Sistemas Multimédia. Ano lectivo Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens"

Transcrição

1 Sistemas Multimédia Ano lectivo Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens Sumário Gráficos e imagens bitmap Tipos de dados para gráficos e imagens Imagens de 1-bit Imagens de gray-level de 8 bits Tipos de dados de imagens Imagens de 24 bits a cor Imagens de 8 bits a cor Color Lookup Tables Formatos de ficheiros mais usados (prox. aula) Pesquisa suplementar (prox. aula) para gráficos e imagens 2 1

2 Gráficos e Imagens bitmap Conceito Os gráficos (ou desenhos vectoriais) e as imagens bitmap (ou simplesmente imagens) são tipos de media constituídos por informação visual que é de natureza tipicamente não textual para gráficos e imagens 3 Gráficos e Imagens bitmap Conceito Fazendo a analogia com os documentos tradicionais: os gráficos correspondem a desenhos ou a esquemas imagens correspondem a fotografias para gráficos e imagens 4 2

3 Gráficos e Imagens bitmap Conceito Os gráficos e imagens bitmap são dois tipos de media distintos, apesar de ambos gerarem imagens que podem ser apresentadas no écran ou impressas A distinção fundamental entre estes dois tipos de media reside na forma como a informação, que constitui a imagem resultante, é representada para gráficos e imagens 5 Gráficos e Imagens bitmap Conceito Forma como a informação que constitui a imagem resultante é representada: nas imagens bitmap, a informação visual que constitui a imagem é representada por uma matriz de pixéis para gráficos e imagens 6 3

4 Gráficos e Imagens bitmap Conceito nos gráficos, a informação visual que constitui a imagem é representada sob a forma de equações matemáticas que descrevem uma série de elementos, que podem ser bidimensionais (2D), tais como linhas, rectângulos, ovais, polígonos, curvas e outras formas geométricas, ou tridimensionais (3D), tais como sólidos ou outros volumes. Estes elementos, no seu conjunto, originam a imagem final. para gráficos e imagens 7 Gráficos Conceito Os conteúdos gráficos são corrigíveis, na medida em que a sua representação retém informação estrutural Os gráficos são constituídos por objectos gráficos (as linhas, rectângulos, curvas, ovais e outras formas). Esses objectos podem ser eliminados, adicionados, movidos e modificados individualmente. Além disso esses objectos gráficos possuem atributos, por exemplo, espessura, cor e padrão de preenchimento, que também são corrigíveis, isto é, que também podem ser modificados individualmente. para gráficos e imagens 8 4

5 Gráficos Conceito Desenhos vectoriais, porque na realidade, todos os objectos gráficos contidos num gráfico são descritos por vectores (linha com uma dada direcção e sentido) Ex: RECT 0,0,300,300 Os gráficos podem ser criados utilizando aplicações de edição gráfica bidimensional e tridimensional, tais como o Corel Draw, Aldus Freehand, Adobe Illustrator, Autodesk AutoCAD, Autodesk 3DStudio Os gráficos podem ainda ser gerados directamente por programas de computador para gráficos e imagens 9 Gráficos e Imagens bitmap Conceito Noção de rendering: conceito que diferencia claramente gráficos e imagens O rendering é uma operação que toma dados gráficos e produz dados de imagem O rendering é uma operação gráfica que interpreta as equações matemáticas que descrevem os objectos gráficos e que gera os pixéis da imagem bitmap correspondente para gráficos e imagens 10 5

6 Gráficos e Imagens bitmap Conceito resultado prático A representação gráfica é muito mais compacta (ocupa menos espaço de armazenamento) do que a representação de imagem Um gráfico demora mais tempo a ser apresentado do que uma imagem bitmap, pois o gráfico tem de ser convertido para imagem antes de ser possível apresentá-lo, enquanto que a imagem bitmap pode ser apresentada sem qualquer processamento O realismo de uma imagem bitmap resultante da digitalização de uma fotografia é muito difícil de se atingir por meios gráficos para gráficos e imagens 11 Gráficos e Imagens bitmap Vantagens rep. gráfica vs. rep. bitmap 1. Em síntese, os gráficos são constituídos por linhas e curvas definidas matematicamente Uma vantagem deste tipo de representação gráfica reside na facilidade de manipulação das formas ou objectos desenhados sem perda de informação Representação especialmente indicada para a criação de logotipos, símbolos gráficos, botões para aplicações interactivas e ícones, pois estes requerem uma boa definição das linhas independentemente da sua escala, visto que representam informação cuja compreensão é crítica para gráficos e imagens 12 6

7 Gráficos e Imagens bitmap Vantagens rep. gráfica vs. rep. bitmap 2. A representação gráfica é muito mais compacta (ocupa menos espaço de armazenamento) do que a representação bitmap correspondente para gráficos e imagens 13 Imagens bitmap Conceito Conceptualmente as imagens bitmap são mais simples do que os modelos gráficos As imagens bitmap (images ou pictures) não são conteúdos corrígiveis, pois o modo como se representam (matrizes de pixeis) não contém informação estrutural A representação bitmap não descreve a imagem recorrendo a modelos matemáticos que preservam o significado do conteúdo, mas apenas em termos de cor e brilho dos vários pixéis que constituem a imagem. para gráficos e imagens 14 7

8 Imagens bitmap Conceito As imagens podem ser resultado de um processo de captura do mundo real - imagens capturadas ou podem ser geradas inteiramente por computador - imagens sintetizadas para gráficos e imagens 15 Imagens bitmap Modos de obtenção de imagens digitalizadas a partir do mundo real (imagens capturadas): Captura de páginas impressas por meio de um scanner Captura de imagens por meio de máquinas fotográficas digitais Produção de imagens digitais a partir de fotografias de 35mm obtidas por meio de uma máquina fotográfica convencional Digitalização de imagens filmadas por meio de uma câmara de vídeo analógica, utilizando uma placa de captura de vídeo (conversão A/D) Captura por intermédio de uma câmara de vídeo digital (para disco rígido ou para memória RAM do computador) para gráficos e imagens 16 8

