AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE EXERCÍCIO DE IDOSOS COM LOMBALGIA E SUA INTERFERÊNCIA NA QUALIDADE DE VIDA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE EXERCÍCIO DE IDOSOS COM LOMBALGIA E SUA INTERFERÊNCIA NA QUALIDADE DE VIDA"

Transcrição

1 1 AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE EXERCÍCIO DE IDOSOS COM LOMBALGIA E SUA INTERFERÊNCIA NA QUALIDADE DE VIDA FEITOSA P. O. ; FELIPE D. M. Resumo: Entre os declínios fisiológicos relacionados ao envelhecimento temos depuração de creatina, volume expiratório forçado, velocidade de condução, massa muscular e VO 2máx. A lombalgia entre os idosos é fonte incapacitante para muitos deles, e deixam de executar atividades. No estudo foram avaliados 10 indivíduos do sexo masculino entre 60 e 80 anos portadores de lombalgia sendo aplicado o TC06 e o questionário de WHOQOL-bref. Todos os pacientes obtiveram déficit no teste de capacidade de exercício. Palavras Chaves: Idoso, Lombalgia, Capacidade de Exercício. Abstract: Among the physiological declines associated with aging have creatine clearance, forced expiratory volume, conduction of velocity, muscle mass and VO2max. Low back pain among the elderly is crippling source for many of them, and fail to perform activities. The study evaluated 10 male subjects between 60 and 80 years with low back pain being applied TC06 and the WHOQOL-BREF questionnaire. All patients had a deficit in exercise capacity testing. Keywords: Elderly, Back pain, exercise capacity. Introdução: No Brasil consideram-se idosos pessoas com 60 anos ou mais. Segundo censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010, constatase que a população de idosos no Brasil é de 26%, e que entre 2000 e 2010 houve um aumento de 2% no número de idosos.

2 2 A lombalgia entre os idosos é fonte incapacitante para muitos deles, os quais deixam de executar atividades de vida diária e social e acabam ficando em casa, não praticam atividades físicas e se isolam socialmente (ANDRADE, PEREIRA E SOUSA, 2006), diminuindo a capacidade de exercício e causando um ciclo vicioso. Existem vários testes que avaliam VO 2máx e capacidade de exercício, como o de Astrand em ciclo ergométrico, teste submáximo de esteira de 1 estágio, entre outros, dentre estes o Teste de Caminhada de 6 minutos (TC6 ) vem sendo o mais utilizado por fisioterapeutas, que consiste do indivíduo caminhar em uma superfície plana, medindo 30 metros e em velocidade constante por 6 minutos, para avaliar a capacidade funcional de exercício em indivíduos com algum comprometimento, especialmente pulmonar ou cardiovascular. Carvalho Filho e Alencar (1994) relatam que o processo de envelhecimento é dinâmico e progressivo onde, ocorrem modificações tanto morfológicas como funcionais, bioquímicas e psicológicas que levam a progressiva perda da capacidade de adaptação do mesmo ao meio ambiente em que vive, ocasionando desta forma maior vulnerabilidade e maior incidência de processos patológicos que acabam por leva-los à morte. Avaliar capacidade de exercício em idosos com lombalgia inespecífica. Associar capacidade de exercício e pontuação obtida no WHOQOL-bref. Associar lombalgia e capacidade de exercício com qualidade de vida. Sugerir o TC6 como teste para avaliar capacidade de exercício em pacientes com lombalgia inespecífica. São os objetivos desse trabalho. Referencias teórico-metodológicos: O envelhecimento gera modificações estruturais que diminuem a reserva funcional, restringindo o desempenho durante a atividade física, bem como reduzindo a capacidade de tolerância em varias atividades (FREITAS e PY, 2011). Para Maraschin (2010), a dor lombar está fortemente relacionada com causas mecânicas regionais não específicas. Entretanto, desordens mecânicas são de fato musculoesqueléticas e em idosos, embora possam incluir entorses de

3 3 ligamentos ou de músculos posteriores, componente radicular e espasmo muscular, estão mais relacionadas à doença degenerativa discal e articular. Andrade, Pereira e Sousa (2006), descreveram que a dor está entre os principais fatores que podem impactar negativamente a qualidade de vida do idoso, pois limita suas atividades, aumenta a agitação, o risco para estresse e o isolamento social. A capacidade funcional compreende se o individuo pode realizar suas atividades de vida diária (AVDs), esportes e lazer, o que também inclui o indivíduo a suportar atividades dinâmicas que necessitem da utilização de grandes grupos musculares, por um longo período de tempo o qual também podemos chamar de capacidade aeróbica, expressa pelo consumo máximo de oxigênio (VO 2máx ) (MACHADO, 2008; REGENGA, 2012). Para Machado (2008), um teste submáximo que apesar de ter algumas limitações, mas que vem sendo bastante difundido e muito utilizado como um componente de reabilitação é o Teste de Caminhada de 6 minutos (TC6 ). O TC6 foi indicado para comparações antes e após tratamentos, definição de estado funcional e predição de morbidade e mortalidade (BARRETO, 2009). A Organização Mundial de Saúde através do Grupo de Qualidade de Vida da divisão de Saúde Mental entende qualidade de vida como a compreensão do indivíduo sobre a sua posição na vida. O grupo elaborou então o instrumento World Health Organization Quality of Life (WHOQOL-100) e sua versão abreviada é o WHOQOL-bref, o instrumento pode ser auto-administrado ou administrado pelo entrevistador (FLECK, et. al. 2008; FRANÇA, et. al. 2011). Esta pesquisa caracteriza-se como estudo transversal ou seccional que é uma estratégia de estudo epidemiológico que caracteriza-se pela observação direta de determinada quantidade planejada de indivíduos. O estudo será realizado nas dependências da Clínica Escola de Fisioterapia e Nutrição Dra. Sônia Gusman, da Faculdade de Apucarana FAP, localizada à rua Rua Osvaldo de Oliveira, número 600, na cidade de Apucarana- PR. Para o presente estudo uma amostra de conveniência de 10 indivíduos do sexo masculino entre 60 e 80 anos com diagnóstico médico de lombalgia

4 4 inespecífica. Como critérios de exclusão patologias respiratórias e cardiovasculares, indivíduos com disfunção cognitiva e indivíduos incapazes de deambular. Para a identificação dos participantes e coleta de dados para o estudo será utilizada uma ficha de avaliação elaborada pela acadêmica responsável pelo estudo. Esta ficha contém dados pessoais e anamnese, e foi previamente validada por três profissionais fisioterapeutas. Para a avaliação da capacidade de exercício será realizado o (TC6 ) adaptado, para a Clinica-Escola de Fisioterapia da FAP e serão utilizados esfigmomanômetro Solidor estestoscópio Solidor e oxímetro Nonin. Além disso serão utilizados cones e cadeiras e para a avaliação da qualidade de vida será utilizado o questionário WHOQOL-bref. Para analise dos dados serão utilizados valores de média e desvio padrão no Excel e a pontuação obtida no questionário WHOQOL-bref. Conclusão e resultados: O Paciente 1 deveria ter percorrido uma distancia de 579,03 metros percorreu 285 metros onde se obteve uma diferença de 294,03 metros. O paciente 2 obteve uma diferença de 278,57 metros. Já para o paciente 3 esta diferença foi de 217,37 metros. No paciente 4 diferença de 221,76 metros. Paciente 5 obteve diferença de 174,28 metros. Sendo que no paciente 6 observamos uma diferença de 157,74 metros. Para o paciente 7 a diferença foi de 149,21 metros. Paciente 8 obteve diferença de 141,99 metros. Paciente 9 obteve diferença de 111,04 metros. E no paciente 10 a menor diferença entre os avaliados que foi de 59,74 metros. Os resultados do questionário WHOQOL-bref. Estão sendo analisados e colocados em gráficos. Referências:

