BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL RECEBIMENTO DE SOLICITAÇÕES PARA A TRANSFUSÃO DE HEMOCOMPONENTES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL RECEBIMENTO DE SOLICITAÇÕES PARA A TRANSFUSÃO DE HEMOCOMPONENTES"

Transcrição

1 Pagina 1 de OBJETIVO Atender com eficácia as solicitações realizadas pelo corpo clínico dos hospitais. 2. APLICAÇÃO Receptores (pacientes). 3. RESPONSABILIDADES Médicos Supervisora Técnica Coordenador de Imunohematologia ( *1 ) Coordenador Geral ( *1 ) Coordenador de Agência Transfusional Técnicos de Hemoterapia Auxiliares de Hemoterapia 4. OBSERVAÇÕES GERAIS 4.1 CRITÉRIOS PARA ATENDIMENTO DAS SOLICITAÇÕES As solicitações para transfusões sangüineas e/ou procedimentos hemoterápicos, podem ser feitos através de contatos: - telefônicos - bip, seguido de contato telefônico - em mãos - sistema informatizado

2 Pagina 2 de 17 Em todos os tipos de contatos acima, deve-se anotar na PSH (Planilha de Controle de Solicitações de Hemocomponentes), dados referentes à solicitação médica como: nome completo do paciente, registro hospitalar, quarto, leito, convênio médico, solicitação (hemocomponente ou procedimento hemoterápico), grau de urgência, nome do solicitante, horário e responsável pelo recebimento da solicitação. Todos estes tem grande relevância para que toda a solicitação seja acompanhada. Após todo recebimento de qualquer solicitação verificar: - se o paciente já possui cadastro no banco de sangue (no sistema hemoplus); - se o paciente já tem FR (Ficha de Receptor) aberta; - se tem amostra válida (período de 72 horas); Independentemente se o paciente tiver amostra válida ou não deve se retirar a solicitação médica no posto de enfermagem do andar correspondente e verificar se todos os campos da Requisição de Hemocomponentes e/ou Procedimentos Hemoterápicos estão preenchidos e assinados pelo médico solicitante com o seu respectivo CRM. Esta solicitação geralmente é composta por duas ou três vias, onde uma via ficará no prontuário do paciente e as outras seguirão para o Banco de Sangue. ( *1 ) Todos estes pedidos devem ser checados junto a Prescrição Médica, na irregularidade de preenchimento ou na prescrição incompatível com a solicitação médica deve-se imediatamente, entrar em contato com o responsável do andar e/ou médico solicitante, para que os mesmos sejam corrigidos. Em todas as requisições devem ser analisadas a indicação médica da solicitação conforme POME-009 Avaliação de Requisições Transfusionais ou POME-010 Avaliação de Requisição de Reserva Cirúrgica ou POAG-004 Sangria Terapêutica ou POME 012 a 015 Aféreses Terapêuticas ou POME 020 Recuperação de Sangue Intraoperatória Cell Saver para Transfusão Autóloga. ( *1 ) É ainda importante lembrar que não se deve atender nenhuma solicitação sem requisição médica e/ou prescrição médica ou ambos. O atendimento só poderá seguir com a requisição e a prescrição médica de acordo.

3 Pagina 3 de 17 Em algumas áreas do Hospital como Centro Cirúrgico, Unidades de Terapia Intensiva, onde as amostras não são coletadas pelos Colaboradores do Banco de Sangue, deve-se conferir em dupla checagem (funcionário do Hospital e/ou do Banco de Sangue) a identificação dos tubos com a Requisição de Transfusão assegurando assim uma transfusão segura. 4.2 CLASSIFICAÇÃO DAS SOLICITAÇÕES As solicitações para transfusões sangüineas e/ou procedimentos hemoterápicos podem ser classificadas quanto ao grau de urgência para o atendimento: - Emergência: devem ser atendidas de pronto, com termo de responsabilidade assinado pelo médico solicitante. ( *1 ) - Urgência Imediata: devem ser atendidas dentro de 20 minutos, com termo de responsabilidade assinado pelo médico solicitante. - Urgência: devem ser atendidas dentro de duas horas da solicitação ao Banco de Sangue; - Rotina: devem ser atendidas até seis horas da solicitação ao Banco de Sangue; - Reserva Cirúrgica: preferencialmente deve ser preparada com antecedência à cirurgia ou logo que paciente internar-se. Em relação ao tempo de atendimento nas solicitações de transfusão com hemocomponentes modificados: irradiados, filtrados, lavagem de hemácias, aféreses e outros, devem ser avisados a enfermagem responsável, um possível aumento do tempo do regime da solicitação, garantindo assim a sua conscientização de que o mesmo não irá prejudicar o paciente. Nestes casos também deve se avisar à Área de Distribuição na Central do Banco de Sangue e o Médico responsável pelo plantão nas Agências Transfusionais.

4 Pagina 4 de ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES DE URGÊNCIA IMEDIATA E EMERGÊNCIA URGÊNCIA IMEDIATA Ocorre nos casos em que o médico solicitante julgue que o tempo de espera até o término das provas pré-transfusionais, não será tolerado pelo paciente, devido ao seu estado clínico crítico. A liberação da transfusão poderá ser realizada após a prova de compatibilidade com leitura em fase de salina (temperatura ambiente). Para estes casos, o atendimento da solicitação poderá ser feito sem a requisição, mas a transfusão só poderá ser realizada mediante o preenchimento do FUIT (Formulário de Urgência Imediata Transfusional) e assinado pelo médico solicitante junto com os demais pedidos. Após este procedimento as provas de compatibilidade devem ser completadas, e no caso de qualquer anormalidade, o médico solicitante e o médico do banco de sangue deverão ser informados e a transfusão ser interrompida imediatamente EMERGÊNCIA Ocorre nos casos em que o médico solicitante requer sangue do tipo O fator Rh negativo, por se tratar de um caso no qual o paciente não poderá aguardar em hipótese alguma o preparo da transfusão, o que colocaria em risco a vida do mesmo. A liberação da transfusão é realizada sem nenhuma prova pré-transfusionais. Para estes casos, o atendimento da solicitação poderá ser feito sem a requisição e sem amostra, mas a transfusão só poderá ser realizada mediante o preenchimento do FET (Formulário de Emergência Transfusional) e assinado pelo médico solicitante junto com os demais pedidos. Os segmentos das bolsas enviadas deverão ser separados e identificados, a amostra posteriormente retirada, após o atendimento, e as provas pré-transfusionais realizadas. No caso de qualquer anormalidade, o médico solicitante e o médico do banco de sangue deverão ser informados e a transfusão ser interrompida imediatamente.

