Data: 2 Fevereiro 2012

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Data: 2 Fevereiro 2012"

Transcrição

1 Data: 2 Fevereiro 2012 Assunto: Agrocluster Página: 18 e 19

2

3 Assunto: Agrocluster recebe selo Bronze Página: 23 Data: 2 Fevereiro 2012

4 Data: 1 Março 2012 Assunto: Agrocluster e Inovcluster articulam projetos Página: 23 Assunto: Câmara de Coruche adere ao Agrocluster Data: 3 Março 2012 Página: online

5 Assunto: Monliz Data: 4 Março 2012 Página: online

6 Assunto: Agrocluster Data: 20 Março 2012 Página: online O próprio governo reconheceu o interesse em trabalhar numa base de cooperação TERÇA, 20 MARÇO :44 Diretamente ligado ao setor agroindustrial, o Agrocluster Ribatejo-Portugal pretende promover a cooperação entre as empresas da fileira, encorajando a competitividade e contribuindo para o desenvolvimento de um dos setores mais importantes desta região. Entre os seus associados, contam-se nomes como a Compal, a Unicer e a Bonduelle.... Responsável por um volume de negócios de 1,395 mil milhões de euros, 4,500 postos de trabalho, 347 milhões de euros em exportações e 63 por cento da superfície agrícola utilizada no continente, o Agrocluster foi fundado em 2009, no seguimento de uma candidatura ao programa COMPETE. Com 66 associados de momento, o cluster tem como objetivo manter o foco em toda a fileira, partindo da produção agrícola e apoiando as empresas na conquista de novos mercados, nacionais e internacionais. Carlos Sousa, presidente do Agrocluster, explica a nossa atuação baseia-se na interação. Desenvolvemos fundamentalmente a cooperação entre empresas com necessidades complementares. É também missão do cluster incentivar a competitividade, através da internacionalização e da inovação. A primeira passa pelo estudo aprofundado daquilo que cada fileira e região têm para oferecer. Isto significa que não basta olhar para a internacionalização de forma padronizada, é necessário adotar a oferta internacional à própria dimensão das empresas e nem todas têm capacidade de exportar. Estamos inseridos naquilo que é uma plataforma única para a

7 internacionalização dos produtos nacionais mas temos de dar a esta questão uma atenção muito particular, numa lógica de proximidade. Fomos indicados pelo Ministério da Agricultura como parceiros da definição da estratégia global para a internacionalização dos produtos agroindustriais e estamos conscientes que temos de ir lá para fora, temos é de ser racionais, explica Carlos Sousa. Quanto à inovação, a forma de atuação do Agrocluster passa por dar a conhecer às empresas aquilo que de bom se faz, funcionando assim como uma ponte para o desenvolvimento. Mas Carlos Sousa deixa duas ressalvas, o cluster em si não vai fazer inovação, eu digo isto muitas vezes isto, caso contrário amanhã já somos centro tecnológico. Para além disso, a inovação, muitas vezes, é entendida como algo que surge de novo, fruto de grandes avanços ao nível da investigação. É preciso libertá-la dessa associação sistemática e projetá-la na oportunidade e na antecipação. Uma boa cópia é inovação, qualquer coisa que é conhecida na China, e aqui não, é inovação. Pesada carga fiscal e elevados custos no financiamento O Agrocluster é, segundo Carlos Sousa, uma iniciativa que se arranca de cima para baixo, o próprio governo reconheceu o interesse em trabalhar numa base de cooperação. No entanto, também as empresas têm de reconhecer-se nessa estratégia porque, segundo o mesmo, eu acredito nesta política, mas isso vale o que vale. É preciso a aceitação das empresas e, como tal, eu tenho de ser eficiente naquilo que faço e ter a capacidade de demonstrar a bondade desta política. O Agrocluster é apoiado pelo QREN/Compete e trabalha numa relação de proximidade com o Ministério da Agricultura (Direcção Regional), outros Clusters nomeadamente o InovCluster e a AICEP que identifica oportunidades dentro das empresas inseridas nesta estratégia de cooperação e promove a vinda de importadores. No entanto, no panorama económico com que nos deparamos, as próprias linhas de apoio têm sérios constrangimentos, que se traduzem numa desmobilização por parte das empresas. Mais do que isso, as pesadas cargas fiscais, o elevado peso do Estado na economia e o custo do dinheiro, levam a que as empresas fiquem com pouca margem de manobra. Particularmente no plano agrícola, a banca tirou o apoio e os produtores têm sentido isso. Para mim é uma questão de política económica. Tem sido exigido muito esforço em termos de receita fiscal mas, temos visto muito pouca coisa naquilo que é o apoio às empresas e a redução do peso do Estado, explica Carlos Sousa. Outro fator que determina algumas desvantagens competitivas do sector agro-industrial em Portugal, nomeadamente quando comparado à vizinha Espanha, é o facto de a carga de consumo energético nos produtos transformados ser da ordem dos 10 a 20 por cento, o que condiciona de sobremaneira a sua competitividade na concorrência com países cujos tarifários energéticos são mais baixos. Carlos Sousa é defensor de uma política de territorialidade, em que o país estaria dividido em três grandes zonas (Norte, Centro e Sul), de acordo com a especificidade de cada região. Esta divisão não se traduziria em fronteiras bem divididas, mas sim numa maior articulação em termos de esforço dos diferentes clusters, a partir da qual emergiria de forma natural uma plataforma que desse maior consistência a uma política nacional.

8 Data: 26 Abril 2012 Assunto: Agrocluster Página: 09

9 Data: 2 Maio 2012 Assunto: Agrocluster Página: 5 e 6

10 Assunto: Distinção Agrocluster Data: 7 Maio 2012 Página: online

11 Assunto: Quinta do Côro Data: 11 maio 2012 Página:

12 Assunto: Encontro Internacional de Clusters Data: 28 Maio 2012 Página: online

13 Assunto: Encontro Internacional de Clusters Data: 28 Maio 2012 Página: online

14 Assunto: Encontro Internacional de Clusters Data: 31 Maio 2012 Página:

15 Data: 31 Maio 2012 Assunto: Encontro Internacional de Clusters Página: 4

16 Data: Maio 2012 Assunto: Internacionalização Página: 3 Assunto: Assinatura de protocolo de colaboração Data: 06 Junho 2012 Página: online

17 Assunto: Assinatura de protocolo de colaboração Data: 06 Junho 2012 Página: online Assunto: Assinatura de protocolo de colaboração Data: 06 Junho 2012 Página: online

