O emprego das técnicas alimentares no controle Metabólico.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O emprego das técnicas alimentares no controle Metabólico."

Transcrição

1 O emprego das técnicas alimentares no controle Metabólico. Atualmente muitos indivíduos nos procuram com o intuito de reduzir a gordura localizada, ganhar volume e definição muscular, associando a alimentação com a prática de exercício físico. E uma das primeiras perguntas desses indivíduos é se isso é possível! Pois bem, de acordo com o cirurgião Dr. Edson Rosa, essa é uma tarefa árdua, difícil que requer bastante esforço e dedicação, mas totalmente possível. Isso porque a maior parte das disfunções do metabolismo hormona, ocorre devido aos maus hábitos alimentares, no qual, a ingestão de nutrientes de má qualidade resulta em fatores negativos à saúde e estética corporal, como por exemplo: acúmulo de gordura visceral e subcutânea; sobrepeso e até mesmo a obesidade. O que também pode acarretar em diversos tipos de doenças crônico-degenerativas, colocando em risco a saúde e a qualidade de vida das pessoas. Pensando nisso, através de técnicas alimentares é possível controlarmos o metabolismo, criando meios fisiológicos e bioquímicos que favorecem os resultados estéticos, tais como, aumento de massa e volume muscular, definição e emagrecimento. Partindo da premissa que a promoção de saúde nos indivíduos é levada como fator primordial e está em primeiro lugar, à alimentação é a peça chave para a longevidade e qualidade de vida, pois bioquimicamente, os nutrientes contidos nos alimentos irão desencadear reações químicas no organismo que poderão gerar cronicamente, efeitos benéficos ou até mesmo maléficos, tornando o individuo mais suscetível ao desencadeamento de doenças. Dessa forma, o planejamento alimentar bem elaborado por um profissional capacitado deve ser seguido corretamente, representando uma mudança no estilo de vida, no qual, a disciplina será incorporada gerando um hábito diário e conseqüentemente resultados funcionais e estéticos satisfatórios. Sendo assim, o Dr. Edson Rosa abordou brevemente alguns dos diferentes tipos de nutrientes existentes e que são aplicados tecnicamente para a elaboração das dietas.

2 Macronutriente x Micronutrientes. Como mencionado anteriormente, o tipo de nutriente ingerido deve ser adequado ao objetivo de cada individuo, dessa forma passaremos a dar total importância a estrutura molecular de cada nutriente existente. Sendo assim, podemos dividir os nutrientes em dois grandes grupos: macronutrientes e micronutrientes. Os macronutrientes são a base dos alimentos que ingerimos, pois representam os carboidratos, as proteínas e os lipídeos. Os carboidratos são a fonte energética primária para os seres vivos, podendo ser digeridos e tendo seus monossacarídeos oxidados para a produção de energia. O monossacarídeo mais comum é a glicose, que possui 6 carbonos e participa dos mais diversos processos metabólicos, como glicólise, glicogênese, via das pentoses fosfato e síntese de ácidos graxos a partir da formação de acetil-coa. Além disso, pode ser oxidada via glicólise-ciclo de Krebs-fosforilação oxidativa e ainda podendo ser armazenada em reservas limitadas de glicogênio muscular e hepático. Já o glicogênio hepático, é fundamental durante as primeiras fases do jejum, quando a gliconeogênese é ativada e pode ir crescendo gradualmente para manter as taxas de glicemia estáveis. Em nível celular, os carboidratos também podem estar associados a outras macromoléculas, formando glicoproteínas e glicolipídeos, na membrana celular, forma o glicocálix, estrutura importante na proteção e no reconhecimento celular, entre outros processos da bioquímica celular. Outro macronutriente essencial à vida humana e principalmente ao âmbito esportivo são as proteínas. As proteínas participam da construção corporal e enzimática, formando elementos da matriz extracelular, como por exemplo, o colágeno. Além disso, no sistema sanguíneo, realizam o transporte plasmático de substâncias, como a albumina, fazendo parte das mais diversas estruturas celulares, como histonas associadas ao DNA, proteínas de membrana e filamentos componentes do cito-esqueleto. As maiores concentrações de proteína no corpo humano estão no sistema muscular, isso ocorre devido à abundância de miofibrilas, principalmente filamentos de actina e miosina, que participam ativamente na contração muscular. As enzimas correspondem outra função vital das proteínas, pois catalisam as mais diversas reações do metabolismo, diminuindo a energia de ativação das reações, de modo que sua velocidade seja compatível com a vida. As enzimas, devido a seu papel decisivo no metabolismo, estão submetidas a um mecanismo de regulação fina, seja por alosteria ou por ação hormonal, desencadeando cascatas de modificação covalente ou interferindo na expressão gênica. As proteínas podem ainda ser utilizadas na produção de energia ou até mesmo se transformar em outras macromoléculas, como carboidratos e lipídeos. Na ocorrência de um jejum prolongado, as proteínas do músculo podem ser quebradas e seus aminoácidos componentes são submetidos a transaminações e desaminações, transferindo fontes de carbono para a

3 gliconeogênese hepática e configurando o processo que denominamos de catabolismo muscular, vilão de todo bodybuilding e praticante de atividade física. Para encerrarmos a menção das proteínas como macronutrientes, convém lembrarmos que o produto final da degradação de aminoácidos é uréia, a qual é filltrada nos rins e excretada na urina. Por fim, o ultimo grupo de macronutrientes a destacar são os lipídeos, pois os mesmos constituem a maior reseva energética do corpo. O tecido adiposo é especializado para o armazenamento e a mobilização de triacilgliceróis, em resposta a situações metabólicas. Nesse caso, os lipídeos provenientes da alimentação são degradados durante o jejum por diversos tecidos, como músculo cardíaco, músculo esquelético e fígado, gerando os ácidos graxos, que passam pela via de beta-oxidação, passando a formar coenzimas reduzidas e consequente produção de ATP. Os lipídeos também apresentam funções estruturais, pois estão associados à construção de membranas a partir de fosfolipídeos, sendo também utilizados, ainda, para síntese de colesterol e de hormônios esteróides, como os hormônios sexuais, por exemplo, a testosterona, sendo originada a partir do colesterol, sintetizando a pregnenolona, o DHEA, etc. Além disso, ácidos graxos essenciais presentes na dieta dão origem a compostos que regulam diversos processos fisiológicos, como regulação da pressão arterial, dilatação de brônquios, contração uterina, reação inflamatória, manifestação de dor e febre e coagulação no sangue, dentre outros. Encerrando os macronutrientes, passamos então a comentar sobre os micronutrientes. Os micronutrientes são representados basicamente pelas vitaminas e sais minerais. Muito importante destacarmos que as vitaminas não são estocadas em níveis consideráveis pelo nosso organismo, por isso devem sempre ser supridas continuamente pela dieta. Podemos dividir as vitaminas em dois grandes grupos: as hidrossolúveis e as lipossolúveis. As vitaminas hidrossolúveis são as do complexo B e a vitamina C (Acido Ascórbico). São componentes de coenzimas, participando de diversas reações enzimáticas no organismo. Pelo fato de serem hidrossolúveis, não trazem prejuízos danosos ao organismo quando são ingeridas em excesso, pois podem ser eliminadas por meio da urina. As vitaminas lipossolúveis incluem as vitaminas A, D, E e K. Essas vitaminas quando consumidas em excesso, podem apresentar riscos ao organismo, pois são eliminadas mais lentamente, sendo derivadas do isopreno. Geralmente, ocorrem em alimentos ricos em gorduras, sendo transportadas por lipoproteínas no plasma. Ambas as vitaminas hidro ou lipossolúveis, apresentam um papel de grande importância como coenzimas, por exemplo, a vitamina A está relacionada às reações da visão e diferenciação epitelial, já a vitamina D apresenta ação hormonal na absorção de cálcio pelos ossos quando passa à forma ativa por radiação UV, a vitamina K atua na coagulação sanguínea e a vitamina E, juntamente com as vitaminas A. C e D, tem função antioxidante, limitando o estresse oxidativo e a ação dos radicais livres sobre as estruturas celulares. Outros micronutrientes importantes para as funções vitais são os minerais.

