PREVENÇÃO DA SIDA MAIS DE 10 MIL RESPOSTAS!

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PREVENÇÃO DA SIDA MAIS DE 10 MIL RESPOSTAS!"

Transcrição

1 PREVENÇÃO DA SIDA Não baixar os braços Campanhas de prevenção frequentes, bem dirigidas e sem tabus são armas essenciais na luta contra a propagação da sida. O nosso inquérito a mais de 10 mil pessoas demonstra que ainda há um longo caminho a percorrer para que os comportamentos seguros se tornem regra. Por exemplo, cerca de 20% dos inquiridos com mais de um parceiro sexual não usam preservativo. Todos os anos, sobretudo por volta do primeiro de Dezembro, quando se comemora o Dia Mundial de Luta Contra a Sida, somos confrontados com os números alarmantes de casos de infecção pelo VIH. Actualmente, existem já mais de 42 milhões de pessoas infectadas em todo o Mundo. Em Portugal, nos últimos 20 anos foram notificados mais de 22 mil casos de VIH/sida, mas estimativas apontam para a existência de 30 a 50 mil. Metade dos casos registados, nos últimos anos, foram causados pelo uso de drogas injectáveis, mas tem-se verificado um aumento preocupante da transmissão por via sexual, entre os heterossexuais. A sida é, hoje em dia, um problema de todos, até porque não existem ainda medicamentos capazes de curá-la, nem vacinas para preveni-la. A única forma de evitar a infecção pelo VIH é mesmo... não ter comportamentos de risco. Estar bem informado é o primeiro de vários passos a seguir. O nosso estudo demonstra que, mesmo no campo da informação, ainda há muito a fazer. O abrandamento das (boas) campanhas de prevenção, os medicamentos actuais, que impedem a sida de matar tão depressa, e a confiança excessiva no aparecimento de uma vacina contra a sida terão contribuído para o relaxamento de atitudes preventivas entre os portugueses. Ataque à imunidade A sigla sida significa síndroma de imunodeficiência adquirida. Na origem da doença está o VIH (Vírus de Imunodeficiência Humana). Este ataca as defesas do nosso organismo, destruindo um certo tipo de glóbulos brancos, os linfócitos ou células T. Com a diminuição destas células, o organismo vai perdendo a capacidade de combater as ameaças (outros microrganimos nocivos). No momento em que a imunidade se encontra seriamente afectada pelo VIH e a pessoa começa a ter problemas de saúde que em condições normais não existiriam, diz-se que sofre de sida. Neste caso, se não houver um tratamento específico, fica a porta aberta para a entrada de diversas doenças, que ameaçam a própria vida do paciente. MAIS DE 10 MIL RESPOSTAS! O objectivo do presente estudo foi verificar que informações dispõem os cidadãos de quatro países europeus sobre o VIH e a sida (Portugal, Bélgica, Espanha e Itália) e que tipo de comportamento preventivo adoptam. Recolhemos questionários válidos, entre os quais 3045 portugueses. Procurámos ainda saber o que se faz nas escolas ao nível da informação e prevenção da sida. Para tal, enviámos um questionário a 1728 estabelecimentos de ensino do 3.º Ciclo, Secundário e Profissional. No total, 788 direcções das escolas responderam ao nosso pedido de informação (ver caixa VIH e sida na escola). 13

2 Como se transmite o VIH? O vírus aloja-se nos fluidos corporais, mas em quantidades diferentes. A saliva, por exemplo, contém quantidades ínfimas, pelo que não é considerada um meio ideal de transmissão do VIH. Em contrapartida, a concentração do vírus é elevada no sangue, esperma, secreções vaginais e leite materno da pessoa seropositiva. A contaminação ocorre quando o vírus entra em contacto com o sangue da pessoa não seropositiva. Assim sendo, existem vários comportamentos de risco. Contacto sexual. A principal causa da transmissão do vírus é a relação sexual desprotegida (por exemplo, sem usar o preservativo). Podem estar na origem da contaminação tanto relações vaginais, como orais e anais. O risco de contágio é menor durante o sexo oral (em relação às outras duas práticas), mas não é nulo. Televisão Jornais Revistas Escola Revistas científicas Internet Padres e outros religiosos Partilha de seringas. A infecção por VIH ocorre também aquando da utilização de seringas infectadas, o que acontece entre toxicodependentes. De mãe para filho. Uma grávida seropositiva, isto é infectada pelo VIH, pode transmitir o vírus ao feto (o risco pode ser reduzido com medicamentos). A contaminação do bebé pode, ONDE OBTEVE INFORMAÇÃO SOBRE A SIDA? 5% 16% 39% 38% 59% 58% igualmente, ocorrer durante o parto ou aquando do aleitamento materno. Por isso, a grávida e o companheiro devem fazer o teste da sida e os partos de mães seropositivas são rodeados de grandes precauções. É também aconselhável alimentar a criança com leite artificial. Transfusões sanguíneas. Em Portugal, o sangue destinado a transfusões é 91% Ideia errada O consumo excessivo de bebidas alcoólicas não aumenta os comportamentos de risco. Usar dois preservativos é mais seguro do que usar apenas um. Uma mãe seropositiva pode amamentar o seu filho, sem risco de transmissão do VIH. Não é possível ficar infectado com VIH ao beijar, na boca (com troca de saliva), alguém infectado. A presença de outras doenças sexualmente transmissíveis no parceiro seropositivo não aumenta o risco de contrair VIH. O VIH/sida pode ser transmitido por hereditariedade genética O consumo de drogas, como cocaína, marijuana, etc., não favorece os comportamentos de risco. O contágio é possível através da picada de um insecto. Não é possível contrair VIH, sendo acidentalmente ferido no dentista. O diafragma e o dispositivo intra-uterino (DIU), métodos utilizados na prevenção da gravidez, também protegem contra o VIH. Não é possível ficar infectado quando se é acidentalmente ferido no cabeleireiro ou no barbeiro. Pode contrair-se VIH ao sentar-se numa sanita de uma casa de banho pública. QUESTÕES SOBRE SIDA: DO MITO À REALIDADE Verdade científica O consumo excessivo de álcool conduz a uma perda de controlo da pessoa sobre si mesma, facilitando o esquecimento das precauções contra sida. A utilização de dois preservativos leva a que haja fricção entre eles, o que pode favorecer a ruptura. O leite materno é um dos fluidos biológicos que pode transmitir o VIH. A saliva não é um meio ideal para a transmissão do vírus. Por isso, o beijo na boca só se torna perigoso quando há o risco de trocas de sangue com a pessoa infectada. Pode acontecer, por exemplo, quando existem feridas na boca. Em síntese: a possibilidade de transmissão por esta via é remota, mas existe. Um beijo na face não implica riscos. O risco de contrair VIH aumenta, não só neste caso, mas também quando o parceiro não seropositivo sofre de uma doença sexualmente transmissível. Trata-se de uma velha crença sem qualquer fundamento. O VIH não se transmite por via hereditária. O consumo de drogas diminui o controlo da pessoa sobre si própria e, consequentemente, favorece os comportamentos de risco. O vírus não sobrevive nos insectos, pelo que estes não são um meio de transmissão do vírus. O risco só existe se os instrumentos utilizados pelo dentista não estiverem devidamente esterilizados, permitindo a sobrevivência do vírus. Muitos médicos já utilizam material descartável, pelo que a eventualidade do contágio é rara. Além do preservativo, nenhum dos métodos contraceptivos protege contra o VIH/sida. Existe essa possibilidade, se o material de corte (tesoura, lâmina) não for novo ou não estiver devidamente esterilizado. O risco é inexistente, porque o vírus não sobrevive fora de um líquido biológico (sangue, sémen, leite materno, etc.). Inquiridos que erraram ou não sabiam 33% 26% 24% 23% 47% 44% 57% 55% 71% 70% 68% 79% 14

