Dispositivos intracardíacos implantáveis no tratamento da insuficiência cardíaca. José Ricardo Cardiologista da Clinical Girassol 08/11/2017

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dispositivos intracardíacos implantáveis no tratamento da insuficiência cardíaca. José Ricardo Cardiologista da Clinical Girassol 08/11/2017"

Transcrição

1 Dispositivos intracardíacos implantáveis no tratamento da insuficiência cardíaca José Ricardo Cardiologista da Clinical Girassol 08/11/2017

2 INSUFICIÊNCIA CARDÍACA >23 milhões de doentes a nível mundial; 1-2% de da pulação nos países desenvolvidos. adultos Prevalência de 10% entre pessoas > 70 anos. Incidência relativamente estável; prevalência crescente. EUA: ~ doentes em estadio D end-stage HF (ACC/ AHA) 1. Taxa de mortalidade aos 5 anos: 80%).

3 PREVALÊNCIA MUNDIAL DA IC

4 IC EM ÁFRICA Ausência de informação A IC em África tem uma etiologia bastante diferente da classicamente descrita na Europa, está relacionada com o grau de desenvolvimento do continente e atinge predominantemente uma população jovem. Bongani Mayosi et. al. Em 2007, conseguiu reunir uma amostra de mais de doentes oriundos de 8 Países africanos e mostrou que a hipertensão arterial é a principal causa de insuficiência cardíaca em África (23%) Falar de Insuficiencia Cardíaca especificamente na África Sub- Sahariana parece a partida não se justificar, pois a etiologia e a clínica da insficiência cardiaca deveriam ter um padrão universal Albertino Damasceno 1as Jornadas Lusofonas de CARDIOLOGIA

5

6 HOSPITALIZAÇÕES - MORTALIDADE Cada ano, mais de um milhão de hospitalizações ocorrem com o diagnóstico principal de IC (USA). 1 O aumento de hospitalizações por IC, está associado ao aumento da mortalidade por essa causa. 2 1 Lloyd-Jones D, et al. Circulation. 2010;121:e Setoguchi S, et al. Am Heart J. 2007;154:

7 EVOLUÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DA NYHA CLASSE I CLASSE II CLASSE III CLASSE IV

8 EVOLUÇÃO ECG NA IC A diminuição da força contráctil na IC, muitas vezes é acompanhada ou causada pela falta de sincronismo entre as camaras cardíacas ou das paredes de cada camara cardíaca sendo a mais relevante a do VE durante a sístole. Electrocardiograficamente, a assincronia do VE é traduzida pelo bloqueios de ramo esquerdo (BRE)

9 BLOQUEIO DE RAMO ESQUERDO Registrado pela primeira vez por Willem Einthoven em 1894 um traçado não docuentado até a altura Anos mais tarde ficou definido que o mesmo correspondia a um bloqueio de ramo esquerdo (BRE) QRS > 120 mseg BRE 0,1 a 1% da população geral V1: QS largo V6: R larga e alta Ausência de Q em D1 14 a 47% de pacientes com IC V5 e V6. Em IC Alterações da repolarização. É um marcador de risco cardiovascular O Segmento ST e a Onda T são opostos ao QRS (Depressão de ST e T negativa em V5-V6) 1. Preditor independente da mortalidade por IC

10 ASSINCRONIA Assincronia é definida como movimiento atípico paradoxal ou não coordenado das paredes cardíacas Assincronia eléctrica Interventricular Assincronia mecánica Aurículoventricular Intramural? Intraventricular

11 TRATAMENTO DA IC Classe I Classe II Classe III Classe IV Cirurgia Transplante Otimização TT Nitrato-hidralazina (IIaB) Espironolactona (IB) Diuréticos (IB) Digitálicos (IIbB) Inibidores dos canais if (IIaB) Inibidor dos receptores da angiotensina e da neprilisina (IB) Betabloqueadores Inibidores da Enzima Conservadora Angiotensina ou ARAII Restrição de sódio (2g/dia) Adequação da Atividade Física (IA) (IB) 1,5-2 l/dia restrição hídrica

12 TRATAMENTO DA IC Avanço na terapêutica farmacológica permitiu significativamente a morbilidade e mortalidade Doentes com Insuficiência Cardíaca (IC) refratária à terapêutica farmacológica Terapêutica de ressincronização cardíaca *European Society of Cardiology

13 Na década de 1930 o primeiro marca-passo do mundo foi inventado por Hyman. 1958, Arne H.W. Larsson recebe o primeiro marcapasso implantável do mundo, desenvolvido pelo Engenheiro Dr. Rune Elmqvist e implantado pelo Dr. Ake Senning Cazeau em 1994 estimulação do ventrículo esquerdo através seio coronário 1999, a estimulação cardíaca em três câmaras é utilizada pela primeira vez. Em 2013, é lançado e obtida a aprovação do CE Mark para o primeiro marca-passo sem eletrodos do mundo.

14 Inicialmente o marcapasso foi utilizado no tratamento de bradiarritmias, evoluindo rapidamente (com a incorporação de outras funções) para o tratamento de outras entidades patológica Taquiarritmias (prevenção de morte súbita) CDI Insuficiência Cardíaca (Tratamento de Ressincronização Cardíaca) CRT-D e CRT-P Actualmente, desempenha outras funções importantíssimas como o armazenamento da informação relacionada com o ritmo cardíaco e congestão pulmonar.

15 TRATAMENTO DE RESSINCRONIZAÇÃO CARDÍC NA IC A TRC ou CRT refere-se a um pacemaker de múltiplos locais que oferece pacing simultâneo na aurícula direita, ventrículo direito e ventrículo esquerdo, tornando-se um dispositivo electrónico implantável capaz de corrigir a dissincronia mecânica presente.

16 INDICAÇÕES PARA CRT ESC - Guidelines de ICC, 2012 ESC Guidelines de Pacing e CRT, 2013 ACC / AHA Guidelines de ICC, 2013 ESC Guidelines de ICC, 2016

17

18

19

20 BENEFICIOS DARESSINCRONIZAÇÃO NA IC Classe funcional Qualidade de vida FEVE AD SC Tolerância ao exercicio VD I. Mitral Diámetros e volúmenes Arritmias Iternamtos Mortalidade

21 BENEFICIOS DA RESSINCRONIZAÇÃO EM RELAÇÃO A MORTALIDADE Companion (1520) Care-HF (813) Int J Cardiol. 2003;87: Eur Heart J 2006;27: MADIT CRT: 1820 ptes. 29% redução de morte e internamentos

22 BENEFICIOS DA RESSINCRONIZAÇÃO EM RELAÇÃO A HOSPITALIZAÇÃO CRT is proven to reduce Heart Failure hospitalizations across all CRT-Indicated patient populations. 1,2 Class II Indicated 53% Reduction in Heart Failure Hospitalization 1 REVERSE Clinical Trial n = Year after Implant Class III/IV Indicated 52% Reduction in Heart Failure Hospitalization 2 CARE HF Clinical Trial n = Linde C, et al. J Am Coll Cardiol. 2008;52: Cleland J, et al. N Engl J Med. 2005;352:

