SIGLA - SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO LEGISLATIVA E ADMINISTRATIVA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SIGLA - SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO LEGISLATIVA E ADMINISTRATIVA"

Transcrição

1 PAULO HENRIQUE CALAES OLIVEIRA Orientador: Túlio Ângelo Machado Toolo SIGLA - SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO LEGISLATIVA E ADMINISTRATIVA Ouro Preto Junho de 2011

2 Universidade Federal de Ouro Preto Instituto de Ciências Exatas Bacharelado em Ciência da Computação SIGLA - SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO LEGISLATIVA E ADMINISTRATIVA Monograa apresentada ao Curso de Bacharelado em Ciência da Computação da Universidade Federal de Ouro Preto como requisito parcial para a obtenção do grau de Bacharel em Ciência da Computação. PAULO HENRIQUE CALAES OLIVEIRA Ouro Preto Junho de 2011

3 UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO FOLHA DE APROVAÇÃO SIGLA - Sistema Integrado de Gestão Legislativa e Administrativa PAULO HENRIQUE CALAES OLIVEIRA Monograa defendida e aprovada pela banca examinadora constituída por: Prof. Msc. Túlio Ângelo Machado Toffolo Orientador Universidade Federal de Ouro Preto Prof. Msc. Marco Antônio Moreira de Carvalho Universidade Federal de Ouro Preto Msc. Rodrigo Reis Pereira Universidade Federal de Ouro Preto Prof. Rafael Antônio Marques Gomes Instituto Federal de Minas Gerais Ouro Preto, Junho de 2011

4 Resumo Com a popularização da internet as informações são disponibilizadas de maneira mais rápida e fácil. O cidadão hoje consegue acompanhar notícias de seu interesse através de portais na rede. No trabalho que segue, é mostrado o desenvolvimento do Sigla, um sistema de gestão utilizado na Câmara Municipal de Ouro Preto. Trata-se de um sistema web, multiplataforma, que foi desenvolvido utilizando PHP e o framework javascript ExtJs, e que tem como principal diferencial a integração dos dados Legislativos e Administrativos, além de uso de noticações via mensagens no celular. i

5 Abstract With the popularization of the Internet, information is made available more quickly and easily. The citizen today can follow the news that interests through portals on the web. In the work that follows, will be show the development of Sigla, a management system used in the Ouro Preto City Council, a web system, multiplatform, developed using PHP and ExtJs javascript framework, whose main dierential data integration Legislative and Administrative, and use of mobile notications. ii

6 Preto. Dedico este trabalho a toda a equipe do Setor de Informática da Câmara Municipal de Ouro iii

7 Agradecimentos Agradeço ao Presidente da Câmara Municipal de Ouro Preto, Júlio Ernesto de Grammont Machado de Araújo, por ter conado em meu trabalho. Aos colegas da Câmara, pois sem a cooperação de todos esse projeto não seria possível. Em especial ao Setor de Informática, que se esforçou muito para a conclusão de todo o trabalho. iv

8 Sumário 1 Introdução Motivação Objetivos Organização do Trabalho Descrição do Problema Análise Preliminar Sistemas legados Sistemas adquiridos de terceiros Portal Processo de criação de uma lei Exigências Fiscais Tecnologias Utilizadas Javascript JSON Apache PHP ExtJS MySQL Sistema Desenvolvido Ações Iniciais Desenvolvimento do Sistema Integrado de Gestão Legislativa e Administrativa(Sigla) Requisitos de Ambiente Requisitos Não Funcionais Requisitos Funcionais Implementação v

9 5 Detalhamento dos Principais Módulos Desktop Módulos Administrativos Recursos Humanos Minhas Informações Batidas de Ponto Verba Indenizatória Contratos Protocolos Arquivos Ofícios Agendamento de RG Módulos Legislativos Envio de Proposta Recebimento de Proposta Sessão Plenária Tramitação Gerenciamento de Atas Norma Jurídica Matérias Legislativas Impactos e Resultados 45 7 Conclusões 47 Referências Bibliográcas 48 vi

10 Lista de Figuras 3.1 Exemplo de código JSON Drag e Drop Tela principal do Sigla Exemplo de tela do Módulo de Recursos Humanos Exemplo de dados pendentes Exemplo de gerenciamento de atos Exemplo de tela do Módulo Minhas Informações exemplo de conrmação de senha Exemplo de tela do Módulo Batidas de Ponto Exemplo de tela do Módulo Verba Indenizatória Exemplo de tela do Módulo de Contratos Exemplo de adição de contrato Exemplo de edição de documento Exemplo de cadastro de local Exemplo de tela do Módulo de Ofícios Exemplo de um ofício gerado pelo sistema Exemplo da conguração de uma agenda Exemplo de tela do Módulo de Envio de Proposta Exemplo de cadastro de uma proposta Exemplo de tela do Módulo de Recebimento de Proposta Exemplo de tela do Módulo de Sessão Plenária Exemplo de digitação de ata utilizando player Exemplo de tela do Módulo de Matérias Legislativas Exemplo de edição de uma Matéria Legislativa Reprodução da matéria publicada pelo jornal O Tempo vii

11 Capítulo 1 Introdução Com a popularização da internet no Brasil, informações relacionadas aos mais variados temas têm hoje fácil acesso. Nesse sentido o cidadão consegue agora obter informações que no passado eram difíceis de serem conseguidas. No cenário político essa prática começa a se tornar comum, pois com essa ferramenta o eleitor agora pode acompanhar e scalizar mais facilmente os mandatos de seus representantes através de portais. 1.1 Motivação O volume de informações gerado pelo processo legislativo é muito alto e para ser gerenciado é necessário uma ferramenta de produção, gerenciamento e divulgação destes dados. Logo se tornou prioridade a disponibilização de tal ferramenta para suprir a demanda na Câmara Municipal de Ouro Preto (CMOP). Integrar as partes legislativa e administrativa é um ponto chave, visto que, na prática, o processo está ligado. É importante destacar que essa ferramenta não deve gerar mais trabalho e sim automatizar o processo de forma que o resultado de todo o trabalho que disponível no portal da CMOP. 1.2 Objetivos O objetivo geral do trabalho é a informatização do processo legislativo e administrativo da CMOP. Processos legislativos são processos relacionados a criação de leis, a emissão de Atos, Ofícios e Memorandos. Ainda na parte administrativa compreende o controle de Recursos Humanos (RH), Verba Indenizatória (verba destinada ao gabinete do vereador), gestão de contratos e controle do arquivo de documentos gerados no processo legislativo. São objetivos secundários agilizar, de forma segura, todos os processos da CMOP, além de tornar essas informações mais acessíveis ao cidadão através de um portal web. 1

12 1. Introdução 2 O projeto objetiva ainda satisfazer as exigências scais impostas pelos agentes reguladores para conseguir mais transparência em todo o processo legislativo e administrativo da CMOP. 1.3 Organização do Trabalho Como foi visto, o primeiro Capítulo expõe uma introdução sobre o trabalho. No Capítulo 2 é feita uma descrição do problema como um todo, onde serão apontados pontos positivos e negativos, além de contextualizar o processo de criação de uma lei, processo que é a base do sistema. Em seguida, no Capítulo 3, são mostradas as tecnologias utilizadas no desenvolvimento das soluções, tendo como destaque o uso de mensagens de celular, visando facilitar ainda mais a interação do cidadão com o meio político. No Capítulo 4 são relatadas as ações iniciais para a resolução do problema, além da análise e implementação do sistema. A apresentação dos principais módulos existentes no sistema é detalhada no Capítulo 5. No sexto Capítulo é feita uma análise dos impactos e resultados obtidos pelos sistema. Finalmente no Capítulo 7 é feita uma conclusão a respeito de todo o trabalho realizado.

