ADMINISTRAÇÃO DA QUALIDADE TOTAL EM UMA INDÚSTRIA DE BENEFICIAMENTO DE COUROS DA REGIÃO DE CACOAL RO 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ADMINISTRAÇÃO DA QUALIDADE TOTAL EM UMA INDÚSTRIA DE BENEFICIAMENTO DE COUROS DA REGIÃO DE CACOAL RO 1"

Transcrição

1 ADMINISTRAÇÃO DA QUALIDADE TOTAL EM UMA INDÚSTRIA DE BENEFICIAMENTO DE COUROS DA REGIÃO DE CACOAL RO 1 Kéllyta Rodrigues Paulus 2 Maximiliano Barroso Bonfá 3 RESUMO: A Qualidade Total é um dos quesitos mais procurados em um produto, o que e fundamental para manter ativas as industrias no mercado.. Diferente do conceito que a maioria das pessoas tem sobre qualidade, afirmando ser apenas sinônimo de durabilidade, etc., na verdade ela é a adequação de alguns padrões previamente estabelecidos, visando à superação das expectativas do consumidor. Outro conceito utilizado nas indústrias para a qualidade total, e que está inserida no conceito de Gerenciamento da Qualidade Total, é a série de normas da ISO 9000, que tem princípios muito semelhantes ao de TQM, sendo eles: o foco no cliente, liderança comprometida, envolvimento de todas as pessoas, abordagem de processo, abordagem sistêmica para a gestão, melhoria contínua, abordagem factual para a tomada de decisão e benefícios mútuos nas relações com os fornecedores. E como qualquer outra organização, uma indústria de beneficiamento de couro também precisa manter qualidade em seus processos para que seus clientes tenham confiança em seus produtos finais, sendo então necessário o estudo dos princípios que podem levá-la à qualidade total. Um exemplo nesse ramo, é a Indústria de beneficiamento de couros JBS de Cacoal, que aplicando os métodos da ISO 9001:2000, tornou-se reconhecida em todo o país pela qualidade que oferece. PALAVRAS CHAVE: Qualidade. TQM. Curtume. 1 INTRODUÇÃO Observa-se que a qualidade é um dos requisitos mais buscados em um produto, pois o cliente sempre procura algo que o agrade e que satisfaça seus desejos e necessidades, e sem dúvida, uma empresa que ofereça ótimas qualidades se sobressairá quanto a seus concorrentes. Logo, enquanto algumas indústrias desacreditam que a qualidade total possa ser alcançada, outras buscam oferecê-las em seus produtos, apesar de poucas a alcançarem, se colocando, então, a frente das de mais. A Total Quality Management, que em português significa Administração da Qualidade Total ganhou destaque no Japão, após a 2 guerra mundial, pois o país objetivava melhorar a produtividade japonesa e a qualidade de vida pós-guerra. O propósito dos japoneses também era serem melhores que os norte-americanos em sua produção e qualidade, e semelhante a 1 Artigo Científico Elaborado para cumprir requisito de conclusão de curso de técnico em administração pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial SENAI/RO. 2 Técnica em Administração pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial SENAI/RO 3 Bacharel em Administração. Docente da Faculdade de Pimenta Bueno - FAP

2 essa realidade, as empresas vivem em busca de serem melhores que seus concorrentes diante de um mundo globalizado. Segundo Chiavenato (2005) um produto é de qualidade quando este atende exatamente aos padrões estabelecidos e exibe as exatas especificações adotadas. Ao contrario de que alguns pensamentos, esse conceito não se restringe a apenas um ramo industrial, mas é recomendável sua aplicação em todas as áreas produtivas. E uma das indústrias que procura aplicar esse conceito é a de beneficiamento de couro, uma vez que seus clientes estão mais dispostos a pagar mais por um produto de qualidade. As indústrias sempre buscaram e continuam buscando a fidelização de seus clientes. E uma das formas de ganhar a apreciação e satisfazer os mesmos é oferecendo a qualidade desejada em seus produtos, que segundo Deming, apud Oakland (1994), esta deve ter como objetivo as necessidades do usuário, tanto presentes como futuras. E uma organização que não apresenta qualidade à seus clientes tornam-se vulneráveis e sujeita a perder espaço no mercado, pois sem a mesma provavelmente não terá a satisfação total de seus clientes. A TQM é o caminho para aprimorar a gestão das operações industriais e é a base para qualquer atividade de melhoria. Esse tipo de abordagem pode ser aplicada em indústrias de transformação do couro bruto em produto semiacabado, em que se mantêm uma constante busca pela qualidade. Mediante a necessidade, quais métodos poderão ser utilizados por elas para a obtenção da Qualidade Total? Desta forma este artigo tem por objetivo: estudar os princípios que podem levar uma indústria de beneficiamento de couro à qualidade total em seus processos. Estudar a importância da Qualidade Total para uma indústria. Conceituar a norma ISO Descrever os passos adotados pela indústria em estudo para alcançar a Qualidade Total. Um dos fatores que mais valoriza o produto na visão do cliente é a qualidade, por isso sua busca nas indústrias é de suma importância. Nas palavras de Crosby (1999), um produto de qualidade não deve ser apenas sinônimo de virtude, luxo, brilho ou peso, ele deve, também, estar em conformidade com os requisitos estabelecidos. Conceitos como a da Administração ou Controle da Qualidade Total (TQM ou TQC) descrevem o caminho correto para atingir a Qualidade Total nas indústrias. Ademais, também pode-se observar o programa Zero Defeito, a normativa da International Standards Organization, mais conhecida como ISO 9000, e sistemas que auxiliem no controle e aplicação da qualidade, que se dirigidos correta e rigorosamente trarão resultados de excelência e destaque para a empresa que as utilizam.(matins; LAUGENI, 2005)

3 2 REFERENCIAL TEÓRICO 2.1 QUALIDADE TOTAL NAS INDÚSTRIAS O conceito de qualidade total surgiu em 1970 com o renascimento da indústria japonesa, que fez da qualidade uma arma para a vantagem competitiva, seguindo os preceitos do consultor americano W. E. Deming. E tendo um excelente projeto e um alto e consistente nível de qualidade, aliados a preços competitivos e a condições de bons serviços pós-venda fizeram com que os japoneses conquistassem fatias expressivas de diferentes mercados de produtos. A qualidade é definida como a adequação a alguns padrões previamente definidos, mas também pode ser classificada como transcendental, em que seus padrões são reconhecidos universalmente, sendo focada no produto, pois suas variáveis e atributos podem ser medidos e controlados, e no usuário, uma vez que, segundo Juran, apud Martins (2005, p. 498), a qualidade é a adequação ao uso e na fabricação, este refere-se a adequação às normas e especificações. O cliente é a figura principal de todo processo organizacional (OLIVERIA et. al., 2003, p. 05), portanto, é necessário que as decisões empresariais levem em consideração as necessidades e expectativas do consumidor e tente superá-las, para atender ao requisito da qualidade de satisfazer completamente o cliente. Hoje a qualidade está no conceito de gerenciamento das empresas, pois sem ela não há como sobreviver no mercado. Segundo Walton, apud Moreira (2011), a melhoria da qualidade é o resultado da diminuição do retrabalho, dos erros, atrasos e empecilhos e pela melhoria no uso dos materiais e do tempo da máquina. E consequentemente esses fatores levam ao aumento da produtividade, que por sua vez acarreta a conquista do mercado, graças à qualidade e ao preço mais baixo que podem oferecer, e posteriormente traz a permanência da empresa no negócio oferecendo empregos e aumentando a oferta. 2.2 TQM TOTAL QUALITY MANAGEMENTE Oakland (1994) descreve TQM como uma abordagem para melhorar a competitividade, a eficácia e a flexibilidade de uma organização inteira e seus métodos e técnicas podem ser aplicados em todas as áreas de qualquer organização. Este também é considerado como um método que busca o envolvimento de todos os funcionários nos

