MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil"

Transcrição

1 MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil

2 Categorias de pequenos negócios no Brasil MPE Indicadores MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual de até R$ 60 mil MICROEMPRESA Receita bruta anual de R$ 60 mil a R$ 360 mil PEQUENA EMPRESA Receita bruta anual de R$ 360 mil a R$ 3,6 milhões De acordo com a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei nº 123/2006)

3 Micro e pequenas empresas na economia brasileira MPE Indicadores 99% do total de empresas no País 25% do PIB 52% do saldo de empregos formais 70% das novas vagas geradas por mês 40% da massa salarial 1% das exportações

4 Distribuição geográfica dos pequenos negócios MPE Indicadores

5 Divisão por setores dos pequenos negócios MPE Indicadores DIVISÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS POR SETORES: Indústria 15% Construção Civil 5% Comércio 49% Serviços 31% (fonte: Receita Federal) 1 em cada 2 empresas de MPE estão no comércio

6 Projeção de crescimento MPE Indicadores MPE+MEI MEI Fonte: Sebrae a partir de dados da Receita Federal

7 Perfil do Empreendedor Pequenos Negócios no Brasil

8 Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) Empreendedorismo POR QUE OPTOU PELO EMPREENDEDORISMO? Oportunidade de negócios 70% Necessidade 30% 44% Sonham em ter negócio próprio 25% Desejam seguir carreira em uma empresa RESULTADO DEMONSTRA MELHOR QUALIDADE DO EMPREENDEDORISMO NO BRASIL Fonte: Pesquisa GEM -Global Entrepreneurship Monitor 2012 (Sebrae/IBQP)

9 Oportunidade é principal motivação para empreender Empreendedorismo 56% 55% 53% 53% 52% 58% 67% 61% 69% 69% 69% 39% 44% 45% 47% 47% 48% 42% 33% 31% 31% 31% Oportunidade Necessidade Fonte: Pesquisa GEM -Global Entrepreneurship Monitor 2012 (Sebrae/IBQP)

10 Aumenta escolaridade do empreendedor no Brasil Empreendedorismo 58% 47% 29% 39% 14% 14% Primeiro grau completo Segundo grau completo Nível superior completo ou mais Fonte: Pesquisa GEM -Global Entrepreneurship Monitor 2012 (Sebrae/IBQP)

11 Empreendedor brasileiro é da classe C Perfil do Empreendedor CLASSES 55,2% Idade Média 39 anos FAIXA ETÁRIA Empreendedores 48,7% 37,5% 28,8% 22,4% 7,3% AB C DE Até 30 anos 31 a 49 anos 50 anos ou mais Fonte: Sebrae/Data Popular

12 Empregos e Salários Pequenos Negócios no Brasil

13 Empregados com registro nos pequenos negócios Empregos e Salários 8,6 milhões 15,6 milhões Acréscimo de 7,0 milhões de empregos com carteira, nos Pequenos Negócios, entre dez/2000 e dez/2011 dez/00 dez/11 Fonte: RAIS 52% dos empregos formais no país 40% da massa salarial

14 Salários crescem mais nas MPE Empregos e Salários Aumento real de salários é o dobro das empresas de maior porte Porte Ano 2000 Ano 2011 Variação Acumulada Micro e pequenas R$ R$ % Médias e grandes R$ R$ % Valores em 31/dezembro, já descontada a inflação - INPC/IBGE

15 Simples Outras empresas Empregos e salários crescem mais entre optantes do Simples Empregos e Salários 8,9% 7,2% EMPREGOS 7,4% 11,1% 6,6% SALÁRIOS 9,6% 9,4% 8,4% 7,3% 10,0% 8,7% 3,7% Fonte: Receita Federal

16 Geração de empregos em Caged Empregos e Salários 891,7 mil empregos gerados por micro e pequenas empresas em 2012 Destaque para setor de Serviços: 428,8 mil novos empregos Comércio: 246,7 mil novos empregos Construção civil: 127 mil novos empregos Indústria: 89,2 mil novos empregos Estados que mais geraram vagas nos pequenos negócios em 2012: São Paulo: 237,4 mil Minas Gerais: 110,1 mil Rio de Janeiro: 90,7 mil EM 2012, MÉDIAS E GRANDES EMPRESAS REGISTRARAM SALDO NEGATIVO DE EMPREGOS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS COM ATÉ 4 EMPREGADOS SÃO AS QUE MAIS GERAM NOVAS VAGAS

17 Taxa de Sobrevivência Pequenos Negócios no Brasil

18 2 primeiros anos até dezembro / 2008 Taxa de Sobrevivência 76,4% 73,1% 71,7% BRASIL Há 10 anos: 50% Atualmente: 73% 69,1% 68,3% 66,0% Sudeste BRASIL Sul Nordeste Centro-Oeste Norte

19 Ambiente Legal Pequenos Negócios no Brasil

20 Evolução da legislação Ambiente Legal 2006 Lei Geral da Micro e Pequena Empresa 2007 Super Simples Redução de 40% dos impostos, em média 2009 Micro Empreendedor Individual 2011 Atualização dos limites de faturamento do Simples

