DÉDALO Ferramenta de Apoio à Gestão de Empresas Aéreas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DÉDALO Ferramenta de Apoio à Gestão de Empresas Aéreas"

Transcrição

1 DÉDALO Ferramenta de Apoio à Gestão de Empresas Aéreas DÉDALO é um sistema de informações especialista, concebido e desenvolvido para automatizar, integrar e dar suporte aos principais processos utilizados no gerenciamento da segurança operacional, na gestão da qualidade e no controle operacional de uma empresa aérea.

2 Por quê utilizar o DÉDALO? A ferramenta de software DÉDALO tem como objetivo primário registrar os eventos relacionados às atividades operacionais das empresas aéreas, visando automatizar e otimizar os diversos processos envolvidos, servindo de apoio aos setores da Segurança Operacional, Qualidade e operações de uma empresa aérea, bem como fornecendo informações gerenciais aos tomadores de decisão da organização. Como está Organizado o DÉDALO? O Dédalo é composto por módulos de operação que podem funcionar de forma integrada ou de forma independente (isolada). Os módulos que compõem a solução são: SGSO (Sistema de Gestão da Segurança Operacional), SGQ (Sistema de Gestão da Qualidade) e o SCO (Sistema de Controle Operacional). O Módulo SGSO Este módulo foi concebido visando primordialmente dotar a empresa de uma ferramenta que contribua para minimizar a probabilidade de ocorrências de acidentes e incidentes, servindo de apoio à implantação de um Sistema de Gerenciamento da Segurança. Os seguintes documentos foram a base para a concepção do módulo do sistema: Doc 9859/ OACI Manual de Gestão da Segurança. (link) IS 119/ B ANAC Instrução Suplementar (link) que norteia a implantação do SGSO (Sistema de Gestão da Segurança Operacional) nas empresas aéreas. MCA 3-6 CENIPA Manual de Fundamentos da Investigação de Acidentes Aeronáuticos. Este módulo tem por base o seguinte conceito de Segurança Operacional: estado no qual o risco de ferir pessoas ou causar danos em coisas se limita a, ou está mantido em ou abaixo de, um nível aceitável, através de um processo contínuo de identificação de perigos e gerenciamento de riscos" (Doc 9859/OACI). Partindo-se deste conceito e com base em normatizações de órgãos de controle e fiscalização relacionados à segurança de voo, o SGSO foi desenvolvido com o objetivo de facilitar a interação dos colaboradores de uma empresa aérea com o setor responsável pela segurança operacional da mesma, e mais especificamente, com os GSO (Gerente da Segurança Operacional) e/ou com os ASO (Agentes de Segurança Operacional). As principais funcionalidades do SGSO são: Coletar de forma controlada, por meio de um portal do colaborador (Figura I - interface do usuário geral disponibilizado na internet ou intranet), informações estruturadas de RSO (Relatórios de Segurança Operacional), e mensagens diversas afetas à segurança operacional da empresa e direcionadas para o GSO, visando auxiliar no planejamento estratégico das instituições, bem como facilitar o planejamento e o controle da gestão da segurança operacional; Figura 1 - Portal de Acesso ao Ambiente Dédalo Divulgar e controlar a leitura, por parte dos colaboradores do sistema de segurança operacional da empresa, dos BSO (Boletins de Segurança Operacional) emitidos pelo GSO, visando aumentar a consciência situacional dos níveis de segurança da empresa; Figura 3 - Controle de Pendências dos Usuários/ Setores Manter os colaboradores informados de todas as pendências que o mesmo possui com relação à leitura dos documentos inerentes à segurança operacional da empresa (RSO, BSO e mensagens Operacionais); Permitir que o GSO tenha um efetivo controle dos RSO inseridos no sistema por parte dos colaboradores, apresentando uma interface amigável para análise dos relatórios, enquadrando-os na classificação de análise de riscos previstas em legislações específicas. As referidas análises permitem identificar os perigos das ocorrências, os riscos relacionados aos perigos, classificando-os conforme as probabilidades de ocorrência e a severidade de suas consequências; Permitir que o GSO classifique os riscos de acordo com uma tabela de referência de análise de riscos (Figura 2);