5 5 ANDRADE, F. A.; PEREIRA, L. V.; SOUSA, F. A. E. F. Mensuração da dor no idoso: uma revisão. Rev. Latino-Am. Enfermagem. v. 14, n.2, p , (2006). BARRETO, S. S. M. Avaliação da capacidade de exercício na hipertensão pulmonar. Jornal Brasileiro Pneumologia. V.35, n.5, p , (2009). CARVALHO FILHO, E. T.; ALENCAR, Y. M. G.. Teoria do envelhecimento. 1. ed. São Paulo: Atheneu, FLECK, M. P. A. et al. A Avaliação de Qualidade de Vida: guia para profissionais da saúde.1.ed. Porto Alegre: Artmed, FRANÇA, I. S. X. et. al. Qualidade de vida de adultos com lesão medular em estudo com WHOQOL-bref. Rev. Da Escola de Enfermagem da USP. v.45, n. 6, p , (2011). FREITAS, E.V.: PY, L. Tratado de Geriatria e Gerontologia. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE) Base de dados, censo de Disponível em < Acesso em 17 de fevereiro de MACHADO, M. G. R. Bases da Fisioterapia Respiratória Terapia Intensiva e Reabilitação. 1. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, MARASCHIN, R. et al. Dor lombar crônica e dor nos membros inferiores em idosas: etiologia em revisão. Rev. Fisioterapia em Movimento. v. 23, n.4, p , (2010). REGENGA, M. M. Fisioterapia em Cardiologia. 2. ed. São Paulo: Roca, 2012.

OFICINA DE SAÚDE PARA IDOSOS DO GRUPO REVIVENDO A VIDA

OFICINA DE SAÚDE PARA IDOSOS DO GRUPO REVIVENDO A VIDA OFICINA DE SAÚDE PARA IDOSOS DO GRUPO REVIVENDO A VIDA Autor 1: Elza Maria Santos da Silveira Titulação:Fisioterapeuta Instituição: UniRitter Endereço eletrônico: elzamss@yahoo.com.br Autor 2: Denise Costa

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON SUBMETIDOS AO TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO NO SOLO E NA ÁGUA

ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON SUBMETIDOS AO TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO NO SOLO E NA ÁGUA ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON SUBMETIDOS AO TRATAMENTO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIENCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE SAÚDE COMUNITÁRIA ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO BRUNO MASSINHAN

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIENCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE SAÚDE COMUNITÁRIA ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO BRUNO MASSINHAN UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIENCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE SAÚDE COMUNITÁRIA ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO BRUNO MASSINHAN QUEIXAS REFERIDAS POR CAMINHONEIROS E MOTORISTAS PROFISSIONAIS

Leia mais

SINTOMAS DEPRESSIVOS, VARIÁVEIS SOCIODEMOGRÁFICAS E MORBIDADES AUTORREFERIDAS EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

SINTOMAS DEPRESSIVOS, VARIÁVEIS SOCIODEMOGRÁFICAS E MORBIDADES AUTORREFERIDAS EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS SINTOMAS DEPRESSIVOS, VARIÁVEIS SOCIODEMOGRÁFICAS E MORBIDADES AUTORREFERIDAS EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS Karoline de Lima Alves UFPB/ e-mail: krol_lima_17@hotmail.com 1 Marcella Costa Souto Duarte UFPB/

Leia mais

FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO PRÁTICAS DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NO LAGO JABOTI

FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO PRÁTICAS DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NO LAGO JABOTI FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO PRÁTICAS DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NO LAGO JABOTI COELHO, J.C; FONTOURA, R.S; PEREIRA, C.A; DOBICZ, A.F; TORRES, A.A.S. Resumo O presente estudo tende em verificar as principais causas

Leia mais

A ARTROSE NA TERCEIRA IDADE: UM ESTUDO DE CASO

A ARTROSE NA TERCEIRA IDADE: UM ESTUDO DE CASO A ARTROSE NA TERCEIRA IDADE: UM ESTUDO DE CASO Carla Simone Pessota Ribeiro ¹, Guilherme Bolzan¹, Anna Raquel Zappe¹, Andriele Gasparetto², Carla Mai². ¹ Acadêmicos do curso de Fisioterapia- Centro Universitário

Leia mais

A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO

A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO SATO, Camila Massae 1 Palavras-chave: Idoso, AIDS, conhecimento Introdução A população idosa brasileira

Leia mais

GRUPOS DE TERAPIA OCUPACIONAL NA ESTIMULAÇÃO COGNITIVA DE IDOSOS QUE RESIDEM EM INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA.

GRUPOS DE TERAPIA OCUPACIONAL NA ESTIMULAÇÃO COGNITIVA DE IDOSOS QUE RESIDEM EM INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA. GRUPOS DE TERAPIA OCUPACIONAL NA ESTIMULAÇÃO COGNITIVA DE IDOSOS QUE RESIDEM EM INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA. ANTUNES 1, Brenda; GOMES 2, Elaine; MORAES 3, Berla; SILVA 4, Daniele. RESUMO EM LÍNGUA

Leia mais

ANÁLISE DE ASPECTOS NUTRICIONAIS EM IDOSOS ADMITIDOS NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

ANÁLISE DE ASPECTOS NUTRICIONAIS EM IDOSOS ADMITIDOS NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA ANÁLISE DE ASPECTOS NUTRICIONAIS EM IDOSOS ADMITIDOS NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA Belarmino Santos de Sousa Júnior¹ ; Fernando Hiago da Silva Duarte²; Ana Elza da Silva Mendonça³ ¹ Acadêmico de Enfermagem

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS NO MUNICÍPIO DE LONDRINA/PR 2011

Mostra de Projetos 2011 RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS NO MUNICÍPIO DE LONDRINA/PR 2011 Mostra de Projetos 2011 RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS NO MUNICÍPIO DE LONDRINA/PR 2011 Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto Projetos em implantação, com resultados parciais.

Leia mais

A EFICÁCIA DA FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DAS COMPLICAÇÕES FÍSICO-FUNCIONAIS DE MEMBRO SUPERIOR NA MASTECTOMIA UNILATERAL TOTAL: ESTUDO DE CASO

A EFICÁCIA DA FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DAS COMPLICAÇÕES FÍSICO-FUNCIONAIS DE MEMBRO SUPERIOR NA MASTECTOMIA UNILATERAL TOTAL: ESTUDO DE CASO A EFICÁCIA DA FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DAS COMPLICAÇÕES FÍSICO-FUNCIONAIS DE MEMBRO SUPERIOR NA MASTECTOMIA UNILATERAL TOTAL: ESTUDO DE CASO GUIZELINI, L.H.; PEREIRA, N.T.C. RESUMO A mastectomia pode

Leia mais

O IMPACTO DA DOR CRÔNICA NA VIDA DAS PESSOAS QUE ENVELHECEM

O IMPACTO DA DOR CRÔNICA NA VIDA DAS PESSOAS QUE ENVELHECEM O IMPACTO DA DOR CRÔNICA NA VIDA DAS PESSOAS QUE ENVELHECEM Eliane de Sousa Leite. Universidade Federal de Campina Grande/UFCG. Email: elianeleitesousa@yahoo.com.br. Jéssica Barreto Pereira. Universidade