9 Imagens bitmap Todas as imagens digitais provenientes do mundo real resultam de um processo de captura de material impresso, ou de fotogramas (frames) e designam-se por imagens capturadas Por outro lado as imagens podem ser sintetizadas directamente no computador para gráficos e imagens 17 Imagens bitmap Formas de obter imagens sintetizadas directamente no computador: Criação manual de imagens através da utilização de uma aplicação de pintura ou ferramenta de edição de imagem, como por exemplo, Adobe Photoshop, Paint Shop Pro Conversão de um gráfico vectorial numa imagem bitmap por meio de uma operação de rendering Captura de um écran de computador sob a forma de uma imagem bitmap Geração de uma imagem por intermédio de um programa de computador As imagens digitais produzidas inteiramente em computador designam-se por imagens sintetizadas para gráficos e imagens 18 9

10 Imagens bitmap As ferramentas de edição de imagem são aplicações de autoria de imagem que permitem criar e modificar o aspecto dos pixéis que a constituem Os editores de imagem permitem retocar, apagar zonas da imagem e aplicar efeitos de sobreposição, mas não permitem corrigi-la no sentido de modificar o seu conteúdo, pois como já foi referido, os documentos de imagem (bitmaps) não retêm o conteúdo semântico da imagem. para gráficos e imagens 19 Imagens bitmap Por exemplo, se existir uma imagem com o desenho de duas linhas sobrepostas, não é possível seleccionar e eliminar uma das linhas, porque a imagem não representa a informação visual em termos de objectos O editor de imagem apenas possibilita eliminar os pixéis que constituem uma dada linha, mas não o objecto linha. para gráficos e imagens 20 10

11 Tipos de dados para gráficos e imagens O número de formatos de ficheiros utilizados em multimédia continua a proliferar Formatos de ficheiros utilizados no Macromedia Director para gráficos e imagens 21 Tipos de dados para gráficos e imagens Imagens de 1-bit Imagens de gray-level de 8 bits Imagens de 24 bits a cor Imagens de 8 bits a cor para gráficos e imagens 22 11

12 Pixel e Profundidade de cor Pixel Designação que corresponde à aglutinação da expressão picture element (elemento de figura) As imagens digitais representam-se sob a forma de matrizes bidimensionais ou grelhas, de pixéis com cor e intensidade (ou brilho), variáveis que se designam por bitmaps Os pixéis identificam-se por um par de coordenadas O pixel é o elemento mais pequeno de resolução de uma imagem para gráficos e imagens 23 Pixel e Profundidade de cor Profundidade de cor O número de bits utilizado para codificar, ou descrever, um pixel designa-se por profundidade do pixel (pixel depth), profundidade da amplitude (amplitude depth) ou profundidade de cor A profundidade de cor determina quanta informação relativa à cor está contida em cada pixel para gráficos e imagens 24 12

13 Pixel e Profundidade de cor Profundidade de cor A profundidade de cor para imagens a preto e branco é 1 (1 bit permite obter 2 cores diferentes) A profundidade de cor das imagens coloridas varia consoante o número de cores incluídas na imagem aumenta Normalmente, em aplicações multimédia, a profundidade de cor varia entre 2, 4, 8, 12, 16 e 24 bits, resultando em 4, 16, 256, 4096, e cores respectivamente para gráficos e imagens 25 Imagens de 1-bit As imagens consistem de pixéis elementos de figura em imagens digitais Uma imagem de 1-bit consiste exclusivamente de bits on e off e é portanto o tipo mais simples de imagem Cada pixel é armazenado como um único bit (0 ou 1); é também referida como imagem binária para gráficos e imagens 26 13

14 Imagens de 1-bit Uma imagem deste tipo é também designada por imagem monocromática de 1-bit, uma vez que não contém cor A figura seguinte mostra uma imagem monocromática de 1-bit (designada por Lena pelos investigadores em multimédia é uma imagem standard utilizada para ilustrar muitos algoritmos) para gráficos e imagens 27 Imagens de 1-bit Imagem monocromática de 1-bit para gráficos e imagens 28 14

15 Imagens de gray-level de 8-bits Cada pixel tem um gray-value entre 0 e 255. Cada pixel é representado por um único byte; por exemplo, um pixel escuro pode ter um valor de 10, e um claro pode ter um valor de 230. A imagem inteira pode ser encarada como um array bi-dimensional de valores de pixéis (bitmap) Bitmap: Array bi-dimensional de valores de pixéis que representam os dados de um gráfico ou imagem. para gráficos e imagens 29 Imagens de gray-level de 8-bits Resolução de imagem refere o número de pixéis numa imagem digital (resolução mais alta origina sempre melhor qualidade de imagem) uma resolução bastante boa para uma imagem deste tipo pode ser 1600 x 1200, enquanto que uma resolução baixa pode ser 640 x 480 para gráficos e imagens 30 15

16 Imagens de gray-level de 8-bits Frame buffer: hardware utilizado para armazenar o array bitmap Placa de video video card (actualmente uma placa gráfica graphics card ) é utilizada para este fim A resolução da placa de video não tem que ser igual à resolução desejada para a imagem, mas se não houver memória suficiente na placa de video então os dados terão que ser passados para RAM para serem visualizados. para gráficos e imagens 31 Imagens de gray-level de 8-bits Uma imagem de 8 bits pode ser pensada como um conjunto de planos de 1 bit, em que cada plano consiste numa representação de 1-bit da imagem a níveis cada vez mais altos de elevação: um bit é ligado se o pixel da imagem tem um valor diferente de zero que está ao nível desse bit ou a um nível mais alto A figura seguinte ilustra o conceito de planos de 1 bit gráficamente. para gráficos e imagens 32 16

