ARTIGO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE. RESUMO Objetivos: avaliar os resultados obtidos em pacientes portadores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ARTIGO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE. RESUMO Objetivos: avaliar os resultados obtidos em pacientes portadores"

Transcrição

1 210 RTIGO ORIGINL / ORIGINL RTICLE Descompressão e estabilização posterior na doença metastática da coluna toracolombar Decompression and posterior stabilization in metastatic disease of the spine lejandro Enzo Cassone 1 José Carlos -Gonçalves 1 Cristian Rogers Cordeiro 2 RESUMO Objetivos: avaliar os resultados obtidos em pacientes portadores de doença metastática da coluna toracolombar, submetidos à descompressão e estabilização posterior. Métodos: foram avaliados 34 pacientes portadores de doença metastática da coluna toracolombar, submetidos à descompressão e estabilização posterior com retângulo de Hartshill, no período de fevereiro de 1998 à maio de 2004, sendo 16 (47,1%) do sexo masculino e 18 (52,9%) do sexo feminino. idade média era de 51,5 anos (variando de 27 a 70). Resultados: quanto ao diagnóstico histológico, a maior freqüência do sítio primário foi carcinoma de mama com dez casos (29,4%). dor estava presente em todos os pacientes, déficit neurológico em 23 (67,6%) e instabilidade vertebral em 26 (76,4%). Foi utilizada análise estatística para avaliar a taxa de sobrevida e comparar os resultados no pré e pós-operatório. Do total de pacientes, 32 (94,1%) evoluíram com melhora da dor e 20 (86,9%) com melhora do quadro neurológico (p=0,001*). Conclusão: a descompressão e estabilização posterior na doença metastática da coluna toracolombar melhora a dor e o déficit neurológico quando realizado precocemente, permitindo uma razoável qualidade de vida dos pacientes. DESCRITORES: Metástase neoplásica; Coluna vertebral/ cirurgia; Coluna vertebral/patologia STRCT Objective: to evaluate the results of patients with metastatic thoracolumbar disease submitted to posterior decompression stabilization. Methods: thirty four patients with metastatic disease of the spine submitted to decompression and posterior stabilization with Hartshill device, between February 1998 and may 2004 were evaluated. There were 16 (41.7%) male and 18 (52.9%) female; the average age was 51,5 years (ranging 27 to 70). Statistical analysis was performed to evaluate survival rate and to compare pre and post-operative results. Results: the most frequent primary tumor was breast cancer in 10 cases (29.4%). Pain was present in all patients, neurologic deficit in 23 (67.6%) and vertebral instability in 26 (76.4%). Thirty-three patients (94.1%) were painless after surgery and 20 (86.9%) presented improvement in the neurologic deficit (p=0.001*). Conclusion: decompression and posterior stabilization in metastatic disease of the spine improve pain and neurologic deficit, and restore patient s quality of life. KEYWORDS: Neoplasm metastasis; Spine/surgery; Spine/pathology Trabalho realizado no Setor de Oncologia Ortopédica do Centro de Oncologia Infantil Domingos oldrini e Centro Médico de Campinas - Campinas (SP), rasil. 1 Doutor em Ortopedia e Traumatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo USP São Paulo (SP), rasil ; Médico do Grupo de Oncologia Ortopédica do Centro de Oncologia Infantil Domingos oldrini e Centro Médico de Campinas (SP), rasil. 2 Médico Residente em Ortopedia e Traumatologia do Centro Médico de Campinas (SP), rasil. Recebido: 12/04/ provado: 16/08/2006 COLUN/COLUMN. 2006;5(1):13-18

2 Descompressão e estabilização posterior na doença metastática da coluna toracolombar 211 INTRODUÇÃO coluna vertebral é o terceiro sítio mais freqüente de acometimento de doença metastática dos carcinomas, cuja maior incidência é pulmonar, hepática e óssea 1-2. O esqueleto axial é responsável por mais de 60% do acometimento ósseo nestes pacientes 2-3. Segundo a literatura, o segmento vertebral torácico é o mais acometido e 85% dos casos acometem o corpo vertebral 2-3. Em relação à fisiopatologia, acredita-se que a maior disseminação na coluna vertebral ocorre devido à medula óssea ativa e sua rica rede de capilares, além do plexo venoso descrito por atson em 1940 que permite a disseminação neoplásica vinda da região pélvica 1,3. Os sítios primários de maior freqüência em ordem decrescente são os carcinomas de mama, próstata, pulmão, rim e tireóide 2. abordagem cirúrgica está indicada nos casos de dor intratável, instabilidade vertebral e déficit neurológico. O objetivo principal é manter uma razoável qualidade de vida nos pacientes com expectativa de vida limitada. O objetivo do estudo é avaliar os resultados obtidos em pacientes portadores de doença metastática da coluna toracolombar, submetidos á descompressão e estabilização posterior. MÉTODOS casuística deste estudo retrospectivo é constituída de 34 pacientes, sendo 16 deles ou 47,1% do sexo masculino e 18 ou 52,9% do sexo feminino, com idade média de 51,5 anos variando de 27 à 70, portadores de doença metastática da coluna toracolombar submetidos à descompressão e estabilização posterior no período de fevereiro de 1998 a maio de Quanto ao diagnóstico histológico, a freqüência do sítio primário está ilustrada no Gráfico 1. Com relação ao tratamento sistêmico e local realizado previamente está descrito no Gráfico 2. Do total de pacientes, 19 (55,8%) apresentavam comprometimento predominante em coluna torácica e 15 ( 44,2%) na lombar; 18 pacientes (52,9%) apresentavam doença metastática em outros órgãos e sistemas, excluindo sistema músculoesquelético; todos os pacientes apresentavam doença metastática multifocal. Em relação à sintomatologia prévia ao procedimento, a dor estava presente em todos os casos e o déficit neurológico em 23 (67,6%); em média, a duração dos sinais e sintomas foi de quatro meses. Instabilidade vertebral foi determinada em 26 pacientes (76,4%). Os critérios de inclusão foram pacientes portadores de doença metastática em coluna toracolombar decorrentes de carcinomas, submetidos à descompressão e estabilização posterior com retângulo de Hartshill (Figuras 1-4). indicação para o procedimento cirúrgico baseou-se em dor intratável, déficit neurológico e instabilidade do segmento vertebral acometido. Todos os pacientes foram avaliados por meio do exame clínico, cintilografia óssea, radiografia simples e ressonância magnética da coluna vertebral. dor foi avaliada pela escala Numérica de Dor 4, o quadro neurológico pela escala de Frankel et al. (1969) 5, e a presença de instabilidade vertebral pelo método das três colunas de Denis (1984) 6. análise estatística foi realizada para avaliar a sobrevida global contruindo a curva de Kaplan-Meier, e o resultado do quadro neurológico comparando o pré e pós-operatório pelo Teste de Wilcoxon. Foi adotado índice de significância de 5% (0,05*). GRÁFICO 1 Diagnóstico histológico GRÁFICO 2 Tratamento prévio COLUN/COLUMN. 2006;5(1):13-18

