ANEXO II PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO II PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER"

Transcrição

1 PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS 1.1. PERFIL DE TÉCNICO EM INFORMÁTICA: DESCRIÇÃO DO PERFIL: O profissional desempenhará todas as atividades que envolvam serviços de operação, monitoração e apoio técnico em ambientes de Plataforma Centralizada (Mainframe) e em Plataforma Aberta EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL EXIGIDA: Tempo mínimo de experiência: 5 (cinco) anos em atividades relacionadas ao perfil indicado, comprovados através da CTPS ou de cópia autenticada de contratos de prestação de serviços QUANTIDADE DE PROFISSIONAIS PARA ESTE PERFIL: 25 (vinte e cinco) REGIME DE TRABALHO: Estes profissionais trabalharão 6 (seis) horas diárias distribuídos nos turnos abaixo: Dias úteis Horário De 07:00h às 13:00h De 13:00h às 19:00h De 19:00h às 01:00h De 01:00h às 07:00h (de terça a sábado) Total Quantidade 20 (vinte) 5 (cinco) 5 (cinco) 5 (cinco) 5 (cinco) Horário De 07:00h às 13:00h De 13:00h às 19:00h De 19:00h às 01:00h Total Sábados e Feriados Quantidade 4 (quatro) 2 (dois) 1 (um) 1 (um) Domingos Horário De 01:00h às 07:00h ou 07:00h às 13:00h (conforme necessidade do Banco) Total Quantidade 1 (um) 1 (um) EXPERIÊNCIA, CONHECIMENTOS E HABILIDADES EXIGIDAS: a) Conhecimento de arquitetura de Plataforma centralizada (Mainframe); b) Conhecimento de Banco de Dados DMSII, Oracle e SQL; c) Conhecimento de Teleprocessamento e Administração de Redes Locais; d) Fundamentos de linguagem de programação; e) Conhecimentos de ferramentas e sistemas operacionais de microcomputadores; f) Sistema operacional da Plataforma centralizada e da Plataforma Aberta; g) Programação e Controle da Produção; h) Gerenciador de Banco de Dados; PP Anexo02-Perfil dos técnicos e analistas.odt 1

2 i) Controle/Manutenção da Fitoteca; j) Protocolo TCP/IP; k) Rede BNA; l) Gerenciamento de Backup PRINCIPAIS HABILIDADES, ATIVIDADES A DESENVOLVER E RESULTADOS a) Preparar, executar e promover a manutenção das rotinas e serviços de produção; b) Preparar e executar os serviços eventuais solicitados, de acordo com as prioridades e recursos disponíveis, controlando e conferindo o processamento realizado e garantindo os prazos assumidos; c) Preparar e executar as solicitações de serviços programadas e as emergenciais, controlando a carga de máquina; d) Monitorar os recursos computacionais disponíveis em termos de funcionamento, performance, capacidade de recursos de hardware e software do ambiente de processamento de dados, garantindo a sua disponibilidade; e) Monitorar o funcionamento e performance das Aplicações e Serviços; f) Monitorar e controlar as transmissões/recepções de dados para o processamento dos Sistemas e Serviços; g) Monitorar, controlar e executar as rotinas de salvas, recuperação, limpeza, guarda e reorganização de dados; h) Monitorar os aplicativos transacionais ("on-line") zelando pelo seu pleno funcionamento, inclusive acionando outras áreas envolvidas, quando necessário; i) Assegurar as condições ambientais, a operacionalidade e a disponibilidade dos equipamentos e serviços de processamento sob a responsabilidade da área; j) Registrar e apurar as ocorrências de processamento verificados com os sistemas, equipamentos e demais recursos, tomando as providências necessárias para manter a estabilidade, a disponibilidade e a regularidade dos serviços; k) Manter as demais áreas técnicas internas informadas de quaisquer indisponibilidade dos ambientes de processamento de dados ou de aplicativos em produção, visando o atendimento e informações aos usuários; l) Monitorar, confirmar recebimento/envio dos arquivos transmitidos entre o BRB e o cliente, verificar se os arquivos transferidos foram processados corretamente no BRB; m) Monitorar SPB, mensagens, filas e canais, robôs, log s de erro e mensagens; n) Monitorar espaço em disco ocupados pelos sistemas corporativos, descrição, disco cheio, erro de conexão (servidor/rede/banco de dados), falta de arquivo, processo em loop; PP Anexo02-Perfil dos técnicos e analistas.odt 2

3 1.2. PERFIL DE TÉCNICO DE REDES DESCRIÇÃO DO PERFIL: O profissional desempenhará todas as atividades que envolvam suporte operacional e administração de redes EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL EXIGIDA: Tempo mínimo de experiência: 6((seis) anos em atividades relacionadas ao perfil indicado, comprovados através da CTPS ou de cópia autenticada de contratos de prestação de serviços QUANTIDADE DE PROFISSIONAIS PARA ESTE PERFIL: 9 (nove) REGIME DE TRABALHO: Estes profissionais trabalharão 8 (oito) horas diárias, de segunda à sexta-feira, distribuídos entre os horários de 07:00h às 19:00h EXPERIÊNCIA, CONHECIMENTOS E HABILIDADES EXIGIDAS: a) Conhecimento de Placa-mãe, processadores, memórias (ram, rom e cachê), chipsets, drives, hard-disks, barramentos (ISA, VESA LOCAL BUS, PCI, AGP), fones e cabeamentos; b) Comandos básicos do DOS; c) Instalação de sistemas computacionais; d) Conhecimentos em configuração do setup básico e avançado; e) Conhecimento de topologia de redes lógica e física; f) Componentes de rede: Protocolos (TCP/IP), Servidores, Estações de Trabalho, Recursos compartilhados, Placas de Redes, Cabos Hubs, Roteadores, Pontes PRINCIPAIS HABILIDADES, ATIVIDADES A DESENVOLVER E RESULTADOS a) Montar e configurar microcomputadores; b) Montar e desmontar gabinete; c) Instalar de forma física e configurar de forma lógica placa de vídeo, kit multimídia, fax modem, impressora e teclado; d) Transferir dados em dispositivos de armazenamento; e) Instalar de forma física e configurar de forma lógica placa de rede; f) Configurar uma rede ponto a ponto; g) Fazer compartilhamento de redes, uso de recursos, configuração de vários grupos; h) Projetar uma rede; i) Montar rede Cliente/Servidor; j) Instalar sistemas operacionais; k) Administrar uma rede; l) Criar contas de usuários; m) Fazer configuração de políticas de segurança; n) Configurar clientes na rede; PP Anexo02-Perfil dos técnicos e analistas.odt 3

