1 FICHA DE IDENTIFICAÇÃO Título: Um olhar matemático sobre a produção leiteira no Assentamento Marcos Freire. Ritamar Andreetta LARANJEIRAS DO SUL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 FICHA DE IDENTIFICAÇÃO Título: Um olhar matemático sobre a produção leiteira no Assentamento Marcos Freire. Ritamar Andreetta LARANJEIRAS DO SUL"

Transcrição

1

2 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO SUED DIRETORIA DE POLÍTICAS E PROGRAMAS EDUCACIONAIS DPPE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL PDE Av. Água Verde, 2140 CEP Curitiba Paraná 1 FICHA DE IDENTIFICAÇÃO Título: Um olhar matemático sobre a produção leiteira no Assentamento Marcos Freire. Autora: Ritamar Andreetta Disciplina/Área: Núcleo Regional de Educação: Escola de Implementação: Município: Professor Orientador: Instituição de ensino Superior: Relação Interdisciplinar: Público Alvo: Resumo: Matemática LARANJEIRAS DO SUL Colégio Estadual Iraci Salete Strozak- Ed.Inf. Ens. Fund. Ens. Médio e Normal. Rio Bonito do Iguaçu Reinaldo Francisco UNICENTRO - Guarapuava ALUNOS DO 8º ANO A contextualização dos conteúdos contribui para a reflexão das contradições sociais, políticas e econômicas existentes na sociedade. Dessa forma, é necessário problematizar situações do dia a dia para que se atenda a todos os sujeitos que se encontram nas escolas públicas. Por isso, escolhemos a tendência metodológica Modelagem Matemática na elaboração desta Unidade Didática, por compreender que essa tendência relaciona situações reais com a aprendizagem da Matemática, pois os educandos indagam e investigam sua realidade. Deste modo, o educando, ao intervir em problemas reais por meio da Modelagem Matemática, forma-se criticamente. Sendo assim, este material objetiva relacionar os conteúdos matemáticos com práticas sociais dos povos do campo, utilizando a Modelagem Matemática. Para tanto, serão feitas pesquisas bibliográficas e de

3 Palavras-chave: Formato: campo, entrevistas e palestras, a fim de verificar como ocorre a produção de leite no Assentamento Marcos Freire, em Rio Bonito do Iguaçu. Desta forma, a Matemática ensinada em sala de aula aparece no cotidiano dos educandos. A produção do leite será relacionada com o Conteúdo Estruturante: Tratamento de Informação, por meio da Modelagem Matemática. Esta Unidade Didática está sendo realizada no ano de 2012 e será desenvolvida em 2013, com aproximadamente 35 educandos do 8º ano do Colégio Estadual do Campo Iraci Salete Strozak- Ed. Inf., Ens. Fund., Médio e Normal, localizado no Assentamento Marcos Freire, no município de Rio Bonito do Iguaçu- Paraná. Será aplicada em 32h/a no 1º semestre de Modelagem Matemática; Prática Social; Produção leiteira; Tratamento de Informação. UNIDADE DIDÁTICA

4 APRESENTAÇÃO Historicamente a escola foi separada da vida e vemos que normalmente os conhecimentos científicos aparecem como algo inatingível e de difícil acesso, dando a entender que esse conhecimento não pertence à vida. Muitas vezes, as aulas são realizadas de forma mecanizada e sem motivação, dificultando a aprendizagem e o interesse dos educandos. Ao pensar em educação, é necessário considerar os sujeitos que fazem parte da mesma, em função disso, salientamos que nesse projeto estamos considerando os sujeitos do campo. É fundamental, portanto, que a Educação do Campo seja respeitada, uma vez que a realidade presente no Colégio de pesquisa: é uma educação pensada no espaço em que esse sujeito se encontra e também pensada por esse sujeito. O Colégio Estadual do Campo Iraci Salete Strozak traz uma nova forma de pensar o tempo e o espaço escolar, por meio de Ciclos de Formação Humana, constante em seu Projeto Político Pedagógico (PPP). Sua metodologia resgata a realidade existente no entorno escolar, para então, a partir desta, trabalhar os conhecimentos científicos. Conforme o Plano de Recuperação do Assentamento (PRA): Existe uma grande diversidade de criações, entre os assentados do Projeto de Assentamento (PA) - Marcos Freire. Entre as principais, deve-se destacar a criação do gado leiteiro, que é uma das atividades que mais rende lucro aos assentados, pois o leite é vendido para as cooperativas da região e cerca de 90% (noventa por cento) dos assentados possuem gado leiteiro, em uma média de aproximadamente 8 cabeças para cada família, segundo dados do perfil socioeconômico de [...] Para classificação do uso do solo do assentamento observa-se uma pequena quantidade de gado de corte e na pecuária de leite a grande atividade de exploração econômica, pois as áreas de pastagem (nativa e plantada) ocupam cerca de 2200 ha. do total do assentamento. (ASSENTAMENTO, 2010, p.73 e p.82) Sabe-se que as questões relativas à Educação no/do Campo são ainda muito restritas, e, por outro lado, a Matemática nem sempre é ensinada a partir do seu contexto social. Nesse sentido, o presente tema: A Matemática e a prática social, objetiva relacionar os conteúdos matemáticos com o dia a dia destes sujeitos, fazendo uma

5 reflexão sobre aqueles, demonstrando a metodologia encontrada, num Projeto Político Pedagógico direcionado à Educação no/do Campo. Sendo Modelagem Matemática uma das tendências metodológicas da Educação Matemática, esta será utilizada a fim de contextualizar os conteúdos a serem estudados. Deste modo, a produção do leite, proporcionará aos educandos, uma maneira diferenciada para estudar e compreender o Conteúdo Estruturante: Tratamento de Informação. Conforme Barbosa [..] as atividades de Modelagem podem contribuir para desafiar a ideologia da certeza e colocar lentes críticas sobre as aplicações da Matemática. Discussões na sala de aula podem agendar questões como as seguintes: O que representam? Quais os pressupostos assumidos? Quem as realizou? A quem servem? Etc [...] Modelagem podem potencializar a intervenção das pessoas nos debates e nas tomadas de decisões sociais que envolvem aplicações da Matemática, o que me parece ser uma contribuição para alargar as possibilidades de construção e consolidação de sociedades democráticas. [...] Modelagem, [...] é um ambiente de aprendizagem no qual os alunos são convidados a problematizar e investigar, por meio da matemática, situações com referência na realidade. (PARANÁ,2008 apud BARBOSA 2004, p.2-3) A pergunta que motivou este trabalho é: Como estabelecer relações dos conteúdos da Matemática (em especial Tratamento de Informação) com a prática social ( produção leiteira), sem perder de vista a Matemática ensinada? Essa Unidade Didática tem como Objetivos: Utilizar a Modelagem Matemática, possibilitando o relacionamento dos conteúdos matemáticos com práticas sociais dos povos do campo. Verificar como a produção do leite ocorre no Assentamento Marcos Freire; Relacionar a produção do leite com o Conteúdo Estruturante: Tratamento de Informação; Demonstrar que a Matemática ensinada em sala de aula aparece no cotidiano dos educandos; Elaborar problemas com a temática da produção do leite, relacionandoos com os conteúdos; Por tudo isso, o ensino de Matemática pela tendência da Modelagem Matemática é de suma importância, pois permite ao educando, conectar a realidade ao conhecimento científico.