4 processos de melhoria, a fim de que os resultados sejam obtidos em menos tempo. Arnold a considerada como filosofia e um conjunto de princípios orientadores que conduzem a melhoria contínua (2012, p.457) com seis conceitos básicos. São eles: Comprometimento da administração: esse setor deve iniciar o processo, sendo os primeiros a receber o treinamento sobre TQM e posteriormente formar um conselho de qualidade composto pelo Chief Executive Officer (CEO) e pela alta administração para estabelecer valores essenciais que auxiliam a definir a cultura da empresa, declarações de qualidade que incluam noções de visão, missão e políticas de qualidade. Enfoque do cliente: dedicação para agradar os clientes, satisfazendo e excedendo suas expectativas, ou seja, antecipando suas necessidades futuras, pois tanto os clientes internos como os externos de uma organização exigem de seus fornecedores alto nível de qualidade; alta flexibilidade para alterar volumes, especificações e entregas; alto nível de serviço; lead times curtos; pequena variabilidade para atingir as metas; e custos baixos. Envolvimento dos funcionários: as pessoas devem trabalhar para melhorar suas tarefas, mas para isso é necessário treinamento em suas próprias habilidades de trabalho para que possam utilizar as ferramentas em prol da melhoria contínua, organização para colocar as pessoas em contato íntimo com seus fornecedores e clientes, podendo ser ela em células ou equipes com orientação específica e responsabilidade nos processos em que trabalham para que tomem decisões e atitudes em suas áreas de trabalho sem aprovação prévia. Melhoria contínua de processos para que o produto ou serviço seja excelente em todas as dimensões. Parcerias com fornecedores: ter bons e confiáveis fornecedores é vital para a empresa, pois eles são coprodutores da organização, portanto é necessário que haja um compromisso a longo prazo, confiança recíproca, formando uma sólida relação de trabalho e visão partilhada para que se tenha uma orientação comum. Mensuração de desempenho: o progresso da qualidade do desempenho de uma organização deve ser medido para posteriormente descobrir qual processo precisa de melhorias, avaliar processos alternativos, comparar o desempenho atual com as metas, de modo que se possa adotar uma ação corretiva, avaliar o desempenho dos funcionários e demonstrar tendências. É dispensável mensurações que não oferecerão um feedback válido e útil para a empresa. Ainda, existem alguns programas e sistemas baseados no gerenciamento da qualidade total que podem ser utilizados no TQM, como o programa zero defeito, que busca a eliminação de qualquer tipo de erro no processo ou no produto final e que segundo Crosby

5 existem etapas a serem seguidas para o desenvolvimento desse programa; os 14 princípios de Deming que utilizam o ciclo da melhoria contínua com embasamento no ciclo PDCA (Plan, Do, Check, Act), que diz respeito a uma ordem a ser seguida para a solução de problemas, sendo ela Planejar, Desenvolver, Controlar e Agir; e a ISO 9000, que garante a qualidade de produtos e serviços (MARTINS, 2005) e que será abordada a seguir. 2.3 ISO 9001 A série de normas ISO 9000, criada na Grã-Bretanha, é o conjunto de normas e diretrizes internacionais para sistemas de gestão da qualidade, também conhecida como norma genérica de sistemas de gestão e segundo a Central da ISO, ela é implantada por mais de um milhão de empresas e organizações em mais de 170 países. Essa norma estabelece às indústrias um modelo a seguir para preparar e operar seu sistema de gestão, e apesar da maioria das normas serem altamente específicas para um determinado produto, ela pode ser aplicada a qualquer tipo de organização (MELLO et al., 2009). Segundo Roesch, algumas empresas a buscam por exigência dos clientes, enquanto outras a têm como passaporte para o primeiro mundo (EXAME, 1992). Mello afirma que com o crescimento da globalização, a gestão da qualidade tornou-se fundamental para a liderança e aperfeiçoamento contínuo em todas as organizações. E para tanto, a ISO 9000 possui oito princípios para geri-la. Sendo eles o foco no cliente, liderança, envolvimento das pessoas, abordagem de processo, abordagem sistêmica para a gestão, melhoria contínua, abordagem factual para a tomada de decisão e benefícios mútuos nas relações com os fornecedores, estes se alinham com os requisitos da norma ISO 9001:2008 e ao aplicar esses princípios, a organização produzirá benefícios para clientes, acionistas, fornecedores e comunidades locais, ou seja, para a sociedade em geral. Desde sua criação, a ISO 9000 vêm passando por mudanças estruturais, sendo que a última alteração pode ser percebida na família de normas ISO 9000:2008. A partir de então, ficaram estabelecidas quatro normas primarias: ISO 9000: Sistemas de gestão da qualidade Fundamentos e vocabulário; ISO 9001: Sistemas de gestão de qualidade Requisitos; ISO 9004: Sistemas de gestão de qualidade Diretrizes para melhoria de desempenho; ISO 19011: Diretrizes para auditoria de sistemas de Gestão de qualidade e/ou ambiental.

6 A ISO 9001:2008 oferece um modelo de garantia da qualidade para determinados processos, sendo eles: projetos, produção, instalações e prestação de serviços. Dentre as ISOs 9000 ela é a mais exigente, pois requer a aplicação de todos os elementos da mesma (ARNOLD, 2012). Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas, (ABNT) a norma ISO 9001:2008 especifica requisitos para um sistema de gestão de qualidade que podem ser usados pelas organizações para aplicação interna, para certificação ou para fins contratuais, estando focada na eficácia do sistema de gestão da qualidade em atender aos requisitos dos clientes. Em outras palavras, essa norma tem fins contratuais e é usada para avaliar a capacidade de uma organização em atingir os requisitos e os regulamentares aplicáveis para, assim, satisfazê-los. Uma empresa obtém maior valor quando aplica todas as normas integradamente, e a indicação é que se inicie pela ISO 9001, atingindo então, o primeiro nível de desempenho. Mas ao adotar essa norma ela deve estar em constante esforço para satisfazer a seus clientes e melhorar continuamente seu sistema de gestão da qualidade, aumentando, assim, a eficiência da organização em cumprir a política (cada organização é responsável por criar sua própria política de qualidade) e objetivos da qualidade. Essa ISO requer da organização planejamento e gerenciamento dos processos necessários para a melhoria contínua de seu sistema de gestão da qualidade (MELLO et. al.,2009). A certificação dessa ISO requer um longo processo, sendo necessário o envolvimento de toda a organização. O processo de certificação é feito por um agente reconhecido pelo Registrar Accreditation Board e filiado à American Society of Quality Control, sendo necessário que se cumpram as fases de elaboração de procedimentos e manuais, de realização de auditorias em toda a empresa, com ações corretivas necessárias e posteriormente a fase de certificação, que envolve uma ou mais pré-auditorias e a auditoria para a certificação final (MARTINS, 2005, p. 513). Abaixo seguem duas das normas da ISO 9001 disponíveis na Central da ISO. Organização: Grupo de pessoas e instalações, com um conjunto de responsabilidades, autoridades e relações. Exemplo: corporação, firma, empresa, instituição de caridade, único comerciante, associação, ou parte ou uma combinação destas. Nota 1 da entrada: O arranjo é geralmente ordenado. Nota 2 entrada: Uma organização pode ser pública ou privada.

