Profa. Cláudia Naves David Amorim

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Profa. Cláudia Naves David Amorim"

Transcrição

1 ABDEH -Associação Brasileira para o Desenvolvimento do Edifício Hospitalar Curso: Projeto de Hospitais Sustentáveis - 17 e 18 de abril -São Paulo Profa. Cláudia Naves David Amorim LACAM Laboratório de Controle Ambiental e Eficiência Energética FAU UnB- Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília

2 1. Aquecimento solar passivo 2. Resfriamento passivo Ventilação Inércia térmica (frio e calor) Resfriamento evaporativo Proteção solar das aberturas Necessidades diversas para contextos diversos!...

3 ABNT

4 Consideram-se: tamanho das aberturas para ventilação; proteção das aberturas; vedações externas (tipo de parede externa e tipo de cobertura)[1]; e estratégias de condicionamento térmico passivo. [1] Transmitância térmica, atraso térmico e fator solar (ver 02: /2)

5 EXEMPLO ZONA 8 Carta Bioclimática apresentando as normais de cidades desta zona, destacando a cidade de Belém, PA

6 Aberturas para ventilação e sombreamento das aberturas para a Zona Bioclimática 8 Aberturas para ventilação Sombreamento das aberturas A (em % da área de piso) Grandes: A > 40% Sombrear aberturas Transmitância térmica, atraso térmico e fator de calor solar admissíveis para vedações externas para a Zona Bioclimática 8 Vedações externas Transmitância térmica U Atraso Térmico ϕ Fator de calor Solar FCS W/m 2.K Horas % Parede: Leve Refletora U 3,60 ϕ 4,3 FCS 4,0 Cobertura: Leve Refletora U 2,30.FT ϕ 3,3 FCS 6,5 Estação Verão Estratégias de condicionamento térmico passivo para a Zona Bioclimática 8 Estratégias de condicionamento térmico passivo J) Ventilação cruzada permanente Nota: O condicionamento passivo será insuficiente durante as horas mais quentes O código J é o mesmo adotado na metodologia utilizada para definir o Zoneamento Bioclimático do Brasil (ver anexo B).

7 ZONA 4 Brasília Ribeirão Preto

8 Tabela 10 - Aberturas para ventilação e sombreamento das aberturas para a Zona Bioclimática 4 Aberturas para ventilação Médias Sombreamento das aberturas Sombrear aberturas Tabela 11 - Tipos de vedações externas para a Zona Bioclimática 4 Vedações externas Parede: Pesada Cobertura: Leve isolada Estação Verão Inverno Tabela 12 - Estratégias de condicionamento térmico passivo para a Zona Bioclimática 4 Estratégias de condicionamento térmico passivo H) Resfriamento evaporativo e Massa térmica para resfriamento J) Ventilação seletiva (nos períodos quentes em que a temperatura interna seja superior à externa) B) Aquecimento solar da edificação C) Vedações internas pesadas (inércia térmica)

9

10 Até 21 de junho

11 Após 21 de junho

12 Fonte: Programa Luz do Sol

13 Fonte: Programa Luz do Sol

14 Fonte: Programa Luz do Sol

15

16 Fonte: Programa Luz do Sol

17 Fonte: Programa Luz do Sol

18 Definem-se os protetores solares horizontaisa partir do ângulo em corte. Programa SolAr- LABEEE/UFSC

19 Protetores solares horizontais, com relativo mascaramento; notar que todos têm o mesmo ângulo de proteção. Fonte: Olgyay, 1957

20 Definem-se os protetores solares verticais a partir do ângulo em planta. Programa SolAr- LABEEE/UFSC

21 Protetores solares verticais, com relativo mascaramento. Fonte: Olgyay, 1957

22 Programa SolAr- LABEEE/UFSC

23 Protetores solares mistos, com relativo mascaramento. Fonte: Olgyay, 1957

24

25 Forma

26 Envoltória

27 Cláudia Naves Amorim

28 Permite trocas luminosas, térmicas e acústicas, assim como ventilação natural, iluminação natural e contato visual com o exterior Dimensões, tipologias, fechamentos, dispositivos de sombreamento e orientação são decisivos para a condição de conforto térmico e luminoso dos ambientes Cláudia Naves Amorim

29 Preferência humana... NENHUM CÉU VISÍVEL- MUITO RUIM Cláudia Naves Amorim

30 DIVIDIR EM DUAS OU MAIS PARTES NECESSIDADES DE PRIVACIDADE, VENTILAÇÃO, ILUMINAÇÃO NATURAL, GANHOS SOLARES, VISTA PARA O EXTERIOR Cláudia Naves Amorim

31 Casarões coloniais de Paraty -RJ Cláudia Naves Amorim

32 ILUMINAÇÃO ZENITAL Maior uniformidade na distribuição da luz natural Fonte: Majoros (1998) Cláudia Naves Amorim

33 Aeroporto Barajas (Madrid) Arq. Richard Rogers Foto: Roberta Vieira Cláudia Naves Amorim

34 EXPO 2000 HANNOVER arq. Thomas Herzog Cláudia Naves Amorim

35 Pavilhão da Turquia Muxarabis revisitados Cláudia Naves Amorim

36 Cláudia Naves Amorim Ed. Kommerzbank arq. Norman Foster

37 Prateleira de luz reta. Fonte: apud Chagas, 2008 Prateleira de luz curva Fonte: apud Chagas, 2008 Cláudia Naves Amorim

38 Prateleira de luz e sombreamento proporcionado. Fonte: Prateleira de luz e distribuição da iluminação natural no ambiente. Fonte: Cláudia Naves Amorim

39 FACHADA NORTE BRASÍLIA Cláudia Naves Amorim

40 PAINÉIS PRISMÁTICOS Controlam a luz transmitida por meio da refração e reflexão. São placas finas de acrílico transparente, de um lado lisas e de outro, recortadas em ziguezague. Vantagens: Translúcidos; redução do ofuscamento causado pela visão da abóbada celeste; Melhoria significativa do conforto visual. Cláudia Naves Amorim

41 Cláudia Naves Amorim

42 Cláudia Naves Amorim

43 Cláudia Naves Amorim

44 Cláudia Naves Amorim

45 Cláudia Naves Amorim

46 Cláudia Naves Amorim T.U. Berlim

47 Cláudia Naves Amorim

48 Cláudia Naves Amorim

49 Arquiteto João Filgueiras Lima Lelé Uso de climatização passiva combinada à ativa (ventilação natural, inércia, condicionamento de ar onde necessário) Uso de luz natural controlada

