Extracção de Anúncios e Notificação de Utilizadores do Site do Emprego Científico da Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Extracção de Anúncios e Notificação de Utilizadores do Site do Emprego Científico da Fundação para a Ciência e a Tecnologia"

Transcrição

1 Extracção de Conhecimento da Internet Mestrado em Inteligência Artificial e Computação Extracção de Anúncios e Notificação de Utilizadores do Site do Emprego Científico da Fundação para a Ciência e a Tecnologia Daniel Cardoso de Moura 29 de Maio de 2003

2 Índice 1. DESCRIÇÃO DO TRABALHO DESCRIÇÃO DO PROCESSO OBTENÇÃO DA PÁGINA EXTRACÇÃO DE ANÚNCIOS ACTUALIZAÇÃO DA BASE DE DADOS CLASSIFICAÇÃO DOS ANÚNCIOS PARA CADA UTILIZADOR NOTIFICAÇÃO DOS UTILIZADORES POR CORREIO ELECTRÓNICO IMPLEMENTAÇÃO FERRAMENTAS UTILIZADAS ESQUEMA DA BASE DE DADOS CONCLUSÕES MELHORIAS BIBLIOGRAFIA... 9 MIAC ECI 2

3 1. Descrição do Trabalho O principal objectivo deste trabalho consiste em analisar uma página da Internet onde são publicados anúncios de emprego de modo a extrair as principais informações associadas a cada um. Para tal, a aplicação utiliza conhecimento à priori relativo à estrutura do HTML da página. A informação extraída é mantida numa base de dados. A aplicação também possui um sistema de notificação de utilizadores responsável por detectar a publicação de novos anúncios e avisar os utilizadores interessados. A determinação da relevância de um dado anúncio para um utilizador está implementada de um modo relativamente básico uma vez que não é a componente em que este trabalho é focado. Sempre que são detectados novos anúncios os utilizadores são notificados via correio electrónico. A página que é alvo de análise pertence ao Site do Emprego Científico da FCT e pode ser acedida através do endereço: 2. Descrição do Processo Na figura 1 são identificadas as fases do processo de análise da página e notificação de utilizadores. Obtenção da Página Extracção de Anúncios Actualização da BD Classificação dos Anúncios p/ cada Utilizador Notificação por Figura 1 Processo de análise da página e notificação de utilizadores 2.1. Obtenção da Página Esta fase consiste em enviar um pedido HTTP ao servidor web de modo a obter a página HTML com os anúncios. No entanto, esta operação não corresponde a um simples comando GET para obter a página. A página de anúncios não pode ser acedida directamente. Existe uma página de entrada (figura 2), onde deve ser indicado o ano de publicação dos anúncios, que invoca outra página com os anúncios do respectivo ano. Figura 2 Página de entrada do site de emprego científico MIAC ECI 3

4 Através da análise da página de entrada concluiu-se que para obter a página de anúncios seria necessário executar um comando HTTP POST enviando alguma informação anexada, nomeadamente o ano dos anúncios (figura 3). POST /pt/emprego/oportunidades/bdados/default.asp HTTP/1.0\n Content-Length: 25\n Content-Type: application/x-www-form-urlencoded\n \n ano=2003&submit=pesquisar\n \n Figura 3 Exemplo do comando HTTP para obter os anúncios do ano de 2003 Não é por isso possível obter a página de anúncios apenas pela indicação do seu URL. Por esta razão o método htmltreeparse do R não pôde ser usado para obter a página da Internet. Apenas foi utilizado para estruturar a informação da página após esta ter sido obtida através de um pedido HTTP e escrita num ficheiro local Extracção de Anúncios Esta fase consiste na extracção de informação da página relativa aos anúncios publicados. Para implementar a rotina de extracção de informação foi primeiro necessário estudar o HTML da página de modo a descobrir como poderia ser obtida a informação relevante. Graficamente, o aspecto da página está ilustrado na figura 4. A página é relativamente complexa principalmente se for tido em conta que não são usados frames. Existe por isso uma fracção considerável de informação a ignorar. A fracção que interessa corresponde a um conjunto de tabelas numeradas, uma tabela por anúncio. Na figura são visíveis as duas primeiras tabelas. Figura 4 Página de anúncios do site de emprego científico A estrutura do HTML utilizado nesta página é algo complexa. O conjunto de tabelas alvo está contido dentro de um tabela que por sua vez está contida noutra que MIAC ECI 4

5 por sua vez está contida em mais outra. Através da seguinte instrução conseguem-se isolar as tabelas onde estão contidos os anúncios: which(names(tp$children$html[['body']][['table']][['tr']] [['td']][[8]][[2]][['td']][['table']][['tr']][[2]])=='table') No entanto a primeira, a segunda e a última tabela não correspondem a anúncios, pelo que têm de ser retiradas. <table width="550" border="0" bgcolor="#e4e4e4" class="adds"> <tr bgcolor="#cccccc"> <td width="41"> <div align="left">1. </div> </td> <td width="499"><a href="" target="_blank"><b>instituto Politécnico de Saúde Lisboa - Escola Superior de Enfermagem de Francisco Gentil</b></a></td> </tr> <tr> <td colspan="2"> <b>posição:</b> professor-coordenador<br> <b>domínio científico:</b> Enfermagem de Saúde Comunitária<br> <b>número de vagas:</b> 1<br> <b>data de publicação no Diário da República:</b> 1/4/2003<br> <b>prazo de candidatura:</b> 30 dias úteis a partir da data de publicação no Diário da República<br> <a href="00conteudo/anuncio.asp?anuncioid=648" target="_blank">anúncio</a><img src="00conteudo/images/check2.gif" alt="concurso apurado" border="0"> <a href="00conteudo/anuncio.asp?anuncioid=648#juri" target="_blank">júri do Concurso</a> <a href="00conteudo/anuncio.asp?anuncioid=648#lista" target="_blank">lista de Candidatos</a> <a href="00conteudo/anuncio.asp?anuncioid=648#aprovados" target="_blank">lista de Candidatos Aprovados</a> </td> </tr> </table> Figura 5 HTML de um anúncio Na figura 5 pode ser observado o HTML da tabela com o primeiro anúncio. Através da sua análise tiram-se algumas conclusões importantes para a compreensão da sua estrutura: A tabela está dividida em duas linhas. A primeira tem o nome da instituição e a segunda a informação restante. Na segunda linha os títulos dos campos dos dados estão a bold e os respectivos dados aparecem imediatamente a seguir. Na primeira hiperligação da segunda linha da tabela pode ser obtido o código pelo qual o anúncio é referenciado pela base de dados da FCT e que é usado para obter o texto integral do anúncio. Esta informação é suficiente para que seja possível extrair toda a informação relevante relativa a um anúncio. No entanto, existe um problema que ainda não foi referido. Na figura 4 pode ser observado que a informação relativamente à data limite pode variar. Basicamente, pode assumir duas formas: (i) é apresentado um campo com a data limite ou (ii) são apresentados dois campos: a data de publicação do anúncio e um prazo em dias a partir desta data. MIAC ECI 5

