CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CONSOLIDAÇÃO DE DÚVIDAS APRESENTADAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CONSOLIDAÇÃO DE DÚVIDAS APRESENTADAS"

Transcrição

1 CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CONSOLIDAÇÃO DE DÚVIDAS APRESENTADAS 1. Dúvidas Gerais Pergunta: Os processos e metodologias de avaliação de riscos do Banco estão definidos e implantados? Ou isso deverá ser previsto na proposta de implantação, ou seja, definir o processo e implantar na ferramenta? Resposta: A nossa intenção neste momento é saber como a solução funciona, quais são seus requisitos técnicos e com quais tecnologias ela se integra. Não está previsto neste documento definição de metodologias ou aquisição de serviços de definição de processos. 2. Dúvidas sobre Requisitos Funcionais RF A SOLUÇÃO implementa revisão ortográfica dos textos utilizados no modelo? Pergunta: Podemos entender que a revisão ortográfica solicitada se refere a textos inseridos nos formulários pertencentes às instancias de processo? Resposta: Não. A revisão ortográfica requerida compreende todos os textos utilizados no modelo (notação, atributos, formulários, arquivos anexados, etc.). RF A SOLUÇÃO implementa revisão semântica dos diagramas utilizados no modelo com a possibilidade de parametrização de novas regras? Pergunta: Podemos entender que a revisão semântica se refere a validação e apontamento de erros no desenho do processo ou na criação de regras de negócio? Resposta: O requisito refere-se a validação e apontamento de erros de semântica no desenho, baseado em regras, com a possibilidade de parametrização de novas regras. RF A SOLUÇÃO implementa assistente (wizard) que acelere a descoberta e documentação de processos? Resposta: Dúvida não localizada no documento em anexo. 1

2 RF A SOLUÇÃO implementa a inclusão de Cenários de risco de forma automática? Pergunta: Qual é o conceito utilizado no Banco do Brasil para o termo Cenários de risco? Resposta: O termo "cenário de risco" utilizado no item RF-2.1.9, refere-se a um modelo para análise de risco. RF A SOLUÇÃO implementa a identificação da atividade de controle (o sistema atribui um identificador à atividade de controle)? Pergunta: Não nos ficou claro o que se refere identificação da atividade de controle. É possível uma explicação mais detalhada? Resposta: O requisito refere-se à associação de um atributo a uma tarefa, que informe que esta é uma atividade de controle para mitigação de alguma fragilidade no fluxo do processo, e que permita sua visualização destacada frente às demais atividades do fluxo de processo. RF A SOLUÇÃO implementa atribuição de nível de criticidade às deficiências cadastradas? RF A SOLUÇÃO implementa a função de selecionar Deficiências cadastradas para análise agregada (enviar deficiência para SAD)? RF A SOLUÇÃO implementa inclusão e manutenção da deficiência agregada, preenchendo as informações que foram parametrizadas no formulário de deficiência agregada? RF A SOLUÇÃO implementa a função de responder questões para classificação da deficiência agregada? Pergunta: Nos itens 2.5.2, 2.6.1, e os termos deficiências cadastradas e deficiência agregada são usados. Podemos entender deficiência como erros conhecidos de um processo de negócio? Resposta: As deficiências referem-se as atividades de controle. Portanto, as deficiências correspondem a falhas verificadas nos controles instituídos. RF A SOLUÇÃO implementa a função de selecionar Deficiências cadastradas para análise agregada (enviar deficiência para SAD)? Pergunta: Qual o significado do termo SAD?" Resposta: Sumário Agregado de Deficiência. RF A SOLUÇÃO implementa inclusão e manutenção da deficiência agregada, preenchendo as informações que foram parametrizadas no formulário de deficiência agregada? Pergunta: Qual o significado utilizado pelo Banco do Brasil para o termo deficiência agregada?" Resposta: O termo "deficiência agregada" utilizado no item RF-2.6.2, refere-se a um conjunto de deficiências relacionadas entre si. 2

3 RF A SOLUÇÃO implementa a função de visualizar e imprimir relatórios das atividades de controle? RF A SOLUÇÃO implementa a função de imprimir e visualizar relatórios das atividades de controles? Pergunta: Podemos assumir que as perguntas RF e RF são idênticas? Em caso negativo, por favor esclarecer a diferença entre os dois itens" Resposta: Sim. 3. Dúvidas sobre Requisitos Não Funcionais RN-2 Sobre Implementação Pergunta: Qual a quantidade de profissionais do Banco do Brasil que será envolvida neste projeto? Resposta BB: Nossa intenção com esta RFI é apenas conhecer as soluções disponíveis no mercado e serviços agregados, para que posteriormente sejam definidas as especificações do produto e serviço para futura aquisição e os profissionais necessários. RN-2 Sobre Implementação Pergunta: É permitido o uso de recursos remotos para a implementação? Resposta: Gentileza nos encaminhar resposta para as duas situações: 1 - Com a utilização de recursos remotos e, 2 Sem a utilização de recursos remotos. RN Fornece serviços de integração com os sistemas do Banco? RN Com mão de obra própria? RN Com mão de obra subcontratada? Em caso afirmativo informe na coluna Comentário o nome e contato da empresa responsável pelo serviço. Pergunta: Deveremos contemplar na proposta de implantação a integração da solução com outros sistemas do Banco? Caso positivo, qual a quantidade de sistemas e que tipos de integrações são esperados (ex. quais informações serão trocadas entre os sistemas)? Resposta: Neste momento, a intenção do Banco é conhecer o mercado, soluções e serviços por meio de realização de processo com perguntas direcionadas. Após recebimento e análise das respostas, solicitaremos que os fornecedores nos encaminhem propostas comerciais. Com relação à forma de integração, nossa intenção é saber se o software oferecido pela empresa possibilita a integração com os sistemas do cliente. Quais são as formas de integração, por exemplo, troca de arquivos? Quais são as entradas e saídas padrão do software para integração? Etc. 3

