Gargalos e Rumos da Radiotelemetria no Brasil:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gargalos e Rumos da Radiotelemetria no Brasil:"

Transcrição

1 Gargalos e Rumos da Radiotelemetria no Brasil: dificuldades e necessidades do usuário Alexandre Godinho Centro de Transposição de Peixes (CTPeixes) UFMG

2 Sumário da Apresentação Espécies em estudo Equipamentos e técnicas em uso Resultados obtidos Dificuldades e necessidades

3 Espécies em Estudo Ordem Espécie Nome comum Bacia No indivíduos Characiformes Prochilodus argenteus Curimbatá São Francisco 32 Characiformes Prochilodus costatus Curimbatá São Francisco 30 Characiformes Prochilodus lineatus Curimbatá Paraná 30 Characiformes Prochilodus hartii Curimbatá Jequitinhonha 25 Characiformes Leporinus steindachneri Piau Jequitinhonha 25 Characiformes Salminus brasiliensis Dourado São Francisco 70 Siluriformes Pseudoplatystoma corruscans Surubim São Francisco 24 Siluriformes Steindachneridion amblyurus Rajadinho Jequitinhonha 25 Siluriformes Steindachneridion scripta Surubim Paraná 5 Siluriformes Pimelodus maculatus Mandi Paraná 20 Total

4 Técnica de Marcação

5 Técnicas de Rastreamento Manual

6 Técnicas de Rastreamento Automática tica Receptor registra automaticamente data, hora e código do peixe

7 km = Método de análise km = 1.100

8 Migração no Rio São Francisco Surubim

9 Migração no Rio São Francisco Surubim

10 Migração no Rio São Francisco Curimbatá

11 Comportamento no sítio s de desova Visita Surubim Sítio de espera pré-desova Cachoeira de Pirapora, SF

12 Comportamento no sítio s de desova Surubim Cachoeira de Pirapora, SF

13 Modelo Geral de Migração de Peixes Hábitat de refúgio (jovens e adultos) Migração reprodutiva migração trófica de refúgio Migração Hábitat de alimentação Migração alimentar Jovens Adultos Sub-adultos/adultos Migração reprodutiva Migração reprodutiva alimentar migração Migração de refúgio Hábitat de desova (adulto) (Fonte: Northcote 1978, Lucas & Baras 2001)

14 Modelo Geral de Migração de Peixes Migração de espera pré-desova Hábitat de refúgio (jovens e adultos) Migração reprodutiva migração trófica de refúgio Migração Hábitat de alimentação Migração de espera pré-desova Migração alimentar Jovens Adultos Sub-adultos/adultos Migração reprodutiva Migração reprodutiva alimentar migração Migração de refúgio Hábitat de desova (adulto) Migração de espera pré-desova reprodutiva Migração Hábitat de espera pré-desova (adulto) (Fonte: Godinho, 2005)

15 Migração de Curimbatá no Rio Grande UHE Volta Grande

16 Migração de Curimbatá no Rio Grande UHE Jaguara UHE Igarapava UHE Volta Grande

17 Migração de Mandi no Rio Grande UHE Igarapava Visor da escada de peixes

18 Migração de Mandi no Rio Grande UHE Jaguara UHE Igarapava UHE Volta Grande

19 Dificuldades Alto custo: : R$ mil por projeto Equipamentos: maior parte é importada Transmissores: vida útil menor que a especificada Receptores: : 60% necessitou de reparos (falha ou queima de componentes, troca de baterias)

20 Dificuldades Rastreamento em áreas não navegáveis veis: uso de aeronaves Captura de animais marcados: : ~ 50% de surubins foram pescados Mortandade de peixes: pode eliminar todos os animais marcados Vandalismo: roubo de equipamentos (e.g. cabo de antena) Licença de pesca: : IBAMA é extremamente moroso para emitir

21 Necessidades Receptores: torná-los resistentes ou a prova d água Transmissores: aumento da vida útil dos transmissores para espécies de pequeno porte Transmissores: redução do tamanho dos transmissores combinados (radio e acústico stico) Marcação ão: melhoria das técnicas cirúrgicas rgicas

22 Necessidades Marcação ão: avaliação dos efeitos sobre a saúde dos peixes Falso-positivos positivos: aperfeiçoamento das técnicas de filtragem Desenvolvimento de técnica para rastrear migradores de grande distância do Amazonas

23 Thermal Barrier Três Marias Reservoir 30 o C Abaeté River 57 m 57 m 24 o C Dam São Francisco River

24 Thermal Barrier Três Marias Reservoir 30 o C Abaeté River 57 m 57 m 24 o C Dam São Francisco River Do fishes avoid entering cooler water?

25 Thermal Barrier Três Marias Reservoir 30 o C Abaeté River 57 m 57 m 24 o C Dam São Francisco River Do fishes avoid entering colder water?

26 Thermal Barrier Três Marias Reservoir 30 o C Abaeté River 57 m 57 m 24 o C Dam São Francisco River Three surubims past 10 times temp: o C (P = 0.004)

27 Thermal Barrier Três Marias Reservoir 30 o C Abaeté River 57 m 57 m 24 o C Dam São Francisco River Five curimbatás past six times temp: o C (P = 0.019)

Peixes migradores do rio Uruguai: Monitoramento, ações de manejo e conservação

Peixes migradores do rio Uruguai: Monitoramento, ações de manejo e conservação Peixes migradores do rio Uruguai: Monitoramento, ações de manejo e conservação Prof. Evoy Zaniboni Filho, Dr. Departamento de Aqüicultura / CCA Universidade Federal de Santa Catarina Florianópolis, SC,

Leia mais

Conservação da Ictiofauna na Bacia do Rio São Francisco

Conservação da Ictiofauna na Bacia do Rio São Francisco Conservação da Ictiofauna na Bacia do Rio São Francisco Carlos Bernardo Mascarenhas Alves Projeto Manuelzão - UFMG Roteiro da apresentação Aspectos gerais Plano Diretor de Recursos Hídricos Ictiofauna

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO Centro de Hidráulica e Hidrologia Prof. Parigot de Souza RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ RELATÓRIO TÉCNICO Nº 44 2012 COORDENAÇÃO

Leia mais

Classificação: Público. Relatório Geral Programa Peixe Vivo 2012 2013

Classificação: Público. Relatório Geral Programa Peixe Vivo 2012 2013 Classificação: Público Relatório Geral Programa Peixe Vivo 2012 2013 Março/2014 Equipe: Superintendente de Gestão Ambiental da Geração e Transmissão: Enio Marcus Brandão Fonseca Superintendente de Sustentabilidade