6 A forma em que a data limite é expressa é facilmente detectada a partir de uma contagem do número de campos (na segunda forma é necessário mais um campo). A data limite é uma informação bastante importante para determinar se um utilizador pode ou não candidatar-se. Quando é dada com base num prazo tem, por isso, de ser calculada. Existe ainda a hipótese de o prazo ser dado em dias úteis. Neste caso, fins-desemana e feriados devem ser ignorados na contagem dos dias, se bem que a aplicação neste momento apenas ignora os fins-de-semana Actualização da Base de Dados Esta fase consiste em colocar na base de dados os anúncios novos desde a última actualização. Isto é conseguido verificando quais são os anúncios retirados da Internet que não estão na base de dados, como é possível ver a seguir: anuncios.db <- sqlquery(db, "SELECT * FROM anuncios") anuncios <- anuncios.web[is.element(anuncios.web$id, setdiff(anuncios.web$id, anuncios.db$id)),] O ID do anúncio é utilizado como chave primária. Nos casos em que a data limite tem de ser calculada o que é guardado é a data resultante do cálculo e não a data de publicação e o prazo em dias. Devido a problemas com a execução de métodos como o sqlsave, foram utilizados comandos SQL a partir do método sqlquery, o único que mostrou ter um comportamento estável e que permite realizar qualquer operação SLQ. Para actualizar a tabela de anúncios são, por isso, executadas instruções INSERT INTO que permitem adicionar os anúncios um a um. Apesar de não ser um método aparentemente muito eficiente não apresentou qualquer problema neste tópico, sendo as inserções rápidas Classificação dos Anúncios para cada Utilizador Esta fase consiste em determinar para cada utilizador quais os anúncios com potencial interesse em relação aos quais o utilizador ainda não foi notificado. Esta fase processase em duas etapas: 1. Identificação dos anúncios ainda não analisados para um dado utilizador; 2. Classificação dos anúncios não analisados como interessantes ou não. Para levar a cabo a primeira etapa, é mantida na base de dados informação que indica quais os anúncios que são analisados para cada utilizador. Confrontando os anúncios extraídos da página com os anúncios anteriormente analisados obtêm-se todos os anúncios ainda não analisados para um dado utilizador. Podiam ter sido usados apenas os anúncios classificados como novos da fase de extracção de anúncios da página, mas, deste modo, conseguem-se cobrir os casos em que são adicionados utilizadores novos e para os quais existem anúncios antigos ainda válidos e com interesse. Depois de determinado o conjunto de anúncios não analisados para um utilizador dá-se início à etapa de classificação. Para cada utilizador é possível definir uma expressão regular por campo de texto do anúncio. Os campos de texto são a Posição, o Domínio e a Instituição. Por exemplo, um utilizador ao definir a expressão para a Instituição como Universidade e a expressão do Domínio como Informática seria notificado sempre que aparecessem anúncios colocados por Universidades para o Domínio de Informática, independentemente do valor do campo Posição. Anúncios que não satisfaçam simultaneamente as expressões definidas para cada um dos campos são descartados. MIAC ECI 6

7 2.5. Notificação dos Utilizadores por Correio Electrónico Esta fase tem como objectivo notificar por correio electrónico todos os utilizadores para os quais foram encontrados anúncios com interesse. É guardada informação na base de dados que indica se um utilizador já foi notificado relativamente a um dado anúncio. De um modo geral esta fase é executada nos seguintes passos: 1. Para cada utilizador seleccionar os anúncios com interesse sobre os quais ainda não foi notificado e cuja data limite não tenha sido ultrapassada; 2. Enviar uma mensagem de correio electrónico com informação relativa a cada um dos anúncios do ponto 1 e com hiperligações para os anúncios completos disponibilizados pelo site da FCT; 3. Marcar os anúncios como processados pela fase de notificação. Na figura 6 está ilustrado um exemplo de uma mensagem de correio electrónico enviada pela aplicação. Este exemplo contém apenas um anúncio mas poderia ter vários. Figura 6 Exemplo de uma mensagem de notificação Através do exemplo pode-se observar um problema que não foi ultrapassado: os caracteres com acentos ou cedilhas são mal interpretados pelo R. 3. Implementação 3.1. Ferramentas Utilizadas É objectivo da cadeira usar a ferramenta R para a realização do trabalho. No entanto, esta ferramenta apesar de ser bastante completa no que diz respeito a tratamento de informação, não disponibiliza algumas funcionalidades de carácter tecnológico como por exemplo uma API para correio electrónico. Por isso, das fases descritas no capítulo anterior, a primeira (obtenção da página através de um comando POST ao servidor web) e a última (notificação dos utilizadores por correio electrónico) foram implementadas numa linguagem que ultrapassa estas faltas facilmente, o Java. De salientar que o R suporta Sockets pelo que estas duas fase poderiam ter sido implementadas sem recorrer ao Java. No entanto, para o envio de mensagens de correio electrónico seria necessário implementar um protocolo de envio de mensagens (ex. SMTP). Além disso é referido na documentação do R que as rotinas de leitura e escrita em sockets (read.socket e write.socket) fazem muito poucas verificações de erro tornando-se, por isso, pouco fiáveis. As fases de extracção de informação da página, actualização da base de dados e classificação dos anúncios para cada utilizador, foram totalmente implementadas em R. Relativamente à base de dados foi usado o Microsoft Access. Apesar de ser uma base de dados de uso pessoal serve perfeitamente para as necessidades deste trabalho. MIAC ECI 7

