Capital Humano em Supermercados. Outubro/2014

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capital Humano em Supermercados. Outubro/2014"

Transcrição

1 Capital Humano em Supermercados Outubro/2014

2 Metodologia e Amostra A quinta edição da pesquisa Capital Humano em Supermercados 2014 foi realizada nos meses de setembro e outubro. O estudo contou com a participação de 162 empresas supermercadistas, de 13 estados brasileiros. ESTADOS (%) SP 24% SC 16% RS 16% MG 11% PB 10% CE 7% PR 6% BA 3% ES 3% Outros (AC,GO,MS e RJ ) 4% 19,8% 38,7% 1,8% 0,9% Região 38,7% Região Sudeste Região Sul Região Nordeste Região Centro Oeste Região Norte

3 Perfil dos participantes Receita Bruta(%) O maior grupo de respondentes, 51,8%, tem receita bruta anual entre R$ 1,1 milhão e R$ 20 milhões 8,2% 10,0% 5,5% 4,5% 6,4% De R$ 1,1 milhão a R$ 20 milhões 51,8% 13,6% De R$ 20,1 a R$ 50 milhões De R$ 50,1 a R$ 100 milhões De R$ 101 a R$ 300 milhões Até R$ 1 milhão De R$ 301 a R$ 500 milhões Acima de R$ 500 milhões

4 Perfil das participantes Check-outs e lojas Número de caixas em cada supermercado - check-outs (%) Número de lojas por empresa (%) 27,3% 5,5% 30,0% 22,5% 10,8% 9,9% 56,8% 37,3% 1 a 4 cks 5 a 9 cks 10 a 19 cks 20 ou + cks O que mudou em 1 ano: No ano passado, 39 % responderam que possuíam de 1 a 4 caixas em cada supermercado; neste ano, 30% assinalaram a opção 1 a a 4 5 a ou + O que mudou em 1 ano: Na edição passada, 59,3 % dos respondentes apontou possuírem apenas uma loja; em, 2014, tal proporção caiu para 56,8%.

5 Funcionários Distribuição por loja (%) Área operacional compreende 89% dos funcionários do setor Operacional Administrativo Comercial Gerencial Diretoria Questão: Qual a distribuição dos empregados por categoria profissional? Base de Respondentes: 109

6 Funcionários Faixa etária média dos funcionários (%) 19,8 32,3 7,1 5,9 34,9 Até 17 anos 18 a 25 anos 26 a 35 anos 36 a 49 anos Acima de 50 anos Questão: Qual o percentual de empregados por faixa etária? Base de Respondentes: 99

7 Diversidade racial Distribuição por raça (%) Cor dos funcionários (Resposta aberta) 9,7 1,6 29,5 58,8 Brancos Pardos Pretos Amarelos Base de Respondentes: 96

8 *Cálculo realizado por meio de média Pesquisa Salarial Salário médio, por função (nacional): em R$ Ano 2014 Ano 2013 Variação (%) Açougueiro R$ 1.405,13 R$ 1.243,35 13,0 Cartazista R$ 1.157,13 R$ 959,77 20,6 Comprador R$ 2.611,01 R$ 2.138,15 22,1 Confeiteiro/Doceiro R$ 1.404,58 R$ 1.150,60 22,1 Empacotador R$ 838,36 R$ 746,95 12,2 Encarregado de Bebidas ( Líder de Bebidas) R$ 1.593,50 R$ 1.312,49 21,4 Encarregado de FLV ( Líder de FLV) R$ 1.569,00 R$ 1.268,07 23,7 Encarregado de Mercearia ( Líder de Mercearia) R$ 1.699,80 R$ 1.292,42 31,5 Encarregado de Perecíveis ( Líder de Perecíveis) R$ 1.670,17 R$ 1.321,52 26,4 Encarregado Geral R$ 1.815,88 R$ 1.455,83 24,7 Entregador R$ 1.075,13 R$ 959,41 12,1 Estoquista R$ 1.141,68 R$ 978,06 16,7 Fiscal de Caixa R$ 1.268,88 R$ 1.132,46 12,0 Funcionário da Seção de Hortifruti R$ 1.033,82 R$ 909,65 13,7 Funcionário da Seção Frios e Latícinios R$ 1.060,84 R$ 931,92 13,8 Gerente de Loja R$ 2.883,63 R$ 2.421,20 19,1 Gerente de Setor R$ 2.066,21 R$ 1.416,44 45,9 Gerente Regional R$ 3.744,62 R$ 2.654,74 41,1 Motorista R$ 1.426,78 R$ 1.176,57 21,3 Operador de Caixa (120 horas) R$ 818,66 R$ 745,54 9,8 Operador de Caixa (180 horas) R$ 901,97 R$ 823,76 9,5 Operador de Caixa (220 horas) R$ 1.016,46 R$ 956,19 6,3 Padeiro R$ 1.421,93 R$ 1.218,37 16,7 Repositor R$ 1.011,43 R$ 879,53 15,0 Subgerente de Loja R$ 2.365,33 R$ 1.670,18 41,6

