Guia de Estudo Criação de Apresentações Microsoft PowerPoint

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia de Estudo Criação de Apresentações Microsoft PowerPoint"

Transcrição

1 Tecnologias da Informação e Comunicação Guia de Estudo Criação de Apresentações Microsoft PowerPoint Aspectos genéricos sobre o trabalho com imagens computacionais Imagens computacionais e programas que criam ou manipulam imagens PRINCIPAIS TIPOS DE IMAGENS COMPUTACIONAIS BITMAP Tratada e armazenada como mapa de bits (ou matriz de pontos) que, depois de lidos pelo processador, permitem reconstruir a imagem ponto por ponto, (pixel por pixel) no ecrã do computador. VECTORIAL uma imagem vectorial é baseada num conjunto de instruções de desenho que a descrevem; a sua reconstituição no ecrã do computador não se processa ponto por ponto, mas de acordo com um conjunto de instruções que a definem. Consiste numa lista de descrição Display List que contém a informação sobre todos os objectos que compõem a imagem. A aplicação gráfica que lê um ficheiro deste tipo, tem de ser capaz de interpretar a lista descritiva dos objectos que constituem a imagem e converte-la para um correspondente mapa de bits a apresentar no ecrã Viewing Transform. Nota: A única forma de apresentar uma imagem em ecrã é num mapa de bits. As imagens codificadas por formas ou modelos matemáticos são mais flexíveis quanto à sua manipulação. Podem ser redimensionadas e alteradas sem perder outras características presentes na sua versão original. Programas de desenho por computador PROGRAMAS AUXILIARES DE DESENHO: Ilustração. PROGRAMAS DE DESENHO ASSISTIDO POR COMPUTADOR: Desenho Técnico.

2 Caracterização: Um programa mais vocacionado para o desenho ilustração, proporciona ferramentas para desenho de formas geométricas e livres. Permite igualmente o preenchimento dessas formas com cores e padrões. Não tem muita preocupação quanto ao rigor de execução dos objectos e quanto às potencialidades das ferramentas disponibilizadas para a manipulação avançada desses objectos. Exp.: PAINT. Um programa mais orientado para o desenho técnico, permite, para além das operações habituais de desenho, outros níveis mais aprofundados de manipulação de objectos: construção de figuras mediante a definição de parâmetros matemáticos, a sua apresentação e manipulação em simulação de tridimensionalidade (3D)... Exp.: AUTOCAD. Nota: Um programa como o CorelDRAW considera-se num ponto intermédio. Captação e tratamento de imagem Importação e exportação de imagens Além da criação de imagens é possível: - Importar imagens de outras aplicações; - Captar imagens do exterior através de um scanner; - Captar imagens no ecrã do computador. A importação de imagens é possível por haver: - Compatibilidade entre o formato com que o programa trabalha e o formato em que a imagem está criada; - Filtros de conversão, no momento em que o ficheiro de imagem é importado. Em muitos programas é possível escolher o formato na gravação: - Mapa de bits (.bmp) - Metaficheiro (.wmf) - JPEG (.jpg) - Encapsulated Postscript (.eps) - Tagged Image File (.tif) - Graphics Interchange Format (.gif)

3 Captação de imagens em ecrã Utilização do recurso- Área de Transferência, Clipboard e com as técnicas: cortar/copiar e colar. PrtScr Print Screen para capturar o ecrã na sua totalidade. Captação de imagens por scanner Um scanner é um periférico de input que permite converter (digitalizar) imagens de proveniência externa em sinais digitais com que o computador pode passar a trabalhar. SCANNER = DIGITALIZADOR DE IMAGENS O funcionamento de um scanner passa obrigatoriamente por software específico para captação de imagem. Uma imagem resultante de uma captação por scanner assume, normalmente um formato tipo bitmap (TIF; GIF; JPG...). Tratamento de imagens - Aumentar ou diminuir o tamanho da imagem; - Alterar o brilho ou intensidade da cor; - Modificar os contrastes; - Alterar uma imagem a cores para preto e branco; - Efectuar retoques nas formas e/ou nas cores; - Retirar partes de imagens ou inserir novos elementos. PROGRAMAS DE TRATAMENTO DE IMAGEM: - Imaging - Corel PhotoPaint - Paint ShopPro -