5 Pagina 5 de TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO O Termo de Consentimento Informado é uma documentação prevista por lei e é mandatória para qualquer procedimento hemoterápico. Deve-se então verificar antes de qualquer atendimento a existência do mesmo no Prontuário do paciente e se está devidamente assinado pelo paciente e/ou responsável em questão. Na inexistência do mesmo dirigir-se a enfermagem responsável pelo andar e solicitar o mesmo. Caso haja recusa do paciente, não efetive a transfusão, o médico solicitante e o médico do Banco de Sangue devem ser avisados, e também deve ser feito um pequeno relato no prontuário do paciente referente sua negativa. Na agência transfusional o mesmo deve ser registrado no Livro de Passagem de Plantão. No caso do pedido estar em caráter de reserva para o Centro Cirúrgico, também comunicar a Enfermagem Responsável. Toda vez que houver uma nova internação do paciente deve existir o termo referente aquele período de internação. Para transfusão no Ambulatório da central do Banco de Sangue Paulista, a colaboradora responsável pela transfusão deverá entregar o Termo de Consentimento Informado ao paciente e/ou responsável, explicando a importância do documento. 5. PROCEDIMENTOS 5.1 ATENDIMENTO DAS SOLICITAÇÕES SOLICITAÇÃO POR CONTATO TELEFÔNICO E/OU BIP. Atender o chamado telefônico ou entrar em contato com o ramal solicitante; Identificar-se; Anotar a solicitação na PCSH (Planilha de Controle de Solicitações de Hemocomponentes);

6 Pagina 6 de 17 Verificar a existência de registros anteriores e amostra válida no sistema informatizado; Acessar o Suíte HemoPlus conforme POTI- 001 Acesso ao Sistema Hemoplus; ( *1 ) Acessar Aba / Transfusão / Receptor / Cadastrar e/ou Transfusão/Solicitação/Registrar; ( *1 ) Verificar se o receptor já foi cadastrado conforme Anexo 1; Acessar Aba - Transfusão/Laboratório/Imunohematologia/Registrar; ( *1 ) Checar a imunohematologia do receptor cadastrada conforme Anexo 2; Verificar a existência secundaria da FR (Ficha de Receptor); Verificar a existência do Termo de Consentimento Informado; SOLICITAÇÃO EM MÃOS Receber a Requisição de Transfusão e/ou Procedimentos Hemoterápicos do funcionário do Hospital; Verificar preenchimento da requisição se correto; Assinar o caderno de protocolo do Hospital, quando houver; Anotar a solicitação na PCSH (Planilha de Controle de Solicitações de Hemocomponentes); Verificar a existência de registros anteriores de transfusão e amostra válida no sistema informatizado; Acessar o Sistema Hemoplus conforme o POTI-001 Acesso ao Sistema Hemoplus;

7 Pagina 7 de 17 Acessar Aba-Transfusão/Receptor/Cadastro e/ou Transfusões/Solicitações/Registro, conforme POAG-002 Preparo de Transfusões e Liberação de Hemocomponentes para a Transfusão; ( *1 ) Verificar se o receptor já foi cadastrado conforme Anexo 1; Acessar Aba - Transfusão/Receptor/Imunohematologia do Receptor; ( *1 ) Para receptor já cadastrado, consultar a imunohematologia do receptor conforme Anexo 2; Verificar a existência secundaria da FR (Ficha de Receptor); Verificar a existência do Termo de Consentimento Informado; 5.2. CHECAGEM DAS REQUISIÇÕES Ir até o posto de enfermagem referente ao leito do paciente correspondente; Pegar o Prontuário do Paciente; Retirar a Requisição de Hemocomponentes e/ou Procedimentos Hemoterápicos; Verificar o preenchimento da requisição se correto: Checar a requisição com a Prescrição Médica; Informar a enfermagem e/ou médico solicitante, se requisição e prescrição não estão de acordo; Solicitar a mudança necessária par a enfermagem e/ou médico solicitante; Colocar uma das vias no prontuário do paciente; Pedir para assinar o Termo de Consentimento Informado, se não feito anteriormente;

8 Pagina 8 de 17 Dirigir-se ao leito do paciente se não houver amostragem válida no período de 72 horas, para coletar a amostra conforme POCO-008 Coleta de Amostras; Bater na porta do leito, antes de entrar e apresentar-se; Realizar a identificação positiva do paciente: - se consciente, solicitar para o paciente que diga seu nome completo; - se não consciente, verificar sua pulseira de identificação e ainda com o acompanhante ou até mesmo com a enfermagem, de modo que tenha absoluta certeza que trata-se do paciente em questão; Conferir a identificação com a requisição; Explicar ao paciente e/ou acompanhante o procedimento a ser realizado; Identificar os tubos de coleta; Realizar a dupla checagem; Realizar antissepsia, conforme POCO-005 Antissepsia e Coleta de Sangue e Amostras; Realizar venipuntura, conforme POCO-006 Punção Venosa; Realizar coleta de amostras, conforme POCO-008 Coleta de Amostras; Retornar a Agência Transfusional; Proceder à realização das provas pré-transfusionais, conforme POAG-002 Preparo de Transfusões e Liberação de Hemocomponentes para a Transfusão.

9 Pagina 9 de REGISTROS Suíte Hemoplus - Transfusão/Receptor/Cadastrar. ( *1 ) Transfusões/Solicitação/Registrar. Transfusão/Laboratório/Imunohematologia/Registrar. Requisição de Hemocomponentes e/ou Procedimentos Hemoterápicos. Ficha de Receptor. Termo de Consentimento Informado. Planilha de Controle de Solicitações de Hemocomponentes. Formulário de Urgência Imediata Transfusional. Formulário de Emergência Transfusional. Elaboração Agência Transfusional / / Aprovação Gestão da Qualidade / / Aprovação Diretoria Técnica / /

10 Pagina 10 de 17 ANEXO 1 ( *1 ) FUNÇÃO: CADASTRO DE RECEPTOR ESTADO INICIAL: Nesta barra de tarefas encontram-se as funções referentes aos dados do receptor. Para visualizar o cadastro de receptor, acesse o Suíte Hemoplus conforme o POTI 001. Na barra de ferramentas clicar no ícone Transfusão / Receptores /Cadastrar como mostra a Figura 1. Figura 1 Aparecerá à tela Cadastro de Receptores/Pesquisa, como mostra a Figura 2.

11 Pagina 11 de 17 Figura 2 No Campo Identificação do Receptor, digitar o nome do paciente que se quer consultar, para verificar se ele já tem cadastro com o BSP e em seguida clicar em PESQUISAR, aparecerá o campo Receptores Cadastrados, como mostra a Figura 3.

12 Pagina 12 de 17 Figura 3 Caso tenha cadastro aparecerá o nome do paciente em negrito, em seguida dar um duplo clique sobre o nome. Se o paciente já for cadastrado aparecerá o campo Dados do Receptor, como mostra a Figura 4. Conferir o campo dos dados do paciente identificado e verificar se confere com os dados que constam na Requisição de Hemocomponentes.

13 Pagina 13 de 17 Figura 4 Clicar em Fechar para finalizar a consulta.

14 Pagina 14 de 17 ANEXO 2 ( *1 ) FUNÇÃO: CONSULTA DA IMUNOHEMATOLOGIA DO RECEPTOR ESTADO INICIAL: Nesta barra de tarefas encontram-se as funções referentes ao registro ou consulta da imunohematologia do receptor. Para visualizar o registro, acesse o Suíte Hemoplus conforme o POTI 001. Na barra de ferramentas clicar no ícone Transfusão / Laboratório / Imunohematologia / Registrar, como mostra a Figura 1. Figura 1. Logo após irá aparecer à tela Imunohematologia do Receptor/Consulta Receptor, como mostra a Figura 2.