3 Figura 2 - RELPREV - Análise de Riscos Propor e difundir aos diversos setores e usuários responsáveis pareceres, medidas de mitigação de risco e recomendações de segurança resultantes dos RSO, Vistorias e Auditorias registradas no sistema; Controlar de forma automática o recebimento das ações e seus prazos decorrentes dos diversos pareceres, medidas de mitigação e recomendações de segurança (Figura 3); que foram solicitadas pelo GSO aos diversos setores e/ou usuários responsáveis, bem como de órgãos externos que interagem com a organização; Cadastrar Vistorias e Auditorias realizadas nos diversos setores e de acordo com itens de verificação e referências sugeridos e pré-cadastrados no sistema, com base em normas de referência (ISO por exemplo) ou documentos legais reconhecidos em um sistema de gestão de segurança operacional; Controlar os resultados oriundos das vistorias e auditorias; Apresentar indicadores pré-estabelecidos (Figura 4), visando mensurar o nível de segurança operacional da empresa; Compartimentar informações diversas de acordo com o perfil e grupo do usuário logado no sistema; O Módulo SGQ Este módulo de Sistema de Gestão da Qualidade tem por base o atendimento de necessidades de clientes da empresa dentro de critérios de aceitação da segurança Figura 4 - Apresentação Gráfica de Indicadores operacional, visando, prioritariamente, o aperfeiçoamento e a melhoria contínua dos processos relacionados à segurança de voo. Com base neste princípio definido, o módulo SGQ foi desenvolvido com o objetivo de facilitar a interação dos colaboradores de uma empresa aérea com o setor responsável pelo gerenciamento da qualidade, tanto no papel do gestor da qualidade como dos elementos que participam ativamente do sistema de qualidade, tais como os auditores e vistoriadores. O módulo SGQ é focado em: Cadastrar e garantir o controle das normas e documentos da empresa, bem como os respectivos itens de verificação a serem utilizados em auditorias da qualidade; Cadastrar e hospedar de forma centralizada, os documentos decorrentes do sistema da qualidade e/ou outros documentos diversos da empresa, visando facilitar a manutenção e difusão dos mesmos; Permitir o acesso instantâneo à diversas publicações de interesse da empresa (biblioteca), pelos grupos de funcionários selecionados por meio de um meio de comunicação de fácil interação (internet ou intranet), denominado Portal do Colaborador; Controlar a leitura de boletins e publicações pertinentes ao sistema de qualidade por parte dos grupos de usuários da empresa; Permitir que todos os usuários da organização confeccionem RMS (Relatórios de Melhoria do Sistema) e que os referidos relatórios sejam processados, analisados, concluídos e divulgados pela equipe da qualidade de forma automatizada; Registrar as auditorias e vistorias periódicas (Figura 5) a serem realizadas nas unidades/bases e setores da empresa, com base em normas e itens de referência pré-cadastrados, registrando as não conformidades, as evidências e as diversas ações imediatas e outras medidas decorrentes que se julgarem necessárias; Figura 5 - Controle de Auditorias com base em Referências Controlar as medidas e ações decorrentes das auditorias e vistorias nos prazos previstos, interagindo sistemicamente com os diversos grupos de usuários e setores responsáveis pelas execuções das mesmas; Delegar itens de auditorias a grupos específicos de auditores da empresa, visando descentralizar o esforço para vários auditores, resultando em controle mais específico;

4 Manter os colaboradores informados de todas as pendências que o mesmo possui com relação à leitura dos documentos inerentes ao sistema de gerenciamento da qualidade da empresa, bem como interagir com os mesmos de forma sistêmica em assuntos relacionados à qualidade; Visualizar estatísticas de forma gráfica e tabular, as informações relacionadas aos indicadores da qualidade, visando a melhoria contínua do sistema; O Módulo SCO Este módulo de Sistema de Controle Operacional tem por base o atendimento das necessidades da coordenação e controle de voo de uma empresa aérea, visando, prioritariamente, agilizar e otimizar os processos relacionados aos voos planejados e realizados na empresa. O módulo SCO é focado em: Cadastrar os pedidos de voo solicitados via acesso web pelos diversos clientes pré-cadastrados da empresa (quando aplicável); Alertar à coordenação de voo os diversos pedidos de voos pendentes e que necessitam ser planejados; Cadastrar e controlar os diversos dados operacionais dos tripulantes (horas de voo, qualificações, cursos, validades de cartões e licenças), bem como suas eventuais indisponibilidades para voos; Cadastrar e controlar os dados das aeronaves (horas disponíveis, ciclos de partida, motores e componentes); Realizar os planejamentos dos voos, com cálculos automáticos necessários aos voos, tais como, tempo de voo, distâncias, autonomia e alternativas; Confeccionar as escalas dos tripulantes disponíveis para as diversas missões planejadas; Apresentar visualização georeferenciada das diversas rotas envolvidas nos voos da empresa; Disponibilizar um canal de comunicação com as tripulações, a fim de mostrar os voos envolvidos para os tripulantes e seus respectivos históricos operacionais dos tripulantes; Disponibilizar um canal de comunicação com os principais clientes da empresa; Contabilizar as diversas horas de voo para os tripulantes e aeronaves de forma automatizada; Elaborar as listagens de passageiros envolvidos nos diversos voos planejados; Apresentar relatórios gerenciais à coordenação de voo da empresa; Outras Características A hospedagem dos dados e do sistema poderá ser feita nas instalações da própria empresa contratante ou em datacenter terceirizado de alta performance oferecido pela própria contratada; Sigilo das informações definido por meio de contrato, caso a contratante opte por hospedar no datacenter terceirizado/ gerenciado pela contratada; Centralização dos dados (hospedagem em nuvem), garantindo o inter-relacionamento dos módulos adquiridos e acesso de qualquer local que tenha acesso a internet, com o controle de acesso às informações; Suporte técnico definido em contrato; Baixo investimento, uma vez que o software não é adquirido, e sim utilizado por meio de aluguel mensal; Acesso ao sistema via browsers de navegação e de qualquer local que possui conexão com a internet; Treinamento do portal do colaborador por meio de vídeos e treinamento on-line para os gestores; Facilita a implantação de um SGSO em conformidade com a ANAC (IS-119D)/ISBAO. Incorpora as melhores práticas de um processo de gerenciamento do risco. Permite a criação de uma Biblioteca de Perigos e Riscos (Banco de Dados). Configuração parametrizada do de acordo com a operação da sua empresa.