50 Fonte:Cristakou, /04/

51 Fonte:Cristakou, 2003

52 Fonte:Cristakou, 2003

53 Fonte:Cristakou, 2003

54 Fonte:Cristakou, 2003

55 Fonte:Cristakou, 2003

56 Fonte:Cristakou, 2003

57 Fonte:Cristakou,

58 Fonte:Cristakou, /04/2012 PROJETOS LUMINOTÉCNICOS 2 - Sustentabilidade

59 Fonte:Christakou, 2003

60 AMORIM, C.N.D. Iluminação Natural e Eficiência Energética Parte I: Estratégias de Projeto para uma arquitetura sustentável. Periódico eletrônico em Arquitetura e Urbanismo. Paranoá,Vol.4,2002.http://www.unb.br/fau/pos_graduacao/paranoa/paranoa.htm BITTENCOURT, L. Uso das cartas solares. Diretrizes para arquitetos. Maceió, Ed. UFAL CORBELLA, O.; YANNAS, S. Em busca de uma arquitetura sustentável para os trópicos. Conforto Ambiental. Rio de Janeiro, Ed. Revan, FROTA, A.B. e SCHIFFER, S.R. Manual de Conforto Térmico. Editora Nobel, São Paulo, LAMBERTS, R.; DUTRA, L. E PEREIRA, F.Eficiência Energética na Arquitetura. UFSC/Procel/ Eletrobrás, DISPONÍVEL NA INTERNET PARA DOWNLOAD VIANNA, N. e GONÇALVES, J. Iluminação e Arquitetura. UniABC Virtus s/c Ltda, São Paulo, YEANG, KEN (2001): El Rascacielos Ecológico. Vers. Espanhola de Carlos Saensde Valicourt. Barcelona, Ed. GG. Original (1999): The Green Skyscraper. The Basis for Designing Sustainable Intensive Buildings. PrestelVerlag, Munich, London, New York. WINES, James. Green Architecture. Taschen Verlag, Köln, 2000.

61 OBRIGADA!

7º Simpósio de Ensino de Graduação

7º Simpósio de Ensino de Graduação INSOLAÇÃO EM EDIFICAÇÕES 7º Simpósio de Ensino de Graduação Autor(es) ISABELA SABOYA PINTO LIMA Orientador(es) SUELI MANÇANARES LEME 1. Introdução O conforto térmico é um atributo necessário em edificações

Leia mais

OS REQUISITOS DE DESEMPENHO TÉRMICO DA NBR 15575 E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA DO PROCEL SOB O PONTO DE VISTA DO PROJETO DE ARQUITETURA

OS REQUISITOS DE DESEMPENHO TÉRMICO DA NBR 15575 E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA DO PROCEL SOB O PONTO DE VISTA DO PROJETO DE ARQUITETURA OS REQUISITOS DE DESEMPENHO TÉRMICO DA NBR 15575 E A ETIQUETAGEM ENERGÉTICA DO PROCEL SOB O PONTO DE VISTA DO PROJETO DE ARQUITETURA Prof. ENEDIR GHISI UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Departamento

Leia mais

Diretrizes construtivas utilizando o Zoneamento Bioclimático Brasileiro

Diretrizes construtivas utilizando o Zoneamento Bioclimático Brasileiro Diretrizes const utilizando o Zoneamento Bioico Br Professor: Roberto Lamberts Mestranda: Mariana Garnica B. Universidade Federal de Santa Catarina Laboratório de Eficiência Energética em Edificações Introdução

Leia mais

Insolação no projeto de arquitetura

Insolação no projeto de arquitetura Insolação no projeto de arquitetura Arq. Cláudia Barroso-Krause, D.Sc DTC e PROARQ FAU/UFRJ www.fau.ufrj.br/proarq Barroso-krause@proarq.ufrj.br Conhecer as necessidades ambientais da atividade prevista

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 1º semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 1º semestre EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: INFRAESTRUTURA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES FORMA/GRAU:( )integrado ( X ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

Profa. Cláudia Naves David Amorim

Profa. Cláudia Naves David Amorim Profa. Cláudia Naves David Amorim Laboratório de Controle Ambiental (LACAM) Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) Universidade de Brasília (UnB) O ciclo da construção Novas exigências e normativas:

Leia mais

PRINCÍPIOS BIOCLIMÁTICOS PARA O PROJETO DE EDIFICAÇÕES EM OURO PRETO / MG

PRINCÍPIOS BIOCLIMÁTICOS PARA O PROJETO DE EDIFICAÇÕES EM OURO PRETO / MG PRINCÍPIOS BIOCLIMÁTICOS PARA O PROJETO DE EDIFICAÇÕES EM OURO PRETO / MG ROCHA, Jozielle Marques da 1 GOMES, Adriano P. 2 INTRODUÇÃO Um projeto arquitetônico deve se adaptar às características do meio

Leia mais

AVALIAÇÕES DE ESTRATÉGIAS BIOCLIMÁTICAS PRESENTES NA ARQUITETURA HABITACIONAL UNIFAMILIAR DO TRÓPICO ÚMIDO: A CASA ALDEIA VERDE EM MACEIÓ AL.

AVALIAÇÕES DE ESTRATÉGIAS BIOCLIMÁTICAS PRESENTES NA ARQUITETURA HABITACIONAL UNIFAMILIAR DO TRÓPICO ÚMIDO: A CASA ALDEIA VERDE EM MACEIÓ AL. AVALIAÇÕES DE ESTRATÉGIAS BIOCLIMÁTICAS PRESENTES NA ARQUITETURA HABITACIONAL UNIFAMILIAR DO TRÓPICO ÚMIDO: A CASA ALDEIA VERDE EM MACEIÓ AL. Wevila F. B. Correia (1); Gianna M. Barbirato (2) (1) DEHA

Leia mais

2. Produção Arquitetônica e Eficiência Energética

2. Produção Arquitetônica e Eficiência Energética UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL ECO-EFICIÊNCIA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NAS EDIFICAÇÕES - Versão Revisada e Resumida

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E ENERGIAS RENOVÁVEIS EM EDIFÍCIOS

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E ENERGIAS RENOVÁVEIS EM EDIFÍCIOS EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E ENERGIAS RENOVÁVEIS EM EDIFÍCIOS Roberto Lamberts, PhD. Universidade Federal de Santa Catarina- UFSC Laboratório de Eficiência Energética em Edificações LABEEE Conselho Brasileiro

Leia mais

ESTRATÉGIAS BIOCLIMÁTICAS PARA EDIFÍCIOS DESTINADOS AO CLIMA DA CIDADE DE ARARAS-SP 1

ESTRATÉGIAS BIOCLIMÁTICAS PARA EDIFÍCIOS DESTINADOS AO CLIMA DA CIDADE DE ARARAS-SP 1 ESTRATÉGIAS BIOCLIMÁTICAS PARA EDIFÍCIOS DESTINADOS AO CLIMA DA CIDADE DE ARARAS-SP 1 Juliana Montagner A. Do Nascimento 2 Dr. Helenice Maria Sacht 3 RESUMO O conceito de arquitetura bioclimática, ou arquitetura

