ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP"

Transcrição

1 Bruno Luiz Corbani Garcia ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP EMPRESA: Microvix SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Dalton Dhiergo Fernandes ORIENTADOR: Alexandre Parra Silva Carneiro CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGIAS - CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC JOINVILLE SANTA CATARINA - BRASIL NOVEMBRO/2008

2 APROVADO EM.../.../... Professor Mestre em. Professor Orientador Professor Mestre em. Professor Mestre em. Supervisor da CONCEDENTE 2

3 Carimbo da Empresa UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: MICROVIX SOFTWARE S/A. CGC/MF: / Endereço: Av. Hermann August Lepper, 25 Bairro: Centro CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: 55 (47) Supervisor: Dalton Dhiergo Fernandes Cargo: Gerente de Desenvolvimento ESTAGIÁRIO Nome : Bruno Luiz Corbani Garcia Matrícula: Endereço: Rua Agronômica, 1328 Bairro: Guanabara CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Curso de : Sistemas de Informação Título do Estágio: Integração de banco de dados MicrovixERP Período: 01/09/2008 a 19/09/2008 Carga horária: 120hrs AVALIAÇÃO FINAL DO ESTÁGIO PELO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS Representada pelo Professor Orientador: Alexandre Parra Silva Carneiro CONCEITO FINAL NOTA Excelente (9,1 a 10) Muito Bom (8,1 a 9,0) Bom (7,1 a 8,0) Regular (5,0 a 7,0) Reprovado (0,0 a 4,9) Rubrica do Professor Orientador Joinville / / 3

4 Nome do Estagiário : Bruno Luiz Corbani Garcia QUADRO I AVALIAÇÃO NOS ASPECTOS PROFISSIONAIS QUALIDADE DO TRABALHO: Considerando o possível. ENGENHOSIDADE: Capacidade de sugerir, projetar, executar modificações ou inovações. CONHECIMENTO: Demonstrado no desenvolvimento das atividades programadas. CUMPRIMENTO DAS TAREFAS: Considerar o volume de atividades dentro do padrão razoável. ESPÍRITO INQUISITIVO: Disposição demonstrada para aprender. INICIATIVA: No desenvolvimento das atividades. SOMA Pontos QUADRO II AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS HUMANOS ASSIDUIDADE: Cumprimento do horário e ausência de faltas. DISCIPLINA: Observância das normas internas da Empresa. SOCIABILIDADE: Facilidade de se integrar com os outros no ambiente de trabalho. COOPERAÇÃO: Disposição para cooperar com os demais para atender as atividades. SENSO DE RESPONSABILIDADE: Zelo pelo material, equipamentos e bens da empresa. SOMA Pontos PONTUAÇÃO PARA O QUADRO I E II Sofrível - 1 ponto, Regular - 2 pontos, Bom - 3 pontos, Muito Bom - 4 pontos, Excelente - 5 pontos LIMITES PARA CONCEITUAÇÃO AVALIAÇÃO FINAL Pontos De 57 a SOFRÍVEL SOMA do Quadro I multiplicada por 7 De 102 a REGULAR SOMA do Quadro II multiplicada por 3 De 148 a BOM SOMA TOTAL De 195 a MUITO BOM De 241 a EXCELENTE Nome da Empresa: MICROVIX SOFTWARE S/A. Representada pelo Supervisor: Dalton Dhiergo Fernandes CONCEITO Rubrica do Supervisor da CONFORME SOMA Empresa TOTAL Local: Data : Carimbo da Empresa 4

5 UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - FEJ PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR I e II ESTAGIÁRIO Nome: Bruno Luiz Corbani Garcia Matrícula: Endereço (Em Jlle): Agronômica Bairro: Guanabara CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Endereço (Local estágio): Avenida Hermann Augusto Lepper Bairro: Centro CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Regularmente matriculado no semestre: 5 Curso: Tec de Sistemas em Informação Formatura (prevista) Semestre/Ano: 01/2009 UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Microvix Software S/A. CGC/MF: / Endereço: Avenida Hermann Augusto Lepper Bairro: Saguaçu CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Atividade Principal : Desenvolvimento de Sistemas Supervisor: Dalton Dhiergo Fernandes Cargo: Gerente de Desenvolvimento DADOS DO ESTÁGIO Área de atuação: Desenvolvimento de Sistemas Departamento de atuação: Desenvolvimento Fone: (47) Horário do estágio: 8:30 12:00 / 13:30 18:00 Total de horas do Estágio: 8 horas Período: 01/09/2008 à 19/09/2008 Total de horas semanais: 40 horas Nome do Professor Orientador: Alexandre Parra Carneiro da Silva Departamento: Departamento de Ciência da Computação Disciplina(s) simultânea(s) com o estágio Quantas: 4 Quais: Gerência de Projetos. Redes de Computadores. Pesquisa Operacional. Metodologia Científica. OBJETIVO GERAL O objetivo do presente trabalho é desenvolver um sistema de integração entre duas bases de dados distintas, a fim de integrar os dados relacionados aos produtos de uma indústria e suas respectivas lojas franqueadas. 5

6 ATIVIDADES OBJETIVO ESPECÍFICO HORAS Estudo das tecnologias utilizadas: SQL Server 2000 e Data Transformation Service (DTS). Adquirir conhecimento das tecnologias utilizadas. 15 Estudo da arquitetura das bases de dados utilizadas. Adquirir conhecimento das arquiteturas dos sistemas a serem integrados. 20 Projeto do pacote Data Transformation Service. Definir todas as entidades que irão fazer parte da integração entre as bases. 20 Implementação da integração. Desenvolver o pacote DTS deixando as bases de dados das lojas franqueadas prontas para serem utilizadas. 50 Testes e correções de erros encontrados. Realizar testes e Corrigir os erros encontrados. 15 Rubrica do Professor Orientador Rubrica do Coordenador de Estágios Rubrica do Supervisor da Empresa Data: Data: Data: Carimbo da Empresa 6

7 AGRADECIMENTOS Agradeço a todos os meus colegas de trabalho, e em especial aos meus familiares e minha namorada. 7

8 SUMÁRIO Rubrica do Professor Orientador...3 QUADRO I...4 QUADRO II INTRODUÇÃO OBJETIVOS Gerais Específicos METODOLOGIA MOTIVAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO EMPRESA HISTÓRICO MERCADO APLICAÇÕES MicrovixERP MicrovixSFA MicrovixBI PRINCIPAIS CLIENTES CONSIDERAÇÕES ESTUDO DA TECNOLOGIA DE BANCO DE DADOS SQL SERVER Structured Query Language (SQL) Query Analyser Data Transformation Service Considerações PROJETO DE INTEGRAÇÃO BANCO DE DADOS REQUISITOS ARQUITETURA DESENVOLVIMENTO Pacote DTS Procedimento SQL de Integração Criação do Job CONSIDERAÇÕES TESTES E ERROS ERROS ENCONTRADOS E SOLUCOES CONSIDERAÇÕES CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