4 Apresentação Gráfica (projecção de diapositivos) APRESENTAÇÃO GRÁFICA = APRESENTAÇÃO ELECTRÓNICA ELECTRONIC PRESENTATION - Auxiliar na explanação de uma palestra ou conferência; - Auxiliar no processo ensino-aprendizagem; - Apresentação de um projecto empresarial ou publicitário... O software de apresentação electrónica permite por exemplo: - Produzir imagens diapositivos ou slides, quer através de recursos próprios, quer por via de importação; - Agrupar os diapositivos numa sequência; - Definir os modos de entrada ou uma passagem de um diapositivo para o seguinte, os tempos de duração ou permanência de uma imagem, etc...; - Gravar o trabalho; - Imprimir a totalidade ou parte do trabalho. Uma apresentação pode ser mostrada no mesmo computador em que foi preparada ou num outro para onde for transportada, pode ser impressa em papel ou pode ser apresentada por meio de um projector de imagens ligado ao PC principal objectivo!! Elaboração de Acetatos: - Construção sucessiva; - Revelação; - Com movimento. Objectivo da concepção do visual: - Concretizar; - Ilustrar; - Simplificar; - Sintetizar. Concepção de um Acetato - Análise da necessidade; - Definição do objectivo; - Escolha do estilo a utilizar;

5 Elaborar um suporte de informação Superfície de Projecção Visibilidade - Na Horizontal 6 palavras por linha e 10 linhas; - Na Vertical 4 palavras por linha e 14 linhas. Lisibilidade (facilidade de leitura) - Espaçar as letras menos de metade do espaço ocupado pelas próprias letras; - Espaçar as palavras no mínimo igual à largura das letras; - Espaçar as linhas pelo menos igual à altura dos caracteres; - Espessura do traço no mínimo 0,5mm; - Cores não ultrapassar as 4 cores. Concisão - Conter palavras-chave; - Conter ideias estruturadas; - Ser motivante; - Não ser uma cábula. NOTA: Este guia não dispensa o estudo do manual adoptado para a disciplina de Tecnologias de Informação e Comunicação TIC. O acompanhamento presencial das aulas é essencial. Adaptado de:

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Conteúdo s: Aspetos genéricos sobre o trabalho com imagens computacionais. Imagens computacionais e programas que criam ou manipulam esse tipo de imagens.

Leia mais

Utilização do Sistema Multimédia. 2. Formatos de ficheiros 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens. 2. Formatos de ficheiros

Utilização do Sistema Multimédia. 2. Formatos de ficheiros 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens. 2. Formatos de ficheiros Utilização do Sistema Multimédia 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens 2.1. Compressão Formatos com e sem compressão Técnicas de compressão (reduzem tamanho) de 2 tipos: Compressão

Leia mais

Imagem digital. Unidade 3

Imagem digital. Unidade 3 Imagem digital Unidade 3 Objectivos Reconhecer o potencial comunicativo/ expressivo das imagens; Reconhecer as potencialidades narrativas de uma imagem; A criação de sentido nas associações de imagens

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. 1 Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome PROVA DE CONHECIMENTOS

Leia mais

Apresentação do Projeto Gráfico

Apresentação do Projeto Gráfico Arte-final Arquivo feito no computador utilizando softwares específicos que permitem a produção de um fotolito para impressão gráfica. Programas Utilizados para a Produção de Arte-final. Dependendo das

Leia mais

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens Sistemas Multimédia Ano lectivo 2006-2007 Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens Sumário Gráficos e imagens bitmap Tipos de dados para gráficos e imagens Imagens de 1-bit Imagens de gray-level

Leia mais

ferramentas da imagem digital

ferramentas da imagem digital ferramentas da imagem digital illustrator X photoshop aplicativo ilustração vetorial aplicativo imagem digital 02. 16 imagem vetorial X imagem de rastreio imagem vetorial traduz a imagem recorrendo a instrumentos

Leia mais

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Aplicações Informáticas B 12.º Ano de Escolaridade Prova 703/2.ª Fase 11 Páginas Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

Escola Secundária da Trofa Aplicações Informáticas A 11º Ano Curso Tecnológico de Informática T E S T E T I P O

Escola Secundária da Trofa Aplicações Informáticas A 11º Ano Curso Tecnológico de Informática T E S T E T I P O Grupo I (Utilização de Sistemas Multimédia) 1. Indique os atributos elementares das imagens 2. Complete as seguintes afirmações de forma a torná-las verdadeiras: a. A resolução de uma imagem digital é

Leia mais

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA Editores vetoriais são frequentemente contrastadas com editores de bitmap, e as suas capacidades se complementam. Eles são melhores para leiaute

Leia mais

Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica

Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica Professora Andréia Freitas 2012 7 semestre Aula 02 (1)AZEVEDO, Eduardo. Computação Gráfica, Rio de Janeiro: Campus, 2005 (*0) (2) MENEZES, Marco Antonio

Leia mais

CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN

CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN Com o Corel você vai trabalhar com um dos aplicativos mais usados no campo do design e da auto-edição, já que permite operar com dois tipos de gráficos (vetoriais

Leia mais

WEB DESIGN ELEMENTOS GRÁFICOS

WEB DESIGN ELEMENTOS GRÁFICOS ELEMENTOS GRÁFICOS Parte 4 José Manuel Russo 2005 24 A Imagem Bitmap (Raster) As imagens digitais ou Bitmap (Raster image do inglês) são desenhadas por um conjunto de pontos quadrangulares Pixel alinhados