5 Monitoramento das ações com o uso de indicadores requisitados pela ANAC. Observações A empresa SLA consultores, responsável pela concepção e implementação da referida solução, é dotada de profissionais com pleno conhecimento dos processos de Segurança Operacional e das legislações pertinentes, bem como uma equipe de desenvolvimento de software altamente qualificada. Solicite uma demonstração. Contatos: ; Telefone (61) Link de apresentação:

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

O PAINEL OUVIDORIA COMO PRÁTICA DE GESTÃO DAS RECLAMAÇÕES NA CAIXA

O PAINEL OUVIDORIA COMO PRÁTICA DE GESTÃO DAS RECLAMAÇÕES NA CAIXA PRÁTICA 1) TÍTULO O PAINEL OUVIDORIA COMO PRÁTICA DE GESTÃO DAS RECLAMAÇÕES NA CAIXA 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: A Ouvidoria da Caixa, responsável pelo atendimento, registro,

Leia mais

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX.

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. Procedimento de Gestão OGX PG.SMS.017 Denominação: Análise Crítica SUMÁRIO Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. ÍNDICE

Leia mais

HISTÓRICO DO SMS NO BRASIL. Evolução 1º SEMINÁRIO SOBRE SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL ANAC - 05/12/2008

HISTÓRICO DO SMS NO BRASIL. Evolução 1º SEMINÁRIO SOBRE SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL ANAC - 05/12/2008 HISTÓRICO DO SMS NO BRASIL Evolução 1º SEMINÁRIO SOBRE SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL ANAC - 05/12/2008 OBJETIVO Conhecer a evolução do pensamento sobre Gerenciamento

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

Gerenciamento da Segurança Operacional GSO. Conceitos

Gerenciamento da Segurança Operacional GSO. Conceitos Gerenciamento da Segurança Operacional GSO Conceitos 1º SEMINÁRIO SOBRE SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL ANAC - 05/12/2008 1 Objetivos Identificar conceitos de gerenciamento

Leia mais

AÇÃO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL: Belo Horizonte Dezembro de 2012

AÇÃO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL: Belo Horizonte Dezembro de 2012 AÇÃO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL: Belo Horizonte Dezembro de 2012 A implantação do SGSO nos Aeroclubes e Escolas de Aviação Civil Objetivos Esclarecer sobre o processo de confecção do Manual de Gerenciamento

Leia mais

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Tecnologia da Informação CAASP DIS Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Introdução...03 Projetos e Fatos Relevantes 2008...03 Raio X de Investimentos e Custos...10 Considerações

Leia mais

PROGRAMA BRASILEIRO PARA A SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL PSO-BR

PROGRAMA BRASILEIRO PARA A SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL PSO-BR PROGRAMA BRASILEIRO PARA A SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL PSO-BR PROGRAMA BRASILEIRO PARA A SEGURANÇA OPERA- CIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL PSO-BR ANTECEDENTES A Organização de Aviação Civil Internacional

Leia mais

Portal RH WEB Versão 3.6.6 - Full

Portal RH WEB Versão 3.6.6 - Full Portal RH WEB Versão 3.6.6 - Full = z A principal característica do portal RH é permitir a descentralização das informações dos colaboradores, possibilitando que o gestor de área se transforme também num

Leia mais

Fornecemos soluções aeronáuticas inteligentes, para que você e sua empresa possam operar sempre com excelência, segurança e rentabilidade.

Fornecemos soluções aeronáuticas inteligentes, para que você e sua empresa possam operar sempre com excelência, segurança e rentabilidade. Idealizada para ser a melhor em seu ramo de atuação, a SkyBound é formada por consultores com sólida formação prática e acadêmica, profundo conhecimento aeronáutico e grande experiência em suas respectivas

Leia mais

O Sistema DCERTA como ferramenta de apoio à fiscalização

O Sistema DCERTA como ferramenta de apoio à fiscalização N 05 31 de maio de 2011 O Boletim Eletrônico de Capacitação é um informativo publicado quinzenalmente no portal da ANAC na internet e na intranet. O objetivo é divulgar as ações de capacitação que irão

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

ONE Service Desk. O Service Desk ONE fornece uma infraestrutura de serviços de suporte ITIL completa, contendo:

ONE Service Desk. O Service Desk ONE fornece uma infraestrutura de serviços de suporte ITIL completa, contendo: ONE Service Desk O Service Desk ONE fornece uma infraestrutura de serviços de suporte ITIL completa, contendo: Gerenciamento de Incidentes Gerenciamento de Problemas Gerenciamento de Mudanças BDGC (Banco