23 REVERSE 610 casos-fevi 40% CRT-ON CRT-OF RAFT 1798 casos-fevi 30% Clase II-III DAIs vs DAIs-R Mortalidad MADIT-CRT 1820 casos-fevi 30% DAIs vs DAIs-R Mortalidad Internamentos - remodelagem J Am Coll Cardiol 2008;52: N Engl J Med 2009; 361: N Engl J Med 2010; 363:

24 FACTORES QUE PODEM CONDICIONAR A RESPOSTA AO CRT 30% dos pacientes submetidos a CRT são não respondedores

25 OS NÚMEROS DA RESSINCRONIZAÇÃO CARDÍACA Units per m i l l i o n inhabitants /year Units per m illion inhabitants in the year 2011 ltaly Germany Netherlands Denmark Czech Europe UK France Sweden Belgium & Lux Austria Poland Switzerland Norw ay Finland Portugal Spaiṉ Source: Eucomed (w w w.eucomed.org/medical-technology/facts-figures ) Joumal 2013 ;34 : E U I I O P E A N $O CICTV or CAROCIIOG'f

26 REALIDADE ANGOLANA

27 REALIDADE ANGOLANA 24.3milhões de habitantes 18 provincias Início de pacing decada de 90 3 centros actualmente em funcionamento (2 privados e 1 publico) 2 cardiologistas na área de arritmologia e 1 Cirurjao cardiotorácico 2 Cardiopneumologistas

28 OS NÚMEROS DA RESSINCRONIZAÇÃO EM ANGOLA Clinica Girassol (sub. Gerador) Clinica S. Esperança Hospital J. Machel - - -

29 AS NOSSAS DIFICULDADES Défice em recursos humanos e técnicos Falta de informação/formação Dificuldades socioeconómicas Dificuldades socioculturais

30 OS NOSSOS DESAFIOS Trabalhar no sentido de aumentar o numero de profissionais e centros no país. Formar e informar a população e a classe medica em relação o procedimento.

31

32 Novas tecnologias em Ecocardiografia

33 OBRIGADO

O meu doente tem um bloqueio cardíaco e um cansaço anormal. O que dizem as guidelines?

O meu doente tem um bloqueio cardíaco e um cansaço anormal. O que dizem as guidelines? O meu doente tem um bloqueio cardíaco e um cansaço anormal. O que dizem as guidelines? 1 de Novembro de 2013 Miguel Faria Alves Serviço de Cardiologia do Hospital de Santarém O meu doente tem um bloqueio

Leia mais

Terapêutica de ressincronização cardíaca

Terapêutica de ressincronização cardíaca Terapêutica de ressincronização cardíaca Cardiac Resynchronization Therapy (CRT) Helena Pedrosa Dr. Vítor Martins Avanço na terapêutica farmacológica permitiu significativamente a morbilidade e mortalidade

Leia mais

20 anos depois Actual estado da arte nas arritmias

20 anos depois Actual estado da arte nas arritmias 20 anos depois Actual estado da arte nas arritmias Diogo Cavaco 2014 Ablação CDI Ressincronização Há 20 anos Há 20 anos Há 20 anos Ablação por cateter The diagnosis and cure of paroxysmal supraventricular

Leia mais

Avaliação Ecocardiográfica da Terapia de Ressincronização Cardíaca: Dois anos de seguimento

Avaliação Ecocardiográfica da Terapia de Ressincronização Cardíaca: Dois anos de seguimento Avaliação Ecocardiográfica da Terapia de Ressincronização Cardíaca: Dois anos de seguimento Viviane Cordeiro Veiga Orientador: Prof. Dr. Salomón Soriano Ordinola Rojas UNICAMP - 2008 Epidemiologia Insuficiência

Leia mais

aca Tratamento Nelson Siqueira de Morais Campo Grande MS Outubro / 2010

aca Tratamento Nelson Siqueira de Morais Campo Grande MS Outubro / 2010 Insuficiência ncia Cardíaca aca Tratamento Nenhum conflito de interesse Nelson Siqueira de Morais Campo Grande MS Outubro / 2010 nsmorais@cardiol.br Conceitos Fisiopatológicos A IC é uma síndrome com múltiplas

Leia mais

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA COM FUNÇÃO VENTRICULAR PRESERVADA. Dr. José Maria Peixoto

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA COM FUNÇÃO VENTRICULAR PRESERVADA. Dr. José Maria Peixoto INSUFICIÊNCIA CARDÍACA COM FUNÇÃO VENTRICULAR PRESERVADA Dr. José Maria Peixoto Introdução A síndrome da IC poder ocorrer na presença da função ventricular preservada ou não. Cerca de 20% a 50 % dos pacientes

Leia mais

Estágio atual do uso de ressincronizador e cardioversor desfibrilador. Quem são os melhores candidatos?

Estágio atual do uso de ressincronizador e cardioversor desfibrilador. Quem são os melhores candidatos? Estágio atual do uso de ressincronizador e cardioversor desfibrilador. Quem são os melhores candidatos? Olga Ferreira de Souza Doutora em Cardiologia pela UFRJ Fellow da Sociedade Européia de Cardiologia

Leia mais

CDI na miocardiopatia não isquémica

CDI na miocardiopatia não isquémica Unidade de Arritmologia Invasiva Serviço de Cardiologia Hospital de Santa Maria CDI na miocardiopatia não isquémica Que indicações? Gustavo Lima da Silva Sumário ü Miocardiopatia dilatada Prevenção secundária

Leia mais

Pacemaker sem eléctrodo

Pacemaker sem eléctrodo Pacemaker sem eléctrodo Indicações e resultados João R. Agostinho Contexto histórico 1932 1º Sistema de pacing externo Alber S. Hyman 1958 1º Pacemaker epicárdico Rune Elmqvist e Åke Senning 1958 1º Elétrodo

Leia mais

Custo-Eficácia da Ressincronização Cardíaca. Luis Sargento, Serviço de Cardiologia II, Hdia Insuf Cardiaca, CHLN

Custo-Eficácia da Ressincronização Cardíaca. Luis Sargento, Serviço de Cardiologia II, Hdia Insuf Cardiaca, CHLN Custo-Eficácia da Ressincronização Cardíaca Luis Sargento, Serviço de Cardiologia II, Hdia Insuf Cardiaca, CHLN Impacto Económico da Insuficiência Cardíaca Apesar de ser dificil definir valores reais de

