Produção paulista de roupas diminui 40%

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Produção paulista de roupas diminui 40%"

Transcrição

1 Boletim 795/2015 Ano VII 20/07/2015 Produção paulista de roupas diminui 40% A desaceleração do varejo fez a produção de roupas do Estado de São Paulo cair cerca de 40% no primeiro semestre deste ano na comparação com o mesmo período de 2014, segundo dados preliminares do Sindivestuário (sindicato das confecções). Em todo o país, o setor acumulou um recuo de 18% entre janeiro e maio. Desde 2012, a indústria vem reduzindo o número de peças fabricadas. Primeiro, por causa das dificuldades de competir com os importados, principalmente os chineses, e agora devido à crise econômica brasileira. Editoria de Arte/Folhapress "Nunca vi nada parecido nos últimos 40 anos. As empresas não conseguem vender. Estão só fazendo estoque", diz o presidente da entidade, Ronald Masijah. "Os bancos cortaram o

2 crédito e as pessoas pararam de comprar. Veio a crise política e formou-se uma tempestade perfeita. Muitos estão com receio de perder o emprego." Em junho, aproximadamente 150 companhias fecharam no Estado, que tem 10 mil empresas em operação e é responsável por 40% da produção nacional. Nos últimos 12 meses encerrados em maio, 48 mil pessoas foram demitidas em todo o país 17% delas neste ano. O Sindivestuário espera recuperar parte das vendas neste segundo semestre e fechar o ano com uma retração de 20% no Estado. Nacionalmente, o recuo deverá ficar ao redor de 16%, de acordo com Masijah, que também é sócio da fabricante paulistana de lingeries Darling. Consignado terá regra para evitar descontrole DE SÃO PAULO O governo elevou de 30% para 35% o limite de comprometimento de renda para o crédito consignado, mas vários detalhes operacionais ainda terão de ser definidos para evitar o superendividamento dos devedores. O principal diz respeito à possibilidade de saque de dinheiro em espécie no cartão. A regra atual permite o saque, desde que dentro do limite pré-aprovado. Os bancos querem vetar o saque em cash. A experiência dos bancos com o cartão de crédito consignado mostra que o aposentado tende a usar todo o limite disponível, quase nunca pagando a dívida principal. No cartão, o limite funcionará como um crédito pré-aprovado, de acordo com o comprometimento da renda da pessoa naquele mês. Conforme o cliente vai pagando a fatura, vai liberando mais limite. A dívida máxima é duas vezes o salário. Outra proposta é permitir que os 5% adicionais de limite sejam utilizados para abater dívidas antigas do cartão comum (não consignado). Na quarta (22), representantes dos aposentados se reúnem com os bancos no Ministério da Previdência para discutir a implementação do novo limite do consignado. COMO FUNCIONA O CONSIGNADO? É um empréstimo no qual a prestação é descontada diretamente na folha de pagamento ou no benefício previdenciário do cliente

3 Há limite de valor a ser emprestado ou de prestações? No cartão, o limite é de duas vezes o valor do salário ou do benefício e a prestação não pode passar de 35% da renda. O prazo máximo de pagamento é de 60 meses. No consignado comum, o limite é de 30% da renda, e o prazo, de 72 meses O cartão de crédito consignado é igual a um cartão de crédito comum? É um cartão de crédito comum, com as bandeiras Visa e MasterCard, mas tem taxa de juros menor. O limite de gastos, no entanto, funciona como um crédito mensal préaprovado, variando todos os meses de acordo com o comprometimento da renda Qual a vantagem do crédito consignado? É um dos créditos mais baratos no mercado. Os juros variam de 2% a 3% ao mês para trabalhadores privados e de 1,7% a 2,3% para servidores públicos. Aposentados e pensionistas do INSS têm taxa máxima de 2,04%. No crédito pessoal, o juro médio ao mês foi 6,44% em maio. No cartão de crédito comum, a taxa foi de 13,57% ao mês Por que os juros são menores? Porque no crédito consignado os bancos têm a garantia de receber, já que eles são descontados dos rendimentos do tomador ou do valor da rescisão trabalhista, no caso de demissão Quem pode tomar o empréstimo? Aposentados e pensionistas do INSS, servidores públicos e trabalhadores do setor privado, desde que o empregador tenha convênio com uma instituição financeira Para que o consignado pode ser usado? Para qualquer necessidade de dinheiro, incluindo o pagamento de dívidas mais caras no cartão de crédito, empréstimos e financiamentos O que mudou no consignado com a nova medida? A nova medida criou a possibilidade de o limite de comprometimento de renda atingir 35% no caso do cartão de crédito. O consignado comum segue com limite de 30% da renda É possível quitar uma dívida consignada antecipadamente? Sim, o devedor pode antecipar o pagamento com o desconto dos juros que não foram cobrados. Para isso, tem de procurar o banco (Fonte: FOLHA SP ).

4

5

Guia do uso consciente do crédito. O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar.