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9 TÍTULO: ASSUNTO: GESTOR: TERMO DE REFERÊNCIA Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD DITEC/GECOQ Gerência de Controle e Qualidade ELABORAÇÃO: PERÍODO: GECOQ Gerência de Controle e

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO DE PROVIDÊNCIAS INICIAIS Março/2014 V 1.1 REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO

Leia mais

gsd - Service Desk Manual do Usuário versão 1

gsd - Service Desk Manual do Usuário versão 1 gsd - Service Desk Manual do Usuário versão 1 Sumário Introdução 1 Conceitos iniciais 2 Perfis de utilização 2 Parametrização do aplicativo - configuração 2 Prazo de atendimento 2 Prazo de conclusão 3

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

MODALIDADE Business Service Provider - BSP

MODALIDADE Business Service Provider - BSP MODALIDADE Business Service Provider - BSP Na solução BSP a empresa delega à ABGT SISTEMAS a execução da folha de pagamento e sub-processos, além da hospedagem e do gerenciamento da infra-estrutura e tecnologia

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

Sistema de Gestão de Telecomunicações - Corporativo

Sistema de Gestão de Telecomunicações - Corporativo Sistema de Gestão de Telecomunicações - Corporativo O que é SGTC? O SGTC - Sistema de Gestão de Telecomunicações > Software 100% próprio, desenvolvido pela equipe da TeleGestão que possibilita o gerenciamento

Leia mais

Promover a segurança e a excelência do sistema de aviação civil, de forma a contribuir para o desenvolvimento do País e o bem-estar da sociedade

Promover a segurança e a excelência do sistema de aviação civil, de forma a contribuir para o desenvolvimento do País e o bem-estar da sociedade Promover a segurança e a excelência do sistema de aviação civil, de forma a contribuir para o desenvolvimento do País e o bem-estar da sociedade brasileira Identificar os compromissos da ANAC relacionados

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Em 2012, a Prosoft planejou o lançamento da Versão 5 dos seus produtos.

Em 2012, a Prosoft planejou o lançamento da Versão 5 dos seus produtos. VERSÃO 5 Outubro/2012 Release Notes Não deixe de atualizar o seu sistema Planejamos a entrega ao longo do exercício de 2012 com mais de 140 melhorias. Mais segurança, agilidade e facilidade de uso, atendendo

Leia mais

Após a análise dos manuais apresentados, especificamente o manual

Após a análise dos manuais apresentados, especificamente o manual Item / Subitem 3. Integração 3.3. 4. Workflow 4.9. A solução deve permitir que cada processo de trabalho tenha SLAs gerais e SLAs individuais; 8. Gerenciamento de Incidentes 8.1. ESPECIFICAÇÃO A solução

Leia mais

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com.

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com. Tactium Tactium CRManager CRManager TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades 1 O TACTIUM CRManager é a base para implementar a estratégia de CRM de sua empresa. Oferece todo o suporte para personalização

Leia mais

Política de Gerenciamento de Risco de Crédito, Mercado e Operacional

Política de Gerenciamento de Risco de Crédito, Mercado e Operacional Crédito, Mercado e em: 30/12/2015 Política de Gerenciamento de Risco de Processos Página 2 de 9 SUMÁRIO 1- Definição... 3 2- Projeções de Perdas... 4 3- Classificação e Mitigação do Risco... 5 4- Estrutura...

Leia mais

COMO MANTER AERONAVES VOANDO COM CONFIABILIDADE? Eng. Luiz Fernando Salomão Gerente de Engenharia de Sistemas Fluído-Mecânicos -

COMO MANTER AERONAVES VOANDO COM CONFIABILIDADE? Eng. Luiz Fernando Salomão Gerente de Engenharia de Sistemas Fluído-Mecânicos - COMO MANTER AERONAVES VOANDO COM Eng. Luiz Fernando Salomão Gerente de Engenharia de Sistemas Fluído-Mecânicos - - A VEM - A VARIG ENGENHARIA E MANUTENÇÃO - VEM é uma empresa especializada em manutenção

Leia mais

Segurança Operacional no Brasil

Segurança Operacional no Brasil Rio de Janeiro, 28 de abril de 2014 Segurança Operacional no Brasil O futuro já chegou Carlos Eduardo Pellegrino Diretor de Operações de Aeronaves Estrutura Governamental Presidência CONAC Conselho Nacional

Leia mais

Sistemas de Produtividade

Sistemas de Produtividade Sistemas de Produtividade Os Sistemas de Produtividade que apresentaremos em seguida são soluções completas e podem funcionar interligadas ou não no. Elas recebem dados dos aplicativos de produtividade,

Leia mais

MODALIDADE Business Process Outsourcing - BPO

MODALIDADE Business Process Outsourcing - BPO MODALIDADE Business Process Outsourcing - BPO Na solução BPO a ABGT SISTEMAS assume operação e execução da folha de pagamento, e rotinas da administração de pessoal, além de fazer a hospedagem e o gerenciamento

Leia mais

SST - PPP. 11.8.x. abril de 2015. Versão: 4.0

SST - PPP. 11.8.x. abril de 2015. Versão: 4.0 SST - PPP 11.8.x abril de 2015 Versão: 4.0 1 Sumário 1 Objetivo... 4 2 Como utilizar esse material em seus estudos de Atendimento Clínico... 4 3 Introdução... 5 4 PPP... 6 4.1 Principais botões do sistema...