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES NO EXAME CARDIOLÓGICO NO EXAME DE APTIDÃO FÍSICA E MENTAL

DÚVIDAS FREQUENTES NO EXAME CARDIOLÓGICO NO EXAME DE APTIDÃO FÍSICA E MENTAL DÚVIDAS FREQUENTES NO EXAME CARDIOLÓGICO NO EXAME DE APTIDÃO FÍSICA E MENTAL XI JORNADA DE MEDICINA DO TRÁFEGO Belo Horizonte, 18-19 julho 2014 AMMETRA- ASSOCIAÇÃO MINEIRA DE MEDICINA DO TRÁFEGO AMMETRA

Leia mais

CARTEIRA DE SERVIÇOS. Serviço de Cardiologia Pediátrica e Centro de Referência de Cardiopatias Congénitas Página 1/ 6

CARTEIRA DE SERVIÇOS. Serviço de Cardiologia Pediátrica e Centro de Referência de Cardiopatias Congénitas Página 1/ 6 Serviço de Cardiologia Pediátrica e Centro de Referência de Cardiopatias Congénitas Página 1/ 6 Centro de Referência de Cardiopatias Congénitas OBJETIVO Descrever o conjunto de atividades de prestação

Leia mais

BENEFIT e CHAGASICS TRIAL

BENEFIT e CHAGASICS TRIAL BENEFIT e CHAGASICS TRIAL Estudos Clínicos em Chagas Patricia Rueda Doença de Chagas Terceira doença parasitária mais comum do mundo (Malária e Esquistossomose) Cardiopatia chagásica é a forma mais comum

Leia mais

16/04/2015. Insuficiência Cardíaca e DPOC. Roberto Stirbulov FCM da Santa Casa de SP

16/04/2015. Insuficiência Cardíaca e DPOC. Roberto Stirbulov FCM da Santa Casa de SP Insuficiência Cardíaca e DPOC Roberto Stirbulov FCM da Santa Casa de SP Potencial conflito de interesse CFM nº 1.59/00 de 18/5/2000 ANVISA nº 120/2000 de 30/11/2000 CREMESP : 38357 Nos últimos doze meses

Leia mais

INTERVENÇÕES PREVENTIVAS E TRATAMENTO DA INSUFICIÊNCIA

INTERVENÇÕES PREVENTIVAS E TRATAMENTO DA INSUFICIÊNCIA INTERVENÇÕES PREVENTIVAS E TRATAMENTO DA INSUFICIÊNCIA CARDÍACA ASSOCIADA A CARDIOTOXICIDADE Andreia Magalhães Serviço de Cardiologia Hospital de Santa Maria, CHULN Desafio para os Oncologistas e para

Leia mais

Dissertação de Mestrado. Preditores de resposta ecocardiográfica e de mortalidade à terapia de

Dissertação de Mestrado. Preditores de resposta ecocardiográfica e de mortalidade à terapia de Dissertação de Mestrado Preditores de resposta ecocardiográfica e de mortalidade à terapia de ressincronização cardíaca em um hospital terciário no sul do Brasil: Um Estudo de Coorte Guilherme Ferreira

Leia mais

Insuficiência Cardíaca

Insuficiência Cardíaca Insuficiência Cardíaca Epidemiologia, Cenários Fisiopatológicos e Clínicos Carlos Aguiar Epidemiologia 1 Doença a epidémica 15 milhões na Europa ~20% das pessoas vivas aos 40 anos desenvolverão IC 75%

Leia mais

InsuficiênciaCardíaca NovosHorizontesno Tratamento

InsuficiênciaCardíaca NovosHorizontesno Tratamento InsuficiênciaCardíaca NovosHorizontesno Tratamento Moderador: Márcia Noya-Rabelo Debatedores: Marcus Andrade Nei Dantas Fábio Bulhões Bráulio Pinna Carlos Vinicius Espírito Santo Jackson Brandão Masculino

Leia mais

Detecção precoce de cardiotoxicidade no doente oncológico deve ser efectuada sistematicamente? Andreia Magalhães Hospital de Santa Maria

Detecção precoce de cardiotoxicidade no doente oncológico deve ser efectuada sistematicamente? Andreia Magalhães Hospital de Santa Maria Detecção precoce de cardiotoxicidade no doente oncológico deve ser efectuada sistematicamente? Andreia Magalhães Hospital de Santa Maria Detecção precoce de cardiotoxicidade no doente oncológico deve ser

Leia mais

Aprimoramento em Eletrofisiologia e Estimulação Cardíaca Artificial

Aprimoramento em Eletrofisiologia e Estimulação Cardíaca Artificial Aprimoramento em Eletrofisiologia e Estimulação Cardíaca Artificial COORDENADORES: Drs. Dalmo Antonio Moreira e Paulo de Tarso Jorge VICE-COORDENADORES: Dr. Ricardo GarbeHabib Dra. Cecília Boya Barcellos

Leia mais

TERAPIA DE RESSINCRONIZAÇÃO CARDÍACA EM DOENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA

TERAPIA DE RESSINCRONIZAÇÃO CARDÍACA EM DOENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA Artigo de Revisão Bibliográfica Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Ano lectivo 2012/2013 TERAPIA DE RESSINCRONIZAÇÃO CARDÍACA EM DOENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA Carla Filipa Cruz Moreira

Leia mais

Julho de 2016 INSUFICIÊNCIA CARDÍACA

Julho de 2016 INSUFICIÊNCIA CARDÍACA Julho de 2016 INSUFICIÊNCIA CARDÍACA SUMÁRIO 1. CONTEXTUALIZAÇÃO... 3 2. DADOS EPIDEMIOLÓGICOS... 3 3. FISIOPATOLOGIA... 3 4. AVALIAÇÃO CLÍNICA E DIAGNÓSTICO... 6 5. CLASSIFICAÇÃO... 8 6. OPÇÕES DE TRATAMENTO...

Leia mais

Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2017 PADRÃO DE RESPOSTAS HEMODINÂMICA E CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA, ECOGRAFIA

Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2017 PADRÃO DE RESPOSTAS HEMODINÂMICA E CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA, ECOGRAFIA Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2017 PADRÃO DE RESPOSTAS HEMODINÂMICA E CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA, ECOGRAFIA Situação-Problema 1 A) BAV t Bloqueio átrio ventricular total OU Bloqueio

Leia mais

ONTARGET - Telmisartan, Ramipril, or Both in Patients at High Risk for Vascular Events N Engl J Med 2008;358:

ONTARGET - Telmisartan, Ramipril, or Both in Patients at High Risk for Vascular Events N Engl J Med 2008;358: ONTARGET - Telmisartan, Ramipril, or Both in Patients at High Risk for Vascular Events N Engl J Med 2008;358:1547-59 Alexandre Alessi Doutor em Ciências da Saúde pela Pontifícia Universidade Católica do

Leia mais

ENFERMAGEM DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANMISSIVEIS. Doença Cardiovascular Parte 4. Profª. Tatiane da Silva Campos