Guia do uso consciente do crédito. O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar. Guia do uso consciente do crédito O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar. Afinal, o que é crédito? O crédito é o meio que permite a compra de mercadorias, serviços

Leia mais

Cartilha do Crédito Consignado

Cartilha do Crédito Consignado Cartilha do Crédito Consignado Guia Prático para o Aposentado e Pensionista do INSS apoio ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE BANCOS Caro aposentado ou pensionista Esta cartilha foi elaborada para o seu bem-estar.

Leia mais

Guia do uso consciente do crédito. Dicas e informações para você usar o crédito sem perder o sono.

Guia do uso consciente do crédito. Dicas e informações para você usar o crédito sem perder o sono. Guia do uso consciente do crédito Dicas e informações para você usar o crédito sem perder o sono. Afinal, o que é crédito? O crédito é o meio que permite a compra de mercadorias, serviços ou obtenção e

Leia mais

E m p r é s t i m o E cartão consignado direcionados a aposentados E pensionistas

E m p r é s t i m o E cartão consignado direcionados a aposentados E pensionistas Empréstimo e ca rt ã o c o n s i g n a d o d irec io na do s a apos e nta do s e pe ns io nis ta s Todo aquele que recebe benefícios de aposentadoria ou pensão por morte pagos pela Previdência Social,

Leia mais

Resolução SICOOB Cooperplan nº 11, de 2015

Resolução SICOOB Cooperplan nº 11, de 2015 Resolução SICOOB Cooperplan nº 11, de 2015 Define condições para os pacotes de serviços diferenciados. O Conselho de Administração da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores dos Ministérios

Leia mais

Educação Financeira PASSATEMPOS. O Paraná Banco traz o assunto de forma divertida para você BOM PRA CABEÇA. Diretox Dominox caça-palavra

Educação Financeira PASSATEMPOS. O Paraná Banco traz o assunto de forma divertida para você BOM PRA CABEÇA. Diretox Dominox caça-palavra Educação Financeira O Paraná Banco traz o assunto de forma divertida para você BOM PRA CABEÇA PASSATEMPOS Diretox Dominox caça-palavra 2 O Paraná Banco propõe um desafio consciente a você! O Paraná Banco,

Leia mais

Banco do Brasil Fonado

Banco do Brasil Fonado Banco do Brasil Fonado O que é BB Fonado? São linhas de credito disponíveis para correntistas do Banco do Brasil. O nome BB Fonado refere-se a venda efetivada através do call center. Ou seja, ligação telefônica

Leia mais

Empréstimo e cartão consignado

Empréstimo e cartão consignado outubro/2014 Empréstimo e cartão consignado direcionados a aposentados e pensionistas Todo aquele que recebe benefícios de aposentadoria ou pensão por morte pagos pela Previdência Social pode obter crédito

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA MATEMÁTICA FINANCEIRA MAT 191 PROFESSORES: ENALDO VERGASTA, GLÓRIA MÁRCIA, JODÁLIA ARLEGO

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA MATEMÁTICA FINANCEIRA MAT 191 PROFESSORES: ENALDO VERGASTA, GLÓRIA MÁRCIA, JODÁLIA ARLEGO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA MATEMÁTICA FINANCEIRA MAT 191 PROFESSORES: ENALDO VERGASTA, GLÓRIA MÁRCIA, JODÁLIA ARLEGO LISTA 2 1) Um título, com valor de face igual a $1.000,00,

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS Resultados dos estudos sobre a redução de taxas de juros praticadas por bancos públicos e privados. Orientações aos consumidores. Face aos diversos anúncios de redução de juros veiculados na mídia a partir

Leia mais

Programa CAIXA Melhor Crédito

Programa CAIXA Melhor Crédito Programa CAIXA Melhor Crédito CAIXA REDUZ A PARTIR DE HOJE TAXAS DE JUROS EM ATÉ 88% O Caixa Melhor Crédito trará beneficio imediato para mais de 25 milhões de clientes A Caixa Econômica Federal anunciou

Leia mais

WWW.aplicms.com.br Aula de Apuração do Resultado (ARE) Prof. Pedro A. Silva (67) 3382-9772

WWW.aplicms.com.br Aula de Apuração do Resultado (ARE) Prof. Pedro A. Silva (67) 3382-9772 WWW.aplicms.com.br Aula de Apuração do Resultado (ARE) Prof. Pedro A. Silva (67) 3382-9772 Receitas x Despesas Podemos conceituar receitas como todos os recursos, em princípio, provenientes da venda de

Leia mais

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc.

