Cor. Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica. Edward Angel, Caps. 1, 2 e 7 Apontamentos CG

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cor. Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica. Edward Angel, Caps. 1, 2 e 7 Apontamentos CG"

Transcrição

1 Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica Cor Edward Angel, Caps. 1, 2 e 7 Apontamentos CG

2 Sumário Teoria da Cor Conceitos básicos Modelação da Cor Modelos de Cor Reprodução da Cor

3 LEIC CG Teoria da Cor Conceitos Básicos

4 Cor Matéria complexa estudada em várias áreas Física Fisiologia Psicologia Artes Não é apenas uma propriedade Depende de diversos factores externos Fontes de Luz Cores do ambiente envolvente Olho humano...

5 Espectro Electromagnético nm luz visível raios cósmicos raios gama raios X UV IV rádio radiação térmica log 10 λ

6 Retina Sistema auto-adaptativo Visão central Objecto Íris Córne a Retina Nervo Óptico fovea centralis Ø1,5mm só há cones macula lutea Ø 1 cm cones + bastonetes Tipo Função Nº (milhões) Cones policromia 6,8 Bastonetes monocromia Visão periférica só há bastonetes formas detectadas com falta de cor

7 Sensibilidade Espectral dos Cones gama ro sensiblidade [%] beta comprimento de onda [nm]

8 Teoria dos três estimulos Cones são sensores de cor Picos de sensibilidade vermelho, verde, azul gama ro Todas as outras cores Representadas como combinações destas Ciano = Azul + Verde Amarelo = Verde + Vermelho Etc beta

9 LEIC CG Modelação da Cor

10 Caracterização da Cor Cor (hue) distinção entre cores vermelho, verde, amarelo, lilás, Saturação (saturation) distância da cor ao cinzento de igual intensidade muito saturado - vermelho, azul pouco saturado - rosa, azul do céu, cores pastel

11 Caracterização da Cor (cont.) Luminosidade (lightness) intensidade da luz reflectida por uma superfície (parede, quadro) Brilho (brightness) intensidade da luz emitida por uma superfície (lâmpada, Sol, CRT)

12 Caracterização da Cor Cor (hue) Distinção entre cores Comprimento de onda dominante Saturação (saturation) Pureza da cor Luminosidade (lightness) Brilho (brightness)

13 Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica Computação Gráfica Modelos de Cor

14 Propriedades desejáveis dos Modelos de cor Uniformidadeperceptual Facilidade de navegação Proximidade face à psicologia do sistema visual Rigor Em computação gráfica: Facilidade de implementação

15 Modelo de Munsell (1/3) Criado no final do séc XIX por Albert H. Munsell ( ) Munsell Book of Color, publicado em 1929 Considerado o primeiro modelo moderno Para determinação de cores Continua a ser largamente usado Concebido para artes gráficas e ensino

16 Modelo de Munsell (2/3) Definido por: Eixo vertical value Brilho/Luminosidade Circunferência hue Cor Raio chroma Saturação ilustração por Samuel J. Klein

17 Modelo de Munsell (3/3) Espaço cromático hue + value (lightness)+ chroma (saturação) Compara cores com tabelas normalizadas sob uma iluminação também normalizada julgamentos visuais Medida subjectiva, dependente de Condições de iluminação Cor da luz circundante Iluminação geral do ambiente de medida

18 Guia de cores Pantone

19 (Alguns) Modelos de Cor RGB Red, Green, Blue CMY Cyan, Magenta, Yellow(cores complementares) HSV Hue, Saturation, Value

20 Modelo RGB Cubo normalizado com origem em (0,0,0) Preto Vértices: Vermelho (1,0,0) Verde (0,1,0) Azul (0,0,1) Amarelo (1,1,0) Ciano/Cião (0,1,1) Magenta (1,0,1) Branco (1,1,1) Cinzentos diagonal entre (0,0,0) e (1,1,1)

21 Espaço RGB Azul = (0,0,1) Ciano (0,1,1) Magenta (1,0,1) Branco = (1,1,1) RGB a partir de CIE Preto = (0,0,0) Verde = (0,1,0) Vermelho (1,0,0) Amarelo (1,1,0) Cinzentos

22 Modelo CMY Fundamento uma superfície absorve parte da luz incidente reflecte a luz da cor que aparenta ter Constituído pelas cores complementares ciano, magenta e amarelo (primárias subtractivas) Semelhante ao RGB, mas a origem é o branco em vez do preto cores subtractivas da luz branca incidente

23 Espaço CMY Cubo normalizado com origem em (0,0,0) Branco Vértices: Vermelho (1,0,1) Verde (0,1,1) Azul (1,1,0) Amarelo (0,0,1) Ciano (0,0,1) Magenta (1,0,0) Preto (1,1,1) Amarelo = (0,0,1) Vermelho (0,1,1) Verde (1,0,1) Preto = (1,1,1) Branco = (0,0,0) Magenta = (0,1,0) Cinzentos diagonal entre (0,0,0) e (1,1,1) Cião (1,0,0) Cinzentos Azul (1,1,0)

24 RGB Modelo aditivo CMYK Modelo subtractivo Conversão trivial: RGB e CMY (1/2) = B G R Y M C = Y M C B G R 1 1 1

25 RGB e CMY

26 Modelo CMYK Impressoras Tinta preta adicional Para maior fidelidade Redução de custos

27 Modelo HSV {HSB} Modelos RGB e CMY Orientados ao hardware Mais intuitivo para o utilizador H Hue S Saturation V Value (brightness, B) Próximo do sistema intuitivo em arte com matiz, tom e tonalidade

28 Espaço HSV {HSB} Cinzentos S=0 e 0 < V < 1 V=0 H e S são irrelevantes cião verde 120º 1,0 V branco amarelo vermelho 0º S=0 H é irrelevante azul 240º magenta 0,0 preto H S

29 Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica Formatos Imagem Apontamentos CG Edward Angel, Sec. 8.2