21 Arrecadação do Supersimples Ambiente Legal União Estados Municípios TOTAL 2007 R$ 6,04 bilhões R$ 1,78 bilhões R$ 541 milhões R$ 8,38 bilhões 2012 R$ 35,2 bilhões R$ 7,5 bilhões R$ 3,8 bilhões R$ 46,5 bilhões Acumulado desde 2007* R$ 147 Bilhões R$ 34,5 bilhões R$ 14,6 bilhões R$ 196 bilhões * Até março/2013. Fonte: Receita Federal

22 Compras Governamentais Governo Federal Ambiente Legal R$ 2 bilhões R$ 15 bilhões % de participação das Micro e Pequenas Empresas 30% de participação das Micro e Pequenas Empresas Fonte: Ministério do Planejamento

23 Índice de Confiança dos Pequenos Negócios (ICPN) Pequenos Negócios no Brasil

24 Índice de Confiança dos Pequenos Negócios (ICPN) ICPN: Pesquisa nacional sobre faturamento e ocupação nos pequenos negócios SITUAÇÃO FATURAMENTO no mês, comparado ao anterior? PESSOAS OCUPADAS no mês, comparado ao anterior? EXPECTATIVA FATURAMENTO nos PRÓXIMOS 3 MESES, comparado com os últimos 3 meses? PESSOAS OCUPADAS nos PRÓXIMOS 3 MESES, comparado ao nível atual? O ICPN varia de 0 a 200, sendo que acima de 100 indica uma tendência de expansão das atividades e abaixo de 100 indica retração.

25 Índice de Confiança dos Pequenos Negócios no Brasil mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 jan/13 fev/13 mar/13 Fonte: Sebrae/FIPE

26 Perfil do MEI Pequenos Negócios no Brasil

27 Quem é o microempreendedor individual (MEI)? Perfil do MEI * Categoria criada em julho de Fruto da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa * Fatura em média R$ 5 mil/mês (no máximo R$ 60 mil/ano) * Paga carga reduzida de impostos: R$ 31 a R$ 37/mês (5% do salário mínimo + ICMS + ISS) DIREITOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Aposentadoria Auxílio-doença Licença-maternidade e outros CIDADANIA EMPRESARIAL CNPJ Emissão de Nota Fiscal Crédito para Pessoa Jurídica etc.

28 Características do MEI Perfil do MEI Homens e mulheres Têm entre 25 e 39 anos Ensino médio ou técnico completo Vivem no Sudeste Trabalham em casa Trabalham com serviços e comércio Não possuem outra fonte de renda Se formalizaram para ter CNPJ e nota fiscal Recomendam a formalização Pretendem crescer e faturar mais de R$ 60 mil/ano

29 Principais atividades Perfil do MEI Destaque para setor de Serviços Grande participação de Mulheres Atividades Nº % do total Mulheres 1º Venda de roupas 214 mil 10,4% 75% 2º Cabeleireiros 151 mil 7,3% 77% 3º Obras de alvenaria 62 mil 3,0% 3% 4º Lanchonetes 59 mil 2,9% 56% 5º Minimercados, mercearias e armazéns 54 mil 2,6% 47% Fonte: Sebrae a partir de dados da Receita Federal

30 Ter empresa formal é principal motivo para registro como MEI Perfil do MEI 2012 Ter uma empresa formal 42% Benefícios do INSS 31% Emitir nota fiscal 11% Crescer mais como empresa 8% Benefícios do registro formal 69% Benefícios do INSS 31% Facilidade de abrir a empresa Conseguir empréstimo como empresa 6% 2% Vender para outras empresas 1% Fonte: Sebrae

31 MEI: impacto após formalização Perfil do MEI Aumentou Faturamento Melhorou Controle Financeiro Ampliou Investimentos 55% 52% 54% Fonte: Sebrae

32 Encadeamento Produtivo Pequenos Negócios no Brasil

33 Benefícios para pequenos negócios Melhorar articulação entre as cadeias produtivas Encadeamento Produtivo COMPETITIVIDADE fortalecida das pequenas empresas INOVAÇÃO e incentivo para expansão dos fornecedores locais DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL nas regiões que abrigam pequenos empreendimentos CRESCIMENTO nas economias locais MAIS EMPREGOS as MPE são as maiores geradoras de trabalhadores formalizados no Brasil PRODUTIVIDADE aprimoramento dos processos

34 Benefícios para as grandes empresas Melhorar articulação entre as cadeias produtivas Encadeamento Produtivo MELHORES PREÇOS garantidos pela maior competitividade do fornecedor FLEXIBILIDADE E AGILIDADE garantidos pela maior competitividade do fornecedor VISIBILIDADE nacional do ponto de vista da sustentabilidade econômica, social e ambiental REDUÇÃO DE CUSTOS de transportes e de logística OTIMIZAÇÃO de investimentos para o desenvolvimento da base fornecedora AUMENTO do potencial de inovação

35 Parcerias atuais de encadeamento produtivo Encadeamento Produtivo Projeto Serralheiros Portfólio com 101 projetos empresas beneficiadas Investimento R$ 109 milhões Estimativa de negócios R$ 3 bilhões