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc. Material de Estudo para Recuperação 9 ano. Juros Simples O regime de juros será simples quando o percentual de juros incidirem apenas sobre o valor principal. Sobre os juros gerados a cada período não

Leia mais

Cartão Consignado. Aposentados e Pensionistas do INSS

Cartão Consignado. Aposentados e Pensionistas do INSS Cartão Consignado Aposentados e Pensionistas do INSS Cartão Consignado INSS Regras Vigentes INSS Regras Vigentes Cartão exclusivo para compras (o saque é proibido). Temos que aguardar a manifestação do

Leia mais

Módulo 2 Pr T odít ut U os L e O S erx viços Financeiros

Módulo 2 Pr T odít ut U os L e O S erx viços Financeiros Módulo 2 Produtos TÍTULO e Serviços X Financeiros CRÉDITO PESSOAL Olá! Neste módulo, vamos aprofundar nossos conhecimentos sobre os produtos e serviços financeiros que podemos oferecer aos nossos clientes.

Leia mais

Banco do Brasil Fonado. Procedimentos iniciais, andamento e finalização das propostas

Banco do Brasil Fonado. Procedimentos iniciais, andamento e finalização das propostas Banco do Brasil Fonado Procedimentos iniciais, andamento e finalização das propostas Passo 1 - O que é BB Fonado? São linhas de credito pessoal, disponível para correntistas do Banco do Brasil. O nome

Leia mais

LIMITES OPERACIONAIS EMPRÉSTIMO CONSIGNADO

LIMITES OPERACIONAIS EMPRÉSTIMO CONSIGNADO LIMITES OPERACIONAIS EMPRÉSTIMO CONSIGNADO Consideração Iniciais :O presente Manual estabelece os limites a serem observados em todas as operações de empréstimo consignado realizadas pelo Banco BMG S.A.

Leia mais

O C artão d o S ervidor PR P E R F E EI E TUR U A R A MU M N U I N CI C PA P L A L DE D E LOND N R D I R NA N

O C artão d o S ervidor PR P E R F E EI E TUR U A R A MU M N U I N CI C PA P L A L DE D E LOND N R D I R NA N O Cartão do Servidor PREFEITURA MUNICIPAL DE LONDRINA Cartão BMG Card O BMG Card é um cartão de crédito com bandeira MasterCard, direcionado aos Servidores Públicos Estatutários do Governo de Santa Catarina,

Leia mais

NORMA PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTES (Aprovada pela Deliberação n 005/2012, de 29 de março de 2012)

NORMA PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTES (Aprovada pela Deliberação n 005/2012, de 29 de março de 2012) NORMA PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTES (Aprovada pela Deliberação n 005/2012, de 29 de março de 2012) 1. DA FINALIDADE A presente Norma tem por finalidade regulamentar e definir condições para

Leia mais

O Endividamento das famílias no Brasil

O Endividamento das famílias no Brasil Boletim Econômico Edição nº 74 junho de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico O Endividamento das famílias no Brasil 1 Situação atual e números O percentual de famílias com

Leia mais

Breves Considerações sobre o Superendividamento

Breves Considerações sobre o Superendividamento 116 Breves Considerações sobre o Superendividamento Luiz Eduardo de Castro Neves 1 O empréstimo de valores é realizado com a cobrança de juros, de forma a permitir uma remuneração pelo valor emprestado.

Leia mais

Programa CAIXA Melhor Crédito

Programa CAIXA Melhor Crédito Programa CAIXA Melhor Crédito Corte histórico de juros na CAIXA São Paulo, 09 de Abril de 2012 1 Pilares do Programa CAIXA Melhor Crédito 1. Redução acentuada das taxas de juros 2. Maior volume de recursos

Leia mais

CRÉDITO - CONSIGNADO

CRÉDITO - CONSIGNADO infi Instituto FEBRABAN de Educação FORMAÇÃO DE CORRESPONDENTES MÓDULO IIIb CRÉDITO - CONSIGNADO SUMÁRIO Caracterização de Empréstimos... 3 Juros sobre Empréstimos... 4 Conceito de Empréstimo... 4 Tipos

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO RESPONSABILIDADES DE CRÉDITO

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO RESPONSABILIDADES DE CRÉDITO ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO RESPONSABILIDADES DE CRÉDITO Índice Conceito de responsabilidade de crédito Central de Responsabilidades de crédito (CRC) O que é a CRC? Para que serve a CRC? Mapa de

Leia mais

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Recupere a saúde financeira e garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Objetivo geral Disseminar conhecimento financeiro e previdenciário dentro e fora da SP-PREVCOM buscando contribuir

Leia mais

O melhor crédito para você

O melhor crédito para você 1016324-4 - abr/2012 Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? No site www.itau.com.br/usoconsciente, você encontra vídeos, testes e informações para uma gestão financeira eficiente. Acesse

Leia mais

ECO Empréstimo Consignado Online

ECO Empréstimo Consignado Online ECO Empréstimo Consignado Online Abril/2014 Cenário atual (Offline) Introdução Processamento batch baseado em troca de arquivos; IFs enviam diariamente arquivos com suas operações; Arquivos são processados

Leia mais

$ $ Guia de Empréstimos. Fachesf

$ $ Guia de Empréstimos. Fachesf Guia de Empréstimos Fachesf Sobre os empréstimos da Fachesf Quais as modalidades de empréstimos que a Fachesf oferece? Empréstimo Pós-Fixado (sem comprovação) Empréstimo Educação (com comprovação) Empréstimo

Leia mais

INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE CRÉDITO. Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil

INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE CRÉDITO. Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE CRÉDITO Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários

Leia mais

Cooperativismo É a união de pessoas voltadas para um objetivo comum, sem fins lucrativos, por meio da cooperação e da ajuda mútua entre associados.