13 Capítulo 2 Descrição do Problema Com a troca de legislatura ocorrida em janeiro de 2009, foi solicitado pelo Presidente da Câmara Municipal de Ouro Preto (CMOP) Júlio Ernesto de Grammont Machado de Araújo junto ao Assessor de Informática Rafael Antônio Marques Gomes um relatório a respeito do Setor de Informática visando saber a atual situação do setor em relação ao atendimento das demandas da CMOP. A partir deste momento, o relatório de avaliação inicial foi criado e está resumido nas Seções seguintes. 2.1 Análise Preliminar Antes do início deste projeto, a CMOP possuía vários projetos de desenvolvimento de software que tinham como propósito gerenciar as informações da Casa Legislativa. Estes sistemas vinham sendo desenvolvidos há muitos anos, e poucos de fato contribuíram para melhorias no funcionamento da Câmara, segundo o Assessor de Informática. Este gerenciamento inadequado resultou em diversos sistemas com informações duplicadas, sem integração entre si, além de não possuírem documentação. Grande parte deles não foi utilizada dentro da Câmara. Abaixo segue a relação destes sistemas com o respectivo detalhamento feito pela equipe de desenvolvimento, composta pelo Assessor de Informática, um Técnico de Informática, um Agente Legislativo e dois estagiários Sistemas legados Sistemas de Recursos Humanos Objetivo: Armazenar todas informações referentes à vida prossional dos funcionários da Câmara tal que pudessem ser extraídas informações referentes a benefícios, agendamento de férias, cópias de contra-cheques, visualização de presenças, entre outras informações prossionais. 3

14 2. Descrição do Problema 4 Situação no início deste projeto: O sistema contemplava somente o cadastro básicos dos dados dos funcionários e não estava em funcionamento. Necessitava de testes e desenvolvimento de novas ferramentas Sistema de Notícias Objetivo: Cadastrar as notícias que são publicadas no portal da Câmara. Situação no início do projeto: Este sistema foi desativado, pois o portal da CMOP seria posteriormente desenvolvido com uma tecnologia de gerenciamento de conteúdo que permite este gerenciamento diretamente em sua área administrativa, não necessitando desenvolver aplicações à parte Sistema de Rotinas Objetivo: Cadastrar as rotinas de manutenção e suporte frequentes do setor de informática. Situação no início deste projeto: Este sistema foi convertido apenas em um simples cadastro de rotinas básicas vinculados ao portal da CMOP Sistema de Homenagem Objetivo: Cadastro de honra ao mérito, moção de aplauso, medalha. Situação no início deste projeto: Começou a ser utilizado no início e caiu em desuso, visto que uma Homenagem é um tipo de Matéria Legislativa e deveria ser cadastrada juntamente com as outras matérias e não em um sistema a parte Sistema de Protocolos Objetivo: Cadastro de Protocolos Situação no início deste projeto: Este módulo funcionava somente como um simples cadastro dos protocolos, ou seja, uma transcrição do livro Sistema de atendimento ao cidadão Objetivo: Cadastro de pessoas e registro de atendimentos Situação no início deste projeto: Foi desenvolvido o cadastro de cidadão com registro de atendimentos, porém em um banco de dados próprio. Este sistema encontra-se inativo Sistema de Atas Objetivo: Registrar as Atas das sessões plenárias para publicação no portal da Câmara. Situação no inicio deste projeto: Este sistema possuía um banco de dados próprio onde as atas eram inseridas sem nenhum tipo de formatação, somente um texto simples. Os arquivos

15 2. Descrição do Problema 5 de áudio utilizados como base para a transcrição destas atas eram salvos em uma pasta compartilhada com baixo nível de organização. Estes arquivos também eram armazenados em formato (.wav), o que torna o gerenciamento inviável em termos de armazenamento e backups, além de gerar grande tráfego na rede Sistema de Agendamento de Plenário Objetivo: Fazer as reservas do plenário podendo informar a estrutura necessária de equipamentos. Situação no inicio do projeto: Sistema era utilizado com frequência utilizando um banco de dados próprio tendo como consequência falta de integração entre os sistemas Verba Indenizatória Objetivo: Registrar os gastos dos vereadores utilizando a verba indenizatória e publicá-los no portal da Câmara. Situação no início deste projeto: O sistema foi utilizado pelos assessores dos vereadores e as informações são publicadas no portal, também possuía um banco de dados próprio mas não contempla algumas informações essenciais como CPF e CNPJ dos fornecedores, nem mesmo um banco de dados seguindo as regras de normalização Sistema de Manutenção Diária Objetivo: Controlar as tarefas executadas pelo setor de informática. Situação no início deste projeto: O sistema não era utilizado por uma falta de denição por parte da Chefe do Setor de Informática e também possuía banco de dados próprio Sistema de Planejamento Objetivo: Sistema para atribuições de tarefas. Situação no início deste projeto: Foi substituído pelo software livre dotproject que possuía mais funções, atendendo de maneira mais satisfatória as demandas Sistema de Patrimônio Objetivo: Controlar o patrimônio do setor de informática. Situação no início deste projeto: Sistema inativo e com base de dados própria.

