Nome Número: Série. Relacionamentos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nome Número: Série. Relacionamentos"

Transcrição

1 Nome Número: Série Relacionamentos Competências: Organizar dados coletadas de acordo com as ferramentas de gerenciamento e Selecionar ferramentas para manipulação de dados; Habilidades: Utilizar um ambiente para manipulação de dados no diverso modelo de SGBD (Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados); Bases Tecnológicas: Ambientes/ferramentas de gerenciamento de bancos de dados. MS Access. Os relacionamentos são uma forma de vínculo entre os dados armazenados nas tabelas de um banco de dados relacional. Por isso, saber relacionar as tabelas criadas usando um SGBD é fundamental para concluir o processo de modelagem física, e assim, concluir a criação do banco de dados. A criação dos relacionamentos é a última etapa da modelagem física de banco de dados, as próximas etapas propõe a criação de ferramentas que auxiliam o uso do banco de dados pronto e dos dados contidos nele, portanto, crie os relacionamentos de forma crítica e não desanime se precisar rever, ao terminar esta etapa, toda a modelagem do banco de dados, pois isso é muito comum. Observação REALIDADE NEBULOSA Descreve estado ANALISTA ANALISTA Organiza Idéias Descreve MINI - MUNDO Define MODELO CONCEITUAL MODELO LÓGICO Atualiza Valores MODELO FÍSICO Cria BANCO DE DADOS Figura 1 - Detalhamento das etapas para a construção de um projeto de banco de dados. Vamos lembrar o que é relacionamento: para ALVES. William Pereira Fundamentos de Banco de Dados. Érica. 2004, relacionamento é a representação de uma ação ou fato que associa os itens de uma entidade com os itens de outra entidade. Poderiamos dar uma série de outras definições para relacionamento, porém, apenas esta, por sí só, já é suficiente para o entendimento necessário ao técnico responsável pelo trabalho de construção de um banco de dados. 1

2 Graus de relacionamentos (cardinalidade): Podemos representar as entidades, que são as tabelas do banco de dados por conjuntos, esses conjuntos podem ser vinculados através de três tipos de relacionamentos: 1:N (um-para-muitos): Onde um registro de uma tabela está relacionado com muitos registros da outra, enquanto um registro da outra tabela está relacionado com um e apenas um registro da primeira tabela. Tabela 1 Registro 1 Registro 2 Registro 3 Registro 4 Tabela 2 Registro 1 Registro 2 Registro 3 Registro 4 Figura 2 - Relação entre os registros de duas tabelas em um relacionamento 1:N N:N (muitos-para-muitos): Onde um registro de uma tabela está relacionado com muitos registros da outra, enquanto um registro da outra tabela está relacionado com muitos registros da primeira tabela. Tabela 1 Registro 1 Registro 2 Registro 3 Registro 4 Tabela 2 Registro 1 Registro 2 Registro 3 Registro 4 Figura 3 - Relação entre os registros de duas tabelas em um relacionamento N:N 1:1 (um-para-um): um elemento de uma tabela está relacionado com um e somente um elemento de outra, enquanto um elemento da outra tabela está relacionado com um e somente um elemento da primeira tabela. Tabela 1 Registro 1 Registro 2 Registro 3 Registro 4 Tabela 2 Registro 1 Registro 2 Registro 3 Registro 4 Figura 4 - Relação entre os registros de duas tabelas em um relacionamento 1:1 2

3 Assim podemos resumir as possíbilidades de relacionamento entre as tabelas do MS Access aos três graus apresentados aqui. Porém, cada tipo de relacionamento exige um procedimento específico para efetivação física. Criando um relacionamento em MS Access Primeiro: Antes de criar o relacionamento entre as tabelas de um banco de dados em MS Access vamos pressupor um MER (Modelo Entidade-Relacionamento) no qual possamos nos orientar e um Modelo Lógico-Relacional que permita que os campos chaves a serem relacionados nas tabelas sejam identificados corretamente. Modelo de negócio: Oficina Mecância MECANICO N Revisa N VEICULO N Tem 1 CLIENTE 1 e MECANICO VEICULO CLIENTE Figura 5 - Modelo Entidade-Relacionamento Oficina Mecânica ENTIDADE ATRIBUTOS RELACIONAMENTO *CREA Nome Com Veiculo 1:N Endereco Parcial Celular #CPF VEICULOPESADO *Placa CodCliente Ano #RENAVAM Marca Modelo 1 *CodCliente Nome Endereco Telefone #CNH *Placa ComprimentoMetros NumeroEixos PesoToneladas VEICULOPESADO com VeiculoLeve 1:1 Parcial com VeiculoPesado 1:1 Parcial com Mecanico 1:N Total com Cliente 1:1 Total com Veiculo 1:N Parcial com Veiculo 1:1 Total 3

4 Revisao RELACIONAMENTO ATRIBUTOS *CodRevisao Placa CREA Data Hora Valor Relatorio TrocaPecas Tabela 1 - Modelo Lógico-Relacional de Oficina Mecânica Acessando o ambiente de relacionamento em MS Access: Segundo: A partir dos modelos Entidade-Relacionamento e Lógico- Relacional podemos modelar o banco de dados no processo de modelagem física e teremos criadas as tabelas do SGBD conforme Figura 6 a seguir. Figura 6 - Banco de Dados Oficina Mecânica modelado fisicamente. Terceiro: Acesse a área de relacionamentos do SGBD MS Access, mas antes, faça as verificações a seguir: 1. Verifique se todas as tabelas foram criadas com sucesso; 2. Revise os campos chaves primárias e chaves estrangeiras; 3. Observe se são equivalentes os tipos de dados e a propriedade tamanho do campo dos campos chaves primárias e chaves estrangeiras que serão relacionados. 4. Se tiver inserido algum dado em algum campo chave primária ou chave estrangeira verifique se eles contemplam a regra de integridade referencial. 5. Verificar se todas as tabelas foram fechadas, se não há nenhuma tabela aberta para edição ou para inclusão de dados. 4

5 Clique na ferramenta Relacionamentos na barra de ferramentas padrão do MS Access ou no menu ferramentas na opção relacionamentos conforme Figura 7 a seguir. Figura 7 - Ferramenta Relacionamentos no menu e na barra de ferramentas. Surge a área de relacionamentos juntamente com uma caixa de diálogo que disponibiliza todas as tabelas do banco de dados conforme Figura 8 a seguir. Figura 8 - Caixa de diálogo Mostrar tabela: Exibe tabelas, consultas ou ambs para serem inseridas na área de relacionamnetos. Clique em cada uma das tabelas listadas com a tecla control [Ctrl] do teclado pressionada ou selecione a primeira tabela, segure a tecla [Shift] e pressione a seta do teclado de controle para baixo até que todas as tabelas que desejamos relacionar estejam selecionadas, clique em adicionar e clique em fechar para fechar a caixa de diálogo Mostrar tabela. 5

6 Após todas as tabelas serem inseridas na área de relacionamentos podemos clicar na ferramenta salvar, agora ou a qualquer momento, para que o MS Access salve a área de relacionamento com as tabelas que foram inseridas ou alteradas. Figura 9 - Área de relacionamento do MS Access: Tabelas do banco de dados OficinaMecânica. Relacionamentos 1:N (um-para-muitos): É o tipo de relacionamento mais comum. No nosso exemplo um registro de um Cliente da mecânica, um proprietário de um veículo, deverá ter o seu registro vinculado a um ou mais registros de Veículos na oficina. Enquanto um registro de um Veículo deverá estar relacionado a um e somente um Cliente da oficina. O que caracteriza que o grau do relacionamento é um-para muitos. Em MS Access, assim como na maioria dos SGBD relacionais, o relacionamento é realizado apenas através do vínculo da chave primária de uma tabela, no caso a chave primária da tabela Cliente, com a chave estrangeira da tabela Veículo. Para facilitar o processo colocamos o mesmo nome da chave primária da tabela cliente, no caso CodCliente, na chave estrangeira da tabela veiculo conforme mostra a Tabela 1 acima. Assim fica fácil efetuar o relacionamento. Quarto: Finalmente, para relacionar o cliente ao veículo devemos: 6. Apontar a seta do mouse no campo chave primária da tabela que está no lado um do relacionamento (1:N), no caso, campo CodCliente da tabela Cliente; 7. Clicar sobre o campo, no caso CodCliente; 8. Segurar o clique do mouse; 9. Arrastar o campo até o campo chave estrangeira da outra tabela, no caso campo CodCliente na tabela Veículo; 6