8 Houve uma tentativa de usar instruções SQL standard de modo a facilitar uma eventual mudança de base de dados Esquema da base de Dados Na figura 7 está ilustrado o esquema da base de dados utilizada neste trabalho. Figura 7 Esquema da Base de Dados Basicamente, a base de dados é constituída por três tabelas: anúncios, utilizadores (users) e outra que relaciona anúncios com utilizadores (anunciosusers). Na tabela anúncios são guardados todos os anúncios extraídos da página. A chave primária é o número identificador utilizado pela FCT e a data limite pode ser resultado de um cálculo ou não (mediante as características do anúncio). Na tabela users estão armazenados os utilizadores, os seus endereços de correio electrónico e informação relativa ao padrão que os anúncios devem respeitar de acordo com três parâmetros: a instituição a posição e o domínio. Por fim, sempre que um anúncio é analisado para um dado utilizador é criado um registo na tabela anúnciosusers. O campo match indica se o anúncio foi classificado como interessante ou não, e o campo dt indica a data em que o processo de notificação considerou o anúncio (este campo é nulo caso o processo de notificação ainda não tenha considerado o anúncio para envio por correio electrónico ou no caso de ter surgido um erro no envio da mensagem). 4. Conclusões O R mostrou ser uma ferramenta bastante prática para operações relacionadas com extracção de dados. Permite analisar a estrutura de uma página HTML de um modo relativamente intuitivo e depois utilizar a informação relativamente a essa estrutura facilmente. No entanto, os níveis de performance na extracção de informação relativa aos anúncios são relativamente baixos (cerca de 1 a 2 segundos por anúncio). Provavelmente, a complexidade da estrutura HTML da página e o seu tamanho relativamente elevado (cerca de 500 KB) foram os principais responsáveis por esta situação. As restantes operações, incluindo as de acesso à base de dados, atingiram níveis de performance bastante mais razoáveis. MIAC ECI 8

9 5. Melhorias Relativamente a melhorias à aplicação, as essenciais são: Disponibilização de um site para os utilizadores poderem definir os seus padrões de anúncio e a sua informação pessoal, e poderem visualizar os anúncios abertos com potencial interesse; Flexibilização do modo de definir padrões de anúncios; Permitir uma classificação quantitativa dos anúncios, ou uma classificação qualitativa com maior espectro (ex. Muito Interessante, Interessante, Eventualmente Interessante, Desinteressante) Corrigir o problema de interpretação de caracteres com acentuação do R; Permitir a definição de dias não úteis para além dos fins-de-semana; Verificar quando um anúncio é alterado de modo a corrigir a informação da base de dados. 6. Bibliografia jguru. JDBC 2.0 Fundamentals Short Course. Sun Microsystems jguru. Fundamentals of the JavaMail API Short Course. Sun Microsystems Luís Torgo. Programação, Análise de Dados e Sistemas de Apoio à Decisão usando o R. Faculdade de Economia, Universidade do Porto. Outubro de Luís Torgo. Data Mining with R: learning by case studies. Laboratório de Inteligência Artificial e Ciências dos Computadores, Universidade do Porto. Novembro de Luís Torgo, Pavel Brazdil, Alípio Jorge. Diapositivos da cadeira de Extracção de Conhecimento da Internet do Mestrado de Inteligência Artificial e Ciências de Computação. Laboratório de Inteligência Artificial e Ciências dos Computadores, Universidade do Porto MIAC ECI 9

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Alunos: Justino Santos, Paulo Neto E-mail: eic10428@student.estg.ipleiria.pt, eic10438@student.estg.ipleiria.pt Orientadores: Prof. Filipe Neves, Prof. Paulo Costa

Leia mais

Tarefa Orientada 15 Manipulação de dados

Tarefa Orientada 15 Manipulação de dados Tarefa Orientada 15 Manipulação de dados Objectivos: Criação de tabelas teste Comando INSERT INTO Inserção de dados Comando INSERT Actualização de dados Comando UPDATE Eliminação de dados Comando DELETE

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES I 2007/2008 LEIC - Tagus-Park TPC Nº 2. Avaliação sumária da matéria do Capítulo 2

REDES DE COMPUTADORES I 2007/2008 LEIC - Tagus-Park TPC Nº 2. Avaliação sumária da matéria do Capítulo 2 REDES DE COMPUTADORES I 2007/2008 LEIC - Tagus-Park TPC Nº 2 Avaliação sumária da matéria do Capítulo 2 Pergunta: 1 A figura (ver Anexo) ilustra três diagramas de mensagens referentes a pedidos que clientes

Leia mais

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo Departamento de Engenharia Informática 2012/2013 Bases de Dados Lab 1: Introdução ao ambiente 1º semestre O ficheiro bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo

Leia mais

INTERNET. TCP/IP protocolo de comunicação sobre o qual se baseia a Internet. (conjunto de regras para a comunicação entre computadores)

INTERNET. TCP/IP protocolo de comunicação sobre o qual se baseia a Internet. (conjunto de regras para a comunicação entre computadores) TCP/IP protocolo de comunicação sobre o qual se baseia a Internet. (conjunto de regras para a comunicação entre computadores) A cada computador integrado na rede é atribuído um número IP que o identifica

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática 1 Este é o seu teste de avaliação de frequência. Leia as perguntas com atenção antes de responder. Escreva as suas respostas nesta folha de teste, marcando um círculo em volta da opção ou opções que considere

Leia mais

Especificação Técnica ACSS

Especificação Técnica ACSS Especificação Técnica ACSS ET.ACSS.011-2011 Serviço de Registo de Requisições de MCDT Interface para recepção de requisições electrónicas ICS DESCRITORES Sistema de recepção de requisições de meios complementares

