Tratamento do Endometrioma Ovariano: Opções, Resultados e Conseqüências

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tratamento do Endometrioma Ovariano: Opções, Resultados e Conseqüências"

Transcrição

1 Tratamento do Endometrioma Ovariano: Opções, Resultados e Conseqüências ATUALIZAÇÃO Treatment of Ovarian Endometriomas: Options, Results and Consequences Antônio Chambô Filho Márcia Elias Viana Melhem Fabiani Lecco Loureiro Silvia Rosi Duarte Andréa Negreli Brasil Sarah Martins Bourguignon Almeida Residência médica em Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de Misericórdia de Vitória Resumo O endometrioma é uma forma de apresentação localizada da endometriose, afetando principalmente os ovários. O diagnóstico é sugerido pela história clínica da paciente e por estudos ultrasonográficos. O risco de malignização é baixo. As opções de tratamento incluem conduta expectante, terapia medicamentosa ou cirúrgica. O tratamento tem como objetivo o alívio da dismenorréia, da dor pélvica e/ou restabelecimento da fertilidade. O tratamento medicamentoso é geralmente feito usando o GnRH. As técnicas cirúrgicas mais usadas são a cistectomia e a vaporização. A excisão dos endometriomas ovarianos está associada a uma redução significante da reserva ovariana. A recorrência é mais freqüente nas técnicas que conservam a pseudocápsula. O endometrioma influi negativamente nos resultados da FIV, porém não de maneira significante. PALAVRAS-CHAVE: Endometrioma. Fertilidade. FIV. Introdução A endometriose é uma doença inflamatória benigna do aparelho genital feminino que se caracteriza pela presença de tecido endometrial ectópico, podendo se manifestar de maneira difusa em implantes pélvicos e de maneira localizada. Conceitua-se endometrioma a forma de manifestação localizada da endometriose. A primeira descrição de endometrioma ocorreu em 1899, quando Russel narrou uma lesão que envolvia o ovário direito e causava aderência entre este órgão e a face posterior do ligamento largo, em uma mulher menopausada. A análise microscópica mostrou áreas com tecido semelhante ao da mucosa uterina (Lopez et al., 2000). Estima-se que em 70% dos casos o endometrioma afeta os ovários, causando distorção anatômica nos órgãos reprodutivos e levando à infertilidade (Pellicer & Ballesteros, 1995). Etiologia A etiologia do endometrioma é tão controversa quanto a da própria endometriose, e são aventadas diferentes origens. Uma das teorias propostas é a invaginação de um foco de endometriose existente na periferia do ovário. Outra hipótese admite a deposição de sangue menstrual na superfície do ovário, e a invaginação deste material seria dependente de seu envolvimento por aderências teciduais. Uma terceira hipótese relaciona a origem do endometrioma com o envolvimento secundário do processo endometriótico em cistos 395

2 ovarianos funcionais. A teoria da metaplasia celômica justifica a origem dos endometriomas através da metaplasia de tecido ovariano, em regiões de invaginação deste epitélio, em tecido endometrial (Pellicer & Ballesteros, 1995; Scurry et al., 2001 e Lopez et al., 2000). Classificação Os endometriomas apresentam uma grande diversidade de apresentações tornando necessário classificá-las. Geralmente são classificados em Tipo I e Tipo II (Pellicer & Ballesteros, 1995). Tipo I Endometrioma primário ou verdadeiro. A origem é a mesma da endometriose peritoneal. São pequenos, em geral menores que 2 cm, de difícil extirpação e em 50% dos casos se associam a aderências teciduais. Tipo II Endometrioma secundário. É constituído por focos endometrióticos em cistos funcionais, luteínicos ou foliculares. São maiores e de histologia diversa. Apresentação Clínica O endometrioma pode ser suspeitado quando a paciente apresenta quadro clínico de dor pélvica crônica, dismenorréia e/ou infertilidade, e no exame físico pode-se constatar a presença de massa pélvica. Diagnóstico O diagnóstico do endometrioma pode ser sugerido pela história clínica da paciente e pela ultra-sonografia. A ultra-sonografia pélvica endovaginal geralmente mostra a imagem de um cisto simples, com paredes regulares e finas, de conteúdo anecóico podendo conter debris em seu interior. É aconselhável submeter a paciente à reavaliação depois de achado ecográfico sugestivo de endometrioma, devido à dificuldade de diferenciação com cistos funcionais. Recomenda-se o uso de contraceptivo oral por três meses e, após isso, realizar novo estudo ecográfico. Persistindo a imagem, torna-se mais provável o diagnóstico de endometrioma (Lopez et al., 2000). A ressonância magnética aparece como alternativa recomendada na suspeita de endometriose grave (Estágios III e IV). (Dubuisson, 2003). O diagnóstico definitivo é feito pelo estudo histológico do material obtido através de cirurgia, preferencialmente por via laparoscópica (Lopez et al., 2000). Risco de Malignização O risco de malignização foi estudado revisando 147 resultados histopatológicos de endometriomas. Em 18 casos (12,2%) houve achados citológicos de atipias, e entre estes foi identificado 1 caso (5,6%) de câncer de ovário não suspeitado antes da cirurgia. Isto sugere que 0,7% dos endometriomas sofre transformação maligna (Nishida et al., 2000). Tratamento dos Endometriomas Ovarianos As opções de tratamento incluem conduta expectante e terapêutica, sendo esta medicamentosa ou cirúrgica, dependendo da clínica e severidade da doença. A terapêutica cirúrgica é geralmente a mais aceita, principalmente nos endometriomas maiores que 3 cm, devido à má resposta e ao alto índice de recidiva que estes apresentam ao tratamento medicamentoso. As drogas usadas no tratamento medicamentoso são aquelas capazes de bloquear a função ovariana, podendo levar a um hipoestrogenismo severo. O tratamento dos endometriomas tem como objetivo o alívio da dismenorréia, da dor pélvica e, freqüentemente, seu objetivo é o restabelecimento da fertilidade. Muitos trabalhos avaliam o êxito de uma técnica terapêutica baseando-se nos resultados da fertilização in vitro (FIV) realizada após o término do tratamento. Tratamento Medicamentoso O uso de drogas no tratamento dos endometriomas pode facilitar a técnica cirúrgica, ao reduzir a vascularização pélvica, o tamanho do cisto e a resposta inflamatória pós-operatória (Lopez et al., 2000). Aqueles que defendem o tratamento usando Análogos de Hormônio Regulador das Gonadotrofinas (GnRH) alegam que sua utilização é útil para reduzir o tamanho do cisto e tornar a cirurgia mais simples e menos traumática. Este, no entanto, é um ponto controverso. 396

