Programa CAIXA Melhor Crédito

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa CAIXA Melhor Crédito"

Transcrição

1 Programa CAIXA Melhor Crédito Corte histórico de juros na CAIXA São Paulo, 09 de Abril de

2 Pilares do Programa CAIXA Melhor Crédito 1. Redução acentuada das taxas de juros 2. Maior volume de recursos disponíveis no mercado 3. Valorização dos clientes (atuais e novos) 4. Orientação para o crédito consciente CAIXA CAIXA reduz reduz a partir partir de de hoje hoje taxas taxas de de juros juros em em até até88%. Volume de de concessão de de crédito em em de de R$ R$ bi bi (24% (24% ano). ano). Benefício imediato para para milhões dos dos atuais atuais clientes e a todos todos que que abrirem conta conta na na CAIXA. Orientação para para melhor gestão gestão financeira das das famílias, permitindo reduzir o custo custo das das dívidas e até atéobter novos novos recursos. Super Super pacote pacote de de benefício para para conta conta salário salário com com vantagens em em tarifas, tarifas, crédito, cartões, investimentos e produtos da da seguradora. 2

3 Crédito Pessoa Física Cheque Especial Redução de até 59% na taxa anual para clientes sem conta salário e de 67% para clientes com conta salário. Taxa Atual Taxa Nova Diferença % Taxa anualizada Cheque Especial Normal 8,25% 4,27% -59,0% Cheque Especial Salário 8,18% 3,50% -67,4% As novas taxas vão beneficiar, de imediato, 5 milhões de clientes. Todos podem ter taxa de 1,35%a.m., dependendo do relacionamento. A CAIXA possui 13,1% do mercado de Cheque Especial. A taxa média do mercado é de 9,05%a.m. (Fonte: BACEN. Posição: Fev/12) Quem Quem utiliza utiliza R$ R$ 2.000, ,00 no no Cheque Cheque Especial Especial tem tem economia economia anual anual com com juros juros de de cerca cerca de de R$ R$ 1.000, ,00. 3

4 Crédito Pessoa Física Cartão de Crédito Redução de até 41% na taxa anual para clientes sem conta salário e de até 87,7% para clientes com conta salário. Taxa Atual Taxa Nova Diferença % Taxa anualizada Cartão de Crédito Nacional 12,86% 9,47% -40,0% Cartão de Crédito Internacional 12,17% 8,80% -41,0% Cartão de Crédito Gold 10,76% 7,70% -40,4% Cartão de Crédito Platinum 5,15% 5,15% - Cartão de Crédito Infinite 3,97% 3,97% - Cartão Azul Caixa* 12,86% 2,85% -87,7% * Produto Cartão de Crédito para Conta Salário. Comparativo de taxa com a do Cartão de Crédito Nacional. O Cartão Azul CAIXA tem Programa de Pontos para descontos da anuidade. Essas reduções beneficiam mais de 6 milhões de clientes. A taxa média do mercado é de 13,78%a.m. (Fonte: Pricing. Posição: Jan/12) 4

5 Crédito Pessoa Física Crédito Direto CAIXA (CDC) Redução de até 42% na taxa anual para clientes sem conta salário e de 54,8% para clientes com conta salário. Taxa Atual Taxa Nova Diferença % Taxa anualizada CDC Sênior 3,92% 2,47% -42,0% CDC Turismo 4,97% 3,57% -33,7% CDC Automático 5,40% 3,88% -34,2% CDC Conta-Salário 4,65% 2,39% -54,8% 4,2 milhões de clientes serão beneficiados, de imediato, pelas reduções das taxas. Um Um cliente cliente com com conta conta salário salário terá teráuma economia economia de de R$ R$ 3.500, ,00 em em um um empréstimo empréstimo de de R$ R$ , ,00 em em vezes. vezes. 5

6 Crédito Pessoa Física Crédito Consignado Redução de até 34,2% na taxa anual de balcão (taxa máxima). Taxa Atual Taxa Nova Diferença % Taxa anualizada Consignado Taxa mínima 1,29% 1,20% -7,4% Consignado Taxa máxima (Balcão) 2,82% 1,95% -34,2% Consignado INSS (1 a 6 meses) 0,84% 0,84% - Consignado INSS (7 a 12 meses) 1,75% 1,40% -21,6% Consignado INSS (13 a 60 meses) 2,14% 1,80% -17,5% As reduções da CAIXA no Consignado beneficiarão 15 milhões de aposentados e empregados de empresas convenentes. A taxa média do mercado de Consignado é de 2,05%a.m. (Fonte: BACEN. Posição: Fev/12) 6

7 Crédito Pessoa Física Benefícios para Conta Salário Benefícios para clientes com Conta Salário: Isenção de cesta de tarifas no primeiro ano Isenção de anuidade dos cartões e taxa de 2,85% a.m. no Cartão Azul CAIXA Redução de taxas das operações de crédito (Taxa de 3,5% a.m. no Cheque Especial, podendo chegar a 1,35% a.m. dependendo do nível de relacionamento) Crédito Aporte (Garantia Imóvel) até 240 meses, taxa 1,35% a.m. a 1,42% a.m. + TR (Redução de 20,30%) Condições diferenciadas para investimentos em LCI, CDB e Fundos de Investimento com taxa de adm. de 0,7%, para R$20mil. Condições diferenciadas para crédito habitacional, consórcio, seguros residencial e autos, títulos de capitalização e previdência. As As vantagens beneficiarão de de imediato 1,7 1,7 milhões de de clientes e a todos todos que que transferirem suas suas contas contas salário salário para para a Caixa Caixa 7

