BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL PREPARO DE TRANSFUSÕES E LIBERAÇÃO DE HEMOCOMPONENTES PARA TRANSFUSÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL PREPARO DE TRANSFUSÕES E LIBERAÇÃO DE HEMOCOMPONENTES PARA TRANSFUSÃO"

Transcrição

1 Pagina 1 de OBJETIVO Assegurar o procedimento de liberação e transfusão sangüínea. 2. APLICAÇÃO Receptores (Pacientes). 3. RESPONSABILIDADES Médicos Supervisora Técnica Coordenador de Imunohematologia ( *1 ) Coordenador Geral ( *1 ) Coordenador de Agência Transfusional Técnicos de Hemoterapia Auxiliares de Hemoterapia 4. OBSERVAÇÕES GERAIS 4.1 CHECAGEM DAS AMOSTRAS Antes de se iniciar qualquer procedimento de preparação de hemocomponentes, deve-se checar os dados da amostra do receptor com a Requisição de Transfusão de Hemocomponentes e/ou Procedimentos Hemoterápicos, e se por algum motivo estes dados estiverem incompatíveis, recusar a amostra e dependendo do caso realizar nova coleta. Desta forma asseguramos que a amostra é do paciente em questão. Em algumas áreas do Hospital como Centro Cirúrgico, Unidades de Terapia Intensiva, onde as amostras não são coletadas pelos Colaboradores do Banco de Sangue, deve-se conferir

2 Pagina 2 de 30 com dupla checagem (funcionário do Hospital e Banco de Sangue) a identificação dos tubos com a Requisição de Transfusão assegurando assim uma transfusão segura. 4.2 REAGENTES DE USO DIÁRIO Antes de se iniciar qualquer procedimento de preparação de hemocomponentes, certifiquese que o controle de qualidade diário de reagentes foi realizado, conforme POIH Controle de Qualidade Diário dos Reagentes Imunohematológicos. 4.3 SELEÇÃO ABO/RH DOS HEMOCOMPONENTES - Concentrado de Hemácias: é obrigatório na seleção que o mesmo seja ABO e Rh compatíveis com o receptor, considerando o mesmo isogrupo, ou quando não for possível respeitar a compatibilidade heterogrupo, conforme esquema abaixo: ABO/ Rh do Paciente O positivo O negativo A positivo A negativo B positivo B negativo AB positivo AB negativo Compatibilidade Bolsas Hemácias O positivo e O negativo O negativo A positivo, A negativo, O positivo e O negativo A negativo e O negativo B positivo, B negativo, O positivo e O negativo B negativo e O negativo AB positivo, AB negativo, A positivo, A negativo, B positivo, B negativo, O positivo e O negativo AB negativo, A negativo, B negativo e O negativo

3 Pagina 3 de 30 - Plasma e Crioprecipitado: é obrigatório na seleção que o mesmo seja apenas grupo ABO compatíveis com o receptor ou quando não for possível, seguir conforme esquema abaixo: ABO/ Rh do Paciente O A B AB Compatibilidade Bolsas Plasma/Crio O, A, B, AB A e AB B e AB AB - Plaquetas: é recomendável a compatibilidade ABO/Rh INSPEÇÃO QUANTO AO ASPECTO VISUAL: ( *1 ) Em todas as unidades destinadas à transfusão, antes do seu preparo, deverão ser verificadas: - a presença da etiqueta de liberação do hemocomponente íntegra. - a presença de segmento da bolsa íntegro. - traços de hemólise ou presença de coágulos. - todas as informações referentes à: data de coleta, data de vencimento, nº da doação, iniciais do doador, volume da bolsa, resultado dos exames de sorologia, resultado da tipagem ABO e Rh. Qualquer problema no hemocomponente deverá ser comunicado ao médico de plantão e em casos de anormalidade deverá se abrir uma RNC (Registro de Não Conformidade), conforme SIPOC III Gestão da Qualidade. Nos casos no qual o hemocomponentes será desprezado, a critério médico, realizar o procedimento conforme POSO-003 Descarte de Hemocomponentes.

4 Pagina 4 de ARMAZENAGEM DA AMOSTRA DO SEGMENTO DA BOLSA DE CONCENTRADO DE HEMÁCIAS Para o concentrado de hemácias, após preparo da transfusão e certificação da compatibilidade ABO/Rh, deve ser retirada uma amostra do segmento da bolsa, que deverá ser guardada em refrigerador à temperatura de 2º a 6º C por 10 dias e desprezar no 11º dia. Os mesmos devem ser identificados com nome do receptor, número da bolsa, data e ABO/Rh da bolsa. As informações deverão ser registradas no MT (Mapa de Trabalho); ( *1 ) 4.6 ARMAZENAGEM DAS AMOSTRAS DOS RECEPTORES As amostras de pacientes deverão ser guardadas em refrigerador à temperatura de 2º á 6º C por 10 dias, desprezar no 11º dia e registradas no MT (Mapa de Trabalho), obedecendo a uma numeração iniciada no dia e em ordem crescente. No momento do armazenamento deve se transcrever manualmente esta numeração nos tubos das amostras e o grupo ABO/Rh. As amostras devem ser armazenadas de forma organizada no refrigerador, organizadas em grades identificadas com o dia da semana, de segunda a domingo,de maneira que fique de fácil e rápido encontro. Todo receptor que entrar pela primeira vez e/ou nova internação, deve ser aliquotada uma amostra de seu soro em tubo ependorfe para a Soroteca. A mesma deve ser identificada com uma numeração, obedecer à ordem crescente de entrada registrada no MT (Mapa de Trabalho). Essa numeração deve ser anual, inciando no primeiro dia do ano como soroteca de número 001/ano, sendo a mesma zerada a partir do último dia do ano, iniciando-se novamente no primeiro dia do próximo ano.

5 Pagina 5 de 30 As sorotecas devem ser guardadas em caixas próprias, identificadas com uma etiqueta conforme modelo a seguir: Soroteca Agência Transfusional Ano: Numeração inicial: Numeração Final: Data abertura: / / Data fechamento: / / As caixas com os tubos ependorf devem ser guardadas em freezer à temperatura igual ou maior que 20º C por um período de 01 ano, ao final do período, as mesmas deverão ser desprezadas na própria agência FRACIONAMENTO DE BOLSAS (ALÍQUOTAS) E POOLS As agências transfusionais que não tiverem fluxo laminar e/ou o conector estéril para tubos, deverão solicitar o fracionamento e/ou pools das bolsas na área de Distribuição na Central do Banco de Sangue, e somente em casos de urgências estes procedimentos poderão ser realizados na própria agências conforme critérios definidos nos procedimentos: POFR-007 Preparo de Hemocomponentes em Pool CP e POFR-008 Preparo de Hemocomponentes em Alíquota. Nos casos da realização do procedimento de fracionamento (alíquota), deverá ser preenchido o cartão de identificação da unidade que foi aliquotada, CA (Controle de Alíquota), com os dados de: número do hemocomponente, Grupo ABO/Rh, hemocomponentes, data, hora, quantidade fracionada, nome do paciente, hospital e responsável pelo procedimento, conforme modelo a seguir:

6 Pagina 6 de 30 Para todos os procedimentos de fracionamento (alíquotas ou pools), ou procedimentos de modificação de hemocomponentes (deleucotização, irradiação ou lavagem), deverão seguir conforme critérios definidos nos respectivos procedimentos: POFR-004 Preparo de Hemocomponentes Filtrados CH e CP ou POFR-005 Preparo de Hemocomponentes Irradiados CH e CP ou POFR-006 Preparo de Hemocomponentes Lavados - CH Subsequentemente a nova etiqueta com a modificação impressa pelo sistema informatizado deverá ser substituída na bolsa mãe. 4.8 LIBERAÇÕES ESPECIAIS DE HEMOCOMPONENTES URGÊNCIA IMEDIATA Seguir conforme os critérios definidos no POAG-001 Recebimentos de Solicitações para a Transfusão de Hemocomponentes. Liberação da Bolsa, após realizar tipagem ABO/Rh do receptor e a prova cruzada em fase de salina (temperatura ambiente), que discorrerá em tempo aproximado de 20 minutos;