4 RN Considerando os requisitos técnicos e funcionais mencionados neste documento, informe na coluna Comentário a quantidade de técnicos necessários para compor a equipe que realizaria a implementação (customização, integração e instalação) da SOLUÇÃO no Banco do Brasil. Pergunta: É permitido o uso de recursos remotos para a implementação? Resposta: Gentileza nos encaminhar resposta para as duas situações: 1 - Com a utilização de recursos remotos e, 2 Sem a utilização de recursos remotos. RN Considerando os requisitos técnicos e funcionais mencionados neste documento, informe na coluna Comentário a quantidade de técnicos do Banco do Brasil que deverão ser treinados para auxiliar a implementação da SOLUÇÃO no Banco. Pergunta: Qual a quantidade de profissionais do Banco do Brasil que será envolvida neste projeto? Resposta BB: A intenção da pergunta é saber, por meio da experiência da empresa, quais os perfis dos técnicos e quantidade de profissionais que seriam necessários para atuação na implementação da SOLUÇÃO. RN Considerando os requisitos técnicos e funcionais mencionados neste documento e avaliados como passíveis de atendimento, exceto os requisitos referentes à integração com os sistemas de informação do Banco do Brasil, informe na coluna Comentário o tempo necessário de implementação da SOLUÇÃO. Pergunta: Qual o tempo total esperado para que a solução esteja implantada e disponível aos usuários? Resposta: Os prazos e cronograma do projeto poderão ser discutidos num momento futuro quando da aquisição e contratação dos serviços necessários. Neste momento, o objetivo do Banco é apenas conhecer os produtos existentes no mercado e os serviços oferecidos. Gostaríamos de ter uma noção, se possível, por meio da experiência da empresa, do tempo médio de duração do processo de implantação da SOLUÇÃO. RN-3 SOBRE TREINAMENTO Pergunta: Qual a quantidade de usuários da solução? Resposta: A solução deve estar disponível para consulta por todos os funcionários do Banco, de acordo com cada perfil de acesso. RN-4.3 As licenças são diferenciadas por tipo de usuário? RN A SOLUÇÃO exige licenças específicas por usuário final? RN A SOLUÇÃO exige licenças específicas por usuário de desenvolvimento? RN A SOLUÇÃO exige licenças específicas por usuário de suporte técnico? RN A SOLUÇÃO exige licenças específicas por usuário administrador (acesso total e irrestrito)? 4

5 RN A SOLUÇÃO exige outros tipos de licenças? Informe os outros tipos de licença na coluna Comentário. Pergunta: Com relação ao requisito não funcional RN-4.3 e seus sub-itens (4.3.1 a 4.3.4), solicitamos explicar o conceito de exige licenças específicas. Resposta: O objetivo desta pergunta é saber se a empresa oferece licenças diferenciadas de acordo com o perfil do usuário (por exemplo, tipo de licença para usuário que realiza apenas consulta e possui acesso mais restrito, tipo de licença para usuário que tem perfil de gestor com acesso mais amplo ou, tipo de licença para usuário com perfil de TI) e com preços diferenciados. RN-4.12 Considerando os requisitos técnicos e funcionais mencionados neste documento e avaliados como passíveis de atendimento, informe na coluna Comentário os tipos de licenças e quantidades que precisariam ser adquiridas pelo Banco. Pergunta: Com relação ao requisito não funcional RN-4.12 gostaríamos de saber: o número de usuários para modelagem o numero de usuários para administração da solução o numero de usuários que visualizarão os modelos publicados através da solução. o número agentes de compliance o número de auditores na área de auditoria o número técnicos da área de riscos e controle Resposta: Obséquio considerar e informar apenas os tipos de licença que a empresa oferece. A quantidade de usuários da SOLUÇÃO será definida após análise das respostas desta RFI. RN Fornece suporte técnico na modalidade on-site, ou seja, local em Brasília (DF)? Pergunta: O que o Banco entende por suporte on-site local em Brasília, equipe local de suporte na cidade ou visitas ocasionais ao Banco do Brasil, em caso de necessidade? Resposta: Seriam as visitas técnicas no local (neste caso, no Banco do Brasil em Brasília-DF) para os casos em que o atendimento telefônico ou via do suporte técnico não sejam efetivos para a resolução de problemas de alta criticidade para o Banco. 4. Dúvidas sobre Requisitos Técnicos RT ; RT ; RT ; RT-2.2.8; RT-5.7; RT ; RT ; RT ; RT-2.1.2; RT Pergunta: O sistema operacional que a solução de GRC deverá ser implementada é AIX ou Windows? Resposta: Gostaríamos de saber se a solução suporta AIX (RT ), ou se suporta Windows (RT ), ou se suporta as duas. A definição de qual ou quais sistemas operacionais poderão ser utilizados, será elaborada posteriormente após a análise das respostas recebidas neste processo de RFI. 5