7 10. Soltar o clique do mouse sobre o campo Chave estrangeira, no caso CodCliente da tabela Veículo. Surgirá a caixa de diálogo indicando a tabela do lado 1, isto é, aquela que contem a chave primária do relacionamento e o seu campo chave primária. A tabela que é a entidade fraca, isto é, que tem o campo chave estrangeira do relacionamento e o seu campo chave estrangeira. A opção Impor integridade referencial desmarcada, mas que deve ser marcada sempre. E, o grau do relacionamento, neste caso é necessário observar se o grau é coerente com o que está no modelo Entidade Relacionamento que está na Figura 5 acima. Teremos portanto uma tela conforme a da Figura 10 a seguir: Figura 10 - Caixa de diálogo Editar relacionamentos. Quinto: Para finalizar, observe se as tabelas, os campos e o grau do relacionamento são coerentes com o relacionamento modelado na Figura 5 - Modelo Entidade-Relacionamento Oficina Mecânica acima; Caso não seja, corrija o nome do campo ou cancele e operação e recomece do Quarto passo indicado acima, apontar a seta do mouse para o campo chave primária. Caso os campos e as tabelas estejam corretos marque a opção impor integridade referencial (sempre), pois sem ela o banco de dados não estará minimamente íntegro, isto é, pode existir um veículo que pertence a um cliente que não existe, por exemplo; Clique em Criar e estará criado o relacionamento 1:N entre Cliente e Veículo. 7

8 Figura 11 Relacionamento entre as tabelas Cliente e Veículo com Integridade referencial. Editando um relacionamento básicas: Para editar um relacionamento criado em MS Access existem duas formas 1. Apontar o mouse exatamente em cima da linha que liga as duas tabelas; clicar com o botão direito do mouse exatamente sobre a linha do relacionamento; escolher a opção Editar relacionamento no menú rápido que surge. 2. Ou, apontar a seta do mouse exatamente em cima da linha que liga as duas tabelas; dar um clique simples para selecioná-la; acessar o menu Relacionamento e clicar na opção Editar relacionamento, conforme mostra a Figura 12 a seguir. Figura 12 - Editando um relacionamento através do menu 8

9 A caixa de dialogo mostrada na Figura 10 acima será reaberta e o administrador do banco de dados poderá alterar todos os ítens citados na definição do relacionamento (as tabelas, seus campos relacionados, Integridade referencial, etc.) porém, neste exemplo, pretendemos alterar apenas a opção Propagar eliminação dos registros relacionados, pois, caso um cliente da oficina simplesmente seja excluído do cadastro, os registros dos veículos que pertencem a ele serão automáticamente excluídos também. Isso será realizado com todos os relacionamentos 1:N ou 1:1 que tenham marcada a opção de condicionalidade Total em um sentido e Parcial em outro. O que significa que, no nosso exemplo, o registro do veículo depende de um cliente cadastrado mas, o registro do cliente não depende necessáriamente de um veículo cadastrado confira o modelo na Tabela 1 acima. Portanto, marque a opção Propagar eliminação dos registros relacionados e clique em Ok conforme mostrado na Figura 13 a seguir. Figura 13 - Edição de relacionamento criado entre as tabelas Cliente e Veículo Relacionamentos N:N (muitos-para-muitos): É o segundo tipo de relacionamento mais comum. No nosso exemplo um registro de um Mecânico, poderá estar vinculado a uma ou mais revisões de Veículos na oficina. Enquanto um registro de um Veículo deverá estar relacionado a revisões com um ou mais Mecânicos da oficina. O que caracteriza que o grau do relacionamento é muitos-para-muitos. Como já sabemos este relacionamento é caracterizado por uma navegação disjunta, isto é, é necessário criar uma terceira tabela que levará o nome do relacionamento, no caso Revisão, e colocar nela as chaves estrangeiras baseadas nas chaves primárias das duas tabelas relacionadas, isto é: Na tabela Mecânico a 9

10 chave primária é CREA, portanto haverá um campo CREA chave estrangeira na tabela Revisão; Na tabela Veículo a chave primária é o campo Placa, portanto haverá um campo Placa, chave estrangeira, na tabela Revisao, permitindo o relacionamento entre Mecânico e Veículo. Para entender melhor observe a Tabela 1. Efetivando a primeira parte do relacionamento N:N em MS Access: Para relacionar o Veículo ao Mecânico devemos: 3. Apontar a seta do mouse no campo chave primária de uma das tabelas, no caso, campo CREA da tabela Mecânico; 4. Clicar sobre o campo, no caso CREA; 5. Segurar o clique do mouse; 6. Arrastar o campo até o campo chave estrangeira da tabela que está intermediando o relacionamento, no caso o campo CREA da tabela Revisao; 7. Soltar o clique do mouse sobre o campo Chave estrangeira, no caso CREA da tabela Revisao. Surgirá a caixa de diálogo indicando a tabela principal, isto é, aquela que contem a chave primária do relacionamento e o seu campo chave primária. A tabela que é a entidade fraca, isto é, a que tem o campo chave estrangeira do relacionamento e o seu campo chave estrangeira. A opção Impor integridade referencial desmarcada, mas que, lembramos, deve ser marcada sempre. E, neste caso, é necessário observar que o grau do relacionamento não estará coerente com o que está no modelo Entidade Relacionamento que está na Figura 5 acima por que para modelá-lo fisicamente em MS Access precisamos fazer o relacionamento parcial entre Mecânico e Revisão e depois entre Veículo e Revisão. Teremos portanto uma tela conforme a da Figura 10 a seguir: Figura 14 - Caixa de diálogo Editar relacionamentos. 10

11 Sempre observe se as tabelas e os campos são coerentes, lembrando que o grau do relacionamento parcial será um-para-muitos e não muitos-paramuitos conforme o relacionamento modelado na Figura 5 - Modelo Entidade- Relacionamento Oficina Mecânica acima; Caso não seja, corrija o nome do campo ou cancele e operação e recomece novamente. Caso os campos e as tabelas estejam corretos marque a opção impor integridade referencial sempre, pois sem ela o banco de dados não estará minimamente íntegro, isto é, pode existir um revisão que foi realizada por um mecânico que não existe, por exemplo; Clique em Criar e estará criado o relacionamento parcial 1:N entre Mecanico e Revisao. Figura 15 Relacionamento (PARCIAL 1:N) entre as tabelas Mecânico e Revisão com Integridade referencial. Efetivando a segunda parte do relacionamento N:N em MS Access: Para concluir o relacionamento entre Veículo e Mecânico devemos: 1. Apontar a seta do mouse no campo chave primária de uma das tabelas, no caso, campo Placa da tabela Veículo; 2. Clicar sobre o campo, no caso Placa; 3. Segurar o clique do mouse; 4. Arrastar o campo até o campo chave estrangeira da tabela que está intermediando o relacionamento, no caso campo Placa da tabela Revisao; 11

12 5. Soltar o clique do mouse sobre o campo Chave estrangeira, no caso Placa da tabela Revisão. Novamente surgirá a caixa de diálogo indicando a tabela principal, a tabela que é a entidade fraca e os seus campos chave primária e chave estrangeira, respectivamente. A opção Impor integridade referencial que deve ser marcada sempre. E, o grau do relacionamento, que neste caso não estará coerente com o que está no modelo Entidade Relacionamento da Figura 5 acima por que, conforme já mencionamos, será a segunda parte do relacionamento parcial, isto é, a parte que faltava entre o relacionamento Veículo-Revisão- Mecanico isto é, a parte Veículo-Revisão de grau um-para-muitos. Teremos portanto uma tela conforme a da Figura 10 a seguir: Figura 16 - Caixa de diálogo Editar relacionamentos. Observe se as tabelas e os campos são coerentes, lembrando que o grau do relacionamento parcial será um-para-muitos e não muitos-para-muitos; Caso não seja, corrija ou cancele e operação e recomece novamente. Caso os campos e as tabelas estejam corretos marque a opção impor integridade referencial sempre, pois sem ela o banco de dados não estará minimamente íntegro, isto é, pode existir um revisão que foi realizada em um veículo que não existe, por exemplo; Clique em Criar para efetivar o relacionamento parcial 1:N Veiculo- Revisao. 12