3 sempre testado, para garantir a inexistência de VIH e outros microrganismos perigosos. Assim, o risco de ser contaminado durante uma transfusão de sangue é, hoje em dia, praticamente inexistente. VIH demora a manifestar-se Uma análise ao sangue permite verificar se a pessoa é ou não portadora do vírus VIH, através da presença de anticorpos (defesas naturais) contra este vírus. Se o teste acusar anticorpos, realiza-se um segundo teste para confirmar a situação. Se os resultados se confirmarem, diz-se que a pessoa é seropositiva. Tal não significa, no entanto, que desenvolva a sida, pelo menos imediatamente. Em geral, esta doença declara-se vários anos após a contaminação. Mas durante o período de ausência de sintomas, o vírus continua a multiplicar-se. Além disso, todos os seropositivos podem transmitir o vírus pelas vias atrás descritas. Quando fazer o teste? Após um comportamento de risco, convém ir ao médico. O teste só permite detectar a presença do vírus entre 3 a 6 meses após o contágio. No entanto, durante este meio ano, se a pessoa estiver infectada, pode contaminar outras. Por isso, é importante que tome todas as precauções. Ainda incurável... A sida ainda não tem cura. Nos últimos tempos, tem sido possível tornar mais lenta a sua evolução, graças a uma combinação de medicamentos. Trata-se, no entanto, de um tratamento difícil e com importantes efeitos secundários. Por estar grávida Exames de rotina Para exercer a minha profissão (1) PORQUE FEZ O TESTE DO VIH? 17% Como é óbvio, a pesquisa não pára, procurando-se sempre novos medicamentos, que apresentem maior eficácia. Os esforços para encontrar uma vacina que confira protecção contra as várias formas do vírus VIH não têm sido frutíferos. Seja como for, recentemente, os investigadores constataram que alguns portadores do vírus VIH (cerca de 2%) não desenvolvem a doença, porque têm um gene que impede a multiplicação dos vírus no organismo. Estas pessoas podem transmitir o vírus a outros durante toda a sua vida, sem nunca ficarem doentes. Feita esta brevíssima incursão pelo mundo do VIH/sida, vejamos o que disseram os nossos inquiridos. Fontes de (des)informação Em Portugal, o VIH e a sida já foram alvo de diversas campanhas de prevenção, objecto de discussão em programas de televisão e rádio, artigos de jornal, etc. Podemos mesmo dizer que informação sobre o assunto não tem faltado. No entanto, os resultados do nosso inquérito demonstram que ainda são necessários alguns esforços. Comunicação social à frente Os meios de comunicação social, com especial destaque para a televisão, são as principais fontes de informação sobre o VIH/sida nos quatro países em que realizámos o inquérito. Em Portugal, mais de 90% dos inquiridos referiram ter obtido informações em programas televisivos. Os amigos, familiares e 33% 50% UTILIZA MEIOS DE PREVENÇÃO CONTRA SIDA? 53% 16% 7% profissionais de saúde também são referidos, mas por uma pequena percentagem dos inquiridos. Assim, podemos concluir que a transmissão de conhecimentos se faz, maioritariamente, por via indirecta, o que deixa o caminho aberto para interpretações livres. Lacunas perigosas Há questões, no entanto, sobre as quais os nossos inquiridos têm ideias erradas ou que levantam dúvidas. Algumas destas situações podem levar a comportamentos de risco ou, mesmo, à discriminação dos seropositivos. É necessário, por isso, que as campanhas de informação incidam mais sobre estas questões mais duvidosas. No quadro da página 14, desmontamos uma série de ideias erradas que ainda permanecem na cabeça de muitos. PRESERVATIVO ESSENCIAL O preservativo continua a ser um meio de prevenção indispensável contra a sida e outras doenças sexualmente transmissíveis. Em especial, quando se troca de parceiro e/ou se tem relações sexuais com um parceiro ocasional ou ainda se mantêm relações com mais do que uma pessoa. Para mais informações sobre preservativos, pode consultar a TESTE SAÚDE n.º 40, de Novembro de Sempre Com frequência De vez em quando Raramente Nunca Por curiosidade Para dar sangue Por causa de uma cirurgia 15% 14% 13% Foi-me aconselhado pelo médico Para contratar um seguro de vida 10% Para contrair um empréstimo 8% (1) Por exemplo, profissionais de saúde. 15