30 Sumário Formatos de Imagem Generalidades Formatos DIB (BMP) GIF PNG JFIF (JPEG) Considerações sobre uso

31 Siglas DIB: Device Independent Bitmap windows BMP: Windows Bitmap GIF: Graphics Interchange Format PNG: Portable Network Graphics JFIF: JPEG File Interchange Format

32 LEIC CG Formatos de Imagem Conceitos Genéricos

33 Representação Directa Para cada pixel Representar valor do canal correspondente Triplos <R,G,B> Máxima Fiabilidade Depende apenas da profundidade da cor Requisitos de memória elevados Corpo docente de Computação Representação Gráfica / CG&M / DEI / IST / UTL Imagem

34 Representação por Mapa de Cores Pixéis representados por índice de cor em vez de 3 componentes de cor Ficheiros de menor dimensão Bom até 256 cores Inviável para mais do que 256 cores Representação Mapa de cores Imagem

35 Compressão de Imagem Reduz o tamanho da imagem Dois tipos Com perda JPEG: Joint Photographic Experts Group (ISO ) Transformada do co-seno aplicada a grupos de pixéis (8x8 ou 16x16) Sem perda RLE: Run Length Encoding Sequências de pixéis da mesma cor LZW (e LZ77) Lempel-Ziv Welch Sequências iguais de pixéis (podem ser de cores diferentes)

36 Entrelaçamento (1/3) Codificação permite visualização mais rápida Também conhecido como Codificação progressiva Pode ser usado em diversos formatos GIF Armazena as linhas intercaladas 0, 8, 16,... / 4,12,... / 2, 6, 10, 14,... / 1, 3, 5, 7, 9,... PNG Algoritmo Adam7 Imagem dividida em 7 sub-imagens Usa padrão 8x8 para armazenar a imagem JPEG Algoritmo Progressivo Usa os coeficientes da Transformada do Co-seno Complexo, mas eficiente

37 Entrelaçamento (2/3) ADAM7 GIF

38 PNG GIF 1/4 1/2 Completa! 1/8 1/64 1/32 1/16

39 Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica Computação Gráfica Formatos de Imagem

40 Número Mágico (Magic Number) Usado para identificar formatos de ficheiros Apareceu pela 1ª vez na versão 7 do UNIX (1979) Para identificar executáveis Um conjunto de bits no início do ficheiro Exemplos: PDF: (%PDF) MS-OFFICE DOC: D0 CF 11 E0 ( docfile0 ) Classes JAVA compiladas: CA FE BA BE ( cafe babe )

41 Número Mágico (Magic Number) No caso dos ficheiros de imagem PBM: P4 [em ASCII] BPM: 42 4D (BM) GIF: (GIF8) PNG: E 47 ( PNG) JPEG/JFIF: FF D8 FF E0 TIFF Big endian(motorola): 4D 4D 00 2A (MM *) Little endian(intel): A 00 (II* )

42 Formato DIB (BMP)(1/2) Cores: 2, 16, 256 e Modelo de cor: RGB Compressão: RLE 4 e RLE 8 Mapa de cores: só com 2, 16 e 256 cores , cores, 1,37 Mb Entrelaçamento: não suporta Transparência: não suporta RLE , 251 cores, 530 kb

43 Formato DIB (BMP)(2/2) Vantagens Cores reais Múltiplos subtipos para diferentes tipos de imagem Desvantagens Ficheiros de grande tamanho Compressão limitada a subtipos Compressão inadequada Para imagens de qualidade fotográfica Porquê?

44 Formato GIF (1/3) Cores: 2, 4, 8, 16, 32, 64, 128 e 256 Modelo de cor: RGB Compressão: LZW sem perda (sempre) Mapa de cores: Obrigatório , 144 cores, 94 kb Entrelaçamento: Opcional, por linhas Transparência: uma cor , 255 cores, 57 kb

45 Formato GIF (2/3) Vantagens Canal de dados GIFs animados Ficheiros de pequeno tamanho Desvantagens Limite de 256 cores Formato e algoritmo de compressão proprietários Impróprio para imagens de qualidade fotográfica Transparência de uma única cor

46 Formato GIF (3/3) Limite de 256 cores

47 Formato PNG (1/2) Cores: 2, 4, 16, 256, e 2 48 Modelo de cor: RGB Compressão: LZ77 sem perda Mapa de cores: só com 2, 4, 16 e 256 cores Entrelaçamento: opcional, por pixéis Transparência: por canal alfa

48 Formato PNG (2/2) Vantagens Suporta todos os tipos de imagem Algoritmo de compressão do domínio público Transparência por canal alfa Permite sequências de imagens Guarda a correcção gama (opcional) Desvantagens Algoritmo de compressão impróprio para imagens com qualidade fotográfica

49 Formato JFIF (JPEG) (1/2) Cores: Modelo de cor YCbCr Compressão: JPEG (com perda) Mapa de cores: não suporta , cores, 68,9 kb Entrelaçamento: não suporta Transparência: não suporta , cores, 60,9 kb

50 Formato JFIF (JPEG) (2/2) Vantagens Recomendado para imagens de qualidade fotográfica Algoritmos de compressão normalizados Desvantagens Há sempre perda (mas a visão não detecta) Impróprio para imagens com variações súbitas de cor Original JPEG

51 Artefactos JFIF (JPEG) JPEG Original

52 Degradação Progressiva em JFIF Escala de qualidade 1 (mín.) 100 (máx.)

53 LEIC CG Formatos de Imagem Considerações sobre o uso

54 Imagem de Qualidade Fotográfica Exemplo de Imagem 512 x 512 pixéis cores

55 Imagem Fotográfica Dimensão de Imagem MS Photo Editor Paint Shop Pro Adobe Photoshop DIB/BMP GIF normal entrelaçado (136) (256) (256) (256) (256) PNG normal entrelaçado JFIF máx. méd. mín ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) Comprimento em bytes (número de cores)