3 A utilização dos análogos do GnRH mostrou diminuição significativa dos marcadores presentes nas portadoras de endometriomas ovarianos. Os marcadores avaliados foram a interleucina 6 e a enzima leucocitária inibidora da expressão do RNA mensageiro (Suzumori et al., 2001 e Iwabe et al., 2003). Apesar destes resultados positivos, o tratamento com análogos do GnRH é alvo de críticas. Alguns autores acreditam que a facilidade da cirurgia depende principalmente do tipo histológico e da infiltração capsular pela endometriose e não do uso prévio da medicação (Lopez et al., 2000). Muitas vezes, a droga não atinge o foco endometriótico devido à fibrose local ou pela programação genética própria das células endometrióticas. Estas células têm menos receptores hormonais ou esses são inativos biologicamente. Além disso, seu uso retarda o processo de fertilidade por levar a um quadro de hipoestrogenismo (Lopez et al., 2000). Técnicas Cirúrgicas As técnicas mais freqüentemente utilizadas são a cistectomia laparoscópica ou laparotômica e a vaporização por laparoscopia. O tempo para obter gravidez e a taxa de recorrência dos endometriomas não mostrou diferença significativa nas pacientes submetidas à cistectomia ou à vaporização após 36 meses (Hemmings et al., 1998), embora em outro estudo essa diferença, no que se refere à recorrência, foi considerada significativa (Dubuisson, 2003). Em um estudo com 32 mulheres com endometriomas foi avaliada a eficácia da escleroterapia com tetraciclina a 5%. O endometrioma é aspirado, lava-se a sua cavidade com solução salina e instíla-se de 5 a 10 ml de solução de tetraciclina a 5% dentro da loja. Esta solução é então aspirada. Todo o procedimento é guiado por ultra-sonografia transvaginal. Das 32 mulheres submetidas a esta técnica, 24 mostraram regressão completa, duas necessitaram de repetir o procedimento e em apenas uma não houve resposta. O follow-up foi de seis semanas. Os autores concluíram que esta é uma alternativa simples, efetiva e segura para o tratamento do endometrioma ovariano (Fisch & Sher, 2004). Reserva Ovariana e Cirurgia para Endometrioma A cirurgia pode afetar a reserva ovariana. É encontrada uma resposta diminuída no ovário operado em relação ao normal após estimulação ovariana, com menor número de folículos dominantes e de oócitos retirados no pico de estradiol (Ho et al., 2002). A pseudocápsula do endometrioma é formada por tecido ovariano, por isso a cistectomia retira o tecido ovariano invaginado. No entanto, deve-se considerar que este tecido sofreu alterações e já não é morfologicamente igual ao tecido ovariano normal, perdendo muitas de suas propriedades funcionais (Muzii et al., 2002 e Somigliana et al., 2003). Os estudos com dopplerfluxometria transvaginal mostraram que há redução dos índices de pulsatilidade e resistência das artérias ovarianas após cirurgia laparoscópica para endometriomas (La Torre et al., 1998). Os estudos mostram que o risco teórico de lesar o córtex ovariano pode ser eliminado pela técnica de vaporização. Os resultados da FIV após vaporização do endometrioma foram similares àqueles obtidos com o uso da FIV nos casos de infertilidade por causa desconhecida ou por fator tubário (Wyns & Donnez et al., 2001). Recorrência As técnicas cirúrgicas que conservam a cápsula, tais como a vaporização, estão associadas a um grande aumento de recorrência. (Dubuisson, 2003). A recidiva parece estar associada à presença de focos de endometriose extra-císticos profundos no ovário e que não foram visualizados durante a cirurgia (Lopez et al., 2000) e ao estágio da doença. Os casos mais avançados recidivam com mais freqüência. Endometrioma e FIV Os estudos mais antigos defendiam que a presença do endometrioma não afetava o pico de estradiol, a maturação folicular, o número de oócitos, o número de embriões transferidos e a taxa de gravidez (Isaacs et al., 1997). Trabalhos mais recentes mostram que o endometrioma influi negativamente nesses parâmetros, porém esta influência negativa não altera significativamente os resultados da FIV (Suganuma et al., 2002 e Pabuccu et al., 2004). Nas pacientes assintomáticas, proceder direto à estimulação ovariana pode reduzir o tempo para gestação, custos e hipotéticas complicações da cirurgia; já nas sintomáticas, a retirada cirúrgica do endometrioma não prejudica os resultados da FIV, permanecendo boa reserva ovariana independente da técnica adotada (Garcia-Velasco et al., 2004). 397

