EXPORTAÇÕES DE COTIA E OSASCO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXPORTAÇÕES DE COTIA E OSASCO"

Transcrição

1 CASA DO EMPREENDEDOR DE OSASCO RODADA DE NEGÓCIOS EM VARGEM GRANDE EMPRESÁRIOS VOLTAM A FALAR DAS FALHAS DE ENERGIA ano 02 Nº 05 Circular para Presidência Diretoria Engenharia Produção RH MKT Outros EXPORTAÇÕES DE COTIA E OSASCO CIESP CASTELO: Barueri, Carapicuíba, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus e Santana de Parnaíba CIESP COTIA: Araçariguama, Cotia, Embu das Artes, São Roque, Taboão da Serra e Vargem Grande Paulista

2 Loteamento aprovado em todos os órgãos competentes. Associação de proprietários do Parque Industrial San José II devidamente constituída. Empreendimento registrado nas matrículas e no Registro de Imóveis e Anexos da Comarca de Cotia. Alvarás da Prefeitura de Vargem Grande Paulista nª 095/2011 e 096/2011. Consultar detalhes dos lotes no plantão de vendas

3 Loteamento aprovado em todos os órgãos competentes. Associação de Proprietários do Parque Industrial San José devidamente constituída. Empreendimento registrado na matrícula no Registro de Imóveis e Anexos da Comarca de Cotia. Álvara da Prefeitura Municipal de Cotia nº 060/2011. Consultar detalhes dos lotes no plantão de vendas. Galpões sobre medida para compra ou locação; Terrenos a partir de 1.000m² para venda; Local estratégico de fácil acesso a importantes rodovias; Pagamento facilitado em até 36 meses; Infraestrutura completa.

4 editorial Matérias com Conteúdo Esta edição está recheada de matérias com bastante conteúdo, que procuramos selecionar para vocês, caros leitores, na linha editorial da nossa revista, que procura transmitir mais conhecimento e informações úteis ao empresário e a seus colaboradores. Começamos com a matéria do presidente da FIESP, Paulo Skaf, que aborda o tema Empreender e Inovar imprescindível para a nossa indústria caminhar para a frente e exportar produtos novos. Nesse linha apresentamos duas matérias sobre exportação, com a boa surpresa do desempenho de Cotia, crescimento anual constante no volume de produtos exportados, superando o município de Osasco e Novos Instrumentos de Defesa Comercial anti Dumping. Artigo interessante é sobre a abusiva Tributação das Multinacionais Brasileiras, com uma das taxas mais altas do mundo, impedindo a expansão destas empresas no mercado global, escrito por Marcos Sawaya Jank, Diretor Global de Assuntos Corporativos da BRF. Também apresentamos importante artigo sobre a função dos Conselheiros na administração das empresas públicas e privadas, em função da aprovação da compra da refinaria de Pasadena. Continuamos dando atenção ao problema das interrupções frequentes de energia, com a opinião de diretores das empresas Delphi e Ornare sobre os prejuízos que este problema constante na região aumenta consideravelmente o custo Brasil, além do sufoco da falta de mobilidade na Raposo Tavares. Preste atenção ainda nos Cursos e Palestras que serão ministrados, e escolha o CIESP para emitir os Certificados de Origem e os Certificados Digitais, pois além de preços especiais aos nossos associados, você conta com melhor atendimento e serviço profissional. Observe ainda os Eventos que virão, como a Rodada de Negócios e o II Encontro Empresarial. Depois de ler a revista, passe-a para o seu colega de trabalho ao lado, repartindo o conhecimento e a informação por toda a empresa, imprescindível no mercado cada vez mais competitivo Boa leitura. João Lino Editor Walter Sacca (Diretor Titular CIESP Cotia) Fábio Starace Fonseca (Diretor Titular CIESP Castello) Claudia Regina Papi (Gerente Regional) Lourdes Proença (Gerente Regional) Rua Paula Rodrigues, Osasco - SP Fone: /4714 ciespcastelo.com.br DIRETORIA REGIONAL CASTELO Diretor Titular Fabio Starace Fonseca 1º Vice-Diretor Sergio Marchesi 2º Vice-Diretor Christian Bennecke CONSELHO Alciney Tadeu da Rocha Altair Antônio de Souza Antonio Carlos M. Abreu Carlos Alberto Orlando Carlos Roberto Seicentos Clemens de Souza Daniel Fernandes Borrelly Dirceu Paulino Enrique Robles Garcia Fábio da Silva Félix Jandir Barboza Joaquim X. Isaac José Carlos Andrade Nadalini José Francisco de Sá Ribeiro José Soares Juracy Rubens F. D. Lucca Luiz Carlos de G. M. Strobel Manoel Lima Domingues Manoel Torres Sobrinho Mário Jorge Nyari Maurizio Cozzi Pércio Michalski Ramos Ronaldo K. Rodrigues Silvio Ferreira Dutra Rodrigues Rua do Amor Perfeito, Cotia - SP Fone: ciespcotia.com.br Diretoria Regional Cotia Diretor Titular Walter Sacca 1º Vice-Diretor José de Vasconcellos Jr. 2º Vice-Diretor Terezinha de Jesus C. de Almeida CONSELHO Marcelo Santiago Trindade Mario Leopold C. Appel Mauro Daffre Anselmo Nakatani Ronald Ferfila Vinício Cesar Pensa Carlos Peterson Tremonte Francisco Saraiva S. Torres Jr Giovanni Ciriaco Maio Roberto Klaus Huessner Julio Ricardo Bacheschi Paulo Eduardo Alves Correa Norbert Edwin Lammers Claudio Hanaoka Ari José fonts Marques Pedro Augusto P. de Queiroz Mauricio Gemignani Eduardo Jorge F. Soares Marcio Yutaka Abe Marcelos Santos Dutra José Carlos Nunes Paulo Rezende de C. Reis Jair Carlos Zanandréa Leandro Cavallaro José Paulino R. Ribeiro Achille Ferrario Nelson Luiz Barbosa Carlos del Nero Gilmar Fernandes Ivete Judith R.S. de Carvalho Ulisses Vieira Mario Cesar Moreira Orlando D.T. Zungolo Cleisson Baldassi filho Nelcino Oliveira Primo Washington T. T. Nishiyama Toni Guede Pellicer Fabio Hermes Queiroz Editoração e Comercialização: Ace Mais Tel.: / Diretor Comercial e Editor: João Lino da Silva Comercial: Magali Moreira Direção de Arte: Adriana Azevedo Tiragem: exemplares Impressão: Gráfica Elyon A Revista CIESP é uma publicação das diretorias regionais dos CIESP Castelo e Cotia. Artigos assinados não refletem a opinião da Revista CIESP, sendo de inteira responsabilidade de seus autores. 4

5 Realização *A metragem apresentada contempla área de depósito privativo. Planejamento e Vendas Registro de Incorporação, sob nº R2 na Matrícula de 07/04/2009 do 2 Ofício de Registro de Imóveis de São Caetano do Sul - Fotos e perspectivas meramente ilustrativas. Os acabamentos serão entregues conforme memorial descritivo. Perspectiva artística do living Ideias que vendem com a experiência de 25 anos Tempo Saúde - Campanha institucional MPD Engenharia Campanha Spazio Club Barueri Tempo Assist Manual usuário Delphi - Catálogo Schneider Electric - Catálogo Queluz - Portfólio Institucional MECÂNICA VIAGEM PREMIADA TEMPO AFINIDADES Objetivo: trata-se de uma campanha de vendas da TEMPO AFINIDADES para incentivar os analistas Credicard, a buscar melhores desempenhos no trimestre maio, junho e julho de Como participar: todos os analistas das bases Credicard (Vidax e Flex) que oferecem produtos da TEMPO AFINIDADES podem participar e terão as mesmas oportunidades. Periodicidade: o período da campanha será de 07 de maio a 27 julho Premiação: SEMANAL: sorteio de 05 prêmios surpresas para cada central, dentre os analistas que atingirem a meta de vendas da semana. MENSAL: A campanha dará cartões presente, para troca, para premiar do 1 ao 3 lugar, de cada central, com melhor desempenho. FINAL: viagens para premiar do 1 ao 3 lugar no ranking geral das duas centrais. Semanalmente, todos os analistas de cada central participante, que atingirem a meta de performance em vendas de produtos da TEMPO AFINIDADES, irão participar do sorteio que vai distribuir 05 brindes temáticos surpresa. Em paralelo, ocorre a tabulação mensal de performance. Ao final do mês, os três melhores desempenhos de cada central, vão receber um cartão presente Saraiva com os seguintes valores: 1 Lugar: R$ 120,00-2 Lugar: R$ 100,00-3 Lugar: R$ 80,00, para trocar nas lojas ou site da Livraria Saraiva. Ao final da Campanha Viagem Premiada, os três analistas que apresentarem o melhor desempenho, entre as duas centrais, no acumulado geral dos três meses de campanha, vão ganhar uma viagem conforme sua colocação. O 1 colocado vai ganhar uma viagem Internacional de quatro dias, com acompanhante e cartão de crédito com R$ 600,00 para despesas extras, a escolher entre Buenos Aires (Argentina) ou Punta Del Este (Uruguai). 2 e 3 Colocados vão ganhar uma viagem nacional de quatro dias, com acompanhante e cartão de crédito com R$ 600,00, a escolher entre Salvador, Foz do Iguaçu e Gramado. Critérios para desempate: se houver empate de valores totais vendidos, será vencedor o analista que tiver atingido o maior valor com menor número de unidades vendidas. PrEPArE-SE! APERTE O CINTO que A VIAGEM VAI COMEçAR Perspectiva artística da varanda gourmet com churrasqueira e pia Perspectiva artística da varanda lazer Ilustração artística da fachada LANÇAMENTO ESPAÇO, CONFORTO E SOFISTICAÇÃO EM DOBRO 4 SUÍTES 4 VAGAS 240M 2 ÁREA PRIVATIVA 2 POR ANDAR Living com varanda dupla A Varanda Lazer e a Varanda Gourmet acopladas ao living dão um toque de praticidade e modernidade, valorizando a arte de bem viver, com conforto e elegância. 2 COBERTURAS 5 VAGAS Visite o site e faça uma visita virtual 360º pelo apartamento decorado. SÃO CAETANO DO SUL - SANTA PAULA LIVING COM VARANDA DUPLA Lazer completo Piscina adulto com deck de madeira Piscina infantil e Solarium Churrasqueira e Forno de pizza Fitness Center, Spa, Saunas seca e úmida Salão de jogos Salão de festas com Espaço gourmet Brinquedoteca Espaço de recreação infantil LAZER COMPLETO ACE+ Bia e Branca Feres, as gêmeas do nado sincronizado Creci J DBM Lee Hecht Harrison Convite Evento Tempo Saúde Campanha Incentivo Rua Maranhão, 456 Braido Ceceli - Anúncio Jornal Croqui ilustrativo de localização sem escala Tel.: /