13 Figura 17 Relacionamento (N:N) entre as tabelas Veiculo-Revisao-Mecanico com Integridade referencial. Relacionamentos 1:1 (um-para-um): É o tipo de relacionamento menos comum. No nosso exemplo um registro de um Veículo da mecânica, poderá estar vinculado a um ou e somente um registros de VeículosPesados. Enquanto um registro de um VeículoPesado deverá estar relacionado a um e somente um Veículo na oficina. O que caracteriza que o grau do relacionamento é um-para-um. Em MS Access, assim como na maioria dos SGBD relacionais, o relacionamento é realizado através do vínculo da chave primária de uma tabela, no caso a chave primária da tabela Veículo, com a chave estrangeira da tabela VeículoPesado, porém, para o relacionamento 1:1 existe uma exceção. A regra de efetivação lógica diz que o identificador único de uma tabela tem que ser o identificador único da outra, como, neste caso a entidade forte, isto é, a tabela generalista (por que se trata de uma especialização), é a tabela principal no relacionamento, (tabela Veículo), logo é justo que a chave primária da tabela especializada, isto é, a chave primária da entidade fraca, no caso a tabela VeiculoPesado seja a mesma chave primária da entidade forte, que no caso é o campo Placa na tabela Veículo, sendo assim a placa do veículo será chave primária em ambas as tabelas, conforme a regra. Observe o modelo criado na Tabela 1 para melhor entendimento. Relacione o Veiculo ao VeículoPesado conforme o procedimento a seguir: 13

14 1. Aponte a seta do mouse no campo chave primária da tabela generalista, no caso, campo Placa da tabela Veiculo; 2. Clique sobre o campo, no caso Placa; 3. Segure o clique do mouse; 4. Arraste o campo até o campo chave primária da tabela especialista, no caso campo Placa da tabela VeiculoPesado; 5. Solte o clique do mouse sobre o campo Chave primária da tabela especialista, no caso Placa da tabela VeículoPesado. Surgirá a caixa de diálogo indicando a tabela generalista, isto é, aquela que contem uma das chaves primárias do relacionamento, a esquerda. A tabela especialista, isto é, a que tem o outro campo chave primária, VeiculoPesado. A opção Impor integridade referencial desmarcada, mas que deve ser marcada sempre. E, o grau do relacionamento, neste caso é necessário observar se o grau é coerente com o que está no modelo Entidade Relacionamento da Figura 5 acima. Teremos portanto uma tela conforme a da Figura 18 a seguir: Figura 18 - Caixa de diálogo Editar relacionamentos. Finalmente, observe se as tabelas, os campos e o grau do relacionamento são coerentes com o relacionamento modelado na Figura 5 - Modelo Entidade- Relacionamento Oficina Mecânica acima; Caso os campos e as tabelas estejam corretos marque a opção impor integridade referencial e clique em Criar. Sempre marque a opção Impor integridade referencial senão o banco de dados não estará íntegro, isto é, pode existir um veículo pesado relacionado ao registro de um veículo que não existe, por exemplo. Se não, corrija o nome do campo ou cancele e operação e recomece. Obs: Em casos de especialização marque também a opção Propagar eliminação dos registros relacionados para evitar falha de integridade 14

15 referencial entre os registros do banco de dados, isto é, o usuário exclui um registro da tabela generalista e se esquece que excluir o da tabela especialista. Figura 19 Relacionamento (1:1) entre VeiculoPesado e Veiculo com Integridade referencial. Observe sempre o grau do relacionamento os nomes das tabelas e dos campos, caso tenha problemas, cancele o processo e inicie novamente. Excluindo um relacionamento Podemos excluir um relacionamento a qualquer momento seguindo o procedimento abaixo: 1. Clique exatamente sobre a linha que relaciona as duas tabelas; 2. Pressione [Delete] no teclado de controle. Ou 1. Clique com o botão direito sobre o relacionamento; 2. A partir do menu rápido que surge, clique na opção excluir. O MS Access apenas confirma a exclusão conforme Figura 20 e ao clicar em Sim o relacionamento é excluído. Figura 20 - Caixa de diálogo do MS Access confirmando exclusão do relacionamento entre tabelas Veja na Figura 21 as tabelas já com o relacionamento excluído. 15

16 Figura 21 - Relacionamento entre as tabelas Cliente e Veiculo excluído Refaça o relacionamento 1:N entre as tabelas Cliente e Veiculo. Obs: Você poderá rever os passos para criar o relacionamento 1:N neste material. Obs2: Tenha cuidado pois muita coisa que é feita durante a administração e criação de um banco de dados em MS Access é definitiva, por exemplo, se você tentar as teclas [Ctrl] + [Z] para desfazer a exclusão do relacionamento não conseguirá, portanto tenha ceteza de que realmente quer excluí-lo. Cadastrando dados em tabelas relacionadas Para cadastrar dados nas tabelas basta: 1. Salvar e fechar a área de relacionamentos; 2. Dê um duplo clique na tabela que se deseja preencher e; 3. Iniciar o preenchimento. Obs: Sempre preencha as tabelas do banco de dados da esquerda para direita, de cima para baixo. No nosso exemplo precisamos iniciar o preenchimento pela tabela Cliente pois o relacionamento 1:N exige que exista um cliente previamente cadastrado para depois cadastrar o Veiculo do cliente ou que o campo CodCliente na tabela Veiculo permaneça em branco, conforme dita a regra de integridade referencial. 16

17 Tabela Cliente: Figura 22 - Tabela Cliente preenchida Tabela Veiculo: Figura 23 - Tabela Veiculo preenchida. 4. Salvar os dados preenchidos; 5. Feche a tabela. Experimentando a regra de integridade referencial A regra de integridade referencial estudada durante o processo de modelagem lógica dita que um campo chave estrangeira deverá ter um valor nulo ou igual ao da chave primária relacionada o que significa que se o usuário preencher o campo chave estrangeira com um valor diferente da chave primária relacionada o banco de dados não permitirá gravar o registro. Preenchendo tabelas relacionadas Para ver se o relacionamento realmente garante esta integridade vamos preencher, por exemplo, o registro de um carro cujo dono não se lembra do código e o usuário não irá informar o código do cliente ao cadastrar o carro no banco de 17

18 dados (afinal a regra diz que é possível ter valor nulo no campo chave estrangeira), veja então a mensagem de erro que surge. Figura 24 - Mensagem de erro emitida ao tentar inserir um valor que fere a regra de integridade referêncial. Verifique que por mais que o usuário insista o banco de dados não permite que o registro seja gravado na base. Observe que o banco de dados já é iniciado com um valor pré-definido no campo chave estrangeira, o valor é 0 (zero). Mas 0 (zero) não é igual a nulo, portanto o banco de dados não permitirá que seja inserido um veículo que pertence ao cliente cujo código seja 0, mas permitirá que seja inserido um registro de um veículo cujo cliente ainda não sabe o seu código, portanto se o usuário simplesmente deletar o 0 do campo CodCliente da tabela Veiculo e pressionar [Enter] o banco de dados aceitará. Figura 25 - Tabela Veiculo destaque para a propriedade Valor predefinido do campo CodCliente. Para evitar que o valor pré-definido de uma chave estrangeira venha diferente de nulo, abra todas as tabelas que possuem chaves estrangeiras do tipo número em modo designe, selecine o campo chave estrangeira, procure a propriedade valor predefinido, apague o valor proposto pelo MS Access e salve a tabela, assim, da próxima vez o valor padrão para a chave estrangeira será nulo. 18

19 Relacionando tabelas preenchidas Vamos supor que não foi definido o relacionamento entre cliente e veículo. Neste caso é necessário deletar o relacionamento. (veja o procedimento passo a passo no tópico Excluindo um relacionamento acima). Teremos então tabelas que não estão relacionadas, experimente agora colocar o codigo de um cliente que não existe, 0 (zero) por exemplo, e pressione a tecla [Enter] como foi feito da última vez, observe que o banco de dados aceita. Agora, salve as alterações, feche as tabelas que estiverem abertas, acesse a área de relacionamentos e experimente relacionar as tabelas (ver Relacionamentos 1:N (um-para-muitos) acima) observe a mensagem de erro conforme Figura 26 abaixo. Figura 26 - Caixa de dialogo de falha ao impor integridade referencial. A mensagem indica que não é possível relacionar tabelas que tem dados que ferem a regra de integridade referencial. Abra a tabela veículo, troque o Código do Cliente de 0 (zero) para nulo, salve a tabela, feche-a e tente criar o relacionamento, impor integridade referencial e propagar eliminação dos registros relacionados. Observe que nenhuma mensagem de erro será exibida. Ao lado da incompatibilidade dos tipos de dados e/ou propriedade tamanho do campo modelado durante o processo de construção das tabelas na modelagem lógica, essa é uma das principais falhas de um administrador de banco de dados durante o processo de criação dos relacionamentos, isto é, a pessoa que está modelando fisicamente os relacionamentos se esquece que testou a inserção de dados nas tabelas de maneira aleatória e depois se depara com dados incoerentes entre chave primária e chave estrangeira e não consegue relacioná-las. 19