4 o) Dar suporte às funcionalidades do correio eletrônico; p) Configurar e operacionalizar os recursos computacionais (hardware/software) de sistemas, zelando pelo perfeito, seguro e contínuo funcionamento dos ambientes; q) Prestar suporte técnico especializado no âmbito do ambiente computacional web de desenvolvimento, homologação e produção PERFIL DE TÉCNICO DE MANUTENÇÃO DESCRIÇÃO DO PERFIL: O profissional desempenhará todas as atividades que envolvam suporte operacional e administração de redes EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL EXIGIDA: Tempo mínimo de experiência: 6 (seis) anos em atividades relacionadas ao perfil indicado, comprovados através da CTPS ou de cópia autenticada de contratos de prestação de serviços QUANTIDADE DE PROFISSIONAIS PARA ESTE PERFIL: 2 (dois) REGIME DE TRABALHO: Estes profissionais trabalharão 6 (seis) horas diárias, em regime de plantão, distribuídos nos turnos: De segunda à sexta-feira, de 19:00h às 01:00h 1 profissional; De terça-feira à sábado, de 01:00h às 07:00h 1 profissional EXPERIÊNCIA, CONHECIMENTOS E HABILIDADES EXIGIDAS: a) Conhecimento de Placa-mãe, processadores, memórias (ram, rom e cachê), chipsets, drives, hard-disks, barramentos (ISA, VESA LOCAL BUS, PCI, AGP), fones e cabeamentos; b) Comandos básicos do DOS; c) Instalação de sistemas computacionais; d) Conhecimentos em configuração do setup básico e avançado; e) Conceitos de redes; f) Topologia de rede; g) Componentes de rede: Protocolos (TCP/IP), Servidores, Estações de Trabalho, Recursos compartilhados, Placas de Redes, Cabos Hubs, Roteadores, Pontes PRINCIPAIS HABILIDADES, ATIVIDADES A DESENVOLVER E RESULTADOS a) Montar e configurar microcomputadores; b) Montar e desmontar gabinete; c) Instalar de forma física e configurar de forma lógica placa de vídeo, kit multimídia, fax modem, impressora e teclado; d) Transferir dados em dispositivos de armazenamento; e) Instalar de forma física e configurar de forma lógica placa de rede; f) Configurar uma rede ponto a ponto; PP Anexo02-Perfil dos técnicos e analistas.odt 4

5 g) Fazer compartilhamento de redes, uso de recursos, configuração de vários grupos; h) Projetar uma rede; i) Montar rede Cliente/Servidor; j) Instalar sistemas operacionais; k) Administrar uma rede; l) Criar contas de usuários; m) Fazer configuração de políticas de segurança; n) Configurar clientes na rede; o) Dar suporte às funcionalidades do correio eletrônico; p) Configurar e operacionalizar os recursos computacionais (hardware/software) de sistemas, zelando pelo perfeito, seguro e contínuo funcionamento dos ambientes; q) Prestar suporte técnico especializado no âmbito do ambiente computacional web de desenvolvimento, homologação e produção. 2. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS PARA PREENCHIMENTO DAS VAGAS DE ANALISTAS: 2.1. Curso superior em entidade de ensino reconhecida pelo MEC nas áreas de informática, tais como: Engenharia de Sistemas, Ciência da Computação, Tecnologia em Processamento de Dados ou similar No caso do profissional não possuir curso superior em uma das áreas de conhecimento relacionadas à informática, será aceita formação acadêmica complementar desde que seja Pós Graduação Lato Sensu e/ou Stricto Sensu ou Especialização; 2.3. Caso o profissional não possua curso superior nas áreas de conhecimento relacionadas à informática, a formação acadêmica complementar deverá ter carga horária mínima de 360 horas contendo no seu programa assuntos relacionados a: tecnologia da informação, sistemas computacionais, comunicação de dados e telecomunicações, gerenciamento de banco de dados, internet, redes de computadores e desenvolvimento de sistemas de informação; 2.4. É facultado ao BRB o direito de análise curricular e entrevista dos profissionais a serem alocados em cada perfil descrito no item abaixo PERFIS DE ANALISTAS PERFIL DE ANALISTA DE PRODUÇÃO DESCRIÇÃO DO PERFIL: Este analista desempenhará todas as atividades pertinentes aos serviços de planejamento e suporte técnico aos ambientes em Plataformas Centralizadas (Mainframe) e em Plataformas Abertas EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL EXIGIDA: Tempo mínimo de experiência: 5 (cinco) anos em atividades relacionadas ao perfil indicado, comprovados através da CTPS ou de cópia autenticada de contratos de prestação de serviços. PP Anexo02-Perfil dos técnicos e analistas.odt 5