16 2. Descrição do Problema Sistemas adquiridos de terceiros Sapl Sistema desenvolvido pela Interlegis que visa a organização das informações do processo legislativo em uma plataforma web onde os dados são apresentados, em sua maioria, no portal da Câmara. É um software livre onde o acesso aos códigos fonte é dicultada por ter sido desenvolvido em Python/Zope, linguagem essa que não é conhecida pelos atuais desenvolvedores. Estava sendo desenvolvido novamente pela equipe de informática contemplando módulos que hoje não existem na solução pronta e sendo adaptado à realidade da Casa. Os dados deste sistema estão totalmente desorganizados e sem critério algum para inserção. Atualmente, não se pode garantir quais documentos legislativos estão de fato registrados pois este sistema não apresenta diretamente a falta deles. Um grande planejamento e mobilização da equipe deverá ser feito para que se possa avaliar a atual situação dos cadastros e ao mesmo tempo, digitalizar, digitar e lançar no novo sistema as informações que faltarem iponto Sistema de pontos dos funcionários desenvolvido em plataforma web com banco de dados Postgre armazenado em servidor Linux. Este sistema foi adquirido sob licença de software livre, porém não foi disponibilizada a documentação do sistema por parte da empresa desenvolvedora, fazendo com que a equipe da CMOP não conseguisse fazer ajustes no mesmo. É um dos sistemas que mais demandava atenção da equipe, onde ao contrário do que se propõe em um projeto de modernização, está inviabilizando os trabalhos do Setor de Recursos Humanos pelas constantes falhas e alto grau de dependência da informática. Os lançamentos das batidas de ponto têm que ser feitos em sua grande maioria manualmente no banco de dados, ocasionando também grande demanda desta equipe Sistema Memory Sistema para gerenciamento de toda parte contábil da Câmara. É um sistema que exige atualizações constantes e backups. Este sistema atende perfeitamente às necessidades da Câmara, necessita somente de melhorias no relacionamento desta Casa com a empresa proprietária do sistema (Memory), para que o suporte se tornasse satisfatório Portal O portal da CMOP precisa ser reformulado para que além das informações disponibilizadas, tenhamos novas funções como: Consultas diretamente na base de dados do sistema da CMOP;

17 2. Descrição do Problema 7 Disponibilização das reuniões transmitidas online onde o usuário, além de poder assistir as reuniões em alta qualidade, poderá acompanhar todas as informações da reunião como: Matérias que fazem parte da reunião (Indicações, Leis, Moções,etc); Lista dos vereadores presentes; Chat para discussão dos visitantes que será monitorado por um moderador, onde somente os comentários relevantes serão publicados; Manutenção dos vídeos para os visitantes assistirem a qualquer momento e saber tudo que foi discutido. Plataforma de chat online para comunicação direta do funcionário com a Câmara para tirar dúvidas e agendar serviços, como emissão de carteira de identidade, por exemplo. 2.2 Processo de criação de uma lei Um dos principais problemas é a automatização do processo de criação de uma lei, visto que, ele é feito sem nenhum tipo de informatização, os documentos não seguem a padronização que é denida no manual da CMOP e acontecem problemas de perdas de documentos frequentemente por não existir um controle ecaz. O processo de criação de uma lei segue os seguintes passos: 1 o Passo: O vereador cria um documento chamado proposta de lei. 2 o Passo: A proposta de lei é assinada e encaminhada à secretaria para ser protocolada. 3 o Passo: A proposta de lei após ser protocolada é inserida na pauta da próxima sessão plenária (reuniões dos vereadores). 4 o Passo: Após sua apreciação por parte dos vereadores ela retorna a secretaria e é encaminhada às comissões pertinentes. 5 o Passo: Se aprovada a proposta é encaminhada novamente a sessão plenária para votação, caso contrario é devolvida ao vereador que a criou para fazer as alterações necessárias. 6 o Passo: Sendo aprovada ela é encaminhada ao gabinete da presidência, caso contrario, retorna ao passo 1. 7 o Passo: Na presidência é gerado um ofício, que deve ser assinado pelo presidente e encaminhado ao Executivo contendo as propostas aprovadas na sessão plenária anterior. 8 o Passo: Dentro da prefeitura ela sofre tramitações internas e pode ser ou não aprovada. 9 o Passo: Caso seja aprovada ela é encaminhada a CMOP como ofício e se torna uma Lei, caso contrário é devolvida ao vereadores. 10 o Passo: A Lei devolvida é então armazenada no arquivo físico da CMOP.

18 2. Descrição do Problema Exigências Fiscais A Lei Complementar n o 131, de 27 de maio de 2009, obriga os municípios a partir de 50 mil habitantes a divulgarem os gastos públicos na internet. De acordo com a lei, os sites governamentais deverão contar com os balanços orçamentários, nanceiros e patrimonial, além de informações sobre contratos, convênios, demonstrativos da Lei de Responsabilidade Fiscal, as receitas e despesas, e a relação de compras e despesas com viagens.

19 Capítulo 3 Tecnologias Utilizadas Para a resolução dos problemas citados no capítulo anterior foram utilizadas as seguintes tecnologias: Javascript JSON Apache PHP ExtJS MySQL Segue abaixo uma breve descrição de cada uma delas. 3.1 Javascript Lançada em 1995, a linguagem Javascript, que segundo Goodman (2001) ganhou o nome por motivos de marketing, era uma linguagem que basicamente agregava funcionalidades às páginas de internet, tornando-as mais interativas. É uma linguagem interpretada, executada no navegador do cliente, e foi criada inicialmente para atender a validação de formulários e interação com a página. Mas em pouco tempo cou claro que as possibilidades de interação eram surpreendentes. Tanto que até mesmo um de seus criadores, Brendan Eich, deixou isto registrado em sua apresentação no livro Javascript a Bíblia (Goodman (2001)). A linguagem tem tipagem mutável e dinâmica, sem a declaração de tipos e oferece um bom suporte a expressões regulares. De forma geral, o Javascript torna muito mais fácil o tratamento de eventos no navegador, tanto que toda a interface com o usuário e alguns módulos do browser Mozilla foram implementados utilizando a linguagem. 9

20 3. Tecnologias Utilizadas JSON JSON (JavaScript Object Notation - Notação de Objetos JavaScript) é uma formatação de dados simples de ser gerada e interpretada, utilizada por diversas linguagens como C, C++, Java, JavaScript e muitas outras. Segundo seu site ocial, json.org, essas propriedades fazem do JSON um formato ideal para troca de dados. O JSON é constituído em duas estruturas, uma coleção de pares nome/valor e uma lista ordenada de valores, sendo a primeira análoga ao Objeto em outras linguagens e a segunda como um arranjo, vetor ou lista. Um exemplo dessa estrutura pode ser visto na Figura 3.1 Figura 3.1: Exemplo de código JSON 3.3 Apache O servidor Web Apache é considerado por Marcelo (2005) um dos mais robustos e seguros utilizados atualmente, mantendo cerca de 60% das páginas de internet do mundo. Seu desenvolvimento começou em 1995, quando a National Center for Computer Aplications (NCSA) criou a NCSA Web Server, um importante servidor de HTTP (Hipertext Transfer Protocol). No entanto, o projeto cou estagnado e uma parte da equipe se desligou, criando a Apache Foundation ou Fundação Apache que hoje é responsável por sua manutenção. Suas principais vantagens são o suporte a várias linguagens, entre elas o PHP, conguração rápida e simples, além de ser software livre e ter código fonte aberto. 3.4 PHP A linguagem PHP (um acrônimo recursivo para PHP: Hypertext Preprocessor ) segundo Niederauer (2007) e Groupr (2010) é uma das linguagens de programação mais utilizadas no