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Formatos de Imagens

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Formatos de Imagens IntroduçãoàTecnologiaWeb HTML HyperTextMarkupLanguage XHTML extensiblehypertextmarkuplanguage FormatosdeImagens ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger FormatosdeImagens Índice 1 FORMATOS

Leia mais

ETI - Edição e tratamento de imagens digitais

ETI - Edição e tratamento de imagens digitais Curso Técnico em Multimídia ETI - Edição e tratamento de imagens digitais 2 Fundamentos "Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido, na fé e no amor que há em Cristo Jesus." 2 Timóteo 1:13

Leia mais

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Departamento de Eletrônica e Computação - DELC Introdução à Informática Prof. Cesar Tadeu Pozzer Julho de 2006 Imagens Uma imagem é representada por uma matriz

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca

Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca Exame a Nível de Escola Ao abrigo do Decreto-Lei n.º 357/2007, de 29 de Outubro Prova Escrita Aplicações Informáticas B 11º Ano Curso Científico-Humanistícos

Leia mais

FORMATOS DE ARQUIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS NATIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS GENÉRICOS. Produção Gráfica 2 A R Q U I V O S D I G I T A I S -

FORMATOS DE ARQUIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS NATIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS GENÉRICOS. Produção Gráfica 2 A R Q U I V O S D I G I T A I S - Produção Gráfica 2 FORMATOS DE ARQUIVOS A R Q U I V O S D I G I T A I S - FORMATOS DE ARQUIVOS PARA IMAGEM BITMAPEADAS Uma imagem bitmapeada, uma ilustração vetorial ou um texto são armazenados no computador

Leia mais

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES 2010/2011 1 Equipamentos informáticos Hardware e Software Hardware refere-se aos dispositivos físicos (electrónicos, mecânicos e electromecânicos) que constituem

Leia mais

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Disciplina:FERRAMENTAS E TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO WEB. Professora Andréia Freitas

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Disciplina:FERRAMENTAS E TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO WEB. Professora Andréia Freitas TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Disciplina:FERRAMENTAS E TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO WEB Professora Andréia Freitas 2012 3 semestre Aula 03 MEMORIA, F. Design para a Internet. 1ª Edição. Rio de Janeiro:

Leia mais

Microsoft PowerPoint 2003

Microsoft PowerPoint 2003 Página 1 de 36 Índice Conteúdo Nº de página Introdução 3 Área de Trabalho 5 Criando uma nova apresentação 7 Guardar Apresentação 8 Inserir Diapositivos 10 Fechar Apresentação 12 Abrindo Documentos 13 Configurar

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) 1 Classificação da imagem Em relação à sua origem pode-se classificar uma imagem,

Leia mais

Imagem digital 2. Resolução x dimensão da imagem

Imagem digital 2. Resolução x dimensão da imagem Uma imagem bitmapeada é formada por um conjunto de pixels. gerados no momento da digitalização da imagem (através do scanner ou câmera digital). PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital 2 Resolução x dimensão

Leia mais

ESCOLA BÁSICA 2 / 3 DE MARTIM DE FREITAS Informática - Ano letivo de 2013 / 2014

ESCOLA BÁSICA 2 / 3 DE MARTIM DE FREITAS Informática - Ano letivo de 2013 / 2014 Objetivos Tratamento de Imagem Conhecer as potencialidades dos programas de tratamento de imagem nas suas múltiplas funções. Criar, editar e retocar imagens, utilizando software de edição de imagem. Usar

Leia mais

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.1. Imagem. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.1. Imagem. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Sistemas e Conteúdos Multimédia 4.1. Imagem Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Cores O que é a cor? Distribuição espectral do sinal de excitação. Função da reflectância e da iluminação

Leia mais

Conceitos do Photoshop. Bitmap image Formatos de arquivos Memória Escalas de cores

Conceitos do Photoshop. Bitmap image Formatos de arquivos Memória Escalas de cores Conceitos do Photoshop Bitmap image Formatos de arquivos Memória Escalas de cores Bitmap Image Conceito de pixel Imagem bitmap x imagem vetorial Pixel x bits Resolução de tela e imagem 72 pixel/inch 300

Leia mais

Protótipo tipo de um Ambiente para Processamento de Imagens Raster 2D

Protótipo tipo de um Ambiente para Processamento de Imagens Raster 2D Protótipo tipo de um Ambiente para Processamento de Imagens Raster 2D Adriana Fornazari Prof. Dalton Solano dos Reis Orientador Roteiro Introdução Ambientes de processamento de imagens Arquivos gráficos

Leia mais

Se ouço esqueço, se vejo recordo, se faço aprendo

Se ouço esqueço, se vejo recordo, se faço aprendo Se ouço o esqueço, se vejo recordo, se faço o aprendo Meios de Armazenamento Secundário Principais Dispositivos de Entrada Principais Dispositivos de Saída Outros Dispositivos de Entrada/Saída Meios de