8 Crédito Pessoa Física Crédito Azul CAIXA - Organização Financeira O Crédito Azul Caixa, por intermédio de orientação financeira e acesso a linhas de crédito com melhores taxas e maiores prazos, possibilita as famílias quitarem suas dívidas mais caras e ainda obter novos recursos para usar como quiser. Produto Características Garantia Consignação Crédito Aporte Aporte Auto Crédito Pessoal Prazo de até 120 meses, taxa de 1,2% a 1,95% a.m. de acordo com o convênio Prazo de até 180 meses e, para alguns nichos, como servidores públicos federais, até 240 meses Não há limite máximo de empréstimo, respeitada a capacidade de pagamento do tomador Taxa de 1,35% a 1,55% a.m. + TR Prazo de até 48 meses, taxa de 1,84% a 2,11% a.m. e Cota de financiamento de até 70% do valor do veículo, dependendo do relacionamento e da capacidade de pagamento do cliente Prazo de até 48 meses e taxa de 2,33% a 2,53% a.m. Averbação de margem consignável Alienação fiduciária de imóvel comercial ou residencial ou terreno, urbano ou rural Veículo quitado com até 5 anos de uso Aval 8

9 Crédito Pessoa Jurídica Capital de Giro Redução de 68,7% na taxa anual do Capital de Giro para todos os clientes Taxa Atual Taxa Nova Diferença % Taxa anualizada Giro CAIXA Fácil 2,72% 0,94% -68,7% R$ 8 bilhões alocados para demanda por capital de giro das empresas Prazo máximo de pagamento estendido de 18 meses para 40 meses Os limites de contratação passaram de R$ 60 mil para até R$ 1 milhão Serão beneficiados micro, pequenas e médias empresas A partir de Junho de 2012, a taxa poderá chegar a 0,90% a.m. para quem possui relacionamento A taxa média do mercado de Capital de Giro é de 1,95%a.m. 9 (Fonte: BACEN. Posição: Fev/12)

10 Crédito Pessoa Jurídica Desconto de Cheques e Duplicatas Redução de 29,2% na taxa anual do Desconto de Cheques e Duplicatas. Taxa Atual Taxa Nova Diferença % Taxa anualizada Desconto* (Taxa Média) 1,72% 1,25% -29,2% * Cheques e Duplicatas Para as Micro e Pequenas Empresas a taxa varia de 1,11% a 1,85%a.m., dependendo do relacionamento. Serão alocados R$ 4 bilhões para suprir a demanda A taxa média do mercado de Desconto de Duplicatas é de 3,00%a.m. (Fonte: BACEN. Posição: Fev/12) 10

11 11

12 12

Programa CAIXA Melhor Crédito

Programa CAIXA Melhor Crédito Programa CAIXA Melhor Crédito CAIXA REDUZ A PARTIR DE HOJE TAXAS DE JUROS EM ATÉ 88% O Caixa Melhor Crédito trará beneficio imediato para mais de 25 milhões de clientes A Caixa Econômica Federal anunciou

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS Resultados dos estudos sobre a redução de taxas de juros praticadas por bancos públicos e privados. Orientações aos consumidores. Face aos diversos anúncios de redução de juros veiculados na mídia a partir

Leia mais

Soluções. para sua Empresa

Soluções. para sua Empresa Atendimento Outras Soluções Investimentos Soluções para Parceiros e Empregados Soluções para sua Empresa Linhas de Crédito Seguros e Cartões Soluções em Recebimentos Soluções em Pagamentos Soluções sob

Leia mais

Guia Prático para você. O Besc é Banco do Brasil. Veja a diferença que isso faz no seu dia-a-dia.

Guia Prático para você. O Besc é Banco do Brasil. Veja a diferença que isso faz no seu dia-a-dia. Guia Prático para você. O Besc é Banco do Brasil. Veja a diferença que isso faz no seu dia-a-dia. guia_pf.indd 1 3/24/09 10:53:08 AM Índice Introdução...02 Relacionamento com o Banco do Brasil...03 Conta

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. Estas reduções podem ser atribuídas aos fatores abaixo:

PESQUISA DE JUROS. Estas reduções podem ser atribuídas aos fatores abaixo: PESQUISA DE JUROS Após longo período de elevação das taxas de juros das operações de crédito, as mesmas voltaram a ser reduzidas em setembro/2014 interrompendo quinze elevações seguidas dos juros na pessoa