15 Pagina 15 de 17 Figura 2. DESCRIÇÃO DE FUNCIONALIDADE No Campo Identificação de Receptor, o usuário deverá digitar o nome do paciente que se quer consultar, para que possa registrar e/ou consultar a tipagem ABO, em seguida clicar em Pesquisar, aparecerá o campo Receptores Cadastrados, como mostra a Figura 3.

16 Pagina 16 de 17 Figura 3 Aparecerá o nome do paciente em negrito, em seguida dar um duplo clique sobre o nome.

17 Pagina 17 de 17 Figura 4 Após dar um duplo clique irá aparecer a seguinte tela Imunohematologia do Receptor, como mostrar a Figura 4, onde encontraremos a seguinte aba com os seguintes dados: - Imunohematologia, mostra dados do receptor identificado e todos os exames imunohematológicos.

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL PREPARO DE TRANSFUSÕES E LIBERAÇÃO DE HEMOCOMPONENTES PARA TRANSFUSÃO

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL PREPARO DE TRANSFUSÕES E LIBERAÇÃO DE HEMOCOMPONENTES PARA TRANSFUSÃO Pagina 1 de 30 1. OBJETIVO Assegurar o procedimento de liberação e transfusão sangüínea. 2. APLICAÇÃO Receptores (Pacientes). 3. RESPONSABILIDADES Médicos Supervisora Técnica Coordenador de Imunohematologia

Leia mais

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL INSTALAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DA TRANSFUSÃO E REAÇÕES ADVERSAS

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL INSTALAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DA TRANSFUSÃO E REAÇÕES ADVERSAS Pagina 1 de 20 1. OBJETIVO Assegurar todo o procedimento de transfusão sanguínea. 2. APLICAÇÃO Receptores (Pacientes). 3. RESPONSABILIDADES Médicos Supervisora Técnica Coordenador de Imunohematologia (

Leia mais

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL. SANGRIA TERAPÊUTICA Pagina 1 de 32

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL. SANGRIA TERAPÊUTICA Pagina 1 de 32 SANGRIA TERAPÊUTICA Pagina 1 de 32 1. OBJETIVO Assegurar todo o procedimento de sangria terapêutica 2. APLICAÇÃO Receptores (Pacientes com indicação médica para este procedimento). 3. RESPONSABILIDADES

Leia mais

Requisição incompleta, inadequada ou ilegível não será aceita pelo Serviço de Hemoterapia

Requisição incompleta, inadequada ou ilegível não será aceita pelo Serviço de Hemoterapia 1 1 - REQUISIÇÃO DE HEMOCOMPONENTES A enfermagem deve checar se a requisição de transfusão (MA5-036) foi preenchida corretamente, em duas ou mais vias, com os seguintes itens: - Nome completo do paciente

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR.

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. XV Jornada Interiorana de Hematologia e Hemoterapia II Encontro Interiorano de Enfermagem em Hemoterapia e Hemovigilância TESTES PRÉ

Leia mais

Rotina da Agência Transfusional. Mara Martins Bióloga HCI / INCA

Rotina da Agência Transfusional. Mara Martins Bióloga HCI / INCA Rotina da Agência Transfusional Mara Martins Bióloga HCI / INCA O ato transfusional é um delicado processo na assistência a saúde. No INCA são realizadas cirurgias de grande porte e também grande número

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO HEMOVIGILÂNCIA Responsáveis: Enfª Cledes Moreira Enfª Danielli S. Barbosa Enfª Luciana Paiva VAMOS TRABALHAR HOJE Os cuidados na instalação de sangue e hemocomponentes.

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO SOLICITAÇÃO DE TRANSFUSÃO: ROTINA E EMERGÊNCIA

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO SOLICITAÇÃO DE TRANSFUSÃO: ROTINA E EMERGÊNCIA PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO SOLICITAÇÃO DE TRANSFUSÃO: ROTINA E EMERGÊNCIA Versão: 06 Código: STROEM 02 Paginação: 1 de 36 Elaborado: Hildenete Monteiro Fortes Assinatura: Aprovado e liberado por:

Leia mais

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA MÓDULO V AGÊNCIA TRANSFUSIONAL, TERAPIA TRANSFUSIONAL E OUTROS PROCEDIMENTOS TERAPÊUTICOS

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA MÓDULO V AGÊNCIA TRANSFUSIONAL, TERAPIA TRANSFUSIONAL E OUTROS PROCEDIMENTOS TERAPÊUTICOS MÓDULO V AGÊNCIA TRANSFUSIONAL, TERAPIA TRANSFUSIONAL E OUTROS PROCEDIMENTOS TERAPÊUTICOS Nome do responsável: Formação profissional: Registro no conselho de classe: Contato: 1. Atividades avaliadas Nível

Leia mais

Curso Básico de Inspeção em Boas Práticas do Ciclo do Sangue Agência Transfusional

Curso Básico de Inspeção em Boas Práticas do Ciclo do Sangue Agência Transfusional Curso Básico de Inspeção em Boas Práticas do Ciclo do Sangue Gerência de Sangue, outros Tecidos, Células e Órgãos/GSTCO/GGPBS/Anvisa Christiane da Silva Costa Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária

Leia mais

XV JORNADA INTERIORANA DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA II ENCONTRO INTERIORANO DE ENFERMAGEM EM HEMOTERAPIA E HEMOVIGILÂNCIA CICLO DO SANGUE DRA LUCIANA

XV JORNADA INTERIORANA DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA II ENCONTRO INTERIORANO DE ENFERMAGEM EM HEMOTERAPIA E HEMOVIGILÂNCIA CICLO DO SANGUE DRA LUCIANA XV JORNADA INTERIORANA DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA II ENCONTRO INTERIORANO DE ENFERMAGEM EM HEMOTERAPIA E HEMOVIGILÂNCIA CICLO DO SANGUE DRA LUCIANA PREMISSAS A transfusão sanguínea é uma terapêutica

Leia mais

INSTALAÇÃO E CONTROLE DE TRANSFUSÃO DE HEMOCOMPONENTE Enf a Chefe de Enfermagem do Serviço de Hemoterapia: Gilce Erbe de

INSTALAÇÃO E CONTROLE DE TRANSFUSÃO DE HEMOCOMPONENTE Enf a Chefe de Enfermagem do Serviço de Hemoterapia: Gilce Erbe de Revisão: 00 PÁG: 1 CONCEITO Instalação e administração de concentrado de hemácias, plaquetas ou plasma fresco congelado. FINALIDADE Estabelecer a rotina para instalação e controle da transfusão de hemocomponentes

Leia mais

Atendimento de urgência (Pronto Atendimento)