17 Imagens de gray-level de 8-bits Planos de 1-bit para uma imagem grayscale de 8 bits para gráficos e imagens 33 Imagens de gray-level de 8-bits Cada pixel é geralmente armazenado como um byte (um valor entre 0 e 255) Uma imagem grayscale de 640 x 480 requere 300 KB para armazenamento (640 x 480 = bytes) A figura apresenta a imagem Lena novamente, mas desta vez em grayscale para gráficos e imagens 34 17

18 Imagens de gray-level de 8-bits Imagem em grayscale para gráficos e imagens 35 Imagens de gray-level de 8-bits Quando uma imagem é impressa, a estratégia básica de dithering é utilizada, que manipula a intensidade de resolução para resolução espacial, de forma a ser possível imprimir imagens de vários níveis em impressoras de 2 níveis (1-bit) para gráficos e imagens 36 18

19 Dithering Dithering é utilizado para calcular padrões de pontos de forma a que valores entre 0 e 255 correspondam a padrões que são mais preenchidos por valores de pixéis escuros, para impressão numa impressora de 1-bit. para gráficos e imagens 37 Tipos de dados de imagens Os tipos de dados mais comuns para gráficos e formatos de ficheiros de imagens imagens a cor de 24 bits e imagens a cor de 8 bits Alguns formatos estão restringidos a sistemas operativos ou plataformas específicas, enquanto que outros são formatos independentes da plataforma Para casos de formatos que não sejam independentes da plataforma, existem aplicações de conversão que reconhecem e convertem formatos de um sistema para outro. para gráficos e imagens 38 19

20 Tipos de dados de imagens Muitos formatos de imagens incluem alguma variante de uma técnica de compressão devido ao tamanho elevado dos ficheiros de imagem. para gráficos e imagens 39 Imagens a cor de 24 bits Numa imagem a cor de 24 bits, cada pixel é representado por 3 bytes, geralmente representando RGB Este formato suporta 256 x 256 x 256 combinações de cores possíveis ou um total de cores No entanto, esta flexibilidade resulta em grandes necessidades de espaço de armazenamento: uma imagem a cor de 24 bits de 640 x 480 necessita de KB (640 x 480 x 3 = bytes) de espaço sem nenhuma compressão para gráficos e imagens 40 20

21 Imagens a cor de 24 bits Nota: muitas imagens a cor de 24 bits são armazenadas como imagens de 32 bits, com o byte extra de dados para cada pixel utilizado para armazenar um valor alfa para representar informação de efeitos especiais (exemplo: transparência) para gráficos e imagens 41 Imagens a cor de 24 bits A figura seguinte mostra a imagem forestfire.bmp, uma imagem a cor de 24 bits no formato BMP do Microsoft Windows. Também são mostradas as imagens em grayscale para os canais Vermelho, Verde e Azul em separado para a mesma imagem. Tomando os valores de bytes em cada canal de cor para representar a intensidade, pode ser mostrada uma imagem em grayscale para cada cor separadamente. para gráficos e imagens 42 21

22 Imagens a cor de 24 bits Imagem a cor em alta resolução e imagens separadas relativas aos canais de cor R, G, B para gráficos e imagens 43 Imagens a cor de 8 bits Se o espaço ocupado for uma questão a ponderar, podem ser obtidas imagens a cor de qualidade razoável, quantitizando a informação de cor e condensando-a. Muitos sistemas podem utilizar só 8 bits de informação de cor (as designadas 256 cores ) na produção de uma imagem no écran. para gráficos e imagens 44 22

23 Imagens a cor de 8 bits Estes ficheiros de imagem utilizam o conceito de lookup table para armazenar a informação de cor Basicamente, a imagem armazena não a cor, mas em vez disso só um conjunto de valores de códigos (um código por pixel); cada código é um índice para uma tabela com valores de 3 bytes que especificam a cor para um pixel com aquele índice da lookup table A figura seguinte apresenta um histograma em 3D dos valores RGB dos pixéis em forestfire.bmp para gráficos e imagens 45 Imagens a cor de 8 bits Histograma em 3D das cores RGB em forestfire.bmp para gráficos e imagens 46 23

24 Imagens a cor de 8 bits A figura apresenta a imagem de 8 bits resultante em formato GIF: Exemplo de uma imagem a cor de 8 bits para gráficos e imagens 47 Imagens a cor de 8 bits É de realçar a grande poupança em espaço de armazenamento para imagens de 8 bits em relação às imagens de 24 bits: Uma imagem a cor de 8 bits 640x480 só necessita de 300 KB comparados com os 921,6 KB necessários para a mesma imagem a cor de 24 bits para gráficos e imagens 48 24

25 Imagens a cor de 8 bits A utilização de imagens de 8 bits ou de 24 bits pode não ser sempre indiferente (espaço armazenamento vs. precisão da imagem) Campo da Medicina: visualização de orgãos humanos para cirurgias a laser Utilização de imagens de 64 bits para gráficos e imagens 49 Color Look-up Tables (LUTs) A ideia subjacente às imagens a cor de 8 bits é armazenar só o índice ou valor de código, para cada pixel. Por exemplo, se um pixel armazena o valor 25, o significado será ir à linha 25 numa color look-up table (LUT) Uma LUT é também designada por palette de cores para gráficos e imagens 50 25

26 Color Look-up Tables (LUTs) Color LUT para imagens a cor de 8 bits para gráficos e imagens 51 Color Look-up Tables (LUTs) Um color-picker consiste num array de grandes blocos de cor (ou uma gama semi-contínua de cores) de tal forma que mediante um clique do rato a cor indicada pode ser selecionada para gráficos e imagens 52 26

