SISTEMA DE MONITORAMENTO METEOROLÓGICO PARA A OTIMIZAÇÃO DA OPERAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA DO SISTEMA ELÉTRICO DA BANDEIRANTE ENERGIA S.A.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DE MONITORAMENTO METEOROLÓGICO PARA A OTIMIZAÇÃO DA OPERAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA DO SISTEMA ELÉTRICO DA BANDEIRANTE ENERGIA S.A."

Transcrição

1 SISTEMA DE MONITORAMENTO METEOROLÓGICO PARA A OTIMIZAÇÃO DA OPERAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA DO SISTEMA ELÉTRICO DA BANDEIRANTE ENERGIA S.A. Carlos Augusto Morales Rodriguez 1, Jojhy Sakuragi 2, Domingos Sávio 3 e Alexander Barbosa 3 RESUMO. Este trabalho apresenta o Sistema de Monitoramento Meteorológico em Tempo Real desenvolvido para a Bandeirante Energia S.A. através de um projeto de P&D entre a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Vale Paraibana (UNIVAP). O projeto tem como objetivos o monitoramento de fenômenos meteorológicos adversos e severos (exemplo: chuvas intensas, ventos fortes, granizo, descargas atmosféricas e temperaturas extremas) que são responsáveis pela interrupção dos sistemas de uma rede de transmissão/distribuição de energia elétrica da Bandeirante Energia S.A. A partir deste conceito de monitoramento contínuo, foi desenvolvido um software aplicativo disponibilizado na internet que integra as diversas informações meteorológicas disponíveis em tempo real para auxiliar o gerenciamento, manutenção e a operação das linhas de transmissão/distribuição de energia da Bandeirante Energia S.A. ABSTRACT. This article presents the Real-Time Meteorological Monitoring System developed to the Bandeirante Energia S.A, through a joint project between Universidade de São Paulo USP and Universidade do Vale do Paraíba UNIVAP. This project aims to monitor the thunderstorms and severe weather that can cause power interruptions in the transmission and distribution lines of the Bandeirante Energia. Based on continuous measurements, a software that integrates all the meteorological information on real time has been developed to work in the internet to produce different alert levels that can help the management and maintenance of the power lines. Palavras-Chave: Tempestades, Sistemas Meteorológicos, Redes de Distribuição. INTRODUÇÃO O centro de manutenção e distribuição de energia da Bandeirante Energia S.A. vem empregando nos últimos anos as informações meteorológicas para programar as equipes de manutenção sobre a probabilidade de ocorrência de tempos severos que podem causar a interrupção de energia. A partir desta experiência, a Bandeirante Energia decidiu implementar um programa de Pesquisa & Desenvolvimento que teve por objetivo o desenvolvimento de um aplicativo que fosse capaz de integrar, de forma simples, as diversas informações meteorológicas disponíveis para o monitoramento de tempestades. Esta ferramenta seria então utilizada para a programação de equipes de manutenção bem como para o deslocamento das mesmas para locais sujeito a tempos adversos, realocar esforços necessários para a manutenção do sistema bem como o redirecionamento da transmissão e distribuição da energia para evitar danos materiais. 1 Universidade de São Paulo, USP/IAG/ACA - R. do Matão, 1226, Cidade Universitária, São Paulo, Brasil. CEP Tel: Universidade do Vale do Paraíba, UNIVAP/LabMet Av. Shishima Hifumi, 2911, Urbanova, São José dos Campos, SP, Brasil. CEP Tel: Bandeirante Energia S.A. R. Bandeira Paulista, 530, Chácara Itaim, São Paulo/SP, Brasil. CEP Tel: /

2 Em geral, várias condições atmosféricas afetam a operacionalidade das linhas de transmissão e distribuição de energia. Tais condições são comumente associadas com a presença de chuvas intensas, ventos fortes, tempestades com descargas atmosféricas, e temperaturas extremas (altas e baixas). Assim, este projeto tem como objetivo principal o desenvolvimento de um software aplicativo que integrará as diversas informações meteorológicas disponíveis em tempo real para auxiliar o gerenciamento, manutenção e a operação das linhas de transmissão de energia da Bandeirante Energia S.A. DEFINIÇÃO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO METEOROLÓGICO De forma a desenvolver um sistema que possa identificar e prognosticar a presença de tempestades sobre uma determinada região, foi necessário a sinergia de várias informações meteorológicas disponíveis na região de concessão da Bandeirante Energia. Esta integração ainda conta com o desenvolvimento de produtos que simplifiquem a sua interpretação e estejam disponíveis em tempo real e 24 horas por dia mediante acesso a internet.de posse dessas informações, foram definidos quatro módulos principais para a identificação das tempestades: a) Radar - Módulo RAD é o monitoramento da precipitação com o radar meteorológico. b) Tempo e Modelos de Previsão - Módulo TEMP Apresenta os dados das estações automáticas e as prognosticadas pelos modelos de previsão do tempo. c) Satélite - Módulo SAT Visualização das nuvens e tempestades a partir das imagens de satélite GOES sobre a região sul e sudeste do Brasil. d) Tempestades - Módulo THUND Combinação das informações do radar meteorológico e da rede de detecção de descargas atmosférica RINDAT. RESULTADOS ATUAIS Portal do Sistema de Monitoramento Meteorológico A Figura 1 apresenta o portal do projeto P&D que está disponível nos seguintes endereços: ou Neste portal estão destacados 4 gráficos centrais que auxiliam na detecção de tempestades sobre a área de concessão da Bandeirante Energia conforme a definição dos módulos feitos acima. A seguir são apresentadas as características principais de cada módulo. Módulo RAD Neste módulo, os dados de radar são geo-referenciados o que permite identificar a posição da chuva e sua intensidade. Além disso, este procedimento permitiu a elaboração automática da indicação de níveis de alertas sobre os municípios da área de concessão da Bandeirante Energia.

3 Figura 1 - Portal principal do projeto de P&D. A Figura 2 mostra a precipitação ocorrida no dia 22/03/06 às 20:34Z, aonde se observa precipitações intensas sobre o vale do Paraíba. Neste exemplo, ilustra-se o valor de precipitação sobre o município de Jacareí que era da ordem de 99 mm/h. O Usuário pode clicar sobre a imagem de forma a obter a posição e a intensidade do evento. Figura 2 - Mapa de precipitação observada pelo radar da FCTH no dia 22/03/06 às 17:34 hora local.