9 Pesquisa Salarial Comparativo Brasil *Cálculo realizado por meio de média Valor dos salários por função Brasil Sudeste Sul Centro - Oeste Norte e Nordeste Açougueiro R$ 1.405,13 R$ 1.403,23 R$ 1.611,48 R$ 1.603,96 R$ 941,03 Cartazista R$ 1.157,13 R$ 1.242,39 R$ 1.120,75 R$ 1.001,83 R$ 1.016,75 Comprador R$ 2.611,01 R$ 2.933,19 R$ 2.757,18 R$ 2.510,94 R$ 1.590,00 Confeiteiro/Doceiro R$ 1.404,58 R$ 1.456,09 R$ 1.459,59 R$ 1.420,64 R$ 991,36 Empacotador R$ 838,36 R$ 800,07 R$ 888,86 R$ 821,27 R$ 798,53 Encarregado de Bebidas ( Líder de Bebidas) R$ 1.593,50 R$ 1.742,81 R$ 1.630,50 R$ 1.385,44 R$ 1.066,00 Encarregado de FLV ( Líder de FLV) R$ 1.569,00 R$ 1.677,77 R$ 1.568,68 R$ 1.422,49 R$ 1.227,50 Encarregado de Mercearia ( Líder de Mercearia) R$ 1.699,80 R$ 1.721,33 R$ 1.860,02 R$ 1.568,71 R$ 1.187,93 Encarregado de Perecíveis ( Líder de Perecíveis) R$ 1.670,17 R$ 1.822,50 R$ 1.626,69 R$ 1.591,71 R$ 1.227,50 Encarregado Geral R$ 1.815,88 R$ 1.897,38 R$ 1.803,13 R$ 1.766,66 R$ 1.550,50 Entregador R$ 1.075,13 R$ 1.039,68 R$ 1.202,90 R$ 1.150,37 R$ 927,11 Estoquista R$ 1.141,68 R$ 1.198,19 R$ 1.173,13 R$ 1.574,96 R$ 895,61 Fiscal de Caixa R$ 1.268,88 R$ 1.291,21 R$ 1.356,75 R$ 1.375,82 R$ 1.012,79 Funcionário da Seção de Hortifruti R$ 1.033,82 R$ 1.026,38 R$ 1.103,76 R$ 1.149,83 R$ 891,29 Funcionário da Seção Frios e Latícinios R$ 1.060,84 R$ 1.058,29 R$ 1.139,76 R$ 1.166,99 R$ 896,22 Gerente de Loja R$ 2.883,63 R$ 3.036,27 R$ 3.223,13 R$ 3.044,94 R$ 1.779,93 Gerente de Setor R$ 2.066,21 R$ 2.079,07 R$ 2.213,83 R$ 1.710,56 R$ 1.800,50 Gerente Regional R$ 3.744,62 R$ 4.164,45 R$ 4.389,67 R$ 3.373,75 R$ 2.050,50 Motorista R$ 1.426,78 R$ 1.453,53 R$ 1.550,50 R$ 1.489,68 R$ 1.127,23 Operador de Caixa (120 horas) R$ 818,66 R$ 838,73 R$ 813,02 R$ 828,30 R$ 809,06 Operador de Caixa (180 horas) R$ 901,97 R$ 883,50 R$ 952,93 R$ 856,79 R$ 860,94 Operador de Caixa (220 horas) R$ 1.016,46 R$ 1.005,29 R$ 1.099,06 R$ 1.020,35 R$ 846,50 Padeiro R$ 1.421,93 R$ 1.454,61 R$ 1.511,79 R$ 1.963,17 R$ 890,69 Repositor R$ 1.011,43 R$ 1.026,26 R$ 1.090,64 R$ 1.024,81 R$ 831,88 Subgerente de Loja R$ 2.365,33 R$ 2.569,75 R$ 2.503,16 R$ 2.645,88 R$ 1.464,79

10 Pesquisa Salarial Comparativo Brasil (Média Nacional = 100) Sudeste Sul Centro - Oeste Norte e Nordeste Açougueiro 99,9 114,7 114,2 67,0 Cartazista 107,4 96,9 86,6 87,9 Comprador 112,3 105,6 96,2 60,9 Confeiteiro/Doceiro 103,7 103,9 101,1 70,6 Empacotador 95,4 106,0 98,0 95,2 Encarregado de Bebidas ( Líder de Bebidas) 109,4 102,3 86,9 66,9 Encarregado de FLV ( Líder de FLV) 106,9 100,0 90,7 78,2 Encarregado de Mercearia ( Líder de Mercearia) 101,3 109,4 92,3 69,9 Encarregado de Perecíveis ( Líder de Perecíveis) 109,1 97,4 95,3 73,5 Encarregado Geral 104,5 99,3 97,3 85,4 Entregador 96,7 111,9 107,0 86,2 Estoquista 104,9 102,8 138,0 78,4 Fiscal de Caixa 101,8 106,9 108,4 79,8 Funcionário da Seção de Hortifruti 99,3 106,8 111,2 86,2 Funcionário da Seção Frios e Latícinios 99,8 107,4 110,0 84,5 Gerente de Loja 105,3 111,8 105,6 61,7 Gerente de Setor 100,6 107,1 82,8 87,1 Gerente Regional 111,2 117,2 90,1 54,8 Motorista 101,9 108,7 104,4 79,0 Operador de Caixa (120 horas) 102,5 99,3 101,2 98,8 Operador de Caixa (180 horas) 98,0 105,6 95,0 95,5 Operador de Caixa (220 horas) 98,9 108,1 100,4 83,3 Padeiro 102,3 106,3 138,1 62,6 Repositor 101,5 107,8 101,3 82,2 Subgerente de Loja 108,6 105,8 111,9 61,9 *Cálculo realizado por meio de média

11 Funcionários Por faturamento Valor dos salários por função (Em R$) De R$ 1,1 milhão a De R$ 20,1 milhões a De R$ 50,1 milhões a De R$ 100,1 milhões Acima de R$ 300,1 Até R$ 1 milhão R$ 20 milhões R$ 50 milhões R$ 100 milhões a R$ 300 milhões milhões Açougueiro R$ 1.550,50 R$ 1.373,50 R$ 1.437,17 R$ 1.501,59 R$ 1.468,50 R$ 1.485,05 Cartazista R$ 812,50 R$ 1.013,79 R$ 1.103,86 R$ 1.168,50 R$ 1.273,64 R$ 1.221,07 Comprador R$ 1.750,50 R$ 2.071,46 R$ 2.746,93 R$ 2.818,68 R$ 3.270,60 R$ 3.044,64 Confeiteiro/Doceiro R$ 1.283,83 R$ 1.311,50 R$ 1.588,96 R$ 1.450,50 R$ 1.424,06 R$ 1.437,28 Empacotador R$ 860,10 R$ 846,30 R$ 827,54 R$ 823,59 R$ 891,83 R$ 857,71 Encarregado de Bebidas ( Líder de Bebidas) R$ 1.200,50 R$ 1.341,41 R$ 1.870,50 R$ 1.775,50 R$ 1.730,79 R$ 1.753,14 Encarregado de FLV ( Líder de FLV) R$ 1.200,50 R$ 1.377,17 R$ 1.779,07 R$ 1.640,50 R$ 1.645,75 R$ 1.643,13 Encarregado de Mercearia ( Líder de Mercearia) R$ 1.200,50 R$ 1.469,25 R$ 1.828,28 R$ 1.855,50 R$ 1.645,75 R$ 1.750,63 Encarregado de Perecíveis ( Líder de Perecíveis) R$ 1.200,50 R$ 1.371,93 R$ 2.010,50 R$ 1.828,28 R$ 1.683,25 R$ 1.755,76 Encarregado Geral R$ 1.550,50 R$ 1.550,50 R$ 1.683,83 R$ 1.921,93 R$ 2.000,50 R$ 1.961,21 Entregador R$ 1.047,00 R$ 1.057,86 R$ 1.144,05 R$ 1.091,36 R$ 961,25 R$ 1.026,30 Estoquista R$ 984,38 R$ 1.097,03 R$ 1.202,07 R$ 1.126,70 R$ 1.235,17 R$ 1.180,93 Fiscal de Caixa R$ 1.350,50 R$ 1.196,94 R$ 1.240,64 R$ 1.301,59 R$ 1.508,25 R$ 1.404,92 Funcionário da Seção de Hortifruti R$ 909,38 R$ 1.000,64 R$ 1.120,04 R$ 1.012,86 R$ 1.058,25 R$ 1.035,56 Funcionário da Seção Frios e Latícinios R$ 991,00 R$ 1.041,45 R$ 1.103,04 R$ 1.040,14 R$ 1.090,72 R$ 1.065,43 Gerente de Loja R$ 1.950,50 R$ 2.217,07 R$ 2.811,21 R$ 3.546,00 R$ 4.058,92 R$ 3.802,46 Gerente de Setor R$ 1.200,50 R$ 1.400,50 R$ 2.392,17 R$ 2.242,17 R$ 2.563,00 R$ 2.402,58 Gerente Regional N/D R$ 2.589,64 R$ 3.875,75 R$ 3.750,67 R$ 4.875,88 R$ 4.313,27 Motorista R$ 1.750,50 R$ 1.271,30 R$ 1.455,75 R$ 1.495,95 R$ 1.583,83 R$ 1.539,89 Operador de Caixa (120 horas) R$ 832,83 R$ 833,12 R$ 854,60 R$ 741,70 R$ 724,00 R$ 732,85 Operador de Caixa (180 horas) R$ 842,40 R$ 897,19 R$ 971,17 R$ 877,08 R$ 931,50 R$ 904,29 Operador de Caixa (220 horas) R$ 1.050,50 R$ 970,99 R$ 1.059,36 R$ 1.040,14 R$ 1.090,72 R$ 1.065,43 Padeiro R$ 1.143,88 R$ 1.378,35 R$ 1.579,23 R$ 1.465,23 R$ 1.468,50 R$ 1.466,86 Repositor R$ 971,17 R$ 971,35 R$ 1.072,87 R$ 1.040,14 R$ 1.135,17 R$ 1.087,65 Subgerente de Loja R$ 1.050,50 R$ 1.693,36 R$ 2.127,77 R$ 2.389,39 R$ 2.686,29 R$ 2.537,84 *Cálculo realizado por meio de média