Leia mais

O conforto térmico como um processo de adaptação ambiental: repensando os padrões da habitação em São Paulo Joana Carla Soares Gonçalves

O conforto térmico como um processo de adaptação ambiental: repensando os padrões da habitação em São Paulo Joana Carla Soares Gonçalves O conforto térmico como um processo de adaptação ambiental: repensando os padrões da habitação em São Paulo Joana Carla Soares Gonçalves O conceito mais atual de conforto térmico é aquele que relaciona

Leia mais

Desempenho Térmico de edificações Aula 5: Orientação e Diagrama Solar

Desempenho Térmico de edificações Aula 5: Orientação e Diagrama Solar Desempenho Térmico de edificações Aula 5: Orientação e Diagrama Solar PROFESSOR Roberto Lamberts ECV 5161 UFSC FLORIANÓPOLIS estrutura Introdução Movimentos da terra Diagramas solares Análises de proteções

Leia mais

COMPORTAMENTO TÉRMICO DA CONSTRUÇÃO

COMPORTAMENTO TÉRMICO DA CONSTRUÇÃO COMPORTAMENTO TÉRMICO DA CONSTRUÇÃO Capítulo 2 do livro Manual de Conforto Térmico NESTA AULA: Trocas de calor através de paredes opacas Trocas de calor através de paredes translúcidas Elementos de proteção

Leia mais

Arquitetura Sustentável Inovações Tecnológicas

Arquitetura Sustentável Inovações Tecnológicas Arquitetura Sustentável Inovações Tecnológicas Sistemas Inovadores de Iluminação Natural Trabalham redirecionando a luz solar ou a luz da abóbada celeste para ambientes onde a iluminação é necessária Prateleiras

Leia mais

ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO.

ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO E DESIGN DISCIPLINA: CONFORTO AMBIENTAL 1 ANÁLISE PROJETUAL DA RESIDÊNCIA SMALL HOUSE TÓQUIO, JAPÃO. ARQUITETOS: KAZUYO SEJIMA E

Leia mais

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. CONFORTO AMBIENTAL Aula 10

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. CONFORTO AMBIENTAL Aula 10 TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS CONFORTO AMBIENTAL Aula 10 PSICROMETRIA PSICROMETRIA PSICROMETRIA CARTA PSICROMÉTRICA ESTUDOS CLÁSSICOS Olgyay Givoni, Fanger PREOCUPAÇÃO COM O EDIFÍCIO E SEU DESEMPENHO

Leia mais

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO. Um sistema com bom desempenho MITOS E VERDADES

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO. Um sistema com bom desempenho MITOS E VERDADES Seminário: Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO Um sistema com bom desempenho MITOS E VERDADES Arnoldo Wendler Sistema Construtivo Estudo de viabilidade Anteprojeto arquitetônico Comercialização

Leia mais

ANÁLISE DO CONFORTO TÉRMICO PARA O PERÍODO DE INVERNO NO HOSPITAL ESCOLA DE SÃO CARLOS

ANÁLISE DO CONFORTO TÉRMICO PARA O PERÍODO DE INVERNO NO HOSPITAL ESCOLA DE SÃO CARLOS ANÁLISE DO CONFORTO TÉRMICO PARA O PERÍODO DE INVERNO NO HOSPITAL ESCOLA DE SÃO CARLOS Marieli Azoia Lukiantchuki (1); Monica Faria de Almeida Prado (2); Rosana Maria Caram (3) (1) Departamento de Arquitetura

Leia mais

Iluminação Natural e Eficiência Energética Parte I Estratégias de Projeto para uma Arquitetura Sustentável

Iluminação Natural e Eficiência Energética Parte I Estratégias de Projeto para uma Arquitetura Sustentável Iluminação Natural e Eficiência Energética Parte I Estratégias de Projeto para uma Arquitetura Sustentável Cláudia Naves David Amorim, Doutora pela Università degli Studi di Roma La Sapienza RESUMO Apresentam-se

Leia mais

Autor(es) ROSIMARY COUTO PAIXÃO. Orientador(es) ADRIANA PETITO DE ALMEIDA SILVA CASTRO. Apoio Financeiro FAPIC/UNIMEP. 1.

Autor(es) ROSIMARY COUTO PAIXÃO. Orientador(es) ADRIANA PETITO DE ALMEIDA SILVA CASTRO. Apoio Financeiro FAPIC/UNIMEP. 1. 19 Congresso de Iniciação Científica AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO TÉRMICO DE COBERTURAS DE POLICARBONATO E ACRÍLICO: ESTUDO DE CASO NO CAMPUS DA UNIMEP EM SANTA BÁRBARA DOESTE Autor(es) ROSIMARY COUTO PAIXÃO

Leia mais

arquitetura bioclimática e desempenho térmico t edificações

arquitetura bioclimática e desempenho térmico t edificações PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL Construção Metálica Escola de Minas Universidade Federal de Ouro Preto arquitetura bioclimática e desempenho térmico t de edificações Henor Artur de Souza

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CONFORTO TÉRMICO EM HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL EM MADEIRA

AVALIAÇÃO DO CONFORTO TÉRMICO EM HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL EM MADEIRA AVALIAÇÃO DO CONFORTO TÉRMICO EM HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL EM MADEIRA Ricardo Dias Silva (1); Admir Basso () (1) DAU/UEL, e-mail: rdsilva@uel.br () EESC/USP, e-mail: admbasso@sc.usp.br RESUMO Este

Leia mais

SELO CASA AZUL CAIXA. Cases empresariais - SBCS10 São Paulo, 9/NOV/2010

SELO CASA AZUL CAIXA. Cases empresariais - SBCS10 São Paulo, 9/NOV/2010 Cases empresariais - SBCS10 São Paulo, 9/NOV/2010 SELO CASA AZUL CAIXA Sandra Cristina Bertoni Serna Quinto Arquiteta Gerência Nacional de Meio Ambiente SELO CASA AZUL CAIXA CATEGORIAS E CRITÉRIOS SELO

Leia mais

ARQUITETANDO O FUTURO

ARQUITETANDO O FUTURO ARQUITETANDO O FUTURO Arq. Emílio Ambasz T J D F T ASSESSORIA DA SECRETARIA GERAL DA PRESIDÊNCIA Objetivos do TJDFT Cumprir o mandamento constitucional de defesa e preservação do meio ambiente para as

Leia mais

LUZ NATURAL E PROJETO DE ARQUITETURA: ESTRATÉGIAS PARA ILUMINAÇÃO ZENITAL EM CENTROS DE COMPRAS.