4 Considerações Finais Apesar de sua identificação desde 1899, o endometrioma ainda representa um desafio quando nos referimos ao seu tratamento. Admite-se que sua presença não influencia os resultados da infertilidade tratada com FIV e que permanece boa reserva ovariana após qualquer tipo de cirurgia adotada quando esse tratamento se faz necessário, mas é essa necessidade que ainda é ponto de debate. Estudos preliminares mostram a possibilidade de procedermos diretamente a FIV, principalmente nas mulheres assintomáticas. Mais estudos são necessários para garantir a conveniência desta conduta, assim como ainda não é possível apontar a melhor técnica de tratamento do endometrioma até o presente momento, devido à existência de diferentes técnicas utilizadas e pelo pequeno número de estudos comparativos e conclusivos sobre o assunto. Abstract Endometriomas represent a localizated form of endometriosis, that affects mainly the ovaries. The diagnosis is suspected with the clinical history and ultrasonografic studies. The risk of maligant transformation is low. The treatment options include a expectant follow up, the use of drugs or surgical treatment. The treatment has as objective the relief of pelvic pain and/or maintenance of the fertility. The drug of choice is usually GnRH. The surgical techniques more widely used are the cystectomy and the vaporization. Excision of endometriotic ovarian cysts is associated with a significant reduction in ovarian reserve. There is a increased in the endometrioma recurrence associated with the techniques that preserve the pseudocapsula. Ovarian endometriomas adversely affect FIV sucess, but not in a significantly way. KEYWORDS: Endometriomas. Fertility. FIV. Leituras Suplementares 1. Donnez J, Wyns C, Nisolle M. Does ovarian surgery for endometriomas impair the ovarian response to gonadotropin?. Fertil Steril 2001; 76: Dubuisson JB. Surgical treatment for endometriomas. J Gynecol Obstet Biol Reprod 2003; 32: S Fish JD, Sher G. Sclerotherapy with 5% tetracycline is a simple alternative to potentially comples surgical treatment of ovarian endometriomas before in vitro fertilization. Fertil Steril 2004; 82: Garcia-Velasco JA, Mahutte NJ, Corona J et al. Removal of endometriomas before in vitro fertilization does not improve fertility outcomes. Obstet Gynecol Surv 2004; 59: Hemmings R, Bissonette F, Bouzayen R. Results of lapaparoscopic treatment of ovarian endometriomas. Fertil Steril 1998; 70: Ho HY, Lee RK, Hwu YM et al. Poor response of ovaries with endometriomas previously treated with cistectomy to controlled ovarian hyperestimulation. J Assist Reprod Genet 2002; 19: Isaacs JD, Hines RS, Sopelak VM et al. Ovarian endometriomas do not adversely affect pregnancy sucess following treatment with in vitro fertilization. J Assist Reprod Genet 1997; 14: Iwabe T, Harada T, Sakamoto Y et al. Gonadotropin-realising hormone agonist treatment reduced serum interleukin-6 concentration in patients with ovarian endometriomas. Fertil Steril 2003; 80: La Torre R, Montanino-Oliva M, Marchini E et al. Ovarian blood flow before and after conservative laparoscopic treatment for endometrioma. Clin Exp Obstet Gynecol 1998; 25: Lopez ACS, Santos LLR, Ramos JFD et al. Tratamento videolaparoscópico de endometriomas ovarianos. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., 2000; 22: Muzii L, Bianchi C, Croce C et al. Laparoscopic excision of ovarian cysts: is the stripping technique a tissue-sparing procedure? Fertil Steril 2002; 77: Nishida M, Watanabe K, Sato N et al. Malignant transformation of ovarian endometriosis. Gynecol Obstet Invest 2000; 50 (suppl. 1): Pabuccu R, Onalan G, Goktolga U et al. Aspiration of ovarian endometriomas before intracytoplasmatic sperm injection. Fertil Steril 2004; 82 : Pellicer A, Ballesteros A. Tratamiento de los endometriomas ovaricos. CMR 1995; 1: Scurry J, Whitehead J, Healey M. Classification of ovarian endometriotic cyst. Int J Gynecol Pathol 2001; 20: Somigliana E, Ragni G, Benedetti F et al. Does laparoscopic excision of endometiotic ovarian cysts significantly affect ovarian reserve? Hum Reprod 2003; 18:

5 17. Sugunuma N, Wakahara Y, Ishida D et al. Pretreatment for ovarian endometrial cyst before in vitro fertilization. Gynecol Obstet Invest 2002; 54 (suppl. 1): Suzumori N, Sato M, Ikuta K et al. Secretory leukocite protease inibitor in ovarian endometriomas following GnRH agonist therapy. Obstet Gynecol 2001; 97: Wyns C, Donnez J. Laser vaporization of ovarian endometriomas, the impact on the response to gonatrophin stimulation. Gynecol Obstet Fertil 2003; 31: C O N C U R S O P S 2006 PARA OBTENÇÃO DO CERTIFICADO DE ATUAÇÃO NAS ÁREAS DE: ENDOSCOPIA GINECOLÓGICA (Laparoscopia e Histeroscopia) ULTRA-SONOGRAFIA em ginecologia e obstetrícia URODINÂMICA E URETROCISTOSCOPIA em ginecologia MAMOGRAFIA em ginecologia SEXOLOGIA em ginecologia e obstetrícia MEDICINA FETAL INSCRIÇÕES 04/09/2006 a 03/10/2006 NA ASSOCIAÇÃO DE GINECOLOGIA E OBSTETRíCIA DO SEU ESTADO LOCAL DA PROVA: FUNDAÇÃO LICEU PASTEUR SÃO PAULO SP DATA: 03/12/

Conduta no endometrioma na mulher que quer engravidar. Dr. Iúri Telles

Conduta no endometrioma na mulher que quer engravidar. Dr. Iúri Telles Conduta no endometrioma na mulher que quer engravidar Endometrioma em pacientes com prole definida Se dor: Laparoscopia com excisão completa da cápsula Se não tem dor: conduta expectante ativa USTV e CA125

Leia mais

Cirurgia Laparoscópica como Opção para o Ginecologista Geral

Cirurgia Laparoscópica como Opção para o Ginecologista Geral Cirurgia Laparoscópica como Opção para o Ginecologista Geral Francisco J. Candido dos Reis Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da FMRP-USP Um Breve Histórico Diagnóstico Principais Indicações Dor

Leia mais

CARCINOMA DO OVÁRIO EM MULHER JOVEM QUANDO CONSERVAR?