6 ESTRATÉGIAS DE AÇÃO O Material Didático, ora produzido, será implementado com aproximadamente 35 educandos, do 8º ano do Ensino Fundamental, do Colégio Estadual do Campo Iraci Salete Strozak- Ed. Inf., Ens. Fund., Médio e Normal, localizado no Assentamento Marcos Freire no município de Rio Bonito do Iguaçu-Pr. As atividades que compõe este material serão realizadas durante o 1º Semestre do ano letivo de 2013, ocupando um espaço aproximado de 32 horas-aula. Após selecionadas, foram adaptadas, ressignificadas e algumas elaboradas pela professora PDE, contemplando o conteúdo curricular planejado para a turma, por meio de aulas expositivas e práticas bem como, a interferência de outras pessoas especializadas, por meio de palestras. A Intervenção seguirá as seguintes etapas: 1ª Etapa: Pré- teste- 2 aulas; 2ª Etapa: Apresentação do Programa e da Unidade Didática- 1 aula; 3ª Etapa: Apresentação do tema: Importância do leite- 3 aulas; 4ª Etapa: Importância do leite e da pesquisa-1 aula; 5ª Etapa: Conteúdo Tratamento de Informação: Estatística-18 aulas; 6ª Etapa: Palestra e apresentação da coleta de dados - 2aulas; 7ª Etapa: Uso das Tecnologias e análise de dados - 4 aulas; 8ª Etapa: Pós-teste-1 aula. 1ª ETAPA Atividade 1 Título: Pré-teste Objetivo: Verificar o que os educandos conhecem sobre Estatística Quantidade de aulas: 2 aulas Metodologia: Aplicar questões em que apareçam tabelas e gráficos, verificando o que conseguem identificar de conceitos de estatísticos

7 Dica ao professor (a): O pré-teste constitui uma avaliação diagnóstica e tem como objetivo verificar os conhecimentos do educando relativos aos conteúdos a serem trabalhados de forma a replanejá-los e revisá-los, se necessário. 2ª ETAPA Atividade 2 Título: Apresentação do Programa e da Unidade Didática Objetivo: Demonstrar à comunidade escolar, em especial para os pais do 8º ano, a importância deste programa. Quantidade de aulas: 1 aula Metodologia: Realizar uma reunião com a Direção, Equipe Pedagógica, pais e educandos do 8º ano para explanação e discutição sobre o PDE- Programa de Desenvolvimento Educacional e o Projeto de Intervenção por meio de uma apresentação na TV pen drive (anexo PDE). Dica ao professor (a): Esta reunião é importante a fim de que toda a comunidade escolar possa ter conhecimento sobre o Programa de Desenvolvimento Educacional e o Projeto que será executado. 3ª ETAPA Atividade 3 Título: Importância do leite e a pesquisa Objetivo: Enfatizar a importância do leite e da pesquisa Quantidade de aulas: 3 aulas Metodologia: Fazer uma pequena apresentação sobre a importância do leite na vida do ser humano, utilizando-se da TV pen drive. Dividir a sala em 6 grupos, distribuindo uma parte diferenciada do livro: Leite nosso primeiro alimento para cada grupo,o qual deverá lê-lo, resumi-lo e apresentá-lo para a sala. Por outro lado, será encaminhada aos educandos, uma pesquisa a ser realizada com no mínimo 120 produtores de leite do Assentamento Marcos Freire, conforme questões em anexo. Dica ao professor(a): Modelagem, [...] é um ambiente de aprendizagem no qual os alunos são convidados a problematizar e investigar, por meio da matemática, situações com referência na realidade. (PARANÁ apud BARBOSA 2004, p.2-3), em função disto a temática sobre o leite se faz necessária neste momento, bem como, que se inicie uma pesquisa sobre a produção leiteira.

8 4ª ETAPA Atividade 4 Título: Origem e a utilidade do Tratamento de informação: estatística. Objetivo: Entender a origem do Tratamento de Informação; Observar a aplicação dos dados estatísticos no mundo em que vivemos; Reconhecer a importância da Estatística; Quantidade de aula: 1 aulas Metodologia: Apresentar na TV pen drive a história da origem e a utilidade do Tratamento de Informação. Os educandos em dupla,deverão descrever sobre a origem e aplicação dos dados estatísticos na sociedade moderna, exemplificandoos. Dica ao professor(a): A apresentação da origem do Tratamento de Informação e sua importância à sociedade é necessária a fim de que o educando crie um espírito de observação crítica relativo aos dados apresentados em noticiários. 5ª ETAPA Atividade 5 Título: População, amostra, variáveis, tabelas, frequência absoluta. Objetivos: Identificar variáveis quantitativas e variáveis qualitativas; Reconhecer e identificar formas de obtenção, organização e apresentação de dados; Organizar dados na forma de distribuição de frequência. Quantidade de aulas: 4 aulas Metodologia: Apresentação na TV pen drive (anexo: Estatística: população, amostra, variável e tabelas). Dividir a turma em 6 grupos e depois utilizando da pesquisa de campo para determinar a população, amostra, verificar e classificar as variáveis em qualitativa ou quantitativa e organizar os dados em ordem crescente por meio de tabela verificando a frequência absoluta. Dica ao professor(a): A fim de demonstrar que é possível utilizar a realidade do educando na Matemática, trabalhando os diversos conteúdos, a Pesquisa de Campo: sobre a produção leiteira, demonstra essa possibilidade.

9 Atividade 6: Título: Frequências relativa e percentual Objetivo: Calcular as frequências relativas e percentuais Quantidade de aulas: 2 aulas Metodologia: Fazer a apresentação na TV pen drive (anexo: gráficos). Dividir a sala em grupos e, utilizando da pesquisa, as questões 1,2,3 6 e 9, calcular a frequência relativa. Dica ao professor (a): Utilizando da pesquisa de campo, calcular frequência relativa em diversas questões. Atividade 7: Titulo: Gráficos Objetivo: Ler e interpretar dados estatísticos apresentados por meio de gráficos; Construir e analisar gráficos de colunas, de barras, setores, linhas, gráficos de múltiplas entradas e pictogramas. Quantidade de aulas: 6 aulas Metodologia: Apresentar na TV pen drive (anexo: gráficos). Aprender a construir cada tipo de gráfico, utilizando a pesquisa de campo. Posteriormente, dividir a turma em grupos os quais irão construir, em cartolinas, os diversos tipos de gráficos (colunas, barra, setores e linhas, múltiplas entradas e pictogramas). Dica ao professor(a): A construção dos diversos tipos de gráficos se faz importante na questão de estética, escalas, proporcionalidade e compreensão do título, subtítulo, fonte e entendimento dos dados coletados. Atividade 8: Título: Medidas de tendência central ou medidas de resumo Objetivo: Calcular as medidas de tendência central de uma pesquisa (média, moda e mediana), reconhecendo seus significados para fazer inferências. Quantidade de aulas: 6 aulas

10 Metodologia: Apresentar na TV pen drive (anexo: medidas de tendência central ou medidas de resumo). Dividir em grupos e utilizar as questões da pesquisa. Dica ao professor (a): Utilizando da pesquisa de campo, calcular média, moda e mediana 6ª ETAPA Atividade 9 Título: Palestra e apresentação da coleta de dados Objetivo: Apresentar o resultado pesquisado sobre a produção leiteira; Verificar a importância da produção leiteira para o desenvolvimento econômico dos agricultores. Quantidade de aulas: 2 Metodologia: Fazer exposição oral e mural dos resultados contidos na pesquisa sobre a produção leiteira. Convidar um técnico agrícola para proferir a palestra e os educandos deverão anotar e inquirir o entrevistado. Dica ao professor(a): Palestras proferidas por especialistas podem enriquecer as aulas, trazendo novos elementos. A exposição dos resultados é importante pois abrange toda a comunidade valorizando a realidade local. 7ª ETAPA Atividade 10 Titulo: Uso das Tecnologias e análise de dados Objetivo: Aprender a construir tabelas e gráficos no excel ou calc. Quantidade de aulas: 4 aulas Metodologia: Trabalhar no laboratório de informática construindo e analisando tabelas e gráficos. Dica ao professor(a): O aluno deverá familiarizar-se com as novas tecnologias,utilizando-as. 8ª ETAPA Atividade 11 Título: Pós-teste