4 Modelos matemáticos são utilizados para índices de probabilidade de ocorrência de granizo e previsão dos deslocamentos das células para os próximos 30 minutos. Módulo TEMP Neste módulo estão disponíveis as informações meteorológicas das estações automáticas bem como os prognósticos de previsão do tempo. No presente momento, o projeto conta com 7 estações meteorológicas automáticas instaladas nos municípios de concessão da Bandeirante Energia. Os principais produtos de previsão numérica do tempo são disponibilizados também. A Figura 3 apresenta os dados meteorológicos atuais e das últimas 24 horas da estação meteorológica de Caraguatatuba. As estações automáticas realizam upload a cada 10 minutos e estas são atualizadas no portal. Figura 3: Observações da estação meteorológica automática de Caraguatatuba/SP nas últimas 24h. Módulo SAT Este módulo disponibiliza as informações do canal infravermelho termal que representa a temperatura do topo das nuvens e está associado com a altura das mesmas. Com estas informações, foi desenvolvido um algoritmo que calcula a probabilidades da ocorrência de tempestades sobre a área das nuvens em 3 categorias: baixa, moderada e alta. A vantagem deste tipo de alerta é que proporciona aos operadores uma dimensão espacial das tempestades que podem afetar a área de concessão da Bandeirante Energia. A Figura 4 apresenta a probabilidade de ocorrência de tempestades para o 29/11/05 às 10Z. Observa-se que existem baixas probabilidades de ocorrência de tempestades sobre o Paraná, norte

5 de São Paulo, Goiás, e Minas Gerais, sendo que algumas células em Goiás e Minas Gerais apresentam probabilidade Moderada. Além desta visualização gráfica, o módulo ainda adiciona as informações de alerta no portal principal, indicando na forma de texto a região ou município afetado e o índice de probabilidade correspondente. Figura 4 - Índice de tempestades via satélite sobre o sudeste do Brasil. Módulo THUND Este módulo disponibiliza as informações de descargas atmosféricas da rede RINDAT (Rede Integrada Nacional de Descargas Atmosféricas), Pinto et al. (2004), integradas com os campos de precipitação observada pelo radar da FCTH num raio de 240 km. A partir desta integração níveis de alerta são produzidos para ilustrar quais células de chuva possuem raios e em que municípios ocorrem as descargas atmosféricas. Na Figura 5 é apresentado o produto THUND para o evento do dia 29/03/06 à 07:04 UTC. Neste evento pode-se observar a distribuição de descargas atmosféricas sobre o mapa de precipitação, que cobria a região metropolitana de São Paulo, municípios ao norte e o Vale do Paraíba, sendo que em 5 minutos foram observadas 50 descargas atmosféricas. Figura 5 - Integração das descargas atmosféricas observadas pelo sistema RINDAT (pontos pretos) e os dados de chuva observados pelo radar meteorológico da FCTH.

6 BENEFÍCIOS DO PROJETO O projeto possibilita o acompanhamento de sistemas de tempo adverso que podem afetar a operação de distribuição de energia. Por exemplo: Propagação de Sistemas Precipitantes: quando os sistemas entram na área do município de concessão, o sistema dispara um alarme (município pisca), possibilitando acesso às informações de intensidade através de cores diferenciadas, previsão do sistema de diminuir ou estabilizar, tudo com uma antecipação de 10 minutos. Sendo que em uma segunda fase esta previsto até 30 minutos de antecipação. Probabilidade de Ocorrência de Granizo: diferenciação de cores e emitem alertas que indicam a probabilidade de ocorrência de granizo. Meteogramas: análise antecipada da ocorrência de chuvas para diferentes municípios da área de concessão. Além dos produtos apresentados, boletins de previsão do tempo para os próximos 5 dias são elaborados diariamente e disponibilizados no portal. Além disso, uma equipe do laboratório de meteorologia acompanha em tempo real as condições de tempo para envio de avisos específicos. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES O projeto de P&D desenvolvido pela Universidade de São Paulo e Universidade do Vale do Paraíba em conjunto com a Bandeirante Energia S.A. implementou um aplicativo de monitoramento das condições meteorológicas em tempo real. Este aplicativo disponibilizado na internet fornece informações das condições atmosféricas atuais e possibilita uma antecedência aos fatos de algumas horas ou dias da ocorrência de tempestades ou tempos adversos que possam comprometer o funcionamento e operação da Bandeirante Energia S.A. Os próximos passos a serem desenvolvidos devem incluir o geo-referenciamento das linhas de transmissão e locais de interesse da Bandeirante Energia para que sistemas de alerta sejam ativados na presença ou mesmo aproximação de tempestades. Finalmente, a continuidade dos projetos de P&D buscará o aprimoramento dos produtos já implementados, a partir da instalação de estações meteorológicas automáticas em pontos estratégicos da área de concessão, com aquisição e compilação dos dados no centro de operação da distribuição, visando maior agilidade no atendimento em condições de dias atípicos. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Pinto Jr., O., Pinto, I.R.C.A, Naccarato, K.P., Saba, M.M.F., Cazetta Filho, A., Garcia, S.,R., Beneti, C., 2004: Brazilian integrated lightning detection network RINDAT, European Lightning Detection Network, Helsinki, CD.

ABSTRACT. Palavras-chave: Aviso Meteorologia Especial, INMET, São Paulo. 1 - INTRODUÇÃO

ABSTRACT. Palavras-chave: Aviso Meteorologia Especial, INMET, São Paulo. 1 - INTRODUÇÃO Avisos Meteorológicos Especiais: Um Estudo de Caso para a Cidade de São Paulo-SP Josefa Morgana Viturino de Almeida¹; Wagner de Aragão Bezerra². 1, 2 Meteorologista, Instituto Nacional de Meteorologia

Leia mais

Sistema de Detecção de Raios

Sistema de Detecção de Raios Tela do Sistema Apresentação Fig A O "Sistema de Detecção de Raios é um sistema de computador desenvolvido em conjunto com um sensor que mede o campo elétrico das descargas atmosféricas e tem a finalidade

Leia mais

Sistema de Detecção de Raios

Sistema de Detecção de Raios Tela do Sistema Apresentação Fig A O "Sistema de Detecção de Raios é um sistema de computador desenvolvido em conjunto com um sensor que mede o campo elétrico das descargas atmosféricas e tem a finalidade

Leia mais

HELP INTERATIVO: FERRAMENTA PARA FACILITAR A OPERAÇÃO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO PELOS COD S RAGONE, JC

HELP INTERATIVO: FERRAMENTA PARA FACILITAR A OPERAÇÃO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO PELOS COD S RAGONE, JC 06 a 10 de Outubro de 2008 Olinda - PE HELP INTERATIVO: FERRAMENTA PARA FACILITAR A OPERAÇÃO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO PELOS COD S RAGONE, JC CFLCL jragone@catleo.com.br Companhia Força e Luz Cataguazes-

Leia mais

Avisos meteorológicos: Uma visão operacional do grupo de previsão do tempo do CPTEC/INPE

Avisos meteorológicos: Uma visão operacional do grupo de previsão do tempo do CPTEC/INPE Avisos meteorológicos: Uma visão operacional do grupo de previsão do tempo do CPTEC/INPE Andrade, K. M. (1), Lima, M. V. (2), Escobar, G. C. J. (3). RESUMO: Este trabalho tem como objetivo mostrar o procedimento

Leia mais

UM SISTEMA OPERACIONAL DE VISUALIZAÇÃO DE PRODUTOS METEOROLÓGICOS

UM SISTEMA OPERACIONAL DE VISUALIZAÇÃO DE PRODUTOS METEOROLÓGICOS UM SISTEMA OPERACIONAL DE VISUALIZAÇÃO DE PRODUTOS METEOROLÓGICOS José Fernando Pesquero Prakki Satyarmurty Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Leia mais

Projeto P&D. Alerta Raios. Monitoramento de Tempestades MANUAL DO SITE. Coelce Companhia Energética do Ceará. USP Universidade de São Paulo