Cooperativismo É a união de pessoas voltadas para um objetivo comum, sem fins lucrativos, por meio da cooperação e da ajuda mútua entre associados. COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DE CERÂMICA CoopASPACER Cooperativismo É a união de pessoas voltadas para um objetivo comum, sem fins lucrativos, por meio da cooperação

Leia mais

Roteiro Operacional de Refinanciamento de Empréstimo Consignado - INSS

Roteiro Operacional de Refinanciamento de Empréstimo Consignado - INSS 1. OBJETIVO Refinanciamento de dívida de Empréstimos vinculados a Consignação em Folha de Pagamento dos aposentados e pensionistas do INSS, contraídas com o Banco Industrial. 2. REGRAS OPERACIONAIS O Banco

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL INFORMAÇÕES ÚTEIS SOBRE CONSIGNADO EMPRÉSTIMO, CARTÃO DE CRÉDITO E/OU SERVIÇOS CONTRATADOS - ANO 2015. 1) O que é Margem Consignável? Resposta: É o dado que indica os limites estabelecidos por lei específica

Leia mais

Seminário Mercer Resultados da Pesquisa junto aos Aposentados da Previdência Complementar (1.551 respondentes)

Seminário Mercer Resultados da Pesquisa junto aos Aposentados da Previdência Complementar (1.551 respondentes) Seminário Mercer Resultados da Pesquisa junto aos Aposentados da Previdência Complementar (1.551 respondentes) 22 DE MAIO DE 2014 Mercer São Paulo Renda familiar Idade Até R$ 4.160,00 Idade Entre R$ 4.160,00

Leia mais

COOPERATIVA DE CRÉDITO

COOPERATIVA DE CRÉDITO 3 COOPERATIVISMO Baseia-se na união de pessoas onde cada membro deve contribuir com uma parcela ou quota parte, colaborando para a melhoria das condições econômicas e sociais de todos que fazem parte dessa

Leia mais

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES - CV

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES - CV SUMÁRIO 1. DEFINIÇÕES... 2 2. FINALIDADE... 3 3. DESTINATÁRIOS... 3 4. DOCUMENTAÇÃO... 4 5. VALOR MÁXIMO... 4 6. PRAZOS... 4 7. ENCARGOS E ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA... 5 8. GARANTIAS... 5 9. CONDIÇÕES GERAIS...

Leia mais

Cartão de Crédito Consignado. Um excelente benefício para o Servidor

Cartão de Crédito Consignado. Um excelente benefício para o Servidor Cartão de Crédito Consignado Um excelente benefício para o Servidor Institucional O Banco Daycoval S/A, fundado em 1968, é um dos líderes de crédito para empresas, resultado obtido através da estratégia

Leia mais

REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA.

REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA. REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA. Índice Capítulo I Da Carteira de Empréstimo Simples... 3 Capítulo II Dos Recursos

Leia mais

Condições Gerais do Limite de Crédito para Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento ou benefício do INSS

Condições Gerais do Limite de Crédito para Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento ou benefício do INSS Condições Gerais do Limite de Crédito para Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento ou benefício do INSS Estas são as condições gerais do Limite de Crédito para Empréstimo Mediante Consignação

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS AO EMPRÉSTIMO CONSIGNADO DESTINADO À RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS

CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS AO EMPRÉSTIMO CONSIGNADO DESTINADO À RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS O BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A., com sede na Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 e 2235, Bloco A, Vila Olímpia, São Paulo/SP, CEP 04543-011, CNPJ/MF sob n.º 90.400.888/0001-42, disponibiliza

Leia mais

Perguntas e Respostas Alteração no rendimento da caderneta de poupança. 1) Por que o governo decidiu mudar as regras da caderneta de poupança?

Perguntas e Respostas Alteração no rendimento da caderneta de poupança. 1) Por que o governo decidiu mudar as regras da caderneta de poupança? Perguntas e Respostas Alteração no rendimento da caderneta de poupança Novas regras 1) Por que o governo decidiu mudar as regras da caderneta de poupança? Por ter parte de sua remuneração (chamada de adicional)

Leia mais

Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo mediante Consignação em Benefícios de Aposentadoria e Pensão do INSS

Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo mediante Consignação em Benefícios de Aposentadoria e Pensão do INSS Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo mediante Consignação em Benefícios de Aposentadoria e Pensão do INSS ESTAS CONDIÇÕES GERAIS REGEM O CONTRATO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO MEDIANTE

Leia mais

Nota para a Imprensa de Política Monetária e Operações de Crédito

Nota para a Imprensa de Política Monetária e Operações de Crédito Nota para a Imprensa de Política Monetária e Operações de Crédito Nova estrutura de dados de crédito Nota Metodológica 1. Introdução Esta Nota tem por objetivo descrever os principais aprimoramentos incorporados

Leia mais

Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas.

Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas. Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas. 1 - Ativo (Saldo devedor, exceto as contas retificadoras) 1.1 Ativo Circulante Adiantamento

Leia mais

Roteiro Operacional - Banco

Roteiro Operacional - Banco Regime de Contratação (Vínculo) Categoria (Situação) Efetivo 1. PÚBLICO ALVO Todas as Secretarias Condição Estatutário Aposentado Pensionista Todas as Secretarias Todas as Secretarias Público que não atenderemos

Leia mais

GUIA INFORMATIVO - CARTÕES DE CRÉDITO

GUIA INFORMATIVO - CARTÕES DE CRÉDITO 2013 GUIA INFORMATIVO - CARTÕES DE CRÉDITO CARTÕES DE CRÉDITO Definição Cartão de crédito é modalidade de pagamento à vista, objeto de um contrato de adesão entre o consumidor e uma administradora de cartões,

Leia mais

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO Cooperativismo Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO GESTÃO: Samuel José dos Santos Diretor Presidente Marco Antonio da C.Guimarães - Diretor Operacional João Gonçalves dos Santos Diretor

Leia mais

COOPERATIVA DE CRÉDITO

COOPERATIVA DE CRÉDITO COOPERATIVISMO Baseia-se na união de pessoas onde cada membro deve contribuir com uma parcela ou quota parte, colaborando para a melhoria das condições econômicas e sociais de todos que fazem parte dessa

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DA PREVIDÊNCIA DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS DIVISÃO DE CADASTRO DE RECURSOS HUMANOS

SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DA PREVIDÊNCIA DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS DIVISÃO DE CADASTRO DE RECURSOS HUMANOS SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DA PREVIDÊNCIA DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS DIVISÃO DE CADASTRO DE RECURSOS HUMANOS Março/2008 Sumário Sistema Automatizado de Consignação...3 PRconsig...3 Orientações

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 30, DE 14 DE SETEMBRO DE 2009. O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais,

ATO NORMATIVO Nº 30, DE 14 DE SETEMBRO DE 2009. O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais, TRIBUNAL DE JUSTIÇA ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO APMP ATO NORMATIVO Nº 30, DE 14 DE SETEMBRO DE 2009. Regulamenta as consignações em folha de pagamento dos servidores do

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LUÍS MA

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LUÍS MA E-MAILS DE CONTATO BANCO DAYCOVAL Negócio Roteiro Operacional Promotora MESA DE ANALISE PORTABILIDADE portabilidadeconsignado@bancodaycoval.com.br Empréstimo Cartão Débito C/C MESA DE ANALISE MARGEM margemconsignado@bancodaycoval.com.br

Leia mais

Entenda o Novo Sistema de Pagamentos Brasileiro O Novo SPB O que muda com o novo SPB Saiba o que não muda com o novo SPB Saiba mais

Entenda o Novo Sistema de Pagamentos Brasileiro O Novo SPB O que muda com o novo SPB Saiba o que não muda com o novo SPB Saiba mais * Informações de janeiro/2002 * Sumário Entenda o Novo Sistema de Pagamentos Brasileiro O Novo SPB Benefícios do Novo SPB O que é Porque mudar O que muda O que muda com o novo SPB Transferências só com

Leia mais

Cartão Consignação em Folha Implementando uma linha de crédito permanente, flexível e com averbação em folha. Índice

Cartão Consignação em Folha Implementando uma linha de crédito permanente, flexível e com averbação em folha. Índice White Paper Series A Medida Provisória 130/2003 e seus reflexos positivos para a viabilização de novos modelos de crédito baseados em oferta de Cartão de Crédito com averbação parcial direta em folha de

Leia mais

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 3: Gerenciamento de dívidas

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 3: Gerenciamento de dívidas Educação Financeira Crédito Consignado Módulo 3: Gerenciamento de dívidas Objetivo Auxiliar no gerenciamento de dívidas e de como quitá-las, conscientizando as pessoas da importância em diminui-las e de

Leia mais

TABELA DE CAPTAÇÃO DAS TAXAS DE JUROS PARA PESSOA FÍSICA PRATICADAS PELAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS EM 02/05/12

TABELA DE CAPTAÇÃO DAS TAXAS DE JUROS PARA PESSOA FÍSICA PRATICADAS PELAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS EM 02/05/12 TABELA DE CAPTAÇÃO DAS S DE JUROS PARA PESSOA FÍSICA EM 02/05/12 BANCO DO BRASIL BRADESCO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL HSBC MODALIDADES DE CRÉDITO CARTÃO DE CRÉDITO 2,94* 13,56* 2,10* 14,99* 1,90* 2,85** 6,03*