9 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Principais Clientes da Microvix...17 Figura 2 Figura Demonstra o Query Analyser...19 Figura 3 Figura Demonstra o Data Transformartion Service...20 Figura 4 Diagrama Entidade Relacionamento...23 Figura 5 Principais Atividades e conexões do pacote DTS...26 Figura 6 Fluxo Geral dos Dados...27 Figura 7 passo 1 para configuração do Job...28 Figura 8 passo 2 para configuração do Job...29 Figura 9 passo 3 para configuração do Job...29 Figura 10 passo 4 para configuração do Job

10 RESUMO Todas as atividades envolvidas neste estágio estão relacionadas a implementação de uma integração de banco de dados com a finalidade de sincronizar informações cadastrais em diversas bases de dados. Através dessa sincronização de informações, os usuários do sistema MicrovixERP não precisarão mais realizar cadastros de produtos. Outra vantagem que esta atividade disponibiliza é a padronização de cadastros entre as diversas bases de dados das franquias. No início do presente trabalho é feita uma breve introdução da empresa em que foi realizado o estágio, citando seus produtos e principais clientes. Em seguida é descrito as fases do projeto, onde se destacam os requisitos do projeto, a arquitetura do sistema e o processo de desenvolvimento que o acadêmico elaborou durante o estágio. Além do desenvolvimento do projeto também é apresentado os testes e os erros encontrados. O relatório é concluído com análise do acadêmico, mostrando de que maneira as disciplinas estudas na graduação contribuíram para a realização do estágio. 10

11 1. INTRODUÇÃO 1.1 OBJETIVOS Gerais O objetivo geral do estágio é realizar uma integração de dois bancos de dados distintos. Esta integração pretende sincronizar os cadastros de produtos das duas bases de dados. Este trabalho é importante para padronizar os cadastros integrados e diminuir o tempo de implantação do sistema MicrovixERP Específicos Com o estudo das tecnologias SQL Server, em específico o Data Transformation Service (DTS) e o Query Analyzer, espera-se adquirir conhecimento suficiente em Banco de dados para a concretização do presente estagio. Este estudo tem o objetivo de fazer com que o estagiário aprenda as tecnologias utilizadas e consiga prosseguir no trabalho. Deseja-se também desenvolver uma arquitetura do pacote DTS que possíveis manutenções sejam facilitadas e que o tempo de implementação do projeto diminua. Este pacote DTS tem o objetivo de integrar automaticamente as informações das duas bases de dados. A principal atividade a ser executada é o desenvolvimento do projeto, criando o pacote DTS e as procedures de replicação dos dados deixando as bases de dados prontas para a utilização do sistema pelas lojas franqueadas. Concluindo o estágio pretende-se realizar testes e corrigir os erros encontrados. 1.2 METODOLOGIA A metodologia utilizada para o desenvolvimento do projeto foi primeiramente o estudo das tecnologias de banco de dados e as ferramentas utilizadas para o desenvolvimento do trabalho em questão. 11

12 Os principais recursos abordados no trabalho foram: a utilização dos pacotes Data Transformation Service, o conhecimento avançado da linguagem SQL (Structured Query Language) e o conhecimento de Diagramas de Entidade Relacionamento utilizados na prática. Com os resultados da pesquisa do capítulo 3 é apresentado no capítulo 4 todo o projeto de integração entre as bases de dados. A partir disto foi montada a arquitetura e a modelagem de banco de dados. No capítulo 5 são apresentados todos os erros encontrados e suas principais soluções aos problemas. E para concluir, em seguida é apresentada as Considerações Finais com as lições assimiladas e os pontos relevantes do trabalho. 1.3 MOTIVAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO O projeto de integração de banco de dados, consiste no desenvolvimento de um sistema totalmente automatizado de replicação de informações utilizando somente a tecnologia de banco de dados. Esta replicação de dados fará somente menção as entidades relacionadas aos cadastros de produtos do MicrovixERP, sendo que o projeto prevê que todas as lojas da franquia comecem obrigatoriamente com os produtos totalmente integrados. O desenvolvimento de um sistema de integração de banco de dados traz a facilidade ao usuário de não precisar cadastrar manualmente todos os produtos, e padronização das informações integradas. Outro ponto que possibilita o desenvolvimento de uma integração deste porte é que os dados são atualizados constantemente, ou seja, qualquer outra aplicação que não atendesse este requisito seria totalmente inviável o seu desenvolvimento para atender os interesses do cliente que solicitou este sistema de integração. 12

13 2. EMPRESA O estágio foi efetuado na empresa Microvix S/A, que é especializada no desenvolvimento de produtos para gestão empresarial baseados na Internet. Pioneira no fornecimento de aplicações em modelo ASP (Application Service Provider). A Microvix é pioneira no Brasil em utilização da plataforma Web para aplicações de gestão empresarial. O MicrovixERP lançado em 2001 foi a primeira ferramenta de ERP totalmente baseada na internet e fornecida em modelo ASP. Com esse domínio da tecnologia, a Microvix consegue níveis elevados de produtividade, podendo competir em igualdade de condições e praticar custos muito mais acessíveis que a concorrência tradicional. [MCX, 2008] HISTÓRICO A empresa Microvix foi fundada em 1998 por Hugo Fabiano Cordeiro e Flávio Benke. A sua primeira solução foi uma aplicação simples e de baixo custo denominado o Gestor. Gestor fora um aplicativo de controle comercial desenvolvido para executar na plataforma MS-DOS. No mesmo ano do início da sociedade, Flávio Benke decidiu retirar-se dos negócios e Priscila Cristier Fernandes Cordeiro assumiu seu lugar. Com esta nova sociedade houve a necessidade de mudar o foco da empresa para gestão empresarial. No ano de 2000 a empresa já possuía uma carteira/portfólio com mais de 20 clientes fixos. Contudo, a aplicação desenvolvida em Clipper não estava suportando todas as exigências do mercado, assim a empresa decidiu alterar sua plataforma. Com a aposta no grande crescimento da utilização da Internet, a Microvix decidiu pela criação de novos produtos, estes seriam totalmente voltados para o ambiente Web e desenvolvido em ASP (Active Server Pages). Lançado em 2001 o primeiro produto Web foi o MicrovixERP, sendo portanto o primeiro ERP brasileiro totalmente baseado na Web. MicrovixERP tem como seu principal público alvo as pequenas e médias empresas. Como se trata de um produto totalmente voltado ao ambiente Web, o 13