12 Rotatividade por categoria no 1º semestre de 2014 (%) Repositor Empacotador Operador de Caixa (180 horas) Operador de Caixa (220 horas) Operador de Caixa (120 horas) Açougueiro Funcionário da Seção de Hortifruti Funcionário da Seção Frios e Latícinios Entregador Padeiro Confeiteiro/Doceiro Fiscal de Caixa Estoquista Motorista Gerente de Loja Cartazista Encarregado de FLV ( Líder de FLV) Encarregado de Bebidas ( Líder de Bebidas) Encarregado de Perecíveis ( Líder de Encarregado de Mercearia ( Líder de Subgerente de Loja Gerente Regional Gerente de Setor Encarregado Geral Comprador 6,9 6,5 5,9 5,5 5,4 5,4 5,0 5,0 5,0 5,0 5,0 8,3 8,2 8,0 10,8 10,4 10,4 10,1 9,9 11,9 16,6 16,5 15,9 15,8 15,1 Questão: Qual a média de rotatividade por categoria profissional em sua empresa no 1º semestre de 2014?

13 Setores com maior rotatividade (%) (Resposta Múltipla) 64,0 22,5 13,5 12,6 10,8 9,9 9,9 9,0 Frente de caixa Açougue Frios e Laticínios Limpeza e Manutenção Padaria e Confeitaria Hortifruti Outros Entregas Questão: No primeiro semestre de 2014, qual o setor que apresentou maior rotatividade?

14 Oferta de mão-de-obra De acordo com as necessidades da empresa (%) (Resposta única) 2,8 22,0 75,2 Há escassez de mão-de-obra qualificada Há pessoas qualificadas, mas para elas é preciso pagar salários cada vez mais altos Não há problemas com falta de mão de obra Questão: Como está o mercado de trabalho para as necessidades de mão de obra da sua empresa?

15 Ações de retenção Principais ações para manter os funcionários na empresa (%) (Resposta Múltipla) Treinamento para qualificação profissional 57,7 Treinamento para qualificação profissional 39,0 Troca de departamento/área de atuação 36,9 Aumento de salários 36,7 Aumento de salários 35,1 Planos de carreira de acordo com o desempenho 35,1 Aumento de benefícios 23,4 Troca de departamento/área de atuação 27,1 Premiação por metas atingidas 20,7 Premiação por metas atingidas 19,5 Planos de carreira de acordo com o desempenho 19,8 Aumento de benefícios 17,5 Política de participação nos lucros e resultados 10,8 Política de participação nos lucros e resultados 5,2 Não sei/nenhuma 9,9 Não sei/nenhuma 5,2 Outros 4,5 Outros 2,0 Questão: Quais as principais ações que a empresa realiza para reter bons funcionários?

16 Mercado de trabalho Adoção de programas ou práticas de inclusão (%) A empresa adota algum programa ou realiza práticas de inclusão? (Resposta Única) Se sim, que tipos de programas/práticas adota? (Resposta Múltipla) 17,1 5,4 39,6 Não Sim Contratação de profissionais com deficiência 50,7 37,8 Não, mas pretende adotar nos próximos anos Contratação de profissionais da terceira idade 31,3 Está em fase de adoção O que mudou em 1 ano: No ano passado, 45% responderam que não adotavam nenhum programa ou práticas de inclusão, neste ano, apenas 39,6 % assinalaram a opção não. Questão: Quais as principais ações que a empresa realiza para reter bons funcionários? Outros Alguma ação relacionada a grupos sociais minoritários (diversidade social) 6,0 11,9

17 Benefícios oferecidos ao funcionário (%) Operacional Administrativo Gerencial Refeitório no Local de Trabalho Seguro de Vida Empréstimos Pessoais/Consignados Assistência Médico Hospitalar Assistência Odontológica Cesta básica / Auxilio Alimentação Ambulatório Médico Auxilio Refeição Auxilio Creche Axulio Funeral Participação Lucros e Resultados(PLR) Auxilio na compra de medicamentos Auxilio Transporte (além do obrigatório) Auxilio Educação Auxilio Combustivel Automóvel Previdência Privada Complemento de Auxílio Doença Auxilio Enxoval 19,8 19,8 17,1 17,1 12,6 9,9 6,3 5,4 3,6 2,7 2,7 1,8 0,9 0,9 35,1 33,3 31,5 31,5 43,2 18,9 17,1 18,0 12,6 12,6 9,0 6,3 4,5 6,3 9,0 4,5 1,8 0,9 0,0 36,9 32,4 30,6 28,8 27,9 18,0 18,9 18,9 10,8 11,7 10,8 6,3 6,3 8,1 15,3 6,3 2,7 0,9 0,0 36,9 32,4 28,8 30,6 27,0 Questão: Quais os benefícios que sua empresa oferece ao funcionário?

