Mais em forma, mais veloz, mais forte, mais alongado: Programa de Desenvolvimento de Cárdio Precor

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mais em forma, mais veloz, mais forte, mais alongado: Programa de Desenvolvimento de Cárdio Precor"

Transcrição

1 Mais em forma, mais veloz, mais forte, mais alongado: Programa de Desenvolvimento de Cárdio Precor O Programa de Desenvolvimento de Cárdio Precor contempla 3 fases que orientam progressivamente seus alunos na busca da boa forma aeróbica e da melhoria de resistência. Esse programa é uma excelente introdução ao treinamento cardiovascular para iniciantes, embora também desenvolva eficiência de cárdio fundamental para praticantes de atividades mais regulares e atletas. Você pode variar a duração de cada nível e fase do programa, de acordo com as características exclusivas e níveis de condicionamento dos seus alunos. Esse programa pode ser realizado no Precor EFX ou em qualquer Esteira Precor (consulte a seção Como selecionar seu equipamento, abaixo). Os praticantes em busca de um exercício sem impacto vão achar o EFX uma ótima ferramenta de condicionamento, enquanto aqueles que estiverem procurando uma atividade mais similar à caminhada e corrida poderão usar a esteira para esse fim. Como esses programas são voltados para a frequência cardíaca, é recomendável que seu aluno use um monitor cardíaco. No entanto, na ausência desse equipamento, o cliente também pode usar os sensores de mão da própria esteira. O programa tem 3 fases de treinamento. As fases 1 e 2 requerem um período de treinamento mínimo de 6 semanas cada e são recomendadas para a maioria dos praticantes de atividades, enquanto a fase 3 só deve ser realizada por praticantes que queiram melhorar o desempenho. A Precor recomenda a integração desse programa nos planos de treinamento dos usuários com base em suas características e interesses exclusivos. Como sempre, solicite uma autorização médica que o aluno comece qualquer programa de exercícios. Mais em forma, mais veloz, mais forte, mais alongado: Programa de Desenvolvimento de Cárdio Precor Fundamentos de cárdio Condicionamento de cárdio Pico de cárdio Nível 1 Nível 2 Nível 3 Nível 1 Nível 2 Nível 3 Nível 1 Nível 2 Nível 3 *Os praticantes de exercícios devem realizar pelo menos 4 treinamentos por semana por 2 semanas em cada nível de treinamento Como selecionar seu equipamento O EFX com Crossramp proporciona um excelente treinamento aeróbico sem o impacto associado à corrida ou à caminhada. As pesquisas mostram que os praticantes apresentam uma taxa menor de esforço percebido no EFX, em comparação com outras formas de exercício. O EFX oferece um treinamento para todo o corpo quando você usa um método sem utilizar as mãos, semelhante à caminhada, jogging ou corrida, dependendo da taxa de stride. Além disso, o declive ajustável não só desafia o metabolismo de queima de gordura de um aluno, como também visa vários grupos musculares para preparar os músculos, os tendões e as articulações para cargas de treinamento mais avançadas. A esteira Precor com velocidade e inclinação ajustáveis proporciona um excelente treinamento aeróbico por meio de mecanismos familiares corporais usados na locomoção normal. a esteira é móvel; portanto, talvez demore um tempinho até você se acostumar e se sentir estável em velocidades mais rápidas. Uma boa ideia é escolher um ponto à frente no qual se concentrar, em vez de olhar para baixo ou para os lados, para manter o equilíbrio até se sentir confortável no uso da esteira. *** Esse programa foi criado pela Dra. Emily Cooper, MD, da Seattle Performance Medicine. A Dra. Cooper é diretora médica de Prevention Solutions e tem certificação em Advanced Cardiac Life Support (ACLS), é membro do American College of Sports Medicine (ACSM), da Washington Academy of Family Practice e do American College of Preventive Medicine. Ela tem habilitação em medicina da família e medicina esportiva. Esse programa é uma adaptação dos programas originais de queima de gordura e construção da base aeróbica, condicionamento de cárdio e construção da base aeróbica e condicionamento de pico.

2 Mais em forma, mais veloz, mais forte, mais alongado: Fundamentos de cárdio Os fundamentos de cárdio são um ótimo ponto de partida para quem está começando a praticar exercícios. Essa é a primeira de três fases em uma jornada de treinamento que orienta os iniciantes na busca de melhor condicionamento cardiovascular. Esse programa de 6 semanas inclui três níveis de treinamento progressivo que visam desenvolver o condicionamento aeróbico dos seus alunos, e treinar seus corpos para queimar gordura durante as atividades. Nível Objetivo do treinamento Semanas por nível de treinamento 1 Desenvolver condicionamento aeróbico e treinar o corpo para queimar gordura 2 Continuar desenvolvendo o condicionamento aeróbico e aumentar a queima de gordura Mínimo de duas semanas Mínimo de duas semanas 3 Maior base aeróbica e metabolismo muscular Mínimo de duas semanas *Os praticantes de exercícios devem realizar pelo menos 4 treinamentos por semana por 2 semanas em cada nível de treinamento Cada nível de treinamento inclui uma descrição de treinamento e modelo de treinamento que você pode implementar e/ou compartilhar com os alunos.

3 Mais em forma, mais veloz, mais forte, mais alongado: Programa de Desenvolvimento de Cárdio Precor EFX Fundamentos de cárdio: Nível 1 Um novo ponto de partida para novatos na prática de exercícios, esse treinamento ajuda a desenvolver a base de condicionamento aeróbico de um aluno ao mesmo tempo em que treina seu corpo para queimar gordura. Ele possui níveis mais baixos de intensidade com o objetivo de atingir a queima de gordura máxima, resultando em condicionamento aeróbico e de resistência. É a primeira etapa para outros treinos mais desafiadores. Esse treinamento vai ajudar os praticantes a atingirem a maior taxa de queima de gordura, o que melhorará com o tempo, à medida que passarem para os fundamentos de cárdio níveis 2 e 3. Ele funciona pela manutenção de uma intensidade relativamente baixa para permitir que os músculos obtenham bastante oxigenação da circulação para proporcionar a queima de gordura ideal. Com a melhora dessa capacidade, seus alunos poderão queimar gordura em intensidades mais altas à medida que avançarem a cada fase do Programa de desenvolvimento de cárdio. 1: Visão geral do programa Equipamento: qualquer Precor EFX com Crossramp Tempo total: 20 minutos Frequência: 4 dias por semana Núm. de semanas antes de avançar: realização de um mínimo de 2 semanas de treinamentos consistentes 4 dias por semana. Próximo tipo de treinamento recomendado: fundamentos de cárdio: Nível 2 2: Dicas de treinamento Mantendo a flexibilidade: incorpore um programa de flexibilidade geral como parte da rotina de exercícios regulares dos alunos. Caso os alunos estiverem planejando se alongar antes do treinamento, será melhor que aqueçam seus músculos primeiro, com 3 5 minutos de movimentos suaves. Hidratação e energização: oriente os alunos a beberem de 1 a 2 copos de água ou isotônicos 1 hora antes do treinamento. Recomende também que façam uma refeição ou um lanche que contenha carboidratos e proteína 1 hora antes do treinamento. Segurança em primeiro lugar: os alunos não deverão se exercitar se estiverem doentes, lesionados ou com febre. 3: Estrutura do treinamento Programa: manual Nível de intensidade: 65 75% da HR máx. prevista. Esse treinamento deverá ser bem fácil (8 10 na escala de Borg modificada). O aquecimento e o esfriamento sempre devem ficar ente 55 65% da HR máx prevista. Resistência: varia de acordo com a resposta da frequência cardíaca individual. Alunos com maior peso poderão obter níveis de resistência mais alto devido ao efeito da gravidade, enquanto as pessoas mais leves terão que ficar nas configurações mais baixas para manter sua frequência cardíaca dentro da meta de intervalo. Strides por minuto: Mínimo de 90 strides por minuto com um aumento para 150 strides por minuto, desde que sa frequência cardíaca esteja dentro da meta de intervalo.