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO AMBIENTE DOMÉSTICO NA INCIDÊNCIA DE QUEDAS EM IDOSOS

A INFLUÊNCIA DO AMBIENTE DOMÉSTICO NA INCIDÊNCIA DE QUEDAS EM IDOSOS A INFLUÊNCIA DO AMBIENTE DOMÉSTICO NA INCIDÊNCIA DE QUEDAS EM IDOSOS GIDEON BITTENCOURT MOTTA CARINE PEREIRA DE LEMOS GECIELY MUNARETTO FOGAÇA DE ALMEIDA RACHEL SCHLINDWEIN-ZANINI Centro Universitário

Leia mais

TÍTULO: GASTOS COM MEDICAMENTOS PELOS IDOSOS RESIDENTES EM MUNICÍPIO COM ALTA COBERTURA DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

TÍTULO: GASTOS COM MEDICAMENTOS PELOS IDOSOS RESIDENTES EM MUNICÍPIO COM ALTA COBERTURA DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA TÍTULO: GASTOS COM MEDICAMENTOS PELOS IDOSOS RESIDENTES EM MUNICÍPIO COM ALTA COBERTURA DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FARMÁCIA INSTITUIÇÃO:

Leia mais

USO DA ATIVIDADE ASSISTIDA POR ANIMAIS NA MELHORA DA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

USO DA ATIVIDADE ASSISTIDA POR ANIMAIS NA MELHORA DA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS USO DA ATIVIDADE ASSISTIDA POR ANIMAIS NA MELHORA DA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS Camila Franco de Carvalho 1 Luciana Santos de Assis 2 2 RESUMO: e hamsters PALAVRAS-CHAVE: Medicina

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: PERCEPÇÕES DE ENFERMEIROS DA REGIÃO DO SUL DO ESPÍRITO SANTO, NORTE E NOROESTE DO RIO DE JANEIRO RESUMO

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: PERCEPÇÕES DE ENFERMEIROS DA REGIÃO DO SUL DO ESPÍRITO SANTO, NORTE E NOROESTE DO RIO DE JANEIRO RESUMO SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: PERCEPÇÕES DE ENFERMEIROS DA REGIÃO DO SUL DO ESPÍRITO SANTO, NORTE E NOROESTE DO RIO DE JANEIRO Raniele Ramalho de SOUZA 1*, Sara Fonte Boa de OLIVEIRA 1,

Leia mais

A PREVALÊNCIA DE DOENÇAS LOMBARES EM PACIENTES DE TERCEIRA IDADE NA CIDADE DE CONCÓRDIA SC 1

A PREVALÊNCIA DE DOENÇAS LOMBARES EM PACIENTES DE TERCEIRA IDADE NA CIDADE DE CONCÓRDIA SC 1 A PREVALÊNCIA DE DOENÇAS LOMBARES EM PACIENTES DE TERCEIRA IDADE NA CIDADE DE CONCÓRDIA SC 1 Márcia Hoffmann 2 RESUMO: Com o envelhecimento ocorre uma diminuição da função dos órgãos que acaba por tornar

Leia mais

TÍTULO: CORRELAÇÃO ENTRE COGNIÇÃO E FUNCIONALIDADE EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE

TÍTULO: CORRELAÇÃO ENTRE COGNIÇÃO E FUNCIONALIDADE EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE TÍTULO: CORRELAÇÃO ENTRE COGNIÇÃO E FUNCIONALIDADE EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA AUTOR(ES):

Leia mais

Efeitos da fisioterapia na força muscular respiratória do idoso: revisão de literatura

Efeitos da fisioterapia na força muscular respiratória do idoso: revisão de literatura Efeitos da fisioterapia na força respiratória do idoso: revisão de literatura Flávia Alves de Abreu 1, Ingrid Maziero Cheles 1, Maíra de Freitas Souza 1, Michelle Pereira Lima 1, Rafael Bossolan 1, Andréa

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS PRESSÕES RESPIRATÓRIAS MÁXIMAS EM CADEIRANTES PRÉ E PÓS BASQUETE ADAPTADO EM CADEIRA DE RODAS

AVALIAÇÃO DAS PRESSÕES RESPIRATÓRIAS MÁXIMAS EM CADEIRANTES PRÉ E PÓS BASQUETE ADAPTADO EM CADEIRA DE RODAS AVALIAÇÃO DAS PRESSÕES RESPIRATÓRIAS MÁXIMAS EM CADEIRANTES PRÉ E PÓS BASQUETE ADAPTADO EM CADEIRA DE RODAS MICHELLI, KÁTIA.¹ TAGLIETTI, MARCELO ² ROMERO, CRISTINA.³ Faculdade Assis Gurgacz-FAG, Cascavel-PR,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA FUNCIONAL EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS COM DOENÇA DE ALZHEIMER

AVALIAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA FUNCIONAL EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS COM DOENÇA DE ALZHEIMER AVALIAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA FUNCIONAL EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS COM DOENÇA DE ALZHEIMER INDEPENDENCE FUNCTIONAL EVALUATION IN ELDERLY INSTITUTIONALIZED WITH ALZHEIMER'S DISEASE Juliana da Costa Santos

Leia mais

Doutorado em Ciências da saúde, ciências biológicas ou áreas afins e portadores do título de graduação em curso da área da saúde ou biológicas.

Doutorado em Ciências da saúde, ciências biológicas ou áreas afins e portadores do título de graduação em curso da área da saúde ou biológicas. Anexo I - Edital nº 94/20 Concurso Docente Lotação: Instituto de Ciências da Saúde, Regime de Trabalho de Dedicação Exclusiva.- e 1 vaga em regime de 40 horas Tema do Nº de Pontos das Provas Escrita e

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Disciplina: MFT-0377 Métodos de Avaliação Clínica e Funcional Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Leia mais

Mudanças demográficas e saúde no Brasil Dados disponíveis em 2008

Mudanças demográficas e saúde no Brasil Dados disponíveis em 2008 Mudanças demográficas e saúde no Brasil Dados disponíveis em 2008 José Cechin Superintendente Executivo Carina Martins Francine Leite Nos últimos meses, vários relatórios publicados por diferentes instituições

Leia mais

Análise da qualidade de vida de indivíduos com hérnia de disco lombar que estão sob tratamento fisioterapêutico conservador

Análise da qualidade de vida de indivíduos com hérnia de disco lombar que estão sob tratamento fisioterapêutico conservador Análise da qualidade de vida de indivíduos com hérnia de disco lombar que estão sob tratamento fisioterapêutico conservador Analysis of the quality of life of individuals with lumbar record hernia that

Leia mais

Imagem da Semana: Radiografia, Tomografia Computadorizada

Imagem da Semana: Radiografia, Tomografia Computadorizada Imagem da Semana: Radiografia, Tomografia Computadorizada Imagem 01. Radiografia em perfil da coluna lombossacral Paciente masculino, 45 anos, apresenta dor lombar há 4 meses e limitação dos movimentos

Leia mais

O acelerado ritmo de envelhecimento no Brasil cria novos desafios para a sociedade brasileira contemporânea. O envelhecimento ocorre num cenário de

O acelerado ritmo de envelhecimento no Brasil cria novos desafios para a sociedade brasileira contemporânea. O envelhecimento ocorre num cenário de Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 Programa de Melhoria da Qualidade de Vida dos Idosos Institucionalizados Área Temática de Saúde Resumo

