instalações eléctricas são geralmente de cobre, ou de alumínio. O condutor eléctrico pode ser divididos em: Condutor nu: é um condutor que não

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A

Instalações Elétricas Prediais A Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 10 Dispositivos de Proteção e Condutores Porto Alegre - 2012 Tópicos Dimensionamento dos dispositivos de proteção Condutores

Leia mais

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001 TERMO DE ADJUDICAÇÃO Às 15:21 horas do dia 17 de dezembro de 2012, o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Palmas, designado pela portaria 027/2012-GAB/SEFIN após analise da documentação do Pregão

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

Noções Básicas de identificação da qualidade de cabos coaxiais e pares trançados

Noções Básicas de identificação da qualidade de cabos coaxiais e pares trançados Noções Básicas de identificação da qualidade de cabos coaxiais e pares trançados Este tutorial apresenta noções básicas de identificação da qualidade de cabos coaxiais e pares trançados. Mauricio Matos

Leia mais

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição Professor Jorge Alexandre A. Fotius Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Em áreas urbanas com baixa densidade

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CADASTRO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CD.DT.PDN.03.14.001 03 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA E CADASTRO (DEEE) SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

www.rcmcaboseletricos.com.br

www.rcmcaboseletricos.com.br Distrito Industrial Porto União SC Brasil End: Rua Paulista 300 CEP 8900000 Tel: (2) 3523.8785 (2) 352.3353 www.rcmcaboseletricos.com.br catálogo de produtos Nós trabalhamos com energia. A RCM Cabos Elétricos

Leia mais

O Site da Eletrônica Aterramento

O Site da Eletrônica Aterramento O Site da Eletrônica Aterramento 1 - Generalidades As características e a eficácia dos aterramentos devem satisfazer às prescrições de segurança das pessoas e funcionais da instalação. O valor da resistência

Leia mais

Tipos de linhas. Sumário Linhas Elétricas Dimensionamento. Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas

Tipos de linhas. Sumário Linhas Elétricas Dimensionamento. Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Tipos de linhas Sumário Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Instalação dos condutores Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Os cabos multipolares só deve conter os condutores de um

Leia mais

TABELA DE PREÇOS OUTUBRO 2010 V. 1

TABELA DE PREÇOS OUTUBRO 2010 V. 1 TABELA DE PREÇOS OUTUBRO 2010 V. 1 CABO VINIL FLEXÍVEL CABOS 0,6/1kV CABO FITER FLEX CABO AFITOX EP90-F 1kV 1 2 4 1,5 1,22 2,597,480 4,568 2,5 1,78,849 5,249 6,86 4 2,584 5,556 7,727 10,167 6,647 7,711

Leia mais

CAPACIDADE DE CONDUÇÃO DE CORRENTE 1/40

CAPACIDADE DE CONDUÇÃO DE CORRENTE 1/40 1/40 Os valores de capaci dade de condução de correntes constantes das tabelas a seguir, foram calculados de acordo com os critérios estabelecidos pela NBR 11301. Para os cálculos foram consideradas aterradas

Leia mais

4 LINHAS ELÉTRICAS. Figura 5: Exemplos de fios e cabos.

4 LINHAS ELÉTRICAS. Figura 5: Exemplos de fios e cabos. 8 4.1 Condutores elétricos. 4 LINHAS ELÉTRICAS Os condutores elétricos constituem os principais componentes das linhas elétricas que conduzem eletricidade até as cargas elétricas. Define-se condutor elétrico

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-13/07/2009 13/07/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior SUMÁRIO 1. RESUMO...3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...3 3.

Leia mais

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA MODELO TAM TRANSFORMADORES - TIPO TAM Os transformadores a seco moldados em resina epóxi são indicados para operar em locais que exigem segurança, os materiais utilizados em sua construção são de difícil

Leia mais

Fitas Elétricas. Fita Isolante Scotch 33 + com impressão Uso profissional. Fita Isolante Highland Uso geral e industrial até 750V

Fitas Elétricas. Fita Isolante Scotch 33 + com impressão Uso profissional. Fita Isolante Highland Uso geral e industrial até 750V Fitas Elétricas Fita Isolante Scotch 33 + com impressão Uso profissional Fita Isolante Highland Uso geral e industrial até 750V A primeira fita isolante certificada pelo Inmetro, na NBR 5037/83, é também