7 Nota 3 entrada: Esta definição é válida para fins de sistema de gestão da qualidade (3.2.3) padrões. O termo "organização" é definido de forma diferente em ISO / IEC Guia 2. Procedimento: Modo especificado de realizar uma atividade ou um processo (3.4.1). Nota 1 da entrada: Os procedimentos podem ser documentados ou não. Nota 2 entrada: Quando um procedimento é documentado, o termo "procedimento escrito" ou "procedimento documentado" é frequentemente usado. O documento (3.7.2) que contém um procedimento pode ser chamado de "documento de procedimento". 2.4 QUALIDADE NA INDÚSTRIA DE BENEFICIAMENTO DE COURO A indústria de couros brasileira, constituída pelos segmentos de curtumes e de artefatos de couro, é formada, em sua maior parte, por empresas de pequeno e médio porte e de capital predominantemente nacional. Segundo Campos (2006), são vários os setores que informam a utilização do couro como matéria-prima de seus produtos, primordialmente de vestuário, automobilístico, de mobiliário e de calçados, Quanto à classificação dos couros, a mais usual é a que o classifica com wet blue, crust e acabado. Apesar da posição de destaque no mercado de couro, o Brasil tem enfrentado problema com a qualidade das peles. Um dos fatores para a baixa qualidade do couro provém do descaso com o mesmo, pois este é considerado um subproduto da atividade principal do pecuarista, representando apenas entre 7% e 10% do valor do gado em pé, os quais acabam apresentando imperfeições, tanto na fase pré-abate como durante o abate propriamente dito, incluindo a esfola e a conservação. (CAMPOS, 2006) Além desse problema, ainda pode ocorrer redução da qualidade decorrente da falta de sinergia entre os compartimentos da cadeia produtiva. O controle sanitário deficiente, manejo inadequado, instalações impróprias, são alguns dos problemas que contribuem para a ocorrência de defeitos nas peles que, após o curtimento, resultam em couros de baixa qualidade (JACINTO e PEREIRA, 2004). Para tanto, existem diversos abordagens, programas e sistemas, além de ferramentas, que auxiliam no controle da qualidade dos couros. A abordagem TQM e a ISO 9001 são alguns dos métodos que podem trazer sucesso na busca pela qualidade desse tipo de indústria, pois existem exemplos de indústrias nesse ramo que aplicaram pelo menos uma delas e hoje são reconhecidas internacionalmente. Quanto as ferramentas de qualidade, pode-se citar os 5 Ss, que, segundo Ferreira (et. al. 2010), é um programa baseado em cinco palavras japonesas iniciadas com a letra s, Seiri

8 (senso de utilização), Seiton (senso de ordenação), Seisou (senso de limpeza), Seiketsu (senso de saúde) e Shitsuke (senso de autodisciplina), e que indicam uma filosofia de práticas simples para promover o crescimento das pessoas e da organização em um aperfeiçoamento contínuo das rotinas do trabalho diário; e os 5 Porquês, que é uma ferramenta que auxilia no aprofundamento da análise, para cada tipo problema encontrado existe uma série de perguntas que determinam os 5 porquês de sua existência (CHAVES, apud Gomes, 2008). Ainda, existem programas desenvolvidos para aumentar a participação do Brasil no mercado mundial de couros como o Programa Brasileiro da Qualidade do Couro, criado em outubro de 2004, com o objetivo de conscientizar os agentes da cadeia produtiva sobre a importância da qualificação da matéria-prima desde a sua origem, buscando, com isso, reduzir as perdas contabilizadas com defeitos nas peças produzidas; o Programa Brasileiro para Expansão das Exportações de Couro, o qual consiste em financiar a execução de diversas ações promocionais com vista à ampliação da participação no mercado internacional do couro de maior valor agregado; a Lei do Couro, aprovada no final de 2005, que deverá contribuir para a promoção de ganhos de qualidade no processo de produção e comercialização de couros e peles através da clara identificação da matéria-prima, com benefícios para produtores, consumidores e demais elos da cadeia produtiva. 2.5 METODOLOGIA Este é um estudo científico original, pois até o presente momento não há registros de artigos referentes à qualidade nas indústrias de beneficiamento do couro da cidade de Cacoal, que foi desenvolvido em campo, uma vez que foram observados e analisados os métodos utilizados em uma indústria específica. Por descrever os processos e analisar o que foi observado, esta se enquadra em uma pesquisa descritiva exploratória voltando-se para o quesito qualidade. Os dados foram coletados através de pesquisas bibliográficas, buscando conceitos e teorias em livros e artigos, a fim de obter embasamento científico para esta pesquisa. O método utilizado foi indutivo, com observação direta no Curtume JBS de Cacoal e questionário com pesquisa participante. Num primeiro momento foi estudado o conceito de qualidade total, de TQM e da ISO Em um segundo momento foi pesquisado a aplicação da qualidade nas indústrias de beneficiamento de couro. E em um terceiro momento foi realizado um inquérito contendo no questionário 13 perguntas com respostas abertas e fechadas. O inquérito foi realizado

9 individualmente, sendo, a pessoa participante, componente do departamento de Gestão de Recursos Humanos. Os requisitos éticos foram atendidos, visto que o participante assinou o termo de consentimento livre e esclarecido, e o mesmo não foi identificado na pesquisa. 2.6 DISCUSSÃO E RESULTADOS A JBS é a maior exportadora brasileira de couros e conta com 14 unidades industriais no País e uma na China, além de centros de distribuição na Itália, República Checa e China. Ela produz couros nos estágios Wet-blue, Semiacabado e Acabado para os setores de calçados, automobilístico, moveleiro e de artefatos. Algumas de suas estratégias de negócios são o acompanhamento das tendências mundiais, avaliação das expectativas dos mercados em que atua e personalização dos produtos e serviços, de acordo com as especificações dos clientes. Ela possui certificação internacional do Centro de Tecnologia SATRA, organização inglesa de prestígio mundial, que analisa e certifica a padronização dos itens fornecidos a grandes indústrias de calçados e acessórios. E por ser a primeira empresa do setor na América Latina a obter essa certificação, a JBS é vista como um símbolo de excelência de qualidade no mercado internacional. Para alcançar o mérito, um grupo de profissionais formado por Classificadores e Técnicos de Laboratório da empresa recebeu um treinamento específico para entender e praticar as metodologias de classificação do couro e práticas de laboratório, de acordo com os critérios do SATRA. Suas unidades industriais possuem ISO 9001:2000. Além disso, investem na utilização de ferramentas de gerenciamento, como lean manufacturing, que visa eliminar desperdícios e Seis Sigma, que busca a redução de custos e a melhoria da qualidade de produtos e processos para aumentar ainda mais a competitividade (WERKEMA, 2011), abrir novos mercados e corresponder às exigências de diversos clientes, líderes em suas áreas de atuação ao redor do mundo (JBS). 19 Com todas essas características a JBS Couros tornou-se exemplo de qualidade, e por este motivo, foi a indústria escolhida para execução da pesquisa a campo deste trabalho. Conforme dados coletados na entrevista sempre houve a preocupação em oferecer qualidade nos seus produtos, pois, segundo Walton e reafirmado pela entrevistada, essa faz parte do conceito de gerenciamento das empresas. Por ter o selo da ISO 9001 e profissionais

10 voltados para a área da qualidade, além de usarem as ferramentas da qualidade, hoje a indústria se considera como uma organização que oferece qualidade a seus clientes. Algumas mudanças tiveram de ocorrer para que ela pudesse alcançar a qualidade em seus procedimentos e a certificação da ISO 9001:2000, sendo elas: implantação com mais rigor nas ferramentas da qualidade, como os 5 Ss, Kaisen, que são esforços de melhoria contínua, executados por todos com foco central na eliminação dos desperdícios (ARAUJO E RENTES, 2006), Brainstorning (em português tempestade de ideias), que é realizada para estimular a criatividade das pessoas, gerando o maior número possível de ideias para solucionar os problemas de uma empresa (CHAVES, apud Gomes, 2008), Diagrama de Ishikawa, que é utilizado para identificar, explorar e ressaltar todas as causas possíveis de um problema ou condições específicas (LIMA, 2005), Medição das prioridades e os 5 Porquês, e contratação de pessoal específico para a área da qualidade. Para que as mudanças pudessem acontecer os colaboradores foram treinados, quanto à política de qualidade criada pela própria empresa, e houve também divulgação das ferramentas para conscientizá-los sobre a qualidade e para que acatassem as mudanças ocorridas, demonstrando então, os conceitos de Martins quanto ao envolvimento de toda a organização para alcançar e manter a qualidade. Depois de implantadas as mudanças, foram feitas diversas auditorias por um órgão reconhecido e posteriormente recebido o selo da ISO 9001:2000 no ano de Conforme respondido na entrevista não existem problemas/implicações para manter a certificação, pois com as auditorias internas semestrais e as auditorias externas anuais, logo que é detectada alguma inconformidade pelos auditores, a indústria faz um plano de ação para que a mesma seja eliminada em um curto espaço de tempo. E por buscar a adequação de seus processos para melhorar constantemente, pode-se notar a semelhança com a descrição de qualidade feita por Juran, em uma indústria, é a adequação às normas e especificações. Também foi confirmada a informação que, segundo ABNT, a ISO 9001:2008 tem fins contratuais e que é usada para avaliar a capacidade de uma organização em atingir os requisitos dos clientes e os regulamentares aplicados nas auditorias, tanto interna quanto externa. Além das auditorias, para manter a qualidade nos processos a indústria busca seguir os procedimentos estabelecidos em todos os setores, oferece frequentes treinamentos para seus colaboradores, tanto os efetivos como os recém-contratados, aplica rigorosamente as ferramentas de qualidade e utiliza o Oracle como sistema para controle da mesma.