ENFERMAGEM DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANMISSIVEIS. Doença Cardiovascular Parte 4. Profª. Tatiane da Silva Campos ENFERMAGEM DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANMISSIVEIS Parte 4 Profª. Tatiane da Silva Campos Insuficiência Cardíaca: - é uma síndrome clínica na qual existe uma anormalidade na estrutura ou na função cardíaca,

Leia mais

SCA Estratificação de Risco Teste de exercício

SCA Estratificação de Risco Teste de exercício SCA Estratificação de Risco Teste de exercício Bernard R Chaitman MD Professor de Medicina Diretor de Pesquisa Cardiovascular St Louis University School of Medicine Estratificação Não-Invasiva de Risco

Leia mais

Síndrome Coronariana Aguda

Síndrome Coronariana Aguda Síndrome Coronariana Aguda Wilson Braz Corrêa Filho Rio de Janeiro, 2010 Curso de Capacitação de Urgência e Emergência Objetivos: Apresentar a epidemiologia da síndrome coronariana aguda nas unidades de

Leia mais

MÉTODOS DE IMAGEM NA IC COMO E QUANDO UTILIZAR?

MÉTODOS DE IMAGEM NA IC COMO E QUANDO UTILIZAR? Insuficiência Cardíaca no cenário atual MÉTODOS DE IMAGEM NA IC COMO E QUANDO UTILIZAR? Adriana Soares Xavier de Brito INC CDPI Rede D Or ajsoares@uol.com.br Insuficiência cardíaca Ecocardiografia Tomografia

Leia mais

Artigo de Revisão. Antônio da Silva Menezes Junior 1, Wanessa Neves Stival 2, Iara dos Santos Pereira Lopes 2

Artigo de Revisão. Antônio da Silva Menezes Junior 1, Wanessa Neves Stival 2, Iara dos Santos Pereira Lopes 2 Artigo de Revisão Indicações da terapia de ressincronização cardíaca: discussão baseada em estudos recentes Improvement of cardiac resynchronization therapy - discussion based on recent studies Antônio

Leia mais

No doente idoso a ressincronização cardíaca deve ser com CRT-P: Posição: sim

No doente idoso a ressincronização cardíaca deve ser com CRT-P: Posição: sim No doente idoso a ressincronização cardíaca deve ser com CRT-P: Posição: sim Nuno Lousada Hospital de Dia de Insuficiência Cardíaca Centro Hospitalar de Lisboa Norte H. Pulido Valente, Serviço de Cardiologia

Leia mais

Internamentos evitáveis

Internamentos evitáveis Internamentos evitáveis Sub-title ULSLA GESTÃO DE CASO Adelaide Belo 19/03/2018 Internamentos evitáveis Sumário Conceito de internamentos evitáveis Projeto - Gestão de Caso na ULSLA Resultados Conclusões

Leia mais

Curso de Reciclagem em Cardiologia ESTENOSE VALVAR AÓRTICA

Curso de Reciclagem em Cardiologia ESTENOSE VALVAR AÓRTICA Curso de Reciclagem em Cardiologia SBC- Florianópolis 2006 ESTENOSE VALVAR AÓRTICA Miguel De Patta ESTENOSE AÓRTICA- ETIOLOGIA Em todo o mundo : DR USA/ Europa Válvula aórtica tricúspide calcificada: senil

Leia mais

Taquicardia Eletrônica sem P Retrógrada e Choque Inapropriado em Paciente Portador de Car dioversor-

Taquicardia Eletrônica sem P Retrógrada e Choque Inapropriado em Paciente Portador de Car dioversor- Reblampa 2002 15(4): 206-211. implantável biventricular. Reblampa 2002; 15(4): 206-211. Relato de Caso Taquicardia Eletrônica sem P Retrógrada e Choque Inapropriado em Paciente Portador de Car dioversor-

Leia mais

Desmistificando a ecocardiografia

Desmistificando a ecocardiografia Desmistificando a ecocardiografia O que fazer quando o ecocardiograma diz que o meu doente tem um achado cujo significado desconheço? - setembro de 2016 - Liliana Marta Serviço de Cardiologia, Hospital

Leia mais

22 de Junho de :00-10:30 AUDITÓRIO 6 AUDITÓRIO 7

22 de Junho de :00-10:30 AUDITÓRIO 6 AUDITÓRIO 7 22 de Junho de 2019 SE9 - CUIDADOS PALIATIVOS 09:00-10:30 AUDITÓRIO 6 CUIDADOS PALIATIVOS EM CARDIOLOGIA Cuidados Paliativos no século XXI: evidências e desafios Cardiopata crônico: a parceria com paliativistas

Leia mais

14 de setembro de 2012 sexta-feira

14 de setembro de 2012 sexta-feira 14 de setembro de 2012 sexta-feira MESA-REDONDA 08:30-10:30h Síndromes coronarianas agudas Auditório 02 (Térreo) 1º Andar(500) Agudas (12127) Estado da Arte no Tratamento Contemporâneo das Síndromes Coronárias

Leia mais

A função sistólica ventricular direita e a função diastólica ventricular esquerda como preditores de mortalidade na hipertensão arterial pulmonar

A função sistólica ventricular direita e a função diastólica ventricular esquerda como preditores de mortalidade na hipertensão arterial pulmonar A função sistólica ventricular direita e a função diastólica ventricular esquerda como preditores de mortalidade na hipertensão arterial pulmonar 29 Março 2013 Rui Plácido, Petra Ferreira Loureiro, Ana

Leia mais

Avaliação de dissincronia cardíaca pelo ecocardiograma: estratégias para um resultado adequado

Avaliação de dissincronia cardíaca pelo ecocardiograma: estratégias para um resultado adequado Artigo de Revisão Avaliação de dissincronia cardíaca pelo ecocardiograma: ISSN 0103-3395 Cardiac dyssynchrony in patients with heart failure: strategies for an adequate echocardiographic assessment Ana

Leia mais

Nome do Programa Programa de Complementação Especializada em Arritmia Clínica, Eletrofisiologia e Estimulação Cardíaca Artificial.