4 Os minerais são íons inorgânicos, onde destacamos: Ca2+, Na+, Mg2+, K+, Fe2+, fosfato, que atuam como cofatores enzimáticos, além de participarem da composição de certas estruturas, como o cálcio depositado nos ossos. Os sais minerais são necessários diariamente na ordem de miligramas ou microgramas em uma dieta equilibrada. Bom, após explicar os tipos de nutrientes existentes em nosso meio, juntamente com sua divisão de grupos que irão compor uma dieta, vamos enfim abordar as técnicas dietéticas para fins esportivos. Começaremos, expondo a quantidade diária necessária de nutrientes para determinada prática esportiva. Tipos e quantidades diárias de nutrientes na dieta. Sabe-se que a alimentação causa um substancial aumento na síntese protéica e uma pequena inibição na degradação o que resulta em um acréscimo de proteína muscular. Todavia a resposta anabólica da alimentação é transitória e dentro de algumas horas após o término da refeição ou após um período de jejum há a reversão desses dois processos (degradação > síntese). Desse modo o ideal seria manter uma média entre cinco e sete refeições diárias alimentando-se a cada horas visando garantir um contínuo estado anabólico e aceleração metabólica, contribuindo para estimular a quebra dos adipócitos (células de gordura). Começaremos falando sobre uma dieta específica para hipertrofia muscular e volume, onde abordaremos um primeiro lugar a ingestão de carboidratos. Carboidratos O efeito ergogênico da ingestão de carboidratos durante o exercício já foi consistentemente demonstrado em vários experimentos, muitos dos quais efetuados durante etapas de muitas horas de duração. Foi demonstrado que o exercício prolongado reduz acentuadamente o nível de glicogênio muscular, exigindo constante preocupação com sua reposição, porém, apesar de tal constatação, tem sido observado um baixo consumo de carboidratos pelos atletas. Quanto maior a intensidade dos exercícios maior será a participação dos carboidratos como fornecedores de energia. A proteína, com a maior a duração do exercício aumenta a sua participação, o que contribui para a manutenção da glicose sangüínea, principalmente por meio da gliconeogênese hepática. A escolha dos alimentos fontes de carboidrato, assim como a preparação da refeição que antecede o evento esportivo, deve respeitar as características gastrointestinais individuais dos atletas. Estima-se que a ingestão de carboidratos correspondente a 60 a 70% do aporte calórico diário atende à demanda de um treinamento esportivo. Para

5 aperfeiçoar a recuperação muscular recomenda-se o consumo de carboidratos esteja entre 5 e 8g/kg de peso/dia. Em atividades de longa duração e/ou treinos intensos há necessidade de até 10g/kg de peso/dia para a adequada recuperação do glicogênio muscular e/ou aumento da massa muscular, o que estima a Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte e Exercício. A quantidade de glicogênio consumida depende da duração do exercício, assim sendo, após o exercício exaustivo recomenda-se a ingestão de carboidratos simples entre 0,7 e 1,5 g/kg peso no período de quatro horas, o que é suficiente para a ressíntese plena de glicogênio muscular, onde, por exemplo, podemos associar ao Whey Protein pós treino a Dextrose, para daí sim estimularmos um pico insulinêmico sérico. c) Proteínas Para os indivíduos sedentários recomenda-se o consumo diário de proteínas (RDA) entre 0,8 a 1,2g/kg de peso/dia, porém tem sido constatada uma maior necessidade de ingestão para aqueles indivíduos praticantes de exercícios físicos, principalmente para os atletas de força, pois a proteína tem papel importante no fornecimento de "matéria prima" para a síntese de tecido, sendo de 1,4 a 1,8g/kg de peso as necessidades diárias, podendo chegar até 2 g ou 2.5 g/kg de peso numa dieta específica de hipertrofia muscular. d) Lipídeos A gordura é um macronutriente essencial em nossa dieta. Uma alimentação deficiente em gorduras não é condizente com uma boa saúde, pois elas auxiliam no processo digestivo transporte de vitaminas lipossolúveis compõem a estrutura de todas as membranas celulares e ainda são precursores de diversos hormônios. E ainda diversos estudos comprovam que a ingestão adequada/suplementação de ômega 3 otimiza a hipertrofia muscular. É interessante manter um aporte lipídico entre 15 e 30% das calorias provenientes de toda dieta. A parcela de ácidos graxos essenciais deve ser de 8 a 10g/dia. Para os atletas, tem prevalecido a mesma recomendação nutricional destinada à população em geral, portanto as mesmas proporções de ácidos graxos essenciais, que são: 10% de saturados, 10% de polinssaturados e 10% de monoinssaturados (Segundo a Sociedade de Medicina do Esporte e Exercício). Quando houver a necessidade de dietas hipolipídicas, devem prevalecer as cotas, em relação ao aporte calórico total, menor do que 8% para as saturadas, maior que 8% para as monoinssaturadas e de 7 a 10 % para as polinsaturadas. Em geral, os atletas consomem mais do que 30% do VCT em lipídeos, com déficit na ingestão de carboidratos, que tendem a ser consumidos em proporções inferiores ao recomendável. Alguns estudos sugerem um efeito positivo de dietas relativamente altas em gorduras na performance atlética e tem proposto a suplementação de lipídios

6 de cadeia média e longa poucas horas antes ou durante o exercício, com a finalidade de poupar o glicogênio muscular, porém essa questão ainda carece de estudos científicos mais conclusivos. e) Vitaminas Para atletas em regime de treinamento intenso, tem sido sugerido, o que tem gerado controvérsia, o consumo de vitamina C entre 500 e 1500 mg/dia (proporcionaria melhor resposta imunológica e antioxidante) e de vitamina E (aprimoraria a ação antioxidante). f) Minerais Minerais como exemplo, o zinco, estão envolvidos no processo respiratório celular e sua deficiência em atletas pode gerar anorexia, perda de peso significativa, fadiga, queda no rendimento em provas de endurance e risco de osteoporose, razão pela qual tem sido sugerida a utilização de suplementação alimentar. Entretanto, as evidências científicas não justificam o uso sistemático do zinco em suplementação nutricional. Atletas do sexo feminino, em dietas de restrição calórica, podem sofrer deficiências no aporte de minerais, como é o caso do cálcio, envolvido na formação e manutenção óssea. Já o baixo nível de ferro, que ocorre em cerca de 15% da população mundial, causa fadiga e anemia, afetando a performance e o sistema imunológico. Recomenda-se atenção especial ao consumo de alimentos com ferro de elevada biodisponibilidade. Tipos de técnicas alimentares para Hipertrofia e Volume Muscular. Nesse tipo especifico de técnica alimentar, devemos consumir uma média proporcional de macronutrientes como as proteínas e carboidratos, além de lipídios já contidos em determinados alimentos que contém proteínas e carboidratos. Nesse caso, optamos por consumir proteínas em uma média de 2 a 2,5 g kg/ peso e carboidratos na média de 5 a 8 g kg/ peso e lipídeos em torno de 10 g ao dia. Ou seja, para um indivíduo que tenha um peso de 80 kg, por exemplo, deverá consumir diariamente em torno de 160 a 200 g de proteínas diárias e carboidratos na proporção de 640 g por dia. Para ilustrar esse relato, segue abaixo um exemplo de dieta fracionada em 7 refeições, preconizada para Hipertrofia e Volume Muscular, considerando que esse paciente treine no final da tarde. Café da Manha 01: - Importante o uso de Carboidratos e Proteínas no DESJEJUM.