6 CHAPEU FIESP presidência chapeu Empreender e inovar, vocações brasileiras. É preciso uma cruzada de todos os setores da sociedade, de maneira que mantenha o Brasil não apenas com esta vocação para empreender, mas que mude os rumos da Nação. o Relatório Global de Empreendedorismo 2013, realizado pela empresa especializada em venda directa Amway, mostra que mais de 70% dos convidados a participar do levantamento afirmaram ter uma visão positiva a respeito do empreendedorismo. Há que se ressaltar que o levantamento revelou que atitudes empreendedoras continuam sendo bem vistas no mundo globalizado. O lado negativo da pesquisa é que 70% dos entrevistados revelaram que o maior receio entre eles é o fracasso do novo negócio. No Brasil, onde temos um povo empreendedor e com espírito realizador, e por isso chegamos ao posto de 7ª economia do mundo, é grande o desejo de ser dono e conduzir o próprio negócio. Esse comportamento está presente em todas as classes sociais e faixas etárias. Somos um dos países com o maior percentual de mulheres empreendedoras no mundo. Temos leis que estimulam o empreendedorismo, como a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa e a Lei do Microempreendedor Individual. 6 As informações sobre produtos, negócios e marcas são cada vez mais acessíveis e compartilhadas. E o mais recente relatório do Global Entrepreneurship Monitor (GEM), com dados de 2013, coloca o Brasil como uma das nações com maior taxa de empreendedores em estágio inicial entre os países do Brics e do G20, ou seja, 17,3% do total de empreendedores. Esses são sinais do potencial brasileiro na área dos negócios, na pratica de empreender. Mas, é importante deixar bem claro que o País precisa avançar muito mais nas políticas de apoio, infraestrutura e capital formal. E esta é uma iniciativa que não deve partir apenas das esferas de governos. É preciso uma cruzada de todos os setores da sociedade, de maneira que mantenha o Brasil não apenas com esta vocação para empreender, mas que mude os rumos da Nação, também, na vocação por inovação que deve ser encarada como uma prioridade estratégica. Em nossas entidades, por exemplo, há o que podemos chamar de escolas para formação de lideranças empresariais e de entidades do Foto: Junior Ruiz/Fiesp

7 negócios rodada futuro. Refiro-me ao Núcleo e ao Comitê de Jovens Empreendedores o NJE do Ciesp e o CJE da Fiesp, formados por empresários jovens das mais diversas atividades da indústria. Por vocação, o NJE e o CJE identificam e desenvolvem novas lideranças institucionais e empresariais, aprimorando suas qualidades de gestão com foco na maior competitividade e desenvolvimento do empreendedorismo nos diversos setores da economia. Junto desse trabalho de estimulo ao empreendedorismo não abrimos mão de que o tema inovação seja presente entre empreendedores, que todos se informam cada vez melhor sobre a importância da inovação, e que há muitos esforços nessa direção, mas falta o principal: o investimento com estratégia. Há uma grande distância entre a geração da ideia e a concretização da ideia. Temos aí um dos gargalos que comprometem o futuro do Brasil. Os investimentos em desenvolvimento e pesquisa em nosso País, entre 2000 e 2010, tiveram um crescimento residual, de 1,02% para 1,16% do PIB. É muito pouco para um País que quer ter produtos para competir em mercados globais avançados. Estamos investindo em inovação menos da metade, e em alguns casos até mesmo um terço, de países como Alemanha, Coréia do Sul, Japão e França. É preciso mudar esse quadro com investimentos focados e substanciosos, para que dentro de alguns anos nossas empresas possam disputar e liderar mercados de tecnologias avançadas. No Senai-SP mantemos unidades de nanotecnologia iguais às que só existem na Alemanha e, com o apoio da Fiesp, do Ciesp, da Agência USP de Inovação e do Sebrae-SP, estamos capacitando centenas de pequenas empresas paulistas em gestão da inovação. O Senai paulista ministra ensino técnico e tecnológico que é modelo e referência para o Brasil. São cursos modernos, que se destacam pelo foco nas demandas da indústria e nas vocações das regiões onde estão instaladas as unidades. Nossa instituição promove anualmente a feira Inova Senai, na qual professores e alunos demonstram a sua capacidade de criar e desenvolver raciocínio lógico por meio de inovações. É, sem dúvida, um dos maiores estímulos ao empreendedor que busca por inovação na sua empresa. A Fiesp é interlocutora permanente da indústria junto aos Governos Federal, Estaduais e Municipais neste último caso, por intermédio das diretoriais regionais do Ciesp e procuramos tirar o melhor proveito disso. Mantemos contatos frequentes com Ministérios, Secretarias, Diretorias e Departamentos, Institutos de Pesquisas, Universidades aos quais encaminhamos nossas reivindicações, sempre no sentido de que a prioridade é retomar a competitividade do Brasil, garantir nossa vocação para empreender e inovar e oferecer vida e renda melhores para todos os brasileiros. *Paulo Skaf é presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo Fiesp/Ciesp Quer falar com mais de executivos, de indústrias de 13 municípios da região Oeste? Anuncie na Revista CIESP das regionais Castelo e Cotia. O melhor canal de comunicação para vender para PF e PJ. Enviada através do mailing corporativo do CIESP. Informações: A única revista da região Oeste que alcança 13 municípios Vista também nos sites: CIESP CASTELO: Barueri, Carapicuíba, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus e Santana de Parnaíba CIESP COTIA: Araçariguama, Cotia, Embu das Artes, São Roque, Taboão da Serra e Vargem Grande Paulista

8 educação curso O SENAI também tem cursos na área de TI! Nesse curso, o aluno é capacitado para atuar nas etapas de implementação, manutenção e administração de uma rede de computadores. Área em evidência no cenário nacional, a Tecnologia da Informação está presente na vida de todos desde aplicações destinadas ao usuário comum como sites de entretenimento e notícias, Facebook, Skype, s, Youtube, Whatsapp, aplicativos para celular, etc. até as aplicações de grande porte voltadas para empresas e indústrias, seja por meio de site, softwares, aplicativos e/ou mídias sociais, como em questões estratégicas de infraestrutura como cabeamento estruturado, telefonia IP, armazenamento em nuvens, serviços de redes, segurança da informação, monitoramento por câmeras, controle de acesso, entre outros. Atualmente esses são assuntos comuns tratados pelas empresas e indústrias brasileiras, desde a etapa de projeto de novas unidades à atualização de infraestruturas já existentes. Para atender essa demanda, o SENAI oferece cursos direcionados a essa área também, como é o caso do Curso Técnico de Redes de Computadores. Nesse curso, o aluno é capacitado para atuar nas etapas de implementação, manutenção e administração de uma rede de computadores. Suas atividades contemplam desde o projeto de cabeamento estruturado, a instalação física, a configuração dos equipamentos que compõe uma rede de computadores como switch, servidor, access point, roteador, entre outros, até a manutenção de toda a estrutura e administração dos servi- ços que uma rede de computadores oferece. Esse assunto é novo e consequentemente não há muitos profissionais qualificados no mercado, reforçando assim a atuação no SENAI nesse segmento. O Curso Técnico de Redes de Computadores do SENAI de Jandira dispõe de uma grande quantidade de equipamentos para uso prático dos alunos em laboratórios especialmente projetados para simular ambientes reais de aplicação, contando com laboratório específico para cabeamento estruturado, laboratório específico para configuração e administração de serviços de rede com infraestrutura completa, laboratório específico para Tecnologias de hardware, contando com diversas tecnologias de servidores, desktops e ativos de redes, laboratório específico para automação de serviços de redes e segurança, além de laboratórios de informática com softwares de uso comum. Enfim, o Curso Técnico de Redes de Computadores do SENAI de Jandira forma profissionais capacitados em uma estrutura que proporciona o aprendizado na prática, fazendo com que o aluno, após o curso, tenha mais segurança para exercer a profissão, pois no SENAI você aprende fazendo. Os alunos Jeniffer Evangelista dos Santos de Siqueira e Jean Marcos Alves. Encontre maiores informações sobre os cursos do SENAI de Jandira em: jandira.sp.senai.br 8

9 Castelo Cotia 2ª RODADA DE NEGÓCIOS VARGEM GRANDE PAULISTA GRANDES OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS INSCRIÇÕES ABERTAS DIA: 29 DE MAIO HORÁRIO: Das 13 às 18h LOCAL: CENTRO MARIÁPOLIS GINETTA RUA: José Coelho Casa, nº 55 - Vargem Grande Paulista Informações: acemais.com.br Centro de Excelência Odontológica Granja Viana com multi especialidades A Granclinic Odonto está preparada para receber você e sua família, com a excelência de sempre e equipamentos de última geração. Prevenção: profilaxia e aplicação tópica de flúor Dentistica: restaurações em geral, clareamento dentário, facetas de porcelana Endodontia: tratamento de canal Periodontia: tratamento da gengiva Prótese Dentária: coroas de porcelana, dentadura, ponte móvel Cirurgia: extração de dentes (incluindo o dente siso), enxertos ósseos, cirurgia de gengiva Ortodontia: aparelhos móveis infantil/adulto, aparelhos fixos (metal ou porcelana), aparelho invisível (invisalign) Dor Orofacial: placa de bruxismo, tratamento de dores na face Implantodontia: implantes dentários Odontopediatria Odontogeriatria Av. São Camilo, 899, 1º and. - Granja Viana Cotia/SP Tels.: / Estacionamento grátis Diretora Técnica: Dra. Lisandra Espindola Roese CRO-RS: e CRO-SP:

10 educação curso DELPHI FORMA ALUNOS DO PROJETO SOCIAL FORMARE EM COTIA Por João Lino O Formare é um ambiente de aprendizagem profissional que desenvolve, por meio da ação voluntária, a potencialidade de jovens de populações de baixa renda, do entorno, para integrá-los à sociedade como cidadãos e profissionais. Projeto Formare - a primeira franquia social sem fins lucrativos do Brasil, é um dos projetos da Fundação IOCHPE. Instituída em 1989 pela Iochpe-Maxion S/A --grupo empresarial que opera nos segmentos de autopeças e equipamentos ferroviários--, a Fundação desenvolve programas nas áreas de educação, cultura e bem-estar social, realizando parcerias com entidades públicas e privadas, como Delphi, Suzano, Meritor, ZF e outras. O Formare possui quatro focos: Atenção ao educando, de forma a promover seu desenvolvimento como profissional e cidadão integrado ao meio em que vive. Atenção ao educador, identificado junto ao corpo funcional da empresa mantenedora, que, ao trabalhar como voluntário, assume a sua função como cidadão. Atenção ao espaço físico, que deve ser preparado de modo a possibilitar a integração do fazer e do pensar nas atividades previstas no planejamento curricular. Atenção com a inserção dos alunos formados no mercado de trabalho, com acompanhamento e orientação no período inicial. Números do projeto 56 empresas parceiras 82 escolas educadores voluntários jovens em formação/ano Cerca de 15 mil jovens capacitados Delphi forma 12ª turma No dia 19 de março, a Delphi realizou a formatura de mais uma turma do Projeto For- 10 mare. Durante a cerimônia, 20 alunos da fábrica de Cotia, em São Paulo, receberam o certificado de conclusão do curso profissionalizante de Assistente de Produção e Serviços, ao lado suas respectivas mães. Os estudantes fazem parte da 12ª turma a se formar na unidade, totalizando 240 jovens de baixa renda já formados na região. Além de Cotia, o Projeto Formare também está presente nas unidades de Jambeiro, Jaguariúna, Itabirito, Paraisópolis e Espírito Santo do Pinhal. Desde 2001, ano inicial do projeto na Delphi, mais de 900 alunos já foram capacitados nos cursos profissionalizantes e, em 2014, a Delphi prevê formar mais de 100 estudantes. A mesa que presidiu a diplomação estava formada por: Luiz Raffagnato - Diretor Adjunto de Operações da planta da Delphi em Cotia; Luiz Antonio Medeiros - Superintendente Regional do Trabalho e Emprego de São Paulo; Cris Meinberg - Fundação Iochpe e Luciana Almeida - Gerente do Jurídico da Delphi para a América do Sul e Coordenadora Corporativa do Formare. Todo o processo educacional é realizado por funcionários voluntários da Delphi, que se dedicam, com muito carinho e entusiasmo, que aqui destacamos: Amanda Santos (Educação Ambiental); Anderson Esteves Freitas (Informática); Andreazio Silva Delmondes (Desenho industrial/ Comunicação & Relacionamento); Arivaldo Ap. Silva (Comunicação e Relacionamento); Bruna Gallo (Higiene Saúde e Segurança); Carlos Eduardo Costa (Instrumentos e Medidas/Administração da Produção e Montagem/Automação e Conservação); Daniel Niimoto (Organização Industrial e Comercial/Administração de Vendas e Serviços); Dionis Morganti (Empreendedorismo); Everaldo Euzébio (Instrumentos e Medidas); Hailton Lira O de Oliveira (Ajustagem Mecânica); Henrique B. Novaes (Instrumentos e Medidas); Icaro Ramos (Matemática Aplicada); Jessica Mendes Wille (Organização Industrial e Comercial); José Cláudio Marques (Informática); Leandro Castilho (Fundamentação Numérica/Administração da Produção e Montagem/Automação e Conservação); Leandro Folha (Materiais e Processos); Philipe Camara (Matemática Aplicada); Rafael Barbosa Silva (Educação Ambiental); Raimundo Costa (Desenho Técnico Mecânico/Ajustagem Mecânica); Raphael Borges de Oliveira (Automação e Conservação); Rogério Rudi da Vitória (Organização Industrial e Comercial/Administração de Vendas e Serviços); Tania Ribeiro Queiroz (Higiene Saúde e Segurança).

11 IMPOSTOS ônus Tributação das multinacionais brasileiras Marcos Sawaya Jank (*) - Jornal O Estado de São Paulo, 18/03/2014, Opinião, A-2 O Brasil conta hoje com aproximadamente 50 empresas multinacionais que se vêm expandindo com sucesso no mundo. A internacionalização dessas empresas decorre de notórias competências gerenciais, da atuação em segmentos em que o Brasil consolidou vantagens competitivas globais e, em alguns casos, da impossibilidade de crescer no País em razão de restrições da legislação de defesa da concorrência. Esse fenômeno gerou intenso debate sobre um modelo de tributação de lucros auferidos no exterior adequado aos interesses do País, que possa pacificar uma década de conflitos entre a Receita e o setor privado. Porém, antes de analisar a situação brasileira, é importante listar os dois principais modelos tributários praticados no mundo. A maioria dos países desenvolvidos, principalmente na Europa e na Ásia, adota o sistema de isenção tributária na origem do investimento. Esse modelo é preconizado pela OCDE, pois incentiva a internacionalização e a competitividade das empresas, eliminando a dupla tributação de forma ampla. Basicamente as empresas pagam os impostos nos países destino onde atuam e recebem no seu país de residência isenção total ou parcial (em geral, de 95%) dos impostos sobre os dividendos que forem repatriados para a matriz. O segundo sistema, vigente nos EUA e em alguns outros países, pode ser classificado como neutro. Neste caso, o país de origem dos investimentos tributa os lucros gerados pelas controladas no exterior no momento em que estes são distribuídos para a matriz. Esse foi o modelo utilizado no Brasil até Nesse ano, porém, uma medida provisória (MP 2.158/2001) determinou que os lucros de qualquer operação no exterior seriam tributados pela alíquota brasileira, de 34%, ao final de cada ano, mesmo que eles não fossem disponibilizados para os acionistas no País. Essa MP, que não encontra paralelo em nenhum local do planeta, se tornou perene sem nunca ter sido votada no Congresso, por força da emenda constitucional que proibiu a reedição infinita de MPs (que desde então caducam se não forem votadas em até 120 dias). Ignorando dezenas de tratados internacionais contra a dupla tributação assinados pelo Brasil, a Receita passou a autuar empresas que promoviam a consolidação de seus lucros em holdings no exterior, criando enorme contencioso que só traz incertezas ao ambiente produtivo. Em novembro foi editada nova MP, 627/1013, a ser votada até o mês que vem, que traz como conceito central o recolhimento no Brasil da diferença entre a alíquota paga no exterior e os atuais 34% vigentes no País. Essa diferença será calculada pela variação patrimonial a cada exercício, independentemente de os lucros serem reinvestidos no exterior ou remetidos de volta como dividendos. As empresas que estão hoje investindo em capacidade produtiva no exterior definitivamente não ficaram satisfeitas. Para elas, não se trata de apenas melhorar as condições do modelo tributário de 2001, mas sim, de adotar um modelo compatível com as práticas dominantes no mundo, que permita disputar o mercado em condições de igualdade com concorrentes locais e globais em cada país-alvo. Vejamos o caso da BRF. Criada em 2009 pela fusão da Sadia e da Perdigão, a BRF hoje enfrenta restrições para adquirir empresas no Brasil por força de um acordo firmado com o Cade. Ao mesmo tempo, a empresa enxerga uma imensa oportunidade para expandir atividades em outros países e com isso incrementar sua capacidade produtiva no Brasil, plataforma de sua expansão. Terceiro maior exportador do planeta, o Brasil tornou-se referência global no agronegócio mundial, exportando para mais de 170 países. Agora é hora de as empresas brasileiras se internacionalizarem, e as maiores oportunidades estão nos países em desenvolvimento. Um dos setores mais nobres para a internacionalização é o de proteínas de origem animal, cujo consumo ainda é baixo principalmente na Ásia, na África e no Oriente Médio. É nesse sentido que a empresa vai inaugurar no segundo semestre, em Abu Dhabi, a maior fábrica de processados de carnes do Oriente Médio e estuda investimentos em outros países. Vale destacar que a construção ou aquisição de plantas industriais representa muito mais do que investimentos no exterior. Ela traz consigo o uso de know-how e tecnologia nacional, a geração de empregos para brasileiros no País e no exterior, o pagamento de tributos no Brasil decorrente dessas atividades e representa um caminho fundamental para tornar viável o acesso a mercados hoje totalmente fechados para o Brasil. A KPMG levantou as condições de tributação de 123 países no mundo e apenas 9 aplicam alíquotas superiores à do Brasil. Quase metade dos países levantados (54) aplicam alíquotas abaixo de 20% e muitos destes são destino natural para a expansão das empresas do agronegócio. A pergunta é: como tornar viáveis investimentos produtivos, pagando 34% de imposto, em países que tributam abaixo de 20%? E aqui ainda temos um círculo vicioso: quanto maiores forem os benefícios fiscais e de atração de investimentos concedidos pelo país onde queremos investir, menor será nossa competitividade em relação aos concorrentes locais. Além disso, se quisermos continuar a reinvestir os lucros no exterior, teremos de buscar outros recursos para pagar o imposto adicional no Brasil sobre o lucro da operação estrangeira, o que geraria uma redução dos investimentos em território brasileiro. Se o Brasil insistir nesse modelo tributário tão rígido e reducionista, único no planeta, dificilmente as controladas das empresas brasileiras no exterior vão conseguir competir com seus concorrentes, principalmente no mundo em desenvolvimento, onde teríamos de arcar com uma carga tributária que seria mais que o dobro da deles. Uma das consequências nefastas desse modelo é condenar o Brasil a continuar sendo um país de empresas controladas, e não de controladoras. (*) Diretor Global de Assuntos Corporativos da BRF. 11