Nome do Programa Programa de Complementação Especializada em Arritmia Clínica, Eletrofisiologia e Estimulação Cardíaca Artificial. COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA CCEX Av. Dr. Arnaldo, 455 1º andar sala 1301 FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE COMPLEMENTAÇÃO ESPECIALIZADA Nome do Programa Programa de Complementação Especializada

Leia mais

CURSO DE INICIAÇÃO AO ESTUDO DE ARRITMIAS

CURSO DE INICIAÇÃO AO ESTUDO DE ARRITMIAS CURSO DE INICIAÇÃO AO ESTUDO DE ARRITMIAS DATA: 08/08/2014 HORÁRIO: 9h - 18h30min LOCAL: Instituto D Or de Pesquisa e Ensino Rua Diniz Cordeiro, 30 - Botafogo RJ Telefone: (21) 3883-6000 DURAÇÃO: 1 dia

Leia mais

PERDA DE TRACKING DURANTE A PROVA DE ESFORÇO CARDIOPULMONAR FACTORES PREDITORES E IMPACTO CLÍNICO

PERDA DE TRACKING DURANTE A PROVA DE ESFORÇO CARDIOPULMONAR FACTORES PREDITORES E IMPACTO CLÍNICO FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA TRABALHO FINAL DO 6º ANO MÉDICO COM VISTA À ATRIBUIÇÃO DO GRAU DE MESTRE NO ÂMBITO DO CICLO DE ESTUDOS DE MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA TÂNIA CAROLINA

Leia mais

Análise da Otimização do Ciclo de Tempo com QuickOpt TM

Análise da Otimização do Ciclo de Tempo com QuickOpt TM Reblampa 2007 Espaço 20(1): 43-47. Publicitário. Reblampa 2007; 20(1): 43-47. Análise da Otimização do Ciclo de Tempo com QuickOpt TM Espaço Publicitário St. Jude Medical Um Método de IEGM para Otimizar

Leia mais

Velhas doenças, terapêuticas atuais

Velhas doenças, terapêuticas atuais Velhas doenças, terapêuticas atuais Hipertensão arterial e moduladores do SRAA Sérgio Bravo Baptista Unidade de Cardiologia de Intervenção, Hospital Fernando Fonseca, Amadora Hospital CUF Cascais, Clinica

Leia mais

Insuficiência Cardíaca Aguda e Síndrome Coronária Aguda. Dois Espectros da Mesma Doença

Insuficiência Cardíaca Aguda e Síndrome Coronária Aguda. Dois Espectros da Mesma Doença Insuficiência Cardíaca Aguda e Síndrome Coronária Aguda Dois Espectros da Mesma Doença Carlos Aguiar Reunião Conjunta dos Grupos de Estudo de Insuficiência Cardíaca e Cuidados Intensivos Cardíacos Lisboa,

Leia mais

Os Algoritmos terapêuticos de disrritmias supraventriculares em doentes com pacing permanente são afinal úteis?

Os Algoritmos terapêuticos de disrritmias supraventriculares em doentes com pacing permanente são afinal úteis? Os Algoritmos terapêuticos de disrritmias supraventriculares em doentes com pacing permanente são afinal úteis? Novas Fronteiras em Cardiologia Mesa Redonda: O que há de novo nos dispositivos implantáveis?

Leia mais

Qualidade de Vida em Doentes com Insuficiência Cardíaca

Qualidade de Vida em Doentes com Insuficiência Cardíaca Qualidade de Vida em Doentes com Insuficiência Cardíaca aca Congestiva Avaliação do Impacto da Terapêutica MúltiplaM Humanas em Saúde 05/04/2008 1 Insuficiência Cardíaca aca Síndrome clínico de carácter

Leia mais

Detecção precoce de cardiotoxicidade em Oncologia

Detecção precoce de cardiotoxicidade em Oncologia Congresso Novas Fronteiras em Cardiologia Detecção precoce de cardiotoxicidade em Oncologia Andreia Magalhães Fevereiro/2013 Cardiotoxicidade Lesão cardíaca induzida por fármacos utilizados no tratamento

Leia mais

Insuficiência Renal Crônica

Insuficiência Renal Crônica Eduardo Gomes Lima Médico Assistente da Unidade de Aterosclerose do InCor-HCFMUSP Pesquisador do grupo MASS (Medicine, Angioplasty, or Surgery Study) Diarista da UTI do 9º Andar do H9J São Paulo 2011 Insuficiência

Leia mais

PROGRAMA SOCERJ. 04 a 06 de OUTUBRO Hotel Atlântico Búzios Convention Armação dos Búzios - Rio de Janeiro. Especiais: Conecte Estúdio Design

PROGRAMA SOCERJ. 04 a 06 de OUTUBRO Hotel Atlântico Búzios Convention Armação dos Búzios - Rio de Janeiro. Especiais: Conecte Estúdio Design 15 PROGRAMA 04 a 06 de OUTUBRO 2018 Hotel Atlântico Búzios Convention Armação dos Búzios - Rio de Janeiro Conecte Estúdio Design Realização: SOCERJ Patrocinadores Especiais: QUINTA-FEIRA 04 DE OUTUBRO

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA - CCEX COMISSÃO DE ENSINO INSTITUTO DO CORAÇÃO

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA - CCEX COMISSÃO DE ENSINO INSTITUTO DO CORAÇÃO PROGRAMAS DE COMPLEMENTAÇÃO ESPECIALIZADA 2018 DATA: 11 de DEZEMBRO DE 2017 1. Cirurgia Coronária 2. Endoscopia Respiratória Dia 11 Das 8h às 10h Sala 4-2ºandar Bloco I (Incor) Dia 11 às 08h InCor - Unidade

Leia mais

Desmistificando a ecocardiografia. O que fazer quando o ecocardiograma diz que... o meu doente tem o ventrículo esquerdo dilatado?

Desmistificando a ecocardiografia. O que fazer quando o ecocardiograma diz que... o meu doente tem o ventrículo esquerdo dilatado? Cátia Costa Serviço de Cardiologia do Hospital de Santarém 1º Ponto... Avaliação do ventrículo esquerdo Ecocardiografia é atualmente o exame de 1ª linha para identificar alterações estruturais do VE VE

Leia mais

Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências. Avaliação de Tecnologias em Saúde

Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências. Avaliação de Tecnologias em Saúde Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Avaliação de Tecnologias em Saúde Sumário das Evidências e Recomendação para a Ressincronização Cardíaca em Pacientes com Insuficiência Cardíaca Versão

Leia mais

Controle da frequência cardíaca na Fibrilação Atrial

Controle da frequência cardíaca na Fibrilação Atrial Controle da frequência cardíaca na Fibrilação Atrial Rogério Andalaft Médico assistente da seção médica de Eletrofisiologia Clínica e Arritmias Cardíacas Classificação da Fibrilação Atrial ACC/AHA/ESC

Leia mais

DR. CARLOS ROBERTO CAMPOS INSUFICIÊNCIA MITRAL (I.M.I)

DR. CARLOS ROBERTO CAMPOS INSUFICIÊNCIA MITRAL (I.M.I) DR. CARLOS ROBERTO CAMPOS CURSO INSUFICIÊNCIA NACIONAL MITRAL DE RECICLAGEM (I.M.I) EM CARDIOLOGIA - SUL INSUFICIÊNCIA MITRAL (I.M.I) APARELHO VALVAR MITRAL FOLHETOS CORDAS TENDÍNEAS MÚSCULOS PAPILARES

Leia mais

Resultados Demográficos, Clínicos, Desempenho e Desfechos em 30 dias. Fábio Taniguchi, MD, MBA, PhD Pesquisador Principal BPC Brasil