36 Sebrae Pequenos Negócios no Brasil

37 Segmentação dos Públicos do Sebrae Empresas de Pequeno Porte Desafio da inovação Microempresas Produtores rurais Microempreendedores Individuais Potenciais empresários Desafio da inclusão produtiva

38 Programas Nacionais do Sebrae Inovação, gestão, acesso a mercados Sebrae Mais Sebraetec ALI (Agentes Locais de Inovação) Sebrae 2014 Inclusão produtiva Territórios da Cidadania Negócio a Negócio

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social. Florianópolis - SC

Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social. Florianópolis - SC Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social Florianópolis - SC 27 de outubro de 2014 A INFORMALIDADE NO BRASIL A INFORMALIDADE Pesquisa ECINF IBGE Pertencem ao setor

Leia mais

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) é uma entidade privada, sem fins lucrativos, criada em 1972. Desvinculado da administração pública

Leia mais

MPE INDICADORES Pequenos Negócios

MPE INDICADORES Pequenos Negócios MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil Categorias de pequenos negócios no Brasil MPE Indicadores MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual de até R$ 60 mil MICROEMPRESA Receita bruta

Leia mais

Apresentação. - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes?

Apresentação. - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes? Apresentação - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes? 2 Importância dos Pequenos Negócios 52% dos empregos formais 40% da massa salarial 62%

Leia mais

Cobranças Fraudulentas. Microempreendedor Individual

Cobranças Fraudulentas. Microempreendedor Individual Cobranças Fraudulentas Microempreendedor Individual COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO AUDIÊNCIA PÚBLICA Quem são os Pequenos Negócios? MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita

Leia mais

Convertendo a Pequena Empresa Moderna em Pilar do Desenvolvimento Brasileiro

Convertendo a Pequena Empresa Moderna em Pilar do Desenvolvimento Brasileiro ESTUDOS E PESQUISAS Nº 488 Convertendo a Pequena Empresa Moderna em Pilar do Desenvolvimento Brasileiro Carlos Alberto dos Santos * XXV Fórum Nacional (Jubileu de Prata 1988/2013) O Brasil de Amanhã. Transformar

Leia mais

Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae)

Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae) Rafael de Farias Costa Moreira (Sebrae) Metodologia Entrevistas por telefone com 9.657 Microempreendedores Individuais feitas em abril de 2015. Análise da base de dados do Microempreendedor Individual

Leia mais

A LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS O PAPEL DOS TRIBUNAIS DE CONTAS FRENTE ÀS DEMANDAS SOCIAIS

A LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS O PAPEL DOS TRIBUNAIS DE CONTAS FRENTE ÀS DEMANDAS SOCIAIS A LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS O PAPEL DOS TRIBUNAIS DE CONTAS FRENTE ÀS DEMANDAS SOCIAIS 05 de agosto de 2014 Força das Pequenas Empresas 9 Milhões optantes no Simples 4,2 milhões MEI 52% das

Leia mais

Importância da Lei Geral e do Simples Nacional para o Desenvolvimento. SEBRAE. Curitiba, 24 de janeiro de 2012. 0800 570 0800 / www.sebrae.com.

Importância da Lei Geral e do Simples Nacional para o Desenvolvimento. SEBRAE. Curitiba, 24 de janeiro de 2012. 0800 570 0800 / www.sebrae.com. Importância da Lei Geral e do Simples Nacional para o Desenvolvimento. Curitiba, 24 de janeiro de 2012 REPRESENTATIVIDADE DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL 7 milhões de negócios formais (99%) e 10 milhões

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MEI PARA O ATENDIMENTO EMPRESARIAL DO SEBRAE

A IMPORTÂNCIA DO MEI PARA O ATENDIMENTO EMPRESARIAL DO SEBRAE A IMPORTÂNCIA DO MEI PARA O ATENDIMENTO EMPRESARIAL DO SEBRAE Celso Valente Silveira Unidade de Atendimento Individual SEBRAE Nacional Cenário de Empreendedorismo no Brasil A proporção dos brasileiros

Leia mais

Indicadores SEBRAE-SP

Indicadores SEBRAE-SP Indicadores SEBRAE-SP Pesquisa de Conjuntura (resultados de julho de 2008) setembro/08 1 Principais destaques Em julho/08 as micro e pequenas empresas (MPEs) apresentaram queda de 3% no faturamento real

Leia mais

Las PYMES y los pequeños y medianos despachos profesionales como motor de crecimiento en Latinoamérica

Las PYMES y los pequeños y medianos despachos profesionales como motor de crecimiento en Latinoamérica Las PYMES y los pequeños y medianos despachos profesionales como motor de crecimiento en Latinoamérica O QUE É CONSIDERADO PEQUENO NEGÓCIO NO BRASIL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual

Leia mais

Oportunidades para o Jovem Administrador em Novos Negócios

Oportunidades para o Jovem Administrador em Novos Negócios Oportunidades para o Jovem Administrador em Novos Negócios As MPEs As micro e pequenas empresas contribuem de forma significativa para o desenvolvimento econômico de um País. No Brasil, elas representam

Leia mais

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS 98,5% do total de empresas no País MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA O QUE É CONSIDERADO PEQUENO NEGÓCIO NO BRASIL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS TRABALHO

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS TRABALHO TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS TRABALHO Orientador Empresarial Microempreendedor Individual-Formalização-Setor de Serviços-Crescimento SETOR DE SERVIÇOS É CAMPEÃO EM

Leia mais

Taller sobre remesas, educación financiera y microemprendimiento en Goíanía, Brasil, 26 y 27 de Noviembre 2014.