4 Da teoria à prática É fundamental que os cidadãos tenham informação sobre a sida. Contudo, estes conhecimentos de nada servem, se não se adoptarem medidas preventivas, nomeadamente a utilização de preservativo durante as relações sexuais. De acordo com as respostas dos nossos inquiridos, os comportamentos de risco não são, de forma alguma, excepcionais, mesmo entre as pessoas que mudam com frequência de parceiro sexual. Prevenir, mas pouco Perguntámos aos nossos inquiridos com que frequência usavam meios de prevenção da sida durante as relações sexuais. Mais de metade dos portugueses afirmou nunca praticar sexo protegido e apenas 16% refere fazê-lo sempre. Se nos centrarmos apenas no preservativo masculino, o meio de prevenção mais utilizado, verificamos que cerca de 42% dos homens portugueses nunca o usa! Felizmente, o nosso estudo demonstra que as precauções aumentam à medida que aumenta o número de parceiros sexuais: as pessoas que têm mais do que um parceiro sexual são mais cuidadosas a este nível. Os homossexuais e os bissexuais parecem também mais precavidos do que os heterossexuais. com a outra pessoa, o que para os portugueses nem será muito difícil, já que a maioria (82%) diz não ter problemas em falar sobre sida com o parceiro. Estudos demonstram que o preço dos preservativos pode ser um factor dissuasor do seu uso. Os resultados do nosso inquérito vão no mesmo sentido: cerca de 85% dos inquiridos portugueses consideram os preservativos caros ou muito caros. Além disso, cerca de um quarto das pessoas que responderam ao nosso inquérito confessam sentir-se envergonhadas ao comprar preservativos em público! Mais uma barreira ao comportamento saudável, que é importante combater. No último ano, a maioria dos inquiridos não alterou os seus hábitos na utilização de preservativos. Houve, no entanto, uma percentagem razoável (13%) que passou a usar mais frequentemente este meio de prevenção. O aumento do número de parceiros, a mudança de parceiro e o Espanha Portugal Bélgica Itália ESCOLAS: QUANTAS DISTRIBUEM PRESERVATIVOS GRATUITOS 6% 1% 9% 26% ONDE FEZ 0 ÚLTIMO TESTE DO VIH? Hospital Consultório médico privado Laboratórios, clínicas privadas etc. Centro de doação de sangue Centro de rastreio do VIH 5% 14% 22% 25% facto de terem sido aconselhados a fazê-lo foram as principais razões apresentadas para alterar o comportamento. Já fez o teste? J Cerca de 44% dos portugueses afirmaram já ter feito, pelo menos uma vez, o teste do VIH. Porquê? No caso das mulheres, a razão mais apontada foi a gravidez. Do total de inquiridos, cerca de um terço referiu que o teste fez parte de um exame de rotina. J E depois do teste? Quase todos referiram que os resultados foram negativos. Talvez por isso, a maioria continua a arriscar na "roleta russa": não alterou os hábitos de vida ao nível da actividade sexual, do consumo de álcool e drogas. Assim, o aconselhamento antes e depois do teste assume uma importância crucial. Dos inquiridos que, através do 32% Fiel ao preservativo? Cerca de 45% dos inquiridos declararam já ter usado o preservativo, pelo menos, uma vez, o que significa que mais de metade nunca recorreu a este meio de prevenção. Embora a frequência de uso aumente no caso dos que têm mais de um parceiro sexual, mesmo entre estes, ainda há quem refira nunca utilizar. Dos inquiridos que já usaram preservativos, mais de metade sente-se pouco à vontade com os mesmos, o que poderá influenciar a decisão de deixar de usar. Cerca de 40% referiu também que é difícil encontrar um parceiro que pratique sexo seguro e a mesma percentagem afirmou ter receio de que o seu parceiro não tenha prazer aquando da utilização do preservativo. Para as últimas duas questões, nada melhor do que ter uma conversa franca VIH E SIDA NA ESCOLA Quisemos saber se os estabelecimentos escolares do 3.º ciclo, ensino secundário e ensino profissional incluíram, no ano lectivo de 2002/2003, conteúdos sobre o VIH/sida e como é que esta matéria é passada aos alunos. Recebemos respostas de 788 escolas (174 privadas) e concluímos que ainda há escolas (55, no total), sobretudo privadas, que não falam sobre esta temática com os alunos. É lamentável que assim seja, porque os comportamentos saudáveis adquirem-se mais facilmente na juventude e a escola tem um papel fundamental na educação. Das escolas que incluem conteúdos sobre VIH e a sida, algumas fazem-no em programas de formação específicos, outras falam do assunto no âmbito da educação sexual ou de temas relacionados com a saúde. O contexto em que se passa a informação pouco importa, se os professores estiverem preparados para fazê-lo ou convidarem alguém com competências para o efeito (o que, segundo as escolas, acontece, na maioria dos casos). Quanto ao tempo dispensado ao tema, cada aluno recebe, em média, 7 horas de formação, o que é suficiente, se a escola revelar abertura para abordar o tema. Por fim, é de referir que há poucas escolas portuguesas a distribuir preservativos aos alunos como parte de campanhas de prevenção... Em Espanha, esta prática está mais difundida. 16