Leia mais

CAIXA e o NORDESTE. NELSON ANTÔNIO DE SOUZA SUPERINTENDENTE NACIONAL DA ÁREA B - NORDESTE Novembro de 2009

CAIXA e o NORDESTE. NELSON ANTÔNIO DE SOUZA SUPERINTENDENTE NACIONAL DA ÁREA B - NORDESTE Novembro de 2009 CAIXA e o NORDESTE NELSON ANTÔNIO DE SOUZA SUPERINTENDENTE NACIONAL DA ÁREA B - NORDESTE Novembro de 2009 ATENDIMENTOS CAIXA Total de Transações 921 milhões em terminais de Auto- Atendimento 131 milhões

Leia mais

Seja sócio dessa ideia. Filiada a

Seja sócio dessa ideia. Filiada a Seja sócio dessa ideia. Filiada a COMPARE... E VEJA A DIFERENÇA BANCO Você é um Cliente Precisa de resultado Os lucros vão para o banqueiro ou acionistas Antes do ajudar, vem a questão do retorno Taxas

Leia mais

O cooperativismo de crédito e você

O cooperativismo de crédito e você O cooperativismo de crédito e você A Cooperativa de Crédito é uma instituição financeira sem fins lucrativos de propriedade dos associados, controlada de forma democrática por seus membros, e tem o propósito

Leia mais

CIRCULAR Nº 033/2003. Programa "Crédito Empresarial Nossa Caixa"

CIRCULAR Nº 033/2003. Programa Crédito Empresarial Nossa Caixa São Paulo, 06 de Outubro de 2003. DE: ASSESSORIA JURÍDICA PARA: ASSOCIADOS CIRCULAR Nº 033/2003 Programa "Crédito Empresarial Nossa Caixa" Encaminhamos à V.Sa., novo Anexo I do Protocolo de Intenções,

Leia mais

O BDMG tem como visão ser o banco indispensável ao desenvolvimento de Minas Gerais, impulsionando assim o crescimento socioeconômico sustentável do

O BDMG tem como visão ser o banco indispensável ao desenvolvimento de Minas Gerais, impulsionando assim o crescimento socioeconômico sustentável do 1 O BDMG tem como visão ser o banco indispensável ao desenvolvimento de Minas Gerais, impulsionando assim o crescimento socioeconômico sustentável do Estado. 2 Sumário 1. Limite de Crédito pág. 03 2. BDMG

Leia mais

Soluções para a construção da casa própria. Soluções para clientes de todas as faixas de renda

Soluções para a construção da casa própria. Soluções para clientes de todas as faixas de renda Soluções para aquisição da casa própria Soluções para a construção da casa própria Soluções para a reforma ou ampliação da casa própria Soluções para clientes de todas as faixas de renda Redução de juros

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. Esta elevação é reflexo da elevação da Taxa Básica de Juros (Selic)

Leia mais

Banco do Brasil. Encontro da ABRASP Associação Brasileira de Produtores de Soluções Parenterais. Salvador (BA) Novembro/2009

Banco do Brasil. Encontro da ABRASP Associação Brasileira de Produtores de Soluções Parenterais. Salvador (BA) Novembro/2009 Banco do Brasil Encontro da ABRASP Associação Brasileira de Produtores de Soluções Parenterais 1 Salvador (BA) Novembro/2009 1 Índice Contextualização 3 Fundo de Garantia de Operações - FGO 7 Fundo de

Leia mais

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em outubro/2013, sendo esta a sexta elevação no ano. Esta elevação pode ser atribuída à última elevação da Taxa de Juros

Leia mais

Linhas de Crédito. Capital de Giro

Linhas de Crédito. Capital de Giro Linhas de Crédito Capital de Giro Apresentação FIESP Jul/2015 Operações mais utilizadas NOME CONTA GARANTIDA CAIXA CH.EMPRESA CAIXA CREDITO ESPECIAL EMPRESA - PRE/PRICE - GARANTIA FGO GIROCAIXA RECURSOS

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA. GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito

ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA. GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito INSTITUCIONAL HISTÓRICO - Idéia junho/2001; - Estudos Jurídicos novembro/2002;

Leia mais

Panorama do Mercado de Crédito

Panorama do Mercado de Crédito Panorama do Mercado de Crédito FEBRABAN Dezembro de 2011 Rubens Sardenberg Economista-chefe ÍNDICE I. Evolução do Crédito II. Pessoa Física III. Pessoa Jurídica IV. Inadimplência V. Spread VI. Projeções

Leia mais

TABELA DE CAPTAÇÃO DAS TAXAS DE JUROS PARA PESSOA FÍSICA PRATICADAS PELAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS EM 02/05/12

TABELA DE CAPTAÇÃO DAS TAXAS DE JUROS PARA PESSOA FÍSICA PRATICADAS PELAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS EM 02/05/12 TABELA DE CAPTAÇÃO DAS S DE JUROS PARA PESSOA FÍSICA EM 02/05/12 BANCO DO BRASIL BRADESCO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL HSBC MODALIDADES DE CRÉDITO CARTÃO DE CRÉDITO 2,94* 13,56* 2,10* 14,99* 1,90* 2,85** 6,03*

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito ficaram praticamente estáveis em janeiro/2013 frente a dezembro/2012. Pessoa Física Das seis