11 Objetivo: Verificar o que os educandos aprenderam sobre o Tratamento de Informação. Quantidade de aulas: 1 aula Metodologia: Aplicar as mesmas questões do pré teste com o objetivo de verificar o ganho de conhecimento dos educandos. Dica ao professor (a): O pós-teste constitui numa avaliação que tem como objetivo verificar os conhecimentos adquiridos pelos educando. Referências ANG, Giorgia Lay. A importância do leite para a saúde. Disponível em: Acesso: 27 nov ASSENTAMENTO MARCOS FREIRE- RIO BONITO DO IGUAÇU. Plano de Recuperação do Assentamento. Central de Associações Comunitárias do Assentamento Marcos Freire (ACAMF), p. BERALDO, Angelo. Análise Bromatológica dos Alimentos Consumidos pelo Rebanho Leiteiro do Planalto Norte Catarinense Região de Canoinhas SC (2ª parte) Disponível em: Acesso em: 06 dez BIANCHINI, Edwaldo. Matemática/Edwaldo Bianchini. 6 ed.4v. 9º ano.são Paulo: Moderna,2006 Obra em 4v. Para alunos de 6º ao 9º ano. CÁCERES, CaiO. TÉO,Guilherme Quartaroli. RUIZ, Leticia. SANTOS, Matheus Balestri. CURIEL, Roger Morgado. Reciclagem de lixo. Disponível em: Acesso em: CARDY. Exercícios de Matemática. Unesp. São Paulo Disponível em: Acesso em: 01dez./12/12. DANTE, Luiz Roberto.Tudo é matemática. 1.ed.4v.7ª série. São Paulo: Ática,2002.

12 DICAS, das guias. A importância do leite desnatado. Disponível em: 27 nov DINIZ, Maria Inez.Matemática e Leitura:Um pouco da gramática relativa ao Tratamento de Informação. Disponível em: ateleit/graficos.html. Acesso 29 nov.2012 GIOVANNI,José Ruy. CASTRUCCI,Benedito.GIOVANNI,José Ruy Junior. A conquista da matemática-nova.4v.8ª série. São Paulo: FTD,1998. GRASSESCHI, Maria Cecília C. GRASSESCHI, Maria Capucho Andretta. SILVA, Aparecida Borges dos Santos. Promat: Projeto Oficina de Matemática. 4v.7ªsérie.São Paulo:FTD,1999. IMENES,Luíz Márcio Pereira. LELLIS,Marcelo Cestari. Matemática:Imenes & Lellis.4v.8ª série. São Paulo: Scipione,1997. MILKWORLD. Produção de leite no Paraná está acima da média nacional. Disponível em: Acesso em 01 nov LIMA,Elon. Matemática não se aprende passivamente. Disponível em: Acesso em: 29 nov PAK,Tetra. APN-o leite é o alimento de eleição para uma alimentação saudável. Disponível em: Acesso 27 nov PARANÁ. Diretrizes Curriculares da Educação Básica: Matemática. Paraná, p. PARANÁ. Lei n. 103, de 15 de março de Disponível em: 184&indice=1&totalRegistros=2 Acesso 27 nov PARANÁ. Secretaria de Educação do Paraná. Galeria de imagens: tratamento de informação. Disponível em:

13 s.jpg. Acesso em: 27 nov PARANÁ. Secretaria de Educação do Paraná.Galeria de imagens: tratamento de informação. Disponível em: Acesso em: 27 nov PAULOVICH, André. Highcharts.Net Gráficos JQuery Em Asp.Net. Disponível em: Acesso em : 29 nov SARESP.Relatório Disponível em: Acesso em: 06 dez SILVA, Marcos Noé Pedro da. Gráficos de setores. Disponível em: Acesso em: 06 dez TOLEDO, José Roberto. Um fato, vários gráficos e múltiplas interpretações. Disponível em:http://toledol.com.br/2010/03/27/uma-serie-de-dados-varios-graficose-multiplas-interpretacoes/. Acesso em: 29 nov TOLEDO, Marília Barros de Almeida. TOLEDO, Mauro de Almeida Toledo. Teoria e prática de matemática: como dois e dois. Volume único. 1.ed., São Paulo:FTD,2009. VALDETARO,Dalva Barbosa.ANDRADE,Daniela Dantas de. Leite nosso primeiro alimento. São Paulo:Editora Ática,1994,48p. VIEIRA, Edite Resende. Portal do Professor. Disponível em: Acesso em: 29 nov VOLPI, Ronei. DIGIOVANI, Maria Silvia C. Aspectos econômicos da produção e dados estatísticos. Disponível em: Acesso em: 01 nov.2012.

14 ANEXOS

15 ANEXO I PDE

16

17 ANEXO II A IMPORTÂNCIA DO LEITE

18 ANEXO III TRATAMENTO DE INFORMAÇÃO

19

20

21 ANEXO IV ESTATÍSTICA

22

23 ANEXO V FREQUÊNCIA RELATIVA

24 ANEXO VI GRÁFICOS

25

26 ANEXO VII MEDIDAS DE TENDÊNCIA CENTRAL

27

28 ANEXO VIII AVALIAÇÃO COLÉGIO ESTADUAL DO CAMPO IRACI SALETE STROZAK Nome: Ano: Turma: Data: / / Profª: Ritamar Andreetta Avaliação de Matemática 1) Classifique as variáveis em quantitativa ou qualitativa. a) Salário b) Sexo c) Número de irmãos d) Opinião sobre a qualidade da água e) Número do sapato f) Escolaridade 2) Em um clube, cada um dos participantes de um jogo de futebol tinha a idade (em ano) representada abaixo: Organize esses dados em uma tabela de distribuição de freqüência e depois, responda as questões: a) Quantos participantes têm 17 anos? b) Quantos participantes têm até 18 anos? c) Qual é o número de participantes com mais de 18 anos? 3) Para pesquisar o programa de televisão preferido dos estudantes de uma escola com alunos, foram selecionados, de maneira imparcial, 400 alunos. Com base nessas informações, responda: a) Quantos alunos tem a população envolvida na pesquisa? b) A amostra dessa pesquisa é formada por quantos alunos? 4) O gráfico, publicado na Folha de S. Paulo de , mostra os gastos (em bilhões de reais) do governo federal com os juros da dívida pública. Analisando o gráfico, assinale a alternativa correta: A) em 1998, o gasto foi de R$ 102,2 bilhões. B) o menor gasto foi em C) em 1997, houve redução de 20% nos gastos, em relação a 1996.