5 teste, ficaram a saber que eram seropositivos (18 pessoas, nos quatro países), 5 declararam também não ter alterado os seus hábitos de vida! Ora, a ausência de precauções por parte dos infectados contribui muito para a propagação do vírus. Além disso, se estes tiverem relações sexuais com outros seropositivos, aumentam a sua própria carga viral, o que leva a um agravamento mais rápido da sua saúde. J A assistência, aconselhamento e informação aos pacientes antes do teste e na altura de receber os resultados do mesmo são muito importantes, até porque a pessoa pode encontrar-se psicológica e emocionalmente perturbada. De acordo com os inquiridos, este aspecto precisa de ser bastante melhorado: numa pontuação entre 1 (péssimo) e 10 (excelente), o aconselhamento e o apoio psicológico recebeu nota inferior a 5! J Onde fazer o teste? Outro dado preocupante: dos inquiridos que nunca fizeram o teste, 21% referiu não saber onde dirigir-se para o efeito. Dos quatro países em estudo, Portugal foi o que revelou maior desconhecimento neste domínio! Dos que efectuaram o teste, apenas 5% recorreu aos Centros de Aconselhamento e Detecção da Sida, que são específicos para o VIH, gratuitos e existem de Norte a Sul do país. Uma maior divulgação destes centros não faria mal a ninguém. Mais prevenção O nosso inquérito demonstra que ainda existem muitas ideias erradas na cabeça dos portugueses quanto ao VIH/sida. As pessoas que adoptam mais Doenças sexualmente transmissíveis Consumo de drogas Parceiros sexuais ocasionais Homossexualidade Consumo de álcool Relações sexuais de diferentes tipos ALGUNS CONTACTOS ÚTEIS J Linha SIDA: (chamada gratuita). Além de outras informações, pode obter, nesta linha, o contacto do Centro de Aconselhamento e Detecção da Sida mais perto de si, que faz o teste do VIH gratuitamente. J SOS SIDA: (chamada gratuita). J Abraço - Associação de Apoio a Pessoas com VIH/SIDA: J Sexualidade em linha: (custo de uma chamada local). J ADDEPOS - Associação dos Direitos e Deveres dos Positivos Portadores do Vírus da Sida: J Brilhar - Associação Portuguesa de Seropositivos: J Comissão Nacional de Luta Contra a SIDA: J Fundação Portuguesa A Comunidade Contra a SIDA: J Liga Portuguesa Contra a SIDA: J Fundação Nossa Senhora do Bom Sucesso: J GADS - Gabinete de Apoio a Doentes com Sida: J POSITIVO - grupo de apoio e auto-ajuda: J SOL - Associação de Apoio a Crianças Infectadas pelo VIH/Sida e Famílias: comportamentos de risco, ou seja, as que não têm uma relação estável e/ou se relacionam com mais do que um parceiro, não demonstraram maiores conhecimentos sobre a doença. Quanto à utilização do preservativo, ainda é ignorado por muita gente, em situações em que o seu uso seria imprescindível. Enquanto houver pessoas que ignorem a forma de transmissão do vírus, os comportamentos de risco e não utilizem os meios de prevenção, é preciso que o Estado, através da Comissão Nacional de Luta Contra a Sida, com o apoio das várias organizações que têm desenvolvido trabalho neste domínio, insista em campanhas sistemáticas de informação, tendo em especial atenção os mais carentes neste domínio. Além disso, é necessário saber porque é que as pessoas informadas não usam os meios de prevenção e convencê-las a fazê-lo. TEMAS FOCADOS NOS PROGRAMAS: DAS 788 ESCOLAS QUE NOS RESPONDERAM... 48% 58% 56% 72% 78% 84% A comunicação social é um meio de divulgação importante, mas é preciso encontrar outras formas de levar as populações a tomarem consciência do risco e a adoptarem comportamentos seguros. Para tal, podem ser aproveitadas as estruturas mais perto das populações (centros de saúde, grupos de intervenção locais, escolas, etc.). O preço dos preservativos, de acordo com os resultados do nosso inquérito, parece ser um factor limitativo do seu uso, pelo menos para alguns grupos da população. Por isso, é fundamental encontrar formas de reduzir os custos dos mesmos e melhorar (ou aumentar) as vias de distribuição gratuita, sobretudo junto de quem tem menos possibilidade de adquiri- -los, nomeadamente os adolescentes. Quanto aos consumidores, sobretudo os que adoptam comportamentos de risco, é fundamental que tomem consciência de que a sida não acontece só aos outros e, como tal, devem tomar todas as precauções para evitar o contágio. Além disso, é importante que o VIH/sida entre nas discussões familiares. Todos temos obrigação de contribuir para limitar o preocupante aumento da infecção por VIH, quanto mais não seja tentando influenciar as pessoas mais próximas. A sida ainda não tem cura e a sua prevenção está na mão de todos e de cada um de nós. 17

Conhecendo o vírus v. Vírus da Imunodeficiência Humana VIH

Conhecendo o vírus v. Vírus da Imunodeficiência Humana VIH Conhecendo o vírus v da Sida Vírus da Imunodeficiência Humana VIH Conhecendo o Vírus da Sida O vírus entra na corrente sanguínea; Determina a posição exacta e reconhece os linfócitos T helper, fixando-se

Leia mais

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque tem uma relação em que é o parceiro VIH positivo.

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque tem uma relação em que é o parceiro VIH positivo. Informação ao participante e consentimento informado para o parceiro VIH positivo Estudo PARTNER O estudo PARTNER é um estudo levado a cabo com casais em que: (i) um parceiro é VIH positivo e o outro é

Leia mais

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Vírus do Herpes

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Vírus do Herpes Este módulo tem por objectivo ensinar aos alunos o modo como a actividade sexual pode levar à transmissão de micróbios e doenças. O Capítulo 2.3, Infecções Sexualmente Transmissíveis, ensina aos alunos

Leia mais

cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS

cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS 1 O que são ITS? São infecções causadas por vírus, bactérias ou outros micróbios, que se transmitem de pessoas infectadas para outras, através das relações

Leia mais

Silencioso. mas. Implacável

Silencioso. mas. Implacável Silencioso mas Implacável Autores Acácio Diniz Ana Fonte Ana Francisco André Coutinho Carla Monteiro Diana Ferreira Luís Dinis Luís Francisco Patrícia Filipe Paula dos Santos Pedro Cardeira Ricardo Santos

Leia mais

DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO

DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO Presentemente, a infeçãovih/sida não tem cura e a prevenção é a única medida eficaz. A infeçãovih/sida tem uma história relativamente recente, mas já dramática

Leia mais

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT APOIO: Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD Casa de Cultura da Beira/CCB CERjovem ATENÇAÕ MULHER MENINA! Fundação Portugal - África RESPOSTAS

Leia mais

APANHA O VIH. Da mãe que tem o VIH para o bebé

APANHA O VIH. Da mãe que tem o VIH para o bebé APANHA O VIH 1 - Como é que se apanha o vírus que causa a SIDA (VIH)? Nas RELAÇÕES SEXUAIS sem usar o preservativo porque o esperma (homem), os líquidos da vagina (mulher) ou alguma ferida podem estar

Leia mais

cartões de bolso serié 4 VIH/ SIDA

cartões de bolso serié 4 VIH/ SIDA cartões de bolso serié 4 VIH/ SIDA 1 O que é VIH? É o vírus que causa a SIDA. Vírus é um microbio muito pequeno, que não se consegue ver a olho nu, ou seja, é preciso ajuda de um microscópio. VIH significa:

Leia mais

Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis

Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis SLIDE 1 Introdução do trabalho: Bom dia, estamos aqui para falar a cerca das infeções sexualmente transmissíveis, os problemas associados e o modo

Leia mais

iagnóstico de Situação Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses

iagnóstico de Situação Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses No Marco Sabemos Mais Sobre @ Doenças Sexualmente Transmissíveis / Métodos Contracetivos (SMS@DST) Dia iagnóstico de Situação na Escola Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses Realizado pela: ASSOCIAÇÃO

Leia mais

O QUE É AIDS?... 2 TESTAGEM... 3 PRINCIPAIS SINTOMAS DA AIDS... 4 SAIBA COMO SE PEGA AIDS... 5 Assim Pega... 5 Assim não pega... 5 Outras formas de

O QUE É AIDS?... 2 TESTAGEM... 3 PRINCIPAIS SINTOMAS DA AIDS... 4 SAIBA COMO SE PEGA AIDS... 5 Assim Pega... 5 Assim não pega... 5 Outras formas de O QUE É AIDS?... 2 TESTAGEM... 3 PRINCIPAIS SINTOMAS DA AIDS... 4 SAIBA COMO SE PEGA AIDS... 5 Assim Pega... 5 Assim não pega... 5 Outras formas de transmissão... 6 Acidentes ocupacionais com materiais