18 Capacitação de pessoal A empresa oferece cursos de treinamento ou aperfeiçoamento? (%) , ,8 Sim Não Sem resposta= 8% Sem resposta= 2,7% 22,4 Sim Não Principal área que possui investimento em treinamento (Resposta única %) 13,6 11,2 52,8 Operacional Comercial Administrativo Gerencial

19 Capacitação Como é feito o treinamento? (%) 30,7 69,3 Individual Coletivo

20 Capacitação e treinamento Existe área atuante responsável pela capacitação dos colaboradores? (%) 54,1 43,2 Sim Não Sem resposta = 2,7%

21 Capacitação A empresa utiliza os cursos da ENS para capacitar seus funcionários (%) 55,9 42,3 Sim Não Há 1 ano, o percentual dos que utilizavam os cursos da ENS era de apenas 28%. Principal motivo por não utilizar os cursos: Não tem conhecimento

22 Elaboração: Departamento de Economia e Pesquisa da ABRAS Consultor Econômico: Flávio Tayra Analistas Responsáveis: Fabiana Alves e Moises Lira

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados 14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados Apresentação Este relatório apresenta os resultados da 14ª Avaliação de Perdas realizada com os principais supermercados do Brasil. As edições

Leia mais

Pesquisa de Natal Novembro/2015

Pesquisa de Natal Novembro/2015 Pesquisa de Natal Novembro/2015 Perspectiva do supermercadista é de vendas nominais superiores em 10,4% no período de festas de final de ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. Em termos

Leia mais

13ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro: Supermercados

13ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro: Supermercados 13ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro: Supermercados Amostra Empresas respondentes 214 Faturamento anual bruto R$ 83.094.932.979,00 Representatividade em relação ao faturamento Brasil 34% Faturamento

Leia mais

TREINAMENTO, FEEDBACK E COACHING Como Continuamente Desenvolver sua Equipe

TREINAMENTO, FEEDBACK E COACHING Como Continuamente Desenvolver sua Equipe TREINAMENTO, FEEDBACK E COACHING Como Continuamente Desenvolver sua Equipe Dari Antonio de Mello Paz Diretor de Recursos Humanos dari@grupomuffato.com.br (45) 4009 5000 41 anos de história; 11.000 colaboradores;

Leia mais

CARÊNCIA DE PROFISSIONAIS

CARÊNCIA DE PROFISSIONAIS CARÊNCIA DE PROFISSIONAIS 2013 Caracterização da amostra Título do Slide Pesquisa realizada com 167 empresas. A soma do faturamento dessas empresas respondentes é de mais de 23% do PIB A soma do número

Leia mais

ECONOMIA. Setor fecha 1º bimestre com crescimento de 3,67% Associação Brasileira de Supermercados

ECONOMIA. Setor fecha 1º bimestre com crescimento de 3,67% Associação Brasileira de Supermercados Associação Brasileira de Supermercados Nº38 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 26 de Março de 2014 Setor fecha 1º bimestre com crescimento de 3,67% Evolução do Índice de

Leia mais

Pesquisa ABML: Perfil do Profissional de Logística no Brasil Edição 2011

Pesquisa ABML: Perfil do Profissional de Logística no Brasil Edição 2011 Pesquisa ABML: Perfil do Profissional de Logística no Brasil Edição 2011 1 Os questionários foram enviados para mais de 6000 profissionais. Foram obtidas 257 respostas. A pesquisa obteve resposta de 164

Leia mais

PESQUISA PONTUAL NATAL/13 PREVISÃO

PESQUISA PONTUAL NATAL/13 PREVISÃO PESQUISA PONTUAL NATAL/13 PREVISÃO REALIZAÇÃO Dúvidas ou informações complementares: 1 COMENTÁRIOS O Natal é a melhor data de vendas para o comércio varejista. É o período das confraternizações, mundialmente

Leia mais

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Por Zilda Knoploch, presidente da Enfoque Pesquisa de Marketing Este material foi elaborado pela Enfoque Pesquisa de Marketing, empresa

Leia mais

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO Resumo Executivo Pesquisa 2014 APRESENTAÇÃO Pelo terceiro ano consecutivo, o CBCA Centro Brasileiro da Construção em Aço e a ABCEM Associação Brasileira da Construção

Leia mais

Panorama do Mercado Brasileiro. Richard Nicolas De Jardin

Panorama do Mercado Brasileiro. Richard Nicolas De Jardin Panorama do Mercado Brasileiro Richard Nicolas De Jardin Linha do Tempo Falta de Infraestrutura Poucos Postos Segmento de Taxi Privatizações Crescimento da Infraestrutura Novos mercados Aumento das Vendas

Leia mais

Unidade III MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade III MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade III MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino Compras, abastecimento e distribuição de mercadorias Os varejistas: Precisam garantir o abastecimento de acordo com as decisões relacionadas

Leia mais

Sondagem Festas Juninas 2015

Sondagem Festas Juninas 2015 Sondagem Festas Juninas 0 de Maio de 0 0 Copyright Boa Vista Serviços Índice o Objetivo, metodologia e amostra... 0 o Perfil dos respondentes... 0 o Comemoração das Festas Juninas... 09 o Do que os consumidores

Leia mais

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 3o Bimestre 5o ano Geografia Data: / / Nível: Escola: Nome: 1. Leia os dados e o gráfico do censo do

Leia mais

PrimeGlobal PGBR. Uma excelente alternativa em serviços de auditoria, consultoria e Impostos. Diferença PrimeGlobal

PrimeGlobal PGBR. Uma excelente alternativa em serviços de auditoria, consultoria e Impostos. Diferença PrimeGlobal PrimeGlobal PGBR Uma excelente alternativa em serviços de auditoria, consultoria e Impostos Somos uma empresa de auditoria, consultoria e impostos, criada á partir da junção de importantes empresas nacionais,

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE MÃO DE OBRA TEMPORÁRIA PELO COMÉRCIO VAREJISTA

CONTRATAÇÃO DE MÃO DE OBRA TEMPORÁRIA PELO COMÉRCIO VAREJISTA CONTRATAÇÃO DE MÃO DE OBRA TEMPORÁRIA PELO COMÉRCIO VAREJISTA Pesquisa realizada pela CNDL e SPC Brasil buscou avaliar o perfil de contratação de mão de obra temporária pelos varejistas para o final de

Leia mais

3 Metodologia. 3.1 Tipo de Pesquisa

3 Metodologia. 3.1 Tipo de Pesquisa 3 Metodologia 3.1 Tipo de Pesquisa A presente pesquisa em relação aos seus fins é classificada como descritiva, pois identifica e descreve as estratégias das empresas inseridas na indústria brasileira

Leia mais

Auditoria e Segurança de Sistemas. Prof.: Mauricio Pitangueira Instituto Federal da Bahia

Auditoria e Segurança de Sistemas. Prof.: Mauricio Pitangueira Instituto Federal da Bahia Auditoria e Segurança de Sistemas Prof.: Mauricio Pitangueira Instituto Federal da Bahia 1 operação normal PAC INCIDENTE PCO Situação de Contingência PRD PLANO DE RETORNO operação normal PLANO DE CONTINUIDADE