CARCINOMA DO OVÁRIO EM MULHER JOVEM QUANDO CONSERVAR? CARCINOMA DO OVÁRIO EM MULHER JOVEM QUANDO CONSERVAR? JP Coutinho Borges, A Santos, A Carvalho, J Mesquita, A Almeida, P Pinheiro Serviço de Ginecologia e Obstetrícia ULSAM Viana do Castelo OBJETIVO Apresentação

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS UNIPAC

UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS UNIPAC UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS UNIPAC Campus BOM DESPACHO Endometriose Integrantes: Amanda Gabriela Silva Alves Amanda Xavier Zica Graciete Meire Andrade Docente : Eduardo Nogueira Cortez Isa Raquel

Leia mais

Diagnóstico de endometriose

Diagnóstico de endometriose Diagnóstico de endometriose Endometriose se caracteriza pelo achado de glândulas e/ou estroma endometrial em locais anormais. Acomete aproximadamente 15% das mulheres em idade fértil tornando-se uma doença

Leia mais

CONSEQÜÊNCIAS DA HISTERECTOMIA LEIOMIOMA UTERINO - METÁSTESE MÓRBIDA

CONSEQÜÊNCIAS DA HISTERECTOMIA LEIOMIOMA UTERINO - METÁSTESE MÓRBIDA CONSEQÜÊNCIAS DA HISTERECTOMIA LEIOMIOMA UTERINO - METÁSTESE MÓRBIDA Protocolo de Pesquisa Joselma Lira Alves Maisa Homem de Mello Romeu Carillo Jr Clínica de Homeopatia do HSPM-SP LEIOMIOMA UTERINO Sinonímia

Leia mais

10º Imagem da Semana: Ultrassonografia Transvaginal

10º Imagem da Semana: Ultrassonografia Transvaginal 10º Imagem da Semana: Ultrassonografia Transvaginal Enunciado Paciente de 28 anos, nuligesta, procura atendimento devido à infertilidade conjugal presente há 1 ano. Relata também dismenorreia, disúria

Leia mais

Endometriose: aspectos atuais do diagnóstico e tratamento

Endometriose: aspectos atuais do diagnóstico e tratamento Endometriose: aspectos atuais do diagnóstico e tratamento Dr. Marcos Asato Introdução A endometriose se caracteriza pela presença de tecido endometrial em sítios extra-uterinos, acometendo entre 10% e

Leia mais

VaIN II II e III há indicação para tratamentos não- excisionais?

VaIN II II e III há indicação para tratamentos não- excisionais? Trocando Idéias XIV - 2009 VaIN II II e III há indicação para tratamentos não- excisionais? Walquíria Quida Salles Pereira Primo Doutorado e Mestrado UnB Professora da Pós-graduação UnB Unidade de Ginecologia

Leia mais

TUMORES BENIGNOS DOS OVARIOS. Pedro Cordeiro de Sá Filho

TUMORES BENIGNOS DOS OVARIOS. Pedro Cordeiro de Sá Filho TUMORES BENIGNOS DOS OVARIOS Pedro Cordeiro de Sá Filho Videoendoscopia Ginecológica Retorno as atividades Tempo cirúrgico Complicações Custos Cirurgia convencional X Videolaparoscopia Estética Pós-operatório

Leia mais

Para compreender como os cistos se formam nos ovários é preciso conhecer um pouco sobre o ciclo menstrual da mulher.

Para compreender como os cistos se formam nos ovários é preciso conhecer um pouco sobre o ciclo menstrual da mulher. Cistos de Ovário Os ovários são dois pequenos órgãos, um em cada lado do útero. É normal o desenvolvimento de pequenos cistos (bolsas contendo líquidos) nos ovários. Estes cistos são inofensivos e na maioria

Leia mais

Unidade 1 - REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE

Unidade 1 - REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE Que modificações ocorrem no organismo feminino após a nidação? A nidação e as primeiras fases de gestação encontram-se sob estreito controlo hormonal. A hormona hcg estimula o corpo lúteo a produzir hormonas,

Leia mais

Alexandre de Lima Farah

Alexandre de Lima Farah Alexandre de Lima Farah Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

Os exames que avaliam a fertilidade do casal

Os exames que avaliam a fertilidade do casal CAPÍTULO 4 Os exames que avaliam a fertilidade do casal Na pesquisa da fertilidade, os fatores são estudados levando-se em consideração cada uma das etapas no processo de reprodução. Para cada uma delas,

Leia mais

Maria da Conceição Muniz Ribeiro

Maria da Conceição Muniz Ribeiro Maria da Conceição Muniz Ribeiro Os miomas são a principal causa de histerectomia em nosso meio, sendo responsável por um terço do total de indicações de histerectomia. Aproximadamente 30 a 50% de todas

Leia mais

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo CAPÍTULO 3 CÂnCER DE EnDOMéTRIO O Câncer de endométrio, nos Estados Unidos, é o câncer pélvico feminino mais comum. No Brasil, o câncer de corpo de útero perde em número de casos apenas para o câncer de

Leia mais

Enfermagem 7º Semestre. Saúde da Mulher. Prof.ª Ludmila Balancieri.

Enfermagem 7º Semestre. Saúde da Mulher. Prof.ª Ludmila Balancieri. Enfermagem 7º Semestre. Saúde da Mulher. Prof.ª Ludmila Balancieri. Menstruação. É a perda periódica que se origina na mucosa uterina, caracterizada por sangramento uterino, que ocorre na mulher desde

Leia mais

Prof. Dr. Jorge Eduardo F. Matias Cirurgia do Aparelho Digestivo Departamento de Cirurgia UFPR - HC

Prof. Dr. Jorge Eduardo F. Matias Cirurgia do Aparelho Digestivo Departamento de Cirurgia UFPR - HC DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DOS NÓDULOS HEPÁTICOS BENIGNOS Prof. Dr. Jorge Eduardo F. Matias Cirurgia do Aparelho Digestivo Departamento de Cirurgia UFPR - HC DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DOS NÓDULOS HEPÁTICOS

Leia mais

Pâncreas. Pancreatite aguda. Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes.