7 Pagina 7 de EMERGÊNCIA Seguir conforme os critérios definidos no POAG-001 Recebimentos de Solicitações para a Transfusão de Hemocomponentes. Liberação de Bolsa O negativo, sem tempo hábil para a realização de pesquisas imunohematológicas; TESTES IMUNOHEMATOLÓGICAS ALTERADOS No caso de testes imunohematológicos alterados, deve se entrar em contato com o médico hemoterapeuta, onde ele irá avaliar e decidir a transfusão e /ou solicitar a repetição dos testes, e ainda quando houver a necessidade, encaminhar as amostras e a SEI (Solicitação de Estudo Imunohematológico) à área de Imunohematologia da central do Banco de Sangue Paulista conforme o POIH-021 Encaminhamento de Amostras à Área de Imunohematologia e não esquecer de abrir a solicitação da requisição no sistema informatizado para que a imunohematologia consiga dar procedimento ao estudo imunohematológico no sistema informatizado. Após realização dos testes adicionais as bolsas compatíveis são enviadas de volta para a Agência solicitante com o Laudo Imunohematológico (LI) e o Laudo Provisório Planilha de Cobrança (LP-PC). 4.9 LIBERAÇÃO DE BOLSAS PARA AUTO-TRANSFUSÃO As agências transfusionais receberão as bolsas destinadas à auto-transfusão acondicionadas agora em maletas individualizadas lacradas e identificadas com uma etiqueta, com informações referentes ao doador/paciente conforme modelo a seguir:

8 Pagina 8 de 30 Bolsas de auto-transfusão com sorologia positiva, podem ser transfundidas desde que a agência verifique a aprovação da liberação da transfusão junto à área da Secretaria, através da certificação do preenchimento do FCAR (Formulário de Comunicado de Amostra Reagente) com a ciência e consentimento assinado do médico assistente do paciente e do médico hemoterapeuta conforme POME-005 Atendimento a Doador Inapto. Todas as provas pré-transfusionais devem ser feitas, igualmente a uma transfusão heteróloga. No momento da entrega da auto-transfusão, a agência deverá preencher em duas vias o FEAT (Formulário para Entrega de Auto-transfusão), solicitando para o responsável do recebimento do Centro Cirúrgico, o preenchimento dos dados de recebimento que constam no verso do documento, nas duas vias. Uma deverá ser entregue junto com a bolsa e deverá ficar no prontuário do paciente e a outra deverá ser arquivada junto com a FR (Ficha de Receptor), na própria agência transfusional. Caso a/as bolsa/as de auto-transfusão, não sejam utilizadas no CC e devolvidas, seguir o protocolo de reintegração de bolsas ao estoque conforme POAG-003 Instalação e Acompanhamento da Transfusão e Reações Adversas, armazenando a maleta dentro da geladeira, pelo tempo que o paciente ficar internado.

9 Pagina 9 de 30 Se a auto-transfusão não for solicitada para ser utilizada pós-cirurgia, deverá ser feito o descarte conforme POSO-003 Descarte de hemocomponentes ENTREGA DE Nos casos nos quais os hemocomponentes são entregues, como atendimento à distância ou Centro Cirúrgico ou Unidades de Terapia Intensiva, onde não instalamos, estes deverão ser entregues em maletas térmicas apropriadas conforme o PV (Protocolo de Validação) e com uma etiqueta de identificação com os dados do paciente: local de entrega, hospital, nome completo do paciente, acomodação (sala ou leito), tipagem ABO/Rh do paciente, quantidade de bolsas entregues, tipo de hemocomponente, dados de entrega (data, hora e médico solicitante) colada na parte exterior da caixa térmica conforme modelo a seguir: No ato da entrega a (as) bolsa (as) devem ser retiradas da maleta uma a uma, e ser realizada a conferência junto ao responsável pelo recebimento (dupla checagem), conferindo a etiqueta de identificação da bolsa x paciente afixada no hemocomponente emitida pelo sistema informatizado, contendo as informações referentes a liberação das mesmas para o paciente em questão: nome completo do paciente, registro hospitalar, acomodação, tipagem ABO/Rh do paciente, tipagem ABO/Rh do hemocomponente, número da bolsa e o resultado da prova de compatibilidade.

10 Pagina 10 de 30 No momento da entrega do hemocomponente, a agência deverá preencher em duas vias o FEH (Formulário para Entrega de Hemocomponentes CC ou UTIs), solicitando para o responsável do recebimento, o preenchimento dos dados de recebimento que constam na frente do documento, nas duas vias. Uma deverá ser entregue junto com a bolsa e deverá ficar no prontuário do paciente e a outra deverá ser arquivada junto com a FR (Ficha de Receptor), na própria agência transfusional RESERVAS CIRÚRGICAS Todas as solicitações de reservas cirúrgicas devem ser avaliadas anteriormente ao seu preparo conforme POME-010 Avaliação de Requisição de Reserva Cirúrgica. Em cirurgias eletivas, as reservas deverão preferencialmente ser preparadas previamente (dependente da comunicação Hospital Agência Transfusional), evitando assim uma possível demora no preparo, nos casos de pacientes com Pesquisas de Anticorpos Irregulares Positivas e/ou até mesmo o suporte ao estoque para pacientes Rh negativo. O Médico hemoterapeuta e a área de Distribuição deverão ser comunicados nos casos de: - reservas para cirurgias de grande porte; - solicitações não condizente com o protocolo de reserva cirúrgica, conforme definido no POME-010 Avaliação de Requisição de Reserva Cirúrgica ; - reserva de Concentrado de Plaquetas; - reservas para pacientes Rh negativo. Adicionalmente deverão ser informados os últimos resultados de exames do paciente: Hemoglobina, Hematócrito e Contagem de Plaquetas. Para Concentrados de Hemácia e Sangue Total (no caso de auto-transfusão), após o preparo das reservas, as bolsas deverão ser reservadas no sistema informatizado, as etiquetas de liberação emitidas presas às bolsas sem afixá-las e armazenadas em geladeira à temperatura de 2º a 6ºC em local identificado, separadas das demais bolsas do estoque.

11 Pagina 11 de 30 Os Concentrados de Hemácias deverão manter-se em reserva por um período de até 12 horas ao término da cirurgia e o Sangue Total (no caso de auto-transfusão), pelo tempo de internação do paciente, respeitando a validade da bolsa. Os Concentrados de Plaquetas deverão manter-se em reserva conforme orientação do médico hemoterapeuta de plantão, e liberados no sistema informatizado no momento da solicitação do Centro Cirúrgico para a sua infusão. Os Plasmas e os Crioprecipitados serão descongelados e liberados respectivamente, no sistema informatizado no momento da solicitação do Centro Cirúrgico para a sua infusão. 5. PROCEDIMENTOS 5.1 PREPARO DE Receber a Requisição de Transfusão de Hemocomponentes e/ou Serviços Hemoterápicos, conforme POAG-001 Recebimento de Solicitações para a Transfusão de Hemocomponentes; Quando transfusão: ( *1 ) Registrar no Sistema Hemoplus, a solicitação de transfusão do hemocomponente; Acessar o Suíte HemoPlus conforme POTI- 001 Acesso ao Sistema Hemoplus; ( *1 ) Acessar Aba / Transfusão / Solicitação / Registrar; ( *1 ) Registrar a solicitação de transfusão conforme Anexo-1; Quando reservas cirúrgica: Registrar no Sistema Hemoplus, a reserva cirúrgica do hemocomponente;

12 Pagina 12 de 30 Acessar o Suíte HemoPlus conforme POTI- 001 Acesso ao Sistema Hemoplus; ( *1 ) Acessar a aba -Transfusão/Reserva/Registrar, seguir conforme Anexo-2; ( *1 ) Lavar as mãos conforme POBI-001 Lavagem das Mãos e utilizar-se dos equipamentos de proteção individual conforme MBI Manual da Biossegurança; Confirmar os dados do paciente, da requisição médica e da amostra conforme obs.4.1; Centrifugar amostras conforme POIH-003 Separação do Soro ou Plasma; Preparar suspensão de hemácias, conforme POIH-004 Preparo e Suspensão de Hemácias 5% - Técnica em Tubo; Realizar teste de hemólise, conforme POIH-11 Teste de Hemólise Determinar o grupo ABO/Rh, conforme POIH-005 e POIH-006 respectivamente Determinação do Grupo Sanguineo ABO Técnica em Tubo e Determinação do Grupo Sanguineo Rh(D) com uso do Controle Rh Técnica em Tubo; Realizar o Coombs direto conforme o POIH Teste de Antiglobulina Direto ou Teste de Coombs Direto Técnica em Tubo; Realizar as Pesquisas de Anticorpos Irregulares e o Auto-Controle, conforme o POIH-009 Pesquisa de Anticorpos Irregulares com Auto-Controle em Bio-Peg Técnica em Tubo; Se a solicitação for de Concentrados de Hemácias e/ou Sangue Total: Selecionar a bolsa de sangue armazenada na geladeira de 2º a 6ºC, conforme obs.:4.3; Realizar a inspeção visual conforme obs.:4.4; Retirar um segmento da bolsa;