56 Imagem de um Gráfico Simples Exemplo de Imagem 717 x cores

57 Gráfico Simples Dimensão de Imagem MS Photo Editor Paint Shop Pro Adobe Photoshop DIB/BMP GIF normal entrelaçado (18) PNG normal entrelaçado red. 256 cores (18) (18) JFIF máx. méd. mín (111) (27.550) (29.756) (2.764) (28.097) (30.223) (444) (21.443) (26.423) Comprimento em bytes (número de cores)

58 Formatos de Imagem Considerações Usar GIFse número de cores for pequeno (<256) Considerar o formato PNG para estes casos e para outros se a imagem não for de qualidade fotográfica Usar JPEG/JFIFsempre que a imagem seja de qualidade fotográfica apresente tons contínuos Imagens JPEG/JFIF Guardar imagem original sem perda ou com pouca perda Reduzir tamanho antes de comprimir com perda

59 Fontesdo Conhecimento Estudarporapontamentosdisponíveisno Site de CG.

Formatos Imagem. Apontamentos CG + Edward Angel, Sec. 8.2. Instituto Superior Técnico Computação Gráfica 2009/2010

Formatos Imagem. Apontamentos CG + Edward Angel, Sec. 8.2. Instituto Superior Técnico Computação Gráfica 2009/2010 Formatos Imagem Apontamentos CG + Edward Angel, Sec. 8.2 Instituto Superior Técnico Computação Gráfica 2009/2010 1 Na última aula Ray-Tracing Ferramentas Utilizadas: POV-Ray 3.6 (modelling, texturing,

Leia mais

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.1. Imagem. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.1. Imagem. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Sistemas e Conteúdos Multimédia 4.1. Imagem Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Cores O que é a cor? Distribuição espectral do sinal de excitação. Função da reflectância e da iluminação

Leia mais

Imagem digital. Unidade 3

Imagem digital. Unidade 3 Imagem digital Unidade 3 Objectivos Reconhecer o potencial comunicativo/ expressivo das imagens; Reconhecer as potencialidades narrativas de uma imagem; A criação de sentido nas associações de imagens

Leia mais

TRATAMENTO DE IMAGENS. Elisa Maria Pivetta

TRATAMENTO DE IMAGENS. Elisa Maria Pivetta TRATAMENTO DE IMAGENS Elisa Maria Pivetta CATEGORIAS DE IMAGENS Distinguem-se geralmente duas grandes: Bitmap (ou raster) - trata-se de imagens "pixelizadas", ou seja, um conjunto de pontos (pixéis) contidos

Leia mais

Considerando as cores como luz, a cor branca resulta da sobreposição de todas as cores, enquanto o preto é a ausência de luz. Uma luz branca pode ser

Considerando as cores como luz, a cor branca resulta da sobreposição de todas as cores, enquanto o preto é a ausência de luz. Uma luz branca pode ser Noções de cores Cor é como o olho dos seres vivos animais interpreta a reemissão da luz vinda de um objeto que foi emitida por uma fonte luminosa por meio de ondas eletromagnéticas; Corresponde à parte

Leia mais

TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP

TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP Docente: Bruno Duarte Fev 2010 O que é uma imagem digital? Uma imagem diz-se digital quando existe um ficheiro em computador que guarda a informação gráfica desta

Leia mais

Luz e Cor. Sistemas Gráficos/ Computação Gráfica e Interfaces FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

Luz e Cor. Sistemas Gráficos/ Computação Gráfica e Interfaces FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO Luz e Cor Sistemas Gráficos/ Computação Gráfica e Interfaces 1 Luz Cromática Em termos perceptivos avaliamos a luz cromática pelas seguintes quantidades: 1. Matiz (Hue): distingue entre as várias cores

Leia mais

Utilização do Sistema Multimédia. 2. Formatos de ficheiros 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens. 2. Formatos de ficheiros

Utilização do Sistema Multimédia. 2. Formatos de ficheiros 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens. 2. Formatos de ficheiros Utilização do Sistema Multimédia 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens 2.1. Compressão Formatos com e sem compressão Técnicas de compressão (reduzem tamanho) de 2 tipos: Compressão

Leia mais

Álgebra Linear Aplicada à Compressão de Imagens. Universidade de Lisboa Instituto Superior Técnico. Mestrado em Engenharia Aeroespacial

Álgebra Linear Aplicada à Compressão de Imagens. Universidade de Lisboa Instituto Superior Técnico. Mestrado em Engenharia Aeroespacial Álgebra Linear Aplicada à Compressão de Imagens Universidade de Lisboa Instituto Superior Técnico Uma Breve Introdução Mestrado em Engenharia Aeroespacial Marília Matos Nº 80889 2014/2015 - Professor Paulo

Leia mais

Fundamentos de Computação Gráfica. Editoração Eletrônica

Fundamentos de Computação Gráfica. Editoração Eletrônica Fundamentos de Computação Gráfica Editoração Eletrônica Editoração Eletrônica Também conhecido como Editoração Eletrônica ou simplesmente DTP, é a área da Computação Gráfica que cuida da criação de material

Leia mais

Mídias Discretas. Introdução à Ciência da Informação

Mídias Discretas. Introdução à Ciência da Informação Mídias Discretas Introdução à Ciência da Informação Mídias Discretas Mídias discretas (estáticas) Texto Gráficos e Imagens Estáticas Caracteres são convertidos para uma representação com um número fixo

Leia mais

Aquisição e Representação da Imagem Digital

Aquisição e Representação da Imagem Digital Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE Aquisição e Representação da Imagem Digital Antonio G. Thomé thome@nce.ufrj.br Sala AEP/33 Sumário. Introdução 2. Aquisição e Representação da Imagem

Leia mais

Teoria da Cor TI. Elisa Maria Pivetta

Teoria da Cor TI. Elisa Maria Pivetta Teoria da Cor TI Elisa Maria Pivetta A percepção da cor é um processo complexo, resultante da recepção da luz pelo olho e da interpretação desta pelo cérebro. O que de fato determina a cor de um objeto