6 RT A SOLUÇÃO implementa recursos de internacionalização (I18N)? Pergunta: No requisito técnico RT-121, entendemos como I18n é o acrônimo de Internacionalization e não um padrão especifico para implementação de internacionalização. Está correto nosso entendimento? Resposta: Está correto. Na verdade, o verbo implementar foi empregado no sentido de "prover de implemento" (dicionário Aurélio), neste caso a pergunta corresponde à "A SOLUÇÃO provê recursos de internacionalização (I18N)?". RT Pergunta: O Banco do Brasil pretende implementar relatórios que envolvam a trilha de auditoria avaliando o dado editado?" Resposta: O objetivo da pergunta é saber se a SOLUÇÃO possui módulo específico para gerenciamento e monitoramento dos acessos às transações e dados do sistema. 6

O sistema operacional onde a solução será implementada não foi definido.

O sistema operacional onde a solução será implementada não foi definido. Respostas aos Questionamentos Nº Itens Pergunta Resposta 1 R T-1. 2. 4. 4; R T-1.3.2. 2; R T-1.3.3. 3; RT-2. 2.8; RT-5.7; RT-1.2.4. 3; RT-1. 3.2.1; RT-1. 3. 3. 2; R T- 2. 1. 2; R T-2. 2. 11; O sistema

Leia mais

CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION

CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CADERNO DE PERGUNTAS ÍNDICE 1. Introdução...2 2. Termos e Condições...2 2.1 Publicidade 2 2.2 Responsabilidades 2 3. Cronograma e Contato...3 3.1 Cronograma

Leia mais

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte BCON Sistema de Controle de Vendas e Estoque Declaração de escopo Versão 1.0 Histórico de Revisão Elaborado por: Filipe de Almeida do Amaral Versão 1.0 Aprovado por: Marcelo Persegona 22/03/2011 Time da

Leia mais

DOCUMENTO DE REGRAS DE NEGÓCIO

DOCUMENTO DE REGRAS DE NEGÓCIO SISGED - SISTEMA DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DOCUMENTO DE REGRAS DE NEGÓCIO VERSÃO 1.0 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 04/2011 1.0 Primeira versão. Priscila Drielle Sumário

Leia mais

CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE

CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE 1. Introdução 2. Objetivo 3. Termos e Condições 3.1 Publicidade 3.2 Responsabilidades 4. Cronograma e Contato 4.1 Cronograma 4.2 Contato 5. Entrega da

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

AdminIP. Manual do Usuário Módulo Administrador IES

AdminIP. Manual do Usuário Módulo Administrador IES 2 AdminIP Manual do Usuário Módulo Administrador IES Brasília 2012 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 4 1 SISTEMA ADMINIP... 4 1.1 O que é o AdminIP?... 4 1.2 Quem opera?... 4 1.3 Onde acessar?... 5 1.4 Como acessar?...

Leia mais

GTI Governança de TI

GTI Governança de TI GTI Governança de TI Planejamento, implantação e gerenciamento da Governança de TI Governança de TI FERNANDES & ABREU, cap. 5 1 Implantação empreendimento de longo prazo. Requisitos básicos: Liderança

Leia mais

Call Center Sistema de Atendimento ao Cliente (CRM)

Call Center Sistema de Atendimento ao Cliente (CRM) Call Center Sistema de Atendimento ao Cliente (CRM) Apresentação O software de CRM permite a gestão do relacionamento com o público, seja pessoa física ou jurídica, clientes ou não. A partir dele, é possível

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

A R P O BPMN++ MODELER KLUG PROCESSO PARA DOWNLOAD E INSTALAÇÃO VERSÃO FREEWARE. Verificar requisitos para instalação. Testar instalação do software

A R P O BPMN++ MODELER KLUG PROCESSO PARA DOWNLOAD E INSTALAÇÃO VERSÃO FREEWARE. Verificar requisitos para instalação. Testar instalação do software A R P O KLUG BPMN++ MODELER PROCESSO PARA DOWNLOAD E INSTALAÇÃO VERSÃO FREEWARE Verificar requisitos para instalação Iniciar procedimento de instalação Executar procedimento de instalação Efetuar primeiro

Leia mais

Ambiente de Controles Internos

Ambiente de Controles Internos Ambiente de Controles Internos Agosto/2012 Gerência de Gestão de Riscos, Compliance e Controles Internos Gestão de Controle Interno Responsabilidades GESTÃO DE RISCOS AUDITORIA INTERNA Mapeamento dos Riscos

Leia mais

RELÁTORIO CENSO 2015. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal do Amapá UNIFAP Pró-Reitoria de Planejamento PROPLAN