Leia mais

USBFlashDriveePortasdedispositivos

USBFlashDriveePortasdedispositivos EstecapítulodescrevecomousarasportasUSB(UniversalSerialBus)no osciloscópio para realizar as seguintes tarefas: Salvarerecuperarosdadosdeformadeondaouosdadosdeconfiguraçãoou salvarumaimagemdatela Imprimirumaimagemdatela

Leia mais

1. Formatos de ficheiros de imagem (mapas de bits)

1. Formatos de ficheiros de imagem (mapas de bits) Geração e captura de imagem 1. Formatos de ficheiros de imagem (mapas de bits) 1.1. Formatos mais comuns Existe a necessidade muitas vezes de transferir uma imagem de um programa para outro, quando um

Leia mais

Quais as diferenças entre os formatos de imagem PNG, JPG, GIF, SVG e BMP?

Quais as diferenças entre os formatos de imagem PNG, JPG, GIF, SVG e BMP? Quais as diferenças entre os formatos de imagem PNG, JPG, GIF, SVG e BMP? 66.393 Visualizações Por Daniele Starck Disponível em: www.tecmundo.com.br/imagem/5866 quais as diferencas entre os formatos de

Leia mais

Representação Binária de Dados

Representação Binária de Dados Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Departamento de Eletrônica e Computação - DELC Introdução à Informática Prof. Cesar Tadeu Pozzer Janeiro de 2006 Representação Binária de Dados O computador utiliza

Leia mais

Considerações gerais sobre arquivos abertos e fechados

Considerações gerais sobre arquivos abertos e fechados Considerações gerais sobre arquivos abertos e fechados Este tutorial tem por finalidade esclarecer algumas dúvidas sobre arquivos abertos e arquivos fechados. Leia e entenda um pouco mais sobre PDF, diferenças

Leia mais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais Esse artigo sobre Formatos de Arquivos Digitais é parte da Tese de Doutoramento do autor apresentada para a obtenção do titulo de Doutor em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da USP. Thales Trigo

Leia mais

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress O pacote BrOffice é um pacote de escritório muito similar ao já conhecido Microsoft Office e ao longo do tempo vem evoluindo e cada vez mais ampliando as possibilidades

Leia mais

RECONHECIMENTO DE IMAGEM ATRAVÉS DA VISÃO DE MÁQUINA

RECONHECIMENTO DE IMAGEM ATRAVÉS DA VISÃO DE MÁQUINA RECONHECIMENTO DE IMAGEM ATRAVÉS DA VISÃO DE MÁQUINA Erick Rodrigues Silva Victoriano 1 Danielle de Oliveira Santos 2 Regimar Maciel 3 RESUMO Este artigo tem como objetivo a compreensão do processo de

Leia mais

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica A natureza da imagem fotográfica PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital - 1 Antes do desenvolvimento das câmeras digitais, tínhamos a fotografia convencional, registrada em papel ou filme, através de um processo

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação: Técnicas de Representação Digital I Área Científica: Desenho (DES) Ciclo de Estudos: Licenciatura Carácter: Obrigatória Semestre: 3º ECTS: 6 Tempo

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3) Introdução A possibilidade de utilizarmos imagens, gráficos, desenhos e textos artísticos

Leia mais

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5 A cor e o computador Introdução A formação da imagem num Computador depende de dois factores: do Hardware, componentes físicas que processam a imagem e nos permitem vê-la, e do Software, aplicações que

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Microsoft Word Folha

Leia mais

Centro de Formação de Associação de Escolas da Terceira São Jorge e Graciosa

Centro de Formação de Associação de Escolas da Terceira São Jorge e Graciosa Centro de Formação de Associação de Escolas da Terceira São Jorge e Graciosa Ação n.º 31/12 «Tratamento de Imagem e Animação em Photoshop» (Registo de acreditação - DREFAçores/AAFCM/011/2012) 1. OBJETIVOS

Leia mais

Instalação e Manutenção de Microcomputadores

Instalação e Manutenção de Microcomputadores Instalação e Manutenção de Microcomputadores Conceitos básicos Técnicas de implantação de páginas na Web Criação de páginas Programa de edição Web: FrontPage Programa de animação gráfica Web: Flash Programa

Leia mais

Imagens - Formatos. GIF (Graphics Interchange Format) JPEG (ou JPG) (Joint Pictures Experts Graphis)

Imagens - Formatos. GIF (Graphics Interchange Format) JPEG (ou JPG) (Joint Pictures Experts Graphis) Imagens - Formatos GIF (Graphics Interchange Format) - Muito popular na web. - Permite ter um máximo de 256 cores. - Indicado para cartoons, logos, imagens com áreas transparentes e animações. JPEG (ou