7 Carboidratos, principalmente com elevado IG, para que possamos rapidamente repor os estoques energéticos perdidos durante o metabolismo basal do sono e das horas seguidas sem nutrientes. São eles:. Aveia (Polissacarídeo) - Médio IG = +/- 78 ou. Cereais KornFlakes (Polissacarídeo) - Alto IG = +/- 105 ou. Pão (Polissacarídeo) - Alto IG = +/- 100 ou. Leite (Dissacarídeo) - Baixo IG = +/- 40 ou. Iogurte (Dissacarídeo) - Baixo IG = +/- 20. Frutas Maçã/Pera (Monossacarídeo e também fibrosos) - Baixo IG = +/- 50 ou Banana (Monossacarídeo e também fibrosos) - Médio IG = +/- 75 ou Melancia (Monossacarídeo) - Alto IG = +/ PROTEÍNAS: Rápida /Média absorção, como no caso dos carboidratos, aqui precisamos de uma rápida reposição protéica, principalmente intramuscular.. Proteína Média Absorção. Claras de Ovos. Atum. Fiambre de Frango/Peru. Peito Peru/Frango. Soja. Proteína Rápida Absorção: Proteína do Soro do Leite ( Whey Protein ) Lanche 02 Aqui poderemos usar carboidratos de Lenta Absorção (polissacarideos) e baixo IG: Aveia (Polissacarídeo) - Médio IG = +/- 78 As proteínas podem ser de Médio-Lenta absorção. -Proteína Animal ou Caseína (Lenta Absorção) O uso de Gordura Insaturada se faz importante nessa dieta e pode ser usada nessa hora do dia, como por exemplo uma lipoproteína (vegetal)..amendoins, Nozes, Amendoas (sem sal), azeite oliva Almoço 03 Carboidratos de lenta Absorção (polissacarideos), fibras e baixo/médio IG. Massas (Polissacarideo) - Médio IG = +/- 60 ou. Batata Doce (Polissacarideo) - Médio IG = +/- 75. Sopa Lentilhas - Médio IG = +/- 60

8 . Feijão Cozido - Médio IG = +/- 70 Proteínas de média absorção Proteina Animal: Peito de Frango Grelhado ou Filé de Peixe Grelhado, Ovo. Lanche 04 Pode ser sugerido aqui carboidratos de média Absorção (polissacarideos) e baixo IG (se for perto do treino pode subir para média/alta absorção e médio/alto IG). Aveia (Polissacarideo) - Médio IG = +/- 78 ou. Pão (Polissacarideo) - Alto IG = +/- 100 ou. Malto (Polissacarideo) - Alto IG = +/- 150 O consumo de proteína nesse horário, dependerá da hora da realização do treino, me média sugerimos o consumo de proteína de média/ rápida absorção (igual aos carboidratos, se essa refeição for 1 hora antes do treino, sugerimos proteínas de rápida absorção) Proteina Animal ( ex: Peito de Frango, atum, clara de ovo ou albumina em pó desidratada) ou Whey Protein (rápida absorção) Treino Vamos supor que o treino seja realizado nessa hora do dia, nesse momento, poderá ser introduzido o uso de suplementação PRÉ TREINO associado ao consumo de maltodextrina, podendo associar mais o BCAA. Lanche 05 Refeição pós-treino. Pós treino, simboliza refeições líquidas de rápida absorção, pois logo após o treino, "tudo" tem que ser rápido para chegar ao músculo e os carboidratos devem ser escolhidos os de alto índice glicêmico, podendo ser associado os de rápida/ média e lenta absorção por exemplo a Dextrose, Waxymaize, Maltodextrina). Malto (Polissacarideo) - Alto IG = +/ Pão (Polissacarideo) - Alto IG = +/ Dextrose (Monossacarideo) - Alto IG = +/ Batatas Cozidas (Polissacarideo) - Alto IG = +/ Arroz Branco (Polissacarideo) - Alto IG = +/ Melancia (Monossacarideo) - Alto IG = +/ Proteína de rápida absorção. Whey (se não houver, vai de média absorção com Proteína animal como peito

9 de frango ou clara de ovo). Jantar 06 Carboidratos de Lenta Absorção (polissacarídeos), Fibras e baixo/médio IG. Massas (Polissacarídeo) - Médio IG = +/- 60 ou. Batata Doce (Polissacarídeo) - Médio IG = +/- 75 ou. Sopa Lentilhas - Médio IG = +/- 60. Feijão Cozido - Médio IG = +/ Proteínas de média absorção.. Proteína Animal (de preferência com Omega3-6 - lipoproteínas, salmão é uma boa opção) Ceia 07 ( Pré Sono). Nesse horário da dieta é de extrema necessidade o uso de proteína de lenta absorção, para que dessa forma, sempre exista liberação protéica durante a fase do sono aonde não é possível se alimentar. Destacando-se a albumina, soja ou caseína, por exemplo. Importante pensar em gordura insaturada, como por exemplo, amendoim, nozes, amêndoas (sem sal), azeite de oliva. Esse exemplo de dieta é meramente ilustrativo, se baseando num objetivo de ganho de massa muscular e volume, lembrando que existem vários outros tipos de técnicas dietéticas, variando bastante de acordo com o estímulo metabólico preconizado. Nesse caso, para cada resultado almejado, existirá uma alteração no consumo de nutrientes, bem como nos horários e distribuição ao longo do dia. Para encerrar esse artigo, gostaria de complementar que o sucesso num determinado resultado estético corporal não se resume apenas na técnica alimentar para o controle metabólico (nutrientes contidos nos alimentos e suplementos) e sim na associação da mesma com um período de sono adequado (é nele que ocorrem as reações metabólicas de anabolismo muscular) e o estímulo muscular adequado nos treinos (exercícios resistidos de musculação), além de hábitos de vida saudáveis, tais como ausência do consumo de álcool, fumo, drogas e um aspecto que sempre costumo destacar e recomendar, as práticas de saúde da mente. Praticar a saúde mental consiste em diminuir o estresse diário, no qual acaba diminuindo a secreção sérica de cortisol, que é um hormônio importante ao nosso corpo, porém extremamente catabólico. Então, procurem ter horas de lazer não só nos períodos das práticas esportivas e sim em outros horários do dia. O emprego de práticas como a meditação e relaxamento serve como importantes meios para o equilíbrio homeostático neurofisiológico (mente e corpo), pois se lembrem de que tudo que ocorre na mente reflete em nosso corpo e tudo que ocorre em nosso corpo, reflete em nossa mente.

10 Dr. Edson Carlos Z. Rosa. Cirurgia Facial. Metabolismo e Fisiologia Esportiva.

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano.