LUZ NATURAL E PROJETO DE ARQUITETURA: ESTRATÉGIAS PARA ILUMINAÇÃO ZENITAL EM CENTROS DE COMPRAS. I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. LUZ NATURAL E PROJETO DE ARQUITETURA:

Leia mais

ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS

ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS Profª Drª Cláudia Naves David Amorim LACAM Laboratório de Controle Ambiental e Eficiência Energética Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade

Leia mais

Desempenho Ambiental no Projeto de Arquitetura

Desempenho Ambiental no Projeto de Arquitetura Desempenho Ambiental no Projeto de Arquitetura SABESP 7ª Audiência de Sustentabilidade Construções Sustentáveis Profa. ROBERTA CONSENTINO KRONKA MÜLFARTH rkronka@usp.br LABAUT - Laboratório de Conforto

Leia mais

Soluções para melhoramento do conforto ambiental em Escolas da Rede Municipal de Caruaru.

Soluções para melhoramento do conforto ambiental em Escolas da Rede Municipal de Caruaru. Soluções para melhoramento do conforto ambiental em Escolas da Rede Municipal de Caruaru. Deborah Cristina Alves de Brito - brito.deborah@gmail.com Master em Arquitetura Instituto de Pós-Graduação e Graduação

Leia mais

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA VENTILAÇÃO NATURAL E DA INÉRCIA TÉRMICA DO ENVELOPE CONSTRUTIVO EM EDIFICAÇÃO VERTICAL MULTIFAMILIAR

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA VENTILAÇÃO NATURAL E DA INÉRCIA TÉRMICA DO ENVELOPE CONSTRUTIVO EM EDIFICAÇÃO VERTICAL MULTIFAMILIAR 1 ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA VENTILAÇÃO NATURAL E DA INÉRCIA TÉRMICA DO ENVELOPE CONSTRUTIVO EM EDIFICAÇÃO VERTICAL MULTIFAMILIAR RESUMO Tiago Arent Longo (1); Luiz César de Castro (2) UNESC Universidade

Leia mais

Optimização Energética na Reabilitação Onde Investir?

Optimização Energética na Reabilitação Onde Investir? Optimização Energética na Reabilitação Onde Investir? A nova legislação estabelece as seguintes exigências relativamente à envolvente do edifício: Limite máximo dos coeficientes de transmissão térmica

Leia mais

Treinamento Window Film Módulo I: Parte Teórica

Treinamento Window Film Módulo I: Parte Teórica Treinamento Window Film Módulo I: Parte Teórica Sumário Vidros Planos e Vidros Low-E Entendendo o Espectro Solar Formas de Propagação de Calor Conceitos Teóricos Luz Visível (Transmitida, Refletida Interior

Leia mais

Envolventes Tecnologia y Sustentabilidad. VIII Congresso SISTECCER. Rosario Argentina. Arq. Consultor Paulo Duarte. 09/Agosto/2012

Envolventes Tecnologia y Sustentabilidad. VIII Congresso SISTECCER. Rosario Argentina. Arq. Consultor Paulo Duarte. 09/Agosto/2012 Envolventes Tecnologia y Sustentabilidad VIII Congresso SISTECCER Rosario Argentina Arq. Consultor Paulo Duarte 09/Agosto/2012 Requisitos para o Envelope do Edifício O Envelope é formado pelas Fachadas

Leia mais

ANAIS ELETRÔNICOS - 1ª JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EXTENSÃO DO IFTO

ANAIS ELETRÔNICOS - 1ª JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EXTENSÃO DO IFTO ARQUITETURA BIOCLIMÁTICA: RECOMENDAÇÕES APROPRIADAS PARA PALMAS/TO Djean da Costa BARBOSA (1); Mariana Brito de LIMA (2); (1) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do TO, AE 310 SUL, Avenida

Leia mais

ILUMINAÇÃO NATURAL EM CENTROS DE COMPRAS: ESTRATÉGIAS INOVADORAS PARA ABERTURAS ZENITAIS

ILUMINAÇÃO NATURAL EM CENTROS DE COMPRAS: ESTRATÉGIAS INOVADORAS PARA ABERTURAS ZENITAIS ILUMINAÇÃO NATURAL EM CENTROS DE COMPRAS: ESTRATÉGIAS INOVADORAS PARA ABERTURAS ZENITAIS Garrocho, Juliana Saiter / Amorim, Cláudia Naves Programa de Pesquisa e Pós-Graduação - PPG - FAU, Universidade

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. ANO DA TURMA: 3º ano EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. ANO DA TURMA: 3º ano EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: INFRAESTRUTURA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES FORMA/GRAU:( X)integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO:

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: Adequações frente às s normas de desempenho. Marcelo Moacyr Diretor de Engenharia, Construção e Relacionamento 1 Escolha do Sistema Construtivo 2 Avaliações

Leia mais

Soluções Sustentáveis

Soluções Sustentáveis ANA ROCHA MELHADO Soluções Sustentáveis EMPREENDIMENTOS RESIDENCIAIS IV SEMINÁRIO DE INOVAÇÃO NA CONSTRUÇÃO CIVIL RIO DE JANEIRO, junho de 2011 SÍTIO E CONSTRUÇÃO (6 18) 1 - Relação do Edifício com o

Leia mais

SOLUÇÕES INTELIGENTES PARA EDIFÍCIOS ECOLÓGICAMENTE RESPONSÁVEIS

SOLUÇÕES INTELIGENTES PARA EDIFÍCIOS ECOLÓGICAMENTE RESPONSÁVEIS SOLUÇÕES INTELIGENTES PARA EDIFÍCIOS ECOLÓGICAMENTE RESPONSÁVEIS SOLUÇÕES INTELIGENTES PARA EDIFÍCIOS ECOLÓGICAMENTE RESPONSÁVEIS SOLUÇÕES INTELIGENTES PARA EDIFÍCIOS ECOLÓGICAMENTE RESPONSÁVEIS Gás Climatização

Leia mais

ANÁLISE DO DESEMPENHO TERMICO DE EDIFICIO ESCOLAR ATRAVES DO PROGRAMA ENERGYPLUS

ANÁLISE DO DESEMPENHO TERMICO DE EDIFICIO ESCOLAR ATRAVES DO PROGRAMA ENERGYPLUS ANÁLISE DO DESEMPENHO TERMICO DE EDIFICIO ESCOLAR ATRAVES DO PROGRAMA ENERGYPLUS Luis Fernando Malluf Sanchez Faculdade de Engenharia Civil CEATEC luis.fms1@puccampinas.edu.br Claudia Cotrim Pezzuto Faculdade