Projeto P&D. Alerta Raios. Monitoramento de Tempestades MANUAL DO SITE. Coelce Companhia Energética do Ceará. USP Universidade de São Paulo Projeto P&D Alerta Raios Monitoramento de Tempestades MANUAL DO SITE Coelce Companhia Energética do Ceará USP Universidade de São Paulo 1. Página inicial A página inicial apresenta um cabeçalho contendo

Leia mais

ESTUDO DE DESCARGAS ELÉTRICAS ATMOSFÉRICAS NO SUL E SUDESTE DO BRASIL: ANÁLISE PRELIMINAR

ESTUDO DE DESCARGAS ELÉTRICAS ATMOSFÉRICAS NO SUL E SUDESTE DO BRASIL: ANÁLISE PRELIMINAR ESTUDO DE DESCARGAS ELÉTRICAS ATMOSFÉRICAS NO SUL E SUDESTE DO BRASIL: ANÁLISE PRELIMINAR Rosangela Barreto Biasi Gin, Augusto José Pereira Filho, Departamento de Ciências Atmosféricas-IAG, Universidade

Leia mais

Materiais e Métodos Resultados e Discussões

Materiais e Métodos Resultados e Discussões Sistema de Informações Meteorológicas e Imagens de Satelites - SIMSAT Wagner de A. Bezerra¹; Ivanete M. D. Ledo¹; Josefa Morgana Viturino de Almeida¹; Maria G. R. De Oliveira²; Kleber R. da P. Ataide¹

Leia mais

O TORNADO NA CIDADE DE MUITOS CAPÕES, RIO GRANDE DO SUL. Palavras-chave: tornado, radar meteorológico, tempestades severas.

O TORNADO NA CIDADE DE MUITOS CAPÕES, RIO GRANDE DO SUL. Palavras-chave: tornado, radar meteorológico, tempestades severas. O TORNADO NA CIDADE DE MUITOS CAPÕES, RIO GRANDE DO SUL Lizandro Oliveira Jacóbsen (1), Fernando Mendonça Mendes (2) RESUMO: As tempestades severas que causaram muitos estragos e danos no norte e nordeste

Leia mais

MESA 4 ALERTA. Mario Thadeu Leme de Barros

MESA 4 ALERTA. Mario Thadeu Leme de Barros MESA 4 MONITORAMENTO E SISTEMA DE ALERTA Mario Thadeu Leme de Barros 1 A QUESTÃO DO CONTROLE DE CHEIAS URBANAS Medidas Estruturais versus Medidas Não Estruturais 2 Medidas não estruturais que se destacam:

Leia mais

SISTEMA DE ANÁLISE E MONITORAMENTO DE TEMPESTADES ATMOSFÉRICAS PARA LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA

SISTEMA DE ANÁLISE E MONITORAMENTO DE TEMPESTADES ATMOSFÉRICAS PARA LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GOP - 05 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO IX GRUPO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS - GOP SISTEMA DE ANÁLISE E MONITORAMENTO

Leia mais

GEOTECNOLOGIAS APLICADAS AO MONITORAMENTO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS NA REGIÃO DA REDEC-I 7 DO ESTADO DE SÃO PAULO - BRASIL

GEOTECNOLOGIAS APLICADAS AO MONITORAMENTO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS NA REGIÃO DA REDEC-I 7 DO ESTADO DE SÃO PAULO - BRASIL GEOTECNOLOGIAS APLICADAS AO MONITORAMENTO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS NA REGIÃO DA REDEC-I 7 DO ESTADO DE SÃO PAULO - BRASIL Evandro Antônio Cavarsan Coordenadoria de Defesa Civil de Cabrália Paulista defesacivil@cabralia.sp.gov.br

Leia mais

SISRAIOS UM SISTEMA INTERATIVO DE ANÁLISE E VISUALIZAÇÃO DE DESCARGAS ELÉTRICAS ATMOSFÉRICAS

SISRAIOS UM SISTEMA INTERATIVO DE ANÁLISE E VISUALIZAÇÃO DE DESCARGAS ELÉTRICAS ATMOSFÉRICAS SISRAIOS UM SISTEMA INTERATIVO DE ANÁLISE E VISUALIZAÇÃO DE DESCARGAS ELÉTRICAS ATMOSFÉRICAS Cesar Beneti beneti@simepar.br Carlos Vasconcellos cav@simepar.br Instituto Tecnológico SIMEPAR Caixa Postal

Leia mais

http://www.inpe.br/elat

http://www.inpe.br/elat Pesquisador Responsável Dr. Kleber P. Naccarato kleber.naccarato@inpe.br / kleber@tempestades.org.br (12) 3029-8131 / 8112-6620 Coordenadora Operacional Iara Mazzei Trindade iara@tempestades.org.br (12)

Leia mais

Uma Plataforma para Monitoramento, Análise e Alerta de Extremos Ambientais

Uma Plataforma para Monitoramento, Análise e Alerta de Extremos Ambientais Uma Plataforma para Monitoramento, Análise e Alerta de Extremos Ambientais Eymar Silva Sampaio Lopes Pesquisador eymar@dpi.inpe.br - Workshop GEOTECNOLOGIAS DO INPE O que é o TerraMA2? 2 TerraMA2 é um

Leia mais

PROGNÓSTICO CLIMÁTICO. (Fevereiro, Março e Abril de 2002).

PROGNÓSTICO CLIMÁTICO. (Fevereiro, Março e Abril de 2002). 1 PROGNÓSTICO CLIMÁTICO (Fevereiro, Março e Abril de 2002). O Instituto Nacional de Meteorologia, órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com base nas informações de análise e prognósticos

Leia mais

Centro Virtual para Avisos de Eventos Meteorológicos Severos Manual do Usuário. 1ª REVISÃO, junho de 2013

Centro Virtual para Avisos de Eventos Meteorológicos Severos Manual do Usuário. 1ª REVISÃO, junho de 2013 Centro Virtual para Avisos de Eventos Meteorológicos Severos Manual do Usuário 1ª REVISÃO, junho de 2013 Sumário 1 - Introdução 1.1 Objetivo Sumário... 2 1 - Introdução... 4 1.1 Objetivo... 4 1.2 - Antecedentes...

Leia mais

ANÁLISE DO DESEMPENHO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO E ALERTA DE TEMPESTADES APLICADO ÀS REFINARIAS DA PETROBRAS NO PARANÁ

ANÁLISE DO DESEMPENHO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO E ALERTA DE TEMPESTADES APLICADO ÀS REFINARIAS DA PETROBRAS NO PARANÁ ANÁLISE DO DESEMPENHO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO E ALERTA DE TEMPESTADES APLICADO ÀS REFINARIAS DA PETROBRAS NO PARANÁ Marco A. R. Jusevicius 1, Cesar A. A. Beneti 1, Leonardo Calvetti 1 RESUMO: Este

Leia mais

Manual do usuário. Acesso ao GEFAU

Manual do usuário. Acesso ao GEFAU Manual do usuário Acesso ao GEFAU Fev/2015 GEFAU PORTAL DO EMPREENDEDOR Conteúdo Introdução... 2 1. Acesso ao GEFAU... 3 2. Cadastro de empreendimentos... 5 2.1. Consulta aos empreendimentos do usuário...