12 EMPRESA conselheiros Responsabilidades dos Conselheiros em empresas privadas e públicas Por Fábio Cornibert (*) OS FATOS O tema Governança Corporativa e responsabilidade dos Administradores, que também inclui os Conselheiros, volta à tona nos jornais após o fato que veio a público sobre a compra da refinaria de Pasadena nos EUA pela Petrobras, cujo Conselho de Administração aprovou em 2006 a compra de 50% da refinaria por US$ 360 milhões, sendo que um ano antes, 100% da refinaria havia sido adquirida pela Belga Astra Oil por US$ 42,5 milhões. A aprovação da compra pelo Conselho da Petrobras foi baseada no Resumo Executivo (que tinha 2 paginas e 13 parágrafos) e que suportava a compra baseada na expansão dos negócios na área Internacional nos EUA e agregava valor ao excedente de Petróleo pesado produzido pela empresa e em alinhamento com o planejamento estratégico da Petrobras. Neste documento nada foi mencionado sobre a cláusula de Put Option, nem a fórmula de preço dos 50% restantes em caso de divergências entre os sócios, bem como nada foi mencionado sobre a cláusula Marlim que garantia à Petrobras um retorno mínimo de 6,9% ao ano. Após divergências entre os sócios decorrentes de perfis e objetivos opostos e desentendimentos quanto aos investimentos, a sócia Belga ( Astra Oil ) solicitou a execução da cláusula de Put Option e por não chegarem a um acordo o processo foi para a Justiça. A Petrobras perdeu a causa e o custo total da aquisição de 100% da refinaria custou à Petrobras US$ 1.2 bilhão. A Presidente Dilma, que era Presidente do 12 Conselho de Administração na época da aquisição da refinaria de Pasadena e quando do exercício da cláusula de Put Option, disse que tomou conhecimento desta cláusula somente na data que a Petrobras teve que exercê-la. Disse somente agora, 7 anos depois. Duvido, pois esta cláusula é padrão na maioria dos contratos entre sócios. Este documento foi elaborado pelo Diretor da área Internacional da Petrobras, que acabou sendo demitido da BR Distribuidora dia após a Presidente Dilma ter justificado que o Resumo era tecnicamente e Juridicamente falho e pelo Diretor de Abastecimento que hoje esta preso pela Policia Federal em virtude de corrupção. A Presidente Dilma tinha poderes como Presidente do Conselho de solicitar maiores informações e tomar as devidas providencias para minimizar os prejuízos e punir os culpados. Nada fez na época. Deixou o assunto virar notícia para tomar uma medida. RESPONSABILIDADE DOS CONSELHEIROS O IBGC -Instituto Brasileiro de Governança Corporativa e a lei 6404/76 estabelece, dentre outras responsabilidades dos Conselheiros, a de fiscalizar a gestão dos Diretores, examinar livros e papéis da Cia, solicitar informações sobre contratos ou quaisquer atos, aprovar orçamentos e investimentos e acompanhar os resultados e os projetos/investimentos da Empresa. A principal função dos Conselheiros é a criação de valor aos Acionistas. GOVERNANÇA Os 4 princípios básicos de Governança Corporativa estabelecidos pelo IBGC são: Transparência mais do que obrigação, é desejo de informar para gerar um clima de confiança interna e externa à organização. Ética em tudo que se faz. Equidade não só entre sócios de capital, mas também com todas as partes interessadas. Prestação de Contas quem recebe um mandato tem o dever de prestar contas de seus atos. Responsabilidade Corporativa visão de longo prazo, considerações de ordem social e ambiental. Praticar estes quatro princípios na sua íntegra, em toda a empresa e em tudo que se faz, é um processo que leva anos e exige perseverança, consistência nas atitudes e atos e principalmente uma mudança cultural na Empresa. Muitas empresas Brasileiras de capital aberto estão cumprindo ou no processo de cumprir estes princípios. Já nas empresas Estatais, elas estão na sua maioria muito longe do ideal por várias razões: 1 - Visto que a maioria dos cargos das Estatais são políticos e indicados pelos Partidos e/ou Governo, dificilmente a competência na área prevalece. O que podemos esperar destas pessoas?

13 2 - Infelizmente a corrupção esta enraizada em todas as camadas do Governo e das empresas Estatais. Os interesses destas pessoas são para se enriquecerem e terem vantagens e não estão preocupadas com a criação de valor à Empresa. Ética não existe. 3 - Não existe um sistema de meritocracia que privilegie os melhores e os que entregam resultados. 4 - As empresas Estatais são em geral usadas para objetivos políticos ou econômicos e não para a criação de valor à Empresa. A falta destes princípios, aliado à falta de aplicação das boas práticas de Governança Corporativa e de Gestão estão presentes na maioria das empresas Estatais. Haja vista que o valor de mercado da Petrobras caiu em 4 anos um valor equivalente a US$ 120 bilhões, era a 6ª maior empresa do mundo e hoje está perto da posição 120ª. Além disso, por falta de rentabilidade e geração de caixa devido o controle de preços da gasolina, as plataformas estão na sua maioria sucateadas e hoje é a empresa mais endividada do mundo. Coloco algumas perguntas para reflexão: 1 - Como ficam os investidores minoritários que chegaram a perder até 50% do valor investido nas ações da Petrobras? 2 - Uma empresa Estatal que não segue os princípios básicos e as boas Práticas de Governança Corporativa deve ter capital aberto? 3 - Uma empresa Estatal que o Governo usa para atingir objetivos políticos e econômicos deve ter capital aberto? A Conclusão é que o problema é muito mais profundo que o caso de Pasadena. *Fábio Cornibert é sócio da CFN Consultoria. Sobre a CFN A CFN Consultoria é especializada em gestão de negócios. EMPILHADEIRAS USADAS CMP18 Empilhadeiras usadas, marca Clark, movidas a GLP, capacidade de carga 500mm, torre duplex de 4,0m. a partir de *Imagem ilustrativa Ligue agora e garanta a sua! (11) R$ ,00 à vista Consulte outros modelos! 13

14 EMPREENDEDOR osasco Casa do Empreendedor de Osasco: Um espaço de grandes oportunidades e negócios Com vários órgãos reunidos num mesmo lugar, a Casa do Empreendedor de Osasco tem como principal objetivo, ajudar o empreendedor na abertura de sua empresa e prover mecanismos de sustentabilidade e longevidade, ajudando-o a prosperar. Coordenada pela Secretaria de Indústria, Comércio e Abastecimento (SICA) em parceria com diversas instituições estratégicas da cidade, a Casa do Empreendedor é a implementação da política de desenvolvimento, inovação e empreendedorismo da Prefeitura. A estratégia da Casa do Empreendedor é o fortalecimento da economia da cidade, centralizando, em um só lugar, serviços disponíveis ao empreendedor, na área da formalização de empresas, na capacitação e gestão empresarial, na orientação sobre financiamentos e ou microcrédito orientado, entre outros. A Casa do Empreendedor possui parceria com o CIESP Castelo, SEBRAE, CIEE, Sescon, Sindcont-SP, ACEO, Unifesp, Fatec, FacFito, Unifieo e Caixa Econômica Federal. A Prefeitura, através do Programa Osasco Legal, em parceria com a APEC/Junta Comercial do Estado de São Paulo, oferece, na Casa do Empreendedor, todos os serviços de abertura e encerramento de empresas, sistema de gestão ERP, para dotar o empresário com ferramentas de gestão para sua empresa/negócio. Com uma multiplicidade de tarefas, na Casa do Empreendedor, o SEBRAE-SP também disponibiliza um posto avançado que realiza, entre outros serviços, consultorias empresariais personalizadas ou coletivas, workshops e palestras a todos os seguimentos em atividade no município. Na outra ponta, a parceria com a CEF oferece serviços bancários e financiamentos às empresas, microcrédito orientado aos microempreendedores. A Casa do Empreendedor tem base legal em duas Leis municipais: Lei nº 213/2011 e Lei Nº 4437, que trazem, entre outros benefícios, o tratamento favorecido diferenciado na licitação para compras públicas às Micro e Pequenas Empresas, cujos editais são disponibilizados no Portal da Casa do Empreendedor. Para o diretor de Desenvolvimento Econômico da Casa do Empreendedor, José Monção, há muitos avanços no oferecimento dos serviços. Ao produzir estas melhorias em qualidade e oferta de novos serviços ao empreendedor em um só local, a Casa do Empreendedor e os parceiros darão sua contribuição ao desenvolvimento da cidade, afirma. Os serviços gratuitos de intermediação de mão de obra às empresas locais também são disponibilizados aos empreendedores. A Casa do Empreendedor funciona das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira, Rua Dr. Mariano J.M. Feraz, 260, - Osasco Centro, cujo telefone é Prefeito Jorge Lapas Foto: Divulgação/Ivan Cruz-secom-pmo Foto: Divulgação/Secom Serviços da Casa do Empreendedor: 1) Serviços de registro no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica da Receita Federal e Junta Comercial do Estado de São Paulo 2) Serviço de registro na Prefeitura de Osasco 3) Orientações sobre licença da Vigilância Sanitária Municipal 4) Orientação acerca da certidão de Uso de Solo, para área do empreendimento 5) Oferecimento do alvará definitivo e a Nota Fiscal Eletrônica no mesmo dia, respeitando a legislação vigente 6) Serviço de atendimento bancário e financiamentos de linhas de crédito e microcrédito produtivo orientado 7) Auxílio aos empresários por meio do Portal do Trabalhador, na captação de mão-de-obra local 8) Auxílio na consultoria gerencial e tecnológica e outras informações que contribuam para o desenvolvimento de negócios 9) Promoção do intercâmbio e cooperação técnica entre instituições públicas e privadas, centros de conhecimentos científicos, acadêmicos e tecnológicos, entre outros, na elaboração e desenvolvimento de projetos 10) Consultoria a pequenas e médias empresas 11) Organização e operacionalização de arranjos produtivos locais 12) Orientação sobre associativismo 13) Orientações sobre comércio exterior 14) Orientação contábeis e fiscais para o empreendimento 15) Noções de inovação e empreendedorismo 16) Fomento por meio do acesso gratuito à internet, ao desenvolvimento de micro e pequenas empresas do municípios. 14