3 212 Cassone E, -Gonçalves JC, Cordeiro CR Figura 1 (/) Radiografia simples da coluna toracolombar em P e P mostrando colapso vertebral em T12 Figura 2 Cintilografia óssea mostrando hipercaptação em região Figura 3 (/) Ressonância magnética mostrando colapso de T12, cifose e compressão medular Figura 4 (/) Radiografia simples da coluna toracolombar em P e P pós-operatória de descompressão e estabilização posterior com retângulo de Hartshill RESULTDOS O tempo de seguimento médio do estudo foi de 18,3 meses (variando de 1 à 70); a sobrevida global dos pacientes em 24, 36 e 60 meses foi de 36%, 28% e 16%, respectivamente (Gráfico 3). Com relação ao quadro neurológico segundo o método de avaliação adotado, a comparação no pré e pós-operatório esta descrito no Gráfico 4, cuja melhora do resultado obtido foi estatisticamente significativo (p=0,001*). Daqueles onze pacientes que não apresentavam déficit neurológico, dois evoluiram com piora do quadro no pós-operatório imediato; um deles melhorou após intervenção cirúrgica dez meses depois e o outro foi a óbito por progressão da doença após 16 meses. Com relação à complicação do procedimento cirúrgico, ocorreu apenas um caso infecção, com boa resolução após desbridamento amplo e antibioticoterapia endovenosa sem perda da estabilização da coluna vertebral. DISCUSSÃO doença metastática vertebral deve ser identificada o mais precocemente possível em pacientes com diagnóstico de câncer, uma vez que o comprometimento ósseo é o terceiro sítio de maior freqüência de doença metastática de carcinomas, principalmente o esqueleto axial 1-2,7. Nestes pacientes, a cintilografia óssea é mandatória no estadiamento ao diagnóstico e durante o seguimento. O corpo vertebral é a re- COLUN/COLUMN. 2006;5(1):13-18

4 Descompressão e estabilização posterior na doença metastática da coluna toracolombar 213 GRÁFICO 3 Curva de sobrevida global dos pacientes GRÁFICO 4 Comparação do quadro neurológico no pré e pós-operatório segundo a escala de Frankel et al. (1969) (p=0,001*) gião mais acometida da vértebra, resultado de suas particularidades anatômicas. Considerando toda a extensão da coluna vertebral, não existe consenso quanto ao segmento mais vulnerável 2-3 ; em nosso estudo, houve discreta prevalência pela coluna torácica em comparação à lombar (55,8% x 44,2%). O câncer de mama é o principal sítio de origem primária seguido da próstata, pulmão, rim e tireóide 1-3 ; conceito compatível com os achados da nossa série: um terço dos casos foram provenientes da mama (29,4%). Oportuno citar que apesar do mieloma múltiplo ser uma neoplasia óssea primária, seu comprometimento sistêmico requer uma abordagem similar aqueles metastáticos obedecendo aos mesmos critérios. idade dos pacientes do estudo (média de 51,5 anos, variando de 27 à 70) segue as décadas de maior freqüência epidemiológica dos tumores primários 8. doença metastática vertebral geralmente está associada à dor e déficit neurológico, prejudicando a qualidade de vida. lém disso, dependendo da extensão do tumor, pode ocorrer fratura patológica, levando ao colapso da vértebra e instabilidade, e piorando o quadro álgico e neurológico. Portanto, uma vez diagnosticada a metástase vertebral, a tomografia computadorizada e de preferência, a ressonância magnética, são obrigatórias e devem ser realizadas obrigatoriamente, pois têm como objetivo determinar com exatidão a real extensão do tumor, avaliar a presença de instabilidade e compressão neurológica. compressão neurológica é resultado da presença de fragmentos ósseos da fratura patológica e de massa neoplásica infiltrando o canal vertebral. Toda a extensão da coluna vertebral deve ser avaliada a procura de comprometimento multifocal, para evitar a necessidade de procedimentos futuros em outros níveis mesmo em pacientes com expectativa de vida limitada. abordagem nestes casos deve ser individual, levando-se em consideração alguns fatores importantes: extensão do comprometimento vertebral, presença de dor, déficit neurológico, instabilidade, origem do tumor primário, presença de doença metastática óssea e em outros órgãos, condições clínicas do paciente e expectativa de vida estimada. radioterapia é o tratamento de escolha nas lesões metastáticas da coluna vertebral, principalmente em lesões pequenas e com sintomatologia dolorosa 2,9. Porém, apesar de muito eficiente no controle da dor, tem eficácia limitada em pacientes com comprometimento neurológico decorrente de compressão e na presença de fratura patológica e instabilidade vertebral. Por outro lado, a cirurgia esta indicada em pacientes com dor incontrolável, lesão metastática única, na presença de lesões radioresistentes, fratura patológica e instabilidade, e déficit neurológico 10. Considerando-se que o acometimento geralmente é no corpo vertebral, sugere-se uma abordagem cirúrgica anterior 1,3,8. Porém, a abordagem anterior apresenta grande morbidade e uma ressecção em bloco através de espondilectomia só têm sentido em pacientes com neoplasia óssea maligna primária ou em doença metastática vertebral única em paciente com expectativa de vida longa 11-,12. Nesta série, todos os pacientes presentavam doença metastática multifocal óssea e visceral, contra-indicando uma abordagem anterior. Este conceito esta reforçado pelo sistema de pontuação descrito por Tokuhashi et al. (1990) 13 que consideram vários fatores. Para determinar uma abordagem curativa via anterior (pontuação maior que nove), espondilectomia com substituição e estabilização, ou paliativa via posterior (pontu- COLUN/COLUMN. 2006;5(1):13-18

5 214 ação menor que cinco), descompressão e estabilização. pontuação intermediária de cinco a nove requer uma conduta individualizada. pesar de a abordagem anterior permitir melhores resultados 2-3,12, a abordagem posterior é ideal em pacientes com indicação para procedimento paliativo e nos casos intermediários segundo o protocolo, como nos casos desta série. Isto se confirma visto a taxa de sobrevida global em 24 (36%), 36 (28%) e 60 (16%) meses dos pacientes deste estudo com seguimento médio de 18 meses, expectativa de vida limitada e candidatos para procedimento paliativo. Portanto, consideramos adequado o sistema de pontuação citado, o qual deve ser utilizado para indicar a abordagem destes pacientes 13. abordagem posterior por meio de laminectomia ampla, associada a costotransversectomia na coluna torácica permite uma descompressão adequada inclusive anterior por um acesso póstero-lateral. ssim se obtém uma descompressão circunferencial da medula ou saco dural. Isto se comprova quando observamos a melhora do déficit neurológico dos casos neste estudo: 86,9% obtiveram melhora na escala de Frankel, cujo resultado em comparação com o pré-operatório foi estatisticamente significativo (p=0,001*). estabilização através do retângulo de Hartshill com amarria sublaminar é adequada, devendo se estender dois níveis proximal e distal à compressão, e deve incluir outros níveis com lesões na cintilografia óssea e confirmada na ressonância magnética. ssim, evita-se o risco de fenômenos compressivos futuros em outros níveis, fato descrito na Cassone E, -Gonçalves JC, Cordeiro CR literatura 8. dor também melhorou consideravelmente no pósoperatório imediato (94,1% dos casos), devido à descompressão neurológica, à estabilização do segmento vertebral, e à radioterapia adjuvante no pós-operatório. Radioterapia pós-operatória foi realizada em todos os casos na dose média de 3000CGy após três semanas da cirurgia, exceto naqueles irradiados previamente. Em conclusão, consideramos a abordagem nestes pacientes adequada. descompressão e estabilização posterior com retângulo de Hartshill na doença metastática da coluna toracolombar permite melhora da dor e do déficit neurológico, restaurando a qualidade de vida destes pacientes. Deve-se determinar com exatidão o estadiamento atual do paciente na indicação do tratamento, em conjunto com a equipe da oncologia clínica e radioterapia. È conceito atual intervir em pacientes com expectativa de vida de pelo menos seis a 12 semanas, justificado pelos resultados obtidos mesmo em casos de doença avançada, com objetivo de proporcionar melhor qualidade de vida. CONCLUSÃO Os autores concluem que a descompressão e a estabilização posterior na doença metastática da coluna toracolombar melhora a dor e o déficit neurológico quando realizados precocemente. Esta abordagem permite uma razoável qualidade de vida nestes pacientes com expectativa de vida limitada. REFERÊNCIS 1. Schaberg J, Gainor J. profile of metastatic carcinoma of the spine. Spine. 1985; 10(1): ell GR. Surgical treatment of spinal tumors. Clin Orthop Relat Res. 1997; (335): Metastatic Tumors of the Spine: Diagnosis and Treatment. J m cad Orthop Surg. 1993; 1(2): Daut RL, Cleeland CS, Flanery RC. Development of the Wisconsin rief Pain Questionnaire to assess pain in cancer and other diseases. Pain. 1983; 17(2): Frankel HL, Hancock DO, Hyslop G, Melzak J, Michaelis LS, Ungar GH, et al. The value of postural reduction in the initial management of closed injuries of the spine with paraplegia and tetraplegia. I. Paraplegia. 1969; 7(3): Denis F. Spinal instability as defined by the threecolumn spine concept in acute spinal trauma. Clin Orthop Relat Res. 1984; (189): Defino H, Rodrigues Fuentes E, Vianna L. Tratamento cirúrgico dos tumores da coluna vertebral. Rev ras Ortop. 1996; 31(2): Lauffer R, Maçaneiro C, Miyamoto R. Estabilização cirúrgica posterior nas metástases da coluna toraco-lombar. Coluna. 2004; 3(1): Casadei R, Greggi T, Miglietta, Perozzi M, archetti M, Parisini P. Posterior surgery for the treatment of thoracolumbar pathologic fractures in metastatic patients. Chir Organi Mov. 1998; 83(1-2): DeWald RL, ridwell KH, Prodromas C, Rodts MF. Reconstructive spinal surgery as palliation for metastatic malignancies of the spine. Spine. 1985; 10(1): Harrington KD. nterior decompression and stabilization of the spine as a treatment for vertebral collapse and spinal cord compression from metastatic malignancy. Clin Orthop Relat Res. 1988; (233): Manabe S, Tateishi, be M, Ohno T. Surgical treatment of metastatic tumors of the spine. Spine. 1989; 14(1): Tokuhashi Y, Matsuzaki H, Toriyama S, Kawano H, Ohsaka S. Scoring system for the preoperative evaluation of metastatic spine tumor prognosis. Spine. 1990; 15(11): Correspondência lejandro Enzo Cassone Rua José Morano, CMPINS (SP) (55) / (55) COLUN/COLUMN. 2006;5(1):13-18