27 Color Look-up Tables (LUTs) Na realidade, um color picker apresenta as cores da palette com valores de índices associados de 0 a 255 A figura apresenta o conceito de um color-picker : se o utilizador selecciona o bloco de cor com valor de índice 2, então a cor produzida é o cyan com valores de RGB (0,255,255) para gráficos e imagens 53 Color Look-up Tables (LUTs) Color-picker para cor a 8 bits: cada bloco do color picker corresponde a uma linha da color LUT para gráficos e imagens 54 27

28 Próxima aula Representações de dados para gráficos e imagens Formatos de ficheiros mais usados para gráficos e imagens 55 28

Imagem digital. Unidade 3

Imagem digital. Unidade 3 Imagem digital Unidade 3 Objectivos Reconhecer o potencial comunicativo/ expressivo das imagens; Reconhecer as potencialidades narrativas de uma imagem; A criação de sentido nas associações de imagens

Leia mais

Utilização do Sistema Multimédia. 2. Formatos de ficheiros 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens. 2. Formatos de ficheiros

Utilização do Sistema Multimédia. 2. Formatos de ficheiros 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens. 2. Formatos de ficheiros Utilização do Sistema Multimédia 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens 2.1. Compressão Formatos com e sem compressão Técnicas de compressão (reduzem tamanho) de 2 tipos: Compressão

Leia mais

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5 A cor e o computador Introdução A formação da imagem num Computador depende de dois factores: do Hardware, componentes físicas que processam a imagem e nos permitem vê-la, e do Software, aplicações que

Leia mais

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Conteúdo s: Aspetos genéricos sobre o trabalho com imagens computacionais. Imagens computacionais e programas que criam ou manipulam esse tipo de imagens.

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) 1 Classificação da imagem Em relação à sua origem pode-se classificar uma imagem,

Leia mais

Guia de Estudo Criação de Apresentações Microsoft PowerPoint

Guia de Estudo Criação de Apresentações Microsoft PowerPoint Tecnologias da Informação e Comunicação Guia de Estudo Criação de Apresentações Microsoft PowerPoint Aspectos genéricos sobre o trabalho com imagens computacionais Imagens computacionais e programas que

Leia mais

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.1. Imagem. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.1. Imagem. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Sistemas e Conteúdos Multimédia 4.1. Imagem Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Cores O que é a cor? Distribuição espectral do sinal de excitação. Função da reflectância e da iluminação

Leia mais

Introdução à Multimédia conceitos

Introdução à Multimédia conceitos 1. Introdução à Multimédia conceitos Popularidade mercado potencial aparece nos anos 90 Avanços Tecnológicos que motivaram o aparecimento/ desenvolvimento da MULTIMÉDIA Indústrias envolvidas - Sistemas

Leia mais

ferramentas da imagem digital

ferramentas da imagem digital ferramentas da imagem digital illustrator X photoshop aplicativo ilustração vetorial aplicativo imagem digital 02. 16 imagem vetorial X imagem de rastreio imagem vetorial traduz a imagem recorrendo a instrumentos

Leia mais

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Departamento de Eletrônica e Computação - DELC Introdução à Informática Prof. Cesar Tadeu Pozzer Julho de 2006 Imagens Uma imagem é representada por uma matriz

Leia mais

Aula 2 Aquisição de Imagens

Aula 2 Aquisição de Imagens Processamento Digital de Imagens Aula 2 Aquisição de Imagens Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira mvieira@sc.usp.br EESC/USP Fundamentos de Imagens Digitais Ocorre a formação de uma imagem quando

Leia mais

TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP

TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP Docente: Bruno Duarte Fev 2010 O que é uma imagem digital? Uma imagem diz-se digital quando existe um ficheiro em computador que guarda a informação gráfica desta

Leia mais

Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica

Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica Professora Andréia Freitas 2012 7 semestre Aula 02 (1)AZEVEDO, Eduardo. Computação Gráfica, Rio de Janeiro: Campus, 2005 (*0) (2) MENEZES, Marco Antonio

Leia mais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais Esse artigo sobre Formatos de Arquivos Digitais é parte da Tese de Doutoramento do autor apresentada para a obtenção do titulo de Doutor em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da USP. Thales Trigo

Leia mais

Representação de Imagens

Representação de Imagens Representação de Imagens Primitivas Gráficas As primitivas gráficas são os elementos básicos que formam um desenho. Exemplos: Ponto, segmento, polilinha, polígono, arco de elipse, etc. Primitivas já definidas

Leia mais

Oficina de Multimédia B. ESEQ 12º i 2009/2010

Oficina de Multimédia B. ESEQ 12º i 2009/2010 Oficina de Multimédia B ESEQ 12º i 2009/2010 Conceitos gerais Multimédia Hipertexto Hipermédia Texto Tipografia Vídeo Áudio Animação Interface Interacção Multimédia: É uma tecnologia digital de comunicação,

Leia mais

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA Editores vetoriais são frequentemente contrastadas com editores de bitmap, e as suas capacidades se complementam. Eles são melhores para leiaute

Leia mais

Escola Secundária da Trofa Aplicações Informáticas A 11º Ano Curso Tecnológico de Informática T E S T E T I P O

Escola Secundária da Trofa Aplicações Informáticas A 11º Ano Curso Tecnológico de Informática T E S T E T I P O Grupo I (Utilização de Sistemas Multimédia) 1. Indique os atributos elementares das imagens 2. Complete as seguintes afirmações de forma a torná-las verdadeiras: a. A resolução de uma imagem digital é

Leia mais

WEB DESIGN ELEMENTOS GRÁFICOS

WEB DESIGN ELEMENTOS GRÁFICOS ELEMENTOS GRÁFICOS Parte 4 José Manuel Russo 2005 24 A Imagem Bitmap (Raster) As imagens digitais ou Bitmap (Raster image do inglês) são desenhadas por um conjunto de pontos quadrangulares Pixel alinhados