Pâncreas. Pancreatite aguda. Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes. Pâncreas Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes. Pancreatite aguda Pancreatite crônica Cistos pancreáticos Câncer de Pancrêas Pancreatite aguda O pâncreas é um órgão com duas funções básicas:

Leia mais

XIII Reunião Clínico - Radiológica XVII Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalasen. www.digimaxdiagnostico.com.br/

XIII Reunião Clínico - Radiológica XVII Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalasen. www.digimaxdiagnostico.com.br/ XIII Reunião Clínico - Radiológica XVII Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalasen www.digimaxdiagnostico.com.br/ CASO CLÍNICO IDENTIFICAÇÃO: S.A.B. Sexo feminino. 28 anos. CASO CLÍNICO ENTRADA

Leia mais

Avaliação ultra-sonográfica da paciente no climatério

Avaliação ultra-sonográfica da paciente no climatério Avaliação ultra-sonográfica da paciente no climatério Marco Aurélio Martins de Souza Unimontes-MG Tiradentes MG SOGIMIG 2008 Introdução Climatério é um evento fisiológico Deve ser considerado sob uma perspectiva

Leia mais

Estratégias de preservação da fertilidade em pacientes com câncer. Iúri Donati Telles de Souza Especialista em Reprodução Humana USP Ribeirão Preto

Estratégias de preservação da fertilidade em pacientes com câncer. Iúri Donati Telles de Souza Especialista em Reprodução Humana USP Ribeirão Preto Estratégias de preservação da fertilidade em pacientes com câncer de mama Iúri Donati Telles de Souza Especialista em Reprodução Humana USP Ribeirão Preto Câncer de mama e fertilidade Por que? Como o tratamento

Leia mais

Endometriose & Dor Pélvica Crônica

Endometriose & Dor Pélvica Crônica Endometriose & Dor Pélvica Crônica Márcia Mendonça Carneiro Departamento de Ginecologia e Obstetrícia FM UFMG Ambulatório de Endometriose & DPC- HC-UFMG Endometriose A endometriose caracteriza-se pela

Leia mais

FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO 1 UNIVERSIDADE DE CUIABÁ Atividade Presencial: estudo através de Textos e Questionários realizado em sala de aula SOBRE A FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO CADA ESTUDANTE DEVERÁ IMPRIMIR E LEVAR

Leia mais

SOLUÇÃO PARA A INFERTILIDADE

SOLUÇÃO PARA A INFERTILIDADE Revista: Carta Capital 28 de Agosto de 2002 SOLUÇÃO PARA A INFERTILIDADE DOIS ESPECIALISTAS DIZEM O QUE É CIÊNCIA E O QUE É MITO, ESCLARECEM AS POSSÍVEIS CAUSAS DO PROBLEMA E AS MELHORES ALTERNATIVAS PARA

Leia mais

Amenorréia Induzida: Indicações. XIX Jornada de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte XVI Jornada da Maternidade Escola Januário Cicco

Amenorréia Induzida: Indicações. XIX Jornada de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte XVI Jornada da Maternidade Escola Januário Cicco Amenorréia Induzida: Indicações XIX Jornada de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte XVI Jornada da Maternidade Escola Januário Cicco I. Amenorréia Amenorréia secundária é um distúrbio que se

Leia mais

Lesões Intraepiteliais de Alto Grau: Diagnóstico, conduta e seguimento.

Lesões Intraepiteliais de Alto Grau: Diagnóstico, conduta e seguimento. Lesões Intraepiteliais de Alto Grau: Diagnóstico, conduta e seguimento. ABG-Cap RJ II Colpovix Vitória ES 16 e 17 de outubro de 2009 Fábio Russomano Linha de cuidado para prevenção do câncer do colo do

Leia mais

OBSTETRÍCIA. Questão 1

OBSTETRÍCIA. Questão 1 OBSTETRÍCIA Questão 1 Paciente com 22 semanas de gestação é atendida com diagnóstico de carcinoma ductal infiltrante de mama. Ao exame físico apresenta nódulo irregular, pétreo, com 2cm localizado no quadrante

Leia mais

GUIA PARA PACIENTES. Anotações

GUIA PARA PACIENTES. Anotações Anotações ENTENDENDO DO OS MIOMAS MAS UTERINOS GUIA PARA PACIENTES 1620641 - Produzido em maio/2010 AstraZeneca do Brasil Ltda. Rodovia Raposo Tavares, km 26,9 CEP 06707-000 - Cotia/SP ACCESS net/sac 0800

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CASAL INFÉRTIL PONTO DE VISTA DA IMAGIOLOGIA GINECOLÓGICA

AVALIAÇÃO DO CASAL INFÉRTIL PONTO DE VISTA DA IMAGIOLOGIA GINECOLÓGICA AVALIAÇÃO DO CASAL INFÉRTIL PONTO DE VISTA DA IMAGIOLOGIA GINECOLÓGICA Renato Silva Martins Julho 2013 Introdução: Problemática da Infertilidade ESHRE European Society of Human Reproduction and Embriology

Leia mais

ABORDAGEM CIRÚRGICA DA MULHER INFÉRTIL COM ENDOMETRIOSE

ABORDAGEM CIRÚRGICA DA MULHER INFÉRTIL COM ENDOMETRIOSE ABORDAGEM CIRÚRGICA DA MULHER INFÉRTIL COM ENDOMETRIOSE INTRODUÇÃO A endometriose é uma doença inflamatória caracterizada pela presença de glândulas endometriais e estroma fora da cavidade uterina, que

Leia mais

Avaliação da Reserva Ovariana e Manejo da Má Respondedora. Dr. Alvaro Petracco

Avaliação da Reserva Ovariana e Manejo da Má Respondedora. Dr. Alvaro Petracco Avaliação da Reserva Ovariana e Manejo da Má Respondedora Dr. Alvaro Petracco Quem é uma má respondedora? Literatura controversa Cautela na interpretação de dados Definição Relacionada a idade Níveis de

Leia mais

EMBRIOLOGIA HUMANA. -Disciplina: Genética e Embriologia. -Profª: Ana Cristina Confortin -2014/1

EMBRIOLOGIA HUMANA. -Disciplina: Genética e Embriologia. -Profª: Ana Cristina Confortin -2014/1 EMBRIOLOGIA HUMANA -Disciplina: Genética e Embriologia -Profª: Ana Cristina Confortin -2014/1 ÚTERO * Compreender a estrutura do tero é base para compreensão dos ciclos reprodutivos e da implantação do