14 MicrovixERP é ágil e com o custo baixo, o que fez com que a Microvix conseguisse diversos clientes, e assim um crescimento rápido. No ano de 2006 a Microvix transformou-se em uma sociedade de ações, agora denominada Microvix Software S/A. 2.2 MERCADO A Microvix é especialista no desenvolvimento de produtos para gestão empresarial baseados na Internet. Pioneiros no fornecimento de aplicações em modelo ASP (Application Service Provider). (MCX, 2008) Com este modelo de aplicações, as soluções da Microvix S/A tornam-se aplicações de baixo custo e com extrema versatilidade. Estas qualidades acabam sendo vistas pelas pequenas e médias empresas como soluções de ótimo grau em custo/benefício. 2.3 APLICAÇÕES O objetivo principal dessa seção subcapítulo é apresentar as principais aplicações que a empresa Microvix disponibiliza para os seus clientes, todos eles são totalmente baseados na Web, e com foco em gestão empresarial., como o MicrovixERP, o MicrovixBI e o MicrovixSFA MicrovixERP O software MicrovixERP lançado no ano de 2001 é a primeira aplicação de gerenciamento empresarial totalmente baseada na Internet e utilizando o modelo ASP. Com esta tecnologia as empresas que utilizam o software adquirem altos níveis de produtividade, podendo competir em condições favoráveis com seus concorrentes, diminuindo custos e maximizando lucros. Diferente do modelo convencional, onde o cliente precisa ter servidores, equipe de TI e fazer o backup de seus dados, o modelo ASP torna o 14

15 sistema totalmente portável, podendo ser acessado de qualquer computador que tenha conexão com a Internet e o cliente não tem a necessidade de ter os outros recursos necessários no modelo convencional, como o servidor próprio (MCX, 2008). Com este modelo os custos do MicovixERP são reduzidos drasticamente com equipes de informática e infra-estrutura. Além destas vantagens, é possível acessar o software de qualquer lugar do planeta e a qualquer momento. Apesar do MicrovixERP ser baseado totalmente na Internet, as mesmas funcionalidades típicas de um ERP convencional são aplicadas a ele, sendo a aplicação particionado em vários módulos, como o Financeiro, Tesouraria, Suprimentos / Estoque, CRM, entre outros MicrovixSFA Além do MicrovixERP, outro produto totalmente baseado na Internet é o SFA da Microvix, o seu principal objetivo é maximizar a produtividade e o gerenciamento do processo de venda. Este produto possibilita o vendedor a acessar a aplicação através de dispositivos móveis (notebooks, palmtops, smartphones e desktops), que conectam a internet. Ele disponibiliza todos os dados necessários para o vendedor realizar seu trabalho, como colocação de pedidos, lista de preços, condições de pagamento, histórico de clientes, saldos em estoque, relação de produtos, agenda e outros dados importantes para o fechamento dos negócios. Todas as transferências de informações são executadas pelo SFA Microvix podendo ser em tempo real (on-line) ou de tempos em tempos, cia sincronização (off-line). Assim com estas funcionalidades, é possível a utilização do sistema a qualquer lugar em qualquer hora MicrovixBI O MicrovixBI é uma solução que tem por objetivo dar suporte à tomada de decisões. Para alcançar o sucesso, as empresas devem oferecer produtos e serviços com qualidade superior a seus clientes. Elas devem obter 15

16 conhecimento em tempo real, possibilitando tomar decisões eficazes nos diversos níveis de uma empresa em tempo oportuno, além do monitoramento dos indicadores de desempenho levando a empresa em direção aos seus objetivos. (MCX, 2008) Além de todos esses recursos disponíveis, a interface do software é totalmente amigável, e como os outros produtos da Microvix, o MicrovixBI utiliza o modelo ASP, o que o possibilita acessar a aplicação de qualquer computador conectado à Internet. 2.4 PRINCIPAIS CLIENTES Com estes diferenciais em seus softwares a Microvix conquistou um grande número de clientes. Entre eles a Millium que é uma empresa de grande porte em Joinville, Brasil Teleconm, Tennis e Training, Sidi Racing, Omar calçados e recentemente a Chilli Beans, que é um de seus maiores clientes. A Chilli Beans é a maior rede de óculos brasileira e implantou o Microvix ERP em toda a sua rede de loja, que são mais de 180 em todo o Brasil (Baguete, 2007). A Empresa Microvix em um todo possui mais de 200 clientes em todo o Brasil, incluindo ainda um cliente no Panamá e outro cliente em Portugal. Na figura 1 é apresentado uma listagem dos principais clientes que utilizam as aplicações da Microvix. 16

17 Figura 1 - Principais Clientes da Microvix 2.5 CONSIDERAÇÕES Com seu grande crescimento da empresa Microvix, esta alcançou um controle na qualidade e atualmente é certificada pela ISO Com esta certificação na qualidade e se atualizando constantemente a Microvix ganhou vários prêmios, em 2004 ela foi finalista do Prêmio Talentos Empreendedores. Em 2005 foi campeã regional e estadual deste mesmo prêmio e também participou do Prêmio Finep de Inovação Tecnológica. No ano de 2006 conquistou reconhecimento nacional de qualidade, produtividade e competitividade (MCX, 2007). 17

18 3. ESTUDO DA TECNOLOGIA DE BANCO DE DADOS Para o estágio houve a necessidade de estudar as tecnologias do banco de dados utilizadas pela empresa. O gerenciador utilizado é o SQL Server 2000 desenvolvido pela Microsoft. O gerenciador é programado pela linguagem SQL (Structured Query Language) e as suas ferramentas para manipulação são o Query Analyzer e o Data Transformation Service também desenvolvidos pela Microsoft. 3.1 SQL SERVER 2000 O SQL SERVER 2000 é um sistema gerenciador de banco de dados relacional (SGBDR 1 ) que utiliza a linguagem Structured Query Language (SQL 2 ) para a sua manipulação. Este foi lançado no ano de 2000 e ainda é amplamente utilizado por empresas e organizações Structured Query Language (SQL) Structured Query Language, ou Linguagem de Consultas Estruturada ou ainda SQL 2, é uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional. Muitas das características originais do SQL 2 foram inspiradas na álgebra relacional. Segundo BATISTTI, um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional (SGBDR 1 ) utiliza a Linguagem SQL para a sua manipulação. Isto significa que ele utiliza um sistema para gerenciar dados que estão armazenado em relações. As informações desse tipo de banco de dados são armazenados em tabelas, contudo existem outras maneiras de gerenciar bases de dados. Podemos tomar como exemplo de banco de dados hierárquicos arquivos e diretórios em sistemas operacionais tipo Unix. Um desenvolvimento mais moderno e em estudo são os bancos de dados orientados a objeto. Segundo BATISTTI, esta linguagem também é dividida em duas principais funcionalidades: O DDL e o DML. A DDL é responsável pela criação, alteração e exclusão das estruturas do banco de dados e seus 1 SGBDR Sistema utilizado para manipular banco de dados relacional. 2 SQL Linguagem estruturada para manipular banco de dados. 18

19 principais comandos são o create, alter e drop. Já a DML é responsável pela manipulação dos dados contidos no banco e seus principais comandos são o insert, update, delete e o select Query Analyser O Query Analyser é uma IDE (Integrated Development Environment) desenvolvidas pela Microsoft. Ela é largamente utilizada por desenvolvedores de sistemas de informação que utilizam o sistema gerenciador de banco de dados SQL Server A sua principal funcionalidade é o envio de comandos SQL para o banco de dados. Na figura 2 é apresentada o Query Analyser destacando as seguintes áreas: Figura 2 Figura Demonstra o Query Analyser 1 Query Esta área é destinada para escrever e executar os comandos SQL, ou seja, um editor de texto. Os principais comandos SQL são destacados com outra cor para melhor visualização. 2 Gris/Messages 19