RELÁTORIO CENSO 2015. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal do Amapá UNIFAP Pró-Reitoria de Planejamento PROPLAN RELÁTORIO CENSO 2015 Este relatório de atividades referente ao censo com ano de referencia 2014 descreve as tarefas realizadas, dificuldades encontradas e possíveis soluções para a realização do próximo

Leia mais

Política de Atendimento Técnico, Suporte e Assistência aos softwares SiplanControl-M

Política de Atendimento Técnico, Suporte e Assistência aos softwares SiplanControl-M Política de Atendimento Técnico, Suporte e Assistência aos softwares SiplanControl-M 1. Introdução a política 2. Quem está elegível para solicitar suporte? 3. Horário de atendimento 4. Que tempo de resposta

Leia mais

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas;

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas; ATA DE REUNIÃO CONSULTA PÚBLICA PARA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO WEB-EDI Troca Eletrônica de Dados. Local Dataprev Rua Cosme Velho nº 06 Cosme Velho Rio de Janeiro / RJ. Data: 06/03/2009 10:30 horas. Consolidação

Leia mais

e- SIC Manual do SIC

e- SIC Manual do SIC e- SIC Manual do SIC Sumário Introdução.. 3 O e-sic.. 4 Primeiro acesso.. 5 Perfis de usuário.. 6 Cadastro de usuário no e-sic.. 7 Alteração de dados de usuários.. 9 Atualização de dados do SIC.. 11 Registro

Leia mais

Banco do Brasil S.A. Consulta ao Mercado - RFP - Request for Proposa Aquisição de Ferramenta de Gestão de Limites Dúvida de Fornecedor

Banco do Brasil S.A. Consulta ao Mercado - RFP - Request for Proposa Aquisição de Ferramenta de Gestão de Limites Dúvida de Fornecedor 1. Em relação ao módulo para Atribuição de Limites, entendemos que Banco do Brasil busca uma solução para o processo de originação/concessão de crédito. Frente a essa necessidade, o Banco do Brasil busca

Leia mais

Módulo Publicações Publicações On Line. Módulo Publicações

Módulo Publicações Publicações On Line. Módulo Publicações Módulo Publicações Elaborado por: Julio Cesar Cavalheiro PÁG. 1/8 Índice 1. Objetivo... 3 2. Parametrização... 3 3. Baixando as Publicações... 4 4. Atribuindo processos aos Dados Baixados... 5 5. Status

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG Belo Horizonte 01 de Julho de 2008 1 SUMÁRIO 1. Introdução...02

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 ÍNDICE Introdução...3 A Necessidade do Gerenciamento e Controle das Informações...3 Benefícios de um Sistema de Gestão da Albi Informática...4 A Ferramenta...5

Leia mais

QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013

QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013 QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013 Prezados Senhores da comissão de licitação da UENF, seguem alguns questionamentos acerca do edital de concorrência 01/2013 para esclarecimentos: 1. ANEXO

Leia mais

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL MARÇO, 2015 ÍNDICE OBJETIVO 3 ESCOPO 3 DEFINIÇÕES Risco Inerente 4 DEFINIÇÕES Risco Operacional 4 DEFINIÇÕES Evento de Risco Operacional 4 FUNÇÕES E RESPONSABILIDADES

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE

ENGENHARIA DE SOFTWARE Pág. 1 0. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...2 2. OBJETIVOS....2 3. ESTIMATIVAS DO PROJETO....4 4. RISCOS DO PROJETO....5 4.1. Identificação e Análise dos Riscos....5 4.1.1. Riscos de Projeto...6 4.1.2. Riscos Técnicos....6

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

Análise de Risco na Validação de Sistemas Computadorizados

Análise de Risco na Validação de Sistemas Computadorizados Análise de Risco na Validação de Sistemas Computadorizados Meg Lima Andrade Agenda Objetivos; Conceito de Sistemas Computadorizados; Conceito de Risco; Identificação de Riscos; Avaliação de Riscos; Classificação;

Leia mais

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio

3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio 32 3 Um Framework Orientado a Aspectos para Monitoramento e Análise de Processos de Negócio Este capítulo apresenta o framework orientado a aspectos para monitoramento e análise de processos de negócio

Leia mais

1.0 ADMINISTRAÇÃO DE INSTÂNCIAS

1.0 ADMINISTRAÇÃO DE INSTÂNCIAS 1.0 ADMINISTRAÇÃO DE INSTÂNCIAS Apresentação Este documento tem por objetivo auxiliar a usabilidade do aplicativo IOB Administração de Instâncias de maneira simplificada e ilustrativa. 2 1.0 Sumário 1.0

Leia mais

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio.