Leia mais

Introdução: a homeostase orgânica pode ser alterada pelo exercício físico, através do incremento

Introdução: a homeostase orgânica pode ser alterada pelo exercício físico, através do incremento TCC em Re vista 2009 85 PRADO, Fernanda Peres 13. Análise do estresse oxidativo no plasma sanguíneo através da microscopia óptica em indivíduos submetidos à crioimersão corporal imediata ao esforço físico

Leia mais

INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA CARDIOVASCULAR NO PÓS- OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO

INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA CARDIOVASCULAR NO PÓS- OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA CARDIOVASCULAR NO PÓS- OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO Michael Jaickson de Jesus Chaves* NOVAFAPI Gilderlene Alves Fernandes** NOVAFAPI INTRODUÇÃO O coração é um

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO ASSOCIADO À AVALIAÇÃO DO EQUILÍBRIO DE IDOSOS COM HIPERTENSÃO EM UM PROGRAMA DE HIDROTERAPIA

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO ASSOCIADO À AVALIAÇÃO DO EQUILÍBRIO DE IDOSOS COM HIPERTENSÃO EM UM PROGRAMA DE HIDROTERAPIA 1 PERFIL EPIDEMIOLÓGICO ASSOCIADO À AVALIAÇÃO DO EQUILÍBRIO DE IDOSOS COM HIPERTENSÃO EM UM PROGRAMA DE HIDROTERAPIA EPIDEMIOLOGICAL PROFILE ASSOCIATED WITH THE EVALUATION OF THE BALANCE OF ELDERLEY WINTH

Leia mais

SÍNDROMES GERIÁTRICAS: PREVALÊNCIA DE FRAGILIDADE E IMOBILISMO EM UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS

SÍNDROMES GERIÁTRICAS: PREVALÊNCIA DE FRAGILIDADE E IMOBILISMO EM UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS SÍNDROMES GERIÁTRICAS: PREVALÊNCIA DE FRAGILIDADE E IMOBILISMO EM UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS Fernanda Diniz de Sá (UFRN) fedinizsa@yahoo.com.br Vanessa Mayra INTRODUÇÃO Um dos maiores

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste/Centro de Ciências da Saúde - Departamento de Enfermagem - Guarapuava PR

Universidade Estadual do Centro-Oeste/Centro de Ciências da Saúde - Departamento de Enfermagem - Guarapuava PR PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE IDOSOS INTERNADOS NA CLINICA MÉDICA E CLÍNICA CIRÚRGICA EM UM HOSPITAL DE GUARAPUAVA PARANÁ Michele Teixeira (CVI-UNICENTRO), Evani Marques Pereira (UNICENTRO), Evani Marques Pereira

Leia mais

ENVELHECIMENTO POPULACIONAL BRASILEIRO: O DESAFIO DA CAPACIDADE FUNCIONAL

ENVELHECIMENTO POPULACIONAL BRASILEIRO: O DESAFIO DA CAPACIDADE FUNCIONAL ENVELHECIMENTO POPULACIONAL BRASILEIRO: O DESAFIO DA CAPACIDADE FUNCIONAL Jorcely Victório Franco 1 José Rodrigo de Moraes 2 Palavras-chave: Envelhecimento; Funcionalidade; Modelo RESUMO O envelhecimento

Leia mais

Prevalência dos dez Distúrbios Ortopédicos mais Freqüentes na Clínica Escola de. Fisioterapia da UNISUL 1. Resumo

Prevalência dos dez Distúrbios Ortopédicos mais Freqüentes na Clínica Escola de. Fisioterapia da UNISUL 1. Resumo Prevalência dos dez Distúrbios Ortopédicos mais Freqüentes na Clínica Escola de Fisioterapia da UNISUL 1 Willian Margotti 2 Ralph Fernando Rosas 3 Resumo A ortopedia vem se destacando nos últimos anos.

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA INCIDÊNCIA DE LESÕES ESPORTIVAS DURANTE OS 53º JOGOS REGIONAIS

CARACTERIZAÇÃO DA INCIDÊNCIA DE LESÕES ESPORTIVAS DURANTE OS 53º JOGOS REGIONAIS CARACTERIZAÇÃO DA INCIDÊNCIA DE LESÕES ESPORTIVAS DURANTE OS 53º JOGOS REGIONAIS Beatriz de Vilas Boas de Oliveira 1, Keyleytonn Sthil Ribeiro 2 1 Faculdade de Pindamonhangaba, Curso de Fisioterapia, biavilasboas@yahoo.com.br

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO. Componente Curricular: Hidroterapia

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO. Componente Curricular: Hidroterapia CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Hidroterapia Código: Fisio 217 Pré-requisito: ------- Período Letivo: 2013.1 Professor:

Leia mais

IDOSOS COM HIPERTENSÃO: CARACTERÍSTICAS EPIDEMIOLÓGICAS NO MUNICIPIO DE FOZ DO IGUAÇU, PARANÁ, BRASIL.

IDOSOS COM HIPERTENSÃO: CARACTERÍSTICAS EPIDEMIOLÓGICAS NO MUNICIPIO DE FOZ DO IGUAÇU, PARANÁ, BRASIL. IDOSOS COM HIPERTENSÃO: CARACTERÍSTICAS EPIDEMIOLÓGICAS NO MUNICIPIO DE FOZ DO IGUAÇU, PARANÁ, BRASIL. Paulo Sergio Lemke (Apresentador) 1, Marcos Augusto Moraes Arcoverde (Orientado) 2 Curso de Enfermagem

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MEDICINA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MEDICINA EDITAL 57/2014 Processo Seletivo Simplificado para contratação de professores substitutos da Universidade Federal de Uberlândia UFU. PROGRAMA (TEMAS) 1- Sistematização da Assistência de Enfermagem 2- Ações

Leia mais

Análise da Prevalência e Epidemiologia da Catarata na População Atendida no Centro de Referência em Oftalmologia da Universidade Federal De Goiás

Análise da Prevalência e Epidemiologia da Catarata na População Atendida no Centro de Referência em Oftalmologia da Universidade Federal De Goiás Análise da Prevalência e Epidemiologia da Catarata na População Atendida no Centro de Referência em Oftalmologia da Universidade Federal De Goiás Lais Leão Oliveira 1, Marcos Pereira de Ávila 2, David

Leia mais

Área de Abrangência / População

Área de Abrangência / População QUALIDADE DE VIDA DOS PACIENTES COM AFECÇÕES MUSCULOESQUELÉTICAS RELACIONADAS AO TRABALHO ATENDIDOS NO CENTRO DE REFERÊNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR DO MUNICÍPIO DE GUARULHOS Elaine A. de Paula Orientador:

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO IDOSO NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA SOB A OTICA DO PROFISSIONAL

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO IDOSO NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA SOB A OTICA DO PROFISSIONAL 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO IDOSO NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA SOB A OTICA DO PROFISSIONAL Ruanna Gonçalves Holanda 1, Hellen Pollyanna

Leia mais

2002 Revisão de literatura, porém não descrito o método no artigo. 2002 Artigo de revista sem descrição de método. 2006 Estudo exploratóriodescritivo

2002 Revisão de literatura, porém não descrito o método no artigo. 2002 Artigo de revista sem descrição de método. 2006 Estudo exploratóriodescritivo DESAFIOS DE ENFERMAGEM: ATENDIMENTO DOMICILIAR A PACIENTES COM DEMÊNCIA Aristófenes Rolim de Holanda; Rosyara Lopes Vieira Sá; Aryslane Júlia Andrade Lustosa; Luis Henrique Rodrigues Nunes; Francisco Júnior