Leia mais

Roteiro Operacional Última atualização 06/02/2015

Roteiro Operacional Última atualização 06/02/2015 Roteiro Operacional Última atualização 06/02/2015 1. Público alvo 1.1 Atendidos - Aposentados e pensionistas do INSS -Códigos Benefícios- 1.2 Não atendidos -Códigos Benefícios- RESUMO DE CÓDIGOS NÃO CONSIGNÁVEIS

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. Esta elevação é reflexo da elevação da Taxa Básica de Juros (Selic)

Leia mais

DIAGRAMA DE CASO DE USO

DIAGRAMA DE CASO DE USO Simulador de uma casa bancária: que faz empréstimo para aposentados, pensionistas e funcionários públicos. Onde deve-se calcular a margem de consignação, o valor das parcelas de cada empréstimo e o valor

Leia mais

Visão. Crédito à pessoa física responde por 27% do crescimento da economia entre 2004 e 2009. do Desenvolvimento. nº 84 6 ago 2010

Visão. Crédito à pessoa física responde por 27% do crescimento da economia entre 2004 e 2009. do Desenvolvimento. nº 84 6 ago 2010 Visão do Desenvolvimento nº 84 6 ago 2010 Crédito à pessoa física responde por 27% do crescimento da economia entre 2004 e 2009 Por Gilberto Borça Jr. e Leandro Coutinho Economista e advogado da APE Expansão

Leia mais

SÉTIMO TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL, COMO SEGUE:

SÉTIMO TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL, COMO SEGUE: CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL SÉTIMO TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL, COMO SEGUE: Partes - BANCO MERCANTIL DO BRASIL S.A., com sede na Rua Rio de Janeiro, nº 654, Centro,

Leia mais

Informações básicas sobre crédito

Informações básicas sobre crédito Coleção Educação Financeira Informações básicas sobre crédito O crédito é um instrumento poderoso para viabilizar sonhos e projetos, sejam eles pessoais ou empresariais. É útil também nas horas de aperto,

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO SIAPE MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO SIAPE MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO E-MAILS DE CONTATO BANCO DAYCOVAL Negócio Roteiro Operacional Promotora MESA DE ANALISE PORTABILIDADE Empréstimo Cartão Débito C/C MESA DE ANALISE MARGEM siape@bancodaycoval.com.br Versão: 05/15 MESA DE

Leia mais

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em outubro/2013, sendo esta a sexta elevação no ano. Esta elevação pode ser atribuída à última elevação da Taxa de Juros

Leia mais

PÚBLICO ALVO. Funcionários. Empresas

PÚBLICO ALVO. Funcionários. Empresas PÚBLICO ALVO Funcionários Empresas CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO Sobre o Convênio (contrato) O convênio é estabelecido entre a Instituição Financeira e o Empregador; Define as condições gerais e parâmetros

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL SP

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL SP E-MAILS DE CONTATO BANCO DAYCOVAL Negócio Roteiro Operacional Promotora MESA DE ANALISE PORTABILIDADE portabilidadeconsignado@bancodaycoval.com.br Empréstimo Cartão Débito C/C MESA DE ANALISE MARGEM margemconsignado@bancodaycoval.com.br

Leia mais

EDIÇÃO 06 NOVEMBRO 2014 ANO 2. Uso consciente do crédito: PROPAGUE ESSA IDEIA!

EDIÇÃO 06 NOVEMBRO 2014 ANO 2. Uso consciente do crédito: PROPAGUE ESSA IDEIA! Uso consciente do crédito: PROPAGUE ESSA IDEIA! EDUCAÇÃO FINANCEIRA USO CONSCIENTE DO CRÉDITO: PROPAGUE ESSA IDEIA! Ele está tão integrado ao nosso dia a dia, que alguns consumidores acabam usando o recurso

Leia mais

Instituto Assaf: nota de R$ 100 perde 80% do valor em 21 anos do Plano Real

Instituto Assaf: nota de R$ 100 perde 80% do valor em 21 anos do Plano Real Veículo: Acionista Data: 12/08/15 Instituto Assaf: nota de R$ 100 perde 80% do valor em 21 anos do Plano Real O Instituto Assaf realizou estudo sobre a perda de poder de compra do consumidor que deixa

Leia mais

Edital de Credenciamento 003/2012

Edital de Credenciamento 003/2012 1/5 Edital de Credenciamento 003/2012 1 DO OBJETO: 1.1. O presente Termo tem por objetivo o credenciamento de Instituições Financeiras autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil, para prestação

Leia mais

NORMA DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS AOS PARTICIPANTES

NORMA DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS AOS PARTICIPANTES 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo estabelecer os critérios e procedimentos a serem adotados para concessão e liberação de empréstimos aos participantes. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO As operações de empréstimos

