TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO"

Transcrição

1 TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ACCESS 2010 Conceitos Básicos Ficha Informativa Professor : Vanda Pereira módulo didáctico

2 Conceitos Básicos Necessidade das base de dados Permite guardar dados dos mais variados tipos; Permite um rápido e fácil acesso aos dados; Acelera os processos de manuseamento da informação, como, por exemplo, consultas ou alterações de dados; Economiza toneladas de papel.

3 Conceitos Básicos Organização de Uma base de Dados FICHEIRO: REGISTOS Dados Informação xxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxx xxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxx xxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxxxxxxx

4 Dados e Informação Dados Os Dados são os elementos isolados, significativos, rigorosos e relevantes. Podem ser vistos como a matéria-prima necessária para um determinado processamento. Informação Conceitos Básicos Dados = Informação Podemos entender Informação como um conjunto de dados, organizados e sujeitos a um tratamento, tornando assim possível a sua utilização num determinado contexto. Os dados não têm qualquer valor e só se transformam em informação quando relacionados.

5 Dados e Informação Conceitos Básicos EXEMPLO A frase: O João comprou 2 canetas é informação. Os dados que permitiram criar essa informação são: João, comprou, 2 e canetas.

6 Dados e Informação Conceitos Básicos Uma informação actual e correcta só é possível se os seus dados estiverem actualizados e forem precisos. De outra forma, a nossa informação não será útil. Mas, para que isto possa acontecer, existem algumas condições que os dados devem garantir: Actualidade; Correcção; Relevância; Disponibilidade; Legibilidade.

7 Conceitos Básicos Organização de Uma base de Dados Um objecto fundamental quando estamos perante um sistema informático é uma Tabela. Uma Tabela encontra-se estruturada em linhas e colunas. As linhas são designadas por Registos e as colunas contêm Campos. Cada um dos registos (linhas) contém apenas os dados de um elemento, organizados em campos. Cada coluna tem dados do mesmo tipo

8 Tabelas, Registos e Campos Conceitos Básicos Uma estrutura deste género facilita eventuais alterações aos dados da lista de contactos, já que, para cada pessoa, todos os dados estão inseridos na mesma linha. Todas as operações de manutenção dos dados de uma Tabela são realizadas individualmente para cada um dos Registos. Isto é, se for necessário alterar algum dado num determinado contacto (pessoa), acedemos directamente ao Registo em causa e efectuamos essa alteração no respectivo Campo.

9 Conceitos Básicos Sistemas de Gestão de Base de Dados (SGBD) Software que disponibiliza todos os serviços básicos, como a criação, o acesso e a manutenção da informação numa base de dados. As base de dados são um conjunto de dados estruturados e manipulados através de um SGBD. Capacidade de processar grandes quantidades de informação, tais como: Sistemas de armazenamento de operações bancárias; Base de dados empresariais com vários tipos de informação (ex.: vendas, funcionários, clientes, fornecedores, facturação); Sistemas de reservas de companhias de aviação; Sistemas de companhias de seguros.

10 Exemplos de SGBD Conceitos Básicos Dividem-se em dois grandes grupos: Grande porte Exemplos: ORACLE, Microsoft SQL Server, Ingres, Informix e DB2; Uso pessoal (doméstico) e ou de pequenas empresas. Exemplos: MySQL, Dbase, FoxPro e o Microsoft Access.

11 Conceitos Básicos Características de um SGBD Independência dos dados; Redundância controlada; Integridade dos dados; Abstracção dos dados; Acesso simultâneo aos dados; Facilidade de obtenção de informação actualizada; Diferentes vistas da base de dados.

12 Definição de base de dados Conceitos Básicos Sistema de armazenamento de dados relacionados entre si, de uma forma permanente, num sistema informático, com redundância controlada, acessíveis a um grupo de utilizadores e estruturado sob a forma de ficheiros de dados ou tabelas. Uma base de dados é uma colecção lógica e coerente de dados, com um significado inerente; Uma base de dados é planeada, construída e actualizada com dados que representam aspectos do mundo real, como se de um pequeno mundo se tratasse.

13 Conceitos Básicos Ciclo de vida de uma base de dados 1. Planeamento Levantamento das necessidades, organizar e planear. 2. Recolha de requisitos Elaboração de um documento com os objectivos que o projecto visa atingir. 3. Desenho conceptual Desenho de todos os modos de vista externos da aplicação e da base de dados. O aspecto dos formulários, relatórios, ecrãs de entrada de dados, etc. 4. Desenho lógico A partir do desenho conceptual cria-se o desenho lógico da aplicação e da base de dados.

14 Conceitos Básicos Ciclo de vida de uma base de dados 5. Desenho físico Durante a fase de desenho físico, o desenho lógico é mapeado ou convertido para os sistemas de software que serão usados na implementação da aplicação e da base de dados. 6. Construção As unidades de programação são promovidas para um sistema de ambiente de teste, onde toda a aplicação e base de dados é montada e testada. 7. Implementação Instalação e colocação em funcionamento da nova aplicação e base de dados. 8. Manutenção Resolver quaisquer situações de anomalias ou erros, normalmente designados bugs, quer ao nível da aplicação, quer ao nível da base de dados.