Leia mais

PID Melhoria na Gestão dos Prazos de Atendimento. Vanessa M. M. Feldmann Milton Biral Filho Rosária Di Gangi CPFL Paulista CPFL Paulista CPFL Paulista

PID Melhoria na Gestão dos Prazos de Atendimento. Vanessa M. M. Feldmann Milton Biral Filho Rosária Di Gangi CPFL Paulista CPFL Paulista CPFL Paulista XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil PID Melhoria na Gestão dos Prazos de Atendimento Vanessa M. M. Feldmann Milton Biral

Leia mais

SpinCom Telecom & Informática

SpinCom Telecom & Informática Rastreador GPS/GSM modelo Com as fortes demandas por segurança e gestão de frota, a SpinCom, acaba de lançar o rastreador GPS/GSM modelo. O rastreador é indicado para aplicações de rastreamento de automóveis,

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GTL 16 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO PARA SISTEMAS

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA AUTOMÁTICO DE MONITORAMENTO METEOROLÓGICO

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA AUTOMÁTICO DE MONITORAMENTO METEOROLÓGICO DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA AUTOMÁTICO DE MONITORAMENTO METEOROLÓGICO Éder P. Vendrasco1; Carlos F. Angelis1; Edson T. Branco2; Caetano T. Lo Ré2; Marcelo Santos2 1 Divisão de Satélites e Sistemas Ambientais

Leia mais

Análise das condições atmosféricas durante evento extremo em Porto Alegre - RS

Análise das condições atmosféricas durante evento extremo em Porto Alegre - RS Análise das condições atmosféricas durante evento extremo em Porto Alegre - RS Madson T. Silva 1, Vicente de P.R da Silva 2, Julliana L. M. Freire 3, Enilson P. Cavalcanti 4 1 Doutorando em Meteorologia,

Leia mais

SISTEMA DE ALERTA. por. Prof. Dr. Ademar Cordero, Engenheiro Hidrólogo Prof. MSc. Dirceu Luís Severo, Meteorologista

SISTEMA DE ALERTA. por. Prof. Dr. Ademar Cordero, Engenheiro Hidrólogo Prof. MSc. Dirceu Luís Severo, Meteorologista SISTEMA DE ALERTA por Prof. Dr. Ademar Cordero, Engenheiro Hidrólogo Prof. MSc. Dirceu Luís Severo, Meteorologista 1 a Parte. O MONITORAMENTO DOS NIVEIS E DA CHUVA 1.1 - Histórico Após a ocorrência da

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO IX GRUPO DE ESTUDO DE OPERACAO DE SISTEMAS ELETRICOS GOP

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO IX GRUPO DE ESTUDO DE OPERACAO DE SISTEMAS ELETRICOS GOP SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GOP 15 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO IX GRUPO DE ESTUDO DE OPERACAO DE SISTEMAS ELETRICOS GOP ANÁLISE METEOROLOGICA

Leia mais

Usos de Imagens de Satélite, Estimativa Quantitativa de Precipitação e Previsão de Precipitação a Curto Prazo pela Agência de Meteorologia do Japão

Usos de Imagens de Satélite, Estimativa Quantitativa de Precipitação e Previsão de Precipitação a Curto Prazo pela Agência de Meteorologia do Japão Usos de Imagens de Satélite, Estimativa Quantitativa de Precipitação e Previsão de Precipitação a Curto Prazo pela Agência de Meteorologia do Japão 26 de Fevereiro de 2014 Departamento de Previsão, Divisão

Leia mais

PREVISÃO DO TEMPO PARA O MUNICÍPIO DE RIO DO SUL-SC

PREVISÃO DO TEMPO PARA O MUNICÍPIO DE RIO DO SUL-SC PREVISÃO DO TEMPO PARA O MUNICÍPIO DE RIO DO SUL-SC Gean Carlos CANAL 1 ; Leonardo de Oliveira NEVES 2 ; Isaac Weber PITZ 3 ; Gustavo SANGUANINI 4 1 Bolsista interno IFC; 2 Orientador; 3 Graduando Agronomia;

Leia mais

PROJETO OCEANOP INFORMAÇÕES METEOROLÓGICAS PARA REGIÃO OCEÂNICA DO BRASIL

PROJETO OCEANOP INFORMAÇÕES METEOROLÓGICAS PARA REGIÃO OCEÂNICA DO BRASIL PROJETO OCEANOP INFORMAÇÕES METEOROLÓGICAS PARA REGIÃO OCEÂNICA DO BRASIL Angelo Barcelos BARBARIOLI 1, César Henrique de Assis RIBEIRO 1 & Luiz Silva do COUTO 1 RESUMO O monitoramento permanente de parâmetros

Leia mais

Análise comparativa de imagens de radar meteorológico e de campos de densidade de descargas elétricas atmosféricas para eventos convectivos severos

Análise comparativa de imagens de radar meteorológico e de campos de densidade de descargas elétricas atmosféricas para eventos convectivos severos Análise comparativa de imagens de radar meteorológico e de campos de densidade de descargas elétricas atmosféricas para eventos convectivos severos Mirian Caetano, Augusto Brandão D'Oliveira, César Strauss,

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO MORFOLÓGICA DAS TEMPESTADES NA REGIÃO SUDESTE DA AMÉRICA DO SUL NO VERÃO DE 2006

CARACTERIZAÇÃO MORFOLÓGICA DAS TEMPESTADES NA REGIÃO SUDESTE DA AMÉRICA DO SUL NO VERÃO DE 2006 CARACTERIZAÇÃO MORFOLÓGICA DAS TEMPESTADES NA REGIÃO SUDESTE DA AMÉRICA DO SUL NO VERÃO DE 2006 Lucia Iracema Chipponelli Pinto 1 Diego Simões Fernandes² 1 Centro de Ciências do Sistema Terrestre/Instituto

Leia mais

Desastres Naturais: causas e relações com as mudanças climáticas

Desastres Naturais: causas e relações com as mudanças climáticas Desastres Naturais: causas e relações com as mudanças climáticas Luiz Augusto Toledo Machado Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) Luiz.Machado@cptec.inpe.br

Leia mais

PROGNÓSTICO TRIMESTRAL Agosto-Setembro-Outubro de 2003. Prognóstico Trimestral (Agosto-Setembro-Outubro de 2003).

PROGNÓSTICO TRIMESTRAL Agosto-Setembro-Outubro de 2003. Prognóstico Trimestral (Agosto-Setembro-Outubro de 2003). 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Instituto Nacional de Meteorologia INMET Endereço: Eixo Monumental VIA S1 Telefone: + 55 61 344.3333/ Fax:+ 55 61 344.0700 BRASÍLIA / DF - CEP:

Leia mais

José A. Totti Diretor Florestal - Klabin S.A.