Leia mais

A REPRODUÇÃO ASSISTIDA APLICADA EM CASOS DE INFERTILIDADE ASSOCIADOS À ENDOMETRIOSE

A REPRODUÇÃO ASSISTIDA APLICADA EM CASOS DE INFERTILIDADE ASSOCIADOS À ENDOMETRIOSE ENCONTRO DE BIOÉTICA DO PARANÁ Bioética início da vida em foco. 1, 2009, Curitiba. Anais eletrônicos... Curitiba: Champagnat, 2009. Disponível em: http://www.pucpr.br/congressobioetica2009/ A REPRODUÇÃO

Leia mais

EMENTA: Câncer urológico - Critérios de alta para pacientes com câncer CONSULTA

EMENTA: Câncer urológico - Critérios de alta para pacientes com câncer CONSULTA PARECER Nº 2422/2013 CRM-PR PROCESSO CONSULTA N.º 11/2013 PROTOCOLO N. º 10115/2013 ASSUNTO: CRITÉRIOS DE ALTA DE SERVIÇOS DE CANCEROLOGIA PARECERISTA: CONS. JOSÉ CLEMENTE LINHARES EMENTA: Câncer urológico

Leia mais

UNISA Núcleo de Ginecologia e Obstetrícia Dr Andre Cassiani. Chefe de núcleo: Prof Dra Lucia Hime

UNISA Núcleo de Ginecologia e Obstetrícia Dr Andre Cassiani. Chefe de núcleo: Prof Dra Lucia Hime UNISA Núcleo de Ginecologia e Obstetrícia Dr Andre Cassiani Chefe de núcleo: Prof Dra Lucia Hime O começo de tudo... 1996, O planejamento familiar é um direito assegurado na Constituição Federal. Consiste

Leia mais

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA NT 38/2013 Solicitante: Dra. Renata Abranches Perdigão do JESP da Fazenda Pública de Campo Belo Data: 22/02/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO

Leia mais

PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL INFÉRTIL

PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL INFÉRTIL PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL INFÉRTIL Profa. Márcia Mendonça Carneiro Departamento de Ginecologia e Obstetrícia FM-UFMG Ambulatório de Dor Pélvica Crônica e Endometriose HC- UFMG G INFERTILIDADE Incapacidade

Leia mais

Humberto Brito R3 CCP

Humberto Brito R3 CCP Humberto Brito R3 CCP ABSTRACT INTRODUÇÃO Nódulos tireoideanos são achados comuns e raramente são malignos(5-15%) Nódulos 1cm geralmente exigem investigação A principal ferramenta é a citologia (PAAF)

Leia mais

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? Como ter certeza que é BI-RADS 3? Quando não confiar na biópsia percutânea? O que fazer com resultados

Leia mais

Uso de Citrato de Clomifeno: existe abuso?

Uso de Citrato de Clomifeno: existe abuso? Hospital Regional da Asa Sul (HRAS) Setor de Reprodução 46 o Congresso Humancopia de Ginecológica Ginecologia e Obstetrícia do Distrito Federal Uso de Citrato de Clomifeno: existe abuso? Natalia I. Zavattiero

Leia mais

MÉTODOS HORMONAIS. São comprimidos que contêm estrogênio e progestogênio associados.

MÉTODOS HORMONAIS. São comprimidos que contêm estrogênio e progestogênio associados. MÉTODOS HORMONAIS 1 - ANTICONCEPCIONAIS HORMONAIS ORAIS (PÍLULAS) É o método mais difundido e usado no mundo. As pílulas são consideradas um método reversível muito eficaz e o mais efetivo dos métodos

Leia mais

Avaliação da Infertilidade

Avaliação da Infertilidade Avaliação da Infertilidade Dr. Eduardo Camelo de Castro Ginecologista e Obstetra Professor do Curso de Pós Graduação em Reprodução Humana da PUC-GO Experiência devastadora, comparanda ao divórcio e ao

Leia mais

Hospital de Base do Distrito Federal - HBDF Unidade de Ginecologia Oncológica / UGON Estágio médico em Ginecologia Oncológica

Hospital de Base do Distrito Federal - HBDF Unidade de Ginecologia Oncológica / UGON Estágio médico em Ginecologia Oncológica 1. Observações gerais: Estágio de capacitação em Ginecologia Oncológica da Unidade de Ginecologia Oncológica (UGON) do Hospital de Base do Distrito Federal: O estágio em Ginecologia Oncológica da Unidade

Leia mais

Diagnóstico do câncer

Diagnóstico do câncer UNESC FACULDADES ENFERMAGEM - ONCOLOGIA FLÁVIA NUNES Diagnóstico do câncer Evidenciado: Investigação diagnóstica por suspeita de câncer e as intervenções de enfermagem no cuidado ao cliente _ investigação

Leia mais

Newton Busso. Declaração de conflito de interesse

Newton Busso. Declaração de conflito de interesse Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico ou terapêutico ou

Leia mais

Edison Natal Fedrizzi. Declaração de conflito de interesse

Edison Natal Fedrizzi. Declaração de conflito de interesse Edison Natal Fedrizzi Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

Ciclo Sexual ou Estral dos Animais Domésticos Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia Instituto de Biociências de Botucatu

Ciclo Sexual ou Estral dos Animais Domésticos Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia Instituto de Biociências de Botucatu Controle Hormonal da Gametogênese Feminina Ciclo Sexual ou Estral dos Animais Domésticos Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia Instituto de Biociências de Botucatu Ovários Formato

Leia mais

Quais hormônios regulam a ovogênese?