Leia mais

6º Censo da Reciclagem de PET no Brasil 2009/2010

6º Censo da Reciclagem de PET no Brasil 2009/2010 6º Censo da Reciclagem de PET no Brasil 2009/2010 Reciclagem de PET no Brasil 2009 Censo Por quê? O Censo é a metodologia mais indicada quando a população é pequena e a variabilidade dentro da população

Leia mais

Roteiro de Diagnóstico Descritivo para o ESA I

Roteiro de Diagnóstico Descritivo para o ESA I Roteiro de Diagnóstico Descritivo para o ESA I Seqüência das partes Capa (obrigatório) Lombada (opcional) Folha de rosto (obrigatório) ERRATA (opcional) TERMO DE AROVAÇÃO (obrigatório) Dedicatória(s) (opcional)

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL SUDESTE DE MINAS GERAIS CÂMPUS SÃO JOÃO DEL-REI

INSTITUTO FEDERAL SUDESTE DE MINAS GERAIS CÂMPUS SÃO JOÃO DEL-REI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de MG Câmpus São João del-rei Diretoria de Administração e Planejamento ANEXO IV Modelo de Planilha de Custos e Formação

Leia mais

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012.

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. Os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas

Leia mais

QualiHosp Curso Pré-Congresso

QualiHosp Curso Pré-Congresso QualiHosp Curso Pré-Congresso Desempenho Organizacional Foco: Gestão do Desempenho da Gestão de Pessoas Reflexões teóricas e o nosso caminho no HSL... Questão-chave: Como avaliar o desempenho da gestão

Leia mais

IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL

IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL Brasília, Novembro/ 2013 Unidade de Políticas Públicas NOTA TÉCNICA IMPACTOS DAS DISTORÇOES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL Este estudo

Leia mais

ANEXO VI MODELO DE PROPOSTA

ANEXO VI MODELO DE PROPOSTA Ao ANEXO VI MODELO DE PROPOSTA BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S/A COMISSÃO DE LICITAÇÃO COLIC Ref. PREGÃO ELETRÔNICO N. 2013/ Prezados Senhores, Apresentamos em atendimento ao Edital do Pregão em epígrafe

Leia mais

AGENDA DE SEMINÁRIOS CALENDÁRIO 2016/1

AGENDA DE SEMINÁRIOS CALENDÁRIO 2016/1 AGENDA DE SEMINÁRIOS CALENDÁRIO 2016/1 AGENDA DE SEMINÁRIOS CALENDÁRIO 2016/1 >> INFORMAÇÕES GERAIS Os treinamentos são realizados no Centro de Treinamento, nas instalações da Ciber Equipamentos Rodoviários

Leia mais

Módulo 12 Gerenciamento Financeiro para Serviços de TI

Módulo 12 Gerenciamento Financeiro para Serviços de TI Módulo 12 Gerenciamento Financeiro Módulo 12 Gerenciamento Financeiro para Serviços de TI Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a

Leia mais

Educação Nutricional para o Adulto (20 a 59 anos)

Educação Nutricional para o Adulto (20 a 59 anos) Educação Nutricional para o Adulto (20 a 59 anos) Educação Nutricional no Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT Programa de complementação alimentar no qual governo, empresa e trabalhadores partilham

Leia mais

Hábitos de Consumo Dia dos Namorados 2015

Hábitos de Consumo Dia dos Namorados 2015 Hábitos de Consumo Dia dos Namorados 2015 3 de junho de 2015 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: a sondagem ter por objetivo identificar os hábitos de compras

Leia mais

Falta de mão-de-obra qualificada dificulta aumento da competitividade da indústria

Falta de mão-de-obra qualificada dificulta aumento da competitividade da indústria Sondagem Especial da Confederação Nacional da Indústria CNI O N D A G E M Especial Ano 5, Nº.3 - setembro de 2007 Falta de mão-de-obra qualificada dificulta aumento da competitividade da indústria Mais

Leia mais

LOPES Adquire a ROYAL, Maior Imobiliária do Distrito Federal*

LOPES Adquire a ROYAL, Maior Imobiliária do Distrito Federal* LOPES Adquire a ROYAL, Maior Imobiliária do Distrito Federal* * Em volume de vendas ri@lopes.com.br www.lopes.com.br/ri Aviso Importante Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação Diretoria de Extensão e Políticas de Inclusão

Leia mais

SIMULADO TURMA 1414 TUTORA TACIANE DISCIPLINA: LOGÍSTICA

SIMULADO TURMA 1414 TUTORA TACIANE DISCIPLINA: LOGÍSTICA SIMULADO TURMA 1414 TUTORA TACIANE DISCIPLINA: LOGÍSTICA 1) ASSINALE A ALTERNATIVA QUE CORRESPONDE A UMA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO. A) Recebimento de matérias-primas. B) Alimentação de sistemas produtivos.

Leia mais

FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS: Repartição das responsabilidades entre União, Estados e Municípios; Vinculação de impostos; Definição de Manutenção e Desenvolvimento do

Leia mais

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL 08 de Novembro de 2012 O que é o Brasil Rural? O Brasil Rural Diversidade: raças, origens étnicas, povos, religiões, culturas Conflitos: concentração de terra, trabalho

Leia mais

CURSO: GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS

CURSO: GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS CURSO: GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS INTRODUÇÃO Repousa nas mãos dos profissionais do setor de gente e gestão (GG), antigo setor de recursos humanos (RH), a responsabilidade de cuidar da maior riqueza

Leia mais

A Nova Geografia de Negócios e a Diversidade de Formatos de Varejo e Implicaçõ. ções para Indústria de Bens de Consumo.

A Nova Geografia de Negócios e a Diversidade de Formatos de Varejo e Implicaçõ. ções para Indústria de Bens de Consumo. A Nova Geografia de Negócios e a Diversidade de Formatos de Varejo e Implicaçõ ções para Indústria de Bens de Consumo. Realização : 27 de Abril de 2010 Mercure Grand Hotel S.Paulo/SP 39º RELATÓRIO ANUAL

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2011 % Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2012 x Jan a Dez 2011 Morte 58.134 16% 60.752 12% 5% Invalidez Permanente 239.738 65% 352.495 69% 47% Despesas Médicas (DAMS) 68.484

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte Abril/15 A mostra o desempenho dos negócios do comércio no mês de Março/2015 e identifica a percepção dos empresários para o mês de Abril/2015. O mês de março mostrou mais uma queda no faturamento dos

Leia mais

por que essa rede assusta os varejistas Confira no tablet mais informações sobre a Rede Dia% agosto 2015 SM.com.br 39

por que essa rede assusta os varejistas Confira no tablet mais informações sobre a Rede Dia% agosto 2015 SM.com.br 39 p e r a T e x t o a l e s s a n d r a m o r i t a a l e s s a n d r a. m o r i t a @ s m. c o m. b r divulgaçãoo v t Lojas localizadas perto da casa do consumidor e que praticam preços difíceis de copiar.