20 Figura 27 - Mensagem de erro indica tipos de dados ou tamanho de campos incompatíveis entre chaves primárias e estrangeiras Experimentando Propagar eliminação dos registros relacionados Abra a tabela cliente em Modo Folha de Dados, isto é, para editar os dados contidos na tabela; Observe através da Figura 23 os registros que você tem na tabela Veiculo, veja que o primeiro e o terceiro veículos estão relacionados ao cliente código 2 (Maria dos Santos). Figura 28 - Registro selecionado: destaque para o cabeçalho de linha. Sendo assim, vamos excluir o registro do cliente de código 2 salvar a tabela e depois abrir a tabela veículo para ver se os veículos 1 e 3, relacionados ao cliente 2, foram excluídos. Clique no cabeçalho de linha do registro do cliente cujo código é 2, marcado com uma seta para a direita na Figura 28 acima e pressione a tecla [Delete] do teclado de controle, confirme a exclusão clicando em Sim na caixa de diálogo, salve a tabela e feche-a. 20

21 Figura 29 - Caixa de diálogo ao excluir um registro. Observe que os registro a ele relacionados foram excluídos. Se quiser tente fazer o oposto, observe que a exclusão se dá de forma que o cliente não é excluído se os veículos a ele relacionados forem; Mas o oposto, isto é, se o cliente for excluído os veículos a ele vinculados serão. 21

22 EXERCÍCIO: 1. Construa, com base no MER e no Modelo Lógico-Relacional as tabelas de um novo banco de dados baseado no modelo de negócio Modelo de Negócio: Vídeo Locadora Modelo Entidade-Relacionamento: ACAO 1 e CLIENTE 1 N Loca N FITA N Tem 1 DISTRIBUIDOR Figura 30 MER para o projeto Vídeo Locadora Modelo Lógico-Relacional CLIENTE FITA ACAO ENTIDADE ATRIBUTOS RELACIONAMENTO *CodCliente Nome Endereco com Fita 1:N Telefone Parcial Celular #CPF DISTRIBUIDOR *CodFita CodDistribuidor Titulo Duracao Sinopse Quantidade *CodFita AtorPrincipal Diretor *CodDistribuidor RazaoSocial Endereco Contato Telefone #CNPJ com Cliente 1:N Parcial com Acao 1:1 Parcial com Comedia 1:1 Parcial com Distribuidor 1:1 Total com Fita 1:1 Total com Fita 1:N Parcial RELACIONAMENTO ATRIBUTOS *CodLocacao CodCliente CodFita Locação Data Hora Historico Valo Tabela 2 - Modelo Lógico-Relaciona 22

SIE - SISTEMA DE INFORMAÇÕES PARA O ENSINO CADASTRO DE FUNCIONÁRIOS

SIE - SISTEMA DE INFORMAÇÕES PARA O ENSINO CADASTRO DE FUNCIONÁRIOS SIE - SISTEMA DE INFORMAÇÕES PARA O ENSINO CADASTRO DE FUNCIONÁRIOS SANTA MARIA FATECIENS 2008 Este manual tem por finalidade apresentar as especificações detalhadas da aplicação de Cadastro de Funcionários,

Leia mais

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa P OW ERPOI NT 1 INTRODUÇÃO... 3 1. Iniciando o PowerPoint... 3 2. Assistente de AutoConteúdo... 4 3. Modelo... 5 4. Iniciar uma apresentação em branco... 6 5. Modo de Exibição... 6 6. Slide Mestre... 7

Leia mais

TUTORIAL DO ACCESS PASSO A PASSO. I. Criar um Novo Banco de Dados. Passos: 1. Abrir o Access 2. Clicar em Criar um novo arquivo

TUTORIAL DO ACCESS PASSO A PASSO. I. Criar um Novo Banco de Dados. Passos: 1. Abrir o Access 2. Clicar em Criar um novo arquivo TUTORIAL DO ACCESS PASSO A PASSO I. Criar um Novo Banco de Dados Passos: 1. Abrir o Access 2. Clicar em Criar um novo arquivo 3. Clicar em Banco de Dados em Branco 4. Escrever um nome na caixa de diálogo

Leia mais

Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária (SIS 1.0)

Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária (SIS 1.0) Parte:Manual Atualização: OriginalPágina 1 Manual de Instalação e Utilização do Sistema Integrado de Secretária () Instalação Se houver alguma versão do FireBird Instalada na máquina desinstale antes de

Leia mais

TRABALHANDO COM O ORÇAMENTO NO GERENCIAL

TRABALHANDO COM O ORÇAMENTO NO GERENCIAL Execute o ícone na área de trabalho: TRABALHANDO COM O ORÇAMENTO NO GERENCIAL Aguarde um instante, irá aparecer à seguinte tela: Clique no botão EXECUTAR e aguarde um momento. Após ter clicado em EXECUTAR

Leia mais

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR 1 Índice: 01- Acesso ao WEBMAIL 02- Enviar uma mensagem 03- Anexar um arquivo em uma mensagem 04- Ler/Abrir uma mensagem 05- Responder uma mensagem

Leia mais

Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X.

Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X. Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X. Para iniciar o sistema dê um duplo clique no ícone, que se encontra na área de trabalho. 1 Login do sistema. Esta é a tela de login

Leia mais

Manual do Usuário ipedidos MILI S.A. - D.T.I.

Manual do Usuário ipedidos MILI S.A. - D.T.I. Manual do Usuário ipedidos MILI S.A. - D.T.I. MILI S.A. - D.T.I. Índice 1 ACESSANDO O PORTAL IPEDIDOS... 3 1.1 Login...5 1.2 Tela Principal, Mensagens e Atendimento On-line...6 2 CADASTRAR... 10 2.1 Pedido...10

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Manual do Moodle- Sala virtual

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Manual do Moodle- Sala virtual UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Manual do Moodle- Sala virtual UNIFAP MACAPÁ-AP 2012 S U M Á R I O 1 Tela de Login...3 2 Tela Meus

Leia mais

O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais.

O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais. MICROSOFT WINDOWS O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais. Apresentaremos a seguir o Windows 7 (uma das versões do Windows)

Leia mais

Freedom Software. Sistema de Representação. Freedom Software Sistema de Representação Página 1

Freedom Software. Sistema de Representação. Freedom Software Sistema de Representação Página 1 Freedom Software Sistema de Representação Freedom Software Sistema de Representação Página 1 FREEVENDMOBILE (Sistema de Vendas Mó vel) Sumário INSTALAÇÃO:... 3 O SISTEMA... 7 MENU E BARRAS DO SISTEMA...

Leia mais

MANUAL DA SECRETARIA

MANUAL DA SECRETARIA MANUAL DA SECRETARIA Conteúdo Tela de acesso... 2 Liberação de acesso ao sistema... 3 Funcionários... 3 Secretaria... 5 Tutores... 7 Autores... 8 Configuração dos cursos da Instituição de Ensino... 9 Novo

Leia mais

COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML. Após abrir o sistema, localize o menu no canto superior esquerdo e clique em Movimentação > Entrada Material

COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML. Após abrir o sistema, localize o menu no canto superior esquerdo e clique em Movimentação > Entrada Material COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML Observação: O arquivo XML da nota fiscal deve estar salvo em seu computador. Se o seu fornecedor não enviou o arquivo por e-mail, você pode obter o arquivo pela internet,

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Banco de Dados Microsoft Access: Criar s Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na. 3. Criar uma no modo

Leia mais

CSPUWEB - Cadastro de Sistemas. e Permissões de Usuários

CSPUWEB - Cadastro de Sistemas. e Permissões de Usuários CSPUWEB - Cadastro de Sistemas e Permissões de Usuários - Manual do Usuário - Novembro/2009 Versão 2.0 21 de novembro de 2009 [CSPUWEB MANUAL DO USUÁRIO] SUMÁRIO Capitulo 1 Cadastro de Sistemas e Permissões

Leia mais

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos

Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas. Vitor Valerio de Souza Campos Banco de Dados Microsoft Access: Criar tabelas Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos do curso 1. Criar uma tabela no modo de exibição Folha de Dados. 2. Definir tipos de dados para os campos na tabela.