Taller sobre remesas, educación financiera y microemprendimiento en Goíanía, Brasil, 26 y 27 de Noviembre 2014. Fortalecimiento del diálogo y de la cooperación entre la Unión Europea (UE) y América Latina y el Caribe (ALC) para el establecimiento de modelos de gestión sobre migración y políticas de desarrollo www.migracion-ue-alc.eu

Leia mais

PEQUENOS NEGÓCIOS E COMPRAS PÚBLICAS

PEQUENOS NEGÓCIOS E COMPRAS PÚBLICAS PEQUENOS NEGÓCIOS E COMPRAS PÚBLICAS II Seminário Internacional sobre Contratações Públicas Sustentáveis Brasília, 28 de Agosto Desenvolvimento Sustentável Utilização de recursos para atender às necessidades

Leia mais

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas As diretrizes estratégicas dão foco ao negócio Perspectivas Simplificar e agilizar a utilização

Leia mais

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS 98,5% do total de empresas no País MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA O QUE É CONSIDERADO PEQUENO NEGÓCIO NO BRASIL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

PEQUENOS NEGÓCIOS E COMPRAS PÚBLICAS

PEQUENOS NEGÓCIOS E COMPRAS PÚBLICAS PEQUENOS NEGÓCIOS E COMPRAS PÚBLICAS II Seminário Internacional sobre Contratações Públicas Sustentáveis Brasília, 28 de Desenvolvimento Sustentável Utilização de recursos para atender às necessidades

Leia mais

Microempreendedorismo: As empresas de pequeno porte e o SIMPLES. Rio de Janeiro, RJ 18 de outubro de 2013

Microempreendedorismo: As empresas de pequeno porte e o SIMPLES. Rio de Janeiro, RJ 18 de outubro de 2013 Microempreendedorismo: As empresas de pequeno porte e o SIMPLES Rio de Janeiro, RJ 18 de outubro de 2013 Simples Nacional: O Processo de Conquistas Lei Geral da Micro e Pequena Empresa - Histórico 1988

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 Conteúdo 1. O Sistema SEBRAE; 2. Brasil Caracterização da MPE; 3. MPE

Leia mais

Políticas Públicas para Faixa de Fronteira Desenvolvimento Sustentável e o apoio aos Pequenos Negócios

Políticas Públicas para Faixa de Fronteira Desenvolvimento Sustentável e o apoio aos Pequenos Negócios Políticas Públicas para Faixa de Fronteira Desenvolvimento Sustentável e o apoio aos Pequenos Negócios Foz do Iguaçu PR 30 de maio de 2014 Força das Pequenas Empresas 8,7 Milhões optantes no Simples 4

Leia mais

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS. Outubro/2012 (dados até setembro)

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS. Outubro/2012 (dados até setembro) INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (ICMPE) NO BRASIL Outubro/2012 (dados até setembro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nas MPE brasileiras

Leia mais

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015 Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Mercado Imobiliário Brasileiro - VGL 2011-7% 2012 13% 2013 R$ 85,6 bilhões R$ 79,7 bilhões R$ 90,4 bilhões

Leia mais

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas As MPE s como eixo central de cadeias produtivas Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Madrid Outubro 2012 MPEs Importância, Desafios e Contribuições

Leia mais

SEBRAE - SP apresenta :

SEBRAE - SP apresenta : SEBRAE - SP apresenta : 2015 O SEBRAE-SP O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) - em SP, tem a missão de promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos empreendimentos

Leia mais

Processo de Formalização em Pequenas Unidades de Produção: a Experiência Brasileira Recente

Processo de Formalização em Pequenas Unidades de Produção: a Experiência Brasileira Recente Formalização do Trabalho e dos Pequenos Empreendimentos no Brasil: Diagnóstico, Avanços e Propostas de Políticas Processo de Formalização em Pequenas Unidades de Produção: a Experiência Brasileira Recente

Leia mais

A importância do crédito para as pequenas e médias empresas. Condicionantes da oferta de crédito

A importância do crédito para as pequenas e médias empresas. Condicionantes da oferta de crédito A importância do crédito para as pequenas e médias empresas Condicionantes da oferta de crédito Distribuição de empresas por porte MICRO PEQUENA MÉDIA GRANDE 0,4% 0,7% 6,2% Micro e Pequenas empresas 98,9%

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS Joel Queiroz 1 COOPERATIVAS DE CRÉDITO INSTRUMENTO DE ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Associação voluntária de pessoas para satisfação de necessidades econômicas,