Leia mais

Considerada como elemento essencial para a funcionalidade

Considerada como elemento essencial para a funcionalidade 13 Epidemiologia e Flexibilidade: Aptidão Física Relacionada à Promoção da Saúde Gláucia Regina Falsarella Graduada em Educação Física na Unicamp Considerada como elemento essencial para a funcionalidade

Leia mais

MASSAGEM EM POPULAÇÃO IDOSA PREVENÇÃO E MANUTENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO

MASSAGEM EM POPULAÇÃO IDOSA PREVENÇÃO E MANUTENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO MASSAGEM EM POPULAÇÃO IDOSA PREVENÇÃO E MANUTENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO Prof. Esp.* ANDRÉ LEONARDO DA SILVA NESSI Prof. Ms.**AIDE ANGÉLICA DE OLIVEIRA Prof. Dra.*VILMA NATIVIDADE *Universidade Anhembi

Leia mais

ATUAÇÃO DA ATIVIDADE FÍSICA REGULAR NA ANSIEDADE E DEPRESSÃO EM IDOSOS

ATUAÇÃO DA ATIVIDADE FÍSICA REGULAR NA ANSIEDADE E DEPRESSÃO EM IDOSOS ATUAÇÃO DA ATIVIDADE FÍSICA REGULAR NA ANSIEDADE E DEPRESSÃO EM IDOSOS Thayla Sayuri Suzuki Calderon, Elaine Aparecida Lozano da Silva, Vinicius Gustavo Gimenes Turato, Giovana Renata Parizi Silva, Laís

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ÍNDIVIDUOS IDOSOS

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ÍNDIVIDUOS IDOSOS V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ÍNDIVIDUOS IDOSOS Flávia Regina Moleiro 1, Rose Mari Bennemann² RESUMO: O aumento da expectativa

Leia mais

SÍNDROME DO CUIDADOR: EM BUSCA DO EQUILÍBRIO ENTRE O CUIDAR E O CUIDAR-SE

SÍNDROME DO CUIDADOR: EM BUSCA DO EQUILÍBRIO ENTRE O CUIDAR E O CUIDAR-SE SÍNDROME DO CUIDADOR: EM BUSCA DO EQUILÍBRIO ENTRE O CUIDAR E O CUIDAR-SE Poliana Pereira Faculdade de Ciências Medicas de Campina Grande FCM (polianapereira7@hotmail.com) Isabella Barros Almeida Faculdade

Leia mais

ENVELHECIMENTO E HABITAÇÃO: UM OLHAR SOBRE O CONDOMÍNIO CIDADE MADURA EM CAMPINA GRANDE-PB

ENVELHECIMENTO E HABITAÇÃO: UM OLHAR SOBRE O CONDOMÍNIO CIDADE MADURA EM CAMPINA GRANDE-PB ENVELHECIMENTO E HABITAÇÃO: UM OLHAR SOBRE O CONDOMÍNIO CIDADE MADURA EM CAMPINA GRANDE-PB Valdênia Nogueira de Lima Universidade Estadual da Paraíba UEPB valdenianogueira@yahoo.com.br RESUMO Este artigo

Leia mais

PALAVRAS-CHAVES: Qualidade de vida. Idosos. Atividade física. Benefícios.

PALAVRAS-CHAVES: Qualidade de vida. Idosos. Atividade física. Benefícios. 197 QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS PRATICANTES DE ATIVIDADES FÍSICAS. Pricila Aparecida de Oliveira Cláudia Christina Mendes Rocha Deyliane Aparecida de Almeida Pereira RESUMO O objetivo deste estudo foi

Leia mais

Diário Oficial Imprensa Nacional. Nº 219 14/11/07 p.386

Diário Oficial Imprensa Nacional. Nº 219 14/11/07 p.386 Diário Oficial Imprensa Nacional. Nº 219 14/11/07 p.386 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL BRASÍLIA - DF MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 2.916, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2007 Exclui e inclui

Leia mais

Patologias da coluna vertebral

Patologias da coluna vertebral Disciplina de Traumato-Ortopedia e Reumatologia Patologias da coluna vertebral Prof. Marcelo Bragança dos Reis Introdução Escoliose idiopática Dorso curvo Cervicobraquialgia Lombalgia e lombociatalgia

Leia mais

COMPARAÇÃO DA TENS E CORRENTE INTERFERENCIAL EM LOMBALGIA RESUMO

COMPARAÇÃO DA TENS E CORRENTE INTERFERENCIAL EM LOMBALGIA RESUMO COMPARAÇÃO DA TENS E CORRENTE INTERFERENCIAL EM LOMBALGIA RESUMO Caroline Ramos Bulzing 1 Ralph Fernando Rosas 2 Foi realizado uma pesquisa experimental segundo Gil (1999, p.53) através de um estudo comparativo

Leia mais

Giselle de Abreu Ferreira ¹; Ana Karolina Paiva Braga ¹; Juliana Campos Rodovalho ¹; Mariana Atti ¹; Flávia Martins Gervásio ²

Giselle de Abreu Ferreira ¹; Ana Karolina Paiva Braga ¹; Juliana Campos Rodovalho ¹; Mariana Atti ¹; Flávia Martins Gervásio ² Avaliação epidemiológica de pacientes portadores de doenças reumáticas atendidos na Clínica Escola de Fisioterapia da Eseffego-UEG no período de 2006 a 2008 Giselle de Abreu Ferreira ¹; Ana Karolina Paiva

Leia mais

Programa Melhoria da Qualidade de Vida dos Idosos Institucionalizados

Programa Melhoria da Qualidade de Vida dos Idosos Institucionalizados Programa Melhoria da Qualidade de Vida dos Idosos Institucionalizados SIEXBRASIL: 17805 Área Temática Principal: Saúde Autores Professora Leani Souza Máximo Pereira - Doutora em Ciências Biológicas/UFMG

Leia mais

A PRÁTICA DA TERAPIA OCUPACIONAL NA ESTIMULAÇÃO COGNITIVA DE IDOSOS QUE FREQUENTAM CENTRO DE CONVIVÊNCIA.

A PRÁTICA DA TERAPIA OCUPACIONAL NA ESTIMULAÇÃO COGNITIVA DE IDOSOS QUE FREQUENTAM CENTRO DE CONVIVÊNCIA. A PRÁTICA DA TERAPIA OCUPACIONAL NA ESTIMULAÇÃO COGNITIVA DE IDOSOS QUE FREQUENTAM CENTRO DE CONVIVÊNCIA. MEDEIROS 1, Halessandra; MORAES 2, Berla; PEDROSA 3, Mayra; RIBEIRO 4, Lys. RESUMO Este estudo

Leia mais

AUTOR(ES): CAMILA QUINTELLA GONÇALVES, RAFAEL MONTEIRO BORGES, VANESSA FURTADO REIS

AUTOR(ES): CAMILA QUINTELLA GONÇALVES, RAFAEL MONTEIRO BORGES, VANESSA FURTADO REIS TÍTULO: QUALIDADE DE VIDA DE CUIDADORES DE IDOSOS COM DEMÊNCIA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU AUTOR(ES): CAMILA QUINTELLA