Leia mais

A p o s t i l a M i c r o s o f t A c c e s s 97

A p o s t i l a M i c r o s o f t A c c e s s 97 A p o s t i l a M i c r o s o f t A c c e s s 97 Índice a) Access 97 b) Iniciando o Access c) Passo- a- passo d) Tabelas e) Exercício f) Consultas g) Passo- a- passo h) Formulários i) Passo- a- passo j)

Leia mais

,QWURGXomRDR(GLWRUGH $SUHVHQWDo}HV3RZHU3RLQW

,QWURGXomRDR(GLWRUGH $SUHVHQWDo}HV3RZHU3RLQW Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática,QWURGXomRDR(GLWRUGH $SUHVHQWDo}HV3RZHU3RLQW Flaviano Aguiar Liziane Santos Soares Jugurta Lisboa Filho (Orientador) PROJETO UNESC@LA Setembro

Leia mais

Themis Serviços On Line - Publicações

Themis Serviços On Line - Publicações Nome do documento Guia do Usuário Themis Serviços On Line - Publicações Sumário Introdução:... 3 1 - Cadastro dos Usuários do Themis Serviços On Line:... 3 2 - Acesso ao Sistema Themis Serviços On Line:...

Leia mais

Guia do Usuário. Avigilon Control Center Móvel Versão 2.0 para Android

Guia do Usuário. Avigilon Control Center Móvel Versão 2.0 para Android Guia do Usuário Avigilon Control Center Móvel Versão 2.0 para Android 2011-2015 Avigilon Corporation. Todos os direitos reservados. AVIGILON é marca comercial registrada e/ou não registrada da Avigilon

Leia mais

Manual das planilhas de Obras v2.5

Manual das planilhas de Obras v2.5 Manual das planilhas de Obras v2.5 Detalhamento dos principais tópicos para uso das planilhas de obra Elaborado pela Equipe Planilhas de Obra.com Conteúdo 1. Gerando previsão de custos da obra (Módulo

Leia mais

Rotina para utilização do PALM (coletor de dados) no inventário. Biblioteca... Registros:... Estante:...1... + 1 + 10. Prateleira:...1...

Rotina para utilização do PALM (coletor de dados) no inventário. Biblioteca... Registros:... Estante:...1... + 1 + 10. Prateleira:...1... Rotina para utilização do PALM (coletor de dados) no inventário Leitura de Registros utilizando o Palm Ligue o Palm e aparecerá o Menu Principal. 1. Clique no ícone do SiCol para abrir o programa onde

Leia mais

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO?

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO? Índice BlueControl... 3 1 - Efetuando o logon no Windows... 4 2 - Efetuando o login no BlueControl... 5 3 - A grade de horários... 9 3.1 - Trabalhando com o calendário... 9 3.2 - Cancelando uma atividade

Leia mais

Manual sistema Laundry 4.0

Manual sistema Laundry 4.0 Manual sistema Laundry 4.0 Sistema para serviços de Lavanderia Comércios Empresa responsável Novacorp informática Fone (41) 3013-1006 E-mail marcio@novacorp.com.br WWW.novacorp.com.br Sumario 1 Este manual

Leia mais

AR PDV SOLUÇÕES AR CONSULTORIA EM INFORMÁTICA

AR PDV SOLUÇÕES AR CONSULTORIA EM INFORMÁTICA 1 Sumário: 1. AR PDV...02 2. Registro / Login...03 3. Configuração...03 4. Abertura de Caixa...03 5. Registro de Vendas...04 a. Passos para Emissão do Cupom Fiscal...05 b. Inserindo Produtos...06 c. Formas

Leia mais

SISTEMA MEDLINK E-TISS PASSO-A-PASSO (USE JUNTO COM A VÍDEO AULA)

SISTEMA MEDLINK E-TISS PASSO-A-PASSO (USE JUNTO COM A VÍDEO AULA) 1 / 16 SISTEMA MEDLINK E-TISS PASSO-A-PASSO (USE JUNTO COM A VÍDEO AULA) Este guia passo-a-passo tem o objetivo de facilitar o entendimento: - da ordem de execução dos processos. - dos conceitos do sistema.

Leia mais

Manual do usuário Sistema de Ordem de Serviço HMV/OS 5.0

Manual do usuário Sistema de Ordem de Serviço HMV/OS 5.0 Manual do usuário Sistema de Ordem de Serviço HMV/OS 5.0 DESENVOLVEDOR JORGE ALDRUEI FUNARI ALVES 1 Sistema de ordem de serviço HMV Apresentação HMV/OS 4.0 O sistema HMV/OS foi desenvolvido por Comtrate

Leia mais

PASSO A PASSO PARA CADASTRAR OFERTAS, PRODUTOS E SERVIÇOS WWW.WEBLUG.COM.BR.COM.BR

PASSO A PASSO PARA CADASTRAR OFERTAS, PRODUTOS E SERVIÇOS WWW.WEBLUG.COM.BR.COM.BR PASSO A PASSO PARA CADASTRAR OFERTAS, PRODUTOS E SERVIÇOS WWW.WEBLUG.COM.BR.COM.BR 1) Acesse na página principal, ANUNCIAR. 2) Preencha todos os campo 3) Escolha o plano de veiculação 4) Digite o nome

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO SISTEMA DE PAGAMENTO ONLINE. Versão: 01.08

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO SISTEMA DE PAGAMENTO ONLINE. Versão: 01.08 MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO SISTEMA DE PAGAMENTO ONLINE Versão: 01.08 Índice Instalação do Sistema...03 Tela inicial do Sistema...10 Módulos...11 Conteúdo do Menu Arquivo...11 Finalizar...11 Inclusão

Leia mais

Manual do Usuário DENATRAN

Manual do Usuário DENATRAN Manual do Usuário DENATRAN Confidencial Portal SISCSV - 2007 Página 1 Índice Analítico 1. INTRODUÇÃO 5 2. ACESSANDO O SISCSV 2.0 6 2.1 Configurando o Bloqueador de Pop-Ups 6 3. AUTENTICAÇÃO DO USUÁRIO

Leia mais

Sistema de Ponto Eletrônico. Ponto Secullum 4

Sistema de Ponto Eletrônico. Ponto Secullum 4 Sistema de Ponto Eletrônico Ponto Secullum 4 Clique no icone Ponto Secullum 4 para abrir o Programa Digite seu usuário e senha Obs: A senha deverá ser alterada no 1º acesso Clique no botão Fechar Para

Leia mais

1 ACESSO PARA SECRETÁRIA... 4 2 - CONFIGURAR HORÁRIOS DE ATENDIMENTO... 4 2.1 BLOQUEANDO E HABILITANDO HORÁRIOS... 5 3 PRÉ-DEFININDO PARÂMETROS DE

1 ACESSO PARA SECRETÁRIA... 4 2 - CONFIGURAR HORÁRIOS DE ATENDIMENTO... 4 2.1 BLOQUEANDO E HABILITANDO HORÁRIOS... 5 3 PRÉ-DEFININDO PARÂMETROS DE 2 1 ACESSO PARA SECRETÁRIA... 4 2 - CONFIGURAR HORÁRIOS DE ATENDIMENTO... 4 2.1 BLOQUEANDO E HABILITANDO HORÁRIOS... 5 3 PRÉ-DEFININDO PARÂMETROS DE ATENDIMENTO... 6 4 - A TELA AGENDA... 7 4.1 - TIPOS

Leia mais

Passo a Passo do Orçamentos de Entrada no SIGLA Digital

Passo a Passo do Orçamentos de Entrada no SIGLA Digital Passo a Passo do Orçamentos de Entrada no SIGLA Digital Página 1 de 9 Este é um dos principais módulos do SIGLA Digital. Utilizado para dar entrada de produtos no estoque, essa ferramenta segue a seguinte

Leia mais

Portaria Express 2.0

Portaria Express 2.0 Portaria Express 2.0 A portaria do seu condomínio mais segura e eficiente. Com a preocupação cada vez mais necessária de segurança nos condomínio e empresas, investe-se muito em segurança. Câmeras, cercas,

Leia mais

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA GRUPO DE PESQUISA LEITURA NA TELA

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA GRUPO DE PESQUISA LEITURA NA TELA INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA GRUPO DE PESQUISA LEITURA NA TELA Núcleo de Educação a Distância UniEvangélica 2 ÍNDICE 1 Introdução à Informática... 3 1. O Computador... 3 Teclado... 3 Mouse... 5 Monitor...