Leia mais

Mercado de Títulos Ligados ao Setor Imobiliário para Fundos de Pensão

Mercado de Títulos Ligados ao Setor Imobiliário para Fundos de Pensão Mercado de Títulos Ligados ao Setor Imobiliário para Fundos de Pensão Marielle Brugnari dos Santos Gerência de Produtos Imobiliários Junho/20111 Desenvolvimento do Mercado Imobiliário Cédula de Crédito

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em fevereiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em setembro/2013, sendo esta a quinta elevação no ano. Esta elevação

Leia mais

Produção paulista de roupas diminui 40%

Produção paulista de roupas diminui 40% Boletim 795/2015 Ano VII 20/07/2015 Produção paulista de roupas diminui 40% A desaceleração do varejo fez a produção de roupas do Estado de São Paulo cair cerca de 40% no primeiro semestre deste ano na

Leia mais

PALESTRA: LINHAS DE CRÉDITOS.

PALESTRA: LINHAS DE CRÉDITOS. PALESTRA: LINHAS DE CRÉDITOS. Facilitador: Wolney Luis do Nascimento Sousa. Responsável pelo Evento: 1 LINHAS DE CRÉDITO Motivos Vantagens Desvantagens Aplicação 2 LINHAS DE CRÉDITO Função dos Bancos Para

Leia mais

O BDMG tem como visão ser o banco indispensável ao desenvolvimento de Minas Gerais, impulsionando assim o crescimento socioeconômico sustentável do

O BDMG tem como visão ser o banco indispensável ao desenvolvimento de Minas Gerais, impulsionando assim o crescimento socioeconômico sustentável do 1 O BDMG tem como visão ser o banco indispensável ao desenvolvimento de Minas Gerais, impulsionando assim o crescimento socioeconômico sustentável do Estado. 2 Sumário 1) LIMITE DE CRÉDITO... 3 2) BDMG

Leia mais

(com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009

(com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009 Relatório Febraban - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009 Em Abril de 2009, operações de crédito atingiram

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Conhecimentos Bancários. Mercado Financeiro. Mercado Financeiro

Conhecimentos Bancários. Conhecimentos Bancários. Mercado Financeiro. Mercado Financeiro Conhecimentos Bancários Mercado Financeiro Órgãos normativo/fiscalizador Conselho Monetário Nacional Banco Central do Brasil Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional Conhecimentos Bancários

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 22-10-08) Edição de 27 de Outubro de 08 Crise não teve impacto significativo nas operações

Leia mais

O papel da CAIXA na viabilização dos Programas Habitacionais

O papel da CAIXA na viabilização dos Programas Habitacionais O papel da CAIXA na viabilização dos Programas Habitacionais AGENDA I NÚMEROS CAIXA III PROGRAMAS DE HABITAÇÃO SOCIAL III.I PMCMV, Operações Coletivas, Crédito Solidário, PAR Valores Contratados 2003 A

Leia mais

Bancos financiam crescentemente a produção

Bancos financiam crescentemente a produção Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nota do dia 25 de julho de 2007 Fontes: Bacen, IBGE e CNI Elaboração: Febraban Bancos financiam crescentemente a produção Pessoa Jurídica O crédito destinado

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

Cartão Consignado. Aposentados e Pensionistas do INSS

Cartão Consignado. Aposentados e Pensionistas do INSS Cartão Consignado Aposentados e Pensionistas do INSS Cartão Consignado INSS Regras Vigentes INSS Regras Vigentes Cartão exclusivo para compras (o saque é proibido). Temos que aguardar a manifestação do

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 29-07-2008) Edição de 30 de julho de 2008 Crédito à pessoa jurídica permanece forte Em junho

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em janeiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Todas as linhas de crédito para pessoas jurídicas subiram. Para pessoas físicas, houve aumento nos juros do comércio,

Leia mais

Apoio ao Encadeamento Produtivo Setor Automotivo

Apoio ao Encadeamento Produtivo Setor Automotivo Apoio ao Encadeamento Produtivo Setor Automotivo SISTEMISTAS Empresas Associadas ao SINDPEÇAS Atuação CAIXA para apoio ao Setor Renovação de Frota Pro-Transporte Financiamento de Máquinas e Equipamentos

Leia mais

Volume de crédito segue em expansão em 2008

Volume de crédito segue em expansão em 2008 Relatório Febraban - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 25-03-2008) Edição de 25 de março de 2008 Volume de crédito segue em expansão em 2008 O ritmo

Leia mais

Questões de informações de Crédito na América Latina BRASIL

Questões de informações de Crédito na América Latina BRASIL Questões de informações de Crédito na América Latina BRASIL Papel das Centrais de Informações Comerciais Os objetivos das centrais de informação de crédito são: Apoio à gestão de risco de crédito para

Leia mais

AULA 08. Produtos e Serviços Financeiros II

AULA 08. Produtos e Serviços Financeiros II AULA 08 Produtos e Serviços Financeiros II Operações Ativas As operações ativas são aquelas em que o banco, além dos investimentos destinados à formação do seu ativo permanente e disponibilidades, atua

Leia mais

Público Alvo. Faculdades; Universidades; Escolas de Ensino Fundamental e Médio; Cursos Especializados; Escolas de Idiomas;