21 3. Tecnologias Utilizadas 11 desenvolvimento de aplicações dinâmicas para web. A principal diferença do PHP para o Javascript é que o código é executado do lado do servidor, que gera o código HTML enviado ao cliente. Desse modo o código PHP ca inacessível para o receptor impossibilitando a cópia do script. Segundo o site ocial do PHP (php.net), uma das grandes vantagens de se usar a linguagem é que ela é extremamente simples para os iniciantes e uma ferramenta poderosa para programadores avançados. Ela é suportada por diversos servidores web, como o Apache. O PHP, por ser portável, pode ser usado em diversos sistemas operacionais, como Windows, Mac OS e Linux, e também pode ser usado em programação, tanto estruturada como orientada a objetos (a partir da versão 4). Além de gerar códigos HTML, com PHP é possível gerar imagens, arquivos PDF e animações, todos de forma dinâmica do lado do servidor. Outra importante propriedade da linguagem é a existência de módulos de conexão a vários bancos de dados, como o MySQL e Postgre. 3.5 ExtJS Criado por Jack Slocum, o software de código livre ExtJs é um framework Javascript criado primeiramente para ser utilizado no site Yahoo, como extensão do YUI (Yahoo! User Interface). É suportado por praticamente todos os navegadores, incluindo Internet Explorer, Mozilla Firefox e Google Chrome. Segundo da Rosa (2010), uma de suas principais características é o fácil desenvolvimento de interfaces para páginas e sistemas web com alta performance, customização e aparência agradável. ExtJS possui uma extensa documentação que ca localizada em seu site ocial (www.sencha.com), que facilita eventuais consultas em sua API. Como funcionalidades principais possui o fácil intercâmbio de dados entre seus scripts PHP, de uma forma ágil, fácil e eciente, através do JSON. Possui também o recurso Drag e Drop, que é o de arrastar e soltar, onde o usuário tem a possibilidade de arrastar algum elemento da pagina e colocar em outro, exemplicado na gura 3.2. A facilidade na criação de formulários é um fator que merece destaque, visto que grande parte do sistema desenvolvido utiliza esse tipo de ferramenta de entrada de dados. Para a exibição dos dados, o framework utiliza Grids (tabelas de dados), onde a exibição dos dados ca clara. Por meio de todas suas ferramentas, o ExtJS torna mais fácil de uma maneira geral o desenvolvimento de aplicações web, possibilitando a criação de interfaces ricas e ecientes.

22 3. Tecnologias Utilizadas 12 Figura 3.2: Drag e Drop 3.6 MySQL O MySQL é um sistema de gerenciamento de banco de dados (SGDB), lançado na década de 1990 que utiliza SQL (Linguagem de Consulta Estruturada) como interface. Segundo seu site ocial (www.mysql.com) é um dos mais utilizados atualmente, contando com mais de 10 milhões de instalações pelo mundo. Entre seus principais usuários estão: Nasa, Banco Bradesco, HP, Nokia, Sony, U.S. Army e Google. Tem como características principais a portabilidade (pode ser usado em diversas plataformas), compatibilidade (pode trabalhar com diversas linguagens, incluindo o PHP), excelente desempenho e estabilidade, além de ser um software livre.

23 Capítulo 4 Sistema Desenvolvido Nesse capítulo será mostrado o processo de desenvolvimento do sistema, mostrando algumas características como o acoplamento de mensagens de celular no software. 4.1 Ações Iniciais Feita a análise preliminar dos sistemas, foi traçado um plano de metas com os principais pontos a serem discutidos durante o projeto. Primeiramente foi necessária uma reestruturação física do setor a m de disponibilizar um ambiente mais propício para o suporte, manutenção e área de desenvolvimento. Isso foi necessário pois o ambiente não era adequado para o desenvolvimento de softwares. Também foi feita a contratação de dois estagiários para compor a equipe de desenvolvimento. Com a parte de infra-estrutura melhor organizada, foi possível dar mais foco à parte de desenvolvimento de sistemas, denindo as prioridades e decidindo se estes seriam desenvolvidos internamente ou adquiridos de terceiros. Os primeiros sistemas a serem colocados em pauta foram os terceirizados, sendo que o primeiro deles foi o iponto, que era o que mais demandava serviço da equipe de programadores, além de ser um software que teve custos na implantação e com manutenção. Depois de uma pesquisa de mercado e levantamento de informações junto a clientes de alguns fornecedores, chegou-se a conclusão que seria melhor a substituição do software pelo sistema Ponto Secullum. A solução para o Memory, que é um sistema que já suportava a demanda da CMOP e possui um custo mensal relativamente baixo pelo que é proposto, foi apenas transferir seu software para um servidor dedicado. Após analisar o SAPL, percebeu-se que o mesmo não atendia os propósitos da CMOP gerando retrabalho (como exemplo o cadastro de informações tanto no SAPL como no portal), e deveria ser substituído. Feita uma pesquisa no mercado constatou-se que não existia uma solução gratuita satisfatória e que as soluções pagas gerariam um custo muito alto para a Casa, além de não atender todos os requisitos da forma como se propunha. 13

24 4. Sistema Desenvolvido 14 Nesse contexto foi estudada a possibilidade do desenvolvimento de um sistema para gerenciar todo o processo legislativo e administrativo de forma integrada. Após vericar a viabilidade iniciou-se a construção do SIGLA: Sistema de Gestão Legislativa e Administrativa. 4.2 Desenvolvimento do Sistema Integrado de Gestão Legislativa e Administrativa(Sigla) A seguir será visto o processo de desenvolvimento do SIGLA, passando pelos levantamentos até sua implementação Requisitos de Ambiente Ambiente Físico O Sigla foi desenvolvido para funcionar no ambiente interno da CMOP, com a possibilidade ainda de ser acessado em sua totalidade pela internet Integração com Sistemas Existentes O sigla deve ser capaz de se comunicar à base de dados SQLServer do sistema de controle de ponto biométrico Ponto Secullum para coletar os dados, além de se comunicar com a protocoladora Henry Prot II para colher dados de protocolo de documentos e se conectar à uma impressora térmica de código de barras que utiliza a linguagem TLP (característica das impressoras Zebra) Fatores Humanos Os usuários do sistema na sua maioria têm ensino médio completo, restrita familiaridade com computador e tem resistência a implantação de um novo software Documentação Deverá ser a feita documentação do software, além da criação de manuais para usuários do sistema e ajuda online Recursos De acordo com o Assessor de Informática e com os recursos disponíveis para contratação de pessoal para composição da equipe, cou denido que o seriam necessários três programadores, um gerente de projeto, dois técnicos de suporte e manutenção e três estagiários para adequação de cadastros. É importante destacar que esta equipe foi composta por funcionários já