18 Assunto: Assinatura de protocolo de colaboração Data: 06 Junho 2012 Página: online Agrocluster Ribatejo assina acordo com rede francesa O Agrocluster Ribatejo assinou um acordo de cooperação com o Plant InterCluster (PIC), rede francesa que integra cinco clusters, para a internacionalização das duas organizações e das empresas associadas, bem como partilha de experiências e conhecimento. O acordo foi assinado durante o II Encontro Internacional de Clusters, que termina hoje em Torres Novas. O evento teve o primeiro dia de trabalho na terça-feira, no âmbito da Fersant - Feira Empresarial da Região de Santarém, que decorre em paralelo com a Feira Nacional da Agricultura. Para o presidente do Agocluster Ribatejo, Carlos Lopes de Sousa, o acordo assinado com o PIC é o ponto de partida para "novos negócios, partilha de recursos, geração de oportunidades e abertura de mercados às empresas", visando "o progresso do setor agroindustrial". Gino Boismorin, coordenador do PIC, lembrou "que Portugal e França partilham várias particularidades e que este tipo de protocolos potencia a cooperação e a partilha de experiências e conhecimento e poderá resultar em negócios nos próximos anos". O acordo de cooperação visa desenvolver uma estratégia conjunta para a cooperação internacional, identificar e implementar atividades que podem ajudar a promover os negócios entre as empresas representadas pelos membros da rede e oferecer um suporte às empresas para a realização de negócios. Por outro lado, permitirá explorar a possibilidade de preparar projetos conjuntos que possam ser apresentados aos programas europeus, identificar oportunidades de cooperação entre parceiros tecnológicos e para apoiar as pequenas e médias empresas em matéria de inovação. As duas entidades comprometem-se a envolver um grupo de atores relevantes na fileira agroindustrial, promover o intercâmbio de experiências e conhecimento entre os membros da rede, através da organização de conferências, seminários, formação profissional, estágios e outras atividades. Anualmente, vai passar a realizar-se uma reunião para troca de experiências, identificação e implementação de atividades que podem ajudar a internacionalização das empresas e proporcionar a partilha de experiências em áreas diversas, afirma uma nota do Agrocluster Ribatejo. O tema do II Encontro Internacional de Clusters do setor agroindustrial é a inovação, contando o evento com a participação de mais de 60 entidades (entre clusters, pólos, universidades, centros tecnológicos, organismos públicos e outras instituições do setor agroindustrial) de Portugal, Espanha, França, Itália, Grécia, Canadá, Brasil e Polónia. O Agrocluster Ribatejo foi constituído em 2009 e conta com 75 associados, sendo responsável por um volume de negócios de 1700 milhões de euros, 5 mil postos de trabalho, 400 milhões de euros em exportações e 63% da superfície agrícola utilizada no continente na sua área de intervenção (Ribatejo e Alentejo).

19 Assunto: Assinatura de protocolo de colaboração Data: 06 Junho 2012 Página: online

20 Assunto: Assinatura de protocolo de colaboração Data: 06 Junho 2012 Página: online Assunto: Assinatura de protocolo de colaboração Data: 06 Junho 2012 Página: online

21 Assunto: Encontro Internacional de Clusters Data: 07 Junho 2012 Página:

22 Data: 08 Junho 2012 Assunto: Organização de Encontro Internacional de Clusters Página: 45 Assunto: Encontro Internacional de Clusters Data: 08 Junho 2012 Página: online

23 Data: Junho 2012 Assunto: Plant Intercluster Meeting Página: 5

24 Assunto: Lactaçores Data: 12 Junho 2012 Página: online

25 Revista Voz do campo (www.vozdocampo.pt) Assunto: Receção de Importadores Data: 19 Junho 2012 Página: online

26 Assunto: Receção de Importadores Data: 25 Junho 2012 Página: online

27 DATA: 28 Junho 2012 Assunto: Visita importadores alemães Página: 24 DATA: 29 Junho 2012 Assunto: Assinatura Protocolo AgroCluster / PIC Página: 11

28 Data: 12 Julho 2012 Assunto: Agrocluster orador na Sial Brasil Página: 18

29 Assunto: AgroCluster orador na SIAL Brasil Data: 25 Julho 2012 Página: Economia_07

30 DATA: 26 julho 2012 Assunto: Desenvolvimento do sector industrial Página: 30-31

31 Dinheiro Vivo Data: 27 setembro 2012 Assunto: STI Gerador Eólico BOREAS Página: online Fonte:

32 Assunto: Candidatura ao programa Life Página: 7 Data: 2 Outubro 2012 Data: 04 outubro 2012 Assunto: Candidatura LIFE Página: 12

33 Assunto: Candidatura LIFE Página: 19 DATA: 04 outubro 2012

34 Assunto: Candidatura LIFE Página: 7 Data: 04 outubro 2012

35 Assunto: Candidatura ao programa Life Página: 6 Data: 6 Outubro 2012

36 Assunto: Importadores Alemães Data: 08 outubro 2012 Página: online

37 Assunto: AgroCluster Importadores alemães Página: 6 Data: 11 Outubro 2012

38 Assunto: STI - Apresentação Gerador Eólico BOREAS Página: 16 Data: 12 Outubro 2012

39 Assunto: Candidatura AgroCluster/ NERSANT ao LIFE Página: 16 Data: 12 Outubro 2012

40 Assunto: Candidatura ao LIFE Página: 6 Data: 16 outubro 2012

41 Data: 18 outubro 2012 Assunto: Importadores Alemães Página: 26

42 Assunto: Alemães compram produtos do Ribatejo Data: 18 Outubro 2012 Página: online

43 Assunto: Investidores Alemães Data: 18 outubro 2012 Página: online

44 Assunto: Candidatura LIFE Página: 30 Data: 19 outubro 2012

45 Assunto: Alemães compram produtos do Ribatejo Página: 19 Data: 19 Outubro 2012

46 Assunto: SIAL PARIS Data: 19 outubro 2012 Página: online

47 Assunto: SIAL PARIS Data: 25 outubro 2012 Página: capa economia Assunto: Rações Zêzere recebe certificação Ambiental Data: Página: online É com grande prazer e satisfação, que informamos todos os nossos clientes, fornecedores, parceiros, amigos em geral e toda a comunidade, que a nossa empresa conseguiu mais um objetivo pelo qual se empenhou com grande dedicação de todos os seus colaboradores: Tornou-se a primeira empresa do seu setor a ser certificada em Qualidade ISO 9001, em Segurança Alimentar ISO e agora em Gestão Ambiental ISO pela Associação Portuguesa de Certificação. Conscientes da necessidade de preservar o ambiente para as gerações futuras, esta empresa, decidiu ir muito mais além do que a lei exige, tornando-se a primeira e única empresa de rações do País a ter esta certificação. Juntos pelo Ambiente, para a Sustentabilidade do Planeta. Contem connosco nesse objetivo, que é um dever de todos.

48 Assunto: Sial Paris Data: 25 Outubro 2012 Página: online

49 Assunto: AgroCluster Página: 9 Data: 26 outubro 2012

50 Assunto: Sial Paris Página: 6 Data: 26 outubro 2012

51 Assunto: Clusters lideram reindustrialização Página: 28 Data: 29 Outubro 2012

52 Assunto: Mendes Gonçalves Data: 29 outubro 2012 Página: online O vinagre de Figo em spray da Mendes Gonçalves foi o produto mais inovador do mercado português em 2011! Quem o afirmou foram as grandes cadeias de distribuição em Portugal. O produto mais inovador e com maior sucesso no mercado - são estes os critérios que levaram que, no âmbito dos prémios SIAL D'OR, o Vinagre de Figo tivesse obtido esta importante distinção. O prémio foi entregue na passada 2ª.feira na SIAL Paris - um dos maiores salões alimentares do mundo, que reúne mais de 6000 empresas expositoras provenientes dos 5 continentes. Não obstante, o próprio Vinagre de Figo esteve, no decorrer do certame, exposto junto dos produtos inovadores com maior sucesso de mercado no mundo! Um destaque bastante relevante para a Mendes Gonçalves que beneficiou de muitas visitas ao seu stand (localizado no stand conjunto da Portugal Foods) Com este prémio, a Mendes Gonçalves voltou a representar Portugal com a bandeira da inovação, reforçando a sua missão de valorizar tanto o vinagre, como a produção nacional.