4 Sua zona Calcule as metas de frequências cardíacas antes de começar! HR máx prevista = 220 Idade = Limite baixo de aquecimento/esfriamento = 0,55 x Idade = Limite alto de aquecimento/esfriamento = 0,65 x Idade = Limite baixo de queima de gordura = 0,65 x Idade = Limite alto de queima de gordura = 0,75 x Idade = Fundamentos de cárdio: Nível 1 para o EFX Linha do tempo de lançamento global T1 2015: RU, Canadá, Austrália H1 2015: Alemanha e China H2 2015: Brasil e México Outros mercados: TBD Linha do tempo de lançamento de site global Tempo: 3 7 minutos Declive: Baixo Meta de músculos: Quadríceps e panturrilhas Aumente gradativamente os strides por minuto para atingir a meta de HR. dentro da meta de HR. O cliente deverá conseguir conversar sem sentir falta de ar. Diminua o ritmo se tiver dificuldades para respirar. Intervalo 3 Tempo: minutos Declive: Média Meta de músculos: Músculos isquiotibiais e quadríceps Diminua a inclinação e busque 130 SPM para manter a meta de HR. dentro da meta de HR Com o tempo, os clientes poderão manter SPM. Intervalo 2 Tempo: 7 12 minutos Declive: Moderadamente alto Meta de músculos: Glúteos Eleve a inclinação para moderadamente alta, enquanto busca a meta mínima de 130 SPM. Incentive o cliente a ter paciência enquanto seu corpo se adapta a esse exercício. A cada 5 o treinamento, seu cliente deverá conseguir aumentar a taxa de stride e resistência sem exceder a meta de HR. Esfriamento Tempo: minutos Declive: Baixo Resistência: 1 Reduza a frequência de stride para manter a meta de HR. Com as melhorias no condicionamento, a HR cairá mais rapidamente. Continue o esfriamento até a HR permanecer dentro da meta por um minuto.

5 Mais em forma, mais veloz, mais forte, mais alongado: Programa de Desenvolvimento de Cárdio Precor EFX Fundamentos de cárdio: Nível 2 Esse treino permite que os alunos continuem desenvolvendo condicionamento aeróbico e treinando seus músculos para queimar percentuais mais altos de gordura durante os exercícios. O programa cultiva a base estabelecida no nível 1, enfatizando níveis mais baixos de intensidade para atingir a queima de gordura máxima. O treinamento Fundamentos de cárdio: nível 2 vai ajudar os clientes a atingirem a maior taxa de queima de gordura, o que melhorará com o tempo, à medida que passarem para os Fundamentos de cárdio: nível 3. Ele funciona pela manutenção de uma intensidade relativamente baixa para permitir que os músculos obtenham bastante oxigenação da circulação para proporcionar a queima de gordura ideal. Além de aumentar a queima de gordura nos músculos, esse programa também serve como a base aeróbica que será ainda mais fortalecida e desenvolvida durante a Fase 2: Condicionamento de cárdio. 1 Visão geral do programa Equipamento: qualquer Precor EFX com Crossramp Tempo total: 30 minutos Frequência: 4 5 dias por semana Núm. de semanas antes de avançar: Realização de um mínimo de 2 semanas de treinamentos consistentes 4 dias por semana. Próximo tipo de treinamento recomendado: fundamentos de cárdio: Nível 3 2 Dicas de treinamento Manutenção da flexibilidade: incorpore um programa de flexibilidade geral como parte de sua rotina de exercícios regulares. Se os alunos quiserem se alongar antes do treinamento, será melhor aquecer os músculos primeiro, com 3 5 minutos de movimentos suaves. Hidratação e energização: oriente os praticantes a beberem de 1 a 2 copos de água ou isotônicos 1 hora antes do treinamento. Recomende, também, que façam uma refeição ou um lanche que contenha carboidratos e proteínas 1 hora antes do treinamento. Segurança em primeiro lugar: os alunos não deverão se exercitar se estiverem doentes, lesionados ou com febre. 3: Estrutura do treinamento Programa: manual Nível de intensidade: 65 75% da HR máx. prevista. Esse treinamento deverá ser bem fácil (8 10 na escala de Borg modificada). O aquecimento e o esfriamento sempre devem ficar ente 55 65% da HR máx prevista. Resistência: varia de acordo com a resposta da frequência cardíaca individual. Praticantes que possuem maior peso poderão obter níveis de resistência mais alto devido ao efeito da gravidade, enquanto as pessoas mais leves terão que ficar nas configurações mais baixas para manter sua frequência cardíaca dentro da meta de intervalo. Strides por minuto: mínimo de 90 strides por minuto com um aumento para 150 strides por minuto, desde que sua frequência cardíaca esteja dentro da meta de intervalo.

6 Sua zona Calcule as metas de frequências cardíacas antes de começar! Fundamentos de cárdio: Nível 2 para o EFX Aquecimento Tempo: 0 3 minutos Declive: Pouco a nenhum HR máx prevista = 220 Idade = Limite baixo de aquecimento/esfriamento = 0,55 x Idade = Aumente gradativamente a HR na zona -alvo. Limite alto de aquecimento/esfriamento = 0,65 x Idade = dentro da meta de HR Aumente a inclinação para 3. Limite baixo de queima de gordura = 0,65 x Idade = O cliente deverá soltar as alças e mover os braços naturalmente. Use as barras para Limite alto de queima de gordura = 0,75 x Idade = equilíbrio e para verificar a HR, conforme necessário. Intervalo 1 Tempo: 3 7 minutos Declive: Baixo Meta de músculos: Quadríceps e panturrilhas Aumente gradativamente os strides por minuto para atingir a meta de HR. O cliente deverá conseguir conversar sem sentir falta de ar. Diminua o ritmo se tiver dificuldades para respirar. Intervalo 3 Tempo: minutos Declive: Média Meta de músculos: Músculos isquiotibiais e quadríceps Diminua a inclinação e busque 130 SPM para manter a meta de HR. Com o tempo, os clientes poderão manter SPM. Intervalo 2 Tempo: 7 12 minutos Declive: Moderadamente alto Meta de músculos: Glúteos Eleve a inclinação para moderadamente alta, enquanto busca a meta mínima de 130 strides por minuto. Incentive o cliente a ter paciência enquanto seu corpo se adapta a esse exercício. A cada 5 o treinamento, seu cliente deverá conseguir aumentar a taxa de stride e resistência sem exceder a meta de HR. Intervalo 4 Tempo: minutos Declive: Baixo Meta de músculos: Músculos isquiotibiais e quadríceps Diminua a inclinação e busque 130 SPM para manter a meta de HR. dentro da meta de HR Com o tempo, os clientes poderão manter SPM

7 Intervalo 5 Tempo: minutos Declive: Moderadamente alto Meta de músculos: Glúteos Fundamentos de cárdio: Nível 2 para o EFX Esfriamento Tempo: minutos Declive: 3 Resistência: 1 Continue a buscar 130 SPM. Só aumente a resistência se estiver mantendo 150 SPM. Com as melhorias no condicionamento, a HR cairá mais rapidamente. Reduza a frequência de stride para manter a meta de HR. Com as melhorias no condicionamento, a frequência cardíaca cairá mais rapidamente. Continue o esfriamento até a frequência cardíaca permanecer dentro da meta por um minuto.