6 QUANTIDADE DE PROFISSIONAIS PARA ESTE PERFIL: 6 (seis) REGIME DE TRABALHO: Estes profissionais trabalharão 8 (oito) horas diárias, de segunda à sexta-feira, distribuídos entre os horários de 07:00h às 19:00h EXPERIÊNCIA, CONHECIMENTOS E HABILIDADES EXIGIDAS: a) Domínio de arquitetura de Plataforma centralizada (Mainframe) e de Plataforma Aberta; b) Domínio de Banco de Dados DMSII,Oracle e SQL; c) Domínio de Teleprocessamento e Administração de Redes Locais; d) Fundamentos de linguagem de programação; e) Domínio de ferramentas e sistemas operacionais de microcomputadores; f) Sistema operacional da Plataforma centralizada e da Plataforma Aberta; g) Programação e Controle da Produção; h) Gerenciador de Banco de Dados; i) Controle/Manutenção da Fitoteca; j) Protocolo TCP/IP; k) Rede BNA; l) Gerenciamento de Backup; m) Domínio de Editor de Arquivo; n) Conhecimento em ITIL ou COBIT ou COSO PRINCIPAIS HABILIDADES, ATIVIDADES A DESENVOLVER E RESULTADOS a) Planejar de forma sistémica, os ambientes em Plataforma Centralizada e em Plataforma Aberta; b) Preparar, executar e promover a manutenção das rotinas e serviços de produção, homologação e desenvolvimento; c) Preparar e executar os serviços eventuais solicitados, de acordo com as prioridades e recursos disponíveis, controlando e conferindo o processamento realizado e garantindo os prazos assumidos; d) Preparar e executar as solicitações de serviços programadas e as emergenciais, controlando a carga de máquina; e) Planejar e implementar rotinas de backup; f) Planejar e implementar rotinas de recuperação de ambiente; g) Desenvolver e fazer prospecção, pesquisa de mercado, avaliação de ferramentas de monitoração de rotinas em processamento; h) Implantar rotinas em produção; i) Avaliar riscos do ambiente de produção, desenvolvimento e homologação, tanto da alta plataforma como da baixa plataforma; j) Controlar os ambientes em Plataforma Centralizada e em Baixa Plataforma; k) Controlar os recursos computacionais, visando manter o ambiente estável e com carga distribuída para não comprometer a performance dos servidores e maiframe; PP Anexo02-Perfil dos técnicos e analistas.odt 6

7 l) Planejar e implementar rotinas de contingência; m) Planejar e implementar rotinas de testes de sistemas; n) Planejar e implementar rotinas de homologação de sistemas; o) Avaliar impactos em produção; p) Manter a segurança do ambiente operacional; q) Promover e realizar apresentação e discussão técnica; r) Dar suporte de produção às áreas de sistemas e infra-estrutura; s) Manter atualizado os manuais, relatórios e documentação técnica relativa a área PERFIL DE ANALISTA OPERACIONAL DE REDES: DESCRIÇÃO DO PERFIL: Este analista desempenhará todas as atividades pertinentes ao suporte operacional e administração de ativos de rede e comunicação; EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL EXIGIDA: Mínimo de 5 (cinco) anos da experiência tenha sido adquirida em ambientes computacionais Windows 2000 e LINUX; Comprovação: Participação de cursos de especialização cujo o somatório das cargas horárias totalize no mínimo 500 horas, ou no mínimo duas certificações relacionadas abaixo (comprovadas através de transcript). No caso de cursos cujos conteúdos programáticos sejam equivalentes, somente será considerado o de maior carga horária; a) Installing, Configuring, and Administering Microsoft Windows 2000 Professional; b) Installing, Configuring, and Administering Microsoft Windows XP Professional; c) Installing, Configuring, and Administering Microsoft Windows 2000 Server; d) Managing and Maintaining a Microsoft Windows Server 2003 Environment; e) Installing, Configuring, and Administering Microsoft Exchange 2000 Server; f) Designing a Microsoft Windows 2000 Directory Services Infrastructure; g) Implementing, Managing, and Maintaining a Microsoft Windows Server 2003 Network Infrastructure QUANTIDADE DE PROFISSIONAIS PARA ESTE PERFIL: 5 (cinco) REGIME DE TRABALHO: Estes profissionais trabalharão 8 (oito) horas diárias, distribuídos da seguinte forma: De segunda à sexta-feira, os horários de 06:00h às 22:00h 4 profissionais. De segunda à sexta-feira, no horário de 22h às 06:00 1 profissional. Haverá Sobreaviso das 06:00h do sábado às 06:00h da segunda-feira EXPERIÊNCIA, CONHECIMENTOS E HABILIDADES EXIGIDAS: a) Domínio de arquitetura de Plataforma centralizada (Mainframe) e de Plataforma Aberta; PP Anexo02-Perfil dos técnicos e analistas.odt 7

8 b) Domínio de Banco de Dados DSMSII, Oracle e SQL; c) Domínio de Teleprocessamento e Administração de Redes Locais; d) Fundamentos de linguagem de programação; e) Domínio de ferramentas e sistemas operacionais de microcomputadores; f) Sistema operacional da Plataforma centralizada e da Plataforma Aberta; g) Programação e Controle da Produção; h) Gerenciador de Banco de Dados; i) Controle/Manutenção da Fitoteca; j) Protocolo TCP/IP; k) Rede BNA; l) Gerenciamento de Backup; m) Domínio de Editor de Arquivo; n) Conhecimento em ITIL ou COBIT ou COSO PRINCIPAIS HABILIDADES, ATIVIDADES A DESENVOLVER E RESULTADOS a) Prestar suporte técnico especializado no âmbito do Suporte Básico (Hardware e Software Básicos); b) Configurar e operacionalizar os recursos computacionais (hardware e software) centralizados, treinando, orientando e prestando suporte técnico tempestivo aos seus usuários, quando necessário; c) Apoiar as atividades de desenvolvimento, manutenção e produção (processamento) de sistemas, zelando pelo perfeito, seguro e contínuo funcionamento dos ambientes centralizados; d) Acompanhar e avaliar a performance e o consumo dos recursos de hardware e software do ambiente centralizado, inclusive dos aplicativos internos e de terceiros, atuando preventiva e pró-ativamente; e) Elaborar, implantar e manter programas, facilidades e sistemas de apoio e auxiliares ao planejamento e controle no ambiente centralizado. PP Anexo02-Perfil dos técnicos e analistas.odt 8

ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1 FORMAÇÃO, CONHECIMENTOS E HABILIDADES EXIGIDOS E DESEJÁVEIS:

ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1 FORMAÇÃO, CONHECIMENTOS E HABILIDADES EXIGIDOS E DESEJÁVEIS: ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1 FORMAÇÃO, CONHECIMENTOS E HABILIDADES EXIGIDOS E DESEJÁVEIS: 1.1 CARACTERÍSTICA DO ATUAL AMBIENTE CORPORATIVO MULTIPLATAFORMA DO BRB:

Leia mais

ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS:

ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS: PREGÃO PRESENCIAL Nº 001/2009 1 ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS: 1.1. FORMAÇÃO ACADÊMICA EXIGIDA PARA TODOS OS PERFIS

Leia mais

ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1 FORMAÇÃO, CONHECIMENTOS E HABILIDADES EXIGIDOS E DESEJÁVEIS:

ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1 FORMAÇÃO, CONHECIMENTOS E HABILIDADES EXIGIDOS E DESEJÁVEIS: ANEXO II PERFIL DOS ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1 FORMAÇÃO, CONHECIMENTOS E HABILIDADES EXIGIDOS E DESEJÁVEIS: 1.1 CARACTERÍSTICA DO ATUAL AMBIENTE CORPORATIVO MULTIPLATAFORMA DO BRB:

Leia mais

ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO

ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO CONCORRÊNCIA DIRAD/CPLIC-008/2008 1 ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO 1. INFORMAÇÕES GERAIS E CARACTERÍSTICA DO ATUAL AMBIENTE CORPORATIVO

Leia mais

ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL REQUISITOS MÍNIMOS DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA DOS PROFISSIONAIS QUE DEVERÃO COMPOR AS EQUIPES TÉCNICAS PREVISTAS NESSA CONTRATAÇÃO PARA AMBOS OS LOTES. QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica

BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica 1. Arquitetura da Aplicação 1.1. O Banco Postal utiliza uma arquitetura cliente/servidor WEB em n camadas: 1.1.1. Camada de Apresentação estações de atendimento, nas

Leia mais

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL REGULAMENTO DO PROCESSO SELETIVO Nº 42.15

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL REGULAMENTO DO PROCESSO SELETIVO Nº 42.15 REGULAMENTO DO PROCESSO SELETIVO Nº 42.15 A FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU BRASIL (FPTI-BR) torna público que serão recebidas as inscrições para o Processo Seletivo nº 42.15 sob contratação em regime

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com Conceito, características e classificação das Redes de Computadores; Topologias; Meios físicos de transmissão; Equipamentos de Rede; Segurança;

Leia mais

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%.

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%. Informações de Tecnologia A tecnologia virou ferramenta indispensável para as pessoas trabalharem, se comunicarem e até se divertirem. Computação é a área que mais cresce no mundo inteiro! Esse constante

Leia mais

Banco Postal. Processo de Seleção de Parceiros

Banco Postal. Processo de Seleção de Parceiros Banco Postal Processo de Seleção de Parceiros REQUISITOS TÉCNICOS E DESCRIÇÃO SUMÁRIA DA PLATAFORMA TECNOLÓGICA Anexo 5 do Edital de Chamamento do Banco Postal 1 /8 BANCO POSTAL - Plataforma Tecnológica

Leia mais

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA GERENCIAMENTO DE PROJETOS PRONIM, IMPLANTAÇÃO SQL SERVER GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA Cliente GOVBR, UEM-MARINGA / Prefeitura Municipal de PEROLA Data 10/09/2015 Versão 1.0 Objeto:

Leia mais

BEMATECH LOJA LIVE. Requerimento de Infra-instrutura (servidores no cliente)

BEMATECH LOJA LIVE. Requerimento de Infra-instrutura (servidores no cliente) BEMATECH LOJA LIVE Requerimento de Infra-instrutura (servidores no cliente) Versão 1.0 03 de março de 2011 DESCRIÇÃO Este documento oferece uma visão geral dos requerimentos e necessidades de infra-estrutura

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

BEMATECH LOJA LIVE. Requerimento de Infra-instrutura (utilizando Data center Bematech)

BEMATECH LOJA LIVE. Requerimento de Infra-instrutura (utilizando Data center Bematech) BEMATECH LOJA LIVE Requerimento de Infra-instrutura (utilizando Data center Bematech) Versão 1.0 03 de março de 2011 DESCRIÇÃO Este documento oferece uma visão geral dos requerimentos e necessidades de

Leia mais

Sumário. Capítulo I Introdução à Informática... 13. Capítulo II Hardware... 23. INFORMATICA 29jun.indd 7 22/07/2014 15:18:01

Sumário. Capítulo I Introdução à Informática... 13. Capítulo II Hardware... 23. INFORMATICA 29jun.indd 7 22/07/2014 15:18:01 Sumário Capítulo I Introdução à Informática... 13 1. Conceitos Básicos... 13 2. Hardware... 15 3. Software... 15 4. Peopleware... 16 5. Os Profissionais de Informática:... 16 6. Linguagem de Computador

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Positivo Network Manager 4

Positivo Network Manager 4 Positivo Network Manager 4 O gerenciamento eficiente de informações e de tecnologia da informação (TI) é um fator reconhecidamente crítico na maioria das organizações. As informações e as tecnologias que

Leia mais

Desafio 1 INFORMÁTICA PARA O TRT

Desafio 1 INFORMÁTICA PARA O TRT Desafio 1 INFORMÁTICA PARA O TRT Queridos alunos, vencem o desafio os 3 primeiros alunos a enviar as respostas corretas para o meu e-mail, mas tem que acertar todas... ;-) Vou começar a responder os e-mails

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ASSESSORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ASSESSORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANALISE DA PROPOSTA TÉCNICA DOS PARA EDITAL 0001/010 Profissional: Administrador de Sistemas Alcançada Classificação Habilidades e capacitação Num. De Certificados Pontos a) Descrição do cargo: Atuar como

Leia mais

PORTARIA Nº 7876. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que lhe confere a Legislação vigente,

PORTARIA Nº 7876. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que lhe confere a Legislação vigente, PORTARIA Nº 7876 Dispõe sobre a Norma PSI/N.0001 - Utilização da Estação de Trabalho, nos termos dos arts. 20 e 24, da Resolução nº 041/2010-SPDE. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que

Leia mais

DESCRITIVO DE VAGA (S) Local: SESC C. Grande/MS

DESCRITIVO DE VAGA (S) Local: SESC C. Grande/MS DESCRITIVO DE VAGA (S) Local: SESC C. Grande/MS O SESC/MS torna público que, nos termos da Resolução SESC nº 1163/2008, está aberto processo seletivo para contratação de pessoal, nos termos e condições

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Fundamentos do uso de tecnologia da informação F U P A C V R B P R O F. C H R I S T I E N L. R A C H I D

Fundamentos do uso de tecnologia da informação F U P A C V R B P R O F. C H R I S T I E N L. R A C H I D Fundamentos do uso de tecnologia da informação O USO CONSCIENTE DA TECNOLOGIA PARA O GERENCIAMENTO F U P A C V R B P R O F. C H R I S T I E N L. R A C H I D Organização 1. Vínculo Administração-Tecnologia

Leia mais

REGULAMENTO DO USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO IESUR INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RONDÔNIA

REGULAMENTO DO USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO IESUR INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RONDÔNIA REGULAMENTO DO USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO IESUR INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE RONDÔNIA Tem o presente regulamento a função de nortear as ações e procedimentos necessários ao bom funcionamento

Leia mais

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%.