29 D) a média dos gastos nos anos de 1999 e 2000 foi de R$ 79,8 bilhões. E) os gastos decresceram de 1997 a ) O gráfico abaixo mostra o resultado de uma pesquisa realizada entre pessoas de várias faixas etárias, perguntando se consideravam boa a programação da TV brasileira. Analise o gráfico e responda as perguntas. Título: Avaliação Positiva - Programação da TV Brasileira Por Faixa Etária. a) Qual o percentual de pessoas entre 21 e 25 anos que consideram boa a programação da TV brasileira? b) Considerando hipoteticamente que o número de entrevistados foram 1000 pessoas, quantas pessoas entre 36 e 40 anos responderam a pesquisa? c) Que cor representa, no gráfico, a faixa etária entre 31 e 35 anos? d) Qual é a soma das avaliações positivas das pessoas entre 36 e 40 anos e entre 26 e 30 anos? e) Qual é a cor no gráfico que representa a faixa etária mais jovem entrevistada? f) Como é chamado este tipo de gráfico? 6) O gráfico a seguir mostra a quantidade de caixas de frutas vendidas em um grande distribuidor de hortifrutigranjeiros. As vendas são feitas exclusivamente no atacado, destinando-se a feirantes, comerciantes em geral e supermercados. A compra mínima estipulada pelo distribuidor é de cinco caixas de um mesmo tipo de produto, ou o valor mínimo de R$ 500,00. Nas compras feitas pelos pequenos comerciantes, normalmente o valor mínimo não é atingido, optando-se então, pela compra de cinco caixas de um produto qualquer. Analise atentamente este gráfico e responda:

30 Título: Venda Diária no Atacado de Caixas de Frutas. a) Qual foi a fruta mais vendida apresentada no gráfico? b) Qual foi a fruta menos vendida apresentada no gráfico? c) Quantas caixas de manga foram vendidas no período? d) Qual é o valor da compra mínima neste atacadista de hortifrutigranjeiros? e) Quantas caixas de frutas foram vendidas no período apresentado no gráfico? f) Como é chamado esse tipo de gráfico? 7) Em uma pesquisa para saber o tempo, em hora, que os jovens gastam ouvindo música durante um dia, obtiveram-se os seguintes resultados: 0,5 3,0 4,5 3,0 1,0 1,0 3,0 4,5 3,0 1,0 1,0 4,0 4,0 3,0 4,0 4,0 4,5 0,5 3,0 4,0 a) Construa uma tabela de distribuição de frequência para essa situação, apresentando a frequência relativa em porcentagem. b) Qual é a frequência dos jovens que gastam mais de 3 horas, ouvindo música durante um dia? c) Determine a frequência relativa dos jovens que gastam 3 horas ouvindo música durante um dia. d) Analisando a tabela de distribuição de frequência construída, o que representam os 25%? e) Podemos afirmar que mais de 50% dos jovens passam mais de 3 horas, por dia, ouvindo música? Justifique sua resposta. f) Qual é a média aritmética de horas em que os jovens ficam ouvindo música durante o dia? g) Qual é a moda dos valores da tabela? h) Qual é a mediana das horas que os jovens passam ouvindo música?

31 ANEXO IX PESQUISA Pesquisa de campo sobre produção leiteira com agricultores do Assentamento Marcos Freire. Nome: Data: / / Localidade: 1) Quantas cabeças de gado leiteiro têm em sua propriedade? 2) Quantos litros de leite são produzidos por dia na propriedade? 3) Relacione os dias e as quantidades de leite recolhido pelo leiteiro, durante no três últimos meses. 4) Na nota fiscal dos três últimos meses, localize o valor líquido. 5) Qual o valor recebido por litro do leite, nos três últimos meses? 6) Quais são os derivados do leite que vocês produzem para consumo? Enumereos, em ordem decrescente, do que mais produzem até o que menos produzem. Se houver algum que não produzem, coloque a letra N. ( ) queijo ( ) nata ( ) manteiga ( ) iogurte ( ) doce de leite ( ) requeijão ( ) outro 7) Dos derivados dos itens acima quais comercializam? Qual o lucro mensal destes derivados, nos três últimos meses? 8) Quantas pessoas em média são envolvidas nessa atividade? ( )1 ( )2 ( ) 3 ( ) 4 ( ) 5 ou mais 9) Qual a área utilizada na produção leiteira em sua propriedade (alqueires)? 10) Qual é o custo mensal para a manutenção das vacas? 11) Qual é o lucro verificado mensalmente/anualmente?

PROVA MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA 1 SEMESTRE DE 2010 GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS: GABARITO (SUBSTITUTIVA)

PROVA MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA 1 SEMESTRE DE 2010 GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS: GABARITO (SUBSTITUTIVA) PROVA MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA 1 SEMESTRE DE 2010 GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS: GABARITO (SUBSTITUTIVA) DISSERTATIVAS: 1) A distribuição de freqüências apresentada foi obtida a partir de uma pesquisa com

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL DO CAMPO DE PALMEIRINHA - E.F.M. RUA: ARTHUR MOREIRA 160 PALMEIRINHA GUARAPUAVA/PR DISCIPLINA: FÍSICA SÉRIE: 2ºC

COLÉGIO ESTADUAL DO CAMPO DE PALMEIRINHA - E.F.M. RUA: ARTHUR MOREIRA 160 PALMEIRINHA GUARAPUAVA/PR DISCIPLINA: FÍSICA SÉRIE: 2ºC COLÉGIO ESTADUAL DO CAMPO DE PALMEIRINHA - E.F.M. RUA: ARTHUR MOREIRA 160 PALMEIRINHA GUARAPUAVA/PR PLANO DE TRABALHO DOCENTE - 2014 DISCIPLINA: FÍSICA SÉRIE: 2ºC PROFESSOR: CARLOS ALBERTO RAMOS DA SILVA

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ENSINO EQUIPE TÉCNICO-PEDAGÓGICA PLANO DE ENSINO

COORDENAÇÃO DE ENSINO EQUIPE TÉCNICO-PEDAGÓGICA PLANO DE ENSINO COORDENAÇÃO DE ENSINO EQUIPE TÉCNICO-PEDAGÓGICA 1 - IDENTIFICAÇÃO PLANO DE ENSINO CURSO: Técnico Subsequente em Agricultura DISCIPLINA/ COMPONENTE CURRICULAR: Matemática Aplicada a Agricultura ANO/ CARGA

Leia mais

TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL: PROPOSTAS CURRICULARES E LIVROS DIDÁTICOS

TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL: PROPOSTAS CURRICULARES E LIVROS DIDÁTICOS TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL: PROPOSTAS CURRICULARES E LIVROS DIDÁTICOS Luciana Boemer Cesar 1 Mary Ângela Teixeira Brandalise 2 Palavras-chave: formação de professores, ensino de estatística,

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico O Coordenador Pedagógico é o profissional que, na Escola, possui o importante papel de desenvolver e articular ações pedagógicas que viabilizem

Leia mais

Estudo de modelos de Matemática financeira em bibliografia básica

Estudo de modelos de Matemática financeira em bibliografia básica Estudo de modelos de Matemática financeira em bibliografia básica Hélio Rosetti Júnior Instituto Federal do Espírito Santo e Faculdade de Tecnologia FAESA Brasil heliorosetti@cetfaesa.com.br Juliano Schimiguel

Leia mais

TV MULTIMÍDIA NA SALA DE AULA

TV MULTIMÍDIA NA SALA DE AULA TV MULTIMÍDIA NA SALA DE AULA MELLO, Rosângela Menta SEED/PR rosangelamenta@seed.pr.gov.br Eixo Temático: Comunicação e Tecnologia Agência Financiadora: Não contou com financiamento Resumo Apresentamos

Leia mais

Neste contexto, destacamos as ações desenvolvidas durante o ano letivo em seus respectivos meses. MARÇO:

Neste contexto, destacamos as ações desenvolvidas durante o ano letivo em seus respectivos meses. MARÇO: Relatório O brincando se Aprende Um Projeto Socioeducativo foi criado e aplicado como uma nova metodologia, para despertar o interesse dos alunos do Ensino Médio pelas atividades matemáticas e de linguagens,

Leia mais

PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA

PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA Escola de Ensino Médio João Barbosa Lima PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA DESPERTANDO O GOSTO PELA LEITURA E A ARTE DE ESCREVER Projeto na Sala de PCA da Área de Linguagens e Códigos PROEMI -Programa

Leia mais

ROTEIRO PARA OFICINA DE ANALISE DO DESEMPENHO ESCOLAR E ELABORAÇÃO DO PLANO DE ENSINO

ROTEIRO PARA OFICINA DE ANALISE DO DESEMPENHO ESCOLAR E ELABORAÇÃO DO PLANO DE ENSINO ROTEIRO PARA OFICINA DE ANALISE DO DESEMPENHO ESCOLAR E ELABORAÇÃO DO PLANO DE ENSINO DOCUMENTOS BÁSICOS: - Cadernos Paebes; - Ata de resultados finais da Escola em 2010; - Guia de Intervenção Pedagógica;

Leia mais

TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO: CONHECIMENTO DE ESTATÍSTICA DE ALUNOS DA OITAVA SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE LAGOA VERMELHA.

TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO: CONHECIMENTO DE ESTATÍSTICA DE ALUNOS DA OITAVA SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE LAGOA VERMELHA. TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO: CONHECIMENTO DE ESTATÍSTICA DE ALUNOS DA OITAVA SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE LAGOA VERMELHA. Adriano Schütz Busin 1 Neuza Terezinha Oro 2 RESUMO O presente artigo

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil CONSELHO DE CLASSE A visão dos professores sobre educação no Brasil INTRODUÇÃO Especificações Técnicas Data do Campo 19/06 a 14/10 de 2014 Metodologia Técnica de coleta de dados Abrangência geográfica

Leia mais

Centro Educacional Linus Pauling

Centro Educacional Linus Pauling Centro Educacional Linus Pauling Projeto 2º SEmestre 2012 APRESENTAÇÃO Faz-se necessário entender que o equilíbrio da natureza é essencial para a vida na terra, e que atualmente a preocupação com a degradação

Leia mais

Primeiro Segmento equivalente à alfabetização e às quatro primeiras séries do Ensino Fundamental (1ª à 4ª série).

Primeiro Segmento equivalente à alfabetização e às quatro primeiras séries do Ensino Fundamental (1ª à 4ª série). INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A EJA 1- Você se matriculou em um CURSO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA). Esse curso tem a equivalência do Ensino Fundamental. As pessoas que estudam na EJA procuram um curso

Leia mais

A ANÁLISE DA PAISAGEM ATRAVÉS DE FOTOGRAFIAS TIRADAS PELOS PRÓPRIOS ALUNOS: OS POSSÍVEIS USOS PARA O CELULAR NAS AULAS DE GEOGRAFIA

A ANÁLISE DA PAISAGEM ATRAVÉS DE FOTOGRAFIAS TIRADAS PELOS PRÓPRIOS ALUNOS: OS POSSÍVEIS USOS PARA O CELULAR NAS AULAS DE GEOGRAFIA A ANÁLISE DA PAISAGEM ATRAVÉS DE FOTOGRAFIAS TIRADAS PELOS PRÓPRIOS ALUNOS: OS POSSÍVEIS USOS PARA O CELULAR NAS AULAS DE GEOGRAFIA Ires de Oliveira Furtado Universidade Federal de Pelotas iresfurtado@gmail.com

Leia mais

EXPERIMENTAÇÃO BASEADA EM PRÁTICAS DE PROCESSAMENTO DE ALIMENTOS PARA CONTEXTUALIZAÇÃO DO ENSINO DE QUÍMICA EM ESCOLA DE CAMPO

EXPERIMENTAÇÃO BASEADA EM PRÁTICAS DE PROCESSAMENTO DE ALIMENTOS PARA CONTEXTUALIZAÇÃO DO ENSINO DE QUÍMICA EM ESCOLA DE CAMPO 8 Simpósio Brasileiro de Educação Química Natal / RN 25 à 27 de Julho de 2010 Universidade Federal do Pampa Campus Bagé - RS EXPERIMENTAÇÃO BASEADA EM PRÁTICAS DE PROCESSAMENTO DE ALIMENTOS PARA CONTEXTUALIZAÇÃO

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO PARANÁ GOVERNO DO ESTADO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED DIRETORIA DE POLÍTICAS E PROGRAMAS EDUCACIONAIS - DPPE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL PDE Anexo I Professor PDE FORMULÁRIO DE ACOMPANHAMENTO

Leia mais

Atividades de interpretação de gráficos de barras e linhas: o que sabem os alunos do 5º ano?

Atividades de interpretação de gráficos de barras e linhas: o que sabem os alunos do 5º ano? Atividades de interpretação de gráficos de barras e linhas: o que sabem os alunos do 5º ano? Maria Betânia Evangelista UFPE EDUMATEC - Brasil Resumo Esse estudo teve como objetivo analisar o desempenho

Leia mais

A MODELAGEM MATEMÁTICA EM QUESTÕES AMBIENTAIS

A MODELAGEM MATEMÁTICA EM QUESTÕES AMBIENTAIS A MODELAGEM MATEMÁTICA EM QUESTÕES AMBIENTAIS CEOLIM, Amauri Jersi. TIDE/Fecilcam, ajceolim@gmail.com BRAZ, Bárbara Cândido. USF/Matemática, Fecilcam, babicbraz@hotmail.com ROEDER, Simone. USF/ Matemática,

Leia mais

Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC. Campus Ceilândia

Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC. Campus Ceilândia Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC Campus Ceilândia GESTÃO E PRÁTICAS EMPREENDEDORAS PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Ceilândia, Fevereiro de 2014. CURSO DE FORMAÇÃO

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PROGETEC - 2015

PLANO DE AÇÃO PROGETEC - 2015 ESCOLA ESTADUAL PROFª. NAIR PALÁCIO DE SOUZA PLANO DE AÇÃO PROGETEC - 2015 NOVA ANDRADINA-MS DEZEMBRO DE 2014 ESCOLA ESTADUAL PROFª. NAIR PALÁCIO DE SOUZA PLANO DE AÇÃO PROGETEC 2015 Planejamento de ações

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Departamento de Áreas Acadêmicas I Coordenação de Ciências Humanas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM COORDENÇÃO PEDAGOGICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM COORDENÇÃO PEDAGOGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM COORDENÇÃO PEDAGOGICA A ELABORAÇÃO DO PLANEJAMENTO ESCOLAR O Planejamento é o principal instrumento norteador da ação dos coordenadores e profissionais

Leia mais

PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA

PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA Rachel de Souza Melo 1 - rachelmelo2@hotmail.com; Romário Roberto Xavier de Araújo 2 - romarioaraujo124@gmai.com; Catarina de Medeiros

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA Art. 1.º Entende-se, para efeitos dessa resolução, o estágio como ato educativo escolar supervisionado a ser desenvolvido em locais

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Estágio Supervisionado: Educação Infantil 4 e 5 anos Educação de Jovens e Adultos (EJA) Ensino Fundamental Educação Especial (Ensino

Leia mais

ATIVIDADES PERMANENTES PARA APRENDER MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

ATIVIDADES PERMANENTES PARA APRENDER MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL ATIVIDADES PERMANENTES PARA APRENDER MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Daniele Barros Vargas Furtado Universidade Federal de Santa Maria dbvfurtado@yahoo.com.br Resumo Sendo a matemática tão presente em

Leia mais

Diagnóstico da Educação Municipal

Diagnóstico da Educação Municipal Diagnóstico da Educação Municipal Oneide Ferraz Alves Apoio Parceria Coordenação Técnica Iniciativa Temas 1º dia Planejamento Planejamento Educacional Plano Anual de Educação Diagnóstico da Educação no

Leia mais

Sugestão de Planejamento da Semana Pedagógica

Sugestão de Planejamento da Semana Pedagógica GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA REGIONAL DE ENSINO DE ARAGUAINA SETOR REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO E ENSINO INTEGRAL Sugestão de Planejamento da Semana

Leia mais

Jacqueline S. Schneider Escola Estadual Irmã Maria Horta- SEDU/ES jac.silva@hotmail.com. Resumo:

Jacqueline S. Schneider Escola Estadual Irmã Maria Horta- SEDU/ES jac.silva@hotmail.com. Resumo: CONCEITOS E APLICAÇÕES DA MATEMÁTICA FINANCEIRA NAS NOTICIAS: VIVÊNCIAS DE ALUNOS DOS 1º ANOS DO ENSINO MÉDIO DA ESCOLA ESTADUAL IRMÃ MARIA HORTA VITÓRIA/ES Resumo: Rosangela Cardoso Silva Barreto Universidade

Leia mais

A EDUCAÇÃO DO CAMPO E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO ASSENTAMENTO SÃO FRANCISCO III.SOLÂNEA/PB.