15 CIESP castelo capacitação de liderança de chão de fábrica C/FATIMA RIZZO - 30 E 31 DE MAIO - 8H30 às 17h30 Abordagem lúdica e humanista para a obtenção do envolvimento e comprometimento dos participantes e uma maior assimilação dos temas e conteúdos que serão apresentados. O bom humor e o afeto agem como verdadeiros atalhos à mente e ao coração das pessoas e causam um impacto emocional que leva mais facilmente às mudanças de atitudes e comportamentos. Investimento: Associados do CIESP: R$ 660,00 Não associados: R$ 760,00 Informações: Veja a grade completa deste curso em: CIESP CASTELO - Rua Paula Rodrigues, 61, Jd. Piratininga - Osasco encontro empresarial /setembro - 14h00 às 18h00 local: SENAI barueri Este evento visa mobilizar as empresas para contribuir com o crescimento justo e sustentável da região, ao realizar ações coordenadas de capacitação profissional, geração de negócios, projetos de inovação e sustentabilidade corporativa, focando as necessidades das empresas dos municípios e na melhoria da qualidade de vida da população. Aguardem, mais informações em breve! Acesse: Curta nossa página no facebook: Reuniões do Conselho/Empresários SESI-SENAI Local Data Obras do SESI Carapicuíba 9/maio SESI Osasco 18/julho Obras do SESI Jandira 19/setembro SESI Santana de Parnaíba 7/novembro Almoço de Negócios CIESP Castelo (exclusivo p/associados) 25/julho 29/agosto 26/setembro 31/outubro 5/dezembro Reuniões Grupo de Compras 14/maio Junho à definir 9/julho 13/agosto 10/setembro 8/outubro 12/novembro EVENTOS Rodada de Negócios: 29/maio PALESTRAS Data Evento Horário 24/abril Palestra Comunicação e Mundo Moderno 18h30 13/maio Palestra Figura de Transição 18h30 22/maio Palestra Potencialização de Vendas 18h30 Emita seu Certificado de Origem nos CIESP Castelo e Cotia Vantagens: - Atendimento diferenciado; - Agilidade e Segurança; - Preço com desconto para associados CIESP; - Estacionamento próprio e gratuito; Custos para emissão de Certificados de Origem Associados CIESP: R$32,00 Não associados CIESP: R$127,00 Contatos: Bruna (CIESP Castelo) Rua Paula Rodrigues, 61- OSASCO-SP Tels.: /4714 Jaqueline (CIESP Cotia) Rua do Amor Perfeito, 200 COTIA-SP Tels.:

16 educação cursos O objetivo da DuPont Sustainable Solutions é ajudar nossos clientes a atingir um crescimento sustentável através de uma abordagem integrada que liga pessoas, processos e tecnologia. Assim, oferecemos suporte para resolver desafios relacionados à proteção das pessoas, bens e meio ambiente, utilização de ativos de forma mais produtiva e eficiente, ou o alcance do maior retorno sobre os investimentos em tecnologia e ativos. A DuPont busca disseminar suas boas práticas por meio de ferramentas que fortalecem o desenvolvimento de competências dos funcionários. Para isso, conta com metodologias de sucesso como, por exemplo, a Academia de Segurança, desenvolvida pela DuPont, utilizando o que há de mais novo no mercado sobre Capacitação e Desenvolvimento de Equipes nas Organizações. E também, o DnA (Integrated Leadership Approach), metodologia desenvolvida para apoiar as Lideranças das organizações em sua jornada para a Excelência em Segurança através do aprimoramento das competências individuais de seus Líderes. 16 Outras áreas de atuação: 1. Protegendo valor através de Gestão de Risco Operacional: Através de sistemas de gestão, disciplina operacional e capacitação dos funcionários, nós ajudamos o cliente a identificar e gerir riscos operacionais. Os nossos consultores trabalham para adaptar a Metodologia DuPont para a realidade operacional do cliente, visando desenvolver uma cultura de segurança e minimizar riscos. 2. Extraindo valor através da Excelência Operacional: Ajudamos o cliente a aumentar a eficiência operacional e reduzir custos, através de uma abordagem de gestão integrada, alavancada dos conceitos de Gestão de Segurança Operacional, para acelerar os resultados e entregar melhorias duradouras em eficiência energética, produtividade de ativos e operações integradas. 3. Criação de valor através de Sustentabilidade e Crescimento de Capital: A DuPont Sustainable Solutions também fornece soluções de consultoria que abordam o desenvolvimento eficaz de ativos e sua operação inicial, gestão de riscos ambientais e sociais, e integração proativa das necessidades sociais no desenho e execução da estratégia de negócio. 4. Acelerar o desenvolvimento de competências através de soluções em Aprendizagem e Desenvolvimento (Learning & Development): Soluções de aprendizagem que visam auxiliar as organizações a otimizar o seu desempenho, por meio do desenvolvimento de uma força de trabalho segura, eficiente e capaz. Aqui integramos tecnologias de aprendizagem versáteis e conteúdo atraente para dar aos funcionários uma experiência abrangente e eficaz de aprendizagem e desenvolvimento de competências, sempre visando a melhoria da cultura de segurança da organização. Contamos com ferramentas de capacitação como: treinamentos online, vídeos impactantes e treinamentos de segurança comportamental guiados por instrutor. A DuPont Sustainable Solutions considera que a experiência é a fonte mais rica para a aprendizagem de adultos. Estes são motivados a aprender conforme vivenciam necessidades, transformando os conhecimentos adquiridos em atitudes, que se transformam em hábitos, ou seja, comportamentos. Pensando nisto, a DuPont decidiu abrir suas portas para diversos eventos em Nos dias de março, fizemos o primeiro seminário de dois dias sobre Gerenciamento de Segurança de Processos (PSM) na própria DuPont. O seminário foi ministrado por Mário Fantazzini, profissional reconhecido internacionalmente na área de PSM e líder regional de PSM para o Cone Sul e Gerente de Produtos e Conteúdos da DuPont Sustainable Solutions. O objetivo do seminário foi demonstrar como é possível alcançar a meta zero acidentes e incidentes em segurança de processos, compartilhando a experiência e boas práticas da DuPont em PSM. No dia 20 de março, recebemos cerca de 40 profissionais para um encontro intitulado, Elevando as Competências da Organização, que foi uma grande oportunidade para que profissionais da indústria pudessem conhecer de perto um pouco mais sobre o que a DuPont pode fazer para estabelecer uma cultura de segurança nas organizações. Esses eventos irão acontecer praticamente todos os meses do ano e incluirão temas como Percepção de Riscos, Análise de Riscos de Processos, Programas Comportamentais, Sustentabilidade e Meio Ambiente, Gerenciamento de Crises, Investigação de Incidentes, estre outros. Confira abaixo a agenda já confirmada de eventos do primeiro semestre*: Gerenciamento do Desempenho Socioambiental em Projetos de Capital (Abril) DuPont Alphaville Análise de Riscos de Processos (Maio) DuPont Alphaville STOP IAW (4-5 de Junho) São José dos Campos Elevando sua Cultura de Segurança ( Junho) DuPont Alphaville *Datas e temas estão sujeitos a substituição. Novos seminários e workshops podem ser inseridos na lista a qualquer momento. Outra novidade são os webinars, apresentações online gratuitas de uma hora, onde todos os clientes poderão aprender sobre algumas de nossas ferramentas de treinamento ou práticas de consultoria nas áreas de sustentabilidade e meio ambiente, gestão de riscos e processos, ferramenta de treinamento elearning, programas comportamentais, entre outros. Confira abaixo a agenda já confirmada de webinars em 2014*: Gerenciamento do Desempenho Socioambiental em Projetos de Capital: 5 Práticas para um Retorno Sustentável do Investimento - 27 de Março Segurança Comportamental - 8 de Abril SafeStart - 8 de Maio DuPont elearning Suite - 10 de Julho STOP - 3 de Setembro DuPont elearning Suite - 7 de Outubro SafeStart - 11 de Novembro DuPont elearning Suite - 4 de Dezembro *Datas e temas estão sujeitos à substituição. Novos webinars podem ser inseridos na lista a qualquer momento. Para mais informação sobre as boas práticas de segurança da DuPont, sustentabilidade e meio ambiente, utilização de ativos de forma mais produtiva e eficiente, desenvolvimento de competências, ferramentas de treinamento, agenda de seminários e webinars, entre outros, visite nossas páginas na internet ou ou envie um para Fique por dentro de todas as novidades que estaremos oferecendo ao longo de 2014! Tenha um dia seguro! Lucas Martinucci Gerente de Marketing, América Latina DuPont Sustainable Solutions