13 Pagina 13 de 30 Preparar suspensão de hemácias do segmento da bolsa, conforme POIH-004 Preparo e Suspensão de Hemácias 5% - Técnica em Tubo; Realizar Teste de hemólise com a amostragem do segmento da bolsa, conforme POIH-011 Teste de Hemólise; Realizar Teste de Compatibilidade (Prova Cruzada), conforme POIH-010 Prova Cruzada Maior em Bio Peg Técnica em Tubo; Se a solicitação for de Plasma Fresco Congelado e/ou Crioprecipitado: Selecionar o plasma e/ou crioprecipitado armazenados no freezer, a uma temperatura -20ºC, conforme obs.:4.3; Descongelar o hemocomponente, conforme o POAG-005 Descongelamento de Hemocomponentes; Se a solicitação for de Concentrados de Plaquetas Selecionar a/as bolsa/as de plaquetas armazenadas no plaquetário de 20º a 24ºC, conforme obs.:4.3 e/ou pool de plaquetas realizado na Central do Banco de Sangue e/ou realizar o Pool Conforme o POFR-007 Preparo de Hemocomponentes em Pool; Registrar todas as informações no Mapa de Trabalho (MP) e na Ficha de Receptor (FR); ( *1 ) Registrar no Sistema Hemoplus, os resultados de todos os testes imunohematólogicos realizados conforme PCP (Planilha de Controle de Processos) da Imunohematologia; LIBERAÇÃO DO HEMOCOMPONENTE Liberar o hemocomponente no Sistema Hemoplus; Acessar o Suíte Hemoplus conforme POTI-001 Acesso ao sistema Hemoplus;

14 Pagina 14 de 30 Acessar a aba -Transfusão/Liberação/Registrar, seguir conforme Anexo-3; Emitir três etiquetas de liberação do sistema informatizado; Conferir os dados impressos do paciente e da bolsa; Colar a primeira etiqueta impressa no CHT (Controle dos Hemocomponentes Transfundidos), e após, seguir com os registros do procedimento de transfusão durante a instalação e acompanhamento da transfusão; Colar a segunda etiqueta impressa com os dados do paciente, de forma de não cobrir a etiqueta de liberação da bolsa; Encaminhar a terceira etiqueta impressa anexada com a cobrança dos Cobrança - Serviços de Hemoterapia e Imunohematologia para a área do Faturamento da central do Banco de Sangue Paulista; Retirar e identificar uma amostra do segmento da bolsa (no caso de Concentrados de Hemácias e Sangue Total) conforme obs.:4.5; Registrar a retirada do segmento e na PCAS; Armazenar o segmento e amostra do paciente no refrigerador conforme obs.:4.5; Acondicionar o hemocomponente em caixa térmica, conforme o hemocomponente e o seu PV (Protocolo de Validação) para o momento da instalação ou entrega; Se instalação pelo nosso próprio colaborador: Instalar o hemocomponente e acompanhar a transfusão, conforme o POAG-003 Instalação e Acompanhamento da Transfusão e Reações Adversas;

15 Pagina 15 de 30 Se entrega para atendimento a distância: Preencher em duas vias o FEH (Formulário para Entrega de Hemocomponentes CC ou UTIs) ou Imprimir o Termo de Entrega fornecido pelo Sistema Hemoplus; Encaminhar a caixa térmica junto com a bolsa e o FEH; Conferir em dupla checagem todos os dados do paciente e bolsa; Solicitar a conferência, a assinatura e carimbo pelo responsável do recebimento; Se entrega para C. C. e UTIs: Preencher em duas vias o FEH (Formulário para Entrega de Hemocomponentes CC ou UTIs) ou Imprimir o Termo de Entrega fornecido pelo Sistema Hemoplus; Encaminhar a caixa térmica junto com a bolsa e o FEH; Conferir em dupla checagem todos os dados do paciente e bolsa; Solicitar a conferência, a assinatura e carimbo pelo responsável do recebimento;

16 Pagina 16 de REGISTROS Suíte Hemoplus - Transfusão/Solicitação/Registrar( *1 ) Transfusão/Reserva/Registrar Transfusão/Liberação/Registrar Requisição de Hemocomponentes e/ou Procedimentos Hemoterápicos. Mapa de Trabalho. Ficha de Receptor. Controle de Alíquota. Etiquetas de Liberação das Bolsas. Controle dos Hemocomponentes Transfundidos. Planilha de Controle de Amostras do Pacientes e dos Segmentos de Bolsas. Formulário para Entrega de Auto-transfusão. Formulário para Entrega de Hemocomponentes CC ou UTIs. Cobrança - Serviços de Hemoterapia e Imunohematologia. Elaboração Agência Transfusional / / Aprovação Gestão da Qualidade / / Aprovação Diretoria Técnica / /

17 Pagina 17 de 30 ANEXO 1( *1 ) FUNÇÃO: REGISTRO DE SOLICITAÇÕES TRANSFUSÕES E/OU PROCEDIMENTOS HEMOTERÁPICOS ESTADO INICIAL: Nesta barra de tarefas encontram-se as funções referentes a registro de solicitações. Para visualizar o registro, acesse Suíte Hemoplus conforme o POTI 001. Na barra de ferramentas clicar no ícone Transfusão / Solicitação / Registrar, como mostra a Figura 1. Figura 1. Logo após irá aparecer à tela Solicitação de Procedimentos/Consulta Receptor, como mostra a Figura 2.

18 Pagina 18 de 30 Figura 2. No Campo Identificação de Receptor, digitar o nome do paciente que se quer consultar, para que possa registrar o tipo de reação transfusional, em seguida clicar em Pesquisar, aparecerá o campo Receptores Cadastrados, como mostra a Figura 3.

19 Pagina 19 de 30 Figura 3 Aparecerá o nome do paciente em negrito, em seguida dar um duplo clique sobre o nome.

20 Pagina 20 de 30 Figura 4 DESCRIÇÃO DE FUNCIONALIDADE Após dar um duplo clique irá aparecer a seguinte tela Solicitação de Procedimentos Hemoterápicos, como mostrar a Figura 4, onde encontraremos as seguintes abas com os seguintes dados: - Solicitações Cadastradas, mostra dados do receptor identificado e todas as solicitações cadastradas, solicitações abertas e fechadas. - Dados da Solicitação, mostra os dados da última solicitação cadastrada. - Dados Complementares, mostra dados complementares da solicitação, onde poderemos registrar observações referentes a prescrição médica, medicações em uso e histórico de antecedentes transfusionais. - Hemocomponentes Solicitados, mostra relação de todos os hemocomponentes solicitados na solicitação selecionada nas solicitações cadastradas.

21 Pagina 21 de 30 - Exames/Serviços, mostra todos os procedimentos hemoterápicos realizados (Sangria Terapêutica, Aférese Terapêutica). Registrar a solicitação na aba Dados da Solicitação como mostra a Figura 4. Registrar a solicitação na aba Dados Complementares como mostra a Figura 5. Figura 5 Registrar os hemocomponentes solicitados na aba Hemocomponentes como mostra a Figura 6.

22 Pagina 22 de 30 Figura 6 Registrar solicitação dos exames e serviços na aba Exames/Serviços como mostra a figura7.

23 Pagina 23 de 30 Figura 7

24 Pagina 24 de 30 ANEXO 2 ( *1 ) FUNÇÃO: REGISTRO DE SOLICITAÇÕES DE RESERVAS CIRÚRGICAS ESTADO INICIAL: Nesta barra de tarefas encontram-se as funções referentes a registro de solicitações. Para visualizar o registro, acesse o Suíte Hemoplus conforme o POTI 001. Na barra de ferramentas clicar no ícone Transfusão / Reserva / Registrar, como mostra a Figura 1. Figura 1. Logo após irá aparecer à tela Reserva de Bolsas para Transfusão/Consulta Receptor, como mostra a Figura 2.

25 Pagina 25 de 30 Figura 2 DESCRIÇÃO DE FUNCIONALIDADE Nesta tela estaremos reservando a Bolsa para o paciente. No Campo Identificação do Receptor digitar o nome do paciente para poder achar seu cadastro. Dar um duplo clique sobre o nome do paciente. Logo após irá aparecer a seguinte tela Reserva de Bolsa para a Transfusão como mostra a Figura 3.

26 Pagina 26 de 30 Figura 3 Para fazer a reserva da bolsa basta selecionar o Campo Hemocomponente, e preencher os campos Doação, Iniciais, Prova Compatibilidade e clicar em Tab. Para finalizar clique em Gravar. Irá aparecer a seguinte mensagem: Liberação realizada com Sucesso. Em seguida o sistema emitirá três etiquetas de liberação.