11 Segundo Mello, a ISO 9000 estabelece um modelo a seguir para preparar e operar o sistema de gestão de uma indústria e conforme respondido no questionário na indústria em estudo a ISO 9001 foi utilizada como base para preparação e operação de um sistema de gestão da qualidade eficiente. Ainda notaram-se os oito princípios da ISO 9000 descritos por ele, sendo aplicado na mesma, o constante esforço para satisfazer a seus clientes e melhorar continuamente seu sistema de gestão da qualidade, através das auditorias semestrais e a organização, planejamento e gerenciamento dos processos necessários para a melhoria contínua de seu sistema de gestão da qualidade auxiliada pelas ferramentas de qualidade. 3 CONSIDERAÇÕES FINAIS A importância da qualidade nas organizações sempre é um dos fatores que trazem reconhecimento e destaque a uma indústria e as organizações vivem em constante busca pela mesma, uma vez que ela é necessária para a sobrevivência no mercado. Através deste estudo notou-se a necessidade de um gerenciamento comprometido com a qualidade, uma vez que essa é uma das exigências em ambos os conceitos apresentados TQM e ISO 9001, bem como o envolvimento de toda a organização para alcançá-la, assim como foi feito na indústria em estudo. Ainda pode-se perceber a semelhança entre a Administração da Qualidade Total e a normativa da International Standards Organization em vários aspectos, como seus princípios de foco no cliente, parceria com fornecedores, melhoria contínua, envolvimento de todos os funcionários partindo da alta administração até alcançar todos os funcionários. A necessidade de oferecer a Qualidade Total e a importância de programas e sistemas eficazes para alcançá-la, além do uso de ferramentas da qualidade, nas indústrias de beneficiamento de couro é o caminho para a mesma. E pôde-se observar no desenvolver deste estudo que o Total Quality Management e a ISO 9001 são alguns dos princípios que podem ser utilizados para alcançá-la nesse ramo mercadológico, principalmente a ISO 9001, que foi aplicada com eficiência pela JBS Couros, sendo hoje considerada exemplo de qualidade. Portanto, a qualidade deve ser almejada incessantemente em qualquer área mercadológica, tanto em uma indústria quanto em um órgão prestador de serviço, pois a organização terá resultados positivos desde o bem estar próprio até o reconhecimento. REFERÊNCIAS

12 ARAUJO, Cesar Augusto Campos de; RENTES, Antonio Freitas. A metodologia kaizen na condução de processos de mudança em sistemas de produção enxuta. Revista do programa de Pós Graduação em Engenharia de Produção UTFPR Ponta Grossa - v. 2, n ARNOLD, J. R. Tony. Administração de materiais: uma introdução tradução Celso Rimoli, Lenita R. Esteves. 1. ed. 11. reimpr. São Paulo: Atlas, à 481 p.. CAMPOS, Silvia Horst. A indústria de couros no Brasil: desempenho superior ao da indústria calçadista em 2006 CAMPOS, S. H. A indústria de couros no Brasil: desempenho superior ao da indústria calçadista em Indicadores Econômicos. FEE, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p , set CHIAVENATO, Idalberto. Administração de produção: uma abordagem introdutória Rio de Janeiro: Elsevier, ª Reimpressão. 161 p.. CROSBY, Philip B..Qualidade é investimento tradução por Áurea Weisenberg. 7. ed. Rio de Janeiro: José Olympio FERREIRA, Dagoberto Pecos; LAGOEIRO, João Vicente Vieira. Programa 5-S: um estudo de caso do processo produtivo dos ovos na Granja Netto em Presidente Alves SP. Revista Científica do UNISALESIANO. Ano1 v2, jul a dez GOMES, Ana Carolina da Silva; PENEDO, Antônio Sérgio Torres. Círculo de controle de qualidade como ferramenta para diminuição de custo numa indústria de fiação de algodão na cidade de Ituverava. Revista Nucleus. v 5 n. 1, 2008 ISO Management system standards: ISO Quality management. Disponível em Acessado em 20/10/2013 às 8h46m. ISO. ISO 9000:2005(en): Quality management systems Fundamentals and vocabulary. Disponível em https://www.iso.org/obp/ui/#iso:std:iso:9000:ed-3:v1:en:term:3.2.3 Acessado em 20/10/2013 às 9h11m. 24 JACINTO, Manuel Antônio Chagas; PEREIRA, Mariana de Aragão. Indústria do Couro: Programa de Qualidade e Estratificação de Mercado com Base em Características do Couro SIMPÓSIO DE PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE, 4., 2004, Viçosa. Anais... Viçosa: UFV, 2004 JBS, Divisão de negócios. Couros. Disponível em Acessado em 07/10/2013 às 10h24m. MARTINS, Petrônio Garcia; LAUGENI, Fernando Piero. Administração da produção 2. ed. rev., aum. e atual São Paulo: Saraiva, à 548 p. MELLO, Carlos Henrique Pereira et.al.. ISO 9001:2008: Sistema de gestão da qualidade para operações de produção e serviços São Paulo: Atlas, MOREIRA, Daniel Augusto. Administração da produção e operações - 2. ed. rev. e ampl.

13 São Paulo: Cengage Learning, à 556 p. OAKLAND, John. Gerenciamento da qualidade total tradução Adalberto Guedes Pereira São Paulo: Nobel, p. OLIVEIRA, Otávio J. (org.). Gestão da Qualidade: Tópicos Avançados. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, ROESCH, Silvia Maria Azevedo. ISO 9000: caminho para a qualidade total? 1994 Acessado em 12/09/2013 às 8h18m. WERKEMA, Cristina. Lean seis sigma: introdução às ferramentas do lean manufacturing 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Gestão da Qualidade Aula 5 O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Objetivo: Compreender os requisitos para obtenção de Certificados no Sistema Brasileiro de Certificação

Leia mais

Gestão da qualidade. Prof. André Jun Nishizawa

Gestão da qualidade. Prof. André Jun Nishizawa Gestão da qualidade Prof. Conceitos O que é qualidade? Como seu conceito se alterou ao longo do tempo? O que é gestão da qualidade e como foi sua evolução? Quem foram os principais gurus da qualidade e

Leia mais

QUALIDADE II. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves 09/08/2012. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

QUALIDADE II. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves 09/08/2012. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves QUALIDADE II Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor

Leia mais

Gestão da qualidade. Prof. André Jun Nishizawa

Gestão da qualidade. Prof. André Jun Nishizawa Gestão da qualidade Prof. Conceitos O que é qualidade? Como seu conceito se alterou ao longo do tempo? O que é gestão da qualidade e como foi sua evolução? Quem foram os principais gurus da qualidade e

Leia mais

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA Disciplina: FATEC - IPATINGA Gestão de ISSO TQC - Controle da Total Vicente Falconi Campos ISO 9001 ISO 14001 OHSAS 18001 Prof.: Marcelo Gomes Franco Conceitos TQC - Total Quality Control Controle da Total

Leia mais

INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009.

INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009. INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009. Introdução Segundo as informações disponíveis no site do

Leia mais

O REFLEXO DA QUALIDADE PARA A PRODUTIVIDADE

O REFLEXO DA QUALIDADE PARA A PRODUTIVIDADE O REFLEXO DA QUALIDADE PARA A PRODUTIVIDADE Fernanda Aparecida de SOUZA 1 RGM: 079195 Juliana Regina de ALMEIDA 1 RGM: 079247 Mary Ellen dos Santos MOREIRA 1 RGM: 079248 Renato Francisco Saldanha SILVA

Leia mais

9001:2000 - EPS - UFSC)

9001:2000 - EPS - UFSC) Implantação de um sistema de gestão da qualidade conforme a norma ISO 9001:2000 numa pequena empresa de base tecnológica, estudo de caso: Solar Instrumentação, Monitoração e Controle Ltda. Gustavo Slongo

Leia mais

Introdução à Qualidade. Aécio Costa

Introdução à Qualidade. Aécio Costa Introdução à Qualidade Aécio Costa O que é Qualidade? Percepções Necessidades Resultados O que influencia: Cultura Modelos mentais Tipo de produto ou serviço prestado Necessidades e expectativas Qualidade:

Leia mais

QUALIDADE: NÃO MAIS UM DIFERENCIAL, E SIM UMA SOBREVIVÊNCIA PARA AS INSTITUIÇÕES

QUALIDADE: NÃO MAIS UM DIFERENCIAL, E SIM UMA SOBREVIVÊNCIA PARA AS INSTITUIÇÕES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CENTRO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MBA EM GESTÃO DA QUALIDADE ELISANGELA ELIAS FERNANDES QUALIDADE: NÃO MAIS UM DIFERENCIAL, E SIM UMA SOBREVIVÊNCIA PARA

Leia mais

5 ADMINISTRAÇÃO DA QUALIDADE

5 ADMINISTRAÇÃO DA QUALIDADE 5 ADMINISTRAÇÃO DA QUALIDADE 5.1 INTRODUÇÃO Todas as pessoas convivem sob a sombra da palavra qualidade. Não é para menos, a qualidade tornou-se alicerce fundamental para as organizações, onde ganhou destaque

Leia mais

Gerência da Qualidade

Gerência da Qualidade Gerência da Qualidade Curso de Engenharia de Produção e Transportes PPGEP / UFRGS ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Temas Abordados Qualidade Ferramentas da Qualidade 5 Sensos PDCA/MASP Os Recursos Humanos e o TQM

Leia mais

As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000

As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000 As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000 Leonardo Rospi (UNIP Universidade Paulista) lrospi@terra.com.br Oduvaldo Vendrametto (UNIP Universidade Paulista)

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO PELA QUALIDADE TOTAL E PADRONIZAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMA DE GESTÃO PELA QUALIDADE TOTAL E PADRONIZAÇÃO NA EMPRESA SISTEMA DE GESTÃO PELA QUALIDADE TOTAL E PADRONIZAÇÃO NA EMPRESA Andréia Pereira da Fonseca, Unisalesiano de Lins, e-mail: andreia.fonseca@bertin.com.br Ariane de Carvalho Naya, Unisalesiano de Lins, e-mail:

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO

A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO Autora: LUCIANA DE BARROS ARAÚJO 1 Professor Orientador: LUIZ CLAUDIO DE F. PIMENTA 2 RESUMO O mercado atual está cada vez mais exigente com

Leia mais

Deming (William Edwards Deming)

Deming (William Edwards Deming) Abordagens dos principais autores relativas ao Gerenciamento da Qualidade. Objetivo: Estabelecer base teórica para o estudo da Gestão da Qualidade Procura-se descrever, a seguir, as principais contribuições

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 5S NO SETOR DE VENDAS DE UMA CONCESSIONARIA NO INTERIOR DE SÃO PAULO

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 5S NO SETOR DE VENDAS DE UMA CONCESSIONARIA NO INTERIOR DE SÃO PAULO IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 5S NO SETOR DE VENDAS DE UMA CONCESSIONARIA NO INTERIOR DE SÃO PAULO Ana Caroline Zanelato Camila Garcia Coelho Fabiane Macedo Rabecini Fernanda de Souza Lima Francesli Silotto

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000)

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) Ao longo do tempo as organizações sempre buscaram, ainda que empiricamente, caminhos para sua sobrevivência, manutenção e crescimento no mercado competitivo.

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000

Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000 2 Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000 Para a gestão da qualidade na realização do produto a ISO 9001: 2000 estabelece requisitos de gestão que dependem da liderança da direção, do envolvimento

Leia mais

CONSULTORIA. Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias

CONSULTORIA. Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias CONSULTORIA Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias PADRÃO DE QUALIDADE DESCRIÇÃO ISO 9001 Esse Modelo de Produto de Consultoria tem por objetivo definir e melhorar todos os processos da empresa,

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E O SISTEMA OFICIAL DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM.

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E O SISTEMA OFICIAL DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM. ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E O SISTEMA OFICIAL DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM. Gerson Luís Russo Moysés, M. Sc. SENAC-SP, Av. Frei Orestes Girardi-3549,

Leia mais

Gestão da qualidade. Conceito e histórico da qualidade. Prof. Dr. Gabriel Leonardo Tacchi Nascimento

Gestão da qualidade. Conceito e histórico da qualidade. Prof. Dr. Gabriel Leonardo Tacchi Nascimento Gestão da qualidade Conceito e histórico da qualidade Prof. Dr. Gabriel Leonardo Tacchi Nascimento Como é vista a qualidade Redução de custos Aumento de produtividade Conceito básico de qualidade Satisfação

Leia mais

ARTIGO FERRAMENTAS DE GESTÃO EMPRESARIAL NA BUSCA DA QUALIDADE. Alexandre Amorim de Souza, Mestre em Administração. Florianópolis, 2002

ARTIGO FERRAMENTAS DE GESTÃO EMPRESARIAL NA BUSCA DA QUALIDADE. Alexandre Amorim de Souza, Mestre em Administração. Florianópolis, 2002 1 ARTIGO FERRAMENTAS DE GESTÃO EMPRESARIAL NA BUSCA DA QUALIDADE Alexandre Amorim de Souza, Mestre em Administração Florianópolis, 2002 2 RESUMO No presente artigo enfatiza-se as principais ferramentas

Leia mais

FERRAMENTA PARA GERAÇÃO DE IDÉIAS E SOLUÇÕES.

FERRAMENTA PARA GERAÇÃO DE IDÉIAS E SOLUÇÕES. Prof. Edson Costa Aildefonso FERRAMENTA PARA GERAÇÃO DE IDÉIAS E SOLUÇÕES. Qualquer um de nós que possua alguma experiência em trabalho de grupo sabe como é difícil desenvolver maneiras criativas para

Leia mais

Proposta de integração de ferramentas em um sistema de gestão

Proposta de integração de ferramentas em um sistema de gestão III SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Proposta de integração de ferramentas em um sistema de gestão Breno Barros Telles do Carmo Marcos Ronaldo Albertin Francisco José do Rêgo Coelho

Leia mais

AVALIAÇÃO DE PRINCÍPIOS, MODELOS E MÉTODOS DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE POLPA DE FRUTAS

AVALIAÇÃO DE PRINCÍPIOS, MODELOS E MÉTODOS DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE POLPA DE FRUTAS AVALIAÇÃO DE PRINCÍPIOS, MODELOS E MÉTODOS DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE POLPA DE FRUTAS Brenda de Farias Oliveira Cardoso (UEPA) brendadiifarias@hotmail.com Fernanda dos Santos