Leia mais

cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO

cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO 1 O que quer dizer sexo seguro? Sexo seguro quer dizer, práticas sexuais responsáveis sem riscos de engravidar, ou de contrair uma infecção transmitida sexualmente,

Leia mais

ÍNDICE GERAL. 2.1. VIH/sida no Mundo... 40 2.2. VIH/sida em Portugal... 42

ÍNDICE GERAL. 2.1. VIH/sida no Mundo... 40 2.2. VIH/sida em Portugal... 42 ÍNDICE GERAL PREFÁCIO... 9 APRESENTAÇÃO... 11 1ª PARTE: ENQUADRAMENTO TEÓRICO INTRODUÇÃO... 15 CAPÍTULO 1 OS ADOLESCENTES E OS JOVENS ADULTOS... 19 1.1. Limites temporais da adolescência... 20 1.2. Puberdade

Leia mais

Construir uma sociedade para todas as idades

Construir uma sociedade para todas as idades Construir uma sociedade para todas as idades O VIH/SIDA e as Pessoas Idosas O VIH/SIDA é um problema mundial de proporções catastróficas. O desafio é enorme, mas não estamos impotentes perante ele. Foi

Leia mais

A última relação sexual

A última relação sexual PARTE G QUESTIONÁRIO AUTO-PREENCHIDO (V1 - M) As próximas perguntas são sobre a sua vida sexual. É muito importante que responda, pois só assim poderemos ter informação sobre os hábitos sexuais da população

Leia mais

Manual do facilitador

Manual do facilitador Manual do facilitador Introdução Este manual faz parte do esforço para institucionalizar o sistema de informação de uma maneira coordenada a fim de que as informações possam ser de acesso de todos que

Leia mais

Corro o risco de contrair Hepatite B?

Corro o risco de contrair Hepatite B? Corro o risco de contrair Hepatite B? O que é? A hepatite B é um vírus que infecta o fígado e pode provocar doenças graves do fígado. O fígado é um órgão importante e é responsável por destruir os alimentos

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL Entrevista com Eng.º Victor Sá Carneiro N uma época de grandes transformações na economia dos países, em que a temática do Empreendedorismo assume uma grande relevância

Leia mais

Mulheres grávidas ou a amamentar*

Mulheres grávidas ou a amamentar* Doença pelo novo vírus da gripe A(H1N1) Fase Pandémica 6 OMS Mulheres grávidas ou a amamentar* Destaques: A análise dos casos ocorridos, a nível global, confirma que as grávidas constituem um grupo de

Leia mais

Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06. Divisão de Saúde Materna, Infantil e dos Adolescentes

Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06. Divisão de Saúde Materna, Infantil e dos Adolescentes Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Normativa Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06 Para: Contacto na DGS: Todos os médicos e enfermeiros que exerçam

Leia mais

QUERO SABER... FIZ O TESTE E DEU ( POSITIVO ) Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida?

QUERO SABER... FIZ O TESTE E DEU ( POSITIVO ) Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida? Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida? Para NÃO APANHAR nas relações intimas e sexuais: 1. Não fazer sexo enquanto não se sentir preparado para usar o preservativo (pode experimentar primeiro

Leia mais

Estudo quantitativo. Fevereiro 2012. Em parceria com

Estudo quantitativo. Fevereiro 2012. Em parceria com Estudo quantitativo Duarte Vilar Fevereiro 2012 Em parceria com CARACTERIZAÇÃO GERAL CARACTERIZAÇÃO DA AMOSTRA 40 35 44,6 Masculino 30 25 55,0 Feminino 20 15 10 5 0 19 E MENOS 20-29 MAIS DE 30 35,0 30,0

Leia mais

CESOP. Data /05/2007 Hora do início : Hora do fim : Entrevistador:

CESOP. Data /05/2007 Hora do início : Hora do fim : Entrevistador: Inquérito n.º CESOP Saúde e Sexualidade Versão Masculina (V2) Data /05/2007 Hora do início : Hora do fim : Entrevistador: Chamo-me e trabalho para o Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade

Leia mais

Derrotar o cancro do útero

Derrotar o cancro do útero Portuguese translation of Beating cervical cancer The HPV vaccine questions and answers for parents of girls in Year 9 Derrotar o cancro do útero A vacina HPV perguntas e respostas para os pais de jovens

Leia mais

Bate papo sobre a AIDS, com o Prof. Geraldo Duarte

Bate papo sobre a AIDS, com o Prof. Geraldo Duarte Bate papo sobre a AIDS, com o Prof. Geraldo Duarte No dia 1º de dezembro, é comemorado o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS. Para ressaltar a importância deste dia, a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

Leia mais

Gripe pandémica. Factos que deve conhecer acerca da gripe pandémica

Gripe pandémica. Factos que deve conhecer acerca da gripe pandémica Gripe pandémica Factos que deve conhecer acerca da gripe pandémica De que trata esta brochura? Esta brochura apresenta informações acerca da gripe pandémica. Dá resposta a 10 perguntas importantes acerca

Leia mais

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque é um parceiro VIH positivo numa relação com um homem.

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque é um parceiro VIH positivo numa relação com um homem. Informação ao participante e consentimento informado para o parceiro VIH positivo Estudo PARTNER O estudo PARTNER é um estudo levado a cabo com casais em que: (i) um parceiro é VIH positivo e o outro é

Leia mais

[Diapositivo 2] Porquê a escolha desta população?

[Diapositivo 2] Porquê a escolha desta população? 1 De que falamos quando falamos de preconceito contra a homoparentalidade: Atitudes face à competência parental e ao desenvolvimento psicossocial das crianças. Jorge Gato [Diapositivo 1] Gostava de partilhar

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade dos Géneros

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade dos Géneros PARLAMENTO EUROPEU 2004 2009 Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade dos Géneros 2007/2212(INI) 4.2.2008 ALTERAÇÕES 1-34 Anna Záborská (PE400.281v01-00) Livro Verde sobre o papel da sociedade civil

Leia mais

Direcção-Geral da Acção Social

Direcção-Geral da Acção Social Direcção-Geral da Acção Social Núcleo de Documentação Técnica e Divulgação Maria Joaquina Ruas Madeira A Dimensão Social da SIDA: A Família e a Comunidade (Comunicação apresentada nas 1as Jornadas Regionais

Leia mais

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite que a FCT me dirigiu para

Leia mais

Sessão 2: Gestão da Asma Sintomática. Melhorar o controlo da asma na comunidade.]