Leia mais

AVALIAÇÃO NUMÉRICA DO DESEMPENHO TÉRMICO DO PRÉDIO SEDE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE MARIANA - MG

AVALIAÇÃO NUMÉRICA DO DESEMPENHO TÉRMICO DO PRÉDIO SEDE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE MARIANA - MG AVALIAÇÃO NUMÉRICA DO DESEMPENHO TÉRMICO DO PRÉDIO SEDE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE MARIANA - MG Élen Silva Ataíde(1); Henor Artur de Souza(2) (1)Arquiteta, MSc. - Universidade Federal de Ouro Preto, DECAT/EM,

Leia mais

Conforto térmico estratégias gerais

Conforto térmico estratégias gerais Sarah Lago Norte ESTRATÉGIAS PASSIVAS E ATIVAS DE CONFORTO AMBIENTAL (térmico e lumínico) ZEA 1022 Princípios de Bioclimatologia Prof. Cristiane Gonçalves Titto Prof. João Adriano Rossignolo Material Elaborado

Leia mais

6º Seminário Tecnologia de sistemas prediais

6º Seminário Tecnologia de sistemas prediais 6º Seminário Tecnologia de sistemas prediais Os projetos de sistemas prediais elétricos, de ar condicionado e iluminação com foco para atender requisitos de conservação de energia na etiquetagem do PROCEL/

Leia mais

CASH CARIBBEAN AFFORDABLE SOLAR HOUSE. Casa Solar Acessível Caribenha

CASH CARIBBEAN AFFORDABLE SOLAR HOUSE. Casa Solar Acessível Caribenha CASH CARIBBEAN AFFORDABLE SOLAR HOUSE Casa Solar Acessível Caribenha ESCOLHA DA CASA PAÍS LATINO CLIMA TROPICAL CASA PERMEÁVEL POSSIVEL ALCANCE DE INTERESSE SOCIAL CASH HOME Slogan: Ser verde e acessível.

Leia mais

Comercial, de Serviço e Público

Comercial, de Serviço e Público 1 Diretrizes para Obtenção de Classificação Nível A para Edificações Comerciais, de Serviços e Públicas Comercial, de Serviço e Público 2014 Com base na Portaria: nº 372/2010 2 Eletrobras/Procel José da

Leia mais

Uso de elementos de proteção solar externo no quadrilátero central de Foz de Iguaçu - PR

Uso de elementos de proteção solar externo no quadrilátero central de Foz de Iguaçu - PR Uso de elementos de proteção solar externo no quadrilátero central de Foz de Iguaçu - PR Egon Vettorazzi (1); Marcelo Langner (2); Odoni Antonio Ruschel Junior (3); Patrícia Soares Teixeira (4); Roberta

Leia mais

Curso de Pós-Graduação em Arquitetura Bioclimática Sustentabilidade e Eficiência Energética. Módulo 6 Conforto Térmico III

Curso de Pós-Graduação em Arquitetura Bioclimática Sustentabilidade e Eficiência Energética. Módulo 6 Conforto Térmico III Módulo 6 Conforto Térmico III Março/2010 Cronograma HORÁRIO MATÉRIA Sexta 18:00 20:00 Desempenho térmico: Processos de transmissão de calor. 20:05 23:00 Propriedades térmicas dos materiais. Exercício de

Leia mais

AMBIENTE EFICIENTE Consultoria

AMBIENTE EFICIENTE Consultoria AMBIENTE EFICIENTE Consultoria ESCOPO DOS SERVIÇOS CERTIFICAÇÃO LEED A certificação LEED pode ser aplicada no Brasil em oito tipologias: Novas Construções (New Construction) Edifícios Existentes Operação

Leia mais

Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa

Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa Contexto Perfil de emissões MCTI Ministério do Meio Ambiente Objetivos Ampliar e aprimorar a participação

Leia mais

EDITAL 144/2014 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS

EDITAL 144/2014 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA MINAS GERAIS CAMPUS SANTA LUZIA EDITAL 144/2014 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E

Leia mais

Arquitetura e Clima Diagnóstico climático. AUT0276 - Desempenho Térmico, Arquitetura e Urbanismo

Arquitetura e Clima Diagnóstico climático. AUT0276 - Desempenho Térmico, Arquitetura e Urbanismo Arquitetura e Clima Diagnóstico climático AUT0276 - Desempenho Térmico, Arquitetura e Urbanismo Variáveis do clima exterior Variáveis do conforto humano Variáveis envolvidas na transferência de calor Os

Leia mais

O CONFORTO AMBIENTAL APLICADO À QUESTÃO DA HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL. O USO DE SOLUÇÕES PASSIVAS.

O CONFORTO AMBIENTAL APLICADO À QUESTÃO DA HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL. O USO DE SOLUÇÕES PASSIVAS. ISSN 1984-9354 O CONFORTO AMBIENTAL APLICADO À QUESTÃO DA HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL. O USO DE SOLUÇÕES PASSIVAS. Antônio Domingos Dias Ferreira, Fernando Benedicto Mainier, Carlos Alberto Pereira Soares,

Leia mais

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO Arnoldo Wendler Sistema Construtivo 1 Sistema Construtivo 2 Sistema Construtivo Sistema Construtivo 3 Sistema Construtivo Comunidade da Construção DIRETRIZES

Leia mais

NOX SISTEMAS CONSTRUTIVOS

NOX SISTEMAS CONSTRUTIVOS LABORATÓRIO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL LMCC ENDEREÇO: Cidade Universitária Camobi, Santa Maria/RS CEP 97105 900 TELEFONE: (55) 3220 8608 (Fax) Direção 3220 8313 Secretaria E-MAIL: lmcc@ct.ufsm.br

Leia mais

Para se proteger do excesso da radiação solar incidente, existem três estratégias básicas: dispositivo de proteção interna à janela, materiais

Para se proteger do excesso da radiação solar incidente, existem três estratégias básicas: dispositivo de proteção interna à janela, materiais ANÁLISE DAS ESTRATÉGIAS ARQUITETÔNICAS DE CONTROLE SOLAR EM EDIFÍCIOS VERTICAIS DE USO COMERCIAL/SERVIÇOS E RESIDENCIAIS: PARTE 2 ESTUDO DE CASO PARA O CENTRO DE BLUMENAU SC ULIANO, Giane (1); BOGO, Amilcar

Leia mais

O Vidro de Controlo Solar e Design VITROCHAVES INDÚSTRIA DE VIDRO S.A. www.vitrochaves.com

O Vidro de Controlo Solar e Design VITROCHAVES INDÚSTRIA DE VIDRO S.A. www.vitrochaves.com O Vidro de Controlo Solar e Design www.vitrochaves.com Polivalente para o uso Eficiente da Energia ISOLAR SOLARLUX proporciona uma temperatura ambiente equilibrada Tanto no verão como no inverno. Isto

Leia mais

Procedimentos de cálculo para dimensionamento da ventilação natural das edificações

Procedimentos de cálculo para dimensionamento da ventilação natural das edificações Procedimentos de cálculo para dimensionamento da ventilação natural das edificações Professores: Marcia Alucci, Fernando Cremonesi, Denise Duarte, Gil Andrade, Roberta Kronka, Antonio Carlos Mingrone,

Leia mais

Grandes obras, grandes criadores e uma marca de vidro.