A EDUCAÇÃO DO CAMPO E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO ASSENTAMENTO SÃO FRANCISCO III.SOLÂNEA/PB. A EDUCAÇÃO DO CAMPO E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO ASSENTAMENTO SÃO FRANCISCO III.SOLÂNEA/PB. Otaciana da Silva Romão (Aluna do curso de especialização em Fundamentos da Educação UEPB), Leandro

Leia mais

EXPERIÊNCIAS SIGNIFICATIVAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE PINHAIS-PR: COMPARTILHANDO IDEIAS E IDEAIS

EXPERIÊNCIAS SIGNIFICATIVAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE PINHAIS-PR: COMPARTILHANDO IDEIAS E IDEAIS EXPERIÊNCIAS SIGNIFICATIVAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE PINHAIS-PR: COMPARTILHANDO IDEIAS E IDEAIS Cordeiro, Juliana SEMED/Pinhais, vínculo efetivo, Pinhais, Paraná, Brasil juliana.cordeiro@pinhais.pr.gov.br

Leia mais

A Tríade: Ensino, Pesquisa e Extensão na construção de Escolas Inclusivas.

A Tríade: Ensino, Pesquisa e Extensão na construção de Escolas Inclusivas. 1364 X Salão de Iniciação Científica PUCRS A Tríade: Ensino, Pesquisa e Extensão na construção de Escolas Inclusivas. FONTOURA, Maria Eugênia 1, PEREIRA, Débora Couto 1, LEBEDEFF, Tatiana 1, BASTOS, Amélia

Leia mais

Escola em que trabalha e na qual será desenvolvido o Plano de Ação: Escola Estadual Santos Dumont E. F.

Escola em que trabalha e na qual será desenvolvido o Plano de Ação: Escola Estadual Santos Dumont E. F. CURSO GÊNERO E DIVERSIDADE NA ESCOLA PROJETO GDE APLICADO NA ESCOLA SANTOS DUMONT- PARANACITY- PR NÚCLEO PARANAVAI PROFESSORA: MARIA HILDA LIMA / DISCIPLINA: MATEMÁTICA Diagnóstico da Realidade: * Sabemos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO EXTERNA DO PROJETO EDUCANDO COM A HORTA ESCOLAR 1. Breve Histórico do Projeto de Cooperação Técnica

Leia mais

GERENCIANDO UMA MICROEMPRESA COM O AUXÍLIO DA MATEMÁTICA E DO EXCEL: UM CONTEXTO DE MODELAGEM

GERENCIANDO UMA MICROEMPRESA COM O AUXÍLIO DA MATEMÁTICA E DO EXCEL: UM CONTEXTO DE MODELAGEM GERENCIANDO UMA MICROEMPRESA COM O AUXÍLIO DA MATEMÁTICA E DO EXCEL: UM CONTEXTO DE MODELAGEM Fernanda Maura M. da Silva Lopes 1 Lorena Luquini de Barros Abreu 2 1 Universidade Salgado de Oliveira/ Juiz

Leia mais

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem Coordenação: Juliana Cristina Braga Autoria: Rita Ponchio Você aprendeu na unidade anterior a importância da adoção de uma metodologia para a construção de OA., e também uma descrição geral da metodologia

Leia mais

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE O Colégio Estadual Djenal Tavares de Queiroz, foi fundado

Leia mais

O ESTUDO DE FUNÇÕES DO PRIMEIRO GRAU POR MEIO DA ANÁLISE DA CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA NO ENSINO FUNDAMENTAL

O ESTUDO DE FUNÇÕES DO PRIMEIRO GRAU POR MEIO DA ANÁLISE DA CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA NO ENSINO FUNDAMENTAL O ESTUDO DE FUNÇÕES DO PRIMEIRO GRAU POR MEIO DA ANÁLISE DA CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA NO ENSINO FUNDAMENTAL Ana Paula Rebello Pontifícia Universidade do Rio Grande do Sul - PUCRS prof.anapaula@ibest.com.br

Leia mais

O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1. Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11

O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1. Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11 O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1 Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11 Ana Luiza Araujo COSTA anaepietro26@gmail.com Maria Simone

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL 1- Título: Figuras de Linguagem 2- Autor: Rosana Ferreira Terra 3- Aplicativo utilizado: BrOffice-Calc 4- Disciplina: Língua Portuguesa 5- Objetivos / Expectativas de aprendizagem: Objetivo Geral: Explorar

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL GETÚLIO VARGAS ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO RÁDIO ESCOLA

ESCOLA ESTADUAL GETÚLIO VARGAS ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO RÁDIO ESCOLA ESCOLA ESTADUAL GETÚLIO VARGAS ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO RÁDIO ESCOLA APRESENTAÇÃO: A Escola Estadual Getúlio Vargas Ensino Fundamental, do Município de Engenheiro Beltrão, Estado do Paraná, preocupada

Leia mais

UMA INVESTIGAÇÃO NA AGRICULTURA FAMILIAR UTILIZANDO A MODELAGEM MATEMÁTICA

UMA INVESTIGAÇÃO NA AGRICULTURA FAMILIAR UTILIZANDO A MODELAGEM MATEMÁTICA Comunicação Científica UMA INVESTIGAÇÃO NA AGRICULTURA FAMILIAR UTILIZANDO A MODELAGEM MATEMÁTICA Emanuella Filgueira Pereira - UFRB Joana Angelina dos Santos Silva- UFRB Núbia de Andrade Santos - UFRB

Leia mais

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano SANTANA, Ludmylla Siqueira 1 RIBEIRO, José Pedro Machado 2 SOUZA, Roberto Barcelos 2

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Curso de graduação em Pedagogia - Licenciatura Disciplina: Conteúdo e Metodologia em Matemática Carga Horária: 60 Teórica: 60 Prática: Semestre: 2013.2

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Lixo que não é Lixo

Mostra de Projetos 2011. Lixo que não é Lixo Mostra Local de: Dois Vizinhos Mostra de Projetos 2011 Lixo que não é Lixo Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: APMF Escola Municipal Plínio

Leia mais

INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE QUÍMICA: UMA PROPOSTA DE AÇÃO INTEGRADA ENVOLVENDO ESTUDOS SOBRE ALIMENTOS

INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE QUÍMICA: UMA PROPOSTA DE AÇÃO INTEGRADA ENVOLVENDO ESTUDOS SOBRE ALIMENTOS INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE QUÍMICA: UMA PROPOSTA DE AÇÃO INTEGRADA ENVOLVENDO ESTUDOS SOBRE ALIMENTOS Kelly Karina Cardoso (kkimica@hotmail.com) Eniz Conceição de Oliveira (eniz@univates.br) Marlise

Leia mais

Agrupamento de escolas de Vila Nova de Poiares

Agrupamento de escolas de Vila Nova de Poiares Agrupamento de escolas de Vila Nova de Poiares Departamento da Educação Pré Escolar Avaliação na educação pré-escolar -Competências -Critérios gerais de avaliação Ano letivo 2013-2014 1 INTRODUÇÃO Para

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NO ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NO ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NO ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Jacqueline Liedja Araújo Silva Carvalho Universidade Federal de Campina Grande jliedja@hotmail.com Introdução A Educação de

Leia mais

PLANO DE AÇÃO - 2014

PLANO DE AÇÃO - 2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXADÁ SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO PLANO DE AÇÃO - 2014 MISSÃO Assessorar as Regionais Educacionais, fortalecendo o processo

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de Inglês básico.