27 Pagina 27 de 30 ANEXO 3 ( *1 ) FUNÇÃO: LIBERAÇÃO DE HEMOCOMPONENTES PARA A TRANSFUSÃO ESTADO INICIAL: Nesta barra de tarefas encontram-se as funções referentes a liberação dos hemocomponentes solicitados do receptor. Para visualizar o registro, acesse o Suíte Hemoplus conforme o POTI 001. Na barra de ferramentas, clicar no ícone Transfusão / Liberação / Registrar, como mostra a Figura 1. Figura 1 Logo após irá aparecer à tela Liberação de Bolsas para a Transfusão, como mostra a Figura 2.

28 Pagina 28 de 30 Figura 2 DESCRIÇÃO DE FUNCIONALIDADE Dar um duplo clique sobre a instituição onde será feita a liberação da bolsa para o paciente. Logo após irá aparecer a seguinte tela Liberação de Bolsa para a Transfusão/Bolsa a ser Liberada como mostra a Figura 3.

29 Pagina 29 de 30 Figura 3 Para fazer a liberação da bolsa basta selecionar o Campos Hemocomponente, e preencher os Campos Doação, Iniciais, Prova Compatibilidade e clicar em Tab. Para finalizar clique em Gravar. Irá aparecer a seguinte mensagem: Liberação realizada com Sucesso. Em seguida o sistema emitirá três etiquetas de liberação.

30 Pagina 30 de 30 FUNCIONALIDADE DOS BOTÕES A) [PESQUISAR]: Busca no banco de dados o cadastro de um ou mais doadores, ou de uma doação específica. B) [GRAVAR]: Salva os dados alterados no banco de dados. C) [CANCELAR]: Limpa toda a tela independente dos dados terem sido digitados e volta ao Estado Inicial, ou seja, como se a tela estivesse sendo acessada pela primeira vez. D) [FECHAR]: Sai da função, independente dos dados terem sido digitados, desabilitandoà.

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL. DESCONGELAMENTO DE HEMOCOMPONENTES Pagina 1 de 5

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL. DESCONGELAMENTO DE HEMOCOMPONENTES Pagina 1 de 5 DESCONGELAMENTO DE HEMOCOMPONENTES Pagina 1 de 5 1. OBJETIVO Realizar o descongelamento dos hemocomponentes criopreservados, de forma a preservar os seus constituintes, garantindo assim eficácia e a qualidade

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE COLETA

PROCEDIMENTOS DE COLETA PROCEDIMENTOS DE COLETA Conteúdo do Kit: Cadeia de Custódia em 4 vias Envelope plástico de envio de amostra 2 envelopes de coleta 2 selos de Segurança 2 lâminas de alumínio 1 sachê de lenço umedecido em

Leia mais

MANUAL PESSAUDE ASSISTÊNCIA Instruções para Seção de Pessoal

MANUAL PESSAUDE ASSISTÊNCIA Instruções para Seção de Pessoal Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal Assessoria Técnica MANUAL PESSAUDE ASSISTÊNCIA Instruções para Seção de Pessoal Belo Horizonte

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE HEMOTERAPIA

Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE HEMOTERAPIA Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE HEMOTERAPIA POP nº IMU 01 SHMT/HU Hospital Universitário Tipagem Sanguínea ABO/RhD Prof. Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal de Santa

Leia mais

Introdução. Configurações. Utilizando Serviços de Terceiros. Cadastrando Serviço de Terceiros. Serviço de Terceiros

Introdução. Configurações. Utilizando Serviços de Terceiros. Cadastrando Serviço de Terceiros. Serviço de Terceiros Serviço de Terceiros Tabela de conteúdo 1 Introdução 2 Configurações 3 Utilizando Serviços de Terceiros 3.1 Cadastrando Serviço de Terceiros 3.2 Abertura de O.S. 3.3 Autorizando o Serviço (AF) 3.4 Imprimindo

Leia mais

Retipagem de concentrado de hemácia Versão: 01 Próxima Revisão:

Retipagem de concentrado de hemácia Versão: 01 Próxima Revisão: Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE HEMOTERAPIA POP nº IMU 04 SHMT/HU Hospital Universitário Prof. Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal de Santa Catarina Retipagem de concentrado

Leia mais

Fixo (41) Vivo (41) Tim (41) Claro (41) OI (41) Sistema Descomplicado CNPJ

Fixo (41) Vivo (41) Tim (41) Claro (41) OI (41) Sistema Descomplicado CNPJ INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 01/2016 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 01/2016 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 01/2016 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 31 TÉCNICO DE LABORATÓRIO (Hemoterapia) 01. ANULADA 11. B 21. D 02. E 12. E 22. A

Leia mais

Esse manual visa fornecer orientações às instituições concedentes de estágios. Após

Esse manual visa fornecer orientações às instituições concedentes de estágios. Após Esse manual visa fornecer orientações às instituições concedentes de estágios. Após acessar o endereço www.sigaa.ufs.br, você deve clicar no botão ENTRAR NO SISTEMA Obs.: Os dados utilizados nos exemplos

Leia mais

Manual de. Rodoviário

Manual de. Rodoviário Manual de Agendamento Rodoviário INTERMODAL SUMÁRIO 1. ACESSO 1.1. Link para acesso 1.2. Login e senha 1.2.1. Alteração de senha 4 4 4 4 2. AGENDAMENTO 2.1. Novo agendamento 2.1.1. Dados gerais 2.1.2.

Leia mais

SISTEMA DE PEDÁGIO VIA FÁCIL. Ao entrar no site, clicar na imagem do Rio Grande do Sul, conforme está destacado abaixo.

SISTEMA DE PEDÁGIO VIA FÁCIL. Ao entrar no site, clicar na imagem do Rio Grande do Sul, conforme está destacado abaixo. SISTEMA DE PEDÁGIO VIA FÁCIL A fatura do pedágio via fácil, é debitada todo dia 10, logo cada inicio de mês é necessário realizar o centro de custos da mesma e entregar até a data de vencimento para o

Leia mais

Importar e Receber NF-e

Importar e Receber NF-e Importar e Receber NF-e Procedimentos prévios para importar: 1. Caso ainda não tenha sido criada, criar na área de trabalho o atalho para a pasta RECEBER. Para isso vá no SGL e clique no menu CADASTRO

Leia mais

Procedimento Para Fazer Parecer Técnico de Itens de Pregão Cleiton Lucatel-UNIPAMPA-2015

Procedimento Para Fazer Parecer Técnico de Itens de Pregão Cleiton Lucatel-UNIPAMPA-2015 De posse da Relação de itens (PDF) fornecida pelo setor de compras, e do modelo de parecer técnico (DOC). No arquivo DOC preencher dados do responsável por este parecer conforme modelo da figura 1, usando

Leia mais

MANUAL SISTEMA NFS-e. Prefeitura

MANUAL SISTEMA NFS-e. Prefeitura MANUAL SISTEMA NFS-e Prefeitura SUMARIO Tela Inicial NFe 03 Efetuar Login 1º Acesso Caso não possua Usuário e/ou Senha 03 Efetuar Login 1º Acesso Possuindo o Usuário e Senha 04 Primeira Tela Ilustração

Leia mais

MEDICAMENTO DE USO PRÓPRIO - DOMICILIAR

MEDICAMENTO DE USO PRÓPRIO - DOMICILIAR 1 de 5 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta CESC, FA, LAS, RFC. 1 Objetivo Validar Estabelecer processo de segurança para o paciente

Leia mais

COMO FAZER UM PEDIDO PARA FORNECEDOR?

COMO FAZER UM PEDIDO PARA FORNECEDOR? COMO FAZER UM PEDIDO PARA FORNECEDOR? A-1 - OPERAÇÕES COMPRAS - PEDIDO DE COMPRA (RETAGUARDA) Como fazer um pedido para um fornecedor. Primeiro clique em NOVO. 03-Indique o nome do fornecedor, que já deve

Leia mais

TUTORIAL ESPORTE DA ESCOLA

TUTORIAL ESPORTE DA ESCOLA Portal do Projeto PST Brasil em Convênio com o Ministério do Esporte - Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social TUTORIAL ESPORTE DA ESCOLA ORIENTAÇÕES DE CADASTRO: ESCOLA DIRETOR

Leia mais

Experiência na utilização do Techno Twin Station. Rodrigo Spessotto Morais Toledo Março 2007

Experiência na utilização do Techno Twin Station. Rodrigo Spessotto Morais Toledo Março 2007 Experiência na utilização do Techno Twin Station Rodrigo Spessotto Morais Toledo Março 2007 Techno Twin Station Techno Twin Station Techno Twin Station Techno Twin Station Equipamento automatizado para

Leia mais

Manual de acesso ao Portal do Contribuinte - SIGET

Manual de acesso ao Portal do Contribuinte - SIGET Manual de acesso ao Portal do Contribuinte - SIGET Versão 1.0 (Atualizado em 04/05/2016) - 2011 - Governo do Estado do Ceará - Todos os direitos reservados. Conteúdo Requisitos de Instalação... 3 Área