Leia mais

Prefeitura de Volta Redonda Secretaria Municipal de Educação Departamento Pedagógico Núcleo de Tecnologia Educacional Volta Redonda NTM

Prefeitura de Volta Redonda Secretaria Municipal de Educação Departamento Pedagógico Núcleo de Tecnologia Educacional Volta Redonda NTM Prefeitura de Volta Redonda Departamento Pedagógico NTM Planilha Eletrônica Prefeitura de Volta Redonda Departamento Pedagógico NTM Prefeitura de Volta Redonda Departamento Pedagógico NTM Coloque seus

Leia mais

Manual de operação do sistema Desenhador Geográfico. 05/2012 Versão 2.2.14.1

Manual de operação do sistema Desenhador Geográfico. 05/2012 Versão 2.2.14.1 Manual de operação do sistema Desenhador Geográfico 05/2012 Versão 2.2.14.1 Conteúdo Ferramentas de Edição... 3 1) Barra de ferramentas de edição... 3 2) Inserir uma geometria... 4 2) Ferramenta Snap...

Leia mais

2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1

2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1 2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1 2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 2 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

Telemarketing - Completo

Telemarketing - Completo Telemarketing - Completo Objetivo Cadastrar os clientes que os operadores de telemarketing atender. Cadastrar as prospecções ocorridas (processo organizado e estruturado de busca de clientes/fornecedores

Leia mais

UNIDADE III Sistemas Operacionais WINDOWS

UNIDADE III Sistemas Operacionais WINDOWS UNIDADE III Sistemas Operacionais WINDOWS Objetivo da unidade Objetivo Geral Apontar as noções básicas do Windows Praticar o aprendizado sobre o Sistema Operacional Objetivos Específicos Entender como

Leia mais

Q-Acadêmico. Módulo CIEE - Estágio. Revisão 01

Q-Acadêmico. Módulo CIEE - Estágio. Revisão 01 Q-Acadêmico Módulo CIEE - Estágio Revisão 01 SUMÁRIO 1. VISÃO GERAL DO MÓDULO... 2 1.1 PRÉ-REQUISITOS... 2 2. ORDEM DE CADASTROS PARA UTILIZAÇÃO DO MÓDULO CIEE... 3 2.1 CADASTRANDO EMPRESAS... 3 2.1.1

Leia mais

MANUAL DIPAM A Versão de 10/05/2012

MANUAL DIPAM A Versão de 10/05/2012 MANUAL DA DIPAM A Versão de 10/05/2012 1 Índice Geral... 3 Configuração Mínima... 3 Instalação... 4 Procedimento pós-instalação para sistemas com Vista ou Windows 7... 8 Uso do Programa DIPAM-A... 10 DIPAM

Leia mais

SC Tickets Sistema de Cadastro de Tickets de TI

SC Tickets Sistema de Cadastro de Tickets de TI Manual do Usuário Manual do Usuário SC Tickets Sistema de Cadastro de Tickets de TI Suporte e Help Desk - IMA Linhas gerais - Objetivos SC Tickets Sistema de Cadastro de Tickets de Suporte, desenvolvido

Leia mais

LGTi Tecnologia. Manual - Outlook Web App. Soluções Inteligentes. Siner Engenharia

LGTi Tecnologia. Manual - Outlook Web App. Soluções Inteligentes. Siner Engenharia LGTi Tecnologia Soluções Inteligentes Manual - Outlook Web App Siner Engenharia Sumário Acessando o Outlook Web App (Webmail)... 3 Email no Outlook Web App... 5 Criar uma nova mensagem... 6 Trabalhando

Leia mais

Tutorial Folha Express. Como otimizar a confecção da folha de pagamento.

Tutorial Folha Express. Como otimizar a confecção da folha de pagamento. Tutorial Folha Express Como otimizar a confecção da folha de pagamento. Índice Apresentação Pág. 2 Passo 1 Pág. 3 Disponibilização da Folha de Pagamento Passo 2 Pág. 5 Exportação de clientes e Folha de

Leia mais

Usando o Conference Manager do Microsoft Outlook

Usando o Conference Manager do Microsoft Outlook Usando o Conference Manager do Microsoft Outlook Maio de 2012 Conteúdo Capítulo 1: Usando o Conference Manager do Microsoft Outlook... 5 Introdução ao Conference Manager do Microsoft Outlook... 5 Instalando

Leia mais

PASSO 2: PREENCHENDO SEUS DADOS PARA SE CANDIDATAR A UMA DAS OPORTUNIDADES OFERTADAS PELA FISIOCENTER CAXIAS

PASSO 2: PREENCHENDO SEUS DADOS PARA SE CANDIDATAR A UMA DAS OPORTUNIDADES OFERTADAS PELA FISIOCENTER CAXIAS PASSO 2: PREENCHENDO SEUS DADOS PARA SE CANDIDATAR A UMA DAS OPORTUNIDADES OFERTADAS PELA FISIOCENTER CAXIAS a. Depois de fazer seu CADASTRO e efetuar seu LOGIN, você terá acesso a mais opções no menu

Leia mais

Treinamento em BrOffice.org Writer

Treinamento em BrOffice.org Writer Treinamento em BrOffice.org Writer 1 Índice I. INTRODUÇÃO...3 II. BARRA DE FERRAMENTAS...3 III. CONFIGURAR PÁGINA...4 1. Tamanho, Margens e Orientação...5 2. Cabeçalhos...6 3. Rodapés...6 4. Numerando

Leia mais

Perfil Chefe de Transporte

Perfil Chefe de Transporte Manual do Usuário Perfil Chefe de Transporte APRESENTAÇÃO Bem vindos ao manual do usuário do Sistema de Gestão de Frotas. Este Manual proporcionará aos seus usuários, descobrir todas as funcionalidades

Leia mais

Informática básica Telecentro/Infocentro Acessa-SP

Informática básica Telecentro/Infocentro Acessa-SP Informática básica Telecentro/Infocentro Acessa-SP Aula de hoje: Verificando data e hora, desligando o computador, janelas, copiar colar, excluindo um arquivo. Prof: Lucas Aureo Guidastre Verificando data

Leia mais

Tutorial Report Express. Como iniciar o uso dos serviços fazer a diferença.

Tutorial Report Express. Como iniciar o uso dos serviços fazer a diferença. Tutorial Report Express Como iniciar o uso dos serviços fazer a diferença. Índice Apresentação Pág. 3 Passo 1 Pág. 4 Instalação do MasterDirect Integrações Passo 2 Pág. 8 Exportar clientes Linha Contábil

Leia mais

PANDION MANUAL DO USUÁRIO (versão 1.0)

PANDION MANUAL DO USUÁRIO (versão 1.0) Secretaria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Suporte Técnico aos Usuários PANDION MANUAL DO USUÁRIO (versão 1.0) SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CADASTRAMENTO NECESSÁRIO PARA UTILIZAR O PANDION...

Leia mais

Modo Estrutura é o ambiente de definição e estruturação dos campos, tipos de dados, descrição e propriedades do campo.

Modo Estrutura é o ambiente de definição e estruturação dos campos, tipos de dados, descrição e propriedades do campo. Unidade 02 A- Iniciando o Trabalho com o ACCESS: Criar e Salvar um Banco de Dados Acessar o ACCESS Criar e Salvar o Banco de Dados Locadora Encerrar o Banco de Dados e o Access Criando um Banco de Dados

Leia mais

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica Em certa época, a planilha era um pedaço de papel que os contadores e planejadores de empresas utilizavam para colocar

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Esta alteração é feita de duas formas: Cadastro de pedido de compra e ajuste de estoque.