Leia mais

Manual do Servidor Sistema Curitiba Consig

Manual do Servidor Sistema Curitiba Consig PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA Manual do Servidor Sistema Curitiba Consig www.zetrasoft.com.br www.curitiba.pr.gov.br Manual do Servidor Sistema Curitiba Consig A Prefeitura Municipal de Curitiba implantou

Leia mais

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em maio/2014, sendo esta a décima segunda elevação seguida, quinta elevação no ano. Estas elevações podem ser atribuídas

Leia mais

Roteiro Operacional Última atualização 19/03/2015

Roteiro Operacional Última atualização 19/03/2015 Roteiro Operacional Última atualização 19/03/2015 1. Público alvo 1.1 Atendidos - Aposentados e pensionistas do INSS -Códigos Benefícios- 1.2 Não atendidos -Códigos Benefícios- RESUMO DE CÓDIGOS NÃO CONSIGNÁVEIS

Leia mais

Empréstimo. Pagamento em até 30 meses; Sem taxa de abertura de crédito; Parcelas debitadas em conta; Limites analisados pela renda.

Empréstimo. Pagamento em até 30 meses; Sem taxa de abertura de crédito; Parcelas debitadas em conta; Limites analisados pela renda. Produtos Conta Corrente Com isenção de tarifas de manutenção, dez folhas cheques, quatro extratos mensais, emissão de extratos on-line, tarifas reduzidas, só na Credlíder. Conta Poupança A Poupança Credlider

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. Na pessoa física as taxas de juros tiveram uma pequena elevação sendo esta a décima quinta

Leia mais

POR QUE PRECISAMOS SER RACIONAIS COM O DINHEIRO?

POR QUE PRECISAMOS SER RACIONAIS COM O DINHEIRO? ORGANIZE SUA VIDA POR QUE PRECISAMOS SER RACIONAIS COM O DINHEIRO? - Para planejar melhor como gastar os nossos recursos financeiros QUAIS OS BENEFÍCIOS DE TER UM PLANEJAMENTO FINANCEIRO? - Para que possamos

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO COMANDO DA AERONÁUTICA

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO COMANDO DA AERONÁUTICA E-MAILS DE CONTATO BANCO DAYCOVAL Negócio Roteiro Operacional Promotora MESA DE ANALISE PORTABILIDADE portabilidadeconsignado@bancodaycoval.com.br Empréstimo Cartão Débito C/C MESA DE ANALISE MARGEM margemconsignado@bancodaycoval.com.br

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito ficaram praticamente estáveis em janeiro/2013 frente a dezembro/2012. Pessoa Física Das seis

Leia mais

Produto INSS Público (estadual/municipal/federal) Empresa privada. CPF Sexo Masc. Fem. Data de nascimento Nº do benefício

Produto INSS Público (estadual/municipal/federal) Empresa privada. CPF Sexo Masc. Fem. Data de nascimento Nº do benefício Termo de Adesão/Autorização para Desconto em Folha Empréstimo Consignado e Cartão de Crédito Operação Produto Cód. Corresp./ Loja Nº ADE Espaço reservado ao Banco BMG Produto INSS Público (estadual/municipal/federal)

Leia mais

REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ

REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ Aprovado pelo Comitê de Investimentos da Forluz na 330ª reunião de 14/09/2011 e na 331ª reunião de 23/09/2011. Válido para empréstimos solicitados a partir de 01/10/2011. REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em setembro/2013, sendo esta a quinta elevação no ano. Esta elevação

Leia mais

POLÍTICA DE CRÉDITO E DE EMPRÉSTIMO OUTUBRO D E

POLÍTICA DE CRÉDITO E DE EMPRÉSTIMO OUTUBRO D E POLÍÍTIICA DE CRÉDIITO E DE EMPRÉSTIIMO OUTUBRO D E 2 0 0 9 COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS FUNCIONÁRIOS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS - COOPERFEB POLÍTICA DE CRÉDITO E DE EMPRÉSTIMO

Leia mais

Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012

Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012 Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012 METODOLOGIA Plano amostral Público alvo: Consumidores de todas as Capitais do Brasil. Tamanho amostral da Pesquisa: 623 casos, gerando um erro máximo de 3,9%

Leia mais

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO O Sr. Fúlvio Oliveira, empresário de uma loja de confecções, está seriamente preocupado com seu negócio. As dívidas não param de crescer. Vamos entender sua situação.

Leia mais

EXERCÍCIOS PROF. SÉRGIO ALTENFELDER

EXERCÍCIOS PROF. SÉRGIO ALTENFELDER 1- Uma dívida no valor de R$ 60.020,54 deve ser paga em sete prestações postecipadas de R$ 10.000,00, a uma determinada taxa de juros. Considerando esta mesma taxa de juros, calcule o saldo devedor imediatamente

Leia mais

DECRETO Nº 3.008, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010.