Leia mais

Informática Aplicada a Radiologia

Informática Aplicada a Radiologia Informática Aplicada a Radiologia Apostila: Imagem Digital parte I Prof. Rubens Freire Rosa Imagem na forma digital A representação de Imagens na forma digital nos permite capturar, armazenar e processar

Leia mais

Trabalho Prático n. 2

Trabalho Prático n. 2 Trabalho Prático n. 2 Programação com Quadtrees Métodos de Programação I 2003/04 Preâmbulo Este trabalho prático é constituído por duas secções. A primeira contém questões obrigatórias, e a segunda questões

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS

COMPUTAÇÃO GRÁFICA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS COMPUTAÇÃO GRÁFICA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA ARQUITETURA GRÁFICA Frame-buffer

Leia mais

Fotografia digital. Aspectos técnicos

Fotografia digital. Aspectos técnicos Fotografia digital Aspectos técnicos Captura CCD (Charge Coupled Device) CMOS (Complementary Metal OxideSemiconductor) Conversão de luz em cargas elétricas Equilíbrio entre abertura do diafragma e velocidade

Leia mais

Curso de Adobe Illustrator CS4

Curso de Adobe Illustrator CS4 Curso de Adobe Illustrator CS4 Apresentação do Programa O Adobe Illustrator CS4 é um programa de desenho e ilustração vectorial, que coloca à disposição dos profissionais poderosas ferramentas para a concepção

Leia mais

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 11 Conceitos básicos de Audio Digital. MIDI: Musical Instrument Digital Interface

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 11 Conceitos básicos de Audio Digital. MIDI: Musical Instrument Digital Interface Sistemas Multimédia Ano lectivo 2006-2007 Aula 11 Conceitos básicos de Audio Digital Sumário Aúdio digital Digitalização de som O que é o som? Digitalização Teorema de Nyquist MIDI: Musical Instrument

Leia mais

1. Formatos de ficheiros de imagem (mapas de bits)

1. Formatos de ficheiros de imagem (mapas de bits) Geração e captura de imagem 1. Formatos de ficheiros de imagem (mapas de bits) 1.1. Formatos mais comuns Existe a necessidade muitas vezes de transferir uma imagem de um programa para outro, quando um

Leia mais

Fotografia Digital. Aula 1

Fotografia Digital. Aula 1 Fotografia Digital Aula 1 FOTOGRAFIA DIGITAL Tema da aula: A Fotografia 2 A FOTOGRAFIA A palavra Fotografia vem do grego φως [fós] ("luz"), e γραφις [grafis] ("estilo", "pincel") ou γραφη grafê, e significa

Leia mais

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica A natureza da imagem fotográfica PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital - 1 Antes do desenvolvimento das câmeras digitais, tínhamos a fotografia convencional, registrada em papel ou filme, através de um processo

Leia mais

Tamanho e resolução da imagem

Tamanho e resolução da imagem Tamanho e resolução da imagem Para se produzir imagens de alta qualidade, é importante compreender como é que os dados dos pixels da imagem são medidos e mostrados. Dimensões dos pixels O número de pixels

Leia mais

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Disciplina:FERRAMENTAS E TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO WEB. Professora Andréia Freitas

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Disciplina:FERRAMENTAS E TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO WEB. Professora Andréia Freitas TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Disciplina:FERRAMENTAS E TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO WEB Professora Andréia Freitas 2012 3 semestre Aula 03 MEMORIA, F. Design para a Internet. 1ª Edição. Rio de Janeiro:

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO

COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA RESOLUÇÃO Associada à quantidade e a qualidade de

Leia mais

Computadores e Informação Digital

Computadores e Informação Digital Computadores e Informação Digital Sérgio Nunes Comunicações Digitais e Internet Ciências da Comunicação, U.Porto 2011/12 Computadores Computador O que é um computador? Um computador é uma máquina programável,

Leia mais

Ano letivo 2014/2015. Planificação Anual. Disciplina: APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B - Ano: 12º

Ano letivo 2014/2015. Planificação Anual. Disciplina: APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B - Ano: 12º Código 401470 Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico Dr. Joaquim de Carvalho DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO CENTRO Ano letivo 2014/2015 Planificação Anual Disciplina: APLICAÇÕES INFORMÁTICAS

Leia mais

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16 Informática Prof. Macêdo Firmino Representação da Informação Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16 Introdução Estamos acostumados a pensar nos computadores como mecanismos complexos,

Leia mais

11/06/2013. O que é Software Aplicativo? Suítes de Software. Adquirindo Software SOFTWARES APLICATIVOS

11/06/2013. O que é Software Aplicativo? Suítes de Software. Adquirindo Software SOFTWARES APLICATIVOS 2 O que é Software Aplicativo? SOFTWARES APLICATIVOS Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Software que realiza tarefa útil específica Suítes de aplicativos Softwares empresariais Softwares

Leia mais

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

Protótipo tipo de um Ambiente para Processamento de Imagens Raster 2D

Protótipo tipo de um Ambiente para Processamento de Imagens Raster 2D Protótipo tipo de um Ambiente para Processamento de Imagens Raster 2D Adriana Fornazari Prof. Dalton Solano dos Reis Orientador Roteiro Introdução Ambientes de processamento de imagens Arquivos gráficos

Leia mais

PHOTOSHOP. Menus. Caixa de Ferramentas:

PHOTOSHOP. Menus. Caixa de Ferramentas: PHOTOSHOP Universidade de Caxias do Sul O Photoshop 5.0 é um programa grande e complexo, é o mais usado e preferido pelos especialistas em editoração e computação gráfica para linha PC. Outros programas

Leia mais

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA.