Sessão 2: Gestão da Asma Sintomática. Melhorar o controlo da asma na comunidade.] Sessão 2: Gestão da Asma Sintomática Melhorar o controlo da asma na comunidade.] PROFESSOR VAN DER MOLEN: Que importância tem para os seus doentes que a sua asma esteja controlada? DR RUSSELL: É muito

Leia mais

A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa

A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa NSW Health Factsheet - Portuguese A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa The connection between TB and HIV Esta é uma folha informativa sobre tuberculose (TB) e o Vírus de Imunodeficiência

Leia mais

Portuguese version 1

Portuguese version 1 1 Portuguese version Versão Portuguesa Conferência Europeia de Alto Nível Juntos pela Saúde Mental e Bem-estar Bruxelas, 12-13 Junho 2008 Pacto Europeu para a Saúde Mental e Bem-Estar 2 Pacto Europeu para

Leia mais

A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA

A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA Edna G. Levy A questão da gravidez na adolescência é muito mais comum do que parece ser, a reação inicial e geral é que este problema só acontece na casa dos outros, na nossa

Leia mais

PARECER N.º 1/CITE/2003

PARECER N.º 1/CITE/2003 PARECER N.º 1/CITE/2003 Assunto: Direito ao gozo da licença por maternidade, no caso de nascimento de nado-morto e morte de nado-vivo Processo n.º 56/2002 I - OBJECTO 1.1. Em 22 de Novembro de 2002, a

Leia mais

Saiba o que é a sida, como se transmite, como se pode prevenir e como se trata.

Saiba o que é a sida, como se transmite, como se pode prevenir e como se trata. PORTAL DA SAÚDE Síndroma da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) Saiba o que é a sida, como se transmite, como se pode prevenir e como se trata. O que é a sida? A sida (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida)

Leia mais

Protocolos de Diagnóstico e Terapêutica em Infecciologia Perinatal SÍFILIS

Protocolos de Diagnóstico e Terapêutica em Infecciologia Perinatal SÍFILIS A sífilis é uma infecção transmitida sexualmente que pode atingir a grávida e o feto em qualquer altura da gestação. No adulto, não tratada, evolui de sífilis primária para secundária e terciária. No feto

Leia mais

E R BO SRA AL F S s O TS M D + A S V DIA

E R BO SRA AL F S s O TS M D + A S V DIA VAMOS FALAR SOBRE AIDS + DSTs AIDS A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) atinge indiscriminadamente homens e mulheres e tem assumido proporções assustadoras desde a notificação dos primeiros

Leia mais

Plano de contingência da gripe A (H1N1)

Plano de contingência da gripe A (H1N1) 0. Informação introdutória A. O que é a Gripe A (H1N1)? A gripe A é uma doença infecto-contagiosa que afecta o nariz, a garganta e todo o sistema respiratório, provocada por um novo vírus da Gripe: vírus

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH NEGATIVO

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH NEGATIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Após inscrição no estudo, os participantes devem preencher este questionário de avaliação inicial. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado. Após o

Leia mais

PARTE V ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS

PARTE V ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS PARTE V ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS Ganhar, nem sempre. Amadurecer, sempre. Prof. Glauber Santos glauber@justocantins.com.br www.justocantins.com.br Introdução É impossível imaginar uma empresa onde não

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO SETEMBRO A DEZEMBRO 2011

PLANO DE FORMAÇÃO SETEMBRO A DEZEMBRO 2011 PLANO DE FORMAÇÃO SETEMBRO A DEZEMBRO 2011 INDICE: Quem somos? Oferta formativa Curso Acções Formativas CURSO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES ESTES MIÚDOS SÃO IMPOSSÍVEIS!!! - GESTÃO DE COMPORTAMENTOS

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH POSITIVO

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH POSITIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Após inscrição no estudo, os participantes devem preencher este questionário de avaliação inicial. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado. Após o

Leia mais

O que é Rotary? Tourigo, 22.10.2011 - R.C. Tondela 1

O que é Rotary? Tourigo, 22.10.2011 - R.C. Tondela 1 O que é Rotary? Rotary é uma organização de Líderes de negócios e profissionais que prestam serviços humanitários, fomentam elevado padrão de Ética em todas as Profissões e ajudam a estabelecer a Paz e

Leia mais

7º Ano 8º Ano 9º Ano. Ficha de avaliação

7º Ano 8º Ano 9º Ano. Ficha de avaliação 1. As principais diferenças entre as raparigas na infância e a adolescência são: Aumento das mamas, alargamento da anca e crescimento de pelos púbicos Aparecimento da menstruação, crescimento de pelos

Leia mais

HIV / Aids Orientações para pacientes e familiares

HIV / Aids Orientações para pacientes e familiares HIV / Aids Orientações para pacientes e familiares Serviço de Enfermagem Cirúrgica Este manual contou com a colaboração de: professora enfermeira Isabel Cristina Echer; enfermeiras Beatriz Guaragna, Ana

Leia mais

Campanha DST 1. Enzo Maymone COUTO 2 Eduardo Perotto BIAGI 3 Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS

Campanha DST 1. Enzo Maymone COUTO 2 Eduardo Perotto BIAGI 3 Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS Campanha DST 1 Enzo Maymone COUTO 2 Eduardo Perotto BIAGI 3 Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS RESUMO: Este trabalho foi realizado na disciplina de Criação II do curso de Comunicação Social

Leia mais

ESSA CAMPANHA VAI COLAR!

ESSA CAMPANHA VAI COLAR! ESSA CAMPANHA VAI COLAR! O selo postal é um importante veículo de comunicação dos valores de uma sociedade. Com a emissão dos 8 (oito) selos apresentados nesta Cartilha, os Correios, por meio da Filatelia,

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

DISCURSO PROFERIDO POR VÍTOR CALDEIRA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS EUROPEU

DISCURSO PROFERIDO POR VÍTOR CALDEIRA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS EUROPEU TRIBUNAL DE CONTAS EUROPEU ECA/09/69 DISCURSO PROFERIDO POR VÍTOR CALDEIRA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS EUROPEU ******* APRESENTAÇÃO DO RELATÓRIO ANUAL RELATIVO AO EXERCÍCIO DE 2008 À COMISSÃO DO

Leia mais

PARTE A. Instituto da AIDS Consentimento Informado para fazer o exame de HIV

PARTE A. Instituto da AIDS Consentimento Informado para fazer o exame de HIV DEPARTAMENTO DE SAÚDE DO ESTADO DE NOVA YORK Instituto da AIDS Consentimento Informado para fazer o exame de HIV O exame de HIV é voluntário. O consentimento pode ser revogado a qualquer momento, mediante