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Outubro de 2015

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Outubro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Outubro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Outubro de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Apresentação. Torne-se um Empreendedor Individual e traga para o seu negócio todos os benefícios da formalização. Guia do Empreendedor Individual

Apresentação. Torne-se um Empreendedor Individual e traga para o seu negócio todos os benefícios da formalização. Guia do Empreendedor Individual Apresentação Muitos brasileiros trabalham informalmente por conta própria, ou seja, não têm nenhum tipo de registro. E por isso ficam sem acesso a diversos benefícios, como a Previdência Social, cursos

Leia mais

O Financiamento dos Pequenos Negócios no Brasil em 2014

O Financiamento dos Pequenos Negócios no Brasil em 2014 O Financiamento dos Pequenos Negócios no Brasil em 2014 Novembro 2014 1 Introdução Objetivos: - Avaliar as principais características do universo dos Pequenos Negócios no Brasil, quanto à questão do seu

Leia mais

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324 SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHOEMSANTA DE EM CATARINA CONTAG CARACTERÍSTICAS C C S GERAIS CARACTERÍSTICA GERAIS DE SANTA CATARINA Área

Leia mais

Médias e Pequenas Empresas: Desafios e Oportunidades para os Bancos de Varejo. Carlos Alberto dos Santos

Médias e Pequenas Empresas: Desafios e Oportunidades para os Bancos de Varejo. Carlos Alberto dos Santos Médias e Pequenas Empresas: Desafios e Oportunidades para os Bancos de Varejo Carlos Alberto dos Santos Agenda 1) Um pouco ( só um pouco) de teoria. 2) Que mercado é este? 3) Desafios e oportunidades

Leia mais

CAIXA e o NORDESTE. NELSON ANTÔNIO DE SOUZA SUPERINTENDENTE NACIONAL DA ÁREA B - NORDESTE Novembro de 2009

CAIXA e o NORDESTE. NELSON ANTÔNIO DE SOUZA SUPERINTENDENTE NACIONAL DA ÁREA B - NORDESTE Novembro de 2009 CAIXA e o NORDESTE NELSON ANTÔNIO DE SOUZA SUPERINTENDENTE NACIONAL DA ÁREA B - NORDESTE Novembro de 2009 ATENDIMENTOS CAIXA Total de Transações 921 milhões em terminais de Auto- Atendimento 131 milhões

Leia mais

O Sonho de ser Empreendedor no Brasil

O Sonho de ser Empreendedor no Brasil O Sonho de ser Empreendedor no Brasil Marco Aurélio Bedê 1 Resumo: O artigo apresenta os resultados de um estudo sobre o sonho de ser Empreendedor no Brasil. Com base em tabulações especiais elaboradas

Leia mais

O cenárioeconômicoe as MPE. Brasília, 1º de setembro de 2010. Luciano Coutinho

O cenárioeconômicoe as MPE. Brasília, 1º de setembro de 2010. Luciano Coutinho O cenárioeconômicoe as MPE Brasília, 1º de setembro de 2010 Luciano Coutinho O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia brasileira pode crescer acima de 5% a.a. nos próximos cinco

Leia mais

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário Boletim Econômico e do Setor Portuário Junho de 2014 Sumário Indicadores da Economia Nacional... 2 O Produto Interno Bruto PIB no primeiro trimestre de 2014... 2 Os Índices de Inflação... 3 O Mercado de

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012 Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios Curitiba, 20 de novembro de 2012 PBM: Dimensões Dimensão Estruturante: diretrizes setoriais

Leia mais

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Os Desafios do Desenvolvimento na Perspectiva dos Município e dos Pequenos Negócios

Os Desafios do Desenvolvimento na Perspectiva dos Município e dos Pequenos Negócios Os Desafios do Desenvolvimento na Perspectiva dos Município e dos Pequenos Negócios João Pessoa - PB Arnaldo Júnior Farias Doso OBJETIVO E DESAFIO DE TODOS EMPREGO EDUCAÇÃO RENDA INFRA ESTRUTURA TRABALHO

Leia mais

A estratégia para enfrentar o aprofundamento da crise mundial Guido Mantega Ministro da Fazenda

A estratégia para enfrentar o aprofundamento da crise mundial Guido Mantega Ministro da Fazenda A estratégia para enfrentar o aprofundamento da crise mundial Guido Mantega Ministro da Fazenda Câmara dos Deputados Brasília, 23 de novembro de 2011 1 Economia mundial deteriorou-se nos últimos meses

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE EMBALAGENS

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE EMBALAGENS ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE EMBALAGENS Jun/15 Análise de Competitividade Embalagens Resumo da Cadeia de Valores Painel de Indicadores de Monitoramento da Competitividade Setorial Percepção empresarial da

Leia mais

APRESENTAÇÃO NO INSTITUTO DO VAREJO

APRESENTAÇÃO NO INSTITUTO DO VAREJO APRESENTAÇÃO NO INSTITUTO DO VAREJO 18 de Agosto de 2006 Demian Fiocca Presidente do BNDES www.bndes.gov.br 1 BRASIL: NOVO CICLO DE DESENVOLVIMENTO Um novo ciclo de desenvolvimento teve início em 2004.