Leia mais

PORTARIA IAP Nº 211 DE 19 DE OUTUBRO DE

PORTARIA IAP Nº 211 DE 19 DE OUTUBRO DE PORTARIA IAP Nº 211 DE 19 DE OUTUBRO DE 2012 Estabelece normas e define os locais, formas e quantidades de captura de peixes oriundos da pesca amadora e profissional nas bacias hidrográficas dos Rios Paraná,

Leia mais

Visita técnica de Canal do Piracema

Visita técnica de Canal do Piracema RELATÓRIO DE VIAGEM Visita técnica de Canal do Piracema Itaipu Dam, Brasil, 14 a 19 de janeiro de 2004 Lisiane Hahn (UEM) Universidade Estadual de Maringá Relatório de Técnico AVALIAÇÃO DA MIGRAÇÃO DE

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO Centro de Hidráulica e Hidrologia Prof. Parigot de Souza RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ RELATÓRIO TÉCNICO Nº 45 2013 COORDENAÇÃO

Leia mais

PARECER DOS ESPECIALISTAS PARA O SISTEMA DE TRANSPOSIÇÃO DE PEIXES NA UHE TELES PIRES

PARECER DOS ESPECIALISTAS PARA O SISTEMA DE TRANSPOSIÇÃO DE PEIXES NA UHE TELES PIRES 0 HÍDRICON CONSULTORIA DE RECURSOS HÍDRICOS & CENTRO DE TRANSPOSIÇÃO DE PEIXES UFMG PARECER DOS ESPECIALISTAS PARA O SISTEMA DE TRANSPOSIÇÃO DE PEIXES NA UHE TELES PIRES (Revisão 03/05/2011) Relatório

Leia mais

Maringá, Brasil, abril de 2004

Maringá, Brasil, abril de 2004 PROPOSTA DO TESE PADRÕES DE MIGRAÇÃO DE PEIXES NO ALTO RIO URUGUAI E CAPACIDADE DE TRANSPOSIÇÃO DE OBSTÁCULOS Maringá, Brasil, abril de 2004 Lisiane Hahn Universidade Estadual de Maringá 1 Universidade

Leia mais

Peixe Vivo 5 anos. III Seminário - Estratégias para conservação de peixes em Minas Gerais

Peixe Vivo 5 anos. III Seminário - Estratégias para conservação de peixes em Minas Gerais Peixe Vivo 5 anos III Seminário - Estratégias para conservação de peixes em Minas Gerais Contexto Morte de 7 toneladas em turbina e vertedouro da UHE Três Marias em Março de 2007 Consequência: Multa e

Leia mais

USINA HIDRELÉTRICA JIRAU

USINA HIDRELÉTRICA JIRAU USINA HIDRELÉTRICA JIRAU Relatório Mensal de Atividades Viabilidade da aplicação de técnicas de radiotelemetria no monitoramento de peixes migradores no rio Madeira EMPRESA: NEOTROPICAL CONSULTORIA AMBIENTAL

Leia mais

UFTM UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS, NATURAIS E EDUCAÇÃO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

UFTM UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS, NATURAIS E EDUCAÇÃO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS UFTM UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS, NATURAIS E EDUCAÇÃO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Prof. Dr. CARMINO HAYASHI Professor Visitante Nacional Sênior

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO Centro de Hidráulica e Hidrologia Prof. Parigot de Souza RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ RELATÓRIO TÉCNICO Nº 42 2012 COORDENAÇÃO

Leia mais

GOVERNO DE MATO GROSSO Fundação Estadual do Meio Ambiente FEMA-MT

GOVERNO DE MATO GROSSO Fundação Estadual do Meio Ambiente FEMA-MT Atividade Conjunta Fundação Estadual do Meio Ambiente FEMA-MT e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis IBAMA-MT de: Monitoramento da Atividade Reprodutiva dos Peixes Migradores

Leia mais

PROGRAMA DE MANEJO PESQUEIRO PLANO DE TRABALHO 2001-2002

PROGRAMA DE MANEJO PESQUEIRO PLANO DE TRABALHO 2001-2002 PROGRAMA DE MANEJO PESQUEIRO PLANO DE TRABALHO 2001-2002 POLÍTICA DE MEIO AMBIENTE DA CESP Princípios: 1. Planejar, projetar e desenvolver suas atividades levando em consideração todas as implicações ambientais.

Leia mais

Monitoramento de Peixes Ultrasom & Radio Congresso de Zoologia Belém 2010 II Simpósio de Radiotelemetria Uwe H. Schulz, UNISINOS uwe@unisinos.

Monitoramento de Peixes Ultrasom & Radio Congresso de Zoologia Belém 2010 II Simpósio de Radiotelemetria Uwe H. Schulz, UNISINOS uwe@unisinos. Monitoramento de Peixes Ultrasom & Radio Congresso de Zoologia Belém 2010 II Simpósio de Radiotelemetria Uwe H. Schulz, UNISINOS uwe@unisinos.br Sistemas usados no meio aquático: Ultrasom (acústico) -

Leia mais

MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA USINA HIDRELÉTRICA SÃO SIMÃO

MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA USINA HIDRELÉTRICA SÃO SIMÃO MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA RELATÓRIO 2007 USINA HIDRELÉTRICA SÃO SIMÃO Água e Terra Planejamento Ambiental Ltda. PATOS DE MINAS, MARÇO DE 2008. 1 RESPONSABILIDADE TÉCNICA Água e Terra Planejamento Ambiental

Leia mais

ICHTHYOLOGY Consultoria Ambiental LTDA. Curriculum vitae

ICHTHYOLOGY Consultoria Ambiental LTDA. Curriculum vitae Curriculum vitae ICHTHYOLOGY Consultoria Ambiental LTDA. BERNARDO DO VALE BEIRÃO Sócio da empresa ICHTHYOLOGY Consultoria Ambiental LTDA. Data de nascimento: 23 de dezembro de 1980 Naturalidade: Belo Horizonte

Leia mais

SERVIÇOS DE AVALIAÇÃO VETERINÁRIA E EMISSÃO DE PARECER SANITÁRIO E GUIA DE TRÂNSITO ANIMAL DA ESTAÇÃO DE PISCICULTURA DE PAULO AFONSO EPPA

SERVIÇOS DE AVALIAÇÃO VETERINÁRIA E EMISSÃO DE PARECER SANITÁRIO E GUIA DE TRÂNSITO ANIMAL DA ESTAÇÃO DE PISCICULTURA DE PAULO AFONSO EPPA DIRETORIA DE ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO DE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO DA EXPANSÃO SPE DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE DMA DIVISÃO DE MEIO AMBIENTE DE GERAÇÃO DEMG ET-DEMG nº 08/2013 SERVIÇOS DE AVALIAÇÃO

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GIA 27 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO XI GRUPO DE ESTUDO DE IMPACTOS AMBIENTAIS GIA ESTUDO ICTIOFAUNÍSTICO PARA

Leia mais

MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA

MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA MONITORAMETO DE ICTIOFAUNA NO RESERVATÓRIO E A JUSANTE DA UHE DE SÃO SIMÃO, RIO PARANAÍBA, BACIA DO PARANÁ RELATÓRIO ANUAL OUTUBRO / 2006 1 RESPONSABILIDADE TÉCNICA TECNEVES

Leia mais

Belo Horizonte 29 de janeiro.