Leia mais

Considerações gerais sobre arquivos abertos e fechados

Considerações gerais sobre arquivos abertos e fechados Considerações gerais sobre arquivos abertos e fechados Este tutorial tem por finalidade esclarecer algumas dúvidas sobre arquivos abertos e arquivos fechados. Leia e entenda um pouco mais sobre PDF, diferenças

Leia mais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais Esse artigo sobre Formatos de Arquivos Digitais é parte da Tese de Doutoramento do autor apresentada para a obtenção do titulo de Doutor em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da USP. Thales Trigo

Leia mais

Trabalho realizado por: Francisco Cubal, nº11 12ºA

Trabalho realizado por: Francisco Cubal, nº11 12ºA Trabalho realizado por: Francisco Cubal, nº11 12ºA Professor: Miguel candeias Ano lectivo 2010/2011 Índice Bases sobre teoria da cor aplicada aos sistemas digitais Geração e Captura de Imagens Modelos

Leia mais

Fiery Color Server SERVER & CONTROLLER SOLUTIONS. Glossário

Fiery Color Server SERVER & CONTROLLER SOLUTIONS. Glossário Fiery Color Server SERVER & CONTROLLER SOLUTIONS Glossário 2004 Electronics for Imaging, Inc. As informações nesta publicação estão cobertas pelos termos das Avisos de caráter legal deste produto. 45044849

Leia mais

CORES E. Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR

CORES E. Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR CORES E SISTEMAS DE CORES Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR Abr/2014 A Estrutura do Olho Humano O olho humano é praticamente uma esfera com diâmetro médio

Leia mais

Etienne De Crecy Live Transmusicales de Rennes Make My Logo Bigger Cream

Etienne De Crecy Live Transmusicales de Rennes Make My Logo Bigger Cream Etienne De Crecy Live Transmusicales de Rennes Make My Logo Bigger Cream 1 O Maravilhoso Mundo dos Pixels Não adianta fechar um arquivo se você não o criou de forma correta. Não adianta mandar para a gráfica/lab/bureau

Leia mais

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5 A cor e o computador Introdução A formação da imagem num Computador depende de dois factores: do Hardware, componentes físicas que processam a imagem e nos permitem vê-la, e do Software, aplicações que

Leia mais

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

ferramentas da imagem digital

ferramentas da imagem digital ferramentas da imagem digital illustrator X photoshop aplicativo ilustração vetorial aplicativo imagem digital 02. 16 imagem vetorial X imagem de rastreio imagem vetorial traduz a imagem recorrendo a instrumentos

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) 1 Classificação da imagem Em relação à sua origem pode-se classificar uma imagem,

Leia mais

Sistema de Cores. Guillermo Cámara-Chávez

Sistema de Cores. Guillermo Cámara-Chávez Sistema de Cores Guillermo Cámara-Chávez Conceitos Motivação - poderoso descritor de característica que simplifica identificação e extração de objetos da cena; - humanos podem distinguir milhares de tonalidades

Leia mais

Fotografia digital. Aspectos técnicos

Fotografia digital. Aspectos técnicos Fotografia digital Aspectos técnicos Captura CCD (Charge Coupled Device) CMOS (Complementary Metal OxideSemiconductor) Conversão de luz em cargas elétricas Equilíbrio entre abertura do diafragma e velocidade

Leia mais

Cores. Judith Kelner Eduardo Albuquerque Vários colaboradores

Cores. Judith Kelner Eduardo Albuquerque Vários colaboradores Cores Judith Kelner Eduardo Albuquerque Vários colaboradores Abril/2011 Um pouco de História... Homem Primitivo Significado simbólico. Antiguidade Platão (427-347 ac), nos olhos existia um fogo que dava

Leia mais

Nenhum dado é perdido durante o processo de compressão. Preserva todas as informações que permitirão a reconstrução exata da imagem. Reversível.

Nenhum dado é perdido durante o processo de compressão. Preserva todas as informações que permitirão a reconstrução exata da imagem. Reversível. Compressão sem Perda Explora a redundância entre pixels na codificação. Nenhum dado é perdido durante o processo de compressão. Preserva todas as informações que permitirão a reconstrução exata da imagem.

Leia mais

1. Formatos de ficheiros de imagem (mapas de bits)

1. Formatos de ficheiros de imagem (mapas de bits) Geração e captura de imagem 1. Formatos de ficheiros de imagem (mapas de bits) 1.1. Formatos mais comuns Existe a necessidade muitas vezes de transferir uma imagem de um programa para outro, quando um

Leia mais

05/02/2014. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

05/02/2014. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

PHOTOSHOP. Menus. Caixa de Ferramentas:

PHOTOSHOP. Menus. Caixa de Ferramentas: PHOTOSHOP Universidade de Caxias do Sul O Photoshop 5.0 é um programa grande e complexo, é o mais usado e preferido pelos especialistas em editoração e computação gráfica para linha PC. Outros programas

Leia mais

PUBLICIDADE & PROPAGANDA PRODUÇÃO GRÁFICA

PUBLICIDADE & PROPAGANDA PRODUÇÃO GRÁFICA PRODUÇÃO GRÁFICA PUBLICIDADE & PROPAGANDA Prova Semestral --> 50% da nota final. Sistema de avaliação Atividades em laboratório --> 25% da nota final Exercícios de práticos feitos nos Laboratórios de informática.