Leia mais

Ferramentas da Qualidade: Uma visão Aplicada a Laboratórios de Ensaios Químicos

Ferramentas da Qualidade: Uma visão Aplicada a Laboratórios de Ensaios Químicos Ferramentas da Qualidade: Uma visão Aplicada a Laboratórios de Ensaios Químicos Resumo Com a globalização da economia e a formação de blocos econômicos, têm surgido barreiras técnicas e comerciais para

Leia mais

Tutorial norma ISO 9001

Tutorial norma ISO 9001 Tutorial norma ISO 9001 Docente: Prof. Dr. José Carlos Marques Discentes-Grupo 3: Luciane F. I. Ramos Fonseca Ana Paula C. Vieira Lúcia Melim Ana Paula Neves Funchal, Maio de 2009 1. CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE

Leia mais

FERRAMENTAS DA QUALIDADE NO GERENCIAMENTO DE PROCESSOS

FERRAMENTAS DA QUALIDADE NO GERENCIAMENTO DE PROCESSOS 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 FERRAMENTAS DA QUALIDADE NO GERENCIAMENTO DE PROCESSOS Priscila Pasti Barbosa 1, Sheila Luz 2, Fernando Cesar Penteado 3, Generoso De Angelis Neto 4, Carlos

Leia mais

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Adriana Ferreira de Faria (Uniminas) affaria@uniminas.br Adriano Soares Correia (Uniminas) adriano@ep.uniminas.br

Leia mais

Gestão da qualidade em serviços: um estudo de caso em microempresas do ramo de oficinas mecânicas

Gestão da qualidade em serviços: um estudo de caso em microempresas do ramo de oficinas mecânicas Gestão da qualidade em serviços: um estudo de caso em microempresas do ramo de oficinas mecânicas Eunice Zucchi (CESCAGE) eunicezucchi@gmail.com Balduir Carletto (CESCAGE) bcarletto@uol.com.br Camila Lopes

Leia mais

Sistemas de Gestão da Qualidade. Introdução. Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade. Tema Sistemas de Gestão da Qualidade

Sistemas de Gestão da Qualidade. Introdução. Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade. Tema Sistemas de Gestão da Qualidade Tema Sistemas de Gestão da Qualidade Projeto Curso Disciplina Tema Professor Pós-graduação Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade Sistemas de Gestão da Qualidade Elton Ivan Schneider Introdução

Leia mais

ISO/IEC 20000:2005. Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006

ISO/IEC 20000:2005. Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006 ISO/IEC 20000:2005 Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006 André Jacobucci andre.jacobucci@ilumna.com +55 11 5087 8829 www.ilumna.com Objetivos desta Apresentação

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira NBR ISO 9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade Prof. Marcos Moreira História International Organization for Standardization fundada em 1947, em Genebra, e hoje presente em cerca de 157 países. Início

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

ORGANIZAÇÃO PÚBLICA PARA O ALCANCE DE UMA GESTÃO DE QUALIDADE

ORGANIZAÇÃO PÚBLICA PARA O ALCANCE DE UMA GESTÃO DE QUALIDADE ISSN 1984-9354 ORGANIZAÇÃO PÚBLICA PARA O ALCANCE DE UMA GESTÃO DE QUALIDADE Sandson Barbosa Azevedo, William Lisboa Ramos (Faculdade Projeção; INFRAERO) Resumo: Esse artigo visa analisar os resultados

Leia mais

Qualidade de Software. Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com

Qualidade de Software. Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com Qualidade de Software Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com Ementa Conceitos sobre Qualidade Qualidade do Produto Qualidade do Processo Garantida da Qualidade X Controle da Qualidade Conceitos

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. ENG-1530 Administração e Finanças para Engenharia Professor: Luis Guilherme

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. ENG-1530 Administração e Finanças para Engenharia Professor: Luis Guilherme PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL ENG-1530 Administração e Finanças para Engenharia Professor: Luis Guilherme Gestão de Qualidade Alunos: Bruna Bastos Bruno Avelar Giacomini

Leia mais

TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL

TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL OLIVEIRA,Ana Paula de¹ OLIVEIRA,Dirce Benedita de¹ NERY,Miriã Barbosa¹ SILVA, Thiago² Ferreira da² RESUMO O texto fala sobre o controle da qualidade total, como ela iniciou

Leia mais

Segundo Maluche [1], a melhoria contínua é

Segundo Maluche [1], a melhoria contínua é Identificação de problemas em seu sistema da gestão A melhoria contínua deve ser vista como uma atividade constante que tem como objetivos aumentar o envolvimento de todos da equipe, o aperfeiçoamento

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA AUMENTO DA PRODUTIVIDADE EM EMPRESA DO SEGMENTO METAL MECÂNICA.

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA AUMENTO DA PRODUTIVIDADE EM EMPRESA DO SEGMENTO METAL MECÂNICA. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA AUMENTO DA PRODUTIVIDADE EM EMPRESA DO SEGMENTO METAL MECÂNICA. Elton Dias Paz Aluno de administração das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS. Elton.paz@fibria.com.br

Leia mais

Normas Série ISO 9000

Normas Série ISO 9000 Normas Série ISO 9000 Ana Lucia S. Barbosa/UFRRJ Adaptado de Tony Tanaka Conteúdo Conceitos principais A série ISO9000:2000 ISO9000:2000 Sumário Princípios de Gestão da Qualidade ISO9001 - Requisitos Modelo

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Noções de Engenharia de Produção

Curso de Engenharia de Produção. Noções de Engenharia de Produção Curso de Engenharia de Produção Noções de Engenharia de Produção Qualidade Evolução: - Taylor: INSPEÇÃO; - Ford: Metrologia; - 1920: surge o Controle da Qualidade; - 1930: normalização para a Qualidade;

Leia mais

Propostas de melhorias da qualidade no processo de prestação de serviços de topografia: um estudo de caso

Propostas de melhorias da qualidade no processo de prestação de serviços de topografia: um estudo de caso Propostas de melhorias da qualidade no processo de prestação de serviços de topografia: um estudo de caso Cristiana Guimarães Cunha (FEAMIG) cristiguimaraes@yahoo.com.br Gislaine Barbosa Nascimento (FEAMIG)

Leia mais

Modelo de Gestão KAIZEN e Sua Aplicação no Setor de Fertilizantes

Modelo de Gestão KAIZEN e Sua Aplicação no Setor de Fertilizantes Modelo de Gestão KAIZEN e Sua Aplicação no Setor de Fertilizantes ASSUNÇÃO, D. S. a ; MOURA, L. B. b ;MAMEDES, T. C. c ; SIMÕES, T. F. d a. Universidade Paulista, São Paulo, daviassuncao_logistic@hotmail.com

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.3 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Qualidade de Software Profa. : Kátia Lopes Silva 1 QUALIDADE DE SOFTWARE Objetivos: Introduzir os três modelos para implementar

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Unidade I Conceito de Qualidade Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com UNIDADE I : Conceito de Qualidade 1.1 Qualidade de processo de software 1.2 Qualidade de produto de software UNIDADE

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA NORMA ABNT NBR ISO 10014:2008

A IMPORTÂNCIA DA NORMA ABNT NBR ISO 10014:2008 XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

Certificação ISO. Dificuldades, vantagens e desvantagens. Marcelo Henrique Wood Faulhaber, Med. Pat. Clin., MBA

Certificação ISO. Dificuldades, vantagens e desvantagens. Marcelo Henrique Wood Faulhaber, Med. Pat. Clin., MBA Certificação ISO Dificuldades, vantagens e desvantagens. Marcelo Henrique Wood Faulhaber, Med. Pat. Clin., MBA Avanços em Medicina Laboratorial UNICAMP 2012 Introdução à Qualidade Não existem laboratórios

Leia mais

Fundamentos da Qualidade

Fundamentos da Qualidade Fundamentos da Qualidade Luiz Carlos Monteiro Gerente da Divisão de Orientação e Incentivo à Qualidade Quando surgiu a qualidade? Quando o Homem sente necessidades e cria expectativas. O que é qualidade?

Leia mais

Por que Lean & Six Sigma?