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano. Oficina CN/EM 2012 Alimentos e nutrientes (web aula) Caro Monitor, Ao final da oficina, o aluno terá desenvolvido as habilidade: H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo

Leia mais

A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008. Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista

A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008. Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008 Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL É Completa Fornece energia e todos os nutrientes essenciais

Leia mais

VALOR NUTRITIVO DA CARNE

VALOR NUTRITIVO DA CARNE VALOR NUTRITIVO DA CARNE Os alimentos são consumidos não só por saciarem a fome e proporcionarem momentos agradáveis à mesa de refeição mas, sobretudo, por fornecerem os nutrientes necessários à manutenção

Leia mais

47 Por que preciso de insulina?

47 Por que preciso de insulina? A U A UL LA Por que preciso de insulina? A Medicina e a Biologia conseguiram decifrar muitos dos processos químicos dos seres vivos. As descobertas que se referem ao corpo humano chamam mais a atenção

Leia mais

Alimentação na Gestação

Alimentação na Gestação ESPAÇO VIDA Nut. Fabiane Galhardo Unimed Pelotas 2012 Alimentação na Gestação 1 GESTAÇÃO PERÍODO MÁGICO DE INTENSA TRANSIÇÃO, ONDE A NATUREZA MODIFICA O CORPO E A MENTE PARA TRANSFORMAR MULHER EM MÃE A

Leia mais

A DIETA CERTA SAÚDE IATE

A DIETA CERTA SAÚDE IATE Ganhar músculos ou perder peso requer alimentos diferentes. Adequar o hábito alimentar aos objetivos garante resultados mais rápidos e eficazes A DIETA CERTA A alimentação equilibrada é essencial para

Leia mais

Atividade Física e Alimentação Protéica

Atividade Física e Alimentação Protéica Atividade Física e Alimentação Protéica Para obter um bom desempenho o atleta não necessita somente de um bom treinamento, precisa de uma dieta balanceada que contenha quantidades adequadas de proteína,

Leia mais

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS Porção de 100g (1/2 copo) Quantidade por porção g %VD(*) Valor Energético (kcal) 64 3,20 Carboidratos 14,20 4,73 Proteínas 1,30 1,73 Gorduras

Leia mais

NUTRIÇÃO. Prof. Marta E. Malavassi

NUTRIÇÃO. Prof. Marta E. Malavassi Prof. Marta E. Malavassi Conceito: processo orgânico que envolve ingestão, digestão, absorção, transporte e eliminação das substâncias alimentares para a manutenção de funções, a formação e regeneração

Leia mais

Confira a lista dos 25 melhores alimentos para emagrecer:

Confira a lista dos 25 melhores alimentos para emagrecer: Emagrecer nem sempre é uma das tarefas mais simples. A fórmula parece simples (dieta + exercício + descanso) porém diferentes pessoas precisam de diferentes soluções. Uma coisa é certa: qualquer ajuda

Leia mais

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final Laís Cruz Nutricionista CRN 3 18128 2013 Período de transição entre infância e vida adulta (dos 10 aos 19 anos de idade) Muitas transformações físicas, psicológicas e sociais Acelerado crescimento e desenvolvimento:

Leia mais

ILSI Brasil Workshop Estilos de Vida Saudáveis: Nutrição e Saúde da Mulher. A mulher que faz esporte Tânia Rodrigues

ILSI Brasil Workshop Estilos de Vida Saudáveis: Nutrição e Saúde da Mulher. A mulher que faz esporte Tânia Rodrigues ILSI Brasil Workshop Estilos de Vida Saudáveis: Nutrição e Saúde da Mulher A mulher que faz esporte Tânia Rodrigues A atividade física é importante para a mulher nas diferentes fases da vida. * ZAMAI,

Leia mais

Função orgânica nossa de cada dia. Profa. Kátia Aquino

Função orgânica nossa de cada dia. Profa. Kátia Aquino Função orgânica nossa de cada dia Profa. Kátia Aquino Vamos analisar! Funções Carboidratros (ou Glicídios) Energética: eles são os maiores fornecedores de energia para os seres vivos, principalmente a

Leia mais

especial iate LIAMARA MENDES

especial iate LIAMARA MENDES 54 Maio / Junho de 2013 especial use os alimentos a seu favor iate por LIAMARA MENDES Uma dieta equilibrada aliada a exercícios físicos pode ser considerada a fórmula ideal para a conquista do corpo perfeito.

Leia mais

Suplementos de A a Z

Suplementos de A a Z Suplementos de A a Z Hoje existe uma enorme lista de suplementos nas lojas. Mas para que servem? Descubra o que a tecnologia alimentícia pode fazer por você. Otimizar os resultados dos treinos, aumentar

Leia mais

M E T B O L I S M O CATABOLISMO ANABOLISMO

M E T B O L I S M O CATABOLISMO ANABOLISMO METABOLISMO É o conjunto das reações químicas que ocorrem num organismo vivo com o fim de promover a satisfação de necessidades estruturais e energéticas. ...metabolismo Do ponto de vista físico-químico,

Leia mais

Bioenergética. Profa. Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti

Bioenergética. Profa. Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti Bioenergética Profa. Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti Natal/RN Fevereiro de 2011 Substratos para o exercício O corpo utiliza nutrientes carboidratos, gorduras e proteínas consumidos diariamente para

Leia mais

Importante reserva energética; são as gorduras.

Importante reserva energética; são as gorduras. Importante reserva energética; são as gorduras. 1g de lipídio libera 9kcal contra 4kcal por 1g de carboidrato. Podem ser armazenados de forma mais concentrada que os carboidratos. O excesso do consumo

Leia mais

EMAIL 1 ASSUNTO: Comece a Comer Certo

EMAIL 1 ASSUNTO: Comece a Comer Certo EMAIL 1 ASSUNTO: Comece a Comer Certo Olá, tudo bem? Obrigado pelo cadastro no meu site! Nos próximos dias vou passar para você algumas dicas ótimas para aumentar a massa muscular. Se você está buscando

Leia mais

COMPOSIÇÃO QUÍMICA DA CARNE. Profª Sandra Carvalho

COMPOSIÇÃO QUÍMICA DA CARNE. Profª Sandra Carvalho COMPOSIÇÃO QUÍMICA DA CARNE Profª Sandra Carvalho A carne magra: 75% de água 21 a 22% de proteína 1 a 2% de gordura 1% de minerais menos de 1% de carboidratos A carne magra dos diferentes animais de abate

Leia mais

ALIMENTAÇÃO NA ADOLESCÊNCIA

ALIMENTAÇÃO NA ADOLESCÊNCIA ALIMENTAÇÃO NA ADOLESCÊNCIA Maria Sylvia de Souza Vitalle (Texto extraído de Manual de atenção à saúde do adolescente. Secretaria da Saúde. Coordenação de Desenvolvimento de Programas e Políticas de Saúde

Leia mais

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista Secretaria de Estado da Saúde - SESAU Superintendência de Assistência em Saúde SUAS Diretoria de Atenção Básica - DAB Gerência do Núcleo do Programa Saúde e Nutrição Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Leia mais

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e outros sintomas Nutricionista Camila Costa Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício InCor/FMUSP Será que o que você come influencia

Leia mais

Os lipídios são substâncias com estrutura variada sendo muito abundantes em animais e vegetais;

Os lipídios são substâncias com estrutura variada sendo muito abundantes em animais e vegetais; Lipídios Os lipídios são substâncias com estrutura variada sendo muito abundantes em animais e vegetais; Eles compartilham a característica de apresentarem baixa solubilidade em água sendo solúveis em

Leia mais

Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe!

Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe! Aula: 31 Temática: Vitaminas parte I Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe! Introdução O termo vitamina refere-se a um fator dietético essencial requerido por um organismo em

Leia mais

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES Orientações básicas de nutrição para o autocuidado em DM Maria Palmira C. Romero Nutricionista Marisa Sacramento

Leia mais

METABOLISMO DE LIPÍDEOS

METABOLISMO DE LIPÍDEOS METABOLISMO DE LIPÍDEOS 1. Β-oxidação de ácidos graxos - Síntese de acetil-coa - ciclo de Krebs - Cadeia transportadora de elétrons e fosforilação oxidativa 2. Síntese de corpos cetônicos 3. Síntese de

Leia mais

Maio 2011. Mais saúde e bem estar para você e seus colaboradores. Maior produtividade para sua empresa.

Maio 2011. Mais saúde e bem estar para você e seus colaboradores. Maior produtividade para sua empresa. Maio 2011 Mais saúde e bem estar para você e seus colaboradores. Maior produtividade para sua empresa. O que comer antes e após a atividade física? Alimentação e exercício Importância da alimentação saudável

Leia mais

XlII ÍNDICE GLICÊMICO E CARGA GLICÊMICA ÍNDICE GLICÊMICO

XlII ÍNDICE GLICÊMICO E CARGA GLICÊMICA ÍNDICE GLICÊMICO XlII ÍNDICE GLICÊMICO E CARGA GLICÊMICA ÍNDICE GLICÊMICO O índice glicêmico dos alimentos é hoje reconhecidamente o fator mais importante na elaboração de qualquer dieta que vise perda e manutenção de

Leia mais

Hipertrofia Muscular Uma abordagem didática

Hipertrofia Muscular Uma abordagem didática Hipertrofia Muscular Uma abordagem didática Muitas pessoas, pesquisadores, professores, atletas e treinadores já falaram sobre a hipertrofia muscular. Seu conceito técnico e fisiológico está ligado ao

Leia mais

Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais.

Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais. Conteúdo Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais.... 2 Como ler os rótulos dos alimentos... 5 Dose de produto... 7 Calorias... 7 Quantidade de nutrientes... 8 Explicação da quantificação

Leia mais

QUÍMICA CELULAR NUTRIÇÃO TIPOS DE NUTRIENTES NUTRIENTES ENERGÉTICOS 4/3/2011 FUNDAMENTOS QUÍMICOS DA VIDA

QUÍMICA CELULAR NUTRIÇÃO TIPOS DE NUTRIENTES NUTRIENTES ENERGÉTICOS 4/3/2011 FUNDAMENTOS QUÍMICOS DA VIDA NUTRIÇÃO QUÍMICA CELULAR PROFESSOR CLERSON CLERSONC@HOTMAIL.COM CIESC MADRE CLÉLIA CONCEITO CONJUNTO DE PROCESSOS INGESTÃO, DIGESTÃO E ABSORÇÃO SUBSTÂNCIAS ÚTEIS AO ORGANISMO ESPÉCIE HUMANA: DIGESTÃO ONÍVORA

Leia mais

www.projetoverao.org 1

www.projetoverao.org 1 1 No mundo da nutrição e do fitness, existem muitos mitos que são difundidos como se fossem verdade absoluta. Por exemplo: você já deve ter ouvido falar que não se deve comer depois das 19:00h. Esses especialistas

Leia mais

Eliane Petean Arena Nutricionista - CRN 3257. Rua Conselheiro Antônio Prado 9-29 Higienópolis Bauru - SP Telefone : (14) 3243-7840

Eliane Petean Arena Nutricionista - CRN 3257. Rua Conselheiro Antônio Prado 9-29 Higienópolis Bauru - SP Telefone : (14) 3243-7840 Músculos Ok Eliane Petean Arena Nutricionista - CRN 3257 Rua Conselheiro Antônio Prado 9-29 Higienópolis Bauru - SP Telefone : (14) 3243-7840 Conhecendo seu corpo e seus músculos Proteínas e o ganho de

Leia mais

Nutrientes. E suas funções no organismo humano

Nutrientes. E suas funções no organismo humano Nutrientes E suas funções no organismo humano O corpo humano necessita de uma série de substâncias básicas indispensáveis para a formação de tecidos, para obtenção de energia, para a realização de atividades

Leia mais

Criança nutrida & criança Vitaminada

Criança nutrida & criança Vitaminada Criança nutrida & criança Vitaminada IMC INFANTIL Muitos pais se preocupam com o peso e a estatura de seu filho. Questionam-se se a massa corporal da criança está de acordo com a idade, se a alimentação

Leia mais

Necessidades Nutricionais Antes, Durante e Depois do Exercício

Necessidades Nutricionais Antes, Durante e Depois do Exercício Nut. Cláudia Dornelles Schneider Prof. Adj. Depto. de Nutrição Necessidades Nutricionais Antes, Durante e Depois do Exercício Porto Alegre, RS, Brasil Janeiro de 2013 Nutrição Esportiva últimas 2 décadas

Leia mais

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. sgrillo.ita@ftc.br

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. sgrillo.ita@ftc.br Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo sgrillo.ita@ftc.br Lipídeos são compostos guardados em grandes quantidades como triglicerídeos neutros e representam 90% da dieta. São altamente insolúveis, podendo ser

Leia mais

NUTRIÇÃO ESPORTIVA. Nutr. Graziela Beduschi

NUTRIÇÃO ESPORTIVA. Nutr. Graziela Beduschi NUTRIÇÃO ESPORTIVA Nutr. Graziela Beduschi Graduação em Nutrição - UFPR MSC Nutrição - Wollongong University - AUS Sports Dietitian Course Australian Institute of Sports Passos para uma alimentação saudável

Leia mais

A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo

A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo A alimentação adequada e nutricionalmente equilibrada é um dos fatores importantes e essenciais para a otimização do desempenho, sendo

Leia mais

exercício físico na obesidade e síndrome metabólica

exercício físico na obesidade e síndrome metabólica exercício físico na obesidade e síndrome metabólica CONCEITOS Atividade Física é qualquer movimento corporal produzido pelos músculos esqueléticos que resultam em gasto energético; Exercício é uma atividade

Leia mais

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje.

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO- Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. Profa. Dra. Valéria Batista O que é vida saudável? O que é vida saudável? Saúde é o estado de complexo bem-estar físico,

Leia mais

Alimentação e Hidratação para a prática de Atividade Física

Alimentação e Hidratação para a prática de Atividade Física LAHOR CLÍNICA MÉDICA Tatiana Oliveira Nutricionista - CRN 7508 Rua Mário Amaral, 267 - Paraíso - SP Tel/Fax: (11) 3884-7127 Tel: (11) 3051-5554 Alimentação e Hidratação para a prática de Atividade Física

Leia mais

Kelly Chaves - Nutricionista

Kelly Chaves - Nutricionista Kelly Chaves - Nutricionista Alimentos Saudáveis e Funcionais Substâncias consideradas funcionais Alimentos mais consumidos Boas fontes alimentares de cálcio A Importância do Cálcio na Nutrição O que são

Leia mais

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade I: BRASILEIRA 0 Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA O Guia Alimentar é um instrumento que define as diretrizes alimentares a serem utilizadas

Leia mais

Alimentos de Soja - Uma Fonte de Proteína de Alta Qualidade

Alimentos de Soja - Uma Fonte de Proteína de Alta Qualidade Alimentos de Soja - Uma Fonte de Proteína de Alta Qualidade Documento de posição do Comité Consultivo Científico da ENSA Introdução As proteínas são um importante nutriente necessário para o crescimento

Leia mais

Qualquer atividade queima energia, te exigindo comer mais durante o dia.