Atendimento de urgência (Pronto Atendimento) 1 de 6 RESULTADO ESPERADO: 642 PROCESSOS RELACIONADOS: Apoio ao Cliente DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: AÇÃO RESPONSÁVEL REGISTROS DESCRIÇÃO DA AÇÃO 1. Atender o cliente Técnico de Enfermagem e Recepcionista

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM NA INSTALAÇÃO DA TRANSFUSÃO

BOAS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM NA INSTALAÇÃO DA TRANSFUSÃO BOAS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM NA INSTALAÇÃO DA TRANSFUSÃO Jaciane Vargas de Freitas Silva Enfermeira RT Serviço de Enfermagem do Ambulatório do HBH Fundação Hemominas BOA PRÁTICA TRANSFUSIONAL Aplicação

Leia mais

(nome da Unidade de Saúde), com sede na

(nome da Unidade de Saúde), com sede na TERMO DE COMPROMISSO que entre si celebram o Estado do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, neste ato representada pela Dra. Simone Silva da Silveira, Diretora Geral do Instituto

Leia mais

NORMAS DE ATENDIMENTO A CONVÊNIOS E PARTICULARES

NORMAS DE ATENDIMENTO A CONVÊNIOS E PARTICULARES NORMAS DE ATENDIMENTO A CONVÊNIOS E PARTICULARES Conceitos CONSULTAS Atendimentos sem urgência por ordem de chegada. Não existe dentro do Pronto-Socorro e em nenhum local do hospital prévia marcação de

Leia mais

Programa de Hematologia e Oncologia Pediátricos Diagnóstico Imunomolecular. Manual do sistema (Médico)

Programa de Hematologia e Oncologia Pediátricos Diagnóstico Imunomolecular. Manual do sistema (Médico) Programa de Hematologia e Oncologia Pediátricos Diagnóstico Imunomolecular Manual do sistema (Médico) ÍNDICE 1. O sistema... 1 2. Necessidades técnicas para acesso ao sistema... 1 3. Acessando o sistema...

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DOS NÍVEIS DE COMPLEXIDADE DOS SERVIÇOS DE MEDICINA TRANSFUSIONAL OU UNIDADES HEMOTERÁPICAS

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DOS NÍVEIS DE COMPLEXIDADE DOS SERVIÇOS DE MEDICINA TRANSFUSIONAL OU UNIDADES HEMOTERÁPICAS MERCOSUL/GMC/RES. Nº 41/00 REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DOS NÍVEIS DE COMPLEXIDADE DOS SERVIÇOS DE MEDICINA TRANSFUSIONAL OU UNIDADES HEMOTERÁPICAS TENDO EM VISTA: o Tratado de Assunção, o Protocolo de

Leia mais

TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado - Unidades de Diagnóstico 11.8. março de 2015. Versão: 2.0

TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado - Unidades de Diagnóstico 11.8. março de 2015. Versão: 2.0 TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado - Unidades de Diagnóstico 11.8 março de 2015 Versão: 2.0 1 Sumário 1 Objetivos... 4 2 Introdução... 4 3 Cadastros... 5 3.1 Cadastro de Departamentos do Laboratório...

Leia mais

O PAPEL DO ENFERMEIRO NO COMITÊ TRANSFUSIONAL

O PAPEL DO ENFERMEIRO NO COMITÊ TRANSFUSIONAL O PAPEL DO ENFERMEIRO NO COMITÊ TRANSFUSIONAL HEMOCENTRO DE BELO HORIZONTE 2015 TRANFUSÃO SANGUÍNEA BREVE RELATO Atualmente a transfusão de sangue é parte importante da assistência à saúde. A terapia transfusional

Leia mais

Internação de urgência (Pronto Atendimento)

Internação de urgência (Pronto Atendimento) 1 de 8 RESULTADO ESPERADO: Proporcionar aos pacientes agilidade, segurança e comodidade durante o seu período de internação. 694 PROCESSOS RELACIONADOS: Apoio ao Cliente Assistência Cirúrgica Assistência

Leia mais

AUDITORIA EM ENFERMAGEM. UNIPAC UBERLÂNDIA CURSO GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA: Administração ll Profa : Amanda Cristina de Oliveira Mendes

AUDITORIA EM ENFERMAGEM. UNIPAC UBERLÂNDIA CURSO GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA: Administração ll Profa : Amanda Cristina de Oliveira Mendes AUDITORIA EM ENFERMAGEM UNIPAC UBERLÂNDIA CURSO GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA: Administração ll Profa : Amanda Cristina de Oliveira Mendes Conceito AUDITORIA é uma avaliação sistemática e formal de

Leia mais

Instruções de Uso Coordenadoria de Ensino, Pesquisa e Educação Permanente (CEPEP)/ISGH

Instruções de Uso Coordenadoria de Ensino, Pesquisa e Educação Permanente (CEPEP)/ISGH Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) Instruções de Uso Coordenadoria de Ensino, Pesquisa e Educação Permanente (CEPEP)/ISGH Processos realizados no PEP Admissão de Pacientes; Prescrição Médica e de

Leia mais

Material de apoio. Portaria SNJ nº 252, de 27/ 12/ 12, publicada no D.O.U. de 31/ 12 /12. Manual do usuário. Manual da nova comprovação de vínculo.

Material de apoio. Portaria SNJ nº 252, de 27/ 12/ 12, publicada no D.O.U. de 31/ 12 /12. Manual do usuário. Manual da nova comprovação de vínculo. Material de apoio Material de apoio Portaria SNJ nº 252, de 27/ 12/ 12, publicada no D.O.U. de 31/ 12 /12. Manual do usuário. Manual da nova comprovação de vínculo. Informações Gerais O sistema CNES/MJ

Leia mais

TRANSFERÊNCIA DE PACIENTE INTERNA E EXTERNA

TRANSFERÊNCIA DE PACIENTE INTERNA E EXTERNA 1 de 8 Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 25/11/2012 1.00 Proposta inicial LCR, DSR,MGO 1 Objetivo Agilizar o processo de transferência seguro do paciente/cliente, para

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO PRONTUÁRIO DO PACIENTE

Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO PRONTUÁRIO DO PACIENTE ETAPAS DO PROCEDIMENTO: Página 01/06 Explicação Inicial Cada grupo de dois funcionários é responsável por arquivar uma sequência de numeração. Cada paciente cadastrado na abertura de prontuários recebe

Leia mais

Atendimento de Urgência

Atendimento de Urgência Sumário Atendimento de Pacientes Urgência/Emergências... 2 Portaria... 2 Triagem... 8 Consultório... 13 1 Atendimento de Pacientes Urgência/Emergências O menu de atendimento de urgência destina-se as unidades

Leia mais

Movimentações de Estoque Versão de Sistema: 11.8.0.0 Setembro 2014 Versão do documento: 4.0

Movimentações de Estoque Versão de Sistema: 11.8.0.0 Setembro 2014 Versão do documento: 4.0 Movimentações de Estoque Versão de Sistema: 11.8.0.0 Setembro 2014 Versão do documento: 4.0 Índice Título do documento 1. Introdução... 3 2. Objetivos... 3 3. Movimentações de Estoque... 3 4. Parâmetros...