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. Imagem digital é a representação de uma imagem bidimensional usando números binários codificados de modo a permitir seu armazenamento, transferência, impressão ou reprodução,

Leia mais

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress O pacote BrOffice é um pacote de escritório muito similar ao já conhecido Microsoft Office e ao longo do tempo vem evoluindo e cada vez mais ampliando as possibilidades

Leia mais

Apresentação do Projeto Gráfico

Apresentação do Projeto Gráfico Arte-final Arquivo feito no computador utilizando softwares específicos que permitem a produção de um fotolito para impressão gráfica. Programas Utilizados para a Produção de Arte-final. Dependendo das

Leia mais

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice Aula 1... 3 Apresentação do Photoshop... 3 Barra de Menus... 3 Barra de Opções... 3 Barra de Ferramentas...4

Leia mais

Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Configuração do computador com o sistema operativo de interface gráfico O Windows permite configurar o computador de várias maneiras, quer através do Painel de controlo

Leia mais

Linhas de Orientação de Media. GS1 Portugal. Sync PT Linhas de Orientação de Media 1

Linhas de Orientação de Media. GS1 Portugal. Sync PT Linhas de Orientação de Media 1 Linhas de Orientação de Media GS1 Portugal 1 Índice Introdução... 3 Especificações Gerais de Imagens... 4 Propriedades da imagem... 5 Cor e Qualidade... 5 Clipping Paths... 5 Fundo... 6 Borda... 6 Formato

Leia mais

Multimídia. Hardware/Software para Multimídia (Parte I) Sistemas Multimídia. Tópico. Hardware e Software para Multimídia

Multimídia. Hardware/Software para Multimídia (Parte I) Sistemas Multimídia. Tópico. Hardware e Software para Multimídia Multimídia Hardware/Software para Multimídia (Parte I) Sistemas Multimídia Tópico Hardware e Hardware para Multimídia Com a popularização dos sistemas multimídia foi criado o padrão MPC (PC Multimídia)

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar o funcionamento do computador Apresentar a função da memória e dos dispositivos

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Arquitectura e Artes Licenciatura Design Unidade Curricular INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DIGITAIS Semestre: 1 Nº ECTS: 3,0 Regente Sandra de Magalhães Campos, Arq.

Leia mais

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão 1 Diferenças entre o CCD e o Filme: O filme como já vimos, é uma película de poliéster, coberta em um dos lados por uma gelatina de origem animal com partículas

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. 1 Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome PROVA DE CONHECIMENTOS

Leia mais

Atividade: matrizes e imagens digitais

Atividade: matrizes e imagens digitais Atividade: matrizes e imagens digitais Aluno(a): Turma: Professor(a): Parte 01 MÓDULO: MATRIZES E IMAGENS BINÁRIAS 1 2 3 4 5 6 7 8 Indique, na tabela abaixo, as respostas dos 8 desafios do Jogo dos Índices

Leia mais

IMAGEM. Ana Cândida Marques Monteiro. IPG, Instituto Politécnico da Guarda Escola Superior de Tecnologia e Gestão. Sumário

IMAGEM. Ana Cândida Marques Monteiro. IPG, Instituto Politécnico da Guarda Escola Superior de Tecnologia e Gestão. Sumário IMAGEM Ana Cândida Marques Monteiro IPG, Instituto Politécnico da Guarda Escola Superior de Tecnologia e Gestão Sumário Neste documento apresentam-se alguns conceitos relacionados com imagem, para a cadeira

Leia mais

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES 2010/2011 1 Equipamentos informáticos Hardware e Software Hardware refere-se aos dispositivos físicos (electrónicos, mecânicos e electromecânicos) que constituem

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS

SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS André Zuconelli 1 ; Manassés Ribeiro 2 1. Aluno do Curso Técnico em Informática, turma 2010, Instituto Federal Catarinense, Câmpus Videira, andre_zuconelli@hotmail.com

Leia mais

Curso Especializado Design Gráfico

Curso Especializado Design Gráfico Curso Especializado Design Gráfico 87 horas Descrição: Este pacote de formação é composto pelos programas essenciais e indispensáveis a todos os Designers Gráficos que pretendam compreender os processos

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 703/7 Págs. Duração da prova: 120 minutos 2007 1.ª FASE PROVA PRÁTICA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS

Leia mais

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007 Sistemas Multimédia Ano lectivo 2006-2007 Aula 5 Authoring de Multimédia e Ferramentas Sumário Authoring de Multimédia Noção de Authoring de Multimédia Espectro de interactividade Ferramentas de Authoring

Leia mais

Construção Páginas de Internet

Construção Páginas de Internet Construção Páginas de Internet Introdução ao Microsoft FrontPage Objectivos da sessão: No final da sessão os formandos deverão ser capazes de: 1 Conceito de Multimédia Em Informática, reporta-se a Sistemas

Leia mais

FORMATOS DE ARQUIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS NATIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS GENÉRICOS. Produção Gráfica 2 A R Q U I V O S D I G I T A I S -

FORMATOS DE ARQUIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS NATIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS GENÉRICOS. Produção Gráfica 2 A R Q U I V O S D I G I T A I S - Produção Gráfica 2 FORMATOS DE ARQUIVOS A R Q U I V O S D I G I T A I S - FORMATOS DE ARQUIVOS PARA IMAGEM BITMAPEADAS Uma imagem bitmapeada, uma ilustração vetorial ou um texto são armazenados no computador

Leia mais

Mídias Discretas. Dados Multimídia

Mídias Discretas. Dados Multimídia Mídias Discretas Processamento da Informação Digital Dados Multimídia Representar letras, números e caracteres especiais é simples. O problema é representar de forma precisa e econômica sons, imagens,

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO

COMPUTAÇÃO GRÁFICA #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO COMPUTAÇÃO GRÁFICA #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO Que é Computação Gráfica Quais as Áreas da Computação Gráfica Dimensões 2D e 3D Primitivas Gráficas Imagem Matricial e Imagem Vetorial Rasterização