METÁSTASES ÓSSEAS. Felipe Trevisan Radioterapia HCFMRP USP. Fevereiro de 2012

METÁSTASES ÓSSEAS. Felipe Trevisan Radioterapia HCFMRP USP. Fevereiro de 2012 METÁSTASES ÓSSEAS Felipe Trevisan Radioterapia HCFMRP USP Fevereiro de 2012 Epidemiologia Grande parte das 500.000 mortes anuais estão relacionadas a metástases Metástases ósseas estão em terceiro lugar

Leia mais

TRATAMENTO CONSERVATIVO E CIRÚRGICO DE HÉRNIA DE DISCO (TIPO I) TORACOLOMBAR GRAU V EM CÃO RELATO DE CASO

TRATAMENTO CONSERVATIVO E CIRÚRGICO DE HÉRNIA DE DISCO (TIPO I) TORACOLOMBAR GRAU V EM CÃO RELATO DE CASO 1 TRATAMENTO CONSERVATIVO E CIRÚRGICO DE HÉRNIA DE DISCO (TIPO I) TORACOLOMBAR GRAU V EM CÃO RELATO DE CASO LYS DE BARROS FOGAGNOLI 1, MILTON MIKIO MORISHIN FILHO 2. 1- Graduanda Medicina Veterinária Universidade

Leia mais

Fratura do Sacro no Adulto Jovem

Fratura do Sacro no Adulto Jovem Fratura do Sacro no Adulto Jovem Autoria: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Colégio Brasileiro de Radiologia Elaboração Final: 23 de janeiro de 2008 Participantes: Façanha Filho FAM, Defino

Leia mais

Cirurgia Radical para Metástases em Coluna. Dr Marcos Maldaun

Cirurgia Radical para Metástases em Coluna. Dr Marcos Maldaun Cirurgia Radical para Metástases em Coluna Dr Marcos Maldaun metástases a coluna é local mais frequente de metástases ósseas 90% pacientes com câncer metastases espinhais em autópsias 30% pacientes com

Leia mais

Tuberculose óssea na coluna vertebral: aspectos clínicos e cirúrgicos Vertebral tuberculosis of the spine: clinical aspects and surgery

Tuberculose óssea na coluna vertebral: aspectos clínicos e cirúrgicos Vertebral tuberculosis of the spine: clinical aspects and surgery ARTIGO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE 75 Tuberculose óssea na coluna vertebral: aspectos clínicos e cirúrgicos Vertebral tuberculosis of the spine: clinical aspects and surgery Paulo Satiro de Souza 1 Eduardo

Leia mais

Estudo prospectivo comparativo entre o tratamento cirúrgico e radioterápico com a imobilização externa e radioterapia

Estudo prospectivo comparativo entre o tratamento cirúrgico e radioterápico com a imobilização externa e radioterapia Arq Neuropsiquiatr 2007;65(3-B):889-895 Metástases do Segmento Torácico e Lombar da Coluna Vertebral Estudo prospectivo comparativo entre o tratamento cirúrgico e radioterápico com a imobilização externa

Leia mais

ESTUDO RETROSPECTIVO DE CIRURGIAS DESCOMPRESSIVAS DA COLUNA TORACOLOMBAR REALIZADAS APÓS RESSONÂNCIA MAGNÉTICA

ESTUDO RETROSPECTIVO DE CIRURGIAS DESCOMPRESSIVAS DA COLUNA TORACOLOMBAR REALIZADAS APÓS RESSONÂNCIA MAGNÉTICA ESTUDO RETROSPECTIVO DE CIRURGIAS DESCOMPRESSIVAS DA COLUNA TORACOLOMBAR REALIZADAS APÓS RESSONÂNCIA MAGNÉTICA JULIANY G. QUITZAN¹, NATÁLIA LEONEL FERREIRA¹, EMERSON GONÇALVES MARTINS SIQUEIRA¹, ISADORA

Leia mais

FRATURAS TORACO-LOMBARES POR OSTEOPOROSE VERTEBROPLASTIA. Simone Tortato

FRATURAS TORACO-LOMBARES POR OSTEOPOROSE VERTEBROPLASTIA. Simone Tortato FRATURAS TORACO-LOMBARES POR OSTEOPOROSE VERTEBROPLASTIA Simone Tortato OSTEOPOROSE n Distúrbio osteometabólico mais comum, caracterizado pela diminuição da densidade mineral óssea, sendo que as principais

Leia mais

Numeração Única: 112.13.008257-4 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA

Numeração Única: 112.13.008257-4 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA NT 209/2013 Solicitante: Dra. Renata Abranches Perdigão do JESP da Fazenda Pública de Campo Belo Data: 01/11/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Numeração Única: 112.13.008257-4 TEMA: TAMOXIFENO

Leia mais

CORRELAÇÃO ENTRE A SOBREVIDA REAL E OS ESCORES DE TOKUHASHI E TOMITA EM METÁSTASES DE COLUNA VERTEBRAL

CORRELAÇÃO ENTRE A SOBREVIDA REAL E OS ESCORES DE TOKUHASHI E TOMITA EM METÁSTASES DE COLUNA VERTEBRAL Artigo Original/Original Article/Artículo Original CORRELAÇÃO ENTRE A SOBREVIDA REAL E OS ESCORES DE TOKUHASHI E TOMITA EM METÁSTASES DE COLUNA VERTEBRAL CORRELATION BETWEEN ACTUAL SURVIVAL AND TOKUHASHI

Leia mais

Metástases espinhais: Tratamento cirúrgico

Metástases espinhais: Tratamento cirúrgico Metástases espinhais: Tratamento cirúrgico Antonio Santos de Araújo Júnior, Mauro Takao Marques Suzuki, Mirella Martins Fazzito Introdução Há inúmeras lesões que acometem a coluna vertebral, a medula espinhal