Belo Horizonte 29 de janeiro. Classificação: Reservado RELATÓRIO ANUAL DO PROGRAMA PEIXE VIVO ANO BASE Belo Horizonte 29 de janeiro. Equipe: Superintendente de Gestão Ambiental da Geração e Transmissão: Ênio Marcus Brandão Fonseca

Leia mais

Foto: Luciana Aparecida Magalhães Relatório de Biodiversidade 2014 Companhia Energética de Minas Gerais Cemig

Foto: Luciana Aparecida Magalhães Relatório de Biodiversidade 2014 Companhia Energética de Minas Gerais Cemig Foto: Luciana Aparecida Magalhães Relatório de Biodiversidade 2014 Companhia Energética de Minas Gerais Cemig 1 Sumário 1. Biodiversidade... 8 2. Introdução... 10 3. Políticas de Biodiversidade e Ambiental

Leia mais

PERSPECTIVAS DE SUSTENTABILIDADE ECOLÓGICA DO TURISMO EM XINGÓ, SE/AL

PERSPECTIVAS DE SUSTENTABILIDADE ECOLÓGICA DO TURISMO EM XINGÓ, SE/AL PERSPECTIVAS DE SUSTENTABILIDADE ECOLÓGICA DO TURISMO EM XINGÓ, SE/AL TOURISM ECOLOGICAL SUSTAINABILITY PERSPECTIVES IN XINGÓ, SERGIPE AND ALAGOAS, BRAZIL Cláudio Roberto Braghini Universidade Federal

Leia mais

LEVANTAMENTO HISTÓRICO AVALIATIVO DA BACIA DO RIO URUGUAI MÉDIO

LEVANTAMENTO HISTÓRICO AVALIATIVO DA BACIA DO RIO URUGUAI MÉDIO LEVANTAMENTO HISTÓRICO AVALIATIVO DA BACIA DO RIO URUGUAI MÉDIO Bolina, V. A. (1) ; Pessano, E. F. C. (1) ; Gralha, T. S. (1) ; Querol, M. V. (1) viniciusbolina@aol.com (1) Universidade Federal do Pampa

Leia mais

POTENCIALIDADE DA PESCA E DA AQÜICULTURA NO MUNICÍPIO DE BARRA, REGIÃO DO MÉDIO SÃO FRANCISCO, BAHIA, BRASIL.

POTENCIALIDADE DA PESCA E DA AQÜICULTURA NO MUNICÍPIO DE BARRA, REGIÃO DO MÉDIO SÃO FRANCISCO, BAHIA, BRASIL. POTENCIALIDADE DA PESCA E DA AQÜICULTURA NO MUNICÍPIO DE BARRA, REGIÃO DO MÉDIO SÃO FRANCISCO, BAHIA, BRASIL. 1-Ricardo Castelo Branco ALBINATI 2-Gisele Baiana SANTOS 1-Professor Associado I - Medicina

Leia mais

Gestão de Programa de P&D de Geração

Gestão de Programa de P&D de Geração Gestão de Programa de P&D de Geração Projetos de P&D São Paulo, 20 de julho de 2011 Desenvolvimento de metodologia para detecção precoce de danos no isolamento de unidades hidrogeradoras através de análise

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE BIOCIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOLOGIA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE BIOCIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOLOGIA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE BIOCIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOLOGIA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO MODELO ESTATÍSTICO DE DISTRIBUIÇÃO PRESUMIDA DE PEIXES MIGRADORES

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DE ICTIOPLÂNCTON

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DE ICTIOPLÂNCTON PROGRAMA DE MONITORAMENTO DE ICTIOPLÂNCTON CONSÓRCIO AMBIENTAL ELETROSUL - IJUÍ ENERGIA 2º RELATÓRIO PARCIAL NOV-14/ABR-15 Rua Santos Dumont, 1515 - CEP: 38400-062 Bairro Lídice Uberlândia - MG Programa

Leia mais

PROGRAMA DE MANEJO PESQUEIRO 2014-2015

PROGRAMA DE MANEJO PESQUEIRO 2014-2015 Elevador, escada de peixes, levantamentos limnológicos e ictiológicos no reservatório da UHE Engenheiro Sérgio Motta (Porto Primavera). PROGRAMA DE MANEJO PESQUEIRO 2014-2015 Relatório GA/259/2015 PRINCÍPIOS

Leia mais

RUANNY CASARIM CORRÊA PRADO DINÂMICA DA MIGRAÇÃO E REPRODUÇÃO DOS PEIXES NA REGIÃO DA FOZ DO RIO ABAETÉ, ALTO SÃO FRANCISCO, MG

RUANNY CASARIM CORRÊA PRADO DINÂMICA DA MIGRAÇÃO E REPRODUÇÃO DOS PEIXES NA REGIÃO DA FOZ DO RIO ABAETÉ, ALTO SÃO FRANCISCO, MG RUANNY CASARIM CORRÊA PRADO DINÂMICA DA MIGRAÇÃO E REPRODUÇÃO DOS PEIXES NA REGIÃO DA FOZ DO RIO ABAETÉ, ALTO SÃO FRANCISCO, MG LAVRAS MG 2014 RUANNY CASARIM CORRÊA PRADO DINÂMICA DA MIGRAÇÃO E REPRODUÇÃO

Leia mais

UHE SÃO DOMINGOS Março de 2015

UHE SÃO DOMINGOS Março de 2015 UHE SÃO DOMINGOS Março de 2015 5º RELATÓRIO SEMESTRAL DE ANDAMENTO DOS USINA HIDRELÉTRICA SÃO DOMINGOS Florianópolis, março de 2015. USINA HIDRELÉTRICA SÃO DOMINGOS INFORMAÇÕES GERAIS EMPREENDEDOR Nome:

Leia mais

Maio de Relatório de atendimento à Condicionante 19. LO 067/2010 UHE Irapé. Fundação Biodiversitas