53 Assunto: Cooperação empresarial com Estado brasileiro da Bahia Data: 1 Novembro 2012 Página: online

54 Assunto: Cooperação empresarial com Estado brasileiro da Bahia Data: 2 Novembro 2012 Página: online Ribatejo enceta cooperação empresarial com Estado brasileiro da Bahia Com o objetivo de conhecer a região do Ribatejo e as suas oportunidades, uma comitiva de empresários brasileiros está de visita à região, tendo sido recebida pela NERSANT e pelo AgroCluster Ribatejo em Torres Novas :41:09 Durante a sessão, que teve como objetivo promover a cooperação empresarial entre os dois países, ficou garantida a realização de uma missão empresarial ribatejana à região da Bahia, em maio e a receção de uma delegação da Bahia durante a FERSANT / Feira Nacional da Agricultura. O Fórum Exportar Brasil, organizado pela NERSANT e pelo AgroCluster, foi um sucesso, devido à abertura para a concretização de alianças comerciais entre Portugal e Brasil. Durante a sessão, onde forma apresentadas as oportunidades de negócio do Ribatejo e do Estado brasileiro da Bahia, o Secretário de Agricultura do Estado da Bahia, Eduardo Salles, explicou que a visita à região do Ribatejo se insere numa missão empresarial a Portugal, Espanha e França, e que tem como objetivo fazer prospeção de negócios nos setores ligados aos queijos, presuntos, enchidos e vinhos. A região bahiana tem um grande potencial de produção, mas ao longo dos anos esqueceu-se da agroindustrialização. Viemos aprender com quem já sabe. Portugal tem um know-how muito grande na produção de enchidos e presuntos, com tecnologia e qualidade, e na produção de vinhos, com tecnologia e tradição. De facto, fez saber Eduardo Salles, a indústria agroalimentar é o setor forte do Estado da Bahia, mas que apresenta carência de agregação e tecnologia que lhe permita ganhar escala. O Secretário da Agricultura do Estado da Bahia lançou ainda o repto à NERSANT e ao AgroCluster, bem como a todas as empresas presentes, para a criação de joint-ventures e parcerias com empresas portuguesas, para que sejam ultrapassadas as carências tecnológicas que a agroindústria bahiana possui. A participação em feiras agroindustriais surgiu pela voz de António Coradinho, Presidente da Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil Bahia, que convidou a NERSANT a estar presente, com um conjunto de empresários portugueses, na Bahia Farm Show, maior vitrine do agronegócio da Bahia e hoje é considerada uma das mais importantes feiras de tecnologia agrícola e negócios do Brasil, e que se vai realizar em maio do próximo ano. A NERSANT e o AgroCluster aceitaram o desafio e ripostaram. A NERSANT, enquanto organizador da FERSANT Feira Empresarial da Região de Santarém, e coorganizador da Feira Nacional da Agricultura, maior certame agroindustrial português, terá todo o gosto em receber uma comitiva de empresários da Bahia, em junho de 2013, declarou Pedro Félix, vice-presidente da comissão executiva da NERSANT, acrescentando que ao mesmo tempo vai começar a identificar um conjunto de empresários para estar na Bahia em maio.

55 Durante a sessão, a região do Ribatejo foi ainda caraterizada como um tecido empresarial diversificado, com predominância de alguns setores económicos, como a metalomecânica de precisão, a indústria dos curtumes, a exploração florestal, o turismo, hotelaria e desporto, e ainda o setor logístico, devido à centralidade da região e vias de comunicação existentes. No entanto, ressalvou Pedro Félix, a região do Ribatejo é uma região com culturas agrícolas e produtos agroindustriais altamente competitivos, à semelhança do que acontece com o Estado da Bahia. O AgroCluster Ribatejo foi apresentado pelo seu presidente da direção, Carlos Lopes de Sousa, que se mostrou bastante satisfeito com a receção das empresas brasileiras na região. O facto de terem vindo significa que temos capacidade de trabalharmos juntos, disse Carlos Lopes de Sousa, acrescentando que o AgroCluster Ribatejo está disponível para trabalhar de forma partilhada e para dialogar com o Brasil, aliás, país com o qual o AgroCluster Ribatejo já possui algumas ligações. Na plateia, estiveram presentes diversas empresas brasileiras do setor agroindustrial, bem como algumas entidades brasileiras, como o SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Agência, e diversas empresas portuguesas interessadas em ouvir as oportunidades deste mercado brasileiro. Assunto: Agrocluster promove negócios no Brasil Página: 16 Data: 2 Novembro 2012

56 Assunto: Ribatejo Exporta Data: 2 Novembro 2012 Página:

57 Assunto: Agrocluster promove negócios no Brasil Data: 2 Novembro 2012 Página: online

REVISTA DE IMPRENSA_2013_1

REVISTA DE IMPRENSA_2013_1 Assunto: Seminário Pegada de carbono DATA: 08 janeiro 2013 Página: online http://www.pofc.qren.pt/media/agenda/entity/seminario--pegada-de-carbono Assunto: Seminário Pegada de carbono DATA: 11 janeiro

Leia mais

Portugal 2020 O Financiamento às Empresas. Empreender, Inovar, Internacionalizar. Speaking Notes. Fevereiro 10, 2015. Vila Nova de Famalicão

Portugal 2020 O Financiamento às Empresas. Empreender, Inovar, Internacionalizar. Speaking Notes. Fevereiro 10, 2015. Vila Nova de Famalicão Portugal 2020 O Financiamento às Empresas Empreender, Inovar, Internacionalizar Speaking Notes Fevereiro 10, 2015 Vila Nova de Famalicão Casa das Artes Miguel Frasquilho Presidente, AICEP Portugal Global

Leia mais

A inovação e essencial à competitividade

A inovação e essencial à competitividade Crédito A inovação e essencial à competitividade das empresas Financiamento para a inovação e desenvolvimento do sector agrícola, agro-alimentar e florestal sai reforçado no mais recente Quadro Comunitário

Leia mais

Ações de capacitação empresarial

Ações de capacitação empresarial AÇÕES COLETIVAS - ATIVIDADES DE APOIO À EXPORTAÇÃO Acores Export -2016 Introdução Este documento é desenvolvido com base na informação recolhida junto das principais empresas exportadoras que contribuíram

Leia mais

Novo Modelo para o Ecossistema Polos e Clusters. Resposta à nova ambição económica

Novo Modelo para o Ecossistema Polos e Clusters. Resposta à nova ambição económica Novo Modelo para o Ecossistema Polos e Clusters Novo Modelo para o Ecossistema Polos e Clusters Resposta à nova ambição económica Resposta à nova ambição económica 02-07-2012 Novo Modelo para o Ecossistema

Leia mais

POLÍTICAS PARA A EXPORTAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA AGROALIMENTAR

POLÍTICAS PARA A EXPORTAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA AGROALIMENTAR POLÍTICAS PARA A EXPORTAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA AGROALIMENTAR Contributos para uma Visão Estratégica Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares A Indústria Portuguesa Agroalimentar

Leia mais

diretamente na fatura energética, o que equivale a mais de 23GWh de energia.

diretamente na fatura energética, o que equivale a mais de 23GWh de energia. Save: to Compete 1 Save: to Compete Num contexto económico exigente, com elevada concorrência, pressão de custos e reduzido acesso a financiamento, as empresas necessitam de se tornar mais eficientes e

Leia mais

Valorizar os produtos da terra. Melhorar a vida das nossas aldeias. documento síntese para consulta e debate público 9 Fev 2015