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES SUBMETIDOS À DESCOMPRESSÃO POR LESÃO VERTEBRAL METASTÁTICA

QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES SUBMETIDOS À DESCOMPRESSÃO POR LESÃO VERTEBRAL METASTÁTICA Artigo Original QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES SUBMETIDOS À DESCOMPRESSÃO POR LESÃO VERTEBRAL METASTÁTICA QUALITY OF LIFE OF PATIENTS SUBMITTED TO DECOMPRESSION FOR METASTATIC VERTEBRAL LESION Luciano

Leia mais

Radioterapia para Metástases em Coluna Eduardo Weltman Hospital Israelita Albert Einstein Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Radioterapia para Metástases em Coluna Aspectos Clínicos Indicações

Leia mais

AVALIAÇÃO DE MORBIDADES E ATUAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM MULHERES COM CÂNCER DE MAMA: ANÁLISE RETROSPECTIVA DE 2008 A 2012

AVALIAÇÃO DE MORBIDADES E ATUAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM MULHERES COM CÂNCER DE MAMA: ANÁLISE RETROSPECTIVA DE 2008 A 2012 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA-UnB FACULDADE DE CEILÂNDIA-FCE CURSO DE FISIOTERAPIA DEBORAH COSTA TEIXEIRA PELUCIO SILVA AVALIAÇÃO DE MORBIDADES E ATUAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM MULHERES COM CÂNCER DE MAMA: ANÁLISE

Leia mais

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DA COLUNA LOMBAR

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DA COLUNA LOMBAR TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DA COLUNA LOMBAR ANALISE DE TRES CASOS DE METASTASE GUILBERTO MINGUΕΤTI, PhD* MARLUS VINICIUS COSTA FERREIRA** Foram selecionados três casos de metástase na coluna lombar como

Leia mais

CARCINOMA MAMÁRIO COM METÁSTASE PULMONAR EM FELINO RELATO DE CASO

CARCINOMA MAMÁRIO COM METÁSTASE PULMONAR EM FELINO RELATO DE CASO CARCINOMA MAMÁRIO COM METÁSTASE PULMONAR EM FELINO RELATO DE CASO HOFFMANN, Martina L. 1 ; MARTINS, Danieli B. 2 ; FETT, Rochana R. 3 Palavras-chave: Carcinoma. Felino. Quimioterápico. Introdução O tumor

Leia mais

Gomes,Gustavo V.; Abreu,Daniel D.G.; Magalhães,Gustavo S.C.; Calapodopulos,George H.;

Gomes,Gustavo V.; Abreu,Daniel D.G.; Magalhães,Gustavo S.C.; Calapodopulos,George H.; VALOR DO 99m Tc-SESTAMIBI EM PACIENTES COM MELANOMA MALIGNO Gomes,Gustavo V.; Abreu,Daniel D.G.; Magalhães,Gustavo S.C.; Calapodopulos,George H.; Braga, Helton M.; Moraes, Renata F.; Rezende,Marta O.;

Leia mais

12º Imagem da Semana: Ressonância Magnética de Coluna

12º Imagem da Semana: Ressonância Magnética de Coluna 12º Imagem da Semana: Ressonância Magnética de Coluna Enunciado Paciente do sexo feminino, 34 anos, G1P1A0, hígida, está no terceiro mês pós-parto vaginal sob analgesia peridural, que transcorreu sem intercorrências.

Leia mais

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA NT 38/2013 Solicitante: Dra. Renata Abranches Perdigão do JESP da Fazenda Pública de Campo Belo Data: 22/02/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO

Leia mais

Diretrizes Assistenciais TRAUMA RAQUIMEDULAR

Diretrizes Assistenciais TRAUMA RAQUIMEDULAR Diretrizes Assistenciais TRAUMA RAQUIMEDULAR Versão eletrônica atualizada em fev/2012 Março - 2009 1. Conceito, Etiologia e Epidemiologia 1. Trauma raquimedular é a lesão da medula espinhal que provoca

Leia mais

Metástases espinhais Mar cos i Vi í n cius Calfat M aldaun

Metástases espinhais Mar cos i Vi í n cius Calfat M aldaun Metástases espinhais Marcos Vinícius i Calfat Maldaun O que fazer? Como estratificar tifi paciente Cirurgia? Descompressã o X radical Radiocirurgia? Radioterapia? Vertebroplastia? vertebroplastia Fraturas

Leia mais

ARTIGO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE. RESUMO Introdução: o mieloma múltiplo é uma neoplasia maligna de proliferação

ARTIGO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE. RESUMO Introdução: o mieloma múltiplo é uma neoplasia maligna de proliferação ARTIGO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE Mieloma múltiplo da coluna: avaliação do tratamento cirúrgico Multiple myeloma of the spine: surgical treatment evaluation Mieloma múltiple de la columna: evaluacióndel

Leia mais

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto Introdução É realizada a avaliação de um grupo de pacientes com relação a sua doença. E através dele

Leia mais

O CUIDADO DA CRIANÇA COM CANCER FORA DE POSSIBILIDADES TERAPÊUTICAS: UM DESAFIO À ENFERMAGEM1

O CUIDADO DA CRIANÇA COM CANCER FORA DE POSSIBILIDADES TERAPÊUTICAS: UM DESAFIO À ENFERMAGEM1 O CUIDADO DA CRIANÇA COM CANCER FORA DE POSSIBILIDADES TERAPÊUTICAS: UM DESAFIO À ENFERMAGEM1 REIS, Thamiza Laureany da Rosa dos 2 ; BIN, Aline 3 1 Trabalho de Pesquisa 2 Curso de Graduação em Enfermagem

Leia mais

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Osteomielite. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Osteomielite. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA PROTOCOLO MÉDICO Assunto: Osteomielite Especialidade: Infectologia Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA Data de Realização: 15/04/2009 Data de Revisão: Data da Última Atualização: 1.

Leia mais

Qual é o papel da ressecção ou da radiocirurgia em pacientes com múltiplas metástases? Janio Nogueira

Qual é o papel da ressecção ou da radiocirurgia em pacientes com múltiplas metástases? Janio Nogueira Qual é o papel da ressecção ou da radiocirurgia em pacientes com múltiplas metástases? Janio Nogueira METÁSTASES CEREBRAIS INTRODUÇÃO O SIMPLES DIAGNÓSTICO DE METÁSTASE CEREBRAL JÁ PREDIZ UM POBRE PROGNÓSTICO.

Leia mais

ARTIGO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE

ARTIGO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE ARTIGO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE 247 Avaliação tomográfica do fragmento retropulsado nas fraturas toracolombares tipo explosão Tomographic analysis of retropulsed fragment in thoracolumbar burst fractures

Leia mais

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1 MARCELA BENEVENTE [1], LUCIANA MOURA CAMPOS PARDINI [2], ADRIANA CAMARGO FERRASI [1,3], MARIA INES DE MOURA CAMPOS PARDINI [3], ALINE FARIA GALVANI [3], JOSE JOAQUIM TITTON RANZANI [2] 1. Instituto de

Leia mais

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS.

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Laura S. W ard CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Nódulos da Tiróide e o Carcinoma Medular Nódulos da tiróide são um

Leia mais

Trabalho realizado na Seção de Cirurgia de Cabeça e Pescoço - HC I e Centro de Suporte Terapêutico - HC IV do Instituto Nacional de Câncer - INCA 1

Trabalho realizado na Seção de Cirurgia de Cabeça e Pescoço - HC I e Centro de Suporte Terapêutico - HC IV do Instituto Nacional de Câncer - INCA 1 Artigo Original Sobrevida de pacientes com carcinoma epidermóide de laringe Artigo submetido em 8/11/04; aceito para publicação em 14/10/05 Relação entre idade, sexo, tratamento realizado e estágio da

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA 2014 PROVA OBJETIVA

RESIDÊNCIA MÉDICA 2014 PROVA OBJETIVA RESIDÊNCIA MÉDICA 2014 1 Questão 1 A confecção de acessos vasculares definitivos para hemodiálise (FAV) tornou-se um dos principais procedimentos realizados pelos cirurgiões vasculares em todo o mundo.