Leia mais

Método de Amenorréia Lactacional

Método de Amenorréia Lactacional CAPÍTULO 19 Método de Amenorréia Lactacional Pontos Básicos para Profissionais/Serviços de Saúde e Clientes É um método de planejamento familiar baseado na amamentação. Proporciona contracepção para a

Leia mais

Carrefour Guarujá. O que é DST? Você sabe como se pega uma DST? Você sabe como se pega uma DST? Enfermeira Docente

Carrefour Guarujá. O que é DST? Você sabe como se pega uma DST? Você sabe como se pega uma DST? Enfermeira Docente Carrefour Guarujá Bárbara Pereira Quaresma Enfermeira Docente Enfª Bárbara Pereira Quaresma 2 O que é DST? Toda doença transmitida através de relação sexual. Você sabe como se pega uma DST? SEXO VAGINAL

Leia mais

Observação das aulas Algumas indicações para observar as aulas

Observação das aulas Algumas indicações para observar as aulas Observação das aulas Algumas indicações para observar as aulas OBJECTVOS: Avaliar a capacidade do/a professor(a) de integrar esta abordagem nas actividades quotidianas. sso implicará igualmente uma descrição

Leia mais

Cuidando da Minha Criança com Aids

Cuidando da Minha Criança com Aids Cuidando da Minha Criança com Aids O que é aids/hiv? A aids atinge também as crianças? Como a criança se infecta com o vírus da aids? Que tipo de alimentação devo dar ao meu bebê? Devo amamentar meu bebê

Leia mais

Artigo para a revista Planeta Azul APA, Abril de 2010

Artigo para a revista Planeta Azul APA, Abril de 2010 Artigo para a revista Planeta Azul APA, Abril de 2010 P. Quando entrará em funcionamento o PNAAS? O Plano Nacional de Acção Ambiente e Saúde (PNAAS) foi aprovado pela Resolução de Conselho de Ministros

Leia mais

1[ ] Muito baixo 2[ ] Baixo 3[ ] Médio 4[ ] Alto 5[ ] Muito alto

1[ ] Muito baixo 2[ ] Baixo 3[ ] Médio 4[ ] Alto 5[ ] Muito alto QUESTIONÁRIO Anexo 1 Este questionário destina-se à realização de um trabalho de investigação na área da educação sendo garantido o total anonimato, confidencialidade e protecção dos seus dados. Se concordar

Leia mais

Licenciatura de Análises Clínicas e Saúde Pública. Universidade Atlântica. 4.º Ano. - Investigação Aplicada

Licenciatura de Análises Clínicas e Saúde Pública. Universidade Atlântica. 4.º Ano. - Investigação Aplicada Licenciatura de Análises Clínicas e Saúde Pública Universidade Atlântica 4.º Ano - Investigação Aplicada AVALIAÇÃO DO GRAU DE SENSIBILIZAÇÃO PARA A AMAMENTAÇÃO Projecto de Investigação Docente: Ana Cláudia

Leia mais

Rastreio do Aneurisma Aórtico Abdominal (AAA)

Rastreio do Aneurisma Aórtico Abdominal (AAA) Portuguese translation of Abdominal aortic aneurysm screening: Things you need to know Rastreio do Aneurisma Aórtico Abdominal (AAA) Aquilo que deve saber A quem se destina este folheto? Este folheto destina-se

Leia mais

Infecções sexualmente transmissíveis

Infecções sexualmente transmissíveis Escola secundária com 2º e 3º ciclos Anselmo de Andrade Infecções sexualmente transmissíveis 9ºD Ciências Naturais 2011/2012 Professora: Isabel Marques Trabalho realizado por: Inês Pinto nº9 Mariana Cantiga

Leia mais

R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 )

R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 ) R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 ) Tendo iniciado no presente ano lectivo 2005/2006 o funcionamento da plataforma Moodle na Universidade Aberta, considerou-se

Leia mais

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO. Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO. Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão Índice Introdução Objectivos Metodologia de Trabalho Áreas de Trabalho/ Conclusões Estruturas Formais Estruturas FísicasF

Leia mais

A Importância da Família na Educação

A Importância da Família na Educação A Importância da Família na Educação Não caminhes à minha frente Posso não saber seguir-te. Não caminhes atrás de mim Posso não saber guiar-te. Educadora Social Dra. Joana Valente Caminha antes a meu lado

Leia mais

VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA (VIH) PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL

VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA (VIH) PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA () PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL Introdução A infecção na criança no nosso país faz-se quase exclusivamente por transmissão vertical pelo que é possível reduzir eficazmente

Leia mais

Tuberculose - Breve Revisão Clínica

Tuberculose - Breve Revisão Clínica Tuberculose - Breve Revisão Clínica - 0 - Apoio cientifico de: Observatório Nacional das Doenças Respiratórias Associação Nacional da Tuberculose e Doenças Respiratórias Índice A Tuberculose --------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

N.º2 Férias e Álcool. A viagem:

N.º2 Férias e Álcool. A viagem: N.º2 Férias e Álcool Esta semana o tema que iremos abordar será um 2 em 1, onde expomos os principais cuidados a ter em conta, para que possa usufruir de umas férias mais seguras, ao mesmo tempo que alertamos

Leia mais

Resumo do Protocolo Partner

Resumo do Protocolo Partner Resumo do Protocolo Partner Estudo em casais serodiscordantes em relação ao VIH para estimativa da taxa de transmissão de VIH e investigação de factores associados à utilização de preservativo. Partners

Leia mais

Crescer Saudável. Promover e proteger a saúde e prevenir a doença na comunidade educativa.