Leia mais

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão 1 Diferenças entre o CCD e o Filme: O filme como já vimos, é uma película de poliéster, coberta em um dos lados por uma gelatina de origem animal com partículas

Leia mais

Como criar Gif s Animados. - Utilizando o Paint. e o Image Ready

Como criar Gif s Animados. - Utilizando o Paint. e o Image Ready Como criar Gif s Animados - Utilizando o Paint e o Image Ready 2003 O que são gif's? Ora, GIF atende por Graphics Interchange Format e é o tipo de compressão de imagem (não confundir com compressão de

Leia mais

Centro de Competência Entre Mar e Serra. Guia

Centro de Competência Entre Mar e Serra. Guia SMART Notebook Software Guia O Software Notebook permite criar, organizar e guardar notas num quadro interactivo SMART Board (em modo projectado e não-projectado), num computador pessoal e, em seguida,

Leia mais

Oficina de Multimédia B. ESEQ 12º i 2009/2010

Oficina de Multimédia B. ESEQ 12º i 2009/2010 Oficina de Multimédia B ESEQ 12º i 2009/2010 Conceitos gerais Multimédia Hipertexto Hipermédia Texto Tipografia Vídeo Áudio Animação Interface Interacção Multimédia: É uma tecnologia digital de comunicação,

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B PLANIFICAÇÕES SECUNDÁRIO PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B 12º ANO DE ESCOLARIDADE CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Introdução à Programação Introdução Linguagens naturais e formais Algoritmos

Leia mais

Imagem digital Tipos de arquivos gráficos

Imagem digital Tipos de arquivos gráficos Tipos de arquivos gráficos! Os mais comuns do tipo raster ". TIF TIFF -Tagged Image File Format -é suportado por todos os aplicativos de edição de imagens. É usado em editoração. # éo maior em tamanho

Leia mais

TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP

TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP Docente: Bruno Duarte Fev 2010 O que é uma imagem digital? Uma imagem diz-se digital quando existe um ficheiro em computador que guarda a informação gráfica desta

Leia mais

11/06/2013. O que é Software Aplicativo? Suítes de Software. Adquirindo Software SOFTWARES APLICATIVOS

11/06/2013. O que é Software Aplicativo? Suítes de Software. Adquirindo Software SOFTWARES APLICATIVOS 2 O que é Software Aplicativo? SOFTWARES APLICATIVOS Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Software que realiza tarefa útil específica Suítes de aplicativos Softwares empresariais Softwares

Leia mais

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

Colocar em prática. Tópicos para aprender. Colocar em prática. Utilizar as aplicações da Microsoft Windows num quadro interactivo SMART Board

Colocar em prática. Tópicos para aprender. Colocar em prática. Utilizar as aplicações da Microsoft Windows num quadro interactivo SMART Board Utilizar as aplicações da Microsoft Windows num quadro interactivo SMART Board Quando se encontra a trabalhar em contexto grupal, a utilização do quadro interactivo SMART Board poderá ajudá-lo a poupar

Leia mais

Tecnologias de Informação e Comunicação Página 1 de 5

Tecnologias de Informação e Comunicação Página 1 de 5 1. Descrição da prova A prova irá abranger várias tarefas de utilização do software do Microsoft Office2007 e software gráfico como o Adobe Photoshop CS4 ou Adobe Fireworks CS4. As principais áreas abrangidas

Leia mais

Aplicações Informáticas B

Aplicações Informáticas B Prova de Exame Nacional de Aplicações Informáticas B Prova 703 2008 12.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Para: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular Inspecção-Geral

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DAS AULAS DE TIC 2011/2012. Competências Especificas. - Conhecer o computador.

PLANIFICAÇÃO DAS AULAS DE TIC 2011/2012. Competências Especificas. - Conhecer o computador. PLANIFICAÇÃO DAS AULAS DE TIC 2011/2012 Módulos Unidades Competências Gerais Competências Especificas Actividade/Estratégia Avaliação Aulas - As Tecnologias de Informação e Comunicação. - Relembrar conceitos

Leia mais

O que é GED GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS (GED)

O que é GED GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS (GED) Automação em Arquivos GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS (GED) O que é GED GED é a tecnologia que provê um meio de facilmente armazenar, localizar e recuperar informações existentes em documentos e

Leia mais

Prof. Sandrina Correia

Prof. Sandrina Correia Tecnologias de I informação de C omunicação 9º ANO Prof. Sandrina Correia TIC Prof. Sandrina Correia 1 Objectivos Definir os conceitos de Hardware e Software Identificar os elementos que compõem um computador

Leia mais

MANUAL DE UTILIZADOR Aplicativo: Análise do Estudo da Lição da Escola Sabatina. 0. INTRODUÇÃO... 2 1. ARRANQUE DO APLICATIVO... 2 1.1. Início...