Valorizar os produtos da terra. Melhorar a vida das nossas aldeias. documento síntese para consulta e debate público 9 Fev 2015 PROGRAMA VISEU RURAL Valorizar os produtos da terra Melhorar a vida das nossas aldeias documento síntese para consulta e debate público 9 Fev 2015 CONSELHO ESTRATÉGICO DE VISEU Apresentação. O mundo rural

Leia mais

DOSSIER FESTA DO VINHO E PRODUTOS REGIONAIS 2006-2011

DOSSIER FESTA DO VINHO E PRODUTOS REGIONAIS 2006-2011 FESTA DO VINHO PRODUTOS REGIONAIS & TURISMO DOSSIER FESTA DO VINHO E PRODUTOS REGIONAIS 2006-2011 Índice Parcerias 3 Breve Caracterização 4 Edição 2011 5 Edição 2010 7 Edição 2009 9 Edição 2008 10 Edição

Leia mais

Apoio à Inovação no sector agro-alimentar

Apoio à Inovação no sector agro-alimentar Apoio à Inovação no sector agro-alimentar O Cluster A colaboração entre empresas/entidades: Inovação 1 Posicionamento do Cluster INTERNACIONALIZAÇÃO INOVAÇÃO Invest. & Desenv. Ao Serviço das EMPRESAS COMPETIVIDADE

Leia mais

01 de Novembro de 2013. Construção

01 de Novembro de 2013. Construção 01 de Novembro de 2013 Construção Revista de Imprensa 01-11-2013 1. (PT) - Diário de Notícias, 01/11/2013, Soares da Costa ganha obra nos EUA 1 2. (PT) - Exame, 01/11/2013, A força do betão 2 3. (PT) -

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL Entrevista com Eng.º Victor Sá Carneiro N uma época de grandes transformações na economia dos países, em que a temática do Empreendedorismo assume uma grande relevância

Leia mais

Encontro da Construção e do Imobiliário em Defesa do Setor. Por um setor da construção renovado e ao serviço do País

Encontro da Construção e do Imobiliário em Defesa do Setor. Por um setor da construção renovado e ao serviço do País Encontro da Construção e do Imobiliário em Defesa do Setor Por um setor da construção renovado e ao serviço do País Vítor Cóias (GECoRPA Grémio do Património) É evidente para todos que o setor da construção

Leia mais

FALTA A CAPA RELATÓR IO ECONTAS 2009. PRODUTECH Associação para as Tecnologias de Produção Sustentável www.produtech.org

FALTA A CAPA RELATÓR IO ECONTAS 2009. PRODUTECH Associação para as Tecnologias de Produção Sustentável www.produtech.org FALTA A CAPA RELATÓR IO ECONTAS 2009 PRODUTECH Associação para as Tecnologias de Produção Sustentável www.produtech.org ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJECTIVOS... 3 3 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES... 5 3.1 DESENVOLVIMENTO

Leia mais

(Minho Laboratório de Inovação e Desenvolvimento)

(Minho Laboratório de Inovação e Desenvolvimento) Barcelos Braga Famalicão Guimarãe SESSÃO PÚBLIICA DE APRESENTAÇÃO MEMORANDO TÉCNIICO PLLANO DE DESENVOLLVI IMENTTO DA REGIÃO DO MINHO IDENTTI I IFFI ICAÇÃO DE UM MOTTOR DE DESENVOLLVI IMENTTO Janeiro de

Leia mais

PORTUGAL. Produtos Agrícolas e Agro-industriais. Caracterização território do ponto de vista agrícola. Principal oferta produtos agrícolas hoje

PORTUGAL. Produtos Agrícolas e Agro-industriais. Caracterização território do ponto de vista agrícola. Principal oferta produtos agrícolas hoje PORTUGAL Produtos Agrícolas e Agro-industriais Caracterização território do ponto de vista agrícola Principal oferta produtos agrícolas hoje Oportunidades na oferta hoje produtos agrícolas Grande oferta

Leia mais

CONFERÊNCIA ENERGIA NUCLEAR O debate necessário. Lisboa, 22 de Fevereiro de 2006. Senhor Director Geral Responsável pela Energia Nuclear da UE

CONFERÊNCIA ENERGIA NUCLEAR O debate necessário. Lisboa, 22 de Fevereiro de 2006. Senhor Director Geral Responsável pela Energia Nuclear da UE CONFERÊNCIA ENERGIA NUCLEAR O debate necessário Lisboa, 22 de Fevereiro de 2006 Senhor Director Geral Responsável pela Energia Nuclear da UE Caros Colegas Co-organizadores desta Conferencia Minhas Senhoras

Leia mais

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino. Cerimónia de Abertura do WTPF-09

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino. Cerimónia de Abertura do WTPF-09 INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Eng. Mário Lino Cerimónia de Abertura do WTPF-09 Centro de Congressos de Lisboa, 22 de Abril de 2009 (vale a versão

Leia mais

CONCLUSÕES PROGRAMA DO CONGRESSO DO CONGRESSO

CONCLUSÕES PROGRAMA DO CONGRESSO DO CONGRESSO 1 1. CONCLUSÕES DO CONGRESSO 2. PROGRAMA DO CONGRESSO 2 3 1. CONCLUSÕES DO CONGRESSO 4 5 A. O Crédito Agrícola está a comemorar um século de existência enquanto Instituição profundamente enraizada na vida

Leia mais

O princípio da afirmação da sociedade civil.

O princípio da afirmação da sociedade civil. Dois dos Valores do PSD O Princípio do Estado de Direito, respeitante da eminente dignidade da pessoa humana - fundamento de toda a ordem jurídica baseado na nossa convicção de que o Estado deve estar

Leia mais

Cluster Habitat Sustentável. COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Forum Pólos de Competitividade e Clusters - 2011

Cluster Habitat Sustentável. COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Forum Pólos de Competitividade e Clusters - 2011 Cluster Habitat Sustentável COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Forum Pólos de Competitividade e Clusters - 2011 Victor Ferreira Porto 20/12/2011 Cluster Habitat Sustentável O cluster Habitat Sustentável

Leia mais

INDICE INTRODUÇÃO OBJETIVOS RESULTADOS DESTINATÁRIOS CONDIÇÕES DE ACESSO BENEFÍCIOS PARA AS EMPRESAS PARTICIPANTES CLUSTER AGROALIMENTAR

INDICE INTRODUÇÃO OBJETIVOS RESULTADOS DESTINATÁRIOS CONDIÇÕES DE ACESSO BENEFÍCIOS PARA AS EMPRESAS PARTICIPANTES CLUSTER AGROALIMENTAR INDICE INTRODUÇÃO OBJETIVOS RESULTADOS DESTINATÁRIOS CONDIÇÕES DE ACESSO BENEFÍCIOS PARA AS EMPRESAS PARTICIPANTES CLUSTER AGROALIMENTAR PLANO DE AÇÃO DO CLUSTER CONTATOS PARCEIROS 1 INTRODUÇÃO O desafio

Leia mais

Promover a sensibilização ambiental nos nossos centros comerciais no Brasil

Promover a sensibilização ambiental nos nossos centros comerciais no Brasil Promover a sensibilização ambiental nos nossos centros comerciais no Brasil Sonae Sierra O nosso compromisso para com o ambiente vai das nossas próprias operações até às ações dos nossos visitantes e lojistas.