Por que Lean & Six Sigma? CONTEÚDO DA PALESTRA O O que é LEAN? O O que é Six Sigma? Por que? LEAN LEAN ORIGEM DO LEAN A metodologia Lean já existe há algum tempo: A Ford foi pioneira no início do século XX 33 horas para concluir

Leia mais

A gestão do conhecimento dentro da filosofia do Controle da Qualidade Total (TQC )

A gestão do conhecimento dentro da filosofia do Controle da Qualidade Total (TQC ) A gestão do conhecimento dentro da filosofia do Controle da Qualidade Total (TQC ) Valdomiro Lubachevski Kurta (CEFET/PR) vkurta@cm.cefetpr.br Hélio Gomes de Carvalho (CEFET/PR) helio@cefetpr.br João Luiz

Leia mais

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO NBR ISO 9001:2008 INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO 8 Princípios para gestão da qualidade Foco no cliente Liderança Envolvimento das pessoas Abordagem de processos Abordagem sistêmica para a gestão Melhoria

Leia mais

Palavras-chaves: Análise ABC, gestão de estoques, controle, diferencial.

Palavras-chaves: Análise ABC, gestão de estoques, controle, diferencial. ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA PRODUTORA DE BEBIDAS, COMO AUXÍLIO À GESTÃO DA LOGÍSTICA DE MATERIAIS EM UM CENÁRIO DE DEMANDA VARIÁVEL Eduardo Bezerra dos Santos

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

Para entendermos melhor a evolução da qualidade, precisamos rememorar alguns pontos na história.

Para entendermos melhor a evolução da qualidade, precisamos rememorar alguns pontos na história. SISTEMA DE QUALIDADE EAD MÓDULO XIX - RESUMO Para entendermos melhor a evolução da qualidade, precisamos rememorar alguns pontos na história. Posteriormente, ocorreu a Revolução Industrial, em que a subsistência

Leia mais

A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA QUALIDADE TOTAL E A CERTIFICAÇÃO ISO 9000 NA AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DE BARRAGENS DA CESP

A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA QUALIDADE TOTAL E A CERTIFICAÇÃO ISO 9000 NA AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DE BARRAGENS DA CESP COMITÊ BRASILEIRO DE BARRAGENS XXVII SEMINÁRIO NACIONAL DE GRANDES BARRAGENS BELÉM PA, 03 A 07 DE JUNHO DE 2007 T101 A02 A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA QUALIDADE TOTAL E A CERTIFICAÇÃO ISO 9000 NA AVALIAÇÃO

Leia mais

1. Conceitos e princípios da qualidade: nichos da qualidade; erros da qualidade.

1. Conceitos e princípios da qualidade: nichos da qualidade; erros da qualidade. 1/6 1. Conceitos e princípios da qualidade: nichos da qualidade; erros da qualidade. Nichos da Qualidade É a partir destas avaliações que, por exemplo, duas empresas do mesmo ramo podem atuar em nichos

Leia mais

Tradução livre do PMBOK 2000, V 1.0, disponibilizada através da Internet pelo PMI MG em abril de 2001

Tradução livre do PMBOK 2000, V 1.0, disponibilizada através da Internet pelo PMI MG em abril de 2001 Capítulo 8 Gerenciamento da Qualidade do Projeto O Gerenciamento da Qualidade do Projeto inclui os processos necessários para garantir que o projeto irá satisfazer as necessidades para as quais ele foi

Leia mais

Prof. Sérgio Roberto Sigrist srsigris@hotmail.com

Prof. Sérgio Roberto Sigrist srsigris@hotmail.com Prof. Sérgio Roberto Sigrist srsigris@hotmail.com Palavras-chave Melhores práticas, inovação, geração de valor, qualidade, serviços, gestão de serviços, suporte em TI, melhoria contínua, orientação a processos,

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

O R I G E N S JAPÃO DO PÓS-GUERRA KAORU ISHIKAWA. Treinamento

O R I G E N S JAPÃO DO PÓS-GUERRA KAORU ISHIKAWA. Treinamento O R I G E N S 1 9 5 0 JAPÃO DO PÓS-GUERRA KAORU ISHIKAWA O B J E T I V O S Preparar uma empresa, ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente. OBJETIVOS ESPECÍFICOS ü Melhorar

Leia mais

Orientações sobre. Sistema de Gestão da Qualidade 2012. Coordenação de Inovação Tecnológica - CIT

Orientações sobre. Sistema de Gestão da Qualidade 2012. Coordenação de Inovação Tecnológica - CIT Orientações sobre Sistema de Gestão da Qualidade 2012 Coordenação de Inovação Tecnológica - CIT Sistema de Gestão da Qualidade - SGQ Um Guia para a Qualidade Organizacional Ministério da Ciência, Tecnologia

Leia mais

Desempenho da Fase Analítica. Fernando de Almeida Berlitz

Desempenho da Fase Analítica. Fernando de Almeida Berlitz Indicadores de Desempenho da Fase Analítica Fernando de Almeida Berlitz Ishikawa Estratégia e Medição PARA QUEM NÃO SABE PARA ONDE VAI, QUALQUER CAMINHO OS SERVE... Processos PROCESSOS Não existe um produto

Leia mais

Aplicação dos 5S em uma empresa de confecção de roupas da cidade de Brusque SC

Aplicação dos 5S em uma empresa de confecção de roupas da cidade de Brusque SC Aplicação dos 5S em uma empresa de confecção de roupas da cidade de Brusque SC Marcio Fernando, MAFFEZZOLLI, marcio9191@hotmail.com 1 André Luis Almeida, BASTOS, prof.abastos@gmail.com 2 Centro Universitário

Leia mais

Gerenciamento pela Qualidade Total. Rosa Maria Fischi SISEB 03/05/12

Gerenciamento pela Qualidade Total. Rosa Maria Fischi SISEB 03/05/12 Gerenciamento pela Qualidade Total Rosa Maria Fischi SISEB 03/05/12 O Que é Gerenciamento Pela Qualidade Total? É o gerenciamento envolvendo do Diretor ao Porteiro - todos os departamentos visando atender

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE ALESSANDRA TEDORO BARBARA LIMA GABRIELA SPOLAVORI LEANDRO MARTINIANO MARCUS LOURENÇO RICARDO

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE ALESSANDRA TEDORO BARBARA LIMA GABRIELA SPOLAVORI LEANDRO MARTINIANO MARCUS LOURENÇO RICARDO SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE ALESSANDRA TEDORO BARBARA LIMA GABRIELA SPOLAVORI LEANDRO MARTINIANO MARCUS LOURENÇO RICARDO HISTÓRICO 1990 Mudanças no Pais e no Setor da Construção Civil - Abertura do

Leia mais

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para:

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: PARTE 2 Sistema de Gestão da Qualidade SGQ Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: Possibilitar a melhoria de produtos/serviços Garantir a satisfação

Leia mais

ELABORAÇÃO DO MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA UMA UNIVERSIDADE

ELABORAÇÃO DO MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA UMA UNIVERSIDADE ELABORAÇÃO DO MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA UMA UNIVERSIDADE Thayse Akemi Matuda Moda, Unespar Câmpus de Campo Mourão, tha_matuda@hotmail.com Henrique Holowka, Unespar Câmpus de Campo Mourão,

Leia mais

Eliminação de desperdícios Otimização do espaço Facilidade no acesso a materiais de trabalho Prevenção de quebras e acidentes Redução ou eliminação

Eliminação de desperdícios Otimização do espaço Facilidade no acesso a materiais de trabalho Prevenção de quebras e acidentes Redução ou eliminação Benefícios! Quais são? Eliminação de desperdícios Otimização do espaço Facilidade no acesso a materiais de trabalho Prevenção de quebras e acidentes Redução ou eliminação de condições e atos inseguros

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000

NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000 NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000 2 Prefácio 3 A ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas é o Fórum Nacional de Normatização. As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês

Leia mais

Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008

Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008 Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do