Leia mais

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Seminário Internacional sobre Tributação Imobiliária FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Maria Cristina Mac Dowell maria-macdowell.azevedo@fazenda.gov.br

Leia mais

Centro de Habilitação da Limpeza

Centro de Habilitação da Limpeza Centro de Habilitação da Limpeza Evento de Lançamento 27/10/2015-18h00 2 Sobre o Programa O Centro de Habilitação da Limpeza é um programa com a missão de desenvolver e aplicar treinamentos de capacitação

Leia mais

Diagnóstico da realidade médica no país

Diagnóstico da realidade médica no país Diagnóstico da realidade médica no país Médicos por mil habitantes Peru 0,9 Chile 1,0 Paraguai 1,1* Bolívia 1,2* Colômbia 1,4* Equador 1,7 Brasil 1,8 Venezuela 1,9* México 2,0 Canadá 2,0 Estados Unidos

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011

IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 Rogério Carlos Tavares 1, José Luis Gomes da Silva² 1 Universidade de

Leia mais

Balanço Social das Empresas

Balanço Social das Empresas Balanço Social das Empresas Aqui inicia-se a construção do Balanço Social de sua empresa, no modelo proposto pelo Ibase. Este importante documento deve ser resultado de um amplo processo participativo

Leia mais

ANALISANDO OS PRÓS E CONTRAS DO EXAME DE SUFICIÊNCIA PARA JOVENS CONTADORES

ANALISANDO OS PRÓS E CONTRAS DO EXAME DE SUFICIÊNCIA PARA JOVENS CONTADORES ANALISANDO OS PRÓS E CONTRAS DO EXAME DE SUFICIÊNCIA PARA JOVENS CONTADORES Paola Guariso Crepaldi¹, Renato Nogueira Perez Avila² Ernando Amorim Souza³, RESUMO O objetivo deste artigo esta vinculado exame

Leia mais

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 1 2 8 1» Centro de Artes e Esportes Unificados Rio Branco AC 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 Recanto das Emas DF 3» Creche Ipê Rosa Samambaia DF 4» Quadra escolar Maria Nascimento

Leia mais

Impacto da terceirização nas IFES. FORPLAD Aracajú Comissão de Administração Março/2015

Impacto da terceirização nas IFES. FORPLAD Aracajú Comissão de Administração Março/2015 Impacto da terceirização nas IFES FORPLAD Aracajú Comissão de Administração Março/2015 PRESSUPOSTOS / METODOLOGIA 1. As análises orçamentárias foram realizadas a partir dos valores liquidados base UBC

Leia mais

Lista VIII - Testes de Independência e Aderência

Lista VIII - Testes de Independência e Aderência Lista VIII - Testes de Independência e Aderência 19/1/011 Professor Salvatore Estatística II Grau Instrução Região Lista VIII - Lista VIII - Testes de Independência e Aderência Testes de Independência

Leia mais

Capítulo 1: Introdução à Economia

Capítulo 1: Introdução à Economia Capítulo 1: Introdução à Economia Conceito de Economia Problemas Econômicos Fundamentais Sistemas Econômicos Curva (Fronteira de Possibilidades de Produção. Conceito de Custos de Oportunidade Análise Positiva

Leia mais

HEALTH WEALTH CAREER MERCER COLLEGE BRASIL 2016. Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano

HEALTH WEALTH CAREER MERCER COLLEGE BRASIL 2016. Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano HEALTH WEALTH CAREER MERCER COLLEGE BRASIL 2016 Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano APRENDA, PRATIQUE E DESENVOLVA-SE COM O MERCER COLLEGE 2 Q U E M S O M O S? O Mercer College é um

Leia mais

Uma nova visão de custos para empresas de fabricação sob encomenda/projetos

Uma nova visão de custos para empresas de fabricação sob encomenda/projetos Uma nova visão de custos para empresas de fabricação sob encomenda/projetos Apresentação Valdecir de Oliveira Pereira Diretorde Desenvolvimento valdecir@grvsoftware.com.br www.grvsoftware.com.br GRV Software

Leia mais

TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1. Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3.

TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1. Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3. TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1 Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3. 1 Pesquisa realizada no curso de Administração da Unijuí 2 Aluna

Leia mais

Seleciona : Executivo Coordenador Contábil Coordenador de Produção Engenheiro de Alimentos Sul do estado SC Consultor contábil/fiscal

Seleciona : Executivo Coordenador Contábil Coordenador de Produção Engenheiro de Alimentos Sul do estado SC Consultor contábil/fiscal Seleciona : Executivo Empresa do segmento de tecnologia contrata executivo para assessorar a direção na condução da empresa. Formação em ADM,C. Contábeis ou Economia e pós graduação em área afim. Experiência

Leia mais

Pesquisa Thomas: Tendências em Gestão de Pessoas 2012

Pesquisa Thomas: Tendências em Gestão de Pessoas 2012 Pesquisa Thomas: Tendências em Gestão de Pessoas 2012 O estudo foi realizado no mês de novembro de 2012, e contou com a participação de 224 empresas de diferentes portes e segmentos de negócio. Podemos

Leia mais

Consultoria e Marketing COMO TORNAR O TREINAMENTO UMA FERRAMENTA DE LUCRATIVIDADE

Consultoria e Marketing COMO TORNAR O TREINAMENTO UMA FERRAMENTA DE LUCRATIVIDADE COMO TORNAR O TREINAMENTO UMA FERRAMENTA DE LUCRATIVIDADE A melhor idéia, sem gente boa, não vai a lugar algum. Carlos Alberto Sicupira Controlador da ABInBev Presidente do Conselho das Lojas Americanas

Leia mais

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À Felisoni & Associados E AO PROVAR - Programa de Administração de Varejo da Fundação Instituto de Administração, instituição conveniada com a FEA/USP - é proibida a reprodução

Leia mais

Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Página 1 Evolução A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto

Leia mais

Também organizamos eventos, seminários, palestras e encontros, de acordo com as possibilidades e necessidades dos nossos associados.