Público Alvo. Faculdades; Universidades; Escolas de Ensino Fundamental e Médio; Cursos Especializados; Escolas de Idiomas; . Público Alvo Faculdades; Universidades; Escolas de Ensino Fundamental e Médio; Cursos Especializados; Escolas de Idiomas; Professores, funcionários e alunos. Educação Produtos Diferenciados Parceria

Leia mais

Estudo: Crédito e Taxas de Juros no Cartão de Crédito

Estudo: Crédito e Taxas de Juros no Cartão de Crédito Estudo: Crédito e Taxas de Juros no Cartão de Crédito 25 de junho de 2010 Sobre este estudo Este estudo foi desenvolvido no início de 2009 e atualizado parcialmente em junho de 2010 2 A operação do cartão

Leia mais

Estudo sobre Investimentos World One Julho 2014

Estudo sobre Investimentos World One Julho 2014 Introdução, perguntas e respostas que vão te ajudar a conseguir dialogar com clientes que tenham dúvidas sobre os investimentos que estão fazendo, ou alguma outra pessoa que realmente entenda do mercado

Leia mais

PROGRAMA CAIXA APL. SERGIO NETTO AMANDIO GERENCIA NACIONAL DE APLICAÇÃO MPE Out/2009

PROGRAMA CAIXA APL. SERGIO NETTO AMANDIO GERENCIA NACIONAL DE APLICAÇÃO MPE Out/2009 PROGRAMA CAIXA APL SERGIO NETTO AMANDIO GERENCIA NACIONAL DE APLICAÇÃO MPE Out/2009 ATENDIMENTOS 436 milhões em Agências 921 milhões em terminais de Auto-Atendimento QUANTIDADE DE CLIENTES - EM MILHÕES

Leia mais

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO LINHAS DE CRÉDITO PARA MICRO, PEQUENA E MÉDIA EMPRESAS Novembro 2008 FUNGETUR Fundo Geral de Turismo Fomentar e prover recursos para o financiamento de atividades

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 002/2015

RESOLUÇÃO N. 002/2015 RESOLUÇÃO N. 002/2015 Atualiza a Resolução 005/2014 em seu artigo 3º (Taxa de juros do Consignado Estadual e renovação garantias I e II) de acordo com as condições e garantias oferecidas pelo sócio, inalteradas

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO 03/2009 ENTRE O COMAER/ CFIAe & CAIXA (CEF) INSTRUÇÕES AOS BENEFICIÁRIOS DA CFIAe GENERALIDADES A Caixa de Financiamento Imobiliário da Aeronáutica (CFIAe) vem acompanhando as taxas

Leia mais

Medidas de Incentivo à Competitividade. Min. Guido Mantega 05 de Maio de 2010

Medidas de Incentivo à Competitividade. Min. Guido Mantega 05 de Maio de 2010 Medidas de Incentivo à Competitividade Min. Guido Mantega 05 de Maio de 2010 Devolução mais rápida de créditos tributários federais por exportações Devolução de 50% dos créditos de PIS/Pasep, Cofinse IPI

Leia mais

COOPERATIVA DE CRÉDITO

COOPERATIVA DE CRÉDITO 3 COOPERATIVISMO Baseia-se na união de pessoas onde cada membro deve contribuir com uma parcela ou quota parte, colaborando para a melhoria das condições econômicas e sociais de todos que fazem parte dessa

Leia mais

e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Associação e a cooperação Micro e Pequeno Empreendedorismo

e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Associação e a cooperação Micro e Pequeno Empreendedorismo e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Micro e Pequeno Empreendedorismo e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Micro e Pequeno Empreendedorismo

Leia mais

Ministério da Fazenda. Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Salvador - Bahia

Ministério da Fazenda. Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Salvador - Bahia Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Salvador - Bahia Novembro 2007 1 Política Governamental e Propostas para Combate do Déficit Habitacional Crédito Imobiliário: Desenvolvendo Mecanismos de

Leia mais

Seminário GVcev Produtos Financeiros no Varejo

Seminário GVcev Produtos Financeiros no Varejo Seminário GVcev Produtos Financeiros no Varejo O Papel das Financeiras no Mercado Brasileiro Carlos Vilani Mercado Anos 1994 90 Plano Real 96 06 Bancos atuando fortemente na captação de curto prazo Crédito

Leia mais

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil Categorias de pequenos negócios no Brasil MPE Indicadores MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual de até R$ 60 mil MICROEMPRESA Receita bruta

Leia mais

FUNDO DE AVAL FDA E ME COMPETITIVA

FUNDO DE AVAL FDA E ME COMPETITIVA FUNDO DE AVAL FDA E ME COMPETITIVA OBJETIVOS FDA Prover recursos para garantir riscos de crédito e viabilizar o acesso de micro e pequenas empresas a linhas de financiamento. ME COMPETITIVA Apoiar financeiramente

Leia mais

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em maio/2014, sendo esta a décima segunda elevação seguida, quinta elevação no ano. Estas elevações podem ser atribuídas

Leia mais

Plano de Vantagens Itaú

Plano de Vantagens Itaú Plano de Vantagens Itaú Conheça o Plano de Vantagens Itaú para correntistas. O Plano de Vantagens Itaú oferece benefícios de acordo com o seu relacionamento com o banco e conforme sua utilização de serviços.