Maio de Relatório de atendimento à Condicionante 19. LO 067/2010 UHE Irapé. Fundação Biodiversitas Relatório de atendimento à Condicionante 19 LO 067/2010 UHE Irapé Maio de 2014 Rio Araçuaí Projeto: MIGRAÇÃO, SÍTIOS DE DESOVA E DESENVOLVIMENTO INICIAL DE DUAS ESPÉCIES POTENCIALMENTE MIGRADORAS DO RIO

Leia mais

on line ISSN 1808-9992 Dezembro, 2011 Peixes Nativos do Rio São Francisco Adaptados para Cultivo

on line ISSN 1808-9992 Dezembro, 2011 Peixes Nativos do Rio São Francisco Adaptados para Cultivo on line ISSN 1808-9992 Dezembro, 2011 244 Peixes Nativos do Rio São Francisco Adaptados para Cultivo Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Semiárido Ministério da Agricultura, Pecuária e

Leia mais

PORTARIA nº 145/98, de 29 de outubro de 1998

PORTARIA nº 145/98, de 29 de outubro de 1998 PORTARIA nº 145/98, de 29 de outubro de 1998 O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS IBAMA, no uso das atribuições previstas posto no Art. 35 do Decreto

Leia mais

ABINEE TEC MINAS 2008 - SINAEES. Seminário Vendas para Áreas de Petróleo e Gás, Inovação, Qualidade, Aspectos Ambientais e Controle PCH s

ABINEE TEC MINAS 2008 - SINAEES. Seminário Vendas para Áreas de Petróleo e Gás, Inovação, Qualidade, Aspectos Ambientais e Controle PCH s ABINEE TEC MINAS 2008 - SINAEES Seminário Vendas para Áreas de Petróleo e Gás, Inovação, Qualidade, Aspectos Ambientais e Controle PCH s SISTEMAS DE TRANSPOSIÇÃO DE PEIXES EM BARRAGENS DE RIOS CASO DA

Leia mais

RELATÓRIO DE RESGATE DE ICTIOFAUNA DURANTE A PARADA PROGRAMADA DE MÁQUINAS (UG-01) - UHE SÃO JOSÉ - Empresa Executora:

RELATÓRIO DE RESGATE DE ICTIOFAUNA DURANTE A PARADA PROGRAMADA DE MÁQUINAS (UG-01) - UHE SÃO JOSÉ - Empresa Executora: RELATÓRIO DE RESGATE DE ICTIOFAUNA DURANTE A PARADA PROGRAMADA DE MÁQUINAS (UG-01) - UHE SÃO JOSÉ - Empresa Executora: Novembro de 2013. 1. INTRODUÇÃO Nos dias 25, 26 e 27 de novembro de 2013 foi realizado

Leia mais

Estudo da Regra Operativa e Avaliação de um Mecanismo de Transposição de Peixes do tipo Elevador com Caminhão Tanque

Estudo da Regra Operativa e Avaliação de um Mecanismo de Transposição de Peixes do tipo Elevador com Caminhão Tanque UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Programa de Pós-graduação em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos Estudo da Regra Operativa e Avaliação de um Mecanismo de Transposição de Peixes do tipo Elevador

Leia mais

QUEDA DA PRODUTIVIDADE DE PESCADO NO RIO TOCANTINS: A PERCEPÇÃO DOS PESCADORES DE MARABÁ - PARÁ

QUEDA DA PRODUTIVIDADE DE PESCADO NO RIO TOCANTINS: A PERCEPÇÃO DOS PESCADORES DE MARABÁ - PARÁ QUEDA DA PRODUTIVIDADE DE PESCADO NO RIO TOCANTINS: A PERCEPÇÃO DOS PESCADORES DE MARABÁ - PARÁ Sandro Ferreira Nascimento 1 ; Andréa Hentz de Mello 2 ; Gustavo Ferreira de Oliveira 3 ; Verônica Danielle

Leia mais

Sistema de rádio bidirecional digital profissional. Mude para digital

Sistema de rádio bidirecional digital profissional. Mude para digital Sistema de rádio bidirecional digital profissional Mude para digital Por que o rádio bidirecional digital? Mais capacidade do sistema Melhor Produtividade Excelente desempenho em comunicações bidirecionais

Leia mais

PASSAGENS DE PEIXES EM USINAS DO RIO MADEIRA. Alexandre Godinho Centro de Transposição de Peixes UFMG.

PASSAGENS DE PEIXES EM USINAS DO RIO MADEIRA. Alexandre Godinho Centro de Transposição de Peixes UFMG. PASSAGENS DE PEIXES EM USINAS DO RIO MADEIRA Alexandre Godinho Centro de Transposição de Peixes UFMG agodinho@ufmg.br Entrada Saída Entrada Região da futura passagem de peixes Escavação da entrada Entrada

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DO ESCOAMENTO AO LONGO DE UMA ESCADA DE PEIXES DO TIPO RANHURA VERTICAL

CARACTERÍSTICAS DO ESCOAMENTO AO LONGO DE UMA ESCADA DE PEIXES DO TIPO RANHURA VERTICAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PESQUISAS HIDRÁULICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RECURSOS HÍDRICOS E SANEAMENTO AMBIENTAL CARACTERÍSTICAS

Leia mais

PIRACEMA. Contra a corrente

PIRACEMA. Contra a corrente PIRACEMA A piracema é um fenômeno que ocorre com diversas espécies de peixes ao redor do mundo. A palavra vem do tupi e significa subida do peixe. A piracema é o período em que os peixes sobem para a cabeceira

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO FINAL. Sumário. EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL PELO... vi. RESGATE DE ICTIOFAUNA E COMPOSIÇÃO DO RELATÓRIO... vi

RELATÓRIO TÉCNICO FINAL. Sumário. EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL PELO... vi. RESGATE DE ICTIOFAUNA E COMPOSIÇÃO DO RELATÓRIO... vi PROGRAMA AMBIENTAL DE RESGATE DE ICTIOFAUNA DA PCH SALTO MAUÁ - KLABIN NO RIO TIBAGI - RELATÓRIO TÉCNICO FINAL - Dezembro / 2013 PROGRAMA AMBIENTAL DE RESGATE DE ICTIOFAUNA DA PCH SALTO MAUÁ - KLABIN,

Leia mais

Localização da bacia e aspectos políticos

Localização da bacia e aspectos políticos Localização da bacia e aspectos políticos Nasce na região central do estado (Serra do Espinhaço) e flui em direção nordeste...... até o Oceano Atlântico em Belmonte (BA) Apresenta 94% da área de drenagem

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL E NEGÓCIOS NO SETOR ENERGÉTICO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL E NEGÓCIOS NO SETOR ENERGÉTICO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL E NEGÓCIOS NO SETOR ENERGÉTICO AUGUSTO ABEL FILHO ESTUDO SOBRE O SISTEMA DE TRANSPOSIÇÃO DE PEIXES

Leia mais

Projeto de apoio à revitalização do Rio dos Cochos, Januária MG.