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%. Informações de Tecnologia A tecnologia virou ferramenta indispensável para as pessoas trabalharem, se comunicarem e até se divertirem. Computação é a área que mais cresce no mundo inteiro! Esse constante

Leia mais

Por que Redes? Estamos cercados por redes: supermercados, lojas, bancos, cinemas, farmácias e inúmeros outros lugares; Com a queda do custo de implementação de redes, é praticamente impossível pensar em

Leia mais

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER TÁSSIO JOSÉ GONÇALVES GOMES tassiogoncalvesg@gmail.com MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 TÁSSIO GONÇALVES - TASSIOGONCALVESG@GMAIL.COM 1 CONTEÚDO Arquitetura

Leia mais

Redes de Computadores e suas classificações. Maurício Severich

Redes de Computadores e suas classificações. Maurício Severich Redes de Computadores e suas classificações Maurício Severich Sumário O computador pessoal e a demanda Redes e suas classificações Conectividade Cliente/Servidor Topologia Distância O computador pessoal

Leia mais

PLANO DE ENSINO/AULA

PLANO DE ENSINO/AULA GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE GESTÃO PEDAGÓGICA E INCLUSÃO EDUCACIONAL COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESCOLA TÉCNICA DE BRASÍLA PLANO DE ENSINO/AULA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA SANTA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO CEP 33400-000 - ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA SANTA COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO CEP 33400-000 - ESTADO DE MINAS GERAIS ERRATA E REABERTURA PROCESSO LICITATÓRIO N 097/2011 MODALIDADE: PREGÃO PRESENCIAL RP N 061/2011 OBJETO: AQUISIÇÃO DE SISTEMA DE ARMAZENAMENTO DE DADOS CENTRALIZADOS (STORAGE) E DE SISTEMA DE CÓPIA DE SEGURANÇA

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS

REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS BREVE HISTÓRICO A década de 60 Surgiram os primeiros terminais interativos, e os usuários podiam acessar o computador central através de linhas de comunicação.

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DIRETORIA DE SUPORTE COMPUTACIONAL VERSÃO 1.0

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DIRETORIA DE SUPORTE COMPUTACIONAL VERSÃO 1.0 CATÁLOGO DE SERVIÇOS DIRETORIA DE SUPORTE COMPUTACIONAL VERSÃO 1.0 2011 1 1. APRESENTAÇÃO No momento de sua concepção não haviam informações detalhadas e organizadas sobre os serviços de Tecnologia da

Leia mais

Arquitetura de Redes. Sistemas Operacionais de Rede. Protocolos de Rede. Sistemas Distribuídos

Arquitetura de Redes. Sistemas Operacionais de Rede. Protocolos de Rede. Sistemas Distribuídos Arquitetura de Redes Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Sistemas Operacionais de Rede NOS Network Operating Systems Sistemas operacionais que trazem recursos para a intercomunicação

Leia mais

Fundamentos de Banco de Dados

Fundamentos de Banco de Dados Fundamentos de Banco de Dados SISTEMAS BASEADOS NO PROCESSAMENTO DE ARQUIVOS Sistema A Funcionário Pagamento Cargo Sistema B Funcionário Projeto SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCO DE DADOS (SGBD) Sistema

Leia mais

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores ÍNDICE Capítulo 1: Introdução às redes de computadores Redes domésticas... 3 Redes corporativas... 5 Servidor... 5 Cliente... 7 Estação de trabalho... 8 As pequenas redes... 10 Redes ponto-a-ponto x redes

Leia mais

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES. Prof. André Dutton

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES. Prof. André Dutton ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Prof. André Dutton EMENTA: Conceitos fundamentais e histórico da ciência da computação; Histórico dos computadores, evolução e tendências; Modalidades de computadores

Leia mais

Comparação SDs X Scs

Comparação SDs X Scs Prof. Alexandre Lima Sistemas Distribuídos Cap 9 1/7 Comparação SDs X Scs Distribuição inerente Economia Velocidade Confiabilidade Crescimento incremental Descrição Algumas aplicações envolvem máquinas

Leia mais

Ementário do Curso Técnico em Informática para Internet

Ementário do Curso Técnico em Informática para Internet 1 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Rio de Janeiro - IFRJ Pró-Reitoria de Ensino Médio e Técnico Campus Engenheiro Paulo de Frontin Direção de

Leia mais

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%.