Qualquer atividade queima energia, te exigindo comer mais durante o dia. "Tudo deve ser feito tão simples quanto possível. Mas não mais simples. " - Albert Einstein Qualquer atividade queima energia, te exigindo comer mais durante o dia. O treinamento intervalado queima mais

Leia mais

A Dieta Atkins promete não somente redução de peso, mas também uma melhoria no seu sistema cardíaco e funções da memória, dentre outros benefícios.

A Dieta Atkins promete não somente redução de peso, mas também uma melhoria no seu sistema cardíaco e funções da memória, dentre outros benefícios. DIETA DE BA IXO ÍNDICE DE GL IC E M IA (LOW CARB DIET ) A dieta de baixo índice de glicemia ou baixa em hidratos de carbono é indicada para tal por ser mais equilibrada e até é indicada para diabéticos

Leia mais

Hormonas e mensageiros secundários

Hormonas e mensageiros secundários Hormonas e mensageiros secundários Interrelação entre os tecidos Comunicação entre os principais tecidos Fígado tecido adiposo hormonas sistema nervoso substratos em circulação músculo cérebro 1 Um exemplo

Leia mais

ÍNDICE BRAVEWHEY WHEY PROTEIN BRAVEWK2 PRÉ-TREINO BRAVECARBUS CARBO AMINOBRAVE BCAA BRAVEPURE CREATINA GLUTABRAVE L-GLUTAMINA OXYBRAVE TERMOGÊNICO

ÍNDICE BRAVEWHEY WHEY PROTEIN BRAVEWK2 PRÉ-TREINO BRAVECARBUS CARBO AMINOBRAVE BCAA BRAVEPURE CREATINA GLUTABRAVE L-GLUTAMINA OXYBRAVE TERMOGÊNICO ÍNDICE BRAVEWHEY WHEY PROTEIN BRAVEWK2 PRÉ-TREINO BRAVECARBUS CARBO AMINOBRAVE BCAA BRAVEPURE CREATINA GLUTABRAVE L-GLUTAMINA OXYBRAVE TERMOGÊNICO 04 05 06 07 08 09 10 BRAVEWHEY CONCENTRADO O BRAVEWHEY

Leia mais

Trabalho elaborado por: 5/29/2007 USF Valongo. Enf. Anabela Queirós

Trabalho elaborado por: 5/29/2007 USF Valongo. Enf. Anabela Queirós Trabalho elaborado por: Enf. Anabela Queirós O que é a diabetes? Uma doença que dura toda vida Provocada pela ausência ou perda de eficácia da insulina; Provoca a subida de açúcar no sangue A diabetes

Leia mais

FACULDADE SANTO AGOSTINHO - FSA DIRETORIA DE ENSINO COORDENAÇÃO DE NUTRIÇÃO

FACULDADE SANTO AGOSTINHO - FSA DIRETORIA DE ENSINO COORDENAÇÃO DE NUTRIÇÃO FACULDADE SANTO AGOSTINHO - FSA DIRETORIA DE ENSINO COORDENAÇÃO DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA I-IDENTIFICAÇÃO 1. CURSO: NUTRIÇÃO 2. DISCIPLINA: NUTRIÇÃO E METABOLISMO 3. SEMESTRE DO CURSO: 4º 4. PROFESSOR(A):

Leia mais

Conheça 30 superalimentos para mulheres Dom, 02 de Dezembro de 2012 11:28 - Última atualização Dom, 02 de Dezembro de 2012 11:35

Conheça 30 superalimentos para mulheres Dom, 02 de Dezembro de 2012 11:28 - Última atualização Dom, 02 de Dezembro de 2012 11:35 Manter a saúde, deixar a barriga sarada e aumentar a energia são benefícios que podem ser conquistados com a escolha correta dos alimentos. Alguns itens colaboram para ter ossos fortes, queimar gordura,

Leia mais

O QUE SÃO SUBSTÂNCIAS INORGÂNICAS? QUAL A FUNÇÃO BIOLÓGICA DE CADA UMA?

O QUE SÃO SUBSTÂNCIAS INORGÂNICAS? QUAL A FUNÇÃO BIOLÓGICA DE CADA UMA? O QUE SÃO SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS? O QUE SÃO SUBSTÂNCIAS INORGÂNICAS? QUAL A FUNÇÃO BIOLÓGICA DE CADA UMA? SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS: CARBONO, HIDROGÊNIO, OXIGÊNIO E NITROGÊNIO FORMAM CADEIAS LONGAS E COMPLEXAS

Leia mais

COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE ATLETAS NO PRÉ TREINO DE UMA CIDADE DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO

COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE ATLETAS NO PRÉ TREINO DE UMA CIDADE DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE ATLETAS NO PRÉ TREINO DE UMA CIDADE DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO RESUMO Mari Uyeda Larissa Fabiane da Silva Toledo Este trabalho apresenta como objetivo demonstrar o comportamento

Leia mais

COMPOSIÇÃO QUÍMICA CELULAR COMPOSTOS INORGÂNICOS: ÁGUA- SAIS MINERAIS COMPOSTOS ORGÂNICOS: CARBOIDRATOS

COMPOSIÇÃO QUÍMICA CELULAR COMPOSTOS INORGÂNICOS: ÁGUA- SAIS MINERAIS COMPOSTOS ORGÂNICOS: CARBOIDRATOS COMPOSIÇÃO QUÍMICA CELULAR COMPOSTOS INORGÂNICOS: ÁGUA- SAIS MINERAIS COMPOSTOS ORGÂNICOS: CARBOIDRATOS COMPOSTOS INORGÂNICOS Não apresentam Carbono em sua estrutura DOIS TIPOS: Água e Sais Minerais ÁGUA:

Leia mais

Manual de Rotulagem de Alimentos

Manual de Rotulagem de Alimentos Manual de Rotulagem de Alimentos Agosto 2013 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para

Leia mais

Guia. Nutricional. para gestantes

Guia. Nutricional. para gestantes Referências bibliográficas consultadas: 1. Committee on Nutritional Status During Pregnancy and Lactation, Institute of Medicine. Nutrition During Pregnancy: Part I: Weight Gain, Part II: Nutrient Supplements.

Leia mais

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física A Importância dos Alimentos Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estar e a

Leia mais

( ) Falta de vitamina D. Dificuldades em absorver o cálcio, provocando problemas para a calcificação dos ossos.