8 Mais em forma, mais veloz, mais forte, mais alongado: Programa de Desenvolvimento de Cárdio Precor EFX Fundamentos de cárdio: Nível 3 Esse treinamento permite que os alunos continuem desenvolvendo condicionamento aeróbico e treinando seus músculos para queimar percentuais mais altos de gordura durante as atividades. Prioriza a base estabelecida nos níveis 1 e 2, enfatizando níveis mais baixos de intensidade para atingir a queima de gordura máxima. O treinamento funciona pela manutenção de uma intensidade relativamente baixa para permitir que os músculos obtenham bastante oxigenação da circulação para proporcionar a queima de gordura ideal. Além de aumentar a queima de gordura nos músculos, esse treinamento também serve como a base aeróbica que será ainda mais fortalecida e desenvolvida durante a Fase 2: Condicionamento de cárdio. 1: Visão geral do programa 2: Dicas de treinamento Equipamento: qualquer Precor EFX com Crossramp Tempo total: 30 minutos Frequência: 4 5 dias por semana Números de semanas antes de avançar: realização de um mínimo de duas semanas de treinamentos consistentes quatro dias por semana Próximo tipo de treinamento recomendado: condicionamento de cárdio: Nível 1 Manutenção de flexibilidade: incorpore um programa de flexibilidade geral como parte de sua rotina de exercícios regulares. Se os alunos quiserem se alongar antes do treinamento, será melhor aquecer seus músculos primeiro, com 3 5 minutos de movimentos suaves. Hidratação e energização: oriente os praticantes a beberem de 1 a 2 copos de água ou isotônicos 1 hora antes do treinamento. Recomende também que façam uma refeição ou um lanche que contenha carboidratos e proteínas 1 hora antes do treinamento. Segurança em primeiro lugar: os alunos não deverão se exercitar se estiverem doentes, lesionados ou com febre. 3: Estrutura do treinamento Programa: manual Nível de intensidade: 65 80% da HR máx. prevista. Esse treinamento deverá ser bem fácil (9 11 na escala de Borg modificada). O aquecimento e o esfriamento sempre devem ficar ente 55 65% da HR máx prevista. Resistência: varia de acordo com a resposta da frequência cardíaca individual. Pessoas mais pesadas poderão obter níveis de resistência mais alto devido ao efeito da gravidade, enquanto os alunos mais leves terão que ficar nas configurações mais baixas para manter sua frequência cardíaca dentro da meta de intervalo. Strides por minuto: mínimo de 120 strides por minuto com um aumento para 150 strides por minuto, desde que sua frequência cardíaca esteja dentro da meta de intervalo. O intervalo superior da taxa de stride para o intervalo de aumento de queima de gordura é 160 strides por minuto.

9 Sua zona Calcule as metas de frequências cardíacas antes de começar! HR máx prevista = 220 Idade = Limite baixo de aquecimento/esfriamento = 0,55 x Idade = Limite alto de aquecimento/esfriamento = 0,65 x Idade = Limite baixo de queima de gordura = 0,65 x Idade = Limite alto de queima de gordura = 0,75 x Idade = Fundamentos de cárdio: Nível 3 para o EFX Aquecimento Tempo: 0-3 minutos Declive: Pouco a nenhum Aumente gradativamente a HR na zona -alvo. dentro da meta de HR Aumente a inclinação para 3. Solte as alças e mova os braços naturalmente. Use as barras para equilíbrio e para verificar a HR, conforme necessário. Intervalo 1 Tempo: 3 7 minutos Declive: Baixo Meta de músculos: Quadríceps e panturrilhas Aumente gradativamente os strides por minuto para atingir a meta de HR. O aluno deve conseguir conversar sem sentir falta de ar. Diminuir o ritmo caso tenha dificuldades para respirar. Intervalo 3 PEDALAR PARA TRÁS Tempo: minutos Declive: Moderadamente baixo Meta de músculos: Quadríceps e canelas Pedale para trás e estabilize usando o abdômen, os glúteos, os músculos das costas e pélvicos. Quando se sentir confortável, solte as alças. dentro da meta de HR Com o tempo, você poderá manter SPM Intervalo 2 Tempo: 7 12 minutos Declive: Nível confortável Meta de músculos: Glúteos Eleve a inclinação para moderadamente alta, enquanto busca a meta mínima de 130 strides por minuto. Aumente para 160 SPM, enquanto mantém a meta de HR. Intervalo 4 Tempo: minutos Declive: Confortável Meta de zona de HR: 75 80% Meta de músculos: Variável Diminua a inclinação e busque 130 SPM para manter a meta de frequência cardíaca. dentro da meta de HR Aumente para 160 SPM, enquanto mantém a meta de HR

10 Intervalo 5 Tempo: minutos Declive: Moderadamente alto Meta de músculos: Glúteos Fundamentos de cárdio: Nível 3 para o EFX Esfriamento Tempo: minutos Declive: 3 Resistência: 1 Continue a buscar 130 SPM. Só aumente a resistência se estiver mantendo 150 SPM. Com as melhorias no condicionamento, a HR cairá mais rapidamente. Reduza a frequência de stride para manter a meta de HR. Com as melhorias no condicionamento, a HR cairá mais rapidamente. Continue o esfriamento até a HR permanecer dentro da meta por um minuto.

Mais em forma, mais veloz, mais forte, mais alongado: Programa de Desenvolvimento de Cárdio Precor

Mais em forma, mais veloz, mais forte, mais alongado: Programa de Desenvolvimento de Cárdio Precor Mais em forma, mais veloz, mais forte, mais alongado: Programa de Desenvolvimento de Cárdio Precor O Programa de Desenvolvimento de Cárdio Precor é um programa de treinamento em 3 fases que orienta progressivamente

Leia mais

Deficiência de Desempenho Muscular. Prof. Esp. Kemil Rocha Sousa

Deficiência de Desempenho Muscular. Prof. Esp. Kemil Rocha Sousa Deficiência de Desempenho Muscular Prof. Esp. Kemil Rocha Sousa Desempenho Muscular Refere-se à capacidade do músculo de produzir trabalho (força X distância). (KISNER & COLBI, 2009) Fatores que afetam

Leia mais

Atividade física: pratique essa ideia.