Leia mais

Julho/2010. Diretoria de Empréstimos e Financiamentos

Julho/2010. Diretoria de Empréstimos e Financiamentos Crédito Imobiliário Julho/2010 Agenda 1. Números do Mercado e BB 2. Aquisição PF - SFH 3. Financiamento à Produção PJ 4. Programa Minha Casa, Minha Vida - PMCMV 5. Atuação Estratégica Mercado Atacado 2

Leia mais

ANOREG/BR ASSOCIAÇÃO DOS NOTÁRIOS E REGISTRADORES DO BRASIL

ANOREG/BR ASSOCIAÇÃO DOS NOTÁRIOS E REGISTRADORES DO BRASIL ANOREG/BR ASSOCIAÇÃO DOS NOTÁRIOS E REGISTRADORES DO BRASIL São Paulo, 16 de dezembro de 2010. A Associação dos Notários e Registradores do Brasil ANOREG BR At.: Sr. Rogério Portugal Bacellar Prezado Senhor,

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.2- Aplicação de Recursos Operações Ativas

Conhecimentos Bancários. Item 2.2- Aplicação de Recursos Operações Ativas Conhecimentos Bancários Item 2.2- Aplicação de Recursos Operações Ativas Conhecimentos Bancários Item 2.2- Aplicação de Recursos Operações Ativas CAPTAÇÃO DE RECURSOS APLICAÇÃO DE RECURSOS INSTITUIÇÃO

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 24-06-2008) Edição de 25 de junho de 2008 Operações de crédito à pessoa física apresentam

Leia mais

O BANCO QUE ACREDITA NAS PESSOAS. Superintendente Regional de Salvador. Palestra: Caixa o principal banco de relacionamento com os municípios

O BANCO QUE ACREDITA NAS PESSOAS. Superintendente Regional de Salvador. Palestra: Caixa o principal banco de relacionamento com os municípios O BANCO QUE ACREDITA NAS PESSOAS 4º SEMINÁRIO NACIONAL DE GESTÃO PÚBLICA 2009. Data: 27 de maio de 2009. Local Fiesta Bahia Hotel. Avenida Antonio Carlos Magalhães 711 Salvador - BA APOIO Superintendente

Leia mais

I SEMINÁRIO ESTADUAL DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS - AM

I SEMINÁRIO ESTADUAL DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS - AM I SEMINÁRIO ESTADUAL DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS - AM Grupo de Trabalho Permanente / GTP-APL Rede de Distribuição 3.407 Agências 6.015 Agências 36 Milhões de Clientes Agências Bradesco Expresso Banco

Leia mais

SOLUÇÕES COMPLETAS EM PRODUTOS E SERVIÇOS PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SOLUÇÕES COMPLETAS EM PRODUTOS E SERVIÇOS PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SOLUÇÕES COMPLETAS EM PRODUTOS E SERVIÇOS PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SN de Estratégia para Micro e Pequeno Empreendedorismo GN Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental Outubro - 2014 153

Leia mais

COOPERATIVA DE CRÉDITO

COOPERATIVA DE CRÉDITO COOPERATIVISMO Baseia-se na união de pessoas onde cada membro deve contribuir com uma parcela ou quota parte, colaborando para a melhoria das condições econômicas e sociais de todos que fazem parte dessa

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 752, DE 26 DE AGOSTO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 752, DE 26 DE AGOSTO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 752, DE 26 DE AGOSTO DE 2015 Regulamenta as linhas de crédito dos Programas de Geração de Emprego e Renda na área Urbana - PROGER Urbano Investimento. O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo

Leia mais

a) Buscar informações no site da Caixa Econômica Federal, http://www.caixa.gov.br/, ou

a) Buscar informações no site da Caixa Econômica Federal, http://www.caixa.gov.br/, ou CASA PRÓPRIA DO SERVIDOR O Governo do Estado do Goiás, em convênio com a Caixa Econômica Federal, disponibiliza aos seus servidores civis e militares, ativos e inativos, bem como aos pensionistas, linhas

Leia mais

SERVIDOR FEDERAL, SEJA BEM-VINDO AO BRADESCO

SERVIDOR FEDERAL, SEJA BEM-VINDO AO BRADESCO SERVIDOR FEDERAL, SEJA BEM-VINDO AO BRADESCO O Bradesco está credenciado para prestar serviço de processamento de crédito salário para os Servidores Federais. Transfira seu salário para o Bradesco e aproveite

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. Na pessoa física as taxas de juros tiveram uma pequena elevação sendo esta a décima quinta

Leia mais

Empréstimo. Pagamento em até 30 meses; Sem taxa de abertura de crédito; Parcelas debitadas em conta; Limites analisados pela renda.