Leia mais

MANUAL PASSO-A-PASSO DO SISTEMA ONLINE

MANUAL PASSO-A-PASSO DO SISTEMA ONLINE MANUAL PASSO-A-PASSO DO SISTEMA ONLINE Junho 2015 Editor, ler com atenção as orientações informadas neste manual. Informamos que documentação preenchida incompleta e/ou que não atenda as normas da Agência

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento. Toledo PR. Versão 2.0 - Atualização 26/01/2009 Depto de TI - FASUL Página 1

MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento. Toledo PR. Versão 2.0 - Atualização 26/01/2009 Depto de TI - FASUL Página 1 MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento Toledo PR Página 1 INDICE 1. O QUE É O SORE...3 2. COMO ACESSAR O SORE... 4 2.1. Obtendo um Usuário e Senha... 4 2.2. Acessando o SORE pelo

Leia mais

Projeto SIGA-EPT. Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA

Projeto SIGA-EPT. Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA Projeto SIGA-EPT Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA Versão setembro/2010 Requisição de Almoxarifado Introdução Requisição é uma solicitação feita

Leia mais

Internação de urgência (Recepção Principal)

Internação de urgência (Recepção Principal) 1 de 8 RESULTADO ESPERADO: Proporcionar aos pacientes agilidade, segurança e comodidade durante o seu período de internação. 643 PROCESSOS RELACIONADOS: Apoio ao Cliente 1. Manual 1. Entregar o "Manual

Leia mais

Manual do Prestador. Versão 1.0 Maio/2014. Manaus - Amazonas ANS Nº 38809-2 1

Manual do Prestador. Versão 1.0 Maio/2014. Manaus - Amazonas ANS Nº 38809-2 1 Manual do Prestador Versão 1.0 Maio/2014 Manaus - Amazonas 1 SUMÁRIO Apresentação... 3 1. Identificação do beneficiário...3 2. Atendimento ao beneficiário... 4 2.1. Requisitos para o atendimento... 4 2.2.

Leia mais

Sistema de Devolução Web

Sistema de Devolução Web Manual Sistema de Devolução Web Usuário Cliente ÍNDICE Sumário 1. Prazos...3 2. Solicitação de Devolução... 4 3. Autorização de Devolução... 4 4. Coleta de Mercadoria... 4 5. Acompanhamento da Devolução...

Leia mais

1. CADASTRO 2. AGENDAMENTOS:

1. CADASTRO 2. AGENDAMENTOS: 1. CADASTRO Para atuar no Hospital São Luiz, todo médico tem de estar regularmente cadastrado. No momento da efetivação, o médico deve ser apresentado por um membro do corpo clínico, munido da seguinte

Leia mais

Sistema de Autorização Unimed

Sistema de Autorização Unimed Diretoria de Gestão Estratégica Departamento de Tecnologia da Informação Divisão de Serviços em TI Sistema de Autorização Unimed MANUAL DO USUÁRIO DIVISÃO DE SERVIÇOS EM TI A Divisão de Serviços em TI

Leia mais

Projetos desenvolvidos para o Hospital e Maternidade Municipal de Uberlândia e a o Hospital Escola de Uberlândia - UFU

Projetos desenvolvidos para o Hospital e Maternidade Municipal de Uberlândia e a o Hospital Escola de Uberlândia - UFU Projetos desenvolvidos para o Hospital e Maternidade Municipal de Uberlândia e a o Hospital Escola de Uberlândia - UFU AMBULATÓRIO Cadastro de paciente ( caso o paciente já tenha consultado no hospital

Leia mais

Manual do Processo de Faturamento

Manual do Processo de Faturamento Manual do Processo de Faturamento Apresentação MV Sumário Processo de Faturamento 6 Leia-me primeiro... 6 Faturamento de... Convênios e Particular 8 Faturamento de Convênios... 8 Protocolar Documentação...

Leia mais

AGÊNCIA TRANSFUSIONAL - HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MULLER

AGÊNCIA TRANSFUSIONAL - HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MULLER PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO: TRANSFUSÃO EM NEONATOS E CRIANÇAS ATÉ 4 MESES DE IDADE Versão: 05 Código: APTRN/4M 05 paginação: 1 de 12 Elaborado: Hildenete Monteiro Fortes Assinatura: Data da Elaboração:

Leia mais

a) do Serviço de Hemoterapia para a Vigilância Sanitária Municipal, até o 10º dia útil subsequente ao mês/período informado;

a) do Serviço de Hemoterapia para a Vigilância Sanitária Municipal, até o 10º dia útil subsequente ao mês/período informado; Republicada no D.O. de 22/8/01 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11, inciso IV, do Regulamento da ANVISA, aprovado pelo Decreto

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

Manual de liberação de Guias on-line para o Prestador Credenciado

Manual de liberação de Guias on-line para o Prestador Credenciado Manual de liberação de Guias on-line para o Prestador Credenciado 1 SUMÁRIO 1. Objetivo... 3 2. Acesso ao Sistema... 3 3. Descrição das Funcionalidades Menu Guias Liberação On-line.... 4 3.1 Liberação

Leia mais

Preenchimento dos Pedidos de Credenciamento Provisório, Credenciamento 5 anos, Recredenciamento e Aumento de Vagas

Preenchimento dos Pedidos de Credenciamento Provisório, Credenciamento 5 anos, Recredenciamento e Aumento de Vagas 1 Preenchimento dos Pedidos de Credenciamento Provisório, Credenciamento 5 anos, Recredenciamento e Aumento de Vagas I. Introdução O Sistema da Comissão Nacional de Residência Médica (SisCNRM), em 2011,

Leia mais

Manual Ilustrado Menu Pronto Atendimento

Manual Ilustrado Menu Pronto Atendimento Junho - 2014 Índice Título do documento 1. Objetivos... 3 2. Introdução... 3 3. Painel de Classificação de Risco... 4 3.1. Configurando a Unidade... 5 3.2. Cadastrando Agenda para Médicos Plantonistas...

Leia mais

Como diagnosticar e notificar uma reação transfusional

Como diagnosticar e notificar uma reação transfusional www.anvisa.gov.br Como diagnosticar e notificar uma reação transfusional II Encontro Goiano de Gerenciamento de Risco 1 a 3 de outubro de 2012 Termos e Palavras-chave Hemoterapia Uso Racional do sangue

Leia mais

Material de apoio. Disponível no site: : www.justica.gov.br, no link: Entidades Sociais >> CNES.