Leia mais

Evisceração: análise de 126 procedimentos realizados no setor de plástica ocular do Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre entre 1988 e 2002

Evisceração: análise de 126 procedimentos realizados no setor de plástica ocular do Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre entre 1988 e 2002 ARTIGO ORIGINAL 257 Evisceração: análise de 126 procedimentos realizados no setor de plástica ocular do Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre entre 1988 e 2002 Evisceration: retrospective analysis of

Leia mais

PROTOCOLO FISIOTERAPÊUTICO DE PÓS-OPERATÓRIO INICIAL DE CIRURGIA LOMBAR

PROTOCOLO FISIOTERAPÊUTICO DE PÓS-OPERATÓRIO INICIAL DE CIRURGIA LOMBAR PROTOCOLO FISIOTERAPÊUTICO DE PÓS-OPERATÓRIO INICIAL DE CIRURGIA LOMBAR 1- Considerações gerais As cirurgias de coluna têm indicação médica conforme exames de imagem e apresentação clínica. As cirurgias

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Diretrizes Assistenciais Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

Resumo Introdução As fraturas cervicais correspondem a um grande espectro de lesões. Em

Resumo Introdução As fraturas cervicais correspondem a um grande espectro de lesões. Em THIEME Original Article Artigo Original 1 Perfil epidemiológico dos pacientes com fratura da coluna cervical tratados cirurgicamente no serviço de neurocirurgia do Hospital de Base do Distrito Federal

Leia mais

Exotropia consecutiva a cirurgia de endotropia

Exotropia consecutiva a cirurgia de endotropia Oftalmologia - Vol. 38: pp.7- Artigo Original Exotropia consecutiva a cirurgia de endotropia Mónica Franco, Cristina Pereira, Luisa Colaço, Raquel Seldon 2, Ana Vide Escada 2, Gabriela Varandas 3, Maria

Leia mais

Tratado do Paris contra o câncer

Tratado do Paris contra o câncer Tratado do Paris contra o câncer portugais portuguese 71 72 Profundamente pertubados pelas repercussões importantes e universais do câncer sobre a vida humana, o sofrimento humano, e sobre a produtividade

Leia mais

AVALIAÇÃO DE ESCORES NA TOMADA DE DECISÃO EM METÁSTASES NA COLUNA

AVALIAÇÃO DE ESCORES NA TOMADA DE DECISÃO EM METÁSTASES NA COLUNA 312 Artigo Original/Original Article/Artículo Original AVALIAÇÃO DE ESCORES NA TOMADA DE DECISÃO EM METÁSTASES NA COLUNA ASSESSMENT OF SCORES IN DECISION MAKING IN METASTASES OF THE SPINE EVALUACIÓN DE

Leia mais

Seminário Metástases Pulmonares

Seminário Metástases Pulmonares Seminário Metástases Pulmonares Tatiane Cardoso Motta 09/02/2011 CASO CLÍNICO Paciente do sexo feminino, 52 anos, refere que realizou RX de tórax de rotina que evidenciou nódulos pulmonares bilaterais.

Leia mais

DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS. Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM

DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS. Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM LOMBALGIA EPIDEMIOLOGIA 65-80% da população, em alguma fase da vida, terá dor nas costas. 30-50% das queixas reumáticas

Leia mais

METÁSTASES ÓSSEAS: QUAL O MELHOR TRATAMENTO?

METÁSTASES ÓSSEAS: QUAL O MELHOR TRATAMENTO? METÁSTASES ÓSSEAS: QUAL O MELHOR TRATAMENTO? Raphael Colturatto Camargo R3 Hospital de Câncer de Barretos Curitiba 20/06/2012 Metástases ósseas são manifestações comuns de doenças malignas que podem causar

Leia mais

COMPARAÇÃO DO DIAGNÓSTICO RADIOGRÁFICO DE ANÁLISES CEFALOMÉTRICAS DISTINTAS *Luciano Sampaio Marques; **Luiz Fernando Eto

COMPARAÇÃO DO DIAGNÓSTICO RADIOGRÁFICO DE ANÁLISES CEFALOMÉTRICAS DISTINTAS *Luciano Sampaio Marques; **Luiz Fernando Eto 1 COMPARAÇÃO DO DIAGNÓSTICO RADIOGRÁFICO DE ANÁLISES CEFALOMÉTRICAS DISTINTAS *Luciano Sampaio Marques; **Luiz Fernando Eto Resumo da monografia apresentada no curso de especilização em Ortodontia da Universidade

Leia mais

Faculdades Adamantinenses Integradas (FAI) www.fai.com.br

Faculdades Adamantinenses Integradas (FAI) www.fai.com.br Faculdades Adamantinenses Integradas (FAI) www.fai.com.br LEITE, Gisele Bueno da Silva; MOURA, Karla Senger Pinto de; DORNELAS, Lilian Maria Candido de Souza; BORGES, Juliana Bassalobre Carvalho. Atuação

Leia mais

04/06/2012. Curso Nacional de Atualização em Pneumologia SBPT 2012. Tratamento da dor oncológica. Definição. Dr Guilherme Costa

04/06/2012. Curso Nacional de Atualização em Pneumologia SBPT 2012. Tratamento da dor oncológica. Definição. Dr Guilherme Costa Curso Nacional de Atualização em Pneumologia SBPT 2012 Tratamento da dor oncológica Dr Guilherme Costa Mestre em Pneumologia - UNIFESP Especialista em Pneumologia SBPT Coordenador da Comissão de Câncer

Leia mais

RASTREIO DO CANCRO E RECTO ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DO CENTRO,I.P.

RASTREIO DO CANCRO E RECTO ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DO CENTRO,I.P. RASTREIO DO CANCRO DO CÓLON C E RECTO ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DO CENTRO,I.P. COR Grupo de trabalho do RCCR 12 Janeiro 2009 Segundo a OMS, o cancro do cólon e do recto, constitui a nível mundial

Leia mais

Gaudencio Barbosa R4 CCP HUWC Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço 02-2012

Gaudencio Barbosa R4 CCP HUWC Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço 02-2012 Gaudencio Barbosa R4 CCP HUWC Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço 02-2012 Abordagens combinadas envolvendo parotidectomia e ressecção do osso temporal as vezes são necessárias como parte de ressecções

Leia mais

Caso Clínico para Site SBM

Caso Clínico para Site SBM Caso Clínico para Site SBM 18/03/13 Primeira consulta Paciente 35 anos Feminino Parda Casada Brasileira Natural de Pacatuba-CE Queixa Principal: Nódulo doloroso em MAMA DIREITA há 2 meses. Refere Ultrasonografia

Leia mais

Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) no Tratamento do. Câncer de Cabeça e Pescoço. Contexto da Medicina Baseada em Evidências

Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) no Tratamento do. Câncer de Cabeça e Pescoço. Contexto da Medicina Baseada em Evidências CONGRESSO DE AUDITORIA - NATAL - 2015 Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT) no Tratamento do Câncer de Cabeça e Pescoço Contexto da Medicina Baseada em Evidências Tratamento do Câncer de Cabeça e

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CIRURGIÃO TORÁCICO

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CIRURGIÃO TORÁCICO 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CIRURGIÃO TORÁCICO QUESTÃO 21 Paciente portador de miatenia gravis e timoma, submetido a tratamento cirúrgico. Durante o ato operatório, constatou-se que o

Leia mais

Evaluation of Surgical Treatment of Fractures of Thoracolumbar Spine with Third-Generation Material for Internal fixation

Evaluation of Surgical Treatment of Fractures of Thoracolumbar Spine with Third-Generation Material for Internal fixation ARTIGO original AVALIAÇÃO DO TRATAMENTO CIRÚRGICO DAS FRATURAS DA COLUNA TORACOLOMBAR COM MATERIAL DE TERCEIRA GERAÇÃO Tipo fixador interno Evaluation of Surgical Treatment of Fractures of Thoracolumbar

Leia mais

Analisar a sobrevida em cinco anos de mulheres. que foram submetidas a tratamento cirúrgico, rgico, seguida de quimioterapia adjuvante.