MANUAL DE UTILIZADOR Aplicativo: Análise do Estudo da Lição da Escola Sabatina. 0. INTRODUÇÃO... 2 1. ARRANQUE DO APLICATIVO... 2 1.1. Início... Índice 0. INTRODUÇÃO... 2 1. ARRANQUE DO APLICATIVO... 2 1.1. Início... 2 1.2. Perguntas de segurança... 2 2. FORMULÁRIO PRINCIPAL DO APLICATIVO... 4 2.1. Caixa de Texto: Nome da Igreja... 4 2.2. Botão:

Leia mais

Guia de Estudo Folha de Cálculo Microsoft Excel

Guia de Estudo Folha de Cálculo Microsoft Excel Tecnologias da Informação e Comunicação Guia de Estudo Folha de Cálculo Microsoft Excel Estrutura geral de uma folha de cálculo: colunas, linhas, células, endereços Uma folha de cálculo electrónica ( electronic

Leia mais

23/09/2011. Tecnologias da Educação. Tecnologias e mídias. Diferença entre tecnologia e mídia. Diferença entre tecnologia e mídia.

23/09/2011. Tecnologias da Educação. Tecnologias e mídias. Diferença entre tecnologia e mídia. Diferença entre tecnologia e mídia. Tecnologias da Educação Marco Antônio Tecnologias e mídias Comunicar não é de modo algum transmitir uma mensagem ou receber uma mensagem. Isso é a condição física da comunicação, mas não é comunicação.

Leia mais

ESCOLA EB2,3/S Dr. ISIDORO DE SOUSA

ESCOLA EB2,3/S Dr. ISIDORO DE SOUSA ESCOLA EB2,3/S Dr. ISIDORO DE SOUSA Passos para Ligar 1. Verificar se o projector de Vídeo está ligado à corrente tomada do lado esquerdo do quadro, junto à porta, caso não esteja ligue a ficha tripla

Leia mais

Quadros Interactivos Multimédia e Formação Contínua de Docentes. InterwriteBoard Guia de Iniciação

Quadros Interactivos Multimédia e Formação Contínua de Docentes. InterwriteBoard Guia de Iniciação Quadros Interactivos Multimédia e Formação Contínua de Docentes InterwriteBoard Guia de Iniciação A. Jorge Mesquita Maio, 2008 Conteúdo Introdução... 1 Antes de iniciar... 1 Caneta interactiva... 1 Interagir

Leia mais

PHOTOSHOP. Menus. Caixa de Ferramentas:

PHOTOSHOP. Menus. Caixa de Ferramentas: PHOTOSHOP Universidade de Caxias do Sul O Photoshop 5.0 é um programa grande e complexo, é o mais usado e preferido pelos especialistas em editoração e computação gráfica para linha PC. Outros programas

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA FINAL DE CICLO A NÍVEL DE ESCOLA. Aplicações Informáticas B 12º Ano - Prova 303 2014/2015

INFORMAÇÃO PROVA FINAL DE CICLO A NÍVEL DE ESCOLA. Aplicações Informáticas B 12º Ano - Prova 303 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA FINAL DE CICLO A NÍVEL DE ESCOLA Aplicações Informáticas B 12º Ano - Prova 303 2014/2015 1. Introdução Este documento dá a conhecer, aos diversos intervenientes no processo de exames,

Leia mais

MICROSOFT POWERPOINT

MICROSOFT POWERPOINT MICROSOFT POWERPOINT CRIAÇÃO DE APRESENTAÇÕES. O QUE É O POWERPOINT? O Microsoft PowerPoint é uma aplicação que permite a criação de slides de ecrã, com cores, imagens, e objectos de outras aplicações,

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE MANUEL DA FONSECA Curso Profissional: Técnico de Gestão e Equipamentos Informáticos PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS GRUPO 550 CICLO DE FORMAÇÃO 2012/2015 ANO LECTIVO 2012/2013 DISCIPLINA:

Leia mais

1. Introdução ao Adobe Illustrator CC. 2.6. Ferramentas de Seleção e Visualização. 1.1. Novidades do Illustrator CC. 3. Desenho. 1.2.

1. Introdução ao Adobe Illustrator CC. 2.6. Ferramentas de Seleção e Visualização. 1.1. Novidades do Illustrator CC. 3. Desenho. 1.2. 1. Introdução ao Adobe Illustrator CC 1.1. Novidades do Illustrator CC 1.2. Abrir o Programa 1.3. Criar um Novo Documento 1.4. Área de Trabalho 1.4.1. Paletas e Painéis 1.4.2. Menus de Contexto 1.4.3.