Leia mais

ACESSO AO PORTAL. Para acessar o Portal entre no site Área Restrita Portal de Pedidos

ACESSO AO PORTAL. Para acessar o Portal entre no site  Área Restrita Portal de Pedidos Manual Portal 1 ACESSO AO PORTAL 2 Para acessar o Portal entre no site www.latinex.com.br Área Restrita Portal de Pedidos Insira Usuário e Senha, selecione LATINEX no quadro abaixo e clique em ACESSAR

Leia mais

Manual do Portal do Prestador. Autorização e Faturamento Online

Manual do Portal do Prestador. Autorização e Faturamento Online Manual do Portal do Prestador Autorização e Faturamento Online 1 ÍNDICE Cap. Assunto Pág. Informações preliminares 3 1 Autorização de Consultas 4 2 Autorização de Procedimentos Ambulatoriais e Sessões

Leia mais

UNIESP PAGA UNIESP SOCIAL

UNIESP PAGA UNIESP SOCIAL UNIESP PAGA UNIESP SOCIAL ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DO RELATÓRIO MENSAL DE CONTRAPARTIDA SOCIAL VF-01/MAIO/2014 1 Sumário 1. Aba Lista de Relatórios Aguardando Avaliação... 3 1.1. Regras para adicionar

Leia mais

Retaguarda - Consignação externa

Retaguarda - Consignação externa Retaguarda - Consignação externa Objetivo Venda externa para sacoleiras e mascates. Consignação Externa Exemplo de uso: A empresa possui vários vendedores que realizam vendas de seus produtos de porta

Leia mais

FICHA DE VERIFICAÇÃO DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL EM FARMÁCIAS. Lei 3.820/60 Artigo 10 Item-C - Resolução 357/2001 do CFF. T. I. n º: / 20 Profissional:

FICHA DE VERIFICAÇÃO DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL EM FARMÁCIAS. Lei 3.820/60 Artigo 10 Item-C - Resolução 357/2001 do CFF. T. I. n º: / 20 Profissional: FICHA DE VERIFICAÇÃO DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL EM FARMÁCIAS Lei 3.820/60 Artigo 10 Item-C - Resolução 357/2001 do CFF Ficha n º: / 20 N º de Processos: T. I. n º: / 20 Profissional: Estabelecimento: Nome

Leia mais

Manual Remessa Q Prof Versão

Manual Remessa Q Prof Versão Manual Remessa Q Prof Versão 1.6.0.0 Sumário 1. Instalação do Remessa Q PROF... 3 2. Trabalhando com o Remessa Q PROF... 7 3. Botão OPÇÕES e suas Funcionalidades... 8 4. Aba Título... 9 4.1. Início da

Leia mais

TUTORIAL SIMPLES REMESSA BAIXANDO ESTOQUE

TUTORIAL SIMPLES REMESSA BAIXANDO ESTOQUE Sumário Apresentação... 1 1. Procedimentos iniciais... 1 2. Emitir Nota Fiscal Simples Remessa com Baixa no Estoque:... 2 2.1 Gerando Contas a Receber... 2 2.3 Sem Gerar Contas a Receber... 5 Apresentação

Leia mais

SPA Sistema de Gestão de Processos Eletrônicos

SPA Sistema de Gestão de Processos Eletrônicos UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UFSC SPA Sistema de Gestão de Processos Eletrônicos Caderno de Exemplos e Exercícios Módulo Solicitações CADASTRO DE SOLICITAÇÃO Faça o login com a mesma senha utilizada

Leia mais

Cabeçalho. 1. Nº SPW: é fornecido pelo SPW (SpeedWeb SKY) no cadastramento da proposta no sistema, por isso não deverá ser preenchido no ato da venda.

Cabeçalho. 1. Nº SPW: é fornecido pelo SPW (SpeedWeb SKY) no cadastramento da proposta no sistema, por isso não deverá ser preenchido no ato da venda. Fevereiro/2014 Cabeçalho 1. Nº SPW: é fornecido pelo SPW (SpeedWeb SKY) no cadastramento da proposta no sistema, por isso não deverá ser preenchido no ato da venda. 2. Número da Proposta: é para controle

Leia mais

Procedimentos de identificação e embalagem de resíduos para coleta. Químicos, Radioativos e Vidraria

Procedimentos de identificação e embalagem de resíduos para coleta. Químicos, Radioativos e Vidraria Procedimentos de identificação e embalagem de resíduos para coleta Químicos, Radioativos e Vidraria Maio de 2013 Orientações gerais: reagentes no frasco original Exemplos: reagentes com prazo de validade

Leia mais

Lista de Impressão Server FS168

Lista de Impressão Server FS168 Lista de Impressão Server FS168 Futura Sistema: Futura Server Caminho: Etiquetas >Lista de Impressão Referência: FS168 Versão: 2016.06.06 Como Funciona: Esta tela é utilizada para criar uma lista com determinados

Leia mais

I N E D I Instituto Nacional de Ensino a Distância FICHA DE ESTÁGIO

I N E D I Instituto Nacional de Ensino a Distância FICHA DE ESTÁGIO ATENÇÃO: Não esqueça de averiguar a regularidade do responsável pelo estágio no CRECI, só assim poderemos receber esse documento. FICHA DE ESTÁGIO ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Leia mais

Manual Saúde Service. Como utilizar a Plataforma de Pagamento

Manual Saúde Service. Como utilizar a Plataforma de Pagamento Manual Saúde Service Como utilizar a Plataforma de Pagamento - Pagando com cartão de crédito - Pagando com cartão de débito - Controlando os pagamentos efetuados Para maiores informações ligue: () 04-8600

Leia mais

STT SISTEMA CATARINENSE DE TELEMEDICINA E TELESSAÚDE MANUAL

STT SISTEMA CATARINENSE DE TELEMEDICINA E TELESSAÚDE MANUAL STT SISTEMA CATARINENSE DE TELEMEDICINA E TELESSAÚDE MANUAL Solicitação de Exames Dermatológicos MANUAL PARA SOLICITAÇÃO DE EXAMES DERMATOLÓGICOS Laborato rio de Telemedicina LabIMed Universidade Federal

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE HEMOTERAPIA

Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE HEMOTERAPIA Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE HEMOTERAPIA POP nº IMU 02 SHMT/HU Hospital Universitário Pesquisa de anticorpos irregulares Prof. Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal

Leia mais

SEBRAETEC SERVIÇOS EM INOVAÇÃO E TECNOLOGIA PROCEDIMENTOS SISTEMA ELETRÔNICO INSTITUIÇÕES

SEBRAETEC SERVIÇOS EM INOVAÇÃO E TECNOLOGIA PROCEDIMENTOS SISTEMA ELETRÔNICO INSTITUIÇÕES SEBRAETEC SERVIÇOS EM INOVAÇÃO E TECNOLOGIA PROCEDIMENTOS SISTEMA ELETRÔNICO INSTITUIÇÕES DEZEMBRO 2012 ÍNDICE A) INSTRUÇÔES... 5 B) ENQUADRAMENTO... 6 C) ACEITE DA ENTIDADE... 6 D) PREENCHIMENTO DO PLANO

Leia mais

APLICAÇÃO DO LEAN THINKING NO SETOR DA SAÚDE

APLICAÇÃO DO LEAN THINKING NO SETOR DA SAÚDE APLICAÇÃO DO LEAN THINKING NO SETOR DA SAÚDE Enf. Alex Silva Chefe do Departamento de Emergência Adulto Novembro/2016 Escritório Corporativo da Qualidade Pronto Socorro Adulto Pompeia Estrutura 6 - Box

Leia mais

CNC COD BR. Manual do Emissor

CNC COD BR. Manual do Emissor CNC COD BR Manual do Emissor http://www.cnc.codbr.org.br/ O SISTEMA Integração de Sistemas Modelos de Certificados da Aladi e Comum Declaração de Processo Produtivo Geração de Certificados em PDF Emissão

Leia mais

OS - Cadastrar Ordem de Serviço

OS - Cadastrar Ordem de Serviço OS - Cadastrar Ordem de Serviço Objetivo Cadastrar ordem de serviço para clientes sem que seja necessário efetuar uma venda (semelhante ao orçamento, a diferença é que a ordem de serviço nos permite informar

Leia mais

OPERAÇÃO DA PLATAFORMA MANUAL PARA FORNECEDORES

OPERAÇÃO DA PLATAFORMA MANUAL PARA FORNECEDORES OPERAÇÃO DA PLATAFORMA MANUAL PARA FORNECEDORES Operação da plataforma ACESSO Tópicos desta sessão: Primeiro acesso Esqueci a senha Alteração de Cadastro Cadastrar ou alterar categorias PRIMEIRO ACESSO