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%. Números de tecnologia 630 mil é o número de novos postos de trabalho em TI até 2009 9 em cada 10 PC s vendidos saem com Microsoft Windows 47% da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado

Leia mais

LIGANDO MICROS EM REDE

LIGANDO MICROS EM REDE LAÉRCIO VASCONCELOS MARCELO VASCONCELOS LIGANDO MICROS EM REDE Rio de Janeiro 2007 ÍNDICE Capítulo 1: Iniciando em redes Redes domésticas...3 Redes corporativas...5 Servidor...5 Cliente...6 Estação de

Leia mais

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados;

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados; PLANO DE CURSO Disciplina Competências Habilidades Bases Tecnológicas INGLÊS TÉCNICO Aumentar e consolidar o seu vocabulário ativo e passivo, através da fixação de novas palavras e expressões contidas

Leia mais

Suporte Informática com 1 visita 12 meses

Suporte Informática com 1 visita 12 meses Suporte Informática com 1 visita 12 meses Suporte informática para configuração inicial, tirar dúvidas ou problemas de informática por telefone, acesso remoto e tirar máximo proveito do computador. Quando

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA

MINISTÉRIO DA FAZENDA MINISTÉRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PGFN Departamento de Gestão Corporativa - DGC Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação - CTI CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA Infraestrutura

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 1)

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 1) Prof. Breno Leonardo Gomes de Menezes Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 1) Administração A palavra administração vem do latim

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO Nº 028/2015

EDITAL DE ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO Nº 028/2015 EDITAL DE ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO Nº 028/2015 De acordo com o disposto no Regulamento de Processo Seletivo, devidamente registrado no 1º OFICIAL DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS de Marília,

Leia mais

MICROCOMPUTADOR TIPO I

MICROCOMPUTADOR TIPO I MICROCOMPUTADOR TIPO I Processador...: Processador com memória cache mínima de 1 MB; Tipo...: 1)Intel Pentium IV Prescott com freqüência de 3.0 Ghz ou Superior Memória...: Memória RAM instalada de 512

Leia mais

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Apresentação Portfólio de Serviços e Produtos da WebMaster Soluções. Com ele colocamos à sua disposição a Tecnologia que podemos implementar em sua empresa.

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO DE INFORMÁTICA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS. Processo nº 02P-02266/2014

EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO DE INFORMÁTICA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS. Processo nº 02P-02266/2014 EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO DE INFORMÁTICA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS Processo nº 02P-02266/2014 A(O) Área de Informática da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp faz

Leia mais

Dell Infrastructure Consulting Services

Dell Infrastructure Consulting Services Proposta de Serviços Profissionais Implementação do Dell OpenManage 1. Apresentação da proposta Esta proposta foi elaborada pela Dell com o objetivo de fornecer os serviços profissionais de implementação

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PROVIMENTO E CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E NÍVEL MÉDIO SEBRAE/GO EDITAL N.

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PROVIMENTO E CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E NÍVEL MÉDIO SEBRAE/GO EDITAL N. EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PROVIMENTO E CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E NÍVEL MÉDIO SEBRAE/GO EDITAL N.º 0/2009 O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Goiás

Leia mais

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView Sistema de Gerenciamento DmView O DmView é o Sistema de Gerência desenvolvido para supervisionar e configurar os equipamentos DATACOM, disponibilizando funções para gerência de supervisão, falhas, configuração,

Leia mais

1.2 Tipos de Sistemas Operacionais

1.2 Tipos de Sistemas Operacionais 1.2 Tipos de Operacionais Tipos de Operacionais Monoprogramáveis/ Monotarefa Multiprogramáveis/ Multitarefa Com Múltiplos Processadores 1.2.1 Monoprogramáveis/Monotarefa Os primeiros sistemas operacionais

Leia mais

Princípios de TI - Computadores. Sistema Operacional. CECOMP Colegiado de Engenharia da Computação. Prof. Fábio Nelson. Slide 1

Princípios de TI - Computadores. Sistema Operacional. CECOMP Colegiado de Engenharia da Computação. Prof. Fábio Nelson. Slide 1 Sistema Operacional Slide 1 Sistema Operacional Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware: Gerencia os recursos do computador (CPU, dispositivos periféricos). Estabelece

Leia mais

SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE)

SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE) SISTEMA DE ARMAZENAMENTO (STORAGE) Possuir capacidade instalada, livre para uso, de pelo menos 5.2 (cinco ponto dois) TB líquidos em discos SAS/FC de no máximo 600GB 15.000RPM utilizando RAID 5 (com no

Leia mais

Plano de Curso de Montador e Reparador Computadores

Plano de Curso de Montador e Reparador Computadores Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia Fundação de Apoio a Escola Técnica Plano de Curso de Montador e Reparador Computadores Título do Curso Montador e Reparador

Leia mais

Sistemas de Lotes (2) Sistemas de Lotes (3) Layout da MP em Sistemas de Lotes. Minimizar o tempo de resposta

Sistemas de Lotes (2) Sistemas de Lotes (3) Layout da MP em Sistemas de Lotes. Minimizar o tempo de resposta 1 Mono e multiprogramação Introdução Classificação (Aula 2) Recap Sistemas Máquina Profa. Patrícia Gerenciador D. CostaLPRM/DI/UFES Provê Fornece Compartilhamento programador máquina justa recursos Operacionais

Leia mais

Programação de Computadores

Programação de Computadores Programação de Computadores Aula 04: Sistema Operacional Material Didático do Livro: Introdução à Informática Capron,, H. L. e Johnson, J. A Pearson Education Sistemas Operacionais: Software Oculto Serve

Leia mais

gladiador INTERNET CONTROLADA

gladiador INTERNET CONTROLADA gladiador INTERNET CONTROLADA funcionalidades do sistema gladiador sistema Gerenciamento de usuários, gerenciamento de discos, data e hora do sistema, backup gladiador. Estações de Trabalho Mapeamento

Leia mais

Avaliação da rede de computadores do Hospital Ibiapaba S/A através de monitoramento com o Software Lan Explorer

Avaliação da rede de computadores do Hospital Ibiapaba S/A através de monitoramento com o Software Lan Explorer Avaliação da rede de computadores do Hospital Ibiapaba S/A através de monitoramento com o Software Lan Explorer Rafael Armond Duque Estrada Galego, Prof. M. Sc. Luís Augusto Mattos Mendes (Orientador)

Leia mais

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC 001/2007 1 ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA ESTABELECE, RESPONSABILIDADES DIVERSAS, TIPOS E HORÁRIO DE COBERTURA DE SUPORTE, E DEMAIS RESPONSABILIDADES DA CONTRATADA RELATIVAS

Leia mais

Redes de Computadores. Professor MSc Wylliams Barbosa Santos wylliams.wordpress.com wylliamss@gmail.com