Leia mais

INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT

INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT TURISMO: TENDÊNCIAS E SOLUÇÕES Exmos. Senhores Conferencistas, Antes de

Leia mais

Seminário Novos desafios, novas oportunidades: o novo Programa de Desenvolvimento Rural (2014-2020)

Seminário Novos desafios, novas oportunidades: o novo Programa de Desenvolvimento Rural (2014-2020) Seminário Novos desafios, novas oportunidades: o novo Programa de Desenvolvimento Rural (2014-2020) PDR 2014-2020 do Continente Eduardo Diniz Diretor do Gabinete de Planeamento e Políticas AJAP / ANPEMA

Leia mais

Cluster Habitat Sustentável

Cluster Habitat Sustentável Seminário Mercado de Tintas Associação Portuguesa de Tintas Luso - 26.03.2015 Cluster Habitat Sustentável Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Leia mais

Intervenção de Sua Excelência. o Presidente da República Portuguesa. na Comissão Económica para a América. Latina e Caraíbas - CEPAL

Intervenção de Sua Excelência. o Presidente da República Portuguesa. na Comissão Económica para a América. Latina e Caraíbas - CEPAL Intervenção de Sua Excelência o Presidente da República Portuguesa na Comissão Económica para a América Latina e Caraíbas - CEPAL Santiago do Chile, 7 de Novembro de 2007 Senhor Secretário Executivo da

Leia mais

Eng.ª Ana Paula Vitorino. por ocasião da

Eng.ª Ana Paula Vitorino. por ocasião da INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA A SECRETÁRIA DE ESTADO DOS TRANSPORTES Eng.ª Ana Paula Vitorino por ocasião da Sessão de Encerramento do Colóquio PORTO DE AVEIRO: ESTRATÉGIA E FUTURO, Ílhavo Museu Marítimo

Leia mais

Evolução da Agricultura Portuguesa no Período 1989/2010. Análise de Indicadores Relevantes.

Evolução da Agricultura Portuguesa no Período 1989/2010. Análise de Indicadores Relevantes. Evolução da Agricultura Portuguesa no Período 1989/2010. Análise de Indicadores Relevantes. Deolinda Alberto 1, José Pedro Fragoso Almeida 2 1 Professor Adjunto, Escola Superior Agrária de Castelo Branco,

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Gabinete do Ministro INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Gabinete do Ministro INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Eng.º Mário Lino por ocasião da Sessão REDES DE NOVA GERAÇÃO 2009 Fundação das Comunicações, 7 Janeiro 2009 (Vale

Leia mais

SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS

SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS Eliminação de Barreiras à livre Prestação de Serviços Confederação do Comércio e Serviços de Portugal Esquema 1. PORTUGAL- UMA ESPECIALIZAÇÃO COM

Leia mais

PRÉMIOS EUROPEUS DE PROMOÇÃO EMPRESARIAL MANUAL OPERACIONAL

PRÉMIOS EUROPEUS DE PROMOÇÃO EMPRESARIAL MANUAL OPERACIONAL 2015 PRÉMIOS EUROPEUS DE PROMOÇÃO EMPRESARIAL 2015 MANUAL OPERACIONAL Prémios Europeus de Promoção Empresarial 2015 2/13 ÍNDICE 1. DEFINIÇÃO E JUSTIFICAÇÃO... 3 1.1. Um prémio que reconhece a excelência

Leia mais

ENQUADRAMENTO. emergentes, promova o networking, essencial ao sucesso nos seus negócios e permita o crescimento no cenário internacional.

ENQUADRAMENTO. emergentes, promova o networking, essencial ao sucesso nos seus negócios e permita o crescimento no cenário internacional. ENQUADRAMENTO Portugal plataforma intercontinental e polo de inovação Portugal tem de conseguir capitalizar nos negócios, na academia e nas instituições a enorme vantagem que é integrar o espaço lusófono.

Leia mais

Kuala Lumpur, Malásia

Kuala Lumpur, Malásia ALOCUÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO MINISTRO DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE, KAY RALA XANANA GUSMÃO,, NO FÓRUM SOBRE OPORTUNIDADES DE COMÉRCIO E INVESTIMENTO EM TIMOR-LESTE Kuala Lumpur,

Leia mais

www.brazilmachinery.com

www.brazilmachinery.com dce@abimaq.org.br Fone: 11 5582-5722 Fax: 11 5582-6348 RINO www.brazilmachinery.com Apoio AGÊNCIA DE PROMOÇÃO DE EXPORTAÇÕES DO BRASIL www.abimaq.org.br VOCÊ PODE LEVAR SUA EM PARA O MUNDO TODO. O Brasil

Leia mais

Helena Amaral Neto, Business Development Director do ISEG: Economia digital é o mais importante fator de inovação para as empresas

Helena Amaral Neto, Business Development Director do ISEG: Economia digital é o mais importante fator de inovação para as empresas A1 Visitas diárias: 1367 Âmbito: Economia, Negócios e Gestão ID: 58802467 14-04-2015 OCS: OJE.pt Helena Amaral Neto, Business Development Director do ISEG: Economia digital é o mais importante fator de

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

A cultura e a criatividade na internacionalização da economia portuguesa. Augusto Mateus Sociedade de Consultores Augusto Mateus & Associados

A cultura e a criatividade na internacionalização da economia portuguesa. Augusto Mateus Sociedade de Consultores Augusto Mateus & Associados A cultura e a criatividade na internacionalização da economia portuguesa Augusto Mateus Sociedade de Consultores Augusto Mateus & Associados O desafio nacional A criação de emprego virá do círculo virtuoso

Leia mais

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 54 CAPA www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 CAPA 55 ENTREVISTA COM PAULO VARELA, PRESDIDENTE DA CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA PORTUGAL ANGOLA O ANGOLA DEVE APOSTAR NO CAPITAL HUMANO PARA DIVERSIFICAR

Leia mais

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO MEMORANDO DE ENTENDIMENTO Tendo em consideração o inquestionável papel central dos sectores agrícola e agroalimentar na atividade económica da Região de Lisboa e Vale do Tejo e observando-se a inexistência

Leia mais

NOTÍCIAS À SEXTA 05.12.2014

NOTÍCIAS À SEXTA 05.12.2014 RELATÓRIO Portugal-Saúde Mental em Números 2014 O relatório "Portugal - Saúde Mental em Números 2014", que se baseia no 1º Estudo Epidemiológico Nacional de Saúde Mental divulgado em 2013, afirma que um

Leia mais

INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA

INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA FACTORES CRÍTICOS DE SUCESSO DE UMA POLÍTICA DE INTENSIFICAÇÃO DO PROCESSO DE INOVAÇÃO EMPRESARIAL EM PORTUGAL E POTENCIAÇÃO DOS SEUS RESULTADOS 0. EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

Leia mais

Innovations Against Poverty

Innovations Against Poverty Distribution www.sida.se Sustainability Training Partnership segments Cost Model Innovations Against Poverty Guia para Candidatos 2011/2012 Introdução Terminologia Negócio Inclusivo O programa Innovations

Leia mais

SESSÃO DE ABERTURA DA XVII ASSEMBLEIA GERAL DO CONSELHO MUNDIAL DAS CASAS DOS AÇORES

SESSÃO DE ABERTURA DA XVII ASSEMBLEIA GERAL DO CONSELHO MUNDIAL DAS CASAS DOS AÇORES SESSÃO DE ABERTURA DA XVII ASSEMBLEIA GERAL DO CONSELHO MUNDIAL DAS CASAS DOS AÇORES Hilmar, Califórnia, 29 de Agosto de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro Começo