Leia mais

NEW BIRD INFORMÁTICA PDV MANUAL DO USUÁRIO Versão

NEW BIRD INFORMÁTICA PDV MANUAL DO USUÁRIO Versão NEW BIRD INFORMÁTICA PDV MANUAL DO USUÁRIO Versão 1.0.1.2 ÍNDICE APRESENTAÇÃO...3 SOBRE ESTE MANUAL...4 INTRODUÇÃO...5 NOÇÕES INICIAIS...5 ACESSANDO O PDV...6 MENUS DO SISTEMA...8 OPERAÇÕES DO PDV...10

Leia mais

Como exportar os arquivos NFP via Web-Service - FS127

Como exportar os arquivos NFP via Web-Service - FS127 Como exportar os arquivos NFP via Web-Service - FS127 Sistema: Futura Server Caminho: Fiscal> NFP Web-service>Exportação de arquivos Referência: FS127 Versão: 2016.2.15 Como Funciona: Esta tela é utilizada

Leia mais

Procedimentos de Gestão da Qualidade. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA Dr. Renato L. Filho. Coordenador da Qualidade. Supervisora da Qualidade

Procedimentos de Gestão da Qualidade. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA Dr. Renato L. Filho. Coordenador da Qualidade. Supervisora da Qualidade Versão: 1 Pág: 1/5 ELABORADO POR DE ACORDO APROVADO POR NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA Dr. Renato L. Filho Coordenador da Qualidade 22/08/2016 Dra. Débora Salles Supervisora da Qualidade 22/08/2016 Dr. Renato

Leia mais

- NOTA TÉCNICA - 3. Uso de Concentrado de Hemácias: Rh positivo X Rh negativo

- NOTA TÉCNICA - 3. Uso de Concentrado de Hemácias: Rh positivo X Rh negativo - NOTA TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO DE SANGUE E HEMOCOMPONENTES PARA OS HOSPITAIS DE REFERÊNCIA E DEMAIS UNIDADES DURANTE OS JOGOS OLÍMPICOS E PARALÍMPICOS RIO 2016 1. Introdução Como parte integrante do planejamento

Leia mais

Manual. Sistema Vênus 2.0. (Módulo Estoques)

Manual. Sistema Vênus 2.0. (Módulo Estoques) Manual Do Sistema Vênus 2.0 (Módulo Estoques) O principal objetivo do módulo Estoque é cadastrar todos os itens de estoque, fazer operações de estoque (entrada e saída), efetuar movimentação entre unidades

Leia mais

Manual do sistema PDV 9

Manual do sistema PDV 9 Manual do sistema PDV 9 Sumário 1. Cadastro... 4 Produtos... 4 Clientes... 5 Vendedores... 6 Tipos de pagamento... 6 Naturezas de operações... 7 Transportadoras... 8 2. Movimentos - Nota Fiscal Consumidor

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO

EXERCÍCIOS DE REVISÃO 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Exercícios Macros Gravadas Word 1/5 EXERCÍCIOS DE REVISÃO Antes de começar feche todos os arquivos abertos durante a aula e abra um documento novo. Os passos que deverão

Leia mais

Padrão de currículo para os estágios curriculares em materiais

Padrão de currículo para os estágios curriculares em materiais Padrão de currículo para os estágios curriculares em materiais Este documento tem o intuito de instruir o aluno na elaboração de seu currículo, bem como manter um padrão a ser enviado às empresas através

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão - POP

Procedimento Operacional Padrão - POP Página 1 de 12 Biobanco Procedimento Operacional Padrão para: Processamento de Sangue POP: V. 1.0 Nome: Extração de DNA em sangue total Efetiva: dezembro, 22 autora: Erika Regina Manuli Aprovação Profa.

Leia mais

COBRANÇA REGISTRADA CONDOMÍNIO SAMI ERP IMOBILIÁRIO

COBRANÇA REGISTRADA CONDOMÍNIO SAMI ERP IMOBILIÁRIO COBRANÇA REGISTRADA CONDOMÍNIO SAMI ERP IMOBILIÁRIO 1. Cadastro de Bancos Acesse o módulo DIVERSOS/ CADASTROS/ DE BANCOS. Este programa cadastra e altera o cadastro dos bancos. O cadastro de banco é utilizado

Leia mais

PORTARIA Nº DE 10 DE JULHO DE 2006.

PORTARIA Nº DE 10 DE JULHO DE 2006. PORTARIA Nº 1.469 DE 10 DE JULHO DE 2006. Dispõe sobre o ressarcimento de custos operacionais de sangue e hemocomponentes ao Sistema Único de Saúde (SUS), quando houver fornecimento aos não-usuários do

Leia mais

DIAGRAMA DE LEITURA DO FLUXOGRAMA DAS ATIVIDADES DE ESTÁGIO

DIAGRAMA DE LEITURA DO FLUXOGRAMA DAS ATIVIDADES DE ESTÁGIO DIAGRAMA DE LEITURA DO FLUXOGRAMA DAS ATIVIDADES DE LEGENDA, COM CORES, PARA IDENTIFICAR AS AÇÕES NO FLUXOGRAMA NÚMERO DA PÁGINA ONDE SE ENCONTRA O PROCEDIMENTO Mnnnnnnnnnnnnnnnnnn Zccccccccccc AÇÕES VINCULADAS

Leia mais

Serão listadas as disciplinas de sua responsabilidade no período selecionado

Serão listadas as disciplinas de sua responsabilidade no período selecionado Lançamento de Frequências e Notas 1. Para acessar o SISTEMA ACADÊMICO, abra o navegador Mozilla Firefox ou Google Chrome. 2. Digite na barra de endereços: acadêmico.unemat.br Após aperte a tecla

Leia mais

Ricoh SPC 820. Guia do usuário. Impressão

Ricoh SPC 820. Guia do usuário. Impressão Ricoh SPC 820 Guia do usuário Impressão 1 Índice Mapa da impressora...3 Mapa do painel...4 Funções Impressão simples...6 Cancelando impressão...7 Impressão frente e verso Aba Definição de impressão...8

Leia mais

Guia Sipag. Tudo que você precisa saber para fechar bons negócios. COMO OPERAR A MAQUININHA

Guia Sipag. Tudo que você precisa saber para fechar bons negócios. COMO OPERAR A MAQUININHA Guia Sipag. Tudo que você precisa saber para fechar bons negócios. COMO OPERAR A MAQUININHA SIPAG. A maquininha das cooperativas brasileiras. Mais prático para quem compra, mas fácil para quem vende. Sipag

Leia mais

Sumário. 1 Tutorial: Ferramentas do Clickideia Editor de Jornal - Básico. O jornal na sala de aula... 2

Sumário. 1 Tutorial: Ferramentas do Clickideia Editor de Jornal - Básico. O jornal na sala de aula... 2 1 Tutorial: Ferramentas do Clickideia Editor de Jornal - Básico Sumário O jornal na sala de aula... 2 Objetivo:... 2 Como entrar na Ferramenta Editor de Jornal Básico?... 2 Criando um Jornal... 5 Editar

Leia mais

IVC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA EDITORWEB REVISTAS PAGAS

IVC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA EDITORWEB REVISTAS PAGAS IVC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA EDITORWEB REVISTAS PAGAS Login Após acessar a página do IVC (http://www.ivc.org.br), clicar no link, conforme imagem abaixo: O associado efetuará o acesso ao sistema

Leia mais

Manual. - Sic Control -

Manual. - Sic Control - Manual Instruções básicas de uso - Sic Control - - 2016 - Introdução O Manual a seguir visa orientar o usuário do Sistema de Gestão Empresarial Sic Control, de forma detalhada; no que se refere a operação

Leia mais

IVC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA EDITORWEB JORNAIS

IVC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA EDITORWEB JORNAIS IVC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA EDITORWEB JORNAIS Login Após acessar a página do IVC (http://www.ivc.org.br), clicar no link, conforme imagem abaixo: O associado efetuará o acesso ao sistema de digitação,

Leia mais

EXERCÍCIO 1_Casa Popular. tutorial 12 folhas de apresentação. Bibliografia

EXERCÍCIO 1_Casa Popular. tutorial 12 folhas de apresentação. Bibliografia EXERCÍCIO 1_Casa Popular tutorial 12 folhas de apresentação Bibliografia NBR 10068/87 FOLHAS DE DESENHO, LEIAUTE E DIMENSÕES NBR 10582 CONTEÚDO DA FOLHA PARA DESENHO TÉCNICO NBR 13142 DOBRAMENTO DE CÓPIA

Leia mais

SISTEMA CERTORIGEM PERFIL EXPORTADOR

SISTEMA CERTORIGEM PERFIL EXPORTADOR SISTEMA CERTORIGEM PERFIL EXPORTADOR Fluxo de cadastro Acesso ao sistema: http://cacb.certorigem.com.br/federasul/ Criar pré-cadastro Fluxo de cadastro Preencher formulário do lado esquerdo com os dados

Leia mais

TUTORIAL ALTERAR PEDIDO DE VENDA

TUTORIAL ALTERAR PEDIDO DE VENDA Sumário Apresentação... 1 1. Procedimentos iniciais... 1 2. Incluir \ Alterar 3 2.1 Itens no Pedido de Venda... 4 2.2 Quantidade do Item no Pedido de Venda... 5 2.3 Preço do Item no Pedido de Venda...