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

Demanda por um sistema integrado de mobilidade urbana, acessível por órgãos gestores, operadoras de transporte e população!

Demanda por um sistema integrado de mobilidade urbana, acessível por órgãos gestores, operadoras de transporte e população! Curso de Gestão da Mobilidade Urbana Ensaio Crítico - Turma 17 Sistema de Informação de Usuários Michel Costa da Silva (*) No Brasil, o crescimento demográfico das grandes capitais, o apoio governamental

Leia mais

Política de Gerenciamento do Risco Operacional Banco Opportunity e Opportunity DTVM Março/2015

Política de Gerenciamento do Risco Operacional Banco Opportunity e Opportunity DTVM Março/2015 Política de Gerenciamento do Risco Operacional Banco Opportunity e Opportunity DTVM Março/2015 1. OBJETIVO Esta política tem como objetivo estabelecer as diretrizes necessárias para o adequado gerenciamento

Leia mais

Tecnologia Web Focada em Negócios

Tecnologia Web Focada em Negócios Tecnologia Web Focada em Negócios Palestra: Otimização e Transparência no processo de compras. Marcos Carrara Outplan Empresa Catarinense com 13 anos de mercado. Produtos: Futebolcard Moke OutBuyCenter

Leia mais

CAPÍTULO 3 PLANO DE MANUTENÇÃO

CAPÍTULO 3 PLANO DE MANUTENÇÃO 3.1 PLANO DE MANUTENÇÃO CAPÍTULO 3 PLANO DE MANUTENÇÃO O Plano de Manutenção é composto pelas oito ferramentas abaixo representadas. É feito via web, pelo software Leankeep. 3.2 SOFTWARE O software, a

Leia mais

INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA

INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA O InterLIMS se apresenta

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Nettion Security & Net View. Mais que um software, gestão em Internet.

Nettion Security & Net View. Mais que um software, gestão em Internet. Nettion Security & Net View Mais que um software, gestão em Internet. Net View & Nettion Security Mais que um software, gestão em Internet. A Net View e a Nettion Security Software se uniram para suprir

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

Estrutura de Relacionamento:

Estrutura de Relacionamento: 1 Índice Por que ter Guia de Relacionamento e Suporte?... 3 Qual a Estrutura de Relacionamento com o Cliente?... 3 Agente de Atendimento (CAT):... 3 Gerente de Contas (GC):... 3 Gerente de Serviço (GS):...

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

CONHEÇA A VALECARD TODA ESSA ESTRUTURA EXISTE PRA VOCÊ: Reduzir custos. Ganhar tempo. Organizar processos.

CONHEÇA A VALECARD TODA ESSA ESTRUTURA EXISTE PRA VOCÊ: Reduzir custos. Ganhar tempo. Organizar processos. CONHEÇA A VALECARD Soluções completas e integradas para a gestão de benefícios, gestão financeira e de frotas. Cartões aceitos em todo território nacional, por meio da Redecard, Cielo e ValeNet, o que

Leia mais

SAD SISTEMA DE ATENDIMENTO DATAMACE

SAD SISTEMA DE ATENDIMENTO DATAMACE SAD SISTEMA DE ATENDIMENTO DATAMACE OBJETIVO O SAD foi desenvolvido para aprimorar e permitir o rastreamento dos registros de contatos realizados entre a Datamace e seus clientes. Permite administrar a

Leia mais

Solução SGI (ERP) Sistema de Gestão Integrado

Solução SGI (ERP) Sistema de Gestão Integrado 2014 Solução SGI (ERP) Sistema de Gestão Integrado SOLUÇÃO SGI Sistema de Gestão Integrado (ERP), é um sistema WEB voltado para empresas que necessitam controlar e realizar a gestão de seus principais

Leia mais

PROVA OBJETIVA. 8 A CLAC é um organismo internacional subordinado à OACI. 9 As recomendações e resoluções estabelecidas pela CLAC são

PROVA OBJETIVA. 8 A CLAC é um organismo internacional subordinado à OACI. 9 As recomendações e resoluções estabelecidas pela CLAC são De acordo com o comando a que cada um dos itens a seguir se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com o

Leia mais

O relatório deverá ser preenchido e enviado para o e-mail relatorio.semestral@anac.gov.br. Para que serve o sistema de envio de relatório semestral?