Analisar a sobrevida em cinco anos de mulheres. que foram submetidas a tratamento cirúrgico, rgico, seguida de quimioterapia adjuvante. Estudo de sobrevida de mulheres com câncer de mama não metastático tico submetidas à quimioterapia adjuvante Maximiliano Ribeiro Guerra Jane Rocha Duarte Cintra Maria Teresa Bustamante Teixeira Vírgilio

Leia mais

Tumores benignos da coluna cervical* EDISON L. DEZEN, OSMAR AVANZI, JOSÉ CARLOS A. SALOMÃO, WALDEMAR DE CARVALHO PINTO FILHO

Tumores benignos da coluna cervical* EDISON L. DEZEN, OSMAR AVANZI, JOSÉ CARLOS A. SALOMÃO, WALDEMAR DE CARVALHO PINTO FILHO Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Tumores benignos da coluna cervical* EDISON L. DEZEN, OSMAR AVANZI, JOSÉ CARLOS A. SALOMÃO, WALDEMAR

Leia mais

Introdução. Graduanda do Curso de Medicina Veterinária UNIVIÇOSA. E-mail: isapvet@hotmail.com. 2

Introdução. Graduanda do Curso de Medicina Veterinária UNIVIÇOSA. E-mail: isapvet@hotmail.com. 2 HEMIVÉRTEBRA EM CÃES - REVISÃO Isabella de Paula Valeriano 1, Ronaldo Oliveira Silveira 2, João Paulo Machado 3, Waleska de Melo Ferreira Dantas 4, Paula Piccolo Miatan 5 Resumo: A hemivértebra é uma malformação,

Leia mais

Autópsia-Carcinoma de Reto

Autópsia-Carcinoma de Reto Autópsia-Carcinoma de Reto RESULTADO DE EXAME ANATOMOPATOLÓGICO N.º PG 163 NOME: PCQ RESID.: CIDADE: São Paulo - SP FONE: ( ) SEXO M IDADE 31 COR P PROFISSÃO: PEDIDO pelo Dr Clínica Cirúrgica TEL. ( )

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA MEIA ELÁSTICA NO TRATAMENTO DA INSUFICIÊNCIA VENOSA CRÔNICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

UTILIZAÇÃO DA MEIA ELÁSTICA NO TRATAMENTO DA INSUFICIÊNCIA VENOSA CRÔNICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE

Leia mais

OF/AMUCC-043/2013 - ADV Florianópolis, 02 de maio de 2013.

OF/AMUCC-043/2013 - ADV Florianópolis, 02 de maio de 2013. OF/AMUCC-043/2013 - ADV Florianópolis, 02 de maio de 2013. Exmo Sr. Dr. Maurício Pessutto MD Procurador da República Procuradoria da República em Santa Catarina Rua Pascoal Apóstolo Pitsica, nº 4876, torre

Leia mais

Resumo. Abstract. Enfermeira do Instituto de Câncer de Londrina (ICL). Especialista em Enfermagem em Saúde da Criança. 2

Resumo. Abstract. Enfermeira do Instituto de Câncer de Londrina (ICL). Especialista em Enfermagem em Saúde da Criança. 2 DOI: 10.5433/1679-0367.2014v35n2p9 Crianças com câncer: caracterização das internações em um hospital escola público Children with cancer: characterization of hospitalization in a public teaching hospital

Leia mais

PAPEL DA MEDICINA NUCLEAR: TERANÓSTICO

PAPEL DA MEDICINA NUCLEAR: TERANÓSTICO O FUTURO DA PRÁTICA DA ONCOLOGIA EM PORTUGAL: BASEADA NO ÓRGÃO VERSUS ENTIDADE NOSOLÓGICA CASE STUDY: TUMORES NEUROENDÓCRINOS PAPEL DA MEDICINA NUCLEAR: TERANÓSTICO Inês Lucena Sampaio Assistente Hospitalar

Leia mais

Fratura Osteoporótica da Coluna Vertebral: Tratamento por Métodos de Preenchimento Ósseo

Fratura Osteoporótica da Coluna Vertebral: Tratamento por Métodos de Preenchimento Ósseo Fratura Osteoporótica da Coluna Vertebral: Tratamento por Métodos de Preenchimento Ósseo Autoria: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Sociedade Brasileira de Neurocirurgia Elaboração Final:

Leia mais

Médico Neurocirurgia da Coluna

Médico Neurocirurgia da Coluna Médico Neurocirurgia da Coluna Caderno de Questões Prova Discursiva 2015 01 Um homem de 55 anos de idade foi internado. Tinha histórico de câncer de pulmão operado, vinha apresentando uma dor constante

Leia mais

Caracterização dos doentes toxicodependentes observados pela equipa de Psiquiatria de Ligação - análise comparativa dos anos de 1997 e 2004

Caracterização dos doentes toxicodependentes observados pela equipa de Psiquiatria de Ligação - análise comparativa dos anos de 1997 e 2004 Caracterização dos doentes toxicodependentes observados pela equipa de Psiquiatria de Ligação - análise comparativa dos anos de 1997 e 2004 Joana Alexandre *, Alice Luís ** Resumo Analisaram-se as características

Leia mais

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E EDUCAÇÃO CONTINUADA DA SBOT-RJ ORTOCURSO SBOT-RJ/COLUNA CURSO PREPARATÓRIO PARA O TEOT 22 de Agosto de 2015 NOME:

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E EDUCAÇÃO CONTINUADA DA SBOT-RJ ORTOCURSO SBOT-RJ/COLUNA CURSO PREPARATÓRIO PARA O TEOT 22 de Agosto de 2015 NOME: PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E EDUCAÇÃO CONTINUADA DA SBOT-RJ ORTOCURSO SBOT-RJ/COLUNA CURSO PREPARATÓRIO PARA O TEOT 22 de Agosto de 2015 NOME: HOSPITAL: ( ) R1 ( ) R2 ( ) R3 ( ) R4 ( ) Não Residentes 1) Nas

Leia mais

Tratamento cirúrgico da estenose do canal cervical Cervical spinal canal stenosis: surgical treatment

Tratamento cirúrgico da estenose do canal cervical Cervical spinal canal stenosis: surgical treatment RTIGO ORIGINL / ORIGINL RTILE 235 Tratamento cirúrgico da estenose do canal cervical ervical spinal canal stenosis: surgical treatment lcindo Ost 1 Sérgio fonso Hennemann 2 RESUMO Objetivos: apresentar

Leia mais

Câncer do pâncreas. Orlando Jorge Martins Torres Professor Livre-Docente UFMA

Câncer do pâncreas. Orlando Jorge Martins Torres Professor Livre-Docente UFMA Câncer do pâncreas Orlando Jorge Martins Torres Professor Livre-Docente UFMA Diagnóstico A tomografia helicoidal com dupla fase é o melhor exame de imagem para diagnosticar e estadiar uma suspeita de carcinoma

Leia mais

LESÕES TRAUMÁTICAS DA COLUNA VERTEBRAL LESÃO MEDULAR (CHOQUE MEDULAR)

LESÕES TRAUMÁTICAS DA COLUNA VERTEBRAL LESÃO MEDULAR (CHOQUE MEDULAR) LESÕES TRAUMÁTICAS DA COLUNA VERTEBRAL E LESÃO MEDULAR (CHOQUE MEDULAR) Prof. Dr. Gabriel Paulo Skroch SUMÁRIO I Avaliação inicial e tratamento de emergência 1- Incidência, Etiologia e Demografia 2- Anatomia