Leia mais

1. Tradicionalmente, a primeira missão do movimento associativo é a de defender os

1. Tradicionalmente, a primeira missão do movimento associativo é a de defender os A IMPORTÂNCIA DO MOVIMENTO ASSOCIATIVO NA DINAMIZAÇÃO DA ACTIVIDADE EMPRESARIAL 1. Tradicionalmente, a primeira missão do movimento associativo é a de defender os interesses das empresas junto do poder

Leia mais

CONCLUSÕES. Dos relatos elaborados a partir dos trabalhos do Congresso, emergiram as 36 conclusões seguintes:

CONCLUSÕES. Dos relatos elaborados a partir dos trabalhos do Congresso, emergiram as 36 conclusões seguintes: CONCLUSÕES 1. Súmula individualizada. Dos relatos elaborados a partir dos trabalhos do Congresso, emergiram as 36 conclusões seguintes: Tema: CONHECIMENTO E INOVAÇÃO (6) I. É da maior relevância estimular

Leia mais

NERSANT Torres Novas. Apresentação e assinatura do contrato e-pme. Tópicos de intervenção

NERSANT Torres Novas. Apresentação e assinatura do contrato e-pme. Tópicos de intervenção G ABINETE DO M INISTRO NERSANT Torres Novas Apresentação e assinatura do contrato e-pme Tópicos de intervenção Senhor Secretário de Estado Adjunto da Indústria e Inovação, António Castro Guerra Senhor

Leia mais

Os temas de eleição têm mudado de FÓRUM para FÓRUM, em função dos interesses mais evidentes em cada ano.

Os temas de eleição têm mudado de FÓRUM para FÓRUM, em função dos interesses mais evidentes em cada ano. FÓRUM DO TURISMO 2015 A CCIPD vem, há já alguns anos, a organizar o FÓRUM do turismo sob a competente e empenhada liderança da Comissão Especializada desta área. Faço aqui o meu reconhecimento público

Leia mais

A importância da interclusterização no desenvolvimento da Economia do Mar

A importância da interclusterização no desenvolvimento da Economia do Mar PÓLO DAS TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO A importância da interclusterização no desenvolvimento da Economia do Mar Fórum do Mar 2013 Conferência Desafios do Mar 31-05-2013, Exponor, Leça do Balio António de Sousa

Leia mais

Eduardo Branco, presidente da APAN. É preciso. regressar. ao consumo. Pág. 30

Eduardo Branco, presidente da APAN. É preciso. regressar. ao consumo. Pág. 30 Eduardo Branco, presidente da APAN É preciso regressar ao consumo Pág. 30 Fátima de Sousa jornalista fs@briefing.pt "A quadratura do círculo é sermos mais eficientes, ou seja, conseguirmos fazer mais com

Leia mais

Entrevista com GVA-Consultimo. Maria Inácia Reynolds Oliveira. Diretora Geral. Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso

Entrevista com GVA-Consultimo. Maria Inácia Reynolds Oliveira. Diretora Geral. Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso Entrevista com GVA-Consultimo Maria Inácia Reynolds Oliveira Diretora Geral Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso O sector imobiliário em Portugal: análise evolução recente O sector Imobiliário

Leia mais

Sistema de Apoio às Ações Coletivas (SIAC)

Sistema de Apoio às Ações Coletivas (SIAC) Eixo Prioritário I Competitividade, Inovação e Conhecimento Sistema de Apoio às Ações Coletivas (SIAC) Impulso Jovem Aviso de Abertura de Convite Público para Apresentação de Candidaturas Sistema de Apoio

Leia mais

Parcerias com selo de excelência

Parcerias com selo de excelência Parcerias com selo de excelência I. Apresentação do Grupo Promor II. Rações III. Produção Animal IV. Indústria de Carnes V. Selecção Genética Parcerias com selo de excelência I. Apresentação do Grupo

Leia mais

EDITAL. Iniciativa OTIC Oficinas de Transferência de Tecnologia e de Conhecimento

EDITAL. Iniciativa OTIC Oficinas de Transferência de Tecnologia e de Conhecimento EDITAL Iniciativa OTIC Oficinas de Transferência de Tecnologia e de Conhecimento A difusão de informação e do conhecimento tem um papel fundamental na concretização de projectos inovadores e com grande

Leia mais

Boletim de notícias URBACT. Outubro - Novembro de 2011

Boletim de notícias URBACT. Outubro - Novembro de 2011 Boletim de notícias URBACT Outubro - Novembro de 2011 2 BOLETIM DE NOTÍCIAS URBACT POPULAÇÃO ENVELHECIDA, Artigo de fundo: População envelhecida: desafios para as cidades a nível dos cuidados de saúde

Leia mais

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite que a FCT me dirigiu para

Leia mais

MINISTÉRIO DA HOTELARIA E TURISMO

MINISTÉRIO DA HOTELARIA E TURISMO República de Angola MINISTÉRIO DA HOTELARIA E TURISMO DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA, DR. PAULINO BAPTISTA, SECRETÁRIO DE ESTADO PARA A HOTELARIA DA REPÚBLICA DE ANGOLA, DURANTE A VIII REUNIÃO DE MINISTROS

Leia mais

MINHO INOVAÇÃO APRESENTAÇÃO AOS PROMOTORES DE PROJETOS COMPLEMENTARES

MINHO INOVAÇÃO APRESENTAÇÃO AOS PROMOTORES DE PROJETOS COMPLEMENTARES APRESENTAÇÃO AOS PROMOTORES DE PROJETOS COMPLEMENTARES O QUE É UMA ESTRATÉGIA DE EFICIÊNCIA COLETIVA PROVERE? É uma iniciativa conjunta levada a cabo por uma parceria / consórcio que integra entidades

Leia mais

OS GRANDES NÚMEROS DOS ANUNCINATES O MERCADO DA COMUNICAÇÃO EM PORTUGAL APAN/GRUPO CONSULTORES ANO 2011

OS GRANDES NÚMEROS DOS ANUNCINATES O MERCADO DA COMUNICAÇÃO EM PORTUGAL APAN/GRUPO CONSULTORES ANO 2011 OS GRANDES NÚMEROS DOS ANUNCINATES O MERCADO DA COMUNICAÇÃO EM PORTUGAL APAN/GRUPO CONSULTORES ANO 2011 INTRODUÇÃO A Associação Portuguesa de Anunciantes tem como um dos pilares da sua missão estimular

Leia mais

China-Portugal Cluster Alliance

China-Portugal Cluster Alliance Mariana Fernandes Lisboa, 19 de Dezembro 2014 marianafernandes@spi.pt China-Portugal Cluster Alliance Principais Resultados 1 Agenda I. Breve Enquadramento II. III. Objetivos e Metodologia Principais Resultados

Leia mais

Sumário das actividades do IPIM em 2009

Sumário das actividades do IPIM em 2009 Sumário das actividades do IPIM em 2009 Tendo em consideração a situação do mercado internacional e o crescimento económico local, o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM)

Leia mais

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Lisboa, 10 janeiro 2014 António Rendas Reitor da Universidade Nova de Lisboa Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas Queria começar

Leia mais

UM FUTURO VIRADO AO RIO. Convenção Autárquica do PS Lisboa. 20 Junho 2015 14:00. Pavilhão do Conhecimento Parque das Nações

UM FUTURO VIRADO AO RIO. Convenção Autárquica do PS Lisboa. 20 Junho 2015 14:00. Pavilhão do Conhecimento Parque das Nações UM FUTURO VIRADO AO RIO Convenção Autárquica do PS Lisboa 20 Junho 2015 14:00 Pavilhão do Conhecimento Parque das Nações O PS de Lisboa, reunido em Convenção Autárquica discutiu Lisboa, um Futuro virado

Leia mais

Programa de Internacionalização Agronegócios CPLP 2015/16. Juntos vamos mais longe...