Leia mais

- Soluções em Geoprocessamento

- Soluções em Geoprocessamento - Soluções em Geoprocessamento Visite nosso site! www.latitude23.com.br Distribuidor autorizado da MicroImages Imagens coloridas de satélites são constituídas por pelo menos 3 rasters de diferentes espectros

Leia mais

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Departamento de Eletrônica e Computação - DELC Introdução à Informática Prof. Cesar Tadeu Pozzer Julho de 2006 Imagens Uma imagem é representada por uma matriz

Leia mais

Imagem digital Tipos de arquivos gráficos

Imagem digital Tipos de arquivos gráficos Tipos de arquivos gráficos! Os mais comuns do tipo raster ". TIF TIFF -Tagged Image File Format -é suportado por todos os aplicativos de edição de imagens. É usado em editoração. # éo maior em tamanho

Leia mais

Alguns métodos utilizados

Alguns métodos utilizados Alguns métodos utilizados TIF Algumas pessoas exportam o trabalho feito no Corel em formato TIF,que é um procedimento comum para impressão em jornais e publicações impressas. Para exportar desta forma

Leia mais

Cores em Computação Gráfica

Cores em Computação Gráfica Cores em Computação Gráfica Uso de cores permite melhorar a legibilidade da informação, possibilita gerar imagens realistas, focar atenção do observador, passar emoções e muito mais. Colorimetria Conjunto

Leia mais

2 Segmentação de imagens e Componentes conexas

2 Segmentação de imagens e Componentes conexas Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) Departamento Acadêmico de Informática (DAINF) Algoritmos II Professor: Alex Kutzke (alexk@dainf.ct.utfpr.edu.br) Especificação do Primeiro Trabalho Prático

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Formatos de Imagens

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Formatos de Imagens IntroduçãoàTecnologiaWeb HTML HyperTextMarkupLanguage XHTML extensiblehypertextmarkuplanguage FormatosdeImagens ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger FormatosdeImagens Índice 1 FORMATOS

Leia mais

Representação de Informação -- Texto -- Representação de Informação. Representação de Caracteres

Representação de Informação -- Texto -- Representação de Informação. Representação de Caracteres Representação de Informação -- Texto -- Sistemas Informáticos I, 2004/2005 (c) Paulo Marques SLIDES 5 Representação de Informação Como é que se representa texto? Como é que se representam imagens? Como

Leia mais

SMCB: METODOLOGIA PARA A QUANTIZAÇÃO DE CORES EM IMAGENS FACIAIS

SMCB: METODOLOGIA PARA A QUANTIZAÇÃO DE CORES EM IMAGENS FACIAIS CMNE/CILAMCE 007 Porto, 13 a 15 de Junho, 007 APMTAC, Portugal 007 SMCB: METODOLOGIA PARA A QUANTIZAÇÃO DE CORES EM IMAGENS FACIAIS Marcelo Zaniboni 1 *, Osvaldo Severino Junior e João Manuel R. S. Tavares

Leia mais

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens Sistemas Multimédia Ano lectivo 2006-2007 Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens Sumário Gráficos e imagens bitmap Tipos de dados para gráficos e imagens Imagens de 1-bit Imagens de gray-level

Leia mais

Guilherme Lima. Designer Gráfico

Guilherme Lima. Designer Gráfico Guilherme Lima Designer Gráfico TEORIA DAS CORES A teoria A Teoria das Cores afirma que a cor é um fenômeno físico relacionado a existência da luz, ou seja, se a luz não existisse, não existiriam cores.

Leia mais

1 Formatos de Imagem

1 Formatos de Imagem 1 Formatos de Imagem 1.1 Introdução O maior número de resultados produzidos por aplicações de Computação Gráfica é constituído por imagens que, ou são transmitidas para um destinatário que as observa à

Leia mais

Multimédia. 3.1. Imagem. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt

Multimédia. 3.1. Imagem. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Multimédia 3.1. Imagem Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Cores O que é a cor? Distribuição espectral do sinal de excitação. Função da reflectância e da iluminação Os nervos da retina humana

Leia mais

MANUAL DA MARCA Julho 2011

MANUAL DA MARCA Julho 2011 MANUAL DA MARCA Julho 2011 INTRODUÇÃO Esta é a nossa marca. É por meio dela que nos relacionamos com colaboradores, fornecedores, parceiros, consumidores e o mercado. O objetivo deste manual é oferecer

Leia mais

Capítulo II Imagem Digital

Capítulo II Imagem Digital Capítulo II Imagem Digital Proc. Sinal e Imagem Mestrado em Informática Médica Miguel Tavares Coimbra Resumo 1. Formação de uma imagem 2. Representação digital de uma imagem 3. Cor 4. Histogramas 5. Ruído

Leia mais

Conceitos do Photoshop. Bitmap image Formatos de arquivos Memória Escalas de cores

Conceitos do Photoshop. Bitmap image Formatos de arquivos Memória Escalas de cores Conceitos do Photoshop Bitmap image Formatos de arquivos Memória Escalas de cores Bitmap Image Conceito de pixel Imagem bitmap x imagem vetorial Pixel x bits Resolução de tela e imagem 72 pixel/inch 300

Leia mais

COR e LUZ. por. João Manuel Brisson Lopes. Departamento de Engenharia Informática. texto elaborado para a disciplina de

COR e LUZ. por. João Manuel Brisson Lopes. Departamento de Engenharia Informática. texto elaborado para a disciplina de COR e LUZ por João Manuel Brisson Lopes Departamento de Engenharia Informática texto elaborado para a disciplina de Computação Gráfica Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores publicado

Leia mais

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Aplicações Informáticas B 12.º Ano de Escolaridade Prova 703/1.ª Fase 10 Páginas Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

Enquadramento e Conceitos Fundamentais

Enquadramento e Conceitos Fundamentais Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica Enquadramento e Conceitos Fundamentais Edward Angel, Cap. 1 Questão 9, exame de 29/06/11 [0.5v] Identifique e descreva os três

Leia mais

WEB DESIGN LAYOUT DE PÁGINA

WEB DESIGN LAYOUT DE PÁGINA LAYOUT DE PÁGINA Parte 3 José Manuel Russo 2005 17 Introdução A Cor é um factor importante em qualquer Web Site não só reforça a identificação de uma Empresa como o ambiente psicológico pretendido (calma,