Quais hormônios regulam a ovogênese? Controle Endócrino da Ovogênese Ciclo Sexual Feminino Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia 1 Quais hormônios regulam a ovogênese? 2 1 CONTROLE HORMONAL DA OVOGÊNESE A ovogênese

Leia mais

Resumo A endometriose é uma doença benigna crônica de mulheres em idade

Resumo A endometriose é uma doença benigna crônica de mulheres em idade revisão Tratamento cirúrgico da endometriose baseado em evidências Evidence-based surgical treatment of endometriosis William Kondo 1 Monica Tessmann Zomer 2 Vivian Ferreira do Amaral 3 Palavras-chave

Leia mais

ABORDAGEM DO CASAL INFÉRTIL

ABORDAGEM DO CASAL INFÉRTIL ABORDAGEM DO CASAL INFÉRTIL DEFINIÇÃO Infertilidade é a incapacidade do casal engravidar, após um ano de relações sexuais regulares, sem uso de método contraceptivos. A chance de um casal normal engravidar

Leia mais

PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS

PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS DISCIPLINA DE PATOLOGIA ORAL E MAXILOFACIAL Graduação em Odontologia - 5º Período PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 GRANULOMA

Leia mais

Revised American Thyroid Association Management Guidelines for Patients with Thyroid Nodules and Differentiated Thyroid Cancer.

Revised American Thyroid Association Management Guidelines for Patients with Thyroid Nodules and Differentiated Thyroid Cancer. Conduta no NT Resultado citológico diagnóstico ou suspeito de CTP cirurgia é recomendada. (A) Nódulos parcialmente císticos com aspirados repetidamente não diagnósticos observação rigorosa ou cirurgia

Leia mais

Relação entre as características ecográficas de um nódulo tiroideu e a sua benignidade/malignidade

Relação entre as características ecográficas de um nódulo tiroideu e a sua benignidade/malignidade Relação entre as características ecográficas de um nódulo tiroideu e a sua benignidade/malignidade Análise de 203 nódulos tiroideus do Hospital Geral de Coimbra Oliveira, C.M.; Costa, R.A.; Estêvão, A.;

Leia mais

Módulo: Câncer de Rim Localizado

Módulo: Câncer de Rim Localizado Módulo: Câncer de Rim Localizado Caso 1 CAL, 56 anos, masculino Paciente médico, obeso (IMC = 41; peso 120 kg) Antecedentes clínicos: nefrolitíase Antecedentes cirúrgicos: Laparotomia mediana por divertículo

Leia mais

Sistema Reprodutor. Carlos Plancha 6/12/06

Sistema Reprodutor. Carlos Plancha 6/12/06 Sistema Reprodutor Carlos Plancha 6/12/06 Aparelho Reprodutor Masculino Estrutura do testículo Compartimento tubular: Células da linhagem germinal Células de Sertoli Compartimento inter-tubular: Células

Leia mais

Respostas Quizz- Rotinas em Obstetrícia - 6.ed.

Respostas Quizz- Rotinas em Obstetrícia - 6.ed. Respostas Quizz- Rotinas em Obstetrícia - 6.ed. Capítulo 1 A afirmativa I está incorreta, pois o teste de Schiller é considerado positivo quando não se cora pelo lugol. A afirmativa III está incorreta,

Leia mais

Endometriose: Tratamento Cirúrgico

Endometriose: Tratamento Cirúrgico Endometriose: Tratamento Cirúrgico Autoria: Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia Elaboração Final: 10 de outubro de 2011 Participantes: Tcherniakovsky M, Paramo GL, Ruano JMC,

Leia mais

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto Introdução É realizada a avaliação de um grupo de pacientes com relação a sua doença. E através dele

Leia mais

CHUC Clínica Universitária de Radiologia

CHUC Clínica Universitária de Radiologia CHUC Clínica Universitária de Radiologia Director: Prof. Dr. Filipe Caseiro Alves Mafalda Magalhães 04/03/2013 Introdução Ecografia: 1º exame a ser realizado em mulheres com suspeita de doença pélvica

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO. Curso Inicial & Integração Novos Representantes

ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO. Curso Inicial & Integração Novos Representantes ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO Curso Inicial & Integração Novos Representantes 1 SISTEMA REPRODUTOR FEMININO O conjunto de órgãos do sistema reprodutor feminino tem como função principal

Leia mais

FISIOLOGIA DO EIXO HIPOTÁLAMO - HIPÓFISE OVÁRIO. Rosy Ane de Jesus Pereira Araujo Barros

FISIOLOGIA DO EIXO HIPOTÁLAMO - HIPÓFISE OVÁRIO. Rosy Ane de Jesus Pereira Araujo Barros FISIOLOGIA DO EIXO HIPOTÁLAMO - HIPÓFISE OVÁRIO Rosy Ane de Jesus Pereira Araujo Barros CICLO MENSTRUAL A menstruação é um sangramento genital periódico e temporário na mulher. É um importantes marcador

Leia mais

Artigo Original/Original Article

Artigo Original/Original Article Artigo Original/Original Article Avaliação de uma série de 361 tumores benignos do ovário submetidos a tratamento cirúrgico. Evaluation of 361 cases of benign ovarian tumors treated surgically. Sofia Custódio*,

Leia mais

TÍTULO: ENDOMETRIOSE COM FOCO EM DIAGNÓSTICO DE IMAGEM VIA ULTRASSONOGRAFIA TRANSVAGINAL COM PREPARO INTESTINAL.

TÍTULO: ENDOMETRIOSE COM FOCO EM DIAGNÓSTICO DE IMAGEM VIA ULTRASSONOGRAFIA TRANSVAGINAL COM PREPARO INTESTINAL. TÍTULO: ENDOMETRIOSE COM FOCO EM DIAGNÓSTICO DE IMAGEM VIA ULTRASSONOGRAFIA TRANSVAGINAL COM PREPARO INTESTINAL. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO:

Leia mais

Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015. Amélia Estevão 10.05.2015

Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015. Amélia Estevão 10.05.2015 Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015 Amélia Estevão 10.05.2015 Objetivo: Investigar a vantagem da utilização da RM nos diferentes tipos de lesões diagnosticadas na mamografia e ecografia classificadas

Leia mais

de nódulos axilares e sintomas como desconforto e dor, são importantes para o diagnóstico e conduta a serem tomados em cada caso. Há exames de imagem

de nódulos axilares e sintomas como desconforto e dor, são importantes para o diagnóstico e conduta a serem tomados em cada caso. Há exames de imagem ANEXO MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO ESPECIALIZADA COORDENAÇÃO-GERAL DA MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE SAF Sul, lotes 5/6, Ed. Premium, Torre II, Sala 23 CEP: 7.7-6

Leia mais

BIOLOGIA 12º ANO. Prof. Ângela Morais UNIDADE 1 REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE

BIOLOGIA 12º ANO. Prof. Ângela Morais UNIDADE 1 REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE Escola B+S Bispo D. Manuel Ferreira Cabral Ano Letivo 2011/2012 BIOLOGIA 12º ANO Prof. Ângela Morais UNIDADE 1 REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE 2. Manipulação da Fertilidade 2.2 Infertilidade Humana

Leia mais

Apresentação de Caso Clínico L.E.M.D.A.P.