Empréstimo. Pagamento em até 30 meses; Sem taxa de abertura de crédito; Parcelas debitadas em conta; Limites analisados pela renda. Produtos Conta Corrente Com isenção de tarifas de manutenção, dez folhas cheques, quatro extratos mensais, emissão de extratos on-line, tarifas reduzidas, só na Credlíder. Conta Poupança A Poupança Credlider

Leia mais

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MUTUO

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MUTUO COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MUTUO UO DOS FUNCIONARIOS DO SISTEMA FIERGS- CRESUL Travessa Francisco de Leonardo Truda, 40 sala 143 14 andar Porto Alegre-RS CEP 90010-050 Fone (0**51) 3224-3280 Fax:

Leia mais

MINHA CASA MINHA VIDA 2 PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA

MINHA CASA MINHA VIDA 2 PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA RESUMO Conjunto de medidas do Governo Federal, lançado em 13 ABR 2009, com objetivo de reduzir o déficit habitacional viabilizando o acesso à casa própria, aumentando o investimento

Leia mais

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015 Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Mercado Imobiliário Brasileiro - VGL 2011-7% 2012 13% 2013 R$ 85,6 bilhões R$ 79,7 bilhões R$ 90,4 bilhões

Leia mais

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc.

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc. Material de Estudo para Recuperação 9 ano. Juros Simples O regime de juros será simples quando o percentual de juros incidirem apenas sobre o valor principal. Sobre os juros gerados a cada período não

Leia mais

Produtos Bancários CAIXA

Produtos Bancários CAIXA Produtos Bancários CAIXA Item 1- Programa Minha Casa Minha Vida Programa do Governo Federal, lançado em abril de 2009. Gerido pelo Ministério das Cidades e operacionalizado pela CAIXA. Produtos Bancários

Leia mais

Portabilidade de Crédito sairá do papel?

Portabilidade de Crédito sairá do papel? Portabilidade de Crédito sairá do papel? Paulo Henrique Valadares Pereira Banco Cooperativo Sicredi 1 Objetivo Compartilhar informações sobre a Portabilidade de Crédito, seu desempenho no mercado de crédito

Leia mais

ABIFER. (julho/2010)

ABIFER. (julho/2010) ABIFER (julho/2010) QUADRO COMPARATIVO Em US$ bilhões BNDES BID BIRD CAF Data de Apuração 31/12/2009 31/12/2009 30/06/2009 31/12/2009 Ativos Totais 222 84 275,4 15,8 Patrimônio Líquido 15,8 20,6 40 5,3

Leia mais

Mercado de Crédito Consignado. Agosto 2014

Mercado de Crédito Consignado. Agosto 2014 Mercado de Crédito Consignado Agosto 2014 EMPRÉSTIMO CONSIGNADO EM FOLHA DE PAGAMENTO O empréstimo consignado é o melhor produto financeiro de crédito do país e seu desenvolvimento só foi possível por

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015 (dados junho de 2015) A SPE não é a fonte primária das informações disponibilizadas nesta apresentação. A SPE apenas consolida e organiza as informações

Leia mais

Regulamento da MultiConta Prestige

Regulamento da MultiConta Prestige Regulamento da MultiConta Prestige Mais serviços e mais benefícios feitos para quem recebe seu crédito de salário ou aposentadoria no Itaú Personnalité. A MultiConta Prestige oferece um maior número de

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN DEZEMBRO / 2008

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN DEZEMBRO / 2008 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO SFN DEZEMBRO / 2008 Fonte: Bacen 27/01/2009 DESTAQUES DE DEZEMBRO / 2008 As operações de crédito no SFN, incluindo recursos livres e direcionados, finalizaram o ano com um incremento

Leia mais

O C artão d o S ervidor PR P E R F E EI E TUR U A R A MU M N U I N CI C PA P L A L DE D E LOND N R D I R NA N

O C artão d o S ervidor PR P E R F E EI E TUR U A R A MU M N U I N CI C PA P L A L DE D E LOND N R D I R NA N O Cartão do Servidor PREFEITURA MUNICIPAL DE LONDRINA Cartão BMG Card O BMG Card é um cartão de crédito com bandeira MasterCard, direcionado aos Servidores Públicos Estatutários do Governo de Santa Catarina,

Leia mais

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar:

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar: EDITAL 2012 1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: Conselho Monetário Nacional; Banco Central do Brasil; Comissão de Valores Mobiliários; Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional; bancos

Leia mais

Financiamento de veículos. Crédito Pessoa Física Principais Produtos

Financiamento de veículos. Crédito Pessoa Física Principais Produtos Financiamento de veículos Crédito Pessoa Física Principais Produtos 115 +11% Carteira de Crédito 124 +3% 127 Crédito ao Consumo Veículos R$ Bilhões Pessoa Física Crédito Consignado 1 32 Cartão de Crédito

Leia mais

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. C/C Itaú. Quando e como receberei o meu benefício?