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Participe da rede de distribuição dos produtos exclusivos da

Leia mais

GERENCIAL SEPLAG CARTILHA AGENDA. Sumário

GERENCIAL SEPLAG CARTILHA AGENDA. Sumário CARTILHA AGENDA GERENCIAL SEPLAG 2012 Sumário 1. A Agenda Gerencial 2. Como Utilizar 3. Criação de Usuário 4. Criando um Projeto 5. Criando uma meta: 6. Criando uma Tarefa 7. Calendário 8. Mensagens ou

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

Apresentação Comercial

Apresentação Comercial Apresentação Comercial Quem Somos O HANT é uma vertical da empresa NDDigital, com foco em desenvolver soluções através de software e serviços direcionados a atender a cadeia de compra das empresas, desde

Leia mais

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA Coordenação-Geral de Administração e Tecnologia da Informação Coordenação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9 TÍTULO: ASSUNTO: GESTOR: TERMO DE REFERÊNCIA Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD DITEC/GECOQ Gerência de Controle e Qualidade ELABORAÇÃO: PERÍODO: GECOQ Gerência de Controle e

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro ABNT NBR ISO/IEC 27002 Aquisição, desenvolvimento e manutenção de sistemas de informação O desenvolvimento de um SI Ciclo de desenvolvimento

Leia mais

As partes interessadas incluem todos os membros da equipe de projetos, assim como todas entidades interessadas, tanto externas quanto internas; Cabe

As partes interessadas incluem todos os membros da equipe de projetos, assim como todas entidades interessadas, tanto externas quanto internas; Cabe Aula 04 1 2 As partes interessadas incluem todos os membros da equipe de projetos, assim como todas entidades interessadas, tanto externas quanto internas; Cabe ao gestor de projetos compreender e gerenciar

Leia mais

Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce

Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce Facilitando Negócios Conectando softwares com Magento Plataforma de E-Commerce Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce Este documento

Leia mais

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427 7.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução, possibilitando a correção de desvios e a retroalimentação permanente

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

Tópicos Especiais em Sistemas de Telecomunicações IV

Tópicos Especiais em Sistemas de Telecomunicações IV Sumário Tópicos Especiais em Sistemas de Telecomunicações IV Modelagem de Sistemas de Software Departamento de Engenharia de Telecomunicações Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense Setembro

Leia mais

Sistema de Controle de Bolsas e Auxílios - SCBA

Sistema de Controle de Bolsas e Auxílios - SCBA Sistema de Controle de Bolsas e Auxílios - SCBA Manual de Utilização Perfil Beneficiário 1. 2. Objetivo do Manual... 2 Siglas e Abreviações... 2 3. Perfil do Usuário... 2 4. Descrição Geral do Sistema...

Leia mais

Submissão de Projetos de Pesquisa

Submissão de Projetos de Pesquisa Submissão de Projetos de Pesquisa Versão 2.0 1 Versão Autor Data Descrição 1.0 Equipe suporte 13/10/2011 Criação do Plataforma Brasil documento 1.1 Equipe suporte Plataforma Brasil 1.2 Equipe suporte Plataforma

Leia mais

Sigec. Soluções para Gestão de Terceiros

Sigec. Soluções para Gestão de Terceiros Sigec Soluções para Gestão de Terceiros Os Clientes ECUADOR O que é É o outsourcing dos processos operacionais de Cadastramento, Homologação e Monitoramento Documental dos Fornecedores, garantindo uma

Leia mais

Automação do Processo de Instalação de Softwares

Automação do Processo de Instalação de Softwares Automação do Processo de Instalação de Softwares Aislan Nogueira Diogo Avelino João Rafael Azevedo Milene Moreira Companhia Siderúrgica Nacional - CSN RESUMO Este artigo tem como finalidade apresentar

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROJETO

PLANEJAMENTO DO PROJETO PLANEJAMENTO DO PROJETO 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO O presente projeto foi aberto para realizar a gestão de todos os processos de prestação de serviços de informática, fornecimento de licença de uso perpétua,

Leia mais

MÓDULO EXTERNO SISTEMA DE EMISSÃO DE LICENÇAS - CITES IBAMA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVAVÉIS

MÓDULO EXTERNO SISTEMA DE EMISSÃO DE LICENÇAS - CITES IBAMA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVAVÉIS MANUAL DO USUÁRIO MÓDULO EXTERNO SISTEMA DE EMISSÃO DE LICENÇAS - CITES IBAMA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVAVÉIS Elaborado por Soraya Silva Revisado por Naiana Lima

Leia mais

ANEXO VII GLOSSÁRIO 1

ANEXO VII GLOSSÁRIO 1 ANEXO VII GLOSSÁRIO 1 Termo Ambiente de Desenvolvimento Ambiente de Homologação Ambiente de Produção Ambiente de Teste Aplicativo Basileia Basileia II BNDES Descrição Ambiente onde propriamente são desenvolvidas

Leia mais

Implantação NG ADM. Setor Implantação

Implantação NG ADM. Setor Implantação Implantação NG ADM Setor Implantação Este treinamento faz parte da Metodologia Geral de implantação ( Manual de serviços ) Tem o foco teórico É flexível e pode ser adaptada Ainda está em evolução Orientações

Leia mais

Funcionários. Adicionar Funcionários. Abaixo na tela clicar no botão. *Dados obrigatórios: Matrícula, Nome, PIS e data de admissão

Funcionários. Adicionar Funcionários. Abaixo na tela clicar no botão. *Dados obrigatórios: Matrícula, Nome, PIS e data de admissão Funcionários Adicionar Funcionários Abaixo na tela clicar no botão *Dados obrigatórios: Matrícula, Nome, PIS e data de admissão Funcionários Aplicar escala a um funcionário Selecione o(s) funcionário(s)