Apresentação de Caso Clínico L.E.M.D.A.P. Apresentação de Caso Clínico L.E.M.D.A.P. De Oliveira,J.V.C¹; SILVA, M.T.B¹; NEGRETTI, Fábio². ¹Acadêmicas do curso de Medicina da UNIOESTE. ²Professor de Anatomia e Fisiologia Patológica da UNIOESTE.

Leia mais

REUNIÃO DE CASOS. Aperfeiçoando de RDI da DIGIMAX (A2) RAPHAEL SALGADO PEDROSO. www.digimaxdiagnostico.com.br

REUNIÃO DE CASOS. Aperfeiçoando de RDI da DIGIMAX (A2) RAPHAEL SALGADO PEDROSO. www.digimaxdiagnostico.com.br REUNIÃO DE CASOS www.digimaxdiagnostico.com.br RAPHAEL SALGADO PEDROSO Aperfeiçoando de RDI da DIGIMAX (A2) Nome: I. G. A. B.; Idade: 28 anos; Sexo: Feminino; CASO Queixa: Atraso menstrual há 45 dias.

Leia mais

EXAMES PARA DIAGNÓSTICO DE PUBERDADE PRECOCE

EXAMES PARA DIAGNÓSTICO DE PUBERDADE PRECOCE Data: 04/12/2013 NOTA TÉCNICA 242 /2013 Solicitante: Des. Vanessa Verdolim Hudson Andrade Número do processo: 1.0433.13.017726-7/001 Medicamento Material Procedimento Cobertura X EXAMES PARA DIAGNÓSTICO

Leia mais

HORMÔNIOS SEXUAIS SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA

HORMÔNIOS SEXUAIS SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA HORMÔNIOS SEXUAIS SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA GLÂNDULAS SEXUAIS GÔNADAS MASCULINAS = TESTÍCULOS GÔNADAS FEMININAS = OVÁRIOS PRODUZEM GAMETAS E HORMÔNIOS SEXUAIS CONTROLE HORMONAL DO SISTEMA TESTÍCULOS

Leia mais

Indicações e Resultados

Indicações e Resultados O critério para indicação de angioplastia foi: Embolização de Artérias Uterinas: Sintomáticos: estenose maior que 70% Assintomáticos: estenose maior que 80% Indicações e Resultados Especialista em Radiologia

Leia mais

Raniê Ralph GO. 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual

Raniê Ralph GO. 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual Fisiologia O ciclo menstrual para ocorrer depende de uma série de intercomunicações entre diversos compartimentos femininos. Todo o ciclo menstrual

Leia mais

www.ivi.net.br IVI Brasil Press kit onde a vida nasce

www.ivi.net.br IVI Brasil Press kit onde a vida nasce www.ivi.net.br IVI Brasil Press kit onde a vida nasce Instituto Valenciano de Infertilidade O Instituto Valenciano de Infertilidade nasceu em 1990 como a primeira instituição médica na Espanha especializada

Leia mais

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS:

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: As mamas (ou seios) são glândulas e sua função principal é a produção de leite. Elas são compostas de lobos que se dividem em porções menores, os lóbulos, e ductos, que

Leia mais

CAPÍTULO 1 AVALIAÇÃO BÁSICA DA INFERTILIDADE CONJUGAL. Adner Nobre Elfie Tomaz Figueiredo Francisco C Medeiros. 1 Definição:

CAPÍTULO 1 AVALIAÇÃO BÁSICA DA INFERTILIDADE CONJUGAL. Adner Nobre Elfie Tomaz Figueiredo Francisco C Medeiros. 1 Definição: CAPÍTULO 1 1 Definição: AVALIAÇÃO BÁSICA DA INFERTILIDADE CONJUGAL Adner Nobre Elfie Tomaz Figueiredo Francisco C Medeiros Incapacidade de engravidar após 12 meses ou mais de relações sexuais regulares

Leia mais

INDICA-SE PELO RISCO DE NEO

INDICA-SE PELO RISCO DE NEO Benigno x maligno SINTOMÁTICA ASSINTOMÁTICA ASSINTOMÁTICA INDICA-SE PELO RISCO DE NEO 56 % dos cistos tem resolução espontânea Ehrlich, et al. (2007) 57 a 60 % dos TU Malignos ovarianos componente cístico

Leia mais

Apoio e realização: II Congresso Brasileiro de Ginecologia Oncológica AGINON 2015 I Jornada Latino-Americana de Ginecologia Oncológica - LASGO

Apoio e realização: II Congresso Brasileiro de Ginecologia Oncológica AGINON 2015 I Jornada Latino-Americana de Ginecologia Oncológica - LASGO Apoio e realização: II Congresso Brasileiro de Ginecologia Oncológica AGINON 2015 I Jornada Latino-Americana de Ginecologia Oncológica - LASGO Local: Minas Centro, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Leia mais

TEMA: Abiraterona (Zytiga ) para tratamento de câncer de próstata avançado sem quimioterapia prévia.

TEMA: Abiraterona (Zytiga ) para tratamento de câncer de próstata avançado sem quimioterapia prévia. NTRR 158/2014 Solicitante: Juíz: Dra. Solange Maria de Lima Oliveira Juiza da 1ª Vara Cível de Itaúna. Data: 04/07/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Número do processo: 0338.14.006.873-9

Leia mais