20 Nesta área do editor é possível ver o retorno das consultas enviadas ao banco de dados e as mensagens de erro ou sucesso dos comandos executados. 3 Object Browser Nesta área do editor é possível visualizar todos os bancos de dados e suas estruturas de forma hierárquica. As estruturas abaixo do banco de dados que são possíveis de visualização por esta área são as Tabelas, Visões, Procedures, Usuários, funções entre outros Data Transformation Service O aplicativo Data Transformation Service (DTS) é uma solução de ponta, sofisticada, para manipular uma grande quantidade de dados. O DTS também move dados de uma fonte de dados do OLE DB para outra fonte de dados OLE DB ou arquivos no formato texto ou planilhas na extensão xls. O design é totalmente intuitivo e de fácil utilidade. (DTS, 2008) Na figura 3 é apresentada o Data Transformation Service destacando as seguintes áreas: Figura 3 Figura Demonstra o Data Transformartion Service 20

21 1 Connection / Task Esta barra de ferramentas do aplicativo é categorizada por duas funcionalidades, os tipos de conexões aos dados, estes podem ser conectados a planilhas no formato Excel, diversos bancos de dados ODBC, arquivos textos, etc. Outra funcionalidade é executar atividades como comandos SQL, envio de e chamadas de aplicativos ActiveX. 2 Editor Gráfico Este editor gráfico é uma ferramenta Clique e Arraste. Nela é possível incluir os componentes de conexão e as atividades, definindo assim o fluxo de execução dos processos. 3.2 Considerações Com os conceitos definidos neste capítulo sobre a Linguagem SQL e suas ferramentas possibilitou ao estagiário a realizar a integração os dados relacionados ao cadastro de produtos. 21

22 4. PROJETO DE INTEGRAÇÃO BANCO DE DADOS No projeto de integração de banco de dados é necessário ter um planejamento prévio das atividades envolvidas. As atividades que serão apresentadas no decorrer deste capítulo são: a análise dos requisitos do projeto, o estudo da arquitetura do banco de dados e o desenvolvimento do projeto. 4.1 REQUISITOS A integração de banco de dados tem como principal requisito a padronização de algumas informações cadastrais em diversos bancos de dados. Na integração as estruturas deverão ser iguais e somente serão integradas as informações cadastrais dos produtos. Outro requisito é que todas as informações integradas dos produtos não deverão ser alteradas pelo usuário final. Isto permite um maior controle da franqueadora sobre as franqueadas e uma maior agilidade na alteração de algum registro. Além dos registros integrados não serem alterados, outro requisito é que as informações deverão ser atualizadas periodicamente. Os dados serão sincronizados a cada uma hora. Os funcionários do sistema da franqueadora serão integrados como clientes no MicrovixERP. Os funcionários devem entrar no banco de dados do MicrovixERP relacionados a uma classe de cliente chamada funcionários. Isto permite que os funcionários ganhem descontos ao comprar das lojas franqueadas. 4.2 ARQUITETURA A arquitetura compreende a estrutura técnica para o funcionamento dos requisitos da aplicação. Neste subcapítulo serão estudados o DER (Diagrama de Entidade Relacionamento) das entidades relacionadas aos produtos e clientes. O objetivo do estudo é conhecer as estruturas envolvidas no processo a qual sofrerão a 22

23 integração dos dados. Conforme apresentado na Figura 4, tem-se o modelo de entidade de relacionamento utilizado no MicrovixERP em proporções reduzidas. A figura 4 demonstra as entidades pertinentes para a migração dos dados. A seguir serão apresentados em tópicos explicativos as entidades. Figura 4 Diagrama Entidade Relacionamento 1 colecoes Esta tabela é responsável por armazenar os dados referentes às coleções dos produtos. Por exemplo coleção inverno produtos_classificacao A tabela produtos_classificacao tem o objetivo de guardar as informações das classificações dos produtos ou tipos de produtos. 3 produtos_grade2 Na tabela produtos_grade2 são armazenadas as informações das cores dos 23

24 produtos. 4 marcas A entidade marcas é responsável por conter as informações das marcas dos produtos. 5 setores A tabela setores contém os dados referentes aos setores onde os produtos estão alocados na empresa. 6 produtos_grade1 Essa tabela é responsável por armazenar os dados referentes aos tipos de tamanhos dos produtos. 7 linhas Esta entidade é responsável por guardar os dados referentes às linhas de produtos. 8 produtos Esta é a entidade mais importante para o presente trabalho porque registra os dados referentes aos produtos da empresa. Contém as chaves estrangeiras das tabelas: colecoes, produtos_classificacao, produtos_grade2, marcas, setores, produtos_grade1, linhas e empresa. É referenciada pela tabela produtos_detalhes. 9 clientes_fornec A tabela clientes_fornec é uma das tabelas mais importantes do sistema MicrovixERP. É responsável por armazenar as informações dos clientes e fornecedores. Na integração dos dados, a tabela clientes_fornec receberá as informações dos funcionários da franqueadora. Estes funcionários da franqueadora serão tratados como clientes no aplicativo da Microvix. 10 empresa A entidade empresa armazena as informações cadastrais das lojas que a franquia possui. Esta tabela não fará parte diretamente do processo de integração das bases de dados. Porém é de fundamental importância a citação dessa tabela para o entendimento do sistema da Microvix. 11 produtos_detalhes 24

25 A tabela relacional entre as entidades empresa e produtos é a produtos_detalhes. Esta é importante para guardar os dados dos produtos que estão dispostos por empresa. 4.3 DESENVOLVIMENTO O desenvolvimento do projeto será a sessão do trabalho onde todos os estudos abordados anteriormente serão utilizados para integrar os dados. Neste subcapítulo serão apresentados o desenvolvimento do pacote DTS, a implementação procedimentos SQL e a criação do Job Pacote DTS Nesta integração das bases de dados, houve a escolha do desenvolvimento de um pacote DTS. Este pacote faz três operações principais: se conecta a base de dados da franqueadora, consulta algumas visões disponibilizadas e alimenta uma base de dados da Microvix. Além da migração dos dados, o pacote DTS faz algumas verificações para minimizar possíveis erros. Conforme a Figura 5, tem-se o pacote DTS desenvolvido no estágio. A seguir serão apresentados os processos detalhados e seus respectivos fluxos: 25

26 Figura 5 Principais Atividades e conexões do pacote DTS O ícone número 1 é a primeira atividade a ser realizada no fluxo do pacote. Esta atividade foi desenvolvida com a função de excluir todos os registros das tabelas temporárias de entrada. As tabelas temporárias são responsáveis por receber todos os registros das visões. Elas não realizam nenhum tratamento com relação a chaves estrangeiras ou dados inválidos. O ícone número 2 na figura 5, é uma conexão com a base do sistema da franqueadora. Nesta base, a Microvix tem um usuário com permissões somente para acessar as visões criadas pelo cliente para a extração dos dados. O ícone dev apontado por 3 é a conexão com uma base de dados no mesmo formato das lojas franqueadas. Neste banco de dados intermediário são executadas as validações e é definido para qual banco de dados de produção serão enviadas as informações. As atividades destacadas pelo ícone número 4 são responsáveis por migrar os dados das visões para as respectivas tabelas temporárias. Nestas atividades do pacote, não é tratado nenhum possível erro de constraints ou dados inválidos. As atividades apontadas pelo ícone 5, são responsáveis por validar os 26