Leia mais

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE INTRODUÇÃO Na intenção de realizar um novo sistema financeiro para a gestão de recursos de convênios celebrados pela Academia Brasileira de Ciências, o setor de informática juntamente com o setor financeiro

Leia mais

Desenvolvimento da Iluminação Pública no Brasil. Sistemas de gestão da iluminação pública

Desenvolvimento da Iluminação Pública no Brasil. Sistemas de gestão da iluminação pública 14 Capítulo IX Sistemas de gestão da iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* Conforme apresentado no capítulo anterior, uma das oportunidades de melhoria na iluminação pública justamente refere-se

Leia mais

ISO/IEC 17799. Informação

ISO/IEC 17799. Informação ISO/IEC 17799 Norma de Segurança da Norma de Segurança da Informação Segurança da Informação Segundo a norma ISO/IEC 17799, é a proteção contra um grande número de ameaças às informações, de forma a assegurar

Leia mais

Manual de Utilização. Sistema CotaOnline

Manual de Utilização. Sistema CotaOnline Manual de Utilização Sistema CotaOnline Versão usuário final Sistema desenvolvido pela equipe de desenvolvimento ANA/SGH/GPLAN/Telemetria. Versão 2 Agência Nacional de Águas ANA Superintendência da Gestão

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO DE PROVIDÊNCIAS INICIAIS Março/2014 V 1.1 REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS

CATÁLOGO DE SERVIÇOS Partner MASTER RESELLER CATÁLOGO DE SERVIÇOS SUPORTE TÉCNICO in1.com.br Explore Mundo! seu Conteúdo 1 - Objetivo 2 - Serviços prestados por meio do contrato de manutenção e suporte anual 2.1 - Primeira

Leia mais

Plataforma Brasil Versão 3.0

Plataforma Brasil Versão 3.0 Plataforma Brasil Versão 3.0 Histórico de Revisão do Manual Versão do Sistema 3.0 3.0 Autor Data Descrição Assessoria Plataforma Brasil 06/05/2015 Assessoria Plataforma Brasil 17/09/2015 Criação do Documento

Leia mais

Footprints Service Core. Manual de uso do sistema

Footprints Service Core. Manual de uso do sistema Footprints Service Core Manual de uso do sistema Sumário Acessando o sistema... 3 Visão geral... 4 Criação de chamados... 5 Acompanhamento de chamados... 7 Compartilhamento de chamados... 8 Notificações...

Leia mais

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA Service Desk Sumário Apresentação O que é o Service Desk? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. 1. Descrição Geral Este manual descreve as operações disponíveis no módulo VTWEB Client, cuja finalidade é gerenciar cadastros de funcionários, realização de pedidos e controle financeiro dos pedidos.

Leia mais

Etapa 5 Transmissão dos Arquivos XML

Etapa 5 Transmissão dos Arquivos XML Etapa 5 Transmissão dos Arquivos XML Transmissões Semanais Arquivos XML Realizadas pelo Farmacêutico Responsável Técnico Datas Sequenciais Conexão à internet Somente 1 arquivo por dia O arquivo deve ter

Leia mais

Request for Proposal RFP

Request for Proposal RFP Request for Proposal RFP Termos Gerais (RFP - Prestação de serviço de consultoria - ISO 20000-1:2011) Ditec - GovTI - Metodologias e Padrões Sumário Introdução... 2 1. Objetivo... 2 2. Termos e Condições...

Leia mais

Manual para Transportadoras

Manual para Transportadoras Índice 1 Objetivo... 3 2 O Projeto e-suprir... 3 3 Introdução... 3 4 Informações Básicas... 4 4.1 Painel de Controle Compras... 4 5 Acessando o Pedido... 5 6 Digitando o Espelho de Nota Fiscal... 7 6.1

Leia mais

MATERIAL PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO FIPLAN

MATERIAL PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO FIPLAN Guia de Capacitação Concessão de Cotas Financeiras Versão 1.0 outubro 2012 MATERIAL PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO FIPLAN MÓDULO: PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA INSTRUTOR: CARLOS ALBERTO PEREIRA LIMA COLABORADORES

Leia mais

GUIA ORIENTAÇÕES AOS CARTÓRIOS SOBRE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GERID: MÓDULOS GID E GPA

GUIA ORIENTAÇÕES AOS CARTÓRIOS SOBRE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GERID: MÓDULOS GID E GPA GUIA ORIENTAÇÕES AOS CARTÓRIOS SOBRE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GERID: MÓDULOS GID E GPA 28/07/2015 COORDENAÇÃO-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO DE INFORMAÇÕES DE SEGURADOS - CGAIS Divisão de Integração de Cadastros

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultor (a) para desenvolver, treinar e implantar o Sistema de Gestão de Projetos do IBAMA. 2 JUSTIFICATIVA 2.1 Contextualização: O

Leia mais

Elaborado por SIGA-EPT. Projeto SIGA-EPT: Manual Usuário Financeiro Parte 1

Elaborado por SIGA-EPT. Projeto SIGA-EPT: Manual Usuário Financeiro Parte 1 Elaborado por SIGA-EPT Projeto SIGA-EPT: Manual Usuário Financeiro Parte 1 Versão Setembro - 2010 Sumário 1 Introdução 4 2 Financeiro 5 2.1 Incluir Novo Orçamento................................ 6 2.2