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de Inglês básico. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CÍCERO WILLIAMS DA SILVA EMERSON LARDIÃO DE SOUZA MARIA DO CARMO MEDEIROS VIEIRA ROBERTO GOMINHO DA SILVA

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC DE MANEJO DE PASTAGENS EM BOVINOCULTURA DE LEITE. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC DE MANEJO DE PASTAGENS EM BOVINOCULTURA DE LEITE. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

MATEMÁTICA E MEIO AMBIENTE: ÁGUAS DO BOQUEIRÃO DO CAIS, VIDA PARA NOSSA REGIÃO.

MATEMÁTICA E MEIO AMBIENTE: ÁGUAS DO BOQUEIRÃO DO CAIS, VIDA PARA NOSSA REGIÃO. MATEMÁTICA E MEIO AMBIENTE: ÁGUAS DO BOQUEIRÃO DO CAIS, VIDA PARA NOSSA REGIÃO. Jaldir de Oliveira Costa (UFCG/CES); Ivanielma dos Santos Souza (UFCG/CES); Maria Aparecida Dantas; Alecxandro Alves Vieira

Leia mais

USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO

USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO Luciano Bernardo Ramo; Maria Betania Hermenegildo dos Santos Universidade Federal da Paraíba. luciano_bernardo95@hotmail.com

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE SONDAGEM DA PRÁTICA PEDAGÓGICA DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

QUESTIONÁRIO DE SONDAGEM DA PRÁTICA PEDAGÓGICA DADOS DE IDENTIFICAÇÃO ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA ADJUNTA DE ENSINO SECRETARIA ADJUNTA DE PROJETOS ESPECIAIS QUESTIONÁRIO DE SONDAGEM DA PRÁTICA PEDAGÓGICA DADOS DE IDENTIFICAÇÃO URE: ESCOLA:

Leia mais

INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO

INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO 1º N1 1. Espaços e Práticas Culturais 40h N1 2. Oficina de Artes Visuais 80h N1 3. Prática de Leitura e escrita 80h

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA INTRODUÇÃO O Estágio Curricular foi criado pela Lei 6.494, de 7 de dezembro de 1977 e regulamentado pelo Decreto 87.497, de 18 de agosto

Leia mais

ESCOLA ITINERANTE: UMA ANÁLISE PARA ALÉM DA SALA DE AULA

ESCOLA ITINERANTE: UMA ANÁLISE PARA ALÉM DA SALA DE AULA ESCOLA ITINERANTE: UMA ANÁLISE PARA ALÉM DA SALA DE AULA Prof.ª Dra. Irizelda Martins de Souza e Silva UEM Caroline Mari de Oliveira UEM Kethlen Leite de Moura UEM Thaís Godoi de Souza UEM Agência Financiadora:

Leia mais

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia Anais do I Seminário Internacional de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia A CONTRIBUIÇÃO DA DIDÁTICA CRÍTICA NA INTERLIGAÇÃO DE SABERES AMBIENTAIS NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Leia mais

Matemática - Professor: Leonardo Maciel

Matemática - Professor: Leonardo Maciel Colégio Nossa Senhora de Lourdes Matemática - Professor: Leonardo Maciel ESTATÍSTICA TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Uma pesquisa de opinião foi realizada para avaliar os níveis de audiência de alguns canais

Leia mais

CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada

CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas pelo

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO = 07 (SETE)

Leia mais

Atitudes pela Educação Novembro de 2014

Atitudes pela Educação Novembro de 2014 Atitudes pela Educação Novembro de 2014 Realização: Instituto Paulo Montenegro IBOPE Inteligência Parceiros da pesquisa: Todos Pela Educação Fundação Itaú Social Fundação Maria Cecília Souto Vidigal Fundação

Leia mais

A formação de professores do campo: análise do perfil e dos sentidos da docência de estudantes da Licenciatura em Educação do Campo da FaE/UFMG

A formação de professores do campo: análise do perfil e dos sentidos da docência de estudantes da Licenciatura em Educação do Campo da FaE/UFMG A formação de professores do campo: análise do perfil e dos sentidos da docência de estudantes da Licenciatura em Educação do Campo da FaE/UFMG Introdução Aline Aparecida Angelo O debate sobre a formação

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO Instituto Federal Farroupilha Câmpus Santa Rosa ledomanski@gmail.com Introdução Ler no contexto mundial globalizado

Leia mais

anped 25ª reunião anual

anped 25ª reunião anual O PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA ESCOLA-PDE NO ENSINO FUNDAMENTAL:O QUE MUDOU NA ESCOLA 1 GT Ensino Fundamental N.º13 Catarina de Almeida Santos- UFG Laydes Seabra Guimarães e Souza-UCG Sueli Azevedo de Souza

Leia mais

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES EDIT MARIA ALVES SIQUEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA). Resumo Diferentes instrumentos de avaliação (ENEM, SIMAVE) tem diagnosticado o despreparo dos alunos

Leia mais

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA Jacqueline Oliveira de Melo Gomes Faculdade de Formação de Professores da Mata Sul / FAMASUL-PE jacomgomes@yahoo.com.br

Leia mais

Plano de Trabalho Docente - 2015. Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em Informática para Internet Integrado ao Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente - 2015. Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em Informática para Internet Integrado ao Ensino Médio Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: CIÊNCIAS DA NATUREZA Componente Curricular: BIOLOGIA Série: 1ª Eixo Tecnológico:

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL IVAIPORÃ PROJETO DE LEITURA: LIVRO AMIGO

ESCOLA MUNICIPAL IVAIPORÃ PROJETO DE LEITURA: LIVRO AMIGO ESCOLA MUNICIPAL IVAIPORÃ PROJETO DE LEITURA: LIVRO AMIGO Projeto escolar com a temática Livro Amigo produzido no ano de 2012, 2013 e em andamento em 2014, por todos os integrantes da escola e comunidade.

Leia mais

iniciais: relato de uma experiência de parceria

iniciais: relato de uma experiência de parceria A formação do professor de ciências para as séries iniciais: relato de uma experiência de parceria Profa. Dra. Maria Candida Muller Professora dos cursos de Pedagogia e Análise de Sistemas Centro Universitário

Leia mais

ENSINANDO A MATEMÁTICA FINANCEIRA UTILIZANDO A PLANILHA EXCEL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA

ENSINANDO A MATEMÁTICA FINANCEIRA UTILIZANDO A PLANILHA EXCEL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA ENSINANDO A MATEMÁTICA FINANCEIRA UTILIZANDO A PLANILHA EXCEL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA Raimundo João dos Santos Júnior; Roseane Matias Lourenço; Amandda Mayara Araújo Farias; Onélia Araújo Franco Fragoso

Leia mais

Planejamento Anual 2014. Modalidade: Ensino Médio. Disciplina: Matemática. 1º Ano D. Prof: Alan Ricardo Lorenzon

Planejamento Anual 2014. Modalidade: Ensino Médio. Disciplina: Matemática. 1º Ano D. Prof: Alan Ricardo Lorenzon COLEGIO ESTADUAL DARIO VELLOZO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E PROFISSIONAL Rua Haroldo Hamilton, 271 Centro - CEP 85905-390 Fone/Fax 45 3378-5343 - Email: colegiodariovellozo@yahoo.com.br Toledo Paraná Planejamento

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

Omatematico.com ESTATÍSTICA DESCRITIVA

Omatematico.com ESTATÍSTICA DESCRITIVA Omatematico.com ESTATÍSTICA DESCRITIVA 1. Classifique as variáveis abaixo: (a) Tempo para fazer um teste. (b) Número de alunos aprovados por turma. (c) Nível sócio-econômico (d) QI (Quociente de inteligência).