Leia mais

COLUNA/COLUMNA - VOLUME 4 (1) - JANEIRO/FEVEREIRO/MARÇO 2005 1 1 ARTIGO ORIGINAL

COLUNA/COLUMNA - VOLUME 4 (1) - JANEIRO/FEVEREIRO/MARÇO 2005 1 1 ARTIGO ORIGINAL COLUNA/COLUMNA - VOLUME 4 (1) - JANEIRO/FEVEREIRO/MARÇO 2005 1 1 ARTIGO ORIGINAL Avaliação epidemiológica das fraturas da coluna torácica e lombar de pacientes atendidos no Pronto-Socorro do Hospital do

Leia mais

Cancro do Pulmão. Serviço de Pneumologia Director: Dr. Fernando Rodrigues Orientador: Dr. José Pedro Boléo-Tomé

Cancro do Pulmão. Serviço de Pneumologia Director: Dr. Fernando Rodrigues Orientador: Dr. José Pedro Boléo-Tomé Cancro do Pulmão O DESAFIO CONSTANTE Serviço de Pneumologia Director: Dr. Fernando Rodrigues Orientador: Dr. José Pedro Boléo-Tomé Telma Sequeira Interna de Formação Complementar de Pneumologia Amadora,

Leia mais

Protocolo Clínico de Regulação de Acesso para Tratamento de Alta Complexidade em Oncologia versão 2015

Protocolo Clínico de Regulação de Acesso para Tratamento de Alta Complexidade em Oncologia versão 2015 Protocolo Clínico de Regulação de Acesso para Tratamento de Alta Complexidade em Oncologia versão 2015 Elaboração: Dr Luis Fernando Pracchia Área Técnica da Saúde da Pessoa com Doenças Crônicas Não Transmissíveis

Leia mais

I Seminário de Controvérsias rsias em Aparelho Digestivo I Encontro Norte-Nordeste Nordeste de Videocirurgia no Aparelho Digestivo

I Seminário de Controvérsias rsias em Aparelho Digestivo I Encontro Norte-Nordeste Nordeste de Videocirurgia no Aparelho Digestivo I Seminário de Controvérsias rsias em Aparelho Digestivo I Encontro Norte-Nordeste Nordeste de Videocirurgia no Aparelho Digestivo Câncer do pâncreas: tratamento paliativo Orlando Jorge Martins Torres

Leia mais

Tuberculose espinhal: avaliação de 26 casos Spinal tuberculosis: management of 26 cases

Tuberculose espinhal: avaliação de 26 casos Spinal tuberculosis: management of 26 cases ARTIGO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE 1 Tuberculose espinhal: avaliação de 26 casos Spinal tuberculosis: management of 26 cases Sérgio Daher 1 André Luiz Passos Cardoso 2 Zeno Augusto de Souza Júnior 2 Wilson

Leia mais

Patologias da coluna vertebral

Patologias da coluna vertebral Disciplina de Traumato-Ortopedia e Reumatologia Patologias da coluna vertebral Prof. Marcelo Bragança dos Reis Introdução Escoliose idiopática Dorso curvo Cervicobraquialgia Lombalgia e lombociatalgia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Escola Paulista de Medicina Departamento de Diagnóstico por Imagem Adenocarcinoma de Pâncreas Bruno Sérgio de Souza Bernardes Sólidos: Tumores do Pâncreas Classificação

Leia mais

Custos dos mutirões de mamografia de 2005 e 2006 na Direção Regional de Saúde de Marília, São Paulo, Brasil

Custos dos mutirões de mamografia de 2005 e 2006 na Direção Regional de Saúde de Marília, São Paulo, Brasil ARTIGO ARTICLE 1529 Custos dos mutirões de mamografia de 2005 e 2006 na Direção Regional de Saúde de Marília, São Paulo, Brasil Costs of mammogram campaigns in the Regional Health Division of Marília,

Leia mais

Escoliose Idiopática no Adolescente: Instrumentação Posterior

Escoliose Idiopática no Adolescente: Instrumentação Posterior Escoliose Idiopática no Adolescente: Instrumentação Posterior Autoria: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Sociedade Brasileira de Reumatologia Elaboração Final: 23 de janeiro de 2008 Participantes:

Leia mais

FARINGE. Rinofaringe. Orofaringe. Hipofaringe. Esôfago. Laringe. Traquéia

FARINGE. Rinofaringe. Orofaringe. Hipofaringe. Esôfago. Laringe. Traquéia OROFARINGE Os tumores de cabeça e de pescoço totalizam 4,5% dos casos de diagnósticos de câncer. Uma importante fração dos tumores malignos da região da cabeça e pescoço se localiza primeiramente na orofaringe.

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar CP Operado

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar CP Operado Diretrizes Assistenciais Protocolo Conduta da Assistência Médico- Hospitalar CP Operado Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

Gencitabina em câncer de pulmão: avaliação retrospectiva de resposta clínica, sobrevida livre de progressão e sobrevida global

Gencitabina em câncer de pulmão: avaliação retrospectiva de resposta clínica, sobrevida livre de progressão e sobrevida global 12 Artigo Original Gencitabina em câncer de pulmão: avaliação retrospectiva de resposta clínica, sobrevida livre de progressão e sobrevida global Ana Lucia Coradazzi CRM SP 87.242 Gustavo Fernando Veraldi

Leia mais

CISTOS ÓSSEOS ANEURISMATICOS DA COLUNA VERTEBRAL.

CISTOS ÓSSEOS ANEURISMATICOS DA COLUNA VERTEBRAL. CISTOS ÓSSEOS ANEURISMATICOS DA COLUNA VERTEBRAL. RELATOS DE DOIS CASOS COM COMPRESSÃO MEDULAR PEDRO M. SAMPAIO*; BRUNO PELLIZZARO** Os cistos ósseos aneurismáticos da coluna vertebral merecem atenção

Leia mais

DETECÇÃO, DIAGNÓSTICO E ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE MAMA

DETECÇÃO, DIAGNÓSTICO E ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE MAMA RESSONÂNCIA NUCLEAR MAGNÉTICA DAS MAMAS DETECÇÃO, DIAGNÓSTICO E ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE MAMA A crescente experiência com a Ressonância Nuclear Magnética (RNM) vem trazendo dúvidas pertinentes quanto

Leia mais

Data: 23/12/2013. NTRR 261/2013 Solicitante: Drª. Juliana Mendes Pedrosa Juiza de Direito - Itambacuri Numeração: 0327.13.002932-2.

Data: 23/12/2013. NTRR 261/2013 Solicitante: Drª. Juliana Mendes Pedrosa Juiza de Direito - Itambacuri Numeração: 0327.13.002932-2. NTRR 261/2013 Solicitante: Drª. Juliana Mendes Pedrosa Juiza de Direito - Itambacuri Numeração: 0327.13.002932-2. Data: 23/12/2013 Medicamento Material Procedimento x Cobertura TEMA: Artrodese de coluna

Leia mais

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E EDUCAÇÃO CONTINUADA DA SBOT-RJ ORTOCURSO SBOT-RJ/COLUNA CURSO PREPARATÓRIO PARA O TEOT 22 de Agosto de 2015 NOME: HOSPITAL:

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E EDUCAÇÃO CONTINUADA DA SBOT-RJ ORTOCURSO SBOT-RJ/COLUNA CURSO PREPARATÓRIO PARA O TEOT 22 de Agosto de 2015 NOME: HOSPITAL: PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E EDUCAÇÃO CONTINUADA DA SBOT-RJ ORTOCURSO SBOT-RJ/COLUNA CURSO PREPARATÓRIO PARA O TEOT 22 de Agosto de 2015 NOME: HOSPITAL: ( ) R1 ( ) R2 ( ) R3 ( ) R4 ( ) Não Residentes 03 -

Leia mais

COLUNA VERTEBRAL II TORRE DE PISA (ITÁLIA)