25 4. Sistema Desenvolvido 15 pertencentes ao quadro funcional da CMOP, não havendo necessidade de aumentar os gastos com mais contratações. O investimento em hardware e software deve ser bem reduzido, porém não foi denido um limite orçamentário. Foram adquiridas uma protocoladora, uma impressora térmica de código de barras e leitores de código de barras. O prazo para a conclusão do projeto foi de dois anos, inciado em janeiro de 2009 e terminado em dezembro de 2010, exatamente a duração gestão da Mesa Diretora da CMOP Requisitos Não Funcionais Os requisitos não funcionais mais importantes têm relação com conabilidade e segurança, visto que os dados gerados pelo sistema são de grande importância por se tratarem das leis do município, além de informações sigilosas. Por ser também um sistema web, outros requisitos importantes para a implementação foram a robustez, desempenho e portabilidade, visto que o sistema precisa ser executado em qualquer ambiente web, de forma eciente, e considerando o volume signicante de dados, isso se torna um fator crítico a ser levado em consideração durante a implementação do sistema. Por m, facilidade de uso e produtividade, pontos chaves no desenvolvimento, já que é objetivo do sistema o aumento da produtividade utilizando automatização em diversos processos, lembrando ainda que a maioria dos funcionários não possui tanta familiaridade no uso do computador. O sistema deve possuir licença livre, atendendo as recomendações do governo em sua política de utilização de softwares livres Requisitos Funcionais Os requisitos funcionais de todos os módulos foram levantados junto aos usuários, através de entrevistas e questionários, além de testes com protótipos de alta delidade. Também foi alvo de pesquisa o regimento interno da CMOP, de onde foram gerados os uxogramas dos processos legislativos Implementação Após levantados todos requisitos e feita uma análise preliminar de toda a situação, foi denido pelo Assessor de Informática, em consenso com toda a equipe, um cronograma para implementação dos módulos levando em consideração a prioridade e a interdependência de cada um. O próximo passo foi a escolha das linguagens e ferramentas a serem utilizadas durante a implementação. As linguagens escolhidas foram PHP, Javascript e HTML, e ainda o framework

SIGLA - Sistema Integrado de Gestão Legislativa e Administrativa

SIGLA - Sistema Integrado de Gestão Legislativa e Administrativa Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB Departamento de Computação - DECOM SIGLA - Sistema Integrado de Gestão Legislativa e Administrativa Aluno: Paulo

Leia mais

SIGLA - SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO LEGISLATIVA E ADMINISTRATIVA

SIGLA - SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO LEGISLATIVA E ADMINISTRATIVA PAULO HENRIQUE CALAES OLIVEIRA Orientador: Túlio Ângelo Machado Toolo SIGLA - SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO LEGISLATIVA E ADMINISTRATIVA Ouro Preto Junho de 2011 Universidade Federal de Ouro Preto Instituto

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo Prefeitura de Belo Horizonte Sistema de Controle de Protocolo Relatório apresentado para concorrer ao 2º Prêmio Inovar BH conforme Edital SMARH nº 001/2014 Belo Horizonte Julho de 2014 Resumo Sendo grande

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID

MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID Alessandro Teixeira de Andrade¹; Geazy Menezes² UFGD/FACET Caixa Postal 533,

Leia mais

Coren-MG - Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão Modelos de Soluções

Coren-MG - Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão Modelos de Soluções Coren-MG - Tecnologia da Informação Sistema Integrado de Gestão Modelos de Soluções Infraestrutura Projeto Inicial de Infraestrutura Formação de equipe de TI interna; Estruturação de Datacenter; Redução

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões Prof. MSc. Hugo Souza Se você precisar manter informações sobre seus usuários enquanto eles navegam pelo seu site, ou até quando eles saem

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA

MANUAL PARA USO DO SISTEMA Clínicas Odontológicas MANUAL PARA USO DO SISTEMA (GCO) GERENCIADOR CLÍNICO ODONTOLÓGICO SmilePrev Versão 2.0 SmilePrev Clínicas Odontológicas www.smilepev.com 2008 REQUISITOS BÁSICOS DO SISTEMA HARDWARE

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

SEAP / CAS. Manual V1.0

SEAP / CAS. Manual V1.0 SEAP / CAS Manual V1.0 Janeiro - 2013 Coordenadoria de Administração de Serviços - CAS Palácio das Araucárias Rua Jacy Loureiro de Campos, s/nº 80530-140 - Centro Cívico - Curitiba Paraná Fone: (41) 3313-6071

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI PERFIL TÉCNICO Versão 2.0 DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E TELECOMUNICAÇÕES PREFEITURA DE GUARULHOS SP 1 Objetivo: Esse manual tem como objetivo principal instruir os

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE PERGAMUM NA ESCOLA BÁSICA DR. PAULO FONTES Florianópolis

Leia mais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Será utilizado o seguinte critério: Atende / Não atende (Atende em parte será considerado Não atende) Item Itens a serem avaliados conforme

Leia mais

SISTEMA DE SOLUÇÕES PARA GESTÃO DE CLÍNICAS DE DIAGNÓSTICO POR IMAGENS

SISTEMA DE SOLUÇÕES PARA GESTÃO DE CLÍNICAS DE DIAGNÓSTICO POR IMAGENS SISTEMA DE SOLUÇÕES PARA GESTÃO DE CLÍNICAS DE DIAGNÓSTICO POR IMAGENS OBJETIVO DA SOLUÇÃO GERCLIM WEB A solução GERCLIM WEB tem por objetivo tornar as rotinas administrativas e profissionais de sua clínica,

Leia mais

Ferramentas desenvolvidas internamente não atendem às necessidades de crescimento, pois precisam estar sendo permanentemente aperfeiçoadas;

Ferramentas desenvolvidas internamente não atendem às necessidades de crescimento, pois precisam estar sendo permanentemente aperfeiçoadas; APRESENTAÇÃO O Myself é um sistema de gerenciamento de conteúdo para websites desenvolvido pela Genial Box Propaganda. Seu grande diferencial é permitir que o conteúdo de seu website possa ser modificado

Leia mais

XDR. Solução para Big Data.

XDR. Solução para Big Data. XDR Solução para Big Data. ObJetivo Principal O volume de informações com os quais as empresas de telecomunicações/internet têm que lidar é muito grande, e está em constante crescimento devido à franca

Leia mais

1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3. 3. Configurações... 6. 4. Relacionamento... 8. 5. Folha de Pagamento esocial...

1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3. 3. Configurações... 6. 4. Relacionamento... 8. 5. Folha de Pagamento esocial... 1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3 1.1. Conhecendo a Plataforma... 4 1.2. Seleção da Empresa de Trabalho... 4 1.3. Sair do Sistema... 5 1.4. Retornar a tela principal... 5 3. Configurações...