Resultados Demográficos, Clínicos, Desempenho e Desfechos em 30 dias. Fábio Taniguchi, MD, MBA, PhD Pesquisador Principal BPC Brasil Resultados Demográficos, Clínicos, Desempenho e Desfechos em 30 dias Fábio Taniguchi, MD, MBA, PhD Pesquisador Principal BPC Brasil Resultados Demográficos, Clínicos, Desempenho e Desfechos em 30 dias

Leia mais

Programa de Aperfeiçoamento em Eletrofisiologia Invasiva e em Estimulação Cardíaca Artificial do Instituto Nacional de Cardiologia

Programa de Aperfeiçoamento em Eletrofisiologia Invasiva e em Estimulação Cardíaca Artificial do Instituto Nacional de Cardiologia SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO A SAÚDE INSTITUTO NACIONAL DE CARDIOLOGIA SERVIÇO DE ARRITMIA E ELETROFISIOLOGIA CLÍNICA Programa de Aperfeiçoamento em Eletrofisiologia

Leia mais

Rim: Aliado ou inimigo? Miguel Nobre Menezes João R. Agostinho. Serviço de Cardiologia, CHLN, CAML, CCUL

Rim: Aliado ou inimigo? Miguel Nobre Menezes João R. Agostinho. Serviço de Cardiologia, CHLN, CAML, CCUL Rim: Aliado ou inimigo? Miguel Nobre Menezes João R. Agostinho Contexto Insuficiência cardíaca Doença renal crónica Incidência crescente Envelhecimento da população e melhoria de cuidados Coexistência

Leia mais

Prova de Esforço. Ana Mota

Prova de Esforço. Ana Mota Prova de Esforço Ana Mota INTRODUÇÃO O exercício físico é umas das situações de stress ao qual o ser humano pode ser exposto. A prova de esforço em crianças e adolescentes difere em alguns aspetos das

Leia mais

ECG nas Cardiopatias Congénitas. Maria Emanuel Amaral

ECG nas Cardiopatias Congénitas. Maria Emanuel Amaral ECG nas Cardiopatias Congénitas Maria Emanuel Amaral Sumário Introdução Padrões de sobrecarga de Volume Cavidades direitas: CIA- OS, insuficiência tricúspide Cavidades esquerdas: CIV, PCA, insuficiência

Leia mais

Influência do Género na Qualidade de Vida em Doentes com Insuficiência Cardíaca

Influência do Género na Qualidade de Vida em Doentes com Insuficiência Cardíaca Influência do Género na Qualidade de Vida em Doentes com Insuficiência Cardíaca Elisabete Nave Leal (1, 3), José Pais Ribeiro (1), ário Oliveira (2), Nogueira da Silva (2), Rui Soares (2), José Fragata

Leia mais

Monitorização Eletrocardiográfica Ambulatorial. Helcio Garcia Nascimento

Monitorização Eletrocardiográfica Ambulatorial. Helcio Garcia Nascimento Monitorização Eletrocardiográfica Ambulatorial Helcio Garcia Nascimento Norman Jefferis Holter 1914-1983 Helena Montana EUA Norman Jefferis Holter (desenvolvimento) 1947 até 1965 JAMA Detection of phantom

Leia mais

Síntese do Trabalho ANGINA REFRATÁRIA NO BRASIL O DESAFIO DA BUSCA POR NOVAS ESTRATÉGIAS TERAPÊUTICAS E PELA MELHORIA NA

Síntese do Trabalho ANGINA REFRATÁRIA NO BRASIL O DESAFIO DA BUSCA POR NOVAS ESTRATÉGIAS TERAPÊUTICAS E PELA MELHORIA NA Síntese do Trabalho ANGINA REFRATÁRIA NO BRASIL O DESAFIO DA BUSCA POR NOVAS ESTRATÉGIAS TERAPÊUTICAS E PELA MELHORIA NA QUALIDADE DE VIDA DOS PACIENTES DENTRO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE Luís Henrique Wolff

Leia mais

Evolução do prognóstico das síndromes coronárias agudas ao longo de 12 anos - a realidade de um centro.

Evolução do prognóstico das síndromes coronárias agudas ao longo de 12 anos - a realidade de um centro. Evolução do prognóstico das síndromes coronárias agudas ao longo de 12 anos - a realidade de um centro. Glória Abreu, Sérgio Nabais, Carina Arantes, Juliana Martins, Carlos Galvão Braga, Vítor Ramos, Catarina

Leia mais

III Tema: Indicações para implante de Cardioversor-Desfibrilador Automático Implantável e Ressincronizador Cardíaco.

III Tema: Indicações para implante de Cardioversor-Desfibrilador Automático Implantável e Ressincronizador Cardíaco. 3 Cardioversor-Desfibrilador Implantável e Ressincronizador Cardíaco I Data: 08/04/2005 II Grupo de Estudo: Dra. Silvana Márcia Bruschi Kelles Dra. Lélia Maria de Almeida Carvalho Dra. Marta Alice Gomes

Leia mais

Risco Cardíaco no Exercício Físico

Risco Cardíaco no Exercício Físico Risco Cardíaco no Exercício Físico Ricardo Stein rstein@cardiol.br VAMOS FALAR DE RISCO? Risco Risco de morrer em um acidente aéreo Pessoas ano 1 em 11 milhões Risco Risco de ser atingido por um raio Pessoas

Leia mais

Pacientes Não Responsivos à Terapia de Ressincronização Cardíaca

Pacientes Não Responsivos à Terapia de Ressincronização Cardíaca Relampa 2007 20(3): 169-174. Artigo de Revisão Pacientes Não Responsivos à Terapia de Ressincronização Cardíaca Raúl GARILLO (1) Celso Salgado de MELO (2) Carlos Thiene Cunha Pachón MATEOS (3) Otaviano

Leia mais

Artigo Original. Reblampa

Artigo Original. Reblampa Reblampa 2006 Mosquéra 19(3): 139-143. JAP, Pachón Mateos JC, Vargas RNA, Costa ARB, Pachón Mateos JCP. Aspectos epidemiológicos da estimulação Artigo Original Aspectos Epidemiológicos da Estimulação Cardíaca

Leia mais

Programa MÓDULO 1: DEFINIÇÃO, EPIDEMIOLOGIA E PROGNÓSTICO (28-29 SETEMBRO 2018) Coordenador: Brenda Moura Sexta-feira

Programa MÓDULO 1: DEFINIÇÃO, EPIDEMIOLOGIA E PROGNÓSTICO (28-29 SETEMBRO 2018) Coordenador: Brenda Moura Sexta-feira Programa MÓDULO 1: DEFINIÇÃO, EPIDEMIOLOGIA E PROGNÓSTICO (28-29 SETEMBRO 2018) Coordenador: Brenda Moura Sexta-feira 15h 15.15h - Boas-vindas e introdução ao módulo. 15.15h 15.45h Definição de IC 15.45h-