Projeto de apoio à revitalização do Rio dos Cochos, Januária MG. Estudo da Fauna de Peixes do Rio dos Cochos e da Relação com a Comunidade em seu Entorno. Deborah Mattos Guimarães Apgaua¹; Paulo dos Santos Pompeu²; Áureo Eduardo Magalhães Ribeiro³ ¹Estudante de graduação

Leia mais

Belo Horizonte ganha o maior aquário de água doce do Brasil - Publicadas - IBAMA - Instituto Brasileiro d

Belo Horizonte ganha o maior aquário de água doce do Brasil - Publicadas - IBAMA - Instituto Brasileiro d Belo Horizonte (08/03/2010) - Belo Horizonte ganhou na sexta-feira, dia 5, o maior aquário de água doce do Brasil. A Prefeitura, por meio da Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte (FZB-BH), inaugurou

Leia mais

Projeto Básico Ambiental (PBA) UHE Teles Pires

Projeto Básico Ambiental (PBA) UHE Teles Pires UHE Teles Pires P.25 - Programa de Monitoramento da Ictiofauna Equipe Responsável pela Elaboração do Programa Responsável Registro Cadastro Técnico Profissional Federal IBAMA Fernanda Teixeira e Marciano

Leia mais

Hidrografia no Brasil. Luciano Teixeira

Hidrografia no Brasil. Luciano Teixeira Hidrografia no Brasil Luciano Teixeira Hidrografia Brasil Características da Hidrografia Brasileira Pobre em lagos Drenagem Exorréica Predomínio de foz em estuário Predomínio de rios de planaltos Bacias

Leia mais

SÉRIE PEIXE VIVO TRANSPOSIÇÃO DE PEIXES

SÉRIE PEIXE VIVO TRANSPOSIÇÃO DE PEIXES SÉRIE PEIXE VIVO TRANSPOSIÇÃO DE PEIXES ISBN 978-85-87929-47-1 COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS CEMIG BELO HORIZONTE CEMIG 2012 ISBN 978-85-87929-47-1 Copyright: Companhia Energética de Minas Gerais

Leia mais

A pesca de pequena escala no rio Madeira pelos desembarques ocorridos em Manicoré (Estado do Amazonas), Brasil

A pesca de pequena escala no rio Madeira pelos desembarques ocorridos em Manicoré (Estado do Amazonas), Brasil A pesca de pequena escala no rio Madeira pelos desembarques ocorridos em Manicoré (Estado do Amazonas), Brasil Renato Soares CARDOSO 1, Carlos Edwar de Carvalho FREITAS 2 Resumo O trabalho teve como objetivo

Leia mais

Física é vida. Eletromagnetismo: conceitos básicos. Patricia T. Campana

Física é vida. Eletromagnetismo: conceitos básicos. Patricia T. Campana Física é vida Eletromagnetismo: conceitos básicos Patricia T. Campana Farol do futuro é cheio de "luzinhas" Corinna Stoff, porta-voz da Hella, cita as vantagens da nova tecnologia: "Em primeiro lugar,

Leia mais

DINÂMICA POPULACIONAL DA ICTIOFAUNA NOS RESERVATÓRIOS DE SALTO SANTIAGO E SALTO OSÓRIO, RIO IGUAÇU- PR

DINÂMICA POPULACIONAL DA ICTIOFAUNA NOS RESERVATÓRIOS DE SALTO SANTIAGO E SALTO OSÓRIO, RIO IGUAÇU- PR SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GIA - 27 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO XI GRUPO DE ESTUDO DE IMPACTOS AMBIENTAIS GIA DINÂMICA POPULACIONAL DA ICTIOFAUNA

Leia mais

A PESCA ARTESANAL NO AMBIENTE DO RIO SÃO FRANCISCO, BRASIL

A PESCA ARTESANAL NO AMBIENTE DO RIO SÃO FRANCISCO, BRASIL A PESCA ARTESANAL NO AMBIENTE DO RIO SÃO FRANCISCO, BRASIL Dannilo Carneiro Lima Depto. de Ciências Geográficas, UFPE. Bolsista/Pibic/CNPq/ Fundaj-BRA dannilolips@hotmail.com Lígia Albuquerque de Melo

Leia mais

Gestão de Riscos e oportunidades relacionadas à Ictiofauna. Dezembro de 2011

Gestão de Riscos e oportunidades relacionadas à Ictiofauna. Dezembro de 2011 Gestão de Riscos e oportunidades relacionadas à Ictiofauna Dezembro de 2011 Consultas realizadas pelo Programa Peixe Vivo Foram realizadas várias consultas, no 2º semestre de 2007, à comunidade científica,

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO MOLECULAR E FILOGENÉTICA DE ESPÉCIES DE PEIXES DE ÁGUA DOCE DO MATO GROSSO DO SUL

IDENTIFICAÇÃO MOLECULAR E FILOGENÉTICA DE ESPÉCIES DE PEIXES DE ÁGUA DOCE DO MATO GROSSO DO SUL IDENTIFICAÇÃO MOLECULAR E FILOGENÉTICA DE ESPÉCIES DE PEIXES DE ÁGUA DOCE DO MATO GROSSO DO SUL Allana Novais Aranda¹; Danielly Beraldo Dos Santos Silva²; Jussara Oliveira Vaini³; Alexéia Barufatti Grisolia

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO MONITORAMENTO DE ICTIOFAUNA E ICTIOPLÂNCTON NA UHE SÃO DOMINGOS - MS

RELATÓRIO FINAL DO MONITORAMENTO DE ICTIOFAUNA E ICTIOPLÂNCTON NA UHE SÃO DOMINGOS - MS RELATÓRIO FINAL DO MONITORAMENTO DE ICTIOFAUNA E ICTIOPLÂNCTON NA UHE SÃO DOMINGOS - MS Janeiro de 2015. SUMÁRIO 1 EQUIPE TÉCNICA... 4 2 INTRODUÇÃO... 5 Ictiofauna... 5 Ictioplâncton... 6 2.1. OBJETIVO

Leia mais

Plano de Ação Nacional para Conservação das Espécies Ameaçadas de Extinção da Fauna Aquática da Bacia do Rio São Francisco

Plano de Ação Nacional para Conservação das Espécies Ameaçadas de Extinção da Fauna Aquática da Bacia do Rio São Francisco Plano de Ação Nacional para Conservação das Espécies Ameaçadas de Extinção da Fauna Aquática da Bacia do Rio São Francisco OBJETIVO GERAL Aprimorar o conhecimento sobre as espécies ameaçadas e mitigar