( ) Falta de vitamina D. Dificuldades em absorver o cálcio, provocando problemas para a calcificação dos ossos. NOME: ANO: 8º ENSINO: FUNDAMENTAL I TURMA: DATA: / / PROF(ª).:Sandra Medeiros ATIVIDADE DIAGNÓSTICA DE CIÊNCIAS 1. Questão Estabeleça relação entre as colunas. (a) Beribéri ( ) Falta de vitamina D. Dificuldades

Leia mais

treinofutebol.net treinofutebol.net

treinofutebol.net treinofutebol.net Alimentação do Desportista A alimentação pode influenciar positiva ou negativamente o rendimento dum atleta, devendo consequentemente ser orientada no sentido de não só melhorar a sua capacidade desportiva,

Leia mais

27/08/2014. Carboidratos. Monossacarídeos. Introdução. Classificação (quanto ao número de monômeros) Carboidratos

27/08/2014. Carboidratos. Monossacarídeos. Introdução. Classificação (quanto ao número de monômeros) Carboidratos Introdução CARBOIDRATOS Outras denominações: - Hidratos de carbono - Glicídios, glícides ou glucídios - Açúcares. Ocorrência e funções gerais: São amplamente distribuídos nas plantas e nos animais, onde

Leia mais

Alimentação para o bom humor

Alimentação para o bom humor Alimentação para o bom humor Muitas pessoas não sabem o valor que uma boa alimentação tem no nosso dia a dia. É fundamental se preocupar com isso, pois os alimentos têm influência direta na nossa qualidade

Leia mais

Alimentação adequada para cada tipo de treino - o que ingerir no pré e pós treino, quais os melhores horários para as refeições e quais alimentos

Alimentação adequada para cada tipo de treino - o que ingerir no pré e pós treino, quais os melhores horários para as refeições e quais alimentos Alimentação adequada para cada tipo de treino - o que ingerir no pré e pós treino, quais os melhores horários para as refeições e quais alimentos evitar? Maiara Cristina de Lima Nutricionista CRN10 3980

Leia mais

CA BODY BUILDER CAFFEINE BODY NUTRITION RIPPED THERMO CAPS BCAA POWER CREATINE MUSCLE VOLUMIZER

CA BODY BUILDER CAFFEINE BODY NUTRITION RIPPED THERMO CAPS BCAA POWER CREATINE MUSCLE VOLUMIZER A linha G-ACTION foi desenvolvida para atender às necessidades de um público cada vez mais preocupado em manter-se saudável e em excelente forma física. A suplementação adequada contribui para o aumento

Leia mais

INTERATIVIDADE FINAL EDUCAÇÃO FÍSICA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Treinamento e nutrição.

INTERATIVIDADE FINAL EDUCAÇÃO FÍSICA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Treinamento e nutrição. Conteúdo: Treinamento e nutrição. Habilidades: Relacionar a alimentação saudável com a prática de exercícios físicos. X Nutrientes macronutrientes micronutrientes Micronutrientes Macronutrientes A importância

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Último Encontro: Vila Velha 1 Escolha dos temas a serem trabalhados. Tema de hoje: Oficina sobre alimentação saudável 1) Alimentos Alimentos construtores: fornecem proteínas

Leia mais

SUMÁRIO MÓDULO 6 ALIMENTOS E NUTRIENTES ATIVIDADE 1 (PÁGINA 221)

SUMÁRIO MÓDULO 6 ALIMENTOS E NUTRIENTES ATIVIDADE 1 (PÁGINA 221) 1 SUMÁRIO Módulo 6 Alimentos e nutrientes... 1 Atividade 1 (página 221)... 1 Atividade 2 (página 228)... 1 Atividade 3 (página 229)... 2 Em Casa (pagina 231)... 3 Módulo 7 O processo de digestão I... 4

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO NO DESPORTO

SUPLEMENTAÇÃO NO DESPORTO SUPLEMENTAÇÃO NO DESPORTO Por definição, suplementos nutricionais são alimentos que servem para complementar com calorias e ou nutrientes a dieta diária de uma pessoa saudável, nos casos em que sua ingestão,

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA SE ADQUIRIR HÁBITOS SAUDÁVEIS

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA SE ADQUIRIR HÁBITOS SAUDÁVEIS ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA SE ADQUIRIR HÁBITOS SAUDÁVEIS Sumário Introdução... 3 1 - A importância da Água... 4 2 - Organizando a sua alimentação diária... 6 3 A eliminação... 7 4 Sugestões de óleos... 8

Leia mais

Dieta e suplementação. para. eventos esportivos

Dieta e suplementação. para. eventos esportivos Dieta e suplementação para eventos esportivos Rachel F. Elias Scalet Nutricionista CRN/3-5.956 Alimentação saudável + atividade física Bem estar físico; Equilíbrio emocional; Prevenção e tratamento de

Leia mais

Perder Gordura e Preservar o Músculo. Michelle Castro

Perder Gordura e Preservar o Músculo. Michelle Castro Perder Gordura e Preservar o Músculo Michelle Castro 25 de Novembro de 2012 Principais Tópicos 1. Processos catabólicos associados a dietas hipocalóricas. 2. Contextualização/compreensão do porquê da existências

Leia mais

SABOR. NUMEROSem. Fonte: Tabela Brasileira de Composição de Alimentos do Ministério da Saúde.

SABOR. NUMEROSem. Fonte: Tabela Brasileira de Composição de Alimentos do Ministério da Saúde. SABOR Fonte: Tabela Brasileira de Composição de Alimentos do Ministério da Saúde. Conteúdo produzido pela equipe de Comunicação e Marketing do Portal Unimed e aprovado pelo coordenador técnico-científico:

Leia mais

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de vida. A infância e adolescência são idades ideais para

Leia mais

15 Alimentos Emagrecedores

15 Alimentos Emagrecedores 15 Alimentos Emagrecedores EBOOK TITLE Material desenvolvido a ajudar pessoas que procuram informações sobre alimentação que ajuda a emagrecer ou que reduz o indice de gordura. Nesse E-book você vai encontrar

Leia mais

METABOLISMO. - ATP é a moeda energética da célula

METABOLISMO. - ATP é a moeda energética da célula INTEGRAÇÃO DO METABOLISMO ESTRATÉGIAS DO METABOLISMO - ATP é a moeda energética da célula - ATP é gerado pela oxidação de moléculas de alimento: * as macromoléculas da dieta são quebradas até suas unidades

Leia mais

American Dietetic Association

American Dietetic Association É um método sistemático para resolução de problemas que os profissionais de nutrição empregam para pensar de modo crítico e tomar decisões para resolver problemas nutricionais e prestar assistência nutricional

Leia mais

NUTRIÇÃO APLICADA À FARMÁCIA

NUTRIÇÃO APLICADA À FARMÁCIA NUTRIÇÃO APLICADA À FARMÁCIA METABOLISMO BASAL GASTO ENERGÉTICO TOTAL Profª. Alcinira Furtado Farias METABOLISMO BASAL Conjunto de processos por meio dos quais o organismo vivo recolhe e transforma as

Leia mais

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. sgrillo.ita@ftc.br

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. sgrillo.ita@ftc.br Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo sgrillo.ita@ftc.br O metabolismo de carboidratos em humanos pode ser dividido nas seguintes categorias: 1. Glicólise 2. Ciclo de Krebs 3. Glicogênese 4. Glicogenólise

Leia mais

Luz Solar. 1. Cite duas doenças que podem ser prevenidas com a luz solar? 3. Cite alguns benefícios da luz solar para os seres humanos.