Leia mais

Tecnologias da Internet (T) Avaliação de Frequência (v1) 60 minutos * 09.05.2012

Tecnologias da Internet (T) Avaliação de Frequência (v1) 60 minutos * 09.05.2012 1 Este é o seu teste de avaliação de frequência. Leia as perguntas com atenção antes de responder e tenha atenção que algumas perguntas podem ter alíneas de resposta em páginas diferentes. Escreva as suas

Leia mais

Tarefa Orientada 20 Cursores

Tarefa Orientada 20 Cursores Tarefa Orientada 20 Cursores Objectivos: Declarar cursores Utilizar cursores Utilizar funções do sistema para trabalhar com cursores Actualizar dados através de cursores Um cursor é um objecto da base

Leia mais

Sistemas Operativos - 2005/2006. Trabalho Prático v1.0

Sistemas Operativos - 2005/2006. Trabalho Prático v1.0 Instituto Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia de Viseu Engenharia de Sistemas e Informática Sistemas Operativos - 2005/2006 Trabalho Prático v1.0 Introdução O presente trabalho prático visa

Leia mais

Instruções para aceder ao correio electrónico via web

Instruções para aceder ao correio electrónico via web Caro utilizador(a) Tendo por objectivo a melhoria constante das soluções disponibilizadas a toda a comunidade do Instituto Politécnico de Santarém, tanto ao nível de serviços de rede como sistema de informação.

Leia mais

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo Departamento de Engenharia Informática 2014/2015 Bases de Dados Lab 1: Introdução ao ambiente 1º semestre O ficheiro bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo

Leia mais

Planificação Anual da disciplina de TIC 9ºANO

Planificação Anual da disciplina de TIC 9ºANO Planificação Anual da disciplina de TIC 9ºANO Conteúdos/Temas Competências Avaliação 1.1. Conceitos Introdutórios - Conhecer os conceitos básicos: Informação Informática Tecnologias da Informação e - Conhecer

Leia mais

DSS 08/09. Camada de Dados - JDBC. Aula 1. António Nestor Ribeiro /António Ramires Fernandes/ José Creissac Campos {anr,arf,jfc}@di.uminho.

DSS 08/09. Camada de Dados - JDBC. Aula 1. António Nestor Ribeiro /António Ramires Fernandes/ José Creissac Campos {anr,arf,jfc}@di.uminho. Universidade do Minho Departamento de Informática Camada de Dados - JDBC Aula 1 António Nestor Ribeiro /António Ramires Fernandes/ José Creissac Campos {anr,arf,jfc}@di.uminho.pt 2 Camada de Dados A camada

Leia mais

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente Departamento de Engenharia Informática 2010/2011 Bases de Dados Lab 1: Introdução ao ambiente 1º semestre O ficheiro bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo

Leia mais

EIC. Projecto I. Manual do Utilizador. Vídeo Vigilância Abordagem Open Source. Curso: Engenharia de Informática e Comunicações Ano Lectivo: 2005/2006

EIC. Projecto I. Manual do Utilizador. Vídeo Vigilância Abordagem Open Source. Curso: Engenharia de Informática e Comunicações Ano Lectivo: 2005/2006 EIC Engenharia de Informática e Comunicações Morro do Lena, Alto Vieiro Apart. 4163 2401 951 Leiria Tel.: +351 244 820 300 Fax.: +351 244 820 310 E-mail: estg@estg.iplei.pt http://www.estg.iplei.pt Engenharia

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L DEPARTAMENTO: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS ÁREA DISCIPLINAR: 550 - INFORMÁTICA DISCIPLINA: PSI CURSO: Profissional DE: Téc. de Gestão e Programação de Sist. Informáticos

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final Instituto Politécnico de Setúbal Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Departamento de Sistemas e Informática Projecto Final Computação na Internet Ano Lectivo 2002/2003 Portal de Jogos Executado por:

Leia mais

Guião para as ferramentas etwinning

Guião para as ferramentas etwinning Guião para as ferramentas etwinning Registo em etwinning Primeiro passo: Dados de quem regista Segundo passo: Preferências de geminação Terceiro passo: Dados da escola Quarto passo: Perfil da escola Ferramenta

Leia mais

Direcção Regional de Educação do Algarve

Direcção Regional de Educação do Algarve MÓDULO 1 Folha de Cálculo 1. Introdução à folha de cálculo 1.1. Personalização da folha de cálculo 1.2. Estrutura geral de uma folha de cálculo 1.3. O ambiente de da folha de cálculo 2. Criação de uma

Leia mais

Síntese da aula anterior

Síntese da aula anterior Síntese da aula anterior Na última aula, aprendemos a utilizar em html: Tabelas Hiperligações 1 O que vamos fazer hoje? Vamos utilizar o que aprendemos da aula anterior juntamente com Utilização de imagens

Leia mais

www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00

www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00 www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00 Controle de Revisões Micropagamento F2b Web Services/Web 18/04/2006 Revisão Data Descrição 00 17/04/2006 Emissão inicial. www.f2b.com.br

Leia mais

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE Sistemas Distribuídos Ciência da Computação Prof. Jesus José de Oliveira Neto Web Services Web Services Existem diferentes tipos de comunicação em um sistema distribuído: Sockets Invocação

Leia mais

18-10-2009. Microsoft Office 2007 Processador de texto. UFCD 3772 Informática na óptica do utilizador fundamentos. Formadora: Sónia Rodrigues

18-10-2009. Microsoft Office 2007 Processador de texto. UFCD 3772 Informática na óptica do utilizador fundamentos. Formadora: Sónia Rodrigues Objectivos da UFCD: Utilizar um processador de texto. Pesquisar informação na. Utilizar uma aplicação de correio electrónico. UFCD 3772 Informática na óptica do utilizador fundamentos Duração: 25 Horas

Leia mais

Ficha prática nº 7. SGBD Microsoft Access e SQL Server

Ficha prática nº 7. SGBD Microsoft Access e SQL Server Instituto Superior Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia Departamento de Informática Ficha prática nº 7 SGBD Microsoft Access e SQL Server Objectivo: Criação de uma aplicação em arquitectura

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS Compreender e utilizar a linguagem SQL, na construção e manutenção de uma base de dados.