Leia mais

GRUPO DE ESTUDOS DE IMPACTO AMBIENTAL METODOLOGIA PARA O PLANEJAMENTO, IMPLANTAÇÃO E MONITORAMENTO DE SISTEMAS DE TRANSPOSIÇÃO DE PEIXES DA CEMIG

GRUPO DE ESTUDOS DE IMPACTO AMBIENTAL METODOLOGIA PARA O PLANEJAMENTO, IMPLANTAÇÃO E MONITORAMENTO DE SISTEMAS DE TRANSPOSIÇÃO DE PEIXES DA CEMIG Versão 1.0 XXX.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO: XI GRUPO DE ESTUDOS DE IMPACTO AMBIENTAL METODOLOGIA PARA O PLANEJAMENTO, IMPLANTAÇÃO E MONITORAMENTO DE SISTEMAS DE TRANSPOSIÇÃO DE PEIXES

Leia mais

HISTÓRICO DA RÁDIO-TELEMETRIA NO ESTUDO DE FELINOS NO BRASIL

HISTÓRICO DA RÁDIO-TELEMETRIA NO ESTUDO DE FELINOS NO BRASIL HISTÓRICO DA RÁDIO-TELEMETRIA NO ESTUDO DE FELINOS NO BRASIL Peter G. Crawshaw Jr. Floresta Nacional de São Francisco de Paula, RS IBAMA A rádio-telemetria em felinos foi usada pela primeira vez no Brasil

Leia mais

Premissas e Critérios Mínimos para Implantação, Avaliação e Monitoramento de Sistemas de Transposição para Peixes 1. INTRODUÇÃO

Premissas e Critérios Mínimos para Implantação, Avaliação e Monitoramento de Sistemas de Transposição para Peixes 1. INTRODUÇÃO 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 Premissas e Critérios Mínimos para Implantação, Avaliação e Monitoramento de Sistemas de Transposição para Peixes 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Claudemir Oliveira da Silva

Claudemir Oliveira da Silva RELATÓRIO DO BANCO DE DADOS ACCESS Claudemir Oliveira da Silva 1 Relatório de Consultoria Censo Comunitário das Comunidades Ribeirinhas de São Francisco - Minas. por Claudemir Oliveira da Silva INTRODUÇÃO

Leia mais

ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA ICTIOFAUNA DO MÉDIO RIO CASCA, BACIA DO (ALTO) RIO DOCE, MINAS GERAIS, BRASIL

ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA ICTIOFAUNA DO MÉDIO RIO CASCA, BACIA DO (ALTO) RIO DOCE, MINAS GERAIS, BRASIL ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA ICTIOFAUNA DO MÉDIO RIO CASCA, BACIA DO (ALTO) RIO DOCE, MINAS GERAIS, BRASIL Siqueira, R.C.; Oliveira Júnior, P.R.; Silveira, V.C; Melo, R S.; Teixeira, T.M.; Guedes, E.A; Sousa,

Leia mais

XXI CONGRESO LATINOAMERICANO DE HIDRÁULICA SÃO PEDRO, ESTADO DE SÃO PAULO, BRASIL, OCTUBRE, 2004

XXI CONGRESO LATINOAMERICANO DE HIDRÁULICA SÃO PEDRO, ESTADO DE SÃO PAULO, BRASIL, OCTUBRE, 2004 Obras HidráulicasMonferrer IAHR AIPH XXI CONGRESO LATINOAMERICANO DE HIDRÁULICA SÃO PEDRO, ESTADO DE SÃO PAULO, BRASIL, OCTUBRE, 2004 A POSSIBILIDADE DE RECUPERAÇÃO ENERGÉTICA DA ÁGUA DE ATRAÇÃO DO ELEVADOR

Leia mais

Genética de populações de Prochilodus argenteus e P. costatus do médio São Francisco

Genética de populações de Prochilodus argenteus e P. costatus do médio São Francisco UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS DE BOTUCATU BRUNO FRANCELINO DE MELO Genética de populações de Prochilodus argenteus e P. costatus do médio São Francisco BOTUCATU JULHO/2011 UNIVERSIDADE

Leia mais

HISTOLOGIA DE GONADAS DE HIBRIDOS DE SURUBINS EXPLORADOS COMERCIALMENTE

HISTOLOGIA DE GONADAS DE HIBRIDOS DE SURUBINS EXPLORADOS COMERCIALMENTE HISTOLOGIA DE GONADAS DE HIBRIDOS DE SURUBINS EXPLORADOS COMERCIALMENTE Milene Aguirre Aranda 1 ; Andrea Maria de Araújo Gabriel²; Fabiana Cavichiolo 2 ; Arlene Ventura Sobrinho 3 ; Carolina Queiroz Carollo

Leia mais

USINA HIDRELÉTRICA ITÁ

USINA HIDRELÉTRICA ITÁ USINA HIDRELÉTRICA ITÁ RELATÓRIO ANUAL 1 SETEMBRO / 2006 a AGOSTO / 2007 1 Este Relatório abrange as atividades de Monitoramento das Condições do Aqüífero Basáltico, cuja periodicidade é semestral, conforme

Leia mais

GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL

GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL Baseados em nossa experiência em aplicações de GPS e Telemetria, e devido às pequenas dimensões (70x40x20 mm) do GT PERSONAL GPS este dispositivo portátil executa o

Leia mais

Exemplos de Telas de Supervisórios

Exemplos de Telas de Supervisórios Exemplos de Sistemas Especiais Exemplos de Sistemas Especiais Exemplos de Sistemas Especiais Exemplos de Sistemas Especiais Exemplos de Sistemas Especiais Exemplos de Sistemas Especiais Exemplos de Sistemas

Leia mais

FORD C-MAX + FORD GRAND C-MAX CMAX_Main_Cover_2014_V3.indd 1-3 23/08/2013 10:01:48

FORD C-MAX + FORD GRAND C-MAX CMAX_Main_Cover_2014_V3.indd 1-3 23/08/2013 10:01:48 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 12,999,976 km 9,136,765 km 1,276,765 km 499,892 km 245,066 km 112,907 km 36,765 km 24,159 km 7899 km 2408 km 76 km 12 14 16 9 10 1 8 12 7 3 1 6 2 5 4 3 11 18 20 21 22 23 24 26 28 30

Leia mais

Convivência Banda C Satélite e WiMAX

Convivência Banda C Satélite e WiMAX Convivência Banda C Satélite e WiMAX 16 de agosto de 2011 Interferência na Banda C Sinal satélite ( transmitido a 36.000 km de distância) recebido com potência muito menor que sinal WiMAX (transmitido

Leia mais

Departamento de Biologia, Universidade Federal de Lavras. Campus Universitário, 37200-000 Lavras, Minas Gerais, Brasil. E-mail: pompeu@ufla.