Leia mais

POSTURA CORPORAL/DOENÇAS OCUPACIONAIS: UM OLHAR DA ENFERMAGEM SOBRE AS DOENÇAS OSTEOARTICULARES

POSTURA CORPORAL/DOENÇAS OCUPACIONAIS: UM OLHAR DA ENFERMAGEM SOBRE AS DOENÇAS OSTEOARTICULARES Revista Eletrônica Novo Enfoque, ano 2013, v. 17, n. 17, p. 54 60 POSTURA CORPORAL/DOENÇAS OCUPACIONAIS: UM OLHAR DA ENFERMAGEM SOBRE AS DOENÇAS OSTEOARTICULARES BARBOSA, Bruno Ferreira do Serrado 1 SILVA,

Leia mais

Reabilitação Cardíaca A reabil

Reabilitação Cardíaca A reabil Reabilitação Cardíaca Reabilitação Cardíaca A reabilitação cardiovascular (RCV) pode ser conceituada como um ramo de atuação da cardiologia que, implementada por equipe de trabalho multiprofissional, permite

Leia mais

PERFIL BRASILEIRO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA FISIOTERAPIA EM ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO: REVISÃO SISTEMÁTICA

PERFIL BRASILEIRO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA FISIOTERAPIA EM ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO: REVISÃO SISTEMÁTICA PERFIL BRASILEIRO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA FISIOTERAPIA EM ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO: REVISÃO SISTEMÁTICA DE CARVALHO, P. E.; SALVADOR, C. A.; MIRANDA, T. T.; LOPES, J. Resumo: O acidente vascular

Leia mais

Trabalho apresentado no III Congresso Ibero-americano de Psicogerontologia, sendo de total responsabilidade de seu(s) autor(es).

Trabalho apresentado no III Congresso Ibero-americano de Psicogerontologia, sendo de total responsabilidade de seu(s) autor(es). OBSERVAÇOES SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE DA PESSOA IDOSA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE. Alex da Silva Xavier; Lílian Koifman. Universidade

Leia mais

PROJETOS ENCAMINHADOS EM 2006

PROJETOS ENCAMINHADOS EM 2006 PROJETOS ENCAMINHADOS EM 2006 Em 2006 foram encaminhados 372 projetos sendo 332 aprovados e 40 pendentes. Dos cursos: Administração Hospitalar, Biomedicina, Ciências Biológicas, Educação Física, Fisioterapia,

Leia mais

PROTOCOLOS DE REABILITAÇÃO CARDÍACA FASE II

PROTOCOLOS DE REABILITAÇÃO CARDÍACA FASE II PROTOCOLOS DE REABILITAÇÃO CARDÍACA FASE II III SIMPÓSIO DE FISIOTERAPIA EM CARDIOLOGIA 30 de Outubro a 02 de Novembro de 2004 DAIANA CRISTINE BÜNDCHEN INSTITUTO DE CARDIOLOGIA DE CRUZ ALTA-CT SERVIÇO

Leia mais

PROJETO 5S: HOSPITAL AMIGO DO IDOSO

PROJETO 5S: HOSPITAL AMIGO DO IDOSO PROJETO 5S: HOSPITAL AMIGO DO IDOSO Dr. Egídio Lima Dórea São Paulo 2013 INTRODUÇÃO PANORAMA ATUAL BUTANTÃ População atual: 400000 habitantes. População USP: 120000 habitantes. Total a ser abordado: 520000.

Leia mais

Comorbidade entre depressão e doenças clínicas em um ambulatório de geriatria.

Comorbidade entre depressão e doenças clínicas em um ambulatório de geriatria. Artigo Técnico Saúde Total Novembro / 2007 Comorbidade entre depressão e doenças clínicas em um ambulatório de geriatria. O envelhecimento populacional fará com que os médicos e profissionais de saúde,

Leia mais

ANALISE DO ÍNDICE DE DISFUNÇÕES TEMPOROMADIBULARES NOS ALUNOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FAP

ANALISE DO ÍNDICE DE DISFUNÇÕES TEMPOROMADIBULARES NOS ALUNOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FAP ANALISE DO ÍNDICE DE DISFUNÇÕES TEMPOROMADIBULARES NOS ALUNOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FAP ALMEIDA, A.A; FELIPE, D.M. RESUMO A síndrome da disfunção da ATM causada por processos multifatoriais, entre

Leia mais

INDICADORES SOCIAIS E CLÍNICOS DE IDOSOS EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO

INDICADORES SOCIAIS E CLÍNICOS DE IDOSOS EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO INDICADORES SOCIAIS E CLÍNICOS DE IDOSOS EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO Rosângela Alves Almeida Bastos - Universidade Federal da Paraíba- email: rosalvesalmeida2008@hotmail.com Maria das Graças Melo Fernandes

Leia mais

WESLLEY EPIFANIO SARMENTO¹ FRANCISCA MARIA M. SOBREIRA¹ ANA MARIA BRAGA DE OLIVEIRA 2

WESLLEY EPIFANIO SARMENTO¹ FRANCISCA MARIA M. SOBREIRA¹ ANA MARIA BRAGA DE OLIVEIRA 2 PESQUISA Revista Brasileira de Ciências da Saúde Research DOI:10.4034/RBCS.2014.18.01.04 Volume 18 Número 1 Páginas 27-32 2014 ISSN 1415-2177 Avaliação do Equilíbrio e da Mobilidade de Idosos após um Programa

Leia mais

ANÁLISE DE DADOS ESPIROMÉTRICOS EM ATLETAS DE HANDEBOL EM CADEIRA DE RODAS

ANÁLISE DE DADOS ESPIROMÉTRICOS EM ATLETAS DE HANDEBOL EM CADEIRA DE RODAS Os textos são de responsabilidade de seus autores. ANÁLISE DE DADOS ESPIROMÉTRICOS EM ATLETAS DE HANDEBOL EM CADEIRA DE RODAS Telma Aparecida Costa 1 Camila Regina Prodorutti 2 Cristiani Mozer 3 Marina

Leia mais

Trabalho apresentado no III Congresso Ibero-americano de Psicogerontologia, sendo de total responsabilidade de seu(s) autor(es).

Trabalho apresentado no III Congresso Ibero-americano de Psicogerontologia, sendo de total responsabilidade de seu(s) autor(es). CUIDADORES DE IDOSOS COM DOENÇA DE ALZHEIMER: CAPACIDADE FUNCIONAL DO IDOSO "VERSUS" AVALIAÇÃO DA SOBRECARGA DO CUIDADO Caroline Araújo Lemos*, Eudes Araújo Rocha*, Sara Salsa Papaleo*, Eulália Maria Chaves

Leia mais

Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional-FMUSP. Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João

Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional-FMUSP. Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Avaliação Fisioterapêutica do Cotovelo Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional-FMUSP Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada Articulação ulnoumeral ou troclear:

Leia mais

BRUXISMO EXCÊNTRICO COMO FATOR ETIOLÓGICO DE DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR

BRUXISMO EXCÊNTRICO COMO FATOR ETIOLÓGICO DE DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR BRUXISMO EXCÊNTRICO COMO FATOR ETIOLÓGICO DE DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR Gustavo Dias Gomes da Silva(1); Anna Kássia Tavares Alves Chaves Santiago Ana Isabella Arruda Meira Ribeiro (3); Alcione Barbosa

Leia mais

Introdução. Classificação Qualis/CAPES. Introdução. Religiosidade. Journal of Rehabilitation Medicine 2011; 43: 316 322. Papel protetor na saúde:

Introdução. Classificação Qualis/CAPES. Introdução. Religiosidade. Journal of Rehabilitation Medicine 2011; 43: 316 322. Papel protetor na saúde: Associação Médico-Espírita do Estado do Espírito Santo Departamento Acadêmico Estudo de Artigo Científico Afeta Saúde Mental, Dor e Qualidade de Vida em Pessoas Idosas em Ambulatório de Reabilitação Luiz

Leia mais

A prática de exercício físico pode ser utilizada como meio de tratamento da hipertensão arterial?