Luz Solar. 1. Cite duas doenças que podem ser prevenidas com a luz solar? 3. Cite alguns benefícios da luz solar para os seres humanos. Luz Solar 1. Cite duas doenças que podem ser prevenidas com a luz solar? Raquitismo e Osteoporose 2. Em qual dia da criação, Deus criou a luz? 1 dia 3. Cite alguns benefícios da luz solar para os seres

Leia mais

A base molecular da vida Constituintes da matéria-viva

A base molecular da vida Constituintes da matéria-viva A base molecular da vida Constituintes da matéria-viva Principais elementos químicos dos seres vivos Quando se analisa a matéria-viva que constitui os seres vivos, encontram-se principalmente os seguintes

Leia mais

CURSO DE NUTRIÇÃO DESPORTIVA

CURSO DE NUTRIÇÃO DESPORTIVA CURSO DE NUTRIÇÃO DESPORTIVA Faber Martins-2012 CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA NUTRIÇÃO Os nutrientes podem ser classificados em 6 categorias distintas: Água, Hidratos de Carbono, Gorduras, Proteínas, Vitaminas

Leia mais

ÁCIDOS NUCLÉICOS. Prof. Sharline F. M. Santos UFPB CT DEQ

ÁCIDOS NUCLÉICOS. Prof. Sharline F. M. Santos UFPB CT DEQ ÁCIDOS NUCLÉICOS Prof. Sharline F. M. Santos UFPB CT DEQ ÁCIDOS NUCLÉICOS Na natureza há dois tipos de ácidos nucleicos: DNA ou ácido desoxiribonucleico e RNA ou ácido ribonucleico. Ácidos Nucléicos Os

Leia mais

Nutrição no Exercício

Nutrição no Exercício Nutrição no Exercício Fabiana de Faria Ghetti Unidade de Investigação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício Nutrição no Exercício Atletas Indivíduos fisicamente ativos Necessidades nutricionais ATLETA

Leia mais

ALIMENTAÇÃO E ATIVIDADE FÍSICA ALTERAÇÕES E CONHECIMENTOS APLICADOS Á PRÁTICA ESPORTIVA

ALIMENTAÇÃO E ATIVIDADE FÍSICA ALTERAÇÕES E CONHECIMENTOS APLICADOS Á PRÁTICA ESPORTIVA ALIMENTAÇÃO E ATIVIDADE FÍSICA ALTERAÇÕES E CONHECIMENTOS APLICADOS Á PRÁTICA ESPORTIVA NASCER SAUDÁVEL A educação e a atenção na alimentação são decisivos desde o nascimento até os 5 anos. ALEITAMENTO

Leia mais

Profa. Joyce Silva Moraes

Profa. Joyce Silva Moraes Alimentação e Saúde Profa. Joyce Silva Moraes saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estarestar e a disposição para realizar todas as atividades. demonstrar

Leia mais

Se você treinar em jejum:

Se você treinar em jejum: SUCOFITNESS Atividade física Atividade física é definida como qualquer movimentação do corpo e dos músculos que leva a um gasto de energia. Além de ser praticada como lazer e recreação, quando realizada

Leia mais

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA ÂNGELA MENDONÇA LIGA DE DIABETES A intervenção nutricional pode melhorar o controle glicêmico. Redução de 1.0 a 2.0% nos níveis de hemoglobina

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS:

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS: JUSTIFICATIVA Para termos um corpo e uma mente saudável, devemos ter uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes, carnes, cereais, vitaminas e proteínas. Sendo a escola um espaço para a promoção

Leia mais

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO (segunda parte) A ESCOLHA Responda à seguinte pergunta: Você gosta de carro? Se você gosta, vamos em frente. Escolha o carro de seus sonhos: Mercedes,

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal

Leia mais

FICHA TÉCNICA. ISBN: 978-989-96506-7-1 Novembro de 2010 APN

FICHA TÉCNICA. ISBN: 978-989-96506-7-1 Novembro de 2010 APN FICHA TÉCNICA Título: A criança e a Diabetes: Aqui aprendes a comer! Direcção Editorial: Alexandra Bento Concepção: Delphine Dias Corpo Redactorial: Delphine Dias, Ana Martins Produção Gráfica: Delphine

Leia mais

ALIMENTAÇÃO - O QUE DEVE SER EVITADO - O QUE DEVE SER CONSUMIDO

ALIMENTAÇÃO - O QUE DEVE SER EVITADO - O QUE DEVE SER CONSUMIDO ALIMENTAÇÃO - O QUE DEVE SER EVITADO - O QUE DEVE SER CONSUMIDO Lucia B. Jaloretto Barreiro Qualidade de Vida=Saúde=Equilíbrio Qualidade de Vida é mais do que ter uma boa saúde física ou mental. É estar

Leia mais

Capacidade de organizar os produtos da digestão usando a energia extraída dos mesmos produtos da digestão (REGULAÇÃO)

Capacidade de organizar os produtos da digestão usando a energia extraída dos mesmos produtos da digestão (REGULAÇÃO) Capacidade de organizar os produtos da digestão usando a energia extraída dos mesmos produtos da digestão (REGULAÇÃO) As proteínas são digeridas até aminoácidos, as gorduras (triglicérides) até glicerol

Leia mais

Disciplina: FISIOLOGIA CELULAR CONTROLE DA HOMEOSTASE, COMUNICAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO CORPO HUMANO (10h)

Disciplina: FISIOLOGIA CELULAR CONTROLE DA HOMEOSTASE, COMUNICAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO CORPO HUMANO (10h) Ementário: Disciplina: FISIOLOGIA CELULAR CONTROLE DA HOMEOSTASE, COMUNICAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO CORPO HUMANO (10h) Ementa: Organização Celular. Funcionamento. Homeostasia. Diferenciação celular. Fisiologia

Leia mais

saúde envelhecer melhor Uma dieta rica em nutrientes contribui positivamente para um envelhecimento saudável Comer bem para

saúde envelhecer melhor Uma dieta rica em nutrientes contribui positivamente para um envelhecimento saudável Comer bem para saúde Sinal Canal de Comunicação da Sistel para os Usuários de Saúde Ano I - Nº 3 - Setembro 2014 Comer bem para envelhecer melhor Uma dieta rica em nutrientes contribui positivamente para um envelhecimento

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? TIPOS

O QUE É COLESTEROL? TIPOS O QUE É COLESTEROL? O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal (carne, leite integral, ovos etc.). Em nosso

Leia mais

11/05/2015 INTER-RELAÇÕES METABÓLICAS INTEGRAÇÃO DO METABOLISMO PRINCÍPIOS QUE GOVERNAM O METABOLISMO

11/05/2015 INTER-RELAÇÕES METABÓLICAS INTEGRAÇÃO DO METABOLISMO PRINCÍPIOS QUE GOVERNAM O METABOLISMO INTER-RELAÇÕES METABÓLICAS Plano de Aula -Visão geral e principais mecanismos de regulação -Especificidade metabólica nos diferentes tecidos do organismo humano -Relações metabólicas entre tecidos nos

Leia mais

NUTRIÇÃO INFANTIL E AS CONSEQUENCIAS NOS CICLOS DA VIDA. Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo

NUTRIÇÃO INFANTIL E AS CONSEQUENCIAS NOS CICLOS DA VIDA. Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo NUTRIÇÃO INFANTIL E AS CONSEQUENCIAS NOS CICLOS DA VIDA Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo Infância -Promoção e consolidação dos hábitos alimentares - Incremento das necessidades nutricionais para

Leia mais

NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE. Silvia Regina Cantu Benedetti Nutricionista em Assistência Domiciliar Maio 2011

NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE. Silvia Regina Cantu Benedetti Nutricionista em Assistência Domiciliar Maio 2011 NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE Silvia Regina Cantu Benedetti Nutricionista em Assistência Domiciliar Maio 2011 Definição e estimativa Envelhecer significa conviver com as alterações próprias prias da idade.

Leia mais