Programa de Internacionalização Agronegócios CPLP 2015/16. Juntos vamos mais longe... Programa de Internacionalização Agronegócios CPLP 2015/16 Juntos vamos mais longe... foto: www.verangola.net A CAL - Câmara Agrícola Lusófona - é uma associação empresarial sem fins lucrativos que promove

Leia mais

+Inovação +Indústria. AIMMAP Horizonte 2020 - Oportunidades para a Indústria Porto, 14 outubro 2014

+Inovação +Indústria. AIMMAP Horizonte 2020 - Oportunidades para a Indústria Porto, 14 outubro 2014 +Inovação +Indústria AIMMAP Horizonte 2020 - Oportunidades para a Indústria Porto, 14 outubro 2014 Fatores que limitam maior capacidade competitiva e maior criação de valor numa economia global Menor capacidade

Leia mais

D SCUR CU S R O O DE D SUA U A EXCE

D SCUR CU S R O O DE D SUA U A EXCE DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO MINISTRO DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE, DR. RUI MARIA DE ARAÚJO, POR OCASIÃO DA ATRIBUIÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL DA CPLP A

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES Silva.A.A.S. Acadêmica do curso de Pedagogia (UVA), Bolsista do PIBID. Resumo: O trabalho

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

18 a 20 de Novembro de 2011. Estoril. Organização: Auditório do Centro Escolar - ESHTE. www.cim-estoril.com

18 a 20 de Novembro de 2011. Estoril. Organização: Auditório do Centro Escolar - ESHTE. www.cim-estoril.com 18 a 20 de Novembro de 2011 Organização: Estoril Auditório do Centro Escolar - ESHTE www.cim-estoril.com Apresentação Na sequência das três edições realizadas em anos anteriores, a Associação Desportos

Leia mais

Encontro Regional do Centro 2013 RELATÓRIO. Encontro Regional do Centro dos Conselhos Consultivos Locais

Encontro Regional do Centro 2013 RELATÓRIO. Encontro Regional do Centro dos Conselhos Consultivos Locais RELATÓRIO Encontro Regional do Centro dos Conselhos Consultivos Locais FICHA TÉCNICA TÍTULO RELATÓRIO DO ENCONTRO REGIONAL DO CENTRO DOS CONSELHOS CONSULTIVOS LOCAIS AUTOR NÚCLEO REGIONAL DO CENTRO DA

Leia mais

GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA EMPRESARIAL - ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE, OBJECTO, PRINCÍPIOS E VALORES

GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA EMPRESARIAL - ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE, OBJECTO, PRINCÍPIOS E VALORES GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA EMPRESARIAL - ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE, OBJECTO, PRINCÍPIOS E VALORES Art. 1º 1. GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA

Leia mais

Buscando cooperação no mundo pós-crise: DECLARAÇÃO CONJUNTA

Buscando cooperação no mundo pós-crise: DECLARAÇÃO CONJUNTA 3 º Encontro Empresarial Brasil-UE Buscando cooperação no mundo pós-crise: DECLARAÇÃO CONJUNTA Estocolmo, 6 de outubro de 2009 A Confederação de Empresas Suecas (SN), O BUSINESSEUROPE e a Confederação

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Vice - Presidência do Governo Gabinete do Vice-Presidente

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Vice - Presidência do Governo Gabinete do Vice-Presidente Senhor Presidente da Assembleia Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente Senhora e Senhores Membros do Governo Permitam-me que, pela primeira vez que tenho a honra de intervir nesta Assembleia,

Leia mais

CCDR-N UMA INSTITUIÇÃO SMART

CCDR-N UMA INSTITUIÇÃO SMART CCDR-N UMA INSTITUIÇÃO SMART UMA LOCALIZAÇÃO SMART Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Morbi commodo, ipsum sed pharetra gravida. CCDR-N UMA INSTITUIÇÃO SMART A Comissão de Coordenação

Leia mais

Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal

Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal À margem do Fórum promovido pela Associação Mais Portugal Cabo Verde, que o trouxe

Leia mais

PROVERE PROGRAMAS DE VALORIZAÇÃO ECONÓMICA DE RECURSOS ENDÓGENOS

PROVERE PROGRAMAS DE VALORIZAÇÃO ECONÓMICA DE RECURSOS ENDÓGENOS PROVERE PROGRAMAS DE VALORIZAÇÃO ECONÓMICA DE RECURSOS ENDÓGENOS VALORIZAÇÃO DOS RECURSOS SILVESTRES DO MEDITERRÂNEO - UMA ESTRATÉGIA PARA AS ÁREAS DE BAIXA DENSIDADE DO SUL DE PORTUGAL CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

BOLETIM DE ENCADEAMENTO PRODUTIVO

BOLETIM DE ENCADEAMENTO PRODUTIVO BOLETIM DE ENCADEAMENTO PRODUTIVO 02/2015 Indústria Agronegócios Serviços Agronegócios AURORA Cadeia produtiva de aves, suínos e leite A Cooperativa Central Oeste Catarinense, Aurora Alimentos, fundada

Leia mais

Intervenção do Governador do Banco de Portugal Carlos Costa na Conferência 25 anos de Portugal Europeu, da Fundação Francisco Manuel dos Santos

Intervenção do Governador do Banco de Portugal Carlos Costa na Conferência 25 anos de Portugal Europeu, da Fundação Francisco Manuel dos Santos Intervenção do Governador do Banco de Portugal Carlos Costa na Conferência 25 anos de Portugal Europeu, da Fundação Francisco Manuel dos Santos Lisboa, 30 de maio de 2013 Boa tarde, Gostaria de começar

Leia mais

Empresas Responsáveis Questionário de Sensibilização

Empresas Responsáveis Questionário de Sensibilização Empresas Responsáveis Questionário de Sensibilização 1. Introdução O presente questionário ajudá-lo-á a reflectir sobre os esforços desenvolvidos pela sua empresa no domínio da responsabilidade empresarial,

Leia mais

PRESENÇA DO PROJECTO FEIRA INTERNACIONAL DA AGRICULTURA DE NOVI SAD

PRESENÇA DO PROJECTO FEIRA INTERNACIONAL DA AGRICULTURA DE NOVI SAD PRESENÇA DO PROJECTO NA FEIRA INTERNACIONAL DA AGRICULTURA DE NOVI SAD 1 A FEIRA * Data: 14 a 22 de Maio de 2011 * Local: Novi Sad Fair SRB 21000 Novi Sad, Hajduk Veljkova 11 * Horário de Funcionamento:

Leia mais

MAR Alentejano. Um Oceano de Oportunidades. Roberto Grilo Vice-Presidente da CCDR Alentejo. Porto, 30 de maio de 2014

MAR Alentejano. Um Oceano de Oportunidades. Roberto Grilo Vice-Presidente da CCDR Alentejo. Porto, 30 de maio de 2014 MAR Alentejano Um Oceano de Oportunidades Roberto Grilo Vice-Presidente da CCDR Alentejo Porto, 30 de maio de 2014 1 MAR Alentejano, um Oceano de Oportunidades Roteiro: - Crescimento Inteligente/Crescimento