15 Modelos de Base de Dados Conceitos Básicos Modelo conceptual de dados Fundamental para o desenvolvimento de qualquer base de dados; É apenas um modelo lógico, o que traduz a abstracção da realidade; Fornece uma visão aproximada de como os utilizadores realmente visualizam os dados; Converte-se posteriormente num dos modelos de implementação de base de dados existentes. Modelos de implementação Permitem descrever a forma como os dados estão representados num SGBD; O Modelo Relacional, desenvolvido em 1970, é o mais popular e será estudado mais em pormenor.

16 Conceitos Básicos Modelos de Base de Dados RELACIONAL O modelo relacional é o modelo mais usado nos sistemas de bases de dados actuais. O Microsoft Access é um SGBD relacional: representa os dados como um conjunto de relações; cada relação é representada por duas tabela de registos únicos. EX: Base de dados de filmes: Uma tabela para guardar informação sobre os realizadores Uma tabela para guardar os filmes por eles realizados. Sempre que um novo filme é lançado, insere-se o novo registo na tabela de filmes e escolhe-se o Realizador no campo destinado a este. Esta acção implica que se aceda à tabela de realizadores para escolher um dos registos.

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CONCEITOS BÁSICOS 1 Necessidade das base de dados Permite guardar dados dos mais variados tipos; Permite

Leia mais

Ao conjunto total de tabelas, chamamos de Base de Dados.

Ao conjunto total de tabelas, chamamos de Base de Dados. O QUE É O ACCESS? É um sistema gestor de base de dados relacional. É um programa que permite a criação de Sistemas Gestores de Informação sofisticados sem conhecer linguagem de programação. SISTEMA DE

Leia mais

Definição do Conceito. Instalação e Gestão de Redes Informáticas. Gestão e organização da informação

Definição do Conceito. Instalação e Gestão de Redes Informáticas. Gestão e organização da informação Instalação e Gestão de Redes Informáticas Gestão e organização da informação Definição do Conceito Uma base de dados é, por definição, um conjunto organizado de dados, disponível a todos os utilizadores

Leia mais

Microsoft Access. Nível I. Pedro Fernandes

Microsoft Access. Nível I. Pedro Fernandes Microsoft Access Nível I Introdução Objectivos Introdução; Criar tabelas; Fazer consultas; Elaborar formulários; Executar relatórios. 2 Introdução aos Sistemas de Gestão de Bases de Dados (SGBD) Desde

Leia mais

Bases de Dados. O que é uma Base de Dados? Pós-Grduação em SIG

Bases de Dados. O que é uma Base de Dados? Pós-Grduação em SIG Bases de Dados O que é uma Base de Dados? Dados Pode-se começar por tentar dar uma definição do que são Dados. Os dados são factos em bruto, que não são necessáriamente relevantes para qualquer coisa que

Leia mais

Porque as suas regras de negócio são específicas, precisa de uma sua solução de gestão que permite gerir essa diferença.

Porque as suas regras de negócio são específicas, precisa de uma sua solução de gestão que permite gerir essa diferença. Porquê NEXT Vision Porque as suas regras de negócio são específicas, precisa de uma sua solução de gestão que permite gerir essa diferença.... Poder de adaptação Porque cabe a si decidir como pretende

Leia mais

Disciplina: Unidade I: Prof.: E-mail: Período:

Disciplina: Unidade I: Prof.: E-mail: Período: Encontro 02 Disciplina: Sistemas de Banco de Dados Unidade I: Introdução aos Sistemas de Banco de Dados Prof.: Mario Filho E-mail: pro@mariofilho.com.br Período: 5º. SIG - ADM 1. Introdução aos Sistemas

Leia mais

Direcção Regional de Educação do Algarve

Direcção Regional de Educação do Algarve MÓDULO 1 Folha de Cálculo 1. Introdução à folha de cálculo 1.1. Personalização da folha de cálculo 1.2. Estrutura geral de uma folha de cálculo 1.3. O ambiente de da folha de cálculo 2. Criação de uma

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2015 / 2016

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2015 / 2016 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2015 / 2016 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO Técnico de Eletrotecnia e Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos / 2015/2018 DISCIPLINA: Tecnologias da Informação e Comunicação

Leia mais

Aplicação Administrativa de Gestão

Aplicação Administrativa de Gestão Aplicação Administrativa de Gestão DIAGNIMAGEM, Sociedade Unipessoal, Lda Clínica de Exames e Diagnósticos de Imagiologia A Empresa é constituída por 4 departamentos: Gerência (1) Administrativo/ Contabilidade

Leia mais

Informática II Cap. 3

Informática II Cap. 3 Cap. 3 1 Tradicionalmente, programar significava apenas a escrita de um programa, que resolvesse o problema pretendido de uma forma aparentemente correcta. Problema Problema Programa Programa Desvantagens:

Leia mais

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO DOMINE A 110% ACCESS 2010 A VISTA BACKSTAGE Assim que é activado o Access, é visualizado o ecrã principal de acesso na nova vista Backstage. Após aceder ao Access 2010, no canto superior esquerdo do Friso,