Leia mais

1. Introdução ao Multimédia

1. Introdução ao Multimédia Multimédia 1. Introdução ao Multimédia Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt O que é? Multi vem do latim multus e significa numeroso ou múltiplo. Media é o plural da palavra latina medium

Leia mais

Câmera Digital. Autor: Darllene Negri Nicioli

Câmera Digital. Autor: Darllene Negri Nicioli Câmera Digital Autor: Darllene Negri Nicioli 2 OBJETIVO Têm como objetivo este trabalho mostrar o princípio de funcionamento geral de uma câmera digital até as vantagens e desvantagens do produto final,

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Processamento de Imagem Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Visão Computacional Não existe um consenso entre os autores sobre o correto escopo do processamento de imagens, a

Leia mais

a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. Dezembro de 2009

a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. Dezembro de 2009 16 a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. 17 Marca Dinâmica e evolutiva, a marca Bematech é formada pelo símbolo e logotipo. Suas elipses simbolizam a essência de uma empresa empreendedora.

Leia mais

CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN

CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN Com o Corel você vai trabalhar com um dos aplicativos mais usados no campo do design e da auto-edição, já que permite operar com dois tipos de gráficos (vetoriais

Leia mais

Estão corretas: (A) I, II e IV (B) II e III (C) II e IV (D) III e V (E) I, III e V

Estão corretas: (A) I, II e IV (B) II e III (C) II e IV (D) III e V (E) I, III e V FUNDAÇÃO VISCONDE DE CAIRU FACULDADE VISCONDE DE CAIRU CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF.: AFONSO CELSO M. MADEIRA DISCIPLINA: COMPUTAÇÃO GRÁFICA (TACOG) 4º SEMESTRE GABARITO Segundo a

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca

Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca Exame a Nível de Escola Ao abrigo do Decreto-Lei n.º 357/2007, de 29 de Outubro Prova Escrita Aplicações Informáticas B 11º Ano Curso Científico-Humanistícos

Leia mais

Formatos Imagem. Apontamentos CG + Edward Angel, Sec. 8.2. Instituto Superior Técnico Computação Gráfica 2009/2010

Formatos Imagem. Apontamentos CG + Edward Angel, Sec. 8.2. Instituto Superior Técnico Computação Gráfica 2009/2010 Formatos Imagem Apontamentos CG + Edward Angel, Sec. 8.2 Instituto Superior Técnico Computação Gráfica 2009/2010 1 Na última aula Ray-Tracing Ferramentas Utilizadas: POV-Ray 3.6 (modelling, texturing,

Leia mais

Representação Binária de Dados

Representação Binária de Dados Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Departamento de Eletrônica e Computação - DELC Introdução à Informática Prof. Cesar Tadeu Pozzer Janeiro de 2006 Representação Binária de Dados O computador utiliza

Leia mais

Organização de Computadores

Organização de Computadores Organização de Computadores Registro aqui o agradecimento ao professor Osvaldo (DCC-UFMG) e a vários professores do DECOM (Marcelo, Sabir, José Maria, Andrea, David) por ceder material que foi usado na

Leia mais

Conceitos do Photoshop. Bitmap image Formatos de arquivos Memória Escalas de cores

Conceitos do Photoshop. Bitmap image Formatos de arquivos Memória Escalas de cores Conceitos do Photoshop Bitmap image Formatos de arquivos Memória Escalas de cores Bitmap Image Conceito de pixel Imagem bitmap x imagem vetorial Pixel x bits Resolução de tela e imagem 72 pixel/inch 300

Leia mais

Fig. 0.1 Ícone da Adobe Creative Cloud

Fig. 0.1 Ícone da Adobe Creative Cloud 0 Introdução à Adobe Creative Cloud Este capítulo introdutório tem como principal objetivo dar as conhecer aos leitores todas as potencialidades da Adobe Creative Cloud no que diz respeito às diferentes

Leia mais

Técnicas de Cartografia Digital

Técnicas de Cartografia Digital Técnicas de Cartografia Digital Maria Cecília Bonato Brandalize 2011 Aula 8 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens Como são representados

Leia mais

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS Executar as principais técnicas utilizadas em processamento de imagens, como contraste, leitura de pixels, transformação IHS, operações aritméticas

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Novembro de 2003

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Novembro de 2003 FICHEIROS COM EXEMPLOS Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para conhecer os endereços de Internet de onde poderá fazer o download dos ficheiros com os exemplos deste livro. * O leitor consente,

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL Representação da imagem Uma imagem é uma função de intensidade luminosa bidimensional f(x,y) que combina uma fonte de iluminação e a reflexão ou absorção de energia a partir

Leia mais

Planificação Anual 2015/2016

Planificação Anual 2015/2016 Planificação Anual 015/01 CURSO: PROFISSIONAL TÉCNICO DE MULTIMÉDIA DISCIPLINA: TÉCNICAS DE MULTIMÉDIA (TM) ANO: 10.º TURMA: I 1º Período º Período 3º Período Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun 3ª

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B PLANIFICAÇÕES SECUNDÁRIO PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B 12º ANO DE ESCOLARIDADE CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Introdução à Programação Introdução Linguagens naturais e formais Algoritmos

Leia mais

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Fundamentos da fotografia digital: Câmeras digitais CCD e CMOS Resolução Armazenamento Softwares para edição e manipulação de imagens digitais: Photoshop e Lightroom

Leia mais

Configuração do Ambiente de Trabalho

Configuração do Ambiente de Trabalho pag. 1 Configuração do Ambiente de Trabalho 1. Utilização da Área de Trabalho Criação de Atalhos: O Windows NT apresenta um Ambiente de Trabalho flexível, adaptável às necessidades e preferências do utilizador.