Leia mais

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Profissionais Portugueses no Brasil. Empresas Familiares

Profissionais Portugueses no Brasil. Empresas Familiares Profissionais Portugueses no Brasil Empresas Familiares Tópicos Abordados As Gerações e o Mercado de Trabalho Empresas Familiares no Brasil Cenário Brasileiro e Estatísticas de Emprego no Brasil Características

Leia mais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais João Carlos Ferraz BNDES 31 de agosto de 2008 Guia Contexto macroeconômico Políticas públicas Perpectivas do investimento

Leia mais

Debate Sobre a Desoneração da Folha de Pagamento

Debate Sobre a Desoneração da Folha de Pagamento Debate Sobre a Desoneração da Folha de Pagamento Julho de 2011 1 Debate sobre desoneração da folha de pagamento deve ser feito com cautela e tendo como ponto de partida a compensação vinculada (principal

Leia mais

BNB - Segmentação de Clientes

BNB - Segmentação de Clientes BNB - Segmentação de Clientes Grande Pirâmide dos Empreendedores (Formais ou Informais) FORMAL Médio Pequeno MICROEMPRESA INFORMAL EMPREENDEDOR URBANO EMPREENDEDOR RURAL SERVIÇO INDÚSTRIA COMÉRCIO ATIVIDADES

Leia mais

Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social. Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008

Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social. Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008 Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008 Brasil consolida um mercado de consumo de massa e promove o surgimento de uma nova

Leia mais

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010 Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL Outubro de 2010 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas

Leia mais

Boletim Econômico. Federação Nacional dos Portuários. Sumário

Boletim Econômico. Federação Nacional dos Portuários. Sumário Boletim Econômico Federação Nacional dos Portuários Agosto de 2014 Sumário Indicadores de desenvolvimento brasileiro... 2 Emprego... 2 Reajuste dos salários e do salário mínimo... 3 Desigualdade Social

Leia mais

TEMA: A importância da Micro e Pequena Empresa para Goiás

TEMA: A importância da Micro e Pequena Empresa para Goiás TEMA: A importância da Micro e Pequena Empresa para Goiás O presente informe técnico tem o objetivo de mostrar a importância da micro e pequena empresa para o Estado de Goiás, em termos de geração de emprego

Leia mais

O EMPREENDEDORISMO COMO PROMOTOR DA INCLUSÃO PRODUTIVA

O EMPREENDEDORISMO COMO PROMOTOR DA INCLUSÃO PRODUTIVA PARTE II O EMPREENDEDORISMO COMO PROMOTOR DA INCLUSÃO PRODUTIVA Luiz Barretto Um dos eixos centrais do Plano Brasil sem Miséria é a inclusão produtiva. O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDOR INDIVIDUAL Oportunidade de regularização para os empreendedores individuais, desde a vendedora de cosméticos, da carrocinha de cachorro-quente ao pipoqueiro. 2 Empresas em geral Microempresas

Leia mais

REQUERIMENTO nº, de 2015. (Do Sr. Carlos Melles)

REQUERIMENTO nº, de 2015. (Do Sr. Carlos Melles) REQUERIMENTO nº, de 2015 (Do Sr. Carlos Melles) Requer a Convocação de Sessão Solene em 2016, em Homenagem ao vigésimo aniversário da Lei que criou o SIMPLES no Brasil. Senhor Presidente, Representando

Leia mais

MPE Micro e Pequenas Empresas - É POSSÍVEL INOVAR?

MPE Micro e Pequenas Empresas - É POSSÍVEL INOVAR? MPE Micro e Pequenas Empresas - É POSSÍVEL INOVAR? São Paulo 16 de abril de 2013 Missão do SEBRAE Promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo

Leia mais

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE RIO CLARO AUTOR(ES):

Leia mais

Quem tem conhecimento vai pra frente

Quem tem conhecimento vai pra frente blogdosempreendedores.com.br facadiferente.sebrae.com.br contabilidadeschmitt.com.br Fotos: Produtos do Projeto Gemas e Joias do Sebrae-PA Livro Artesanato- Um negócio genuinamente brasileiro (Sebrae,

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL JUNHO/2011 SEBRAE/PERNAMBUCO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL PESQUISA E PERFIL CONSELHO DELIBERATIVO NACIONAL Roberto Simões Presidente DIRETORIA EXECUTIVA DO SEBRAE Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho Diretor-Presidente

Leia mais

Redução da Pobreza no Brasil

Redução da Pobreza no Brasil Conferencia Business Future of the Americas 2006 Câmara Americana de Comércio Redução da Pobreza no Brasil Resultados Recentes e o Papel do BNDES Demian Fiocca Presidente do BNDES Rio de Janeiro, 5 de

Leia mais

Qualidade dos Serviços Situação Atual e Perspectivas COELCE 30/06/2011

Qualidade dos Serviços Situação Atual e Perspectivas COELCE 30/06/2011 Qualidade dos Serviços Situação Atual e Perspectivas COELCE 30/06/2011 Agenda O grupo Endesa 1 Características da COELCE e do estado do Ceará 2 Qualidade dos Serviços Técnicos e Comerciais 3 Investimentos