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema MANUAL DO PROCESSO ELETRÔNICO Processos de Concessão de Benefícios Histórico da Revisão Data Versão

Leia mais

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO Curso: Gestão da Tecnologia da Informação Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS ORGANOGRAMA FUNCIANOGRAMA DESENHO DE CARGO E TAREFAS DO DESENVOLVEDOR

Leia mais

SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino

SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino Eduardo Kokubo kokubo@inf.univali.br Fabiane Barreto Vavassori, MSc fabiane@inf.univali.br Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI Centro de Ensino Superior

Leia mais

Relato da Iniciativa

Relato da Iniciativa 1 Relato da Iniciativa 5.1 Nome da iniciativa ou projeto Novo portal institucional da Prefeitura de Vitória (www.vitoria.es.gov.br) 5.2 Caracterização da situação anterior A Prefeitura de Vitória está

Leia mais

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack Declaração do Escopo do Projeto SysTrack Nome do Projeto: SysTrack Versão do Documento: 1.0 Elaborado por: André Ricardo, André Luiz, Daniel Augusto, Diogo Henrique, João Ricardo e Roberto Depollo. Revisado

Leia mais

SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição Configurando a Conexão com o Banco de Dados

SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição Configurando a Conexão com o Banco de Dados SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição 1 Configurando a Conexão com o Banco de Dados 2 Primeiro Acesso ao Sistema Manutenção de Usuários 3 Parametrizando o Sistema Configura

Leia mais

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006.

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUGUAIANA: Dispõe sobre a Estrutura Administrativa e institui organograma da Câmara Municipal de Uruguaiana e dá outras providências. Faço saber,

Leia mais

1.Introdução. 2. Posicionamento

1.Introdução. 2. Posicionamento 1.Introdução 1.1 Finalidade Este documento tem o objetivo de demonstrar as necessidades e problemas que a rede de clínicas de vacinação IMUNIZA encontra em seu dia a dia, propondo após um levantamento

Leia mais

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA Autores : Jeferson BOESING; Tiago HEINECK; Angela Maria Crotti da ROSA; Leila Lisiane ROSSI Identificação

Leia mais

ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT

ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT Juliano Flores Prof. Lucas Plautz Prestes Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Gestão de Tecnologia da Informação (GTI034)

Leia mais

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS 1 Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software ECOFROTA TRIBUNAL THEMIS EDILBERTO SILVA 1, AQUILA ISRAEL (1316079) 2, CYNTHIA FERREIRA (1316079) 2, MARKO DE CASTRO (1316119) 2, RAFAELA ALMEIDA (1316189)

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE APOIO À GESTÃO DE EVENTO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE APOIO À GESTÃO DE EVENTO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE APOIO À GESTÃO DE EVENTO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL Adler H. Schmidt, Caroline F. Vicentini, Patrick P. Viera, Ronaldo C. M. dos Santos, Andrea S. Charão Universidade

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA 1 NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA TUTORIAL DE USO DA FERRAMENTA ANO 2012 2 Sumário 1 Nota Fiscal de Serviços eletrônica - NFS-e... 3 1.1 Considerações Iniciais... 3 1.2 Legislação... 3 1.3 Definição...

Leia mais

Tecnologia para garantir qualidade e eficiência

Tecnologia para garantir qualidade e eficiência Tecnologia para garantir qualidade e eficiência 20 Fenacon em Serviços Julho/Agosto 2010 É cada vez maior o número de empresas que adotam a virtualização de documentos. Além de economia em tempo e papel,

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

SOLUÇÃO EM DISPOSITIVO MÓVEL PARA ATENDIMENTO DE RESTAURANTES E LANCHONETES EM VIÇOSA-MG 1

SOLUÇÃO EM DISPOSITIVO MÓVEL PARA ATENDIMENTO DE RESTAURANTES E LANCHONETES EM VIÇOSA-MG 1 615 SOLUÇÃO EM DISPOSITIVO MÓVEL PARA ATENDIMENTO DE RESTAURANTES E LANCHONETES EM VIÇOSA-MG 1 Guilherme Paulo de Barros 2, Arthur Lemos 3, Heber Fernandes Amaral 4 Resumo: Nos dias atuais, com a popularização

Leia mais

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA Jeferson Boesing 1 ; Tiago Heineck 2 ; Angela Maria Crotti da Rosa 3 ; Leila Lisiane Rossi 4 INTRODUÇÃO Alunos

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

DIGIMAN. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br

DIGIMAN. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br DIGIMAN MANDADO JUDICIAL ELETRÔNICO Arquitetura WTB Tecnologia 2009 www.wtb.com.br Arquitetura de Software O sistema DIGIMAN é implementado em três camadas (apresentação, regras de negócio e armazém de

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO Marcelo Karpinski Brambila 1, Luiz Gustavo Galves Mahlmann 2 1 Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação da ULBRA Guaíba < mkbrambila@terra.com.br

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

DOCUMENTO DE REGRAS DE NEGÓCIO

DOCUMENTO DE REGRAS DE NEGÓCIO SISGED - SISTEMA DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DOCUMENTO DE REGRAS DE NEGÓCIO VERSÃO 1.0 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 04/2011 1.0 Primeira versão. Priscila Drielle Sumário

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL Portal do Servidor Publico Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL 1 Indice Apresentação do Portal... 03 Acesso ao Portal do Servidor Publico... 04 Solicitar Senha... 04 Disponibilidade do Portal... 06

Leia mais

ESTRUTURA PARA PORTAIS ELETRÔNICOS MUNICIPAIS

ESTRUTURA PARA PORTAIS ELETRÔNICOS MUNICIPAIS ESTRUTURA PARA PORTAIS ELETRÔNICOS MUNICIPAIS 1. Apresentação Os sites e sistemas web desenvolvidos pela Dynamika apresentam um conjunto de critérios de desenvolvimento que visam entregar o projeto de

Leia mais

Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal

Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal 1. Há planejamento institucional em vigor? Deverá ser respondido SIM caso o Órgão/Entidade possua um planejamento estratégico

Leia mais

PORTAL PROCESSUAL E AJUIZAMENTO ELETRÔNICO

PORTAL PROCESSUAL E AJUIZAMENTO ELETRÔNICO PORTAL PROCESSUAL E AJUIZAMENTO ELETRÔNICO A partir do dia 17/09/2012 foi disponibilizado, no site da SJES, o acesso ao Portal Processual, que consolida as principais funcionalidades do sistema de acompanhamento

Leia mais

Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem)

Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) ead.clinicajulioperes.com.br Sumário navegável Como acesso o ambiente?... Como assisto aos vídeos?... Como preencher meu perfil?...

Leia mais

Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 2. CADASTRO DA EMPRESA... 8 3. CONTROLE DE PERMISSÕES... 14 4. CONFIGURAÇÕES DA EMPRESA... 19 5. CND...

Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 2. CADASTRO DA EMPRESA... 8 3. CONTROLE DE PERMISSÕES... 14 4. CONFIGURAÇÕES DA EMPRESA... 19 5. CND... Sage CND Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 1.1. Primeiro Acesso... 2 1.2. Conhecendo a Plataforma Sage... 4 1.2.1. Seleção de Empresa de Trabalho... 4 1.2.2. Sair do sistema/minhas Configurações... 5 1.2.3.