17 EXPORTAÇÃO dumping Novos instrumentos de defesa comercial podem ajudar o seu setor Nos últimos 5 anos ( ), as importações brasileiras cresceram 87,6% (de US$ 127,7 bilhões para US$ 239,6 bilhões). Esse contínuo aumento das importações ocorre concomitantemente à ampliação das práticas ilegais de comércio, como o dumping. O dumping é a exportação de um produto a um preço inferior ao praticado no mercado doméstico. Se o dumping causar dano às empresas do país importador, pode ser aplicada uma medida antidumping. Desde julho de 2013, diversas regras de defesa comercial foram modernizadas, com destaque para o novo decreto relativo às investigações de dumping (nº 8.058/2013). O novo decreto aumenta a celeridade, a eficácia e a previsibilidade das investigações. Para auxiliar os empresários brasileiros, a FIESP e o CIESP lançaram o Guia Antidumping, descrevendo os principais procedimentos de uma investigação. A seguir apresenta-se um caso prático sobre como os instrumentos de defesa comercial podem auxiliar seu setor. Em 2005, um associado procurou o Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (DEREX) da FIESP/CIESP após um surto de importações com baixo pre- Preço doméstico Preço exportação $100 $150 País A Margem de dumping $50 País B ço médio, liderado pela China. Depois da atuação do De ,5 127 partamento em parceria com o associado, foi aberta uma investigação de dumping em Logo após a abertura da investigação e a aplicação do direito antidumping contra a China (em 2007), notase uma redução das importações atrelada ao aumento do preço médio do importado. O antidumping auxiliou o setor, mas também ensejou novas manobras dos importadores. Desse modo, o DEREX definiu uma estratégia de defesa comercial e auxiliou o setor em outras medidas, como ações com a Receita Federal, combate à triangulação das importações e pleito de elevação do imposto Importações a preço de dumping Nexo Causal Dano Fonte: Guia Antidumping da FIESP/CIESP. Disponível em: Caso Prático de Dumping Volume (Toneladas) X Preço Médio (US$/Kg) Medida AD 1200 Início atividades aplicada DEREX 252 Abertura da 11, investigação 9,9 9,5 10,8 11,1 10 8,3 9,5 6, CHINA TAIWAN OUTROS PREÇO MÉDIO (TOTAL) de importação. O fortalecimento da defesa comercial no Brasil representa uma ferramenta que deve ser utilizada pelo setor privado com o intuito de combater práticas ilegais de comércio e, dessa forma, aumentar sua competitividade. O DE- REX está à disposição de seus associados para elaborar uma estratégia de defesa comercial e auxiliar na implementação dessas medidas. Nossos Serviços: IR Pessoa Física Contabilidade - Societário Fiscal - Depto. Pessoal

18 exportação índices COTIA E OSASCO EXPORTAM PARA O MUNDO É muito importante aumentarmos as nossas exportações, para gerar um saldo positivo na balança comercial Cotia tem aumentado suas exportações desde 2010 que chegou a 250,9 milhões USD, 2013 a 339,9 milhões USD. Os principais produtos exportados são Colas, Instrumentos Mecânicos, Perfumarias, Tintas e Vernizes. Estes produtos têm um valor agregado importante, pois são produtos finais na cadeia produtiva. Já Osasco, em 2010 exportou 172 milhões USD, 2011 aumentou para 216,1 milhões USD, queda em 2013 exportando 188,9 milhões USD. Os principais produtos exportados são Veículos, Tratores, Ferro fundido, Aço e Materiais Elétricos. Esta queda pode estar sendo reflexo da atual crise na Argentina, pois Osasco tem muito concentradas suas exportações para este país. Em ambas as cidades e de modo geral o Brasil, tem sofrido muito para conseguir manter as exportações, devido aos custos internos que não conseguimos eliminar e baixíssimos investimentos nos Portos, que apresentam serviços muito ruins. Dos R$54,2 bilhões que o governo pretendia investir até 2017, nada ainda foi aplicado e tudo leva a crer que continue assim até o final do ano, pois ainda estão em discussões técnicas intermináveis. A demora é ruim para o País afirmou o presidente da Associação Brasileira dos Terminais Portuários (ABTP), Wilem Mantelli. Mas existe uma tendência de melhora nas exportações devido à taxa de câmbio favorável, por enquanto, mas esta tendência de melhora sempre demora um pouco para ser efetivada. Por isto é importante que estas indústrias estejam sempre em contato com seus clientes no exterior, atualizando sempre suas ofertas, pois a cada % de desvalorização do Real frente ao Dólar, melhoram seus preços de venda. Exportações - Cotia (US$ milhões) 249,2 243,4 250,9 320,1 351,8 339,9 Principais destinos Outros 125,9 mi 37% Argentina 50,5 mi 15% Estados Unidos 33,8 mi 10% México 9,1 mi 3% Turquia 9,4 mi 3% Paquistão 10,1 mi 3% Venezuela 11,1 mi 3% Alemanha 16,2 mi 5% Chile 25,8 mi 8% Colômbia 17,1 mi 5% Reino Unido 31,0 mi 9% 18

19 Exportações de Cotia (2013) Setor (SH 2 dígitos) US$ Part. Part. Acum. Matérias albuminóides; colas; enzimas 104,8 31% 31% Máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos 65,6 19% 50% Máquinas, aparelhos e materiais elétricos 39,7 12% 62% Produtos de perfumaria 28,0 8% 70% Tintas e vernizes 19,2 6% 76% Produtos farmacêuticos 16,5 5% 81% Plásticos e suas obras 9,7 3% 83% Borracha e suas obras 7,7 2% 86% Sementes e frutos oleaginosos 5,5 2% 87% (Reservado para usos especiais pelas partes contratantes) 4,1 1% 88% Outros 39,2 12% 100% Total 339,9 100% Exportações - OSASCO (US$ milhões) 225,7 216,1 196,2 188,9 172,0 161, Principais destinos Outros 38,0 mi 20% México 4,7 mi 3% Paraguai 5,5 mi 3% Holanda 6,4 mi 3% Chile 7,5 mi 4% Indonésia 8,6 mi 5% Itália 9,2 mi 5% Arábia Saudita 9,9 mi 5% Cingapura 11,6 mi 6% Argentina 56,6 mi 30% Estados Unidos 30,9 mi 16% Exportações de OSASCO (2013) Setor (SH 2 dígitos) US$ Part. Part. Acum. Veículos automóveis, tratores 42,0 22% 22% Ferro fundido, ferro e aço 29,0 15% 38% Máquinas, aparelhos e materiais elétricos 27,9 15% 52% Obras de ferro fundido 22,3 12% 64% Instrumentos e aparelhos de óptica 20,9 11% 75% Máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos 18,3 10% 85% Preparações de carne, peixes ou crustáceos 9,7 5% 90% Carnes e miudezas, comestíveis 4,0 2% 92% Plásticos e suas obras 3,6 2% 94% (Reservado para usos especiais pelas partes contratantes) 2,7 1% 96% Outros 8,5 4% 100% Total 188,9 100% FONTE DOS DADOS: MDIC CERTIFICADO DE ORIGEM Porque é importante fazer as emissões em nossas regionais. O Certificado de Origem FIESP/CIESP é Por isto é importante, mesmo terceirizando um dos mais reconhecidos internacionalmente devido à confiabilidade de origem. As controle sobre onde está sendo emitido o os processos, que estas empresas tenham Aduanas dos Países que recebem nosso certificado o reconhece de imediato, pois nossas prestador use a Regional do CIESP, pois Certificado de Origem, e exigindo que o declarações de origem são bem detalhadas nosso associado tem um valor com desconto, caso contrário estaremos entrando nas por nossos associados, e feita uma análise por técnicos qualificados. Agora com a implementação do novo sistema E-cool, fica ainda A Regional de Osasco, no ano de 2013, ex- estatísticas de outras entidades. mais fácil a emissão e envio de documentos. pediu 6221 certificados, em Janeiro 2014 Também melhoramos muito o sistema para emitiu 206 e Fevereiro 239 certificados. quem faz a inclusão dos dados, tornando ainda mais rápido o preenchimento do certifica certificados, em Janeiro 2014 foram 150 A Regional de Cotia, no ano de 2013, emitiu do e a visualização e vinculação dos acordos e Fevereiro 233 certificados. Ambas as regionais estão tendo um aumento de comerciais vigentes muito mais prático. emissões. EQUIPE TÉCNICA Federação das Indústrias do Estado de São Paulo FIESP Presidente: Paulo Skaf Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior DEREX Diretor Titular: Thomaz Marinho de Andrade Zanotto Gerente: Magaly Menezes Área de Estudos em Comércio Exterior e Negociações Internacionais Elaboração: José Pimenta Jr. e Fernando Marques 19

20 energia custos DIRETORES DA DELPHI E ORNARE FALAM DOS PREJUÍZOS COM A FALTA DE ENERGIA E MOBILIDADE NA REGIÃO Para falar sobre estes problemas que estão afetando consideravelmente os custos das indústrias da região da Raposo, fomos falar com Luiz Raffagnato, diretor de operações da Delphi e Ormeu T. André Jr., diretor industrial da Ornare, indústrias localizadas em Cotia. Luiz Raffagnato, quantos colaboradores têm a planta da Delphi em Cotia? Entre funcionários efetivos, estagiários, prestadores de serviços, temos diariamente aqui 1000 colaboradores, produzindo peças para o mercado automotivo. 20 Qual o prejuízo causado com as oscilações e falta de energia para a Delphi? Como somos uma empresa metalúrgica, com processo de produção muito verticalizado, parque fabril extenso, com quase 400 máquinas trabalhando em 3 turnos, incluindo operação de tratamento térmico, qualquer falha na energia ou mesmo oscilações fortes causam uma parada na linha de produção, com perda de peças, quebras de ferramentas, etc. Esses problemas de energia aumentam os nossos custos e geram enormes dificuldades para cumprir os prazos de entrega. Pelo fato de termos equipamentos muito sensíveis, nossas cabines elétricas são equipadas com dispositivos de proteção, que as desarmam automaticamente sempre que a tensão sofrer variação significativa. Com uma cabine primária e 5 secundárias que possuímos, os eletricistas perdem até 15 minutos para religar todo o sistema, fora o tempo perdido para refazer o startup das máquinas. Utilizamos em nosso processo produtivo, ferramentas especiais de alto custo que, na maioria das vezes, são danificadas devido a interrupção brusca da operação, e sua manutenção ou troca é um custo adicional alto. Em fevereiro, mesmo com poucos eventos de chuva, tivemos pelo menos 11 interrupções de energia, o que sempre causa prejuízos. Tudo isso aumenta ainda mais o custo Brasil, que já é muito alto, gerando perda de competitividade? Sim, tudo isso aumenta o custo, além da própria energia, que nos últimos 12 meses teve um aumento de 30%, no mercado livre, onde compramos a energia elétrica. Quem observa de fora pode pensar que uma parada de 15 minutos é um problema pequeno, mas o ruído causado no fluxo produtivo é imenso devido a perda de previsibilidade no planejamento da produção, pois os problemas vão se ampliando, formando gargalos e consequentemente mais prejuízos. Como vê o papel do Ciesp e empresas da região estarem se reunindo com a AES Eletropaulo para reivindicar urgentes melhorias no fornecimento de energia? Com bons olhos, alguma coisa precisa ser feita para sanar este problema grave para a indústria. Hoje o que nos atormenta é não ver perspectivas de melhoria a curto prazo. Com a ajuda do CIESP há uma força maior para tentar atuar nas agências reguladoras, nas distribuidoras e até no governo uma resposta mais rápida e eficaz. Como vê a Raposo Tavares diariamente travada? Temos diversos problemas com a falta de fluidez da Raposo. Caminhões que chegam atrasados com matérias primas e caminhões que têm dificuldade para cumprir os prazos de entrega estabelecidos pela nossa logística. Também temos inúmeros ônibus que conduzem os nossos funcionários em 3 turnos na fábrica, além dos administrativos, e se chegam atrasados, é mais um custo adicional. Além disso, como temos nossa Matriz em S. Caetano e outras plantas em Jaguariúna, Piracicaba e outras cidades, o deslocamento necessário de alguns funcionários também são prejudicados pelo trânsito caótico. Também o problema viário precisa encontrar uma solução rápida para aliviar os custos extras de todas as indústrias instaladas na região.