Atividade física: pratique essa ideia. Atividade física: pratique essa ideia. Quando o assunto é qualidade de vida, não dá para ficar parado. Para a Organização Mundial de Saúde (OMS), a atividade física é o principal fator de promoção do bem-estar

Leia mais

A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte

A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte Prof. Antonio Carlos Fedato Filho Prof. Guilherme Augusto de Melo Rodrigues Monitorando e conhecendo melhor os trabalhos

Leia mais

O Treino no BTT. COALA Clube Orientação Aventura Litoral Alentejano

O Treino no BTT. COALA Clube Orientação Aventura Litoral Alentejano COALA Clube Orientação Aventura Litoral Alentejano O Treino no BTT Para todos aqueles que se iniciam no BTT, e até no caso de alguns veteranos, existe a tendência natural para copiar esquemas e métodos

Leia mais

Bases Metodológicas do Treinamento Desportivo

Bases Metodológicas do Treinamento Desportivo Bases Metodológicas do Treinamento Desportivo Unidade II Controle e Prescrição do Treinamento Prof. Esp. Jorge Duarte Prescrição de Atividades Físicas Condições de saúde; Estado geral do aluno (cliente);

Leia mais

Diminua seu tempo total de treino e queime mais gordura

Diminua seu tempo total de treino e queime mais gordura Diminua seu tempo total de treino e queime mais gordura Neste artigo vou mostrar o principal tipo de exercício para acelerar a queima de gordura sem se matar durante horas na academia. Vou mostrar e explicar

Leia mais

Selecionando as melhores ferramentas robóticas para paletização

Selecionando as melhores ferramentas robóticas para paletização Selecionando as melhores ferramentas robóticas para paletização Com as perguntas certas, uma empresa pode projetar sistemas robóticos que maximizem a eficiência de fim da linha e o retorno sobre investimento

Leia mais

PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIO AERÓBIO

PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIO AERÓBIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA BE066 FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIO AERÓBIO PROF. SERGIO GREGORIO DA SILVA, PHD AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE (COLÉGIO

Leia mais

PROGRAMA DE 4 DIAS DE TREINO DE FORÇA PARA MULHERES

PROGRAMA DE 4 DIAS DE TREINO DE FORÇA PARA MULHERES DESAFIO VITA VERÃO PROGRAMA DE 4 DIAS DE TREINO DE FORÇA PARA MULHERES TREINO A - Agachamento livre COMPLETO: 8 a 10 repetições (3x) - Leg 45: 8 a 10 repetições (3x) - Cadeira extensora: 8 a 10 repetições

Leia mais

ANÁLISE FUNCIONAL DO FITNESS

ANÁLISE FUNCIONAL DO FITNESS ANÁLISE FUNCIONAL DO FITNESS Sobre a Avaliação: O profissional conecta os sensores nos dedos do cliente para que possam captar os sinais do sistema nervoso e enviá-los ao computador, gerando resultados

Leia mais

Deseja Descobrir Como Ganhar Massa Muscular Agora?

Deseja Descobrir Como Ganhar Massa Muscular Agora? ATENÇÃO! A informação contida neste material é fornecida somente para finalidades informativas e não é um substituto do aconselhamento por profissionais da área da saúde como médicos, professores de educação

Leia mais

Malhar em jejum é nova 'modinha' para perda de gordura Sex, 20 de Dezembro de 2013 09:38 - Última atualização Sex, 20 de Dezembro de 2013 13:11

Malhar em jejum é nova 'modinha' para perda de gordura Sex, 20 de Dezembro de 2013 09:38 - Última atualização Sex, 20 de Dezembro de 2013 13:11 Existem alguns conceitos sobre alimentação e boa forma que, por osmose, já estão dentro da cabeça das pessoas: comer de três em três horas faz bem; exercícios aeróbicos ajudam a queimar gordura; beber

Leia mais

Planejamento - 7. Planejamento do Gerenciamento do Risco Identificação dos riscos. Mauricio Lyra, PMP

Planejamento - 7. Planejamento do Gerenciamento do Risco Identificação dos riscos. Mauricio Lyra, PMP Planejamento - 7 Planejamento do Gerenciamento do Risco Identificação dos riscos 1 O que é risco? Evento que representa uma ameaça ou uma oportunidade em potencial Plano de gerenciamento do risco Especifica

Leia mais

Atividade Física. A atividade física aumenta a sensibilidade à insulina e a capacidade de absorver os nutrientes.

Atividade Física. A atividade física aumenta a sensibilidade à insulina e a capacidade de absorver os nutrientes. Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Atividade Física A atividade física aumenta a sensibilidade à insulina e a capacidade de absorver

Leia mais

TREINAMENTO 1. Aquecimento: Alongamento: Rodrigo Gonçalves (Comissão Paulista de Cheerleading) (CREF. 028011-G/SP)

TREINAMENTO 1. Aquecimento: Alongamento: Rodrigo Gonçalves (Comissão Paulista de Cheerleading) (CREF. 028011-G/SP) TREINAMENTO 1 Rodrigo Gonçalves (Comissão Paulista de Cheerleading) (CREF. 028011-G/SP) Rotina de alongamento e condicionamento (Treino 1): O alongamento e o aquecimento são importantíssimos em qualquer

Leia mais

Ponte rolante: como escolher

Ponte rolante: como escolher Ponte rolante: como escolher Vários fatores devem ser analisados antes de se optar por um modelo A decisão sobre a escolha do tipo de ponte rolante é altamente influenciada pelo local onde ela deve ser

Leia mais

SEMANA 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12. 16,44 km PLANILHA DE TREINO. Semana de treino para melhora da capacidade pulmonar.

SEMANA 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12. 16,44 km PLANILHA DE TREINO. Semana de treino para melhora da capacidade pulmonar. SEMANA 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 40 42 42 LONGO 5 X (6min CL / 2min CA) Trabalho muscular 6 X (5 min CL / 2 min Caminhada) Trabalho muscular 6 km CL (Pace) 5,13km (8'/km) 5,31 km (8'24"/km) 6

Leia mais

Mitos e verdades sobre a prática de Pilates. Escrito por Savassi Pilates Qua, 04 de Janeiro de 2012 09:38

Mitos e verdades sobre a prática de Pilates. Escrito por Savassi Pilates Qua, 04 de Janeiro de 2012 09:38 Os benefícios prometidos geravam curiosidade em torno do método criado pelo alemão Joseph Pilates no começo do século passado. Baseado no movimento dos animais e de crianças durante suas brincadeiras,

Leia mais

MEIA MARATONA PROGRAMA DE TREINO DE 12 SEMANAS

MEIA MARATONA PROGRAMA DE TREINO DE 12 SEMANAS MEIA MARATONA PROGRAMA DE TREINO DE 12 SEMANAS 1 O OBJETIVO D E S T E P L A N O N Ã O É F A Z E R V O C Ê C R U Z A R A L I N H A D E C H E G A D A, M A S S I M F A Z E R A SUA MELHOR VERSÃO CRUZAR A LINHA

Leia mais

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE Questionamento a alta direção: 1. Quais os objetivos e metas da organização? 2. quais os principais Produtos e/ou serviços da organização? 3. Qual o escopo da certificação? 4. qual é a Visão e Missão?

Leia mais

2 Parte ELABORAÇÃO DE PROJETOS; IMPLANTAÇÃO; GESTÃO DOS PROGRAMAS DE GINÁSTICA LABORAL.

2 Parte ELABORAÇÃO DE PROJETOS; IMPLANTAÇÃO; GESTÃO DOS PROGRAMAS DE GINÁSTICA LABORAL. 2 Parte ELABORAÇÃO DE PROJETOS; IMPLANTAÇÃO; GESTÃO DOS PROGRAMAS DE GINÁSTICA LABORAL. Projeto é um plano para a realização de um ato e também pode significar desígnio, intenção, esboço. O que é um projeto?