Leia mais

Universidade de Aveiro Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática. Sistema Visual e Cor

Universidade de Aveiro Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática. Sistema Visual e Cor Universidade de Aveiro Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática Sistema Visual e Cor Visualização de Informação Beatriz Sousa Santos, 2013/2014 Quantas cerejas? (Ware, 2004) Quantas

Leia mais

WEB DESIGN ELEMENTOS GRÁFICOS

WEB DESIGN ELEMENTOS GRÁFICOS ELEMENTOS GRÁFICOS Parte 4 José Manuel Russo 2005 24 A Imagem Bitmap (Raster) As imagens digitais ou Bitmap (Raster image do inglês) são desenhadas por um conjunto de pontos quadrangulares Pixel alinhados

Leia mais

Apresentação do Projeto Gráfico

Apresentação do Projeto Gráfico Arte-final Arquivo feito no computador utilizando softwares específicos que permitem a produção de um fotolito para impressão gráfica. Programas Utilizados para a Produção de Arte-final. Dependendo das

Leia mais

Manual de aplicação do selo comemorativo de 60 anos da Ufes

Manual de aplicação do selo comemorativo de 60 anos da Ufes Manual de aplicação do selo comemorativo de 60 anos da Ufes A marca comemorativa de 60 anos da Ufes, através do símbolo que representa o infinito, baseia-se no conceito de continuidade, de olhar para o

Leia mais

Tipos de cores. Entendendo as cores. Imprimindo. Usando cores. Manuseio de papel. Manutenção. Solucionando problemas. Administração.

Tipos de cores. Entendendo as cores. Imprimindo. Usando cores. Manuseio de papel. Manutenção. Solucionando problemas. Administração. Sua impressora permite que você se comunique em cores. As cores chamam a atenção, indicam respeito e agregam valor ao material ou às informações impressas. O uso de cor aumenta o público leitor e faz com

Leia mais

Cores e Sistemas de Cores

Cores e Sistemas de Cores Capítulo 11 Cores e Sistemas de Cores 11.1 Percepção de Cor A cor é o atributo da percepção visual que pode ser descrito através dos nomes usados para identificar as cores, como branco, cinza, preto, amarelo,

Leia mais

Luz e Cor. Luz. Onda eletro-magnética. Computação Gráfica Interativa - Gattass 2000-03-14. Luz e Cor. f(hertz)

Luz e Cor. Luz. Onda eletro-magnética. Computação Gráfica Interativa - Gattass 2000-03-14. Luz e Cor. f(hertz) Luz Onda eetro-magnética 10 2 10 4 10 6 10 8 10 10 10 12 10 14 10 16 10 18 10 20 rádioam FM,TV Micro-Ondas Utra-Vioeta Infra-Vermeho aiosx f(hertz) 10 6 10 4 10 2 10 10-2 10-4 10-6 10-8 10-10 10-12 λ(m)

Leia mais

Representações de Cores

Representações de Cores Representações de Cores 35T56 Sala 3E1 Bruno Motta de Carvalho DIMAp Sala 15 Ramal 227 1 Introdução 2 Sistemas de representação de cores Facilitam a escolha de cores Descrevem e nomeiam cores Conversão

Leia mais

Manual Processamento de Imagem. João L. Vilaça

Manual Processamento de Imagem. João L. Vilaça Manual Processamento de Imagem João L. Vilaça Versão 1.0 31/1/2014 Índice 1. Sistema de eixo e movimentos possíveis do Drone... 3 2. Imagem... 3 3. Espaços de cor... 4 4.1 RGB... 5 4.2HSV... 5 4.3 GRAY...

Leia mais

GUIA DE DIGITALIZAÇÃO ÓTIMA

GUIA DE DIGITALIZAÇÃO ÓTIMA Condições para obter os melhores resultados de digitalização O processo de digitalização é afetado por fatores ambientais, pela configuração e calibração do digitalizador, bem como pelo objeto a digitalizar.

Leia mais

ETI - Edição e tratamento de imagens digitais

ETI - Edição e tratamento de imagens digitais Curso Técnico em Multimídia ETI - Edição e tratamento de imagens digitais 2 Fundamentos "Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido, na fé e no amor que há em Cristo Jesus." 2 Timóteo 1:13

Leia mais

Cap.5: Cor e Imagem. Engenharia Informática (5385) - 2º ano, 2º semestre

Cap.5: Cor e Imagem. Engenharia Informática (5385) - 2º ano, 2º semestre Cap.5: Cor e Imagem Engenharia Informática (5385) - 2º ano, 2º semestre 1 Sumário Modelos de cor Modelo RGB Modelo CMYK Modelo HSB Modelo de cor indexada Paletas de cor Dithering Correcção gamma Formatos

Leia mais

Formatos de Imagem PNG. Universidade Federal de Minas Gerais. Bruno Xavier da Silva. Guilherme de Castro Leite. Leonel Fonseca Ivo

Formatos de Imagem PNG. Universidade Federal de Minas Gerais. Bruno Xavier da Silva. Guilherme de Castro Leite. Leonel Fonseca Ivo Universidade Federal de Minas Gerais Formatos de Imagem PNG Bruno Xavier da Silva Guilherme de Castro Leite Leonel Fonseca Ivo Matheus Silva Vilela Rafael Avelar Alves Belém Belo Horizonte, 5 de maio de

Leia mais

Av.Julio Assis Cavalheiro, 413 (46) 3524-6658 COM SISTEMA CONTÍNUO DE TINTA 29.000 PAGINAS

Av.Julio Assis Cavalheiro, 413 (46) 3524-6658 COM SISTEMA CONTÍNUO DE TINTA 29.000 PAGINAS COM SISTEMA CONTÍNUO DE TINTA 29.000 PAGINAS Marcelo de Campos (46) 8822-9791 COM SISTEMA CONTÍNUO DE TINTA MUDANDO O CONCEITO DE IMPRESSÃO Impressora officejet 8100w - Tecnologia de impressão: Jato de