A prática de exercício físico pode ser utilizada como meio de tratamento da hipertensão arterial? A prática de exercício físico pode ser utilizada como meio de tratamento da hipertensão arterial? Enéas Van Der Maas do Bem Filho 1 Resumo As doenças cardiovasculares são as principais causas de morte

Leia mais

FISIOTERAPIA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES POR MEIO DE ATIVIDADES DE PROMOÇÃO, PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DA SAÚDE

FISIOTERAPIA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES POR MEIO DE ATIVIDADES DE PROMOÇÃO, PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DA SAÚDE FISIOTERAPIA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES POR MEIO DE ATIVIDADES DE PROMOÇÃO, PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DA SAÚDE GERMANO¹, Cristina de Fátima Martins; LEMOS², Moema Teixeira Maia; LIMA 3, Vânia Cristina Lucena;

Leia mais

TRATAMENTO CONSERVATIVO E CIRÚRGICO DE HÉRNIA DE DISCO (TIPO I) TORACOLOMBAR GRAU V EM CÃO RELATO DE CASO

TRATAMENTO CONSERVATIVO E CIRÚRGICO DE HÉRNIA DE DISCO (TIPO I) TORACOLOMBAR GRAU V EM CÃO RELATO DE CASO 1 TRATAMENTO CONSERVATIVO E CIRÚRGICO DE HÉRNIA DE DISCO (TIPO I) TORACOLOMBAR GRAU V EM CÃO RELATO DE CASO LYS DE BARROS FOGAGNOLI 1, MILTON MIKIO MORISHIN FILHO 2. 1- Graduanda Medicina Veterinária Universidade

Leia mais

PERFIL DEMOGRÁFICO DOS

PERFIL DEMOGRÁFICO DOS PERFIL DEMOGRÁFICO DOS FISIOTERAPEUTAS DA CIDADE DE LONDRINA/PR Trelha 1 Paulo Roberto Gutierrez 2 Ana Claudia Violino da Cunha 1 1 Docentes do Departamento de Fisioterapia, Universidade Estadual de londrina,

Leia mais

Analysis of life Quality according questionnaire SF-36 in a group of women participants an aquatic program: A field research

Analysis of life Quality according questionnaire SF-36 in a group of women participants an aquatic program: A field research Revista Científica Multidisciplinar das Faculdades São José ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA SEGUNDO O QUESTIONÁRIO SF-36 EM UM GRUPO DE MULHERES PARTICIPANTES DE UM PROGRAMA DE HIDROGINÁSTICA: UMA PESQUISA

Leia mais

Darla Silvana Risson Ranna

Darla Silvana Risson Ranna Darla Silvana Risson Ranna Economista MBA em Marketing e Gestão Executiva em Saúde Mestre em Gerontologia Biomédica Diretora Técnica da FACE Consultoria e Gestão em Saúde Cenário Demográfico do Envelhecimento

Leia mais

TREINO COGNITIVO E ENVELHECIMENTO: na busca da autonomia dos idosos

TREINO COGNITIVO E ENVELHECIMENTO: na busca da autonomia dos idosos TREINO COGNITIVO E ENVELHECIMENTO: na busca da autonomia dos idosos Samara Pereira Cabral - UFPB samarapcj@hotmail.com Monica Dias Palitot - UFPB monicadiaspt@yahoo.com.br Joseane da Silva Meireles - UFPB

Leia mais

FATORES DETERMINANTES DO ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL: REVISÃO DE LITERATURA

FATORES DETERMINANTES DO ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL: REVISÃO DE LITERATURA FATORES DETERMINANTES DO ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL: REVISÃO DE LITERATURA REJANE MARIE BARBOSA DAVIM MYLLA GABRIELLE SOARES DE ARAÚJO RICHARDSON AUGUSTO ROSENDO DA SILVA JOÃO CARLOS ALCHIERI VILANI MEDEIROS

Leia mais

ANÁLISE DE IDOSOS DIAGNOSTICADOS COM DEPRESSÃO ASSISTIDOS PELA OPERADORA AFRAFEP-SAÚDE

ANÁLISE DE IDOSOS DIAGNOSTICADOS COM DEPRESSÃO ASSISTIDOS PELA OPERADORA AFRAFEP-SAÚDE ANÁLISE DE IDOSOS DIAGNOSTICADOS COM DEPRESSÃO ASSISTIDOS PELA OPERADORA AFRAFEP-SAÚDE Autor: Francisco Júnior Pereira Leite; Co-autor: Aristófenes Rolim de Holanda Associação dos Auditores Fiscais do

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS BENEFICIÁRIOS DA MODALIDADE DE ASSISTÊNCIA CENTRO DE CONVIVÊNCIA DO MUNICÍPIO DE OSASCO EM FUNÇÃO DA

ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS BENEFICIÁRIOS DA MODALIDADE DE ASSISTÊNCIA CENTRO DE CONVIVÊNCIA DO MUNICÍPIO DE OSASCO EM FUNÇÃO DA ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS BENEFICIÁRIOS DA MODALIDADE DE ASSISTÊNCIA CENTRO DE CONVIVÊNCIA DO MUNICÍPIO DE OSASCO EM FUNÇÃO DA PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA REGULAR ANALYSIS OF THE ELDERLY S

Leia mais

COMPLICAÇÕES DECORRENTES DA DIABETES: RELATO DE CASO

COMPLICAÇÕES DECORRENTES DA DIABETES: RELATO DE CASO COMPLICAÇÕES DECORRENTES DA DIABETES: RELATO DE CASO Adelita Iatskiu (UNICENTRO), Amanda Constantini (UNICENTRO), Carolina G. de Sá (UNICENTRO), Caroline M. Roth ((UNICENTRO), Cíntia C. S. Martignago (UNICENTRO),

Leia mais

CUIDADORES INFORMAIS DE PACIENTES ATENDIDOS NO AMBULATÓRIO DE TERAPIA OCUPACIONAL: COTIDIANO E SOBRECARGA

CUIDADORES INFORMAIS DE PACIENTES ATENDIDOS NO AMBULATÓRIO DE TERAPIA OCUPACIONAL: COTIDIANO E SOBRECARGA CUIDADORES INFORMAIS DE PACIENTES ATENDIDOS NO AMBULATÓRIO DE TERAPIA OCUPACIONAL: COTIDIANO E SOBRECARGA Catherine Amorim Krön Faculdade de Terapia Ocupacional Centro de Ciências da Vida catherine.ak@puccampinas.edu.br

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA DA FEFD/UFG 1 NA ÁREA DO ENVELHECIMENTO

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA DA FEFD/UFG 1 NA ÁREA DO ENVELHECIMENTO O ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA DA FEFD/UFG 1 NA ÁREA DO ENVELHECIMENTO Juliana Paula Balestra Soares Joelma Cristina Gomes Carmencita Márcia Balestra Faculdade

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA E BEM-ESTAR SUBJETIVO NA TERCEIRA IDADE QUALITY OF LIFE AND SUBJECTIVE WELL-BEING IN THE THIRD AGE