Leia mais

Manual de Access 2007

Manual de Access 2007 Manual de Access 2007 Índice Introdução... 4 Melhor que um conjunto de listas... 5 Amizades com relações... 6 A Estrutura de uma Base de Dados... 8 Ambiente do Microsoft Access 2007... 9 Separadores do

Leia mais

Instituto Superior Politécnico de VISEU. Escola Superior de Tecnologia

Instituto Superior Politécnico de VISEU. Escola Superior de Tecnologia 1 Tradicionalmente, programar significava apenas a escrita de um programa, que resolvesse o problema pretendido de uma forma aparentemente correcta. Problema Problema Programa Programa Desvantagens: Programas

Leia mais

Banco de Dados I. Introdução. Fabricio Breve

Banco de Dados I. Introdução. Fabricio Breve Banco de Dados I Introdução Fabricio Breve Introdução SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados): coleção de dados interrelacionados e um conjunto de programas para acessar esses dados Coleção de dados

Leia mais

Base de dados em Microsoft Access. António Ferreira

Base de dados em Microsoft Access. António Ferreira Base de dados em Microsoft Access António Ferreira Programa Conceito de bases de dados Criar uma Base de Dados Criar uma tabela Tipos de dados Relações entre tabelas Exercício Guiado Bases de dados Conceitos

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L DEPARTAMENTO: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS ÁREA DISCIPLINAR: 550 - INFORMÁTICA DISCIPLINA: PSI CURSO: Profissional DE: Téc. de Gestão e Programação de Sist. Informáticos

Leia mais

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados Curso Profissional de Técnico de Multimédia 12ºAno Disciplina: Sistemas de Informação Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema

Leia mais

Perguntas e Respostas via WebCast Roadshow Mais PHC 2009 O novo SNC

Perguntas e Respostas via WebCast Roadshow Mais PHC 2009 O novo SNC Perguntas e Respostas via WebCast Roadshow Mais PHC 2009 O novo SNC PERGUNTAS VIA WEB CAST: Dado que vamos ter necessariamente durante o período de transição que efectuar lançamentos manuais na contabilidade,

Leia mais

MÓDULO 1 - Folha de Cálculo

MÓDULO 1 - Folha de Cálculo ANUAL ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Curso Profissional de Técnico de Restauração Cozinha - Pastelaria Disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação

Leia mais

SiDEI. Sistema de Avaliação Automática de Alunos. Gestão e Desenvolvimento de Aplicações Informáticas

SiDEI. Sistema de Avaliação Automática de Alunos. Gestão e Desenvolvimento de Aplicações Informáticas SiDEI Sistema de Avaliação Automática de Alunos Gestão e Desenvolvimento de Aplicações Informáticas Disciplina de Engenharia de Software Instituto Superior de Engenharia do Porto Alunos: André Serafim

Leia mais

WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida

WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida Flagsoft, Lda 2015 Índice 1. Introdução...3 2. Integrador - Interface com o utilizador...4 3. Registo de actividade - Folha de horas...5 4. Agenda e colaboração...7

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Novembro de 2004

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Novembro de 2004 FICHEIROS COM EXEMPLOS Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para conhecer os endereços de Internet de onde poderá fazer o download dos ficheiros com os exemplos deste livro. Reservados todos

Leia mais

Mobile Business. Your sales on the move.

Mobile Business. Your sales on the move. Pág/02 O PRIMAVERA é um produto destinado a empresas que utilizem processos de auto-venda e/ou pré-venda com Equipas de Vendas que necessitem de um conjunto de informação e funcionalidades avançadas, disponíveis

Leia mais

Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados

Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados Objectivos: Criar uma base de dados vazia. O Sistema de Gestão de Bases de Dados MS Access Criar uma base dados vazia O Access é um Sistema de Gestão de Bases

Leia mais

3. Engenharia de Requisitos

3. Engenharia de Requisitos Engenharia de Software 3. Engenharia de Requisitos Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Fases do desenvolvimento de software que mais erros originam (fonte: "Software Testing", Ron Patton)

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE GESTÃO DE BASE DE DADOS

PLANIFICAÇÃO DE GESTÃO DE BASE DE DADOS PLANIFICAÇÃO DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Ano Lectivo 2010/2011 José Júlio Frias R. 1. ENQUADRAMENTO ÁREA DE FORMAÇÃO ITINERÁRIO DE QUALIFICAÇÃO SAIDA(S)PROFISSIONAL(IS) 481. CIÊNCIAS INFORMÁTICAS 48101.

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC 10º C. Planificação de. Curso Profissional de Técnico de Secretariado

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC 10º C. Planificação de. Curso Profissional de Técnico de Secretariado Escola Básica e Secundária de Velas Planificação de TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC Curso Profissional de Técnico de Secretariado 10º C MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO Microsoft Excel Conteúdos

Leia mais

Transição de POC para SNC

Transição de POC para SNC Transição de POC para SNC A Grelha de Transição surge no âmbito da entrada em vigor, no ano de 2010, do Sistema de Normalização Contabilística (SNC). O SNC vem promover a melhoria na contabilidade nacional,

Leia mais

Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados.

Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados. Histórico Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados. Sistemas Integrados: racionalização de processos, manutenção dos

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA

CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS Formulário de preenchimento obrigatório,

Leia mais

GUIA PARA COMPRA ONLINE

GUIA PARA COMPRA ONLINE GUIA PARA COMPRA ONLINE www.tipsal.pt QUEM SOMOS A TIPSAL - Técnicas Industriais de Protecção e Segurança, Lda foi fundada em 1980. Somos uma empresa de capitais exclusivamente nacionais com sede social

Leia mais

Microsoft Access. No Access, existem vários tipos de objectos: Tabelas. Consultas. Formulários Relatórios Macros Módulos

Microsoft Access. No Access, existem vários tipos de objectos: Tabelas. Consultas. Formulários Relatórios Macros Módulos É um SGBD do tipo relacional para a utilização em windows. Ao abrirmos o Access, podemos efectuar várias operações: abrir uma base de dados existente, ou então criar uma nova base de dados. Se criarmos

Leia mais

Sistema dinâmico de impressão da tabela de detalhes das facturas

Sistema dinâmico de impressão da tabela de detalhes das facturas Sistema dinâmico de impressão da tabela de detalhes das facturas M1.MAN.M1.120215.AS01 Criado em: Thursday, February 16, 2012 Copyright 1989-2011 MedicineOne, life sciences computing SA MedicineOne copyright

Leia mais

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor Folha de Factos A informação contida neste documento representa a visão actual da Microsoft Corporation sobre os assuntos discutidos,

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS (GRUPO INFORMÁTICA) Ano Letivo de 2014/2015 MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS (GRUPO INFORMÁTICA) Ano Letivo de 2014/2015 MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO Ensino Regular Diurno Disciplina: T.I.C. Professores: Margarida Afonso Curso Profissional - Técnico de Auxiliar de Saúde Ano: 10.º Turma(s): TAS MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO OBJECTIVOS Indicar as principais

Leia mais

Secção II. Fundamentos técnicos da gestão de bases de dados (continuação)

Secção II. Fundamentos técnicos da gestão de bases de dados (continuação) 1 Secção II Fundamentos técnicos da gestão de bases de dados (continuação) 2 Estruturas de bases de dados ƒ Relacionais ƒ Os elementos de dados são armazenados em tabelas simples. ƒ Pode ligar-se elementos

Leia mais

GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO

GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO Curso: Instalação e Operação de Sistemas Informáticos Janeiro de 2012 Formador: Cosmin Constantinescu Conteúdos Tratamento da informação e processos associados Dados

Leia mais

Computadores e Sistemas de Informação. Bases de Dados Relacionais (linguagem SQL)

Computadores e Sistemas de Informação. Bases de Dados Relacionais (linguagem SQL) Computadores e Sistemas de Informação Bases de Dados Relacionais (linguagem SQL) 2004/2005 Utilidade das Bases de Dados Recolha e processamento de dados que possuem um volume significativo, que são interrelacionados,

Leia mais

Tarefa Orientada 6 Edição de Dados

Tarefa Orientada 6 Edição de Dados Tarefa Orientada 6 Edição de Dados Objectivos: Inserção de dados. Alteração de dados. Eliminação de dados. Definição de Listas de Pesquisa (Lookup Lists) O Sistema de Gestão de Bases de Dados MS Access

Leia mais

Administração de Banco de Dados

Administração de Banco de Dados Administração de Banco de Dados Professora conteudista: Cida Atum Sumário Administração de Banco de Dados Unidade I 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS...1 1.1 Histórico...1 1.2 Definições...2 1.3 Importância

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE EDUCAÇÃO MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM INFORMÁTICA EDUCACIONAL Internet e Educação Ensaio: A Web 2.0 como ferramenta pedagógica

Leia mais

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2009 CATÁLOGO DE FORMAÇÃO INDICE INDICE...2 ÂMBITO...4 1. GESVEN - GESTÃO DE PESSOAL E VENCIMENTOS CGV02 Gestão Base de Cadastro...5 CGV03 Report Writer (Base)...5 CGV04 Processamento

Leia mais

Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com

Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Introdução a Banco de Dados Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 12/06/2013 Sumário Motivação da Disciplina

Leia mais

Ministério Público. Guia de Consulta Rápida

Ministério Público. Guia de Consulta Rápida Ministério Público Ministério Público Guia de Consulta Rápida Versão 3 (Outubro de 2009) - 1 - ÍNDICE 1. ACEDER AO CITIUS MINISTÉRIO PÚBLICO... 4 2. BARRA DE TAREFAS:... 4 3. CONFIGURAR O PERFIL DO UTILIZADOR...