O relatório deverá ser preenchido e enviado para o e-mail relatorio.semestral@anac.gov.br. Para que serve o sistema de envio de relatório semestral? O relatório deverá ser preenchido e enviado para o e-mail relatorio.semestral@anac.gov.br. Para que serve o sistema de envio de relatório semestral? O sistema de envio de relatório semestral tem por finalidade

Leia mais

00P6 - Subvenção Econômica para o Desenvolvimento da Aviação Regional (MP nº 652, de 2014)

00P6 - Subvenção Econômica para o Desenvolvimento da Aviação Regional (MP nº 652, de 2014) Programa 2017 - Aviação Civil Número de Ações 26 Tipo: Operações Especiais 00P6 - Subvenção Econômica para o Desenvolvimento da Aviação Regional (MP nº 652, de 2014) Esfera: 10 - Orçamento Fiscal Função:

Leia mais

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP 6. Procedimento de gerenciamento de risco O fabricante ou prestador de serviço deve estabelecer e manter um processo para identificar

Leia mais

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta as atribuições e responsabilidades da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá

Leia mais

Relato da Iniciativa

Relato da Iniciativa 1 Relato da Iniciativa 5.1 Nome da iniciativa ou projeto Novo portal institucional da Prefeitura de Vitória (www.vitoria.es.gov.br) 5.2 Caracterização da situação anterior A Prefeitura de Vitória está

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

2009 Profits Consulting. Todos os direitos reservados. Módulo: Gestão de Horas

2009 Profits Consulting. Todos os direitos reservados. Módulo: Gestão de Horas Módulo: Gestão de Horas Sua empresa sob controle em tempo integral SAPROD (Sistema de Apoio PROcessual e Decisório), consiste em um sistema de gestão empresarial 100% web, desenvolvido pela Profits Consulting,

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

http://www.bvs.br/ Projeto 8 Servidor de estatísticas de desempenho on-line da BVS 11 de janeiro de 2005

http://www.bvs.br/ Projeto 8 Servidor de estatísticas de desempenho on-line da BVS 11 de janeiro de 2005 http://www.bvs.br/ Projeto 8 Servidor de estatísticas de desempenho on-line 11 de janeiro de 2005 Introdução Na arquitetura, fonte de informação é qualquer recurso que responda a uma demanda de informação

Leia mais

Implantação de ERP com sucesso

Implantação de ERP com sucesso Implantação de ERP com sucesso Implantação de ERP com sucesso, atualmente ainda é como um jogo de xadrez, você pode estar pensando que está ganhando na implantação, mas de repente: Check Mate. Algumas

Leia mais

ABB reduz custos operacionais e centraliza informações contábeis e fiscais com a implementação de solução de ECM/GED da SML Brasil

ABB reduz custos operacionais e centraliza informações contábeis e fiscais com a implementação de solução de ECM/GED da SML Brasil Indústria ABB reduz custos operacionais e centraliza informações contábeis e fiscais com a implementação de solução de ECM/GED da SML Brasil CLIENTE V I S Ã O G E R A L Asea Brown Boveri ABB Site: www.new.abb.com/br

Leia mais

Runs With. Características Comerciais e Técnicas do Produto

Runs With. Características Comerciais e Técnicas do Produto Runs With Características Comerciais e Técnicas do Produto Introdução Com o objetivo de automatizar os procedimentos relacionados com a Comunicação Bancária no ambiente do Business One TM, a Sistema Informática

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. Regulamenta a utilização dos serviços corporativos disponíveis na rede de computadores da ANAC. A DIRETORA-PRESIDENTE

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 Belo Horizonte

Leia mais

O Banco Central do Brasil em 29/06/2006 editou a Resolução 3380, com vista a implementação da Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional.

O Banco Central do Brasil em 29/06/2006 editou a Resolução 3380, com vista a implementação da Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional. 1 POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL 1.1 Introdução O Banco Central do Brasil em 29/06/2006 editou a Resolução 3380, com vista a implementação da Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional.

Leia mais

POLÍTICA DE TRANSPORTE. Espaço exclusivo Caminhos Desobstruídos. Serviço em Rede. Operação Controlada Regularidade Confiabilidade

POLÍTICA DE TRANSPORTE. Espaço exclusivo Caminhos Desobstruídos. Serviço em Rede. Operação Controlada Regularidade Confiabilidade POLÍTICA DE TRANSPORTE QUALIFICAR O Serviço de Transporte por Ônibus Espaço exclusivo Caminhos Desobstruídos Serviço em Rede Flexibilidade de Trajetos Racionalidade de Caminhos Operação Controlada Regularidade

Leia mais

TREINAMENTO E SUPORTE ONLINE SEM CUSTO CONTRATAÇÃO POR MÓDULOS

TREINAMENTO E SUPORTE ONLINE SEM CUSTO CONTRATAÇÃO POR MÓDULOS Gestão de Pessoas OTIMIZA O ATENDIMENTO ÀS NORMAS ISO, ONA, OHSAS, TS, AS, PBQP-h, ABNT, NR, ANVISA, entre outras, além de se adaptar aos requisitos internos da empresa. TREINAMENTO E SUPORTE ONLINE SEM

Leia mais

PROC. 02 CONTROLE DE DOCUMENTOS

PROC. 02 CONTROLE DE DOCUMENTOS 1 de 15 msgq CONTROLE DE DOCUMENTOS MACROPROCESSO GESTÃO DE PROCESSOS PROCESSO CONTROLE DE DOCUMENTOS CONTROLE DE DOCUMENTOS 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS...