27 dados e repassar as informações contidas nas tabelas temporárias para as tabelas finais. A lógica utilizada para este repasse de dados é implementado da seguinte forma: é executado um comando update das informações existentes na base do MicrovixERP, em seguida os dados são inseridos somente se não estiverem contidos neste banco de dados final Procedimento SQL de Integração Após a migração das informações efetuada pelo pacote DTS de integração, é necessário que os dados sejam replicados para as suas respectivas bases que executam em produção. Na figura 6 é apresentado o fluxo das informações para melhor entendimento do contexto geral de todo o processo de integração dos dados. Todos os processos executados no item A da figura 6 foram abordados anteriormente na figura 5. Estes processos se referem a todas atividades e conexões do pacote DTS. Figura 6 Fluxo Geral dos Dados O item B na figura 6 representa procedimentos ou stored procedures de replicação das informações contidas na base intermediaria. As stored procedures são códigos SQL agrupados dentro de uma estrutura que é 27

28 compilada no próprio banco de dados. As vantagens das stored procedures são o encapsulamento de dados e o desempenho. A lógica utilizada para a replicação dos dados foi desenvolvida da seguinte forma: primeiramente é executado um comando de update das informações contidas no banco de dados de produção. Em seguida é executado um comando insert dos registros que não existem na base de dados de produção Criação do Job Segundo BATISTTI, um job é uma tarefa administrativa, composta de um ou mais passos, a qual é agendada para executar automaticamente, em data e horas determinadas, nas configurações. No presente trabalho houve a necessidade de criar um job para automatizar o processo de integração, pois um dos requisitos do projeto é que os dados teriam que ser atualizados com um intervalo mínimo de uma hora. A partir desta restrição, uma maneira funcional de atender este requisito é agendar um job a cada uma hora executando o processo de integração. Conforme nas Figuras 7 à 10, tem-se o job de integração dos produtos demonstrando todos os passos para a sua configuração. Figura 7 passo 1 para configuração do Job. 28

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS Bruno Luiz Corbani Garcia ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS EMPRESA: Conceito W SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Ademir da Cunha Junior ORIENTADOR: Edino Mariano

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE FERNANDO RODRIGO NASCIMENTO GUSE i ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE EMPRESA: Globalmind Serviços em Tecnologia da Informação LTDA. SETOR: Infra Estrutura SUPERVISOR:

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS THAYZE MAINKA NAIZER ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS EMPRESA: Linx Sistemas e Consultoria Ltda (Unidade Microvix) SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Dalton Dhiergo

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO THALLES GRESCHECHEN ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO EMPRESA: NEOGRID INFORMÁTICA S/A SETOR: SUPORTE E MONITORAMENTO SUPERVISOR: FÁBIO ROBERTO MENDES ORIENTADOR: PROF. GERSON VOLNEY LAGEMANN

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE BACHARELADO EM

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS MURILO CARLOS CARDOSO ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS EMPRESA: LOJAS SALFER S.A SETOR: TI SUPERVISOR: FABIO ADRIANO DACORREGIO MEIER. ORIENTADOR: VALMOR

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE

Leia mais

Administração de Banco de Dados

Administração de Banco de Dados Administração de Banco de Dados Professora conteudista: Cida Atum Sumário Administração de Banco de Dados Unidade I 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS...1 1.1 Histórico...1 1.2 Definições...2 1.3 Importância

Leia mais

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES w w w. i d e a l o g i c. c o m. b r INDICE 1.APRESENTAÇÃO 2.ESPECIFICAÇÃO DOS RECURSOS DO SOFTWARE SAXES 2.1. Funcionalidades comuns a outras ferramentas similares 2.2. Funcionalidades próprias do software

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE TÉCNICO AOS CLIENTES DO SISTEMA DATASUL BUSINESS INTELLIGENCE

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE TÉCNICO AOS CLIENTES DO SISTEMA DATASUL BUSINESS INTELLIGENCE KÁTIA CRISTINA CARDOSO ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE TÉCNICO AOS CLIENTES DO SISTEMA DATASUL BUSINESS INTELLIGENCE EMPRESA: Futura Soluções em Finanças Ltda. SETOR: Assistência Técnica - Suporte SUPERVISOR:

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II CUSTOMIZAÇÃO DO MICROVIX ERP

ESTÁGIO CURRICULAR II CUSTOMIZAÇÃO DO MICROVIX ERP RODRIGO LUÍS DOS SANTOS ESTÁGIO CURRICULAR II CUSTOMIZAÇÃO DO MICROVIX ERP EMPRESA: Microvix S/A SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Dalton Dhiergo Fernandes ORIENTADOR: Rebeca Schroeder CURSO DE BACHARELADO

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base

15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base Introdução a Informática - 1º semestre AULA 14 Prof. André Moraes Objetivos desta aula: Explorar as propriedades na criação de bancos de dados no LibreOffice Base; Criar e explorar tabelas; Criar e explorar

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO MNT FROTA

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO MNT FROTA RAFAEL REINERT ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO DO MNT FROTA EMPRESA: NG Informática SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Rafael Diogo Richter ORIENTADOR: Carlos Norberto Vetorazzi Júnior CURSO DE

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DO MÓDULO MICROVIX NF-E

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DO MÓDULO MICROVIX NF-E MARCOS VINICIUS KAPP ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DO MÓDULO MICROVIX NF-E EMPRESA: Microvix S/A SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Dalton Dhiergo Fernandes ORIENTADOR: Salvador Antonio dos Santos

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR DESENVOLVIMENTO DE CONTROLE DE ESTOQUE

ESTÁGIO CURRICULAR DESENVOLVIMENTO DE CONTROLE DE ESTOQUE VALTER JOSÉ ZIMMERMANN JÚNIOR ESTÁGIO CURRICULAR DESENVOLVIMENTO DE CONTROLE DE ESTOQUE EMPRESA: MALVA CONFECÇÕES IND. E COM. LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: MARLUCE ZIMMERMANN ORIENTADOR: JORGE FERNANDES

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I E II ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE ESTOQUE E INTEGRAÇÃO ENTRE O SISTEMA DE ESTOQUE E HELPDESK

ESTÁGIO CURRICULAR I E II ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE ESTOQUE E INTEGRAÇÃO ENTRE O SISTEMA DE ESTOQUE E HELPDESK DOUGLAS PADILHA ESTÁGIO CURRICULAR I E II ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE ESTOQUE E INTEGRAÇÃO ENTRE O SISTEMA DE ESTOQUE E HELPDESK EMPRESA: UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA SETOR: COORDENADORIA