Material de apoio. Disponível no site: : www.justica.gov.br, no link: Entidades Sociais >> CNES. Material de apoio Disponível no site: : www.justica.gov.br, no link: Entidades Sociais >> CNES. Material de apoio Disponível no site: : www.justica.gov.br, no link: Entidades Sociais >> CNES. Portaria

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ MANUAL DO PACIENTE TRANSPLANTE DE RIM CURITIBA 2012 Índice 1. Objetivo... 3 2. O que é a Central Estadual de

Leia mais

Projeto coordenado por Denise Costa Dias

Projeto coordenado por Denise Costa Dias A hemoterapia moderna baseia-se no uso seletivos dos componentes do sangue. A utilização correta dos diversos hemocomponentes, associados a um maior controle de qualidade nas diversas etapas desde a coleta

Leia mais

1º Passo. Página para acessar o FacWeb

1º Passo. Página para acessar o FacWeb Página para acessar o FacWeb 1º Passo O usuário deverá digitar no campo usuário/senha - o CPF e/ou CNPJ / no campo Acesso deve ser preenchido conforme tipo da Clínica, Laboratório e ou médico/ Logo em

Leia mais

Coordenação de Estágio Integrado. Instruções para o cadastro da contratação de estágio pelo Aluno

Coordenação de Estágio Integrado. Instruções para o cadastro da contratação de estágio pelo Aluno Coordenação de Estágio Integrado Instruções para o cadastro da contratação de estágio pelo Aluno 7 de Novembro de 04 Acesso ao SGE Ao efetuar o login no Sistema de Gestão Acadêmico (SGA), acesse a aba

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MANGARATIBA. Manual Rápido SERVIDOR PÚBLICO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MANGARATIBA. Manual Rápido SERVIDOR PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE MANGARATIBA Manual Rápido SERVIDOR PÚBLICO CONTRACHEQUE E COMPROVANTE DE RENDIMENTOS MANUAL DESENVOLVIDO PELA: SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO PESSOAL Elaborado

Leia mais

GW Unimed Blumenau. Nunca foi tão fácil enviar sua produção eletronicamente para a Unimed Blumenau.

GW Unimed Blumenau. Nunca foi tão fácil enviar sua produção eletronicamente para a Unimed Blumenau. 2010 GW Unimed Blumenau Nunca foi tão fácil enviar sua produção eletronicamente para a Unimed Blumenau. GW uma ferramenta on-line de auditoria ligada diretamente com o próprio sistema da operadora, o que

Leia mais

Procedimentos para Utilização do SAVI

Procedimentos para Utilização do SAVI Procedimentos para Utilização do SAVI 1. Acessando o sistema Para acessar o sistema é necessário ter instalado em seu sistema o navegador Firefox. Uma vez que ele esteja disponível acesse o link: HTTP://

Leia mais

Estratégias de Gerenciamento de Estoque no Hemocentro. Elmiro Ribeiro Filho Médico Hematologista e Hemoterapeuta Hemocentro Regional de Uberlândia

Estratégias de Gerenciamento de Estoque no Hemocentro. Elmiro Ribeiro Filho Médico Hematologista e Hemoterapeuta Hemocentro Regional de Uberlândia Estratégias de Gerenciamento de Estoque no Hemocentro Elmiro Ribeiro Filho Médico Hematologista e Hemoterapeuta Hemocentro Regional de Uberlândia Fundação Hemominas * Cobertura de 90% das transfusões *

Leia mais

MANUAL SOLICITAÇÃO DE COMPRAS IMPLANTAÇÃO COMPRAS

MANUAL SOLICITAÇÃO DE COMPRAS IMPLANTAÇÃO COMPRAS MANUAL SOLICITAÇÃO DE COMPRAS IMPLANTAÇÃO COMPRAS Manual de Solicitação de Compras 1 SUMÁRIO Acesso ao SIE:... 2 1. Acesso à tela de Solicitação de Compras... 3 2. Abrir nova Solicitação de Compras...

Leia mais

MANUAL DO USUARIO SISTEMA TOTEM MODULO DE ESTOQUE

MANUAL DO USUARIO SISTEMA TOTEM MODULO DE ESTOQUE C o n t r o l e E m p r e s a r i a l MANUAL DO USUARIO SISTEMA TOTEM MODULO DE ESTOQUE s i s t e m a s SUMÁRIO INTRODUÇÃO CONCEITOS... 3 ENTRADA DIRETA DE PRODUTOS... 3 INCLUSÃO DE FORNECEDORES E CLIENTES...

Leia mais

Antes de começar, o Solicitante e outros envolvidos dentro do projeto (Orientador, Coordenador ou outro Responsável Técnico) devem verificar:

Antes de começar, o Solicitante e outros envolvidos dentro do projeto (Orientador, Coordenador ou outro Responsável Técnico) devem verificar: SOLICITAÇÃO DE FOMENTO on-line MANUAL DO USUÁRIO 1 CONTATOS... 2 2 ANTES DE COMEÇAR... 2 3 ENTRAR NO SISTEMA INFAPERJ... 3 3.1 ACESSO AO SISTEMA...3 3.2 LOGIN...4 4 APRESENTAÇÃO GERAL DA INTERFACE... 5

Leia mais

Orientações Básicas para Análise e Tramitação de Projetos de Pesquisa pela Plataforma Brasil pelos Comitês de Ética em Pesquisa

Orientações Básicas para Análise e Tramitação de Projetos de Pesquisa pela Plataforma Brasil pelos Comitês de Ética em Pesquisa Orientações Básicas para Análise e Tramitação de Projetos de Pesquisa pela Plataforma Brasil pelos Comitês de Ética em Pesquisa Versão 1.2 Histórico de revisão Versão Autor Data Descrição Equipe suporte

Leia mais

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA MÓDULO IV PROCESSAMENTO, ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA MÓDULO IV PROCESSAMENTO, ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO MÓDULO IV PROCESSAMENTO, ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO PROCESSAMENTO Nome do responsável: Formação profissional: Registro no conselho de classe: Contato: 1. Recursos Humanos Nível Sim Não NA 1.1. RH qualificado/capacitado

Leia mais

Guia Site Empresarial

Guia Site Empresarial Guia Site Empresarial Índice 1 - Fazer Fatura... 2 1.1 - Fazer uma nova fatura por valores de crédito... 2 1.2 - Fazer fatura alterando limites dos cartões... 6 1.3 - Fazer fatura repetindo última solicitação

Leia mais

Módulo Faturamento INDICE

Módulo Faturamento INDICE Módulo Faturamento INDICE Como faturar contas... 3 Editando os dados de uma conta... 5 Como gerar o arquivo TISS... 7 Como cadastrar médicos... 10 Como cadastrar um convênio... 15 Como cadastrar um layout...

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU Pré- requisitos: - Perfil de acesso do funcionário - Cadastro do funcionário na farmácia que poderá ocorrer a dispensação. - Cadastro das unidades de internação.

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 027 / 2011

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 027 / 2011 PARECER COREN-SP GAB Nº 027 / 2011 Assunto: Autotransfusão intra-operatória. 1. Do fato Solicitado parecer por enfermeira sobre a atuação dos profissionais de Enfermagem na autotransfusão intra-operatória.