Leia mais

Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008

Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008 Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008 ÍNDICE 3 4 RECOMENDAÇÕES DE HARDWARE PARA O TRACEGP TRACEMONITOR - ATUALIZAÇÃO E VALIDAÇÃO DE LICENÇAS 2 1. Recomendações de Hardware para Instalação do TraceGP Este

Leia mais

Manual de Procedimentos Para Recrutamento e Seleção

Manual de Procedimentos Para Recrutamento e Seleção Manual de Procedimentos Para Recrutamento e Seleção Versão: V0_0_10 Data: 13 de setembro de 2013 Procedimentos para recrutamento e seleção de servidores por processo seletivo público. Diretoria Geral de

Leia mais

Controle de Almoxarifado

Controle de Almoxarifado Controle de Almoxarifado Introdução O módulo de Controle de Almoxarifado traz as opções para que a empresa efetue os cadastros necessários referentes a ferramentas de almoxarifado, além do controle de

Leia mais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Será utilizado o seguinte critério: Atende / Não atende (Atende em parte será considerado Não atende) Item Itens a serem avaliados conforme

Leia mais

Governança de TI B Aula 02

Governança de TI B Aula 02 Prof. Tiago Aguirre 1 Governança de TI B Aula 02 Objetivos da Aula Revisar e aprofundar os fatos motivadores e objetivos da Governança de TI Entender como atender as regulamentações de Compliance Fatores

Leia mais

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MECANISMOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O Ciclo da Governança de T.I. ALINHAMENTO

Leia mais

ÍNDICE. 1. SAM Sistema de Auto Atendimento Millennium. 2. Apresentação. 3. Acessos 3.1. Via Internet 3.2. Via link direto

ÍNDICE. 1. SAM Sistema de Auto Atendimento Millennium. 2. Apresentação. 3. Acessos 3.1. Via Internet 3.2. Via link direto ÍNDICE 1. SAM Sistema de Auto Atendimento Millennium 2. Apresentação 3. Acessos 3.1. Via Internet 3.2. Via link direto 4. Inclusão de chamados 4.1. Incluindo um novo chamado 5. Analisando chamados em aberto

Leia mais

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI SERVICE DESK MANAGER SDM Manual do Sistema - DPOI Conteúdo SERVICE DESK MANAGER SDM... 1 Manual do Sistema - DPOI... 1 INTRODUÇÃO... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 OPÇÕES DO SISTEMA... 6 SISTEMA... 7 Pesquisar

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada

CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada CONSULTA PÚBLICA O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES está preparando processo licitatório para contratação de serviços de consultoria técnica especializada, conforme detalhado

Leia mais

Agenda. A Empresa História Visão Conceito dos produtos

Agenda. A Empresa História Visão Conceito dos produtos Agenda A Empresa História Visão Conceito dos produtos Produto Conceito Benefícios Vantagens: Criação Utilização Gestão Segurança Integração Mobilidade Clientes A empresa WF História Em 1998, uma ideia

Leia mais

FUNCIONALIDADES DA ABA CEP NA PLATBR

FUNCIONALIDADES DA ABA CEP NA PLATBR FUNCIONALIDADES DA ABA CEP NA PLATBR Versão 4.0 Histórico de Revisão do Manual Versão Autor Data Descrição Equipe suporte Criação do 1.0 Plataforma Brasil 14/09/2012 Documento 1.1 2.0 3.0 4.0 Equipe suporte

Leia mais

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP MANUAL DO USUÁRIO Portal de Relacionamento - Manual do usuário... 1 SUMÁRIO 1. Informações gerais... 3 2. Sobre este documento... 3 3. Suporte técnico... 3 4. Visão Geral

Leia mais

Casos de Sucesso. Cliente. Deloitte Touche Tohmatsu Consultores LTDA

Casos de Sucesso. Cliente. Deloitte Touche Tohmatsu Consultores LTDA Casos de Sucesso Cliente Deloitte Touche Tohmatsu Consultores LTDA Deloitte Touche Tohmatsu Consultores LTDA Perfil da empresa A Deloitte é uma das maiores empresas do mundo na prestação de serviços profissionais

Leia mais

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Questionário básico de Segurança da Informação com o objetivo de ser um primeiro instrumento para você avaliar, em nível gerencial, a efetividade

Leia mais

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português 1 de 7 28/10/2012 16:47 SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português RESULTADO DO SIMULADO Total de questões: 40 Pontos: 0 Score: 0 % Tempo restante: 55:07 min Resultado: Você precisa

Leia mais

RESPOSTA AO QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME.

RESPOSTA AO QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME. RESPOSTA AO QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME. Brasília, 10 de fevereiro de 2010. Pregão n 062/2009 Lote 1: Lote 2: Operação, Gerenciamento de Redes, Servidores, Storage & Archive,

Leia mais

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com.