Redes de Computadores. Professor MSc Wylliams Barbosa Santos wylliams.wordpress.com wylliamss@gmail.com Redes de Computadores Professor MSc Wylliams Barbosa Santos wylliams.wordpress.com wylliamss@gmail.com Agenda Introdução a Rede de Computadores Classificação Tipos de Redes Componentes de Rede Internet,

Leia mais

OBJETIVOS DA APRESENTAÇÃO

OBJETIVOS DA APRESENTAÇÃO Institucional OBJETIVOS DA APRESENTAÇÃO Apresentar as vantagens de se trabalhar com Thin Clients Apresentar como funciona a tecnologia Server Based Computing, Virtualização de Desktop e Aplicativos EVOLUÇÃO

Leia mais

Sistemas Operacionais. (Capítulo 3) INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO. Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto

Sistemas Operacionais. (Capítulo 3) INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO. Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Sistemas Operacionais (Capítulo 3) INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Classificações 3. CPU 4. Memória 5. Utilitários O que se

Leia mais

Informática Redes de Computadores e Internet. Prof. Marcos André Pisching, M.Sc.

Informática Redes de Computadores e Internet. Prof. Marcos André Pisching, M.Sc. Informática Redes de Computadores e Internet Prof. Marcos André Pisching, M.Sc. Objetivos Descrever a importância das redes de computadores. Explicar a importância da Internet. Redes de Computadores Rede:

Leia mais

Anexo IV PLANILHA DESCRITIVA DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Anexo IV PLANILHA DESCRITIVA DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Anexo IV PLANILHA DESCRITIVA DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Requisito Descrição 6.1 - Produtos de Hardware 6.1.1. GRUPO 1 - IMPRESSORA TIPO I (MONOCROMÁTICA 20PPM - A4) 6.1.1.1. TECNOLOGIA DE IMPRESSÃO 6.1.1.1.1.

Leia mais

Material 5 Administração de Recursos de HW e SW. Prof. Edson Ceroni

Material 5 Administração de Recursos de HW e SW. Prof. Edson Ceroni Material 5 Administração de Recursos de HW e SW Prof. Edson Ceroni Desafios para a Administração Centralização X Descentralização Operação interna x Outsourcing Hardware Hardware de um Computador Armazenamento

Leia mais

ANEXO 8 Planilha de Pontuação Técnica

ANEXO 8 Planilha de Pontuação Técnica 91 ANEXO 8 Planilha de Pontuação Técnica Nº Processo 0801426905 Licitação Nº EDITAL DA CONCORRÊNCIA DEMAP Nº 04/2008 [Razão ou denominação social do licitante] [CNPJ] A. Fatores de Pontuação Técnica: Critérios

Leia mais

Um cluster de servidores de email pode ser usado para servir os emails de uma empresa.

Um cluster de servidores de email pode ser usado para servir os emails de uma empresa. CLUSTERS Pode-se pegar uma certa quantidade de servidores e juntá-los para formar um cluster. O serviço então é distribuído entre esses servidores como se eles fossem uma máquina só. Um cluster de servidores

Leia mais

FACSENAC. SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO DRP (Documento de Requisitos do Projeto de Rede)

FACSENAC. SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO DRP (Documento de Requisitos do Projeto de Rede) FACSENAC SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO Versão: 1.2 Data: 25/11/2011 Identificador do documento: Documento de Visão V. 1.7 Histórico de revisões Versão Data Descrição Autor 1.0 03/10/2011 Primeira Edição

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

Secretaria Municipal de Fazenda

Secretaria Municipal de Fazenda ANEXO VI TERMO DE REFERENCIA 1. Justificativa A Secretaria Municipal de Fazenda, no cumprimento de sua missão institucional é responsável por garantir a arrecadação dos tributos municipais e de outras

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 1 OBJETIVOS 1. Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações e transações empresariais?

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COORDENAÇÃO-GERAL DE SISTEMAS E TI SIAFI GERENCIAL MANUAL DE IMPLANTAÇÃO

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COORDENAÇÃO-GERAL DE SISTEMAS E TI SIAFI GERENCIAL MANUAL DE IMPLANTAÇÃO MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COORDENAÇÃO-GERAL DE SISTEMAS E TI SIAFI GERENCIAL MANUAL DE IMPLANTAÇÃO VERSÃO 02 JUNHO DE 2003 1. Introdução. O Sistema Integrado de Administração

Leia mais

Software de Tarifação para centrais PABX e ambiente Windows

Software de Tarifação para centrais PABX e ambiente Windows Software de Tarifação para centrais PABX e ambiente Windows Um tarifador fácil de usar e poderoso. Com o tarifador STI Windows Atenas você poderá controlar os gastos com telefone, reduzir custos e otimizar

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web Conceitos Fundamentais Redes de Dados

Tópicos de Ambiente Web Conceitos Fundamentais Redes de Dados Tópicos de Ambiente Web Conceitos Fundamentais Redes de Dados Professora: Sheila Cáceres Computador Dispositivo eletrônico usado para processar guardar e tornar acessível informação. Tópicos de Ambiente

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO 28/2014 CONSULTORIA DE TERCEIRO NÍVEL ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA:

EDITAL DE PREGÃO 28/2014 CONSULTORIA DE TERCEIRO NÍVEL ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA: Página 1 de 9 EDITAL DE PREGÃO 28/2014 CONSULTORIA DE TERCEIRO NÍVEL ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA: 1 OBJETIVO 1.1 Este Memorial Descritivo tem por objetivo estabelecer as diretrizes básicas para que a CONTRATADA

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Sistemas de Informação Prof.: Maico Petry REDES DE COMPUTADORES DISCIPLINA: Fundamentos em Informática Mundo Globalizado Acelerado desenvolvimento tecnológico

Leia mais

Introdução a Sistemas Operacionais Aula 04. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com

Introdução a Sistemas Operacionais Aula 04. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Introdução a Sistemas Operacionais Aula 04 Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Um computador sem software nada mais é que um conjunto inútil de metal (Tanembaum); É o software que viabiliza

Leia mais

Europass Curriculum Vitae

Europass Curriculum Vitae Europass Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada(s) Endereço(s) de correio electrónico Telemóvel 935563138 Rua dos Ventos, Lote 3-2º B P-2710-081 Abrunheira (Portugal)