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. C/C Itaú. Quando e como receberei o meu benefício? Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. O Itaú quer estar presente em todos os momentos da sua vida. Por isso, criamos este material para ajudar você com

Leia mais

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009 Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009 Agenda Estrutura do Mercado de Cartões Principais Números da Indústria de Cartões no Brasil Situação Atual da Indústria

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.5- LCI Letra de Crédito Imobiliário

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.5- LCI Letra de Crédito Imobiliário Conhecimentos Bancários Item 2.1.5- LCI Letra de Crédito Imobiliário Conhecimentos Bancários Item 2.1.5- LCI Letra de Crédito Imobiliário Letra de Crédito Imobiliário (LCI) é um título de renda fixa emitido

Leia mais

Proposta de ajustes nas despesas do FAT e da Previdência. 29 de Dezembro de 2014

Proposta de ajustes nas despesas do FAT e da Previdência. 29 de Dezembro de 2014 Proposta de ajustes nas despesas do FAT e da Previdência 29 de Dezembro de 2014 Políticas para o Mercado de Trabalho nos governos Lula e Dilma 2 Aumento do poder de negociação dos trabalhadores, com forte

Leia mais

Plano de Vantagens Itaú Uniclass

Plano de Vantagens Itaú Uniclass Plano de Vantagens Itaú Uniclass Conheça o Plano de Vantagens Itaú Uniclass para correntistas. O Plano de Vantagens Itaú Uniclass oferece benefícios de acordo com o seu relacionamento com o banco e conforme

Leia mais

Cartilha de Câmbio. Envio e recebimento de pequenos valores

Cartilha de Câmbio. Envio e recebimento de pequenos valores 2009 Cartilha de Câmbio Envio e recebimento de pequenos valores Apresentação O Banco Central do Brasil criou esta cartilha para orientar e esclarecer você, que precisa negociar moeda estrangeira, sobre

Leia mais

Condições actuais do Protocolo para Colaboradores

Condições actuais do Protocolo para Colaboradores Direcção de Parcerias Comerciais Protocolos Condições actuais do Protocolo para Colaboradores Novembro de 2009 Conta Ordenado BPI Isenção das principais despesas do dia-a-dia: Isenção das despesas de manutenção

Leia mais

A importância dos Fundos de Investimento no Financiamento de Empresas e Projetos

A importância dos Fundos de Investimento no Financiamento de Empresas e Projetos A importância dos Fundos de Investimento no Financiamento de Empresas e Projetos A Importância dos Fundos de Investimento no Financiamento de Empresas e Projetos Prof. William Eid Junior Professor Titular

Leia mais

Indústria brasileira de bens de capital mecânicos. Janeiro/2011

Indústria brasileira de bens de capital mecânicos. Janeiro/2011 AGENDA DE TRABALHO PARA O CURTO PRAZO Indústria brasileira de bens de capital mecânicos Janeiro/2011 UMA AGENDA DE TRABALHO (para o curto prazo) A. Financiamento A1. Taxa de juros competitiva face a nossos

Leia mais

Osvaldo Correa Fonseca Diretor Geral da ABECI P Rio de Janeiro, 16/ 5/ 2007

Osvaldo Correa Fonseca Diretor Geral da ABECI P Rio de Janeiro, 16/ 5/ 2007 Osvaldo Correa Fonseca Diretor Geral da ABECI P Rio de Janeiro, 16/ 5/ 2007 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO E POUPANÇA Av. Brigadeiro Faria Lima 1.485 13º Andar São Paulo CEP

Leia mais

Guia do uso consciente do crédito. O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar.

Guia do uso consciente do crédito. O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar. Guia do uso consciente do crédito O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar. Afinal, o que é crédito? O crédito é o meio que permite a compra de mercadorias, serviços

Leia mais

Institucional. Base: Junho/2014

Institucional. Base: Junho/2014 Grupo Seculus Institucional Base: Junho/2014 Estrutura Societária Família Azevedo 50% 50% LATAN Participações e Investimentos S.A. 100% ON 75.896.000 ações 100% PN 75.896.000 ações Quem Somos Nossa história,

Leia mais

CAIXA OFERECE CRÉDITO PARA PROFISSIONAIS LIBERAIS Crédito é a chance de iniciar o novo negócio A Caixa Econômica Federal oferece em todas as suas agências o Proger Profissionais Liberais. O crédito é destinado

Leia mais

Crédito Consignado II. Job 511/05 Agosto de 2005 1

Crédito Consignado II. Job 511/05 Agosto de 2005 1 Crédito Consignado II Job 511/05 Agosto de 2005 1 Background O empréstimo consignado ao INSS é uma modalidade de crédito que vem ganhando espaço no mercado, desde que foi aprovada pelo Governo Federal.

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

CANAL DE ENTREGA SIGLA DO EXTRATO VALOR. Isento Cartão de Débito 2.1.1 Fornecimento de

CANAL DE ENTREGA SIGLA DO EXTRATO VALOR. Isento Cartão de Débito 2.1.1 Fornecimento de RESOLUÇÃO SICOOB CGCRED 039 Institui as taxas e tarifas praticadas para os produtos e serviços. O Conselho de Administração da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Empresários de Campina Grande

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

O Financiamento das Micro e Pequenas Empresas (MPEs) no Brasil. Julho de 2009

O Financiamento das Micro e Pequenas Empresas (MPEs) no Brasil. Julho de 2009 O Financiamento das Micro e Pequenas Empresas (MPEs) no Brasil Julho de 2009 Introdução Objetivos: - Avaliar as principais características do universo das micro e pequenas empresas (MPEs) brasileiras quanto

Leia mais