Leia mais

ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS

ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS ANEXO 9 DO PROJETO BÁSICO DA FERRAMENTA DE MONITORAMENTO, SEGURANÇA E AUDITORIA DE BANCO DE DADOS Sumário 1. Finalidade... 2 2. Justificativa para contratação... 2 3. Premissas para fornecimento e operação

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II APRIMORAMENTO E MANUTENÇÃO DO SOFTWARE DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO

ESTÁGIO CURRICULAR I e II APRIMORAMENTO E MANUTENÇÃO DO SOFTWARE DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO EDUARDO KONESKI WESTPHAL ESTÁGIO CURRICULAR I e II APRIMORAMENTO E MANUTENÇÃO DO SOFTWARE DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO EMPRESA: Conceito W SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: José Alberto Nishi

Leia mais

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br 2013 inux Sistemas Ltda. s MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br Sumário 1 Introdução... 2 2 Visão Geral do Sistema... 2 3 Tela de Configuração... 3 4 Tela de Mensagens... 5 5 Tela de Importação... 8 6 Tela

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Serra 2013 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVOS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO.... 4 ACOMPANHAMENTO

Leia mais

FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB

FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB i FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB EMPRESA: P&P INFORMÁTICA LTDA. SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: MAURÍCIO PENSKY ORIENTADOR: FABIANO BALDO CURSO: BACHARELADO

Leia mais

A & F Consultoria em Sistemas e Treinamentos 2014 af.tecnoserv@gmail.com. A linguagem SQL. Autor: Hélio de Almeida Fonte: Wikipédia

A & F Consultoria em Sistemas e Treinamentos 2014 af.tecnoserv@gmail.com. A linguagem SQL. Autor: Hélio de Almeida Fonte: Wikipédia A linguagem SQL Autor: Hélio de Almeida Fonte: Wikipédia 1 Structure Query Language O SQL foi desenvolvido originalmente no início dos anos 70 nos laboratórios da IBM em San Jose, dentro do projeto System

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

Especificação do KAPP-PPCP

Especificação do KAPP-PPCP Especificação do KAPP-PPCP 1. ESTRUTURA DO SISTEMA... 4 1.1. Concepção... 4 2. FUNCIONALIDADE E MODO DE OPERAÇÃO... 5 3. TECNOLOGIA... 7 4. INTEGRAÇÃO E MIGRAÇÃO DE OUTROS SISTEMAS... 8 5. TELAS E RELATÓRIOS

Leia mais

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Consultas... 5 3. Relatórios... 8 4. Conclusões... 11

Leia mais

Introdução a Sistemas de Bancos de Dados

Introdução a Sistemas de Bancos de Dados Introdução a Sistemas de Bancos de Dados Prof. UFES - Universidade Federal do Espírito Santo rapchan@inf.ufes.br http://www.inf.ufes.br/~rapchan Roteiro da Apresentação Introdução Características de um

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

SUPORTE, MANUTENÇÕES E MELHORIAS NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA

SUPORTE, MANUTENÇÕES E MELHORIAS NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA CLAYTON IVAN MENDES ESTÁGIO CURRICULAR I e II SUPORTE, MANUTENÇÕES E MELHORIAS NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA EMPRESA: FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO II EDITAL N 06/2014, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO A-01 - ASSESSOR TECNICO IV RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS Administração

Leia mais

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina CTC Centro Tecnológico INE Departamento de Informática e Estatística INE5631 Projetos I Prof. Renato Cislaghi Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP

Leia mais

Banco de Dados. Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados. Profa. Flávia Cristina Bernardini

Banco de Dados. Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados. Profa. Flávia Cristina Bernardini Banco de Dados Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados Profa. Flávia Cristina Bernardini Relembrando... Vantagens da Utilização de SGBD Redundância controlada Consistência dos dados armazenados

Leia mais

Banco de Dados I. Introdução. Fabricio Breve

Banco de Dados I. Introdução. Fabricio Breve Banco de Dados I Introdução Fabricio Breve Introdução SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados): coleção de dados interrelacionados e um conjunto de programas para acessar esses dados Coleção de dados

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE

ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE BRUNO PEREIRA DAMASCENO ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE EMPRESA: OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE SETOR: DESENVOLVIMENTO

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E

ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E Guilherme Alexandre Sant'Ana ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE EMPRESA: UNIVERSIDADE

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II PROCESSO DE TESTES NO MICROVIX ERP

ESTÁGIO CURRICULAR I e II PROCESSO DE TESTES NO MICROVIX ERP LUCIANA REGINA MORES ESTÁGIO CURRICULAR I e II PROCESSO DE TESTES NO MICROVIX ERP ŀ EMPRESA: MICROVIX SOFTWARE S/A SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: PEDRO GABRIEL DE FIGUEIREDO ROSA ORIENTADOR: FABIANO

Leia mais

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 BASES DE DADOS I LTSI/2 Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 Horário Sa Sa Sa Sa Sa Tempos Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. l l l l l 8-9 - - - - - - - - -

Leia mais

FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Bancos de Dados Conceitos Fundamentais

FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Bancos de Dados Conceitos Fundamentais FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Bancos de Dados Conceitos Fundamentais Tópicos Conceitos Básicos Bancos de Dados Sistemas de Bancos de Dados Sistemas de Gerenciamento de Bancos

Leia mais

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados SISTEMA DE BANCO DE DADOS Banco e Modelagem de dados Sumário Conceitos/Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Arquiteturas de um Sistema Gerenciador... 5 3. Componentes de um Sistema... 8 4. Vantagens

Leia mais

Automação do Processo de Instalação de Softwares

Automação do Processo de Instalação de Softwares Automação do Processo de Instalação de Softwares Aislan Nogueira Diogo Avelino João Rafael Azevedo Milene Moreira Companhia Siderúrgica Nacional - CSN RESUMO Este artigo tem como finalidade apresentar

Leia mais

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 4

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 4 REFLEXÃO 4 Módulos 0776, 0780, 0781, 0786 e 0787 1/10 8-04-2013 Esta reflexão tem como objectivo partilhar e dar a conhecer o que aprendi nos módulos 0776 - Sistema de informação da empresa, 0780 - Aplicações

Leia mais

Treinamento do Sistema RH1000 = Banco de Talentos =

Treinamento do Sistema RH1000 = Banco de Talentos = Treinamento do Sistema RH1000 = Banco de Talentos = Ohl Braga Desenvolvimento Empresarial 1 Tópicos abordados Acesso ao sistema 4 Workflow do sistema 6 Qualificações 7 Áreas de Atuação 11 Cargos 13 Qualificações

Leia mais

Modelos de Sistemas Casos de Uso

Modelos de Sistemas Casos de Uso Modelos de Sistemas Casos de Uso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2000 Slide 1 Casos de Uso Objetivos Principais dos Casos de Uso: Delimitação do contexto de

Leia mais

MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC

MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC 2011 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II. Desenvolvimento de customizações no Microvix Erp. utilizando a tecnologia ASP

ESTÁGIO CURRICULAR I e II. Desenvolvimento de customizações no Microvix Erp. utilizando a tecnologia ASP MARLI DA SILVA CARDOSO ESTÁGIO CURRICULAR I e II Desenvolvimento de customizações no Microvix Erp utilizando a tecnologia ASP EMPRESA: MICROVIX SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: DALTON DHIERGO FERNANDES

Leia mais

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA Autores Karina de Oliveira Wellington da Silva Rehder Consultores em Informática Editora Viena Rua Regente Feijó, 621 - Centro - Santa Cruz do Rio Pardo - SP CEP 18.900-000 Central de Atendimento (0XX14)

Leia mais

Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações

Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações http://professor.fimes.edu.br/milena milenaresende@fimes.edu.br Sistema de Gerenciamento de Bases de Dados (DBMS) A implementação

Leia mais

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Processos de Compras Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar 1 Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Controle de Compras... 4 Parametrização... 4 Funcionamento... 4 Processo de Controle...