Leia mais

Fotografia Digital. Aula 1

Fotografia Digital. Aula 1 Fotografia Digital Aula 1 FOTOGRAFIA DIGITAL Tema da aula: A Fotografia 2 A FOTOGRAFIA A palavra Fotografia vem do grego φως [fós] ("luz"), e γραφις [grafis] ("estilo", "pincel") ou γραφη grafê, e significa

Leia mais

3.1.7. Definição do fundo da página

3.1.7. Definição do fundo da página 3.1.7. Definição do fundo da página 1 Definição do fundo da página A definição do fundo de uma página pode ser feita através da atribuição de uma cor ou de uma imagem Quando é feita através da utilização

Leia mais

Compressão com perdas

Compressão com perdas Compressão com perdas Codificação por transformadas e o padrão JPEG Anderson L Menezes Leonardo G Tampelini Maxiwell S Garcia Introdução Um método é dito com perdas (lossy data) quando a informação obtida

Leia mais

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing Docente (Teóricas): E-mail: vmnf@yahoo.com Web: http://www.vmnf.net/ipam Objectivos As Tabelas: Aula 8 Sumário O Processador de Texto Word

Leia mais

COREL PHOTO-PAINT 10 - ANEXO A

COREL PHOTO-PAINT 10 - ANEXO A COREL PHOTO-PAINT 10 - ANEXO A 24 O Software Gráfico A concepção de imagens em computador implica dois conceitos imagem bitmap e imagem vectorial. Bitmap Bitmap significa Mapa de Bits imagem formada por

Leia mais

Compressão de Imagens

Compressão de Imagens Compressão de Imagens Compressão de Imagens Geradas por Computador (Gráficos) Armazenamento (e transmissão) como um conjunto de instruções (formato de programa) que geram a imagem Utilização de algum esquema

Leia mais

Manual do Intermediário: Módulo 3 Digitalização

Manual do Intermediário: Módulo 3 Digitalização Manual do Intermediário Módulo 3 Digitalização Leonel Morgado Jacinta Vilela Isabel Bastos Abril de 2002 1 Índice geral O que é a digitalização?... 3 Como funciona o scâner... 3 Como digitalizar uma imagem...

Leia mais

Manual de Aplicação da Marca do Inmetro INMETRO

Manual de Aplicação da Marca do Inmetro INMETRO Manual de Aplicação da Marca do Inmetro NOSSA MARCA É A NOSSA CULTURA As melhores marcas resistem ao teste do tempo, não devido aos gastos com propaganda, RP ou às incessantes promoções, mas devido à

Leia mais

Teoria física sobre a luz, a cor e a visão

Teoria física sobre a luz, a cor e a visão Teoria física sobre a luz, a cor e a visão No século XVII, Newton aproveitou um feixe de luz do Sol, que atravessava uma sala escura, fazendo-o incidir sobre um prisma de vidro. Verificou que o feixe se

Leia mais

FUNDAMENTOS SOBRE IMAGENS PARA A WEB

FUNDAMENTOS SOBRE IMAGENS PARA A WEB FUNDAMENTOS SOBRE IMAGENS PARA A WEB Bons web sites necessitam de uma correta integração entre textos e imagens. Este artigo contém o mínimo que você precisa saber sobre imagens para a web. Introdução

Leia mais

Tecnologias Multimédia

Tecnologias Multimédia Universidade da Beira Interior Departamento de Informática Sebenta Tecnologias Multimédia Autor: Manuela Pereira Última actualização: 7 de Janeiro de 2009 Conteúdo 1 Introdução 1 1.1 Multimédia..............................

Leia mais

7 Introdução ao uso do LibreOffice Impress

7 Introdução ao uso do LibreOffice Impress Introdução a Informática - 1º semestre AULA 04 Prof. André Moraes Objetivos desta aula: Criar apresentações básicas com uso do LibreOffice Impress; o Manipular a estrutura de tópicos para a digitação de

Leia mais

FORMATOS DE ARQUIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS NATIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS GENÉRICOS. Produção Gráfica 2 A R Q U I V O S D I G I T A I S -

FORMATOS DE ARQUIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS NATIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS GENÉRICOS. Produção Gráfica 2 A R Q U I V O S D I G I T A I S - Produção Gráfica 2 FORMATOS DE ARQUIVOS A R Q U I V O S D I G I T A I S - FORMATOS DE ARQUIVOS PARA IMAGEM BITMAPEADAS Uma imagem bitmapeada, uma ilustração vetorial ou um texto são armazenados no computador

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual Índice Apresentação Malha Construtiva Área de Proteção Família Tipográ ca Padrões Cromáticos Redução da Marca Fundos Marca D água Marcas Especiais Especi cações Finais 02 Apresentação

Leia mais

Formatos de Compressão de Imagem - Introdução. Introdução

Formatos de Compressão de Imagem - Introdução. Introdução Formatos de Compressão de Imagem - Introdução Introdução A imagem digital é cada vez mais importante no mundo actual. No entanto como as imagens digitais geram ficheiros de grandes dimensões, torna de

Leia mais

Linhas de Orientação de Media. GS1 Portugal. Sync PT Linhas de Orientação de Media 1

Linhas de Orientação de Media. GS1 Portugal. Sync PT Linhas de Orientação de Media 1 Linhas de Orientação de Media GS1 Portugal 1 Índice Introdução... 3 Especificações Gerais de Imagens... 4 Propriedades da imagem... 5 Cor e Qualidade... 5 Clipping Paths... 5 Fundo... 6 Borda... 6 Formato

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof.

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CORES EM COMPUTAÇÃO GRÁFICA O uso de cores permite melhorar

Leia mais

Porque as. cores mudam?