Também organizamos eventos, seminários, palestras e encontros, de acordo com as possibilidades e necessidades dos nossos associados. APRESENTAÇÃO O FDJUR - Fórum de Departamentos Jurídicos tem como objetivo disseminar modelos e ferramentas de gestão para o mercado jurídico empresarial e incentivar os associados ao estudo, desenvolvimento,

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO TREINAMENTO EMPRESARIAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO TREINAMENTO EMPRESARIAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO TREINAMENTO EMPRESARIAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Agricultura Familiar no Mundo São 500 milhões de estabelecimentos da agricultura familiar

Leia mais

Survey Salarial. Edição 2014. www.egor.pt. rigor. criatividade. confiança. ética. excelência

Survey Salarial. Edição 2014. www.egor.pt. rigor. criatividade. confiança. ética. excelência Survey Salarial Edição 2014 www.egor.pt rigor. criatividade. confiança. ética. excelência Survey Salarial Edição 2014 Índice 01 INTRODUÇÃO 1 02 GLOSSÁRIO 2 03 SALÁRIOS POR NÍVEIS DE FUNÇÃO 3 04 ENQUADRAMENTO

Leia mais

TÍTULO: TREINAMENTO PROFISSIONAL: FERRAMENTA EMPRESARIAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: TREINAMENTO PROFISSIONAL: FERRAMENTA EMPRESARIAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: TREINAMENTO PROFISSIONAL: FERRAMENTA EMPRESARIAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

11. EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

11. EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 11. EDUCAÇÃO PROFISSIONAL A educação profissional no Brasil já assumiu diferentes funções no decorrer de toda a história educacional brasileira. Até a promulgação da atual LDBEN, a educação profissional

Leia mais

CEPPG Coordenação de Extensão, Pesquisa e Pós Graduação 1

CEPPG Coordenação de Extensão, Pesquisa e Pós Graduação 1 1 Nome do curso: Área: O Curso: Objetivos: Diferenciais: Público Alvo: Ementa Disciplinas Gestão e Estratégias em Saúde e Segurança do Trabalho Ciências Sociais O curso foi desenvolvido para atender uma

Leia mais

DOE ESPERANÇA PROJETO

DOE ESPERANÇA PROJETO DOE ESPERANÇA PROJETO PROJETO Doe Esperança A proposta do Projeto Doe Esperança é assegurar cuidado e proteção integral às crianças, que tiveram que ser retiradas de seu núcleo familiar, por ocorrência

Leia mais

Relatório da IX Reunião do GT Contabilidade GEFIN/CONFAZ

Relatório da IX Reunião do GT Contabilidade GEFIN/CONFAZ Relatório da IX Reunião do GT Contabilidade GEFIN/CONFAZ EVENTO: LOCAL: IX Reunião do GT Contabilidade do Grupo de Gestores das Finanças dos Estados GEFIN/CONFAZ. Rio de Janeiro/RJ. PERÍODO: 10 de setembro

Leia mais

GfK. Crescimento a partir do conhecimento Transformamos informações em decisões de negócios inteligentes

GfK. Crescimento a partir do conhecimento Transformamos informações em decisões de negócios inteligentes GfK. Crescimento a partir do conhecimento Transformamos informações em decisões de negócios inteligentes 4 ª maior empresa de pesquisa de mercado. Vendas em 2014: 1,5 bi 13.000 especialistas em 100 países

Leia mais

Capítulo 3. Focalizando o novo negócio

Capítulo 3. Focalizando o novo negócio O QUE É UMA EMPRESA? De acordo com Santos (1982), a empresa é comumente definida pelos economistas como uma unidade básica do sistema econômico, cuja principal função é produzir bens e serviços. Os objetivos

Leia mais

1993/97. Qualidade no Setor de Software Brasileiro

1993/97. Qualidade no Setor de Software Brasileiro 1993/97 SSQP/SW - PBQP Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade Subcomitê Setorial da Qualidade e Produtividade em Software (criado em junho de 1993) Objetivo Geral Atingir padrões internacionais

Leia mais

Anexo 2 - Avaliação de necessidades de formação em H.S.T.

Anexo 2 - Avaliação de necessidades de formação em H.S.T. Anexo 2 - Avaliação de necessidades de formação em H.S.T. 54 3Inquérito às necessidades de formação profissional em higiene e segurança do trabalho 59 Inquérito às necessidades de formação profissional

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA: UM INSTRUMENTO AO PROCESSO DECISÓRIO

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA: UM INSTRUMENTO AO PROCESSO DECISÓRIO DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA: UM INSTRUMENTO AO PROCESSO DECISÓRIO Priscila Rubbo 1 Paulo Roberto Pegoraro 2 Resumo: O demonstrativo do fluxo de caixa tem como finalidade a projeção das entradas e saídas

Leia mais

PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Pleno

PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Pleno PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Pleno Dados da empresa Razão Social Casa Básica Comércio Ltda Nome fantasia FOM Data de fundação 2002 Número

Leia mais

Já não se encontra mão-de-obra como antigamente. Especiais e CAPA

Já não se encontra mão-de-obra como antigamente. Especiais e CAPA CAPA mão-de-obra especializada Especiais e RAROS O toque particular de padeiros, açougueiros e peixeiros faz a diferença nas lojas. Mas a situação é preocupante: eles estão sumindo do mercado Açougueiro

Leia mais

Relatório de Atividades ABCR - 2012

Relatório de Atividades ABCR - 2012 Relatório de Atividades ABCR - 2012 O ano de 2012 foi de transição na ABCR, em razão da mudança da gestão da sua Diretoria Executiva, e dos demais órgãos que a compõem. Eleita e empossada no final de março,

Leia mais

Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista. Comércio Eletrônico

Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista. Comércio Eletrônico Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista 2013 1 Apresentação Com o avanço constante e veloz da Tecnologia da Informação, a internet eliminou barreiras geográficas e se tornou um caminho para o Comércio

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Capítulo : SPT e SIG Sistemas de Informação e as decisões gerenciais na era da Internet Objetivos do Capítulo Explicar como os sistemas de informação empresariais podem apoiar as necessidades de informação

Leia mais

Qualidade na Telefonia Fixa

Qualidade na Telefonia Fixa Qualidade na Telefonia Fixa Este tutorial apresenta os indicadores básicos utilizados pela Anatel para acompanhar a Qualidade do Serviço prestado pelas operadoras do Serviço Telefônico Fixo Comutado no

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE GESTÃO MPG VERITAS

CERTIFICAÇÃO DE GESTÃO MPG VERITAS 2011 CERTIFICAÇÃO DE GESTÃO MPG VERITAS MPG VERITAS 1/1/2011 Você deve ser a mudança que você deseja ver no mundo Mahatma Gandhi SUMÁRIO 1. Introdução 2. Histórico 3. Prêmio MPG VERITAS de gestão 3.1 Gestão

Leia mais

ESTUDO DE REMUNERAÇÃO COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL

ESTUDO DE REMUNERAÇÃO COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ESTUDO DE REMUNERAÇÃO 2010 CONTEÚDO INTRODUÇÃO METODOLOGIA EMPRESAS PARTICIPANTES CARACTERÍSTICAS DAS EMPRESAS CARGOS PESQUISADOS RELATÓRIOS SALARIAIS POR CARGO Resumo Análise Detalhada POLÍTICAS E PRÁTICAS