Leia mais

PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O SUPERVISOR

PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O SUPERVISOR PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O SUPERVISOR 3º CICLO DA AVALIAÇÃO PELO SUPERVISOR PROVAB 2014 Brasília/DF, 30 de dezembro de 2014. 1 Prezado(a) Supervisor(a) do

Leia mais

DC 349 Rev 03. Manual de Atendimento de Saúde Ocupacional no Consultório Médico

DC 349 Rev 03. Manual de Atendimento de Saúde Ocupacional no Consultório Médico DC 349 Rev 03 Manual de Atendimento de Saúde Ocupacional no Consultório Médico SUMÁRIO 1.1 Atendendo o funcionário...3 1.2 Preenchendo o RE227 ASO Atestado de Saúde Ocupacional ou RE884 - ASO - Atestado

Leia mais

Manual do Solicitante Sistema de abertura de chamados Versão 1.2 Cloud

Manual do Solicitante Sistema de abertura de chamados Versão 1.2 Cloud Manual do Solicitante Sistema de abertura de chamados Versão 1.2 Cloud Sumário Apresentação 4 1. Abertura de um processo 5 2. Abertura de chamados 9 3. Acompanhamento do Processo 14 3.1. Recebimento de

Leia mais

para outro) 23 ÍNDICE ERP 1- Cadastro de Produtos (Implantação no Almoxarifado) 04

para outro) 23 ÍNDICE ERP 1- Cadastro de Produtos (Implantação no Almoxarifado) 04 1 2 ÍNDICE ERP 1- Cadastro de Produtos (Implantação no Almoxarifado) 04 2- Notas de Compra (Incluindo Quantidades no Almoxarifado) 07 2.1 - Notas complementares 12 2.2 - Desmembramento de bens 13 3- Requisições

Leia mais

30 ANOS DE SOCIALISMO

30 ANOS DE SOCIALISMO PASSO A PASSO DO CANDEX Como cadastrar um partido ou uma coligação: 1 Para cadastrar um partido ou uma coligação no Candex começamos clicando no Módulo PEDIDOS e em seguida no ícone NOVO PEDIDO; 2 Preenchemos

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões URI Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação PROPEPG Manual de Utilização Sistema de Projetos URI Módulo Projetos Versão 1 - Revisão

Leia mais

MANUAL PARA ATENDIMENTO ONLINE. Apresentamos os passos para utilização do Atendimento Online do sistema GSS para os profissionais da área de saúde:

MANUAL PARA ATENDIMENTO ONLINE. Apresentamos os passos para utilização do Atendimento Online do sistema GSS para os profissionais da área de saúde: MANUAL PARA ATENDIMENTO ONLINE Apresentamos os passos para utilização do Atendimento Online do sistema GSS para os profissionais da área de saúde: 1º) Autorizando o paciente e enviando para a lista de

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DA REQUISIÇÃO ON-LINE. Unimed Jundiaí Cooperativa de Trabalho Médico Elaboração Setembro de 2008

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DA REQUISIÇÃO ON-LINE. Unimed Jundiaí Cooperativa de Trabalho Médico Elaboração Setembro de 2008 MANUAL DE ORIENTAÇÃO DA REQUISIÇÃO ON-LINE Unimed Jundiaí Cooperativa de Trabalho Médico Elaboração Setembro de 2008 CONCEITO A Requisição on-line substitui o documento - Guia de Solicitação de Internação

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL - PORTOCRED EMPRÉSTIMO PESSOAL COM GARANTIA DE CHEQUE I - Site Portocred

ROTEIRO OPERACIONAL - PORTOCRED EMPRÉSTIMO PESSOAL COM GARANTIA DE CHEQUE I - Site Portocred I - Site Portocred Para acessar o site Portocred, devemos entrar no link: extranet.portocred.com.br/cp e após clicar na opção Crédito Pessoal Perto Check. *Lançar o usuário e a senha que serão informadas

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 AUTORIZADOR WEB 4. Pesquisar Beneficiário... 5. Elegibilidade Beneficiário... 6. Nova Guia Consulta Eletiva... 7. Nova Guia SP/SADT...

INTRODUÇÃO 2 AUTORIZADOR WEB 4. Pesquisar Beneficiário... 5. Elegibilidade Beneficiário... 6. Nova Guia Consulta Eletiva... 7. Nova Guia SP/SADT... INTRODUÇÃO 2 AUTORIZADOR WEB 4 Pesquisar Beneficiário... 5 Elegibilidade Beneficiário... 6 Nova Guia Consulta Eletiva... 7 Nova Guia SP/SADT... 10 Nova Guia Anexo de Radioterapia... 14 Nova Guia Anexo

Leia mais

PEDIDO DE VIABILIDADE. Pedido de Viabilidade. Página 1 / 42

PEDIDO DE VIABILIDADE. Pedido de Viabilidade. Página 1 / 42 Pedido de Viabilidade Página 1 / 42 ÍNDICE Apresentação... 3 Pedido de Viabilidade para Inscrição de Primeiro Estabelecimento... 4 Solicitante e Pessoa Jurídica... 4 Quadro Societário... 8 Nome Empresarial,

Leia mais

MANUAL SISTEMA DE GERENCIAMENTO WWW.REDERENALI.COM.BR

MANUAL SISTEMA DE GERENCIAMENTO WWW.REDERENALI.COM.BR MANUAL SISTEMA DE GERENCIAMENTO WWW.REDERENALI.COM.BR MANUAL SISTEMA GERENCIAMENTO RENALI- Versão 3 Maio 2012 WWW.REDERENALI.COM.BR INTRODUÇÃO ACESSO VISÃO GERAL VISÃO DO PROJETO FORMULÁRIOS CADASTRO DE

Leia mais

Manual do Almoxarifado SIGA-ADM

Manual do Almoxarifado SIGA-ADM Manual do Almoxarifado SIGA-ADM DIRETORIA DE GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO(DGTI) MARÇO/2012 Requisição de Almoxarifado Requisições O sistema retornará a tela do menu de Administração. Nela selecione

Leia mais

TÉCNICA EM LABORATÓRIO/HEMOTERAPIA

TÉCNICA EM LABORATÓRIO/HEMOTERAPIA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO TÉCNICA EM LABORATÓRIO/HEMOTERAPIA Parte I: Múltipla Escolha 01 Quanto à classificação do grupo

Leia mais

Temporalidade dos Documentos (Para Aprovação)

Temporalidade dos Documentos (Para Aprovação) Temporalidade dos s (Para Aprovação) Pág. 001 / 028 80 HU (HOSPITAL UNIVERSITÁRIO) C.Custo: 30600 DIVISÃO DE HEMOCENTRO (HEMO) 1 ORDENAMENTO LEGAL Subfunção: 2 LEGISLAÇÃO Normas e Instruções (78) Leis

Leia mais

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Programa AMG Manual de Operação Conteúdo 1. Sumário 3 2. Programa

Leia mais

HEMOTERAPIA BRASILEIRA

HEMOTERAPIA BRASILEIRA FAZENDO HISTÓRIA NA HEMOTERAPIA BRASILEIRA COLSAN - ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DE COLETA DE SANGUE fazendo história na hemoterapia brasileira A Colsan Associação Beneficente de Coleta de Sangue é uma entidade

Leia mais

BENNER WEB MÓDULO ATENDIMENTO

BENNER WEB MÓDULO ATENDIMENTO BENNER WEB MÓDULO ATENDIMENTO 1 Procedimento inicial para acessar o sistema na web No browser digitar: Para Homologação: http://treinamento.assiste.mpu.gov.br/homologacao Para Produção: http://assiste.mpu.gov.br/producao

Leia mais

SISTEMA HILUM CONSULTÓRIOS

SISTEMA HILUM CONSULTÓRIOS SISTEMA HILUM CONSULTÓRIOS 2014 Tecnologia da Informação - TI Unimed Cascavel MANUAL HILUM 4.0 - CONSULTÓRIOS A ANS estabeleceu um padrão de Troca de Informação em Saúde Suplementar - TISS para registro

Leia mais

Este manual tem como principal finalidade, ajudar os usuários no controle Abastecimento Interno e Externo.