Grandes obras, grandes criadores e uma marca de vidro. Grandes obras, grandes criadores e uma marca de vidro. A Cebrace é referência no mercado nacional, além de ser a empresa líder do segmento de vidro plano no Brasil. Com capacidade de fabricação de 3,6

Leia mais

É PERMITIDO O USO DE CALCULADORA PADRÃO NÃO MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE ENSINO DA MARINHA (CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NO CORPO

É PERMITIDO O USO DE CALCULADORA PADRÃO NÃO MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE ENSINO DA MARINHA (CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NO CORPO MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE ENSINO DA MARINHA (CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NO CORPO DE ENGENHEIROS DA MARINHA / CPCEM/2013) É PERMITIDO O USO DE CALCULADORA PADRÃO NÃO CIENTÍFICA E RÉGUA ESCALÍMETRO

Leia mais

Soluções REHAU PARA A REABILITAÇÃO. www.rehau.pt. Construção Automóvel Indústria

Soluções REHAU PARA A REABILITAÇÃO. www.rehau.pt. Construção Automóvel Indústria Soluções REHAU PARA A REABILITAÇÃO Uma APLICAÇÃO PARA CADA NECESSIDADE www.rehau.pt Construção Automóvel Indústria A REABILITAÇÃO, UMA SOLUÇÃO COM SISTEMAS PARA O AQUECIMENTO E O ARREFECIMENTO POR SUPERFÍCIES

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NAS AGÊNCIAS DO BANCO DO BRASIL NO DISTRITO FEDERAL

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NAS AGÊNCIAS DO BANCO DO BRASIL NO DISTRITO FEDERAL EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NAS AGÊNCIAS DO BANCO DO BRASIL NO DISTRITO FEDERAL RESUMO João Carlos Simão Pedreira (1); Cláudia Naves David Amorim (2) (1) Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

Vidros Vidro Acidado Submetido à solução ácida que age no vidro, de maneira controlada, criando texturas, desenhos e letras e promovendo um aspecto de translucidez. Pode ser fabricado artesanal ou industrialmente

Leia mais

REGIÃO CLIMÁTICA DE PORTO ALEGRE revisão para um desenho inteligente e uma arquitetura adequada

REGIÃO CLIMÁTICA DE PORTO ALEGRE revisão para um desenho inteligente e uma arquitetura adequada 2006 124 ARQ TEXTO 9 REGIÃO CLIMÁTICA DE PORTO ALEGRE revisão para um desenho inteligente e uma arquitetura adequada Heitor da Costa Silva Luciane Stürmer Kinsel 1 Assentamentos Ashanti. 2 Edificações

Leia mais

Fachadas Bioclimáticas

Fachadas Bioclimáticas Fachadas Bioclimáticas Automatização para maior conforto ambiental e economia de energia Edifício tradicional da rede combate as cargas para garantir o conforto! Natural da rede Interna Cargas Consequências

Leia mais

SMALL HOUSE. Sejima e Nishizawa 1999-2000

SMALL HOUSE. Sejima e Nishizawa 1999-2000 SMALL HOUSE 1999-2000 Sejima e Nishizawa Andressa Rodrigues Melo 11411ARQ028 Ariane Xavier Duarte 11411ARQ023 Guilherme Duarte Cunha 11411ARQ001 Larissa Costa Silva 11411ARQ026 Kazuyo Sejima e Ruye Nishizawa

Leia mais

METODOLOGIA PARA ANÁLISE DA ADMISSÃO DE LUZ NATURAL EM EDIFICAÇÕES

METODOLOGIA PARA ANÁLISE DA ADMISSÃO DE LUZ NATURAL EM EDIFICAÇÕES METODOLOGIA PARA ANÁLISE DA ADMISSÃO DE LUZ NATURAL EM EDIFICAÇÕES Amilcar J. Bogo, Arquiteto e Urbanista, Dr, Professor Departamento de Arquitetura e Urbanismo, Laboratório de Conforto Ambiental LACONFA/Grupo

Leia mais

Aproveitamento Solar Passivo - Aproveitamento da energia para aquecimento de edifícios ou prédios, através de concepções e estratégias construtivas.

Aproveitamento Solar Passivo - Aproveitamento da energia para aquecimento de edifícios ou prédios, através de concepções e estratégias construtivas. GLOSSÁRIO Aproveitamento Solar Passivo - Aproveitamento da energia para aquecimento de edifícios ou prédios, através de concepções e estratégias construtivas. Ar Condicionado - Expressão utilizada largamente

Leia mais

FCTA 4 TROCAS TÉRMICAS ENTRE O MEIO E AS EDIFICAÇÕES 4.1 FECHAMENTOS TRANSPARENTES

FCTA 4 TROCAS TÉRMICAS ENTRE O MEIO E AS EDIFICAÇÕES 4.1 FECHAMENTOS TRANSPARENTES 4 TROCAS TÉRMICAS ENTRE O MEIO E AS EDIFICAÇÕES 4.1 FECHAMENTOS TRANSPARENTES Nestes tipos de fechamento podem ocorrer três tipos de trocas térmicas: condução, convecção e radiação. O vidro comum é muito

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL ATRAVÉS DA CERTIFICAÇÃO Leticia Neves

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL ATRAVÉS DA CERTIFICAÇÃO Leticia Neves EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL ATRAVÉS DA CERTIFICAÇÃO Leticia Neves CTE CONSULTORIA EM GREEN BUILDING DOS 203 EMPREENDIMENTOS CERTIFICADOS LEED, O CTE PRESTOU CONSULTORIA PARA 95

Leia mais

MÓDULO DIDÁTICO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO TÉRMICO DE SISTEMAS CONSTRUTIVOS

MÓDULO DIDÁTICO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO TÉRMICO DE SISTEMAS CONSTRUTIVOS I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. MÓDULO DIDÁTICO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