José A. Totti Diretor Florestal - Klabin S.A. SISTEMA DE CONTROLE LOGÍSTICO DE FROTAS DE CAMINHÕES FLORESTAIS José A. Totti Diretor Florestal - Klabin S.A. 1. RESUMO O desenvolvimento da tecnologia contribuiu para a evolução da gestão e dos controles

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB PARA VISUALIZAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DOS DADOS CLIMATOLÓGICOS DO CPTEC/INPE

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB PARA VISUALIZAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DOS DADOS CLIMATOLÓGICOS DO CPTEC/INPE DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB PARA VISUALIZAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DOS DADOS CLIMATOLÓGICOS DO CPTEC/INPE Luciana Maria de Castro Mira¹, Bianca Antunes de S. R. Alves 2, Ana Paula Tavares 3, Luíz Henrique

Leia mais

ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3

ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3 ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3 Solução da Elipse Software apresenta rápida integração com os equipamentos da subestação localizada em

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DADOS COLETADOS POR PCD S: MÓDULOS DE VENTO, TEMPERATURA E UMIDADE RELATIVA DO AR E RADIAÇÃO SOLAR

DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DADOS COLETADOS POR PCD S: MÓDULOS DE VENTO, TEMPERATURA E UMIDADE RELATIVA DO AR E RADIAÇÃO SOLAR DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DADOS COLETADOS POR PCD S: MÓDULOS DE VENTO, TEMPERATURA E UMIDADE RELATIVA DO AR E RADIAÇÃO SOLAR Mario Rodrigues Pinto de Sousa Filho FUNCEME Fortaleza mario.rodrigues@funceme.br

Leia mais

Gil Carlos R. Medeiros Mauricio Nunes Porto. Universidade Federal de Pelotas

Gil Carlos R. Medeiros Mauricio Nunes Porto. Universidade Federal de Pelotas 768 FACILIDADE DE ACESSO À IMAGENS METEOROLóGICAS Gil Carlos R. Medeiros Mauricio Nunes Porto Universidade Federal de Pelotas RESUMO Apresenta-se um sistema para multiplicação de acesso imediato e controlado

Leia mais

Área de Distribuição e Comercialização Identificação do Trabalho: BR-13 São Paulo, Brasil, Setembro de 2002.

Área de Distribuição e Comercialização Identificação do Trabalho: BR-13 São Paulo, Brasil, Setembro de 2002. COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL IV CIERTEC SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE AUTOMAÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA E CENTROS DE CONTROLE Área de Distribuição e Comercialização Identificação

Leia mais

REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores

REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores SISTEMA SICES Rewind e SI.ces MO.nitoring NE.twork (SI.MO.NE.) Sistema de monitoramento remoto REWIND Rewind é um módulo microprocessado

Leia mais

APLICAÇÕES DO SOFTWARE ELIPSE E3 PARA SUPERVISIONAR DIFERENTES AUTOMAÇÕES DO PARQUE FABRIL DA RANDON

APLICAÇÕES DO SOFTWARE ELIPSE E3 PARA SUPERVISIONAR DIFERENTES AUTOMAÇÕES DO PARQUE FABRIL DA RANDON APLICAÇÕES DO SOFTWARE ELIPSE E3 PARA SUPERVISIONAR DIFERENTES AUTOMAÇÕES DO PARQUE FABRIL DA RANDON Este case apresenta a utilização do E3 para monitorar os processos de abastecimento de água, tratamento

Leia mais

SENDI 2004 XVI SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

SENDI 2004 XVI SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SENDI 2004 XVI SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA 467 METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DE CORRELAÇÃO ENTRE INTERRUPÇÕES E CAUSAS EM SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA C. C. B. de

Leia mais

CoIPe Telefonia com Tecnologia

CoIPe Telefonia com Tecnologia CoIPe Telefonia com Tecnologia A proposta Oferecer sistema de telefonia digital com tecnologia que possibilita inúmeras maneiras de comunicação por voz e dados, integrações, recursos e abertura para customizações.

Leia mais

Plataforma Integrada de Gestão e Accionamento de Cenários

Plataforma Integrada de Gestão e Accionamento de Cenários , Plataforma Integrada de Gestão e Accionamento de Cenários Cláudia Paixão A Ilha da Madeira apresenta um conjunto de riscos específicos entre os quais se destacam: Movimentação de Massas Cheias Rápidas

Leia mais

Manual do Data Logger Perceptec DL12 One Way. Descartável

Manual do Data Logger Perceptec DL12 One Way. Descartável Manual do Data Logger Perceptec DL12 One Way Descartável Conteúdo: 1 - Apresentação 2 - Características 3 - Instalação do sistema 4 - Funcionamento 5 - Especificações 6 - Certificado de Garantia 7 - Certificado

Leia mais

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PREVISÃO METEOROLÓGICA E MONITORAMENTO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PREVISÃO METEOROLÓGICA E MONITORAMENTO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PREVISÃO METEOROLÓGICA E MONITORAMENTO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS Cesar Augustus Assis Beneti Eduardo Alvim Leite Instituto Tecnológico SIMEPAR

Leia mais

Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento

Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento Um Único Dispositivo para Monitoramento e Controle Há várias formas de melhorar a eficiência e a confiabilidade

Leia mais

Manual de Usuário INDICE

Manual de Usuário INDICE Manual de Usuário INDICE Características do Sistema... 02 Características Operacionais... 03 Realizando o Login... 04 Menu Tarifador... 05 Menu Relatórios... 06 Menu Ferramentas... 27 Menu Monitor... 30

Leia mais

SISTEMA DE MONITORAMENTO DE CONDIÇÕES CLIMÁTICAS

SISTEMA DE MONITORAMENTO DE CONDIÇÕES CLIMÁTICAS SISTEMA DE MONITORAMENTO DE CONDIÇÕES CLIMÁTICAS SUMÁRIO 1 Introdução...5 2 Sistema de monitoramento climático Ressonare...7 2.1 A rede de monitoramento...8 2.2 A coleta, o armazenamento e o acesso aos

Leia mais

PREVISÃO DE TEMPO POR ENSEMBLE: AVALIAÇÃO PRELIMINAR DE UM EVENTO DE TEMPO SEVERO

PREVISÃO DE TEMPO POR ENSEMBLE: AVALIAÇÃO PRELIMINAR DE UM EVENTO DE TEMPO SEVERO PREVISÃO DE TEMPO POR ENSEMBLE: AVALIAÇÃO PRELIMINAR DE UM EVENTO DE TEMPO SEVERO Antônio Marcos Mendonça 1, Alessandro Sarmento Cavalcanti 2, Antônio do Nascimento Oliveira 2, Fábio Hochleitner 2, Patrícia

Leia mais

SÃO LEOPOLDO - RS SEMINÁRIO TÉCNICO DE AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO

SÃO LEOPOLDO - RS SEMINÁRIO TÉCNICO DE AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO 01 DEZEMBRO 2005 SÃO LEOPOLDO - RS SEMINÁRIO TÉCNICO DE AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO SCAI Automação Ltda. INSTRUMENTAÇÃO NÍVEL PRESSÃO VAZÃO GRANDEZAS

Leia mais

2010-2014 NUVEM TECNOLOGIA LTDA. WWW.NUVEM.NET

2010-2014 NUVEM TECNOLOGIA LTDA. WWW.NUVEM.NET Sediada em Cuiabá, Mato Grosso, a Nuvem Tecnologia Ltda desenvolve softwares para empresas de médio e grande porte no centro-oeste do país. A partir do know-how adquirido sobre rastreabilidade, lançou