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUPERMERCADOS ABRIL DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUPERMERCADOS ABRIL DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUPERMERCADOS ABRIL DE 2016 1 PRODUTOS 2 SUPERMERCADOS SÃO ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS CLASSIFICADOS COMO AUTO- SERVIÇO: CONSUMIDORES COMPRAM OS PRODUTOS

Leia mais

Apresentação do Treinamento

Apresentação do Treinamento Apresentação do Treinamento PRINCE2 Foundation The Swirl logo is a trade mark of Axelos Limited. 1 O curso PRINCE2 Foundation tem, como objetivo, capacitar os participantes a aplicarem a Metodologia Britânica

Leia mais

DIVERSAS FORMAS DE AGREGAR VALOR AO SALÁRIO

DIVERSAS FORMAS DE AGREGAR VALOR AO SALÁRIO Tatiane Schmitt Pinto DIVERSAS FORMAS DE AGREGAR VALOR AO SALÁRIO RESUMO O presente artigo trata sobre o tema Diversas formas de agregar valor ao salário, onde buscou se os conceitos de diferentes formas

Leia mais

Arezzo&Co s Investor Day

Arezzo&Co s Investor Day Arezzo&Co s Investor Day Marca Anacapri Yumi Chibusa Gerente Geral UN Alexandre Birman CEO Thiago Borges CFO Canal de Distribuição Anacapri Visão Geral da Marca A marca Anacapri vem se consolidando como

Leia mais

ÁREA: CONTÁBIL / FISCAL / ADM / RH / ECONOMIA / PUBLICIDADE

ÁREA: CONTÁBIL / FISCAL / ADM / RH / ECONOMIA / PUBLICIDADE ÁREA: CONTÁBIL / FISCAL / ADM / RH / ECONOMIA / PUBLICIDADE AUX. ADMINISTRATIVO Escolaridade: Ensino médio completo Experiência: Necessário experiência com rotinas administrativas Informações Adicionais:

Leia mais

ECONÔMICAS E PROFISSIONAIS

ECONÔMICAS E PROFISSIONAIS MAPA DE PERSPECTIVAS ECONÔMICAS E PROFISSIONAIS 2016 Worldwide leaders in specialist recruitment ÍNDICE EDITORIAL METODOLOGIA DA INVESTIGAÇÃO PERFIL DOS ENTREVISTADOS O CENÁRIO MACROECONÔMICO INVESTIMENTO

Leia mais

PRODUTIVIDADE E A PESQUISA ANUAL DE SERVIÇOS NA HOTELARIA E GASTRONOMIA BRASILEIRA

PRODUTIVIDADE E A PESQUISA ANUAL DE SERVIÇOS NA HOTELARIA E GASTRONOMIA BRASILEIRA PRODUTIVIDADE E A PESQUISA ANUAL DE SERVIÇOS NA HOTELARIA E GASTRONOMIA BRASILEIRA SUBSÍDIOS ESPECIAIS PARA FERTHORESP / FERTHOTEL FEVEREIRO 2012 - ALOISIO LEÃO DA COSTA...o IBGE realiza anualmente a Pesquisa

Leia mais

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em 1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em discussão na Câmara dos Deputados (PL 8.035/2010). Até o

Leia mais

Ministério do Trabalho e Emprego Vagas Usando Critérios - IMO. Identificaçã o da Vagas. Descrição. Administrador de materiais

Ministério do Trabalho e Emprego Vagas Usando Critérios - IMO. Identificaçã o da Vagas. Descrição. Administrador de materiais Ministério do Trabalho e Emprego Vagas Usando Critérios - IMO Critérios Selecionados: [ABRANGÊNCIA = ZONEAMENTO][SITUAÇÃO = VAGAS EM ANDAMENTO][STATUS DA VAGA = Aberta Atualiz. Em 27 jan 2016 Identificaçã

Leia mais

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 22 de Dezembro de 2015

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 22 de Dezembro de 2015 Associação Brasileira de Supermercados Nº59 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 22 de Dezembro de 2015 Supermercados mostram queda de -1,61% até novembro Desemprego e renda

Leia mais

PROJETO FORÇA PARA O RIO GRANDE DO SUL

PROJETO FORÇA PARA O RIO GRANDE DO SUL PROJETO FORÇA PARA O RIO GRANDE DO SUL PROJETO FORÇA PARA O RIO GRANDE DO SUL, EMENDA AO PROJETO 1. RENÚNCIA FISCAL: Verificar quais são as empresas que possuem o benefício, fazer levantamento, ex. GM,

Leia mais

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Pesquisa da 10ª Semana de Museus Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Panorama geral - Pesquisa da 10ª Semana Nº entradas

Leia mais

Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas. 14.1. Treinamento é investimento

Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas. 14.1. Treinamento é investimento Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas 14.1. Treinamento é investimento O subsistema de desenvolver pessoas é uma das áreas estratégicas do Gerenciamento de Pessoas, entretanto em algumas organizações

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004 RESULTADOS DE RIO BRANCO - ACRE

SONDAGEM INDUSTRIAL PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004 RESULTADOS DE RIO BRANCO - ACRE O QUE É A SONDAGEM INDUSTRIAL A Sondagem é uma pesquisa qualitativa realizada trimestralmente pela CNI e pelas Federações das s de 19 estados do país (AC, AL, AM, BA, CE, ES, GO, MG, MS, MT, PA, PB, PE,

Leia mais

Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p. Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa):

Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p. Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa): Pesquisa Industrial Anual Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa): Aluguéis e arrendamentos Despesas com

Leia mais

Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador. 1. Leia as afirmativas a seguir.

Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador. 1. Leia as afirmativas a seguir. Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador 1. Leia as afirmativas a seguir. I. O comportamento organizacional refere-se ao estudo de indivíduos e grupos

Leia mais

Marketing Promocional 2011 3ª Onda

Marketing Promocional 2011 3ª Onda Marketing Promocional 2011 3ª Onda Junho/2011 1 1 2 3 4 5 6 7 8 Objetivos, Metodologia e Amostra Perfil dos Entrevistados A Contratação O Investimento A escolha da agência de marketing promocional Satisfação

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS. CESPE Prof. Marcelo Camacho

GESTÃO DE PESSOAS. CESPE Prof. Marcelo Camacho GESTÃO DE PESSOAS CESPE Prof. Marcelo Camacho PROGRAMAÇÃO DAS AULAS PROGRAMAÇÃO DAS AULAS OBJETIVOS, DESAFIOS E CARACTERÍSTICAS DA GESTÃO DE PESSOAS Segundo Chiavenato as práticas e políticas de Gestão

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie 1 INTRODUÇÃO 1.1 ORGANIZAÇÃO E PROCESSOS A administração está diretamente ligada às organizações e aos processos existentes nas mesmas. Portanto, para a melhor compreensão da Administração e sua importância

Leia mais