Leia mais

Escola Secundária de Camarate

Escola Secundária de Camarate Escola Secundária de Camarate Ano Lectivo 2014/2015 Planificação da Disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde e Técnico de Restauração e Bar

Leia mais

GIGrecibos. Sistema de Emissão de Recibos de Donativos. Para Igrejas. Produzido e distribuído por: VIBISinfor Rua Nova, 10 7490-250 MORA

GIGrecibos. Sistema de Emissão de Recibos de Donativos. Para Igrejas. Produzido e distribuído por: VIBISinfor Rua Nova, 10 7490-250 MORA wgig GIGrecibos Sistema de Emissão de Recibos de Donativos Para Igrejas Produzido e distribuído por: VIBISinfor Rua Nova, 10 7490-250 MORA tel: 266403273 www.vibis.com 1 Conteúdo wgig... 1 Avisos legais...

Leia mais

Objetivos Específico

Objetivos Específico Banco de Dados Ementa (DBA) Conceitos Gerais sobre Banco de Dados Instalação e configuração da Ferramenta de Banco de Dados. Elaboração de projeto de Banco de Dados. Implementação do projeto de Banco de

Leia mais

WEBSITE DEFIR PRO WWW.DEFIR.NET

WEBSITE DEFIR PRO WWW.DEFIR.NET MANUAL DO UTILIZADOR WEBSITE DEFIR PRO WWW.DEFIR.NET 1. 2. PÁGINA INICIAL... 3 CARACTERÍSTICAS... 3 2.1. 2.2. APRESENTAÇÃO E ESPECIFICAÇÕES... 3 TUTORIAIS... 4 3. DOWNLOADS... 5 3.1. 3.2. ENCOMENDAS (NOVOS

Leia mais

Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos.

Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos. 1. Introdução aos Sistemas de Bases de Dados Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos. O conceito de base de dados faz hoje parte do nosso

Leia mais

EXCEL. Listas como Bases de Dados

EXCEL. Listas como Bases de Dados Informática II Gestão Comercial e da Produção EXCEL Listas como Bases de Dados (TÓPICOS ABORDADOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA II) Curso de Gestão Comercial e da Produção Ano Lectivo 2002/2003 Por: Cristina

Leia mais

PHC InterOp CS. O aumento da produtividade da área financeira

PHC InterOp CS. O aumento da produtividade da área financeira PHC InterOp CS O aumento da produtividade da área financeira A solução para o aumento significativo da produtividade da área financeira, através da execução simplificada e rápida de tarefas e operações

Leia mais

Enunciado do Projecto

Enunciado do Projecto Bases de Dados 2006/2007 Enunciado do Projecto Parte 1 O projecto de implementação da disciplina de Bases de Dados para ano ano lectivo 2006/2007 divide-se em duas partes. Este documento contém o enunciado

Leia mais

Tarefa Orientada 16 Vistas

Tarefa Orientada 16 Vistas Tarefa Orientada 16 Vistas Objectivos: Vistas só de leitura Vistas de manipulação de dados Uma vista consiste numa instrução de SELECT que é armazenada como um objecto na base de dados. Deste modo, um

Leia mais

Trabalhos Práticos. Programação II Curso: Engª Electrotécnica - Electrónica e Computadores

Trabalhos Práticos. Programação II Curso: Engª Electrotécnica - Electrónica e Computadores Trabalhos Práticos Programação II Curso: Engª Electrotécnica - Electrónica e Computadores 1. Objectivos 2. Calendarização 3. Normas 3.1 Relatório 3.2 Avaliação 4. Propostas Na disciplina de Programação

Leia mais

PHC InterOp CS. ππ Automatizar procedimentos repetitivos ππ Executar rapidamente a mesma tarefa em diferentes empresas de seguida

PHC InterOp CS. ππ Automatizar procedimentos repetitivos ππ Executar rapidamente a mesma tarefa em diferentes empresas de seguida PHCInterOp CS DESCRITIVO PHC InterOp CS Aumento significativo da produtividade da área financeira através da execução simplificada e rápida de tarefas e operações em todas as empresas BENEFÍCIOS ππ Automatizar

Leia mais

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação O Business Analytics for Microsoft Business Solutions Navision ajuda-o a ter maior controlo do seu negócio, tomar rapidamente melhores decisões e equipar os seus funcionários para que estes possam contribuir

Leia mais

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação DCTI Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI ANEXO 1 Instituição

Leia mais

MICROSOFT ACCESS MICROSOFT ACCESS. Professor Rafael Vieira Professor Rafael Vieira

MICROSOFT ACCESS MICROSOFT ACCESS. Professor Rafael Vieira Professor Rafael Vieira MICROSOFT ACCESS MICROSOFT ACCESS Professor Rafael Vieira Professor Rafael Vieira - Access - Programa de base de dados relacional funciona em Windows Elementos de uma Base de Dados: Tabelas Consultas Formulários

Leia mais

Ficha prática nº 7. SGBD Microsoft Access e SQL Server

Ficha prática nº 7. SGBD Microsoft Access e SQL Server Instituto Superior Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia Departamento de Informática Ficha prática nº 7 SGBD Microsoft Access e SQL Server Objectivo: Criação de uma aplicação em arquitectura

Leia mais

APOIO AO BENEFICIÁRIO - FEDER - MAIS CENTRO GUIA DE PREENCHIMENTO DE REGISTO DE PEDIDOS DE ALTERAÇÃO A PROJECTO APROVADO

APOIO AO BENEFICIÁRIO - FEDER - MAIS CENTRO GUIA DE PREENCHIMENTO DE REGISTO DE PEDIDOS DE ALTERAÇÃO A PROJECTO APROVADO APOIO AO BENEFICIÁRIO - FEDER - MAIS CENTRO GUIA DE PREENCHIMENTO DE REGISTO DE PEDIDOS DE ALTERAÇÃO A PROJECTO APROVADO Introdução Esta informação foi concebida como apoio ao processo de submissão dos

Leia mais

TIC Unidade 2 Base de Dados. Informação é todo o conjunto de dados devidamente ordenados e organizados de forma a terem significado.