Leia mais

Manual de Utilização. Sistema. Recibo Provisório de Serviço

Manual de Utilização. Sistema. Recibo Provisório de Serviço Manual de Utilização Sistema Recibo Provisório de Serviço Versão 1.0 17/08/2011 Sumário Introdução... 5 1. Primeiro Acesso... 7 2. Funções do e-rps... 8 2.1 Menu Superior... 8 2.1.1 Arquivo......8 2.1.2

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO DO M3

MANUAL DO USUÁRIO DO M3 MANUAL DO USUÁRIO DO M3 1 CADASTROS 1.1 Clientes Abre uma tela de busca na qual o usuário poderá localizar o cadastro dos clientes da empresa. Preencha o campo de busca com o nome, ou parte do nome, e

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

Há mais de 10 anos ajudando igrejas de todo o Brasil a se fortalecer, crescer e cumprir sua missão. Marcos Antonio Bassoli

Há mais de 10 anos ajudando igrejas de todo o Brasil a se fortalecer, crescer e cumprir sua missão. Marcos Antonio Bassoli Informatize sua igreja com a Gileade Sistemas! A empresa A Gileade Sistemas busca o que há de melhor em tecnologia para oferecer às igrejas soluções que auxiliem na organização administrativa e que possam,

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

EProcessos: Um Sistema para Edição de Processos de Software

EProcessos: Um Sistema para Edição de Processos de Software Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Instituto de Ciencias Exatas e Biologicas - ICEB Departamento de Computação - DECOM EProcessos: Um Sistema para Edição de Processos de Software Aluno: Sávio Geraldo

Leia mais

Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege

Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege Faculdade de Tecnologia Senac DF Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege Documento de Visão Versão 4.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 05/09/2014 1.0 Versão Inicial do

Leia mais

Proposta Comercial para criação e desenvolvimento do novo portal do Município de São José do Norte - RS

Proposta Comercial para criação e desenvolvimento do novo portal do Município de São José do Norte - RS Proposta Comercial para criação e desenvolvimento do novo portal do Município de São José do Norte - RS Abril 2014 - Versão 1.0 A/C da Srta. Cíntia Arbeletche 1 / 5 Escopo & Premissas Essa proposta contempla

Leia mais

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino 1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino O SIE é um sistema aplicativo integrado, projetado segundo uma arquitetura multicamadas, cuja concepção funcional privilegiou as exigências da Legislação

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único Instrução Operacional nº 35 SENARC/MDS Brasília, 15 de abril de 2010. Assunto: Divulga as orientações necessárias para a solicitação de cadastramento de usuários municipais no novo sistema de Cadastro

Leia mais

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário Portal Ypadê Montes Claros, 16 de Julho de 2011 Revisão 3 Sumário 1. Apresentação do portal e escopo deste documento... 2 2. Acessando o Portal Ypadê...

Leia mais

Processo Aplicado Contabilidade EV Doc

Processo Aplicado Contabilidade EV Doc Processo Aplicado Contabilidade EV Doc EV DOC DIGITALIZAÇÃO E GESTÃO ELETRÔNICA DE DOCUMENTOS (GED) Digitalize e gerencie de forma simples os documentos e informações de sua empresa utilizando uma plataforma

Leia mais

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo OBJETIVO O objetivo deste documento elaborado pela Varella Vídeo é fornecer as informações necessárias para que empresas cuja

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online

Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online Estes são os termos que determinarão o nosso relacionamento Este contrato refere-se ao sistema Diário de Obras Online, abrangendo qualquer uma de suas versões

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

2013 GVDASA Sistemas Release Notes GVcollege 3.6.7 1

2013 GVDASA Sistemas Release Notes GVcollege 3.6.7 1 2013 GVDASA Sistemas Release Notes GVcollege 3.6.7 1 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual da GVDASA Sistemas e toda a informação nele contida é confidencial. Nenhuma parte deste

Leia mais

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3

Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando Alves Rodrigues 2, Silvio Francisco dos Santos 3 DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA INFORMATIZADO PARA O CONTROLE DE PROCESSOS DA QUALIDADE NA DIRETORIA DE METROLOGIA CIENTÍFICA E INDUSTRIAL DIMCI/INMETRO. Anderson Corrêa Carraro 1, Fernando

Leia mais

Antes de começar, o Solicitante e outros envolvidos dentro do projeto (Orientador, Coordenador ou outro Responsável Técnico) devem verificar:

Antes de começar, o Solicitante e outros envolvidos dentro do projeto (Orientador, Coordenador ou outro Responsável Técnico) devem verificar: SOLICITAÇÃO DE FOMENTO on-line MANUAL DO USUÁRIO 1 CONTATOS... 2 2 ANTES DE COMEÇAR... 2 3 ENTRAR NO SISTEMA INFAPERJ... 3 3.1 ACESSO AO SISTEMA...3 3.2 LOGIN...4 4 APRESENTAÇÃO GERAL DA INTERFACE... 5

Leia mais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais PRERELEASE 03/07/2011 Avisos legais Avisos legais Para consultar avisos legais, acesse o site http://help.adobe.com/pt_br/legalnotices/index.html.

Leia mais

Desenvolvendo para WEB

Desenvolvendo para WEB Nível - Básico Desenvolvendo para WEB Por: Evandro Silva Neste nosso primeiro artigo vamos revisar alguns conceitos que envolvem a programação de aplicativos WEB. A ideia aqui é explicarmos a arquitetura

Leia mais

Novo Guia de uso rápido do PROJUDI

Novo Guia de uso rápido do PROJUDI 1. O que é o PROJUDI? Novo Guia de uso rápido do PROJUDI O Processo Judicial Digital PROJUDI, também chamado de processo virtual ou de processo eletrônico, pode ser definido como um software que reproduz

Leia mais

AMTEC FATURAMENTO ELETRÔNICO IMAS MANUAL

AMTEC FATURAMENTO ELETRÔNICO IMAS MANUAL AMTEC FATURAMENTO ELETRÔNICO IMAS MANUAL GOIÂNIA MAIO/2011 Direito de Cópia 2011 pela Gerência do Departamento de Desenvolvimento de Sistemas da AMTEC. 2011 1ª Edição Este documento ou parte dele não pode

Leia mais

Codificar Sistemas Tecnológicos

Codificar Sistemas Tecnológicos Codificar Sistemas Tecnológicos Especificação dos Requisitos do Software Sistema de gestão para a Empresa Cliente SlimSys Autor: Equipe Codificar Belo Horizonte MG Especificação dos Requisitos do Software

Leia mais

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA 2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA Neste capítulo faremos uma breve descrição de algumas plataformas para ensino a distância e as vantagens e desvantagens de cada uma. No final do capítulo apresentamos

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

Documento de Visão. Versão 2.5 Projeto SysTrack - Grupo 01

Documento de Visão. Versão 2.5 Projeto SysTrack - Grupo 01 Documento de Visão Versão 2.5 Projeto SysTrack - Grupo 01 Junho de 2011 Histórico de revisão: DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTORES 19/02/2011 1.0 Versão inicial. João Ricardo, Diogo Henrique. 24/02/2011 2.0 Modificação

Leia mais

SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente

SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente SIMARPE Sistema de Arquivo Permanente Documentos formam a grande massa de conhecimentos de uma organização seja ela privada ou pública, esses documentos em sua maioria são parte do seu patrimônio. A Gestão

Leia mais

Manual do MySuite. O MySuite é a solução adotada pela MKData para gerenciar o atendimento aos clientes.