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade PGQP Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade visão das lideranças A Excelência de qualquer organização depende da sinergia entre três fatores:

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ LUÍS MÁRIO LUCHETTA DIRETOR PRESIDENTE GESTÃO 2005/2008 HISTÓRICO

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Nº 08/2012 Av. Teotônio Segurado, Quadra 401 Sul, ACSU-SO 40, conjunto 1, Lote 17, 1º andar (prédio do antigo Sine) Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Diante da crescente procura por

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

A Feira do Empreendedor 2014 em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação.

A Feira do Empreendedor 2014 em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação. 1 A Feira do Empreendedor é um evento de sucesso promovido pelo SEBRAE-SP, com o objetivo de oferecer informação, conhecimento e oportunidade para empresários e futuros empreendedores. A Feira do Empreendedor

Leia mais

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE AUMENTAR O INVESTIMENTO PRIVADO EM P&D ------------------------------------------------------- 3 1. O QUE É A PDP? ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS ATIVOS INTANGÍVEIS Embora a Organização não registre seus ativos intangíveis, há evidências da percepção de sua magnitude pelos investidores e que pode ser encontrada na expressiva diferença entre o Valor

Leia mais

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação CONCEITOS DE INOVAÇÃO Título da Apresentação Novo Marco Legal para Fomento à P,D&I Lei de Inovação. Nº 10.973 (02.12.04) Apresenta um conjunto de medidas de incentivos à inovação científica e tecnológica,

Leia mais

POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS

POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança - ABESE Entidade que representa, nacionalmente, as empresas de sistemas

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM MARKETING EMPRESARIAL E PESSOAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais)

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ)

Leia mais

Sede Sebrae Nacional

Sede Sebrae Nacional Sede Sebrae Nacional Somos o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa, uma entidade privada sem fins lucrativos, e a nossa missão é promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável

Leia mais

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Existe a compreensão evidente por parte das lideranças empresariais, agentes de mercado e outros formadores de opinião do setor privado

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

MANUAL DE INVESTIMENTOS

MANUAL DE INVESTIMENTOS IPEA - INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA MANUAL DE INVESTIMENTOS PROPOSTA DE COLETA E CADRASTRAMENTO DE INFORMAÇÕES SOBRE INTENÇÕES DE INVESTIMENTOS EMPRESARIAIS (Segunda Versão) Luciana Acioly

Leia mais

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia ANEXO XIII XXXIII REUNIÓN ESPECIALIZADA DE CIENCIA Y TECNOLOGÍA DEL MERCOSUR Asunción, Paraguay 1, 2 y 3 de junio de 2005 Gran Hotel del Paraguay Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia Anexo XIII Projeto:

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015 Investe São Paulo Campinas, 17 de março de 2015 Missão Ser a porta de entrada para novos investimentos e a expansão dos negócios existentes, gerando inovação tecnológica, emprego e renda. Promover a competitividade

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone:

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone: 55

Leia mais

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013 Atuação das Instituições GTP- APL Sebrae Brasília, 04 de dezembro de 2013 Unidade Central 27 Unidades Estaduais 613 Pontos de Atendimento 6.554 Empregados 9.864 Consultores credenciados 2.000 Parcerias

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) procura

Leia mais

AÇÕES INSTITUCIONAIS

AÇÕES INSTITUCIONAIS A ACOBAR é uma entidade de classe, sem fins lucrativos, representante da náutica de lazer em todo o país. Foi fundada em 19 de dezembro de 1975. Em seu quadro associativo possui empresas das mais variadas

Leia mais

ITAUTEC S.A. - GRUPO ITAUTEC RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE MARÇO DE 2010

ITAUTEC S.A. - GRUPO ITAUTEC RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE MARÇO DE 2010 CENÁRIO ITAUTEC S.A. - GRUPO ITAUTEC RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE MARÇO DE 2010 A atividade econômica brasileira apresentou sinais de expansão no primeiro trimestre de 2010, com crescimento da atividade

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM VENDAS E COACHING EM PLANO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 07/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM VENDAS E COACHING EM PLANO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 07/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM VENDAS E COACHING EM PLANO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 07/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais)

Leia mais

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL A Engenharia Consultiva Nacional e a Construção da Infraestrutura Um breve diagnóstico O setor de infraestrutura apresenta aspectos distintos

Leia mais

MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA

MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA Mudança da Marca e Posicionamento Esse boletim explicativo tem o objetivo de esclarecer suas dúvidas sobre a nova marca Evolua e de que forma ela será útil para aprimorar os

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL

CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL DAS AMÉRICAS Washington D. C - março 2014 NOME CLASSIFICAÇÃO CATEGORIA TEMA PALAVRAS-CHAVE REDE SOCIAL EMPRESARIAL : CONNECT AMERICAS PRÁTICA INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

Com a sua atuação pró-ativa a SUCESU trouxe diversos benefícios em prol do setor que representa no Brasil, podendo destacar:

Com a sua atuação pró-ativa a SUCESU trouxe diversos benefícios em prol do setor que representa no Brasil, podendo destacar: Introdução É grande a parcela da população das nações mais desenvolvidas do mundo que está se organizando em sociedades e associações civis que defendem interesses comuns. Essas pessoas já perceberam que

Leia mais

Nordeste FEVEREIRO 2015

Nordeste FEVEREIRO 2015 Banco do Nordeste FEVEREIRO 2015 Banco do Nordeste do Brasil Visão Geral Banco Múltiplo com 62 anos de atuação para o desenvolvimento da região Nordeste, norte de MG e do ES. Ativos Totais R$ 71,0 bilhões

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

A Feira do Empreendedor 2014em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação.

A Feira do Empreendedor 2014em São Paulo faz parte de um circuito de feiras que será realizado em vários estados da federação. 1 A Feira do Empreendedor é um evento de sucesso promovido pelo SEBRAE-SP, com o objetivo de oferecer informação, conhecimento e oportunidade para empresários e futuros empreendedores. A Feira do Empreendedor

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 5306, DE 04 DE MAIO DE 2010. CEZAR AUGUSTO SCHIRMER, Prefeito Municipal do Município de Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul.

LEI MUNICIPAL Nº 5306, DE 04 DE MAIO DE 2010. CEZAR AUGUSTO SCHIRMER, Prefeito Municipal do Município de Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul. LEI MUNICIPAL Nº 5306, DE 04 DE MAIO DE 2010 Estabelece medidas de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no Município de Santa Maria e dá outras providências. CEZAR AUGUSTO SCHIRMER,

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

BPO Folha de Pagamento. Business Process Outsourcing

BPO Folha de Pagamento. Business Process Outsourcing BPO Folha de Pagamento Business Process Outsourcing Outsourcing Folha de Pagamento Para você que já ouviu falar neste processo ou até mesmo que já o aplica em sua empresa sabe que é algo facilitador e

Leia mais

Perfil. Nossa estratégia de crescimento reside na excelência operacional, na inovação, no desenvolvimento do produto e no foco no cliente.

Perfil. Nossa estratégia de crescimento reside na excelência operacional, na inovação, no desenvolvimento do produto e no foco no cliente. Institucional Perfil A ARTSOFT SISTEMAS é uma empresa Brasileira, fundada em 1986, especializada no desenvolvimento de soluções em sistemas integrados de gestão empresarial ERP, customizáveis de acordo

Leia mais

Promover maior integração

Promover maior integração Novos horizontes Reestruturação do Modelo de Gestão do SESI leva em conta metas traçadas pelo Mapa Estratégico Promover maior integração entre os departamentos regionais, as unidades de atuação e os produtos

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA

EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA Palestra Teletrabalho Modelo de Trabalho Home Office Modernização da área de Vendas EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA 1º Movimento 1999/2000 2º Movimento 2001/2002 3º Movimento 2005-2007

Leia mais

Relato da Iniciativa

Relato da Iniciativa 1 Relato da Iniciativa 5.1 Nome da iniciativa ou projeto Novo portal institucional da Prefeitura de Vitória (www.vitoria.es.gov.br) 5.2 Caracterização da situação anterior A Prefeitura de Vitória está

Leia mais

Uma empresa especializada em empresas.