TIC Unidade 2 Base de Dados. Informação é todo o conjunto de dados devidamente ordenados e organizados de forma a terem significado. Conceitos relativos à Informação 1. Informação O que á a informação? Informação é todo o conjunto de dados devidamente ordenados e organizados de forma a terem significado. 2. Dados Em informática designa-se

Leia mais

Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações

Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações http://professor.fimes.edu.br/milena milenaresende@fimes.edu.br Sistema de Gerenciamento de Bases de Dados (DBMS) A implementação

Leia mais

Manual Gespos Recovery

Manual Gespos Recovery Manual Gespos Recovery Introdução...3 Edição de dados Edicão directa de dados...4 Eliminar todos os dados excluindo tabelas e configurações...6 Estrutura Verificar valores Null das tabelas...6 Recriar

Leia mais

Ministério das Finanças Instituto de Informática. Departamento de Sistemas de Informação

Ministério das Finanças Instituto de Informática. Departamento de Sistemas de Informação Ministério das Finanças Instituto de Informática Departamento de Sistemas de Informação Assiduidade para Calendários Específicos Junho 2010 Versão 6.0-2010 SUMÁRIO 1 OBJECTIVO 4 2 ECRÃ ELIMINADO 4 3 NOVOS

Leia mais

As Organizações e os Sistemas de Informação

As Organizações e os Sistemas de Informação As Organizações e os Sistemas de Informação Uma Introdução Luís Paulo Peixoto dos Santos Junho, 2002 Uma organização é uma estrutura complexa e formal cujo objectivo é gerar produtos ou serviços, com ou

Leia mais

Carregamento de dados para o preçário

Carregamento de dados para o preçário Carregamento de dados para o preçário O carregamento de dados para o preçário tem como objectivo a elaboração de uma tabela de preços ou preçário que servirá de guia para a facturação. Assim, a Boommed

Leia mais

PHC ControlDoc CS. ππ Empresas e organizações que desejem acabar com a circulação de papel BENEFÍCIOS SOLUCÃO DESTINATÁRIOS

PHC ControlDoc CS. ππ Empresas e organizações que desejem acabar com a circulação de papel BENEFÍCIOS SOLUCÃO DESTINATÁRIOS Com o PHC ControlDoc pode arquivar digitalmente todo o tipo de ficheiros (Imagens, Word, Excel, PDF, etc.) e relacioná-los com os dados existentes nas restantes aplicações. PHC ControlDoc CS Reduza os

Leia mais

TIC Tecnologias da Informação e Comunicação 10º Ano

TIC Tecnologias da Informação e Comunicação 10º Ano TIC Tecnologias da Informação e Comunicação 10º Ano Unidades Conteúdos Objectivos Gerais Nº Aulas (tempos) Módulo 1 Folha de Cálculo Microsoft Excel 2010 Introdução à folha de cálculo o Personalização

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas de Software

Desenvolvimento de Sistemas de Software Universidade do Minho Conselho de Cursos de Engenharia Licenciatura em Engenharia Informática Desenvolvimento de Sistemas de Software Ano Lectivo de 2009/10 João Fernandes, João Gonçalves, José Pereira,

Leia mais

PHC ControlDoc CS BENEFÍCIOS. _Fim do papel a circular na empresa. _Rapidez na pesquisa de documentos. _Segurança detalhada no acesso aos documentos

PHC ControlDoc CS BENEFÍCIOS. _Fim do papel a circular na empresa. _Rapidez na pesquisa de documentos. _Segurança detalhada no acesso aos documentos Com o PHC ControlDoc pode arquivar digitalmente todo o tipo de ficheiros (Imagens, Word, Excel, PDF, etc.) e relacioná-los com os dados existentes nas restantes aplicações. PHC ControlDoc CS Reduza os

Leia mais

Relatório de Análise de Requisitos

Relatório de Análise de Requisitos Relatório de Análise de Requisitos (15/03/02 Versão 1.0) Gestão de Beneficiários Eduardo Abreu ei98020@fe.up.pt Miguel David ei98019@fe.up.pt Nuno Ferreira ei98003@fe.up.pt Tiago Silva ei98015@fe.up.pt