QUALIDADE DE VIDA E BEM-ESTAR SUBJETIVO NA TERCEIRA IDADE QUALITY OF LIFE AND SUBJECTIVE WELL-BEING IN THE THIRD AGE 624 QUALIDADE DE VIDA E BEM-ESTAR SUBJETIVO NA TERCEIRA IDADE RACHEL SHIMBA CARNEIRO é Doutora em Psicologia Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ. E-mail: rachelshimba@yahoo.com.br

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA ENTRE IDOSOS SEDENTÁRIOS CORALISTAS E NÃO CORALISTAS

QUALIDADE DE VIDA ENTRE IDOSOS SEDENTÁRIOS CORALISTAS E NÃO CORALISTAS 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 QUALIDADE DE VIDA ENTRE IDOSOS SEDENTÁRIOS CORALISTAS E NÃO CORALISTAS Raphaella Ortega Leite 1, Eveline Campaneruti Esteves¹; Siméia Gaspar Palácio 2

Leia mais

Prof. Orientador :Antonio Henrique Semençato Junior juniorfisiouti@hotmail.com Centro de Reabilitação Dom Bosco RESUMO

Prof. Orientador :Antonio Henrique Semençato Junior juniorfisiouti@hotmail.com Centro de Reabilitação Dom Bosco RESUMO APRECIAÇÃO NÃO INVASIVA DA FREQUÊNCIA CARDÍACA, PRESSÃO ARTERIAL E SATURAÇÃO PERIFÉRICA DE OXIGÊNIO, ANTES E APÓS INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA RESPIRATÓRIA E MOTORA EM PACIENTES ADULTOS NO CENTRO DE TERAPIA

Leia mais

O PERFIL DOS PACIENTES ATENDIDOS PELO PROGRAMA DE ASSISTENCIA E INTERNAÇÃO DOMICILIAR-PAID NO MUNICIPIO DE CASCAVEL -PR

O PERFIL DOS PACIENTES ATENDIDOS PELO PROGRAMA DE ASSISTENCIA E INTERNAÇÃO DOMICILIAR-PAID NO MUNICIPIO DE CASCAVEL -PR O PERFIL DOS PACIENTES ATENDIDOS PELO PROGRAMA DE ASSISTENCIA E INTERNAÇÃO DOMICILIAR-PAID NO MUNICIPIO DE CASCAVEL -PR ROSANI DA ROSA BENDO 1 LAIS PRISCILA FAGHERAZZI 2 MARA LUCIA RENOSTRO ZACHI 3 INTRODUÇÃO:

Leia mais

RESUMO: Os tecidos moles podem ser lesados e com essa lesão o. Palavras chave: crioterapia, lesões de tecidos moles, fase aguda.

RESUMO: Os tecidos moles podem ser lesados e com essa lesão o. Palavras chave: crioterapia, lesões de tecidos moles, fase aguda. O USO DA CRIOTERAPIA NAS LESÕES AGUDAS DE TECIDO MOLE RESUMO: Os tecidos moles podem ser lesados e com essa lesão o organismo responde através do mecanismo de inflamação e o uso da crioterapia vai amenizar

Leia mais

INTERFERÊNCIA DO DIABETES MELLITUS NA QUALIDADE DE VIDA DE USUÁRIOS DA ATENÇÃO BÁSICA EM BLUMENAU - SC

INTERFERÊNCIA DO DIABETES MELLITUS NA QUALIDADE DE VIDA DE USUÁRIOS DA ATENÇÃO BÁSICA EM BLUMENAU - SC INTERFERÊNCIA DO DIABETES MELLITUS NA QUALIDADE DE VIDA DE USUÁRIOS DA ATENÇÃO BÁSICA EM BLUMENAU - SC Autores: Eduardo José Cecchin(1), Luiza Pinto de Macedo Soares(1), José Augusto Bach Neto(1), João

Leia mais

PARTE I SAE X PROCESSO DE ENFERMAGEM

PARTE I SAE X PROCESSO DE ENFERMAGEM PARTE I SAE X PROCESSO DE ENFERMAGEM - SAE é uma metodologia científica que vem sendo cada vez mais implementada na prática assistencial, conferindo maior segurança aos pacientes, melhora da qualidade

Leia mais

HIV e Acupuntura: Perspectivas e Qualidade de Vida

HIV e Acupuntura: Perspectivas e Qualidade de Vida HIV e Acupuntura: Perspectivas e Qualidade de Vida Dr Marco Broitman Unidade de Medicinas Tradicionais SMS São Paulo Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo Hospital Estadual Mário Covas de

Leia mais

TÍTULO: REEDUCAÇÃO POSTURAL GLOBAL COMO ESTRATEGIA DE TRATAMENTO PRA PACIENTES COM DPOC INSERIDOS EM UM PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PULMONAR

TÍTULO: REEDUCAÇÃO POSTURAL GLOBAL COMO ESTRATEGIA DE TRATAMENTO PRA PACIENTES COM DPOC INSERIDOS EM UM PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PULMONAR TÍTULO: REEDUCAÇÃO POSTURAL GLOBAL COMO ESTRATEGIA DE TRATAMENTO PRA PACIENTES COM DPOC INSERIDOS EM UM PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PULMONAR CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA:

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES RENAIS CRÔNICOS EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO.

QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES RENAIS CRÔNICOS EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO. Faculdade de Ciências da Educação e Saúde- FACES Curso de Enfermagem QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES RENAIS CRÔNICOS EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO. Rachel Kreimer Raizer Serrate. Monografia em Forma de artigo

Leia mais

PLANO DE ENSINO 3 º 2014 160

PLANO DE ENSINO 3 º 2014 160 PLANO DE ENSINO DISCIPLINA SÉRIE PERÍODO LETIVO CARGA HORÁRIA Enfermagem em Saúde da Criança e do Adolescente 3 º 2014 160 I EMENTA Análise e estudo do indivíduo do período de lactência até a adolescência,

Leia mais

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA ROSEMARA SANTOS DENIZ AMARILLA (1), BRUNO BORSATTO (2), RODRIGO EDUARDO CATAI (3) (1) Mestrado em Engenharia Civil / UTFPR

Leia mais

Palavras-chave: funcionalidade, deficiência física, integralidade da assistência, Classificação Internacional de Funcionalidade

Palavras-chave: funcionalidade, deficiência física, integralidade da assistência, Classificação Internacional de Funcionalidade A aplicação da Classificação Internacional de Funcionalidade da OMS como indicador de saúde funcional e estratégia de gestão pública no Centro de Reabilitação e Fisioterapia de Anápolis Andréa Souza ROCHA¹;

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES CADASTRADOS NO SISTEMA HIPERDIA DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA, RS

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES CADASTRADOS NO SISTEMA HIPERDIA DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA, RS PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES CADASTRADOS NO SISTEMA HIPERDIA DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA, RS Michele Muller 1 Gabriele Bester Hermes 2 Liziane Maahs Flores 3 1 Apresentadora, Acadêmica do Curso

Leia mais

Efeitos dos exercícios resistidos nos indicadores de normalidade de força dos músculos respiratórios de idosos

Efeitos dos exercícios resistidos nos indicadores de normalidade de força dos músculos respiratórios de idosos Efeitos dos exercícios resistidos nos indicadores de normalidade de força dos músculos respiratórios de idosos VANDERSON CUNHA DO NASCIMENTO 1 JOSIANE DA SILVA TRINDADE 2 EDILÉA MONTEIRO DE OLIVEIRA 3

Leia mais