Esta alteração é feita de duas formas: Cadastro de pedido de compra e ajuste de estoque. 5. ALTERAÇÃO DO ESTOQUE ATUAL Não é possível alterar o estoque de um produto na tela Cadastro de Produto. Esta alteração é feita de duas formas: Cadastro de pedido de compra e ajuste de estoque. 5.1. Cadastro

Leia mais

PASSOS PARA GERAR, REUNIR, DIVIDIR E PROTEGER ARQUIVOS PDF DAS TESES PARA A PUBLICAÇÃO NO TEDE (Set./2006)

PASSOS PARA GERAR, REUNIR, DIVIDIR E PROTEGER ARQUIVOS PDF DAS TESES PARA A PUBLICAÇÃO NO TEDE (Set./2006) PASSOS PARA GERAR, REUNIR, DIVIDIR E PROTEGER ARQUIVOS PDF DAS TESES PARA A PUBLICAÇÃO NO TEDE (Set./2006) Crie uma pasta no seu computador (ex: TESES) para receber os arquivos PDF e uma sub-pasta (teses

Leia mais

WEB COLABORADOR. Envio e Recebimento de arquivos de consignação

WEB COLABORADOR. Envio e Recebimento de arquivos de consignação TUTORIAL Envio e Recebimento de arquivos de consignação Para acessar o Web Colaborador e transferir arquivos de consignação, entre com os dados de CNPJ, usuário e senha, nos campos correspondentes. Regras

Leia mais

Sumário INTRODUÇÃO... 3 INTEGRAÇÃO COM O EMPRESÁRIOERP... 3 AGILIDADE NOS PROCESSOS E APOIO AOS CONTROLES INTERNOS... 3 SAC - ATENDIMENTO...

Sumário INTRODUÇÃO... 3 INTEGRAÇÃO COM O EMPRESÁRIOERP... 3 AGILIDADE NOS PROCESSOS E APOIO AOS CONTROLES INTERNOS... 3 SAC - ATENDIMENTO... Sumário INTRODUÇÃO... 3 INTEGRAÇÃO COM O EMPRESÁRIOERP... 3 AGILIDADE NOS PROCESSOS E APOIO AOS CONTROLES INTERNOS... 3 SAC - ATENDIMENTO... 4 CADASTRO DO TIPO DO ATENDIMENTO... 5 CADASTRO DE CATEGORIAS...

Leia mais

MANUAL DO PEP ATUALIZADO EM 13-08-2014 PROPOSTA ELETRÔNICA DE PREÇOS REFERENTE A VERSÃO DO PEP: 2.0.0.25

MANUAL DO PEP ATUALIZADO EM 13-08-2014 PROPOSTA ELETRÔNICA DE PREÇOS REFERENTE A VERSÃO DO PEP: 2.0.0.25 MANUAL DO PEP ATUALIZADO EM 13-08-2014 PROPOSTA ELETRÔNICA DE PREÇOS REFERENTE A VERSÃO DO PEP: 2.0.0.25 1 Sumário 1.Objetivo...03 2.Suporte...03 3.Como instalar...03 4.Usando o PEP...09 2 1. Objetivo:

Leia mais

MANUAL DE GABINETES SAJ/SG5

MANUAL DE GABINETES SAJ/SG5 MANUAL DE GABINETES SAJ/SG5 Seção de Implantação de Sistemas Divisão de Sistemas Judiciais de Segundo Grau Diretoria de Tecnologia da Informação DTI/TJSC suporte: saj2grau@tjsc.jus.br Índice: Página 1.

Leia mais

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA LEIAME APRESENTAÇÃO Nenhuma informação do TUTORIAL DO MICRO- SOFT OFFICE WORD 2003 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do Programador Roberto Oliveira Cunha. Programador:

Leia mais

Guia Rápido ORION SNGPC - Versão 2.0

Guia Rápido ORION SNGPC - Versão 2.0 Guia Rápido ORION SNGPC - Versão 2.0 1. Introdução...2 2. Acessando o programa...2 3. Parâmetros de Configuração do Sistema...2 4. Aprendendo como Utilizar o Sistema...5 5. Cadastro de Médicos/Veterinários...9

Leia mais

Para iniciar um Inventário, clique no botão Inserir ( primeiramente os campos solicitados na aba Identificação.

Para iniciar um Inventário, clique no botão Inserir ( primeiramente os campos solicitados na aba Identificação. Incluir um Inventário Para iniciar um Inventário, clique no botão Inserir ( primeiramente os campos solicitados na aba Identificação. ) e preencha Clique na aba Itens e depois no botão Carregar Produtos

Leia mais

MANUAL SISTEMA NFS-e

MANUAL SISTEMA NFS-e MANUAL SISTEMA NFS-e SUMARIO Tela Inicial NFe 03 Efetuar Login 1º Acesso Caso não possua Usuário e/ou Senha 03 Efetuar Login 1º Acesso Possuindo o Usuário e Senha 04 Primeira Tela 05 Menu de Opções 05

Leia mais

PASSO A PASSO PARA CADASTRAR OFERTAS, PRODUTOS E SERVIÇOS WWW.WEBLUG.COM.BR.COM.BR

PASSO A PASSO PARA CADASTRAR OFERTAS, PRODUTOS E SERVIÇOS WWW.WEBLUG.COM.BR.COM.BR PASSO A PASSO PARA CADASTRAR OFERTAS, PRODUTOS E SERVIÇOS WWW.WEBLUG.COM.BR.COM.BR 1) Acesse na página principal, ANUNCIAR. 2) Preencha todos os campo 3) Escolha o plano de veiculação 4) Digite o nome

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Online WebOpinião

Manual do Teclado de Satisfação Online WebOpinião Manual do Teclado de Satisfação Online WebOpinião Versão 1.2.3 27 de novembro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação

Leia mais

1. INSTALAÇÃO DO SISTEMA. 3 2. PRIMEIRO LOGIN. 8 3. ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA. 12 4. DESINSTALAÇÃO DO SISTEMA. 14 5. EXCLUIR DADOS. 15 6.

1. INSTALAÇÃO DO SISTEMA. 3 2. PRIMEIRO LOGIN. 8 3. ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA. 12 4. DESINSTALAÇÃO DO SISTEMA. 14 5. EXCLUIR DADOS. 15 6. Índice 1. INSTALAÇÃO DO SISTEMA...3 2. PRIMEIRO LOGIN...8 3. ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA...12 4. DESINSTALAÇÃO DO SISTEMA...14 5. EXCLUIR DADOS...15 6. APRESENTAÇÃO DO EXTRANET...17 6.1 Sistema DESCONECTADO...18

Leia mais

Treinamento Outlook Express

Treinamento Outlook Express Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Informática do SUS Treinamento Outlook Express Série A. Normas e Manuais Técnicos Brasília DF 2003 1 2003. Ministério da Saúde. É permitida a reprodução

Leia mais

Consultório On-line. Tudo o que você precisa em um só lugar.

Consultório On-line. Tudo o que você precisa em um só lugar. Índice 1) Acesso ao sistema 2) Recepção do paciente 3) Envio do atendimento para faturamento: consulta médica ou procedimentos simples 4) Envio do atendimento para faturamento: procedimentos previamente

Leia mais

MÓDULO 3 Cadastros básicos

MÓDULO 3 Cadastros básicos MÓDULO 3 Cadastros básicos Agora que você já conhece o SCAWEB, demonstraremos como realizar os cadastros básicos do HÓRUS. Inicialmente, você precisará acessar o HÓRUS com o email e senha cadastrados no

Leia mais

Iniciação à Informática

Iniciação à Informática Meu computador e Windows Explorer Justificativa Toda informação ou dado trabalhado no computador, quando armazenado em uma unidade de disco, transforma-se em um arquivo. Saber manipular os arquivos através

Leia mais

ESTUDANDO ESTATÍSTICA DESCRITIVA COM AUXÍLIO DO SOFTWARE CALC

ESTUDANDO ESTATÍSTICA DESCRITIVA COM AUXÍLIO DO SOFTWARE CALC DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO/GERÊNCIA DE PESQUISA PROJETO: TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA ESTUDANDO ESTATÍSTICA DESCRITIVA COM AUXÍLIO

Leia mais

Manual de Inclusão e Exclusão de Disciplinas Online

Manual de Inclusão e Exclusão de Disciplinas Online Apresentação Este manual apresenta o processo de inclusão e exclusão de disciplinas que o aluno poderá realizar através do Espaço do Aluno. Inclusão/Exclusão Durante todo processo o aluno poderá alterar

Leia mais

Manual da AGENDA GRACES 2011

Manual da AGENDA GRACES 2011 1 Agenda Graces Manual da AGENDA GRACES 2011 O Sistema Agenda Graces integrada ao Sistema Graces e Agenda Graces Grátis foi desenvolvido pela empresa Quorum Informática. Este Manual tem por objetivo atender

Leia mais

Módulo de Funil e Proposta

Módulo de Funil e Proposta Módulo de Funil e Proposta Sumário I. Acesso ao sistema CRMTEL... 4 II. Preenchimento da Proposta/Funil... 5 III. Organização da Proposta... 8 IV. Dados da Concorrência... 9 V. Aba Observações - Trade-In

Leia mais

MANUAL PARA INSCRIÇÃO online EM EDITAIS

MANUAL PARA INSCRIÇÃO online EM EDITAIS MANUAL PARA INSCRIÇÃO online EM EDITAIS Siga cuidadosamente todas as orientações deste Manual durante o processo de inscrição online. 1º PASSO: Acessar o SalicWeb Para inscrever a sua iniciativa cultural

Leia mais

Sistema Click Principais Comandos

Sistema Click Principais Comandos Sistema Click Principais Comandos Sumário Sumário... 1 1. Principais Funções:... 2 2. Inserção de Registro (F6):... 3 3. Pesquisar Registro (F7):... 4 3.1 Pesquisa por letras:... 5 3.2 Pesquisa por números:...