Leia mais

TROCA DE PRODUTOS. Trocas apenas podem ser feitas quando o cliente efetuou a compra na própria loja ou em sua matriz ou filial.

TROCA DE PRODUTOS. Trocas apenas podem ser feitas quando o cliente efetuou a compra na própria loja ou em sua matriz ou filial. TROCA DE PRODUTOS Trocas apenas podem ser feitas quando o cliente efetuou a compra na própria loja ou em sua matriz ou filial. Para a troca o cliente tem que ter em mãos o Cupom Fiscal ou o cupom NFC-e

Leia mais

GUIA RÁPIDO. MDIForms. Sintel Informática Ltda. Rua Vergueiro, nº º andar Vila Mariana, São Paulo - SP CEP:

GUIA RÁPIDO. MDIForms. Sintel Informática Ltda. Rua Vergueiro, nº º andar Vila Mariana, São Paulo - SP CEP: GUIA RÁPIDO MDIForms Sintel Informática Ltda. Rua Vergueiro, nº 2016-4º andar Vila Mariana, São Paulo - SP CEP: 04102-000 www.sintel.com.br Índice 1. Objetivo...3 2. Exibição dos dados...3 2.1. Seleção

Leia mais

USO INTERNO. SGT Sistema de Gerenciamento de Treinamentos

USO INTERNO. SGT Sistema de Gerenciamento de Treinamentos Sistema de Gerenciamento de Treinamentos CONFIDENCIAL SISTEMA DE GESTÃO DE TREINAMENTOS Sistema corporativo criado para gerenciamento e interface das evidências dos treinamentos da UNF, com foco nas empresas

Leia mais

C d a as a t s r t o r o d e p ro r d o uto t s o s por o r re r f e e f rê r ncia

C d a as a t s r t o r o d e p ro r d o uto t s o s por o r re r f e e f rê r ncia Cadastro de produtos por referência Varejo - Vestuário 1 Cadastro de produtos por referência Objetivo: Cadastrar, alterar e excluir produtos que pertencem a uma mesma grade (referência), isto é, diferenciam-se

Leia mais

1 Criptografando arquivos em um arquivo zip com o menu de contexto

1 Criptografando arquivos em um arquivo zip com o menu de contexto 1 Criptografando arquivos em um arquivo zip com o menu de contexto Selecione o(s) documento(s) que deseja adicionar ao arquivo.zip clicando com o botão direito sobre eles: no menu de contexto, selecione

Leia mais

MANUAL Sistema de Gerenciamento do Processo Seletivo (PRS) Programa de Aprendizagem Profissional Comercial MÓDULO EMPRESA

MANUAL Sistema de Gerenciamento do Processo Seletivo (PRS) Programa de Aprendizagem Profissional Comercial MÓDULO EMPRESA MANUAL Sistema de Gerenciamento do Processo Seletivo (PRS) Programa de Aprendizagem Profissional Comercial MÓDULO EMPRESA Índice 1. Apresentação...- 3-2. Etapas do processo...- 3-3. Acesso ao sistema para

Leia mais

TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado - Controle de Documentos e Pendência de Conta. 11.8x. março de 2015 Versão: 2.0

TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado - Controle de Documentos e Pendência de Conta. 11.8x. março de 2015 Versão: 2.0 TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado - Controle de Documentos e Pendência de Conta 11.8x março de 2015 Versão: 2.0 1 Sumário 1 Objetivos... 3 2 Controle de Documentos... 3 2.1 Cadastro de Tipos de

Leia mais

FABRICA COMO USAR A OPERAÇÃO DE FACÇÃO NA TELA DO PEDIDO DE COMPRA.

FABRICA COMO USAR A OPERAÇÃO DE FACÇÃO NA TELA DO PEDIDO DE COMPRA. FABRICA COMO USAR A OPERAÇÃO DE FACÇÃO NA TELA DO PEDIDO DE COMPRA. No Retaguarda Fabrica. HABILIATA O PARAMETRO * USAPEDCOMPRASNOREC * Veja um exemplo abaixo de um produto com duas ou mais peças (conjunto)

Leia mais

Tipos de Estágios. Estágio Obrigatório. Estágio não Obrigatório. O que é o Estágio?

Tipos de Estágios. Estágio Obrigatório. Estágio não Obrigatório. O que é o Estágio? O que é o Estágio? A atividade de estágio é um fator significativo na formação do profissional, por proporcionar a interação do aluno com a realidade da profissão e a complementação prática do aprendizado

Leia mais

PLATIN INFORMÁTICA. SIAD SNGPC Sistema Integrado de Automação de Drogarias Módulo Gestão de Medicamentos Controlado e Antimicrobianos

PLATIN INFORMÁTICA. SIAD SNGPC Sistema Integrado de Automação de Drogarias Módulo Gestão de Medicamentos Controlado e Antimicrobianos PLATIN INFORMÁTICA SIAD SNGPC Sistema Integrado de Automação de Drogarias Módulo Gestão de Medicamentos Controlado e Antimicrobianos Manual do Usuário CADASTROS DCB's Distribuidoras Laboratórios Medicamentos

Leia mais

MANUAL DO CLIENTE SISTEMA DE AGENDAMENTO ELETRÔNICO SAÚDE OCUPACIONAL

MANUAL DO CLIENTE SISTEMA DE AGENDAMENTO ELETRÔNICO SAÚDE OCUPACIONAL MANUAL DO CLIENTE SISTEMA DE AGENDAMENTO ELETRÔNICO SAÚDE OCUPACIONAL ÍNDICE: A) PARA ACESSAR A PÁGINA DA SAÚDE OCUPACIONAL B) LOGAR A PÁGINA WEB C) REALIZAR UM EXAME ADMISSIONAL D) REALIZAR UM EXAME DEMISSIONAL,

Leia mais

8 Linha Alta Pressão Linha Alta Pressão Regulagem de Detergente Montagem ASPIRAÇÃO DO DEPÓSITO INCORPORADO: 1. Encha o depósito interno como mostra a figura 1. Selecione a baixa pressão acionando a lança

Leia mais

Entrada de Mercadoria

Entrada de Mercadoria Entrada de Mercadoria Para cadastrar ou gerenciar uma Entrada de Mercadoria acesse o menu: Compras > Entrada de Mercadoria. Em seguida clique no botão 1 / 23 Dados da entrada No campo Fornecedor informe

Leia mais

TUTORIAL INTEGRAÇÃO PHARMALINK

TUTORIAL INTEGRAÇÃO PHARMALINK Sumário Apresentação... 1 1. Procedimentos Iniciais... 2 2. Configurar Integração de Dados... 3 3. Configurar Diretórios de Importação... 4 4. Configurar Diretórios de Exportação... 5 5. Configurar Agendamentos...

Leia mais

1. Tela inicial. 2. Caixa de Entrada

1. Tela inicial. 2. Caixa de Entrada Manual WebMail 1 Índice 1. Tela inicial... 3 2. Caixa de Entrada... 3 3. A pasta Lidas... 4 4. Criando sua assinatura... 4 5. Enviar Mensagens... 5 6. Anexando arquivos... 7 7. Adicionando novas pastas...

Leia mais

Protocolo de Atendimento de Clientes de Retorno de Teste e Fechamento Assistentes

Protocolo de Atendimento de Clientes de Retorno de Teste e Fechamento Assistentes Protocolo de Atendimento de Clientes de Retorno de Teste e Fechamento Assistentes Apresentado em 12 de dezembro de 2011. CLIENTES PARA RETORNO DE TESTE E FECHAMENTO Duração 45 minutos 1) CLIENTE ENTRA

Leia mais

SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO Departamento de Tecnologia da Informação tecnologia@unimeditabira.com.br 31 3839-771 3839-7712 3839-7713 Revisão 07 Itabira Novembro 2016 SUMÁRIO

Leia mais

Manual Internet Banking Associados

Manual Internet Banking Associados Manual Internet Banking Associados SÃO MIGUEL DO OESTE, MARÇO DE 2016. Página 1 de 12 Sumário MANUAL DO INTERNET BANKING ASSOCIADOS... 3 1. Acesso inicial... 3 2. Extrato de conta corrente... 4 3. Transferências

Leia mais

Esta solução é exclusiva para empresas situadas no estado de São Paulo.