Leia mais

CALL VN E APV- EXTRANET PEUGEOT MANUAL DO UTILIZADOR

CALL VN E APV- EXTRANET PEUGEOT MANUAL DO UTILIZADOR CALL VN E APV- EXTRANET PEUGEOT MANUAL DO UTILIZADOR Índice Noções Básicas 3 Workflow 4 Permissões 5 Acessos 5 Layout 5 Autenticação 6 Homepage 8 Contactos 8 Upload 11 Relatórios 15 Verbatins 18 Utilizadores

Leia mais

PHC Letras CS. Execute todos os movimentos com títulos de dívida a receber ou a pagar e controle totalmente a situação por Cliente ou fornecedor

PHC Letras CS. Execute todos os movimentos com títulos de dívida a receber ou a pagar e controle totalmente a situação por Cliente ou fornecedor PHCLetras CS DESCRITIVO Com o módulo PHC Letras, pode ter de uma forma integrada com o módulo PHC Gestão e com o módulo PHC Contabilidade o controlo completo e simples de todas as tarefas relacionadas

Leia mais

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA Introdução Nesta edição do Catálogo de Serviços apresentamos os vários tipos de serviços que compõe a actual oferta da Primavera na área dos serviços de consultoria.

Leia mais

Novo Order Manager para o Software NobelProcera

Novo Order Manager para o Software NobelProcera Novo Order Manager para o Software NobelProcera Guia Rápido Versão 1 O novo Order Manager facilita mais os processos e procedimentos envolvidos nas encomendas através do sistema NobelProcera. Isto inclui

Leia mais

Análise de Sistemas. Conceito de análise de sistemas

Análise de Sistemas. Conceito de análise de sistemas Análise de Sistemas Conceito de análise de sistemas Sistema: Conjunto de partes organizadas (estruturadas) que concorrem para atingir um (ou mais) objectivos. Sistema de informação (SI): sub-sistema de

Leia mais

FICHA TÉCNICA NO ENTRE DOURO E MINHO, PASSADO, PRESENTE E. Profissional Agrária

FICHA TÉCNICA NO ENTRE DOURO E MINHO, PASSADO, PRESENTE E. Profissional Agrária 3 FICHA TÉCNICA - FORMAFUTURO A FORMAÇÃO PROFISSIONAL AGRÁRIA NO ENTRE DOURO E MINHO, PASSADO, PRESENTE E Título FUTURO: - ACÇÃO N.º 1 BD-Base de Dados da FPA Formação Profissional Agrária Autoria Coordenação

Leia mais

Instituto Politécnico de Beja Escola Superior de Tecnologia e Gestão. GesStock. Engenharia Informática. Base de Dados II

Instituto Politécnico de Beja Escola Superior de Tecnologia e Gestão. GesStock. Engenharia Informática. Base de Dados II Instituto Politécnico de Beja Escola Superior de Tecnologia e Gestão GesStock Aplicação para Gestão de Stocks Engenharia Informática Base de Dados II Docente: Artur Lança Isabel Sofia Brito Nuno Gonçalo

Leia mais

Perguntas e Respostas Roadshow Mais PHC 2009 O novo SNC

Perguntas e Respostas Roadshow Mais PHC 2009 O novo SNC Perguntas e Respostas Roadshow Mais PHC 2009 O novo SNC Perguntas do RoadShow Mais PHC O novo SNC O que é necessário para produzir a demonstração de fluxos de caixa pelo método directo (único aceite a

Leia mais

PAINEL DE ADMINISTRADOR

PAINEL DE ADMINISTRADOR PAINEL DE ADMINISTRADOR IMPORTANTE: O Painel de administrador APENAS deverá ser utilizado pelo responsável do sistema. são: Nesta aplicação, poderá configurar todo o sistema de facturação. As opções do

Leia mais

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio!

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio! Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP Otimize a Gestão do Seu Negócio! Universo da Solução de Gestão SENDYS ERP Financeira Recursos Humanos Operações & Logística Comercial & CRM Analytics & Reporting

Leia mais

GereComSaber. Desenvolvimento de Sistemas de Software. Universidade do Minho Conselho de Cursos de Engenharia Licenciatura em Engenharia Informática

GereComSaber. Desenvolvimento de Sistemas de Software. Universidade do Minho Conselho de Cursos de Engenharia Licenciatura em Engenharia Informática Universidade do Minho Conselho de Cursos de Engenharia Licenciatura em Engenharia Informática Desenvolvimento de Sistemas de Software Ano Lectivo de 2009/10 GereComSaber Ana Duarte, André Guedes, Eduardo

Leia mais

Módulo de CRM. Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES]

Módulo de CRM. Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES] Módulo de CRM Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES] Um software com cada vez mais funcionalidades a pensar no seu negócio! A quem se destina As empresas que pretendem

Leia mais

IMPORT EXPRESS ONLINE MANUAL DO UTILIZADOR

IMPORT EXPRESS ONLINE MANUAL DO UTILIZADOR IMPORT EXPRESS ONLINE MANUAL DO UTILIZADOR importexpressonline.dhl.com PREPARE E FAÇA A GESTÃO DOS SEUS ENVIOS DE UMA FORMA RÁPIDA E PRECISA COM DETALHES DE CONTA SEGUROS E VISIBILIDADE DO ENVIO COM O