Leia mais

BANCO DE DADOS. Introdução a Banco de Dados. Conceitos BásicosB. Engenharia da Computação UNIVASF. Aula 1. Breve Histórico

BANCO DE DADOS. Introdução a Banco de Dados. Conceitos BásicosB. Engenharia da Computação UNIVASF. Aula 1. Breve Histórico Banco de Dados // 1 Banco de Dados // 2 Conceitos BásicosB Engenharia da Computação UNIVASF BANCO DE DADOS Aula 1 Introdução a Banco de Dados Campo representação informatizada de um dado real / menor unidade

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Artigos Técnicos Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Marcelo Salvador, Diretor de Negócios da Elipse Software Ltda. Já faz algum tempo que ouvimos falar do controle e supervisão

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado)

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado) UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado) SISTEMA INTERNO INTEGRADO PARA CONTROLE DE TAREFAS INTERNAS DE UMA EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

Microsoft CRM Passo a Passo

Microsoft CRM Passo a Passo Microsoft CRM Passo a Passo Sumário 1 Apresentação... 19 1.1 O que é CRM, afinal?... 19 1.1.1 Introdução... 19 1.1.2 CRM é um Conjunto de Processos... 19 1.1.3 CRM é um Repositório de Informações... 20

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Universidade Federal de Pernambuco Ciência da Computação Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Professora: Carla Taciana Lima Lourenço Silva Schuenemann Estudo de Viabilidade Clínica médica

Leia mais

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Introdução a SQL 2 Leitura Obrigatória ELMASRI,

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS. 1. Conceitos básicos de BD, SBD e SGBD BANCO DE DADOS I

CONCEITOS BÁSICOS. 1. Conceitos básicos de BD, SBD e SGBD BANCO DE DADOS I CONCEITOS BÁSICOS 1. Conceitos básicos de BD, SBD e SGBD A importância da informação para a tomada de decisões nas organizações tem impulsionado o desenvolvimento dos sistemas de processamento de informações.

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR I ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO Fazel Mobini Kesheh ESTÁGIO CURRICULAR I ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO EMPRESA: MACEDON SOLUÇÕES EM INFORMAÇÃO LTDA. SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: EDÉSIO ORBEN ORIENTADOR: WESLEY DOS REIS BEZERRA CURSO

Leia mais

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação.

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação. GLOSSÁRIO Este glossário contém termos e siglas utilizados para Internet. Este material foi compilado de trabalhos publicados por Plewe (1998), Enzer (2000) e outros manuais e referências localizadas na

Leia mais

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa.

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa. : Técnico em Informática Descrição do Perfil Profissional: O profissional com habilitação Técnica em Microinformática, certificado pelo SENAI-MG, deverá ser capaz de: preparar ambientes para a instalação

Leia mais

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03)

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) MBA em Gestão de TI MÓDULO: BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) PROFESSOR: Edison Andrade Martins Morais prof@edison.eti.br http://www.edison.eti.br

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS DOCUMENTO DE REQUISITOS ID documento: Data: / / Versão : Responsável pelo documento: ID Projeto: HISTÓRICO DE REVISÕES Data de criação/ atualização Descrição da(s) Mudança(s) Ocorrida(s) Autor Versão do

Leia mais

Aplicativo Cliente/Servidor multicamadas para controle de uma rede de lojas via web utilizando Java

Aplicativo Cliente/Servidor multicamadas para controle de uma rede de lojas via web utilizando Java Aplicativo Cliente/Servidor multicamadas para controle de uma rede de lojas via web utilizando Java Aluno: Henrique Eduardo M. Oliveira Orientador: Prof. Dr. Leandro J. Komosinski Banca: Prof. M. Maria

Leia mais

Empreendedor. Sistema. Segurança para o empreendedor. www.axisfocus.com. ERP/CRM Sistema de gestão empresarial

Empreendedor. Sistema. Segurança para o empreendedor. www.axisfocus.com. ERP/CRM Sistema de gestão empresarial ERP/CRM Sistema de gestão empresarial Administre sua empresa de onde estiver, via internet Sistema Empreendedor Sistema Empreendedor Simples de usar, flexível e de baixo custo Com interface clara, simples

Leia mais

MANUAL DO PROFESSOR MODERNO: 15 FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS PARA MELHORAR A SUA PRODUTIVIDADE

MANUAL DO PROFESSOR MODERNO: 15 FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS PARA MELHORAR A SUA PRODUTIVIDADE MANUAL DO PROFESSOR MODERNO: 15 FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS PARA MELHORAR A SUA PRODUTIVIDADE SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> Não confie em sua memória: agendas e calendários online estão a seu favor... 5 >>

Leia mais

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML.

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML. APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS PARA COMPREENSÃO DE DOMÍNIO DO PROBLEMA PARA SISTEMA DE CONTROLE COMERCIAL LEONARDO DE PAULA SANCHES Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas RENAN HENRIQUE

Leia mais

INTERESSADOS ENVIAR CURRÍCULO E PRETENSÃO SALARIAL PARA rebeca@holdenrh.com.br/vanessa@holdenrh.com.br

INTERESSADOS ENVIAR CURRÍCULO E PRETENSÃO SALARIAL PARA rebeca@holdenrh.com.br/vanessa@holdenrh.com.br INTERESSADOS ENVIAR CURRÍCULO E PRETENSÃO SALARIAL PARA rebeca@holdenrh.com.br/vanessa@holdenrh.com.br Vagas Holden TI: Analista de Desenvolvimento Java Sênior Consultor SAP FI DBA SQL Server DBA Oracle

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase.