Leia mais

Carta da Sustentabilidade das Cidades Européias (Carta de Aalborg)

Carta da Sustentabilidade das Cidades Européias (Carta de Aalborg) Carta da Sustentabilidade das Cidades Européias (Carta de Aalborg) (aprovada pelos participantes na Conferência Européia sobre Cidades Sustentáveis, realizada em Aalborg, Dinamarca, a 27 de Maio de 1994)

Leia mais

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável 2ª CONFERÊNCIA PASSIVHAUS PORTUGAL 2014 29 de Novembro de 2014 Aveiro - Centro Cultural e de Congressos Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Leia mais

WWW.PORTALRENOVABLES.EU DESENVOLVIDO PELO CLUSTER DA ENERGIA DA EXTREMADURA

WWW.PORTALRENOVABLES.EU DESENVOLVIDO PELO CLUSTER DA ENERGIA DA EXTREMADURA DOSSIER CORPORATIVO WWW.PORTALRENOVABLES.EU DESENVOLVIDO PELO CLUSTER DA ENERGIA DA EXTREMADURA A PLATAFORMA ONLINE DE REFERÊNCIA DO SECTOR RENOVÁVEL NA EXTREMADURA, ALENTEJO E REGIÃO CENTRO DE PORTUGAL

Leia mais

Programa de atividades 2015

Programa de atividades 2015 Programa de atividades 2015 Programa de atividades 2015 (Documento de trabalho) Lisboa, 2015 Plano Nacional de Formação Financeira www.todoscontam.pt Edição Conselho Nacional de Supervisores Financeiros

Leia mais

Museus como plataformas para a inovação social:

Museus como plataformas para a inovação social: Museus como plataformas para a inovação social: Projecto-piloto educativo em espaços culturais Um projecto-piloto para jovens em situação de vulnerabilidade e exclusão social a desenvolver em colaboração

Leia mais

Crescimento Económico: diversificar o modelo de financiamento das PME A atual oferta de financiamento

Crescimento Económico: diversificar o modelo de financiamento das PME A atual oferta de financiamento Crescimento Económico: diversificar o modelo de financiamento das PME A atual oferta de financiamento Eduardo Stock da Cunha CEO Novo Banco Novembro de 2014 Novembro 2014 Depois de um período de contração,

Leia mais

Programa Nacional de Desenvolvimento do Empreendedorismo,, Inovação e Emprego no Sector Cultural e Criativo Cri[activo]

Programa Nacional de Desenvolvimento do Empreendedorismo,, Inovação e Emprego no Sector Cultural e Criativo Cri[activo] Programa Nacional de Desenvolvimento do Empreendedorismo,, Inovação e Emprego no Sector Cultural e Criativo Cri[activo] 1. ENQUADRAMENTO Ao longo de 2009 consolidou-se em Portugal o reconhecimento de que

Leia mais

A Inovação, a Ciência e Tecnologia e o Território no período 2014-2020 Perspetivas e Oportunidades

A Inovação, a Ciência e Tecnologia e o Território no período 2014-2020 Perspetivas e Oportunidades A Inovação, a Ciência e Tecnologia e o Território no período 2014-2020 Perspetivas e Oportunidades Bragança, 16 de Outubro 2014 1 A Inovação em Portugal - Alguns dados recentes Em relação à média da União

Leia mais

Apoiar Business Angels é apoiar o empreendedorismo Segunda, 17 Março 2014 12:03

Apoiar Business Angels é apoiar o empreendedorismo Segunda, 17 Março 2014 12:03 Os Business Angels são, geralmente, os primeiros investidores que o empreendedor conhece e, por isso, o seu papel é crucial nas primeiras etapas da empresa. Este é um negócio de alto risco, já que muitas

Leia mais

Ciclo de Palestras ENCONTROS COM O ICNF

Ciclo de Palestras ENCONTROS COM O ICNF Palestra Conheça o Natural.PT por João Carlos Farinha (DGACPPF/DVAC) 16 de abril 2015 Ciclo de Palestras ENCONTROS COM O ICNF Sede do ICNF, Lisboa, às quintas (14H-14H30) Foto: Pedro Soares O objetivo

Leia mais

I&D colectiva Possibilidades oferecidas pelos Pólos de Competitividade e Clusters

I&D colectiva Possibilidades oferecidas pelos Pólos de Competitividade e Clusters I&D colectiva Possibilidades oferecidas pelos Pólos de Competitividade e Clusters Tim Hogg UCP Porto 8º Simpósio de Vitivinicultura do Alentejo Évora 6 de Maio 2010 Tim Hogg UCP Porto Como está a I&D relevante

Leia mais

E A ESCOLA TECNOLÓGICA E PROFISSIONAL DA ZONA DO PINHAL

E A ESCOLA TECNOLÓGICA E PROFISSIONAL DA ZONA DO PINHAL ENTRE A Hotel da Montanha Encantos @ Emoções Hotelaria e Turismo Lda. E A ESCOLA TECNOLÓGICA E PROFISSIONAL DA ZONA DO PINHAL O Hotel da Montanha Encantos @ Emoções Hotelaria e Turismo Lda., adiante designada

Leia mais

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Outubro de 2010 Agenda EM DESTAQUE Aderir à REDE! NOTÍCIAS/ EVENTOS Índice Nota Editorial Eventos/Notícias Na Primeira Pessoa Instituição do Mês Protocolos

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

QUALIDADE E CERTIFICAÇÃO

QUALIDADE E CERTIFICAÇÃO QUALIDADE E CERTIFICAÇÃO O QUE É A QUALIDADE? É o grau de satisfação de requisitos (necessidade ou expectativa expressa, geralmente implícita ou obrigatória), dado por um conjunto de características (elemento

Leia mais

COMISSÃO DE DIREITO DO TRABALHO

COMISSÃO DE DIREITO DO TRABALHO 48º Congresso UIA 1 / 5 Setembro 2004 COMISSÃO DE DIREITO DO TRABALHO RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS EM PORTUGAL 3 Setembro 2004 Pedro Botelho Gomes (JPAB - José Pedro Aguiar-Branco & Associados)

Leia mais

A reabilitação como parte da estratégia coletiva do Cluster Habitat Sustentável

A reabilitação como parte da estratégia coletiva do Cluster Habitat Sustentável Sustentabilidade na Reabilitação Hotel Altis Lisboa 06.02.2014 A reabilitação como parte da estratégia coletiva do Cluster Habitat Sustentável Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Lisboa,

Leia mais

NORTE 2020 Sistemas de Incentivos às Empresas. Eunice Silva Castelo de Paiva, 18.02.2016

NORTE 2020 Sistemas de Incentivos às Empresas. Eunice Silva Castelo de Paiva, 18.02.2016 NORTE 2020 Sistemas de Incentivos às Empresas Eunice Silva Castelo de Paiva, 18.02.2016 SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INOVAÇÃO EMPRESARIAL EMPREENDEDORISMO QUALIFICAÇÃO DE PME INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

Um Compromisso Sério com a UTAD

Um Compromisso Sério com a UTAD Um Compromisso Sério com a UTAD [MANIFESTO ELEITORAL] A primeira eleição de um Conselho Geral, em fevereiro de 2009, marcou o início de um novo ciclo no governo da UTAD. Esta nova experiência de funcionamento

Leia mais