Leia mais

2.1.2 Definição Matemática de Imagem

2.1.2 Definição Matemática de Imagem Capítulo 2 Fundamentação Teórica Este capítulo descreve os fundamentos e as etapas do processamento digital de imagens. 2.1 Fundamentos para Processamento Digital de Imagens Esta seção apresenta as propriedades

Leia mais

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 20

Periféricos e Interfaces Ano lectivo 2003/2004 Docente: Ana Paula Costa. Aula Teórica 20 Sumário: Os subsistemas vídeo. A RAM vídeo. Aula Teórica 20 Leitura Recomendada: Capítulo 37 - Hans-Peter Messmer, The Indispensable PC Hardware Book, Addison-Wesley. Capítulos 4 e 11 - Peter Norton, Peter

Leia mais

Protecção das Invenções: Patentes e Modelos de Utilidade

Protecção das Invenções: Patentes e Modelos de Utilidade Protecção das Invenções: Patentes e Modelos de Utilidade As invenções são soluções novas para problemas técnicos específicos que, se cumprirem os requisitos de concessão, podem ser protegidos direitos

Leia mais

Direcção Regional de Educação do Algarve

Direcção Regional de Educação do Algarve MÓDULO 1 Folha de Cálculo 1. Introdução à folha de cálculo 1.1. Personalização da folha de cálculo 1.2. Estrutura geral de uma folha de cálculo 1.3. O ambiente de da folha de cálculo 2. Criação de uma

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É?

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA SUMÁRIO O que é COMPUTAÇÃO GRÁFICA Áreas relacionadas

Leia mais

Aula 2 Aquisição de Imagens

Aula 2 Aquisição de Imagens Processamento Digital de Imagens Aula 2 Aquisição de Imagens Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira mvieira@sc.usp.br EESC/USP Fundamentos de Imagens Digitais Ocorre a formação de uma imagem quando

Leia mais

Programa de formaça o de Power Point Nível 2 (482)

Programa de formaça o de Power Point Nível 2 (482) Programa de formaça o de Power Point Nível 2 (482) Conteúdo Denominação do curso de formação:... 1 Objetivo Geral... 1 Destinatários... 1 Requisitos... 1 Critérios de seleção dos formandos... 2 Modalidade

Leia mais

Introdução à Multimédia conceitos

Introdução à Multimédia conceitos 1. Introdução à Multimédia conceitos Popularidade mercado potencial aparece nos anos 90 Avanços Tecnológicos que motivaram o aparecimento/ desenvolvimento da MULTIMÉDIA Indústrias envolvidas - Sistemas

Leia mais

Planificação Anual 2015/2016

Planificação Anual 2015/2016 Planificação Anual 015/01 CURSO: PROFISSIONAL TÉCNICO DE MULTIMÉDIA DISCIPLINA: TÉCNICAS DE MULTIMÉDIA (TM) ANO: 10.º TURMA: I 1º Período º Período 3º Período Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun 3ª

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS - Grupo 550 INFORMÁTICA Planificação Anual /Critérios de avaliação

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS - Grupo 550 INFORMÁTICA Planificação Anual /Critérios de avaliação DOMÍNIOS (Unidades) UNIDADE 1 INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO Introdução Conteúdos Objetivos Estratégias/ recursos Conceitos fundamentais Teste e controlo de erros em algoritmia Estruturas de controlo Arrays

Leia mais

ACTOS PROFISSIONAIS GIPE. Gabinete de Inovação Pedagógica

ACTOS PROFISSIONAIS GIPE. Gabinete de Inovação Pedagógica ACTOS PROFISSIONAIS GIPE Gabinete de Inovação Pedagógica Cooptécnica Gustave Eiffel, CRL Venda Nova, Amadora 214 996 440 910 532 379 Março, 2010 MULTIMÉDIA 1 GIPE - Gabinete de Inovação Pedagógica Comunicar

Leia mais

7 Introdução ao uso do LibreOffice Impress

7 Introdução ao uso do LibreOffice Impress Introdução a Informática - 1º semestre AULA 04 Prof. André Moraes Objetivos desta aula: Criar apresentações básicas com uso do LibreOffice Impress; o Manipular a estrutura de tópicos para a digitação de

Leia mais

Câmera Digital. Autor: Darllene Negri Nicioli

Câmera Digital. Autor: Darllene Negri Nicioli Câmera Digital Autor: Darllene Negri Nicioli 2 OBJETIVO Têm como objetivo este trabalho mostrar o princípio de funcionamento geral de uma câmera digital até as vantagens e desvantagens do produto final,

Leia mais

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing Docente (Teóricas): E-mail: vmnf@yahoo.com Web: http://www.vmnf.net/ipam Objectivos As Tabelas: Aula 8 Sumário O Processador de Texto Word

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a MonkeyJam M a

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 04

PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 04 8 PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 04 QUESTÃO 21: Windows e MAC OS são: a) Sistemas operacionais b) Aplicativos c) Programas d) Utilitários QUESTÃO 22: A título de manutenção, é recomendado que se