Esta solução é exclusiva para empresas situadas no estado de São Paulo. Título: SP - Como realizar o cálculo do ICMS sobre estoque de mercadorias incluídas ou excluídas da Substituição Tributária conforme comunicado CAT - 26/2015? Esta solução é exclusiva para empresas situadas

Leia mais

LINKANDO (LIGANDO) AS TELAS

LINKANDO (LIGANDO) AS TELAS Apostila 7 Linguagem de Programação II Professor: Luiz Claudio Ferreira de Souza Assunto: Linguagem Pascal (Ambiente Lazarus) com Banco de Dados LINKANDO (LIGANDO) AS TELAS Como já temos algumas telas

Leia mais

Como emitir a nota? Emitir Nova NFS-e

Como emitir a nota? Emitir Nova NFS-e Aqui se dá o começo do processo de criação da nota fiscal de serviço eletrônica. Como a Prefeitura é que gera a NFS-e, o que será feito é um RPS, com todas as informações da nota, que serão enviadas à

Leia mais

Oficina: Editor de Texto

Oficina: Editor de Texto Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado de Educação Secretaria Adjunta de Ensino Diretoria de Educação para Diversidade, Inclusão e Cidadania Coordenação de Tecnologia Aplicada à Educação Núcleo

Leia mais

Como configurar PIS e COFINS para cálculo de bebidas frias conforme art. 30, Decreto ?

Como configurar PIS e COFINS para cálculo de bebidas frias conforme art. 30, Decreto ? Como configurar PIS e COFINS para cálculo de bebidas frias conforme art. 30, Decreto 8.442-2015? Através desta solução, será possível configurar o cadastro de produtos para calcular os impostos PIS e COFINS,

Leia mais

Compras Exercícios. Compras Fornecedores Tópico: Solicitações de compra e ofertas de compra

Compras Exercícios. Compras Fornecedores Tópico: Solicitações de compra e ofertas de compra Compras Exercícios Unidade: Compras Fornecedores Tópico: Solicitações de compra e ofertas de compra No final deste exercício, você deverá estar apto a: Criar uma solicitação de compra Criar um pedido de

Leia mais

Tutorial. Edição de DBF usando Excel e Access. Autores: Mauricio Schiavolin Silva, Vitor Pires Vencovsky

Tutorial. Edição de DBF usando Excel e Access. Autores: Mauricio Schiavolin Silva, Vitor Pires Vencovsky Tutorial Edição de DBF usando Excel e Access Autores: Mauricio Schiavolin Silva, Vitor Pires Vencovsky 1. INTRODUÇÃO Esse tutorial apresentará um procedimento para a edição de arquivos DBF utilizando os

Leia mais

Plataforma Indicadores de Belo Monte

Plataforma Indicadores de Belo Monte Monitoramento das Condicionantes da UHE Belo Monte para a Câmara Técnica de Monitoramento do PLANO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL SUSTENTÁVEL DO XINGU PM21 Consultores Associados Ltda. Plataforma Indicadores

Leia mais

Módulo Extranet. Manual do Usuário. Versão: 1.0 Data alteração: Autor: CY50

Módulo Extranet. Manual do Usuário. Versão: 1.0 Data alteração: Autor: CY50 Módulo Extranet Manual do Usuário Versão: 1.0 Data alteração: 18.05.16 Autor: CY50 Sumário Contatos... 3 Login... 3 Empregados ativos... 3 Ex-empregados e Dependentes AMS... 3 Realizando seu cadastro...

Leia mais

TUTORIAL ESPORTE DA ESCOLA

TUTORIAL ESPORTE DA ESCOLA Portal do Projeto PST Brasil em Convênio com o Ministério do Esporte - Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social TUTORIAL ESPORTE DA ESCOLA ORIENTAÇÕES DE CADASTRO: Coordenadores

Leia mais

Importação de dados. Importando Cupons Fiscais

Importação de dados. Importando Cupons Fiscais Conteúdo 1Introdução 2 Super Fiscal 2.1 Importação de dados 2.1.1 Importando Cupons Fiscais 2.1.1.1 eecfc 2.1.1.1.1Configuração do eecfc 2.1.1.1.2Gerar Arquivo Binário 2.1.1.1.3Gerar Arquivo Texto 2.1.1.2Importador

Leia mais

SISTEMA DE COMPRAS MINHA UFMG

SISTEMA DE COMPRAS MINHA UFMG SISTEMA DE COMPRAS MINHA UFMG MANUAL DO CADASTRO DE PEDIDOS DE COMPRAS Elaborado por: Denner Souza (FAFICH/UFMG) Acesse o portal minha.ufmg.br com seu login e senha e clique no menu Sistema de Compras

Leia mais

MANUAL DE NF-e. Rua Donato Vissechi, 417 (11) Centro José Bonifácio SP (21) CEP (61)

MANUAL DE NF-e. Rua Donato Vissechi, 417 (11) Centro José Bonifácio SP  (21) CEP (61) 1 MANUAL DE NF-e 2 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CADASTRO DE CLIENTES... 3 3. CADASTRO DE PRODUTOS... 5 IMPOSTOS... 11 4. EMISSAO DA NF-e... 14 5. EXPORTANDO ARQUIVO XML... 19 6. CARTA DE CORREÇÃO DA NF-e...

Leia mais

SPED CONTRIBUIÇÕES LUCRO PRESUMIDO - COMÉRCIO

SPED CONTRIBUIÇÕES LUCRO PRESUMIDO - COMÉRCIO 1 SPED CONTRIBUIÇÕES LUCRO PRESUMIDO - COMÉRCIO Este tutorial aborda, de forma simples e rápida, a geração do EFD-Contribuições para empresas do Lucro Presumido, com foco em REVENDA. 1. Acesse a opção

Leia mais

Passo a Passo Contribuição Sindical Patronal 2017

Passo a Passo Contribuição Sindical Patronal 2017 Passo a Passo Contribuição Sindical Patronal 2017 1º passo Verifique o CNAE Antes de dar início, observe se sua empresa se enquadra nas classificações indicadas a seguir. Somente os contribuintes com o(s)

Leia mais

2º passo: Cadastrar o Boleto de cobrança. Cadastros Financeiros Bancários Cobrança - Boletos

2º passo: Cadastrar o Boleto de cobrança. Cadastros Financeiros Bancários Cobrança - Boletos A seguir, vamos mostrar como configurar, cadastrar, gerar boletos e gerar/ receber remessas de boletos bancários. Os boletos bancários poderão ser gerados para qualquer lançamento de contas a receber.

Leia mais

Service Center Manual para Envio de Documentos Fiscais de Serviços

Service Center Manual para Envio de Documentos Fiscais de Serviços Service Center Manual para Envio de Documentos Fiscais de Serviços (01/09/2016) 1 2 Introdução Envio de Documentos Fiscais Objetivo O envio de documentos fiscais de serviços, através do Service Center,

Leia mais

MANUAL. Certificado de Origem Digital PERFIL EXPORTADOR. Versão

MANUAL. Certificado de Origem Digital PERFIL EXPORTADOR. Versão MANUAL Certificado de Origem Digital PERFIL EXPORTADOR Versão 2.2.15 Sumário 1. Inicializando no sistema... 3 2. Acessando o sistema... 4 3. Mensagem encaminhada pelo sistema.... 4 4. Emitindo um novo

Leia mais

Manual do sistema Imobilis

Manual do sistema Imobilis Manual do sistema Imobilis Índice 01 Cadastro de Bancos 02 02 Cadastro de Agencias 02 03 Cadastro de Contas bancárias 02 04 Parâmetros do sistema 03 05 Índices Econômicos 03 06 Plano de Contas 03 07 Proprietários

Leia mais

Passo a Passo para Solicitação de Reembolso do Benefício Farmácia - Ex-empregado ou dependente

Passo a Passo para Solicitação de Reembolso do Benefício Farmácia - Ex-empregado ou dependente Passo a Passo para Solicitação de Reembolso do Benefício Farmácia - Ex-empregado ou dependente Página 1 Introdução Os beneficiários da AMS que não se encontram como empregados ativos na Petrobras ou subsidiárias

Leia mais

Manual Coleção Interativa Papel Professor Versão 2.5.3

Manual Coleção Interativa Papel Professor Versão 2.5.3 Manual Coleção Interativa Papel Professor / 33 Manual Coleção Interativa Papel Professor Versão 2.5.3 Manual Coleção Interativa Papel Professor 2/ 33 Manual Coleção Interativa ACESSAR A COLEÇÃO INTERATIVA...

Leia mais