Leia mais

Elaboração de projetos

Elaboração de projetos Ano: 2013 CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ARLINDO RIBEIRO Professor: ELIANE STAVINSKI PORTUGUÊS Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA / LITERATURA Série: 2ª A e B CONTEÚDO ESTRUTURANTE: DISCURSO COMO

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL 1- Título: Figuras Geometricas 2- Autora: Zilda Aranão Corrêa. 3-Aplicativo utilizado: BrOffice-Calc. 4- Disciplina: Matemática. 5- Objetivos / Expectativas de aprendizagem: Ambientar os alunos sobre o

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO CONSELHO DE CLASSE O Conselho de Classe é um órgão colegiado, de cunho decisório, presente no interior da organização escolar, responsável pelo processo de avaliação do desempenho pedagógico do aluno.

Leia mais

O TRABALHO COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO NA PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA: ANÁLISE DO PLANO DE ESTUDO Melo, Érica Ferreira Melo 1 SILVA, Lourdes Helena 2

O TRABALHO COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO NA PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA: ANÁLISE DO PLANO DE ESTUDO Melo, Érica Ferreira Melo 1 SILVA, Lourdes Helena 2 O TRABALHO COMO PRINCÍPIO EDUCATIVO NA PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA: ANÁLISE DO PLANO DE ESTUDO Melo, Érica Ferreira Melo 1 SILVA, Lourdes Helena 2 RESUMO Nos CEFFAs o processo de ensino e aprendizagem se

Leia mais

A GESTÃO EDUCACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

A GESTÃO EDUCACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A GESTÃO EDUCACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Resumo Daiane Bueno de Souza1 - UFMS Josiane Caroline de Souza Salomão Corrêa2 - UFMS Thaís Mirian Ferreira3 - UFMS Grupo de Trabalho - Educação

Leia mais

PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO

PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br RESUMO Este artigo discute

Leia mais

Plano de Ensino Docente. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 701

Plano de Ensino Docente. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 701 Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU:( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

CURIOSIDADE DE CRIANÇA: CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NUMA TURMA DE PRÉ-ESCOLA 1

CURIOSIDADE DE CRIANÇA: CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NUMA TURMA DE PRÉ-ESCOLA 1 CURIOSIDADE DE CRIANÇA: CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NUMA TURMA DE PRÉ-ESCOLA 1 SILVEIRA, Lidiane 2 ; LIMA, Graziela Escandiel de 3 1 Relato de experiência 2 Pedagoga, Especialista em Alfabetização, professora

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E HQS NO ENSINO FUNDAMENTAL RESUMO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E HQS NO ENSINO FUNDAMENTAL RESUMO 1 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E HQS NO ENSINO FUNDAMENTAL Daiane Aparecida Begname 1 Priscila Paschoalino Ribeiro 2 RESUMO O presente trabalho de extensão visou incentivar o uso de Histórias em Quadrinhos no ensino

Leia mais

Uso da Lousa Digital em Aulas de Matemática: um estudo com professores do Ensino Médio

Uso da Lousa Digital em Aulas de Matemática: um estudo com professores do Ensino Médio Uso da Lousa Digital em Aulas de Matemática: um estudo com professores do Ensino Médio João Victor Maceno Lacerda 1 GD6 Educação Matemática, Tecnologias Informáticas e Educação à Distância Resumo: Neste

Leia mais

No Estágio Curricular Supervisionado em História II a carga horária será de: Teoria- 40h/aula e Prática - 60h: Estágio de regência na escola.

No Estágio Curricular Supervisionado em História II a carga horária será de: Teoria- 40h/aula e Prática - 60h: Estágio de regência na escola. UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA CURSO DE HISTÓRIA/LICENCIATURA MANUAL DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO EM HISTÓRIA Apresentação O Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA NO ENSINO SUPERIOR: APRECIAÇÃO DA EXPERIÊNCIA PELOS SUJEITOS PARTICIPANTES 1

MODELAGEM MATEMÁTICA NO ENSINO SUPERIOR: APRECIAÇÃO DA EXPERIÊNCIA PELOS SUJEITOS PARTICIPANTES 1 MODELAGEM MATEMÁTICA NO ENSINO SUPERIOR: APRECIAÇÃO DA EXPERIÊNCIA PELOS SUJEITOS PARTICIPANTES 1 Marinez Cargnin-Stieler UNEMAT/NEED marinez@unemat.br Resumo: Este trabalho é uma análise parcial dos dados

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR CELEM CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA ESPANHOL

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR CELEM CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA ESPANHOL PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR CELEM CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA ESPANHOL APRESENTAÇÃO Segundo as Diretrizes Curricular o ensino da Língua Estrangeira na Educação Básica esta pautado

Leia mais

EXPERIÊNCIA DA APLICAÇÃO DE UM MATERIAL DIDÁTICO QUE AUXILIE NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NO VIÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS.

EXPERIÊNCIA DA APLICAÇÃO DE UM MATERIAL DIDÁTICO QUE AUXILIE NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NO VIÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS. EXPERIÊNCIA DA APLICAÇÃO DE UM MATERIAL DIDÁTICO QUE AUXILIE NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NO VIÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS. José Fernandes Silva; Kamila Costa Santos; Kelly Letícia Andrade Viana

Leia mais

Edital de Seleção. Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário. (Turma 2015)

Edital de Seleção. Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário. (Turma 2015) Edital de Seleção Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário (Turma 2015) Belém Pará Novembro de 2014 Realização Página 2 de 9 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 4 3.

Leia mais

Novas estratégias no ensino de geografia para vestibulandos

Novas estratégias no ensino de geografia para vestibulandos Novas estratégias no ensino de geografia para vestibulandos Renata de Souza Ribeiro (UERJ/FFP) Thiago Jeremias Baptista (UERJ/FFP) Eixo: Fazendo escola com múltiplas linguagens Resumo Este texto relata

Leia mais

APOIO AO USO DOS RECURSOS DE PORTAIS EDUCACIONAIS,

APOIO AO USO DOS RECURSOS DE PORTAIS EDUCACIONAIS, Este material foi elaborado como requisito de avaliação final da oficina APOIO AO USO DOS RECURSOS DE PORTAIS EDUCACIONAIS, sob orientação da docente, assessora pedagógica RENICE CECILIA GAFURI da equipe

Leia mais

O PLANETA TERRA E A POPULAÇÃO BRASILEIRA COMO CONTEÚDOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM NO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA 1

O PLANETA TERRA E A POPULAÇÃO BRASILEIRA COMO CONTEÚDOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM NO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA 1 1 O PLANETA TERRA E A POPULAÇÃO BRASILEIRA COMO CONTEÚDOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM NO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA 1 Deisihany Armelin Santana 2 Carina Sala de Moreis 3 INTRODUÇÃO Este artigo analisa, criticamente,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUED CURSO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUED CURSO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS Este material foi elaborado como requisito de avaliação final da Oficina de Softwares Educacionais JClic, sob orientação do(a) docente e assessora pedagógica Adriana Regina Perez Rech, da equipe da Coordenação

Leia mais

EDUCANDO COM A HORTA ESCOLAR PEDAGÓGICA

EDUCANDO COM A HORTA ESCOLAR PEDAGÓGICA EDUCANDO COM A HORTA ESCOLAR PEDAGÓGICA Sabrina Sgarbi Tibolla 1 ;Sabrina dos Santos Grassi 2 ; Gilson Ribeiro Nachtigall 3 INTRODUÇÃO A horta escolar é uma estratégia de educar para o ambiente, para a

Leia mais