COLUNA VERTEBRAL II TORRE DE PISA (ITÁLIA) COLUNA VERTEBRAL II TORRE DE PISA (ITÁLIA) Havaí AP PERFIL EXTENSÃO FLEXÃO AP PERFIL SAGITAL FRONTAL AXIAL ALTERADO NORMAL NEUTRA FLEXÃO EXTENSÃO ALTA SENSIBILIDADE BAIXA ESPECIFICIDADE ÚTIL NA AVALIAÇÃO

Leia mais

LESÃO DURAL NO CONTEXTO DE FRATURAS TORACO- LOMBARES TIPO BURST ASSOCIADAS A FRATURAS EM RAMO VERDE DAS LÂMINAS

LESÃO DURAL NO CONTEXTO DE FRATURAS TORACO- LOMBARES TIPO BURST ASSOCIADAS A FRATURAS EM RAMO VERDE DAS LÂMINAS Revista Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia Portuguese Journal of Orthopaedics and Traumatology 77 SOCIEDADE PORTUGUESA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA Rev Port Ortop Traum 23(1): 77-84, 2015 CASO CLÍNICO

Leia mais

AURICULOTERAPIA NO TRATAMENTO DOS DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO (DORT): UMA AVALIAÇÃO RETROSPECTIVA

AURICULOTERAPIA NO TRATAMENTO DOS DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO (DORT): UMA AVALIAÇÃO RETROSPECTIVA ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 AURICULOTERAPIA NO TRATAMENTO DOS DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO (DORT):

Leia mais

Dr. Felipe José Fernández Coimbra Depto. De Cirurgia Abdominal - Cirurgia Oncológica

Dr. Felipe José Fernández Coimbra Depto. De Cirurgia Abdominal - Cirurgia Oncológica Dr. Felipe José Fernández Coimbra Depto. De Cirurgia Abdominal - Cirurgia Oncológica Duodenopancreatectomia Howard JM, 1968 Morbimortalidade pancreatectomia Fhurman GM, et al. Ann. Surg. 1996. Leach SD,

Leia mais

www.fisiofitsenior.com.br

www.fisiofitsenior.com.br www.fisiofitsenior.com.br Índice Definição... Dados estatísticos... pg 03 pg 06 Causas e fatores de risco... pg 09 Tratamentos... pg 14 Atividades físicas e osteoporose... pg 15 Nutrientes recomendados...

Leia mais

FADIGA EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA EM RADIOTERAPIA CONVENCIONAL. E-mail: julyanaweb@hotmail.com. E-mail: dalete.mota@gmail.com

FADIGA EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA EM RADIOTERAPIA CONVENCIONAL. E-mail: julyanaweb@hotmail.com. E-mail: dalete.mota@gmail.com FADIGA EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA EM RADIOTERAPIA CONVENCIONAL Julyana Cândido Bahia 1, Dálete Delalibera Corrêa de Faria Mota 2 1 Acadêmica da Faculdade de Enfermagem/ Universidade Federal de Goiás

Leia mais

TEMA: Tratamento com Sunitinibe (Sutent ) do Carcinoma de Células Renais metastático (do tipo carcinoma de células claras).

TEMA: Tratamento com Sunitinibe (Sutent ) do Carcinoma de Células Renais metastático (do tipo carcinoma de células claras). Nota Técnica 37/2012 Data: 04/12/2012 Solicitante: Dra. Vanessa Verdolim Hudson Andrade Desembargadora 1ª Câmara Cível - TJMG Medicamento Material Procedimento Cobertura x Número do processo: 1.0035.12.013771-2/001

Leia mais

DOENÇAS DA COLUNA CERVICAL

DOENÇAS DA COLUNA CERVICAL Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira DOENÇAS DA COLUNA CERVICAL A coluna cervical é o elo flexível entre a plataforma sensorial do crânio

Leia mais

III EGEPUB/COPPE/UFRJ

III EGEPUB/COPPE/UFRJ Luiz Otávio Zahar III EGEPUB/COPPE/UFRJ 27/11/2014 O que é a próstata? A próstata é uma glândula pequena que fica abaixo da bexiga e envolve o tubo (chamado uretra) pelo qual passam a urina e o sêmen.

Leia mais

PREVINA AS DEFORMIDADES DA COLUNA VERTEBRAL DO SEU FILHO!

PREVINA AS DEFORMIDADES DA COLUNA VERTEBRAL DO SEU FILHO! Dr. Euclides José Martins Amaral PREVINA AS DEFORMIDADES DA COLUNA VERTEBRAL DO SEU FILHO! : A importância da detecção precoce das deformidades da coluna na infância e adolescência, deve-se principalmente

Leia mais

Abordagem cirúrgica na artroplastia total primária de quadril: ântero-lateral ou posterior? *

Abordagem cirúrgica na artroplastia total primária de quadril: ântero-lateral ou posterior? * ABORDAGEM CIRÚRGICA ARTROPLASTIA TOTAL PRIMÁRIA DE QUADRIL: ÂNTERO-LATERAL OU POSTERIOR? ARTIGO ORIGINAL Abordagem cirúrgica na artroplastia total primária de quadril: ântero-lateral ou posterior? * CARLOS

Leia mais

A situação do câncer no Brasil 1

A situação do câncer no Brasil 1 A situação do câncer no Brasil 1 Fisiopatologia do câncer 23 Introdução O câncer é responsável por cerca de 13% de todas as causas de óbito no mundo: mais de 7 milhões de pessoas morrem anualmente da

Leia mais

Qual o melhor tratamento? A favor da radioterapia Eduardo Weltman Hospital Israelita Albert Einstein Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Radioterapia Meningiomas do seio cavernoso Possibilidades

Leia mais

Tipos de tumores cerebrais

Tipos de tumores cerebrais Tumores Cerebrais: entenda mais sobre os sintomas e tratamentos Os doutores Calil Darzé Neto e Rodrigo Adry explicam sobre os tipos de tumores cerebrais. CONTEÚDO HOMOLOGADO "Os tumores cerebrais, originados

Leia mais

TÓRAX Diagnóstico por Imagem nas Urgências. Leonardo Oliveira Moura

TÓRAX Diagnóstico por Imagem nas Urgências. Leonardo Oliveira Moura TÓRAX Diagnóstico por Imagem nas Urgências Leonardo Oliveira Moura Infecções pulmonares A radiografia simples é habitualmente o exame de imagem mais empregado, pelo seu menor custo e alta disponibilidade,

Leia mais

Spinal cord compression with manifestation primary of spinal metastasis

Spinal cord compression with manifestation primary of spinal metastasis 11 Spinal cord compression with manifestation primary of spinal metastasis Compressão medular como primeira manifestação de neoplasia metástasica Carlos Umberto Pereira 1 Augusto César Santos Esmeraldo

Leia mais

TEMA: Octreotida LAR no tratamento de tumor neuroendócrino

TEMA: Octreotida LAR no tratamento de tumor neuroendócrino NTRR 31/2013 Solicitante: Juiz Juarez Raniero Número do processo:0479.13.003726-6 Reu: Secretaria de Saúde de Passos Data: 25/03/2013 Medicamento x Material Procedimento Cobertura TEMA: Octreotida LAR

Leia mais

Jornada Comemorativa dos 45 anos da Associação Brasileira de Medicina Psicossomática (ABMP)

Jornada Comemorativa dos 45 anos da Associação Brasileira de Medicina Psicossomática (ABMP) Jornada Comemorativa dos 45 anos da Associação Brasileira de Medicina Psicossomática (ABMP) São Paulo, abril/2010 Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia

Leia mais

Total de feridas 65 100 45 100

Total de feridas 65 100 45 100 AVALIAÇÃO LONGITUDINAL DE ÚLCERAS VASCULARES DE PACIENTES ATENDIDOS EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DE GOIÂNIA Cynthia Assis de Barros NUNES 1 Maria Márcia BACHION 2 Jaqueline Evangelista C. BEZERRA 3 Juliana

Leia mais