Crescer Saudável. Promover e proteger a saúde e prevenir a doença na comunidade educativa. Administração Regional de Saúde do Alentejo, IP Centro de Saúde de Montemor-o-Novo Crescer Saudável O Programa de Educação para a Saúde Crescer Saudável surge no âmbito do Programa Nacional de Saúde r

Leia mais

Orientação para requerentes à Série 8 da Solicitação de Propostas ao Fundo Mundial de Luta contra a SIDA, a Tuberculose e o Paludismo

Orientação para requerentes à Série 8 da Solicitação de Propostas ao Fundo Mundial de Luta contra a SIDA, a Tuberculose e o Paludismo Orientação para requerentes à Série 8 da Solicitação de Propostas ao Fundo Mundial de Luta contra a SIDA, a Tuberculose e o Paludismo Minorias sexuais Historial: O conselho do Fundo Mundial de Luta contra

Leia mais

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS Fernando da Rocha Camara Quando discuto com meus alunos no curso de medicina, medidas para prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DST), excluímos a abstinência

Leia mais

A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO

A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO SATO, Camila Massae 1 Palavras-chave: Idoso, AIDS, conhecimento Introdução A população idosa brasileira

Leia mais

altura 28,58 Prof. Bruno Pires

altura 28,58 Prof. Bruno Pires Prof. Bruno Pires HERPES BUCAL Herpes simplex tipo I (DNAdf). Vias aéreas (oral e respiratória); contato pessoapessoa; contato com objetos contaminados com o vírus. Formação de bolhas e feridas no tecido

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS Descrição Doença que representa um dos maiores problemas de saúde da atualidade, em função de seu

Leia mais

Anexo 1 Profissões Especificadas

Anexo 1 Profissões Especificadas Anexo 1 Profissões Especificadas Profissão N % Estudante Desempregada Trabalhadora-Estudante Psicóloga Enfermeira Engenheira Vendedora Professora Investigadora Jornalista Advogada Escriturária Assistente

Leia mais

Projecto Educação Para a Saúde

Projecto Educação Para a Saúde AGRUPAMENTO VERTICAL FERNANDO CASIMIRO Escola Básica Integrada Fernando Casimiro Introdução Projecto Educação Para a Saúde No seguimento do Ofício-Circular nº 69 de 20 de Outubro de 2006 procedente do

Leia mais

CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO E PREVENÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA

CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO E PREVENÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA 1 CRIANÇAS E JOVENS EM RISCO E PREVENÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA ENQUADRAMENTO Um projecto de prevenção em saúde mental na área da primeira infância implica sempre uma união de esforços e um trabalho em conjunto

Leia mais

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS NÃO NATURAIS

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS NÃO NATURAIS MÉTODOS CONTRACEPTIVOS NÃO NATURAIS Espermicidas, Preservativo Masculino, Preservativo Feminino, Diafragma Trabalho Realizado: Adriana Botelho, nº1 12ºA Ana Rita Viamontes, nº3 12ºA Francisco Cubal, nº11

Leia mais

COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA. Índice

COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA. Índice COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA Índice 1. Introdução 2. Objectivo 3. Âmbito de aplicação 4. Activação do plano 4.1. Cadeia de Gestão 4.2. Cadeia de Comando e Controlo 4.3. Actividades Essenciais

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 154/IX INTEGRAÇÃO DA MEDICINA DENTÁRIA NO SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 154/IX INTEGRAÇÃO DA MEDICINA DENTÁRIA NO SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 154/IX INTEGRAÇÃO DA MEDICINA DENTÁRIA NO SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE Exposição de motivos A situação da saúde oral em Portugal é alarmante. Portugal está, em todos os dados sobre saúde

Leia mais

Ideias para o Reaproveitamento do Antigo Hotel. Estoril e da Piscina Municipal Estoril. Relatório da análise das opiniões recolhidas junto da

Ideias para o Reaproveitamento do Antigo Hotel. Estoril e da Piscina Municipal Estoril. Relatório da análise das opiniões recolhidas junto da Ideias para o Reaproveitamento do Antigo Hotel Estoril e da Piscina Municipal Estoril Relatório da análise das opiniões recolhidas junto da sociedade e do inquérito efectuado por telefone Apresentado pela:

Leia mais

Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL

Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL Começo por agradecer a todos terem vindo a este seminário. Em especial à Senhora Secretária de Estado que muito nos honra com a sua presença

Leia mais

Transição para a parentalidade após um diagnóstico de anomalia congénita no bebé: Resultados do estudo

Transição para a parentalidade após um diagnóstico de anomalia congénita no bebé: Resultados do estudo 2013 Transição para a parentalidade após um diagnóstico de anomalia congénita no bebé: Resultados do estudo Ana Fonseca, Bárbara Nazaré e Maria Cristina Canavarro Pontos de interesse especiais: Porque

Leia mais

RAIVA. A raiva é um doença viral prevenível de mamíferos, que geralmente é transmitida através da mordida de uma animal infectado.

RAIVA. A raiva é um doença viral prevenível de mamíferos, que geralmente é transmitida através da mordida de uma animal infectado. RAIVA A raiva é um doença viral prevenível de mamíferos, que geralmente é transmitida através da mordida de uma animal infectado. RAIVA PRINCIPAIS VETORES - Furão (ferrets) - Raposas - Coiotes - Guaxinins

Leia mais

Educação Sexual: Quem ama cuida. Cuide-se!*

Educação Sexual: Quem ama cuida. Cuide-se!* Educação Sexual: Quem ama cuida. Cuide-se!* SANTOS, Jessica Suriano dos 1 ; ANJOS, Antônio Carlos dos 2 ; RIBEIRO, Álvaro Sebastião Teixeira 3 Palavras-chave: Educação Sexual; Doenças Sexualmente Transmissíveis;

Leia mais

Transcrição de Entrevista n º 24

Transcrição de Entrevista n º 24 Transcrição de Entrevista n º 24 E Entrevistador E24 Entrevistado 24 Sexo Feminino Idade 47 anos Área de Formação Engenharia Sistemas Decisionais E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

Duagen também pode ser utilizado com outro medicamento denominado tansulosina (utilizado no tratamento dos sintomas do aumento do volume da próstata).

Duagen também pode ser utilizado com outro medicamento denominado tansulosina (utilizado no tratamento dos sintomas do aumento do volume da próstata). FOLHETO INFORMATIVO Duagen 0,5 mg cápsulas moles Dutasterida Leia com atenção todo este folheto antes de começar a utilizar este medicamento, pois contém informação importante para si. Conserve este folheto.

Leia mais

Dossier Informativo. Osteoporose. Epidemia silenciosa que afecta 800.000 pessoas em Portugal

Dossier Informativo. Osteoporose. Epidemia silenciosa que afecta 800.000 pessoas em Portugal Dossier Informativo Osteoporose Epidemia silenciosa que afecta 800.000 pessoas em Portugal 2008 1 Índice 1. O que é a osteoporose? Pág. 3 2. Factores de risco Pág. 4 3. Prevenção Pág. 4 4. Diagnóstico

Leia mais

Nessa hora você não vai parar para pensar se sabe tudo sobre Aids

Nessa hora você não vai parar para pensar se sabe tudo sobre Aids Nessa hora você não vai parar para pensar se sabe tudo sobre Aids 1 a Aids reduz a imunidade A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids ou SIDA) não é a doença. Ela reduz a imunidade devido à ação

Leia mais