Uma empresa especializada em empresas. Sua equipe tem colaborado para que a empresa seja uma das mais competitivas i no mercado? Para avaliar quanto a sua equipe atual está dimensionada, preparada e motivada para os desafios do mercado, você

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA ASSUNTOS TRATADOS Cartilha sobre produtos e serviços bancários para Micro e Pequenos Empresários Apresentação dos cases de sucesso e fracasso no setor da Construção Civil Notícias sobre o Fórum Permanente

Leia mais

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Profª. Vânia Amaro Gomes Coordenação de Curso DIADEMA, 2015 Introdução Atualmente há uma grande dificuldade dos alunos egressos das Faculdades em obter emprego

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROGRAMAS E PROJETOS

SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROGRAMAS E PROJETOS SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROGRAMAS E PROJETOS GERÊNCIA DE PROGRAMAS E PROJETOS - GPP COMISSÃO DE ORGANIZAÇÃO, NORMAS E PROCEDIMENTOS TERMO DE ABERTURA PROJETO: Centro de Treinamento e Capacitação

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PESQUISA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 04/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PESQUISA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 04/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PESQUISA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 04/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais)

Leia mais

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Nome da iniciativa inovadora: FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Painel de BI (Inteligência nos negócios) para publicação dos dados associados ao controle estadual Responsável pela Iniciativa

Leia mais

INOVAÇÃO. EDUCAÇÃO. GESTÃO EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

INOVAÇÃO. EDUCAÇÃO. GESTÃO EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Linha Direta INOVAÇÃO. EDUCAÇÃO. GESTÃO EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Desmistificado, ensino técnico brasileiro passa a ser a possibilidade mais rápida de inserção no mercado de trabalho TECNOLOGIA

Leia mais

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Prefeito Empreendedor Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Março/2012 Expediente Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Fernando

Leia mais

Nossa atuação no setor financeiro

Nossa atuação no setor financeiro Nossa atuação no setor financeiro No mundo No Brasil O porte da equipe de Global Financial Services Industry (GFSI) da Deloitte A força da equipe do GFSI da Deloitte no Brasil 9.300 profissionais;.850

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL

Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL Data da Pesquisa: Junho 2009 Realização: Pesquisa realizada através do Site www.indicadoresdemanutencao.com.br Divulgação e Colaboração: Divulgação e colaboração

Leia mais

REGIME: Sociedade por ações de capital fechado, economia mista e com personalidade jurídica de direito privado

REGIME: Sociedade por ações de capital fechado, economia mista e com personalidade jurídica de direito privado Autorização Legislativa - Lei nº 12.439 de 18 de outubro de 2007 Assembleia de Fundação em 14/12/2007 REGIME: Sociedade por ações de capital fechado, economia mista e com personalidade jurídica de direito

Leia mais

Campanha Nacional 2013

Campanha Nacional 2013 Campanha Nacional 2013 Consumidor Positivo A Boa Vista tem compromisso com o desenvolvimento sustentável do mercado de crédito: consumidores e empresas do mesmo lado. Serviços disponíveis no Portal do

Leia mais

Campus Cabo Frio. Projeto: Incubadora de Empresas criação de emprego e renda.

Campus Cabo Frio. Projeto: Incubadora de Empresas criação de emprego e renda. Campus Cabo Frio Trabalho de Microeconomia Prof.: Marco Antônio T 316 / ADM Grupo: Luiz Carlos Mattos de Azevedo - 032270070 Arildo Júnior - 032270186 Angélica Maurício - 032270410 Elias Sawan - 032270194

Leia mais

Desafios para a Indústria Eletroeletrônica

Desafios para a Indústria Eletroeletrônica Desafios para a Indústria Eletroeletrônica 95 O texto aponta as características das áreas da indústria eletroeletrônica no país e os desafios que este setor tem enfrentado ao longo das últimas décadas.

Leia mais

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico CUSTOMER SUCCESS STORY Abril 2014 Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico PERFIL DO CLIENTE Indústria: Mídia Companhia: Valor Econômico Funcionários:

Leia mais

AGENDA DE CURSOS E EVENTOS

AGENDA DE CURSOS E EVENTOS AGENDA DE S E EVENTOS 2015 AGENDA DE S E EVENTOS 2015 CATEGORIAS DE S Introdução à Governança Primeiro passo dentro da Governança Corporativa, os cursos de Introdução à Governança fornecem uma visão de

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 002/2009 SERVIÇOS DE CONSULTORIA DE COORDENAÇÃO DO PROJETO Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Relações Institucionais)

Leia mais

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços em Assessoria, Consultoria e Treinamento na área de Recursos Humanos. 1. OBJETIVO Os objetivos

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 1 CONHEÇA A PRODENT Nosso objetivo é garantir a plena satisfação dos nossos beneficiários, empresas clientes e parceiros, por meio da prestação de serviços altamente qualificados.

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Categoria Franqueador Senior

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Categoria Franqueador Senior PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Senior Dados da empresa Razão Social: Sorridents Franchising Ltda Nome Fantasia: Sorridents Clínicas Odontológicas

Leia mais

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Exportações de açúcar da empresa devem aumentar 86% na safra 2009/2010 A Copersucar completa

Leia mais

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE RIO CLARO AUTOR(ES):

Leia mais

A pesquisa de campo foi realizada com questões para os núcleos administrativo, pessoal e acadêmico e procura explorar duas situações distintas:

A pesquisa de campo foi realizada com questões para os núcleos administrativo, pessoal e acadêmico e procura explorar duas situações distintas: 4 Pesquisa de campo Neste capitulo será apresentado o resultado dos questionários da pesquisa de campo que serviu para o estudo de caso. A coleta de dados será dividida em: Núcleo administrativo Núcleo

Leia mais

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 11/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DE EMPRESAS DE MICRO, PEQUENO

Leia mais

Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012

Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a

Leia mais

Seus serviços vão além das fronteiras?

Seus serviços vão além das fronteiras? Seus serviços vão além das fronteiras? Negócios Internacionais Oportunidades para o setor de serviços Globalização Transformações de ordem política, econômica e cultural mundial Mais intensidade nas últimas

Leia mais

Você sabe onde quer chegar?

Você sabe onde quer chegar? Você sabe onde quer chegar? O Ibmec te ajuda a chegar lá. Gabriel Fraga, Aluno de Administração, 4º periodo, Presidente do Ibmex, Empresa Jr. Ibmec. Administração Ciências Contábeis Ciências Econômicas

Leia mais

COMUNICADO DE IMPRENSA

COMUNICADO DE IMPRENSA Grupo PTV em expansão internacional - também na América do Sul PTV inaugura sua própria filial no Brasil Karlsruhe/São Paulo, 15/10/2015. Os especialistas em transportes do Grupo PTV estão expandindo ainda

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 Conteúdo 1. O Sistema SEBRAE; 2. Brasil Caracterização da MPE; 3. MPE

Leia mais

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA Curitiba tem se mostrado uma cidade dinâmica e de grandes oportunidades para os trabalhadores e empreendedores.

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

A Experiência Brasileira na Adoção do IFRS para Pequenas e Médias Empresas

A Experiência Brasileira na Adoção do IFRS para Pequenas e Médias Empresas A Experiência Brasileira na Adoção do IFRS para Pequenas e Médias Empresas Balneário Camboriú-SC 21 de julho de 2011 O padrão IFRS é adotado, atualmente, por cerca de 140 países(1) e por milhões de pequenas

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica INTRODUÇÃO O Grupo Telefônica, consciente de seu importante papel na construção de sociedades mais justas e igualitárias, possui um Programa de

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA 1. APRESENTAÇÃO O Programa Prime - Primeira Empresa Inovadora - visa apoiar empresas nascentes

Leia mais

Itaú Seguros Princípios para Sustentabilidade em Seguros

Itaú Seguros Princípios para Sustentabilidade em Seguros Itaú Seguros Princípios para Sustentabilidade em Seguros Relatório 2014-2015 Itaú Seguros Perfil Desde 1921, a seguradora do Itaú atua no setor de seguros atendendo a empresas e pessoas físicas, disponibilizando

Leia mais

Consultoria Especializada Para empresas de transportes e logística

Consultoria Especializada Para empresas de transportes e logística Solution Consultoria Especializada Para empresas de transportes e logística Redução de gastos e impostos Aumento de Lucro e aproveitamento de recursos Otimização de processos e contratação profissional.

Leia mais

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços em Assessoria e Consultoria Tributária para as empresas do Arranjo Produtivo Local. 1. OBJETIVO

Leia mais

Programa SEBRAE SP & SUCESU-SP de Competitividade da MPE de Software e Serviços da cidade de São Paulo. Organização e Realização

Programa SEBRAE SP & SUCESU-SP de Competitividade da MPE de Software e Serviços da cidade de São Paulo. Organização e Realização Programa SEBRAE SP & SUCESU-SP de Competitividade da MPE de Software e Serviços da cidade de São Paulo Organização e Realização Perfil do Público Alvo Empresários e executivos de MPE de Software e Serviços

Leia mais

CLIPPING Mídias de Primeiro Foco. Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI

CLIPPING Mídias de Primeiro Foco. Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI CLIPPING Mídias de Primeiro Foco Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI Cliente: Fharos Data: 10/09/08 Veículo: Executivos Financeiros 2 3 Cliente: Fharos Data: 12/09/08 Veículo: Canal Executivo 4

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Palestra Ana Afonso Formalização da atividade

Palestra Ana Afonso Formalização da atividade Bem-Vindos! APRESENTAÇÃO Ana Afonso organizadora profissional em São Paulo atua desde 2006 realizando serviços de organização de espaços, gestão de residências, treinamento de funcionários domésticos,

Leia mais

Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011

Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011 Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011 A oitava reunião mensal do ano da Comissão Trabalhista e de Gestão Empresarial superou as expectativas. 50 representantes

Leia mais

Estudo de caso. Varejo/Atacado Força de vendas Estudo de caso comercial

Estudo de caso. Varejo/Atacado Força de vendas Estudo de caso comercial Estudo de caso Representantes de vendas da Diarco otimizam o sistema de pedidos em mais de 50.000 lojas em todo o país com a Mobile Empresa: Diarco é a principal empresa de comércio atacadista de auto-atendimento

Leia mais

PromonLogicalis: mais de 10 mil equipamentos gerenciados com CA Nimsoft Monitor

PromonLogicalis: mais de 10 mil equipamentos gerenciados com CA Nimsoft Monitor CUSTOMER SUCCESS STORY PromonLogicalis: mais de 10 mil equipamentos gerenciados com CA Nimsoft Monitor CUSTOMER PROFILE Empresa: PromonLogicalis Indústria: Tecnologia da Informação e Comunicações Funcionários:

Leia mais

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae ASSOCIATIVISMO Fonte: Educação Sebrae O IMPORTANTE É COOPERAR A cooperação entre as pessoas pode gerar trabalho, dinheiro e desenvolvimento para toda uma comunidade COOPERAR OU COMPETIR? Cooperar e competir

Leia mais