Leia mais

PROTOCOLOS PARA TESTES DE AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE CARDIORRESPIRATÓRIA

PROTOCOLOS PARA TESTES DE AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE CARDIORRESPIRATÓRIA Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira PROTOCOLOS PARA TESTES DE AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE CARDIORRESPIRATÓRIA Teste Submáximo de Astrand em

Leia mais

GUIA DE MUSCULAÇÃO PARA INICIANTES

GUIA DE MUSCULAÇÃO PARA INICIANTES GUIA DE MUSCULAÇÃO PARA INICIANTES O QUE É MUSCULAÇÃO? A musculação é um exercício de contra-resistência utilizado para o desenvolvimento dos músculos esqueléticos. A partir de aparelhos, halteres, barras,

Leia mais

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje.

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO- Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. Profa. Dra. Valéria Batista O que é vida saudável? O que é vida saudável? Saúde é o estado de complexo bem-estar físico,

Leia mais

Gestão dos Pequenos Negócios

Gestão dos Pequenos Negócios Gestão dos Pequenos Negócios x Rangel Miranda Gerente Regional do Sebrae Porto Velho, RO, 20 de outubro de 2015 A Conjuntura Atual Queda na produção industrial Desemprego Alta dos juros Restrição ao crédito

Leia mais

NECESSIDADES NUTRICIONAIS DO EXERCÍCIO

NECESSIDADES NUTRICIONAIS DO EXERCÍCIO Departamento de Fisiologia Curso: Educação Física NECESSIDADES NUTRICIONAIS DO EXERCÍCIO Aluno: Anderson de Oliveira Lemos Matrícula: 9612220 Abril/2002 Estrutura de Apresentação Líquidos Eletrólitos Energia

Leia mais

COMO USAR SMS ADDITIONAL TEXT EM UMA CAMPANHA ELEITORAL?

COMO USAR SMS ADDITIONAL TEXT EM UMA CAMPANHA ELEITORAL? COMO USAR SMS ADDITIONAL TEXT EM UMA CAMPANHA ELEITORAL? COMO USAR SMS EM UMA CAMPANHA ELEITORAL? Veja algumas dicas para engajar eleitores através do SMS Marketing De acordo com dados da Pnad (Pesquisa

Leia mais

Conseguimos te ajudar?

Conseguimos te ajudar? Controlar suas finanças deve ser um hábito. Não com o objetivo de restringir seus sonhos de consumo, mas sim de convidá-lo a planejar melhor a realização da cada um deles, gastando o seu dinheiro de maneira

Leia mais

MERCER 360 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

MERCER 360 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS MERCER 360 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Ponto de Vista da Mercer A avaliação 360 é um elemento vital para o desenvolvimento da liderança e planejamento de talentos Identifica pontos fortes e áreas de desenvolvimento

Leia mais

Regulamento da 3ª Corrida Rústica de São Francisco de Assis.

Regulamento da 3ª Corrida Rústica de São Francisco de Assis. Regulamento da 3ª Corrida Rústica de São Francisco de Assis. Modalidade 8 km I INSCRIÇÕES As inscrições estarão abertas a partir de junho de 2016, tendo um limite de 300 atletas. Caso o número de vagas

Leia mais

Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa)

Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) (CBCa) Palestra: Programação anual dos treinamentos na Canoagem Slalom. Os Ciclos de Treinamento Na Água Trabalho Intensidade Fisiológico Periodização de: Aeróbia Capacidade Continua Aeróbia Capacidade

Leia mais

E-book Como Diminuir Diabetes em 30 dias

E-book Como Diminuir Diabetes em 30 dias E-book Como Diminuir Diabetes em 30 dias Dicas e Informações sobre Diabetes Nesse e-book você vai aprender um pouco mais sobre diabetes e também vai descobrir algumas dicas para diminuir o seu nível de

Leia mais

PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL O GUIA PARA COMEÇAR A TER SUCESSO NAS FINANÇAS

PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL O GUIA PARA COMEÇAR A TER SUCESSO NAS FINANÇAS PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL O GUIA PARA COMEÇAR A TER SUCESSO NAS FINANÇAS SUMÁRIO INTRODUÇÃO 03 CONTROLE DE CONTAS 04 ENTENDER E CONTROLAR AS DESPESAS FIXAS E VARIÁVEIS 05 DEFINIR PRIORIDADES 07 IDENTIFICAR

Leia mais

Diretrizes para determinação de intervalos de comprovação para equipamentos de medição.

Diretrizes para determinação de intervalos de comprovação para equipamentos de medição. Diretrizes para determinação de intervalos de comprovação para equipamentos de medição. De acordo com a Norma NBR 1001, um grande número de fatores influência a freqüência de calibração. Os mais importantes,

Leia mais

REABILITAÇÃO CARDÍACA

REABILITAÇÃO CARDÍACA REABILITAÇÃO CARDÍACA Reabilitação cardíaca Reabilitação de pacientes cardíacos: atividades necessárias para assegurar as melhores condições físicas, sociais e mentais possíveis, de maneira que eles sejam

Leia mais

COMO COMEÇAR 2016 se organizando?

COMO COMEÇAR 2016 se organizando? COMO COMEÇAR 2016 se organizando? Como começar 2016 se organizando? Conheça estratégias simples para iniciar o novo ano com o pé direito Você sabia que, de acordo com o Sebrae, os principais motivos que

Leia mais

BSC Balance Score Card

BSC Balance Score Card BSC (Balance Score Card) BSC Balance Score Card Prof. Gerson gerson.prando@fatec.sp.gov.br Uma das metodologias mais visadas na atualidade éobalanced ScoreCard, criada no início da década de 90 por Robert

Leia mais

Capítulo 2 Objetivos e benefícios de um Sistema de Informação

Capítulo 2 Objetivos e benefícios de um Sistema de Informação Capítulo 2 Objetivos e benefícios de um Sistema de Informação 2.1 OBJETIVO, FOCO E CARACTERÍSTICAS DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Os Sistemas de Informação, independentemente de seu nível ou classificação,

Leia mais

ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Prof. MARCELO COSTELLA FRANCIELI DALCANTON ISO 9001- INTRODUÇÃO Conjunto de normas e diretrizes internacionais para sistemas de gestão da qualidade; Desenvolve

Leia mais

Dr. Milton Mizumoto Diretor Médico da Corpore

Dr. Milton Mizumoto Diretor Médico da Corpore Manual do corredor n Este manual tem como objetivo orientar o corredor iniciante que pretende praticar corridas em busca de bem estar e condicionamento físico. n São dicas aprendidas em livros e observações

Leia mais

Modalidades esportivas Sesc

Modalidades esportivas Sesc Faça sua carteira COMERCIÁRIO: TITULAR: CPTS atualizada, Comp. de residência, GFIP (Guia de Recolhimento e Informações do FGTS), Taxa CONVENIADOS: TITULAR: Comp.de residência, documento que comp. de vínculo

Leia mais

8 atitudes radicais que você deve evitar para emagrecer. Piccola Italia Bangu Culinária italiana saudável, feita à mão