Porque as. cores mudam? Porque as cores mudam? O que são cores? As cores não existem materialmente. Não possuem corpo, peso e etc. As cores correspondem à interpretação que nosso cérebro dá a certo tipo de radiação eletro-magnética

Leia mais

Profa. Dra. Soraia Raupp Musse Thanks to Prof. Dr. Cláudio Rosito Jung

Profa. Dra. Soraia Raupp Musse Thanks to Prof. Dr. Cláudio Rosito Jung Introdução ao Processamento de Imagens Profa. Dra. Soraia Raupp Musse Thanks to Prof. Dr. Cláudio Rosito Jung Introdução Processamento de Imagens: processamento de sinais bidimensionais (ou n-dimensionais).

Leia mais

Aula 1 (02/2015) Imagens mapa de bits / Cor e resolução/ Tipos de formatos

Aula 1 (02/2015) Imagens mapa de bits / Cor e resolução/ Tipos de formatos Aula 1 (02/2015) Imagens mapa de bits / Cor e resolução/ Tipos de formatos Imagens mapa de Bits Definição: As imagens de bitmap, tecnicamente chamadas de imagens de varredura, são descritos por uma grade

Leia mais

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA Editores vetoriais são frequentemente contrastadas com editores de bitmap, e as suas capacidades se complementam. Eles são melhores para leiaute

Leia mais

Processamento de Imagens

Processamento de Imagens Processamento de Imagens Prof. Marcelo Portes de Albuquerque Prof. Márcio Portes de Albuquerque Monitores: Fernanda Dutra Moraes (CBPF) Pedro de Souza Asad (CBPF) IX Escola do CBPF 2012 IX Escola do CBPF

Leia mais

Impressões fotográficas de qualidade para todos: impressoras fotográficas compactas SELPHY ES2 e ES20

Impressões fotográficas de qualidade para todos: impressoras fotográficas compactas SELPHY ES2 e ES20 Impressões fotográficas de qualidade para todos: impressoras fotográficas compactas SELPHY ES2 e ES20 Pode ver e fazer o download destas imagens em www.canon-erc.com/gen Lisboa, 17 de Outubro de 2007 A

Leia mais

Conteúdo 2 - Conceitos básicos de produção gráfica. professor Rafael Hoffmann

Conteúdo 2 - Conceitos básicos de produção gráfica. professor Rafael Hoffmann Conteúdo 2 - Conceitos básicos de produção gráfica professor Rafael Hoffmann Cor Modelos cromáticos - Síntese aditiva/cor-luz Isaac Newton foi o responsável pelo desenvolvimento da teoria das cores. Em

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL SUMÁRIO Usos corretos e incorretos 3 Fundos corretos e incorretos 6 Cores institucionais 8 Tipografias institucionais 11 Arejamento & Redução mínima 14 Aplicações da marca 17

Leia mais

Módulo 3 Amostragem de Imagens Sistema Multimédia Ana Tomé José Vieira

Módulo 3 Amostragem de Imagens Sistema Multimédia Ana Tomé José Vieira Módulo 3 Amostragem de Imagens Sistema Multimédia Ana Tomé José Vieira Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática Universidade de Aveiro 1 Imagens Digitais 2 Sumário O olho Humano Sistemas

Leia mais

RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA. Daniel C. Zanotta 23/03/2015

RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA. Daniel C. Zanotta 23/03/2015 RADIAÇÃO ELETROMAGNÉTICA Daniel C. Zanotta 23/03/2015 O QUE É A REM? A radiação eletromagnética é uma oscilação, em fase, dos campos elétricos e magnéticos. As oscilações dos campos magnéticos e elétricos

Leia mais

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress O pacote BrOffice é um pacote de escritório muito similar ao já conhecido Microsoft Office e ao longo do tempo vem evoluindo e cada vez mais ampliando as possibilidades

Leia mais

Atividade: matrizes e imagens digitais

Atividade: matrizes e imagens digitais Atividade: matrizes e imagens digitais Aluno(a): Turma: Professor(a): Parte 01 MÓDULO: MATRIZES E IMAGENS BINÁRIAS 1 2 3 4 5 6 7 8 Indique, na tabela abaixo, as respostas dos 8 desafios do Jogo dos Índices

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» DESIGN GRÁFICO (Perfil 03) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» DESIGN GRÁFICO (Perfil 03) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» DESIGN GRÁFICO (Perfil 03) «21. Numa determinada cena, um fotógrafo ajusta a velocidade de obturação de sua câmera em 125 e a abertura do diafragma em f=11 (125/11). Se quiser

Leia mais

Mídias Discretas. Dados Multimídia

Mídias Discretas. Dados Multimídia Mídias Discretas Processamento da Informação Digital Dados Multimídia Representar letras, números e caracteres especiais é simples. O problema é representar de forma precisa e econômica sons, imagens,

Leia mais

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA.

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. Imagem digital é a representação de uma imagem bidimensional usando números binários codificados de modo a permitir seu armazenamento, transferência, impressão ou reprodução,

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual Introdução O manual da marca Ligue 180 tem a função de ordenar e padronizar o signo que distingue e diferencia o serviço, compreendendo os padrões e regras de aplicação da marca.

Leia mais

MANUAL NORMAS GRÁFICAS. Não há outro assim

MANUAL NORMAS GRÁFICAS. Não há outro assim MARCA COMERCIAL UM COPO O conjunto de elementos remete para a figura de um copo, pelo simbolismo que acarreta este elemento. Um ícone que deixa claro o sector onde a marca se vai destacar. UM CENÁRIO VINHO+MAR+TERRA+MONTES+GÁS

Leia mais

Oblíqüo superior. Gira o globo para baixo e para longe do nariz. Reto superior Gira o globo para cima. e para perto do nariz

Oblíqüo superior. Gira o globo para baixo e para longe do nariz. Reto superior Gira o globo para cima. e para perto do nariz Reto superior Gira o globo para cima e para perto do nariz Oblíqüo superior. Gira o globo para baixo e para longe do nariz Reto inferior Gira o globo para baixo e para perto do nariz Reto medial Gira o

Leia mais