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com. Tactium Tactium CRManager CRManager TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades 1 O TACTIUM CRManager é a base para implementar a estratégia de CRM de sua empresa. Oferece todo o suporte para personalização

Leia mais

6.1. Inserir... 09 6.2. Consultar... 10 6.3. Listar Todos... 11 6.4. Alterar... 12 7. BENEFÍCIOS... 12

6.1. Inserir... 09 6.2. Consultar... 10 6.3. Listar Todos... 11 6.4. Alterar... 12 7. BENEFÍCIOS... 12 Sumário 1. APRESENTAÇÃO INICIAL... 03 2. EMPRESA... 03 3. UNIDADE... 03 3.1. Consultar... 03 3.2. Listar Todas... 04 4. SETOR... 05 4.1. Consultar... 05 4.2. Inserir... 05 4.3. Listar... 06 5. FUNÇÃO...

Leia mais

Manual de Treinamento. Área do Membro

Manual de Treinamento. Área do Membro Manual de Treinamento Área do Membro 0 Contents Geral... 2 Transações... 3 Negociação e Estoque... 10 Licenças... 15 Mercado... 19 Finanças... 22 Fazer uma Declaração de Venda... 27 Fazer uma Declaração

Leia mais

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Os papéis do executivo de RH Pessoas são os principais ativos de uma empresa e o executivo de Recursos Humanos (RH), como responsável por administrar

Leia mais

Identificação do Órgão/Unidade:Tribunal Superior Eleitoral/STI/COINF/SEPD Service Desk

Identificação do Órgão/Unidade:Tribunal Superior Eleitoral/STI/COINF/SEPD Service Desk Identificação do Órgão/Unidade:Tribunal Superior Eleitoral/STI/COINF/SEPD Service Desk E-mail para contato: supervisao@tse.gov.br Nome trabalho/projeto: Suporte em TI baseado em sistema de gestão da qualidade

Leia mais

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio?

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? A Tecnologia da Informação vem evoluindo constantemente, e as empresas seja qual for seu porte estão cada

Leia mais

A Gestão por Processos e a Automação na Administração de Pessoal. Paulo Beck Agens TI paulo.beck@agens.com.br www.agens.com.br

A Gestão por Processos e a Automação na Administração de Pessoal. Paulo Beck Agens TI paulo.beck@agens.com.br www.agens.com.br A Gestão por Processos e a Automação na Administração de Pessoal Paulo Beck Agens TI paulo.beck@agens.com.br www.agens.com.br Os Principais Elementos na Realização das Atividades nos Escritórios Pessoas

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

O Banco do Nordeste do Brasil S.A. deseja conhecer as opções de solução fiscal e de gestão tributária existentes no mercado.

O Banco do Nordeste do Brasil S.A. deseja conhecer as opções de solução fiscal e de gestão tributária existentes no mercado. O., situado à Avenida Pedro Ramalho, 5700, Bairro Passaré Fortaleza-CE, através do Projeto Estratégico Sistema Integrado de Gestão Empresarial Aquisição e Implantação de ERP (Enterprise Resources Planning)

Leia mais

Análise Estruturada de Sistemas

Análise Estruturada de Sistemas Análise Estruturada de Sistemas Capítulo 3 Estudo de Viabilidade Definição das Necessidades Funcionais O propósito desta etapa é produzir um documento formal que contenha uma descrição detalhada da proposta,

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único Instrução Operacional nº 35 SENARC/MDS Brasília, 15 de abril de 2010. Assunto: Divulga as orientações necessárias para a solicitação de cadastramento de usuários municipais no novo sistema de Cadastro

Leia mais

Administração 8º Período

Administração 8º Período Administração 8º Período Disciplina: Sistemas de Informação Plano Diretor de TI Prof: Mafran Oliveira 1 Plano Diretor de Sistemas de Informação Definição: Conjunto estruturado de ações integradas, devidamente

Leia mais

MANUAL SISTEMA DE GERENCIAMENTO WWW.REDERENALI.COM.BR

MANUAL SISTEMA DE GERENCIAMENTO WWW.REDERENALI.COM.BR MANUAL SISTEMA DE GERENCIAMENTO WWW.REDERENALI.COM.BR MANUAL SISTEMA GERENCIAMENTO RENALI- Versão 3 Maio 2012 WWW.REDERENALI.COM.BR INTRODUÇÃO ACESSO VISÃO GERAL VISÃO DO PROJETO FORMULÁRIOS CADASTRO DE

Leia mais

P4-MPS.BR - Prova de Conhecimento do Processo de Aquisição do MPS.BR

P4-MPS.BR - Prova de Conhecimento do Processo de Aquisição do MPS.BR Data: 12 de Dezembro de 2006 Brasília) Horário: 13:00 às 17:00 horas (hora de e-mail: Nota: INSTRUÇÕES Você deve responder a todas as questões. O total máximo de pontos da prova é de 100 pontos (100%),

Leia mais

Plano de Gerência de Configuração

Plano de Gerência de Configuração Plano de Gerência de Configuração Objetivo do Documento Introdução A aplicação deste plano garante a integridade de códigos-fonte e demais produtos dos sistemas do, permitindo o acompanhamento destes itens

Leia mais

Guia de Recursos e Funcionalidades

Guia de Recursos e Funcionalidades Guia de Recursos e Funcionalidades Sobre o Treasy O Treasy é uma solução completa para Planejamento e Controladoria, com o melhor custo x benefício do mercado. Confira alguns dos recursos disponíveis para

Leia mais