Leia mais

Padrões e Tipos de Dados de Mídia. Imagem

Padrões e Tipos de Dados de Mídia. Imagem Padrões e Tipos de Dados de Mídia. Imagem CONFERENCIA 3 Ing. Yamila Díaz Suárez Revisão de tarefa Realizar um resumo sobre a gestão eletrónica de documentos. Pesquisar quais ferramentas existem. Contéudo

Leia mais

Imagem digital 2. Resolução x dimensão da imagem

Imagem digital 2. Resolução x dimensão da imagem Uma imagem bitmapeada é formada por um conjunto de pixels. gerados no momento da digitalização da imagem (através do scanner ou câmera digital). PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital 2 Resolução x dimensão

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Formatos de Imagens

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Formatos de Imagens IntroduçãoàTecnologiaWeb HTML HyperTextMarkupLanguage XHTML extensiblehypertextmarkuplanguage FormatosdeImagens ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger FormatosdeImagens Índice 1 FORMATOS

Leia mais

Capítulo II Imagem Digital

Capítulo II Imagem Digital Capítulo II Imagem Digital Proc. Sinal e Imagem Mestrado em Informática Médica Miguel Tavares Coimbra Resumo 1. Formação de uma imagem 2. Representação digital de uma imagem 3. Cor 4. Histogramas 5. Ruído

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3) Introdução A possibilidade de utilizarmos imagens, gráficos, desenhos e textos artísticos

Leia mais

Representação de Informação -- Texto -- Representação de Informação. Representação de Caracteres

Representação de Informação -- Texto -- Representação de Informação. Representação de Caracteres Representação de Informação -- Texto -- Sistemas Informáticos I, 2004/2005 (c) Paulo Marques SLIDES 5 Representação de Informação Como é que se representa texto? Como é que se representam imagens? Como

Leia mais

Visualização de um vídeo = movimento sequencial de um conjunto de imagens (fotogramas ou frames)

Visualização de um vídeo = movimento sequencial de um conjunto de imagens (fotogramas ou frames) 6.2. Compressão 6.3. Software Visualização de um vídeo = movimento sequencial de um conjunto de imagens (fotogramas ou frames) FRAME RATE = nº de frames por segundo (fps) Os valores mais utilizados pelas

Leia mais

Fundamentos de Imagens Digitais. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens

Fundamentos de Imagens Digitais. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens Fundamentos de Imagens Digitais Aquisição e Serão apresentadas as principais características de uma imagem digital: imagem do ponto de vista matemático processo de aquisição e digitalização de uma imagem

Leia mais

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 20

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 20 Sumário: Os subsistemas vídeo. A RAM vídeo. Aula Teórica 20 Leitura Recomendada: Capítulo 37 - Hans-Peter Messmer, The Indispensable PC Hardware Book, Addison-Wesley. Capítulos 4 e 11 - Peter Norton, Peter

Leia mais

Computador. Algumas definições

Computador. Algumas definições Algumas definições Os computadores são ferramentas que nos permitem fazer cálculos rápida e comodamente (1982). Calculador electrónico usado na investigação espacial e actualmente já noutros campos da

Leia mais

Adobe FreeHand. Imagem Bitmap:

Adobe FreeHand. Imagem Bitmap: Imagem Bitmap: As imagens bitmap (mapa de bits), são tal como o nome indica, uma colecção de bits que formam uma imagem. A imagem consiste numa matriz de pontos individuais (ou píxeis) em que cada um tem

Leia mais

Manipulação Digital de Imagens Recursos Básicos de Tratamento

Manipulação Digital de Imagens Recursos Básicos de Tratamento Manipulação Digital de Imagens Recursos Básicos de Tratamento 1 Antes de mais nada, é extremamente necessário lembrar que para tratar uma imagem é necessário que o monitor de seu computador esteja calibrado

Leia mais

GeoMafra SIG Municipal

GeoMafra SIG Municipal GeoMafra SIG Municipal Nova versão do site GeoMafra Toda a informação municipal... à distância de um clique! O projecto GeoMafra constitui uma ferramenta de trabalho que visa melhorar e homogeneizar a

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É?

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA SUMÁRIO O que é COMPUTAÇÃO GRÁFICA Áreas relacionadas

Leia mais

Microsoft PowerPoint 2003

Microsoft PowerPoint 2003 Página 1 de 36 Índice Conteúdo Nº de página Introdução 3 Área de Trabalho 5 Criando uma nova apresentação 7 Guardar Apresentação 8 Inserir Diapositivos 10 Fechar Apresentação 12 Abrindo Documentos 13 Configurar

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Cloud canvas

Leia mais

Os desenhos. Representação de desenhos

Os desenhos. Representação de desenhos Os desenhos 1 Os desenhos Tópicos: Representação de desenhos Edição gráfica bidimensional Representação de desenhos Formatos de desenhos: imagens Arranjos de pixels. Digitalização da imagem por papel,

Leia mais

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 3 - MANUAL DO UTILIZADOR Diogo Mateus 3.1. REQUISITOS MÍNIMOS * Computador Pessoal com os seguintes Programas * Microsoft Windows 95 * Microsoft Access 97 A InfoMusa

Leia mais

Processamento de Imagem. Representação, Armazenamento e Formato de imagens Professora Sheila Cáceres

Processamento de Imagem. Representação, Armazenamento e Formato de imagens Professora Sheila Cáceres Processamento de Imagem Representação, Armazenamento e Formato de imagens Professora Sheila Cáceres Representação e armazenamento de imagens Process. de Imagem - Prof. Sheila Cáceres 2 Representação Matricial

Leia mais

Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída

Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída Classificação dos dispositivos (ou periféricos) ricos) Entrada Teclado Rato, touchpad, pointing device, track ball Scanner Câmaras digitais (fotográficas

Leia mais