Leia mais

Disciplina de Enfermagem em Centro de Terapia Intensiva

Disciplina de Enfermagem em Centro de Terapia Intensiva Disciplina de Enfermagem em Centro de Terapia Intensiva ARRITMIAS CARDÍACAS Prof. Fernando Ramos-Msc 1 Arritmias Cardíacas Uma arritmia cardíaca é uma anormalidade na freqüência, regularidade ou na origem

Leia mais

Introdução. (António Fiarresga, João Abecassis, Pedro Silva Cunha, Sílvio Leal)

Introdução. (António Fiarresga, João Abecassis, Pedro Silva Cunha, Sílvio Leal) Introdução António José Fiarresga Hospital Santa Marta, Hospital Lusíadas Lisboa Pós-Graduação em Medicina de Emergência Abordagem urgente das Síndromes Coronárias Agudas (António Fiarresga, João Abecassis,

Leia mais

APRENDENDO SOBRE A INSUFICIÊNCIA CARDÍACA

APRENDENDO SOBRE A INSUFICIÊNCIA CARDÍACA APRENDENDO SOBRE A CARDÍACA A insuficiência cardíaca é uma condição debilitante e potencialmente fatal, que afeta cerca de 26 milhões de pessoas em todo o mundo no entanto, poucas pessoas compreendem completamente

Leia mais

C A R D I O V I D A On Line

C A R D I O V I D A On Line HOLTER de 4 horas Dr. Dário Sobral Relatório de Holter - Dados do Exame Nº do Exame Data do Exame: 6//5 9: Protocolo: Holter de canais Convênio: - Dados do Paciente Nome: Severino Pereira da Silva Idade:

Leia mais

Programação Científica do Congresso 10 de setembro, quarta-feira

Programação Científica do Congresso 10 de setembro, quarta-feira 08:30-09:15h COMO EU FAÇO Auditório 10(114) (5995) Abordagem do paciente com insuficiência cardíaca descompensada 08:30-08:45h Uso racional dos diuréticos, vasodilatadores e beta-bloqueadores 08:45-09:00h

Leia mais

Atlas de Eletrocardiograma

Atlas de Eletrocardiograma Ary L. Goldberger Os eletrocardiogramas (ECG) neste atlas suplementam aqueles ilustrados no Cap. 228. As interpretações buscam enfatizar os achados específicos que tenham valor pedagógico. Todas as figuras

Leia mais

Curso de Electrocardiografia Básica TAQUIARRITMIAS. Miryan Cassandra. Serviço de Cardiologia CHUC - H. Geral 16 de Outubro de 2014

Curso de Electrocardiografia Básica TAQUIARRITMIAS. Miryan Cassandra. Serviço de Cardiologia CHUC - H. Geral 16 de Outubro de 2014 Curso de Electrocardiografia Básica TAQUIARRITMIAS Miryan Cassandra Serviço de Cardiologia CHUC - H. Geral 16 de Outubro de 2014 TAQUIARRITMIAS Introdução Conceitos básicos de arritmias Avaliação sistematizada

Leia mais

Indicações atuais de implante de marcapasso definitivo

Indicações atuais de implante de marcapasso definitivo 84 Vol XV N o 2 4 Artigo de Revisão Indicações atuais de implante de marcapasso definitivo Márcio Luiz Alves Fagundes 1, Fernando Eugênio S. Cruz Filho 1, Roberto M. Sá 2, Carlos Arthur F.B. dos Santos

Leia mais

FERRAMENTAS DE APOIO À ABORDAGEM DA DISFUNÇÃO ERÉTIL

FERRAMENTAS DE APOIO À ABORDAGEM DA DISFUNÇÃO ERÉTIL FERRAMENTAS DE APOIO À ABORDAGEM DA DISFUNÇÃO ERÉTIL 1. Etiologia da Disfunção Erétil (DE) Fonte: Hatzimouratidis K, Giuliano F, Moncada I, Muneer A, Salonia A, Verze P, Parnham A, Serefoglu EC. Male Sexual

Leia mais

ENFERMAGEM DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANMISSIVEIS. Doença Cardiovascular Parte 2. Profª. Tatiane da Silva Campos

ENFERMAGEM DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANMISSIVEIS. Doença Cardiovascular Parte 2. Profª. Tatiane da Silva Campos ENFERMAGEM DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANMISSIVEIS Doença Cardiovascular Parte 2 Profª. Tatiane da Silva Campos Para a avaliação do risco cardiovascular, adotam-se: Fase 1: presença de doença aterosclerótica

Leia mais

Farmacoterapia de Distúrbios Cardiovasculares. Profa. Fernanda Datti

Farmacoterapia de Distúrbios Cardiovasculares. Profa. Fernanda Datti Farmacoterapia de Distúrbios Cardiovasculares Profa. Fernanda Datti Circulação Batimentos cardíacos células musculares células neuromusculares Nodo sinoatrial (SA) Nodo atrioventricular (AV) Sistema Purkinje

Leia mais

Curso de capacitação em interpretação de Eletrocardiograma (ECG) Prof Dr Pedro Marcos Carneiro da Cunha Filho

Curso de capacitação em interpretação de Eletrocardiograma (ECG) Prof Dr Pedro Marcos Carneiro da Cunha Filho Curso de capacitação em interpretação de Eletrocardiograma (ECG) Prof Dr Pedro Marcos Carneiro da Cunha Filho Anatomia cardíaca Coração Anatomia cardíaca Coração Coração Coração Nó Sinoatrial Coração elétrico

Leia mais

O ECG nas síndromes coronárias isquêmicas

O ECG nas síndromes coronárias isquêmicas O ECG nas síndromes coronárias isquêmicas Prof. Dr. Paulo Jorge Moffa Importância do ECG na Estratificação de Risco no Infarto Agudo do Miocárdio ECG no Diagnóstico do Infarto Agudo do Miocárdio Papel

Leia mais

Serviço de Fisiologia

Serviço de Fisiologia Serviço de Fisiologia Aula Teórica-Prática: Electrocardiograma Características do ECG exame não invasivo, barato e versátil útil para avaliar orientação anatómica do coração dimensões relativas das diversas

Leia mais

Malignant mitral prolapse or another cause for sudden death?