Leia mais

A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES

A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia brasileira continuarácrescendo firmemente nos

Leia mais

REDEPETRO RN. Grandes Compradores, pequenos fornecedores. M.Sc. Gutemberg Dias

REDEPETRO RN. Grandes Compradores, pequenos fornecedores. M.Sc. Gutemberg Dias REDEPETRO RN Grandes Compradores, pequenos fornecedores M.Sc. Gutemberg Dias MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS NO BRASIL 5 milhões de empresas formais (99% das empresas formais) e 10 milhões de informais;

Leia mais

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Micro Empreendedor individual Definição Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte Março/15 A mostra o desempenho dos negócios do comércio no mês de Fevereiro/2015 e identifica a percepção dos empresários para o mês de Março/2015. Neste mês, 20,8% dos empresários conseguiram aumentar

Leia mais

Balanço do Tesouro Direto - Fevereiro 2013

Balanço do Tesouro Direto - Fevereiro 2013 Balanço do Tesouro Direto - Fevereiro 2013 1. Vendas e Resgates Em fevereiro, o montante financeiro vendido no Tesouro Direto foi de R$ 236,1 hões, valor 63% inferior ao mês anterior e 18% menor que o

Leia mais

o GUIA definitivo do Microempreendedor Individual

o GUIA definitivo do Microempreendedor Individual o GUIA definitivo do Microempreendedor Individual sumário >> Introdução... 3 >> Você sabe o que é MEI?... 5 >> Quais as vantagens em ser um MEI?... 11 >> Quais as responsabilidades do MEI?... 14 >> Como

Leia mais

Gestão de Pequenas e Medias Empresas

Gestão de Pequenas e Medias Empresas Gestão de Pequenas e Medias Empresas Os pequenos negócios são definidos por critérios variados ao redor do mundo. Para o Sebrae, eles podem ser divididos em quatro segmentos por faixa de faturamento, com

Leia mais

Inovação como diferencial para MPE S. 0800 570 0800 / www.sebrae.com.br

Inovação como diferencial para MPE S. 0800 570 0800 / www.sebrae.com.br Inovação como diferencial para MPE S O sonho dos brasileiros (2013) A proporção dos brasileiros que deseja de ter o próprio negócio (34,6%) é superior a dos que desejam fazer carreira em empresas (18,8%)

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Apresentação Nesta 17ª Carta de Conjuntura da Saúde Suplementar, constam os principais indicadores econômicos de 2011 e uma a n á l i s e d o i m p a c t o d o crescimento da renda e do emprego sobre o

Leia mais

O que muda com a Lei Geral (para maiores informações acessar WWW.LEIGERAL.COM.BR)

O que muda com a Lei Geral (para maiores informações acessar WWW.LEIGERAL.COM.BR) O que muda com a Lei Geral (para maiores informações acessar WWW.LEIGERAL.COM.BR) Pontos Lei Geral Como é hoje 1 Alcance da Lei A lei do Simples está voltada para os tributos federais. Os sistemas de tributação

Leia mais

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) definiu a classificação do porte, com base no número de empregados de cada estabelecimento.

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) definiu a classificação do porte, com base no número de empregados de cada estabelecimento. QUEM SÃO AS EMPRESAS DE MICRO, PEQUENO E MÉDIO PORTES? Critérios de Classificação: São dois os principais critérios para classificação da empresa por porte. Um é baseado na receita operacional bruta anual,

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Rio de Janeiro, 21/09/2012 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL Março de 2015

SONDAGEM INDUSTRIAL Março de 2015 SONDAGEM INDUSTRIAL Março de 2015 A exportação se consolida como perspectiva positiva para os próximos meses A Sondagem industrial, realizada junto a 162 indústrias catarinenses no mês de março, mostrou

Leia mais

Gestão de Pequenas Empresas no Brasil - Alguns Dados Importantes.

Gestão de Pequenas Empresas no Brasil - Alguns Dados Importantes. Gestão de Pequenas Empresas no Brasil - Alguns Dados Importantes. Por Palmira Santinni No Brasil, nos últimos anos, está ocorrendo um significativo aumento na criação de novas empresas e de optantes pelo

Leia mais

Demonstrativo da extrema pobreza: Brasil 1990 a 2009

Demonstrativo da extrema pobreza: Brasil 1990 a 2009 Campinas, 29 de fevereiro de 2012 AVANÇOS NO BRASIL Redução significativa da população em situação de pobreza e extrema pobreza, resultado do desenvolvimento econômico e das decisões políticas adotadas.