Departamento de Biologia, Universidade Federal de Lavras. Campus Universitário, 37200-000 Lavras, Minas Gerais, Brasil. E-mail: pompeu@ufla. Var ariações temporais na passagem de peixes es pelo elevador da Usina Hidrelétr elétrica de Santa Clara, a, rio Mucuri, leste brasileir asileiro Paulo dos S. Pompeu 1 & Carlos B. Martinez 2 1 Departamento

Leia mais

IDADE E CRESCIMENTO DE Iheringichthys labrosos NO RIO URUGUAI - RS

IDADE E CRESCIMENTO DE Iheringichthys labrosos NO RIO URUGUAI - RS IDADE E CRESCIMENTO DE Iheringichthys labrosos NO RIO URUGUAI - RS Soares, H. J (1) ; Gralha, T. S. (2) ; Pessano, E. F. C. (3) ; Querol, M. V. M. (2) henrique_js90@hotmail.com (1) Universidade Federal

Leia mais

BADISCO PROFISSIONAL PT-1000 EQUIPAMENTO DE TESTE DE LINHA

BADISCO PROFISSIONAL PT-1000 EQUIPAMENTO DE TESTE DE LINHA BADISCO PROFISSIONAL PT-1000 EQUIPAMENTO DE TESTE DE LINHA DISCAGEM POR PULSO E TOM INDICAÇÃO DE POLARIDADE DE LINHA MEMORIZA ÚTIMO NÚMERO DISCADO MONITORAÇÃO EM ALTA IMPEDÂNCIA PROTEÇÃO CONTRA REDIOINTERFERÊNCIA

Leia mais

Odonthestes bonariensis/ Atherinella brasiliensis. Instrução Normativa IBAMA nº83/2006, área de abrangência: Canavieiras/ Bahia

Odonthestes bonariensis/ Atherinella brasiliensis. Instrução Normativa IBAMA nº83/2006, área de abrangência: Canavieiras/ Bahia mínimo de captura O tamanho mínimo de captura refere-se ao tamanho a partir do qual é autorizada a pesca de uma determinada espécie, baseado no tamanho da 1º maturação sexual da espécie e é implantado

Leia mais

PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE SÃO MANOEL

PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE SÃO MANOEL PROJETO BÁSICO AMBIENTAL UHE SÃO MANOEL Programa de Transposição da Ictiofauna CONTROLE DE REVISÃO CÓDIGO REVISÃO DATA P00.SM-025/14 00 30/01/2014 P00.SM-025/14 01 30/04/2014 P00.SM-025/14 02 08/10/2014

Leia mais

PLANO DE AÇÃO NACIONAL DO PATO MERGULHÃO

PLANO DE AÇÃO NACIONAL DO PATO MERGULHÃO OBJETIVO GERAL O objetivo deste plano de ação é assegurar permanentemente a manutenção das populações e da distribuição geográfica de Mergus octosetaceus, no médio e longo prazo; promover o aumento do

Leia mais

Sistemas de estatísticas pesqueiras no Pantanal, Brasil: aspectos técnicos e políticos

Sistemas de estatísticas pesqueiras no Pantanal, Brasil: aspectos técnicos e políticos Sistemas de estatísticas pesqueiras no Pantanal, Brasil: aspectos técnicos e políticos AGOSTINHO CARLOS CATELLA 1,4, RODRIGO DE OLIVEIRA MASCARENHAS 2,5, SELENE PEIXOTO ALBUQUERQUE 3,6, FRANCISCA FERNANDES

Leia mais

Entendendo a Tecnologia RFID

Entendendo a Tecnologia RFID Entendendo a Tecnologia RFID Como o próprio nome sugere a identificação por radiofreqüência é uma tecnologia de identificação automática que utiliza ondas eletromagnéticas como meio para capturar as informações

Leia mais

INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS MG DIRETORIA DE BIODIVERSIDADE GERÊNCIA DE PROJETOS E PESQUISAS

INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS MG DIRETORIA DE BIODIVERSIDADE GERÊNCIA DE PROJETOS E PESQUISAS INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS MG DIRETORIA DE BIODIVERSIDADE GERÊNCIA DE PROJETOS E PESQUISAS MG.BIOTA Belo Horizonte v.2, n.6 fev./mar. 2010 SUMÁRIO Editorial... 3 Apresentação... 4 A ictiofauna da

Leia mais

Condicionantes do componente indígena do processo de licenciamento ambiental da Usina Hidrelétrica de Belo Monte1.

Condicionantes do componente indígena do processo de licenciamento ambiental da Usina Hidrelétrica de Belo Monte1. Condicionantes do componente indígena do processo de licenciamento ambiental da Usina Hidrelétrica de Belo Monte1. Condicionante Responsável Condicionantes de viabilidade do empreendimento sem prazo explicito

Leia mais

Informação e Comunicação

Informação e Comunicação Informação e Comunicação Fernando Rui Campos Educação Tecnológica 8º e 9º ano Versão 1.0 Novembro 2009 Tipos de Informação Básicos numa comunicação. Existem três tipos básicos de informação: Áudio Vídeo

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO FINAL

RELATÓRIO TÉCNICO FINAL Levantamento da ictiofauna e caracterização da pesca comercial na área do reservatório e a jusante da Usina Hidrelétrica de São Simão Vista de jusante da barragem da UHE São Simão rio Paranaíba (MG/GO)

Leia mais

Conservação da lontra neotropical(lontra longicaudis) e da ariranha (Pteronura brasiliensis) na RPPN Fazenda Rio Negro, Pantanal, Brasil

Conservação da lontra neotropical(lontra longicaudis) e da ariranha (Pteronura brasiliensis) na RPPN Fazenda Rio Negro, Pantanal, Brasil Conservação da lontra neotropical(lontra longicaudis) e da ariranha (Pteronura brasiliensis) na RPPN Fazenda Rio Negro, Pantanal, Brasil RELATÓRIO TÉCNICO SETEMBRO DE 2006 1. SUMÁRIO EXECUTIVO 1.a. Título

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE PESQUEIRA COMERCIAL NO ALTO RIO PARAGUAI, MUNICÍPIO DE BARRA DO BUGRES, MATO GROSSO 1

CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE PESQUEIRA COMERCIAL NO ALTO RIO PARAGUAI, MUNICÍPIO DE BARRA DO BUGRES, MATO GROSSO 1 1 CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE PESQUEIRA COMERCIAL NO ALTO RIO PARAGUAI, MUNICÍPIO DE BARRA DO BUGRES, MATO GROSSO 1 HEITOR QUEIROZ MEDEIROS 2, VIVIANE LUCAS AMARAL 3, LÚCIA APARECIDA DE FÁTIMA MATEUS 4,5,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA N 194, DE 2 DE OUTUBRO DE 2008. O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS IBAMA, no uso das suas atribuições legais previstas no

Leia mais

A ictiofauna do Parque Nacional da Serra do Cipó (Minas Gerais, Brasil) e áreas adjacentes

A ictiofauna do Parque Nacional da Serra do Cipó (Minas Gerais, Brasil) e áreas adjacentes Lundiana 6(supplement):77-87, 2005 2005 Instituto de Ciências Biológicas - UFMG ISSN 1676-6180 A ictiofauna do Parque Nacional da Serra do Cipó (Minas Gerais, Brasil) e áreas adjacentes Fábio Vieira 1,

Leia mais

Diretoria de Operação e Manutenção

Diretoria de Operação e Manutenção Os Benefícios da Inteligência Aplicada em Localização de Falhas Elétricas em Cabos Subterrâneos de 13,8 a 145 kv 11ª Edição do Redes Subterrâneas de Energia Elétrica - 2015 Diretoria de Operação e Manutenção

Leia mais

Diversidade genética das espécies de Prochilodus spp. utilizadas em piscicultura no baixo São Francisco no Estado de Sergipe

Diversidade genética das espécies de Prochilodus spp. utilizadas em piscicultura no baixo São Francisco no Estado de Sergipe UNIVERSIDADE TIRADENTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE E AMBIENTE Diversidade genética das espécies de Prochilodus spp. utilizadas em piscicultura no baixo São Francisco no Estado de Sergipe ANNA CAROLINA

Leia mais

nosso território; são elas:. Rios que formam as bacias: 1. Oiapoque 2. Gurupi 3. Parnaíba 4. Jequitinhonha 5. Doce

nosso território; são elas:. Rios que formam as bacias: 1. Oiapoque 2. Gurupi 3. Parnaíba 4. Jequitinhonha 5. Doce 3URMHWR³&(33($±,WDWLED 5HVSRQViYHO INPA Instituto Nacional de Preservação Ambiental 6LQRSVHGR3URMHWR O projeto CEPPEA Itatiba visa criar um Centro de Preservação Pesquisa e Educação Ambiental (CEPPEA)

Leia mais

Caracterização do desenvolvimento inicial de Leporinus friderici (Osteichthyes, Anostomidae) da bacia do rio Paraná, Brasil

Caracterização do desenvolvimento inicial de Leporinus friderici (Osteichthyes, Anostomidae) da bacia do rio Paraná, Brasil Caracterização do desenvolvimento inicial de Leporinus friderici (Osteichthyes, Anostomidae) da bacia do rio Paraná, Brasil Paulo Vanderlei Sanches 1, Gilmar Baumgartner 2, Andréa Bialetzki 3 *, Mirian

Leia mais

EMPREENDEDOR: 9 RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE IMPLANTAÇÃO DOS PROGRAMAS AMBIENTAIS DA PCH SERRA DOS CAVALINHOS II PERÍODO: - JANEIRO A MARÇO DE 2013 -

EMPREENDEDOR: 9 RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE IMPLANTAÇÃO DOS PROGRAMAS AMBIENTAIS DA PCH SERRA DOS CAVALINHOS II PERÍODO: - JANEIRO A MARÇO DE 2013 - EMPREENDEDOR: 9 RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE IMPLANTAÇÃO DOS PROGRAMAS AMBIENTAIS DA PCH SERRA DOS CAVALINHOS II PERÍODO: - JANEIRO A MARÇO DE 2013 - ELABORAÇÃO: MAIO 2013. SUMÁRIO 1 PROGRAMA DE AQUISIÇÃO

Leia mais

I WORKSHOP DE AVALIAÇÃO DA REDE DE SUSTENTABILIDADE DA PESCA NO PANTANAL local: POUSADA PENHASCO - CHAPADA DOS GUIMARÃES IMT

I WORKSHOP DE AVALIAÇÃO DA REDE DE SUSTENTABILIDADE DA PESCA NO PANTANAL local: POUSADA PENHASCO - CHAPADA DOS GUIMARÃES IMT I Workshop de Avaliação da Rede de Sustentabilidade da Pesca no Pantanal I WORKSHOP DE AVALIAÇÃO DA REDE DE SUSTENTABILIDADE DA PESCA NO PANTANAL local: POUSADA PENHASCO - CHAPADA DOS GUIMARÃES IMT PARECER

Leia mais

Situação Atual e Desafios

Situação Atual e Desafios III ENCONTRO DE NEGÓCIOS DA AQUICULTURA DA AMAZÔNIA Políticas para o Desenvolvimento Sustentável da Aquicultura da Amazônia CADEIA PRODUTIVA DOS SURUBINS Situação Atual e Desafios Thiago Tetsuo Ushizima

Leia mais

SEJA BEM VINDO A IWEIC RASTRACK VIA SATÉLITE

SEJA BEM VINDO A IWEIC RASTRACK VIA SATÉLITE Manual do usuário: SEJA BEM VINDO A IWEIC RASTRACK VIA SATÉLITE Atuamos dentro dos mais altos padrões nacionais de qualidade, para cumprir nossa missão de proporcionar a nossos clientes o máximo de dedicação,

Leia mais

Conservação da lontra neotropical(lontra longicaudis) e da ariranha (Pteronura brasiliensis) na RPPN Fazenda Rio Negro, Pantanal, Brasil

Conservação da lontra neotropical(lontra longicaudis) e da ariranha (Pteronura brasiliensis) na RPPN Fazenda Rio Negro, Pantanal, Brasil Conservação da lontra neotropical(lontra longicaudis) e da ariranha (Pteronura brasiliensis) na RPPN Fazenda Rio Negro, Pantanal, Brasil RELATÓRIO TÉCNICO MAIO DE 2005 1. SUMÁRIO EXECUTIVO 1.a. Título

Leia mais

RELATÓRIO DO MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA DAS PCHS BOM JESUS DO GALHO E SUMIDOURO

RELATÓRIO DO MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA DAS PCHS BOM JESUS DO GALHO E SUMIDOURO RELATÓRIO DO MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA DAS PCHS BOM JESUS DO GALHO E SUMIDOURO CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S.A. DATAS DAS COLETAS: 29 de agosto de 2011 e 28 de fevereiro de 2012 DATA DA EMISSÃO DO RELATÓRIO:

Leia mais