Leia mais

O Sistema de Monitoramento Hidrológico dos Reservatórios Hidrelétricos Brasileiros

O Sistema de Monitoramento Hidrológico dos Reservatórios Hidrelétricos Brasileiros O Sistema de Monitoramento Hidrológico dos Reservatórios Hidrelétricos Brasileiros Carlos Alexandre Cernach Silveira 2 Gabrielle Rodrigues de Macedo 2 Ludimila Lima da Silva 1 Mauro Silvio Rodrigues 2

Leia mais

INFORME SOBRE O VERÃO 2014-2015

INFORME SOBRE O VERÃO 2014-2015 INFORME SOBRE O VERÃO 2014-2015 1. INTRODUÇÃO A estação do verão inicia-se no dia 21 de dezembro de 2014 às 20h03 e vai até as 19h45 do dia 20 de março de 2015. No Paraná, historicamente, ela é bastante

Leia mais

INFORMATIVO CLIMÁTICO

INFORMATIVO CLIMÁTICO GOVERNO DO MARANHÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO NÚCLEO GEOAMBIENTAL LABORATÓRIO DE METEOROLOGIA INFORMATIVO CLIMÁTICO MARANHÃO O estabelecimento do fenômeno El Niño - Oscilação Sul (ENOS) e os poucos

Leia mais

RECURSOS NATURAIS SISTEMA ANEXO B APÊNDICE 1 ADENDA H RECURSOS NATURAIS - ATMOSFERA. Estratégia Nacional para o Mar 2013-2020 A-A-1

RECURSOS NATURAIS SISTEMA ANEXO B APÊNDICE 1 ADENDA H RECURSOS NATURAIS - ATMOSFERA. Estratégia Nacional para o Mar 2013-2020 A-A-1 RECURSOS NATURAIS SISTEMA ANEXO B APÊNDICE 1 ADENDA H RECURSOS NATURAIS - ATMOSFERA Estratégia Nacional para o Mar 2013-2020 A-A-1 Estratégia Nacional para o Mar 2013-2020 B-1-H-2 RECURSOS NATURAIS (ATMOSFERA)

Leia mais

AVALIAÇÃO DE REDES DE SENSORES SEM FIO COMO FERRAMENTA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE ALERTAS ANTECIPADOS DE EMERGÊNCIAS NO ESTADO DA PARAÍBA

AVALIAÇÃO DE REDES DE SENSORES SEM FIO COMO FERRAMENTA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE ALERTAS ANTECIPADOS DE EMERGÊNCIAS NO ESTADO DA PARAÍBA AVALIAÇÃO DE REDES DE SENSORES SEM FIO COMO FERRAMENTA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE ALERTAS ANTECIPADOS DE EMERGÊNCIAS NO ESTADO DA PARAÍBA BRITO 1, Antônio Cavalcanti CARVALHO 2, Fabricio Braga Soares MARINHO

Leia mais

Características Climáticas da Primavera

Características Climáticas da Primavera Previsão Climática para a Primavera/2013 Data da Previsão: 16/09/2013 Duração da Primavera: 22/09/2013(17h44min) a 21/12/2013 (14h11min*) *Não acompanha o horário de verão Características Climáticas da

Leia mais

ELIPSE E3 REDUZ AS DESPESAS DA COGERH COM MANUTENÇÃO E CONSUMO DE ÁGUA

ELIPSE E3 REDUZ AS DESPESAS DA COGERH COM MANUTENÇÃO E CONSUMO DE ÁGUA ELIPSE E3 REDUZ AS DESPESAS DA COGERH COM MANUTENÇÃO E CONSUMO DE ÁGUA Controle disponibilizado pela solução da Elipse Software contribuiu para que a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos - COGERH

Leia mais

MONITORAMENTO E EVOLUÇÃO DE DESCARGAS ELÉTRICAS ATMOSFÉRICAS ASSOCIADAS A SISTEMAS CONVECTIVOS DE MESOESCALA

MONITORAMENTO E EVOLUÇÃO DE DESCARGAS ELÉTRICAS ATMOSFÉRICAS ASSOCIADAS A SISTEMAS CONVECTIVOS DE MESOESCALA MONITORAMENTO E EVOLUÇÃO DE DESCARGAS ELÉTRICAS ATMOSFÉRICAS ASSOCIADAS A SISTEMAS CONVECTIVOS DE MESOESCALA Suzana Rodrigues Macedo, Wagner Flauber Araújo Lima, Luiz Augusto Toledo Machado Divisão de

Leia mais

MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA SAFRA DE VERÃO NO ANO AGRÍCOLA 2008/2009 NO PARANÁ

MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA SAFRA DE VERÃO NO ANO AGRÍCOLA 2008/2009 NO PARANÁ MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA SAFRA DE VERÃO NO ANO AGRÍCOLA 2008/2009 NO PARANÁ JONAS GALDINO 1, WILIAN DA S. RICCE 2, DANILO A. B. SILVA 1, PAULO H. CARAMORI 3, ROGÉRIO T. DE FARIA 4 1 Analista de Sistemas,

Leia mais

1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp)

1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp) SUMÁRIO 1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp)... 3 2 REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA... 4 3 ACESSO AO SISTEMA (ATORES: TRANSPES/ CLIENTE)... 5 4 PRIMEIROS PASSOS (CADASTROS)... 7 4.1 Cadastros de

Leia mais

ANÁLISE DE TEMPESTADES SEVERAS COM O SOFTWARE TITAN USANDO OS DADOS DO RADAR METEOROLÓGICO DE BAURU

ANÁLISE DE TEMPESTADES SEVERAS COM O SOFTWARE TITAN USANDO OS DADOS DO RADAR METEOROLÓGICO DE BAURU ANÁLISE DE TEMPESTADES SEVERAS COM O SOFTWARE TITAN USANDO OS DADOS DO RADAR METEOROLÓGICO DE BAURU Adelmo Antonio Correia 1 e José Carlos Figueiredo Resumo: Este trabalho visa analisar ocorrência de precipitação

Leia mais

ori Portaria á su R al Time e U o dlauna M

ori Portaria á su R al Time e U o dlauna M M a nua ld o Usu á roi Portaria Re al Time Sumário Introdução... Especificações... 3 3 Ilustrações Portaria RT sem descarga de coletor... Portaria RT com descarga de coletor... Portaria RT TCP/IP... Portaria

Leia mais

PIMS Process Information Management System

PIMS Process Information Management System INTRODUÇÃO O setor industrial vem sofrendo constantes pressões para alcançar a excelência operacional, objetivando garantir sua competitividade. Algumas das principais pressões observadas são: redução

Leia mais

Nº 170908. www.ipt.br

Nº 170908. www.ipt.br COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 170908 MITS: módulo ITS; trabalho IPT/ARTESP; módulo de informações do ITS, sistema de apoio à fiscalização Maria Rosilene Ferreira Trabalho apresentado no Seminário Sistemas Inteligentes