Manual do MySuite. O MySuite é a solução adotada pela MKData para gerenciar o atendimento aos clientes. Manual do MySuite O MySuite é a solução adotada pela MKData para gerenciar o atendimento aos clientes. Esta ferramenta visa agilizar e priorizar o suporte técnico, criando um canal de interatividade no

Leia mais

Partner Network. www.scriptcase.com.br

Partner Network. www.scriptcase.com.br www.scriptcase.com.br A Rede de Parceiros ScriptCase é uma comunidade que fortalece os nossos representantes em âmbito nacional, possibilitando o acesso a recursos e competências necessários à efetivação

Leia mais

Solução Integrada para Gestão e Operação Empresarial - ERP

Solução Integrada para Gestão e Operação Empresarial - ERP Solução Integrada para Gestão e Operação Empresarial - ERP Mastermaq Softwares Há quase 20 anos no mercado, a Mastermaq está entre as maiores software houses do país e é especialista em soluções para Gestão

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA CÂMARA MUNICIPAL DE ARIQUEMES SECRETARIA GERAL PROJETO BÁSICO

ESTADO DE RONDÔNIA CÂMARA MUNICIPAL DE ARIQUEMES SECRETARIA GERAL PROJETO BÁSICO PROJETO BÁSICO 1. INTRODUÇÃO Em cumprimento ao que dispõe os incisos I e II do artigo 7º da LEI FEDERAL 8.666/93, alterada pelas leis nº 8.883/94, bem como as leis federais 131/2009, 12.527/2011, 9.755/98

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2013-IPPLAN ANEXO 2 ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2013-IPPLAN ANEXO 2 ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS PREFEITURA MUNICIPAL CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2013-IPPLAN ANEXO 2 ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS Cargo de Nível Médio Agente Administrativo Contribuir com o correto fluxo de atividades, informações e materiais

Leia mais

PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014

PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014 PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014 DIVISÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - DTI PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA - 1 SUMÁRIO 1. OBJETIVOS 2. CENÁRIO ATUAL DE TI 2.1. AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO DO CENÁRIO

Leia mais

Anexo I Formulário para Proposta

Anexo I Formulário para Proposta PLATAFORMA CGI.br Solicitação de Propostas SP Anexo I Formulário para Proposta Data: 05/07/2013 Versão: 1.1 Plataforma CGI.br Solicitação de Propostas - SP Anexo I Formulário para Proposta 1. Estrutura

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

Assuntos relacionados ao departamento de TI que requer suporte para encontrar uma solução

Assuntos relacionados ao departamento de TI que requer suporte para encontrar uma solução Assuntos relacionados ao departamento de TI que requer suporte para encontrar uma solução Procedimentos a serem seguidos pela diretoria, gerentes e funcionários. As informações serão passadas para os gerentes

Leia mais

Tecnologia da Informação Aplicada a Gerenciamento de Acervo Documental Histórico

Tecnologia da Informação Aplicada a Gerenciamento de Acervo Documental Histórico Tecnologia da Informação Aplicada a Gerenciamento de Acervo Documental Histórico Kayo Delgado Medeiros de Almeida¹, Elon Gomes Vieira 2, Carlos Vitor de Alencar Carvalho 3, Magno Fonseca Borges 4, José

Leia mais

Apresentação PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES

Apresentação PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: O foi desenvolvido com o objetivo de simplificar e agilizar o processo de aquisição de materiais e serviços, atendendo as exigências

Leia mais

Inovação Tecnológica através do Software SISO Sistema Odontológico da UNIOESTE

Inovação Tecnológica através do Software SISO Sistema Odontológico da UNIOESTE Inovação Tecnológica através do Software SISO Sistema Odontológico da UNIOESTE Rafael Voltolini 1, Anderson Zanardo Dias 1, Anselmo Luiz Éden Battisti 1, Claudia Brandelero Rizzi 1, Jorge Bidarra 1, Fabiana

Leia mais

SECTEC / COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO

SECTEC / COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO Macaé, Outubro de 2010 SECTEC / COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO Página 1 de 38 Controle de Revisões Data Comentário Responsável 01/10/2010 Revisão e correção de texto Marcos Lemos 01/10/2010 Correção

Leia mais

NOVO COMPONENTE ASSINADOR ESEC

NOVO COMPONENTE ASSINADOR ESEC NOTAS FISCAIS DE SERVIÇO ELETRÔNICAS PREFEITURA DE JUIZ DE FORA COMPLEMENTO AO SUPORTE A ATENDIMENTO NÍVEL 1 1.0 Autor: Juiz de Fora, Fevereiro 2015. PÁGINA 1 DE 38 SUMÁRIO 1REQUISITOS MÍNIMOS CONFIGURAÇÕES

Leia mais

O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino

O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino Escolher o Sponte Educacional é escolher inteligente Sistema web para gerenciamento de instituições

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP MANUAL DO USUÁRIO Portal de Relacionamento - Manual do usuário... 1 SUMÁRIO 1. Informações gerais... 3 2. Sobre este documento... 3 3. Suporte técnico... 3 4. Visão Geral

Leia mais

EVENTOS. Caravana da Inclusão, Acessibilidade e Cidadania

EVENTOS. Caravana da Inclusão, Acessibilidade e Cidadania A União dos Vereadores do Estado de São Paulo UVESP, desde 1977 (há 38 anos) promove parceria com o Poder Legislativo para torná-lo cada vez mais forte, através de várias ações de capacitação e auxílio

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA GESTÃO DE PROJETOS

O DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA GESTÃO DE PROJETOS Hélio Pereira da Rosa Neto Universidade Anhanguera-Uniderp Fernando Conter Universidade Anhanguera-Uniderp O DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA GESTÃO DE PROJETOS RESUMO Este artigo científico tem como

Leia mais

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software EMPRESA PERSONAL LAPTOP S SISTEMA INTEGRADO COMERCIAL

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software EMPRESA PERSONAL LAPTOP S SISTEMA INTEGRADO COMERCIAL Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software EMPRESA PERSONAL LAPTOP S SISTEMA INTEGRADO COMERCIAL EDILBERTO SILVA, CLEYCIONE (9245) 2, JONATHAN CAVALCANTE (9288) 2, MARCELO GOMES (9240) 2, NILTON

Leia mais

Sistema de Memorandos On-Line. (Projeto Arquitetural)

Sistema de Memorandos On-Line. (Projeto Arquitetural) Universidade Federal de Campina Grande Pb Departamento de Sistemas e Computação Disciplina: Projeto em Computação I 2111185 Professora: Francilene Procópio Garcia, P.Sc Alunos: Arnaldo de Sena Santos;

Leia mais