DECRETO Nº 3.008, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010. DECRETO Nº 3.008, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010. Disciplina as consignações em folha de pagamento no âmbito da Administração Pública Direta, Autárquica e Fundacional do Poder Executivo do Estado de Mato Grosso.

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 002/2015

RESOLUÇÃO N. 002/2015 RESOLUÇÃO N. 002/2015 Atualiza a Resolução 005/2014 em seu artigo 3º (Taxa de juros do Consignado Estadual e renovação garantias I e II) de acordo com as condições e garantias oferecidas pelo sócio, inalteradas

Leia mais

REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ

REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ Aprovado pelo Comitê de Investimentos da Forluz em 18 e 25/01/13 (Ata da 401ª e 403ª reunião). Válido para empréstimos solicitados a partir de 01/03/2013. REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ CAPÍTULO I

Leia mais

Atividade extra. Exercício 1. Exercício 2. Exercício 3. Matemática e suas Tecnologias Matemática

Atividade extra. Exercício 1. Exercício 2. Exercício 3. Matemática e suas Tecnologias Matemática Atividade extra Exercício 1 Um microondas custa R$ 300,00 e possui um desconto de 15% no pagamento à vista. Qual o valor do microondas à vista? (a) R$ 285,00 (b) R$ 255,00 (c) R$ 270,00 (d) R$ 215,00 Exercício

Leia mais

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES SUMÁRIO 1. DEFINIÇÕES... 2 2. FINALIDADE... 3 3. DESTINATÁRIOS... 3 4. DOCUMENTAÇÃO... 4 5. VALOR MÁXIMO E MÍNIMO... 5 6. PRAZOS... 5 7. ENCARGOS E ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA... 6 8. GARANTIAS... 7 9. CONDIÇÕES

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em janeiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Todas as linhas de crédito para pessoas jurídicas subiram. Para pessoas físicas, houve aumento nos juros do comércio,

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em fevereiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

Brasileiro se endivida, investe menos e finanças se deterioram no semestre

Brasileiro se endivida, investe menos e finanças se deterioram no semestre Veículo: Estadão Data: 09/08/15 Brasileiro se endivida, investe menos e finanças se deterioram no semestre SÃO PAULO - Com contas no vermelho, mais dívidas e menos investimentos, as finanças dos brasileiros

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 008/2010

RESOLUÇÃO N. 008/2010 RESOLUÇÃO N. 008/2010 Regulamenta as taxas de juros cobradas nos contratos de empréstimos de acordo com as condições de garantias oferecidas pelo sócio e dá outras providências. O Conselho de Administração

Leia mais

Veja dicas para se livrar das dívidas e usar bem o crédito

Veja dicas para se livrar das dívidas e usar bem o crédito Veja dicas para se livrar das dívidas e usar bem o crédito Especialistas dão dicas para sair do vermelho. É fundamental planejar gastos e usar bem o crédito. Por Anay Cury e Gabriela Gasparin Do G1, em

Leia mais

Elementos de Análise Financeira Matemática Financeira e Empréstimos para Capital de Giro

Elementos de Análise Financeira Matemática Financeira e Empréstimos para Capital de Giro Elementos de Análise Financeira Matemática Financeira e Empréstimos para Capital de Giro Fonte: Assaf Neto (2009), Matemática Financeira e Suas Aplicações, Cap. 5 Empréstimos para Capital de Giro As modalidades

Leia mais

Recupere a saúde financeira e garanta um futuro tranquilo. Campus da UNESP de São José do Rio Preto, 30/09/2015

Recupere a saúde financeira e garanta um futuro tranquilo. Campus da UNESP de São José do Rio Preto, 30/09/2015 Recupere a saúde financeira e garanta um futuro tranquilo Campus da UNESP de São José do Rio Preto, 30/09/2015 Objetivo geral Disseminar conhecimento financeiro e previdenciário dentro e fora da SP-PREVCOM

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 001/2012

RESOLUÇÃO N. 001/2012 RESOLUÇÃO N. 001/2012 Altera a Resolução 008/2010 no art. 2º (taxa consignado e renovação garantia I e II e consignado e renovação garantia I UEPB) e art.6º (taxas garantia real de patrimônio) de acordo

Leia mais

Pagadores de Dívidas. Job: 12/1274

Pagadores de Dívidas. Job: 12/1274 Pagadores de Dívidas Job: 12/1274 ritério de lassificação Adimplentes e Inadimplentes ADIMPLENTES INADIMPLENTES Mencionou que está em dia com todas as despesas descritas Mencionou que não está em dia com

Leia mais

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS 11. DIREITOS NA HORA DA DEMISSÃO É de fundamental importância saber quais os direitos dos trabalhadores na hora da rescisão do contrato de trabalho. Devese ter especial atenção no caso de demissões sem

Leia mais

Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática

Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática 1. Se 35 m de um tecido custam R$ 140, quanto se pagará 12 m? 2. Se 20 tratores levaram 6 dias para realizar um

Leia mais