Leia mais

RESULTADOS DO P&D SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS E OPERATIVAS NA AES ELETROPAULO. 1 Contato: lidia.stateri@aes.com +55 (11) 2195-1131

RESULTADOS DO P&D SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS E OPERATIVAS NA AES ELETROPAULO. 1 Contato: lidia.stateri@aes.com +55 (11) 2195-1131 1 Contato: lidia.stateri@aes.com +55 (11) 2195-1131 RESULTADOS DO P&D SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS E OPERATIVAS NA AES ELETROPAULO Lídia da Costa Stateri AES Eletropaulo Edson Pereira dos Santos

Leia mais

Copyright 2011 OSIsoft, LLC 1

Copyright 2011 OSIsoft, LLC 1 1 PI System na CEMIG Presented by André Cavallari Wantuil D. Teixeira Agenda Institucional; Implantação do PI System na CEMIG; Hidrologia e Planejamento Energético; CMDR - Centro de Monitoramento e Diagnóstico

Leia mais

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL Solução Tecnologia Monitoramento Instalação SOLUÇÃO A solução de rastreamento Unepxmil foi desenvolvida para atender as principais necessidades

Leia mais

Manual de Usuário Versão 3.0

Manual de Usuário Versão 3.0 Manual de Usuário Versão 3.0 Objetivo Este Manual de Usuário é destinado a todos os usuários do website VisionLink que necessitam monitorar localização, horímetro e condições vitais do equipamento: Clientes

Leia mais

Software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP

Software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP Software de segurança em redes para monitoração de pacotes em uma conexão TCP/IP Paulo Fernando da Silva psilva@senior.com.br Sérgio Stringari stringari@furbbr Resumo. Este artigo apresenta a especificação

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA DA ZONA LESTE DE SÃO PAULO, UM EXEMPLO DE INTERAÇÃO ENTRE A EACH-USP E O BAIRRO JARDIM KERALUX

CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA DA ZONA LESTE DE SÃO PAULO, UM EXEMPLO DE INTERAÇÃO ENTRE A EACH-USP E O BAIRRO JARDIM KERALUX CARACTERIZAÇÃO CLIMÁTICA DA ZONA LESTE DE SÃO PAULO, UM EXEMPLO DE INTERAÇÃO ENTRE A EACH-USP E O BAIRRO JARDIM KERALUX Rita Yuri Ynoue Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo.

Leia mais

esip- Sistema Integrado de Processo

esip- Sistema Integrado de Processo esip- Sistema Integrado de Processo Geração Distribuição Transmissão www.ecilenergia.com.br Integração dos dispositivos da SE na rede do esip Criação de uma Base de Dados Unificada Otimização no Deslocamento

Leia mais

Prognos SMART OPTIMIZATION

Prognos SMART OPTIMIZATION Prognos SMART OPTIMIZATION A resposta aos seus desafios Menos estimativas e mais controlo na distribuição A ISA desenvolveu um novo software que permite o acesso a dados remotos. Através de informação

Leia mais

SPMSAT - APLICATIVO PARA ESTUDOS DE SISTEMAS PRECIPITANTES DE MESOESCALA UTILIZANDO IMAGENS DE SATÉLITE

SPMSAT - APLICATIVO PARA ESTUDOS DE SISTEMAS PRECIPITANTES DE MESOESCALA UTILIZANDO IMAGENS DE SATÉLITE SPMSAT - APLICATIVO PARA ESTUDOS DE SISTEMAS PRECIPITANTES DE MESOESCALA UTILIZANDO IMAGENS DE SATÉLITE ANATOLI STAROSTIN PAULO ROBERTO PELUFO FOSTER 1 ROSELI GUETHS GOMES 1 VLADAIR MORALES DE OLIVEIRA

Leia mais

ANÁLISE DE UM CASO DE CHUVA INTENSA NO SERTÃO ALAGOANO NO DIA 19 DE JANEIRO DE 2013

ANÁLISE DE UM CASO DE CHUVA INTENSA NO SERTÃO ALAGOANO NO DIA 19 DE JANEIRO DE 2013 ANÁLISE DE UM CASO DE CHUVA INTENSA NO SERTÃO ALAGOANO NO DIA 19 DE JANEIRO DE 2013 Ricardo Antonio Mollmann Junior 1, Natalia Parisotto Sinhori 1, Yasmin Uchôa da Silva 1, Heliofábio Barros Gomes¹, Rosiberto

Leia mais

Controle e Corte Emergencial de Cargas com Recomposição Automática Através do Sistema SCADA BRASIL

Controle e Corte Emergencial de Cargas com Recomposição Automática Através do Sistema SCADA BRASIL Controle e Corte Emergencial de Cargas com Recomposição Automática Através do Sistema SCADA MONTENEGRO, J. C. F. S. (José Carlos de França e Silva Montenegro) BANDEIRANTE BRASIL MARQUES, R. (Rogério Marques)

Leia mais

Relatório da prática/proposta

Relatório da prática/proposta Relatório da prática/proposta 1.Nome da pratica/ proposta inovadora: Projeto de Digitalização de Imagens Radiológicas na Rede Pública de Saúde de Naviraí 2.Caracterização da situação anterior: O município

Leia mais

TEMPESTADES E TEMPO SEVERO DURANTE O EXPERIMENTO CHUVA-GLM VALE DO PARAÍBA

TEMPESTADES E TEMPO SEVERO DURANTE O EXPERIMENTO CHUVA-GLM VALE DO PARAÍBA TEMPESTADES E TEMPO SEVERO DURANTE O EXPERIMENTO CHUVA-GLM VALE DO PARAÍBA Rachel ALBRECHT 1*, Carlos MORALES 2, Enrique MATTOS 1, Thiago BISCARO 1, Luiz MACHADO 1, Evandro ANSELMO 2, João NEVES 2 1 CPTEC/INPE

Leia mais

Estudo de caso de um sistema frontal atuante na cidade de Salvador, Bahia

Estudo de caso de um sistema frontal atuante na cidade de Salvador, Bahia Estudo de caso de um sistema frontal atuante na cidade de Salvador, Bahia Fernanda Gonçalves Rocha 1 ; Maria Regina da Silva Aragão 2 1 Bolsista (CNPq), Programa de Pós-graduação em Meteorologia/DCA/UFCG,

Leia mais

Sistema CarOnline365 S I S T E M A D E O R Ç A M E N TA Ç Ã O E G E R E N C I A M E N T O PA R A O F I C I N A S E C O N C E S S I O N Á R I A S

Sistema CarOnline365 S I S T E M A D E O R Ç A M E N TA Ç Ã O E G E R E N C I A M E N T O PA R A O F I C I N A S E C O N C E S S I O N Á R I A S Sistema CarOnline365 S I S T E M A D E O R Ç A M E N TA Ç Ã O E G E R E N C I A M E N T O PA R A O F I C I N A S E C O N C E S S I O N Á R I A S Módulos do Sistema CarOnline365 Orçamentos Ordens de Serviço

Leia mais

Sistema de alerta para deslizamantos. Alberto Ortigao

Sistema de alerta para deslizamantos. Alberto Ortigao Sistema de alerta para deslizamantos Alberto Ortigao Laranjeiras 1966 Chuva 140 mm/24 h 190 mortes Criação da GeoRio 1711 Duguay-Trouin 1966 1967 1988 1996 Chuvas intensas Po Shan 1977 150 mortes GEO Venezuela

Leia mais

Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica. Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com.

Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica. Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com. 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com.br RESUMO A tele-medição de

Leia mais

Utilização de imagens de satélite e modelagem numérica para determinação de dias favoráveis a dispersão de poluentes.

Utilização de imagens de satélite e modelagem numérica para determinação de dias favoráveis a dispersão de poluentes. Utilização de imagens de satélite e modelagem numérica para determinação de dias favoráveis a dispersão de poluentes. Claudinéia Brazil Saldanha Rita de Cássia Marques Alves Centro Estadual de Pesquisas

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Instituto Nacional de Meteorologia INMET Coordenação Geral de Agrometeorologia

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Instituto Nacional de Meteorologia INMET Coordenação Geral de Agrometeorologia 1 PROGNÓSTICO DE ESTAÇÃO PARA A PRIMAVERA DE 2003 TRIMESTRE Outubro-Novembro-Dezembro. A primavera começa neste ano às 07:47h do dia 23 de setembro e vai até 05:04h (horário de Verão) de Brasília, do dia

Leia mais

Implantação de sistema computacional aplicado a informações meteorológicas para internet.

Implantação de sistema computacional aplicado a informações meteorológicas para internet. Autor: Irene Cristina Pereira Corrêa Orientador(a): Júlia Clarinda Paiva Cohen Co-orientador: Paulo Afonso Fischer Kuhn Filiação: Curso de Meteorologia / Universidade Federal do Pará E-mail: irenecristinacorrea@hotmail.com

Leia mais

1. Objetivo do Projeto

1. Objetivo do Projeto PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS VISNET - INTERNET E COMUNICAÇÃO Desenvolvimento de Site para CDL 1. Objetivo do Projeto O CDL Online é o mais novo sistema interativo especialmente projetado para criar

Leia mais

Soluções de Gerenciamento de Clientes e de Impressão Universal

Soluções de Gerenciamento de Clientes e de Impressão Universal Soluções de Gerenciamento de Clientes e de Impressão Universal Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada nos Estados Unidos da Microsoft Corporation.

Leia mais

Monitoramento da Qualidade do Ar em Juiz de Fora MG

Monitoramento da Qualidade do Ar em Juiz de Fora MG UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DE LETRAS DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS LABORATÓRIO DE CLIMATOLOGIA E ANÁLISE AMBIENTAL Monitoramento da Qualidade do Ar em Juiz de Fora

Leia mais

GERENCIAMENTO DA TAXA DE CORROSÃO POR CUPONS POR PERDA DE MASSA CUPONNET. Elcione Simor PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS

GERENCIAMENTO DA TAXA DE CORROSÃO POR CUPONS POR PERDA DE MASSA CUPONNET. Elcione Simor PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS GERENCIAMENTO DA TAXA DE CORROSÃO POR CUPONS POR PERDA DE MASSA CUPONNET Elcione Simor PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS André Pereira Novais INFOTEC CONSULTORIA & PLANEJAMENTO 6 COTEQ Conferência sobre

Leia mais

Nota de Aplicação Como utilizar o controlador HX como conversor CODI ABNT para MODBUS RTU ou TCP / IP

Nota de Aplicação Como utilizar o controlador HX como conversor CODI ABNT para MODBUS RTU ou TCP / IP Nota de Aplicação Como utilizar o controlador HX como conversor CODI ABNT para MODBUS RTU ou TCP / IP É utilizar os controladores HX600 / 900 / 901 como conversor CODI ABNT para MODBUS. Schneider Electric

Leia mais

NOTA TÉCNICA MANUTENÇÃO DA PRODUÇÃO DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A POPULAÇÃO DA RMSP

NOTA TÉCNICA MANUTENÇÃO DA PRODUÇÃO DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A POPULAÇÃO DA RMSP NOTA TÉCNICA MANUTENÇÃO DA PRODUÇÃO DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A POPULAÇÃO DA RMSP O abastecimento da RMSP foi concebido para atuação integrada entre seus sistemas produtores, buscando sempre a sinergia

Leia mais

Tecnologia e Comércio de Equipamentos Eletrônicos LTDA PORTAL DE TELEMETRIA SYSTEMTEK PARA GERENCIAMENTO DE FROTAS

Tecnologia e Comércio de Equipamentos Eletrônicos LTDA PORTAL DE TELEMETRIA SYSTEMTEK PARA GERENCIAMENTO DE FROTAS PORTAL DE TELEMETRIA SYSTEMTEK PARA GERENCIAMENTO DE FROTAS Características Design inovador Controle de acesso Permite criar usuários com senhas podendo-se definir no sistema quais as funcionalidades cada

Leia mais

RICS. Remote Integrated Control System Release 2.76. Apresentação do Produto

RICS. Remote Integrated Control System Release 2.76. Apresentação do Produto RICS Remote Integrated Control System Release 2.76 Apresentação do Produto Índice Informações Principais Instalação do RICS Configuração do RICS Introdução Capítulo I Requisitos dos Instrumentos Requisitos

Leia mais

Gerencie Carteira - PF

Gerencie Carteira - PF Gerencie Carteira - PF Mais negócios para a sua empresa, com melhor resultado e o risco sob controle. Manual do Produto Manual do Produto 1 Índice Produto 02 Meio de acesso 02 Carteira de Clientes Pessoa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS LABORATÓRIO DE ANÁLISE AMBIENTAL E GEOESPACIAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS LABORATÓRIO DE ANÁLISE AMBIENTAL E GEOESPACIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS LABORATÓRIO DE ANÁLISE AMBIENTAL E GEOESPACIAL PLANO DE CONTINGÊNCIA DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL Dezembro/2014 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 4 3. ESTRUTURA...

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE PREVISÃO DE VAZÃO EM TEMPO REAL COM REDES NEURAIS

IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE PREVISÃO DE VAZÃO EM TEMPO REAL COM REDES NEURAIS IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE PREVISÃO DE VAZÃO EM TEMPO REAL COM REDES NEURAIS Cristiane Pires Andrioli 1 e Mario Thadeu Leme de Barros 2 RESUMO Este trabalho trata de um novo esquema de previsão de vazões

Leia mais

PROGNÓSTICO TRIMESTRAL (Setembro Outubro e Novembro de- 2003).

PROGNÓSTICO TRIMESTRAL (Setembro Outubro e Novembro de- 2003). 1 PROGNÓSTICO TRIMESTRAL (Setembro Outubro e Novembro de- 2003). O prognóstico climático do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento,

Leia mais

Qualificação de Dados Meteorológicos das PCDs Plataforma de Coleta de Dados

Qualificação de Dados Meteorológicos das PCDs Plataforma de Coleta de Dados Qualificação de Dados Meteorológicos das PCDs Plataforma de Coleta de Dados MSc. Asiel Bomfin Jr. 1 asiel.bomfin@cptec.inpe.br T. Eletrônica Silvia Garcia de Castro 2 Silvia.garcia@cptec.inpe.br 1\2 Instituto

Leia mais