Leia mais

ARQUITETURA RURAL: ESTRATÉGIAS PARA MINIMIZAR O CONSUMO DE

ARQUITETURA RURAL: ESTRATÉGIAS PARA MINIMIZAR O CONSUMO DE ARQUITETURA RURAL: ESTRATÉGIAS PARA MINIMIZAR O CONSUMO DE RESUMO ENERGIA. JORGE FILHO, Heitor Othelo 1 COSTANZI, Ricardo Nagamine 2 SOUZA, Samuel Nelson Melegari de 3 O consumo e as necessidades energéticas

Leia mais

ANALYSIS SOL-AR. PROJETO DE PESQUISA Desenvolvimento de tutoriais de softwares da série Analysis

ANALYSIS SOL-AR. PROJETO DE PESQUISA Desenvolvimento de tutoriais de softwares da série Analysis PROJETO DE PESQUISA Desenvolvimento de tutoriais de softwares da série Analysis ANALYSIS SOL-AR Pesquisadora: Karen Carrer Ruman de Bortoli (karencrbortoli@gmail.com) Orientadora: Rita de Cássia Pereira

Leia mais

CTE EQUIPE DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE PONTA. empreendimentos já certificados LEED NC e CS

CTE EQUIPE DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE PONTA. empreendimentos já certificados LEED NC e CS CTE EQUIPE DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE PONTA ü Mais de empreendimentos já certificados LEED NC e CS ü Todos com simulação termo-energética realizada por equipe especializada interna ü Atualmente temos

Leia mais

Impactos da Adequação Climática Sobre a Eficiência Energética e o Conforto Térmico de Edifícios de Escritórios no Brasil Zona 1

Impactos da Adequação Climática Sobre a Eficiência Energética e o Conforto Térmico de Edifícios de Escritórios no Brasil Zona 1 Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná Impactos da Adequação Climática Sobre a Eficiência Energética e o Conforto Térmico de Edifícios de Escritórios no Brasil Zona 1 Antonio Augusto de Paula

Leia mais

Madalena Russi Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental - Universidade Federal de Santa Maria madalenarussi@gmail.

Madalena Russi Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental - Universidade Federal de Santa Maria madalenarussi@gmail. Estratégias construtivas na busca de conforto térmico e eficiência energética em edificações unifamiliares de interesse social nas zonas bioclimáticas 1, 2 e 3 brasileiras Constructive strategies in search

Leia mais

ESTUDOS BIOCLIMÁTICOS E TECNOLOGIAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO ARQUITETÔNICO EM PALMAS (TO)

ESTUDOS BIOCLIMÁTICOS E TECNOLOGIAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO ARQUITETÔNICO EM PALMAS (TO) ESTUDOS BIOCLIMÁTICOS E TECNOLOGIAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO ARQUITETÔNICO EM PALMAS (TO) Alinne O. de Freitas (1); Silvia Garcia Tavares (2); Raphael de S. Santos (3); Mariela C. A. de Oliveira (4)

Leia mais

SIMONE SOUZA SANTOS ARQUITETURA E GESTÃO AMBIENTAL: UM PROJETO COMO INSTRUMENTO PARA A PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE. São Caetano do Sul

SIMONE SOUZA SANTOS ARQUITETURA E GESTÃO AMBIENTAL: UM PROJETO COMO INSTRUMENTO PARA A PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE. São Caetano do Sul SIMONE SOUZA SANTOS ARQUITETURA E GESTÃO AMBIENTAL: UM PROJETO COMO INSTRUMENTO PARA A PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE São Caetano do Sul 2012 SIMONE SOUZA SANTOS ARQUITETURA E GESTÃO AMBIENTAL: UM PROJETO

Leia mais

2. Contextualização. 2.1. Arquitetura Bioclimática

2. Contextualização. 2.1. Arquitetura Bioclimática 2. Contextualização 2.1. Arquitetura Bioclimática Nos climas quentes, uma parcela expressiva dos gastos energéticos nas edificações é com a refrigeração dos ambientes, já nos climas frios, com a calefação.

Leia mais

Relatório: Ambientes de permanência prolongada com piscina sobre cobertura

Relatório: Ambientes de permanência prolongada com piscina sobre cobertura Relatório: Ambientes de permanência prolongada com piscina sobre cobertura Equipe Núcleo de Edificações Residenciais CB3E Florianópolis, setembro de 2012 CB3E - Centro Brasileiro de Eficiência Energética

Leia mais

Soluções construtivas em aço. Steel framing estrutura em perfis galvanizados dobrados a frio. www.constructalia.com

Soluções construtivas em aço. Steel framing estrutura em perfis galvanizados dobrados a frio. www.constructalia.com Soluções construtivas em aço Steel framing estrutura em perfis galvanizados dobrados a frio www.constructalia.com Aplicações do aço Fundações e contenções Estruturas Coberturas Fechamentos Fachadas Foto:

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. MÉTODO. 3.1. Diagrama Morfológico

1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. MÉTODO. 3.1. Diagrama Morfológico O DESEMPENHO DA ILUMINAÇÃO NATURAL E ARTIFICIAL DE MINISTÉRIO EM BRASÍLIA: DIRETRIZES E RECOMENDAÇÕES PARA O CONFORTO VISUAL DO USUÁRIO E OTIMIZAÇÃO ENERGÉTICA. Lívia S. Leite (1); Júlia T. Fernandes (2)

Leia mais

Sustentabilidade e conforto ambiental em edificações

Sustentabilidade e conforto ambiental em edificações Sustentabilidade e conforto ambiental em edificações Atualmente, a maior parte da população humana vive em centros urbanos e passa período de tempo significativo no interior de edificações, trabalhando,

Leia mais

Projeto Racional de Fachadas

Projeto Racional de Fachadas Secretaria de Estado do Meio Ambiente Governo do estado de São Paulo Projeto Racional de Fachadas Projeto Racional de Fachadas Projeto de Desempenho: Conforto Ambiental de Edificações Desenvolvimento Racional

Leia mais

ESTÚDIO DE ARQUITETURA: SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL MARINA CUNHA BARBOSA ELEMENTOS DE FACHADA

ESTÚDIO DE ARQUITETURA: SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL MARINA CUNHA BARBOSA ELEMENTOS DE FACHADA ELEMENTOS DE FACHADA Belo Horizonte, 08 de maio de 2014 1- FACHADAS EM ALUMÍNIO E VIDRO 1.1 ALUMÍNIO A grande questão da utilização do alumínio em fachadas cortina é a definição do tipo de revestimento