Leia mais

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 Narjara Bárbara Xavier Silva 2 Patrícia Morais da Silva 3 Resumo O presente trabalho é resultado do Projeto de Extensão da Universidade Federal da

Leia mais

O CICLO DE PDCA E ALGUMAS DAS FERRAMENTAS DA QUALIDADE

O CICLO DE PDCA E ALGUMAS DAS FERRAMENTAS DA QUALIDADE http://www.administradores.com.br/artigos/ O CICLO DE PDCA E ALGUMAS DAS FERRAMENTAS DA QUALIDADE DIEGO FELIPE BORGES DE AMORIM Servidor Público (FGTAS), Bacharel em Administração (FAE), Especialista em

Leia mais

Título: Programa 5S s em uma Empresa Júnior: da melhoria do ambiente físico ao cuidado com as pessoas Categoria: Projeto Interno Temática: Qualidade

Título: Programa 5S s em uma Empresa Júnior: da melhoria do ambiente físico ao cuidado com as pessoas Categoria: Projeto Interno Temática: Qualidade Título: Programa 5S s em uma Empresa Júnior: da melhoria do ambiente físico ao cuidado com as pessoas Categoria: Projeto Interno Temática: Qualidade Resumo Manter um ambiente de trabalho adequado à realização

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DA QUALIDADE

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DA QUALIDADE ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DA QUALIDADE Atualizado em 03/12/2015 GESTÃO DA QUALIDADE As ideias principais que baseiam o significado atual da qualidade são, basicamente, as seguintes: Atender às expectativas,

Leia mais

Gestão e Qualidade - Aula 1

Gestão e Qualidade - Aula 1 Gestão e Qualidade - Aula 1 HISTÓRIA DA NORMATIZAÇÃO O conceito de normatização é tão antigo quanto a história do homem. Os homens das cavernas padronizaram os sons para obterem uma comunicação oral, associando

Leia mais

LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS

LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING SUPPLY CHAIN (INCLUI LOGÍSTICA) 2 2 INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING 3 INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING Pensar fora da caixa... Lean

Leia mais

Autor(a): Cicera Aparecida da Silva Coautor(es): Rosana de Fátima Oliveira Pedrosa Email: aparecidasilva@pe.senac.br

Autor(a): Cicera Aparecida da Silva Coautor(es): Rosana de Fátima Oliveira Pedrosa Email: aparecidasilva@pe.senac.br BENEFÍCIOS SOCIAIS: um modelo para retenção de talentos Autor(a): Cicera Aparecida da Silva Coautor(es): Rosana de Fátima Oliveira Pedrosa Email: aparecidasilva@pe.senac.br Introdução Este artigo aborda

Leia mais

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005):

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005): Surgimento da ISO 9000 Com o final do conflito, em 1946 representantes de 25 países reuniram-se em Londres e decidiram criar uma nova organização internacional, com o objetivo de "facilitar a coordenação

Leia mais

FERRAMENTAS DE GESTÃO

FERRAMENTAS DE GESTÃO FERRAMENTAS DE GESTÃO GUIA PARA EXECUTIVOS Professo MSc Lozano 2015 FERRAMENTAS DE GESTÃO Técnicas gerenciais utilizadas pelas organizações para aumentar competitividade. Ferramentas Básicas para Gestão

Leia mais

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010)

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) 1) Fale a respeito de sua formação profissional e atuação. Sou engenheiro de produção pela Escola

Leia mais

Conceitos Fundamentais de Qualidade de Software

Conceitos Fundamentais de Qualidade de Software CBCC Bacharelado em Ciência da Computação CBSI Bacharelado em Sistemas de Informação Conceitos Fundamentais de Qualidade de Software Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

Leia mais

Combinando a norma ISO 10006 e o guia PMBOK para garantir sucesso em projetos

Combinando a norma ISO 10006 e o guia PMBOK para garantir sucesso em projetos Combinando a norma ISO 10006 e o guia PMBOK para garantir sucesso em projetos Combining the ISO 10006 and PMBOK to ensure successful projects 1 Por Michael Stanleigh Tradução e adaptação para fins didáticos

Leia mais

METODOLOGIA LEAN DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE: UMA VISÃO GERAL

METODOLOGIA LEAN DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE: UMA VISÃO GERAL METODOLOGIA LEAN DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE: UMA VISÃO GERAL Guilherme Vota Pereira guivotap@hotmail.com Prof. Pablo Schoeffel, Engenharia de Software Aplicada RESUMO: Este artigo irá efetuar uma abordagem

Leia mais

José Rodolfo Tenório LIMA (1); Thaisa Kelly da Silva LIRA (2);

José Rodolfo Tenório LIMA (1); Thaisa Kelly da Silva LIRA (2); A IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL, BASEADO NA NBR ISO 14001:2004 - UM ESTUDO DE CASO DE UMA EMPRESA PRESTADORA DE SERVIÇOS DO POLÓ CLOROQUIMICO DE ALAGOAS José Rodolfo Tenório LIMA (1); Thaisa

Leia mais

Qualidade na empresa. Fundamentos de CEP. Gráfico por variáveis. Capacidade do processo. Gráficos por atributos. Inspeção de qualidade

Qualidade na empresa. Fundamentos de CEP. Gráfico por variáveis. Capacidade do processo. Gráficos por atributos. Inspeção de qualidade Roteiro da apresentação Controle de Qualidade 1 2 3 Lupércio França Bessegato UFMG Especialização em Estatística 4 5 Abril/2007 6 7 Conceito de Qualidade Não há uma única definição. Melhoria da Empresa

Leia mais

O que é ISO 9001:2000?

O que é ISO 9001:2000? O que é ISO 9001:2000? Um guia passo a passo para a ISO 9001:2000 SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Conteúdo * SISTEMAS DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E PDCA... 1 * OITO PRINCÍPIOS DE GESTÃO DA QUALIDADE...

Leia mais

Palavras-chave: Gestão Estratégica de Custos, competitividade, lucratividade

Palavras-chave: Gestão Estratégica de Custos, competitividade, lucratividade GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS COMO FERRAMENTA DE COMPETITIVIDADE NO SETOR MOVELEIRO: UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA COIMBRA & FILHOS LTDA. Franciane de Oliveira Alvarenga Especialista em Auditoria e Contabilidade

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES Cassia Uhler FOLTRAN 1 RGM: 079313 Helen C. Alves LOURENÇO¹ RGM: 085342 Jêissi Sabta GAVIOLLI¹ RGM: 079312 Rogério Bueno ROSA¹ RGM:

Leia mais

Departamento de Engenharia. ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção

Departamento de Engenharia. ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso de Graduação em Engenharia de Produção ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles.

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE Introdução

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE Introdução GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE Introdução Considerações iniciais Qualidade: Grau de perfeição, de precisão, de conformidade a um certo padrão. É conceito multidimensional, isto é, o cliente avalia a qualidade

Leia mais

Comparando as metodologias Lean Enterprise, Six Sigma e de Gestão da Qualidade

Comparando as metodologias Lean Enterprise, Six Sigma e de Gestão da Qualidade Página 1 de 6 NOTÍCIAS CARREIRAS & GESTÂO CURSOS & SEMINÁRIOS LIVROS DANÇA DAS CADEIRAS PESQUISAS COMPRAS ENTREVISTAS EM VÍDEO LAZER & TURISMO HOME Artigos Comparando as metodologias Lean Enterprise, Six

Leia mais

O CEP COMO FERRAMENTA DE MELHORIA DE QUALIDADE E PRODUTIVIDADE NAS ORGANIZAÇÕES.

O CEP COMO FERRAMENTA DE MELHORIA DE QUALIDADE E PRODUTIVIDADE NAS ORGANIZAÇÕES. O CEP COMO FERRAMENTA DE MELHORIA DE QUALIDADE E PRODUTIVIDADE NAS ORGANIZAÇÕES. Evandro de Paula Faria, Claudia Cristina de Andrade, Elvis Magno da Silva RESUMO O cenário competitivo exige melhoria contínua

Leia mais