Leia mais

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação DCTI Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI ANEXO 1 Instituição

Leia mais

Regulamento de Utilização do Serviço de Documentação e Informação Arquitectónica e Artística da Fundação Instituto Marques da Silva (FIMS)

Regulamento de Utilização do Serviço de Documentação e Informação Arquitectónica e Artística da Fundação Instituto Marques da Silva (FIMS) Regulamento de Utilização do Serviço de Documentação e Informação Arquitectónica e Artística da Fundação Instituto Marques da Silva (FIMS) Este Regulamento aplica-se a todos os utilizadores do Serviço

Leia mais

Plataforma de Benefícios Públicos Acesso externo

Plataforma de Benefícios Públicos Acesso externo Índice 1. Acesso à Plataforma... 2 2. Consulta dos Programas de Beneficios Públicos em Curso... 3 3. Entrar na Plataforma... 4 4. Consultar/Entregar Documentos... 5 5. Consultar... 7 6. Entregar Comprovativos

Leia mais

PHC ControlDoc BENEFÍCIOS. _Fim do papel a circular na empresa. _Rapidez de encontrar um documento

PHC ControlDoc BENEFÍCIOS. _Fim do papel a circular na empresa. _Rapidez de encontrar um documento Com o ControlDoc pode arquivar digitalmente todo o tipo de ficheiros (Imagens, Word, Excel, PDF, etc.) e relacioná-los com os dados existentes nas restantes aplicações. PHC ControlDoc Reduza os custos

Leia mais

5 - Se o documento estiver completo, com os campos totalmente inseridos e com o aspecto que pretende, poderá guardá-lo.

5 - Se o documento estiver completo, com os campos totalmente inseridos e com o aspecto que pretende, poderá guardá-lo. Impressão em série de cartas de formulário e mailings em grande número Intercalação de correio Base de Dados em Excel Comece por planear o aspecto da sua página final - é uma carta, uma página de etiquetas

Leia mais

Base de dados I. Base de dados II

Base de dados I. Base de dados II Base de dados I O que é? Uma base de dados é um simples repositório de informação, relacionada com um determinado assunto ou finalidade, armazenada em computador em forma de ficheiros Para que serve? Serve

Leia mais

Em início de nova fase, forumb2b.com alarga a oferta

Em início de nova fase, forumb2b.com alarga a oferta Em início de nova fase, alarga a oferta Com o objectivo de ajudar as empresas a controlar e reduzir custos relacionados com transacções de bens e serviços, o adicionou à sua oferta um conjunto de aplicações

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA DE BIBLIOTECAS PORBASE 5

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA DE BIBLIOTECAS PORBASE 5 SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA DE BIBLIOTECAS PORBASE 5 O sistema PORBASE 5, versão 1.6, desenvolvido pela Mind em parceria com a Biblioteca Nacional, tem como objectivo satisfazer os requisitos de gestão

Leia mais

Bases de Dados! 2014/15! http://ssdi.di.fct.unl.pt/bd!! João Leite (jleite@fct.unl.pt)!!!

Bases de Dados! 2014/15! http://ssdi.di.fct.unl.pt/bd!! João Leite (jleite@fct.unl.pt)!!! Bases de Dados 2014/15 http://ssdi.di.fct.unl.pt/bd João Leite (jleite@fct.unl.pt) Capítulo 1: Introdução Função dos Sistemas de Bases de Dados Visão dos dados Modelos de dados Linguagem de Definição de

Leia mais

Manual Gespos Passagem de Dados Fecho de Ano

Manual Gespos Passagem de Dados Fecho de Ano Manual Gespos Passagem de Dados Fecho de Ano ÍNDICE PASSAGEM DE DADOS / FECHO DE ANO... 1 Objectivo da função... 1 Antes de efectuar a Passagem de dados / Fecho de Ano... 1 Cópia de segurança da base de

Leia mais

PERIVER PLATAFORMA SOFTWARE REQUIREMENT SPECIFICATION. Periver_SoftwareRequirementSpecification_2008-03-31_v1.0.doc. Versão 1.0

PERIVER PLATAFORMA SOFTWARE REQUIREMENT SPECIFICATION. Periver_SoftwareRequirementSpecification_2008-03-31_v1.0.doc. Versão 1.0 PLATAFORMA Versão 1.0 31 de Março de 2008 TABELA DE REVISÕES Versão Autores Descrição da Versão Aprovadores Data António Rocha Cristina Rodrigues André Ligeiro V0.1r Dinis Monteiro Versão inicial António

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE APROVISIONAMENTO E VENDA DE PEÇAS DE VEÍCULOS AUTOMÓVEIS

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE APROVISIONAMENTO E VENDA DE PEÇAS DE VEÍCULOS AUTOMÓVEIS TÉCNICO(A) DE APROVISIONAMENTO E VENDA DE PEÇAS DE VEÍCULOS AUTOMÓVEIS CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/7 ÁREA DE ACTIVIDADE - AUTOMÓVEL OBJECTIVO GLOBAL - Planear, organizar, acompanhar e efectuar

Leia mais