8 atitudes radicais que você deve evitar para emagrecer. Piccola Italia Bangu Culinária italiana saudável, feita à mão 8 atitudes radicais que você deve evitar para emagrecer Piccola Italia Bangu Culinária italiana saudável, feita à mão Olá seja bem vindo ao ebook da Piccola Italia Bangu! Ficamos orgulhosos com seu interesse

Leia mais

Redações vencedoras II Concurso de Redação (2014)

Redações vencedoras II Concurso de Redação (2014) Redações vencedoras II Concurso de Redação (2014) 1 Lugar Aluno: Marcelo Couferai dos Santos Melo Professora: Maria Beatriz de Brito Avila Unidade Escolar: Escola Municipal Professor Giuseppe Carmineo

Leia mais

RELATÓRIO REALIZAÇÃO DO 3º SIMULADO DO ENADE DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 2014.2

RELATÓRIO REALIZAÇÃO DO 3º SIMULADO DO ENADE DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 2014.2 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMIÁRIDO DEPARTAMENTO DE AGROTECNOLOGIA E CIÊNCIAS SOCIAIS RELATÓRIO REALIZAÇÃO DO 3º SIMULADO DO ENADE DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Título Economia de baixo carbono, desafios e oportunidades para o setor elétrico Veículo Canal Energia Data 16 dezembro 2015 Autor Claudio J. D.

Título Economia de baixo carbono, desafios e oportunidades para o setor elétrico Veículo Canal Energia Data 16 dezembro 2015 Autor Claudio J. D. Título Economia de baixo carbono, desafios e oportunidades para o setor elétrico Veículo Canal Energia Data 16 dezembro 2015 Autor Claudio J. D. Sales Estiveram reunidos nas duas últimas semanas em Paris,

Leia mais

19627428.00 ESP/PRT A PRT GUIA PRÁTICO PARA ESTAR EM FORMA

19627428.00 ESP/PRT A PRT GUIA PRÁTICO PARA ESTAR EM FORMA GUIA PRÁTICO PARA ESTAR EM FORMA 19627428.00 ESP/PRT A PRT ÍNDICE 1. Deixe-se orientar pela sua frequência cardíaca!... 3 2. Um mundo de escolhas... 4 3. Zona-alvo da frequência cardíaca... 6 4. O exercício

Leia mais

Triglicerídeos altos podem causar doenças no coração. Escrito por Fábio Barbosa Ter, 28 de Agosto de 2012 11:19

Triglicerídeos altos podem causar doenças no coração. Escrito por Fábio Barbosa Ter, 28 de Agosto de 2012 11:19 Os triglicerídeos são a principal gordura originária da alimentação, mas podem ser sintetizados pelo organismo. Altos níveis de triglicerídeos (acima de 200) associam-se à maior ocorrencia de doença coronariana,

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Estruturas de Sistemas Operacionais Um sistema operacional fornece o ambiente no qual os programas são executados. Internamente,

Leia mais

Análise Nutricional do Contador de Pontos (Carinhas)

Análise Nutricional do Contador de Pontos (Carinhas) Análise Nutricional do Contador de Pontos (Carinhas) Finalidade da ferramenta Verificar se a alimentação do dia está adequada, contendo alimentos de boa qualidade, ou seja, com baixa quantidade de gorduras,

Leia mais

Índice. Introdução 2. Quais funcionalidades uma boa plataforma de EAD deve ter? 4. Quais são as vantagens de ter uma plataforma EAD?

Índice. Introdução 2. Quais funcionalidades uma boa plataforma de EAD deve ter? 4. Quais são as vantagens de ter uma plataforma EAD? Índice SUA EMPRESA DE TREINAMENTOS ESTÁ PARADA NO TEMPO? Introdução 2 Quais funcionalidades uma boa plataforma de EAD deve ter? 4 Quais são as vantagens de ter uma plataforma EAD? 6 A gestão de cursos

Leia mais

Início Rápido para o Templo

Início Rápido para o Templo Início Rápido para o Templo O FamilySearch.org facilita realizar as ordenanças do templo por seus antepassados. Todo o processo tem apenas alguns passos simples: 1. Descobrir antepassados que precisam

Leia mais

Configurando a emissão de boletos no sistema

Configurando a emissão de boletos no sistema Configurando a emissão de boletos no sistema Entre nossos sistemas, o GIM, o GECOB, o GEM, o TRA-FRETAMENTO e os 15 sistemas da linha 4U (GE-COMERCIO 4U, GEPAD 4U, GE-INFO 4U, etc ) possuem funções para

Leia mais

PROCESSO DE COMPRA BTRIEVE 12

PROCESSO DE COMPRA BTRIEVE 12 PROCESSO DE COMPRA BTRIEVE 12 A Contmatic está disponibilizando para você uma nova opção de banco de dados. Chegou o Btrieve 12, lançado mundialmente em 2016, esta nova versão já está adaptada para os

Leia mais

Selantes de Silicone RTV Bicomponente Dow Corning para a Produção de Aparelhos Domésticos

Selantes de Silicone RTV Bicomponente Dow Corning para a Produção de Aparelhos Domésticos Selantes de Silicone RTV Bicomponente Dow Corning para a Produção de Aparelhos Domésticos Ideais para produção automatizada de alta velocidade, os Selantes RTV Bicomponente Dow Corning oferecem uma grande

Leia mais

Gripe H1N1 ou Influenza A

Gripe H1N1 ou Influenza A Gripe H1N1 ou Influenza A A gripe H1N1 é uma doença causada por vírus, que é uma combinação dos vírus da gripe normal, da aviária e da suína. Essa gripe é diferente da gripe normal por ser altamente contagiosa

Leia mais

Guia Prático ORGANIZAÇÃO FINANCEIRA PARA BANCAR A FACULDADE

Guia Prático ORGANIZAÇÃO FINANCEIRA PARA BANCAR A FACULDADE Guia Prático ORGANIZAÇÃO FINANCEIRA PARA BANCAR A FACULDADE ÍNDICE 1 Introdução 2 Qual a importância da educação financeira para estudantes? 3 Comece definindo onde é possível economizar 4 Poupar é muito

Leia mais

BOAS PRÁTICAS NO GERENCIAMENTO SUSTENTÁVEL DE ENERGIA

BOAS PRÁTICAS NO GERENCIAMENTO SUSTENTÁVEL DE ENERGIA BOAS PRÁTICAS NO GERENCIAMENTO SUSTENTÁVEL DE ENERGIA 2016 1. ATENÇÃO AO USO DE ENERGIA A fábrica deve encarar os recursos energéticos como um item estratégico para bom desempenho da produção e resultado

Leia mais

http://treinoparamulheres.com.br/ Página 1

http://treinoparamulheres.com.br/ Página 1 http://treinoparamulheres.com.br/ Página 1 Conteúdo Introdução... 4 Quais os três principais fatores para promover o crescimento muscular?... 5 Qual o Número de repetições ideal?... 6 Qual a melhor forma

Leia mais

O PROCESSO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

O PROCESSO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA O PROCESSO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA 1 Nossos últimos assuntos foram: Fases do processo de criação do conhecimento. A transferência do conhecimento e a busca pela Inovação. Nesta aula veremos: O processo

Leia mais

Exclusivo: Secretária de Gestão do MPOG fala sobre expectativas do Governo Dilma

Exclusivo: Secretária de Gestão do MPOG fala sobre expectativas do Governo Dilma Exclusivo: Secretária de Gestão do MPOG fala sobre expectativas do Governo Dilma Entrevista, Ministério do Planejamento domingo, 6 de novembro de 2011 Carlos Bafutto O SOS Concurseiro discutiu, com exclusividade,