Leia mais

PROTEÇÃO SOLAR EM EDIFICAÇÕES DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIA PARA BONIFICAÇÃO NO RTQ-R

PROTEÇÃO SOLAR EM EDIFICAÇÕES DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIA PARA BONIFICAÇÃO NO RTQ-R PROTEÇÃO SOLAR EM EDIFICAÇÕES DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIA PARA BONIFICAÇÃO NO RTQ-R Roberta Vieira Gonçalves de Souza 1 Ana Carolina de Oliveira Veloso 2 Thalita Reis de Mattos 3 1 Departamento de Tecnologia

Leia mais

TRABALHO 1 - ANÁLISE PROJETUAL

TRABALHO 1 - ANÁLISE PROJETUAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA CONFORTO AMBIENTAL I PROFª RITA SARAMAGO TRABALHO 1 - ANÁLISE PROJETUAL PROJETO: SUGAWARADAISUKE ARCHITECTS LOANY GONZAGA.LUIZA DALVI.MÁRCIA MICHELLE.THAÍS MARA 1.ANÁLISE

Leia mais

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL EM FLORIANÓPOLIS (SC): CRITÉRIOS PARA DEFINIÇÃO DE COBERTURAS

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL EM FLORIANÓPOLIS (SC): CRITÉRIOS PARA DEFINIÇÃO DE COBERTURAS I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL EM FLORIANÓPOLIS

Leia mais

Comparação entre Telhado Verde e Convencional nas Temperaturas Internas de Ambientes

Comparação entre Telhado Verde e Convencional nas Temperaturas Internas de Ambientes Comparação entre Telhado Verde e Convencional nas Temperaturas Internas de Ambientes Douglas Vaciliev Vacilikio 1 ; Luciano Fleischfresser 2 1 Aluno de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Tecnológica

Leia mais

Simone Weber Ivana Guimarães Elizane Souza

Simone Weber Ivana Guimarães Elizane Souza Simone Weber Ivana Guimarães Elizane Souza -Dimensões - Localização (Zoneamento PMC) - Topografia e árvores - Insolação (Norte) - Construções vizinhas - Guia Amarela HEMISFÉRIO SUL FACHADA NORTE No

Leia mais

UMA METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO DA NECESSIDADE DE PROTEÇÃO SOLAR PARA EDIFICAÇÕES DA CIDADE DE LONDRINA PR

UMA METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO DA NECESSIDADE DE PROTEÇÃO SOLAR PARA EDIFICAÇÕES DA CIDADE DE LONDRINA PR I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. UMA METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO DA NECESSIDADE

Leia mais

Certificado Energético Pequeno Edifício de Comércio e Servicos IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada RUA ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA, 231, R/C Localidade PORTO

Certificado Energético Pequeno Edifício de Comércio e Servicos IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada RUA ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA, 231, R/C Localidade PORTO Válido até 20/04/2025 IDENTIFICAÇÃO POSTAL Morada RUA ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA, 231, R/C Localidade PORTO Freguesia PARANHOS Concelho PORTO GPS 41.163993, -8.604853 IDENTIFICAÇÃO PREDIAL/FISCAL 1 ª Conservatória

Leia mais

Indústria da Construção Civil e Eficiência energética

Indústria da Construção Civil e Eficiência energética Indústria da Construção Civil e Eficiência energética Marta Garcia Baltar, José Wagner Maciel Kaehler e Luís Alberto Pereira PPGEE - Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Pontifícia Universidade

Leia mais

ENERGIA. Energias passivas

ENERGIA. Energias passivas Energias passivas ENERGIA Estes sistemas, quando bem dimensionados, são de longe mais económicos do que qualquer outro sistema que recorra a energia elétrica ou combustíveis convencionais. Com o aumento

Leia mais

Vidros de controle solar

Vidros de controle solar Vidros de controle solar ARQ5658 Eficiência Energética e Sustentabilidade em Edificações Prof. Fernando Simon Westphal fernandosw@arq.ufsc.br 1 PROPRIEDADES IMPORTANTES FATOR SOLAR E RESISTÊNCIA TÉRMICA

Leia mais

Fachadas para Alto Desempenho Ambiental

Fachadas para Alto Desempenho Ambiental Fachadas para Alto Desempenho Ambiental Contexto de Projeto e Aplicação Mônica Pereira Marcondes Arquiteta e Urbanista pela FAUUSP Mestre em Environment & Energy Studies, Architectural Association Graduate

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE CONFORTO TÉRMICO AO CALOR EM EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS MULTIPAVIMENTADAS NA CIDADE DE IJUÍ RS

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE CONFORTO TÉRMICO AO CALOR EM EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS MULTIPAVIMENTADAS NA CIDADE DE IJUÍ RS UNIJUÍ UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DETEC DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE CONFORTO TÉRMICO AO CALOR EM EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS

Leia mais

Energia solar na climatização passiva do ambiente construído

Energia solar na climatização passiva do ambiente construído Artigos Energia solar na climatização passiva do ambiente construído Sérgio Ricardo Lourenço Coordenador do curso de Engenharia de Produção Mecânica Uninove. São Paulo SP [Brasil] slourenco@uninove.br

Leia mais

PARCERIA UNIVERSIDADE-GOVERNO COMO FONTE DE DIFUSÃO DO CONHECIMENTO PARA O MEIO PROFISSIONAL E ACADÊMICO

PARCERIA UNIVERSIDADE-GOVERNO COMO FONTE DE DIFUSÃO DO CONHECIMENTO PARA O MEIO PROFISSIONAL E ACADÊMICO PARCERIA UNIVERSIDADE-GOVERNO COMO FONTE DE DIFUSÃO DO CONHECIMENTO PARA O MEIO PROFISSIONAL E ACADÊMICO Arq. MSc. Eduardo Grala da Cunha Universidade de Passo Fundo/RS, Unochapecó/SC, e-mail: egcunha@terra.com.br.

Leia mais

MCMV-E CASA SUSTENTÁVEL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO ARQUITETÔNICO URBANÍSTICA EM GRANDE ESCALA

MCMV-E CASA SUSTENTÁVEL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO ARQUITETÔNICO URBANÍSTICA EM GRANDE ESCALA MCMV-E CASA SUSTENTÁVEL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO ARQUITETÔNICO URBANÍSTICA EM GRANDE ESCALA Arq. Mario Fundaro Seminário internacional arquitetura sustentável São Paulo 2014 A CASA SUSTENTÁVEL Conceitos

Leia mais

Vasco Peixoto de Freitas

Vasco Peixoto de Freitas VIDROS EM FACHADAS Vasco Peixoto de Freitas Prof. Catedrático Laboratório de Física das Construções FACULDADE DE ENGENHARIA - UNIVERSIDADE DO PORTO SUMÁRIO I. VIDRO EM FACHADAS II. PROPRIEDADES DOS VIDROS

Leia mais