Leia mais

APLICATIVO APRESENTAÇÕES EFEITOS IMAGENS POWERPOINT SLIDES SONS VÍDEOS TEXTOS

APLICATIVO APRESENTAÇÕES EFEITOS IMAGENS POWERPOINT SLIDES SONS VÍDEOS TEXTOS Respostas do Capítulo 1 1. Caça-palavras - Localize as seguintes palavras: APLICATIVO APRESENTAÇÕES EFEITOS IMAGENS POWERPOINT SLIDES SONS VÍDEOS TEXTOS IMAGEM 03 2. Use as palavras do quadro para completar

Leia mais

Ano letivo 2014/2015. Planificação Anual. Disciplina: APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B - Ano: 12º

Ano letivo 2014/2015. Planificação Anual. Disciplina: APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B - Ano: 12º Código 401470 Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico Dr. Joaquim de Carvalho DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO CENTRO Ano letivo 2014/2015 Planificação Anual Disciplina: APLICAÇÕES INFORMÁTICAS

Leia mais

Referencial do Módulo B

Referencial do Módulo B 1 Referencial do Módulo B Liga, desliga e reinicia correctamente o computador e periféricos, designadamente um scanner; Usa o rato: aponta, clica, duplo-clique, selecciona e arrasta; Reconhece os ícones

Leia mais

Rufos.Net Gestão Documental

Rufos.Net Gestão Documental Rufos.Net Gestão Documental Introdução ao Rufos.Net O sistema permite: O Rufos.Net é uma aplicação de gestão documental que funciona num método de rede cliente/servidor. a captura de documentos tanto na

Leia mais

Os elementos básicos do Word

Os elementos básicos do Word Os elementos básicos do Word 1 Barra de Menus: Permite aceder aos diferentes menus. Barra de ferramentas-padrão As ferramentas de acesso a Ficheiros: Ficheiro novo, Abertura de um documento existente e

Leia mais

Web. Web. Web. Web. Unidade 4. Conceitos básicosb. Publicação. Web: Frontpage Programa de animação gráfica. Programa de edição

Web. Web. Web. Web. Unidade 4. Conceitos básicosb. Publicação. Web: Frontpage Programa de animação gráfica. Programa de edição Criação de páginas p Unidade 4 UNIDADE 4: Criação de Páginas P Conceitos básicosb Técnicas de implantação de páginas p Criação de páginas p Programa de edição : Frontpage Programa de animação gráfica :

Leia mais

MS PowerPoint. O que é? Gestão Comercial e da Produção

MS PowerPoint. O que é? Gestão Comercial e da Produção MS PowerPoint Gestão Comercial e da Produção O que é? O MS-PowerPoint97 é um software para a criação de dispositivos com textos e desenhos, a serem utilizadas como material de suporte para aulas ou palestras

Leia mais

Representação de Imagens

Representação de Imagens Representação de Imagens Primitivas Gráficas As primitivas gráficas são os elementos básicos que formam um desenho. Exemplos: Ponto, segmento, polilinha, polígono, arco de elipse, etc. Primitivas já definidas

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

Domine o Word 2007. Professor: Rafael Henriques. Ano Lectivo 2010/2011

Domine o Word 2007. Professor: Rafael Henriques. Ano Lectivo 2010/2011 Domine o Word 2007 1 Professor: Rafael Henriques Ano Lectivo 2010/2011 Sumário Introdução aos Processadores de texto; Microsoft Word 2007 O ambiente de trabalho O Friso Os Tabuladores do Word 2007; Realização

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 703/7 Págs. Duração da prova: 120 minutos 2007 1.ª FASE PROVA PRÁTICA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS

Leia mais

Escola Secundária c/3º CEB José Macedo Fragateiro. Curso Profissional de Nível Secundário. Componente Técnica. Disciplina de

Escola Secundária c/3º CEB José Macedo Fragateiro. Curso Profissional de Nível Secundário. Componente Técnica. Disciplina de Escola Secundária c/3º CEB José Macedo Fragateiro Curso Profissional de Nível Secundário Componente Técnica Disciplina de Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores 29/21 Módulo 1: Sistemas de Numeração

Leia mais

PROGRAMA DE INFORMÁTICA

PROGRAMA DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE INFORMÁTICA 10ª Classe 2º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO Todas as áreas Ficha Técnica Título Programa de Informática - 10ª Classe Editora Editora Moderna, S.A. Pré-impressão, Impressão e Acabamento

Leia mais

ESTRATÉGIAS /ACTIVIDADES. Fazer uma abordagem teórica e simples

ESTRATÉGIAS /ACTIVIDADES. Fazer uma abordagem teórica e simples Conhecer os conceitos básicos relacionados com as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). Conhecer a terminologia relacionada com as TIC Caracterizar informação Identificar e caracterizar as áreas

Leia mais

Trabalho Prático n. 2

Trabalho Prático n. 2 Trabalho Prático n. 2 Programação com Quadtrees Métodos de Programação I 2003/04 Preâmbulo Este trabalho prático é constituído por duas secções. A primeira contém questões obrigatórias, e a segunda questões

Leia mais