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase. Prof. Omero, pág. 63 O que é o InterBase? O InterBase é um SGBDR - Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cliente/Servidor Relacional 1 que está baseado no padrão SQL ANSI-9, de alta performance, independente

Leia mais

Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software

Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software Universidade Salgado de Oliveira Especialização em Tecnologia da Informação Qualidade em Engenharia de Software Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software Prof. Msc. Edigar Antônio Diniz Júnior

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II MODELAGEM DE PROCESSOS DE NEGÓCIO

ESTÁGIO CURRICULAR I e II MODELAGEM DE PROCESSOS DE NEGÓCIO RAMON MICHELS RUPPENTHAL ESTÁGIO CURRICULAR I e II MODELAGEM DE PROCESSOS DE NEGÓCIO EMPRESA: Tigre S.A. Tubos e Conexões SETOR: Tecnologia da Informação SUPERVISOR: Gilmar Koerber ORIENTADOR: Omir Correa

Leia mais

Introdução ao Sistema. Características

Introdução ao Sistema. Características Introdução ao Sistema O sistema Provinha Brasil foi desenvolvido com o intuito de cadastrar as resposta da avaliação que é sugerida pelo MEC e que possui o mesmo nome do sistema. Após a digitação, os dados

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

1. Introdução... 2. 2. Instalação máquinas cliente... 2. 3. Configurações gerais... 3. 4. Cadastro de pessoas... 4

1. Introdução... 2. 2. Instalação máquinas cliente... 2. 3. Configurações gerais... 3. 4. Cadastro de pessoas... 4 MANUAL DE UTILIZAÇÃO Conteúdo 1. Introdução... 2 2. Instalação máquinas cliente... 2 3. Configurações gerais... 3 4. Cadastro de pessoas... 4 5. Cadastro de usuários para o sistema... 6 6. Cadastro de

Leia mais

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software EMPRESA PERSONAL LAPTOP S SISTEMA INTEGRADO COMERCIAL

Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software EMPRESA PERSONAL LAPTOP S SISTEMA INTEGRADO COMERCIAL Projeto Disciplinar de Infra-Estrutura de Software EMPRESA PERSONAL LAPTOP S SISTEMA INTEGRADO COMERCIAL EDILBERTO SILVA, CLEYCIONE (9245) 2, JONATHAN CAVALCANTE (9288) 2, MARCELO GOMES (9240) 2, NILTON

Leia mais

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4. Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5 Por: Fabio Pozzebon Soares Página 1 de 11 Sistema ProJuris é um conjunto de componentes 100% Web, nativamente integrados, e que possuem interface com vários idiomas,

Leia mais

Documento de Visão. Versão 2.5 Projeto SysTrack - Grupo 01

Documento de Visão. Versão 2.5 Projeto SysTrack - Grupo 01 Documento de Visão Versão 2.5 Projeto SysTrack - Grupo 01 Junho de 2011 Histórico de revisão: DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTORES 19/02/2011 1.0 Versão inicial. João Ricardo, Diogo Henrique. 24/02/2011 2.0 Modificação

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO Marcelo Karpinski Brambila 1, Luiz Gustavo Galves Mahlmann 2 1 Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação da ULBRA Guaíba < mkbrambila@terra.com.br

Leia mais

Introdução ao SQL. O que é SQL?

Introdução ao SQL. O que é SQL? Introdução ao SQL 1 O que é SQL? Inicialmente chamada de Sequel, SQL (Structured Query Language), é a linguagem padrão utilizada para comunicar-se com um banco de dados relacional. A versão original foi

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

Manual Operacional Linx Datasync Franchising

Manual Operacional Linx Datasync Franchising Linx Datasync Franchising Linx Datasync Franchising Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste material pode ser reproduzida por qualquer forma ou meio gráfico, eletrônico, ou mecânico, incluindo

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

Partner Network. www.scriptcase.com.br

Partner Network. www.scriptcase.com.br www.scriptcase.com.br A Rede de Parceiros ScriptCase é uma comunidade que fortalece os nossos representantes em âmbito nacional, possibilitando o acesso a recursos e competências necessários à efetivação

Leia mais

Documento de Arquitetura

Documento de Arquitetura Documento de Arquitetura A2MEPonto - SISTEMA DE PONTO ELETRÔNICO A2MEPonto - SISTEMA DE PONTO ELETRÔNICO #1 Pág. 1 de 11 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor 28/10/2010 1 Elaboração do documento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Estágio Curricular Tiago Silveira Sumário Identificação... 3 Estagiário... 3 Estágio... 3 Objeto de Estudo...

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET MATRIZ CURRICULAR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET MATRIZ CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET MATRIZ CURRICULAR 1º SEMESTRE P101 Desenvolvimento Web 80 CE05 CE06 P102 Língua Portuguesa 40 CG08 CG13 P103 Algoritmos e Lógica de Programação 80

Leia mais

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Banco de Dados Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Roteiro Apresentação do professor e disciplina Definição de Banco de Dados Sistema de BD vs Tradicional Principais características de BD Natureza autodescritiva

Leia mais

NeXT Web ERP Sistema de gestão empresarial Módulo Online consulta via Internet

NeXT Web ERP Sistema de gestão empresarial Módulo Online consulta via Internet NeXT Web ERP Sistema de gestão empresarial Módulo Online consulta via Internet Manual de utilização Outubro/2011 Página 1 de 16 Índice O que é o NeXT WEB ERP?...3 Como funciona?...4 Requisitos Técnicos...4

Leia mais

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual do Estágio Supervisionado Santa Rita do Sapucaí-MG Janeiro/2011 Sumário 1. Introdução 3 2. O que é

Leia mais

Palavras-Chaves: Arquitetura, Modelagem Orientada a Objetos, UML.

Palavras-Chaves: Arquitetura, Modelagem Orientada a Objetos, UML. MODELAGEM ORIENTADA A OBJETOS APLICADA À ANÁLISE E AO PROJETO DE SISTEMA DE VENDAS ALTEMIR FERNANDES DE ARAÚJO Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas ANDRE LUIZ DA CUNHA DIAS Discente da

Leia mais

Universidade Federal de Santa Maria Curso de Arquivologia. Disciplina de Banco de Dados Aplicados à Arquivística. Versao 1.

Universidade Federal de Santa Maria Curso de Arquivologia. Disciplina de Banco de Dados Aplicados à Arquivística. Versao 1. Universidade Federal de Santa Maria Curso de Arquivologia Disciplina de Banco de Dados Aplicados à Arquivística Prof. Andre Zanki Cordenonsi Versao 1.0 Março de 2008 Tópicos Abordados Conceitos sobre Banco

Leia mais

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente 1. Quais os componentes de um sistema cliente-servidor? Clientes e servidores 2. Na visão do hardware, defina o que é cliente e o que é servidor: Clientes. Qualquer computador conectado ao sistema via

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE SUMÁRIO O que é gestão de estoque...3 Primeiros passos para uma gestão de estoque eficiente...7 Como montar um estoque...12 Otimize a gestão do seu estoque...16

Leia mais

ANDREY DE SANTANA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR ARMAZENAGEM

ANDREY DE SANTANA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR ARMAZENAGEM ANDREY DE SANTANA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR ARMAZENAGEM EMPRESA: MTM Sistemas SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: João Carlos Borges de Souza ORIENTADOR: Carlos Noberto Vetorazzi Junior CURSO DE BACHARELADO

Leia mais

INTRODUÇÃO. Diferente de Bando de Dados

INTRODUÇÃO. Diferente de Bando de Dados INTRODUÇÃO Diferente de Bando de Dados 1 INTRODUÇÃO DADOS São fatos conhecidos que podem ser registrados e que possuem significado. Ex: venda de gasolina gera alguns dados: data da compra, preço, qtd.

Leia mais