Leia mais

Manual Sistema WEB 1

Manual Sistema WEB 1 Manual Sistema WEB 1 APRESENTAÇÃO Nosso site na internet é o www.tercred.com.br onde apresentamos um pouco da nossa história, nossos produtos, a rede credenciada e outros serviços. Para acessar o Sistema

Leia mais

LIGANDO MICROS EM REDE

LIGANDO MICROS EM REDE LAÉRCIO VASCONCELOS MARCELO VASCONCELOS LIGANDO MICROS EM REDE Rio de Janeiro 2007 LIGANDO MICROS EM REDE Copyright 2007, Laércio Vasconcelos Computação LTDA DIREITOS AUTORAIS Este livro possui registro

Leia mais

o desenvolvimento, o crescimento e a disseminação moral, honestidade e cooperação real transparência, alta qualidade e preços justos

o desenvolvimento, o crescimento e a disseminação moral, honestidade e cooperação real transparência, alta qualidade e preços justos Desde Junho do ano 2000, trabalhamos muito e buscamos crescer, em nossa sede e em capital. Mas todo nosso crescimento só foi e é possível porque nunca deixamos de lado o desenvolvimento, o crescimento

Leia mais

INTERESSADOS ENVIAR CURRÍCULO E PRETENSÃO SALARIAL PARA rebeca@holdenrh.com.br/vanessa@holdenrh.com.br

INTERESSADOS ENVIAR CURRÍCULO E PRETENSÃO SALARIAL PARA rebeca@holdenrh.com.br/vanessa@holdenrh.com.br INTERESSADOS ENVIAR CURRÍCULO E PRETENSÃO SALARIAL PARA rebeca@holdenrh.com.br/vanessa@holdenrh.com.br Vagas Holden TI: Analista de Desenvolvimento Java Sênior Consultor SAP FI DBA SQL Server DBA Oracle

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Engenharia Ambiental Prof.: Maico Petry SISTEMAS OPERACIONAIS DISCIPLINA: Informática Aplicada DEFINIÇÃO É um programa de controle do computador. O

Leia mais

PROJETO BÁSICO ANEXO 1A. Especificações Técnicas

PROJETO BÁSICO ANEXO 1A. Especificações Técnicas 25 PROJETO BÁSICO Especificações Técnicas 1. Objeto 1.1 Disposições gerais 1.1.1 O objeto desta licitação é a prestação de serviços técnicos de infra-estrutura de informática por empresa especializada

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E O que é roteamento e acesso remoto? Roteamento Um roteador é um dispositivo que gerencia o fluxo de dados entre segmentos da rede,

Leia mais

Documento de Requisitos de Rede (DRP)

Documento de Requisitos de Rede (DRP) Documento de Requisitos de Rede (DRP) Versão 1.2 SysTrack - Grupo 1 1 Histórico de revisões do modelo Versão Data Autor Descrição 1.0 30/04/2011 João Ricardo Versão inicial 1.1 1/05/2011 André Ricardo

Leia mais

Rotina de Discovery e Inventário

Rotina de Discovery e Inventário 16/08/2013 Rotina de Discovery e Inventário Fornece orientações necessárias para testar a rotina de Discovery e Inventário. Versão 1.0 01/12/2014 Visão Resumida Data Criação 01/12/2014 Versão Documento

Leia mais

Manual de Instalação Corporate

Manual de Instalação Corporate Manual de Instalação Corporate Sumário 1. Sobre este documento...3 2. Suporte técnico...3 3. Requisitos de hardware...3 3.1. Estação...3 3.2. Servidor...4 4. Instalação...4 4.1. Instalação do Imobiliária21

Leia mais

Fundamentos de Administração de Sistemas

Fundamentos de Administração de Sistemas Fundamentos de Administração de Sistemas Este curso tem como objetivo ensinar aos alunos conceitos de administração de um sistema Linux. Isto inclui o gerenciamento de contas de usuários, automação de

Leia mais

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace Tactium Tactium IP IP TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de

Leia mais

Sistemas de Computação

Sistemas de Computação Sistemas de Computação Prof. Marcos Portnoi mportnoi@ieee.org Os Computadores Quantas atividades fizemos hoje que não envolveram o uso do computador de alguma forma? Os Computadores O ser humano sempre

Leia mais

Aranda INVENTORY. Benefícios Estratégicos para sua Organização. (Standard & Plus Edition) Beneficios. Características V.2.0907

Aranda INVENTORY. Benefícios Estratégicos para sua Organização. (Standard & Plus Edition) Beneficios. Características V.2.0907 Uma ferramenta de inventario que automatiza o cadastro de ativos informáticos em detalhe e reporta qualquer troca de hardware ou software mediante a geração de alarmes. Beneficios Informação atualizada

Leia mais

Disciplina: Informática Introdução à Microinformática (1/3) Carga-Horária: 23 h (30 h/a)

Disciplina: Informática Introdução à Microinformática (1/3) Carga-Horária: 23 h (30 h/a) Disciplina: Informática Introdução à Microinformática (1/3) Carga-Horária: 23 h (30 h/a) Mostrar a evolução do computador ao longo da história; Propiciar ao aluno conhecimentos básicos sobre os computadores

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 2013/023 ESCLARECIMENTOS

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 2013/023 ESCLARECIMENTOS Esclarecimento I PERGUNTA 1: PREGÃO ELETRÔNICO Nº 2013/023 ESCLARECIMENTOS 7.5.3. documentação técnica do fabricante dos componentes cotados, incluindo partes de manuais e catálogos, que comprovem o atendimento

Leia mais

Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral

Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral Windows 2003 Server Introdução Nessa Aula: É apresentada uma visão rápida e geral do Windows Server 2003. O Foco a partir da próxima aula, será no serviço de Diretórios

Leia mais

Requisitos técnicos dos produtos Thema

Requisitos técnicos dos produtos Thema Requisitos técnicos dos produtos Thema 1 Sumário 2 Apresentação...3 3 Servidor de banco de dados Oracle...4 4 Servidor de aplicação Linux...4 5 Servidor de terminal service para acessos...4 6 Servidor

Leia mais