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS Compreender e utilizar a linguagem SQL, na construção e manutenção de uma base de dados. PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 12.ºH CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO MULTIMÉDIA ANO LECTIVO 2013/2014 6. LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO IV Pré-requisitos: - Planificar e estruturar bases

Leia mais

Consultas (Queries) ou Interrogações

Consultas (Queries) ou Interrogações Consultas (Queries) ou Interrogações Principal finalidade das interrogações: Extracção, manipulação (inserção, alteração e remoção) e definição de dados. As interrogações mais comuns destinam-se a pesquisar

Leia mais

Manual Internet. Professora: Elisa Carvalho elisa_castro@sapo.pt http://elisacarvalho.no.sapo.pt

Manual Internet. Professora: Elisa Carvalho elisa_castro@sapo.pt http://elisacarvalho.no.sapo.pt Manual Internet Professora: Elisa Carvalho elisa_castro@sapo.pt http://elisacarvalho.no.sapo.pt Fevereiro de 2006 Índice Internet... 2 Correio electrónico... 2 Os endereços... 2 Lista de correio... 2 Grupos

Leia mais

Bases de Dados. O ficheiro create-bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo ilustrada na figura 1.

Bases de Dados. O ficheiro create-bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo ilustrada na figura 1. Departamento de Engenharia Informática 2008/2009 Bases de Dados Lab 1: Introdução ao ambiente 1º semestre O ficheiro create-bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo

Leia mais

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação DCTI Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI ANEXO 1 Instituição

Leia mais

Departamento de Informática

Departamento de Informática Departamento de Informática Licenciatura em Engenharia Informática Sistemas Distribuídos exame de recurso, 9 de Fevereiro de 2012 1º Semestre, 2011/2012 NOTAS: Leia com atenção cada questão antes de responder.

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2 PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2 Domínios de referência Competências Conteúdos Calendarização Conceitos Essenciais e

Leia mais

Índice 1 INTRODUÇÃO...2 2 PESQUISA DE ENTIDADES...8 3 CRIAÇÃO DE ENTIDADES...12 4 DEPENDÊNCIAS...17 5 BANCOS, SEGURADORAS E CONSERVATÓRIAS...

Índice 1 INTRODUÇÃO...2 2 PESQUISA DE ENTIDADES...8 3 CRIAÇÃO DE ENTIDADES...12 4 DEPENDÊNCIAS...17 5 BANCOS, SEGURADORAS E CONSERVATÓRIAS... Índice 1 INTRODUÇÃO...2 1.1 JANELA ÚNICA DE ENTIDADES...3 1.2 PERMISSÕES POR UTILIZADOR...4 1.3 RESTRIÇÕES À VISUALIZAÇÃO/MANIPULAÇÃO...6 2 PESQUISA DE ENTIDADES...8 2.1 CRITÉRIOS DE PESQUISA...8 2.2 LISTA

Leia mais

Bases de Dados. O que é uma Base de Dados? Pós-Grduação em SIG

Bases de Dados. O que é uma Base de Dados? Pós-Grduação em SIG Bases de Dados O que é uma Base de Dados? Dados Pode-se começar por tentar dar uma definição do que são Dados. Os dados são factos em bruto, que não são necessáriamente relevantes para qualquer coisa que

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL url_response série 4.1 Avisos legais Copyright 2013, CA. Todos os direitos reservados. Garantia

Leia mais

Ajax Asynchronous JavaScript and Xml

Ajax Asynchronous JavaScript and Xml Ajax Asynchronous JavaScript and Xml Ajax permite construir aplicações Web mais interactivas, responsivas, e fáceis de usar que aplicações Web tradicionais. Numa aplicação Web tradicional quando se prime

Leia mais

Iniciando o PHP e o MySQL

Iniciando o PHP e o MySQL Iniciando o PHP e o MySQL 3 Tome se como exemplo a base de dados de uma livraria, que contém informações sobre os livros disponíveis, autores e vendas, em que o elemento central desta base de dados serão

Leia mais

Um sistema SMS 1 simplificado

Um sistema SMS 1 simplificado 1 Introdução Um sistema SMS 1 simplificado Projecto de Redes de Computadores I - 2007/2008 LEIC IST, Tagus Park 10 de Setembro de 2007 Pretende-se com este projecto que os alunos implementem um sistema

Leia mais

Conselho Geral da Ordem Dos Advogados Departamento Informático

Conselho Geral da Ordem Dos Advogados Departamento Informático NOTA INTRODUTÓRIA: Este documento destina-se a guiá-lo(a) através dos vários procedimentos necessários para configurar a sua caixa de correio da Ordem dos Advogados, no programa Microsoft Outlook 2013,

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VII Acesso a Bases de Dados via Web Duração: 50 tempos Conteúdos (1) Conceitos

Leia mais

Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos.

Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos. 1. Introdução aos Sistemas de Bases de Dados Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos. O conceito de base de dados faz hoje parte do nosso

Leia mais

Java na Web. Aplicações Web

Java na Web. Aplicações Web Montando o ambiente com HSQLDB JSP com um conteúdo de banco de dados: JDBC Integre JSPs com servlets aplicando o Modelo-Visualização- Controle Montando o ambiente com HSQLDB Faça a transferênci da página

Leia mais

Gescom isales. Aplicação Mobile Profissional para Vendedores

Gescom isales. Aplicação Mobile Profissional para Vendedores Aplicação Mobile Profissional para Vendedores Indíce Introdução... 3 Aplicação... 4 Produtos... 4 Categorias... 4 Produtos... 5 Carrinho de Vendas... 6 Encomendas... 7 Clientes... 10 Sincronização... 11

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA DSI

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA DSI UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA DSI Gestor de Listas de Distribuição de Emails versão: 0.9.1 Nelson Rodrigues DSI 20-07-2010 ÍNDICE: Introdução... 3 Definição de Mailing List... 3 Grupos de endereços

Leia mais

Grande conjunto de informação que existe em todo o Mundo alojada em centenas de milhares de computadores chamados servidores Web.