Leia mais

PROCEDIMENTO DO CLIENTE

PROCEDIMENTO DO CLIENTE PROCEDIMENTO DO CLIENTE Título: Manual da Loja Virtual. Objetivo: Como anunciar produtos e acompanhar as vendas. Onde: Empresa Quem: Cliente Quando: Início Através deste manual, veremos como anunciar e

Leia mais

AJUDA IMPORTAÇÃO NFe GERENCIADOR e PORTAL NFe PREMIUM CONTABILIDADE

AJUDA IMPORTAÇÃO NFe GERENCIADOR e PORTAL NFe PREMIUM CONTABILIDADE AJUDA IMPORTAÇÃO NFe GERENCIADOR e PORTAL NFe PREMIUM CONTABILIDADE ESTE PROCEDIMENTO DEVE SER REALIZADO SEMANALMENTE, IMPRETERIVELMENTE, PODENDO NO MÁXIMO OCORRER UM ENTERVALO ENTRE AS IMPORTAÇÕES DE

Leia mais

SISTEMA AGHOS. Manual de Regulação Ambulatorial de Consultas Especializadas

SISTEMA AGHOS. Manual de Regulação Ambulatorial de Consultas Especializadas AGHOS - GESTÃO E REGULAÇÃO ASSISTENCIAL E FINANCEIRA DE SAÚDE MÓDULO DE REGULAÇÃO AMBULATORIAL DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS ESPECIALIZADAS Manual de Regulação Ambulatorial de Consultas Especializadas SISTEMA

Leia mais

Como oferto um lance. Clique nas opções abaixo para ser direcionado ao passo a passo: ATENDIMENTO. - Como oferto um lance?

Como oferto um lance. Clique nas opções abaixo para ser direcionado ao passo a passo: ATENDIMENTO. - Como oferto um lance? Clique nas opções abaixo para ser direcionado ao passo a passo: ATENDIMENTO - Como oferto um lance? - Como imprimo 2ª via de boleto ao cliente? - Como realizo uma transferência de cota? - Onde consulto

Leia mais

AGHOS - GESTÃO E REGULAÇÃO ASSISTENCIAL E FINANCEIRA DE SAÚDE MÓDULO DE REGULAÇÃO AMBULATORIAL DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS

AGHOS - GESTÃO E REGULAÇÃO ASSISTENCIAL E FINANCEIRA DE SAÚDE MÓDULO DE REGULAÇÃO AMBULATORIAL DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS Manual de Regulação Ambulatorial de Consultas Especializadas SISTEMA AGHOS Versão 01.2011 ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 1. O SISTEMA...4 1.1 Acesso ao Sistema AGHOS:...4 1.2 Teclas de funções do Sistema:...5 1.3

Leia mais

[CANCELAR] - Limpa todos os campos e desabilita campos e botões, exceto [NOVO] e [PESQUISAR].

[CANCELAR] - Limpa todos os campos e desabilita campos e botões, exceto [NOVO] e [PESQUISAR]. PROJETO FÁBRICA DE DOCES COM BANCO DE DADOS PARTE 2 TELA REGISTRO DE PRODUÇÃO Seguindo o mesmo padrão da tela de cadastro, para registrar a produção o usuário deve clicar no botão NOVO para ativar o campo

Leia mais

Curso de Capacitação ao Sistema CDV. - GID Desmanches -

Curso de Capacitação ao Sistema CDV. - GID Desmanches - Curso de Capacitação ao Sistema CDV - GID Desmanches - Coordenadoria de Gestão de Desmanches Divisão de Desmanches Conteúdo Módulo 1 Como utilizar o Moodle... 4 Módulo 2 - Acessando o GID CDV... 4 Aula

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. DGTEC Diretoria Geral de Tecnologia da Informação. DERUS Departamento de Relacionamento com o Usuário

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. DGTEC Diretoria Geral de Tecnologia da Informação. DERUS Departamento de Relacionamento com o Usuário TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DGTEC Diretoria Geral de Tecnologia da Informação DERUS Departamento de Relacionamento com o Usuário MANUAL DO USUÁRIO Manutenção da Caixa de Correio do

Leia mais

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo em sua oficina. O sistema foi desenvolvido para ser utilizado

Leia mais

Manual do Usuário CMS WordPress Versão atual: 3.0

Manual do Usuário CMS WordPress Versão atual: 3.0 Manual do Usuário CMS WordPress Versão atual: 3.0 1 - Introdução O Centro de Gestão do Conhecimento Organizacional, CGCO, criou, em março de 2008, uma equipe para atender à demanda de criação de novos

Leia mais

Projeto Agenda Cidadã Exercício Prático - Criação e Consulta de Registros Vicon SAGA

Projeto Agenda Cidadã Exercício Prático - Criação e Consulta de Registros Vicon SAGA Exercício Objetivo Aplicativo Criação e consulta de registros - Vicon SAGA Exercício para ambientação com Sistemas de Informação e Bancos de Dados. O usuário criará formulários, realizará cadastros de

Leia mais

Sistema topograph 98. Tutorial Módulo Fundiário

Sistema topograph 98. Tutorial Módulo Fundiário Sistema topograph 98 Tutorial Módulo Fundiário Preparando o desenho para o Módulo Fundiário _ 1. Na área de trabalho do Windows, procure o ícone do topograph e dê um duplo clique sobre ele para carregar

Leia mais

COTAÇÃO DE COMPRAS COM COTAÇÃO WEB

COTAÇÃO DE COMPRAS COM COTAÇÃO WEB COTAÇÃO DE COMPRAS COM COTAÇÃO WEB RMS Software S.A. - Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa para o mercado de

Leia mais

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos:

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos: Access 1 Tela Inicial: 2 ÁREA DE TRABALHO. Nosso primeiro passo consiste em criar o arquivo do Access (Banco de Dados), para isto utilizaremos o painel de tarefas clicando na opção Banco de Dados em Branco.

Leia mais

Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce

Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce Sumário Acessando o sistema gerencial... 1 Enviando logomarca, banners e destaques... 1 Logomarca... 1 Destaques... 2 Banners... 3 Cadastrando produtos... 4 Embalagem...

Leia mais

Como fazer seus pedidos online

Como fazer seus pedidos online Como fazer seus pedidos online Neste passo a passo iremos mostrar como é facil, simples e rápido o acesso ao site para consultas e pedidos online. Primeira etapa: Entrar no site www.thermofisher.com Nosso

Leia mais

Estatística no EXCEL

Estatística no EXCEL Estatística no EXCEL Prof. Ms. Osorio Moreira Couto Junior 1. Ferramentas... 2 2. Planilha de dados... 3 2.1. Introdução... 3 2.2. Formatação de células... 4 2.3. Inserir ou Excluir Linhas e Colunas...

Leia mais

Treinamento Módulo Contas a Pagar

Treinamento Módulo Contas a Pagar Contas a Pagar Todas as telas de cadastro também são telas de consultas futuras, portanto sempre que alterar alguma informação clique em Gravar ou pressione F2. Teclas de atalho: Tecla F2 Gravar Tecla

Leia mais

Sistema de Georreferenciamento. Versão 1.0 Manual do Usuário. Copyright 2013 CINTE

Sistema de Georreferenciamento. Versão 1.0 Manual do Usuário. Copyright 2013 CINTE Sistema de Georreferenciamento Versão 1.0 Manual do Usuário Copyright 2013 CINTE Central de rastreamento: (84) 3034-9263 Email: rastreamento@cinte.com.br Sistema de Georreferenciamento 1.0 Manual 2 Índice

Leia mais

APOSTILA WORD BÁSICO

APOSTILA WORD BÁSICO APOSTILA WORD BÁSICO Apresentação O WORD é um editor de textos, que pertence ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de textos, cartas, memorandos, documentos, mala

Leia mais