Malignant mitral prolapse or another cause for sudden death? Malignant mitral prolapse or another cause for sudden death? Ana Rita G. Francisco Cardiologia HSM-CHLN Caso Clínico História Pregressa Doente de 34 anos, sexo feminino, caucasiana Seguida em consulta

Leia mais

Terapia Baseada em Dispositivo de Controle a Distância de Pacientes com Insuficiência Cardíaca

Terapia Baseada em Dispositivo de Controle a Distância de Pacientes com Insuficiência Cardíaca Reblampa 2004 Espaço 17(4): 200-204. Publicitário. Reblampa 2004; 17(4): 200-204. Espaço Publicitário Biotronik Terapia Baseada em Dispositivo de Controle a Distância de Pacientes com Insuficiência Cardíaca

Leia mais

Terapêutica diurética e mecanismos de resistência diurética. Pedro Pereira Campos S. Nefrologia (Director: Dr. Pedro Correia)

Terapêutica diurética e mecanismos de resistência diurética. Pedro Pereira Campos S. Nefrologia (Director: Dr. Pedro Correia) Terapêutica diurética e mecanismos de resistência diurética Pedro Pereira Campos S. Nefrologia (Director: Dr. Pedro Correia) Março 2018 Sumário - Sobrecarga de volume - Farmacologia dos diuréticos - Classes

Leia mais

Programação Preliminar do 71º Congresso Brasileiro de Cardiologia

Programação Preliminar do 71º Congresso Brasileiro de Cardiologia Programação Preliminar do 71º Congresso Brasileiro de Cardiologia Sexta-Feira, 23 de Setembro de 2016 Auditório 01 (Capacidade 250) (21338) Atualização Ergometria, Reabilitação Cardíaca e Cardiologia Desportiva

Leia mais

PULMONAR E NA PÓS-CARGA VENTRICULAR DIREITA

PULMONAR E NA PÓS-CARGA VENTRICULAR DIREITA REDUÇÃO DO RC TIME APÓS O TRANSPLANTE CARDÍACO: OS EFEITOS INESPERADOS DA FREQUÊNCIA CARDÍACA NA HEMODINÂMICA PULMONAR E NA PÓS-CARGA VENTRICULAR DIREITA Nádia Moreira 1, Rui Baptista 1, David Prieto 2,

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA - CCEX COMISSÃO DE ENSINO INSTITUTO DO CORAÇÃO

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA - CCEX COMISSÃO DE ENSINO INSTITUTO DO CORAÇÃO DATA: 12 de DEZEMBRO DE 2016, AUDITÓRIO VERMELHO CENTRO DE CONVENÇÕES REBOUÇAS 1. Cardio-Oncologia Curriculum Lattes ou Local: Sala de Reunião da Pós-Graduação, em frente ao Anfiteatro Dia 12 13h:30 x

Leia mais

5º COLÓQUIO DE PEDIATRIA do HOSPITAL de FARO. A CNSMCA e os Cuidados de Saúde às Crianças em Portugal. Bilhota Xavier

5º COLÓQUIO DE PEDIATRIA do HOSPITAL de FARO. A CNSMCA e os Cuidados de Saúde às Crianças em Portugal. Bilhota Xavier 5º COLÓQUIO DE PEDIATRIA do HOSPITAL de FARO A CNSMCA e os Cuidados de Saúde às Crianças em Portugal Bilhota Xavier 1 Constituição Pediatras: 8 (3 área neonatal; 1 genética) Obstetras: 4 Cardiologista

Leia mais

Portaria nº 402 de 17 de Junho de O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições,

Portaria nº 402 de 17 de Junho de O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições, Portaria nº 402 de 17 de Junho de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria GM/MS nº 1.027, de 31 de maio de 2002, que aprovou a da Tabela de Procedimentos

Leia mais

Cardiomiopatia Conceitos, evolução e prognóstico

Cardiomiopatia Conceitos, evolução e prognóstico Curso de Reciclagem em Cardiologia Cardiomiopatia Conceitos, evolução e prognóstico Dr. Amberson Vieira de Assis Instituto de Cardiologia de Santa Catarina Conceituação Grupo de desordens que afetam o

Leia mais

O Centro de Referência de Cardiologia de Intervenção Estrutural centra a sua ação na assistência diferenciada aos doentes com necessidade de

O Centro de Referência de Cardiologia de Intervenção Estrutural centra a sua ação na assistência diferenciada aos doentes com necessidade de REPÚBLICA PORTUGUESA SAÚDE Guia de Acolhimento Centro de Referência Cardiologia de Intervenção Estrutural 1 O Centro de Referência de Cardiologia de Intervenção Estrutural centra a sua ação na assistência

Leia mais

Revista Portuguesa de. Cardiologia. Portuguese Journal of Cardiology.

Revista Portuguesa de. Cardiologia. Portuguese Journal of Cardiology. Rev Port Cardiol. 2019;38(1):33-41 Revista Portuguesa de Cardiologia Portuguese Journal of Cardiology www.revportcardiol.org ARTIGO ORIGINAL Implantação de dispositivos de ressincronização e/ou desfibrilhação

Leia mais

Prevenção da morte súbita cardíaca na miocardiopatia não-isquémica

Prevenção da morte súbita cardíaca na miocardiopatia não-isquémica Clínica Universitária de Cardiologia na miocardiopatia não-isquémica Andrei Galafton ABRIL 2017 Clínica Universitária de Cardiologia na miocardiopatia não-isquémica Andrei Galafton Orientado por: Dr. João

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA DE CARDIOLOGIA UNIDADE DE ENSINO INSTITUTO DE CARDIOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL / DISTRITO FEDERAL

FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA DE CARDIOLOGIA UNIDADE DE ENSINO INSTITUTO DE CARDIOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL / DISTRITO FEDERAL FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA DE CARDIOLOGIA UNIDADE DE ENSINO INSTITUTO DE CARDIOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL / DISTRITO FEDERAL PROVA TEÓRICA CONCURSO DE SELEÇÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA:

Leia mais

XVI Congresso de Cardiologia. de Mato Grosso do Sul

XVI Congresso de Cardiologia. de Mato Grosso do Sul XVI Congresso de Cardiologia de Mato Grosso do Sul ANGINA ESTÁVEL IDENTIFICAÇÃ ÇÃO O E ABORDAGEM Campo Grande, outubro de 2010 nsmorais@cardiol.br Epidemiologia da DAC Estável Suécia 80 França Escócia

Leia mais

Jorge Yussef Afiune Divisão de Cardiologia Pediátrica.

Jorge Yussef Afiune Divisão de Cardiologia Pediátrica. Diagnóstico e tratamento das principais arritmias na criança Jorge Yussef Afiune jorge.afiune@incordf.zerbini.org.br Divisão de Cardiologia Pediátrica www.paulomargotto.com.br Sistema elétrico do coração

Leia mais

16º Fórum de Fisioterapia em Cardiologia Auditório 12

16º Fórum de Fisioterapia em Cardiologia Auditório 12 Fóruns 26 de setembro de 2014 16º Fórum de Fisioterapia em Cardiologia Auditório 12 11h00 12h00 - Mesa Redonda: Fisioterapia nas Cardiopatias Congênitas 11h00 11h20 - Cardiopatias Congênitas 11h20 11h40

Leia mais