Grande conjunto de informação que existe em todo o Mundo alojada em centenas de milhares de computadores chamados servidores Web. 1. Complete a tabela. Designação Descrição Rede mundial de computadores ligados entre si através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação privadas, satélites e outros serviços de telecomunicação.

Leia mais

Guia de Estudo Folha de Cálculo Microsoft Excel

Guia de Estudo Folha de Cálculo Microsoft Excel Tecnologias da Informação e Comunicação Guia de Estudo Folha de Cálculo Microsoft Excel Estrutura geral de uma folha de cálculo: colunas, linhas, células, endereços Uma folha de cálculo electrónica ( electronic

Leia mais

DSS 09/10. DSS 09/10 Que métodos é que fazem parte de cada camada? Aplicações Multi-camada JDBC. Aula 3 DSS 09/10

DSS 09/10. DSS 09/10 Que métodos é que fazem parte de cada camada? Aplicações Multi-camada JDBC. Aula 3 DSS 09/10 Universidade do Minho Departamento de Informática Aplicações Multi-camada JDBC Aula 3 António Nestor Ribeiro /António Ramires Fernandes/ José Creissac Campos {anr,arf,jose.campos@di.uminho.pt 2 Programação

Leia mais

ENSINO BÁSICO CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO Praticas Administrativas

ENSINO BÁSICO CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO Praticas Administrativas Agrupamento de Escolas Nº 1 de Abrantes ENSINO BÁSICO CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO Praticas Administrativas ESCOLA: Dr. Solano de Abreu DISCIPLINA:TIC ANO: 1 ANO 2013/2014 CONTEÚDOS Conceitos básicos Informática

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Microsoft Word Folha

Leia mais

Interface Web services

Interface Web services Declarações Electrónicas Interface Web services DGCI, 2008/06/18 Objectivo Promover a integração de aplicações remotas com os Web services fornecidos pela DGITA para a submissão de declarações fiscais

Leia mais

Internet e protocolos web. A Internet é uma rede descentralizada de recursos computacionais. Topologia tem de fornecer caminhos alternativos

Internet e protocolos web. A Internet é uma rede descentralizada de recursos computacionais. Topologia tem de fornecer caminhos alternativos Internet e protocolos web A Internet é uma rede descentralizada de recursos computacionais Tolerante a falhas (no single point of failure) Topologia tem de fornecer caminhos alternativos entre 2 computadores

Leia mais

Aula 1 Acesso a Banco de Dados

Aula 1 Acesso a Banco de Dados Laboratório de Banco de Dados Aula 1 Acesso a Banco de Dados Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br Introdução O JDBC (Java Database Connectivity) foi criado com o intuito de fornecer aos programadores

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação: Internet

Tecnologias da Informação e Comunicação: Internet Tecnologias da Informação e Comunicação UNIDADE 3 Tecnologias da Informação e Comunicação: Internet Aula nº 2º Período Escola EB 2,3 de Taíde Ano lectivo 2009/2010 SUMÁRIO Introdução à Internet: história

Leia mais

3 A plataforma Moodle do Centro de Competência Softciências

3 A plataforma Moodle do Centro de Competência Softciências 3 A plataforma Moodle do Centro de Competência Softciências Dar a cana para ensinar a pescar (adágio popular) 3.1 O Centro de Competência O Centro de Competência Softciências, instituição activa desde

Leia mais

Programação para Internet I. 2. O protocolo HTTP. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt

Programação para Internet I. 2. O protocolo HTTP. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Programação para Internet I 2. O protocolo HTTP Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Protocolos Conjunto de regras que define o modo como aplicações informáticas comunicam entre si. Permite

Leia mais

Nova plataforma de correio electrónico Microsoft Live@edu

Nova plataforma de correio electrónico Microsoft Live@edu 1 Nova plataforma de correio electrónico Microsoft Live@edu Tendo por objectivo a melhoria constante dos serviços disponibilizados a toda a comunidade académica ao nível das tecnologias de informação,

Leia mais

MAIL DINÂMICO O QUE É? . É UM MÓDULO DO SIGARRA QUE PRETENDE FACILITAR A COMUNICAÇÃO

MAIL DINÂMICO O QUE É? . É UM MÓDULO DO SIGARRA QUE PRETENDE FACILITAR A COMUNICAÇÃO MAIL DINÂMICO O QUE É?. É UM MÓDULO DO SIGARRA QUE PRETENDE FACILITAR A COMUNICAÇÃO. PERMITE O ENVIO DE MENSAGENS DE CORREIO ELECTRÓNICO PARA UM OU PARA VÁRIOS DESTINATÁRIOS EM SIMULTÂNEO. FUNCIONA DE

Leia mais

1.1 Candidaturas on-line

1.1 Candidaturas on-line 1.1 Candidaturas on-line Para efectuar o processo de candidatura o candidato deverá aceder ao portal do ICS e clicar na informação com a

Leia mais

M a n u a l d o C a n d i d a t o

M a n u a l d o C a n d i d a t o Para efetuar o processo de candidatura deve aceder ao link: http://ff.academicos.ul.pt/cssnetff Tenha sempre em atenção que durante o seu processo de candidatura todos os campos assinalados com * são de

Leia mais

Bases de Dados 2007/2008. Aula 9

Bases de Dados 2007/2008. Aula 9 Bases de Dados 2007/2008 Aula 9 1. T-SQL TRY CATCH 2. TRATAMENTO ERROS RAISERROR 3. TRIGGERS 4. EXERCÍCIOS Sumário Referências http://msdn2.microsoft.com/en-us/library/ms189826.aspx (linguagem t-sql) http://www.di.ubi.pt/~pprata/bd/bd0405-proc.sql

Leia mais

Criação de Páginas Web - MS Word 2000

Criação de Páginas Web - MS Word 2000 Gestão Comercial e da Produção Informática I 2003/04 Ficha de Trabalho N.º 9 Criação de Páginas Web - MS Word 2000 1. Criação de uma página Web (HTML): Escreva o seu texto e introduza as imagens pretendidas

Leia mais

Os dados no MySQL são armazenado em tabelas. Uma tabela é uma colecção de informação relacionada e consiste em colunas e linhas.