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2 NORMA TÉCNICA CELG Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição NTC-18 Revisão 2 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

Informe Técnico SOLUÇÃO REMASTER 1.1 1.0 - DESCRIÇÃO DO PISO ELEVADO REMASTER 1.2. www.remaster.com.br

Informe Técnico SOLUÇÃO REMASTER 1.1 1.0 - DESCRIÇÃO DO PISO ELEVADO REMASTER 1.2. www.remaster.com.br A Remaster é uma empresa que proporciona um conjunto de soluções integradas e inteligentes em networking e revestimentos. Uma solução revolucionária composta por piso elevado, rede elétrica modular e cabos

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.009 SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA

Leia mais

Fios, Cabos, Cordões e Fitas Adesivas

Fios, Cabos, Cordões e Fitas Adesivas Página: 1/22 Elaborado por: Douglas Ferreira Verificado por: Karen Carolina Martins Aprovado por: Nelson Coelho Data Aprovação: 18/08/2014 1 - OBJETIVO Este documento apresenta os critérios complementares

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças 1 de 7 01/12/2014 10:25 PREGÃO ELETRÔNICO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças Pregão Eletrônico Nº 00052/2014(SRP) - Pregão abandonado RESULTADO

Leia mais

Instala es El tricas. Curso Completo

Instala es El tricas. Curso Completo Instala es El tricas Curso Completo SUMÁRIO 1 A Produção de Energia Elétrica...7 1.1 Usina Hidroelétrica...7 1.2 Usina Termoelétrica...7 1.3 Usina Nuclear...7 1.4 Usina Alternativa...7 2 A Transmissão

Leia mais

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO www.celesc.com.br PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL

Leia mais

CAPÍTULO I Normas brasileiras para instalações e condutores elétricos

CAPÍTULO I Normas brasileiras para instalações e condutores elétricos CAPÍTULO I Normas brasileiras para instalações e condutores elétricos As normas brasileiras são elaboradas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Em particular, as normas de eletricidade

Leia mais

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS No caso das instalações elétricas existentes nos espaços não comportarem a carga elétrica a ser ligada pelo evento, é necessário que a Contratante apresente os documentos e respeite as condições mínimas

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE ELÉTRICOS INTRODUÇÃO Os fatores básicos que envolvem o dimensionamento de um condutor são: tensão nominal; freqüência nominal; potência ou corrente

Leia mais

INDICE. Catálogo de cabos industriais e energia CAPÍTULOS

INDICE. Catálogo de cabos industriais e energia CAPÍTULOS INDICE Catálogo de cabos industriais e energia CAPÍTULOS 1 Cabos de Energia Harmonizados 2 Cabos de Energia - Baixa Tensão (0,6/1kV) 3 Cabos de Energia de Média e Alta Tensão 4 Cabos de Segurança 5 Cabos

Leia mais

O bom funcionamento de um Grupo Gerador depende fundamentalmente de sua instalação.

O bom funcionamento de um Grupo Gerador depende fundamentalmente de sua instalação. INSTALAÇÃO DE GRUPO MOTOR GERADOR INTRODUÇÃO O bom funcionamento de um Grupo Gerador depende fundamentalmente de sua instalação. Se o Grupo Gerador for instalado dentro dos parâmetros recomendados e se

Leia mais

Normas Atendidas. Tubos de aço carbono, sem costura, trefilados a frio, para permutadores de calor ou condensadores.

Normas Atendidas. Tubos de aço carbono, sem costura, trefilados a frio, para permutadores de calor ou condensadores. 4 Empresa Certificada ISO 9001 Distribuição de Tubos em Aço Carbono Tubos sem Costura Tubos de aço sem costura são utilizados em aplicações como cilindros hidráulicos, componentes de transmissão, oleodutos,

Leia mais

Transformadores Secos. Motores Automação Energia Tintas

Transformadores Secos. Motores Automação Energia Tintas Motores Automação Energia Tintas www.weg.net Em um Transformador Seco WEG, há mais de 40 anos de experiência na fabricação de motores elétricos, mais de 25 anos na fabricação de transformadores e toda

Leia mais