Leia mais

10 DICAS DE TECNOLOGIA PARA AUMENTAR SUA PRODUTIVIDADE NO TRABALHO

10 DICAS DE TECNOLOGIA PARA AUMENTAR SUA PRODUTIVIDADE NO TRABALHO 10 DICAS DE TECNOLOGIA PARA AUMENTAR SUA PRODUTIVIDADE NO TRABALHO UMA DAS GRANDES FUNÇÕES DA TECNOLOGIA É A DE FACILITAR A VIDA DO HOMEM, SEJA NA VIDA PESSOAL OU CORPORATIVA. ATRAVÉS DELA, ELE CONSEGUE

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Maria Alice Wernesbach Nascimento Rosany Scarpati Riguetti Administração Geral Faculdade Novo Milênio

EMPREENDEDORISMO. Maria Alice Wernesbach Nascimento Rosany Scarpati Riguetti Administração Geral Faculdade Novo Milênio EMPREENDEDORISMO Maria Alice Wernesbach Nascimento Rosany Scarpati Riguetti Administração Geral Faculdade Novo Milênio RESUMO: O trabalho visa abordar o que vem a ser empreendedorismo e iconoclastas, bem

Leia mais

Adaptações Cardiovasculares da Gestante ao Exercício

Adaptações Cardiovasculares da Gestante ao Exercício Desde as décadas de 60 e 70 o exercício promove Aumento do volume sanguíneo Aumento do volume cardíaco e suas câmaras Aumento do volume sistólico Aumento do débito cardíaco que pode ser alcançado Aumento

Leia mais

novo GUIA MÉDICO VIRTUAL como utilizar? Campina Grande Amor pela vida, amor por você.

novo GUIA MÉDICO VIRTUAL como utilizar? Campina Grande Amor pela vida, amor por você. INTRODUÇÃO A Unimed, adiantando-se à exigências do nosso órgão regulador, a Agência Nacional de Saúde Suplementar ANS e buscando atender a Resolução Normativa - RN Nº 285, de 23 de Dezembro de 2011, informa

Leia mais

ONG S E ASSOCIAÇÕES. Aproveite bem todas as dicas, fotos e textos deste guia, pois eles são muito importantes.

ONG S E ASSOCIAÇÕES. Aproveite bem todas as dicas, fotos e textos deste guia, pois eles são muito importantes. ONG S E ASSOCIAÇÕES PARA COMEÇAR Você tem vontade de participar mais do que acontece ao seu redor, dar uma força para resolver questões que fazem parte da rotina de certos grupos e comunidades e colocar

Leia mais

V.7. Noções Básicas sobre o uso da Potência e do Torque do Motor.

V.7. Noções Básicas sobre o uso da Potência e do Torque do Motor. V.7. Noções Básicas sobre o uso da Potência e do Torque do Motor. V.7.1. Torque Quando você faz força para desrosquear uma tampa de um vidro de conservas com a mão, se está aplicando torque. O torque é

Leia mais

Guia Ourofino de limpeza dos ouvidos de cães e gatos. Seguindo estas dicas, você protege e ainda dá carinho ao seu amigo.

Guia Ourofino de limpeza dos ouvidos de cães e gatos. Seguindo estas dicas, você protege e ainda dá carinho ao seu amigo. Guia Ourofino de limpeza dos ouvidos de cães e gatos. Seguindo estas dicas, você protege e ainda dá carinho ao seu amigo. Manter limpos os ouvidos de cães e gatos, além de contribuir para sua saúde e bem-estar,

Leia mais

ACORDO DE PARIS: A RECEITA PARA UM BOM RESULTADO

ACORDO DE PARIS: A RECEITA PARA UM BOM RESULTADO ACORDO DE PARIS: A RECEITA PARA UM BOM RESULTADO Le Bourget, 30 de novembro de 2015 Daqui a 11 dias, representantes de 195 países deverão adotar aqui o documento internacional mais importante do século:

Leia mais

APÊNDICE. Planejando a mudança. O kit correto

APÊNDICE. Planejando a mudança. O kit correto APÊNDICE Planejando a mudança No capítulo 11, trabalhamos o estabelecimento de um objetivo claro para a mudança. Agora, você está repleto de ideias e intenções, além de uma série de estratégias de mudança

Leia mais

"BUSSINES PLAN"- PLANO DE NEGÓCIOS

BUSSINES PLAN- PLANO DE NEGÓCIOS "BUSSINES PLAN"- PLANO DE! Os componentes do Business Plan.! Quem precisa fazer um Business Plan! Colocando o Business Plan em ação Autores: Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas

Leia mais

Osteoporose. Trabalho realizado por: Laís Bittencourt de Moraes*

Osteoporose. Trabalho realizado por: Laís Bittencourt de Moraes* Trabalho realizado por: Laís Bittencourt de Moraes* * Fisioterapeuta. Pós-graduanda em Fisioterapia Ortopédica, Traumatológica e Reumatológica. CREFITO 9/802 LTT-F E-mail: laisbmoraes@terra.com.br Osteoporose

Leia mais

AQUECEDOR SOLAR A VÁCUO

AQUECEDOR SOLAR A VÁCUO AQUECEDOR SOLAR A VÁCUO Aquecedor Solar a vácuo utiliza o que existe de mais avançado em tecnologia de aquecimento solar de água. Esse sistema de aquecimento utiliza a circulação natural da água, também

Leia mais

7 perguntas para fazer a qualquer fornecedor de automação de força de vendas

7 perguntas para fazer a qualquer fornecedor de automação de força de vendas 7 perguntas para fazer a qualquer fornecedor de automação de força de vendas 1. O fornecedor é totalmente focado no desenvolvimento de soluções móveis? Por que devo perguntar isso? Buscando diversificar

Leia mais

NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE NBC TSC 4410, DE 30 DE AGOSTO DE 2013

NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE NBC TSC 4410, DE 30 DE AGOSTO DE 2013 NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE NBC TSC 4410, DE 30 DE AGOSTO DE 2013 Dispõe sobre trabalho de compilação de informações contábeis. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições

Leia mais

PROVA INFORMÁTICA BANCO DO BRASIL 2007

PROVA INFORMÁTICA BANCO DO BRASIL 2007 PROVA INFORMÁTICA BANCO DO BRASIL 2007 RESOLUÇÃO DE QUESTÕES FONTE: http://www.cespe.unb.br/concursos/bb12007/ E-BOOK SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL Este e-book é recomendado para candidatos que estão se

Leia mais

A equipe que cuidará de seu filho. Sejam bem-vindos

A equipe que cuidará de seu filho. Sejam bem-vindos Sejam bem-vindos Nós desenvolvemos este guia para ajudá-lo a se preparar para a operação de sua criança. Muitas famílias acreditam que aprendendo e conversando sobre o que esperar do tratamento pode ajudar

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 86 outubro de 2014. Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 86 outubro de 2014. Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 86 outubro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Análise de indicadores bancários e financeiros em 2014 1 A concentração bancária brasileira em