Os dados no MySQL são armazenado em tabelas. Uma tabela é uma colecção de informação relacionada e consiste em colunas e linhas. MySQL 101 Recapitulando Os dados no MySQL são armazenado em tabelas. Uma tabela é uma colecção de informação relacionada e consiste em colunas e linhas. As bases de dados são úteis quando necessitamos

Leia mais

Apresentação do MOODLE. Educação do século XXI

Apresentação do MOODLE. Educação do século XXI Apresentação do MOODLE Educação do século XXI Software social e e-learning Talvez seja o momento de fazer algo nas suas disciplinas! O que pretende do seu sistema de aprendizagem on-line? Fácil criação

Leia mais

Conceitos Sistema da informação e comunicação N.º de Aulas

Conceitos Sistema da informação e comunicação N.º de Aulas PLANIFICAÇÃO AGRUPAMENTO ANUAL - DE TECNOLOGIAS ANO ESCOLAS LECTIVO DR. VIEIRA DE CARVALHO 9º ANO 2008/2009 DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Tecnologias 1º Período Conceitos Sistema da informação e comunicação

Leia mais

Programação SQL. Introdução

Programação SQL. Introdução Introdução Principais estruturas duma Base de Dados: Uma BD relacional é constituída por diversas estruturas (ou objectos ) de informação. Podemos destacar: Database: designa a própria BD; Table/Tabela:

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISICPLINAR - Informática ANO: 8º TICT2 ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/9

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISICPLINAR - Informática ANO: 8º TICT2 ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/9 ANO: 8º TICT2 ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/9 Módulo 1 Tecnologias da Informação e Comunicação 1.1 Conceitos Essenciais Conceitos Básicos o Informática o Tecnologias da Informação o Tecnologias da Informação

Leia mais

CSSnet INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA MANUAL DE CANDIDATURA Revisão 2

CSSnet INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA MANUAL DE CANDIDATURA Revisão 2 l CSSnet INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA MANUAL DE CANDIDATURA Revisão 2 Este documento é da exclusiva propriedade da Digitalis Informática, Lda, encontrando-se devidamente protegido pela lei

Leia mais

Protocolos de Internet (família TCP/IP e WWW) Primeiro Técnico. Prof. Cesar

Protocolos de Internet (família TCP/IP e WWW) Primeiro Técnico. Prof. Cesar Primeiro Técnico Protocolos de Internet (família TCP/IP e WWW) Prof. Cesar 1 TCP - Transmission Control Protocol Esse protocolo tem como principal objetivo realizar a comunicação entre aplicações de dois

Leia mais

Microsoft Access. Nível I. Pedro Fernandes

Microsoft Access. Nível I. Pedro Fernandes Microsoft Access Nível I Introdução Objectivos Introdução; Criar tabelas; Fazer consultas; Elaborar formulários; Executar relatórios. 2 Introdução aos Sistemas de Gestão de Bases de Dados (SGBD) Desde

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG HTML. Introdução. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2014/15) 1/15

Algoritmia e Programação APROG HTML. Introdução. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2014/15) 1/15 APROG Algoritmia e Programação HTML Introdução Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2014/15) 1/15 O que é o HTML? Sumário Geral Documento HTML Elemento HTML Estrutura Básica de Documento HTML Elementos Títulos

Leia mais

Outlook 2003. Nivel 1. Rui Camacho

Outlook 2003. Nivel 1. Rui Camacho Outlook 2003 Nivel 1 Objectivos gerais Enviar e Responder a mensagens de correio electrónico, e gestão de contactos, marcação de compromissos e trabalhar com notas. Objectivos específicos Começar a trabalhar

Leia mais

EDITORA FERREIRA MP/RJ_EXERCÍCIOS 01

EDITORA FERREIRA MP/RJ_EXERCÍCIOS 01 EDITORA FERREIRA MP/RJ NCE EXERCÍCIOS 01 GABARITO COMENTADO 01 Ao se arrastar um arquivo da pasta C:\DADOS para a pasta D:\TEXTOS utilizando se o botão esquerdo do mouse no Windows Explorer: (A) o arquivo

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software 2º Semestre de 2006/2007 Terceiro enunciado detalhado do projecto: Portal OurDocs ic-es+alameda@mega.ist.utl.pt ic-es+tagus@mega.ist.utl.pt 1. Introdução O terceiro enunciado do

Leia mais

Tarefa Orientada 16 Vistas

Tarefa Orientada 16 Vistas Tarefa Orientada 16 Vistas Objectivos: Vistas só de leitura Vistas de manipulação de dados Uma vista consiste numa instrução de SELECT que é armazenada como um objecto na base de dados. Deste modo, um

Leia mais

Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web

Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web João Alexandre Oliveira Ferreira Dissertação realizada sob a orientação do Professor Doutor Mário de Sousa do Departamento de Engenharia

Leia mais

Portal AEPQ Manual do utilizador

Portal AEPQ Manual do utilizador Pedro Gonçalves Luís Vieira Portal AEPQ Manual do utilizador Setembro 2008 Engenharia Informática - Portal AEPQ Manual do utilizador - ii - Conteúdo 1 Introdução... 1 1.1 Estrutura do manual... 3 1.2 Requisitos...