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

Diretoria de Informática

Diretoria de Informática Diretoria de Informática Estratégia Geral de Tecnologias de Informação para 2013-2015 EGTI 2013-2015 Introdução: Este documento indica quais são os objetivos estratégicos da área de TI do IBGE que subsidiam

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG Belo Horizonte 01 de Julho de 2008 1 SUMÁRIO 1. Introdução...02

Leia mais

O que é ERP e suas vantagens

O que é ERP e suas vantagens Sistema 8Box ERP O que é ERP e suas vantagens Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa, possibilitando a automação e

Leia mais

TACTIUM ecrm Guia de Funcionalidades

TACTIUM ecrm Guia de Funcionalidades TACTIUM ecrm Guia de Funcionalidades 1 Interagir com seus clientes por variados meios de contato, criando uma visão unificada do relacionamento e reduzindo custos. Essa é a missão do TACTIUM ecrm. As soluções

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Treinamento On-Line. PALAVRAS-CHAVE Administração compartilhada, Automação, Gerenciamento dos acessos.

Treinamento On-Line. PALAVRAS-CHAVE Administração compartilhada, Automação, Gerenciamento dos acessos. 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Treinamento On-Line Ricardo Cardoso dos Santos CEMIG Distribuição S.A rcsantos@cemig.com.br Virgilio Ferreira Neto CEMIG Distribuição S.A RESUMO Com evolução

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Banco John Deere S.A No Banco John Deere S.A., a Gestão de Riscos é atribuição do Departamento de Gestão de Riscos e Compliance (DPRC), que se reporta diretamente ao

Leia mais

Serviço de mensageria SMS

Serviço de mensageria SMS Termo de Referência Serviço de mensageria SMS Agosto/2014 1 1 OBJETO 1.1 Prestação de serviços de envio de até 1.680.000 (Um milhão seiscentos e oitenta mil) Mensagens de Texto SMS (Short Message Service)

Leia mais

Apresentação da Empresa e seus Serviços.

Apresentação da Empresa e seus Serviços. Apresentação da Empresa e seus Serviços. 1 Conteúdo do Documento Sobre a MSCTI... 3 Portfólio de Serviços... 4 O que a consultoria MSCTI faz?... 5 Outros Serviços e Soluções... 6 Certificações... 7 Clientes

Leia mais

Agenda. A Empresa História Visão Conceito dos produtos

Agenda. A Empresa História Visão Conceito dos produtos Agenda A Empresa História Visão Conceito dos produtos Produto Conceito Benefícios Vantagens: Criação Utilização Gestão Segurança Integração Mobilidade Clientes A empresa WF História Em 1998, uma ideia

Leia mais

TOTVS Manutenção de Ativos powered by NG

TOTVS Manutenção de Ativos powered by NG TOTVS Manutenção de Ativos powered by NG Gestão da engenharia de manutenção Otimização no uso de equipamentos Gestão de custos e mão de obra Aumente a confiabilidade e disponibilidade dos equipamentos

Leia mais

PROGRAMA MOSA MAINTENANCE OPERATIONS SAFETY AUDIT (PROGRAMA DE OBSERVAÇÕES DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO)

PROGRAMA MOSA MAINTENANCE OPERATIONS SAFETY AUDIT (PROGRAMA DE OBSERVAÇÕES DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO) PROGRAMA MOSA MAINTENANCE OPERATIONS SAFETY AUDIT (PROGRAMA DE OBSERVAÇÕES DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO) - - - - - - - - - - Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página

Leia mais

COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO

COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO COMPETÊNCIA, CONSCIENTIZAÇÃO E TREINAMENTO OBJETIVO DA SEÇÃO Esta seção apresenta a Competência, Conscientização e do Sistema da Qualidade da TELEDATA que atende ao item 6.2.2 Norma ISO 9001:2008. DIRETRIZES

Leia mais

Código de prática para a gestão da segurança da informação

Código de prática para a gestão da segurança da informação Código de prática para a gestão da segurança da informação Edição e Produção: Fabiano Rabaneda Advogado, professor da Universidade Federal do Mato Grosso. Especializando em Direito Eletrônico e Tecnologia

Leia mais

Política de Gestão de Riscos

Política de Gestão de Riscos Política de Gestão de Riscos 1 OBJETIVO Fornecer as diretrizes para a Gestão de Riscos da Fibria, assim como conceituar, detalhar e documentar as atividades a ela relacionadas. 2 ABRANGÊNCIA Abrange todas

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

PO 001 - GESTÃO DE PROCESSOS E DOCUMENTAÇÃO 008

PO 001 - GESTÃO DE PROCESSOS E DOCUMENTAÇÃO 008 1 - OBJETIVO PO 001 - GESTÃO DE PROCESSOS E DOCUMENTAÇÃO 008 Este retrata a forma que deve ser conduzida a gestão dos s da entidade desde a sua concepção até o seu acompanhamento e melhoria. 2 - AUTORIDADE

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR Prezado Fornecedor, A Innova S/A, empresa certificada nas normas ISO 9001:2000, ISO 14001:1996, OHSAS 18001, avalia seus fornecedores no atendimento de requisitos relativos a Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

Consolidação inteligente de servidores com o System Center

Consolidação inteligente de servidores com o System Center Consolidação de servidores por meio da virtualização Determinação do local dos sistemas convidados: a necessidade de determinar o melhor host de virtualização que possa lidar com os requisitos do sistema

Leia mais

Help-Desk. Design Responsivo, ou seja, se adapta ao dispositivo conectado.