Este manual tem como principal finalidade, ajudar os usuários no controle Abastecimento Interno e Externo. Manual Controle Abastecimento Página 1 de 21 Descrição Este manual tem como principal finalidade, ajudar os usuários no controle Abastecimento Interno e Externo. Relação dos Tópicos a serem vistos neste

Leia mais

GLPI Sistema de Helpdesk. Manual do usuário

GLPI Sistema de Helpdesk. Manual do usuário GLPI Sistema de Helpdesk Manual do usuário GLPI Helpdesk Manual do Usuário 2 Índice I. Abrindo um chamado... 4 II. Notificações (Novo, Atribuição, Follow-up, Validações e Pesquisa Satisfação)... 8 III.

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO APLICATIVO DE SOLICITAÇÃO DE FORMULÁRIOS (SASF) USUÁRIOS MUNICIPAIS VERSÃO 1.1 BRASÍLIA DF Agosto/2015 2011 Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

CADASTRO DO PCMSO INTERNO 1. OBJETIVO. Padronizar o processo de confecção do PCMSO Interno. 2. DEFINIÇÃO E CONCEITO

CADASTRO DO PCMSO INTERNO 1. OBJETIVO. Padronizar o processo de confecção do PCMSO Interno. 2. DEFINIÇÃO E CONCEITO 1/8 1. OBJETIVO Padronizar o processo de confecção do PCMSO Interno. 2. DEFINIÇÃO E CONCEITO PCMSO Programa de Controle Médico da Saúde Ocupacional; PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais; PCMAT

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO RM Agilis Manual do Usuário Ouvidoria, Correspondência Interna, Controle de Processos, Protocolo Eletrônico, Solicitação de Manutenção Interna, Solicitação de Obras em Lojas,

Leia mais

Modelo de Gestão Metas Internacionais: Times Internacionais Setoriais CAROCCINI TP, RIBEIRO JC

Modelo de Gestão Metas Internacionais: Times Internacionais Setoriais CAROCCINI TP, RIBEIRO JC Modelo de Gestão Metas Internacionais: Times Internacionais Setoriais CAROCCINI TP, RIBEIRO JC 1- Introdução O propósito das Metas Internacionais de Segurança do Paciente é promover melhorias específicas

Leia mais

Benchmarking Resultados de Auditoria SUS e Convênio no Setor de Faturamento da Santa Casa de Votuporanga

Benchmarking Resultados de Auditoria SUS e Convênio no Setor de Faturamento da Santa Casa de Votuporanga Benchmarking Resultados de Auditoria SUS e Convênio no Setor de Faturamento da Santa Casa de Votuporanga Daniella Vila Falchi Enfermeira, com especialização em Urgência e Emergência, em curso Auditoria

Leia mais

Treinamento SISPES. Rede sem fio: sof_eventos Senha: evento@sof2013

Treinamento SISPES. Rede sem fio: sof_eventos Senha: evento@sof2013 Treinamento SISPES Rede sem fio: sof_eventos Senha: evento@sof2013 1 SISPES Passo a Passo: cadastro de usuários e cadastro de entidades ( árvore ) Brasília, janeiro de 20132 SUMÁRIO 1. Cadastro Líder Órgão...3

Leia mais

ESTÁGIO PROBATÓRIO. Quadro do Magistério QM GDAE

ESTÁGIO PROBATÓRIO. Quadro do Magistério QM GDAE ESTÁGIO PROBATÓRIO Quadro do Magistério QM GDAE Decreto nº 52.344 de 09/11/2007 - Dispõe sobre o Estágio Probatório dos integrantes do Quadro do Magistério da Secretaria da Educação. Lembramos que: 1.

Leia mais

Sistema do Ciclo do Sangue Fundação Hemominas HEMOTE Plus

Sistema do Ciclo do Sangue Fundação Hemominas HEMOTE Plus Sistema do Ciclo do Sangue Fundação Hemominas HEMOTE Plus A partir de 24 de Fevereiro de 2015 a Fundação HEMOMINAS (FH) substituirá o Sistema de informática do Ciclo do Sangue. Esta mudança permitirá melhoria

Leia mais

Sistema do Prouni - SISPROUNI

Sistema do Prouni - SISPROUNI Sistema do Prouni - SISPROUNI Manual do Usuário Módulo Supervisão de Bolsistas Sumário I ACESSO AO SISPROUNI... 1 1. Endereço de Acesso na Internet... 1 2. Uso Obrigatório de Certificado Digital... 1 3.

Leia mais

Apresentando o novo modelo de atendimento Centro Marista de Serviços - CMS. Curitiba, Julho de 2014

Apresentando o novo modelo de atendimento Centro Marista de Serviços - CMS. Curitiba, Julho de 2014 Apresentando o novo modelo de atendimento Centro Marista de Serviços - CMS Curitiba, Julho de 2014 Vamos à prática: Como abrir um chamado? Entre na ferramenta com seu login e senha de rede (a mesma que

Leia mais

Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL Versão 1.0.7 Manual do Usuário

Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL Versão 1.0.7 Manual do Usuário Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Informática do SUS DATASUS Gerenciador de Ambiente Laboratorial GAL Versão 1.0.7 Página 1 de 70 Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL Usuário

Leia mais

Manual das Secretárias. Manual do usuário. Módulo Secretárias

Manual das Secretárias. Manual do usuário. Módulo Secretárias Manual do usuário Módulo Secretárias 1. Login O login é único e permite o acesso exclusivo ao consultório médico. Será informado por email às secretária que enviaram os dados para cadastro. Obs: A senha

Leia mais

Tutorial do Sistema de Requerimentos On-line

Tutorial do Sistema de Requerimentos On-line Tutorial do Sistema de Requerimentos On-line Atenção: Os requerimentos de segunda oportunidade, matrícula em disciplina, rematrícula, matrícula em dependência e trabalhos orientados só poderão ser abertos

Leia mais

Passo a Passo do Sistema de Cobrança do Banco do Nordeste

Passo a Passo do Sistema de Cobrança do Banco do Nordeste P á g i n a 1 Sistema de Cobrança Eletrônica para Clientes Passo a Passo do Sistema de Cobrança do Banco do Nordeste P á g i n a 2 INTRODUÇÃO I. Acessando o Sistema O Sistema de Cobrança Eletrônica para

Leia mais