Leia mais

Guia de Rede. Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice

Guia de Rede. Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice Guia de Rede 1 2 3 4 Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice Leia este manual cuidadosamente antes de utilizar o equipamento e mantenha-o

Leia mais

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Manual do Utilizador

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Manual do Utilizador BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 Manual do Utilizador Publicado: 2014-01-09 SWD-20140109134740230 Conteúdos 1 Como começar... 7 Acerca dos planos de serviço de mensagens para o BlackBerry Internet

Leia mais

API e Integraç ão. Inoxnet WebServices. Versã o 1.10. (c) EBASE Lda. www.inoxnet.com

API e Integraç ão. Inoxnet WebServices. Versã o 1.10. (c) EBASE Lda. www.inoxnet.com API e Integraç ão Inoxnet WebServices Versã o 1.10 (c) EBASE Lda www.inoxnet.com Índice INFORMAÇ ÃO SOBRE ESTE DOCUMENTO...3 Descrição geral... 3 Requisitos... 3 Termos... 4 Convenções... 4 INTRODUÇ ÃO...4

Leia mais

MÓDULO 1 - Folha de Cálculo

MÓDULO 1 - Folha de Cálculo ANUAL ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Curso Profissional de Técnico de Restauração Cozinha - Pastelaria Disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação

Leia mais

Tarefa Orientada 1 Base de Dados Editora

Tarefa Orientada 1 Base de Dados Editora Tarefa Orientada 1 Base de Dados Editora Objectivos: Criar as tabelas da base de dados Editora Criar o diagrama da base de dados Editora Inserir registos com os dados de teste Criar as tabelas da base

Leia mais

Índice. Introdução 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais 35

Índice. Introdução 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais 35 Introdução 31 1. Bases de Dados Relacionais 31 2. Modelação de Bases de Dados 31 3. Modelo de Classes UML 32 4. Linguagem SQL 32 5. Sobre o Microsoft" Access" 32 Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema

Leia mais

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual de Utilização Direcção dos Serviços de Economia do Governo da RAEM Novembro de 2014 SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre. Introdução à Representação e Processamento de Ontologias: Framework O3f

Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre. Introdução à Representação e Processamento de Ontologias: Framework O3f Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre Introdução à Representação e Processamento de Ontologias: Framework O3f Luís Miguel Botelho Departamento de Ciências e Tecnologias

Leia mais

Grupo de trabalho sobre a protecção das pessoas singulares no que diz respeito ao tratamento de dados pessoais. Recomendação 1/99

Grupo de trabalho sobre a protecção das pessoas singulares no que diz respeito ao tratamento de dados pessoais. Recomendação 1/99 5093/98/PT/final WP 17 Grupo de trabalho sobre a protecção das pessoas singulares no que diz respeito ao tratamento de dados pessoais Recomendação 1/99 sobre o tratamento invisível e automatizado de dados

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados Aula 1 Acesso a Banco de Dados. Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br

Laboratório de Banco de Dados Aula 1 Acesso a Banco de Dados. Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br Laboratório de Banco de Dados Aula 1 Acesso a Banco de Dados Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br Introdução O JDBC (Java Database Connectivity) foi criado com o intuito de fornecer aos programadores

Leia mais

Arquiteturas de Aplicações Distribuídas

Arquiteturas de Aplicações Distribuídas Arquiteturas de Aplicações Distribuídas Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando Tópicos Introdução. HTTP / CGI. API sockets. JDBC. Remote Method Invocation.

Leia mais

Comunicação de Dados de Autenticação e Credenciais de Acesso para Resposta ao Inquérito

Comunicação de Dados de Autenticação e Credenciais de Acesso para Resposta ao Inquérito Mais informação Acesso ao Sistema de Transferência Electrónica de dados de Inquéritos (STEDI). Onde se acede ao sistema de entrega de Inquéritos? Deverá aceder ao sistema através do site do GEP www.gep.mtss.gov.pt

Leia mais

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA XML e Banco de Dados DCC/IM/UFBA Banco de Dados na Web Armazenamento de dados na Web HTML muito utilizada para formatar e estruturar documentos na Web Não é adequada para especificar dados estruturados

Leia mais

Prova de pré-requisito

Prova de pré-requisito Prova de pré-requisito Curso Python e Django 1. Ao se acessar o site www.google.com qual comando e parâmetros são enviados para o servidor pelo navegador? a. GET / b. GET www.google.com c. PAGE index.html

Leia mais

Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados

Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados Objectivos: Criar uma base de dados vazia. O Sistema de Gestão de Bases de Dados MS Access Criar uma base dados vazia O Access é um Sistema de Gestão de Bases

Leia mais

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de resposta de JDBC. jdbc_response série 1.1

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de resposta de JDBC. jdbc_response série 1.1 CA Nimsoft Monitor Guia do Probe Monitoramento de resposta de JDBC jdbc_response série 1.1 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se somente para fins

Leia mais

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas & 1 Índice 2 Introdução...3 3 A Plataforma de Curricula DeGóis...3 3.1 É utilizada porque...3 3.2 Com a utilização do DeGóis ganho...4 3.1

Leia mais

A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E O L I V E I R I N H A ( 1 6 0 1 2 0 ) E S C O L A B Á S I C A D E O L I V E I R I N H A ( 1 0 5 4 0 3 )

A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E O L I V E I R I N H A ( 1 6 0 1 2 0 ) E S C O L A B Á S I C A D E O L I V E I R I N H A ( 1 0 5 4 0 3 ) DISCIPLINA: TIC ANO: 9º TURMAS: A, B e C ANO LECTIVO: 2011/2012 P L A N I F I C A Ç Â O A N U A L - T I C UNIDADE DIDÁTICA 1: Tecnologias da Informação e Comunicação AULAS PREVISTAS: 9 x 90 Minutos Rentabilizar

Leia mais

PROJECTO ASP - Site MDB.com - Loja Online

PROJECTO ASP - Site MDB.com - Loja Online Microsoft Windows 7 Configuração do IIS e Ligação ODBC Microsoft Access 2007 Criação da Base de Dados, Tabelas e Relações Adobe Photpshop CS4 Manipulação das Imagens utilizadas no site Adobe Illustrator

Leia mais

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação O Business Analytics for Microsoft Business Solutions Navision ajuda-o a ter maior controlo do seu negócio, tomar rapidamente melhores decisões e equipar os seus funcionários para que estes possam contribuir

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

Conteúdos. Correio Electrónico Protocolos POP3 e SMTP Endereços de correio electrónico Trabalho Prático

Conteúdos. Correio Electrónico Protocolos POP3 e SMTP Endereços de correio electrónico Trabalho Prático Conteúdos Correio Electrónico Protocolos POP3 e SMTP Endereços de correio electrónico Trabalho Prático O desejo de comunicar é a essência das redes. As pessoas sempre desejaram corresponder entre si através

Leia mais