Help-Desk. Design Responsivo, ou seja, se adapta ao dispositivo conectado. V-Desk Help-Desk Help-Desk O V-Desk é uma solução extremamente versátil para fazer a gestão de atendimentos entre clientes e fornecedores onde há a necessidade de interações entre os mesmo, agiliza a comunicação

Leia mais

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV Certificação ISO/IEC 27001 SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação A Experiência da DATAPREV DATAPREV Quem somos? Empresa pública vinculada ao Ministério da Previdência Social, com personalidade

Leia mais

FLEXCRM SISTEMA DE GESTÃO DE CLIENTES [MÓDULO ATENDIMENTO] SUMÁRIO

FLEXCRM SISTEMA DE GESTÃO DE CLIENTES [MÓDULO ATENDIMENTO] SUMÁRIO FLEXCRM SISTEMA DE GESTÃO DE CLIENTES [MÓDULO ATENDIMENTO] SUMÁRIO 1. PORQUE A SW1... 2 2. 10 MOTIVOS PARA CONTRATAR... 2 3. ESTUDO DE CASO... 3 4. SOLUÇÃO PROPOSTA... 3 5. CONDIÇÕES COMERCIAIS... 9 6.

Leia mais

Diretrizes Complementares para Aplicação da Análise de Pontos de Função no PAD

Diretrizes Complementares para Aplicação da Análise de Pontos de Função no PAD Diretrizes Complementares para Aplicação da Análise de Pontos de Função no PAD Ricardo Gaspar (21) 2172-8078 ricardo.gaspar@bndes.gov.br 10 de Junho de 2013 Agenda Contextualização Diretrizes de Contagem

Leia mais

SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA

SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA fundada em 1986 É precursora na implementação de serviços especializados em mapeamentos de competências humanas. Empresa de pesquisa aplicada especializada

Leia mais

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA.

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. Raquel Engeroff Neusa Cristina Schnorenberger Novo Hamburgo RS Vídeo Institucional Estratégia Visão Missão Ser uma das 5 maiores empresas de software de gestão empresarial

Leia mais

POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS

POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS Belo Horizonte, Novembro de 2013. Diretoria de Crédito Consignado Diretoria Executiva Comercial Diretoria Executiva Administrativa e de Atendimento

Leia mais

Encontro com o mercado privado de TI Contratações Públicas de TI Sistemas Integrados de Gestão das Empresas Estatais

Encontro com o mercado privado de TI Contratações Públicas de TI Sistemas Integrados de Gestão das Empresas Estatais Encontro com o mercado privado de TI Contratações Públicas de TI Sistemas Integrados de Gestão das Empresas Estatais Wesley Vaz, MSc., CISA Sefti/TCU Brasília, 6 de novembro de 2012 Sistemas Integrados

Leia mais

Apps de Produtividade

Apps de Produtividade Apps de Produtividade Os App s de Produtividade oferecem controle, organização e recursos para profissionalização das áreas internas e externas da empresa, proporcionando: Produtividade Controle Integração

Leia mais

Lacerda e Franze obtém economia significativa em custos de impressão com ECM/GED da SML Brasil

Lacerda e Franze obtém economia significativa em custos de impressão com ECM/GED da SML Brasil lacerda e franze Escritório de Advocacia Lacerda e Franze obtém economia significativa em custos de impressão com ECM/GED da SML Brasil CLIENTE Lacerda e Franze Advogados Associados V I S Ã O G E R A L

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

Software. Gerenciamento de Manutenção

Software. Gerenciamento de Manutenção Software Gerenciamento de Manutenção Importância de um Software de Manutenção Atualmente o departamento de manutenção das empresas, como todos outros departamentos, necessita prestar contas de sua atuação

Leia mais

Quando se fala em ponto eletrônico, a primeira coisa que vem à sua cabeça ainda é dor?

Quando se fala em ponto eletrônico, a primeira coisa que vem à sua cabeça ainda é dor? Quando se fala em ponto eletrônico, a primeira coisa que vem à sua cabeça ainda é dor? Interagir com sistemas que ainda dependem de agendamentos manuais e de coletas presenciais em vários equipamentos

Leia mais

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 Código de prática para a gestão da segurança da informação A partir de 2007, a nova edição da ISO/IEC 17799 será incorporada ao novo esquema de numeração como ISO/IEC 27002.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA

REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA Art. 1º. A Secretaria de Tecnologia de Informação e Comunicação SETIC é um Órgão Suplementar Superior

Leia mais