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

Perfil do microempreendedor. Este documento encontra-se também disponível no site: http://www.sebrae.com.br/estudos-e-pesquisas

Perfil do microempreendedor. Este documento encontra-se também disponível no site: http://www.sebrae.com.br/estudos-e-pesquisas Perfil do microempreendedor INDIVIDUAL 2012 Este documento encontra-se também disponível no site: http://www.sebrae.com.br/estudos-e-pesquisas 2012. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

Rede Brasileira de Produção mais Limpa

Rede Brasileira de Produção mais Limpa Rede Brasileira de Produção mais Limpa Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável SENAI Sistema FIERGS Rede Brasileira de Produção mais Limpa PARCEIROS Conselho Empresarial Brasileiro

Leia mais

Quais as condições necessárias para que eu me cadastre como empreendedor individual? Faturar até R$ 36 mil por ano;

Quais as condições necessárias para que eu me cadastre como empreendedor individual? Faturar até R$ 36 mil por ano; cultura 1. Quais as condições necessárias para que eu me cadastre como empreendedor individual? 2. Faturar até R$ 36 mil por ano; Não participar de outra empresa, como sócio ou titular; Trabalhar sozinho

Leia mais

O atual contexto do ambiente econômico das MPEs

O atual contexto do ambiente econômico das MPEs O atual contexto do ambiente econômico das MPEs Brasil e Minas Gerais Belo Horizonte, outubro de 2013 1 Presidente Roberto Luciano Fortes Fagundes Superintendência Geral Gilson Elesbão de Siqueira Departamento

Leia mais

MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL M E I

MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL M E I COORDENADORIA de PLANEJAMENTO e DESENVOLVIMENTO URBANO SUPERVISÃO TÉCNICA de LICENCIAMENTO - SUSL MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL M E I Esta palestra é baseada nos sites: PMSP/SEMEI e no PORTAL do EMPREENDEDOR

Leia mais

SeminárioADI-2012. Inclusão financeira inovação para as MPE s

SeminárioADI-2012. Inclusão financeira inovação para as MPE s SeminárioADI-2012 Inclusão financeira inovação para as MPE s Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Barcelona Outubro 2012 1. Diagnóstico Não

Leia mais

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO Prof. Cássio Marques da Silva 2015 SIMPLES NACIONAL LC 123, 14 de Dezembro de 2006 Alterada pela LC 127, 14 de Agosto de 2007 Alterada pela LC 128, 19 de Dezembro de 2008 Alterada pela LC 133, 28 de Dezembro

Leia mais

A Expansão da Construção Civil e os Efeitos da Crise Internacional

A Expansão da Construção Civil e os Efeitos da Crise Internacional A Expansão da Construção Civil e os Efeitos da Crise Internacional Gráfico 1 Produção da construção civil e PIB Variações anuais % 1 8 6 4 2-2 -4 1999 2 21 22 23 24 25 26 27 28 Construção civil PIB A indústria

Leia mais

PROGRAMA CAIXA APL. SERGIO NETTO AMANDIO GERENCIA NACIONAL DE APLICAÇÃO MPE Out/2009

PROGRAMA CAIXA APL. SERGIO NETTO AMANDIO GERENCIA NACIONAL DE APLICAÇÃO MPE Out/2009 PROGRAMA CAIXA APL SERGIO NETTO AMANDIO GERENCIA NACIONAL DE APLICAÇÃO MPE Out/2009 ATENDIMENTOS 436 milhões em Agências 921 milhões em terminais de Auto-Atendimento QUANTIDADE DE CLIENTES - EM MILHÕES

Leia mais

Visão. O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada. do Desenvolvimento. nº 96 29 jul 2011

Visão. O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada. do Desenvolvimento. nº 96 29 jul 2011 Visão do Desenvolvimento nº 96 29 jul 2011 O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada Por Fernando Puga e Gilberto Borça Jr. Economistas da APE BNDES vem auxiliando

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais

FIM DAS REFORMAS REGRESSIVAS DA PREVIDÊNCIA COM GANHOS PARA OS TRABALHADORES

FIM DAS REFORMAS REGRESSIVAS DA PREVIDÊNCIA COM GANHOS PARA OS TRABALHADORES AS MUDANÇAS DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA FIM DAS REFORMAS REGRESSIVAS DA PREVIDÊNCIA COM GANHOS PARA OS TRABALHADORES www.pepevargas.com.br dep.pepevargas@camara.gov.br AS MUDANÇAS DO REGIME GERAL DE

Leia mais

A INDÚSTRIA DE PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO. Fundação Getulio Vargas

A INDÚSTRIA DE PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO. Fundação Getulio Vargas A INDÚSTRIA DE PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO Fundação Getulio Vargas FGV Março 2015 A SONDAGEM ABCIC DESEMPENHO RECENTE DA CONSTRUÇÃO A Sondagem - Metodologia EMPRESAS A Sondagem - Metodologia Temas Pesquisados

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução O que são

Leia mais

RESULTADOS DO USO DO PODER DE COMPRA DO GOVERNO DE SERGIPE A FAVOR DAS MICRO E

RESULTADOS DO USO DO PODER DE COMPRA DO GOVERNO DE SERGIPE A FAVOR DAS MICRO E RESULTADOS DO USO DO PODER DE COMPRA DO GOVERNO DE SERGIPE A FAVOR DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: LEI DE LICITAÇÕES 6206/07 Jorge Alberto Teles José Leite Prado Filho Márcio Zylberman Gustavo Andrade II

Leia mais