Leia mais

SIMULADO DO TESTE DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

SIMULADO DO TESTE DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS SIMULADO DO TESTE DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROPOSTA Este simulado é um material de apoio para você se preparar para o Teste de Resolução de Problemas, com o objetivo de: 1. Compartilhar dicas e normas

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS - 2013

CATÁLOGO DE PRODUTOS - 2013 CATÁLOGO DE PRODUTOS - 2013 Por uma vida mais ativa com a act! home fitness Praticar exercícios é preservar a saúde. Não é de hoje que nós brasileiros estamos conscientes dos benefícios que a atividade

Leia mais

PROPOSTAS PARA O COMBATE À ALTA ROTATIVIDADE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO

PROPOSTAS PARA O COMBATE À ALTA ROTATIVIDADE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO PROPOSTAS PARA O COMBATE À ALTA ROTATIVIDADE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO 2 PROPOSTAS PARA O COMBATE À ALTA ROTATIVIDADE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO Nos últimos anos, várias medidas adotadas

Leia mais

Roteiro SENAC. Análise de Riscos. Planejamento do Gerenciamento de Riscos. Planejamento do Gerenciamento de Riscos

Roteiro SENAC. Análise de Riscos. Planejamento do Gerenciamento de Riscos. Planejamento do Gerenciamento de Riscos SENAC Pós-Graduação em Segurança da Informação: Análise de Riscos Parte 2 Leandro Loss, Dr. Eng. loss@gsigma.ufsc.br http://www.gsigma.ufsc.br/~loss Roteiro Introdução Conceitos básicos Riscos Tipos de

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Aula N : 15 Tema:

Leia mais

Coisas. negócio. que se você NÃO estiver fazendo na nuvem, provavelmente está perdendo. por Maurício Cascão, CEO Mandic.

Coisas. negócio. que se você NÃO estiver fazendo na nuvem, provavelmente está perdendo. por Maurício Cascão, CEO Mandic. 5 Coisas que se você NÃO estiver fazendo na nuvem, provavelmente está perdendo negócio. por Maurício Cascão, CEO Mandic. CLOUD SOLUTIONS 5 { / } Coisas { / } que se você NÃO estiver fazendo na nuvem, provavelmente

Leia mais

A Proposta da IAAF 03. Campeonato para 13-15 anos de idade 03. Formato da Competição 04. Organização da Competição 05.

A Proposta da IAAF 03. Campeonato para 13-15 anos de idade 03. Formato da Competição 04. Organização da Competição 05. Índice: A Proposta da IAAF 03 Campeonato para 3-5 anos de idade 03 Formato da Competição 04 Organização da Competição 05 Resultados 06 Arbitragem necessária para o Evento 07 Preparação do Equipamento Necessário

Leia mais

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise -

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise - RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - Janeiro de 1998 RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - As empresas, principalmente

Leia mais

Gerenciamento de Projeto: Planejando os Riscos. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Gerenciamento de Projeto: Planejando os Riscos. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Gerenciamento de Projeto: Planejando os Riscos Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Introdução Planejar o Gerenciamento dos Riscos. Identificar os Riscos Realizar a Análise Qualitativa

Leia mais

Bicicleta Diadora Racer 20C Manual do Usuário

Bicicleta Diadora Racer 20C Manual do Usuário Bicicleta Diadora Racer 20C Manual do Usuário 1 Informações de segurança Leia as instruções antes de usar! 1. Monte este aparelho de modo apropriado usando partes/peças originais de acordo com as instruções

Leia mais

AFETA A SAÚDE DAS PESSOAS

AFETA A SAÚDE DAS PESSOAS INTRODUÇÃO Como vai a qualidade de vida dos colaboradores da sua empresa? Existem investimentos para melhorar o clima organizacional e o bem-estar dos seus funcionários? Ações que promovem a qualidade

Leia mais

Objetivos das Famílias e os Fundos de Investimento

Objetivos das Famílias e os Fundos de Investimento Objetivos das Famílias e os Fundos de Investimento Objetivos das Famílias e os Fundos de Investimento Prof. William Eid Junior Professor Titular Coordenador do GV CEF Centro de Estudos em Finanças Escola

Leia mais

Como Fotografar as Estrelas

Como Fotografar as Estrelas Como Fotografar as Estrelas Texto: John Davenport Fotografia em geral é fácil certo? Você pega a sua câmera, a aponta na direção do que o interessa e aperta o botão. Porém, há muitos níveis de fotografia,

Leia mais

O TREINO DEPOIS DOS 50 ANOS

O TREINO DEPOIS DOS 50 ANOS O TREINO DEPOIS DOS 50 ANOS COMO SUPERAR O SEU RECORD PESSOAL Depois de quebrada a barreira de muitos km a pedalar e terminadas com algum conforto as primeiras provas de Granfondo e Ultra Endurance, surge

Leia mais

O QUE É UMA POLÍTICA DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR (PSST)?

O QUE É UMA POLÍTICA DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR (PSST)? O QUE É UMA POLÍTICA DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR (PSST)? Original: Guía para redactar una declaración de política OHS Copyright 1997-2006 Centro Canadiense de Salud y Seguridad Ocupacional Disponível

Leia mais

EDITAL Abertura de Processo Seletivo

EDITAL Abertura de Processo Seletivo EDITAL Abertura de Processo Seletivo Projeto de Iniciação Científica das Faculdades Integradas Campo-grandenses (FIC) Dispõe sobre as normas para o processo de chamada de propostas de projetos de iniciação

Leia mais

Caixa Postal Avançada - Corporativo

Caixa Postal Avançada - Corporativo Caixa Postal Avançada - Corporativo Conceito A antiga Caixa Postal do Corporativo era isenta de cobrança, pois era baseada em um modelo totalmente tradicional, sem nenhuma inovação ou benefício que justificasse

Leia mais

PROGRAMA DE TREINO DE 12 SEMANAS PARA TRIATLO DE SPRINT INTERMÉDIO

PROGRAMA DE TREINO DE 12 SEMANAS PARA TRIATLO DE SPRINT INTERMÉDIO A Triathlon Performance Solutions apresenta: O plano de corrida de doze semanas Distância de corrida: Sprint Nível atlético: Atleta intermédio com pelo menos dois anos de experiência em sprint ou em triatlo

Leia mais

Prof. Kemil Rocha Sousa

Prof. Kemil Rocha Sousa Prof. Kemil Rocha Sousa Preparo Físico Termo geral usado para descrever a habilidade para realizar trabalho físico. A execução de trabalho físico requer: - funcionamento cardiorrespiratório - força muscular

Leia mais

Guia passo a passo. Como se tornar um pequeno produtor certificado FSC

Guia passo a passo. Como se tornar um pequeno produtor certificado FSC Guia passo a passo Como se tornar um pequeno produtor certificado FSC INTRODUÇÃO AO FSC O que é o FSC? O FSC é uma organização independente, não governamental e sem fins lucrativos criada para promover

Leia mais

Tylemax Gotas. Natulab Laboratório SA. Solução Oral. 200 mg/ml

Tylemax Gotas. Natulab Laboratório SA. Solução Oral. 200 mg/ml Tylemax Gotas Natulab Laboratório SA. Solução Oral 200 mg/ml TYLEMAX paracetamol APRESENTAÇÕES Solução oral em frasco plástico opaco gotejador com 10, 15 e 20ml, contendo 200mg/mL de paracetamol. USO ADULTO

Leia mais